VIOMUNDO

Diário da Resistência


Benedita: Ao priorizar a mulher nas políticas sociais, Lula e Dilma impulsionaram o nosso protagonismo
Assessoria de imprensa
Você escreve

Benedita: Ao priorizar a mulher nas políticas sociais, Lula e Dilma impulsionaram o nosso protagonismo


08/03/2019 - 16h49

O 8 de Março é maior do que se imagina

por Benedita da Silva*, exclusivo para o Viomundo

O feminismo tem suas raízes na luta contra submissão patriarcal da mulher e também contra a discriminação racial e salarial promovidas pelo capitalismo.

Esse mesmo capitalismo que varreu no século XIX a herança feudal conservou, porém, a tradicional opressão patriarcal da mulher para mantê-la submissa ao homem.

Nos países escravistas de então, como os Estados Unidos e o Brasil, entre outros, ao lado da mulher branca oprimida pelo pai ou marido, havia a mulher negra escrava que executava trabalho igual ao do escravo e, dessa forma cruel e desumana, mostrando a igualdade de gêneros.

O feminismo no Brasil também cresceu na luta das mulheres contra a violência do machismo e por seus direitos ao voto, ao corpo, à representação política e no mercado de trabalho.

Mas ao lado desse feminismo branco se desenvolveu com força crescente o feminismo negro, colocando a tripla discriminação que sofre a mulher negra na sociedade: de raça, de gênero e social.

São essas três formas de opressão que conformam a condição de trabalho da categoria mais explorada da sociedade, a das trabalhadoras domésticas, com mais de 60% de mulheres negras e forte herança escravista.

“Como pode a empregada se aposentar antes da patroa”, é a frase que resume tudo isso dita recentemente por um defensor dessa criminosa Reforma da Previdência.

A discriminação da mulher na política em nosso país salta aos olhos, apesar das toscas justificativas do machismo dominante.

Costumamos mostrar o enorme contraste entre a maioria da população, que somos, com os 10% ou 15% de representação parlamentar, que temos.

Mas se ficarmos nessa constatação e não construirmos políticas e muita luta para mudar a mentalidade da maioria das mulheres, que aceitam a supremacia masculina, o quadro se manterá e continuaremos a ser uma minoria consciente, não obstante sermos a maioria social.

Sobre essa condição passiva da maioria das mulheres no capitalismo a escritora feminista Sue Monk Kidd relata em seu livro “A Invenção das Asas”, um interessante diálogo ocorrido no século XIX entre a jovem senhora Sarah Grimké, que se tornaria tempos depois uma grande abolicionista, e a sua também jovem escrava.

Disse esta para Sarah: “Eu sou presa pelo corpo mas você é presa pela mente”.

O protagonismo político das mulheres tem crescido fortemente nos últimos anos no Brasil como resposta ao golpe do impeachment e na campanha eleitoral contra o misógino fascista Bolsonaro.

É um feminismo plural, de mulheres brancas, negras e indígenas, no interior do qual amadurece o entendimento de se disputar a hegemonia dos direitos da mulher na sociedade. De que não se trata de uma luta contra os homens, mas contra o machismo que discrimina, agride e mata.

É o entendimento de que se a libertação da mulher depende em primeiro lugar de nossa força para lutar por seus próprios direitos, depende também de nossa capacidade política para ganhar o apoio da maioria dos homens para essa legítima e justa causa.

De certo modo o legado dos governos Lula e Dilma expressa esse envolvimento de mulheres e homens conscientes pela ampliação dos direitos das mulheres.

Ao priorizar a mulher em todas as suas políticas sociais, destacadamente o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida e a política de cotas raciais, Lula e Dilma fortaleceram a participação das mulheres na sociedade, no trabalho e na universidade e como consequência, impulsionaram a consciência e o protagonismo que vemos hoje na luta contra o racismo, o feminicídio e a reforma da Previdência do fascista Bolsonaro, em que as mulheres são as mais prejudicadas.

O 8 de Março surgiu historicamente da luta das mulheres por seus direitos e se alimenta dessa luta, por isso é maior do que se imagina.

*Benedita da Silva é deputada federal (PT-RJ)

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

11 de março de 2019 às 16h49

“o desequilibrado disse que o ministério
com 20 homens e duas mulheres
está equilibrado”

Márcia Tiburi
https://twitter.com/marciatiburi
https://revistacult.uol.com.br/home/entrevista-marcia-tiburi/

Responder

Zé Maria

11 de março de 2019 às 16h18

Não foi este Crápula que mandou o Lula e a Dilma
se internarem pelo SUS, qundo tiveram Câncer?

“Internação de Jair Bolsonaro custará R$ 400 Mil aos Cofres Públicos”

Verba para pagar o Hospital Albert Einstein sairá dos recursos
reservados para a Presidência da República em 2019

Congresso Nacional aprovou um orçamento de R$ 333,3 milhões
para despesas discricionárias da Presidência da República
(aquelas que não são obrigatórias e podem ser feitas por decisão do governo)
Os custos com a internação não incluem o trabalho dos médicos

Pois é:
“Nos casos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (ambos do PT),
que passaram por tratamentos de câncer no Sírio-Libanês,
Não Houve Utilização de Dinheiro Público,
já que Lula foi internado depois de ter deixado o cargo
e Dilma, antes de ter sido eleita.”

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/03/internacao-de-bolsonaro-custara-r-400-mil-medicos-abrem-mao-de-cobranca.shtml

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!