VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

A carta do embaixador da Venezuela ao Estadão


21/07/2010 - 16h23

A O Estado de S.Paulo

Sr. Ruy Mesquita — diretor de Opinião

Sr. Antonio Carlos Pereira — editor responsável de Opinião

Sr. Ricardo Gandour — editor de Conteúdo

Senhores,

É com grande preocupação e mal-estar que a República Bolivariana da Venezuela, por meio de seu Embaixador no Brasil, dirige-se a esse jornal, de reconhecidas qualidade e tradição entre os veículos da imprensa brasileira. E a razão não é outra senão nossa surpresa e indignação com os termos e o tom de que sua edição de hoje (20/07/10) lança mão para atacar o presidente de um país com o qual o Brasil e os brasileiros mantêm relações do mais alto nível e qualidade.

O respeito à plena liberdade de imprensa e de expressão é cláusula pétrea de nossa Constituição e valor orientador do governo de nosso país. A estas diretrizes, no entanto, cremos que devam sempre estar associadas a lhaneza na referência a autoridades constituídas ­– democraticamente eleitas — e a plena divulgação de todos os fatos associados a uma cobertura jornalística.

Cremos descabido que um jornal como “O Estado de S.Paulo” se refira ao presidente Hugo Chávez, eleito e reeleito pelo voto livre da maioria dos venezuelanos, com o uso de termos e expressões como ”lúgubre circo de Chávez”, “autocrata”, “protoditador”, “circo chavista”, “caudilho”, “lúgubre picadeiro”, “costumeira ferocidade”, “rugiu”, “toque verdadeiramente circense da ofensiva chavista – no gênero grand guignol”.

Mais graves ainda são a distorção e ocultação de informações que maculam os textos hoje publicados.

O presidente Hugo Chávez nunca “atropelou” a Constituição Bolivariana, instituída por Assembleia Nacional e referendada em plebiscito. Ao contrário, submeteu-se, inclusive, a referendo revogatório de seu próprio mandato, prática democrática avançada que pouquíssimos países do mundo têm o orgulho de praticar.

O editorial omite que o cardeal Jorge Savino já foi convocado pela Assembleia Nacional para apresentar provas de sua campanha difamatória frente aos deputados — também democraticamente eleitos –, mas o mesmo rechaçou a convocação. Prefere manter suas acusações deletérias a apresentar aos venezuelanos e à opinião pública internacional os fatos que lastreariam suas seguidas diatribes.

Outros trechos do texto só podem ser lidos como clara campanha de acobertamento de um terrorista, como o é, comprovadamente, Alejandro Peña Esclusa: “O advogado de Esclusa assegura que o material foi plantado pelos policiais que invadiram a casa de seu cliente –-  considerando o retrospecto, uma acusação mais do que plausível” (grifo nosso)

Esclusa foi preso em sua residência em posse de explosivos, detonadores e munição, após ter sido denunciado, em depoimento à polícia, pelo terrorista confesso Francisco Chávez Abarca –- este criminoso, classificado com o alerta vermelho da Interpol, foi preso em solo venezuelano quando dirigia operação de terror, visando desestabilizar o processo eleitoral de setembro deste ano.

A prisão de Esclusa ocorreu de forma pacífica, com colaboração de sua família, e segue os ritos jurídicos normais: ele tem advogado constituído, direito a ampla defesa e será julgado culpado ou inocente de acordo com o entendimento da Justiça, poder independente de influência governamental ou partidária, assim como no Brasil.

Inadmissível seria o governo da Venezuela ter permitido que um terrorista ceifasse vidas e pusesse em risco a democracia, que nos esforçamos arduamente para defender, ampliar e aprimorar em nosso país, assim como o fazem, no Brasil, os brasileiros.

O “Estado de S.Paulo” tem pleno conhecimento desses fatos, tendo inclusive recebido, em 14/07/10 a Nota de Esclarecimento desta Embaixada, a respeito do desbaratamento da operação terrorista internacional que estava em curso (cópia anexa). O responsável pela editoria Internacional, Roberto Lameirinhas, inclusive confirmou seu recebimento à nossa assessoria de comunicação.

Daí manifestarmos nossa estranheza com a reiterada negativa do jornal em dar tais informações a seus leitores. E ainda tomando como verdade declarações do advogado do referido terrorista.

Temos certeza que os senhores não desconhecem, até pela história recente do Brasil, o quão frágil pode ser a liberdade diante do autoritarismo tirano da intolerância e do uso do terror como método de ação política.

Reafirmamos que não nos cabe emitir qualquer juízo de valor sobre as opiniões político-ideológicas do jornal dirigido por V. Sas., por mais que delas discordemos. O que nos leva a enviar-lhes esta correspondência é, tão somente, a solicitação de que se mantenha a veracidade jornalística e o respeito que se deve sempre às pessoas, sejam ou não autoridades constituídas, mesmo quando o jornal as considere, de moto próprio, como seus inimigos ou desafetos.

Esta Embaixada permanece à disposição do jornal e de seus leitores, para esclarecimentos adicionais sobre quaisquer dos assuntos supracitados, bem como de novos temas julgados pertinentes e reivindica, formalmente, a publicação da presente carta, com o mesmo destaque dado ao editorial de hoje, intitulado “O lúgubre circo de Chávez”, publicado à página A3.

Atenciosamente,

Maximilien Arvelaiz

Embaixador da República Bolivariana da Venezuela no Brasil

Brasília, DF





111 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

pizolati

25 de julho de 2010 às 15h00

Sobre a magnífica carta do Exmo. Embaixador da VENEZUELA O MAL Q CAUSA ESTE PERIÓDICO É INOMINÁVEL. E SE FOSSE FECHADO SÓ TRARIA BENEFÍCIOS POIS OPINIÕES IDEOLÓGICAS DADAS COMO NOTÍCIAS CONFUNDEM AOS MENOS AVISADOS. DEVERIA SIM ,HAVER PUNIÇÃO A ESTES MENTIROSOS CONTUMAZES . FAZEM PARTE DA MESMA DA MESMA CATEGORIA DA IMPRENSA Q/ FEZ A REPORTAGEM PRECONCEITUOSA CONTRA NOSSO POBRE E HUMILDE VIZINHO PARAGUAI. __ VIVA BRASIL, PARAGUAI, VENEZUELA, EQUADOR,BOLIVIA E TODOS AQUELES CUJOS GOVERNANTES PENSAM NA MAIORIA DO SEU POVO TRABALHADOR.__

Responder

Vilma

23 de julho de 2010 às 20h21

Mas eu não entendi… O Estadão publicou a carta?

Responder

Ed.

23 de julho de 2010 às 16h31

Grato pelo informativo material.

Responder

Tiago

23 de julho de 2010 às 15h56

O digníssimo embaixador poderia ter colocado no fim de seu texto: "e se estivessem na Venezuela, já teríamos fechado seu jornal e prendido todos vocês por crimes contra a Revolução Bolivariana." Chavez é um aspirante a ditador.

Responder

    victor ferreira

    23 de julho de 2010 às 20h44

    SR Tiago vc e um tolo ou aspirante a tolo,parece q le e não entendi

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 15h43

Os EUA tem todo o interesse em apoiar narcotraficantes.Eles são sócios:
http://www.voltairenet.org/article123470.html

El mundo de los reporteros de investigación de los Estados Unidos está de luto.Libertad de prensa estilo USA: ¿Quién mató a Gary Webb?
por Jean Guy Allard*

Desenmascaró, como ningún periodista lo hizo antes, las oscuras maquinaciones de la CIA en el mundo de la droga y reveló a los norteamericanos cómo barrios negros del país fueron inundados de crack, con un increíble cinismo, en medio de un tráfico destinado a abastecer de dinero y armas la Contra nicaragüense. Denunció al narcoterrorista Luis Posada Carriles y a sus cómplices cubanoamericanos involucrados en este criminal negocio. Y acaba de ser encontrado en su domicilio con dos balas en la cabeza. Un suicidio, dicen las autoridades judiciales.

Responder

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 18h34

CIA jet crashed with 4 tons of cocaine

[youtube UQNSoOX-dcw http://www.youtube.com/watch?v=UQNSoOX-dcw youtube]

Responder

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 18h32

Gary Webb on C.I.A. Trafficking of Cocaine

[youtube d6dHqP9wc3k http://www.youtube.com/watch?v=d6dHqP9wc3k youtube]

Responder

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 18h31

Digite o texto aqui![youtube S3W2Kz2Kox4 http://www.youtube.com/watch?v=S3W2Kz2Kox4 youtube]

Responder

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 18h28

El narcotraficante Nº 82 Álvaro Uribe Vélez- Presidente de Colombia libro de Sergio Camargo

[youtube 7j7i4m35Pwk http://www.youtube.com/watch?v=7j7i4m35Pwk youtube]

Responder

Milton Hayek

23 de julho de 2010 às 18h18

Sem português rococó e sem trololó de direita.Com documentos dos Estados Unidos da América,que transforma bandidos em heróis(e vice-versa) ao sabor de seus interesses geopolíticos:
http://pedroayres.blogspot.com/2010/07/los-motivo

Los motivos del odio de Álvaro Uribe Vélez

ÁLVARO URIBE FUE CLASIFICADO COMO «NARCO-TRAFICANTE» POR LOS SERVICIOS DE INTELIGENCIA DE ESTADOS UNIDOS

VER LOS DOCUMENTOS DE LA NATIONAL SECURITY ARCHIVE. ÁLVARO URIBE FUE CLASIFICADO COMO «NARCO-TRAFICANTE» POR LOS SERVICIOS DE INTELIGENCIA DE ESTADOS UNIDOS.
A raíz de las agresión del presidente Álvaro Uribe a Ecuador, la prensa europea ha comenzado a comentar sobre un antiguo archivo de la inteligencia de EEUU que lo implica con el narcotráfico. La pregunta que se hace hoy uno es la siguiente: ¿es por tal razón un hombre bajo chantaje político por parte de los EEUU?

Responder

Pitagoras

23 de julho de 2010 às 01h10

Não ligue não Sr. Emabaixador. Esse projeto mal-acabado de jornal que goza de imunidade tributária no papel que usa para escever montanhas de bobagens não representa a opinião de milhares de brasileiros. Na maioria, o povo brasileiro nem lê este folhetim.
Grande parte do povo brasileiro respeita e admira o Presidente Chávez e sua revolução bolivariana, um dos poucos ESTADISTAS da América Latina e do mundo e gostaria, como Oliver Stone, que surgissem dezenas de Chávez pelo mundo.

Responder

Roberval

22 de julho de 2010 às 16h32

Parem de sonhar! "O Estado" não vai se retratar e não vai mudar sua postura fascista, seja com os governos mais "à esquerda", seja com o MST ou qualquer grupo considerado "subversivo" e/ou "esquerdista". Eles não perguntam nossa opinião quando se colocam contra as manifestações dos trabalhadores, não pedem licença pra invadir nossa casa encher a cabeça de nossos filhos com porcarias fascistóides.

Responder

Orlando Varêda

22 de julho de 2010 às 18h23

O Embaixador usou o padrão civilizado no trato com pessoas honestas. Errou feio. Melhor dizendo, errou o alvo, os jornalões, a chamada grande imprensa não são honestos, diria que são um bando de trogloditas muito mais perigosos que os golpistas da imprensa venezuelana.

Claro, que os estúpidos e arrogantes dirigentes dessas espeluncas não respeitam niguém. Atacam em grupo tal qual hienas, sem no entanto a coragem destas que, não estão protegidas por guarda-chuva mafioso internacional.

Orlando

Responder

Roberval

22 de julho de 2010 às 16h51

Parem de sonhar! "O Estado" não vai se retratar e não vai mudar sua postura fascista, seja com os governos mais "à esquerda", seja com o MST ou qualquer grupo considerado "subversivo" e/ou "esquerdista". Eles não perguntam nossa opinião quando se colocam contra as manifestações dos trabalhadores, não pedem licença pra invadir nossa casa encher a cabeça de nossos filhos com porcarias fascistóides.
Contra fascista não há diálogo, não há "vivência democrática" ou "cidadania".

Responder

    Ronaldo

    22 de julho de 2010 às 16h17

    A atitude do governo boliviano, do qual não sou um admirador, mas no qual reconheço coerência e boas decisões, não deixa de ser um exemplo para o nosso governo e para nossa diplomacia.

    Aqui temos a estratégia de "deixa ficar para ver como é que fica", que deixa para a Sociedade o papel de refutar, e talvez o de interpretar erradamente.

    Um comportamente republicano não iria mudar o PIG em alguns anos, ou talvez uma geração, porém criaria o costume que se tornaria uma virtude.

O Embaixador da Venezuela no Brasil contra o Estadão « Marx21

22 de julho de 2010 às 12h42

[…] O Embaixador da Venezuela no Brasil contra o Estadão 22 julho, 2010 Deixar um comentário Ir para os comentários Em resposta ao editorial de 20 de julho do jornal O Estado de São Paulo sobre o governo de Hugo Chavez, o embaixador da Vanezuela no Brasil contestou prontamente. É sabido que o Estado apóia ideias de direita e de extrema-direita, e agora teve uma resposta que merecia. Reproduzo aqui a carta assinada por Maximilien Arvelaiz,  divulgada pelo blog do Azenha. […]

Responder

Augusto

22 de julho de 2010 às 14h23

Texto de extrema diplomacia. Será que o Estadão vai se dignar a responder no memso tom, ou vai continuar a publicar as costumeiras baixarias?

Responder

Henderson Sousa

22 de julho de 2010 às 14h22

Parabéns, Estadão. São esses os termos que de melhor forma mostram quem é esse sujeito.

O interessante é o seguinte: Chavez é aquele que mais desce o nível. Xinga os EUA, países europeus etc. Ou seja, todos aqueles que não compactuam com o modo de esse cidadão proceder é alvejado por ele.

Irônico é alguém vir em sua defesa pelo fato de não ter gostado do "palanfrório"

Responder

    Ed.

    23 de julho de 2010 às 19h44

    Irônico e interessante é vc dar os parabéns ao "estad_ahn" pelo mesmo palanfrório que critica do Chavez.
    Dois neurônios, duas opiniões?!

delaorden

22 de julho de 2010 às 10h41

Chaves é um mequetrefe, ditador, truculento e a democracia é parecida à de Cuba , Coreia do Norte …PIG ? isso é coisa de quem não gosta de liberdade de imprensa. Abomino repúblicas bananeiras dirigidas por caudilhetes ….

Responder

    waldir ferreira

    22 de julho de 2010 às 11h21

    não fale besteiras,gostariamos de ter um Chaves por aqui.

    Marat

    22 de julho de 2010 às 11h27

    É isso ai, precisamos de uns Chávez, para colocar o PIG em seu insignificante lugar – rsrsrsrs

    dedinho

    22 de julho de 2010 às 14h23

    Para haver liberdade, tem de haver responsabilidade.

    Um grupo midiático dando golpe de Estado?? Você julga isso liberdade de imprensa??

    Uma imprensa como a brasileira, que acusa sem provas criando factóides? Isso é liberdade?

    O mundo burguês confundiu liberdade com se fazer o que der na telha. Isso não é liberdade

    Alex

    22 de julho de 2010 às 14h46

    Talvez prefira as republiquetas dirigidas diretamente pelos seus "proprietários", sem intermediários…lembre-se, meu caro, nossa história esteve cheio desses a que voc~es chama de caudilhetes a serviço dos EUA, poucos foram como José martí, Toussaint Loverture, etc…mas a quem prefira ser rabo de leão à cabeça de rato…

    Ed.

    23 de julho de 2010 às 19h56

    Pela ordem, república de bananas é coisa antiga, lá dos tempos da United Fruit, que gostava de seus caudilhetes…
    E ainda tem quem repercuta isso em 2010…
    Que usa muito isso é o autointitulado bananiano tio ReiNada
    E de resto, com alguma frequência, o PIG em geral.
    Isso parece coisa de quem gosta de ser manipulado…

PAULO ANGELO (MG)

22 de julho de 2010 às 10h40

A legislacao brasileira prevê os crimes de clunia injuria e difamacao, que é caso em tela.
Até quando esses pasquins nos quais se transformaram os jornais da grande imprensa brasileira vao continuar desafiando o que ha de mais comesinho nas relacoes com a sociedade ?

Responder

Remindo Sauim

22 de julho de 2010 às 09h43

Que vergonha Estadão, vergonha para todos os funcionários desta casa.

Responder

Valéria

22 de julho de 2010 às 09h29

Ou "O Estado hipócrita de São Paulo".

Responder

Valéria

22 de julho de 2010 às 09h28

O jornal deveria se chamar "O Estado agonizante de São Paulo".

Responder

Carlos

22 de julho de 2010 às 09h10

"O que nos leva a enviar-lhes esta correspondência é, tão somente, a solicitação de que se mantenha a veracidade jornalística e o respeito que se deve sempre às pessoas, sejam ou não autoridades constituídas, mesmo quando o jornal as considere, de moto próprio, como seus inimigos ou desafetos."

Aí é pedir demais, embaixador.
leitor aqui apresentou uma excelente sugestão: que a embaixada crie um blog cok noticiário em português, que todos nós divulgaremos.

Responder

Ivan Arruda

22 de julho de 2010 às 08h53

A verdade é reconhecida e apreciada universalmente. Da mesma forma, a mentira e a manipulação são repudiadas universalmente. A verdade dá credibilidade. A mentira, não. A mentira pode até manter um veículo de comunicação em operação, mas suas contas são pagas de forma indigna, quiçá ilícita.
O duro é perceber que o descaso com nossos vizinhos sulamericanos – ou desafetos dos donos do mundo – ocorre nas universidades e pelos clubes de serviços cujas filosofias e princípios éticos são da aproximação, cooperação e respeito pela diversidade cultural e costumes de cada povo. Os porões secretos que coordenam e tutelam esses clubes – e o conluio entre os poderes – parecem ter discurso e práticas dúbias que são propagadas pelo PIG.

Responder

gilberto silva

22 de julho de 2010 às 08h18

vixe

samba do estadinho doido ????

Responder

Júnior

22 de julho de 2010 às 08h07

PIG "sustentado" por US$.
EUA "interessadíssimo" na América do Sul(Água, Petróleo, Riquezas Minerais).
Conclusão: "Dividir para dominar"
É o que está fazendo esse pessoal do PIG, tentando dividir a América do Sul.
A AMÉRICA LATINA UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA!!!
Vamos pensar nisso. . .

Responder

    lia vinhas

    22 de julho de 2010 às 15h50

    Você foi ao cerne da questão. Os verdadeiros patrões do PIG, que todos nós conhcememos, deram como meta principal aos seus lacaios do Sul usar de todos os meios possíveis, de preferencia ilícitos, entre eles a libertinagem da imprensa, para dividir nossos povos, que, com lamentáveis exceções, como Chile, Peru, Honduras, Colombia, vêm dando um basta a exploração e servilismo secular ao imperialismo e elegendo lideres populares e firmes na defesa do bem-estar de suas nações e do drescimento de seus países.

Marat

22 de julho de 2010 às 08h04

O jornal em questão deveria mudar o nome para A Província de São Paulo…

Responder

Marat

22 de julho de 2010 às 07h55

O PIG não se cansa de passar por parvo, tolo, mentiroso, jeca, falacioso, tendencioso, torpo e subserviente aos intere$$e$ do Tio $am… Quantos ridículos ainda passará?
Ainda tomaram um sabão, escrito de maneira cordial e elegante… Será que eles aprenderam algo com a carta???

Responder

Jayme Soares

22 de julho de 2010 às 07h43

As opiniões deste jornaleco "Estadão" não são as dos brasileiros. O "estadão" faz parte do PIG (partido da imprensa golpista; vide o brilhante jornalista Paulo Henrique Amorim), um veículo de comunicação de uma minoria inexpressiva e incompetente, representada por uma elite sem caráter, privatista, entreguista, comprometida com os interesses de empresas multinacionais, sobretudo estadunidenses. Eles estão com raiva poque Lula, Chaves e os países da America Latina criaram o MERCOSSUL, descartando ALCA , esta sendo de interesse principalmente dos Estados Unidos.

Responder

De Paula

22 de julho de 2010 às 05h57

Foi preciso um embaixador venezuelano para por os pingos nos is. Só que, se o assunto fosse encaminhado ao Ministerio de Relações Exteriores, sob forma de protesto, seria o melhor caminho, e teria a devida repercussão.

Responder

beattrice

22 de julho de 2010 às 01h13

Azenha, a falta de decoro do ESTADINHO vem sendo rigorosamente acompanhada por um silêncio ensurdecedor da aprte de órgãos outros muito "gritantes": OAB, ABI, etc.

Responder

    Druida

    22 de julho de 2010 às 08h14

    Aliás, para que serve a ABI? Para que velhos jornalistas tomem seu chazinho com biscoitos como na ABL? Ante toda essa partidarização agressiva da grande midia, inclusive violando descaradamente nossas leis no caso de concessões públicas, a ABI está morta.

    Carlos

    22 de julho de 2010 às 10h50

    E a FENAJ também – a preocupação lá é "constitucionalizar" a exigência do diploma pro exercício do jornalismo. .. Defendem que a aberração criada pela ditadura militar (decreto 972, de outubro/1969) vire dispositivo da Constituição Federal…
    Barões do ensino e da mídia congratulam-se: todos os meses durante 4 anos, zilhares de jovens pra fazer tilintar o caixa das faculdades e que em seguida – diploma em mãos – estarão nas filas em busca de empregos já raros ou que desaparecerão por conta das mudanças provocadas pela internet….

beattrice

22 de julho de 2010 às 01h06

Há menos de um mês o Paraguay e agora a Venezuela, sinceramente o PiG destratar os países vizinhos e nações irmãs é uma violência contra o espírito diplomático brasileiro e nossa melhor tradição internacional, reavivada nos últimos anos graças aos esforços inestimáveis de Celso Amorim e Samuel Pinheiro Guimarães. Urge enquadrar o PiG.

Responder

    Luiz

    22 de julho de 2010 às 10h09

    Parece que a mídia brasileira virou futriqueira, bem paga, é claro.

SérgioFerraz

22 de julho de 2010 às 03h41

O PIG (Partido da Imprensa Golpista) com sua política rasteira, a nível de esgoto, só envergonha os brasileiros.

Responder

ferrera13

22 de julho de 2010 às 03h41

Seriam esses os homens de confiança do Serra no ministério das Relações Exteriores?…

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 07h55

    Eles estão cotados para o Ministério da Piada Pronta!!!

francisco p neto

22 de julho de 2010 às 02h40

Como não leio o PIGEstadão, alguém poderia informar se o jonaleco publicou a carta?

Responder

    Carlos

    22 de julho de 2010 às 09h01

    Faço a mesma pergunta: publicou a carta?

dedinho

22 de julho de 2010 às 02h34

Sim, eu sei que a Folha da Manhã (atual Falha de Sampa) dava apoio ao PRP, mas sua importância nessa época era bem menor

Responder

dedinho

22 de julho de 2010 às 02h29

Acho que das mídias conservadores o Estadão é o jornal mais sério

E ele tem história.

Nasceu no seio da elite cafeicultora de São Paulo e participou ativamente dos embates entre PD e PRP (que na verdade eram praticamente a mesma coisa) batendo de frente com o A Nação

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 07h57

    Eles escrevem exclusivamente para os riquinhos de SP, que levantam as 10h da manhã, e, enquanto seus 18 funcionários lhes servem um lauto café da manhã, eles ficam lendo essas "notícias" horrorosas…

    dedinho

    22 de julho de 2010 às 14h24

    Sim, mas o Estadão nunca escondeu a que veio, diferentemente da Falha e da Veja

    Marat

    22 de julho de 2010 às 14h29

    Concordo…

A carta do embaixador da Venezuela ao Estadão « Somos andando

21 de julho de 2010 às 22h28

[…] deixe um comentário » Puxada do vi o mundo: […]

Responder

Arno Siebert

22 de julho de 2010 às 00h56

Nossa, "não tão nossa" imprensa, é tão megalomaníaca que, sem argumentos para criticar o dia a dia do governo "atual" do Brasil, agregam críticas a nossos vizinhos latinoamericanos.
Estes sim, são polidos e não generalizam, suas cartas de protestos, não são dirigidas aos Brasileiros, mas sim para as Pseudas instituições de onde se originam as criticas.
Nós, brasileiros com identidade latinoamericana, sabemos que as críticas destas pseudas instituições, sopram no vento.

Responder

Sebastião Costa

22 de julho de 2010 às 00h55

Alguém aí já ouviu falar de um embaixador de Uribe escrevendo para o PIG indignado e reclamando de parcialidade em alguma matéria? Paraguai, Venezuela, Equador, Bolívia, Lula, Dilma, PT, é só cacete(leiam PHA no ConversaAfiada de hoje). Cuba então, sai de baixo!>
Outro dia um amigo me enviou cópia de uma carta(ainda tenho guardada) do embaixador cubano aqui no Brasil ao Estadão. Reclamava com veemência muita razão de leviandades praticadas pelo jornal contra seu país e concluia lembrando dos 56 milhões de dólares que o governo americano distribuia com com a imprensa latinoamericana para atacar seu pequeno país. Isso antes de EVo, Correia, Lugo… A cota deve ter aumentado!

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 07h58

    Nem vamos ler… os patrões do PIG (consulados e embaixadas dos EEUU) dizem a quem eles devem atacar e a quem eles devem bajular!!!

    Druida

    22 de julho de 2010 às 08h16

    Agora o Estadão também recebe dinheiro da Finep para continuar sua "obra"… Será que é por isso que estamos tão atrasados em inovação tecnológica (que é para onde se espera que os recursos da Finep sejam canalizados)?.

    simas

    23 de julho de 2010 às 00h09

    Sebastião: Esse pessoal, aê, morre de medo de Cuba, na verdade. Se imaginam, sendo passados às armas, num "paredón", ou fazendo as malas. às pressas, pra viver em Miami, pra sempre. Isso!!!… . Eu acho interessante, qdo eles sobrevoam a "ditadura", cubana… não podem admitir q em Cuba existe uma democracia, q lhes serve; não aos interesses dos EEUU, como adorariam; inclusive, jamais admitem q por lá, em Cuba, não existe tortura… E nós bem sabemos q não existe; salvo em Guantánamo… Agora, por esses dias, o Comandante apareceu em público… Estava vestido, de forma simples; exato como com nós… Não mostra, nem de longe, q tenha acumulado toda fortuna, como essa gente, cretina, afirma ter desviado… Já pensou? ( aquele abraço, fraterno )

Armando do Prado

22 de julho de 2010 às 00h54

O Estadão ainda deve explicações sobre o seu saltitante apoio ao fascismo implantado em 1964. Depois das devidas explicações, conversaremos.

Responder

kimparanoid

21 de julho de 2010 às 23h21

Assino embaixo quase tudo o que disse o embaixador venezuelano.
Só não concordei com essas palavras "[…] dirige-se a esse jornal, de reconhecidas qualidade e tradição entre os veículos da imprensa brasileira." Jornal? Qualidade? O embaixador tucanou o Estadoidão.

Responder

Marcelo Ramos

21 de julho de 2010 às 23h17

É assim que um Embaixador dá um "cala-boca, moleque" em um dono de jornal que envereda pelo caminho torto de ir contra a democracia. Carta elegante, sucinta, mas que coloca todos os fatos em seus lugares. Parabéns ao embaixador da Venezuela.

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 07h59

    Se houvesse um Bóris Casoy sério e comprometido, ele diria que o Estadão é uma VERGONHAAAAAAAAAAAAA!!!

Julio Silveira

21 de julho de 2010 às 23h15

Eles não conhecem o PIG daqui, que são metidos a fazer analises espiritas, já que costumam fazer mesmo suas analises baseadas nas leituras do New York Post, do New York Times, Chicago Tribune, Los Angeles Times, Miami Herald, Daile News, dentre alguns jornais americanos, donde baseiam seus conteudos sendo suas fontes de inspiração.

Responder

A. S. Braga

21 de julho de 2010 às 23h13

Empurraram o bebum na sargeta!! Oh dó!!! A, S, Braga

Responder

Luiz Antonio

21 de julho de 2010 às 23h10

Além de publicar a carta do Embaicador da venezuela o jornal o estado de São Paulo deve emitir e publicar uma carta com pedido de desculpas pela agressão praticada contra os vizinhos Venezuelanos

Responder

José Mendes

21 de julho de 2010 às 23h08

Dilma e Ley de Medios 2010 , treme PIG.

Responder

luiz

21 de julho de 2010 às 22h57

Simplesmente vergonhoso, hein estadinho!! Vocês realmente não têm vergonha na cara!! Esse e outros jornalões causam verdadeira repulsa, mal estar mesmo, diante dos cidadãos de bem do Brasil!!

Responder

V

21 de julho de 2010 às 22h44

Exmo. Sr. Embaixador Maximilien Arvelaiz, uma sugestão: faça como a PETROBRÁS, montem um blog para esclarecer as bobagens do nosso PIG.
Como Brasileiro, tenho vergonha do Estadão.

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 07h59

    Excelente idéia!!!

Luiz Jornaleiro

21 de julho de 2010 às 22h31

Acho que este blog tem mais leitores que o vetusto e mal educado jornalão. Como sou do ramo, afirmo que enquanto a web só cresce, em audiência e influência, a imprensa só cai. Fica restrita apenas a seu diminuto público, que provávelmente gosta dessa truculência seletiva praticada pelos seus imparciais jornalistas.

Responder

Jairo_Beraldo

21 de julho de 2010 às 22h17

Que queria o embaixador da Venezuela? A grande imprensa brasileira, o PIG, não respeita seu próprio Presidente da República, irá respeitar outros a quem tem como inimigos, desafetos dos estadunidenses?

Responder

Supertramp68

21 de julho de 2010 às 21h57

Ai que peninha!!! O Grande Ditador das Americas é domocratico. E esse Folhetim o ofendeu só porque ele prende seus adversarios politicos e fecha as TVs que são contra seu governo (democratico é claro).

Ah America, até quando serás esse canil de vira-latas vermelhos que ladram enquanto a caravana passa e só lhes sobra a poeira.

Responder

    João

    22 de julho de 2010 às 01h56

    Caro Supertramp68:
    Você deve ser jovem, daqueles que lêem no máximo os 140 caracteres do twitter.
    Você não deve ter lido Platão (A República), ou Aristóteles (A Política). Então não deve ter a base para entender o que é "democracia das elites".
    Você também não deve ter lido clássicos como Hobbes, Locke, Monstequieu, Maquiavel, Jean Bodin, entre outros. Quiçá obras do falecido Norberto Bobbio.
    Logo, você não deve saber o que é democracia direta. Saiba você que Chavez fez mais referendos do que qualquer outro governo que se tem notícias. Chavez é eleito pelo povo; os deputados na Venezuela são eleitos pelo povo. Logo, são representantes populares que fazem as leis (muitas delas submetidas a referendos populares).
    Vou sugerir algo a você: leia! Estude! Saia da caverna global. E depois venha aqui debater conosco.

    Marat

    22 de julho de 2010 às 08h00

    Em contrapartida, ele já leu todos os livros de auto-ajuda de escritores estadunidenses e ingleses…

    Bruno

    22 de julho de 2010 às 09h53

    O Lula e o Chávez também não leram nenhum desses livros, o que me leva a crer que o Supertramp está aptíssimo a ser presidente que qualquer país latinoamericano.

    lia vinhas

    22 de julho de 2010 às 16h02

    O Presidente Chavez, ao contrário de seus detratores, tem uma culura fora de série. Esses livros citados já foram lidos e relidos por ele, que não se cansa de citar obras de escitores e filósofos antigos e contemporaneos. E é como vem sendo dito aqui, é o presidente que passou pelo maior número de referendos no mundo, portanto, foi eleito e confirmado VÁRIAS VEZES no cargo pela maioria do povo, que está sentindo na pele todos os benefícios de sua política econômica e social.

    Miguel E.

    22 de julho de 2010 às 16h46

    Caro João, em primeiro lugar, creio que juventude não significa ignorância, ou desconhecimento dos clássicos. Dentre sua lista de obras ditas indispensáveis para um debate "de verdade" não vejo Karl Marx, F. Engels ou os liberais Adam Smith e Ricardo. Ao invés disso você cita Norberto Bobbio? Onde fica "Administração, Poder e Ideologia" de Mauricio Tragtenberg? E "Democracia Totalitária" ou "Labirintos do Fascismo" de J. Bernardo? Você cita clássicos dizendo que o colega está preso em um "caverna global", mas não desenvolve discussão alguma com a desculpa de que o colega não tem base suficiente para debater com você por ser mais jovem. Onde fica a discussão sobre o controle dos meios de produção pelos trabalhadores? Usando Chavez como exemplo de democracia direta vejo que quem deveria ler mais e parar de bancar o "intelectual que não discute com reles normais" é você. O que você propõe é mais uma disputa para ver quem tem mais conhecimentos teóricos do que um debate de verdade.

    João

    22 de julho de 2010 às 23h11

    Olá Miguel E.
    Primeiramente, este não é o espaço para debater "questões de fundo", pois, até onde sei, o viomundo não é um repositório de artigos acadêmicos (como o scielo, por exemplo).
    Sobre os autores que citei, recortei apenas alguns que discutem a questão da política, e que me vieram a mente naquele momento. Marx? Sim, Marx e Engels discutem o Estado como algo a ser superado. Por sinal, gosto muito da "Origem da família, da propriedade privada e do Estado", do Engels, que se contrapôs ao liberal John Locke (Segundo Tratado Sobre o Governo Civil). Engels traça, históricamente, como se deu a criação e apropriação do Estado pela classe dos proprietários. (Quanto a Adam Smith, é "chover no molhado" falar da "A riqueza das nações" (leitura obrigatória para quem quer entender o atual momento que o mundo passa). Quanto a David Ricardo…para mim é apenas um apêndice de Smith).
    Mas, se o sonho da superação do Estado ainda está longe, pois é um processo histórico, o que de melhor se pode fazer, neste momento, é fomentar a participação popular na chamada democracia. Não sou como Platão que pensava que somente os filósofos poderiam ser governantes. Ao contrário, acho que nosso operário Lula é "n" vezes melhor que o "intelectual" FHC, para não falar do Demétrio Magnoli (urgh!). Porém, nossas elites (entre elas o que o Paulo Henrique Amorim denomina de PIG) querem uma democracia apenas quando a mesma elege os que eles acham que devem governar.
    Deixo para você (não sei se já assistiu) o documentário intitulado "A revolução não será televisionada", que é facilmente encontrado no youtube. Acho que antes de criticar Chavez, devemos entender porque o mesmo se mantém no poder através do voto. Caso você não tenha visto, veja, pois vale a pena.
    Fico por aqui.

    dvorak

    23 de julho de 2010 às 15h44

    Saddam também era "eleito" pelo povo iraquiano e nem por isso lá existia democracia, meu caro João.O intuito do chapolim é um só, desestabilizar a América do Sul e com isso desviar a atenção dos venezuelanos para o que acontece no país.O próximo passo é arranjar alguma guerra para posar de herdeiro de Simón Bolívar e aparecer dando entrevistas ao lado do "maladona"…

    eheheheheheehe

Helcid

21 de julho de 2010 às 21h12

Esta carta do embaixador da Venezuela tem duas coisas previsíveis: a polidez e o esclarecimentos de fatos já conhecidos, por parte da Embaixada Venezuelana; quanto ao estadão, o manjadíssimo "modus operandi" do PIG !!

Responder

    Marat

    22 de julho de 2010 às 08h01

    O Estadão está indo para o mesmo caminho da Folha: servir apenas para recolher fezes dos cachorrinhos!!!

@cmoraespoa

21 de julho de 2010 às 21h06

Notícias tendenciosas nunca vão deixar de existir nos canais onde um fala para todos. Vida longa a Internet.

Responder

Ivonete

21 de julho de 2010 às 21h02

Primeiro o Paraguai, agora a Venezuela. Em menos de trinta dias duas embaixadas de paises vizinhos e amigos solicitam que a "imprensa" brasileira os repeite e os trate com a devida diplomacia. Ainda assim, vemos, cotidiamente os jornais e a televisão emitirem adjetivos chulos sobre os governos e os cidadãos de paises sul-americanos. Até quando a imprensa continuará a passar atestado de racismo e burrice?

Responder

    EDUARDO

    21 de julho de 2010 às 21h52

    Ivonete você esqueceu da BOLIVIA, que não se manifestou atraves de sua embaixada, mas foi frontalmente atacada pelo candidado da mídia (por enquanto) dominante.

trombeta

21 de julho de 2010 às 21h00

A famiglia mesquita tomou um puxão de orelhas do embaixador venezuelano, bem feito!

O PIG ainda vai arrumar um incidente diplomático com nossos vizinhos e parceiros do mercosul.

A catequese reacionária do PIG já cansou os brasileiros, imaginem os estrangeiros.

Responder

Urbano

21 de julho de 2010 às 20h56

Parabenizo o Embaixador da Venezuela, o senhor Maximilien Arvelaiz, por ter sido incisivo, porém polido, nas suas palavras em defesa do seu país, e ao mesmo tempo, na condição de brasileiro, pedir-lhe desculpas pelas vilanias de um papel sujo a que seus responsáveis chamam de jornal.

Responder

Marco Araujo

21 de julho de 2010 às 20h46

As campanhas contra a Bolívia, Equador e Venezuela (brevemente contra o Paraguai e Uruguai) são manifestações da nossa imprensa provinciana, sustentada pelo pensamento americano, inclusive por relatórios produzidos por jornalistas remunerados pela USAI D, ditos defensores da democracia. Ou seja, nada que possa representar avanço social merece registro na nossa imprensa. É uma pena. Pessoas que dirigem nossos jornais e TVs são meros comerciantes que não têem respeito à verdade e aos fatos .

Responder

Flavio Lima

21 de julho de 2010 às 17h35

É bom publicar aqui nos blogs pq o estragão não vai publicar mesmo…
E atenção, assunto Chaves!
Quanto tempo demora pra vinda dos trolls e suas colocações primarias e ridiculas?

Responder

O Brasileiro

21 de julho de 2010 às 17h29

Eu gostaria que o Azenha postasse um editorial sobre o editorial e a carta.

Responder

flavio cunha

21 de julho de 2010 às 17h26

Gostaria de saber o desdobramento dessa questão, se o jornal publicará a carta, se responderá, enfim, o desenrolar do caso.

Responder

    Jairo_Beraldo

    21 de julho de 2010 às 22h19

    Talvez o estadão dirá que falava do Chavez do SBT, aquele enlatado mexicano!

    Marat

    22 de julho de 2010 às 08h02

    O nível intelectual da maioria dos colaboradores do vetusto e rançoso jornal tem um QI do Chaves do SBT…

Franciscão

21 de julho de 2010 às 17h25

DEUS DO CÉU!!

Quebraram os dentes do Ruy Mesquita com um pé, muito bem dado, bem no meio da boca dos responsáveis pelo Estadão!

Pergunto?

O espaço reivindicado pelo Embaixador, foi democraticamente disponibilizado pelos responsáveis pela Editoria do jornal?

Responder

    carmen silvia

    22 de julho de 2010 às 01h27

    Faço côro com com Brasileiro,Flávio Cunha e Franciscão,já que ao que parece nenhum de nós lê esse jornal e você Azenha terá,por dever de ofício claro, nos informar sobre o andamento desse caso.

    Marat

    22 de julho de 2010 às 08h03

    Um jornal que apoiou a ditadura e que apoiará eventuais golpes contra partidos democráticos jamais entenderá o que é uma democracia!

Bernardino

21 de julho de 2010 às 17h23

Azenha,nao foi a toa que DR GETULIO quebrou esse panfleto daBurguesia paulista e despachou os
Mesquita pra Portugal,terra deles.A internet esta bombando e esses Lambe-botas americanos estao com os dias contados e aquela sede da marginal sera no futuro SUPERMERCADO

Responder

    Almeida Bispo

    21 de julho de 2010 às 22h38

    Êpa! Alto lá. Lambe-botas, não. Tira botas. Ou melhor, tira os sapatos. Só no sapatinho, como diz certo pagode. Eles adoram tirar os sapatos. Eles estão azedos porque Lula não tirou os sapatos. Quem ele pensa que é?

    Franciscão

    22 de julho de 2010 às 11h10

    Já que estamos podendo, sugeriria o local para a construção da Arena do Timão!

    beattrice

    22 de julho de 2010 às 01h08

    Aliás, bela localização para um bom hipermercado.

Thiago

21 de julho de 2010 às 17h19

Como os nossos jornais tem bons modos e respeita o seus eleitores com palavras chulas e difamatórias.

Responder

Orlando Bernardes

21 de julho de 2010 às 17h19

Vamos ver se o " democrático " jornal O Estado de São Paulo, vai publicar esta carta para que seus leitores possam usufruir do contraditório e respeito à democracia e liberdade de expressão, que eles tanto defendem. Pelo que todos nós conhecemos do referido, DUVIDO!

Responder

Luiz Henrique

21 de julho de 2010 às 17h17

Boa!

Isto prova como o Estadão é medíocre, mentiros e sem nenhum comprometimento com a verdade. Até os venezuelanos são revoltados com este jornaleco.

Responder

Maria Lucia

21 de julho de 2010 às 17h17

O Estadão simplesmente repete as chorumelas e lengalengas costumeiras em toda a grande mídia nacional e internacional sobre o atual governo da Venezuela, que cometeu o gravíssimo crime de impedir que o petróleo venezuelano continuasse a ser dado de presente aos EUA, como acontecia desde o início de sua exploração há quase cem anos.
E para o Estadão e toda a grande mídia do planeta, o que é ruim para os EUA é ruim para o Brasil e para todos os países e povos do mundo. Depois se queixam que ninguém mais quer comprar jornais!

Responder

    beattrice

    22 de julho de 2010 às 01h08

    O ESTADINHO caminha para a derrocada Maria Lúcia, como todos os seus "companheiros" de viagem à lama.

Ricardo

21 de julho de 2010 às 17h14

Um tapa com luva de pelica na decadente media que perdeu a honra, o respeito e o mínimo de dignidade da pessoas de bem e querem ser levados a seria com toda a verve que escarra em suas páginas insolentes.
Vemos, do outro lado, o estado de direito que se pratica em um país com presidente democráticamente eleito, e que, com toda razão escreve esta carta que me sensibilizou muito, mas com certeza não sensibilizará a decadente elite que ainda lê esta "coisa" que chamam de estadão.

Responder

    Roberval

    22 de julho de 2010 às 16h56

    Caro Ricardo
    Não creio que seja apenas uma "decadente elite" que lê esse jornal.
    A MÁFIA Globo-Veja-Estad(ões) tem um poder de alcance inimaginável, são formadores de opinião, criam consenso e forjam uma visão de mundo para milhões em todo o Brasil. Bom seria se o público fosse apenas a "decadente elite". Infelizmente, a realidade é outra. O inimigo não pode ser subestimado.
    Abraços

:: Fazendo Media: a média que a mídia faz :: » A carta do embaixador da venezuela ao Estadão

21 de julho de 2010 às 17h10

[…] (*) Publicado originalmente no blog Vi o Mundo. […]

Responder

Ed.

21 de julho de 2010 às 17h05

Um jornal que faz (propositadamente) confusão entre sigilo de Justiça e censura.
E quando o segredo foi extinto pela Justiça, continuou "protestando" apenas, mesmo já podendo publicar.
E fingia que tal "censura" era do governo "ditatorial" do Lula, e não do poder Judiciário.
Jornal que fomentou e deu apoio à queima da Consttuição em 1964.
Quando era censurado não protestava, pois fazia parte da ditadura.
Colocava receitas de bolo ou poemas, mas não dizia: "estamos censurados"…
Como de resto, seus cúmplices e comparsas do PIG.
Vivem da farsa, da mentra e da hipocrisia sobre um dos mais importantes fatores da vida contemporânea: a Informação.

Responder

Nilson_de_Vix

21 de julho de 2010 às 17h05

Que vergonha!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding