VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Vitor Teixeira e Altamiro Borges: Marina, Caiado, Itaú, Natura…


08/10/2013 - 20h05

Marina, Caiado e os “sonháticos”

Por Altamiro Borges, em seu blog

Nem os “sonháticos” da Rede sonhavam com esta possibilidade.

O ruralista Ronaldo Caiado, líder do DEM na Câmara Federal, declarou o seu apoio entusiástico à aliança entre a verde Marina Silva e o governador Eduardo Campos.

O demo já havia embarcado na canoa do cacique do PSB em Goiás e briga para que o seu partido o apoie nacionalmente.

Pragmático, ele festejou a adesão da ex-rival ambientalista.

“Marina prega ética e transparência, o que combina com minha biografia”, afirmou ao blog da jornalista Fabiana Pulcineli, hospedado no jornal goiano O Popular.

Na maior caradura, o líder dos ruralistas – famosos pelas práticas violentas dos seus jagunços – ainda pregou que “o momento é de equilíbrio. Temos de acabar com esse maniqueísmo.

Não há motivos para queda de braço. Nós não vamos disputar com a Marina nem ela conosco… Não tenho preconceito para debate.

É momento de diálogo e de se estabelecer pontos de concórdia. Quem gosta de cizânia e de satanizar produtores rurais é o atual governo”.

Bornhausen e a “velha política”

Criador da reacionária União Democrática Ruralista (UDR), que defende os interesses do latifúndio e rechaça a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) contra o Trabalho Escravo, Caiado agora propõe “acabar com o maniqueísmo” e “estabelecer pontos de concórdia”.

Será curioso vê-lo ao lado de Marina Silva nos palanques de Eduardo Campos.

A ex-verde – que se arrogava defensora do “novo na política” e do fim das alianças espúrias e pragmáticas – também terá outras companhias inóspitas e constrangedoras na campanha presidencial de 2014.

Paulo Bornhausen, secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina e filho do “banqueiro” Jorge Bornhausen – um dos símbolos do conservadorismo no país – também comemorou a filiação de Marina Silva ao PSB.

“Em nível estadual, pouco muda com sua vinda. Já no nível nacional, uma terceira via se fortalece. Iremos trabalhar para que a disputa não fique polarizada entre PT e PSDB, como sempre esteve nos últimos anos. A ideia é apresentar uma alternativa, uma via que se diferencie dessa velha política que os dois partidos estão fazendo”.

“Constrangidos” e “desolados”

Diante destas curiosas parcerias não é de se estranhar que muitos “sonháticos” da Rede, que não conseguiu a sua legalização, estejam acuados.

Segundo a Folha desta terça-feira, eles “reagiram mal à notícia de que Marina Silva se filiaria ao PSB.

Em mensagens trocadas no final de semana, antes da entrevista coletiva que a ex-senadora deu ao lado do governador Eduardo Campos (PE), integrantes do grupo que coordena a Rede em São Paulo se disseram ‘constrangidos’ e ‘desolados’ com a filiação”.

“Coordenadores chegaram a chamar a migração de ‘volta à velha política’ e disseram que o fato de terem começado a discussão sobre um futuro sem a Rede era por si só uma situação ‘vexatória’. Outros defenderam a ‘purificação’ da sigla. Mesmo os que apoiaram a aliança nacional entre os dois partidos disseram ver obstáculos ao acordo em São Paulo”.

Marina Silva, que passou mal na segunda-feira e foi levada a um pronto-socorro de Brasília, ainda não conseguiu convencer os seus fieis seguidores.

Sonháticos e pragmáticos

Ainda é cedo para saber quais os efeitos da exótica aliança. Eduardo Campos festeja a adesão e Marina Silva garante que a aliança criará uma terceira via capaz de enfrentar o “chavismo petista”. Mas até colunistas da mídia famosos por sua militância oposicionista estão perplexos.

Eliane Cantanhêde, a da “massa cheirosa”, questiona se dará certo o casamento entre “os sonháticos e os pragmáticos”.

Para a “calunista” da Folha, “do ponto de vista dos votos, ou da aritmética, pode haver uma soma zero, pois o resultado não parece aumentar a hipótese de segundo turno”.

“O desafio de Campos e Marina, a partir do anúncio de sábado, é somar suas forças, não subtrair uma da outra. É unir o sonho da Rede (que não está morta…) ao pragmatismo e à bandeira da eficiência dos apoiadores de Campos. Ou os votos dos sonháticos urbanos, indigenistas e ambientalistas aos de pragmáticos como Jorge Bornhausen, criador do PFL e do DEM, e Ronaldo Caiado, líder ruralista. A força de Marina tem de atrair o seu eleitor para o desenvolvimentismo de Campos. E Campos tem de convencer o seu de que sustentabilidade não é atraso”, conclui a tucaninha.

A flexibilidade circense na política

Já o jornalista Jânio de Freitas, com posições mais independentes, duvida do sucesso da empreitada.

“Tudo indica que Marina Silva e Eduardo Campos voltaram os olhos para o futuro e viram apenas um momento do presente. Em um só lance, os dois plantaram fartos problemas para a sua adaptação mútua, em meio a igual dificuldade de seus grupos. Políticos costumam ter flexibilidade circense, mas não é o caso, por certo. Bem ao contrário”.

Para ele, a tendência é que aflorem fortes tensões na surpreendente aliança logo que saírem as primeiras pesquisas eleitorais.

“Os seguidores de Marina nem esperam por próximas pesquisas, já entregues à campanha pela cabeça da chapa. As simpatias dos dois grupos vão mostrar o que são, de fato, quando se derem as verdadeiras discussões sobre liderança, temas de campanha, respostas às cobranças do eleitorado, a batalha. A história das eleições, mesmo a recente, já legou exemplos suficientes de que acordos, garantias, alianças e comunhões são passíveis de também desmanchar-se no ar. É só bater um ventinho mais conveniente para um dos lados”.

A conferir!

Leia também:

Black Block: A origem da tática que causa polêmica na esquerda





58 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Berzé relê Darwin - Viomundo - O que você não vê na mídia

11 de outubro de 2013 às 06h10

[…] No mesmo barco, Itaú, Natura, Marina e os socialistas […]

Responder

Urbano

10 de outubro de 2013 às 19h33

A única coisa que dá para se deduzir é que se trata de um tremendo paiol, detentor das armas mais mortíferas, para devastar o Brasil e adjacências; deixando só terra rachada e poeira.

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2013 às 19h02

.
.
“Eles [Mariardo & Edurina] não têm proposta para o Brasil.
São dois zeros.
O Brasil precisa de reflexão. Propostas.
O debate que está aí é alienado.
Exceto a Dilma (Rousseff – PT), quais dos pré-candidatos têm propostas?
O que a Marina entende de economia?
O Brasil tem jeito e para cada desafio tem quatro soluções,
mas os candidatos não têm essas soluções. Não têm plano.”

(Ciro Gomes, ao Estadão)

(http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/116935/Revoltado-Ciro-Gomes-dispara-dois-zeros.htm)
.
.

Responder

Amarula

10 de outubro de 2013 às 18h54

AINDA SOBRE O MAIS MÉDICO, FILIAÇÃO DA Dra. MAYRA NO PSDB DO TASSO

Fonte: Tijolaço: http://tijolaco.com.br/index.php/finalmente-a-dra-mayra-vai-dar-atencao-aos-pobres-de-fortaleza/

Finalmente a Dra. Mayra vai dar atenção aos pobres de Fortaleza.
4 de outubro de 2013 | 09:09

Tasso Jereissati, ontem, presidiu a filiação de dois médicos cearenses ao PSDB, um deles a Dra. Mayra Pinheiro, uma das que vaiou e tentou humilhar seus colegas cubanos aos gritos de “escravo”. Boa sorte à Dra. Mayra. É assim que se faz política, filiado aos partidos e disputando eleições. Não vaiando e tentando humilhar pessoas, ainda mais gente que não podia reagir. Que a senhora possa fazer, como candidata, aquilo que não quer fazer como médica: ir à periferia, às favelas de Fortaleza, que são mais de 500. E que ali aperte a mão das pessoas pobres, pergunte como elas vão, ouça o que precisam para serem assistidas. Ouça elas dizerem que não têm um médico no posto de saúde quando um de seus filhos passa mal, como esperam horas, dias, meses, para que alguém de branco se digne a ouvir ou ver o que lhes aflige. Quem sabe a senhora explique a eles que é preciso alta especialização para ver as perebas que tomam conta da perna do menino, ou a tosse comprida que angustia a senhora idosa? Talvez aí a senhora compreenda que eles precisam de um médico, de um médico como a senhora e outros não querem ser, porque aquelas pessoas não são bem…clientes, são apenas seres humanos. Pobres, miseráveis, escravos do isolamento e da desatenção das elites. Pode ser uma grande experiência, Dra. Mayra. Quem sabe assim a senhora possa ser gentil e atenciosa com um pobre, um negro, um desvalido. Quem sabe até, finalmente, vá lhe dar um sorriso, trocar algumas palavras. Quem sabe chegue mesmo a tocar nele. E sem luvas, imagine!
Por: Fernando Brito

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2013 às 18h22

.
.
REDE SUSTENTABILIDADE DIZ QUE GLOBO MENTIU DUAS VEZES EM UMA MATÉRIA SÓ

Nota de esclarecimento

By Rede Sustentabilidade, 9 de outubro de 2013

A matéria “Marina diz que quer acabar com a hegemonia e o chavismo do PT na Presidência da República” publicada em O Globo Online, no dia 05, me causou muita indignação.

Primeiro porque mente sobre minha opinião:
ao contrário do que afirma o jornal em sua versão online, eu não discordei da posição de fazermos uma coligação com o PSB, mas fui a favor desde o início e ajudei a viabilizar essa proposta.

Segundo, porque distorce a fala da Marina, criando uma ideia para a opinião pública que estamos fazendo isso por vingança ao PT.

Pedro Ivo
Como Coordenador de Organização da Rede Sustentabilidade

(http://redesustentabilidade.org.br/nota-de-esclarecimento)

Responder

Carlos de Sá

10 de outubro de 2013 às 18h21

É, o desespero na tucanada bateu feio mesmo, inclusive em seus mais recentes filhotes, travestidos de socialistas (PSB): Dudu e Bláblárina (como diz certo jornalista). Desespero mesmoooo!!!!!!!!!!!
Bornhausen, Heráclito, Caiado e cia são boas companhias para Dudu e Bláblárina difundirem suas idéias de nova política.
Parece que os trolls tucanos não entenderam a moral do texto que está explicita : A CONTRADIÇÃO DO GRUPO DO DUDU COM A BLÁBLÁRINA!!!!
Acoooooordaaaaaaaaaa!!!!!!!
Quem tem que esplicar agora são DUDU e Bláblárina.
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2013 às 17h58

    .
    .
    PSB está na contramão da cartilha de Marina Silva

    De 30 deputados socialistas, 27 ajudaram a aprovar na Câmara

    o texto do Código Florestal que foi execrado pela ex-senadora

    sob a alegação de que iria provocar mais desmatamento.

    (DIÁRIO DE PERNAMBUCO)
    .
    .

FrancoAtirador

10 de outubro de 2013 às 17h14

.
.
A [IN]COERÊNCIA DA MARGARINA OU A GORDURA VEGETAL HIDROGENADA

Publicado: 4/10/13 – 6h04 Atualizado: 4/10/13 – 8h56

Um dos únicos momentos em que foi possível, de fora do prédio, ouvir a posição de Marina deu-se por volta das 2h15.

Ao retomar a palavra e novamente agradecer a participação de todos os presentes, a ex-senadora defendeu a necessidade de adoção de uma posição de coerência.

– Queremos uma construção que coloque em primeiro lugar a coerência – afirmou.

Ao deixar o prédio, horas depois, ela confirmou ser esse o cerne da decisão que tomará:

– Isso é o que vocês mais ouvem eu falar, é quase um mantra.
Vocês acham que eu ia ter uma crise de incoerência?

(O GLOBO)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2013 às 17h22

    .
    .
    28/07/2005 – 10h29

    Entenda, de A a Z, por que a gordura transversa é a pior de todas

    FLÁVIA MANTOVANI, da Folha de S. Paulo,
    IARA BIDERMAN, Colaboração para a Folha de S. Paulo

    O nome é esquisito e seus efeitos no organismo ainda estão sendo estudados.
    Mas já se sabe que há, em vários alimentos, mais um tipo de “gordura do mal”, o ácido graxo transverso, mais comumente chamado de gordura trans.

    (…)

    Margarina
    Por ser produzida a partir de óleos vegetais, ricos em ácidos graxos insaturados, já foram consideradas uma melhor opção às gorduras de origem animal (como a manteiga), fontes de ácidos graxos saturados, que produzem o mau colesterol.

    “Mas hoje, sabemos que o óleo vegetal, ao ser hidrogenado para criar a consistência da margarina, transforma a gordura vegetal em gordura ruim, a trans”, diz o endocrinologista Antonio Carlos Lerário.

    O processo de hidrogenação é a forma mais barata de produzir cremes vegetais (pastosos) a partir dos óleos (líquidos), por isso é o mais utilizado pela indústria.

    Íntegra em:

    (http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u3981.shtml)
    .
    .

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2013 às 17h32

    .
    .
    PSB está na contramão da cartilha de Marina Silva

    De 30 deputados socialistas, 27 ajudaram a aprovar na Câmara
    o texto do Código Florestal que foi execrado pela ex-senadora
    sob a alegação de que iria provocar mais desmatamento

    Estado de Minas [Aébrio Nébulus], via Diário de Pernambuco

    Se a Rede Sustentabilidade tivesse seu registro aceito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a maioria dos deputados federais do PSB, agora companheiros de legenda da ex-senadora Marina Silva (AC), teriam dificuldades para se filiar ao partido.

    É que as regras editadas pela Rede, quando o partido ainda tinha esperança de se viabilizar eleitoralmente, restringem a filiação de parlamentares que tenham sido favoráveis ao relatório do Código Florestal…

    Editada no fim de outubro, a resolução [da Rede Sustentabilidade] diz que “será analisada a postura de agentes públicos em relação ao PL 4.470/12 e do Relatório Aldo Rebelo do Código Florestal.
    No caso de deputados federais e senadores, será considerada particularmente a postura adotada na tramitação e votação das referidas matérias”.

    Dos 30 deputados da bancada do PSB presentes na votação em maio de 2011 do texto final do novo Código Florestal – considerado pelos ambientalistas, principalmente por Marina Silva, um retrocesso na área ambiental –, 27 foram a favor do projeto.
    Na época, só não votaram a favor os deputados federais Audifax (PSB-ES) , Glauber Braga (PSB-RJ) e Luiza Erundina (PSB-SP).
    .
    .

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2013 às 18h38

    .
    .
    A página de internet onde constava a Resolução

    da Rede Sustentabilidade, de Marina Silva,

    que tratava da proibição de filiação de políticos

    que votaram a favor do Código Florestal,

    parece que foi excluída do sítio marinista,

    depois da ida da ex-senadora do estado do Acre

    para o Partido Socialista Brasileiro (PSB),

    mas ainda é possível lê-la, via cachê do Google:

    (http://bit.ly/1adrbJE).
    .
    .

Mario

10 de outubro de 2013 às 10h35

Marina já mudou. Agora ela quer ser a cabeça de chapa. Como fica o Dudu diante disso tudo? E o PSB, o partido para o qual Marina abriu mão de sua candidatura? Que Zorra!

Responder

souza santos

10 de outubro de 2013 às 07h50

Caiado foi “convidado ” a cair fora .
E agora , hein ???

Responder

QueDelícia!

09 de outubro de 2013 às 19h36

Eu quero ver o Ciro Gomes comentando a Marina ao vivo.

E quero ver uma entrevista da Marina ao Mitre.

Responder

    souza santos

    10 de outubro de 2013 às 09h50

    Espero que não seja um ” monstro ” parecido com o agrupamento que Lula e Dilma fizeram e que acabou deixando a dilma “refém” ( refém entre aspas mesmo ) de um congresso nacional malandro

    souza santos

    10 de outubro de 2013 às 09h52

    opsss

    Lugar errado.

    Desculpe

marcosomag

09 de outubro de 2013 às 19h28

Marina Silva, a UDR, Borhausen… Nuuusa, que Frankenstein poderá sair disso?

Responder

    souza santos

    10 de outubro de 2013 às 09h51

    Espero que não seja um ” monstro ” parecido com o agrupamento que Lula e Dilma fizeram e que acabou deixando a dilma “refém” ( refém entre aspas mesmo ) de um congresso nacional malandro

Diego

09 de outubro de 2013 às 12h37

Celso Daniel 2014!! Petistas a casa caiu!!

Responder

    Luiz (o outro)

    10 de outubro de 2013 às 10h21

    Não fique nervosa…

Diego

09 de outubro de 2013 às 12h29

OS Petistas são engraçados só sabem criticar, mas não aceitam críticas. Que moral o PT tem? Aliou-se com PMDB- reduto de coróneis- Sarney, Renan. Além disso financiou a piramide de PONZI que “enriqueceu” o EIKE. Fez do BNDS um prstibulo financeiro. E para acabar a Dilma está arrebentado com o setor elétrico.. quero ver ela conseguir cumprir a redução de 20% na conta. Fora PT

Responder

Preto Velho

09 de outubro de 2013 às 11h41

“Marina prega ética e transparência, o que combina com minha biografia”,

Covardia, li esta frase e tive de parar de ler o texto. Somente um bufão se prerroga de qualidades num ambiente onde todos são vistos como ladrões.

Este Ronaldo Caiado é parte do câncer que assola este país.

Responder

Eduardo

09 de outubro de 2013 às 11h12

O propósito para 2014 é único. Chaves morreu.Já que Lula se curou do câncer, a solução é enterrá- lo vivo! O conluio temporário dos derrotados, invejoso e loucos será inédito. “Todos contra um !” À DILMA e LULA restarão o povo, os pobres e os que aceitam o povo e os pobres como dignos. Essa coligação é muito forte.Só a mentira é capaz e será a estratégia dos sujos.

Responder

ZePovinho

09 de outubro de 2013 às 10h53

Tudo leva a crer,mizifio Azenha,que a lei marcial será aplicada nos EUA depois do dia 17/10/2013:
A lei marcial e a economia
Estará o Departamento de Segurança Interna a preparar-se para o colapso próximo da Wall Street?
por Ellen Brown

As informações são de que o Department of Homeland Security (DHS) está empenhado numa escalada militar encoberta e maciça. Um artigo da Associated Press , em Fevereiro, confirmou uma compra pública pelo DHS de 1,6 bilhões de munições. Segundo um artigo de opinião na Forbes , isso é suficiente para aguentar uma guerra com a dimensão da do Iraque por mais de vinte anos. O DHS também adquiriu tanques fortemente blindados, os quais têm sido vistos a perambular pelas ruas. Evidentemente alguém no governo está à espera de algumas graves perturbações civis. A questão é, por que?

A aproximação da crise do tecto da dívida

A crise seguinte na agenda parece ser a data final de 17 de Outubro para acordar um orçamento federal ou correr o risco de incumprimento(http://business.time.com/2013/09/30/could-the-u-s-default-an-impossible-thought-rattles-the-market/) de empréstimos governamentais. Pode ser apenas coincidência, mas dois ensaios [de ataque] em grande escala estão programados para o mesmo dia, o “Great ShakeOut Earthquake Drill”(http://www.idahostatejournal.com/members/great-shakeout-earthquake-drill-set-oct/article_2198a598-259e-11e3-9f5a-001a4bcf887a.html) e o “Quantum Dawn 2 Cyber Attack Bank Drill”(http://www.bloomberg.com/video/-quantum-dawn-2-is-a-cyber-attack-bank-drill-~FFjng~nR9ir5OoFnRPLNw.html) . Segundo uma notícia da Bloomberg sobre o ensaio bancário, os ensaios são preparados por hackers, espionagem com patrocínio estatal e crime organizado (fraude financeira). Uma entrevista declarou: “Você pode experimentar que o seu banco online está fora de serviço … Você pode experimentar não poder conectar-se (log in) “. Isto soa como um ensaio geral para o Grande Salvamento Interno Americano (Great American Bail-in).
http://resistir.info/eua/brown_07out13.html

Uma experiente advogada vazou informações preciosas sobe o ppano da ditadura corporativa em afundar a democracia de vez:

http://www.globalresearch.ca/world-bank-whistleblower-reveals-how-the-global-elite-rule-the-world/5353130

Karen Hudes is a graduate of Yale Law School and she worked in the legal department of the World Bank for more than 20 years. In fact, when she was fired for blowing the whistle on corruption inside the World Bank, she held the position of Senior Counsel.

She was in a unique position to see exactly how the global elite rule the world, and the information that she is now revealing to the public is absolutely stunning. According to Hudes, the elite use a very tight core of financial institutions and mega-corporations to dominate the planet.
….Most people have never even heard of the Bank for International Settlements, but it is an extremely important organization. In a previous article, I described how this “central bank of the world” is literally immune to the laws of all national governments…

An immensely powerful international organization that most people have never even heard of secretly controls the money supply of the entire globe. It is called the Bank for International Settlements, and it is the central bank of central banks. It is located in Basel, Switzerland, but it also has branches in Hong Kong and Mexico City. It is essentially an unelected, unaccountable central bank of the world that has complete immunity from taxation and from national laws. Even Wikipedia admits that “it is not accountable to any single national government.“ The Bank for International Settlements was used to launder money for the Nazis during World War II, but these days the main purpose of the BIS is to guide and direct the centrally-planned global financial system. Today, 58 global central banks belong to the BIS, and it has far more power over how the U.S. economy (or any other economy for that matter) will perform over the course of the next year than any politician does. Every two months, the central bankers of the world gather in Basel for another “Global Economy Meeting”. During those meetings, decisions are made which affect every man, woman and child on the planet, and yet none of us have any say in what goes on. The Bank for International Settlements is an organization that was founded by the global elite and it operates for the benefit of the global elite, and it is intended to be one of the key cornerstones of the emerging one world economic system.

O que ele fala está matematicamente provado nesse trabalho,onde se mostra que 147 companhias controlam 40% do PIB do mundo:
http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0025995#s3

Curioso é que Carrol Quigley,que foi professor de Bill Clinton,avisou sobre isso em 1966:
“…This system did not come into being by accident. In fact, the global elite have been developing this system for a very long time. In a previous article entitled “Who Runs The World? Solid Proof That A Core Group Of Wealthy Elitists Is Pulling The Strings“, I included a quote from Georgetown University history professor Carroll Quigley from a book that he authored all the way back in 1966 in which he discussed the big plans that the elite had for the Bank for International Settlements…

[T]he powers of financial capitalism had another far-reaching aim, nothing less than to create a world system of financial control in private hands able to dominate the political system of each country and the economy of the world as a whole. This system was to be controlled in a feudalist fashion by the central banks of the world acting in concert, by secret agreements arrived at in frequent private meetings and conferences. The apex of the system was to be the Bank for International Settlements in Basle, Switzerland, a private bank owned and controlled by the world’s central banks which were themselves private corporations.

– See more at: http://www.globalresearch.ca/world-bank-whistleblower-reveals-how-the-global-elite-rule-the-world/5353130#sthash.j9PdOQCx.dpuf

No vídeo “Os donos do dinheiro”,que postei aqui há alguns anos,está tudo bem detalhado:http://youtu.be/ZWw5FpttYxg

Responder

    renato

    09 de outubro de 2013 às 11h17

    Não se preocupe, eles tem o SUPER MAN e o HULK.
    Dá nada!
    A compra das munições é para repor estoques, eles
    na realidade já mataram muitos com o que gastaram.
    Só espero que não respingue sangue americano aqui
    no Brasil…
    Como diziam para nós aqui, antigamente, o povo tem
    o governo que merece.
    E para mim, a estoria de Snowden e o soldado gay,
    e o Wikiliks, são novidades que só daqui a cinquenta
    anos vamos descobrir, mas não confio nem um pouco…
    Parece-me que Dilma já deu uma pincelada neste assunto.

Mardones

09 de outubro de 2013 às 10h01

Marina e Eduardo são a cara da geração Lulista.

Responder

    Mário SF Alves

    09 de outubro de 2013 às 18h20

    Como assim “a cara da geração lulista”? Geração lulista?!!

    __________________________________
    Vamos começar pela Marina. Salvo seríssimo engano, quem a gerou [e engendrou] foi a mídia fora-da-lei ao inflá-la eleitoralmente para usá-la em 2010 na estratégia [até que relativamente bem sucedida] de fracionamento eleitoral da presidenta Dilma. Já quanto ao outro personagem… não sei não… pra mim fica a dúvida: será que o PSB existiria eleitoralmente sem o PT?

Julio Silveira

09 de outubro de 2013 às 09h47

Dou a mão a palmatória a alguns elementos que aqui comparecem para defender outros políticos, de outras vertentes, indefensáveis. Mas, com todo respeito ao Altamiro pelo esforço em marcar posição politica neste inicio de disputa, acho que essa critica acima é completamente desprovida de bom senso pela hipocrisia nela contida. Já que os de sua preferencia pouco se diferem neste assunto. Acho que o caminho não devia ser por aí, até para não cair no ridículo.

Responder

    J Fernando

    10 de outubro de 2013 às 11h36

    Mas, os que você diz “de preferência” do articulista não condenaram ests alianças. Marina condenou a todos os demais partidos políticos, disse em alto em bom som que não via diferenças entre PSB, PSDB e PT, por isso criaria a Rede. No fim, não foi APOIAR o PSB, ela FILIOU-SE ao partido, visando participar das eleições presidenciais de 2014.

    Não está entendendo a diferença? Ou, como diversos apoiadores de Marina, não quer entender?

    Maluf, Collor, Sarney, APOIAM o governo federal, infelizmente, em nome da governabilidade e é assim mesmo, são caciques de seus partidos. Mas, nenhum deles FILIOU-SE ao PT.

Paulo César

09 de outubro de 2013 às 08h46

as mosca apemas mudam de lugar …. mas a m. continuaa mesma.

Responder

Sagarana

08 de outubro de 2013 às 23h05

Sarney, Collor, Jader, Jucá, Renan…

Responder

    Alemao

    09 de outubro de 2013 às 04h57

    Eles são desprovidos de espelho…

    Ulisses

    09 de outubro de 2013 às 07h27

    Eles são do PT? Não! O partido deles apoia o programa do PT. Mas não dá pitacos no PT. Já Bornhausen é do PSB.Então, não só dá pitacos como manda no PSB! Sutilidade você não compreende o germânico?

    JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

    09 de outubro de 2013 às 05h39

    Mas, não somos metidos a puritanos !!!!

    ZePovinho

    09 de outubro de 2013 às 08h10

    Peraí,Chuparana!!!Esse discursinho veio da Marina,que saiu do PT dizendo que não precisava nem conversar com quem o povo elege.

    Rodrigo Leme

    09 de outubro de 2013 às 08h18

    Não podemos esquecer – já que falamos também de ruralistas – da companheira Katia Abreu:

    http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=dilma-fez-mais-em-2-anos-do-que-lula-em-8-diz-katia-abreu-430-0402CD1A336AC0B94326&mediaId=14705347

    E já que falamos do capital de mãos dadas com a política, não podemos deixar de notar que um dos maiores empresários do agronegócio será vice de Padilha para o governo de SP:

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,lula-indica-usineiro-para-vice-de-padilha-na-disputa-paulista,1082131,0.htm

    Pimenta nos olhos dos outros…

    renato

    09 de outubro de 2013 às 11h21

    É mas ninguem falou de Walt Disney, que deve estar revoltado com a figura.
    Apesar de que são personagens que só véio lembra.
    A gurizada já nem sabe quem são esta figuras…
    PS: Eu lembro…ainda.

    QueDelícia!

    09 de outubro de 2013 às 19h30

    Acho bem coerente os militantes petês pois estes se sabem capitalistas, lulistas, dilmistas e impuros e humanos. Aceitam as regras do capital e coerentemente votaram em Lula após a chantagem do jantar. A carta a Todos os brasileiros.

    Incoerentes são os da direita que querem nos fazer acreditar que os dois lados são sinceros: A Febraban e Marina. Um dos dois está enrolando. Oras!!!!

    QueDelícia!

    09 de outubro de 2013 às 19h33

    E achei bom que Marina seguiu sua vida além do TSE.

    Isso é democracia.

    J Fernando

    10 de outubro de 2013 às 11h37

    APOIO ao governo.
    Nenhum deles FILIOU-SE ao PT.
    Marina, sem a Rede, fez o que mesmo?

FrancoAtirador

08 de outubro de 2013 às 22h49

.
.
PSDB COMEÇOU A TREMER NA CÚPULA

8/10/2013 às 13h37 (Atualizado em 8/10/2013 às 13h41)

PSDB reavalia palanque duplo com PSB em SP e MG

Líder do partido na Câmara demonstra preocupação após Marina migrar para sigla de Campos

Agência Estado, via R7

Pego de surpresa pela aliança entre Marina Silva e Eduardo Campos, o PSDB já pensa em reavaliar a possibilidade de ceder palanques para a chapa do PSB em São Paulo e Minas Gerais, como vinha sendo articulado entre o governador de Pernambuco e o senador Aécio Neves (MG), provável candidato ao Planalto.

Por sua vez, o PSB paulista quer uma sinalização mais clara de que terá a vice na chapa do governador Geraldo Alckmin (PSDB), abrindo o palanque no Estado para o pernambucano, ou ameaça apoiar outras siglas ou ter candidato próprio.

O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), levantou o alerta sobre a costura entre os partidos de Aécio e Campos.

— Temos de avaliar essa questão muito bem. Somos governo nos dois Estados, os dois maiores colégios eleitorais do País. Ceder o palanque representa ganho de 100% para eles [PSB e Rede] e zero para nós.

A declaração de Sampaio mostra a preocupação do PSDB com a força que a aliança entre Campos e Marina pode ganhar daqui para a frente.

Pouco conhecido do eleitor brasileiro, o governador de Pernambuco pode aparecer como o novo na próxima campanha, principalmente com a ex-ministra a seu lado dizendo que dele recebeu abrigo quando não pôde criar a Rede Sustentabilidade.

Além disso, o fortalecimento da chapa coloca o PSB como potencial adversário do PSDB na atração por aliados e, consequentemente, tempo de TV. Os tucanos negociam aliança nacional com PPS, Solidariedade e DEM.

Sampaio avaliou que “isso nos torna muito fortes, enquanto a ida de Marina para o PSB não acrescenta nada em termos de tempo na TV”.

O PSB sabe disso e também conversa com o PPS, além de PSD, PDT, PP e DEM. Alguns líderes do antigo PFL, como o ex-senador Heráclito Fortes (PI) e o grupo do ex-senador Jorge Bornhausen (SC), migraram para o PSB e o líder do partido na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), é favorável à aliança.

Palanque

Em São Paulo, o PSB disputa com outras siglas, como PTB e DEM, a composição da chapa de Alckmin, mas agora a prioridade é garantir palanque para Campos no maior colégio eleitoral do País.

Se o tucano resistir a ceder a vice e fechar o espaço para o governador de Pernambuco, o partido avalia apoiar candidaturas adversárias da campanha à reeleição, como a do peemedebista Paulo Skaf (que disputou o Palácio dos Bandeirantes em 2010 pelo PSB) ou a do ex-prefeito Gilberto Kassab, do PSD.

Não está descartada a hipótese de uma candidatura própria. As opções são os deputados Márcio França, presidente da legenda no Estado; Walter Feldman, ex-tucano que migrou para a sigla acompanhando Marina; ou Luiza Erundina, primeira prefeita do PT na capital.

O deputado Duarte Nogueira, presidente do PSDB paulista, minimiza os riscos do cenário.

— A relação do Campos com Alckmin sempre foi boa. Em 2012 eles montaram palanques em Campinas e São José do Rio Preto.

(http://noticias.r7.com/eleicoes-2014/psdb-reavalia-palanque-duplo-com-psb-em-sp-e-mg-08102013)
.
.

Responder

AlvaroTadeu

08 de outubro de 2013 às 22h47

O telefone tocou. Do outro lado da linha, perguntaram se eu tinha visto a aliança entre Marina e Eduardo Campos. É sério, perguntei. Era. A voz continuou: “-Campos saiu da reunião com cara de cachorro que caiu do caminhão de mudanças. Você acha que a Marina vai ser vice dele? Respondi: “-Mas ela teve 20 milhões de votos em 2010, o Campos tem uns 3%! Como pode? É a mesma coisa de eu ser o dono da bola e dizer pro Pelé: ‘-Pelé, você fica na minha reserva…’ ” As gargalhadas do outro lado foram tantas que a conversa teve de ser encerrada…

Responder

Fabio Passos

08 de outubro de 2013 às 22h15

A união Campos-Marina ganha força para superar aécio como grande adversário do PT em 2014.

Campos-Marina não precisam carregar o cadáver político de fhc… mas conseguem abocanhar muitos votos da pocilga: A classe média racista e preconceituosa adestrada pelo PiG.

Responder

    Sérgio D.

    09 de outubro de 2013 às 10h15

    Certamente.
    Eu teria curiosidade de saber se vai ter mais inocentes úteis ou conservadores no eleitorado da dupla.

    lukas

    09 de outubro de 2013 às 20h18

    Prevejo ambos com a Dilma.

Rui

08 de outubro de 2013 às 21h42

Tá ficando divertido

Responder

    Sérgio D.

    09 de outubro de 2013 às 10h12

    Hahahaha! Verdade!

maria de sobral

08 de outubro de 2013 às 21h40

Bem nao começou e a alergia já atacou. Marina tem alergia a ser mandada. E de repente, nao mais que de repente, foi mandada duas vezes: uma, pra dudu, pra vice,e a outra pra engolir sem cuspe, bohausen, caiado, heraclito e cia. O sistema imunologico dela era nutrido pelos sonhaticos desejos de se ver na presidencia levada pela sua rede mal tecida que nao aguentou nem o primeiro balanço. Agora vai ter que arranjar um antialergico na velha politica com velhos politicos mofados,penso que vai piorar e muito.

Responder

lukas

08 de outubro de 2013 às 20h50

Ai, meu Deus! Escondam o Sarney, o Collor, o Maluf, Renan Calheiros, por favor…

Responder

    Bonifa

    09 de outubro de 2013 às 04h58

    Uma coisa são alianças entre partidos diferentes. Outra coisa é dividir com pessoas diferentes a mesa de reuniões do mesmo partido.

    LEANDRO

    09 de outubro de 2013 às 08h55

    Ahahah…..realmente os petistas não tem espelho. Aliança podre só a dos adversários, igual a privatização, boa é a nossa.

    FrancoAtirador

    09 de outubro de 2013 às 10h33

    .
    .
    Deixa quieto, Bonifa.

    A Rede Marinista

    de Trolls Tucanalhas

    está bastante ativa.

    “Só a Margarina Salva

    os silva da extinção”
    .
    .

    Sagarana

    09 de outubro de 2013 às 08h01

    Desculpe-me Lukas, não havia visto o seu comentário.

    Sérgio D.

    09 de outubro de 2013 às 10h23

    O problema, amigo, é que essa tal “nova política” e a aversão aos “acordos espúrios” eram a única coisa que a Marina Silva tinha a oferecer. E agora ela se contradiz, fazendo exatamente o que criticava nos outros. Então o que ela tem realmente de novo pra mostrar?

    Quanto aos acordos espúrios efetivamente praticados pelo governo com os canalhas que você citou — tem razão, são uns canalhas! –, a política da vida real infelizmente é assim, e os políticos sérios acabam tendo que fazer esses acordos. Se o governo não fizesse, no mínimo não teria apoio suficiente pra fazer nada funcionar no Brasil, e mais provavelmente nem sequer ganharia as eleições — e deixaria o poder nas mãos de quem não tem o menor compromisso com o povo brasileiro. Porém o PT não sai por aí se dizendo “puro” dessa maneira hipócrita como a Marina saiu.

    Se você não percebe a diferença da situação do PT e a de Marina Silva com o que eu já expliquei ali em cima, não vale a pena me estender mais. Mas se Marina-Campos ganharem as eleições (seu voto é deles, certo?), eu mesmo torço pra que eu esteja errado.

    Preto Velho

    09 de outubro de 2013 às 11h48

    É uma questão de auto-proclamação.

    Lula sempre foi um político de conchavos. Isso é sabido.

    Agora, Marina, que se punha como a “terceira via”, acaba se aproximando da “segunda via”.

    E, um erro não justifica o outro. Falamos de aliados em partidos diferentes, e o partideco onde está o maior número de parlamentares que sofrem processos na Justiça, o PSDB (Partido dos Safados Depredadores do Brasil)?

    J Fernando

    10 de outubro de 2013 às 11h44

    Estes caras são filiados ao PT?
    APOIO é uma coisa, FILIAÇÃO é outra, bem diferente.
    E a Marina, da Rede, fez o que mesmo?????

    FrancoAtirador

    10 de outubro de 2013 às 17h51

    .
    .
    Chutando para todos os lados

    Por Luciano Martins Costa, na edição 767 do Observatório da Imprensa

    A terça-feira (08/10) registra as escaramuças entre os neurônios da imprensa para desvendar o significado da aliança política entre a ex-senadora e ex-ministra Marina Silva e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

    A fundadora da frustrada Rede Sustentabilidade encontra no Partido Socialista Brasileiro uma sigla com nome tradicional para amarrar seu projeto político que se pretende inovador.

    Não são poucos os jornalistas que se referem a um acordo entre “sonháticos” e “pragmáticos”, decretando de uma vez só que socialistas não sonham e que os “sustentabilistas” não têm relação com a realidade prática.

    Nessa conta de padeiro, um precisa do outro para, juntos, comporem uma força política respeitável.

    O problema das análises é que elas precisam de dados concretos onde fixar as teorias, e o terreno da política partidária é um verdadeiro pantanal.

    Assim, tudo que se declara hoje pode ser desmentido no mesmo dia.

    Por exemplo, afirmar que o Partido Socialista é socialista e desenvolvimentista é apenas exercício de boa-vontade de quem o diz: não se pode nem mesmo afirmar que o PSB seja socialista, pois, como se sabe, são raros os partidos no Brasil cujas siglas representam algum programa ideológico.

    Também é arriscado dizer que a Rede Sustentabilidade congrega todos, ou pelo menos uma proporção razoável dos brasileiros que desejam um projeto de desenvolvimento sustentável.

    A Rede é um projeto da ex-ministra Marina Silva, que representa uma parcela da militância que herdou o ideário do líder seringalista Chico Mendes.

    Ela participou de um projeto político no Acre, onde o poder foi tomado de grupos conservadores ligados à agropecuária para ser, vinte anos depois, transformado em uma ação entre amigos constantemente assediada por denúncias de corrupção e nepotismo.

    Sua conversão à igreja Assembleia de Deus alimenta controvérsias sobre sua capacidade de aplicar a questões simples, como os direitos de minorias, a visão contemporânea da tolerância.

    É arriscado até mesmo afirmar, como fazem alguns comentaristas, que uma provável chapa Eduardo Campos-Marina Silva venha a deslocar o PSDB, principal força da oposição, para um papel de mero coadjuvante nas eleições de 2014.

    Os jornais trazem uma profusão de opiniões, mas nenhum deles analisou os potenciais dos novos aliados em comparação com o patrimônio eleitoral dos tucanos, por exemplo.

    Não se deve subestimar a força da relação dos antigos socialdemocratas com as classes médias tradicionais das grandes cidades.

    Caneleiras de titânio

    Sabe-se que o jogo da política é bancado pelo potencial de votos, que atrai investidores e agrega aliados, o que amplia o tempo de exibição durante a campanha no rádio e na TV.

    Esse potencial é medido constantemente pelas pesquisas de intenção de voto justamente porque as intenções se alteram aleatoriamente, e cada consulta equivale a um retrato da cena que já passou.

    Alguns candidatos, que são capazes de mover sentimentos difusos, costumam aparecer bem nas primeiras pesquisas, mas tendem a perder terreno à medida que o eleitorado se aproxima do momento de decidir.

    Esse é o desafio central de Marina Silva: transformar em propostas concretas aquilo que até aqui se apresenta como um conjunto de ideias vagamente associadas a uma possibilidade de mudança.

    Observe-se, por exemplo, que em agosto de 2010, ou seja, a dois meses da eleição presidencial, ela confessou que não tinha opinião formada a respeito da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu.

    Por outro lado, seu parceiro socialista deve enfrentar embaraços para justificar como haveria de conciliar os “sonháticos” de Marina com certos correligionários mais claramente identificados com o capitalismo predador do que com o que possa vir a ser um projeto de sustentabilidade.

    Portanto, apesar do aspecto surpreendente da aliança Campos-Silva, e dos sinais de que a imprensa tende a transferir seu apoio para os novos protagonistas, só com muita ginástica mental se pode afirmar que o jogo mudou.

    A política partidária segue refletindo o recorte entre dois campos antagônicos nos quais a ideologia há muito tempo deu lugar ao pragmatismo.

    Se quiser jogar para valer, Marina Silva vai precisar de caneleiras de titânio para proteger suas frágeis canelas.

    Para seguir contando com os espaços generosos que a mídia lhe proporciona nestes dias, em que o impacto de sua aliança com o PSB ainda provoca especulações, ela deverá definir rapidamente o que realmente, na prática, diferencia sua candidatura das propostas já colocadas em jogo.

    Ela vai precisar, de um lado, continuar alimentando os sonhos de seus seguidores e, de outro, atender às expectativas conservadoras da imprensa.

    (http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/chutando_para_todos_os_lados)


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding