VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

IstoÉ: A onda vermelha toma conta do país


25/09/2010 - 12h13

por Octávio Costa e Sérgio Pardellas, da IstoÉ

Na esteira da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência, uma onda vermelha está tomando conta do País. No início da corrida eleitoral, essa imagem foi cunhada pelos estrategistas da campanha do PT para motivar a militância. Mas, agora, tornou-se realidade. As pesquisas de opinião revelam a supremacia dos candidatos governistas na maioria dos Estados, o que poderá garantir a um eventual governo Dilma ampla maioria na Câmara e no Senado. Surfando numa maré mais favorável do que aquela que levou o ex-metalúrgico Lula ao Palácio do Planalto em 2002, os candidatos da base aliada aos governos estaduais lideram as eleições em 19 das 27 unidades da Federação. Na disputa pelas cadeiras do Senado, a onda vermelha é tão volumosa que deverá eleger 58 dos 81 representantes e deixar sem mandato quadros históricos da oposição. Na Câmara, os partidos governistas devem conquistar 401 dos 513 assentos.

“Acho que vamos assistir a uma vitória esmagadora dos partidos da coalizão do governo”, prevê o presidente do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social, Geraldo Monteiro.

Não bastasse a liderança em 21 Estados, Dilma está na frente de José Serra (PSDB) em locais em que Lula foi derrotado pela oposição em 2006. Apesar da oscilação registrada na última semana, a ex-ministra está perto da vitória em antigos redutos oposicionistas como São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Na maioria dos Estados em que ela lidera as pesquisas, os candidatos que apoia também estão na dianteira. Bons exemplos são o Rio de Janeiro e a Bahia, onde os governadores Sérgio Cabral (PMDB) e Jaques Wagner (PT) são favoritos para se reeleger no primeiro turno. Como exceções aparecem Minas Gerais, com Antonio Anastasia (PSDB) na liderança, e São Paulo, onde Geraldo Alckmin (PSDB) supera Aloizio Mercadante (PT). No Paraná, a onda vermelha já proporcionou uma grande virada. As últimas pesquisas mostram que o tucano Beto Richa, antes favorito ao governo, perdeu o primeiro lugar para Osmar Dias (PDT). Reviravoltas também têm ocorrido na disputa para o Senado. Até então cotado para uma das vagas do Rio, Cesar Maia (DEM) foi ultrapassado pelo ex-prefeito de Nova Iguaçu Lind­berg Farias (PT). No Amazonas, Arthur Virgílio perdeu o segundo lugar para Vanessa Grazziotin (PCdoB). Em Pernambuco, Marco Maciel (DEM), segundo colocado atrás de Humberto Costa (PT), foi ultrapassado por Armando Monteiro Neto (PTB).

A inédita sintonia fina entre Executivo e Legislativo, a partir de 2011, trará benefícios para o Brasil. Caso se confirme a sólida maioria no Congresso do possível futuro governo Dilma Rous­seff, o Brasil terá finalmente a chance de aprovar as mudanças estruturais que se fazem necessárias há anos, como as reformas política e tributária. “A agenda congressual a partir do ano que vem exigirá a votação das reformas. Com maioria no Legislativo e vontade política, será possível avançar nessas questões”, afirma David Fleischer, cientista político da UnB. Outro aspecto importante é a possibilidade da formação de uma concertação política, composta por partidos aliados chancelados pelo desejo popular. Desde a redemocratização do País, os governos construíram suas maiorias pelas artes do fisiologismo e das políticas do toma-lá-dá-cá, numa espécie de balcão de negócios em pleno Congresso. Nesse novo cenário, queiram ou não, deputados e senadores serão levados a participar de uma ação conjunta, na qual é de esperar que os objetivos políticos se sobreponham à visão patrimonialista do mandato.

Há quem afirme que a concentração de poder nas mãos do Executivo, com o Legislativo dócil à vontade do Planalto, pode permitir uma recaída autoritária. O temor não se justifica. Não há ambiente no Brasil para esse tipo de surto. As instituições são sólidas e democráticas, e não há espaço para mudanças constitucionais em benefício de um partido, como aconteceu na história do México, onde o PRI controlou a vida política por 71 anos, graças ao domínio da máquina pública. “O que aconteceu no México foi muito diferente. O PRI chegou ao poder quando a economia mexicana, a sociedade e os políticos eram muito rudimentares e eles forjaram instituições para guiar o desenvolvimento em todas as áreas. Já o PT emergiu no momento em que a economia e as instituições já estavam consolidadas”, compara o brasilianista Peter Hakim, presidente do Interamerican Dialog.

Contrariando todas as evidências, intelectuais e setores da elite, em São Paulo divulgaram, na semana passada, um manifesto em defesa da democracia e da liberdade de expressão. Um dia depois, o Clube Militar, no Rio de Janeiro, instituição marcada pelo apoio ao antigo regime de exceção que infernizou o País por 20 anos, promovia um inusitado painel de debates para discutir também supostos riscos à democracia no País. Tanto o documento do grupo de intelectuais quanto os debates dos militares ficaram a um passo de questionar a própria legitimidade da eleição de Dilma, em razão da participação do presidente Lula na campanha. Ambos não levaram em conta que a legitimidade brota das urnas. Embora o eleitor manifeste maciçamente sua intenção de votar pela continuidade das políticas oficiais, a opinião pública não vem sendo espelhada na ação de alguns agentes do processo político. O que parece ter sido esquecido no manifesto oposicionista de tendências golpistas é que a democracia é exercida pelo voto.

O temor de uma vaga autoritária por parte do governo é deslocado da realidade. Não reflete o momento que o Brasil vive. Não há sinais concretos de que o presidente Lula tenha atentado contra a liberdade de imprensa. Ele vem fazendo apenas críticas pontuais, direito que não pode ser negado a qualquer cidadão, muito menos ao presidente. De resto, desde a luta contra a ditadura, Lula mostrou-se defensor intransigente das liberdades democráticas. “É incrível como as pessoas ficam empurrando o Lula para o chavismo, quando ele tem permanentemente se recusado a cruzar essa fronteira”, rebate o ex-ministro Delfim Netto, com a ironia de sempre. Delfim tem razão. A não ser que o observador da cena nacional, assustado com a onda vermelha, queira ver chifre em cabeça de cavalo.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



89 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Léo Costandrade

27 de setembro de 2010 às 17h47

Agora só falta os intelectuais e a elite paulista começarem a dizer que a Isto É é uma revista petista, eu nunca imaginei que um dia veria uma matéria tão isenta numa das revistas das Organizações Globo, prova inequivoca de que existe vida inteligente até no PIG, ou seriam espiões petistas infiltrados?.

Responder

Beloni Cardoso

26 de setembro de 2010 às 12h37

Meus parabéns para Octávio Costa e Sérgio Pardellas da Isto É ! Este artigo A onda vermelha toma conta do país, é uma demonstração de que a população brasileira aprova e apoia o nosso presidente que tem 80% de aprovação positiva no país. Os brasileiros estão conseguindo realizar os seus sonhos de ter uma vida bem melhor, inclusive comprando até a sua própria moradia, não falando nos que sairam das classes D e E, para a classe média. Todo o país melhorou só não enxerga quem não quer, aquela elite brasileira que sempre usufruiu do bom e do melhor, não importando aquele cinturão de miséria que existia no Brasil. É inegável que tudo melhorou e continuará com a presidenta Dilma que será eleita dia 03/10 ! DIA 03/10 DILMA LÁ E LULA CONTINUA NO NOSSO CORAÇÃO ATÉ 2014 !

Responder

Elton Ribeiro

26 de setembro de 2010 às 11h40

Na verdade a oposição que é feita aqui no Brasil contra a campanha de Dilma é pura invveja, mas não da Dilma, mas do proprio Lula. Aquelas falas de Caetano Veloso sobre o presidente revelam bem isso, Carregadas apenas de ódio e pura inveja.

Responder

    Elias São Paulo SP

    28 de setembro de 2010 às 18h25

    Caetano Direitoso já ofendeu Lula várias vezes. Em uma delas Dona Canô, sua mãe, mulher inteligente e boníssima, deu-lhe um pitaco. Mas ele não aprende. Pra ele é chic provocar a esquerda. Tom Zé já perdeu a paciência e o mandou para 'aquele' lugar.

Walter Cesar

26 de setembro de 2010 às 11h18

Sobretudo ISTO É, na remota hipótese de Serra sêr eleito, terá Senado e Câmara de Deputados totalmente contrários aos seus apos. Algo se invertería quando o PT precisou do PMDB para governar.

Responder

Luis-Direito-UNB

26 de setembro de 2010 às 10h50

Parabéns ISTOÉ, aqui na UNB mtos alunos estão lendo e elogiando o texto !!! Uma excelente postura, ante o que se vê !!!

Responder

Glecio_Tavares

26 de setembro de 2010 às 10h38

Editorial da folha nde domingo na primeira pagina:
"Todo poder tem limite
Os altos índices de aprovação popular do presidente Lula não são fortuitos. Refletem o ambiente internacional favorável aos países em desenvolvimento, apesar da crise que atinge o mundo desenvolvido. Refletem,em especial, os acertos do atual chefe do Estado.
Lula teve o discernimento de manter a política econômica sensata de seu antecessor. Seu governo conduziu à retomada do crescimento e ampliou uma antes incipiente política de transferências de renda aos estratos sociais mais carentes.A desigualdade social, ainda imensa, começa a se reduzir. Ninguém lhe contesta seriamente esses méritos.
Nem por isso seu governo pode julgar-se acima de críticas.O direito de inquirir,duvidar e divergir da autoridade pública é o cerne da democracia, que não se resume apenas à preponderância da vontade da maioria.
Vai longe, aliás, o tempo em que não se respeitavam maiorias no Brasil. As eleições são livres e diretas, as apurações, confiáveis -e ninguém questiona que o vencedor toma posse e governa.
Se existe risco à vista, é de enfraquecimento do sistema de freios e contrapesos que protege as liberdades públicas e o direito ao dissenso quando se formam ondas eleitorais avassaladoras, ainda que passageiras. Nesses períodos, é a imprensa independente quem emite o primeiro alarme, não sendo outro o motivo do nervosismo presidencial em relação a jornais e revistas nesta altura da campanha eleitoral.
Pois foi a imprensa quem revelou ao país que uma agência da Receita Federal plantada no berço político do PT, no ABC paulista, fora convertida em órgão de espionagem clandestina contra adversários.
Foi a imprensa quem mostrou que o principal gabinete do governo, a assessoria imediata de Lula e de sua candidata Dilma Rousseff, estava minado por espantosa infiltração de interesses particulares. É de calcular o grau de desleixo para com o dinheiro e os direitos do contribuinte ao longo da vasta extensão do Estado federal.
Esta Folha procura manter uma orientação de independência, pluralidade e apartidarismo editoriais, o que redunda em questionamentos incisivos durante períodos de polarização eleitoral.
Quem acompanha a trajetória do jornal sabe o quanto essa mesma orientação foi incômoda ao governo tucano. Basta lembrar que Fernando Henrique Cardoso,na entrevista em que se despediu da Presidência, acusou a Folha de haver tentado insuflar seu impeachment.
Lula e a candidata oficial têm-se limitado até aqui a vituperar a imprensa, exercendo seu próprio direito à livre expressão, embora em termos incompatíveis com a serenidade requerida no exercício do cargo que pretendem intercambiar.
Fiquem ambos advertidos, porém, de que tais bravatas somente redobram a confiança na utilidade pública do jornalismo livre. Fiquem advertidos de que tentativas de controle da imprensa serão repudiadas -e qualquer governo terá de violar cláusulas pétreas da Constituição na aventura temerária de implantá-lo."

Minha Nota:
Não parece que estes editoriais levem em conta a opinião pública.
Desde ja deve ficar claro que nosso movimento em relação a democratização da informação quer que jornais respeitem a inteligencia do leitor, principalmente abrindo espaço ao contraditório, dando direito de resposta e assumindo a posição politica que defendem, sem se autointitularem de isentos, principalmente quando a cada linha vemos que não são.
O controle regulatório que se exige está relacionado com concessão pública de radios e redes de TV, por isso fica claro que a folha continua a tentar desinformar seu público, cada vez menor.
Glécio Tavares.

Responder

    Franklin

    27 de setembro de 2010 às 15h44

    Curioso é que neste Editorial da Folha, eles citam a constituição federal, e no entanto eles esquecem da mesma quando no Art 1º parágrafo unico diz: " todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição". O governo Lula é aprovado pelo POVO, e a midia insiste nesta tentativa de golpe, rasgando a contituição Federal !

Messias Macedo

26 de setembro de 2010 às 09h49

A FOLHA DE SÃO PAULO QUER CERCEAR A LIBERDADE DE EXPRESSÃO DE LULA E DE DILMA – ADEMAIS, PARTE PARA A PÍFIA INTIMIDAÇÃO!

O jornal ‘Folha’ “da ditabranda”, ao invés de assumir a postura do Estadão – apoio explícito e declarado à candidatura (S)erra -, emite editorial, reverberado pelo blog do Josias de Souza “da mesma Folha”!
O título do editorial: ‘Todo poder tem limite’
O jornal não entende que a dimensão deste limite é conferido pelo povo – e não pela vontade de determinados grupos, inclusive de comunicações. O jornal parece desconhecer que sob a democracia plena vigente em nosso país, a hegemonia das forças progressistas e populares denota o sentimento lídimo de bem-estar e orgulho nacional percebido pela maioria dos brasileiros e das brasileiras! Qual o risco embutido neste modelo?! Por que interesses da mídia estariam comprometidos, salvo inconfessáveis?! Por que uma minoria insatisfeita pretende subjugar a percepção da maioria?! Qual a razão de uma minoria, de histórico e objetivos suspeitos, pretender criar um clima de animosidades, de confronto, de conflito… E, justamente, numa quadra em que as pessoas estão preocupadas com a qualidade de vida, com a ascensão social, com as perspectivas de acesso a educação e saúde de melhor qualidade, com a possibilidade concreta de construir uma nação soberana, justa e altaneira…
Podemos inferir, portanto, que os barões da mídia, ensandecidamente, insistem na trajetória antagônica à dos autênticos e legítimos anseios populares, nacionais…
Se os resultados das próximas eleições projetam um quadro de hegemonia, a culpa deve ser, por um lado, creditada a um modelo esgarçado e anacrônico; por outro, a construção de uma ordem progressista e competente, pautada na participação e engajamento populares – fenômeno louvável e, absolutamente, salutar!

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia, República de Nós Bananas

Responder

Messias Macedo

26 de setembro de 2010 às 08h25

A ONDA É VERMELHA! ONDA VERDE É A BILHETERIA DO [FILME] SHREK! [RISOS]

A novidade da campanha, mesmo, é a pesquisa Vox em São Paulo que aponta para um possível segundo turno. Geraldo Alckmin tem 40%, o mesmo que a soma dos adversários, segundo o IG.
No Ibope, Dilma tem 55% dos votos válidos; Vox aponta possível segundo turno em SP

EM TEMPO: Marina Ex-Silva! Coitado do Chico Mendes!

BRASIL NAÇÃO
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Alberto

26 de setembro de 2010 às 07h55

Os nazitucanalhas estão é se mordendo de inveja,pois o argumento final é:em que estado o Presidente Lula encontrou a economia quando assumiu?Ignorar que a condução FHC da economia em seus 8 anos ,foi um cruzado III,verdadeiro 171 eleitoral,é má fé,incompetencia ou Alzheimer.E no cenário politico,podemos ver evolução,quando da última majoração do salário mínimo,o Presidente Lula mexeu nas emendas orçamentárias parlamentares sem resistência,impensável até há pouco tempo,onde o fisiologismo e mensalão eram as ferramentas de lide com o legislativo.Ou seja,não haverá PRIzação na política,e sim aumento do poder econõmico de Lobbies,que precisam ser enquadradas no caixa 2 eletoral ou precisamos de reforma politica e constitucional que só permita financiamento de campanha vinda dos tribunais eleitorais,mas aberto a contribuições.

Responder

abrantes

26 de setembro de 2010 às 00h56

O Clube militar ou seria circulo Militar convidar o MEDIEVAL PEREIRA e o URUBU REI para para fazer palestra sobre os riscos que a liberdade expressão corre no BRASIL é até hilário.
Isto me faz lembrar quando nos anos 70 o menestrel maldito lançava os LPs de seus shows existia uma piada em que ele falava sobre as pernas os cuidados que as mulheres tem passam cremes os homens olham apreciam ai ele dizia pernas pra que pernas se é a primeira coisa que a gente põe de lado.
Voltando ao clube militar existe uma preocupação tão grande com liberdade expressão,ai eu pergunto afinal isso não é primeira coisa que eles põem de lado.

Responder

MirabeauBLeal

26 de setembro de 2010 às 00h48

.
Dos órgãos de imprensa da mídia corporativa

a Revista IstoÉ é a única que vai sair ilesa.
.
E olha que ela também tem contrato
com a Secretaria de Educação
do governo estadual de São Paulo.
.
Ainda há esperança.
.

Responder

Paulo Rick

26 de setembro de 2010 às 00h46

O artigo não é perfeito, porém, digno, e bem diferente do lixo ideológico que andam publicando!

Responder

Mauro

26 de setembro de 2010 às 00h38

Bom pelo que sei Democracia quer dizer algo como o poder que vem do povo ou algo parecido pois já nem me lembro mais das aulas de moral e cívica de décadas passadas, se é assim então um governo mesmo que com ampla maioria mas que o tenha conseguido através do voto livre e de uma eleição justa e sem máculas é amplamente democrático pois vem respaldado pelo apoio e vontade popular. Mas alguns clubes elitistas se acham no direito de dizer qual é a vontade popular, retirando-se o povo da democracia e transformando o processo em oligarquia.É o saudosismo das múmias de museus que estão perambulando pelos clubes finos cheirando a naftalina, velhos fantasmas de 64 parecem não entender que não existe mais espaço para eles no mundo moderno.

Responder

Roberto Locatelli

25 de setembro de 2010 às 23h57

Já fui ao site e deixei meu comentário. Acho importante que todos aqui façam o mesmo. http://www.istoe.com.br/reportagens/102658_A+ONDA

Responder

    MirabeauBLeal

    26 de setembro de 2010 às 01h28

    Também fiz questão de parabenizar a revista pela isenção e imparcialidade que está tendo nesta eleição.

    Maria Helena Correa

    27 de setembro de 2010 às 11h11

    TAmbem fui aplaudir. Mas em lá chegando, vi um comentário tão grosseiro dirigido à repórter (já denunciei) e percebi que existe muita diferença entre o que escrevemos aqui e as manifestções da direita raivosa.

El Cid

25 de setembro de 2010 às 23h56

Até que enfim, Estadão!! A mídia de direita assumiu ter candidato. É ótimo, civilizado. Falta começar a fazer jornalismo. É possível ter candidato e fazer jornalismo
http://www.estadao.com.br/noticias/geral,editoria… :

"Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o "Estado" apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República, e não apenas pelos méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode representar para a recondução do País ao desenvolvimento econômico e social pautado por valores éticos. O apoio deve-se também à convicção de que o candidato Serra é o que tem melhor possibilidade de evitar um grande mal para o País."

Responder

Ederlucas

25 de setembro de 2010 às 21h48

"manifesto em defesa da democracia e da liberdade de expressão"…hmmmm acho que já vi esse filme antes: Elite querendo manifestar- se a favor dos direitos de todos ? quem nao se lembra da "marcha da família com Deus pela liberdade" ??

Responder

Estevo Pinto

25 de setembro de 2010 às 21h47

Chifre em cabeça de cavalo nao vimos, mas polvo gigante com cor demoniaca derrubando tudo e todos, com seus tentaculos, nos estamos vendo pendurados nas bancas de jornais. Lembro quando criança que acordava a noite assutados com imagen apocalipticas. Mutatis mutandi a infantilizaçao do povo provocado pela midia tradicional para mim e fato.

Responder

Luciana

25 de setembro de 2010 às 21h35

Iiiihhh, se o Serra estivesse no governo do estado os repórteres iriam amanhecer com as cabeças cortadas… o paladino da democracia e liberdade de imprensa ligaria imediatamente para o diretor da Isto é e exigiria a demissão dos dois, pois a reportagem não fala bem dele. Em seguida, viria a público vomitar que o Lula é contra a liberdade de imprensa e expressão de idéias.

Mas, na boa: o que aconteceu com a Quanto Custa? (como a Isto É é conhecida entre os jornalistas) Será que está com medo de perder assinaturas também? Ficou com inveja da Carta Capital?

Responder

Marina Serette

25 de setembro de 2010 às 21h30

Pessoal, sempre leio o Azenha e compartilho da mesma opinião que vocês. Só agora resolvi escrever, devido uma vida muito atribulada e falta de tempo. Peço a colaboração de todos para dar apoio à reportagem da ISTO É sobre a "Onda Vermelha" já escrevi dois comentários no site da revista um em meu nome e outro em nome de minha mãe. Fomos ofendidas com baixarias por uma leitora. A turma que recriminou a revista pela reportagem está vencendo. Temos que colaborar. Precisamos de mais órgãos defendendo outro tipo de opinião que não seja a da Veja, Estadão, Folha e Globo.
Não podemos deixar a turma demo-tucana convencer a revista que ela errou ao fazer a reportagem.

Responder

@Selma_Lua

25 de setembro de 2010 às 21h22

Eu estou lendo isso mesmo? Se for… parabens pela materia! Por maior que seja os esforços da midia para "esconder" que o Brasil de hoje é muito melhor do que o da era FHC, o povo sente na pela, na mesa e no bolso, por isso essa enorme popularidade do nosso presidente!

Responder

Conceição Oliveira

25 de setembro de 2010 às 21h02

Ontem reproduzi no meu blog este editorial como faço hj com o do Estadão, mas em ambos resolvi comentar.
Para Isto é eu digo que vários autores (que a blogosfera publica há meses) já diziam isso: http://mariafro.com.br/wordpress/?p=19512

Ao Estadão parabenizei, não é todo dia que vemos o PIG abertamente declarar o seu voto e com coerência: http://mariafro.com.br/wordpress/?p=19558

Responder

priscila Susan

25 de setembro de 2010 às 20h04

O que é maravilhoso. Foi a fala do presidente da República, sua excelência Lula; disse o óbvio sobre parte da imprensa que estava agindo sim de má fé e não respeitando aquilo que pessoas ele, Dilma e vários outros que lutaram pela liberdade de imprensa, no período da ditadura militar como o peso do AI-5. Mas toda liberdade deve ter um limite que é a responsabilidade e que esse bem é extremamente precioso. E é isso que a imprensa deve compreender. Sou historiadora e centro as minhas pesquisas no século XIX e nos jornais da época eles tinha partido e ideologia, uns eram abolicionista, outros republicanos, outros monarquistas entre outros. Mas em pleno século XXI, querer agir como cientistas isentos e imparcias, isso é praticamente impossível. Pois, quando lidamos com o que é humano, e que envolve paixões, como: orientação sexual, religião, política entre outros, fica difícil ser imparcial e insetos. Quando o presidente fala que o jornal, a revista ou telejornal deve indicar o seu partido. E isso seria afirmação da preciosidade da liberdade e o peso do que ela carrega, a responsabilidade.

Responder

João Carlos Biernat

25 de setembro de 2010 às 20h02

E o ETENO VERDE ? Mínima repercussão no PIG desta revolucionária tecnologia que usa a cana de açúcar invés de petróleo , energia renovável não-poluente , geradora de milhares de vagas no CAMPO e na CIDADE . Pois a fábrica de plástico verde , originalíssima , foi lançada ontem por LULA em Triunfo, no RS , e devido à sua presença POLÍTICA teve pouca divulgação.E teve o dedo do BNDES nesta empreitada.A Toyta já quer colocar em seus carros esta matéria prima ecológica como um diferencial , assim como indústrias de cosméticos e medicamentos .Toda produção já está comprometida para exportação nos próximos meses.
João Carlos Biernat, Porto Alegre.

Responder

robledo

25 de setembro de 2010 às 19h35

Governar sem oposição é uma merda,isto não se discute. Agora precisamos ter uma oposição de verdade, não esta que vemos nos jornais golpistas. Oposição com tasso, virgilio, fortes, e outros que somente pensam nos seus bolsos,não leva nada pra frente.

Responder

Valdir

25 de setembro de 2010 às 19h22

Prezado Azenha: Ao leitor Carlos N.Mendes : FHC esquece o que nós sofremos no seu governo e tem até um livro sobre o governo dele, escrito por um professor Canadense e editado no Brasil pela ed. Vozes.Vale a pena ler, chama-se O BRASIL DE CARDOSO.

Responder

Elton

25 de setembro de 2010 às 19h18

Aqui no PAraná teremos a vitória de Roberto Requião e Gleisi Hoffmann (PT) para o senado, "de lavada"!!!!!

Responder

    Laurindo

    25 de setembro de 2010 às 22h53

    Élton, com esse rumo na eleição paranaense, vou parar de torcer contra Coritiba, Atlético e Paraná.

    To Rindo

    03 de outubro de 2010 às 21h03

    Gleisi e Requião de lavada? 29% 24% respectivamente… o terceiro – Gustavo Fruet PSDB com 23..e Ricardo Barros em quarto com 20%
    Isso é lavada?

    kkkkk

Elton

25 de setembro de 2010 às 19h17

Azenha, provavelmente você já sabe que os "neocons" made in Brazil que teu blog é chamado de "chapa branca"…..eu mesmo tenho um conhecido de muitos anos que é auditor da receita estadual do Paraná, deve ganhar uns 10 mil reais por mês (ou mais…) e tem um discurso idêntico ao do Reinaldo Azevedo…incrível, né? Vive do Estado mas declara-se anti-estado………….
E se aposentará com este salário de forma integral, pois é concursado, de "carreira".

Responder

El Cid

25 de setembro de 2010 às 19h04

… Um Longo Caminho !
http://maureliomello.blogspot.com/2010/09/um-long

Ainda tenho pensado muito na exaltação dos ânimos dos últimos dias, por causa do processo eleitoral. Por mais que negue, a velha mídia espelha uma realidade que não se vê nas ruas. Na periferia dos grandes centros, no comércio, nas empresas e por todo lado há um clima de paz e otimismo. Há trabalho, muito trabalho. E quando tempo e orçamento permitem, lazer e diversão. A vida segue seu curso com planos e sonhos, com dor e sofrimento, como sempre foi desde sempre. Ainda assim, as páginas dos jornais insistem em fazer um recorte completamente distorcido da realidade. Cedo ou tarde, a verdade se imporá, sem confronto, sem violência. A supremacia da verdade e da não-violência são dois valores da crença hindu, que tiveram em Mahatma Gandhi (1869-1948) seu maior expoente. Combater o imperialismo inglês sem o uso de armas e levar a Índia à independência transformaram-no num dos homens mais importantes da humanidade depois de Cristo. Como Gandhi demonstrou, não é preciso usar a força para afirmar os valores de um povo. O princípio da não-agressão, por exemplo, iguala opositores pelo diálogo e diminui o poder daqueles que tentam se impor pelo arbítrio e pelo dinheiro. Talvez a mensagem do grande líder espiritual e mártir de uma das maiores nações do planeta possa inspirar nossa luta por uma sociedade mais justa, democrática e livre. Temos um enorme enfrentamento a caminho. Teremos que discutir transformações profundas na sociedade, a partir do próximo ano. Não podemos mais aceitar um governo refém de interesses de uma minoria. Precisamos erradicar a fome, diminuir as desigualdades e permitir acesso da maioria dos brasileiros a bens e serviços que, embora essenciais, ainda são privilégio de poucos. Não tenho dúvidas de que estamos escolhendo o caminho certo!

Responder

    Paralelo XIV

    25 de setembro de 2010 às 20h54

    Brilhante! Ouso concluir: eis o nosso verdadeiro e legítimo "soft power".
    NOSSO, soft power; soft power DO POVO.

Baixada Carioca

25 de setembro de 2010 às 19h02

Bem, o governo vai ter uma oportunidade única para fazer as reformas que o país precisa. A mais importante dela, a meu ver, é a política. Mas me preocupa uma oposição extremamente esfacelada. E o que é pior, com um grupo de parlamentares que não representam uma oposição de verdade. Aqueles que poderiam se tornar uma oposição responsável e propositiva, resolveram enterrar suas carreiras na mediocridade de campanhas raivosas e preconceituosas.

Responder

Maria José Rêgo

25 de setembro de 2010 às 18h34

Tomara que isso aconteça mesmo pois era insuportável para mim ver o congresso fazendo CPI de fatos sem muita relevância apontando para nós um recorte de algum jornal do PIG como se o PIG tivesse credibilidade. Na época do mensalão torci muito achando que no final iriam elaborar alguma lei da reforma eleitoral. Que nada, os ferrenhos opositores não tiveram interesse nessa reforma e acho que muitos de nós sabemos o por quê. Basta ver a declaração do Serra nesta semana que é contra o financiamento de recurso público e a favor do recurso privado para campanha eleitoral. Reforma tributária, financiamento de campanha e muitas outras reformas precisam ser debatidas pela sociedade e o congresso. Que haja maturidade no próximo congresso brasileiro.

Responder

rubem almeida

25 de setembro de 2010 às 18h27

O papel da militância é importantíssima ,nestes últimos dias, vamos tentar convencer , amigos, familiáres, colegas enfim argumentos para votar em Dilma não faltam, dificil é alguem "engulir" Serra.

Responder

Dimas

25 de setembro de 2010 às 18h17

Anos atrás fui assinante da "Isto É", até que ela começou a se parecer com a outra ,"Óia". Não renovei mais a assinatura. Surpreendentemente me vem com essa boa reportagem, equilibrada e isenta. Menos mal. Gostaria apenas de fazer uma ressalva na seguinte parte:"Na disputa pelas cadeiras do Senado, a onda vermelha é tão volumosa que deverá eleger 58 dos 81 representantes e deixar sem mandato quadros históricos da oposição. Na Câmara, os partidos governistas devem conquistar 401 dos 513 assentos."
Quadros históricos? Quais? Os dinossauros também eram históricos: corpo grande, garras grandes, boca grande, rabo grande, dentes grandes, tudo grande, só que o cérebro…..deste tamaninho. O que aconteceu com eles mesmo?

Responder

Carlos N Mendes

25 de setembro de 2010 às 18h14

A capitalização da Petrobras, a mais espetacular obra financeira brasileira, foi desprezada ontem em quase todos os veiculos de comunicação e totalmente ignorada hoje. O problema é o pai, que NÃO se chama FHC. O problema é o pai – um socialista! (horror! horror!). A capitalização da Petrobras de forma tão explícita a diferença entre FHC e Lula que deve parecer pornografia nas redações. E piora muito quando se lê a entrevista que FHC deu ao Financial Times. Diz que foi ele que fez as reformas, e Lula só surfa nelas. Como assim,surfa? Elas andaram sozinhas nesses 8 anos? Ou apenas ficou evidente que, se realmente Lula só continuou o que FHC começou, ele é um administrador muito mais competente que o "pai" das reformas?

Responder

JOACIL CAMBUIM

25 de setembro de 2010 às 18h12

A matéria acima não surpreende. Por que a maioria dos eleitores iriam votar em quem faz opisição a um governo que proporcionou a maior inclusão social da história? Se alguém duvida disso – porque certamente assistiu ao "JN no AR" – , é só ir aos aeroportos, bares, restaurantes, pizzarias, shoppings, teatro, cinema, shows ou em qualquer lugar em que se gasta dinheiro. Ou, ainda, tente comprar alguns bens de consumo, como, por exemplo, um automóvel UNO. Sim, as pessoas têm – pouco ou muito – dinheiro para gastar.

Responder

Urbano

25 de setembro de 2010 às 18h07

O que foi que deu neles? Espero que seja só um caso para internação e que não dê demissão.

Responder

    Lia

    25 de setembro de 2010 às 18h47

    kakakakakakakakaka

    Baixada Carioca

    25 de setembro de 2010 às 19h15

    O tucano vai reclamar. Ah! Se vai…

JONAS SILVA

25 de setembro de 2010 às 18h05

A velha mídia vem fazendo uma estratégia equivocada (para elas, para o povo está sendo excelente). Entrou com tudo na sucessão presidencial, achando que o Zé iria ganhar de lavada. Esqueceu das sucessões estaduais, e os cargos proporcionais, e o resultado está aí, uma vitória esmagadora dos que apóiam Lula/Dilma.
– Estão gastando todas as suas energias em uma eleição que já está definida, e agora?? E o Alkimin? O Richa, O Perillo? Já pensou no desespero da Veja se o Mercadante ganha? Está no golpe a vários dias e não está surtindo o efeito esperado, enquanto isso o pupilo paulista corre o risco de perder no segundo turno. O que fazer agora? pensam os estrategistas dos Civita. Parar de atacar Dilma e tentar ajudar Alkimin? Seria até uma decisão sábia para eles; Já pensou ficar sem os R$ 37.000.000,00 do erário paulista a partir do ano que vem??

Responder

Domngos

25 de setembro de 2010 às 17h45

Texto irretocável, aqui em Minas nós dizemos: " procurar chifre de boi na cabaça de cavalo". O brasil de LULA é muito democrático e o de DILMA será igual.

Responder

Tunico

25 de setembro de 2010 às 17h38

O clube dos militares discutindo democrácia…é hilário…ou preocupante!!??

Responder

soniA

25 de setembro de 2010 às 17h24

A midia vai ter que buscar as "pazes com os (e)leitores" ! E tambem com o governo…Só eles, a grande midia, tem a perder mantendo a "birra" o clima ,anti Dilma,anti PT e por tabela anti, pelo menos 70% da população..perdem leitores. podem perder anunciantes privados por pressão de leitores engajados e tambem as propagandas oficiais…que eu saiba não existe lei que determine que o governo/SECOM mantenha os anuncios nos concessionarios de TV e jornais.
E rei morto,rei posto, viva a Rainha ! Vão dizer ao Serra que foram fiés até a pagina 2….
Os blogs sujos estão ai , firmes, fortes,com um peso cada vez maior…com credibilidade e agilidade que "assustou "o baronato da midia…
Iso mostra a força da internet, a urgencia da banda larga, ampla geral e irrestrita.Precisaremos pressionar o novo -governo neste sentido de agilizar, porque a defesa de qualquer atitude do novo governo passará pela internet…

Responder

Fafi/NY

25 de setembro de 2010 às 17h13

Tá me parecendo armação: ligar o Lula e o PT ao Daniel Dantas.

Responder

Go Oliveria

25 de setembro de 2010 às 17h05

Estão sentindo onde podem conquistar assinantes, não?

Mas a IstoÉ vai ter que ralar muito para convencer.

Responder

roberto

25 de setembro de 2010 às 16h32

Não entendo a logica das pesauisas do data falha e do globope…como pode Dilma estar tão a frente em São Paulo, os dois senadores da coligão bem a frente também e eles vem tentar me convencer que o Mercadante ta bem atras do Picole de chuchu…

Responder

Antõnio Cralos

25 de setembro de 2010 às 16h19

Nas pesquisas apra senador, aqui em Sergipe, o tucno Albano Franco ficou em terceiro lugar nas últimas pesquisas do IBOPE, sendo ultrapssado por Eduardo Amorim (PSC).. Podemos constar mais uma ultrapssada dos candidatos apoiados pelo governo atual a um candidato da oposição a Lula;

Responder

Orellano Paz

25 de setembro de 2010 às 16h05

IstoE': mais um roedor abandonou o Titanic. O texto e' otimo. E' tambem, nas entrelinhas, uma declaracao de reconhecimento a competencia e ao trabalho incansavel dos Bravos Blogueiros Sujos, os verdadeiros arautos da Voz do Povo.

Responder

joão carlos

25 de setembro de 2010 às 15h50

Meu Deus, o que aconteceu com a IstoE, não estou acretitando, so falta a OIA, agora ir atras, rsrsrsrsr

Responder

Internauta D

25 de setembro de 2010 às 15h48

Este show de factóides para eleger Serra é nada mais nada menos do que furto do amor que a velha mídia nutre pelo baronato da mídia, a saudade que eles tem da cozinha do Planalto, por onde transitavam à vontade.

A velha midia se arrepende até hoje de não ter derrubado Lula em 2005, para eles a hora é agora, e para isso até procuram indispor militares golpistas contra Dilma

Para esta gente é mais fácil derrubar Dilma agora do que quando ela tomar posse

Não podemos nos amedontrar, é isso que esta mídia golpista quer, e olhe lá que eles se esgoelaram para manter golpistas no poder em Honduras, uma economia minúscula em relação ao Brasil que, ontem, realizou uma operação na Bolsa de Valores, o que levou à capitalização de 123 bilhões de dólares e com a Petrobrás continuando do povo brasileiro

Estão sedentos para abocanhar o pre-sal e doa-lo por míseros 3 bi, como fizeram com a Vale

Responder

Eudes Monteiro

25 de setembro de 2010 às 15h36

Ué, o que deu na Istoé? Dias atrás li um artigo dela que me surpreendeu, era normal, uma análise boa e bem feita, sem golpismo midiático escondido. Agora esse novo texto, que podemos chamar de isento e correto. Será que chegaram a uma conclusão óbvia que o mundo mudou, o Brasil mudou e ela tb precisava mudar? A tal Istóe "independente" será mesmo verdadeira? Se for, ótimo, teremos, em termos de revista semanal, CartaCapital e Istoé para ler.

Responder

    Baixada Carioca

    25 de setembro de 2010 às 19h14

    Crise de identidade. Testando o outro lado pra ver como é que é.

Fabio

25 de setembro de 2010 às 15h26

Dilmaaaa presidenteeeee!!

Responder

Antonio

25 de setembro de 2010 às 15h22

Anistia, Constituinte, Diretas já, Lula presidente, Dilma!!!
avante Brasil !!!
Um esforço final pela onda da PAZ com justiça social !!

Responder

Ismar Curi

25 de setembro de 2010 às 15h21

Tem uma coisa estranha aí, como a Dilma não poderia estar beneficiando-se dessa onda vermelha? Pelas pesquisas parece que ao invés da diferença estar aumentando, entre Dilma e outros candidatos, está a diminuir. Pode?

Responder

ruypenalva

25 de setembro de 2010 às 15h20

Nouvelle vague gauche et rouge

Responder

Gerson Carneiro

25 de setembro de 2010 às 15h13

Aê militância, vamo pegá essa onda. É nóis!

[youtube F35_CzwkMvA http://www.youtube.com/watch?v=F35_CzwkMvA youtube]

Responder

Dulce Malamada

25 de setembro de 2010 às 15h12

Olha só o nome dele: MERVAL Pereira…
Até o pai dele já sabia o que ele ia ser quando crescer…

Nomezinho bem posto tem esse aprendiz canhestro de Carlos La..erda….

Eles se merecem e parecem vir do mesmo lugar…

Responder

Almerindo

25 de setembro de 2010 às 14h59

A óia está na sua "nova edição"(?) dizendo exatamente o contrário! Azenha, não tenho coragem de colocar suas páginas nem mesmo pra forrar a gaiola de minha calopsita, para não contaminá-la, coitada!

Responder

BeauGeste

25 de setembro de 2010 às 14h54

Que o Lula vá se preparando. Que se acerque de um médico ao seu lado. Porque quando da posse de Dilma … vai ter que botar várias pílulas em baixo da língua,,, senão ele enfarta.

Responder

monge scéptico

25 de setembro de 2010 às 14h52

O que o povo quermesmo é ver o país devastado pela pirataria demo tucana, se recuperando
das mazelas deixadas por fhc/serra e anteriores. Por isso, o país tomou um novo colorido de
esperança, que pode estar enrubecendo, mas de orgulho da capacidade do povo em trabalhar
e fazer andar o gigante,mesmo sob tanto terrorismo midiático. Quem acusa os partidos de esquer-
-da entre eles o PT de ameaçar a democracia, o fazem, mais uma vez procurando tapar o sol
com uma peneira. Democracia, para não ir muito longe, é ética e liberdade, com honestidade e
isenção etc etc.

Responder

yacov

25 de setembro de 2010 às 14h50

Os mervais, FHCs, reinaldos e mainardis, se parecem muito com a oliarquia romana da época de JUlio Cesar. Tendo vindo da nobreza, mas com forte ascensão sobre a plebe, Cesar vislumbrou uma nova e grande ROMA, com participação também dos povos conquistados no senado. A oligarquia quatrocentona de então, não gostou nem um pouquinho de dividir o senado com aqueles bárbaros de cabelos longos, alguns vernelhos e até azuis. Deu no que deu. O herói da conquista das Gálias, que havia demonstrado tanta magnanimidade com seus inimigos e até então era cantado em verso e prosa, principalmente por Cìcero, famoso orado oligarca, foi assassinado por seus desafetos o que acabou provocando a ascensão de Otávio, seu sobrinho, que deu a ROMA um grande período de paz e prosperidade. Mal comparando, pode-se dizer que a nossa oligarquia tenta de todas as formas assassinar a reputação de LULA, mas seus esforços parecem inúteis e ao que parece, LULA vai trazer todos os bárbaros para o Congresso Nacional e refundar a democracia brasileira em novas e sólidas bases. AVE LULA!!!

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na gLObo é um braZil para TOLOS"

Responder

    Roberto

    26 de setembro de 2010 às 09h56

    Isso mesmo, Yacov, a elite quatrocentona está chocada, pois o que o Lula e o PT estão fazendo é mesmo um choque de realidade: o Brasil pelos brasileiros e para os brasileiros, e não mais para os mesmos de sempre. Os "bárbaros" são bem-vindos ao CN, para que a república se torne enfim república. Só lhes peço que não se locupletem, mas antes ponham fim às imoralidades administrativas praticadas amiúde naquela casa com o dinheiro público.
    Outra coisa: gosto muito dessa sua frase "O Brasil para todos não passa na Globo…", tanto que a divulguei na minha lista de contatos. A Globo se acha dona do Brasil e se comporta como tal, fazendo-se de instrumento de alienação e manipulação em reforço de um projeto de sociedade que o Brasil não aceita mais. Abraço.

Edmundo Bernardo

25 de setembro de 2010 às 14h42

Meu caro Azenha, esse comportamento da Revista Isto É ao meu ver, parece que o PIG perdeu de fato mais um órgão de imprensa que está se tornando totalmente independente.
Eu gostaria de saber, se possível, como você retrata a Revista Isto É nesse momento.
É de fato um órgão independente ou continua naquele dito popular que Páu que dá em Chico, dá também no Francisco,
Eu quiz dizer o seguinte sobre a Revista Isto É : Se o Presidente Lula está certo eu elogio e se estiver errado eu critico. É isso mesmo, Azenha?

Responder

Coutinho

25 de setembro de 2010 às 14h38

Ao contrário de ser contrário à liberdade de imprensa, o Presidente tem sido vítima. A democracia brasileira é que está sendo ameaçada pela mídia que veladamente prega um golpe. Como ela adoraria um golpe em favor de um membro da elite que ela representa. Sentimos, isto sim, falta de ética por parte da grande imprensa, que se comporta como cabos eleitorais de José Serra.

Responder

Marcelo

25 de setembro de 2010 às 14h37

Alguns meios de comunicação querem continuar existindo e assim urge fazer-se entender o momento, tem que haver discussão construtiva para repensar o Brasil, os reporteres tem que sair de suas cascas e sentir o clamor por mudanças. Espero que se construa um País realmente democrático, com participação popular, com educação critica e veiculos de comunicação democráticos, o resto vem areboque.
Azenha, valeu pelo debate de terça-feira no CCBB, que outros aconteçam.

Responder

Livio

25 de setembro de 2010 às 14h35

A revista Isto É não é financiada pelo Daniel Dantas?

Responder

    Leandro

    25 de setembro de 2010 às 15h04

    Livio, ELA É DO DANIEL DANTAS!

    Mas estranhamente, nos últimos 3 meses vem defendendo a candidatura da Dilma.

Maria Dirce

25 de setembro de 2010 às 14h33

Que jamais poderíamos comparar Lula com JK, por que esse sim fez reformas estruturais, e que o Brasil corre perigo com o Lulismo no poder.
O livro lançado diz ele que é uma homenagem ao jornalista Carlos Castello Branco,que para ele é patrono dos colunistas politicos brasileiros.
Que ele Merval tenha admiração profunda pelo jornalista Carlos castello Branco, acho perfeito, todos nós temos por alguém, mas detonar o Lula pq ele servidor das empresas Globo, que lê a cartilha do Ali kamel querer desconstruir o presidente da república lança-lo na cova dos miseráveis políticos, isso avilta qquer pessoa que tenha o mínimo de consciência política e mais que isso, que esta sentindo no seu dia a dia a diferença economica e política, e mais ainda o respeito internacional ,que Merval chutou , o povo brasileiro e a democracia.(MD)
"O povo não tem uma consciência política muito nítida. Ele é muito arrastado pelos acontecimentos. No dia 24 de agosto, o povo estava contra Getúlio, então quando Getúlio suicidou-se, o povo desfilou no Palácio do Catete para homenagea-lo, chorando na maior emoção."
Carlos castelo branco
"

Responder

Maria Dirce

25 de setembro de 2010 às 14h32

Eu cancelei a minha assinatura agora cedo..Entre outras pérolas ele disse que Lula não fez nenhuma reforma estrutural no país, apenas continou o programa do FHC que deixou para o Lula um caderno de anotações de continuidade para Lula seguir.Disse tb, que existe uma grande diferença entre estadista e populista.Estadista é o que pensa no país olhando para o futuro ,populista, é o que pensa nas próximas eleições, que é o caso do Lula.

Responder

Maria Dirce

25 de setembro de 2010 às 14h31

Azenha por favor publique isso que estou indignada-
Vou escrever deixando toda a minha indignação com a entrevista de merval, ele era o entrevistado, cuja finalidade da entrevista era vender seu livro-"O lulismo no poder"

Responder

Antonio

25 de setembro de 2010 às 14h30

A direita, que governou o País por 500 anos, com o pé na cabeça do povo, teme agora a perda de seus privilégios fruto da corrupção e da ação entre amigos nos governos municipais, estaduais e federal. Teme a perda de leis promulgadas por lobbys para privilegiar alguns. Teme a perda de espaço de seus amigos internacionais no país, que os pagam benevolentemente. E o PIG, sustentado como prostituta de luxo por essa direita é a ponta de lança rombuda, que cutuca sem ferir. A direita, com seu rei momo à frente, na candidatura à presidência, é uma víbora desdentada ameaçando dar o bote. Vai engraxar coturno e sem acochambrar, para ficar tudo brilhando, na esperança de dar o golpe.

Responder

william porto

25 de setembro de 2010 às 14h29

Não posso garantir por todo o Brasil, se bem que há motivos para acreditar na onda vermelha do OIapoque ao Chuí, mas aqui em Pernambuco a vitória do pessoal do Lula é de criar bicho, de cabo a rabo, total. Eduardo pode ter 80% dos votos, Jarbas não tera vinte. E Dilma da mesma forma. Os dois senadores serçao eleitos, Humberto e Armando, enquanto Marco Maciel vai ficar com tempo para escrever a sua obra literária vez que é imortal da ABL sem nunca yter escrito uma crônica, um conto, uma novela, um romance e nem sequer um verso de pé quebrado. Também poderpá emfim enfiar um prego numa barra de sabãpo, trabalhando, porque desde o império é sustentado pelos cofres públicos. Viva a onda vermelha.

Responder

    Baixada Carioca

    25 de setembro de 2010 às 19h09

    No Rio, o mais gostoso é ver o Cesar "vaia" no desespero e indo pro limbo. Não se elege pro Senado. O ex-gabeira tucanou mesmo, mas vai amargar uma derrota rotunda. Precisamos ver o resultado para a Camara Federal e para a Assembléia Legislativa. Se tudo der certo…

DeSouza666

25 de setembro de 2010 às 14h28

Impressionante. Até membros da mídia golpista como a Isto É já começaram a abandonar a campanha do Zé Pedágio. Daqui a pouco o Zé vai desenvolver a mesma síndrome de abandono que aflige o FHC.

Responder

Wadilson

25 de setembro de 2010 às 14h27

Puxa, veja as coisas q a IstoÉ publicou:
"… inédita sintonia fina entre Executivo e Legislativo … trará benefícios para o Brasil…
… Brasil terá finalmente a chance de aprovar as mudanças estruturais que se fazem necessárias há anos…
…Desde a redemocratização do País, os governos construíram suas maiorias pelas artes do fisiologismo e das políticas do toma-lá-dá-cá … Nesse novo cenário, queiram ou não, deputados e senadores serão levados a participar de uma ação conjunta…
.. O que parece ter sido esquecido no manifesto oposicionista de tendências golpistas é que a democracia é exercida pelo voto…
… De resto, desde a luta contra a ditadura, Lula mostrou-se defensor intransigente das liberdades democráticas. "

Pronto, legal! Já sei que nem toda grande mídia segue na linha do golpe branco. Finalmente um texto franco. Mas vcs leram as 'cartas' dos leitores no site da revista? Puá

Responder

Carlos Rico

25 de setembro de 2010 às 14h24

"Embora o eleitor manifeste maciçamente sua intenção de votar pela continuidade das políticas oficiais, a opinião pública não vem sendo espelhada na ação de alguns agentes do processo político. O que parece ter sido esquecido no manifesto oposicionista de tendências golpistas é que a democracia é exercida pelo voto."

Acho que este trecho resume toda a tarefa da opinião midiática neste instante.

Responder

Maria

25 de setembro de 2010 às 14h19

Pelo menos é um sinal que o jornalismo da IstoÉ não é suicida. Acho até que vou comprar a revista, mas por enquanto é só um gostinho. Só acredito mesmo se ela cobrir nesta semana – que é decisiva -, os fatos que, sabemos, os jornalões vão omitir. Parabéns ao Viomundo, ao PH, ao Nassif, ao Tijolaço do Brizola, ao Alê, Maria Frô, a todos os incansáveis que estão ajudando a diminuir o impacto dos péssimos trabalhos "profissionais" da velha mídia.

Responder

tamára

25 de setembro de 2010 às 14h19

Inacreditável o que li. Tenho medo destas guinadas repentinas da PIG…

Responder

    Baixada Carioca

    25 de setembro de 2010 às 19h06

    Compartilho da desconfiança.

    Lucas Barbosa

    02 de outubro de 2010 às 16h31

    Idem.

paulo nei

25 de setembro de 2010 às 13h24

Interessante o posicionamento da IstoÉ sobre a realidade deste momento pré-eleições. Sem sombra de dúvidas os "blogs sujos" tem enorme responsabilidade por este, digamos, redirecionamento de posição jornalística desta revista e outros mais que virão. Talvez pelo receio do desgaste que a "imprensa velha" ou PIG, prá ser mais exato, sofrerá pós-2010, faça com que pelo menos este veículo já decida por se re-alinhar á força da opinião pública. Isso é bom para a revista e melhor ainda para a conscientização do seu público leitor que poderá ter uma referência fidedigna da realidade que o cerca.
Eu não entendo como determinada revista, que prefiro nem citar o nome, vende espaços caríssimos para o anúncios de veículos automotores das classes A e B ao mesmo tempo em que faz terrorismo golpista sobre o país e seu futuro. Quem mal informado por este panfleto reacionário, investiria seu rico dinheirinho em qualquer coisa sabendo que o PT ameaça a democracia? Quem é mais otário, o dono da revista, o anunciante ou o assinante deste velho panfletário?
Azenha, parabéns pelo Viomundo e receba um forte abraço!
Paulo Nei

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!