VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Edmilson assumirá Belém com programa de auxílio de R$ 450 para combater a fome
Reprodução
Política

Edmilson assumirá Belém com programa de auxílio de R$ 450 para combater a fome


30/11/2020 - 11h28

Edmilson Rodrigues (PSOL) diz que Belém terá renda mínima a partir de janeiro

Com 51,75% dos votos válidos, Edmilson disse que não ficará contente enquanto houver criança na rua passando fome

Catarina Barbosa – Brasil de Fato

“O Ed voltou, o Ed voltou”, esse era o grito de ordem de mais de 700 pessoas que estavam em frente ao Comitê de campanha do prefeito eleito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL), horas após o anúncio da vitória, na noite deste domingo (29).

Os eleitores foram ao local, no bairro de São Braz, comemorar a vitória de Edmilson, eleito com 51,75% dos votos válidos.

Em seu primeiro pronunciamento, após o resultado das urnas, o candidato da esquerda anunciou a criação de um programa para combate à fome.

“Nós sabemos que nesse momento há muita criança passando fome. Em uma chuva, é muita gente sofrendo, perdendo mobiliário que ainda está pagando em parcelas de vinte, trinta meses. Então, vamos ter que fazer ações imediatas”, disse ele.

“Em primeiro de janeiro meu primeiro ato, após a posse, será criar o Programa Bora Belém e ir aos bolsões de miséria, fazer busca ativa, porque enquanto tiver uma criança na rua passando fome como a gente vê em cada esquina, eu não vou ficar contente. Mesmo quem votou no meu adversário quer uma Belém sem fome e sem miséria”, disse.

O programa consistirá em uma renda mínima de R$ 450, que, segundo Edmilson, virá do próprio orçamento da prefeitura.

Em seu programa de campanha, Edmilson pontua que “é visível nas ruas de Belém a presença de crianças em situação de trabalho infantil, sendo que há completa ausência de dados sobre a questão, o que demonstra total desinteresse do poder público em diagnosticar a situação para fins de formulação de políticas públicas”, afirma o documento.

O diálogo

O prefeito fez questão de pontuar que já estabeleceu contato com deputados federais e telefonou para o governador Helder Barbalho, dizendo que está à disposição para unir forças em iniciativas que beneficiem o do povo e que também entrou em contato com o atual prefeito, Zenaldo Coutinho (PSDB), de forma a iniciar um diálogo fraterno para a transição de governo.

Edmilson esteve ainda acompanhado do deputado federal Cássio Andrade (PSB), seu adversário no primeiro turno, mas de quem recebeu o apoio no segundo. “As disputas acabaram, o momento é de governar para o povo belenense”, resumiu.

Edmilson falou ainda da pandemia pela Covid-19 e prometeu governar com base em ações orientadas pela ciência e anunciou a criação do Centro de Tratamento Pós-Covid.

“Eu creio que há uma pandemia ainda e o risco de um novo ciclo, de uma nova fase de crescimento”, disse ele, concluindo que Belém estará preparada para a vacinação assim que o medicamento for aprovado.

Edição: Rodrigo Durão Coelho





1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

30 de novembro de 2020 às 18h45

Em 31 de dezembro, o Prefeito Zenaldo ,
do “Centro” Midiático (PSDB) de Direita,
já raspou o Cofre de Belém.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding