VIOMUNDO

Diário da Resistência


Época difama o ministro Lewandowski, futuro presidente do Supremo
Foto: Carlos Humberto/SCO/STF
Denúncias

Época difama o ministro Lewandowski, futuro presidente do Supremo


07/04/2013 - 13h05

Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

por Conceição Lemes

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e a mídia têm entalado o ministro Ricardo Lewandoswki, do Supremo Tribunal Federal (STF).

No julgamento do “mensalão”, Lewandowski não cedeu  à espetacularização do Ministério Público (MP) e às condenações midiáticas. Rejeitou a pressão maciça da chamada grande imprensa, encarando-a com dignidade e seriedade. Honrou a toga e o Direito brasileiro. Fez o que se esperava de alguém na sua posição: Justiça e defesa do Estado democrático no País.

Perguntado por esta repórter o que achava de Lewandowski ter sido até insultado pela mídia, o professor Dalmo de Abreu Dallari, um dos mais renomados e respeitados juristas brasileiros, respondeu:

A mesma imprensa que faz referências agressivas ao ministro Lewandowski é a que vem exigindo a condenação e não um julgamento imparcial e bem fundamentado de todos os casos. É a mesma imprensa que aplaudiu o STF, quando ele, no início do julgamento do chamado mensalão, passou por cima das nossas leis, extrapolando a sua competência. Nesse caso, o ministro Lewandowski tem sido o verdadeiro guardião da Constituição brasileira.

Pois neste final de semana o ministro sofreu novo ataque, pesadíssimo.

A revista Época publicou matéria sobre a prisão do britânico Michael Misick pela Polícia Federal. A ordem partiu de Lewandowski, após ser alertado pela embaixada do Reino Unido sobre um mandado de prisão contra Misick. Tempos depois, Lewandowski teve de soltá-lo. Misick já havia pedido refúgio no Brasil e  o Reino Unido não juntou aos autos os documentos originais relativos à extradição  dentro de 60 dias, que é o prazo exigido por lei. Lewandowski tomou ainda uma série de precauções:  Misick  teve de entregar o  passaporte ao STF, está sendo monitorado pela PF, não pode deixar o Estado de São Paulo e é obrigado a  visitas semanais a um juiz.

A matéria, porém, é um assassinato de reputação. Acusa  Lewandowski  de parcialidade em favor de advogados do PT. Só que não explica as razões jurídicas para duas decisões distintas e, ainda, diz uma série de inverdades.

Para Luis Nassif,  a fonte da matéria é a própria Procuradoria Geral da República —  do Procurador Geral Roberto Gurgel, diretamente ou através de emissários:  “A baixeza do ataque reforça as suspeitas sobre os jogos políticos da PGR. E dão um argumento a mais para os inimigos do Ministério Público”.

Já uma fonte do Judiciário põe essa matéria difamatória mais na conta da empresa que edita a Época — leia-se Globo —  e um dos jornalistas que a fez.

De qualquer forma, por trás dessa vilania, estariam a indicação do próximo ministro do STF pela presidenta Dilma em substituição a Ayres Britto, que se aposentou, e as eleições presidenciais de 2014.

Em nota ao Viomundo, a assessoria do ministro Ricardo Lewandowski esclarece:

1)  A nova orientação jurisprudencial do STF sobre a extradição evoluiu no sentido de não mais exigir a prisão preventiva automática dos extraditandos, salvo em situações excepcionais, a saber,  quando estes apresentem periculosidade ou exista risco de fuga iminente.

2) Essa alteração jurisprudencial deu-se porque a Corte passou a entender que não se poderia manter uma pessoa presa, em meio a criminosos com condenações definitivas, durante todo processo de extradição, por ser ele muito complexo e demorado, não sendo raro que se conclua pelo indeferimento do pedido extradicional.

3) O caso do Miscik é distinto dos demais, assemelhando-se ao caso Battisti, por ter aquele, tal como este, buscado formalmente refúgio no País e, portanto, encontrar-se sob a proteção do Estado brasileiro.

4)  O tratado de extradição firmado entre o Brasil e o Reino Unido determina que, se os documentos originais relativos à extradição não forem juntados aos autos do processo dentro de 60 dias, a prisão do extraditando deve ser imediatamente relaxada.

5) O prazo do tratado foi ultrapassado, sem que o Reino Unido tivesse apresentado no Supremo os documentos exigidos, nos autos do processo. Isso é fato.

6) A Lei de Refúgio, ademais,  determina a suspensão dos processos de extradição pelo tempo em que o pedido de refúgio estiver sendo apreciado pelo Ministério da Justiça.

7) Tecnicamente, pois, o indivíduo que ingressa com pedido de refúgio não ostenta a condição de extraditando.

8) Tendo em conta que inexiste prazo para a apreciação do pedido de refúgio, não se mostra razoável manter-se alguém preso indefinidamente no aguardo de uma decisão administrativa, ou seja, que não depende do Judiciário.

9) A ilegalidade da prisão do extraditando era manifesta e poderia ser atacada por meio de um habeas corpus junto ao Plenário do Supremo.

10) O extraditando está sob a supervisão de um juiz criminal em São Paulo, ao qual deve apresentar-se semanalmente para justificar as suas atividades, achando-se também sob a vigilância da Polícia Federal, não lhe sendo lícito sair do Estado, sem autorizão judicial.

11) De resto, o seu passaporte está retido no STF.

12) Transcrevo abaixo, em negrito, alguns trechos da Lei de Refúgio que se aplicam ao caso:

REFUGIADOS
LEI N. 9.474, DE 22 DE JULHO DE 1997 
Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências.
O Presidente da República:
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
TÍTULO I
Dos Aspectos Caracterizadores
CAPÍTULO I
Do Conceito, da Extensão e da Exclusão
SEÇÃO I
Do Conceito
Artigo 1º – Será reconhecido como refugiado todo indivíduo que:
I – devido a fundados temores de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas encontre-se fora de seu país de nacionalidade e não possa ou não queira acolher-se à proteção de tal país;
II – não tendo nacionalidade e estando fora do país onde antes teve sua residência habitual, não possa ou não queira regressar a ele, em função das circunstâncias descritas no inciso anterior;
III – devido a grave e generalizada violação de direitos humanos, é obrigado a deixar seu país de nacionalidade para buscar refúgio em outro país.
SEÇÃO II
Da Extensão
Artigo 2º – Os efeitos da condição dos refugiados serão extensivos ao cônjuge, aos ascendentes e descendentes, assim como aos demais membros do grupo familiar que do refugiado dependerem economicamente, desde que se encontrem em território nacional.
(…)
CAPÍTULO II
Da Condição Jurídica de Refugiado
Artigo 4º – O reconhecimento da condição de refugiado, nos termos das definições anteriores, sujeitará seu beneficiário ao preceituado nesta Lei, sem prejuízo do disposto em instrumentos internacionais de que o Governo brasileiro seja parte, ratifique ou venha a aderir.
Artigo 5º – O refugiado gozará de direitos e estará sujeito aos deveres dos estrangeiros no Brasil, ao disposto nesta Lei, na Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados de 1951 e no Protocolo sobre o Estatuto dos Refugiados de 1967,cabendo-lhe a obrigação de acatar as leis, regulamentos e providências destinados à manutenção da ordem pública.
Artigo 6º – O refugiado terá direito, nos termos da Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados de 1951, a cédula de identidade comprobatória de sua condição jurídica, carteira de trabalho e documento de viagem.
(…)
CAPÍTULO II
Da Autorização de Residência Provisória
Artigo 21 – Recebida a solicitação de refúgio, o Departamento de Polícia Federal emitirá protocolo em favor do solicitante e de seu grupo familiar que se encontre no território nacional, o qual autorizará a estada até a decisão final do processo.
§ 1º – O protocolo permitirá ao Ministério do Trabalho expedir carteira de trabalho provisória, para o exercício de atividade remunerada no País.
§ 2º – No protocolo do solicitante de refúgio serão mencionados, por averbamento, os menores de quatorze anos.
Artigo 22 – Enquanto estiver pendente o processo relativo à solicitação de refúgio, ao peticionário será aplicável a legislação sobre estrangeiros, respeitadas as disposições específicas contidas nesta Lei.
  (…)
Artigo 30 – Durante a avaliação do recurso, será permitido ao solicitante de refúgio e aos seus familiares permanecer no território nacional, sendo observado o disposto nos §§ 1º e 2º do artigo 21 desta Lei.
(…)
TÍTULO V
Dos Efeitos do Estatuto de Refugiados Sobre a Extradição e a Expulsão
CAPÍTULO I
Da Extradição
Artigo 33 – O reconhecimento da condição de refugiado obstará o seguimento de qualquer pedido de extradição baseado nos fatos que fundamentaram a concessão de refúgio.
Artigo 34 – A solicitação de refúgio suspenderá, até decisão definitiva, qualquer processo de extradição pendente, em fase administrativa ou judicial, baseado nos fatos que fundamentaram a concessão de refúgio.
Artigo 35 – Para efeito do cumprimento do disposto nos artigos 33 e 34 desta Lei, a solicitação de como refugiado será comunicada ao órgão onde tramitar o processo da extradição.

(…)

 

TÍTULO VIII

Das Disposições Finais

Artigo 47 – Os processos de reconhecimento da condição de refugiado sério gratuitos e terão caráter urgente.

Artigo 48 – Os preceitos desta Lei deverão ser interpretados em harmonia com a Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948, com a Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados de 1951, com o Protocolo sobre o Estatuto dos Refugiados de 1967 e com todo dispositivo pertinente de instrumento internacional de proteção de direitos humanos com o qual o Governo brasileiro estiver comprometido.

Artigo 49 – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Em tempo 1: Roberto Gurgel ficou sentado anos sobre a denúncia contra o ex-senador Demóstenes Torres. A feita contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e sua irmã Andrea Neves por sonegação fiscal e ocultação de patrimônio está caminhando para isso. Ela já dorme na gaveta do procurador-geral da República há quase 2 anos.

Em tempo 2: Os detratores se esquecem que estão difamando o futuro presidente do Supremo Tribunal Federal. Em novembro de 2014, o ministro Joaquim Barbosa deixa a presidência  do STF e Lewandowski, atual vice, assume-a. Certeza de   Justiça, defesa intransigente do Estado democrático e das garantias individuais.  Um verdadeiro guardião da Constituição brasileira.

 Leia também:

Lewandowski, um desagravo ao Direito brasileiro

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



92 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

J.Carlos

09 de abril de 2013 às 12h08

Não é só regular, é preciso civilizar nossa grosseira velha mídia. Em um país do 1º mundo é impensável que autoridades da importância do Ministro Lewandovski seja ofendidas, caluniadas e difamadas pela mídia. E isso tem sido uma constante. Cansaram de ofender pessoalmente o ex-Presidente Lula e a atual Presidenta Dilma se que nada lhes acontecesse. A impunidade tornou a ofensa, a calúnia e a difamação uma regra para a velha mídia, o PiG. Imaginem que escândalo seria se os ofendidos fossem fhc, serra, aécio, eduardo campos ou outros líderes de direita?

Responder

FrancoAtirador

09 de abril de 2013 às 02h36

.
.

Jornal Nacional da Rede Globo dá 28 segundos sobre inocência de Orlando

Só a primeira matéria do mesmo Jornal Nacional para o golpe da Veja,
que levou à renúncia do ex-ministro, durou 4 minutos e 23 segundos

Por Carla Santos, da redação do Portal Vermelho

Quase oito meses depois do golpe midiático contra o ex-ministro do Esporte Orlando Silva e o seu partido, o PCdoB, finalmente a mídia teve que divulgar a verdade: Orlando é inocente. Porém, a notícia tão ou mais relevante do que a mentira criada pela revista Veja ficou longe de receber capas de revistas e inúmeras matérias nos principais telejornais e programas de rádio. No Jornal Nacional, por exemplo, recebeu apenas 28 segundos.

(http://www.youtube.com/watch?v=lcz5kx3w2WM)

Para quem não se lembra, só a primeira matéria do mesmo Jornal Nacional para o golpe da Veja, que levou à renúncia do ex-ministro, tinha quatro minutos e 23 segundos (http://www.youtube.com/watch?v=39E_k8cBZgc).

O mais interessante é notar que, até agora, o telejornal dos Marinho quase nada disse sobre as ligações perigosas entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira e a revista que sempre recebeu tanto prestígio por parte do jornalismo da Globo.

O Jornal Nacional, o mais importante da grade de programação da Rede Globo, é apenas um dos muitos exemplos.

A desproporção no tratamento entre a mentira e a verdade neste, e em muitos outros casos, é mais uma prova da necessidade de um marco regulatório para mídia brasileira.

Vamos continuar lutando nas redes e nas ruas para garantir que esta mudança se efetive no Brasil.

Afinal, até quando a verdade será censurada por apenas sete famílias donas dos meios de comunicação?

(http://www.vermelho.org.br/orlando_silva/noticia.php?id_noticia=186153&id_secao=308)
.
.

Inocência de Orlando Silva é divulgada pelo Jornal Nacional em 28 segundos

AGSP

Em ape­nas 28 segun­dos, o Jor­nal Nacional divul­gou, dia 13, a ver­dade sobre o golpe midiático sofrido pelo ex-ministro do Esporte, Orlando Silva. Segundo o site Ver­melho, “a notí­cia tão ou mais rel­e­vante do que a men­tira cri­ada pela revista Veja ficou longe de rece­ber capas de revis­tas e inúmeras matérias nos prin­ci­pais tele­jor­nais e pro­gra­mas de rádio”.

Memória – Quando Orlando Silva foi acu­sado, o mesmo jor­nal (baseado em infor­mações ape­nas da revista Veja) fez uma matéria com mais de qua­tro min­u­tos.

O site Ver­melho tam­bém lem­bra que o tele­jor­nal dos Mar­in­hos quase nada disse sobre as lig­ações perigosas entre o bicheiro Car­lin­hos Cachoeira e a Veja, que sem­pre rece­beu tanto prestí­gio por parte do jor­nal­ismo da Globo.

Comen­tário AGSP – Um fato como esse deve ser lev­ado em con­sid­er­ação (e pro­fun­da­mente anal­isado) em razão da rel­e­vante com­para­ção feita por Carla San­tos, do site Ver­melho.

A Agência Grita São Paulo não acred­ita em impar­cial­i­dade.

Defende e apoia a democ­ra­ti­za­ção da mídia, valoriza os blogs e está na luta contra o golpe midiático que há muito tempo assola nosso País. Precisamos de uma mídia mais justa e equilibrada.

Indicação – Vale a pena ler A ditadura da mídia, do jor­nal­ista Altamiro Borges. Em cinco capí­tu­los, o autor con­seguiu sin­te­ti­zar o quadro atual da comu­ni­cação do mundo e os seus des­do­bra­men­tos no Brasil.
E tudo isso com exem­p­los con­cre­tos da manip­u­lação imposta por alguns meios de comu­ni­cação à sociedade brasileira.

Clique aqui e veja a obra: (http://pt.calameo.com/read/000532611a6672e5f180c)

http://gritasaopaulo.com.br/agencia/?p=1694#more-1694

Responder

    Mário SF Alves

    09 de abril de 2013 às 16h19

    É jogo jogado segundo as regras da pior elite do mundo. É a democracia dela. É a democracia engendrada por ela e que interessa sobretudo a ela.
    E ainda assim, eis o resultado do jogo: POVO = 7,5; PiG = 0
    ________________________________________
    E depois ainda tentam calar a voz dos blogueiros que os representantes dessa mesma elite chamam de sujos. E depois ainda não entendem nossa revolta quando generalizam e nos chamam a todos de petralhas.
    _______________________________________________
    Um dia o Genoino ainda vai ficar rico à custa de tanta indenização por calúnias movidas pelo PiG. E o que é pior. Não sei se um Genoino rico seria assim tão genuíno.

anderson

09 de abril de 2013 às 01h51

Bater em mulher é covardia: Quando Joaquim Barbosa não era herói da mídia

O ex-ministro Eros Grau lembrou no STF que Joaquim Barbosa bateu na mulher.
Via Brasilianas, publicado em 23/8/2008
Briga de ministros do STF bate recorde de acessos na ConJur
O bate-boca e a troca de ofensas entre os ministros do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa e Eros Grau, foi a notícia mais lida da semana na revista Consultor Jurídico. Desde que foi publicado no dia 15 de agosto, o texto teve 6.288 acessos, aponta mediação do Google Analytics. Os ministros se estranharam depois de Eros libertar Humberto Braz, braço direito do banqueiro Daniel Dantas.
Preocupado com a opinião pública, o ministro Joaquim Barbosa censurou seu colega: “Como é que você solta um cidadão que apareceu no Jornal Nacional oferecendo suborno?”, perguntou Joaquim. Eros respondeu que não havia julgado a ação penal, mas se havia fundamento para manter prisão preventiva. Joaquim retrucou dizendo que “a decisão foi contra o povo brasileiro”.
Em outro round, depois que Joaquim Barbosa deu habeas corpus para garantir a Daniel Dantas o direito de não se auto-incriminar em uma Comissão Parlamentar de Inquérito, Eros, em tom de gozação, comentou que esse HC repercutira mais que o dele. Joaquim, enfurecido, quase chegou às vias de fato com o colega.
Joaquim só não agrediu Eros porque foi contido. Ele chamou o colega de velho caquético, colocou sua competência em questão, disse que ele escreve mal “e tem a cara-de-pau de querer entrar na Academia Brasileira de Letras”. Eros retrucou lembrando decisões constrangedoras de Joaquim Barbosa que a Corte teve de corrigir e que ele nem encontrava mais clima entre os colegas. O clima azedou a ponto de se resgatar o desconfortável boletim de ocorrência feito pela então mulher de Barbosa, tempos atrás: “Para quem batia na mulher, não seria nada estranho que batesse em um velho também”, afirmou.
Depois da confusão, Joaquim Barbosa não voltou ao tribunal e o chá da tarde nunca foi tão caloroso.

Responder

Edno Lima

09 de abril de 2013 às 01h43

“No julgamento do “mensalão”, Lewandowski não cedeu à espetacularização do Ministério Público (MP) e às condenações midiáticas. Rejeitou a pressão maciça da chamada grande imprensa, encarando-a com dignidade e seriedade. Honrou a toga e o Direito brasileiro. Fez o que se esperava de alguém na sua posição: Justiça e defesa do Estado democrático no País”
É lamentável que Viomundo tenha enveredado por esse caminho.

Responder

paulo roberto

09 de abril de 2013 às 00h28

E por que o Ministro não usa o direito de resposta e obriga a revista a publicar os devidos esclarecimentos? Isso não é mais possível?

Responder

Messias Franca de Macedo

08 de abril de 2013 às 23h23

AINDA SOBRE O ‘NEOMONSTRO’! “NUMDISSE”?!…

######################

QUEM TERÁ CORAGEM DE DETER O PRESIDENTE DO STF?

Joaquim Barbosa representa uma ameaça à democracia brasileira. No Supremo Tribunal Federal, ele já desrespeitou quase todos os seus colegas. Recentemente, chamou um jornalista de palhaço e não se desculpou de forma minimamente decente. Hoje, ironizou membros da magistratura, a quem acusou de agir de forma sorrateira na criação de novos tribunais, e mandou que juízes baixassem o tom de voz ao se dirigir a ele. Detalhe: os novos tribunais foram aprovados por 371 deputados federais. Será que Barbosa se vê acima do Congresso Nacional? (Neste momento, membros da magistratura discutem a redação de uma nota duríssima contra o presidente do STF)

Brasil 247 – O ex-presidente Lula, o ex-ministro Marcio Thomaz Bastos e Frei Betto podem colocar na biografia: foram responsáveis pela nomeação, ao Supremo Tribunal Federal, de um ministro, hoje presidente da corte, que é uma ameaça à democracia brasileira e que não reúne mínimas condições de permanecer à frente do cargo que ocupa. Joaquim Barbosa já desrespeitou praticamente todos os seus colegas no STF (leia mais aqui). Recentemente, chamou um jornalista do Estado de S. Paulo, Felipe Recondo, de “palhaço”, e não se desculpou de forma minimamente civilizada. Hoje, ao receber representantes de associações magistrados, os acusou de agir de forma “sorrateira” na aprovação de novos tribunais federais.
(…)

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98351/Quem-ter%C3%A1-coragem-de-deter-o-presidente-do-STF.htm

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… AUTORITÁRIA, ABESTADA, indecorosa, AÉTICA, traidora, despudorada, fascista, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, MENTEcapta, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

08 de abril de 2013 às 23h03

O PIG &$ O RESTANTE DA DIREITONA OPOSIÇÃO AO BRASIL FORJARAM O MONSTRO QUE EXISTE EM JOAQUIM BARBOSA!

##############

Durante um tenso encontro com representantes das três principais associações de magistrados do país, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, afirmou que a criação dos quatro novos Tribunais Regionais Federais foi aprovada de forma “sorrateira” e na “surdina” e apostou que suas sedes serão construídas em “resorts e grandes praias”.
Durante a reunião, Barbosa chegou a pedir que o vice-presidente de uma das entidades abaixasse o tom de voz e só falasse quando autorizado.
(…)

CACHOEIRA: “grande” MÉRDIA NATIVA!

##############

… [Em breve] Chegará a hora de o PIG querer desmaterializar o monstro! Viu estropícios!…

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… ABESTADA, indecorosa, AÉTICA, traidora, despudorada, fascista, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, MENTEcapta, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Fabio Passos

08 de abril de 2013 às 21h20

O PiG continua em campanha para fazer a farsa do mentirao colar.
A maioria da populacao ja deu uma banana para os udenistas nas eleicoes… so parte da classe media idiotizada pelo PiG insiste em comemorar condenacoes sem provas.

O fato e que Lewandowski foi integro e nao aceitou o linchamento que o PiG incitou.
Agora o PiG esta retaliando com objetivo de intimidar Lewandowski.
O PiG e desprezivel.

Responder

Zanchetta

08 de abril de 2013 às 20h34

KKKKKKKK… o único cara errado nessa história foi o sujeito que não contratou o Greenhalg para defendê-lo.

O Levandoodeleovsky tá certo…

Responder

Messias Franca de Macedo

08 de abril de 2013 às 20h26

EXCLUSIVO: ‘RETRATO’ DESMONTA PEÇAS DO MENSALÃO

Em primeiríssima mão, 247 divulga a reportagem de capa da próxima edição da revista Retrato do Brasil, de Raimundo Rodrigues Pereira; ela demonstra que os empréstimos bancários tomados pelo PT existiram (com os devidos registros) e que foi preciso grande esforço retórico para transformar as “fragilidades e falhas” no processo de controle dos recursos do Fundo Visanet pelo Banco do Brasil num clamoroso “desvio de dinheiro público”; matéria afirma que Justiça no processo faz lembrar “tempos medievais”; publicação estará nas bancas no próximo fim de semana;

leia antes aqui: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/98308/Exclusivo-'Retrato'-desmonta-pe%C3%A7as-do-mensal%C3%A3o-ExclusivoRetrato-desmonta-pe%C3%A7as-mensal%C3%A3o.htm#comments

Responder

    Messias Franca de Macedo

    08 de abril de 2013 às 20h52

    [MAIS] FACADAS NO CORAÇÃO DA MILITÂNCIA! ENTENDA

    Na mesma reportagem da revista Retrato do Brasil, uma foto e a legenda
    17 x 4: MENSALÃO RECONHECIDO
    POR GOLEADA, DIZ O PFL
    “Na fotografia, ACMalvadeza Neto, Jutahy Magalhães Junior, o tal do Lorenzente do DEMo do RS &$ outras figuras execráveis do cenário político [anti!]nacional… Também na foto, o ex-carlista César Borges, eufórico, “batendo palminhas/sorriso largo! Sim, o atual ministro dos Transportes do ‘PT da governança’! Haja dor!…

    Março de 2006, oposicionistas carregam em triunfo o
    deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), o relator da CPMI
    dos Correios, após a aprovação, por 17 votos a 4, do seu
    relatório. O texto teria mostrado, diz a legenda da foto,
    publicada no site do PFL, “o que todo o País comprovou
    em 11 meses de depoimentos e investigações”: “o PT, braço
    político-eleitoral do Governo Lula, comprou com dinheiro
    público a adesão de deputados para formar a tristemente
    famosa “base governista”. O nome “mensalão” para essas
    propinas milionárias é apenas uma marca de fantasia, um
    apelido convencional, para o fato comprovado de que o
    Governo Lula e o PT praticaram atos de corrupção”

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Apavorado por Vírus e Bactérias

08 de abril de 2013 às 19h35

A honradez e o senso de Justiça de Lewandowski deixam Joaquim Barbosa na lama. Antes, nunca havia pensado que Joaquim Barbosa fosse tão rasteiro. Pelo contrário, achava que ele viesse para defender os seus. Mas, ele está com a Casa Grande. Traiu mediocremente.

Responder

Abelardo

08 de abril de 2013 às 16h11

Infelizmente o judiciário brasileiro vem tendo atitudes e reações, que beiram absurdamente a imparcialidade e ao indecente abuso de poder. Atitudes que além de deixar a população estupefata, permite até que possamos pensar na existência de formação de uma grande trama de autoridades e empresários, cujo único objetivo é se vingar do Partido dos Trabalhadores (PT) por ter tido a ousadia de fazer, em nossa opinião, um governo infinitamente mais competente que todos os governos anteriores. Todos os cidadãos que cometem crimes, seja quem for e qual for, deverão responder rigorosamente a perante a lei e a justiça, tendo todos os direitos de defesa assegurados. Isso funciona para todas as pessoas, seja bandido, operário, artistas, empresário, juiz, jornalistas e toda a mídia, deputado, governador e presidente. Porém, ao preferenciar os menos favorecidos e os excluídos o PT, que já era sistematicamente atacado pela mídia podre do país, se viu mais perseguido ainda por ter criado possibilidades que sempre foram adiadas pelos governos anteriores para fazê-los ter a oportunidade de se desenvolverem social, cultural e financeiramente. Essa afronta, mais a inveja e o recalque por terem passados como incompetentes diante de três mandatos seguidos de seus opositores, que eram acusados constantemente de terroristas e arruaceiros, foram à gota d´água para esse tipo de reação que é abusiva, imoral, desequilibrada e ameaçadora. O ministro Lewandowski é a maior autoridade moral do STF e uma das maiores do judiciário brasileiro. Portanto, fica o alerta de que não adianta mais tentarem botar panos quentes para disfarçar essa tentativa desestabilizadora de destruição de imagem e de currículo. Muito menos adiantará a tentativa de camuflarem a flagrante intenção que tiveram em fragilizarem-no pela força da intimidação, que a mídia golpista e serviçal adota toda vez que quer atingir seus objetivos ou cumprir as ordens de seus patrões. O ministro Lewandowski já mostrou que não teme cara feia nem teme ameaça, seja de quem for ou de qualquer poder que seja

Responder

Messias Franca de Macedo

08 de abril de 2013 às 15h27

O STF tem cometido erros judiciários históricos
Por Manoel L. Bezerra Rocha – advogado
Edição 1950 de 18 a 24 de novembro de 2012
Jornal Opção
Seção – órbita jurídica

O Supremo Tribunal Federal (STF) encerra o ano com mais um julgamento de grande repercussão concluído. É inegável que a Corte Constitucional do país tem dado uma enorme contribuição para a construção de uma sociedade mais justa, alicerçada nas garantias e princípios do Estado Democrático de Direito. Em razão de sua brilhante composição, o STF tem se convertido no último bastião das esperanças dos jurisdicionados. Todavia, não tem como esquecer que o mesmo Supremo, ao longo de sua existência, tem tomado decisões no mínimo questionáveis.
Em 2004 uma decisão que repercutiu mundialmente proibiu a circulação e venda do livro do editor Siegfried Ellwanger, além de condená-lo a quase dois anos de prisão, por ter defendido que o Holocausto não existiu e que não passa de uma propaganda de guerra elaborada pelo regime sionista. Para Ellwanger, baseado, segundo ele, em inúmeros documentos, pesquisas e perícias técnicas, a propaganda é um vitimismo judaico calcada na mentira e no falseamento de fatos. Os ministros Ayres Brito e Marco Aurélio Mello votaram pela absolvição de Ellwanger. Para Marco Aurélio, “somente estaria configurado o crime de racismo se Ellwanger, ao invés de publicar um livro expondo suas idéias, tivesse distribuído panfletos com os dizeres do tipo “morte aos judeus”, vamos exterminá-los”. A decisão do STF foi contra a liberdade de expressão e tomada sob pressão de juristas judeus, como Celso Lafer, e do influente rabino Henry Sobel.
Um julgamento que é considerado erro judiciário é o do habeas corpus 26155, através do qual a alemã e judia Olga Be¬nário, então mulher do militante político Luiz Carlos Prestes, pedia indulto para não ser extraditada para a Alemanha. O STF negou o seu pedido e Olga foi executada no campo nazista de Bernhung, em 1942.
Bem mais recentemente, o STF viu-se diante de outro grande desafio: o julgamento da ação sobre conflitos entre índios e arrozeiros na região de Raposa Serra do Sol. Na decisão o STF determinou a retirada de mais de 340 famílias que ocupavam e cultivavam aquelas terras por mais de meio século. De desocupação, nada foi permitido ser retirado. Houve separação compulsaria de casais formados por brancos e índios e o afastamento dos filhos. Atualmente, a pequena população de índios não sabe o que fazer com a imensa extensão de terras, estimada em mais de 1,7 milhão de hectares Já os arrozeiros, que contribuíam com mais de 5% da produção nacional de arroz, foram jogados em uma área sem infraestrutura, despojados do necessário para o sustento de suas famílias. Estamos, agora, acompanhando o polêmico e inédito julgamento do caso conhecido como “mensalão”. A história dará o seu veredito.

Responder

renato

08 de abril de 2013 às 15h05

A Época é uma revista com tempo contado….

Responder

andre i souza

08 de abril de 2013 às 14h06

Ministro Lewandowski, o bom é que, quando o viés é politico, ser atacado, perseguido e, até, vilipendiado nas páginas de Época ou de qualquer outro veículo da dita grande mídia brasileira, o PiG, é um verdadeiro atestado de idoneidade.

Meus efusivos parabéns por o senhor haver merecido estar no rol dos inimigos do PiG.

Responder

José BSB

08 de abril de 2013 às 13h50

A conduta do ministro Lewandowski no julgamento do “mensalão” desagradou vários setores da imprensa. Não cedeu ao cabresto dos que exigiam a condenação e foi alvo da infâmia de delinquentes que se julgam muito bem informados e defendem a liberdade de expressão eternamente “ameaçada” pelo PT.
Já O ministro “coroné” do MT proprietário de escolinha de direito em Brasília, co-autor da fraude do grampo sem aúdio com o senador cassado mosqueteiro da ética da revista do bicheiro, ninguém mexe.

Responder

José Barbosa

08 de abril de 2013 às 12h13

Infelizmente, a maioria da nossa mídia nativa é composta por mercenários da palavras, munidos pela imunidade (impunidade), que a profissão lhes outorga.

Responder

David P.

08 de abril de 2013 às 11h15

Legal um cara como Lewandowsky que faz valer a lei tal como foi escrita, que não passa por cima delas, que não se desvia nem por uma vírgula.

Legal que de acordo com as leis nunca tivemos um corrupto sequer em altos escalões do governo, só vemos os ‘menores’ sendo culpados…então nosso Brasil é um país limpo e integro, que beleza não?

Legal é que as leis tem sido escritas justamente para dificultar ao máximo a condenação da trupe que as escreveu.

Se ninguém “interpretá-las” em benefício da nação (nação que paga os impostos e não que os utiliza para benefício próprio) nunca haverá sequer um político preso, já que agem justamente tendo consciência das mesmas.

É um clichê mas é o que é, o Sistema que f*** o Brasil, se não passar por cima dele vai ficar tudo na mesma…

Responder

    Valmont

    08 de abril de 2013 às 17h00

    David,
    Você acaba de explicitar o seu desprezo à nossa Constituição e a todo o nosso sistema legal.
    Desculpe mas discordo de sua análise que, ao fim e ao cabo, defende o linchamento e a barbárie.
    O problema não reside apenas em nossa legislação, que pode até ter merecer críticas e reformas pontuais, como, por exemplo, a extinção de punibilidade para sonegadores, pelo simples pagamento dos tributos sonegados. Todavia, o nosso sistema de leis não é, nem de longe o maior problema. O verdadeiro problema está no aparelho burocrático responsável pela aplicação do Direito, onde o poder econômico fala mais alto, onde pessoas de ideologia política conservadora e socialmente preconceituosas predominam, onde o pobre é visto, no máximo, como um ser digno de pena e raramente como um cidadão de pleno direito, onde a igualdade perante a lei é motivo de piada, para não falar na corrupção evidenciada em tantos escândalos públicos e notórios.
    No entanto, o que se ressalta nesta verdadeira nota de desagravo, é o comportamento digno e corajoso do Ministro Ricardo Lewandowky, que enfrentou com altivez e denodo a força bruta dos TRÊS PODEROSOS PORQUINHOS bilionários, donos da Rede Goebbels de Manipulação. Este é o ponto.
    No século XXI, a opressão é exercida pelos donos das grandes corporações. As instituições democráticas e a mobilização popular (pela democracia direta) são os únicos meios de reagir a essa opressão.

    David P.

    09 de abril de 2013 às 12h33

    “Você acaba de explicitar o seu desprezo à nossa Constituição e a todo o nosso sistema legal.”

    Está certíssimo em partes. Eu realmente acho a grande parte da nossa Constituição e sistema legal falho, foi justamente o que quis dizer. Não tenho receio nenhum em afirmar isso. Tanto é que temos tantas emendas à constituição que ficou bem claro como ela é “ilusória”, “conversa pra povo dormir” após o medo do período ditatorial. Ela é tão defensora que defende até os criminosos.

    E se alguém tem o poder de passar por cima dessa Constituição manipulada para realmente beneficiar a maioria do povo eu o apoio. E se alguém tem poder e não o exerce sabendo que beneficia apenas uma elite controladora, esse eu repudio.

bento

08 de abril de 2013 às 11h12

Saiu a convocação da seleção do inferno:

A dama de ferro foi convocada…

Responder

    bento

    08 de abril de 2013 às 11h20

    A intermediação da convocação foi feita pelo papa hermano seo chico primeiro…

MariaC

08 de abril de 2013 às 10h45

Lewandovski não deixou que colocassem a coleira. A casa grande está furibunda.

Responder

Edson

08 de abril de 2013 às 10h01

Quando ele tomar posse como Presidente do STF, ele vai ser assediado pela Globo com uma montanha de dinheiro. Espero que ele resista!

Responder

    FrancoAtirador

    08 de abril de 2013 às 11h31

    .
    .
    O ASSÉDIO E A INTIMIDAÇÃO DA MÍDIA BANDIDA

    SE DÃO PELA AMEAÇA VELADA DE MALEDICÊNCIA.

    A CALÚNIA E A DIFAMAÇÃO SÃO ARMAS DE GUERRA.
    .
    .

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2013 às 15h09

    Sim, de fato. Especialmente com aqueles cujo rabo o PiG descobriu que andava por demais preso. Daí pra chantagem é só o jogo de interesses – inclusive e fundamentalmente os apátridas – assim o exigirem.

    FrancoAtirador

    08 de abril de 2013 às 19h25

    .
    .
    Tens razão, Mário.

    Aquilo que a mulher do Cachoeira fez,

    de ameaçar o Juiz Federal de Goiânia

    com um dossiê preparado pelo Policarpo,

    mais do que um aparente caso isolado,

    é uma demonstração do ‘modus operandi’

    da Mídia Bandida’ com as autoridades.
    .
    .
    (http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/ayres-britto-completa-a-desconstrucao-do-direito-de-resposta)

    Vlad

    08 de abril de 2013 às 13h38

    Parece-me que não é dinheiro que move esse aí, coisa que não precisa por já ter demais. É gratidão, compromisso.
    Absolutamente, enormemente, eternamente, incondicionalmente grato. Aja o que ajar.

Nilson

08 de abril de 2013 às 09h49

Como disse o poeta, o mundo é redondo e esta girando,o poder do financeiro pode fazer ele até girar lentamente, porem esse segue seu curso, e quando completar seu ciclo as coisas se assentarão.
Isso já foi demonstrado pelo povo brasileiro quando de tanta raiva, fome e desesperança elegeram o torneiro mecânico a presidência, e o mundo continua girando…

Responder

    MariaC

    08 de abril de 2013 às 10h47

    Comprei na Finac por 10,00 um livro sobre Lula.
    Muito interessante.

    Lula não nasceu pronto. Não é um Messias como quer enganar-se e enganar a outrem, a Casa Grande.
    Ele foi forjado. É isso que temem. Por isso xingam-no.

    Mário SF Alves

    09 de abril de 2013 às 16h05

    E forjado onde mesmo?
    ____________________________________
    Na forja da fina flor da intelectualidade brasileira, eu diria. Sim, refiro-me a intelectualidade que epnsa o Brasil e, não obstante a formação acadêmica, sofre com o Brasil.

    E mais, forjado na luta contra interesses de multinacionais. Não de altaneiros e macunaímicos capitalistas [de muletas] subdesenvolvimentistas como soi ocorrer aos borbotões em terras tupiniquins.
    ________________
    Melhor pro Lula, e pra nós, claro. Não fosse o Lula Lá, estaríamos cá soterrados sob montanhas de lixo neoliberal conservador. A não ser que, da noite para o dia, fôssemos, todos nós, capazes de nos metamorfosear em bem sucedidos empreendedores capitalistas. Tomar guela abaixo o tal purgante, o óleo de rícino entucando, era [e foi] essa a nossa sina. Quantos de nós sobreviveria se a tal malfadada terapia demo-PiG-tucana tivesse prosperado? Quem não se lembra das sentenças: aposentados vagabundos; brasileiros caipiras; estado mínimo; e aquela que resumia as demais, o Brasil não é pra todos?
    Haja “comunidade solidária; haja Criança Esperança; Haja prisões e sistemas privativos [e privados] de liberdade.
    __________________________________
    Ah, chegaria a hora que gente iria resistir. Tá. Mas, aí, é uma outra estória.

Messias Macedo

08 de abril de 2013 às 09h14

BARBOSA VAI À COSTA RICA TENTAR IMPEDIR RECURSOS

Interessado em apressar o fim do julgamento da Ação Penal 470 e também em antecipar as prisões de réus condenados como José Dirceu, José Genoino, João Paulo Cunha e Delúbio Soares, o ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, decidiu ir à San José, onde funciona a sede da Corte Interamericana de Direitos Humanos; seu objetivo é evitar que os réus recorram à corte, pedindo o duplo grau de jurisdição; Barbosa, que chamou um repórter do Estado de S. Paulo de “palhaço”, também participa de evento sobre liberdade de expressão
8 DE ABRIL DE 2013 ÀS 06:47

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/98261/Barbosa-vai-%C3%A0-Costa-Rica-tentar-impedir-recursos.htm

“Vai é salvar a própria pele, se a corte internacional sentir que o julgamento foi político, Barbosa cai no limbo…”
Comentário postado por Duarte 8.04.2013 às 09:03

… Um rábula ditadorzinho – e também com medo da [iminente] hora de cair na máquina trituradora de reputações do PIG!… Para salvar a própria pelo, o PIG não terá o mínimo de recato nem gratidão!… [A(de)n(do) sujo nosso!]

República Desses Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Messias Franca de Macedo

    08 de abril de 2013 às 13h24

    errata desprezível: … Para salvar a própria pele, o PIG não terá o mínimo de recato nem gratidão!… [A(de)n(do) sujo nosso!]

    República Desses Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Vlad

    08 de abril de 2013 às 16h04

    Mas ora, ora, ora!!!

    Ainda bem que temos informações confiáveis aqui, pois andam dizendo que o Barbosa ia lá, a convite da Unesco (que mentira, hein!!??), participar de uma conferência pela liberdade de expressão (imagine só…um homem contrário à liberdade das pessoas como ele!).

    FrancoAtirador

    08 de abril de 2013 às 19h11

    .
    .
    Espera-se que o Viomundo publique essa entrevista

    concedida pelo jornalista Luiz Carlos Azenha ao Sul21.

    Aliás, entendo que deveria ser post permanente no Blog.
    .
    .

J.Amaro

08 de abril de 2013 às 08h14

A que nível chegou o “jornalismo” do PIG. É bom lembrar aos jornalistas a serviço dos donos da Casa Grande que, ao se abaixar demais as calças a b… aparece.

Responder

    jvicente

    08 de abril de 2013 às 12h01

    Não precisa abaixar não

RicardãoCarioca

08 de abril de 2013 às 07h49

O jogo já está pesadíssimo. As próximas eleições serão muito piores do que as de 2010. Vai ser um nojo conviver com o PiG deturpando o processo político.

Responder

    Eugenia

    08 de abril de 2013 às 12h00

    E nós deveremos estar atentos. Não deixemos mais o nosso país ser destruído por essa gente sem escrúpulos e gananciosos.

Cunha

08 de abril de 2013 às 07h42

Isso vai ficar por isso mesmo? Ninguém vai fazer nada? Esses gângster da mídia passam dos limites. Vejo que à medida que AP536 anda, novas articulações são apresentadas ao PIG, criando-se complementos aos corredores do labirinto onde está o processo, que pode pipocar Privataria e Satiagraha.
É o caso a ser pesquisado. Acessem o link do STF e pesquisem se existem coincidências com as publicações e procedimentos que venham a tirar o foco e desviar do assunto “Mensalão Tucano”.Aí está o site inicial:
http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=151772 .
Na base da página,há um atalho “536” que nos leva aos passos do processo:
http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?numero=536&classe=AP&origem=AP&recurso=0&tipoJulgamento=M .
Acho que seria possível relacionar fatos “publicados” aos trâmites mais importantes.
Que tem caroço nesse angu, tem!!!

Responder

Alemao

08 de abril de 2013 às 04h30

Engraçado que a notícia mais importante ficou apagada. A grande notícia é que o Brasil mais uma vez dá guarita à criminosos. Que beleza esse país não?

Responder

Marco

08 de abril de 2013 às 00h19

Lewandowiski é o único juiz do STF que faz jus a sua toga e é por ser correto que a mídia bandida o ataca. Temos que faxinar essa imprensa golpista!!!

Responder

ricardo silveira

07 de abril de 2013 às 23h36

E a presidenta vai apenas ficar olhando o único guardião da Constituição Brasileira sendo difamado na mídia golpista que ela protege, sem fazer nada? Duas escolhas estão para sair, a do PGR e a do novo ministro do STF, vamos ver até onde vai a submissão à Casa Grande.

Responder

José Orlando s. de Macedo

07 de abril de 2013 às 23h20

lawandowski é realmente o único defendendo a democracia e o direito nesse tribunal repleto de covarde facistas.

Responder

J.Carlos

07 de abril de 2013 às 21h53

O prevaricador, como já havia revelado o Senador Collor, chantageia em todas as frentes para tentar permanecer à frente da pgr. Quando ele sair voltará a ser usada a sigla PGR.

Responder

Rogerio

07 de abril de 2013 às 21h49

7 DE ABRIL DE 2013 CAI A MÀSCARA!!!!! GLOBO SAI EM DEFESA DE PAULO BERNARDO!

247 – O jornal O Globo, da família Marinho, saiu em defesa do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Em seu principal editorial, a publicação afirmou que o ministro só é atacado porque setores do PT gostariam de censurar conteúdos jornalísticos. Em reportagem recente, Bernardo foi apontado na capa da revista Carta Capital como o “ministro do plim-plim”, em referência à Globo. Em artigo no 247, Breno Altman, do Opera Mundi, também criticou o ministro por não seguir uma decisão do Partido dos Trabalhadores em favor da regulamentação dos meios de comunicação (leia mais aqui).

Curiosamente, a Globo também sinalizou que tem interesse numa Lei de Meios. Um de seus focos é impedir que grupos controlados no exterior tenham produção de conteúdo e entretenimento voltado para o Brasil. A principal preocupação da Globo é o portal Terra, ligado à Telefônica, que já atuou em eventos como os Jogos Olímpicos de 2012. Especialmente diante da transformação que atingirá em cheio a televisão, com a convergência entre TV e internet.

Há regulação da mídia e ‘regulação da mídia’ – EDITORIAL O GLOBO

Facções do PT abrem guerra contra ministro porque desejam, sob o pretexto de rever as regras do setor de comunicação, censurar conteúdos jornalísticos

Pouco mais de dez anos de poder ainda não conseguiram que conceitos indiscutíveis, lastreados na Constituição, transitassem sem dificuldades por todo o PT — como a maioria dos partidos brasileiros, também uma frente de grupos com divergências políticas e ideológicas. É tão verdade esta fragmentação partidária que o ministro da Comunicação, Paulo Bernardo, militante histórico do PT, tem sido alvo de duras críticas de facções abrigadas na legenda que jamais entenderão de qual “regulação da mídia” o país necessita.

O ministro chega a ser hostilizado, em documentos, de “traidor”. O ponto visível da discórdia é a correta defesa feita por Paulo Bernardo da isenção tributária para provedores de internet banda larga, dentro do programa de ampliação da rede para cidades menores e famílias de renda mais baixa. Não deveria surpreender a constatação de que a carga tributária costuma ser um dos principais itens na formação de preços responsáveis por impedir o acesso a eles por grande parte da população. Nada mais acertado, portanto, como tem sido feito em muitos outros setores, que a desoneração de impostos. Ao criticar o companheiro de partido, por estar supostamente ajudando o “grande capital” — termo de toscas cartilhas de catequização política —, essas facções querem também atingi-lo por não dar andamento a uma proposta de “regulação da mídia” deixada de herança pelo governo Lula.

Mas não só o ministro cumpre ordens da presidente Dilma, como também o conteúdo da proposta é inexequível, por ilegal. Explicou o próprio Paulo Bernardo: “(…) algumas pessoas veem a capa da revista, não gostam e querem que eu faça um marco regulatório. Isso não é possível porque a Constituição não prevê esse tipo de regulação para a mídia escrita”. Um parêntesis: nem para a eletrônica, mas esta é outra discussão.

A “regulação” do desejo dessa militância visa a interferir no conteúdo jornalístico — censura, a palavra certa. Como tem ocorrido na Venezuela, no Equador, nos países ditos bolivarianos, este objetivo é alcançado pela rota dissimulada da desestabilização empresarial dos grupos de comunicação. A Argentina é outro exemplo. Em nome da necessidade de se estimular a concorrência no mercado de imprensa e entretenimento — como se ela já não existisse no país —, força-se a quebra de conglomerados de comunicação, para que eles passem a depender de verbas públicas, o fim de sua independência.

Tudo é uma enorme perda de tempo. Enquanto isso, a regulação de que a mídia necessita fica em segundo plano. E há muita coisa a discutir: a atuação de sites controlados do exterior no jornalismo e entretenimento; a necessidade de produção local; o papel das telefônicas no processo de fusão de mídias, entre outros temas.

É inútil e nada produtivo continuar a investir, não importa em nome de quê, contra princípios constitucionais consolidados.

Responder

Paulo Monarco

07 de abril de 2013 às 21h34

Alguma dúvida, ainda, sobre a necessidade de uma Ley de Medios? Com certeza, sim, para quem se acomoda no colo do ser abjeto e disforme de nome governabilidade. Por ele se fez escalpo da ética e no lugar colocaram pele dos partidos políticos.

Responder

clodoaldo

07 de abril de 2013 às 21h19

O governo federal deve é se dar mal (eu coloquei em outro comentário, f… querendo dizer ferrar, mas não foi publicado), portanto agora digo, “vai se dar mal”, pois está desonerando esses calhordas.

Responder

Fabio Passos

07 de abril de 2013 às 20h50

E o PiG aticando seus caes contra o relator que desmoralizou o mentirao.

Responder

    Sagarana

    08 de abril de 2013 às 02h42

    Quem foi relator do “mentirão” eu não sei dizer quem foi. O relator do Mensalão foi o Ministro Joaquim Barbosa.

hc

07 de abril de 2013 às 20h32

A época nunca foi favorável ao governo, nem mesmo é concorrente da veja, somente, se faz por passar.

Responder

Messias Macedo

07 de abril de 2013 às 20h14

… O folhetim Época faz parte da mesma organização(!) que endeusa o chefe do MENTIRÃO, o rábula Joaquim Truculento Barbosão!… A mesma organização(!) que blinda [e pauta!] o glutão suarento, o tal do *’prevaricador [e covarde!] geral da nação’, segundo o senador Fernando Collor de Mello!
*Robert(o) Gurgel

É O GOLPE, ESTÚPIDO!

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao ínclito, catedrático, impávido jurista brasileiro doutor Ricardo Lewandovski
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Macedo

07 de abril de 2013 às 20h04

… Dilma, Ô Dilma continue enchendo as burras do PIG!…

… Pena que não temos, no momento, um projeto que contemple uma, digamos, terceira via, assumido por um(a) candidato(a) confiável do ponto de vista ideológico e moral, que confiasse realmente no povo brasileiro, ao invés de buscar alianças pragmáticas e indecorosas com os setores mais nefastos, putrefatos, reacionários, atrasados e corruptos do país!… Há muito, ‘O PT da governança’ emite sinais claros de exaustão… Aferrado ao poder, reproduz muitas das mazelas perpetradas pelos donos da Casa Grande! Aferrado ao poder, silencia e se acovarda diante de insultos, imprecações, conspirações, jogo sórdido da “grande” mídia, seus barões, seus jornalistas amigos destes mesmos patrões!…

… E a incivilidade a germinar em nosso solo mãe gentil!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2013 às 00h37

    Pois bem. Eu também me sinto envergonhado, prezado Messias. Mas poderíamos esperar o quê? E o que é pior – neste sentido – ao que tudo indica não há nada que possamos fazer. Esta é a opção do Governo. Poderíamos até admitir a hipótese de que tudo isso que hoje nos envergonha faz parte de uma dada estratégia governamental; que é coisa de estadista. Poderíamos. Desde que a história recente não “sinalizasse” o contrário.
    _____________________________________
    Lembro a última eleição residencial. Lembro do candidato Plínio de Arruda Sampaio afirmando na presença dos demais que todos eles eram candidatos a gerente do capitalismo. É óbvio que o candidato esqueceu de incluir-se na lista de pretendentes. E pior, esqueceu-se de informar que ele, se eleito, possivelmente, nem gerente conseguiria ser. Desnecessário dizer que no País onde a hegemonia política deriva da ideologia [e praxis] da pior elite do mundo, arriar bandeiras e endereçar cartas aos brasileiros tem sido, ainda assim, considerado como atitude sensata. A História mostra. Uns renunciam; outros mandam esquecer tudo o que escreveram; há aqueles que morreram em circunstâncias pouco explicadas; e por aí vai. Com ou sem mosca azul. Geralmente com.
    _________________________________
    Mas, então? É o Governo que elegemos não é? E sim, estamos bastante frustrados. Mas esperávamos o quê?
    __________________________________________
    Pois é. De fato, neste sentido, não há nada que possamos fazer. O Governo não é nosso. Nem sequer é responsabilidade nossa.
    _________________________________________________
    No entanto, existe outras questões que, sim, podemos assumir como sendo de responsabilidade nossa. E é isso que precisa ficar suficientemente claro. Inclusive a responsabilidade de divulgar a diferença entre os governos que elegemos e os governos eleitos exclusivamente pelos interesses da dita pior elite do mundo.
    ________________________________________________________
    De mais a mais, com todo o respeito ao íntegro ministro Ricardo Lewadowski, quem nos garante que ele uma vez na presidência do STF não seria forçado a desempenhar o mesmo papel ridículo desempenhado por outras vestais do Estado de Fato travestido de Estado de Direito? _________________________________________________________________
    É por essas e por outras que ainda não me sai da cabeça a ideia de que temos de unir todas as forças progressistas na luta pela consolidação da democracia no Brasil. O que por si só já não seria tarefa fácil, a começar pela referida união de forças. E é bem capaz de até o Francisco, o que veio após o Bento, sentir-se desagradado. Imagine o que dirá ou como reagirá a colonizada casa grande, cúmplice do velho e horrendo Tio Sam?

    Messias Franca de Macedo

    08 de abril de 2013 às 13h51

Leo V

07 de abril de 2013 às 19h15

Sinceramente, é roto falando do esfarrapado. Qaul o pior ministro do STF? Difícil saber.

A nota da assessoria do Lewandowski diz que o caso é semelhante ao do Battisti. Mas por que então no caso do Battisti a Le de Refúgio não valeu e ele continuou preso apesar de correr o pedido de refúgio?
Lewandovski sempre votou contra Battisti.

No STF as leis e jurisprudências são feitas conforme o ‘réu’. Lewandowski nao foge a essa regra.

Responder

    Ramalho

    07 de abril de 2013 às 23h38

    Que besteirol. Defenda a sua tese, prove o que afirmou.

    Luiz

    08 de abril de 2013 às 03h32

    Você certamente não leu a matéria da Conceição no Viomundo; ou então, não entendeu. Releia e pense.

H. Back™

07 de abril de 2013 às 18h55

Atente-se para o “Em tempo 2”
“(…)Lewandowski assume o posto em dezembro de 2014. (…)”. Até lá já ocorreram as eleições presidenciais. Não quero ser pessimista, mas o problema é que neste curto espaço de tempo, o poder do STF pode não ter mais a influência que tem, pois o presidente poderá ser da oposição. E daí como é que fica?

Responder

    Fabio Passos

    07 de abril de 2013 às 20h48

    Com um presidente pau-mandado da casa-grande?
    O Brasil fica fubecado.

J Souza

07 de abril de 2013 às 18h52

Acho que o governo federal vai recompensar a revista das “organizações” Globo aumentando a verba de publicidade superfaturada…

Responder

Giordano

07 de abril de 2013 às 18h34

A canalhice da imprensa golpista não tem limites.

Responder

Apolônio

07 de abril de 2013 às 18h18

Tenho falado muito e escrito nos diversos blogs progressistas, que está na hora de fazer uma campanha de regulação e democratização da mídia, através de uma lei de inciativa popular. Com essa atitude, creio eu, com uma campanha forte a grande mídia tomará um susto e deixará Lula, Dilma e demais autoridades que pensam num melhor projeto de país trabalharem.

Responder

Roberto Locatelli

07 de abril de 2013 às 17h58

A resposta do ministro foi perfeita.

Espero que Dilma escolha muito bem os três novos ministros do stf. Não precisa fazer como nos EUA, onde o presidente escolhe ministros de seu partido, sem firulas. Mas também não precisa escolher amigos do Daniel Dantas e do Cachoeira.

Responder

    Julio Silveira

    07 de abril de 2013 às 18h40

    Beleza de colocação meu prezado.

LuizCarlosDias

07 de abril de 2013 às 17h44

Lewandoweski poderá ser nomeado no lugar de Gurguel?
ou poderá substituir Joaquim Barbosa,aposentado por problema de saúde.
LULA governador de SP ficaria livre de julgamentos sórdidos?

Responder

    Conceição Lemes

    07 de abril de 2013 às 18h41

    Luiz, o mandato do Joaquim Barbosa como presidente do STF termina em novembro de 2014. E o ministro Lewandowski que hoje é vice-presidente assume. abs

marcosomag

07 de abril de 2013 às 17h26

O pior no episódio é que vai ficar por isso mesmo, pois o Ayres Brito fez o “favor” de complicar ao cidaão a obtenção do direito de resposta contra a máfia midiática que infelicita este país. E a Dilma, além de manter no MC um elemento que é contra toda e qualquer regulação da mídia, tem uma lista de nomes para a PGR igual ou pior do que Gurgel. Por estas e outras, oportunistas como Eduardo Campos e Marina Silva podem ganhar espaço. A máfia midiática em conluio com a PGR e o Torquemada Barbosa (este, é um coitado que não aprendeu nada com o triste fim de Celso Pitta e Wilson Simonal, outros dois negros incocentes úteis nas mãos das elites) já botam as manguinhas de fora para atacar até o Lula. Em qual planeta está vivendo Dilma, que não põe ordem na casa colocando a corja golpista para correr? Exijamos dela ação!

Responder

Rodrigo Leme

07 de abril de 2013 às 16h48

“No julgamento do “mensalão”, Lewandowski não cedeu à espetacularização do Ministério Público (MP) e às condenações midiáticas. Rejeitou a pressão maciça da chamada grande imprensa, encarando-a com dignidade e seriedade. Honrou a toga e o Direito brasileiro. Fez o que se esperava de alguém na sua posição: Justiça e defesa do Estado democrático no País.”

Só esse trecho já coloca o texto na seção “humor” de qqer site.

Responder

    francisco pereira neto

    07 de abril de 2013 às 19h30

    Gostaria de saber se voce, Willian e o Lulipe participaram da moção em favor da defesa do Azenha? Voces vão aderir no suporte financeiro do blog? Não né?
    Eu garimpei todos os comentários nos posts que tratavam do assunto.
    Mas tem a cara-de-pau e a safadeza de vir aquí comentar somente os posts referentes ao mensalão.
    As suas ações sacripantas continuam com a complacência do blog com a vã idéia de democracia para todos.
    Democracia é para quem acredita nela.

    maria olimpia

    08 de abril de 2013 às 13h31

    Por falar nisso, Francisco, Pergunto â Conceição e ao Azenha se já está disponível o nº da conta e o banco para podermos depositar!

    Ramalho

    07 de abril de 2013 às 23h35

    Você não passa de provocador vazio, um ignorante incapaz de argumentos honestos e que faz o jogo dos exploradores que vivem do que tiraram de seus ancestrais, de você e cujos descendentes viverão do que tirarão de seus filhos. Você é tão ignorante que nem sabe onde está na sociedade. Estarei errado se você tiver castelo na França, jato próprio e souber o que é um bom caviar. Mas não estou. Você é o empregadinho que pensa que é burguês. Você é ridículo.

    Castro

    08 de abril de 2013 às 12h11

    Muito boa a sua resposta. Esse individuo deve ser um pé rapado que fica lambendo as bolas dos ricos esperando ser aceito (conheço varias dessas tranqueiras).

    Abel

    07 de abril de 2013 às 23h36

    Pensei que a sua cara aparvalhada fosse a seção de humor :)

    Rodrigo Leme

    08 de abril de 2013 às 11h30

    Obrigado peões elogios, bonitos como sempre.

    Pode me xingar do que quiser, podem alegar o que quiser, mas uma coisa é constante: EU NÃO CHAMO BANDIDO DE HERÓI. E isso deve ser o que mais irrita vocês, que precisam buscar minhas características físicas, inventar históricas sobre mim para compensar a frustração de terem que defender bandido, por pura militância.

    Ramalho

    08 de abril de 2013 às 16h51

    Você padece de maniqueísmo primário, coisa de ridículo atroz. Divide o mundo entre Bom e Mau, Diabo e Deus, e Bandido e Herói!, hehehehe. E isto em pleno século XXI!

    Sua escolha ideológica mostra que você está muito aquém do seu tempo, pois seguidor de Maniqueu, um iraniano (!) cuja religião, já extinta, foi derivada por ele dessa visão tosca, infantil, reducionista e grosseira da qual você é seguidor. Cá pra nós, você espantaria até os aiatolás, que o tomariam por fóssil que tecla, o que é, de fato, espantoso.

    Ao falar de seção de humor de site, não se esqueça de você e dos seus escritos: eles e você são muito mais do que engraçados do que qualquer site de humor, ou seção de humor; eles e você são ridículos.

    Que figuraça e que visão de mundo…

    José BSB

    08 de abril de 2013 às 18h59

    Vc acompanhou o trecho do voto do ministro Fux no qual revoga-se o princípio da presunçao de inocência e inverte o ônus da prova, afirmando que cabe ao acusado provar que não é criminoso?
    Fosse na prova da OAB, tamanha barbaridade resultaria em reprovação.
    Diante da fragilidade do conjunto probatório, foi preciso distorcer uma teoria importada do direito alemão para justificar as condenações, com a devida reprimenda do autor do estudo.
    Apontar os equívocos clamorosos do julgamento é “defender bandido”, é sua opinião.
    Acredito que esse julgamento foi uma grande presepada. Mas é só a minha opinião, não é?

    paulo roberto

    09 de abril de 2013 às 00h33

    És somente um “troll”, nada mais.

Urbano

07 de abril de 2013 às 16h44

Tudo isso porque o Ministro Lewandoeski repudiou veementemente todos os bandidos da oposição ao Brasil…

Responder

Ramalho

07 de abril de 2013 às 16h27

Espero que o digno ministro Lewandowski não tenha remetido nota alguma de esclarecimento à revista Época. Se assim proceder, dará exemplo ao Executivo que deveria, para que a democracia avance, valorizar a parte da imprensa comprometida com a fidelidade da notícia ao fato.

Responder

josé fernandes

07 de abril de 2013 às 16h10

Esperar oque desta mídia nefasta!!!..doce ilusão….

Responder

Hélio Pereira

07 de abril de 2013 às 16h10

O ministro assumira a Presidência do Supremo em Dezembro de 2014 e com certeza vai se lembrar da Revista época,do atual PGR e também da Rede Globo que edita esta Revista.

Responder

souza

07 de abril de 2013 às 15h40

é este tipo de conduta que fortalece o ilustre ministro lewandowski de fazer valer a justiça.
sr. ministro lewandowski estamos juntos.

Responder

    Luiz

    08 de abril de 2013 às 03h50

    A verdade é que o PIG não engole a atuação do ministro Lewandowsky no episódio do “mentirão” (quem disse isso foi a repórter Hildergard Angel, referindo-se ao mensalão, aquele julgamento sem provas que tentou prejudicar o PT nas eleições e pouco conseguiu).

    Esse ataque do PIG ao ministro distorce os fatos e objetiva, provavelmente, reforçar as ordens do PIG junto ao Supremo. Atende a vários objetivos: atingir o douto ministro Lewandowsky, reforçar junto aos atuais que “arrebentamos quem não rezar pela nossa cartilha” e avisar aos próximos a serem indicados por Dilma Roussef que “devem andar na linha”.

    Desejo que a presidenta Dilma tenha juizo e coloque no STF novos ministros que respeitem a constituição, o estado de direito e a apresentação de provas. Quem acusa tem que provar e essa máxima do direito não foi aplicada no “mentirão”. A presidenta precisa colocar novos ministros que não sejam “pudins tremelicantes”; eles precisam ser homens e mulheres de fibra. Dane-se o resto; se ela transigir e for na onda do PIG, darão o golpe instituicional e terminarão por atingi-la.

maria de sobral

07 de abril de 2013 às 15h29

No nosso pais é assim mesmo que a coisa funciona. A direita, que se acha poderosa, costuma difamar quem destoa dos arranjos da valsa dela. Digo valsa, porque a favor dos deles costuma ir nesse ritmo, arranjos, porque busca na lei toda sorte de interpretaçoes e brechas pra nao condenar seus pares. E, àquele que nao marca este passo porque é justo, livre, nao tem medo, e “tem independencia profissional”, procura macular, difamando, caluniando.
Clamam por reformas. Reforma politica, educacional, economica, reforma no judiciario… Diante dos fatos e sendo o homem o meio pela qual se darão, o que urge é uma reforma humana pra que todas as outras se deem de forma natural. Será que pode esistir?

Responder

Eduardo

07 de abril de 2013 às 15h24

E a presidenta continua dizendo que o controle remoto è que regula a midia ,atè quando ? porque?

Responder

H.92

07 de abril de 2013 às 13h32

Esse ‘jornalista’ é mais um que saiu do covil dos Civitas, daquela revista do Cachoeira, não surpreende, o que desanima é que tudo vai ficar por isso mesmo, sem retratação ou algo que o valha, esses do covil dos Civitas são os piores.

Responder

    Gerson S.

    08 de abril de 2013 às 09h06

    Perfeito.
    Ao ler a postagem do Viomundo, como não foi citado o autor da matéria na Época, fui ver quem foi o assassino de reputação. Lembrei imediatamente de vários comentários acerca desse Diego Escosteguy, oriundo da Veja, principalmente no blog do Nassif, onde ele, Diego, assinava matérias com o mesmo objetivo do jogo político mais rasteiro.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.