VIOMUNDO

Diário da Resistência


Altamiro Borges: Em 2022, Bolsonaro pode ter no STF quatro ministros que suas instruções de voto e almocem com ele uma vez por mês
Fotos: Marcello Casal/Agência Brasil e Felipe Sampaio/ STF
Você escreve

Altamiro Borges: Em 2022, Bolsonaro pode ter no STF quatro ministros que suas instruções de voto e almocem com ele uma vez por mês


25/11/2021 - 16h30

Bolsonaro avança sobre o Supremo

Por Altamiro Borges, em seu blog

O fascismo segue corroendo as instituições democráticas no Brasil.

Nessa terça-feira (23), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal, presidida pela fanática bolsonarista Bia Kicis, aprovou a admissibilidade do projeto de lei que reduz a idade para a aposentadoria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – dos atuais 75 para 70 anos.

Caso o parecer seja confirmado pelo plenário do Congresso Nacional, Jair Bolsonaro poderá indicar mais dois ministros no STF, antecipando as aposentadorias de Ricardo Lewandowski e Rosa Weber, ambos com 73 anos.

Com isso, a extrema-direita nativa poderá ter quatro dos 11 ministros do Supremo em menos de quatro anos de governo do “capetão”.

O PL que modifica a “PEC da Bengala” teve 35 votos a favor e 24 contra na CCJ.

A bancada do governo votou em peso na proposta, com o apoio entusiástico dos sete deputados bolsonaristas ainda filiados ao PSL, dentre eles as autoras Bia Kicis e Cris Tonietto.

Todos os deputados do PT, PSB, PSOL e PCdoB votaram contra essa nova investida sobre o STF.

Casuísmo e afronta aos brasileiros

Ao justificar sua proposta, a oportunista Bia Kicis alegou que a PEC da Bengala – instituída para inviabilizar as indicações ao Supremo pela ex-presidenta Dilma Rousseff – foi um equívoco.

“A mencionada elevação de idade para aposentadoria compulsória, além de não proporcionar à administração pública qualquer benefício considerável, revelou-se extremamente prejudicial para a carreira da magistratura, que ficou ainda mais estagnada do que já era”.

Já a deputada paranaense Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, criticou a mudança agora.

“Isso vai fazer com que alguns ministros deixem o STF já no próximo ano ou até antes disso, e o presidente Jair Bolsonaro possa indicar ministros seus, porque ele fala isso. Ele indicou um ministro que diz que é seu, que é ministro dele. É por isso que está se mudando essa proposta de emenda constitucional. É de um casuísmo, mas sobretudo é uma afronta ao povo brasileiro, porque não tem nenhuma necessidade de essa discussão agora”.

O fascista no poder já fez duas indicações ao Supremo. A primeira foi o atual ministro Kassio Nunes, que tomou posse há um ano, após a aposentadoria de Celso de Mello, e tem tido um papel medíocre no STF.

A segunda foi André Mendonça, ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça. O nome dele foi apresentado em julho deste ano, mas esbarrou em resistências.

Os senadores temem que o “evangélico terrível”, que é pastor da igreja presbiteriana, não atue de forma independente.

Em vários discursos, Jair Bolsonaro já afirmou que pediu ao indicado que, caso chegue ao STF, inicie sessões com orações e que almoce pelo menos uma vez por mês com ele. Nesta quarta-feira (24), após forte pressão, a sabatina de André Mendonça finalmente foi marcada.

O fascismo tupiniquim corrói a democracia

Como se observa, entre um e outro factoide obrado pelo “capetão”, o fascismo tupiniquim avança sobre as instituições democráticas.

Na semana retrasada, a imprensa noticiou que Jair Bolsonaro nomeará 75 desembargadores para os seis Tribunais Regionais Federais. Alguns veículos também informaram que o governo já exonerou ou puniu 18 delegados da Polícia Federal, que investigavam de contrabando de madeira na Amazônica a crimes de corrupção de aliados do fascista.

Como alertou Alvaro Costa e Silva, em artigo na Folha intitulado “Por debaixo da mesa, mão do bolsonarismo avança nas instituições”, a mais recente vítima de retaliação do laranjal fascista foi a delegada Silvia Amélia Fonseca de Oliveira, que chefiava a Diretoria de Cooperação Jurídica Internacional:

“Ela foi removida da função depois de ter formalizado a solicitação para que os Estados Unidos prendam e extraditem Allan dos Santos, acusado de participar de uma organização criminosa e com ordem de prisão determinada pelo STF. À semelhança do que ocorre em parte das Forças Armadas, Bolsonaro quer uma PF para chamar de sua, proibindo-a de prender os seus”.





4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

abelardo

26 de novembro de 2021 às 11h10

Penso que os americanos devem ser observados com muito mais atenção e desconfiança, por toda população e por todas as autoridades brasileiras patriotas, que se preocupam com a entrega covarde e criminosa da soberania e riqueza nacional. Acho que ninguém ainda comentou, mas observem que os americanos já estão com dois seus robôs políticos em plena disputa eleitoral, para o cargo de presidente do Brasil. Chegou ao ponto de sotisticar o seu poder de interferência de tal modo e facilidade, que colocou um em oposição ao outro, e os dois em oposição a Lula. Mais que nunca, Lula precisa estar cercado de todo cuidado e segurança porque o jogo politico sujo, rasteiro e violento é a praia dos gringos americanos. Afinal, todos sabemos que na ausência de Lula o vencedor será a Besta do apocalípse brasileiro, sem dó e sem piedade.

Responder

Zé Maria

26 de novembro de 2021 às 02h39 Responder

Zé Maria

25 de novembro de 2021 às 18h45

Ministro do Supremo indicado pelo Genocida do Planalto
tem que almoçar com o Bolsonaro uma vez por mês?
Pra quê?
Pra provar a Picanha do Presidente e prestar contas
dos votos proferidos em Julgamentos do STF?

Responder

robertoAP

25 de novembro de 2021 às 17h42

A notícia boa é que nenhum desses dois monstrengos que dariam esse poder ao Jair Rebostalho, passarão. A idade dos ministros não será mudada e o fanático religioso Mendonça, será solenemente rejeitado, pois seria inimaginável o TRF se transformar em uma caverna do ISIS ou da Al Qaeda, com todos batendo o coco no chão e rezando a bíblia do Messias de Tal.
Como o presidente apedeuta não irá ganhar eleição mais nenhuma, isso se não for afastado antes, então a possiblidade de continuarem as insanidades do lunático troglodita, cessará em menos de 1 ano.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding