VIOMUNDO

Diário da Resistência


Dieese: Negro com ensino superior ganha 60% do salário do não negro
Denúncias

Dieese: Negro com ensino superior ganha 60% do salário do não negro


11/11/2013 - 11h58

OS NEGROS NOS MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS

APRESENTAÇÃO DO ESTUDO

Data: 13 de novembro de 2013 – 10 horas

Local: DIEESE, Rua Aurora, 957, São Paulo, SP

Desigualdade entre negros e brancos nos rendimentos persiste, apesar da melhora no mercado de trabalho dos últimos 10 anos

Para analisar a persistência da situação desvantajosa vivenciada pelos negros nos mercados de trabalho mais dinâmicos do país, o DIEESE preparou um estudo com base em dados apurados pelo Sistema Pesquisa de Emprego e Desemprego (SPED) que retrata o desequilíbrio existente na valoração do trabalho entre os grupos de cor da força de trabalho ocupada.

O estudo “Os negros nos mercados de trabalho metropolitanos” destaca que:

— Nas áreas metropolitanas, os negros correspondem a 48,2% dos ocupados, mas, em média, recebem por seu trabalho 63,9% do que recebem os não negros;

— A desvantagem registrada entre a remuneração de negros e não negros é pouco influenciada pela região analisada, horas trabalhadas ou setor de atividade da economia, ou seja, em qualquer perspectiva, os negros ganham menos do que os brancos;

— À medida que acrescentam anos de estudo a sua formação, pretos e pardos melhoram suas condições de remuneração, mas é nos patamares de maior escolaridade que se constatam as discrepâncias mais acentuadas de rendimentos entre negros e não negros;

— Na indústria metropolitana, o confronto de rendimentos-hora de trabalhadores com ensino superior completo indica que, em média, os ganhos dos negros ficam em R$ 17,39, enquanto os dos não negros ficam na ordem de R$ 29,03.

— Os negros ocupam os grupos ocupacionais de menor prestigio e valorização: Na RMSP, enquanto 18, 1% dos ocupados não negros alcançam cargos de Direção e Planejamento, apenas 3,7% dos negros chegam lá.

Leia também:

Dieese: Um capitalismo ainda mais selvagem





11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Dieese mostra o racismo que Ali Kamel diz que não existe | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

28 de novembro de 2013 às 11h04

[…] do Viomundo, chega o anúncio de que o Departamento Intersindical de Estudos Econômicos, que todo mundo […]

Responder

Pollyana

15 de novembro de 2013 às 16h49

Pois é… e, infelizmente, acessando universidade por meio de cotas, vão continuar sendo! o empregador vai pensar: esse aí só se formou por que teve um “empurrãozinho”…

Responder

    Vitorio

    16 de novembro de 2013 às 00h30

    Acredito que não seja “empurraozinho”, acho que é o minimo que o governo pode fazer pra amenizar o o resultado da escravidão.

Capilé

13 de novembro de 2013 às 08h19

Para pensar:
E, se o empregador for um negro também…?

Responder

Capilé

12 de novembro de 2013 às 16h47

Para pensar:
Pardos são negros?
Negros podem ver-se como sendo “mais negros” que os pardos?
Há pardos que se consideram brancos?

Responder

Fabio Passos

11 de novembro de 2013 às 22h20

Qual será a explicação de ali kamel para esta situação?

E pensar que este sujeito controla o “jornalismo” da corporação que exerce um monopólio da informação em nosso país…

A função do PiG é negar o racismo e preconceito para tentar impedir que ações concretas sejam tomadas a fim de reduzir as injustiças.

A globo é o sustentáculo do Apartheid. Máquina de propaganda da casa-grande. Porta-voz da “elite” branca e rica.

Responder

Lucas

11 de novembro de 2013 às 20h59

“ou seja, em qualquer perspectiva, os negros ganham menos do que os brancos”

Não seria “não negros” no lugar de “brancos?” E os pardos que ora são negros, ora são brancos, dependendo de quem avalia e como é avaliado?

Responder

    maicon faria

    12 de novembro de 2013 às 08h29

    bem colocado Lucas, essas notícias perdem força quando sabemos desse histórico de manipular os dados com a questão do pardo.

Gerson Carneiro

11 de novembro de 2013 às 18h42

E ainda são vítimas desse tipo de coisa:

Responder

    Gerson Carneiro

    11 de novembro de 2013 às 18h44

    Que no fundo é a mesma coisa.

    Érico

    12 de novembro de 2013 às 12h28

    Irmão,posso estar errado, mas Lasombra é um clã de vampiros em um livro de RPG, eles são ligados aos poderes das sombras, não tem nada de raça nisso.
    Acho que esse carinha ai, chamado Danilo,”vomitou barro”, ainda foi racista e burro!
    Vlw.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding