VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

A entrevista de Plínio ao JN


13/08/2010 - 00h24

Crítica de Plínio de Arruda à TV Globo interrompe gravação para o ‘Jornal Nacional’

FERNANDO GALLO
, na Folha

Um protesto do candidato do PSOL à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio, fez com que a gravação de sua entrevista ao “Jornal Nacional”, da TV Globo, fosse interrompida.

Em sua primeira resposta, a uma pergunta sobre o fato de o PSOL defender a suspensão do pagamento dos juros da divida e as ocupações de terra, Plínio disse que iria tratar do assunto, mas antes faria uma crítica ao tempo de três minutos que a Globo lhe ofereceu, contra os 12 minutos ofertados a Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB).

O candidato disse que “sempre viajou de classe econômica e nunca viu problema nisso”, mas que achava ruim que a emissora “criasse uma classe executiva para os candidatos chapa branca”.

Segundo o relato de uma pessoa que acompanhava a gravação, os profissionais da TV Globo interromperam a entrevista e propuseram a Plínio que ele gravasse novamente, desta vez sem a crítica, e em contrapartida o apresentador do “JN”, William Bonner, diria que o candidato protestou contra o tempo oferecido a ele.

Após uma negociação, o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) sugeriu a Plínio que ele gravasse uma crítica mais branda, o que foi feito.

Além do questionamento sobre o pagamento da dívida e as ocupações de terra, o candidato socialista foi questionado sobre a defesa de um novo regime para o país. Plínio respondeu que, embora seja socialista, não pretende criar um caos no país.

Ele disse também que é frequentemente questionado sobre a suspensão do pagamento da dívida, mas que ninguém questiona o calote social na população mais pobre nas áreas de saúde e educação.

A entrevista foi gravada pela manhã no Rio de Janeiro e deve ir ao ar à noite.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



70 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ed.

18 de agosto de 2010 às 01h07

Em respeito aos 80 anos de Plinio, poder-se-ia criar uma "vaga de idoso" para a presidência.

Responder

Fabio_Passos

14 de agosto de 2010 às 10h21

É preciso enfrentar os interesses que perpetuam a desigualdade no Brasil.
O Brasil é uma das sociedades mais desiguais do planeta.

"Ocupação de terra não é crime. É diferente de invasão de terra. O Superior Tribunal de Justiça já decidiu que não é nem crime de esbulho processório, nem crime de formação de quadrilha. É um apelo a uma sociedade insensível a respeito da necessidade que a população tem de ter terra para poder viver. A população rural não pode viver sem isso"
Plinio de Arruda Sampaio

Participem do plebiscito!

"
Hoje, o Brasil é o segundo maior concentrador de terras do mundo, perdendo apenas para o Paraguai. Assim, cada cidadã e cidadão brasileiro será convidado a votar, durante a Semana da Pátria, junto com o Grito dos Excluídos, para expressar se concorda ou não com o limite da propriedade.
"
[youtube uaMkm-NJCk4 http://www.youtube.com/watch?v=uaMkm-NJCk4 youtube]

Responder

Gerson Carneiro

14 de agosto de 2010 às 02h08

Esse papinho de que a propriedade no campo deve ser limitada a 1000 equitares… Hahahaha… não conseguiu nem os 12 minutos que a Globo concedeu à Dilma, Marina e Serra. Quero ver na hora da onça beber água:

– Ei, Gilmar Mendes, aquelas suas terras lá no Mato Grosso terão que ser reduzidas a 1000 equitares.

– Fica quieto Plínio. "São as regras das instituições" (como disse nosso colega ferrera13).

Ó coitado! Tô dizendo que o menino é um fanfarrão….

Responder

    Fabio_Passos

    14 de agosto de 2010 às 10h13

    E voce, o gilmar mendes e a rede globo já combinaram isso com o povo?

    Democracia direta é uma boa.
    E se a maioria da população votar sim para o limite de propriedade em 1.000 hectares… tem que fazer valer sim.

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 12h16

    Eu não apito nada, fico só observando. Sou mais fraco que o Plínio. No entanto a Globo já pôs o Plínio pra fazer o dever de casa. E ele se curvou. Só.

    Fabio_Passos

    14 de agosto de 2010 às 20h42

    Então… a premissa do Plinio é que você e todos os demais brasileiros passem a apitar.

    O único dever de casa que o Plinio faz é criticar os interesses da burguesia.

    Gerson Carneiro

    15 de agosto de 2010 às 12h33

    Quando o jornalista Lúcio Flávio Pinto ("o passageiro da agonia") começar a apitar já me sentirei satisfeito. Eu até passo o meu apito pra ele.

    Fabio_Passos

    15 de agosto de 2010 às 13h07

    Eu apito junto com uma galera… mas não abro mão do meu apito.

    Gerson Carneiro

    15 de agosto de 2010 às 15h16

    Vamos fazer o seguinte: você vota no Plínio, e eu voto na Dilma. E nossa amizade continua :)
    Ah… e o Plínio é o melhor candidato. E você tem razão. Pronto.
    (senão essa discussão não pára)

    Gerson Carneiro

    15 de agosto de 2010 às 15h22

    Eu pensava que a vizinha aqui de casa fosse teimosa, mas tô vendo que ela é uma Santa :)

    Fabio_Passos

    14 de agosto de 2010 às 10h14

    Participe também!

    [youtube p5hG9DOwSh0 http://www.youtube.com/watch?v=p5hG9DOwSh0 youtube]

Fabio_Passos

13 de agosto de 2010 às 22h48

Quem deve temer a auditoria e suspensão dos pagamentos da dívida?

As 50 mil famílias de grã-finos parasitas que mamam nas tetas do Estado!
É dinheiro do povo que sustenta a vida boa da ricaiada crápula… que sequer precisa trabalhar.

É… esta moleza vai acabar.

"Nós estamos propondo uma auditoria na dívida. Não precisa ser de todos. Pode ser de uma categoria, como os grandes devedores, não os pequenos. Os grandões… é um problema. Nós vamos enfrentar. O que não podemos é enfrentar uma dívida que já foi paga. O Getúlio [Vargas] em 1931 fez uma auditoria na dívida externa. Caiu 50%".
Plinio de Arruda Sampaio

Responder

    Sagarana

    14 de agosto de 2010 às 07h58

    Salvo engano o Plínio estava no PT quando foi publicada aquela famosa carta ao "povo" brasileiro.

    Ed.

    18 de agosto de 2010 às 00h51

    Fabio Passos, suas preocupações e intenções são legítimas!
    Se eu fosse Deus, as atenderia…
    Mas … não sou…
    E ninguém é…

Fabio_Passos

13 de agosto de 2010 às 22h39

Os ricos acreditam que podem manter seus privilégios indecentes para sempre… ledo engano.
O povo quer justiça!

“A Justiça do Brasil é para ricos e não para pobres. O que precisa é colocar dinheiro nisso [nos juizados] e colocar isso em cada esquina”

"Plínio Sampaio quer aumentar o número de juizados de Pequenas Causas" http://www.domtotal.com/noticias/detalhes.php?not

Responder

Sagarana

13 de agosto de 2010 às 21h04

Somente o Plínio pode nos transformar em uma Venezuela. Esse é o verdadeiro petista.

Responder

Fabio_Passos

13 de agosto de 2010 às 20h44

A onda Socialista tá ganhando massa crítica!
A burguesada já começa a suar frio.

Lá no Nassif o Plinio recebeu boa repercussão… confiram:

"Plínio manda-brasa"
Enviado por luisnassif, qui, 12/08/2010 – 19:41 http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/plinio-m

Responder

    Ed.

    18 de agosto de 2010 às 00h52

    Fabio…1%…
    Em 1964 a massa crítica era muito mais massa…
    …e foi muito mais "crítica"!

Fabio_Passos

13 de agosto de 2010 às 18h57

Plinio é o candidato com as propostas mais avançadas para o Brasil.

Só não vê quem não quer…

Leiam a posição do Plinio sobre o aborto:

"Apoio o movimento em favor da descriminalizaçào do aborto porque, evidentemente, a lei atual demonstrou ser, não apenas ineficaz, mas claramente perniciosa, uma vez que obriga as mulheres a recorrer a pessoas despreparadas e inescrupulosas para interromper uma gravidez indesejada."

"O problema do aborto" http://www.plinio50.com.br/noticias/249-o-problem

Responder

    Ed.

    18 de agosto de 2010 às 00h57

    Fabio, eu tenho uma proposta avançadíssima!…
    100% dos 7 bilhões de habitantes do planeta vão adorá-la!
    Acabar com a fome e a pobreza!
    Só resta dizer COMO eu farei…
    NESTE mundo que conhecemos.
    De muitos egoístas poderosos e meia dúzia de Madres Therezas
    Mas isso é "outro problema"…

Dilson

13 de agosto de 2010 às 18h57

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/notici

Plínio disse que o ataque à Globo foi brincadeira.

Ninguém riu.

Responder

Wildner Arcanjo

13 de agosto de 2010 às 18h14

Faltam pessoas com a convicção do Plínio de Arruda, para serem bons políticos neste país. Porém, a todos, inclusive à ele, falta coragem para sustentar as convicções que possuem. Seria mais nobre, convicto, político e corajoso, se tivesse deixado o set e divulgado uma nota na Internet com o fato ocorrido. Teria ganho o meu apreço.

Responder

    Fabio_Passos

    13 de agosto de 2010 às 20h47

    Plinio tem o apreço de toda a esquerda brasileira… e cada vez mais vai ganhar o apreço da nossa população segregada.

    "A desigualdade precisa terminar. Este país não pode seguir desigual como se encontra. A diferença de 40% entre os mais ricos e os mais pobres é um escândalo. Isso é uma coisa que nós não podemos aceitar em hipótese nenhuma."
    Plinio

    Ed.

    18 de agosto de 2010 às 00h59

    O problema, Fabio, é que as "hipóteses nenhumas" … são muitas!

    Wildner Arcanjo

    14 de agosto de 2010 às 11h15

    Nossa esquerda sempre foi de muito discurso e pouca prática, no final das contas, no frigir dos ovos, é tudo a mesma coisa. Puro fisiologismo.

    Continuo dizendo, seria mais nobre ter se retirado do set. Eu, na minha modesta opinião, se fosse político e pelas convicções que tenho, tinha feito isso.

Fabio_Passos

13 de agosto de 2010 às 18h08

Dá-lhe Plinio!

É a burguesia quem dá calote no povo.
E a rede globo quem sabota a nossa democracia.

Chega de caloteiros e sabotadores da direita!
Plinio Presidente.

Responder

Gorbachev

13 de agosto de 2010 às 18h01

Neste momento, o objetivo principal da Globo é levar a eleição para o segundo turno. Uma das alternativas é colocar um dos candidatos "nanicos" em evidência e, desta forma, atrair aqueles votos de protesto, principalmente daqueles que anulariam o seu voto. Vamos lembrar que se a Dilma não conseguir 50% + 1 dos votos válidos, então teremos o segundo turno. Estou na luta para liquidar a fatura já no primeiro e manter o Brasil no rumo certo. Saudações.

Responder

José Paulo

13 de agosto de 2010 às 17h37

Acabo de ler na Carta Maior um primor de artigo do Laurindo Leal Filho.
A sacanagem é conhecida, mas não deixa de ser estarrecedora, ainda mais quando acompanhada de um relato de alguém que ainda está dentro da Globo e sob o jugo do Golbery do Couto e Silva da ditadura global, Herr Ali Kamel. http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMost

Responder

Rafael

13 de agosto de 2010 às 17h27

O que o Plínio faz serve a direita e somente atrpalha o movimento trabalhista que se iniciou com Lula.

Responder

Lucas Cardoso

13 de agosto de 2010 às 16h20

Alguém mais tá acreditando que a Globo tá dexando o Plínio falar? É um sonho virando realidade. Acho muito bom que ele tá usando o afã midiático de tirar votos da Dilma para explicar suas ideias socialistas. Só louco acha que ele ganha a eleição, mas o fato dessas questões serem discutidas (na Globo!) já é uma vitória do Plínio. Só espero que ele consiga os malditos três por cento dos votos pra Globo não ter mais desculpas e dexar ele falar os doze minutos dele.

Que tal uma campanha? Se a Datafolha ligar pra você, fala que você vota no Plínio. Não precisa votar nele nas eleições (assim como eu não farei), é só manter o mínimo de três pontos percentuais das intenções de voto.

Responder

André D.

13 de agosto de 2010 às 14h48

A todos aqueles que propoem "Cala a Boca" isso ou aquilo, eu digo: mobilização do sofá é tudo o que querem. Se todo mundo que mandasse Dilma ou Serra calar a boca saísse às ruas… Nem precisa tanto, só converse com os seus amigos ou parentes, esclareça as coisas, leve a campanha para o MUNDO REAL.

Não gostou do que eu disse? Eu acho uma p*ta falta de sacanagem!

Responder

Franco Atirador

13 de agosto de 2010 às 14h28

Não sei por que o PSOL (do Plinio Enéas Carneiro Sampaio), o PV (da Marina Inacia da Silva), o PSTU (do Zé Maria, o próprio), o PSDC (do Zé Maria Eymael) querem levar o Serra para o 2º turno.

Será que é por questão de sobrevivência política ou por puro exibicionismo?

Responder

Observadoro

13 de agosto de 2010 às 14h08

Plínio está mais preocupado em detonar o governo Lula e desconstruir a candidatura da Dilma do que em se apresentar como candidato. Esse é o grande mal do PSOL, grupo de ex-petistas rancorosos que (salvo poucos) vivem para se vingar do PT atual.

Como o pessoal do PSOL se sentiria se o Serra ganhasse essas eleições?

Responder

zcarlos

13 de agosto de 2010 às 14h03

Olá Azenha,
Veja no link abaixo um vídeo que fizemos sobre as entrevistas do JN com os presidenciáveis.
Você vai gostar!
Um abraço e bom trabalho.
http://contextolivre.blogspot.com/2010/08/sera-qu

Responder

José Paulo

13 de agosto de 2010 às 13h54

Segundo consta, quem orientou o Plínio a se afinar foi o Chico Alencar. Turrão, mas de opiniões sólidas e radicais, acredito que o candidato optaria pelo bate-boca.
E, mais… desmascarar a mídia golpista tem a cara dele, tem tudo a ver com as idéias socialistas que defende e com as sacanagens praticadas contra um governo que bem ou mal aproveitou algumas de suas idéias. O erro, no meu entender, foi tentar fazer isso numa entrevista gravada, e de apenas 3 minutos de duração!
Mas, no debate ao vivo, onde não haverá grande margem para reflexões de M.C. Bonner e nem da eminência parda AK., terá a imperdível oportunidade de virar a giratória para o lado certo, prestando um enorme serviço público, denunciando as falcatruas da Globo, da Veja, da Folha, do O Globo e demais componentes do PIG, e isto para uma audiência em torno de 30 pontos. Se o fizer recuperará o respeito que um dia tive por ele e, talvez quem sabe, o meu voto no primeiro turno.
Finalmente, se a entrevista foi gravada, como é que se explica a tal INTERRUPÇÃO?!?
Quem decidiu que deveria ser interrompida, iniciando a “negociação” ?!?
Quem decidiu o que do lado da Globo?!?
O entrevistador não tinha competência para resolver o impasse???
Não constitui isso o mais perfeito atestado do que disse o Rodrigo Viana e o antigo editor de economia do JN Aurélio Melo, de que todo jornalismo da Globo é internamente censurado, e de que nada, absolutamente nada vai para o ar sem passar pelo crivo do Sr. Ali Kamel, o Golbery do Couto e Silva da didatura global???

Responder

assalariado.

13 de agosto de 2010 às 12h42

É impressionante as analises de alguns dos navegantes sobre esta "entrevista" do Plinio.Nenhum,até o momento,teve a coragem de analisar as (pergunta/respostas) ,e fazer comparações com os outros candidatos.

Também seria interessante descobrir o que ficou em off,nesta "entrevista".

Tem coragem Azenha?

Saudações socialista.

Responder

Marcelo de Matos

13 de agosto de 2010 às 12h07

Plínio é um intelectual brilhante e tem um currículo invejável. Sua plataforma econômica, porém, não me parece adequada para o momento político. Em entrevista a Carlos Chagas disse que contesta o fato do Brasil ser um exportador de commodities, como soja para alimentar boi no Japão e celulose para fabricar papel higiênico na Europa. Embora razoáveis do ponto de vista teórico, essas metas são impróprias para a campanha. Plínio se apresenta mais como um anticandidato. Dizendo-se um democrata cristão histórico, defende o aborto, a descriminalização da maconha e o casamento gay. Defende, ainda, a ocupação de terras, que distingue da invasão, o que constitui outra tese difícil de explicar em um minuto de programa eleitoral. Diz que Dilma é uma tocadora de obras, que não tem expressão política alguma, mas, terá de explicar suas diferenças com outro nanico, o também democrata cristão histórico Eymael. Por tudo isso parece que a candidatura Plínio dificilmente decolará.

Responder

Fernando

13 de agosto de 2010 às 11h14

O governo Lula faz o jogo da direita ao financiar o PIG opressor dos partidos de esquerda.

Responder

Klaus

13 de agosto de 2010 às 10h48

A campanha da própria Dilma não abre mão do Jornal Nacional. Todo o dia da candidata é pensado levando-se em conta as reportagens que vão aparecer no jornal. Assim como o Serra e a Marina. Dilma não pode abrir mão disto. Sorry!

Responder

    Carlos

    13 de agosto de 2010 às 13h42

    Cite um exemplo de que Dilma foi pautada pela Globo.

    Klaus

    13 de agosto de 2010 às 16h03

    Carlos, meu querido, não disse que a Dilma é pautada pela Globo, se dei a entender isto, me desculpe. O que eu disse, e achei que estava claro, é que os compromissos de campanha da candidata petista, bem como os de Serra e Marina, são pensados para que os horários destes permitam que sejam divulgados no Jornal Nacional. Fui claro? Vc acha que a Dilma seria capaz de dispensar a cobertura do Jornal Nacional?

    toni gatto

    13 de agosto de 2010 às 14h50

    Sorry nada Klaus. Sorria. Ela vai levar meu chapa, na primeira guasca. Aufiderzin, adieu, goodbye-bye Mr Serra! Agora, cá entre nós, olhando bem de perto teus olhos azuis: pq ela deveria abrir mão, hien??? rararara!!!! Conta outra, aquela do português Catarinense vai.

    Helcid

    13 de agosto de 2010 às 16h12

    chora trollzinho !! Serra cavou a própria cova !! Muito bem feito pra ele !! E ainda bem para o Brasil !!

    Ed.

    18 de agosto de 2010 às 01h05

    É que a candidata é tão "macha" que enfrenta até os piores inimigos…
    Mas não se iluda:
    O JN cai cada vez mais no seu nível…
    De jornalismo…
    E de audiência…
    Enquanto isto…
    Dilma sobe!

Paulo Cavalcanti

13 de agosto de 2010 às 09h45

Gente, vamos contemporizar,

O Plínio tem história, devemos respeitá-lo, embora discordemos de muitas coisas. Ele tem 80 anos, e pode tudo, ponto final.

abs

Responder

luiscarlos

13 de agosto de 2010 às 09h45

Bom dia, Azenha.

Acompanho seu blog em off e parabenizo pelo seu trabalho. Seria bom a blogosfera que apoia Lula ficar atenta, pois Veja prepara reporcagem para tirar a credibilidade de vcs. A blogosfera está a incomodar os barões da mídia.

Responder

Valeria Gomes

13 de agosto de 2010 às 09h22

o Plinio não devia ter aceitado negociar com a Globo! É censura!!!!

Responder

Carlos

13 de agosto de 2010 às 09h18

Fosse entrevista ao vivo para o Ferreira Neto, Plínio não afinaria?

Responder

Jairo_Beraldo

13 de agosto de 2010 às 08h39

Houve um tempo na política brasileira, quando um político que poderia ser chamado de "aliado", realmente vestia sua camisa. Estava mesmo ao seu lado. Mas os tempos mudaram. Alguns poucos continuam assim. E Plínio é um destes políticos. Assim como Dilma também é.

Responder

    Sergio Castro

    13 de agosto de 2010 às 16h34

    Apoiado!!!!

Hélio César

13 de agosto de 2010 às 08h38

A Globo, O Casal do Sec. Passado e a Ali Kamel, em resumo: RIDÍCULOS. Vamos fazer um – Cala Boca JN – no twiter. É a nossa sensura a esse veiculo de manipulação.

Responder

Mário Salerno

13 de agosto de 2010 às 08h31

O Ed quase acertou. A "entrevista" se resumiu a repisar o mesmo tema da época do Collor, que consistia em dizer "Seu Plínio mas o senhor vai dar um calote, vai confiscar a poupança, blá, blá, blá…"

Responder

Natale Vanz(cabeção)

13 de agosto de 2010 às 08h19

Tu quoque, Plínio?!
A regra(sic)não era de até 12 minutos por candidato/entrevista? Não é regulamentada, a entrevista, pelo TSE/TRE?
Vende-se Consciência ou “mijou para trás”. Preço: 3 minutos no horario nobre do Jn.
Oitenta anos de história jogado no esgoto da vaidade.
Lamentável.

Responder

    Franco Atirador

    13 de agosto de 2010 às 17h25

    O que não se faz por uns minutos de fama na TV.
    É por isso que essa emissora pode mais.

Jairo_Beraldo

13 de agosto de 2010 às 07h52

E a transcrição? Cadê a transcrição?

Responder

Gerson Carneiro

13 de agosto de 2010 às 06h44

Entrevista delivery, de apenas três minutos, com exigências do Plínio e condições mútuas prontamente acordadas.
Já é outro Plínio, que não aquele Plínio taxativo, astuto e combativo, do debate da Band. Não entendi porque afinou diante da Globo, especialmente diante dos três míseros minutos que a Globo lhe concedeu, longe da bancada do JN.

“Contanto que deixe um pouquinho
um pouquinho pro santo”

O mal é o que sai da boca do homem
Composição: Pepeu Gomes/Baby do Brasil/Galvão

Responder

    ferrera13

    13 de agosto de 2010 às 14h56

    Porque são as regras das instituições. E querem nos fazer acreditar que é possível mudar tudo com a caneta presidencial. Aos poucos, o próprio Plínio vai perceber que construir uma maioria consiste em convergir as ideias com a maioria.

    Gerson Carneiro

    13 de agosto de 2010 às 21h01

    Pois é… se ele não conseguiu nem os 12 minutos concedidos à Dilma, Serra e Marina como ele pretende delimitar a propriedade rural em 1.000 equitares? Quero ver encarar os grandes latifundiários, se não conseguiu encarar nem o casal 45 do JN.

    pablo

    14 de agosto de 2010 às 13h42

    Para encarar os grandes latifundiarios será necessária muita mobilização popular, muito diferente da estratégia de compra de votos e negociações parlamentares que caracterizam a aprovação de leis e medidas de interesse nacional, atualmente. Para isso precisamos de um povo tomado de massa crítica, que tome nas mão sseu próprio destino, sem esperar nada de "padrinhos". Sugiro aos navegantes da internet deixarem de lado as telas do computadores e acompanhar o que acontece no Brasil rural. Carneiro, pela forma como vc fala da unidade de área mais comumente utilizada na mensuração de imóveis rurais, percebe-se claramente a 'intimidade' que tens com essa questão…não surpreende que chame o atual clamor da sociedade por justiça no campo de "papinho…". Pelo limite de propriedade de 1000 HECTARES: Reforma Agrária, em nome da JUSTIÇA SOCIAL E SOBERANIA POPULAR !

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 15h53

    Pablo, confesso: deu-me um nó na hora de escrever a palavra HECTARES… pelo adiantado da hora e pela pressa resolvi não pesquisar (até o google poderia auxiliar-me), a prioridade era a transmissão da mensagem, sem a preocupação com a ortografia (tinha a erteza que você sabia escrevê-la corretamente).

    Gostei e concordo quando diz que "Para encarar os grandes latifundiarios será necessária muita mobilização popular". Engana-se quando diz que chamo o "atual clamor da sociedade por justiça no campo" de "papinho". A forma como o Plínio se posicionou no debate, isto sim para mim não passa de um PAPINHO. Hitler foi excepcional em retórica, no entanto o resultado prático foi a catástrofe conhecida até mesmo por quem escreve HECTARES como "equitares". No mais, um abraço.

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 18h34

    "erteza" = certeza.

    quando eu tiver uma grana suficiente para contratar uma secretária, esses problemas menores restarão resolvidos.

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 18h51

    Se um dia nois se gostasse
    Se um dia nois se queresse
    Se nois dois se empareasse
    Se juntim nois dois vivesse
    Se juntim nois dois morasse
    Se juntim nois dois drumisse
    Se juntim nois dois morresse
    Se pro céu nois assubisse
    Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse
    a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
    E se eu me arriminasse
    E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
    E a minha faca puxasse
    E o bucho do céu furasse
    Tarvês que nois dois ficasse
    Tarvês que nois dois caisse
    E o céu furado arriasse
    e as virgi toda fugisse

    Ai Se Sêsse – Composição: Zé Da Luz

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 19h00

    [youtube ReVVuq0SnlY http://www.youtube.com/watch?v=ReVVuq0SnlY youtube]

    Gerson Carneiro

    14 de agosto de 2010 às 16h03

    Em tempo: o Lula é o Lula… e ele fala "menas", no entanto tem mais intimidade com as mazelas do povo do que o letrado FêGêAgáCê.

    "Lá no meu sertão pros caboclo lê
    Têm que aprender um outro ABC
    O jota é ji, o éle é lê
    O ésse é si, mas o érre
    Tem nome de rê
    Até o ypsilon lá é pissilone
    O eme é mê, O ene é nê
    O efe é fê, o gê chama-se guê
    Na escola é engraçado ouvir-se tanto "ê"
    A, bê, cê, dê,
    Fê, guê, lê, mê,
    Nê, pê, quê, rê,
    Tê, vê e zê."

    ABC do Sertão – Composição: Zé Dantas / Luiz Gonzaga

Juliana M. Oliveira

13 de agosto de 2010 às 02h54

hahahaha, tava na cara que o jornalismo #fail da Rede Globo ia censurar o Plínio, ele fala na cara sem dó, era de se esperar. A Globo aceitou entrevistar o Plínio depois de muita pressão do PSOL via abaixo-assinado, protestos via Twitter, etc. Eles falam em democracia, mas a essa emissora tucana é a primeira em não ser democrática. 3 minutos? Tenha dó. Eu sou Dilma, mas acho que o Plínio tenha o livre direito de se expressar e ter os mesmos direitos que os outros candidatos tiveram.

Responder

    ferrera13

    13 de agosto de 2010 às 14h54

    Juliana, você deveria pelo menos ler a transcrição da entrevista. Plínio se sujeitou às condições do PIG e seria obrigado a se sujeitar às instituições nacionais. Não é possível ser diferente. Quando pressionado sobre o calote na dívida externa, teve que reavaliar seus conceitos ali na entrevista. Plínio não repetiu a performance do debate da Band.

    Gerson Carneiro

    15 de agosto de 2010 às 07h16

    Perfeito.
    Não dá para seguir no embalo das idéias mirabolantes do Plínio. Foi assim com o Lula em 89. Chegou a defender idéias que ainda que ganhasse naquele momento não seria possível levar adiante.

    Gerson Carneiro

    15 de agosto de 2010 às 07h33

    Acabei não comentando o crucial da questão "Plínio se sujeitou às condições do PIG".
    Exatamente. A Globo, através do Bonner, justificou argumentando a existência de um "critério" para concessão dos 12 minutos e da presença do entrevistado na bancada do JN. Fico a perguntar: o que é a Globo nesse processo eleitoral a definir critérios e regras? Está claro que a Globo escolheu dois candidatos afinados entre si para discursar contra a Dilma na tal "série de sabatina", e o Plínio, por motivos a mim obscuros, foi excluído dessa, sujeitando-se às condições do PIG. Daí minha bronca com alguém que no debate da Band havia se mostrado "valente", como uma "terceira via" e rapidamente baixou o facho. Lembrando até o recente episódio com o Felipe Massa: "Plínio… Plínio… eles estão bem mais rápido que você. 'Bem Mais Rápido'. Entendeu? Sorry."

    pablo

    14 de agosto de 2010 às 13h44

    concordo com você Juliana, e acho que a globo deveria ser judicialmente obrigada a conceder os 9 minutos restantes para o PSOL apresentar suas propostas de governo no famigerado JN.

Ed.

13 de agosto de 2010 às 01h14

Deixa eu advinhar: O Boné abriu falando do protesto de Plinio.
Em seguida fez à ele uma pergunta de 2 minutos e meio sobre o “mensalão do PT”…
Quando ele começou a responder, Fatima interveio:
O tempo, candidato, o tempo! O sr tem 30 segundos para falar…
Quando ele recomeçou a falar…
Boné: “em respeito aos outros candidatos: Boa noite!”
Acertei?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.