VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

WSJ: 42.389.619 de americanos dependem do Bolsa Família para comer


04/11/2010 - 17h42

November 4, 2010, 2:47 PM ET

In U.S., 14% Rely on Food Stamps

By Sara Murray, naquele jornal comunista, o Wall Street Journal

Um grande número de domicílios americanos ainda depende da assistência do governo para comprar comida, no momento em que a recessão continua a castigar famílias.

O número dos que recebem o cupom de comida [food stamps, a versão americana do Bolsa Família] cresceu em agosto, as crianças tiveram acesso a milhões de almoços gratuitos e quase cinco milhões de mães de baixa renda pediram ajuda ao programa de nutrição governamental para mulheres e crianças.

Foram 42.389.619 os americanos que receberam food stamps em agosto, um aumento de 17% em relação a um ano atrás, de acordo com o Departamento de Agricultura, que acompanha as estatísticas. O número cresceu 58,5% desde agosto de 2007, antes do início da recessão.

Em números proporcionais, Washington DC [a capital dos Estados Unidos] tem o maior número de residentes recebendo food stamps: mais de um quinto, 21,1%, coletaram assistência em agosto. Washington foi seguida pelo Mississipi, onde 20,1% dos moradores receberam food stamps, e pelo Tennessee, onde 20% dos residentes buscaram ajuda do programa de nutrição.

Idaho teve o maior aumento no número de recipientes no ano passado. O número de pessoas que receberam food stamps no estado subiu 38,8%, mas o número absoluto ainda é pequeno. Apenas 211.883 residentes de Idaho coletaram os cupons em agosto.

O benefício nacional médio por pessoa foi de 133 dólares e 90 centavos em agosto. Por domicílio, foi de 287 dólares e 82 centavos.

Os cupons se tornaram um refúgio para os trabalhadores que perderam emprego, particularmente entre os estadunidenses que já exauriram os benefícios do seguro-desemprego. Filas nos supermercados à meia-noite do primeiro dia do mês demonstram que, em muitos casos, o benefício não está cobrindo a necessidade das famílias e elas correm antes da chegada do próximo cheque.

Mesmo durante as férias de verão as crianças retornaram às escolas para tirar proveito da merenda, onde ela estava disponível. Cerca de 195 milhões de almoços foram servidos em agosto e 58,9% deles foram de graça. Outros 8,4% foram a preço reduzido. Este número vai aumentar quando os dados do outono forem divulgados já que as crianças estarão de volta às escolas. Em setembro passado, por exemplo, mais de 590 milhões de almoços foram servidos, quase 64% de graça ou com preço reduzido.

Crianças cujas famílias tem renda igual ou até 130% acima da linha da pobreza — 28 mil e 665 dólares por ano para uma família de quatro pessoas — podem ter acesso a almoços gratuitos. As famílias que tem renda entre 130% a 185% acima da linha da pobreza — 40 mil e 793 dólares para uma família de quatro — podem receber refeições a preço reduzido, não mais que 40 centavos de dólar de desconto.

Ps do Viomundo: Texto dedicado àqueles que acham chique os programas sociais na França, na Alemanha e nos Estados Unidos, mas tem “horror!” dos programas sociais brasileiros.





217 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O Maranhense

04 de setembro de 2021 às 10h42 Responder

Mike Whitney: Brasileiros e chineses acreditam mais no capitalismo que norte-americanos | Viomundo - O que você não vê na mídia

25 de abril de 2011 às 12h02

[…] Veja aqui como 42 milhões de norte-americanos dependem do Bolsa Família para se alimentar […]

Responder

Lourival Filho

12 de janeiro de 2011 às 21h58

Mas o Tea Party Tupiniquim, chama o bolsa família, de bolsa vagabundagem. Nos Países sérios, fome é algo inaceitável e que nenhum ser humano merece sentir tal necessidade. Como diz meu amigo Alvaro: A elite Brasileira é a pior do mundo!

Responder

Alex

19 de novembro de 2010 às 17h10

O que me deixa p… da vida é que os mesmos que reclamam do Bolsa Família ou de qualquer outra iniciativa governamental de transferência de renda, inclusão social, acesso às tecnologias sociais, crédito e financiamento são os primeiros a exigir medidas do governo quando qualquer abalo na economia prejudica a competitividade comercial da indústria ou do agronegócio nacional…quando da eclosão da crise em 2008, banqueiros, inustriais, grandes fazendeiros receberam em forma de empréstimos, isenções, perdões, concessões mil, um valor aproximadamente 30 vezes aoprevisto para o Bolsa Família…é, Bolsa Empresário..ou Pinot Noir, como satirizou o Marcelo Adnet em vídeo já clássico, pode…

Responder

Gadelha

09 de novembro de 2010 às 21h40

Criticar sempre foi muito fácil, quero ver levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima.

Responder

Takashi

08 de novembro de 2010 às 14h05

Nos "USA" tem o "SSA = Social Security Act" que foi instituido pelo presidente Franklin Delano Roosevelt ,
em 1939/40 (?) ,existe até hoje, e corresponde ao "Bolsa Família" do governo LULA .

Responder

José Vitor

08 de novembro de 2010 às 13h48

Would you like some broadband with those food stamps?
http://arstechnica.com/tech-policy/news/2010/11/o

Agora estão estudando dar facilitades para acesso a telefonia (e provavelmente banda larga) para os "pobres"…
(Aviso: nem li o artigo, só dei uma "passada de olhos"…)

Responder

Marat

07 de novembro de 2010 às 15h14

E o dinheiro que sustenta os pobres de lá provavelmente vem do petróleo roubado do Iraque…

Responder

Marat

07 de novembro de 2010 às 15h11

Isso o PIG finge não saber!

Responder

Isabela Lima e Silva

07 de novembro de 2010 às 14h46

(Continuação do comentário anterior) Inclusive, vale muito a pena assistir Tropa de Elite, apesar de ser muito violento (eu que sou chorona, com o excesso de violência explícita passei o filme inteiro chorando), mas até nesse aspecto é praticamente um documentário (exceto talvez por ser muito idealista quanto ao personagem Nascimento e por abordar críticas ao sistema brasileiro como se ele fosse isolado do resto do mundo e não fosse tudo um sistema só globalizado e interligado).

Responder

Isabela Lima e Silva

07 de novembro de 2010 às 14h46

É dado oficial que nos governos Lula, o Bolsa Família tirou aproximadamente 30 milhões de pessoas do estado de indigência (entenda-se como indigente a pessoa que não obtém renda mensal de aproximadamente R$100,00 para consumo de 2.500 calorias diárias que o ser humano necessita para sobreviver). Não é a toa que Dilma foi eleita. Inclusive também não é a toa que continue existindo milhões de pessoas em estado de indigência e abaixo da linha de miséria, afinal o sistema global capitalista neoliberal precisa, para incluir alguns, excluir a maioria (excluir do emprego, do trabalho, da educação, da tecnologia, dos meios de comunicação, do consumo e até da dignidade). Mas a Veja de 10 de novembro afirma em sua reportagem de capa sobre o filme Tropa de Elite: "não há 'sistema'" (pag. 127, Veja, edição 2190, ano 43, nº45, Ed. Abril)! É quase o mesmo que afirmar que não há poder ou que não há capitalismo. Não que eu seja contra o capitalismo, só sou contra a exploração do homem pelo homem.

Responder

Isabela Lima e Silva

07 de novembro de 2010 às 14h21

Sem emprego fica difícil comer…

Responder

Mariana

07 de novembro de 2010 às 02h45

Realmente… os paulistas são muito inteligentes, muuuuito mais que os nordestinos! Eles não elegeram a Dilma, preferiram o TIRIRICA! É tão óbvio, não é mesmo???

BASTA DE PRECONCEITO!

Responder

pap

07 de novembro de 2010 às 00h50

Quem te viu, quem te ve. Eua na lona! Nem hollywood, nem o pig, nem a caras, nem o amaury jr e o otavio mesquita e muito menos a
disney e o luciano do valle e o emerson fittipaldi seguram a onda dos ianques!

Imagine a cena – o silvio santos oferecendo dolar em forma de aviaozinho, alias em forma de bolinha de papel – quem quer dinheirooooo

quem quer dooolarrr rsss. Do jeito que ta, dolar vai virar uma moeda chinfrim rsss

Responder

pap

07 de novembro de 2010 às 00h41

os ianques gostam de ficar metendo o bedel na vida alheia.Agora, na lona como estão, e taí os atoleiros no iraque,afeganistão,paquistão
mexico,iemen,somalia,sudão e rabo no meio das pernas diante de irã e coreia do norte.
A lona de wall street, e agora essa que um quinto do povo ianque preciso do governo pra poder comer?
E a dinheirama toda que rola na economia ianque, cadê? Jogada fora em especulações,em absurdos gastos com defesa e guerras,em
superfluos, com banqueiros"que nao podem quebrar" mas que quebram a economia ianque? E essa derrama de dolares, para que?
EUA, bem-vindos ao nivel dos anos 80(crise dos 80 no terceiro mundo), e ao pires na mão!
USA, um pais USando farrapos e falidUS! Vão chamar a Sarah Paliantivo? O arnoldie, o governator?

Responder

Morais

06 de novembro de 2010 às 19h15

E ainda tem muitos brasileiros que seu maior sonho é ir conhecer os EUA, país de primeiro mundo, onde todos são ricos e felizes, mas como se vê nesta notícia aí pelo menos 42 milhões não estão tão felizes assim.

Responder

JOSÉ ANTONIO

06 de novembro de 2010 às 19h00

Acredito que, como bem disse o Presidente Lula, o amor venceu o ódio. Nós brasileiros não temos, nenhuma razão para alimentar nenhum tipo de preconceito, afinal todos nós, de alguma forma já sofremos algum tipo de discriminação. Mas temos uma capacidade impar de superar adversidades. Esse discurso está sendo semeado por uma minoria ( uma meia dúzia de famílias, Frias, Marinho, etc) que infelizmente ainda dominam os meios de comunicação do nosso país. A melhor forma de vencer o preconceito no nosso país é desligar os canais ligados a rede globo e também jogar na lata de lixo, os jornais congêneres, globo, folha de sp, estadão, etc. Viva o povo brasileiro.

Responder

O Bolsa Família dos EUA | Semciência

06 de novembro de 2010 às 16h00

[…] WSJ: 42.389.619 de americanos dependem do Bolsa Família para comer […]

Responder

Cris sp

06 de novembro de 2010 às 11h23

Sinceramente, acho que temos a obrigação de divulgar esta notícia….quem sabe cai a ficha de uns e outros por ai..
Eu já comecei a dilvulgar.

Responder

Helio Jacinto

06 de novembro de 2010 às 09h38

Conversando com simpatizantes do PSDB,ou ouvindo a Cúpula do Partido,eu fico com a Impressão que os EUA,são um Paraíso numa Terra cheia de desigualdades sociais.
Vou poder dizer umas verdades a uma Turminha que vive criticando o Bolsa Família Brasileiro,chamando este programa de Bolsa Esmola.

Responder

Cris sp

06 de novembro de 2010 às 08h33

O problema maior do brasileiro é achar que tudo que é lá de fora é muito melhor do que temos aqui…
É coisa de primeiro mundo…
No caso específico do Bolsa família…Quando é aqui…é bolsa esmola, é sustentar vagabundo…

Responder

Roger Oliveira

06 de novembro de 2010 às 00h55

E depois dessa notícia só resta a desilusão da elite brasileira por descobrir que existe uma variante do Bolsa Família na maior superpotência mundial, os Estados Unidos. Prevejo uma alta taxa de suicídio de colonistas da Óia por causa disso.

Mas quer saber de uma coisa? Continue Azenha!!! Continue!!! Quero ver essa elite se lascar!!!

Responder

Thiago Dias

05 de novembro de 2010 às 22h55

Excelente informação, Azenha!! Vou mandar para todos os meus amigos tucanos. Parabéns outra vez

Responder

    Helena Guesso

    06 de novembro de 2010 às 12h53

    Thiago, eu vou mandar para meus amigos (quase todos) que não são tucanos também, é uma informação primorosa.

Blog do Lucho

05 de novembro de 2010 às 21h35

Links da semana – 17….

42389619 americanos dependem de bolsa família para comer, do Viomundo. Uma resposta para algumas pessoas que protagonizaram cenas lamentáveis no Twitter….

Responder

Antonio Freitas

05 de novembro de 2010 às 20h39

Sei o que é sofre preconceito, por origem, na pele. Sou mineiro e minha familia se mudou para Campinas quando eu tinha 10 anos. Senti bastante isso. Apenas por ser diferente, de outro lugar. E depois, já adulto, quando fui trabalhar em São Paulo, também vi o quanto os nordestinos sofrem na capital. E nestas eleições, o tema se intensificou novamente. Agora em Brasilia, ouvi de muitas pessoas "os nordestinos não gostam de trabalhar". Eu sempre respondia: como não, se não gostassem não iriam pra São Paulo, Rio, Brasilia, BH, Campinas, a procura de emprego. E como trabalha esse povo. Não tem preguiça coisa nenhuma.
Isto é que não me conformo.
Só quem não quer ver!
Por isso, só entendo esses comportamentos dos "sulistas" como racismo mesmo.
Infelizmente isto que está acontecendo agora não é novidade. A forma e a intensidade sim. Mas o preconceito em São Paulo e na região sul não é novidade não.

Responder

Sidnei

05 de novembro de 2010 às 19h45

Sou gaúcho de nascimento, descendente de italiano. Quero pedir compreensão ao povo nordestino, que não entrem nesta imbecil onda de ódio. Alguns lunáticos fazem estes comentários por pura emoção do anonimato, assim como fizeram e-mails de acusações falsas contra a Dilma. De minha parte quero dizer que amo o nordeste brasileiro, e creio que grande parte dos sulistas também. Este ódio irracional de alguns, não resistiria ao contato direto com este amável povo nordestino. Quem faz isto é porque não interagiu com pessoas, apenas leu algumas besteiras que alimentaram sua visão limitada à respeito do nordeste. Para o bem do Brasil, desejo muito crescimento econômico nesta região, o Brasil só será realmente grande quando todas as suas regiões estiverem em equilíbrio de renda. Paz e bem!

Responder

Baixada Carioca

05 de novembro de 2010 às 19h15

Eu não entendo essa elite brasileira. Vivem reclamando das diferenças sociais; reclamam dos pobres e da pobreza; dos problemas na educação e na saúde, mas questionam o maior programa de distribuição de renda já visto que é o Bolsa Família; odeiam o ProUni e acabaram e não querem nem ouvir falar na CPMF. Será que eles ouvem o que dizem?

Responder

Machado

05 de novembro de 2010 às 18h58

Aposto que são nordestinos ou naturais de Governador Valadares. Fico só pensando na cesta básica do Food Stamps. 2 quilos de catchup, 6 quilos de carne de hamburguer, 60 pizzas congeladas, 5 quilos de hot-dog, 20 quilos de fritas e muita, muita Coca Cola. Aliás, muito saudável.

Responder

    Elton

    06 de novembro de 2010 às 18h12

    Kkkkkkkkkk……..Excelente! Isso sim é que é dieta!!! É o que nossos adoescentes de classe média comem nas praças de alimentação de shopping centers. Saúde a toda prova!!! Feijão, arroz etc…..são coisa de pobre!!!! E de brasileiro!!!

    MARIA GORETTI- BH

    06 de fevereiro de 2011 às 19h20

    HAHAHAHA…ISSO É A ALIMENTAÇÃO DOS IANQUES…EU MESMA VI HORRORIZADA…A COMIDA CHINESA É MAIS BARATA E MUITO FORTE O RESTO,É A DIETA PRA ENGORDAR….
    É UM LUGAR BONITO OS EUA, MAS SEU POVO FOI EDUCADO PRA SOMENTE SE VER NO MUNDO.PODEM CRER.ELES NÃO ENTENDEM NADA DOS POVOS QUE COMPOEM O PLANETA TERRA. É UMA MINORIA OS QUE PASSAM ESSA BARREIRA.UMA PENA.! VIVA O BOLSA FAMILIA !!!SÓ PRA LEMBAR -VIVA O POVO EGIPICIO E O TORMENTO DOS EUA/ISRAEL, COM MEDO DA DEMOCRACIA QUE CHEGARÁ E O FIM DE APOIO Á ISRAEL. .

    Conceição Lemes

    06 de fevereiro de 2011 às 23h10

    Goretti, por favor, letras minúsculas nos próximos comentários. Só maiúsculas parece que está gritando. abs

Josilda Lisboa

05 de novembro de 2010 às 17h10

Azenha, na mosca! Muito bom

Responder

    Aline

    05 de novembro de 2010 às 18h27

    Sou agente comunitária na cidade de Itabuna- BA. Nós fazemos acompanhamento das famílias que são beneficiadas pelo bolsa, e sei importância do programa. Crianças na escola, com cartão de vacina atualizado e acompanhamento da nutricionista. Quem critica deveria tentar conhecer algumas famílias, e parar de falar a partir do se achismo!! Que tipo de sociedade que estamos construindo, em que famílias precisam destas políticas para viver? Graças a Deus nosso presidente é sensível a estas questões.

ZePovinho

05 de novembro de 2010 às 16h38

Para agradar aos paulistas da elite branca eu proponho que o governo federal mude no nome do Bolsa Família para "Food Stamps Family" com a mesma estrutura que já tem.Com esse "aplomb" nossa' zelite' vai adorar o programa porque ele está em "ingrêis" da melhor qualidade.

Responder

    Pedro A. Martins

    05 de novembro de 2010 às 18h33

    Muito bom mostrar isto para estes pulhas que gostavam e gostam de denegrir o Bolsa Família (Uma merreca em relação ao Progama dos Estados Unidos) O Sérgio Guerra e o Jarbas Vasconcelos que gostavamde falar que era bolsa vagabundagem . É bom que eles vejam isto!

    Baixada Carioca

    05 de novembro de 2010 às 19h09

    Putz!!! Quem sabe com um nome estadunidense essa elite fica mais calma. Como eles gostam dos EUA!!!

azarildo

05 de novembro de 2010 às 16h26

mesmo o governo promovendo ajuda social, nao trata-se do tipo de iniciativa que se deseje para ninguem. e tratando-se de EUA, muito menos, por sua importancia mundial em varios aspectos ligados ao capitalismo.

Responder

    Regina

    05 de novembro de 2010 às 19h12

    Não entendi o muito menos para os EUA…. não entendo em que eles são melhores do que os outros para terem privilégios….. Todos os países devem ficar mais forte para que suas populações possam viver melhor. Não é justo um país comandar os demais…definir o que os demais devem fazer…..
    Temos que lutar pela soberania dos países e pelo respeito de todos a todos. Sem guerra, com diálogo e democracia…

Zhungarian

05 de novembro de 2010 às 16h09

Serra chocou o ovo da serpente que estava latente em parte de nossa sociedade reacionária: http://www.youtube.com/watch?v=D0vRQ0y08is

Responder

ZePovinho

05 de novembro de 2010 às 16h07

Eu soube que o John Bastos e o Dvorak estavam presos nessa cadeia do Arizona:

Prisão ao ar livre obriga detentos a usar cuecas rosas no Arizona
http://planobrasil.com/2010/11/05/prisao-ao-ar-li

Responder

Mais de 42 milhões de americanos recebem bolsa família do governo dos EUA « Folha da Selva Rochosa

05 de novembro de 2010 às 15h58

[…] Publicado originalmente no vi o mundo […]

Responder

TFP

05 de novembro de 2010 às 15h53

Azenha, você não percebeu que autora deu ênfase ao termo "almoço grátis". Isso foi uma ironia! Ela atacou indiretamente Milton Fridman pai monetarismo (uma das formas de manifetação do liberalismo) pois é dele a célebre frase:

"não exites almoço grátis"

Responder

    Elton

    06 de novembro de 2010 às 18h14

    Só seu nick é que dá arrepios……….muda aí, vai…..

Thiago Leal

05 de novembro de 2010 às 14h35

Azenha!

Você esqueceu de algo muito importante! Nosso bolsa-família é ainda superior a esses food-stamps.

Os cidadãos que vão com esses vouchers no mercado só podem comprar comida. Ou seja, o governo presume que dinheiro na mão deles corre o risco de ser gasto com bebidas, loterias ou quaisquer outras coisas mundanas. Eles são pobres e portanto merecem somente sobreviver, merecem comida, apenas.

Na fila do mercado, no caixa, os outros verão isso e enxergarão nessa pessoa que paga com food-stamp nada mais que um "cidadão de segunda classe", uma espécie de incapaz tutelado pelo Estado a comprar o mínimo para sobreviver. O dinheiro público que é gasto nos food-stamps não pode ser desviado para fins indesejáveis, mundanos, imorais.

Mas pode ser usado para fazer bail-out de empresas irresponsáveis e também servem para pagar bônus a CEOs que brincaram de roleta russa no mercado financeiro. A tal privatização dos lucros e socialização dos prejuízos.

Nosso bolsa-família, embora o valor ainda esteja muito aquém de proporcionar mais que um mínimo de sobrevivência, pelo menos presume que o cidadão beneficiado é um cidadão de verdade, livre, de plenos direitos e que pode gastar seu dinheiro como bem entender, assim como qualquer outro que recebe qualquer tipo de renda. Mesmo que gaste de maneira irresponsável também, é dinheiro dele. Tem pessoas que acham que dinheiro do bolsa-família é de qualquer um, menos do beneficiado…

Responder

    Pedro

    31 de julho de 2013 às 15h45

    O mote do Bolsa Família é combater a fome, o food stamps permite isso ao cidadão, eles tem de comprar comida porque esse é o objetivo do programa, bem como são registrados num banco de oferta de emprego e devem comprovar a cada trimestre que estão tentando encontrar um emprego. O programa oferece qualificação de mão-de-obra e outros benefícios, é transformação social, nada a ver com o bolsa-família que é apenas dado dinheiro sem se cobrar nada em troca. E não, o dinheiro não é daquele cidadão, ele não trabalhou por aquilo, então ele tem sim de gastar de forma responsável. Pense em uma criança, você como pai, daria dinheiro pro seu filho sem que ele se dedicasse aos estudos, sem que ele tivesse compromisso com a família e mais ainda, sem querer saber com que ele gasta?

    Edson Hilário Freitas

    27 de agosto de 2013 às 23h09

    Eu trabalho numa escola pública e devolvo durante as aulas as carteirinhas entregue por alunos,beneficiários do bolsa família,na entrada na escola, comprovando não terem faltado as aulas. Existe fiscalização se o dinheiro do bolsa família está sendo gasto atendendo as finalidades do programa.

    dude

    02 de novembro de 2014 às 12h40

    PEDRO VOCE esta TOTALMENTE EQUIVOCADO quando fala que os americanso do food-stamp tem que trabalhar em 3 meses , isto ai so figura no papel porque na realidade os caras simulam que estao procurando emprego mas vivem eternamente as cusats do governo e pasmem estes benificios tendem a dobrar em destes individuos pois em pouco tempo eles buscam um apoio em um tipo de “SUS INPS ” Americano e ali se “encostam” alegando determinada incapacidade para trabalhar e passam a receber mais beneficios sem fazer nada ..eu disse nada ….sem citar os que levam a vida inteira envolvidos com drogas e outros bichos mais e quando comecam a sucumbir buscam apoio financeiro no governo AMERICANO . O bolsa familia esta de longe em diferencas com este processo pois NO BRASIL existe SIM um controle da aplicacao e acompanhamento do bolsa familia .INFORME -SE POR QUEM NOS ESTADOS UNIDOS VIVEU O GUETO.

tamosai

05 de novembro de 2010 às 12h47

Exatamente. No Brasil, com mentalidade colonizada, chamam de bolsa-miséria. No resto dos países ricos acham chique e avançado. Se não fosse pela ajuda social dada pela seguridade social desses países, existiria uma quantidade enorme de excluídos e sem-teto na Europa e EUA. Inclusive na Noruega, Suécia, Finlândia morrendo de frio.

Responder

mello

05 de novembro de 2010 às 12h38

O PIG abre páginas para o PNUD e o IDH. Neles, os estados unidos aparecem bem na foto, pois mesmo com 42 milhões com os food cards e quase 10 % de desemprego,e o ensino e a saúde de qualidades duvidosas, aquele país sobe do décimo terceiro para o quarto lugar no IDH!
Como se felicidade, satisfação, bem estar , autoestima, pudessem ser parametrizados, comparados…(rico=feliz, pobre= infeliz ? )
Mas a notícia trazida pelo Azenha, podemos procurar no PIG que…? Eles adoram ranking e premiações como Oscar, Nobel, para tentar nos colocar como países de terceira classe!

Responder

Igor

05 de novembro de 2010 às 12h02

O que os petistas não entendem, é que não temos horror ao bolsa família, temos horror ao bolsa família desacompanhado de uma grande reforma na educação – que continua horrível em todo Brasil – parabéns à dupla FHC e Lula… Ou vocês querem comparar à educação pública brasileira à Alemanha, França, EUA, etc?

Responder

    Luis Alberto

    05 de novembro de 2010 às 15h37

    E quando o sistema nao permite voce suar para tirar o sustento, como fica?

    Wildner Arcanjo

    05 de novembro de 2010 às 15h42

    Que educação pública dos EUA? Quem não têm dinheiro lá, para mandar filho estudar em universidade particular (as que são realmente boas lá), se contentam com as Universidades públicas (e conheço poucas). As públicas norte-americanas são piores que nossas escolas estaduais.

    Ricardo

    05 de novembro de 2010 às 16h15

    Concordo Igor. São contextos muito diferentes. O bolsa família só deve ser mantido em caráter emergencial, pois consome recursos importantes a serem investidos em outros setores sociais, como saúde, educação habitação, saneamento, segurança e infra-estrutura, vetores únicos capazes de alavancar o desenvolvimento. Esses programas sociais são paliativos incapazes de resolver o flagelo da miséria. Mantém o miserável vivo,mas não os torna cidadãos.

    andre i souza

    05 de novembro de 2010 às 22h39

    Ah, sim, emergencial! Talvez devesse ser só por uns dois dias, né? Afinal, já almoçou e jantou duas vezes, agora vá trabalhar e "não me sinta mais fome"!

    Mantenha o miserável faminto, assim, verdadeiramente, ele será um cidadão.

    O utopia desgraçada! 500 anos de constantes flagelos, e sobre os mais necessitados, sempre, e você quer a solução total dentro do seu prazinho emergencial?

    Faça-me o favor!

    Lukas

    07 de novembro de 2010 às 03h25

    Acontece que a galerinha do contra continua achando que o Bolsa Família é um programa tão e somente assistencialista. Santa ignorância!
    Assistencialismo é dar cesta-básica e leve-leite. Ao dar dinheiro nas mãos dos mais pobres, o consumo das famílias aumenta e a demanda por produtos movimenta a economia local e gera mais empregos no comércio e na indústria.
    Bem simples, mas tem gente que simplesmente se recusa a aceitar o óbvio.

Bruno

05 de novembro de 2010 às 11h21

Bancar a alimentação de quem deveria bancá-la com o suor do próprio trabalho é errado, seja aqui ou lá. O governo tem obrigação de fornecer educação, saúde e segurança, mais nada.

Responder

Paulo Silva

05 de novembro de 2010 às 11h18

Embora possa parecer um pouco deslocado do tema BF, há um artigo do jornalista Pedro Ayres que faz incômoda análise sobre os objetivos da campanha oposicionista e dos rebates posteriores. Foi bom saber que o Hayek é o Zé Povinho, afinal de contas, é um dos comentaristas-fundadores do Viomundo. O artigo do Pedro Ayres está em: http://pedroayres.blogspot.com/2010/11/serpente-n

Responder

    ZePovinho

    05 de novembro de 2010 às 15h01

    Eu sempre estive por aqui,Paulão!!!Vacilei porque devia ter dito antes.Eu não devia ter colocado que era o Milton só na minha foto de perfil.

Paulo Monarco

05 de novembro de 2010 às 11h14

Azenha, seria muito interessante e esclarecedor se você colhesse informações mais detalhadas sobre a atual administração do governo Obama que deixou o Fed e a Secretaria do Tesouro nas mãos dos mesmos CEO`s de Wall Street – JP Morgan, Golden Sacks com seus derivativos e a desregulamentação – que afundaram o sistema financeiro global no ano de 2008, com perdas de 20 trilhões de dólares, diga-se os mesmos, sem nenhuma perda financeira ou processos crimes, muito pelo contrário, com ganhos ainda mais substanciais devido o aporte financeiro de 700 bilhões de dólares do contribuinte norte-americano. Forma-se uma nova bolha? Com a palavra o matemático, cientista político e diretor de cinema Charles Ferguson. Vale a pena uma entrevista…

Responder

José Paulo Kupfer

05 de novembro de 2010 às 11h12

Azenha, meu velho,

Até onde entendo, o BF não é a versão brasileira do Food stamp. O BF não restringe a utilização da grana à comida, embora, provavelmente, esta seja a destinação básica do benefício. O BF também não fornece refeições, nem cestas básicas. E, principalmente, o BF é um programa de transferência condicionada de renda – os beneficiários devem manter os filhos matriculados na escola e manter atualizadas as carteiras de vacinação das crianças. É preciso entender que o BF não pretende portas de saída para os beneficiários diários, ainda que estas possam se abrir, com melhora na circulação de renda na região, mas, sim, portas de saída para os filhos.

Abrs.

Responder

WSJ: 42.389.619 de americanos dependem do Bolsa Família para comer | Espaço Ágora

05 de novembro de 2010 às 11h06

[…] Fonte: Site Vi o Mundo […]

Responder

amores

05 de novembro de 2010 às 11h02

O negócio é não ligar para os babacas, o ideal seria dobrar a bolsa e incluir mais pessoas !

Responder

Vitor

05 de novembro de 2010 às 10h50

Informação distorcida. O "food-stamps" é um ticket a ser trocado por comida.
O bolsa família é um salário dado à alguém para gastar com o que quiser. Como podem ver no jornal O Globo de hoje (5/11/2010) tem gente pagando professor particular pro filho com ele.

Responder

    Luciano Coelho

    06 de novembro de 2010 às 10h32

    Pagar professor com bolsa família? O Vitor deveria fazer uma cartilha como ele consegue fazer isso na casa dele. Estais recebendo quantos?

Pedro

05 de novembro de 2010 às 10h38

O capitalismo vai bem, hein!

Responder

Victor

05 de novembro de 2010 às 10h36

É o bolsa vagabundagem dos tunganos.

Responder

Pedro Paulo

05 de novembro de 2010 às 10h33

Karl Marx afirmou no século XIX que um sistema que concentra o dinheiro nas mãos de poucos (industriais, banqueiros e comerciantes) um dia iria acabar implodindo. Iria chegar o momento em que não adiantaria produzir mercadorias, se o povo não tem dinheiro para comprar. Esse dia chegou com a crise que teve inicio no ano de 2007 e continua te hoje.
A crise motivada por concentração de renda,tem sido uma constante no sistema capitalista. A solução encontrada por eles, foi emprestar dinheiro, para o povo continuar comprando mercadorias – funcionou até 2007.
Acontece que os EUA cometeram um erro fatal: acreditando que no século XXI a prestação de serviços seria uma atividade mais lucrativa que a produção de bens de consumo, eles exportaram para China 80% do seu parque industrial. Eles raciocinaram assim: vamos mandar para a China as industrias que consomem mais energia e as que causam mais poluição, e então, eles se encarregarão de produzir, e nós nos encarregaremos de vendar, e assim ficaremos com a "parte do leão".
Resultado: os chineses adquiriram know-how a partir das indústrias que foram para lá, montaram seu próprio parque industrial e deram uma banana pra eles.
Resultado: hoje os EUA não podem re-erguer seu parque industrial, porque o custo da mão-de-obra oriental é imbatível. Quase tudo nos EUA é "made in " Japão, Coreia do Sul, Malásia, Índia, Cingapura, Taiwan, China… computador, roupa, sapato, carro, brinquedo, TV, eletro-eletrônicos, máquinas fotográficas, filmadoras… vem tudo desses países.
1 em cada 5 americanos está desempregado. E agora "é pra valer mesmo", porque sem o parque industrial que eles mandaram pra China, eles não tem um leque de mercadorias pra vender, que possa trazer dinheiro suficiente pra sair da crise.
Eles estão dando o último suspiro que consiste em produzir dinheiro sem lastro em quantidade inimaginável. O resultado disso é que o Dólar se tronou uma moeda desvalorizada e rejeitada em todo o mundo.

Responder

augustinho

05 de novembro de 2010 às 10h15

Azenha, so tenho uma noçao, eram ao redor de ,08% – preciso atualizar esse numero, quanto por cento é o BF sobre nosso PIB, atualizado para 2010 supondo MAIS 7.5% de acrescimo correspondente? vc sabe luiz marcondes? informem por favor.

Responder

Mario Alex

05 de novembro de 2010 às 10h04

Os 43 daqui, querem trilhar o mesmo caminho!

Responder

    Donizeti - SP

    05 de novembro de 2010 às 10h20

    URGENTE !

    Azenha, TODAS AS PESSOAS que praticaram racismo e ofenderam nordestinos, negros e índios após a vitória da Dilma VÃO RESPONDER A PROCESSO CRIMINAL perante a Procuradoria Federal da República em São Paulo por crime de racismo.

    Ontem um Vereador de São Paulo, Francisco Chagas, sociólogo e nascido no nordeste, autor da lei paulistana que cria o Dia do Nordestino na capital, entrou com uma REPRESENTAÇÃO CONTRA 94 PESSOAS JÁ IDENTIFICADAS, a notícia e a íntegra da Representação estão publicadas hoje no blog da cidadania do Eduardo Guimarães.

    Seria bom se voce pudesse publicar a notícia e a representação também no seu blog, pois o que acontecerá nesse grave surto de racismo no Brasil e o tratamento que a justiça dará aos envolvidos será didático para nossa sociedade.

    Isso não pode acontecer nunca mais !

André

05 de novembro de 2010 às 09h49

Enviei para o jornal gente da Band Campinas, os apresentadores ficaram surpresos!!!

Responder

@abvxande

05 de novembro de 2010 às 09h22

Estou muito feliz de ter conhecido esse site. Não sinto mais vontade de ver o G1.
Azenha, você traz a tona assuntos importantes e nos faz refletir sobre a vida. Parabéns pela escolha das matérias e pela visão consciente que você tem do mundo.

Abraços

Responder

cesar a giometti

05 de novembro de 2010 às 08h38

Foi bom divulgar isso, assim, os que sabem tudo também aprendem mais uma, pois esses programas existem nos países mais adiantados e é uma forma excelente de se avançar na justiça social, que tem como consequência de cara a baixa na violência. a questão é conseguir enxergar o mundo além do próprio umbigo, do "eu acho", baseado em informações verdadeiras e estatísticas. Nem toda a classe média é obtusa e preconceituosa, mas há alguns dos seus integrantes que falam como se fossem porta-vozes e angariam a antipatia para todos, injustamente. Como a Mayara, coitadinha, falou, digo, escreveu besteira e agora vai sofrer as consequências sozinha, pois no seu caso a solidariedade de classe passará ao largo! A pobreza é o retrato de como a sociedade, ccpitalista ou não, é injusta e é muito difícil combatê-la, a não ser pela conscientização de todos e pelos programas de apoio social, não só de assistencialismo.

Responder

Marcio

05 de novembro de 2010 às 08h24

Li agora uma matéria no UOL uma matéria sobre a "Economist". Descaradamente a revista, uma das porta-vozes dos investidores estrangeiros, está pautando claramente as ações que Dilma deverá tomar. Nojento! Inclusive deixa muito claro que Palloci e Meirelles devem continuar para o bem dos investidores, além de sugerir que Dilma mexa nos fundos que protegem a aposentadoria dos trabalhadores. Isto quer dizer que, para agradar os "investidores, de forma que eles tenham mais lucros, a classe trabalhadora, pelas mãos da Dilma, deve descer ao inferno?

Responder

    Paulo Monarco

    05 de novembro de 2010 às 12h24

    Pois é Marcio, tanto lá como cá somos regidos por Wall Street. Lá diretamente, cá com uma certa resistência do governo, mas com lobistas sedentos pela desregulamentação de uma gorda fatia do emergente mercado tupiniquim. Resistiremos? Só a sociedade civil saberá responder.

Luiz Marcondes

05 de novembro de 2010 às 07h48

A bem da verdade, com os food stamps os beneficiarios podem comprar qualquer comida ou bebida, exceto alcoólica e cigarros; não existe a obrigatoriedade de comprar apenas de determinadas marcas, como disse um dos comentadores. Pode ser inclusive comida fresca, in natura, como frutas, verduras, etc.
Essa agressão ao BF brasileiro é tão atrasada e cansativa, que já deu o que tinha que dar. Isso é coisa de gente que, porque estuda ou estudou nessas "faculdades" botequins, que nunca leu um livro decente (que acha que auto-ajuda, Paulo Coelho e Veja são literatura), que não tem a menor auto-crítica, e na verdade são semi-analfabetos(basta ver os erros primários que cometem) Boa parte desses idiotas (no sentido clínico) se esquece que seus avós ou bisavós vieram da Europa ou do Oriente Médio com uma mão na frente e outra atrás, e eram tão incultos como parte dos migrantes nordestinos que chegam (chegavam?) ao Sul/Sudeste "maravilha-não por culpa deles, nos dois casos, mas sim da falta de oportunidades, que agora está sendo dada, minimamente, se não a eles, aos filhos.

Responder

Jairo_Beraldo

05 de novembro de 2010 às 07h38

Que horror…por isso Obama perdeu tantas cadeiras no congresso americano. Com certeza nossa elite sulista fez coro com a elite yankee.

Responder

heterodoxo

05 de novembro de 2010 às 06h00

Olha. É uma notícia tristemente interessante. As pessoas aqui acham que o bolsa família é só um dinheiro para as pessoas. Mas esquecem que este dinheiro entra em circulação, é usado para comprar os alimentos que elite produz, os mesmo alimentos que são transportados em rodovias pedagiadas, em caminhões da volvo ou mercedes bens. Que por sua vez aumenta o número de empregos nestas empresas e permite que mais pessoas comprem telefones celulares, façam planos de saúde, entre muitas outras coisas. E no fim das contas todos nos beneficiamos. Talvez, esta, seja uma abstração muito difícil de ser compreendida por parte das pessoas que criticam o bolsa família.
Sem contar que o bolsa família visa também corrigir décadas de uma distribuição de renda doentia na qual viveu a sociedade brasileira. Se não éramos os campeões da concentração de renda estávamos bem perto de ser.
Eu acho que o bolsa família ajuda todos os brasileiros, além de contribuir para não sentirmos tanta vergonha. Diretamente quem o recebe e indiretamente, até mesmo, a elite preconceituosa.

Responder

SérgioFerraz

05 de novembro de 2010 às 04h20

A sorte do pessoal que precisa receber bolsa família nos EUA é que lá não tem tucano para ficar criticando.

Responder

    Flavio Lima

    05 de novembro de 2010 às 08h12

    Claro que tem. Mas la eles são chamados de republicanos.

    Luis

    05 de novembro de 2010 às 09h48

    O azar do pessoal que precisa receber bolsa família nos EUA é que lá todos os políticos são tucanos, não criticam porque sabem que esses "stampers" só aumentarão de número, o que demonstra o supremo sucesso da política de transferência de renda do povo comum para os ricos mais ricos de lá.

    Renato

    05 de novembro de 2010 às 11h36

    Eu estou começando a concordar com o Partido Republicano nos EUA.
    -Trazendo para a nossa realidade, quem ganha esse salário por aqui é considerado classe média alta, consegue pagar um bom plano de saúde, pagar prestação da casa própria, pagar a prestação do carro, pagar um bom mba em uma universidade renomada e famosa e além disso, conseguem viajar para os EUA.
    Que cortem o BF, os meus bisavós eram imigrantes e nunca receberam uma ajuda do governo. Foram explorados e os filhos deles aproveitaram as oportunidades (nunca estudaram em faculdade) para virarem grandes proprietários de terras. E depois vem pessoas nadas boazinhas querendo tomar o que eles conquistaram, com desculpe de reforma agrária.

    Reginaldo

    05 de novembro de 2010 às 11h54

    Tem, sim. Só que lá eles não são tucanos: são republicanos e neoconservadores. FAzem um barulho tremendo contra politicas sociais. Para eles, imposto de renda progressivo é roubo, assistencia médica pública é indecência, pobre é pestilento e vagabundo. São tao violentos quanto estes nossos tucaninhos. Nosso problema adicional é que a desqualificação não vem só da direita. A assim chamada extrema-esquerda faz criticas muito semelhantes. Aquela delinguente da Heloisa Helena chegou a chamar o bolsa-familia de mensalinho. E os deputados e vereadores paulsitas do psol tentaram fazer até paseata contra programas de ajuda escolar para crianças pobres da periferia de Sampa.

francisco p neto

05 de novembro de 2010 às 02h23

Aguém fez as contas?
Pela informação da matéria, lá quem ganha, correspondente em moeda brasileira, cerca de R$ 4.000,00/mes estão recebendo alimentação gratuíta, e entre R$ 4.000,00/mes e R$ 6.500,00/mes estâo recebendo comida com desconto.
Aquí no Brasil trabalhador com esses salários pagam imposto de renda!
E tem gente que é contra o bolsa família aqui!

Responder

Hatake

05 de novembro de 2010 às 02h01

A grande diferença de tudo, é que nos EUA os impostos não vão para o o bolso dos corruptos mafiosos do governo, nem para as cuecas. Essa matéria quer dizer que só pq tem bolsa nos Estados Unidos, o Brasil então está na vanguarda com Lulismo. Nossa, quão magnânimo! São países totalmente diferentes e em situações diferentes. Todos esses políticos se mantém muito bem pelo maniqueísmo instaurado de direita e esquerda, por essa pseudo rivalidade onde as pessoas se comportam pensando que são os adolescentes revolucionários contra a ditadura. Ninguém pensa em coletividade, mas se sentem muito nobres achando q bolsa esmola é evolução,que promove a queda dos monstros do capitalismo, aquela velha coisa de socialista que quer ver americano se ferrando…nossa, que coisa produtiva. Aposto que neste Natal as vendas aumentarão mais ainda. Pq o nordestino pobre com certeza não está aqui teclando, já que a sua bolsa apenas o exclui mais ainda, ele ganha o rótulo de pobreza. Governante só investe no que dá retorno para ele, dar bolsa é voto certo. Hipocrisia do kct. Se esses políticos fossem bons mesmo, usava os impostos para além da comida para educação de verdade, não aquela que passa de ano, com professor de segunda. Se der leitinho para um gato faminto, ele tb te lambe. Até vota em vc. O caso, é que quem dá o leitinho não é madre Teresa, quer mais é dar de mamar para as Erenices da vida. Hospital?ah, que piada…as condições andam tão tenebrosas que vc entra lá e sai pior, com um superbacteria que pode te matar… mas o que nos matará mesmo éa corrupção, não o capitalismo.

Responder

    Clea Metzger

    05 de novembro de 2010 às 06h30

    Sr Hatake muito dignamente pergunto ao sr, se o bolsa familha é o rotulo de pobreza do pobre, como o pobre era rotulado antes do bolsa familha?… Pelo meu pouco conhecimento da nossa constituiçäo e dos direitos humanos todos os estados democraticos tem o dever de zelar pelos seus filhos. O sr certamente é cioso da criminalidade que assolou o Brasil a algum tempo atras e que ainda nos aterroriza, e ai eu pergunto, o que leva o cidadäo a ser um assaltante, traficante, assassino? Eu por minha parte sem ser partidaria do PT, prefiro pagar um pouco mais de tributo e ter a certeza que as crianças do bolsa teram mais perspectivas que seus pais, e nos teremos mais tranquilidade para viver.

    Tenório

    05 de novembro de 2010 às 06h43

    Todo preconceituoso é:

    Energúmeno;

    Imbecil;

    Idiota;

    Canalha;

    Boçal.

    E a ordem desses fatores não altera o produto.

    Paulo Roberto

    05 de novembro de 2010 às 08h10

    Amigo, faltou acrescentar Paulo Preto, Serra e companhia.

    Flavio Lima

    05 de novembro de 2010 às 08h18

    E la vem a conversa do bolsa esmola de novo… mas seu candidato disse que ia aumentar a bolsa e dar 13º, e voce votou nele! Ué, é contra ou a favor?
    E qual a coletividade que voce pensa? Só naquela que não passa fome, certo?
    E nordestino pobre logo vai estar aqui teclando tambem, espere e vera. Ai voces vão chamar de "bolsa-esmola-banda-larga".
    Mais um sem-noção no pedaço…

    ValmontRS

    05 de novembro de 2010 às 08h39

    Leitor de veja detected!

    Jair de Souza

    05 de novembro de 2010 às 08h58

    Calma companheiro! Vocês já perderam a eleição (56,05% x 43,95%)! Espere chegar mais perto de 2014 para voltar com a mesma ladainha.

    Maurício

    05 de novembro de 2010 às 09h46

    Não, os impostos vão para as mãos do banqueiros de WS… Hatake, o problema é que a direita criticou muito o programa aqui no Brasil por causa do assistencialismo mas aqui tem pessoas vivendo em condições muito, mas muito piores que lá. Nosso programa tem diversos pré-requisitios enquanto lá eles ganham os "food stamps" mesmo tendo fonte de renda. A crítica é totalmente válida, se outros países ajudam seus habitantes com comida porque nós não podemos? Você acha que alguém vive dignamente com R$ 200 por mês? Todos querem emprego, é uma pequena minoria que aceita viver com tão pouco, pode ter certeza disso. Pelas condições sócio-econômicas nós temos muito mais direito de oferecer isso do que eles que são a maior economia do planeta. Aqui, milhões de Brasileiros já abandonaram o programa pois arrumaram emprego enquanto muitos outros ainda estão sem cobertura. O seu pensamento de "socialismo" é muito simplista e pelo seus comentários você foi totalmente tendencioso partidariamente falando, o que desqualifica parte de seus argumentos. Falando sobre corrupção vou falar o que falo pra todos independente de partido: corrupção sempre existiu, existe e sempre existirá portanto não seja hipócrita você também (faz parte da natureza humana infelizmente). O que deve haver é punição e isso está havendo em muito maior quantidade que em qualquer outro governo anterior. A Herenice foi afastada e está respondendo na PF, o que mais você queria? O crime dela (ou do filho) foi tráfico de influência de um negócio que nem mesmo aconteceu e mesmo assim ela foi afastada. Vamos comparar com alguns casos semelhantes aqui em SP (tenho certeza que você é daqui também)? Pra sua informação a Dilma ganhou mesmo sem o N e NE onde estão os maiores beneficiários do BF portanto suas alegações de "compra de voto" precisam ser revistas. No final você tentou puxar a questão da saúde e educação que são pertinentes. Mas o problema disso não é por causa do BF. O percentual gasto com o BF do orçamento é muito baixo (hoje em torno de R$ 12 bilhões). O nosso grande problema estrutural que impede maiores investimentos em todos os setores é a dívida interna e o juros alto. Esse é o problema que precisa ser atacado e aparentemente nossa relação dívida/PIB vem caindo sistematicamente. Se a tendência continuar assim nos próximos anos vamos ter condições de dispender cada vez menos no pagamento de juros, abaixando as taxas e portanto direcionar pra áreas essenciais. Sem isso pode ser o governo que for, nunca haverá condições de investir em nada aqui. Esse é o meu maior desejo com relação ao novo governo, que diminua a taxa de juros da dívida e se possível simplifique a sistema fiscal com menos burocracia e maior controle de arrecadação/gastos.

    Antes que alguém critique, não sou filiado de nenhum partido, sou capitalista convicto, minha família veio da Alemanha e Itália, tenho uma empresa nos EUA com um sócio americano (judeu ortodoxo), paulista nato, meu avô lutou na revolução de 32 por São Paulo e toda minha família pertence ao que chamam de "elite". Portanto cuidado antes de me chamar de "petralha".

    Wildner Arcanjo

    05 de novembro de 2010 às 15h47

    Com relação a Erenice, ela só foi destituída, penso eu, porque colocou o governo ativamente dentro da campanha. Ela fez aquela infeliz declaração em relação à coligação opositora, estando ainda dentro do Governo e usando os meios oficiais. Foi por isso que perdeu o cargo.

    Luis

    05 de novembro de 2010 às 09h52

    Parabéns, vá em frente. Leia bastante também.

    Mait

    05 de novembro de 2010 às 09h57

    Você tem certeza absoluta de que não tem corrupção lá? Eu aprendi a não por a mão no fogo por governo nenhum.

    ZePovinho

    05 de novembro de 2010 às 11h04

    O amigo aí não conhece os EUA.Tivemos dois pacotes,um de 900 bilhões e outro agora de 600 bilhões de dólares,que irão para os corruptos da iniciativa privada.

    Bonifa

    05 de novembro de 2010 às 12h17

    Como não? Vão para os bolsos dos corruptos e mafiosos e para os cuequeiros e Arrudas de lá, sim. Quem foi que lhe disse que não?

Marilda Oliveira

05 de novembro de 2010 às 00h59

Azenha, ótimo texto; – vistes hoje como despencou o dolar? O Câmbio? a situação é preocupante a nível mundial nos EUA o desemprego está persistente. Nestes momentos de crises mundiais, pedimos a Deus que no Brasil na mudança da presidência, a equipe econômica (que está dando certo) permaneça, oferecendo a nova gestão tempo hábil para aplicar as mudanças e medidas emergentes a nível social, dando continuidade a segurança e bem estar do nosso povo, implantando com critérios e com prioridades a Agricultura Familiar, aliada a Bolsa Família (que é sucesso Nacional), a conquista da cidadania mais vulnerável à fome.

Responder

    José Sabino

    05 de novembro de 2010 às 19h25

    Marilda,

    O Brasil perde uma excelente oportunidade de dar o drible da vaca na crise americana. Ao invés de dar emprego ao Henrique Meireles – que comete diuturnamente o crime de lesa-pátria na compra de dólares – Lula deveria defenestrá-lo. Em seguida vender TODOS os dólares entesourados enquanto ainda valem alguma coisa. Vide que o mundo já está saturado de dólares e o Obama joga mais dólares na economia. É o mesmo que tentar apagar o incêndio jogando gasolina sobre ele; é como combater a enchente com mais água.

    A derrocada do dólar é inexorável e iminente. Assim, se o Brasil se livrar de seu estoque passará ao largo da crise. Ou melhor, a crise acontecerá lá fora e não terá como se adentrar aqui no país.

    Quando os EUA partirem para o plano B – anoitecer com o dólar e amanhecer com outra moeda – quem estiver com dólares em seu poder mamará no dedo e irá reclamar com o bispo.

    E o Henrique Meireles consegue convencer o Lula que está fazendo a coisa certa. Difícil é acreditar que a inteligência aguda do nosso presidente ainda não tenha detectado o tamanho da mancada em que estamos nos metendo comprando US$ 1,5 milhões em média ao dia.

    Abraços

WSJ: 42.389.619 de americanos dependem do Bolsa Família para comer

05 de novembro de 2010 às 00h54

[…] Do VioMundo […]

Responder

Wellington_Vibe

05 de novembro de 2010 às 00h50

É a falta de divulgação deste tipo de notícia pelos meios de comunicação mais populares, assistidos e lidos que leva a não compreensão da benesse que é o bolsa família e que muito mais do que uma arma política, ele é sim uma obrigação social do governo para com os necessitados. É a falta desse debate e o tratamento dado pela imprensa conservadora que leva a formação de opiniões extremistas e infundadas como a da enxurrada de jovens que postaram as barbaridades que temos acompanhado no twitter, facebook, etc.

Responder

    casemiroguimaraes

    05 de novembro de 2010 às 15h52

    ai entra a militancia,informaçao neles do mundo españa,4 milhoes no paro,os vagabudos sao racistas e metido a bonito,mas nao sabem nada da vida, rede social e para ajudar,burgues intolerante e sem educaçao

@lucilast

05 de novembro de 2010 às 00h44

Olha o Bolsa-Família lá, gente!

Responder

Fátima

05 de novembro de 2010 às 00h18

Na era LULA arrumaram a Regina Duarte … Agora com a Dilma … a Mayara Petruso … ninguém merece.

Responder

    Gersier

    05 de novembro de 2010 às 09h48

    Ironia do destino:PeTruso

Mario Luiz A.

04 de novembro de 2010 às 23h57

Estou ficando viciado blog, muita informação adorei saber do bolsa familia americano temos que divulgar

Responder

    Mila

    05 de novembro de 2010 às 07h47

    É só uma informação Mario. É horrível qualquer país ter que ter Bolsa Família ou similar. Bom mesmo seria os cidadãos não precisarem disto; mas até lá, cumpre papel fundamental.

Pedro

04 de novembro de 2010 às 23h30

Era o que queria dizer Karl Marx ao prever que o fim do capitalismo seria decretado por ele próprio, ou seja é um sistema suicida.

Responder

    Bonifa

    05 de novembro de 2010 às 12h19

    O capitalismo é uma força da natureza. Como qualquer força da natureza, precisa ser domado e mantido a rédeas curtas.

cjab

04 de novembro de 2010 às 23h28

Não esquecer que das 11 milhões de famílias atendidas pelo BF, 1,1 milhão são de SP.

Responder

    fabio sp

    05 de novembro de 2010 às 01h31

    Se vc sabe fazer as contas, São Paulo tem bem mais que 20% da população do Brasil e tem só 10% de bolsa familia.

    Vaz

    05 de novembro de 2010 às 10h05

    Mas se vc sabe fazer conta, 1,1 milhão de famílias, dá aproximadamente 4,5 milhões de pessoas, mais de 10% da população do Estado que se diz o Competente e Desenvolvido !

    Bruno

    05 de novembro de 2010 às 11h20

    Você é bom de matemática, hein? Ele quis dizer que, embora 20% da população nacional esteja em São Paulo, só 10% do comprados pelo Bolsa Família está aqui. E isto é fato, sejam 1,1 ou 4,5 milhões de vendidos.

    Michel Edson

    05 de novembro de 2010 às 15h09

    Não se esqueça que o BF é baseado nas inscrições feitas pelas prefeituras e muitas prefeituras aqui no RS e nos demais estados do sul/sudeste não se interessam em cadastrar as famílias por questões partidárias. O estado de São Paulo segundo dados do IBGE e IPEA possui mais de 2,2 milhões de indigentes e mais de 6,5 milhões de pessoas com alguma carência alimentar e financeira (ou seja, aptos ao bolsa família) "fazendo as contas" verificamos que existem mais de um milhão de famílias que poderiam ser assistidas pelo bolsa família em SP e não o são, nos outros estados do Sul a coisa não é muito diferente infelizmente.

Jamilo

04 de novembro de 2010 às 23h20

Já copiei e enviei para vários contatos pelo meu e-mail… Quem sabe assim esta informação se dissemina.
Claro que citei a fonte, rsrsrsrsrssr!!!!

Responder

Zhungarian

04 de novembro de 2010 às 23h17

Pois é, alguns pseudobrasileiros acham que perderam alguma coisa durante os 8 anos de Lula. Mas se esquecem de que a riqueza de São Paulo está tb relacionada ao progresso do Nordeste.

Mas isso é muito pra cabecinha obtusa desses acéfalos. O complexo de inferioridade deles não permite que enxerguem para além dos Jardins. Vejam que triste isso: http://www.youtube.com/watch?v=D0vRQ0y08is

Responder

    Fábio Venâncio

    05 de novembro de 2010 às 05h24

    Zhungarian,eles se esquecem que milhões de nordestinos moram e trabalham em São Paulo,não apenas na lavoura e na construção civil ,mas também na indústria e outros serviços.
    Se acham muito espertos ,mas não conseguem ver além do seu próprio umbigo.

    Gersier

    05 de novembro de 2010 às 09h53

    Êpa,vc é muito benevolente.Não enxergam um palmo à frente do nariz.Para enxergarem o umbigo,esses lunáticos precisam do auxilio de uma luneta.

Rafael

04 de novembro de 2010 às 23h08

Aqui no RS política é difícil de entender. No primeiro turno Dilma venceu serra e Tarso-PT foi eleito em primeiro turno, não tinha acontecido isso antes. No segundo tempo serra venceu Dilma por pouca diferença. vale lembrar que o PT aqui no RS tem a maior bancada, assembléia legislativa, na federal não sei, mas deve ser das maiores. Essa fato de "sulistas" votar no psdb não é bem assim. Não entendo porque votam no serra, o sul não é rico do jeito que pensa, tem muita miséria no sul. Acredito que o povo dessa região é mais fácil de manipular. Acredita em qualquer conversa fiada.

Responder

    Edson

    05 de novembro de 2010 às 02h06

    Talvez, Rafael, seja o caso descrito pelo Paulo Henrique Amorim: Comem mortadela e arrotam caviar rs rs rs

Marcus Netto

04 de novembro de 2010 às 23h06

Azenha, mas até no Bolsa Familia deles , alguns conglomerados de Ricos e Poderosos dão um jeito de ganhar um extra com a desgraça deles . Esses Food Stamp somente podem ser trocados por determinadas marcas aprovadas pelo governo e em determinados estabelecimentos privados , é claro . Um verdadeiro Cartel com Reserva de Mercado . O Food Stamps não chega aos pés do Bolsa Família pois o Povo quer é dinheiro e não "Vales". Para os banqueiros muito caixa , aos pobres "Vale Compras" no barracão do patrão .

Responder

Emilio Matos

04 de novembro de 2010 às 23h00

Que perigo!!! Será que os americanos não vão mais querer trabalhar, não vai mais querer ter carteira assinada, e vão ensinar isso aos filhos?

Responder

duarte

04 de novembro de 2010 às 22h55

O problema é que estas pessoas nos EUA são discriminadas por não fazerem parte da camada "produtiva".

Responder

J_Amaro

04 de novembro de 2010 às 22h35

Os críticos do Bolsa Família nunca souberam o que é passar fome. A pessoa de bem divide o pão.

Responder

    Edson

    05 de novembro de 2010 às 02h09

    É facil criticar a pobreza. Queria ver um crítico destes ir até uma favela, a uma casa próxima de um córrego e vendo a falta de comida para as crianças chamar pai e mãe de vagabundos, bêbados, drogados e prostitutas e, principalmente, continuar a negar ajuda a crianças indefesas.

    Emilio Matos

    05 de novembro de 2010 às 20h02

    Pois a impressão que dá é que eles continuariam dizendo as mesmas bobagens, mesmo depois isso.

Johann

04 de novembro de 2010 às 22h30

Há uma diferença enorme entre dar cupom-aliementação e dar dinheiro. Sou a favor de alimentar os famintos, mas não de dar dinheiro.

Responder

    Emilio Matos

    05 de novembro de 2010 às 20h01

    Eu penso exatamente o contrário.

Luiz StingheN

04 de novembro de 2010 às 22h12

Sr. Eduardo GUSTAVSONN E OUTROS……Parem de generalizar o Sul !!!!!!!!!. No Paraná Dilma fez 44%. Mesmo os que votaram no Zé bolinha não são todos xenófobos. Não vamos cair na vala comum. Saúde ao Sul e ao Sudeste e viva o Nordeste. Dilma vai ser nossa grande presidente E VOTEI NELA COM ORGULHO E FIZ CAMPANHA COM RAÇA E DETERMINAÇÃO.

Responder

    Neimar

    05 de novembro de 2010 às 16h03

    Muito bem Luiz… muitos se esquecem, de lado a lado, que sem a minoria do Sul não haveria vitória de Dilma.

kimparanoid

04 de novembro de 2010 às 22h04

O mais irônico é que tudo isso ocorre no país que, ao lado da Inglaterra, é símbolo do liberalismo econômico. Prova de que o mercado sem rédeas não poupa ninguém.

Responder

Maria Dirce

04 de novembro de 2010 às 22h03

Completando o texto Azenha, penso que o curso de espanhol deveria ser melhor disseminado nos currículos escolares,para uma melhor integração da AL.Pelo que esta acontecendo nos Usa, a decadência vem vindo celeira, por ter feito escolhas erradas, por ex Bush que atolou os americanos nas guerras e por consequencia na falencia tb.Americano não é que nem brasileiro que adora falar mal de seu país, qdo eles falam é pq a situação esta bem pior do que imaginamos.

Responder

ZePovinho

04 de novembro de 2010 às 22h01

É por isso que eu só casei com minha patroa no civil.E o Papa ainda vem nos dizer que esses padres merecem alguma confiança!!!Cuidado,companheiros!!!!!A Igreja conspira para cornear toda a esquerda!!!KKKKKKKK!!!!

Estaria grávida do padre – 04/11/2010 às 18:43h
Marido flagra padre fazendo sexo com a mulher em igreja. Teolinda disse que José Antonio a forçava a ter relações sexuais com ele.

O padre José Antonio Boitrón Solano foi flagrado em sua cama na igreja Medalha Milagrosa, em Trujillo (Peru), com a faxineira Teolinda Amaya Altamirano, que trabalhava na paróquia. A relação sexual foi gravada e exibida na TV peruana. As imagens foram feitas pelo marido de Teolinda, que está grávida de 4 meses. O filho seria do padre.
"Fizeram uma armadilha para mim", defendeu-se o religioso ao marido traído.
"Eu reconheço que errei, fique calmo", acrescentou.
Teolinda disse que José Antonio a forçava a ter relações sexuais com ele. O padre ainda celebra missas na igreja, segundo a imprensa local.
Fonte: Com informações do O Globo
Edição: Fábio Carvalho http://www.180graus.com/politica/marido-flagra-pa

[youtube R4Gr0iUPi5w http://www.youtube.com/watch?v=R4Gr0iUPi5w youtube]

Responder

Orlando Bernardes

04 de novembro de 2010 às 21h54

E a burguesia brasileira, ignorante e preconceituosa, com o discurso de que o bolsa familia no brasil é para vagabundos.

Como só lêem O Globo e Veja, são o que são. Incapazes de enxergarem um palmo à frente do nariz e pensarem com seus próprios cérebros. São uns infelizes!

Responder

Cícero

04 de novembro de 2010 às 21h40

Sobre o tema, o problema no Brasil não está necessidade de muitos, mas na hipocrisia de poucos. O bolsa família é um dos programas sociais que deu certo. Durante sua campanha à presidência, Dilma mostrou em números o alcance e os benefícios do bolsa família; enquanto Serra, em um primeiro momento, procurou menoscabá-lo (com inveja). Foram os tucanos quem primeiro se referiu a esse programa como sendo uma esmola. Como vemos, o bolsa família não recebe críticas na maior economia do mundo, os EUA. Portanto, as críticas destrutivas ao bolsa família foram feitas, primeiramente, pelo PSDB.

Ontem, em entrevista à Folha, FHC condenou o PSDB, dizendo que vai mais endossar os tucanos porque estes, durante a campanha, esconderam seu passado, não mostraram suas conquistas Pergunto: Que conquistas? Privatizações? Que passado? Desrespeito ao idoso aposentado, chamando-os de vagabundos (com fez FHC)?

Responder

Gerson Carneiro

04 de novembro de 2010 às 21h19

Quase coincide com a quantidade de eleitores que votaram no Serra (43.711.388).
Chique, né?

Agora a chiquereza arrebentou a boca do balão.
Mais chique do que isso só festa de aniversário de cachorro de madame.

Responder

Francisco

04 de novembro de 2010 às 21h15

Ora, ora. Então na maior nação capitalista também existe o "Bolsa Esmola", antes tão criticado pelos bicudos daqui?

Responder

    fabio sp

    05 de novembro de 2010 às 01h36

    Quem batizou de Bolsa Esmola foi o Lula em 1998.

    Jairo_Beraldo

    05 de novembro de 2010 às 07h41

    Mais um paulista recalcado!

    Emilio Matos

    05 de novembro de 2010 às 20h04

    Se foi ele, fez muito bem. É o que era o valor de 15 reais vigente na época.

Geraldo R

04 de novembro de 2010 às 21h09

Complementando, sem pedir licença, o PS do Viomundo:
Dedica-se este texto à grande parte da classe média brasileira, que se estrutura histórica, psicológica e economicamente
na exclusão social, que vê agora a ruína desse pilar ameaçando seu status quo.
Por onde anda o jardineiro que trabalhava por pouco mais que comida?
E a empregada que dormia no emprego (era quase da familia…)
O lavador de carro? E por falar em carro, por que tantos nas ruas, dirigidos por pessoas tão estranhas?..
Esse PT…

Responder

Carl Brutadilewski

04 de novembro de 2010 às 21h03

Esse povo do Norte… sempre inovando XDXD Dá até inveja

Responder

    Jairo_Beraldo

    05 de novembro de 2010 às 07h42

    Gostei do trocadilho…muito bom!

ZePovinho

04 de novembro de 2010 às 20h58

Não tem "pobrema",minha gente.Esses americanos podem receber o Bolsa Família também.Somos generosos.Se Chávez manda gasolina de graça para o Bronx,porque não podemos ajudar os miseráveis dos Estados Unidos????
Isso de a elite branca de São Paulo deixar,claro,porque eles não acreditam que nos EUA tem gente morrendo de fome.

Responder

Pitagoras

04 de novembro de 2010 às 20h42

No país berço do capitalismo radical, selvagem, e maior economia do planeta, o programa de cupons de alimentos ("food coupons") americano, o "Bolsa Família" deles, dá um mínimo de dignidade de vida a milhões de excluídos pelo paraíso capitalista.

Aparenta um paradoxo que a maior economia do mundo ostente tamanha miséria e desigualdade. Mas não há paradoxo, é parte do capitalismo…

Agora, quando um presidente nordestino implanta um programa mais aperfeiçoado num país com uma economia 10 vezes menor, a midia golpista e um séquito de desinformados e preconceituosos tacha de assistencialismo, estímulo à preguiça e outras sandices….

Ah, mas o deles é "Made in USA" , vem de Miami, é coisa fina…

Responder

Marroni

04 de novembro de 2010 às 20h33

E quem está bancando esses vagabundos?
Vocês sabem? Eu sei. É a nossa classe média paulistana, chique e trabalhadora.
Ou vocês não sabiam que os EUA fazem parte do Nordeste. Melhor, que são nortistas? Logo ali, depois de Roraima.
Esses safados do norte que só sabem fazer filho para mamar nas tetas de São Paulo.
Tenho nojo dessa gentalha de olhos azuis!
(para os mais lentos, isso é uma ironia, ok?)

Responder

    TavaresdeMello

    05 de novembro de 2010 às 01h59

    Mas o fato, é que é esse povo chique no "úrtimo" é que sustenta os EUA. Os EUA de verdade. A Daslu trás muamba de onde, por exemplo? E esse povo chique no "úrtimo" não adorar a OTAN por aqui? Imaginando a cena, dá pra ver os olhinhos desse povo brilhando, brilhando assim tipo, Sandra Anemberg narrando a posse de Obama.

Miguel Baia Bargas

04 de novembro de 2010 às 20h31

Azenha,

Realmente, food stamps é bem mais bonito do que Bolsa Família. É chique no "úrtimo"!
A massa cheiroso deve estar vibrando.

Responder

joni

04 de novembro de 2010 às 20h27

Esses preconceituosos deveriam ir para os EEUU, para sentir de perto o que lá fazem com os latinos. Não adianta estar empregado, ter carteira assinada que continua sendo imigrante, e não é aceito. Aí talvez saibam como é triste ser discriminado no próprio país.

Responder

Luis

04 de novembro de 2010 às 20h26

O bolchevique Obama, esse negro impertinente que ganhou a presidência dos EUA, se for a São Paulo vai ser recebido a pedradas. Se for ao NE será recebido com bolinhas de papel. Essa turma "São Paulo, para paulista", além de tudo desconhece a história desse país. Maluf é paulista da gema. O delegado Fleury era paulista da gema. Eles se merecem.
Agora falando sério: tem um filme muito interessante que deveria ser visto pelos proto-facistas _ UM DIA SEM MEXICANOS -; poderia ser feito um outro: Um dia sem nordestinos! São Paulo para.
Advertência: não confundir a xenofobia dos proto-facistas paulistas, com todos os paulistas.

Responder

zinguinha2010

04 de novembro de 2010 às 20h09

deve ser por isso que serra ganhou entre os eleitores brasileiros que votam em nova york!!!
Lá, tudo é tão CHIRICO!

Responder

    Wagner Souza

    04 de novembro de 2010 às 23h24

    Pois e zinguinha, minha esposa foi de vermelho, blusa e bone com o numero 13 na frente e atras…voce precisava ver o olhar de nojo dos retirantes economicos brasileiros e babacas que ela levou, coisa incrivel, vivemos aqui ha 26 anos, trabalhamos como nunca nesta eleicao, fizemos o possivel e o impossivel para convencer as pessoas, mostrar o trabalho de lula, mostrar os resultados. Quando gente que pensa que e elite nos ouvia falar do lula o ressentimento vinha na cara…perdi muitos falsos amigos e ganhei alguns verdadeiros nesta eleicao, Viva a
    dilma e o Brasil! Wagner Souza

    TavaresdeMello

    05 de novembro de 2010 às 01h49

    Perder… vc não perdeu nada.
    E parabéns pelo trabalho!

Marcos de Almeida

04 de novembro de 2010 às 19h52

Em vez dos governos americanos investirem em seu povo, preferiram fazerem dezenas de guerras durante os últimos 50 anos.
Aqui no Brasil vivemos melhor do que muitos americanos.

Responder

easonnascimento

04 de novembro de 2010 às 19h39

Eles estão aprendendo por aqui? O que diz destes programas chiques, a elite paulista e dos estados do sul, com raras exceções, que tanto pregam o ódio contra os beneficiários do Bolsa família por aqui? Fico curioso para saber.
http://easonfn.wordpress.com

Responder

    Jorge Carlet

    04 de novembro de 2010 às 20h22

    Olha só: o serra praticamente dividiu os votos com a Dilma aqui no RS, ou seja, nem todos que moram aqui são reacionários. Mas sei, levamos a culpa pois ainda existe babacas separatistas por aqui. Mas são minoria.
    Ao menos o RS tem tradição de estar sempre à esquerda. Não por acaso o Fórum Social Mundial foi gestado por aqui. Agora, SC e PR é outra história. Por aquelas bandas a direita parece ter cadeira cativa. Já SP, é a locomotiva do atraso do país. Obviamente que nem todos os paulistas o são, mas a elite paulista construiu um país desequilibrado e fica horrorizada com a possibilidade de reversão disso.

    Viva o PT; viva a Dilma; viva o Brasil; viva o combate à pobreza!

    Jairo_Beraldo

    05 de novembro de 2010 às 07h44

    E convenhamos, durante o desgoverno da tucana Crusius. Bem lembrado!

    Anderson

    04 de novembro de 2010 às 22h07

    Não…eles já tinham muito antes dos militares criarem o nosso e FHC e Lula mudarem o nome:
    http://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X

    ValmontRS

    05 de novembro de 2010 às 08h21

    No papel todo mundo é pai da criança. O vale-coxinha só atendia uma pequena parte de empregados FORMAIS.
    "Análises setoriais indicam que a operacionalização de programas de nutrição, principalmente os de suplementação alimentar, apresenta uma série de distorções que comprometem sua eficácia, como: o uso político, a descontinuidade, a cobertura reduzida frente à necessidade e à dissociação da prestação de serviços de saúde (Peliano, 1988). Os coeficientes de atendimento por regiões e por faixas de renda, expressam de igual modo uma situação pouco favorável dos programas em relação ao princípio da equidade (Peliano, 1990)."
    Vc quer enganar a quem com esse papo?

Bernardo

04 de novembro de 2010 às 19h35

Pela origem nas paragens paulistas, podíamos apelidar nossos direitistas de "Coffee Party"…

Responder

    Gustavo Pamplona

    04 de novembro de 2010 às 21h45

    Já que eu sou de BH então acho que:

    "Pela origem nas estâncias mineiras, podíamos apelidar nossos direitistas de "Milk Party"…

    Café com leite, entenderam? hahahhahahahah

    Jairo_Beraldo

    05 de novembro de 2010 às 07h47

    Pelos líderes que tem em MG, acho mais apropriado Milk Shake Party.

    Mila

    05 de novembro de 2010 às 08h03

    Pode ser "Latte Party "; junta o café, o leite e Starbucks, que serve café com nomes que os irmãos do Norte acham exóticos.

    Prof. Inácio

    04 de novembro de 2010 às 21h51

    gostei do título…

    Ronaldo

    04 de novembro de 2010 às 23h36

    Bernardo, adorei a expressão "Coffee Party" ,se encaixa muito bem, tendo em vista que a elite paulista tem sua origem histórica na cafeicultura.

    Leider_Lincoln

    04 de novembro de 2010 às 23h40

    Boaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

    TavaresdeMello

    05 de novembro de 2010 às 01h44

    Beleza o "Coffee Party" e tb o ""Coffee w/ Milk Party"…
    E agora, que quem adoçava essa festa bem antes, com o açúcar da cana, está querendo receber a sua parte, o PiG e seus seguidores daí de baixo (os de baixo nível) fica todo histérico… haha

Marcos C. Campos

04 de novembro de 2010 às 19h19

Texto dedicado também aqueles que acham que no EUA está tudo bem, que só tem rico por lá, que eles podem fazer guerra em qualquer lugar, que eles podem invadir qualquer pais …

Responder

Rafael

04 de novembro de 2010 às 19h10

Neo-liberalismo. Deixa que o mercado resolve tudo. Vai matar de fome os pobres.

Responder

    Marat

    07 de novembro de 2010 às 15h13

    De fome ou pelos grupos de extermínio, que crescem no Brasil, especialmente em SP, território dominado pelos coronéis pessedebistas.

Vanda

04 de novembro de 2010 às 19h06

Vão dizer que é por influência de LULA que o gov. americano paga BF…rsrsrs

Responder

    jbmartins

    04 de novembro de 2010 às 20h10

    Calma não venha com ódio…..se foi o Lula ou não, não importa o importante é que não morre ninguém de fome.

bene

04 de novembro de 2010 às 19h05

Bem da hora esse texto, ele mostra com clareza para aqueles hipócritas mesquinhos que ficam postando na internet comentários pouco inteligentes e muito pejorativos contra os usuários do bolsa familia.

Responder

joão bravo

04 de novembro de 2010 às 19h03

"O Programa Bolsa Família foi criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde. O programa visa a inclusão social dessa faixa da população brasileira, por meio da transferência de renda e da garantia de acesso a serviços essenciais. Em todo o Brasil, mais de 11 milhões de famílias são atendidas pelo Bolsa Família."…copiei de um site da caixa,não precisa dizer mais nada.

Responder

augustinho

04 de novembro de 2010 às 19h02

Se la são 14% entao é uns bom numero.
Agora nós, que temos uma renda per cápts umas cinco vezes menor que eles, somente temos uns 22 ou 23 % no programa…isto é, coisa de um terço a mais de assistencia direta! Em outras palavras, podemos multiplicar por tres
o valor ou entao o alcance do BF para nos IGUALAR a eles… QUEM for bom de numeros calcule isso melhor e nos diga.
Pelo sim ou nao, grosso modo, voces TUCANOSDEMS gostaram da ideia??

Responder

isaias ximenes

04 de novembro de 2010 às 18h55

Isso existe em todo primeiro mundo , e ninguém lá enche o saco do governo, aqui o PIG fica todo contra .

Responder

    Cícero

    04 de novembro de 2010 às 21h15

    Bem lembrado.

Eduardo Gustavsson

04 de novembro de 2010 às 18h49

Pô Azenha! isso deve ser coisa dos "nordestinos" norte americanos KKKKKKKKKK
Afinal, como dizem os "sulistas" brasileiros, quem elegeu Dilma presidente foram o povo lá de cima.

Responder

    Rodrigo

    04 de novembro de 2010 às 22h27

    O Nordeste dos EUA é a região mais rica do país e foi de onde partiu a crise mundial: Wall-Street. Podemos dizer que os nordestinos (dos EUA) ferraram o mundo todo. Estes nordestinos não são fáceis mesmo!! Hehehe

    Arlete

    04 de novembro de 2010 às 23h42

    Gostei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs…………………………………..

navez

04 de novembro de 2010 às 18h41

Pelo que eu entendi, esse programa americano é diferente do Bolsa-família brasileiro. Aqui, é preciso manter as crianças na escola para ter acesso ao benefício. Além disso, o Bolsa-família prevê que os beneficiários do programa tenham acesso a programas complementares, aprendam uma profissão e possam com o tempo, sustentar-se com dignidade sem o auxílio do governo. No caso americano, o texto dá a entender que o programa se restringe a não deixar as pessoas passarem fome (claro que isso é importantíssimo). O Bolsa-família é um programa social bem mais avançado que o food stamps.

Responder

Antonio

04 de novembro de 2010 às 18h35

O PIG erra ao citar os EUA como referência, e os seus leitores não se apercebem disto.

Antonio
Serrinha-BA

Responder

Benjamin Malucelli

04 de novembro de 2010 às 18h27

Também chamam de "bolsa esmola" ou "bolsa vagabundo"?

Responder

    Marat

    07 de novembro de 2010 às 15h12

    Para nosso PIG, tudo o que DEEUUs pai todo-poderoso faz é certo, só que apenas dentro do território deles, que foi eleito por Deus, como uma das terras santas!

Mc_SimplesAssim

04 de novembro de 2010 às 18h26

Programas sociais assistencialistas, sejam chiques ou bregas, apenas se prestam a tentar conter a inevitável tomada do poder pela classe trabalhadora oprimida, gostem ou não os pequenos e médios burgueses deslumbrados.

A História da humanidade não se fez em 8 anos, ou 16 anos, nem se fará em apenas 4 ou 8.

A roda da História é implacável, mas gira lentamente ao longo dos séculos.

Responder

    Jair de Souza

    04 de novembro de 2010 às 21h31

    Você deveria dizer a uma família que está passando fome que eles vão continuar com fome até o dia da tomada do poder pela classe trabalhadora oprimida. A fome é o maior conscientizador, não é mesmo? É por isso que na Índia, em Bangladesh, na Nigéria, em Uganda, no Congo, no Haiti, etc., os trabalhadores ou já tomaram o poder ou estão muito mais próximos de tomá-lo. Não é verdade? O Plínio é que está certo: o Serra seria melhor porque reprimiria mais, não daria nada para o trabalhador. É isso mesmo, quanto pior, melhor. Assim deveria pensar sempre um verdadeiro revolucionário, especialmente se ele tiver a barriguinha sempre bem cheinha. Este povão faminto tem que entender isso! Bem, acho que com esse comentário poderei ser admitido no grupo dos revolucionários de verdade.

Alder OeSilva

04 de novembro de 2010 às 18h26

É meu caro , mas para muitos brasileiros que têm complexo de vira-lata, essa coisa de o governo socorrer os mais necessitados é "esmola" é bolsa vagabundagem, etc, e só acontece no Brasil.

Responder

    José Pelegrino

    04 de novembro de 2010 às 23h02

    Seria pior se os deixassem morrer de fome… Talvez seja isso que pense a elite brasileira.

Fabiano

04 de novembro de 2010 às 18h25

Viomundo: o pessoal que tem "horror" aos pogramas sociais brasileiros, na verdade não tem "horror" aos programas em si. Eles odeiam o partido e as pessoas que os levaram a cabo de forma mais contundente nos ultimso anos. Se um outro partido tivesse feito, eles achariam bacana. Vcs precisam entender que isso tudo é obra do anti-petismo exacerbado em jornais e tb na TV (onde há mais impacto). É tudo anti-petismo, anti-esquerdismo, simples assim.

Responder

    TavaresdeMello

    05 de novembro de 2010 às 01h29

    É exatamente o contário… por causa da arrogância, intolerância e ignorância que vem sendo curtida a gerações (com a colaboração mais do que interessada da velha mídia), usaram o anti-petismo e o Bolsa Família, para vomitarem todo seu recalque contra o povo nordestino.

iamoraes

04 de novembro de 2010 às 18h23

Nao estou muito informado a respeito, mas acho que toda escola dos EUA tem lunch servido a preco simbolico. O da minha filha acho que eh menos de 2 dolares por dia. (nao tou informado muito bem)

No entanto, a coisa com food stamps esta tao mal assim?!?!

Responder

Joao Aurelio

04 de novembro de 2010 às 18h22

Mesmo aqui em Portugal, existem vários programas no estilo do Bolsa Família (q por sinal estão sendo cortados, por causa da crise).
Na verdade, é preconceito da classe media brasileira a crítica q faz ao BF.
O sistema bancario no mundo tb foi salvo (receberam sua "bolsa do estado"… O q dizer disso?!?!)
Boa sorte Brasil, boa sorte dilma.

Responder

angela

04 de novembro de 2010 às 18h14

Você é ótimo Azenha…fantástico.

Responder

Ana Barros Pinto

04 de novembro de 2010 às 18h12

Muito bom, Azenha, muito bom!!! O texto e o teu P.S. !!!
By the way, sabe se há contrapartida para as famílias receberem esses cupons, tipo o que existe aqui de vincular o Bolsa Família à presença das crianças na escola

Responder

ratusnatus

04 de novembro de 2010 às 18h10

Acho ótimo isso. tem que ser divulgado.

Como o PIG não vai divulgar estas informações, caberia a tríade de blogs independentes essa função.

Existem inúmeros programas de ajuda nos países europeus. Porque não enumerá-los?

Responder

Leider_Lincoln

04 de novembro de 2010 às 18h08

Me lembro do chauvinismo ufanista do finado John Bastos, ainda no paleozóico deste sítio… Será que as propriedades dele ainda valem alguma coisa?

Responder

    El Cid

    04 de novembro de 2010 às 20h24

    bem lembrado, Leider !!

    ZePovinho

    04 de novembro de 2010 às 20h56

    Eu já ia falar nele,Leider!!!!!!Abraços do velho Milton Hayek e atual ZéPovinho!!!!KKKKKKK!!!!!!!Será que o John Bostas se mudou para os EUA????

    Gustavo Pamplona

    05 de novembro de 2010 às 00h42

    Peraí… então quer dizer que você Zé Povinho é o Hayek? Legal!!!

    Cara… uns 3 ou 4 meses atrás eu cheguei a comentar que você tinha sumido… e até tinha mencionado que gostava de seus comentários. Eu até tinha notado que um "ZéPovinho" tinha surgido por aqui,

    Sabe como é, assim como o Leider, eu sou leitor antigo deste site e sei quem é novato e quem é antigo. Se caso não lembrar de mim, lá vai aquela assinatura que fiz por aqui por cerca de 1 ano e alguns meses. E acho que você deve se lembrar do PORCO também? hahahhahaha

    —-
    Gustavo Eduardo Paim Pamlona – Belo Horizonte – MG
    Desde Jun/2007 fazendo história no "Vi o Mundo"! ;-)
    Fundador do PORCO – Partido de Oligarcas Representantes de Capitalistas Opressores (PIG)

    ZePovinho

    05 de novembro de 2010 às 11h09

    Sou eu mesmo,Pamplona.Coloquei até uma frase dizendo que eu sou o Sancho Pança do Milton Hayek pra não confundir.

    Tenório

    05 de novembro de 2010 às 06h59

    John Bastos era mal educado, mas divertido (desçam das árvores!)
    Será que ele foi pego pela bolha assassina imobiliária e tá na fila por um pratinho?
    Por falar nisso, onde estará o outro bufão dessa época, o Dvorak?

Remindo Sauim

04 de novembro de 2010 às 18h07

A moça aquela do twiter racista vai querer afogar os norte-americanos.

Responder

    José Pelegrino

    04 de novembro de 2010 às 23h06

    Mas ela estava apenas tendo uma premonição… rs…
    O governo de SP vai afogar a todos com enchentes do Rio Tietê…rs
    Teremos o nosso próprio Pantanal, digo Jardim Pantanal….
    A temporada de chuvas se aproxima…..

    Josnei

    05 de novembro de 2010 às 12h13

    José,

    Não chega a nem ser uma premonição. Afinal, bolsa afogamento deve ser um programa anti-social do governo de São Paulo faz tempo.

    Arlete

    04 de novembro de 2010 às 23h45

    Acho que depois da coisa feia que ela fez, deverá se exportar para os EUA e viver de bosa família.rsrsrsrsrsrsrsrsrs…….

ZePovinho

04 de novembro de 2010 às 18h05

Esses nordestinos americanos teriam o mesmo fim se caíssem na mão da Mayara Petruso??/

Responder

MirabeauBLeal

04 de novembro de 2010 às 18h01

.
3º TURNO

CAMPANHA PARA A REELEIÇÃO DE DILMA ROUSSEFF

VIVA O MELHOR PRESIDENTE QUE O BRASIL NUNCA TEVE !

"EU QUERO SERRA COMO LÍDER DA OPOSIÇÃO !"
.

Responder

    Cícero

    04 de novembro de 2010 às 21h46

    O zé bolinha se ferrou, nem seus próprios correligionários o querem mais. Está sendo segregado. A turma do Aécio tá querendo expulsá-lo do partido. Realmente, "bala de prata, virou bala de goma".

Carl Brutadilewski

04 de novembro de 2010 às 18h00

Muito chique, Azenha.

Responder

Fausto Loureiro

04 de novembro de 2010 às 17h52

Já sei! Vamos chamar o "bolsa-família" de "food-stamps", Daí o povo chique vai se sentir em Miami e para de incomodar!

Responder

    José A. de Souza Jr.

    05 de novembro de 2010 às 12h04

    Magnífica idéia! Aqui em minha cidade, num shopping center onde se faz de tudo para pobre nem entrar, a praça de alimentação já é chamada de "Food Court". Podem conferir, tá lá numa placa suspensa bem grande. Provincianismo arreganhado e que adora dar umas barretadas a tudo que seja ou pareça estrangeiro também é (pseudo)cultura de uma classe média endividada, que, entretanto, acredita que um dia terá uma sala de estar igual à da novela das oito.

    Yacov

    05 de novembro de 2010 às 15h34

    Cara, vc, tirou as palavras do meu post!!!! Com certeza se a DILMA der um nome inglês ou francês ao bolsa familia, todo mundo vai adorar. Principalmente as nossas "zelites importadinhas otárias". Que tal: "The Family-Bag"???? Ou, então, "Le Sacolé de la Familié"…

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na gLoBO – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding