VIOMUNDO

Diário da Resistência


Emanuel Cancella: Ao pedir ajuda aos EUA, Moro coloca a raposa para tomar conta do galinheiro
Denúncias

Emanuel Cancella: Ao pedir ajuda aos EUA, Moro coloca a raposa para tomar conta do galinheiro


23/06/2015 - 11h29

raposa.boa

Emanuel Cancella: Sérgio Moro, a raposa e o galinheiro

da ATP – Ascom PDT / Agência Petroleira | 23 de junho de 2015, sugerido por Gustavo Santos 

Cai a máscara de Sérgio Moro. Ao pedir ajuda aos Estados Unidos para investigar duas das maiores empresas do Brasil – Odebrecht e Andrade Gutierrez – o juiz da Lava Jato quer colocar a raposa cuidando do galinheiro.

Sérgio Moro é um Dom Quixote às avessas. O que parece ser um gesto “corajoso e nobre” de quem tenta a todo o custo acabar com a corrupção, esconde intenções nefastas.

Em 2009, a Wikileaks publicou que o então candidato à Presidência da República José Serra (PSDB) estava comprometido com interesses da Chevron, a petrolífera estadunidense que protestou quando foi aprovado o modelo de partilha.

A lei aprovada no governo Lula mantém a Petrobrás como operadora única do pré-sal e também assegura à empresa brasileira, de saída, a propriedade de 30% em cada campo a ser prospectado. Sem dúvida, representou um avanço em relação ao que existia antes.

Aparentemente “bem intencionado”, Sérgio Moro caminha par e passo com o vendilhão José Serra. Enquanto o primeiro chama os ianques para “ajudar a investigar empresas brasileiras”, o senador do PSDB de São Paulo já conseguiu que o Congresso aprovasse a votação em regime de urgência do projeto de sua autoria que derruba o modelo de partilha e retoma o modelo de concessão, estendendo para o pré-sal a fatídica Lei 9.478/97, de FHC, que, na prática, acabou com o monopólio estatal do petróleo.

O modelo de concessão é o pior possível para o Brasil e os brasileiros, deixando escoar pelo ralo toda a riqueza que deveria ser utilizada para sanar os problemas sociais do país. Se o projeto de Serra for aprovado, quem perde e a Petrobrás e o povo brasileiro.

Vão para o ralo, inclusive, os recursos que já estavam destinados à saúde e educação, através dos royalties que seriam pagos à União.

Casado com uma advogada que está a serviço do PSDB e de petrolíferas estrangeiras, as ações de Sérgio Mouro prejudicam a Petrobrás e favorecem os interesses de petrolíferas como a Chevron. É inadmissível que a Justiça não coloque o juiz Moro em suspeição, pelo envolvimento direto dos interesses dos clientes de sua esposa com esse caso.

Apurar a corrupção é legítimo. Mas prejudicar a economia, a engenharia e os projetos sociais do país é ilógico e deslegitima a forma como esse processo caminha. Juntas, Odebrecht e Andrade Gutierrez são responsáveis por mais de cem mil empregos. As duas empresas são as maiores prestadoras de serviço do país e da Petrobrás, no Brasil e no exterior. As concorrentes estadunidenses a essa altura estão festejando as consequências da Lava Jato.

Com que autoridade um juiz do interior consegue abalar as maiores empresas do país, sem medir as consequências do desemprego em massa? Favorecendo abertamente os interesses das empresas norte-americanas que, com certeza, se investigadas fossem, também cairiam nas malhas da corrupção? Qual o plano B para evitar os prejuízos sociais e econômicos para o país e a evasão de divisas?

Os Estados Unidos, agora chamados por Moro para ajudar a investigar empresas nacionais, não reconhecem o mar territorial brasileiro (200 milhas).

Caso Serra consiga derrubar a Lei de Partilha  e Moro, no rumo que segue, consiga inviabilizar da concorrência as empresas nacionais e impor novos prejuízos a Petrobrás, estarão esticando o tapete vermelho para facilitar o domínio do imperialismo estadunidense no pré-sal.

O dono do WikiLeaks, Julian Assange, por suas incômodas revelações, amarga no exílio, escondido há anos na Embaixada do Equador, em Londres. No Brasil, o cinismo dos tucanos e da grande mídia não tem limites. Insistem em travestir de heróis aqueles que querem acabar com o regime de partilha, com a observância do conteúdo nacional e insistem em destruir a Petrobrás – patrimônio do povo brasileiro – e a engenharia nacional.

O juiz João Batista Damasceno, em um artigo corajoso, declarou: “Tenho vergonha de ser juiz, mas não perco a garra e nem me dobro ao cansaço”. Referia-se à impossibilidade de melhorar as condições do povo no país em que vive, em face das dificuldades estruturais e institucionais.

Como João Damasceno, existem inúmeros juízes que honram as suas togas. Mas também existem aqueles que as envergonham. Sérgio Moro é um falso herói. No Paraná, onde está jurisdicionado, os juízes fazem farra com o dinheiro público, o que não parece causar qualquer desconforto ao chefe da Lava Jato.

Os magistrados paranaenses têm regalias maiores comparados com o resto do Brasil. Seus salários são 12 vezes maiores que a renda do brasileiro médio (e seus abonos sequer estão incluídos nessa contagem), contabilizando cerca de R$ 303,2 mil reais anuais a juízes em início de carreira. Enquanto o trabalhador comum tem direito a 33% de adicional de férias, apenas uma vez ao ano, os magistrados paranaenses têm direito a 50% de abono e duas férias por ano.

Existem confortos maiores aos desembargadores. Eles não só têm direito a carro com motorista e café da tarde, como também recebem frutas em seus gabinetes. Sem esquecer que os juízes de todo o país ganharam recentemente o auxílio moradia, mesmo os que já possuam residência. Mas o juiz Sérgio Moro se cala diante de tanta mordomia.

Tem juiz que se insurge e é punido, como Siro Darlan que foi afastado da Vara da Infância e Juventude por criticar a aprovação do recebimento pelos juízes de quase mil reais por mês, por dependente, como acréscimo ao já vultoso salário. Os juízes não são deuses e muito menos infalíveis. Alguns têm vergonha, outros são sem-vergonha mesmo. Ou pior, utilizam-se de seus superpoderes sem levar em conta os interesses nacionais.

Emanuel Cancella é secretário-geral do Sindipetro-RJ 

Leia também:

Requião demole os argumentos dos querem que a Petrobras deixe de ser a operadora única do pré-sal  

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



29 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Urbano

24 de junho de 2015 às 14h24

A Ciência do Direito, até pela própria omissão daqueles que podem fazer alguma coisa para evitar a tragédia nacional, se encontra nua, toda estropiada e pendente em um pau-de-arara…

Responder

Hildermes José Medeiros

24 de junho de 2015 às 03h29

Na realidade, o juiz Sérgio da Mouro escancara o que já se sabe: é peça (não costuma ser de forma graciosa) para numa oportunidade, que espera virá, e está aos poucos edificando, que é o apoio a um golpe de estado, o afastamento da presidente Dilma, e quem sabe?, sonho dos sonhos, enredar o Ex-Presidente Lula em tudo, prendê-lo seria a glorificação do nome do juiz frente aos que representa e se liga ideologicamente, para no mesmo sentido, com auxílio do Ministério Público, da Polícia Federal, agora mais do que nunca do Presidente da Câmara e do Senado, contando com a apatia do Supremo Tribunal Federal, que a tudo assiste numa isenção nunca vista, deixando que um juiz de província subverta a ordem democrática e agrida as Leis e a Constituição,com apoio da mídia, inclusive internacional, quer muito se esforçam para que o neoliberalismo volte a reinar. Claro que o caminho que procuram não conta com o voto, porque para ter alguma expectativa de êxito nesta senda, Lula tem de estar fora do páreo. O povo, povo mesmo não está nem aí, não se pronuncia. Na realidade o movimento não é totalmente econômico, é também político, é a procura de apoio externo. é o aceno que está sendo dado do que pode ser ofertado, se o butim se mostrar possível. Está sendo difícil viabilizar, vender o peixe.

Responder

FrancoAtirador

24 de junho de 2015 às 00h53 Responder

FrancoAtirador

23 de junho de 2015 às 23h47

.
.
TRIBUNAL DA PROVÍNCIA DE SÃO PAULO É DENUNCIADO NO CDH DA ONU
.
(http://jornalggn.com.br/noticia/tj-sp-e-denunciado-a-onu-por-remover-juiz-que-nao-privilegia-prisoes)
.
.

Responder

Apolônio

23 de junho de 2015 às 23h34

Os movimentos sociais, sindicatos, OAB, intelectuais, artistas, deputados, MST, etc. Que tem que ir para rua, defender a Petrobrás. Isso é que tem que ser feito.

Responder

Julio Silveira

23 de junho de 2015 às 20h57

Que temos muitos brasileiros sem noção eu ja sabia, que temos muitos que defendem posições sem sequer conhece-las estamos vendo toda hora. Agora, aqui no Blog. ver uma turma vir dizer que a esquerda está defendendo a Odebrecht é demais, por que se defende uma justiça isonomica, não tendenciosa, não dirigida, não feita motivada por uma perseguição que salta aos olhos, é abusar do direito de serem sem noção ( por que se não for, só resta a canalhice motivada por interesse politico para deturpar). Por que procurar confundir o interesse por uma justiça isenta, querendo atrelar a consequencia dela a uma pactuação para um beneficio a Odebrecht chega ser ridiculo. Os caras querem é linchar, não a imposição da Lei.

Responder

Francisco

23 de junho de 2015 às 19h30

Quanto custa um juiz do terceiro mundo?

Responder

    FrancoAtirador

    24 de junho de 2015 às 13h55

    .
    .
    Um Cargo na Suprema Corte.
    .
    Os Juízes daqui são Humildes.
    .
    .

Regina Fe

23 de junho de 2015 às 18h23

O Sistema de Freios e Contrapesos na repartição de poderes está sendo interpretado por certa parcela do poder judiciário para frear os avanços sociais e pesar a mão sobre o PT. Mas a Verdade é mais forte, a máscara está caindo e, em pleno século 21, não conseguirão derrotar a nossa Democracia.

Responder

lulipe

23 de junho de 2015 às 18h19

Pensei que já tinha visto de tudo no Brasil, agora a esquerda defendendo empreiteiros, seria trágico não fosse cômico!!

Responder

    renato

    23 de junho de 2015 às 22h10

    Esta observação, só demonstra o significado das Empreiteiras para a Direita..
    Na verdade seria inaceitável para a mesma, que outro entrasse na dança..
    E mostra de forma definitiva, que a direita se perdeu ao ponto de não poder
    cuidar da sua galinha dos ovos de ouro..
    Esta acabrunhada, andando de Van com a Molina, jogando bolinha de papel na
    cabeça dos outros, ficando parado no tráfego e no trafico..
    Tá feia esta direita, que já faz apelo ao regime Parlamentarista e Monárquico, que
    procura outros países para ver se surge uma boquinha de presidente, e são infindáveis
    as diabruras destes moleques..

    Fabio

    25 de junho de 2015 às 09h38

    Já que a direita que você representa não se importa de ralar com tudo para “tirar o PT”, temos de defender as empresas. E a esquerda que é contra empresas é a que o papai ensinou a você temer, é uma ficção, como o bixo papão. Na vida é possível crescer também.

Antonio Gracias Vieira

23 de junho de 2015 às 18h17

Nossa, está muito difícil suportar tanta cafajestagem. Que coisa mais absurda! Amigos, nosso País não existe! Desculpem mas, até os poderes de uma republiqueta teria vergonha de viver um momento como esse que vivemos. Alguém tem que se insurgir para colocar ordem nesse galinheiro que transformaram nosso País!

Responder

wendel

23 de junho de 2015 às 17h18

FAla-se a toda hora, nos atos deste juizinho da República do Paraná. Inclusive que foi passar férias nos Estados Unidos e que agora pede ajuda ao mesmo para investigar pessoas envolvidas nos escândalo da membros da Lava Jato.
A pergunta que não quer calar é : porque não se investiga este investigador? Porque a ABIN não toma frente de uma investigação deste juizinho que possivelmente, ou supostamente como gostam os jornalistas, tem muito a explicar por suas ligações com àquele império ?
Onde estão os verdadeiros jornalistas nacionalistas e investigativos deste País, cujas autonomias poderiam usar para desmascarar este entreguista ??
Bem sabemos que nenhum deles, quando empregados desta mídia prostituta o fará, mas existem muitos que poderiam ajudar o País neste momento tão trágico!
No aguardo !!!!!!!!!!!!!!

Responder

Caracol

23 de junho de 2015 às 16h15

Para Presidente do Brasil, votemos em Cristina Kirchner.
Essas paradas todas ela resolve. Pelo menos, bota a boca no trombone.

Responder

    lulipe

    23 de junho de 2015 às 18h16

    Antes, quebra o país!!!

Julio Silveira

23 de junho de 2015 às 15h50

O que me impressiona é ver o Moro, um juiz de primeira instancia, ganhar a proeminência de Presidentes, do Supremo, do Congresso e até da Republica. Hoje parece ser capaz até de declarar guerra em nome do Brasil. Impressionante esse país.

Responder

Rafael Isaacs

23 de junho de 2015 às 15h49

Esquerda defendendo Odebrecht? Podemos defender a Petrobras sem precisar defender a Odebrecht.

Responder

    Andre

    23 de junho de 2015 às 18h59

    O PT não é esquerda.

Lafaiete de Souza Spínola

23 de junho de 2015 às 15h47

Quem pretende entregar a Petrobras às multinacionais do petróleo tem o mesmo DNA daqueles que, na época do Presidente Getúlio Vargas, apoiavam, ardentemente, a ideia de que no Brasil não existia Petróleo.

Naquela época, essas empresas não se interessavam pelo petróleo brasileiro.
Muitos brasileiros foram presos por defender a criação da Petrobras.
Foi um dos motivos que levaram à morte de Getúlio Vargas em 1954.

Agora, em lugar de facilitar a invasão armada de uma potência estrangeira, estão facilitando a ocupação de nosso país pelas multinacionais. Querem transformar totalmente o Brasil num país dependente, sem um mínimo de soberania!

“FRANÇA DE VICHY – O GOVERNO DA DESONRA DE UMA NAÇÃO”

Durante a segunda guerra mundial, a França, através do marechal Philippe Pétain, assinou o acordo de rendição à Alemanha. Paris passou a ser controlada diretamente pelo regime nazista.

Pétain construiu um regime colaboracionista com os nazistas, movido pela direita conservadora. Durante quatro anos, prenderam cidadãos que se opunham ao regime e fuzilaram suas lideranças.

Na contramão da França de Vichy, surgiu a Resistência Francesa, movimento liderado por oponentes idealistas que com operações logísticas de inteligência de guerra, sabotavam, combatiam e lutavam por um país livre da ocupação nazista e do regime infame governado por Pétain.

Passou para a história como o momento mais vergonhoso do povo francês. Por trás da França de Vichy estavam os franceses que sustentavam a ideia de uma França de raça pura e de ideais nacionalistas próximos às ditaduras de Franco, da Espanha, e do próprio Hitler, da Alemanha nazista.

A França é Capitulada pelos Alemães.

O marechal Pétain tornou-se chefe de um Estado com um programa político reacionário, ao qual chamou de “Revolução Nacional”, que se proclamava como regenerador da nação.

Aqui, no Brasil, se pode notar, que:

1. Querem destruir a Petrobras e empresas nacionais.
2. O interesse dessa gente não é punir corruptos. Tudo é manipulação!
3. De fato, atuam como testas de ferro de potências estrangeiras que:

* Bombardearam a Líbia e apoiaram grupos mercenários, para, depois, transformar em um grande caos!
* Quem não lê sobre as milhares de mortes de fugitivos naufragados no mar Mediterrâneo?
* Quem não sabe que estão fugindo do caos aterrorizante, resultante de tudo que criaram no Norte da África?
* Invadiram o Iraque com acusações falsas e deixaram lá o caos!
* Armaram Bin Laden para facilitar a invasão do Afeganistão e lá promoveram o caos!
* Quem não se lembra do terror que levaram ao heroico povo do Vietnam, ceifando mais de 3 milhões de vidas?
* Quem não sabe que o Vietnam está no outro lado do mundo, lá na Ásia, bem distante desses algozes?
* Ameaçaram e promoveram invasões na pequena Cuba que não aceitava continuar sendo um grande bordel.
* Como não conseguiram subjugar a Ilha pela força, então impuseram um criminoso embargo econômico!
* Impuseram violento terrorismo à pequena Nicarágua, onde dezenas de milhares de pessoas sucumbiram.
* Os povos africanos, depois da independência, continuam sofrendo as consequências perversas dessas mãos.
* Manipularam, dividiram, para continuar dominando posteriormente.
* Consideram que devem controlar o mundo pela força e não pela lei, pelo diálogo.
* Procuram criar uma classe especializada (Noam Chomsky) para servir aos que detêm o poder no mundo.
* Gastam bilhões no recrutamento e sustentação de colaboracionistas, pelo mundo afora.
* Esses servidores e colaboradores são capazes de acusar até o atual Papa de comunista!
* Vivemos sob uma constante manipulação. Manipulam a nós e seus próprios povos!

Precisamos, nesse caos programado, do surgimento de oponentes idealistas como ocorreu na França. Como ainda não chegaram exércitos, a luta é política. O povo necessita ser esclarecido.

Para resistir à sanha dos colaboracionistas:
https://www.facebook.com/LafaieteDeSouzaSpinola/posts/376383689185712

Responder

Edgar Rocha

23 de junho de 2015 às 15h06

O que fazer se o judiciário em suas mais altas instâncias comete crimes contra a soberania nacional, acoberta outros, atropela a lei e mata a Constituição? O que fazer se o Senado e o Legislativo ferem até cláusulas pétreas com pouca ou nenhuma resistência da parte do judiciário e muito menos do Executivo que só vê a banda passar? O que fazer se as instituições, em praticamente todos os níveis, funcionam de maneira mafiosa a serviço do corporativismo, dos interesses pessoais ou de grupos que sequer sabemos definir ao certo, apenas deduzidos pelo rombo deixado no Estado e pelas contradições presentes nos atos cometidos por agentes muitas vezes “acima de qualquer suspeita”?
A apropriação da coisa pública virou um paradigma nacional, de tal forma que até mesmo um reles cidadão se acha no direito de apropriar-se de espaços públicos, dependendo de proteção via corrupção, alegando descaradamente ser um direito, ou então, que aquilo do qual se apropria é público. O público deixou de ser sinônimo de coletivo, pra se tornar algo como “de ninguém” ou “de quem chegar primeiro”, ou pior ainda “de quem pode”. Não há mais Estado de fato, sejamos sinceros. Há uma coisa fictícia, mal comparada a uma selva a ser desbravada, usurpada, coletada.
Brigamos o tempo todo, não pela defesa das instituições, mas por um espaço dentro desta lógica. Nesta briga, ganha quase sempre aquele que for mais generalista, menos seletivo e menos escrupuloso. É o preço que se paga por aceitar as coisas como elas são, por sermos “realistas”. Um realismo que se sobrepõe a princípios, a regras e até mesmo à lógica. Sequer é preciso evocá-lo quando se faz algo fora das regras. Basta fazer cara de atônito, perguntar se quem cobra está maluco, tratar aos indignados como extraterrestres, lunáticos, ingênuos e pronto. A roupa do rei surge, brilhante, repleta de brocados e ouro, como num passe de mágica. O rei nu desfila em plena rua e quem não o vê assim, é idiota, merecendo até mesmo a morte se abrir a boca.
Por aqui, costumam culpar a direita por este estado de coisas. Será mesmo ela, ou somente ela, a culpada por chegarmos a este ponto.
Se colhem trigo, sabe-se o nome de quem plantou e só ele pode colher. Se colhem joio, a culpa é de todo mundo e ninguém assume o que semeou.

Responder

Antonio

23 de junho de 2015 às 14h46

Este senhor, ditador da República do Paraná, nunca quis investigar para punir e coibir a propina e os desvios nos contratos do governo, seja ele federal, estadual ou municipal.
Penso que suas ações são pautadas pelo seu ego e sua convicção em ser juiz do supremo. Pensa da mesma forma que a irmã do moleque de Minas que considera sua família predestinada a dirigir o Brasil. Ele já controla a República do Paraná e pretende expandir sua republiqueta ao resto do país. A história de sua família que lidera e chefia o PSDB em Minas é um indício concreto desta colocação.
Se a mídia, principalmente a Rede Globo, anos atrás, achincalhava e denegria a política, com o repórter de Brasília que foi assessor de imprensa do Sarney mostrando na TV “pegadinhas” dos parlamentares este senhor do Paraná achincalha a justiça.
O juiz Moro com a forma que adota para investigar, seletivamente, mostra explicitamente que a justiça brasileira não usa venda e sabe muito bem para onde deve olhar.
Ele trabalha de forma clara para o PSDB, quer o partido no poder e com isso espera a nomeação que busca, ser juiz do STF.
Ele como todos os tucanos, não se importam em destruir o país para alcançar seus objetivos. Aliás fazem isto quando estão no governo, é só o que sabem fazer.
A mídia é apolítica. A mídia é avarenta e ambiciosa, seus donos querem dinheiro, crescer cada vez mais para controlar a informação e vender seu produto mais caro.
Os tucanos pagam, como se comprovou em São Paulo.
Contam com pessoas menores, frustradas e rancorosas.
Só tenho uma pergunta: – Até quando o supremo vai permitir a continuidade das ações deste juiz que em busca de atingir seus objetivos pessoais está destruindo a economia do país?

Responder

Eridan

23 de junho de 2015 às 13h47

Caiu a máscara? Que máscara?

Responder

    Museusp Batista

    23 de junho de 2015 às 15h18

    Eh verdade. Desde o início, o Moro vem tungando todo mundo na maior cara dura, de cala limpa e olhando nos olhos em tom desafiador. Se é que entre os seus instrumentos há alguma máscara, até agora ele não se preocupou de utilizá-la. Vai passando por cima das leis e de todos, como faz o Gilmar Mendes, sem nenhuma preocupação com discrição ou sutileza. Parece que tem cobertura forte, lá de fora, como agora fica reforçada essa evidência. Uma questão de lógica:

    “Todos os agentes que parecem exercitar exageradamente poderes, acima das leis e das suas atribuições, revelando um poder maior e acima da força presente nas competências e atribuições do cargo que exerce, revela que há uma fonte de poder agindo, além das instituições conhecidas.” (Os sistemas PSYOPS explicam qual é essa fonte de energia – The Dark Energy)

Maria Aparecida Jubé

23 de junho de 2015 às 13h43

A primeira finalidade da Lava-Jato que era impedir a reeleição da presidenta DILMA, foi frustrada pelo povo, ainda não foi descartada, mas no momento estão focados no LULA, pois é o candidato com a maior chance de vitória em 2018. A segunda finalidade é a calhordice de destruir a Petrobrás e entregar nosso maior patrimônio que é o Pré-Sal, às petroleiras americanas, chegou em seu momento crucial , pedir ajuda dos Estados Unidos, pois assim eles tiram o deles da reta. A trindade do mal; mídia golpista, políticos bandidos e judiciário vendido, não têm o menor pudor em destruir o Brasil, para colocar o PSDB no poder e novamente vender nossas riquezas.

Responder

JorgeSP

23 de junho de 2015 às 13h17

ele não estava em férias nos EUA antes de voltar ao Brasil e tomar essas medidas?
curioso…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.