VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Cármen Lúcia muda seu voto, diz que houve “comportamentos inadequados” e Moro é considerado suspeito pela Segunda Turma no caso do triplex
Reprodução
Você escreve

Cármen Lúcia muda seu voto, diz que houve “comportamentos inadequados” e Moro é considerado suspeito pela Segunda Turma no caso do triplex


23/03/2021 - 18h02

Da Redação

A ministra Cármen Lúcia mudou seu voto e, com isso, o ex-juiz federal Sergio Moro foi considerado suspeito pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, por 3 a 2.

Antes, houve um educado bate boca entre o ministro Kassio Nunes Marques, indicado por Jair Bolsonaro, e o presidente da Turma, Gilmar Mendes.

Kassio alegou que não poderia ratificar o que supôs serem provas ilegais, obtidas pelo hacker Walter Delgatti Neto, para considerar Moro suspeito.

Gilmar rebateu que não considerou as mensagens, em seu voto favorável à suspeição de Moro, mas sim os argumentos da defesa, como a interceptação ilegal dos telefones de advogados do ex-presidente Lula.

O ministro Ricardo Lewandowski acrescentou que as mensagens haviam sido periciadas pela Polícia Federal e, portanto, não eram falsas — como sugeriu Kassio.

O resultado foi de 3 a 2, votando pela suspeição Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia.

Com isso o processo do triplex de Guarujá será anulado.

Ao votar, no entanto, Cármen Lúcia disse que não estenderia sua decisão a outros processos da Lava Jato de Curitiba.

Para a ministra, a defesa de Lula demonstrou que “em relação a ele houve comportamento inadequados”.

Ela apresentou como provas da parcialidade a condução coercitiva do ex-presidente Lula sem que ele tivesse sido ouvido, a interceptação telefônica da família e dos advogados do réu, a divulgação, no dia 16 de março de 2016, dos áudios que foram selecionados para criminalizar Lula, e a divulgação às vésperas da eleição de 2018 da delação do ex-ministro Antonio Palocci.

Com a anulação do caso do triplex, em tese, ficam anulados todos os atos relativos a ele, inclusive da fase de investigação, que teria de ser reiniciada em Brasília, para onde os processos de Curitiba foram transferidos em decisão monocrática do ministro Edson Fachin.





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

abelardo

23 de março de 2021 às 20h20

O marreco deixou muitos órfãos no JN. Assistirei o de hj só para curtir o chororô hilário que deve estar ecoando em toda grande mídia golpista.
Momentos como esse não tem preço.

Responder

Sidney Lima

23 de março de 2021 às 20h00

Que juiz ia autorizar grampearem o Moro, min. dr. Kassio Nunes ?
Seu pai !
Crime é o que o Moro e Dallagnol fizeram.
E agora aparece um AP de luxo do procurador.
Triplex horrível.
Duvido que o Pablo Escobar aceitava um pagamento desses qdo era vivo.

Responder

Zé Maria

23 de março de 2021 às 19h16

Milícia Digital da Força-Tarefa de Patifes de Curitiba
está soltando fogo pela boca e fumaça pelas orelhas.
‘Gilmar é petê, Carmem é petê, o STF é petê’ …

Responder

Zé Maria

23 de março de 2021 às 18h34

Hoje o Bonner e a Renata só mencionarão os Votos
do Murus Marques e do Fachinha [do Moro ÁHÁ, ÚHÚ]
para tapar com a peneira a SUSPEIÇÃO DO JUIZ MORO

Responder

Zé Maria

23 de março de 2021 às 18h29

Fachinha [do Moro ÁHÁ, ÚHÚ] está falando para o Jornal Nacional

Responder

Zé Maria

23 de março de 2021 às 18h08

.
.
LULA 3 x 2 juizéco Moro SUSPEITO

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding