VIOMUNDO

Diário da Resistência


Eliara Santana: Lula ou Bob Esponja? Que critérios guiam a imprensa brasileira na produção da notícia?
Desnudando a mídia

Eliara Santana: Lula ou Bob Esponja? Que critérios guiam a imprensa brasileira na produção da notícia?


22/11/2021 - 18h08

Por Eliara Santana*

A capa da edição de 21 de novembro, domingo, do jornal espanhol El País trouxe uma chamada para a reportagem/entrevista com o ex-presidente Lula.

Internamente, a entrevista ocupa duas páginas do jornal, repercutindo a viagem do ex-presidente pela Europa, com uma grande agenda.

Ao lado dessa capa, vocês também podem ver as capas dos principais jornais brasileiros – Folha de S. Paulo, O Globo e O Estado de S. Paulo no domingo.

Os três maiores jornais do país trazem em destaque as prévias do PSDB que iriam ocorrer naquele dia – partido que não é o maior do país – e nada sobre a viagem do ex-presidente Lula à Europa, com uma importante agenda internacional no momento em que o Brasil se tornou piada no exterior por causa da ingerência e da ignorância estúpida de Jair Bolsonaro.

Como já dito aqui e por vários analistas e comentaristas, a agenda de Lula no continente europeu foi uma agenda de chefe de Estado, e a imprensa estrangeira repercutiu essa dimensão.

Mas isso não mereceu nenhum destaque, isso não foi tema relevante para a imprensa brasileira, isso não foi assunto, portanto, não será notícia.

Para o Estadão, por exemplo, até o personagem Bob Esponja merece destaque.

O ex-presidente que tirou milhões da miséria no Brasil e que é recebido com honras de chefe de Estado pelo presidente francês Emmanuel Macron não merece.

As prévias do PSDB no JN

Na edição do dia 20/11, o Jornal Nacional fez uma matéria de três minutos sobre as prévias do PSDB, que iriam acontecer no dia 21.

Exatamente isso: matéria de três minutos para anunciar um evento, uma votação que iria ocorrer ainda.

Para anunciar as prévias de um partido que NÃO é o maior partido do país. Um partido que encolhe a cada ano e que está vivendo uma briga intestina dos caciques restantes.

A reportagem do JN deu destaque aos três postulantes que disputam quem será o candidato tucano para concorrer à presidência da República no ano que vem.

A reportagem destacou, com boas imagens os postulantes. Relembrou a trajetória e a vida de cada um. Ouviu os três, e deixou que eles dessem o seu recado, que falassem da suposta vontade de ajudar o Brasil – cada um teve quase 20 segundos de fala direta, num ambiente bastante produzido e idílico, agradável, limpinho e cheiroso.

Todos os detalhes para as prévias foram mostrados na matéria – locais de votação, a preparação para as prévias, o cuidado com as urnas, os filiados aptos a votar, o número de votos necessário, a possibilidade de segundo turno – parecia até a eleição para a presidência da República, e não para escolher o candidato de um partido que irá para a disputa no ano que vem.

Ao final da reportagem, para garantir o tom de neutralidade (falsa), alguns segundos para relatar a quantas andam as outras candidaturas.

Apenas para lembrar e comparar, a viagem de Lula pela Europa não recebeu nenhuma menção. Apenas ganhou um pequeno espaço na edição do JN o encontro dele com o presidente francês Macron.

Lula foi recebido com honras de chefe de Estado num momento em que o mundo vira as costas para nós por causa da estupidez de Jair, o incomível, e esse evento mereceu míseros 36 segundos na edição de quinta-feira do JN, sendo que não houve nenhuma fala direta do ex-presidente.

A filiação de Sergio Moro ao Podemos – repito, filiação a um partido político, algo bem corriqueiro – recebeu três minutos na edição do dia 10/11. PSDB e Moro, juntos (como estiveram por bastante tempo), tiveram mais de seis minutos nas edições recentes do JN. Lula teve 36 segundos.

De fato, os critérios que guiam a construção da notícia na imprensa corporativa brasileira são mesmo bem nebulosos. E precisam ser bem esmiuçados.

*Eliara Santana é jornalista e doutora em Linguística pela PUC/MG.





8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

24 de novembro de 2021 às 03h02

https://www.redebrasilatual.com.br/wp-content/uploads/2021/11/Lula22vitorias-819×1024.jpg

LULA TEM 22ª VITÓRIA NA JUSTIÇA
Desta vez em uma Ação na JF-SP
contra os Filhos do ex-Presidente

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
obteve na quinta-feira (18) sua 22ª vitória na Justiça.
Desta vez, a 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo
decidiu arquivar, por falta de provas, um inquérito
contra três de seus filhos.
O próprio Ministério Público Federal em São Paulo
recomendou o encerramento da investigação, acolhido
pela juíza Maria Isabel do Prado, que mirava Fabio Luis,
Marcos Cláudio e Sandro Lula da Silva.

Após a decisão, a defesa do ex-presidente reforçou em nota
que “o material utilizado para abrir a investigação contra
os filhos de Lula tem origem na Operação Lava Jato
de Curitiba, que foi declarado nulo pelo Supremo Tribunal Federal após o reconhecimento da incompetência da
13ª Vara Federal de Curitiba e, também, da suspeição do
ex-juiz Sergio Moro.

Por sua vez, o portal lula.com.br assinalou que “as sucessivas vitórias judiciais de Lula e de sua família não apenas comprovam sua inocência, mas atestam a intensa perseguição jurídica e midiática de que o ex-presidente foi vítima”.

A seguir confira as 22 vitórias judiciais de Lula.

1. Caso Tríplex de Guarujá
A defesa provou que Lula nunca foi dono, nunca recebeu nem foi beneficiado pelo apartamento em Guarujá, que pertencia à OAS e foi dado em garantia por um empréstimo na Caixa. Vitória: caso anulado pelo STF em duas decisões, restabelecendo a inocência de Lula.

2. Caso Sítio de Atibaia
A defesa provou que Lula nunca recebeu dinheiro da Odebrecht para pagar reformas no sítio, que também nunca foi dele. A transferência de R$ 700 mil da Odebrecht, alegada na denúncia, foi na realidade feita para um diretor da empresa, não para obras no sítio. Vitória: caso anulado pelo STF, restabelecendo a inocência de Lula;

3. Tentativa de reabrir o Caso Sítio de Atibaia
Tentativa de reabrir o Caso Sítio de Atibaia – A defesa provou que não é possível reabrir a ação penal contra Lula pelas reformas no sítio, que jamais pertenceu a ele. A juíza da 12ª. Vara Federal de Brasília acolheu os argumentos da defesa e rejeitou o pedido do procurador da República Frederico Paiva de abrir uma nova ação penal em relação ao caso perante a Justiça Federal de Brasília, para onde os autos foram remetidos após decisão do STF que anulou o processo originado na Vara de Sérgio Moro em Curitiba. Vitória: decisão mantida, Lula inocentado.

4. Caso do Terreno do Instituto Lula
A defesa provou que o Instituto nunca recebeu doação de terreno, ao contrário do que diz a denúncia da Lava Jato, e sempre funcionou em sede própria. Vitória: caso anulado pelo STF.

5. Caso das Doações para o Instituto Lula
A defesa provou que as doações de pessoas físicas de mais de 40 empresas brasileiras e de outros países para o Instituto, entre 2011 e 2015, foram todas legais, declaradas à Receita Federal, e jamais constituíram qualquer tipo de propina ou caixa 2. Vitória: caso anulado pelo STF.

6. Caso do Quadrilhão do PT
Esta é mais grave e a mais irresponsável de todas as acusações falsas feitas contra Lula; a de que ele seria o chefe de uma organização criminosa constituída para drenar recursos da Petrobras e de outras empresas públicas. A 12ª. Vara da Justiça Federal de Brasília arquivou a denúncia por verificar que o MPF fez a gravíssima acusação sem ter apontado nenhum crime, nenhum ato ilegal ou de corrupção que tivesse sido praticado por Lula, seus ex-ministros ou por dirigentes do PT acusados junto com ele. O juiz afirmou que a denúncia simplesmente tentava criminalizar a atividade política. Vitória: caso encerrado, Lula absolvido.

7. Caso Quadrilhão do PT II
Uma segunda denúncia no mesmo sentido da anterior foi simplesmente rejeitada pela 12ª. Vara da Justiça Federal de Brasília. Caso encerrado e arquivado, Lula inocentado.

8. Caso Delcídio (obstrução de Justiça)
A defesa provou que era falsa a delação do ex-senador Delcídio do Amaral. A denúncia era tão frágil que sequer houve recurso da acusação contra a decisão da 10ª. Vara da Justiça Federal de Brasília que absolveu Lula. Caso encerrado, Lula absolvido.

9. Caso das Palestras do Lula
Inquérito aberto em na Vara Federal de Sergio Moro em dezembro de 2015, com objetivo de acusar Lula de ter simulado a realização de palestras, em outra farsa da Lava Jato. A defesa provou por meio de vídeos, gravações, fotografias e notícias a realização de todas as 72 palestras de Lula organizadas pela empresa LILS, entre 2011 e 2015. A Polícia Federal e o Ministério Público (Força Tarefa) tiveram de reconhecer que as palestram foram realizadas sem qualquer ilicitude ou simulação. A legalidade das palestras teve de ser reconhecida em decisão da juíza substituta de Moro, Gabriela Hardt. Caso encerrado, reconhecendo a inocência de Lula.

10. Caso da Lei de Segurança Nacional
Já na condição de ministro da Justiça, Sergio Moro requisitou à Polícia Federal a abertura de inquérito contra Lula, com base na Lei de Segurança Nacional do tempo da ditadura. Lula foi intimado e prestou depoimento à PF. O inquérito foi sumariamente arquivado pela 15ª. Vara Federal Criminal de Brasília. Caso arquivado, Lula inocentado.

11. Caso do filho de Lula (Touchdown)
A defesa demonstrou que eram falsas as acusações do Ministério Público contra Luiz Cláudio Lula da Silva, pela atuação de sua empresa de eventos esportivos Touchdown. A denúncia foi rejeitada pela 6ª. Vara Federal Criminal de São Paulo. Caso encerrado, Lula inocentado.

12. Caso do irmão de Lula
A defesa demonstrou que não havia ilegalidade, fraude ou favorecimento nos serviços que Frei Chico, um dos irmãos de Lula, prestou à Odebrecht em negociações sindicais desde antes do presidente ser eleito. A 7ª. Vara Federal Criminal de São Paulo rejeitou a denúncia falsa. Caso encerrado, Lula inocentado.

13. Caso do Sobrinho de Lula
A defesa provou que não houve irregularidade, ilegalidade nem favorecimento na subcontratação de uma empresa de um sobrinho do ex-presidente para uma obra da Odebrecht em Angola e que Lula não recebeu qualquer valor decorrente dessa relação contratual. O Tribunal Regional Federal da Primeira Região trancou o caso porque a denúncia era inepta (sem condições mínimas para ser processada). Caso encerrado e arquivado, Lula inocentado.

14. Caso Invasão do Tríplex
A 6ª. Vara Federal Criminal de Santos rejeitou a denúncia do Ministério Público referente ao protesto que integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto fizeram contra a condenação injusta de Lula no tríplex do Guarujá, em abril de 2018. Vitória: caso encerrado, Lula inocentado.

15. Caso Carta Capital
Procedimento de Investigação encaminhado à Justiça Federal de São Paulo. Em mais uma farsa, a Lava Jato tentou caracterizar como ilegais contratos de patrocínio da Odebrecht com a revista Carta Capital. A própria Polícia Federal pediu o arquivamento. Caso encerrado, Lula inocentado.

16. Caso da MP 471
Lula foi abusado de ter recebido contrapartida em virtude da edição da MP 471, que prorrogou incentivos à indústria automobilística. Depois de longa tramitação, o próprio MPF pediu a absolvição de Lula. O Juízo da 10ª. Vara Federal de Brasília absolveu Lula destacando que não havia justa causa para manter a ação. Caso encerrado, Lula inocentado.”

17. Caso da Guiné
Lula foi acusado da prática dos crimes de tráfico internacional de influência e de lavagem de dinheiro em virtude de o Instituto Lula ter recebido uma doação oficial de uma empresa brasileira que atua há muito tempo na Guiné Equatorial. Depois de longa tramitação, o Tribunal Regional Federal da 3ª. Região (TRF3) trancou a ação penal em habeas corpus impetrado pela defesa de Lula, reconhecendo que não havia elementos mínimos a justificar sua tramitação.

18. Caso BNDES / Angola
Denúncia baseada na ação penal conhecida pejorativamente como Quadrilhão do PT, em que Lula foi absolvido sumariamente a pedido do próprio Ministério Público Federal. Ação sem provas, também utilizava elementos provenientes de Curitiba, declarados nulos pela decisão do STF que reconhece a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. Ação penal trancada e imediatamente encerrada.

19. Caso Costa Rica / Leo Pinheiro
Investigação instaurada a partir da delação premiada de Leo Pinheiro, que inicialmente acusava Lula de ter realizado tráfico internacional de influência na Costa Rica para favorecer a empresa OAS. Nenhuma pessoa ouvida pela Polícia Federal confirmou a absurda versão apresentada por Leo Pinheiro no momento de sua delação premiada. O próprio executivo negou qualquer pagamento de vantagem indevida ao ex-presidente Lula em novo depoimento e em declaração de próprio punho. Investigação trancada por falta de provas e de base.

20. Segunda tentativa de reabrir o Caso Sítio de Atibaia
A 12ª. Vara Federal de Brasília voltou a rejeitar o pedido do Ministério Público Federal para reabrir o caso do sítio de Atibaia por falta de provas. uma vez que as provas utilizadas pela acusação são as mesmas fabricadas pela Lava Jato e já consideradas nulas pelo Supremo Tribunal Federal. acolheu os argumentos da defesa e rejeitou o pedido do procurador da República Frederico Paiva de abrir uma nova ação penal em relação ao caso perante a Justiça Federal de Brasília, para onde os autos foram remetidos após decisão do STF que anulou o processo originado na Vara de Sérgio Moro em Curitiba. Vitória: decisão mantida, Lula inocentado.

21. Caso da sonegação de impostos sobre imóveis alheios
Neste inquérito, Lula era acusado de não pagar impostos sobre reformas no triplex do Guarujá e no sítio de Atibaia, nenhum dos dois imóveis de propriedade do ex-presidente. O inquérito baseava-se nas provas forjadas pela Lava Jato, consideradas nulas por decisão do STF. O próprio Ministério Público Federal concordou com os argumentos da defesa, e a 1ª Vara Federal de São Bernardo do Campo arquivou o caso, por falta de provas.

22. Caso dos filhos de Lula
O inquérito acusava Fabio Luis, Marcos Cláudio e Sandro Lula da Silva, três filhos de Lula, de suposta sonegação de impostos por pagamentos feitos entre suas empresas. O inquérito se baseava em supostas evidências forjadas no âmbito da Lava Jato. O próprio Ministério Público Federal concordou com os argumentos da defesa e a 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo arquivou o caso, por falta de provas.

https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2021/11/mais-uma-vez-por-falta-de-provas-lula-obtem-nova-vitoria-na-justica/

Responder

João Ferreira Bastos

23 de novembro de 2021 às 14h28

Desde que o PT assumiu com LULA nos idos de 2000 vejo artigos como esse
Nada mudou
E não muda pois os articulistas não mudam o enfoque.

Deveriam cutucar as oposições cobrando uma mudança de posição.
Que as oposições façam o enfrentamento ao PIG

Esse tatibitati não leva a lugar nenhum, é chover no molhado

Responder

baader

23 de novembro de 2021 às 06h01

nenhuma surpresa, ao contrário das loas de qcomentaristas qdo.a empresa parece fazer jornalismo. globo, q alguns acham q pode abrir/tá abrindo espaço p/Lula: esta não tem sua voz isolada dos compromissos com a tal elite q a sustenta. ou esta rede de mentiras e chantagens não apoia totalmente agenda destrutiva (p/o país, não p/ela) de guedes? as “reformas” encontram na voz uníssona de comentaristas “globais” 100% do espaço… para defesa. ou estes abutres q faturam alto com privatização dos orçamentos públicos se voltarão p/Lula? CLT, previdência e agora o fim do serviço público com PEC32. a globo tem um candidato e o construirá neste país de analfabetos políticos e/ou interesseiros patrimonialistas. se diminuiu quantitativamente sua audiência desde collor (será mesmo? afinal, a globo tá nas redes sociais/outras plataformas tb), esta não foi afetada “qualitativamente”, por assim dizer. quem atua na comunicação social sabe da importância deste setor. quem assiste só as TVs, não conhece a vaza-jato, por exemplo. sabiam q a tal jovem pan é repetida localmente nos “buracos” de MG, municípios absolutamente deprimentes? quem anda por estes rincões-fim-de-mundo e sonda opinião dos moradores, melhor nem repetir aqui… moram/vivem em locais sem árvores, sem bibliotecas, sem teatros, cinemas ou praças/espaços urbanos ocupados; suas conversas não vão alem da ultima casa da rua, do último morro em volta (aliás, a própria geografia já inspira dificuldades e oprime, fecha o horizonte: não se vê o sol nascendo nem a beleza do poente colorido) – e todos têm seu celular com alguma “rede social”.
se formos esperar pela “imprensa hereditária” (xico sá), estaremos condenados a vagar no pantano da ignomínia em meio a desvalidos desesperados.

Responder

Plínio Lima

22 de novembro de 2021 às 22h56

Por isso não vejo mais o JN.
Eles (globo, folha, estadão, veja, isto é) não estão nem aí para o povo pobre. Ou seja, para nós.
Isso não é jornalismo.
Isso parece cobertura das “primaveras” da mulher do prefeito das cidades.
Virou um jornalismo de puxa-sacos.
Para fazer isso não precisa ir para uma faculdade. Qualquer um faz isso. De qualquer profissao. Noticiar qdo a mulher do prefeito foi ao salão de beleza.
Espero que o pt não de dinheiro para nenhum deles. Feche as propagandas públicas nesses jornais e tvs.
Defaz-se o mito de grandes empresários. São baba ovo dos políticos sendo salvos da bancarrota com o dinheiro do povo.

Responder

Zé Maria

22 de novembro de 2021 às 22h43

O Grupo Globo e a Mídia FasciPaulista (Folha e Estadão) são Tucanos Moristas,
Antipetistas que agregaram o Lavajatismo NeoFascista ao Neoliberalismo.
E historicamente são contra os Programas Sociais e a Soberania Brasileira.

Responder

    Zé Maria

    24 de novembro de 2021 às 06h55

    “Matéria do Jornal Nacional sobre os indicadores
    de democracia:
    “Segundo os especialistas, a democracia no Brasil
    atingiu o auge em 2013 e começou a cair em 2015′.
    Alguma dúvida sobre o papel da mídia e da Lava Jato?”
    Jornalista Luís Nassif
    https://twitter.com/luisnassif/status/1462936258896961541

Maria Carvalho

22 de novembro de 2021 às 22h00

Fora de pauta
Prezados, gostaria de fazer uma doação para ajudar no pagamento das custas do processo que esse ilustrado site fora condenado.
Por gentileza, envie para o meu e-mail os dados bancários para transferência (de preferência Banco do Brasil) uma vez que não disponho de rede social disponibilizada.
Agradeço antecipadamente

Responder

Wilson

22 de novembro de 2021 às 21h43

Olá professora Eliara, sou grande admirador e leitor assíduo do seu trabalho. Então estou preocupado e querendo ajudar o Viomundo por causa do processo judicial da médica. Só que não consigo encontrar nenhum endereço de e-mail do Viomundo e nem a chave pix deles pois gostaria de contribuir com uma doação para ajudá-los a pagar a injustiça da monarquia absolutista de toga. O problema é que no formato atual, o Viomundo obriga a gente a ter conta em big tech do tio Sam e eu tenho uma enorme aversão a qq tipo de relacionamento com esses mafiosos. Assim de peço a gentileza de pedir alguém do Viomundo para mandar pra meu e-mail a chave pix para que eu possa contribuir. Muito obrigado e parabéns pelo fino trabalho de vocês. Estamos juntos até o fim!!!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding