VIOMUNDO

Diário da Resistência


Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma
Denúncias

Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma


19/12/2012 - 20h32

Amaury e o primeiro petardo (foto LCA)

por Luiz Carlos Azenha

Na semana seguinte às eleições municipais em que Fernando Haddad derrotou José Serra em São Paulo, episódios estranhos começaram a acontecer em torno do premiado repórter Amaury Ribeiro Jr., autor do livro Privataria Tucana, o best seller que vendeu 150 mil cópias.

Primeiro, ele foi procurado por telefone por um homem de Guarulhos que prometeu documentos relativos à Operação Parasita, da polícia paulista, que investigou empresas que cometiam fraudes na área da saúde.  Foi marcada uma reunião, mas a fonte se negou a entrar no local de trabalho de Amaury. Quando se encontraram pessoalmente, do lado de fora, a história mudou: o homem ofereceu a Amaury a venda de material secreto que teria como origem o despachante Dirceu Garcia.

No inquérito da Polícia Federal que apura a quebra de sigilo de dirigentes do PSDB, aberto durante a campanha eleitoral de 2010, Dirceu é a única testemunha que acusa Amaury de ter participado da violação. “Novamente, estão querendo armar contra mim”, diz Amaury. “Mas desta vez a trama foi toda gravada por câmera de segurança”.

Em seguida, outra situação nebulosa, desta vez supostamente para atingir a Editora Geração Editorial, que publicou o Privataria Tucana. Um “ganso”  da polícia paulista marcou encontro com o diretor de comunicação, William Novaes, com o objetivo de entregar um dossiê que incriminaria vários políticos tucanos, entre eles o ex-senador Tasso Jereissati.

O encontro, do qual Amaury também participou, foi gravado por câmeras ocultas. Amaury acredita que o objetivo era entregar à editora material falso que pudesse ser usado para desqualificar seu livro. Diante da recusa, a mesma suposta “fonte”, que responde a vários processos por estelionato, ligou para a editora dias depois dizendo que Amaury corria risco de vida.

“Acredito que eles pretendiam me acusar de obstruir o processo em andamento, o que poderia até resultar em minha prisão”, avalia o repórter.

Na mesma semana, narra Amaury, o ex-sub-procurador da República, hoje advogado José Roberto Santoro, que segundo a revista Veja tem ligações com o tucano José Serra, procurou a direção do jornal O Tempo, de Minas Gerais, para intermediar um encontro com a direção do jornal Hoje em Dia, onde Amaury mantém coluna semanal.

O objetivo, segundo o repórter, seria reclamar de uma nota publicada na coluna de Amaury relativa a uma mineradora de Minas e ao ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung. Mas, de acordo com Amaury, no encontro Santoro não reclamou objetivamente do conteúdo da coluna. “Ele ficou falando mal de mim, tentando levar à minha demissão e quando foi advertido pelos diretores do jornal aumentou ainda mais o tom de voz, como se estivesse numa crise histérica”, diz o repórter. A coluna continua a ser publicada.

Qual seria a explicação para esta sequência de eventos?

Amaury sustenta: “Está ocorrendo um verdadeiro complô, articulado provavelmente por tucanos, com apoio de setores da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. O objetivo é derrubar primeiro o Lula e depois atingir a presidenta Dilma”.

Aqui, é importante lembrar que, na campanha de 2010, Amaury foi acusado pela mídia de integrar um grupo de inteligência a serviço da campanha de Dilma Rousseff, aquele que teria violado o sigilo fiscal de tucanos. O repórter nega: “Estão querendo requentar um assunto velho, que sumiu das páginas dos jornais logo depois das eleições de 2010. Pelo jeito vai voltar já pensando em 2014. Talvez estejam pensando em me usar para chegar na Dilma”.

Amaury estranha que o processo sobre a violação do sigilo de tucanos tenha voltado a andar uma semana depois das eleições de 2012, quando foram chamados para depor o jornalista Luiz Lanzetta e o secretário particular do diretor de redação do Correio Braziliense e do Estado de Minas, Josemar Gimenez.

Lanzetta trabalhou na campanha de Dilma e foi acusado de ser o chefe do suposto núcleo de inteligência. Quanto a Josemar, Amaury trabalhou em O Estado de Minas, onde deu sequência à apuração dos fatos que resultaram no livro Privataria Tucana. O repórter enfatiza sempre que baseou o livro em documentos públicos  obtidos em juntas comerciais e cartórios, na CPI do Banestado e no Exterior.

Aqui, pausa para uma bomba: segundo Amaury, o presidente do PSDB, Sergio Guerra, entrou na Justiça de Brasília com uma ação em que pede a retirada de circulação do livro, alegando que o Privataria Tucana causa danos morais a caciques do partido. O pedido foi feito durante a campanha de 2012 mas até hoje a Justiça não se pronunciou.

“Com certeza, o livro provocou muitos estragos nas eleições. Com certeza continuará provocando. O curioso é que eles nunca respondem especificamente às acusações ou documentos mostrados no livro”, diz Amaury.

Ele também estranha que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que recebeu dezenas de livros pelos Correios, de leitores indignados com o conteúdo, não tenha aberto um procedimento para apurar as denúncias.  Amaury entregou parte dos documentos utilizados no Privataria  à Polícia Federal, que até hoje não abriu inquérito.

Além disso, apesar de o deputado federal e ex-delegado da PF Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) ter conseguido o número de assinaturas necessárias à abertura da CPI da Privataria, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), parece ter sentado sobre o assunto.

NOVO LIVRO

Desde o lançamento do Privataria Tucana, Amaury fala em escrever a sequência.  O livro já tem nome: Privataria 2, o Grande Complô.

Viomundo: Amaury, do que tratará o livro?

Amaury: Vou mostrar como funciona o núcleo de inteligência do PSDB, que domina até hoje setores da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Eles se movimentam para desarticular o ex-presidente Lula e futuramente a presidenta Dilma. Quero mostrar porque o PT não reage. No caso da CPI do Cachoeira, tinha a faca e o queijo na mão para investigar melhor a relação entre o bicheiro e a revista Veja.

Viomundo: Você tem explicação para o recuo do relator Odair Cunha (PT-MG)?

Amaury: O PT parece abafar todos os casos. Suspeito que é por um motivo simples. Herdou e deu continuidade a esquemas dos tucanos. No caso do Odair Cunha, devemos lembrar que o ex-sócio dele, que é da região de Boa Esperança, em Minas Gerais, se tornou diretor de Furnas e controla verbas e cargos. Será que tem o rabo preso e os tucanos descobriram?

Viomundo: E a CPI da Privataria, agora sai?

Amaury: Acho que não sai. Tudo indica que o  PT tenha herdado o esquema promíscuo que os tucanos tinham com as empresas de telecomunicações. Diante da nova denúncia do Marcos Valério, que diz que a Brasil Telecom teria doado 7 milhões de reais ao PT, o partido vai ficar totalmente desmoralizado se a CPI não for aberta. Se não for aberta, vai ficar bem claro que eles temem que as investigações atinjam o próprio PT.

Viomundo: O líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto, chegou a convidar o ex-presidente FHC para falar sobre a lista de Furnas. Mas foi desautorizado pelo líder do PT no Senado, Walter Pinheiro. Afinal, essa lista de Furnas é falsa, como afirmam os tucanos?

Amaury: O laudo da perícia da Polícia Federal diz que é verdadeira. A lista mostra doações de campanha feitas por um esquema montado em Furnas para vários caciques do PSDB, dentre os quais Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra.  O caso foi denunciado na Justiça federal do Rio de Janeiro pela procuradora Andrea Bayão Ferreira, que em seu relatório diz não ter dúvidas da existência do esquema, que era abastecido por empresas fornecedoras de Furnas. Mas a Justiça Federal transferiu o caso para a Justiça estadual do Rio de Janeiro, apesar de Furnas ser uma estatal federal. É outro caso no qual o procurador Gurgel não tomou qualquer providência. Será que ele faria o mesmo se fosse um esquema petista?

Viomundo: E essa história do mensalão tucano, anda?

Amaury: Mais uma vez houve tratamento diferenciado ao PSDB.  No caso do mensalão tucano, houve desmembramento das investigações, encaminhadas à Justiça de Minas. No STF só serão julgados os reús com foro privilegiado. Vai ficar mais difícil montar o quebra-cabeças que facilitaria a condenação, como foi o caso do mensalão petista. As teorias do Gurgel não teriam vingado se tivesse havido desmembramento também no mensalão petista.  No caso dos tucanos, houve.

Viomundo: Lula nunca falou sobre a Operação Porto Seguro, aquela que desvendou um esquema de tráfico de influência nas agências reguladoras e que teria a participação de Rosemary Nogueira. A mídia explorou o que define como  “relações íntimas” entre o ex-presidente Lula e Rosemary. O que te pareceu o caso?

Amaury: São denúncias sérias, que devem ser apuradas. Mas outra vez a imprensa, a Polícia Federal e o Ministério Público dão tratamento desigual a petistas e tucanos. Devemos lembrar que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acreditava ter tido um filho com uma jornalista da Globo e a imprensa não só calou a respeito durante quase duas décadas como ajudou a abafar o caso. Uma concessionária pública, a Globo, transferiu a mãe do menino para a Espanha. Conheço bem essa história. Nunca toquei no assunto por se tratar da vida pessoal. Mas diante do cinismo da imprensa estou pensando em incluir no livro algumas revelações sobre como era o esquema para sustentar mãe e filho na Europa. É jornalistacamente relevante por se tratar de dinheiro de caixa dois, de financiamento de campanha. Tenho uma testemunha que sabe de tudo.

Viomundo: Você não poupa nem a PF, que vem trabalhando como nunca?

Amaury: O governo é petista, mas há um núcleo tucano na PF, tanto que a presidente da República só ficou sabendo da Operação Porto Seguro depois que ela foi deflagrada. O ministro da Justiça apareceu na TV com aquela cara de bobo, ficou vendido. Vale lembrar que o início das investigações se deu pelas mãos do serviço de inteligência do PSDB, que cooptou testemunhas para levar o caso adiante. Meu livro vai contar os detalhes de como isso aconteceu. Vai também desnudar as relações promíscuas entre integrantes do Ministério Público e da Polícia Federal com o alto tucanato. Como vou sustentar, é mesmo um grande complô.

Viomundo: Mas se a Rosemary foi exonerada no dia seguinte à operação da PF, Dilma não sabia de nada antecipadamente? Há especulação de que ela deixou andar justamente para eliminar um núcleo de corrupção que herdou do governo Lula…

Amaury: Essa é a grande pergunta, até hoje não foi respondida. Pretendo responder no livro.

Viomundo: Já que estamos no campo das especulações, e a boataria sobre a saída de Dilma do PT para o PDT?

Amaury: Seria um suicídio político. No PDT há uma briga de vida e morte entre a família Brizola e o ex-ministro Carlos Lupi. Só faria sentido ela sair do PT se o Lula fosse candidato em 2014, o que o atual quadro político não indica.

Viomundo: E essas gravações que você fez, do pessoal que tentou armar contra você, vão entrar no livro?

Amaury: Com certeza, mas antes vou entregar todo o material à Polícia Federal e à Justiça. Quero deixar claríssimo que eles escolhem os casos para investigar e punir. Como eles até agora não tomaram providências, pretendo entrar com representações na PF e no Ministério Público pedindo a apuração das denúncias contidas no Privataria Tucana. Quero ver eles sentarem em cima do assunto. Pelo jeito só vai me restar fazer denúncias fora do Brasil por meio da ICIJ, International Consortium of Investigative Journalists, entidade que tem sede nos Estados Unidos e representação em dezenas de paises. Fui o primeiro repórter brasileiro a integrar a entidade e estou pensando em acioná-la se as autoridades brasileiras não tomarem providências.

Leia também:

Serra usa Policarpo para tentar condenar Amaury

Amaury: MP identifica empresas que irrigaram o esquema de Furnas

Amaury: O primo mais esperto de José Serra

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



108 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Forbes: Veja é odiada no Brasil e se envolveu em corrupção - Viomundo - O que você não vê na mídia

30 de maio de 2013 às 14h08

[…] Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma […]

Responder

Gurgel manda investigar denúncia de Valério contra Lula « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de janeiro de 2013 às 11h07

[…] Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma […]

Responder

Carta Capital: O jornalismo de esgoto corre por outras bandas « Viomundo – O que você não vê na mídia

02 de janeiro de 2013 às 22h53

[…] Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma […]

Responder

Leandro Fortes: Casamento de Cachoeira, Jornalismo à moda de Al Capone « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de dezembro de 2012 às 18h54

[…] Amaury promete revelar bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma […]

Responder

Luiz Fortaleza

24 de dezembro de 2012 às 00h13

Acabei de assistir uma história de vida, uma história de vida diferente, ou melhor, a história do Brasil. Noutras palavras, acabei de assistir a história de um ídolo, um ídolo que se transformou num mito social. E todo mito é amado por uma grande maioria e odiado por uma pequena minoria. Minoria esta que podemos dividir entre os dominantes que sabem da importância histórica deste mito e dos ignorantes que não percebem o valor histórico deste mito social. A mim me vieram várias reflexões, relações, emoções, sentimentos e reversões de opinião. Um setor dominante quer destruir este mito, este mito do povo, do trabalhador e para isso se utilizam de mil maneiras para implodi-lo na cabeça do povo. Povo este que era sempre rebanho de uma classe dominante, de um coronelismo de estado, de uma tutela do Estado repressivo. Claro que o mito não é perfeito, e tem defeitos, defeitos que são desconsiderados ou minimizados por quem o ama, mas ressaltados e ampliados pelos que o odeiam. O ódio pode vir tanto da direita quanto da esquerda reacionárias, insensíveis e incompreensíveis ao momento histórico, porque presas às suas ideologias políticas de forma inflexível. A história, diz o velho querido e atual Marx, é feita pelos homens (pelas mulheres), mas não a partir da sua pura vontade política, mas a partir das circunstâncias com que se deparam. Isso Marx disse ao ver a derrota do proletariado na França frente a monarquia e burguesia, pois percebeu a imaturidade politica da classe trabalhadora e a capacidade de o capitalismo ainda ter muito folego de dominação econômica, politica e cultural. Lula não pode jamais ser analisado por uma moral política burguesa e nem marxista, porque ele transcende a essas perspectivas reflexivas. Ao contrário, a sociologia história e a filosofia vão ter que refazer suas perspectivas analíticas para compreender o fenômeno político LULA. O que prevalece nesta minha reflexão é a fala do meu coração e não da minha razão marxista fria e arrogante. A verdade da vida é maior do que qualquer verdade moral que se pretenda ser a VERDADE. E assim termino dizendo que os futuros historiadores, filósofos, sociólogos etc. terão uma maior capacidade de analisar os fatos à luz do futuro e não do presente contaminado de emoções de amor e de ódio ou de decepção. Emoções estas construídas por técnicas de manipulação das massas. Valeu Lula, você é o CARA, como disse Obama. E ele não disse isso à toa, a esmo. Ela sabe o que disse, coisa que muitos não sabem. Que a posteridade seja o teu juiz, Lula, porque o presente ainda é o teu carrasco.

Ps: LULA DIFERE DE GETÚLIO PQ NUNCA MANDOU NINGUÉM PARA A MORTE COMO GETÚLIO MANDOU OLGA PRESTES PARA HITLER. AO CONTRÁRIO, ELE TIROU MILHÕES DA MORTE, DA FOME, DA FALTA DE TRABALHO. EIS O SEU LEGADO.

Responder

    Wilson Garcia

    14 de novembro de 2013 às 10h06

    Isso parece piada!! Estão exaltando o lula como se ele fosse o salvador da pátria!! O que isso? Esse senhor está afundando o Brasil num mar de corrupção e falta de moral!! Eu como brasileiro estou indignado e perplexo com o rumo que o nosso país está tomando!! Seremos filial de cuba aqui na America do Sul, socorro alguém precisa tomar uma providencia o mais rápido possível!!! Precisamos de uma intervenção já!!!!

2013, o ano 10 do Viomundo « Viomundo – O que você não vê na mídia

23 de dezembro de 2012 às 21h46

[…] Amaury Ribeiro Jr. promete revelações sobre o complô contra Dilma e Lula […]

Responder

Wilson Garcia

23 de dezembro de 2012 às 20h56

Acreditem se quiserem: A globo vem ai com o serra bicudo e tudo novamente e seu milionário dinheiro roubado no privataria tucana a doze anos atras, não e atoa que a globo mente não larga o serrote ele esta com os bilhões da venda das empresas brasileiras na privataria. e serra candidato novamente em 2014. aguardem vampiro em 2014.O ping pode largar o osso mas dinheiro não.

Responder

Jonathan Cook: Por que a tentativa de Murdoch de comprar a Casa Branca não foi manchete « Viomundo – O que você não vê na mídia

23 de dezembro de 2012 às 20h33

[…] Amaury Ribeiro Jr. promete revelações sobre o complô contra Dilma e Lula […]

Responder

FrancoAtirador

23 de dezembro de 2012 às 03h20

.
.
“As águas vão rolar…
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar.
Eu passo a mão na saca, saca, saca-rolha
E bebo até me afogar.
Deixa as águas rolar!
Se a polícia por isso me prender
E na última hora me soltar,
Eu pego a saca, saca, saca-rolha
E bebo até me afogar.
Deixa as águas rolar!”

(Aébrio Nébulus, após ler a entrevista de Eduardo Campos à Revista Época)
.
.
Entrevista

EDUARDO CAMPOS
(Governador de Pernambuco e Presidente Nacional do PSB)

“ESTAREI COM DILMA EM 2014”

O governador de Pernambuco diz que
não será candidato a presidente
e que não apoiará o PSDB nas eleições

Por Luiz Maklouf Carvalho, na Revista Época/Globo

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Estou convencido de que o senhor é candidato a presidente da República em 2014. É?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – E aí sou eu que vou ter de lhe desconvencer (risos). Tenho um amigo que é jornalista, experiente, que outro dia me disse: “Fulano de tal é candidato, e ninguém acredita. Você diz que não é, e ninguém acredita”. O que é que posso fazer? Na minha geração, poucos tiveram a oportunidade que tive de conviver com quadros políticos que sempre fizeram o debate com profundidade, olhando objetivos estratégicos, os interesses da nação, do povo. O quadro político que tem acesso a essa formação, e que a amadurece, percebe que suas atribuições e sua responsabilidade impõem essa visão que vai muito além do eleitoral e está até acima do eleitoral.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Explique melhor.

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Nesse curto espaço de tempo, vamos decidir muita coisa no Brasil. Estamos vivendo uma crise sem precedentes lá fora. Essa crise há de gestar outro padrão de acumulação de capital. Outros valores vão surgindo. Com a importância que tem nesse concerto internacional, o Brasil fez, nos últimos anos, alguns avanços importantes. Na quadra mais recente, viveu três ciclos: o ciclo da redemocratização, o ciclo da estabilidade econômica e um ciclo do empoderamento da pauta social, uma coisa que se transformou, inclusive, em política econômica. Na brevíssima democracia que nós temos, tivemos líderes que, a seu modo, por suas virtudes e vicissitudes, interpretaram o que era um acúmulo de consenso na sociedade. Tiveram a capacidade de orquestrar frentes políticas que deram apoio e força política para viver esses ciclos.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – O que é que o senhor vê neste cenário de crise?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Que essa disputa entre estes dois blocos que surgiram no processo da redemocratização, um liderado pelo PT – onde sempre estivemos incluídos – e outro pelo PSDB, muitas vezes com posições assemelhadas em relação a determinadas coisas, fez com que o país e o povo ganhassem. Houve conquistas para a população, no ciclo comandado pelo PSDB, e houve equívocos. E houve muitas conquistas no ciclo em que estivemos sob a liderança do presidente Lula. Essas conquistas não estão inteiramente consolidadas. Se a gente eleitoralizar esse momento, se a gente não pensar o país de forma larga, a gente pode se ver como lá no Quincas Borba (romance de Machado de Assis): “Aos vencedores, as batatas”. Mas o que você não pode, num momento como este, dessa importância, é interditar o debate político.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Debate que já está colocado.

EDUARDO CAMPOS (PSB) – A gente tem de compreender, a gente tem de respeitar, tem de fazer esse debate, ter a disposição de estimulá-lo. Os partidos puxam para o eleitoral, os quadros, a militância, a mídia que cobre isso, tudo puxa para o eleitoral. É natural. A gente tem de ter calma, paciência, e compreender. Agora, ninguém pode dizer o que acontecerá em 2014, nem quem está liderando esse processo, a própria presidenta Dilma. Ela tem nossa confiança, foi nossa candidata, com quem temos identidade, respeito pelos valores que ela traz para a vida pública. Ela é uma mulher que tem dignidade, tem força de pelejar com seus valores. Nem ela pode, a uma altura desta do campeonato, permitir que o debate se eleitoralize. Quem é amigo da Dilma, amigo do Brasil, não botará campanha na rua, nem da oposição nem a campanha da Dilma.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – O senhor daria uma grande contribuição a essa tese que está defendendo agora – não eleitoralizar o debate neste momento – dizendo, com todas as letras, que apoiará a reeleição da presidente Dilma em 2014. Isso é água na fervura, acaba com a eleitoralização do debate.

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Nosso partido foi o partido que tomou a decisão de não ter um candidato que tinha ponto na pesquisa para apoiar a presidenta Dilma. E passamos todo o tempo dizendo que a candidatura natural é a candidatura da Dilma.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Então, o senhor apoiará a reeleição da presidente Dilma em 2014?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Não há dúvida, não. Qual é a dúvida? Estamos na s base de sustentação. Não tenho duas posições. Quem defende a presidenta Dilma neste momento deseja cuidar em 2013 do Brasil. Quem pode cuidar do Brasil é Dilma. Nós temos de ajudá-la a ganhar 2013. Ganhando 2013, Dilma ganha 2014. Então a forma de ajudar Dilma é dizer: em 2014 todos nós vamos estar com Dilma. Claro. Por que não vamos estar com Dilma? Nós rompemos com Dilma? Saímos do governo de Dilma? Saímos da base dela? Você conhece algum programa criado pelo PSB constrangendo algum programa, alguma decisão da presidenta Dilma? Não existe nenhum. Agora, entendemos que é a hora de cuidar do Brasil. Temos muitas ameaças e possibilidades pela frente.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – O senhor está dizendo algo como: “Oposição, tira seu cavalinho da chuva, porque em 2014 vou marchar com a presidente Dilma e com esse campo político do qual venho participando ao longo destes últimos anos”?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – As pessoas dizem: “Eduardo é amigo de Aécio Neves”. É uma verdade. Mas a aliança feita em Belo Horizonte (PSB-PSDB) foi gestada por mim? Não. Foi gestada por Fernando Pimentel, que é uma pessoa ligadíssima à presidenta, ministro dela, e por Aécio. Eles me chamaram para perguntar se o PSB toparia filiar o Márcio (Lacerda, do PSB, que venceu a eleição para prefeito). Essa é que é a história. Em palanque nacional, a última vez que estive com Aécio Neves foi no palanque de doutor Tancredo. Agora, daí a desejar que a gente não dialogue… O presidente hoje do PSDB nacional é um deputado federal (Sérgio Guerra) que foi secretário do meu avô (Miguel Arraes, exilado político e ex-governador de Pernambuco) nos dois governos dele. Convivemos com ele, foi do meu partido, é meu amigo pessoal, com quem dialogo, e nem por isso esteve no meu palanque nas últimas eleições.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Dita com as palavras do ex-ministro Roberto Amaral, seu vice-presidente no PSB, a frase seria esta: “No plano nacional, não é possível fazer uma aliança com o PSDB”.

EDUARDO CAMPOS (PSB) – O PSDB está numa situação em que não defendeu nem o legado do Fernando Henrique nem propôs ainda algo que se coloque em debate na sociedade. E é isso que Fernando Henrique tem cobrado do partido, com grande lucidez. A hora é de qualificar o debate. Não vou entrar nesse debate de maneira desqualificada. Em respeito a meu partido, em respeito à presidenta e em respeito, sobretudo, ao país.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Por que o senhor quer ser presidente da República?
EDUARDO CAMPOS (PSB) – Quem lhe disse isso?

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – O senhor quer? O senhor tem esse sonho de ser presidente da República?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Deixa eu falar, com toda a tranquilidade: quando quis ser governador, disse às pessoas que queria ser governador. Procure neste país alguém que procurei dizendo: “Quero ser candidato a presidente da República”. Em março de 2005, disse que seria candidato a governador em 2006 (foi e ganhou, no segundo turno, com 65,36% dos votos). Agora eu não disse isso. É preciso saber que, na política, também há pessoas que pensam, sem necessariamente se colocar. E sei o que é que vou viver, esse estresse todo, as pessoas querendo, achando que devo ser, que posso ser, que vou ser, outros olhando de um jeito diferente, ou com uma desconfiança, porque as circunstâncias políticas no Brasil vão, no ciclo pós-Dilma, escolher novas lideranças que pautarão o debate político. Então tem de ter calma. Estou sereno, tranquilo. No dia em que eu vier a querer ser presidente, vou responder a essa pergunta. Mas hoje não.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – Foi por isso que o seminário dos prefeitos eleitos do PSB, no final de novembro, com 600 participantes, não virou uma festa de lançamento de sua candidatura, como alguns setores esperavam?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Se eu quisesse, tocava fogo naquilo ali. Podia pedir a um governador, a um deputado.

Luiz Maklouf Carvalho-Época/Globo – E por que isso não aconteceu?

EDUARDO CAMPOS (PSB) – Porque a gente tem um debate político feito no partido. Nós temos responsabilidade. Calma! O país está numa situação de muita dificuldade. Se a gente não ganhar 2013, podemos botar abaixo 20 anos de construção brasileira. Se a gente importar essa crise, começar a destruir o mercado de trabalho, começar a eleitoralizar esse debate, ir para a luta fratricida e não sei mais o quê, vamos desmontar grande parte do que foi a conquista dos últimos 20 anos. É isso que está em jogo. E quem você acha que vai ser respeitado como quadro político? Quem for fazer a disputa eleitoral pela disputa eleitoral? Ou quem pautar o que interessa à sociedade?

http://revistaepoca.globo.com/Brasil/noticia/2012/12/eduardo-campos-estarei-com-dilma-em-2014.html
.
.
PSDB NUNCA MAIS !!!
.
.

Responder

    Rodrigo Mello

    24 de dezembro de 2012 às 00h53

    LULA era contra COLLOR, SARNEY, e mais 360 picaretas( não tenho certeza). A pouco tempo beijou a mão de JADER BARBALHO, disse que collor foi INJUSTIÇADO e que SARNEY, e sua prole, é o melhor para o MARANHÂO. Vc acredita mesmo que Eduardo campos esta falando a verdade? se sim, fique o no dia 25, a noite toda esperando papai noel !!!

    Wilson Garcia

    14 de novembro de 2013 às 10h14

    O principal câncer da politica nacional se chama PT, graças à Deus eu nunca votei nessa peste que assola o nosso país!!!

Messias Franca de Macedo

23 de dezembro de 2012 às 01h54

… UMA TENTATIVA DE DESANUVIAR O CLIMA GOLPISTA!

… Partindo de um axioma: a polícia é a instituição que tem o devido preparo, conhecimento e instrumentos para investigar e elucidar crimes. Portanto, no sentido de resolver este imbróglio [Ação Penal 470], creio que seja condição ‘sine qua non’ recorrer ao relatório atualizado da Polícia Federal acerca do referido processo. Mencionei ‘atualizado’ porquanto durante os desdobramentos de uma investigação, dados vão surgindo, elementos outros vão sendo agregados… De modo que o conteúdo do processo vai ganhando contornos novos, vai sendo, naturalmente, aperfeiçoado…
Em sendo assim, deve ser feito um cotejamento entre o relatório atualizado da Polícia Federal e a narrativa “dos supremos do supremoTF”, ou seja, com o acórdão que será proferido. Bom, e aí, veremos “quem tem a farinha da verdade no saco!”…
“… Eles, ‘os caras’ [‘os supremos’] desconhecem o que seja [em publicidade] bônus de volume… Um absurdo!…” *Jornalista Paulo Moreira Leite – em debate recente realizado na sede do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, que discutiu a participação da mídia na cobertura do julgamento da Ação Penal 470.

*FONTE: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rSKtgvSvuA8#at=930
Vídeo repercutido em http://altamiroborges.blogspot.com.br/
STF coloca em risco a democracia

BRASIL NAÇÃO – em homenagem ao honesto, sapiente e intrépido povo trabalhador brasileiro
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

paulo roberto

22 de dezembro de 2012 às 13h02

O núcleo tucano da PF tem como chefe o próprio ministro da justiça (em minúsculas, mesmo).

Responder

wmjunior

22 de dezembro de 2012 às 11h09

O Odair queimou o filme do PT

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de dezembro de 2012 às 01h11

Lula: “Se ficar um vagabundo numa sala com ar condicionado…”

https://www.viomundo.com.br/denuncias/lula-se-ficar-um-vagabundo-numa-sala-com-ar-condicionado-falando-mal-de-mim-vai-perder.html/comment-page-1#comment-406272 – jornalista Luiz Carlos Azenha

LÁ VEM O MATUTO PRESTIDIGITADOR DE UMA FIGA!

MERVAL PEREIRA: [Expele alguns indefectíveis pigarros e…] “Ô ‘seu menino’ desliga o aparelho de ar condicionado desta minha(!) sala e empreste-me o ventilador modelo 1970 (idem sic) que funciona (precariamente!) no cubículo (ibidem sic) onde você trabalha ‘suado’ o dia todo!
Renatinha [Lo Prete], de vez em quando, a depender do ‘domínio do fato’ (sic), desenvolvo, inopinadamente(!), alergia a estes aparelhos ‘mudernos’!…”

“Muito obrigada pelos seus valiosíssimos esclarecimentos [‘jenial’] “dotô” Merval!” Simpática Renata Lo Prete, da ‘Folha [da ‘ditabranda’!]’ para a ‘grobonews’ cada vez mais ‘jornalista amiga dos patrões barões da grande MÉRDIA nativa’! Que pena! A Renatinha é tão simpática!…

Lá isto é jornalismo, sô?!…

República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL, fascista, histriônica, terrorista, MENTEcapta, beócia, aloprada, alienada, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!'(“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor e humanista uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

marcosomag

21 de dezembro de 2012 às 22h59

Seria muito fácil para o PT desmontar o “aparelho” tucano na PF. Era só transferir este pessoal para um local aprazível como a região da “cabeça do cachorro” no Amazonas. Mas, cadê a coragem para despedir este abobado do Cardozo e colocar no seu lugar o Protógenes ou repatriar o Lacerda? Se interessa manter o Serrote no jogo político para embaralhar as cartas no PSDB, que pelo menos neutralize sua “turma do mal”!

Responder

jadiel de Souza

21 de dezembro de 2012 às 13h27

A grande ferramenta de combate chama-se informação e inteligencia, como o Livro do Amauri, por isto me sinto um soldado sozinho no meio do front, pois falar aqui nas mídias esclarecedoras é mais uma afirmação é preciso investir em mídias onde a direita esta sempre no 10 contra 1 na linha de comentários do leitor.
Então convido voces a visitarem sites como o Terra, Uol, e atuar nesta batalha onde eles se acham maioria
É do vi o mundo, conversa afiada e outros que me alimento das informações necessárias para responder aos insultos da direita.
Parabéns Azenha, esta na ora desta orquestra tocar junto, vamos expandir nossos conhecimentos.

Responder

Ana Cruzzeli

21 de dezembro de 2012 às 08h31

Eu sou MUITO LEEEEEEENTA, sou conhecida entre meus colegas professores pela alcunha de INGENUA, por não acreditar em mensalão ou doações com trocas de favores dos petistas

Marco Valério diz que a Brasil telecom doou dinheiro ao PT para fazer campanha. Isso provavelmente em 2004 ou 2005, antes disso estava claro que seria doação para os tucanos, pois o concessão foi na epoca ¨maravilhosa¨ do FHC.

Maaaaaaaas, doações em que sentido ¨NEBULOSO¨?
1-Seria para o PT não reverter as concessões? Dificil pois o Lula sabia que mesmo sendo horrível para o Brasil as concessões do FHC, eram contratos firmados e deveriam ser respeitados, PRINCIPALMENTE apos a assinatura da carta aos brasileiros. A Brasil telecom queria Serra mil vezes, jamais um Lula. Em time que está perdendo não se investe e o PT pedia de fazer dó.

2- Se as doações foram para 2004 ou 2006, que tipo de chantagem seria essa, haja visto que o PT não tinha intenção de quebrar contratos, fato fartamente demonstrado?

3- Que tipo de privilégio a Brasil telecom teve no governo Lula até 2005 para fazer doação? Minha memoria vai muito mal, mas mesmo assim teria que me lembrar de algum tipo de generosidade que Lula por ventura tivesse feito a Brasil Telecom que convertesse em generosidade de captação de doadores para 2004 ou 2006.

Se essa doação realmente procede nenhum tipo de privilegio foi evidenciado de 2003 até o dia do golpe/2005, então toca o enterro Amauri, do terreno do Brasil Telecom nenhum defunto há de surgir vivo, ressuscitado.
O Lula tinha grande preocupação com o sistema financeiro. Essa seria a maior batalha a ser travada, por pior que fosse a concessão do FHC na telecomunicação, ainda para o brasileiro médio que vê sempre pelas sombras do mito da caverna de Platão, via como um mal menor.

Se o governo Lula fosse ser chantageado seria pelo sistema do capital especulativo. Mas o Lula, enrolou todo mundo ( do mal que fique claro) assinou a carta e cumpriu todas as clausulas, só que os bestas nunca imaginavam que antes do prazo previsto a divida seria paga e a carta não teria mais valia, pois o devedor não mais devia e o BB e Caixa não foram para a privataria.

Um governo que deu nó em pingo d´água, jamais deixaria seu partido fazer besteiras tão primária do toma-lá-dá-cá. Não, o Lula, marcoaurelioamente falando, é um safo. FMI QUE O DIGA, foi enrolado para o desespero dos EUA que precisavam do nosso sistema privatizado como prometia o FHC.

De todas as coisas não cumpridas por Bambi aos EUA, essa é que doi mais, nele é claro.

Quando vejo as privatizações de Bambi, vai subindo uma raiva, mas aí essa raiva se desfaz. O mal de todos os males, não foi feito. É só por isso que o fim desse corno já é triste. Ele não deu a chave do cofre dos cofres para os ianques.

Responder

    Bonifa

    21 de dezembro de 2012 às 13h30

    Está quase óbvio que a demora na concretização da denúncia valeriana contra Lula, acompanhada de um pinga–pinga de notas requentadas para não deixar o assunto esfriar, se deve a fortes dificuldades de formalizar a denúncia, de fazer dela uma construção midiática verossímil e com um pouco que seja de algum conteúdo jurídico. Dar forma à mesma, ampliá–la de uma maneira tal que fracos indícios possam parecer provas e que a mesma, em seu todo, por seus desdobramentos, não venha a implicar em qualquer culpabilidade algum político de oposição. O problema todo deve estar em exame sobre a mesa, em equipado laboratório, em torno da qual se revezam escribas da mídia, políticos oposicionistas, gente da MPF e talvez até do judiciário. Quem sabe também algum especialista “de fora”? Estas seriam as dificuldades que estão a atrasar o “trabalho” de Gurgel.

LUIZ CLAUDIO

21 de dezembro de 2012 às 00h51

NOSSO FIM DO MUNDO PODE VIR EM 2013.

É, acho que o quadro é serio mesmo. Tomei ciência da gravidade ao ver o episódio da Grande Família de hoje, quinta, 20 de dezembro. Não sabia que a Globo tinha “politizado” o seriado com a prisão do personagem Agostinho. O genro de Lineu, agora vereador cassado, foi preso por ter sua campanha financiada por um bicheiro (qualquer semelhança com fatos políticos atuais terá sido mero coincidência?). É estranho a Globo estar abordando essa temática em um programa que sempre se afastou de um humor “engajado”. Vale lembrar que há dez anos ela ressuscitou o seriado sem o personagem Júnior da versão original, justamente por ele ser o membro mais politizado da família, a fim de evitar o debate político no momento em que o neoliberalismo de FHC já mostrava sinais de fracasso e moribundice. Era o ano de 2001 e o país se via em uma encruzilhada, marcado pelo desemprego e pela inflação que já começava a retomar seu fôlego.

Esse episódio da Grande Família me faz lembrar muito os acontecimentos que precederam o golpe contra Chavez na Venezuela. Pouco antes de derrubarem o presidente Venezuelano foram veiculadas mensagens golpistas até mesmo em programas de televisivos que não tratavam de política. Elas surgiam em programas innfantis, de culinária e até durante eventos esportivos televisionados. Claro que tudo isso era feito subliminarmente para não dar na pinta, assim como está sendo feito aqui no Brasil pela Globo.

Temo pelo que virá.

Responder

    Julio Silveira

    21 de dezembro de 2012 às 10h14

    No Brasil, meu caro, a midia corporativa está tão segura de seu controle sobre as marionetes do poder que, tanto faz oposição politica aberta, quanto subliminar, a muito tempo. Como já disse aqui neste espaço “n” vezes. Certos que estão de encontrarem ávidos elementos dispostos a esmolar as benesses daqueles 15 segundos que transformam mediocres em celebridades. Uma doença que parece incuravel em todos os circulos sociais do País.

    Bonifa

    21 de dezembro de 2012 às 13h48

    A Grande Família foi criado e era escrito por Oduvaldo Vianna Filho, o grande Vianinha. O seu objetivo era passar mensagens políticas sutis para a classe média, em plena ditadura, usando a Globo. Se o Vianinha soubesse que sua criação iria ser usada futuramente pelos mesmos golpistas de 1964, certamente não o faria.

    Abel

    23 de dezembro de 2012 às 18h13

    Não sou exatamente um fã da série, mas em 2012, a Globo “descolou” a “Grande Família” do tempo real. Houve um lapso de 4 anos entre a temporada de 2011 e a deste ano, na qual o patriarca Lineu Silva ficou em coma. Então, tecnicamente, na série já estamos em 2015 – um 2015 muito parecido com 2012, se me entendem ;) Uma maneira de acompanhar o desenrolar do tempo na trama era pela foto do(a) presidente(a) na sala do Lineu, na repartição. Como estamos em “2015”, até onde eu me lembro, não mostraram a foto em episódio nenhum desta temporada…

FrancoAtirador

20 de dezembro de 2012 às 23h05

.
.
UNIVERSIDADES ESTADUAIS DE SÃO PAULO

ADEREM AO PROGRAMA DO GOVERNO FEDERAL

DE COTAS PARA ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS.

E agora, Urinoldo Azeredo?
.
.
20/12/2012 – 19h01

Programa de cotas nas universidades de São Paulo começa em 2014

Por Flávia Albuquerque, repórter da Agencia Brasil

São Paulo – O governo de São Paulo anunciou hoje (20) programa que irá reservar metade das vagas nos cursos e em cada turno das universidade públicas do estado para estudantes vindos de escolas públicas e que se declaram negros, pardos e indígenas. O Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público (Pimesp) será iniciado a partir de 2014, pois ainda depende da aprovação dos conselhos universitários.

De acordo com a proposta, a inclusão será feita gradativamente em três anos – 35% em 2014, 43% em 2015, até chegar a 50%, em 2016. O cálculo foi feito com base no número de matrículas no ensino superior público paulista este ano.

O programa será implantado na Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade de Campinas (Unicamp), Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) e para as faculdades de Medicina de Marília e de Rio Preto, segundo o governo estadual.

O governador Geraldo Alckmin destacou ainda a criação do Fundo Especial para Apoio à Inclusão Social, uma forma de garantir a permanência do cotista na universidade por meio de auxílio financeiro.

De acordo com o governo estadual, serão concedidas bolsas de R$ 311 (meio salário mínimo) aos estudantes que tiverem renda familiar inferior a 1,5 salário mínimo para custearem gastos com transporte e alimentação.

Quem receber a bolsa será avaliado mensalmente em relação à participação em atividades escolares.

“Não adianta só criar a cota, o aluno entrar na universidade e não acompanhar ou ter que desistir porque não tem como se manter. Nós damos condição para esse aluno que teria dificuldade,” explicou o governador.
O programa prevê ainda a criação do Instituto Comunitário de Ensino Superior (Ices), em parceria com a Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), que vai oferecer cursos de graduação com duração de dois anos, preparatórios para o ingresso nas universidades públicas.

Serão duas mil vagas no Ices para estudantes das escolas públicas. A seleção dos alunos será feita por meio do desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Os cursos no Ices garantem a entrada na Fatec e nas universidades e faculdades estaduais aos alunos com aproveitamento superior a 70% ao final do primeiro ano do curso. Quem tiver as melhores notas no Ices terá prioridade na escolha do curso na universidade.

“Nosso instituto [Ices] dará o diploma de nível universitário de dois anos que já permite trabalhar. E aqueles que quiserem continuar terão o ingresso automático na universidade desde que tenham o aproveitamento mínimo. Quem tiver notas mais altas escolhe primeiro o curso,” ressaltou Alckmin.

Segundo o coordenador-geral da Univesp, Carlos Vogt, parte do curso será presencial e outra virtual. A fase presencial será ministrada em polos localizados em cidades com unidades das universidades estaduais. “Os polos são locais que têm estrutura televisiva para receber a Univesp TV e para receber via internet as aulas e os conteúdos, além de desenvolverem atividades tutoradas por mediadores capacitados para solucionar dúvidas tecnológicas para garantir o bom acompanhamento”.

Edição: Carolina Pimentel

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-12-20/programa-de-cotas-nas-universidades-de-sao-paulo-comeca-em-2014
.
.
Frente pró-cotas critica plano das universidades estaduais

Grupo pede que seja levado adiante um projeto de lei
que tramita na Assembleia Legislativa há sete anos

Por Carlos Lordelo, do Estadão.edu

Ativistas do movimento negro dizem que o projeto de criação de cotas na USP, Unesp e Unicamp será contestado na Justiça se parte dos cotistas for obrigada a fazer um curso de formação geral antes do ingresso na universidade.

Revelado pelo Estado, o plano foi elaborado pelos reitores a pedido do governador Geraldo Alckmin, como reação à Lei de Cotas federal. A ideia é reservar 50% das vagas para quem cursou todo o ensino médio em escolas públicas. Dessas, metade será para alunos com renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por pessoa; e 35% para pretos, pardos e índios. O restante vai para os demais egressos da rede pública, independentemente da renda.

A estimativa do projeto é que 60% dos selecionados pelas cotas irão para a universidade diretamente após o vestibular e que 40% farão um curso a distância de dois anos de duração da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Eles garantiriam vaga na USP, Unesp ou Unicamp caso atingissem uma média ainda a ser definida pelas instituições.

Para o advogado Silvio Luiz de Almeida, ligado à Frente Estadual Pró-Cotas, mandar parte dos cotistas para o curso semipresencial é inconstitucional.

“O governo fará uma discriminação negativa, tornando ainda mais cruel a situação de uma minoria”, diz Almeida. “Se esse projeto for aprovado, os movimentos sociais vão aos tribunais.”

A frente, que congrega cerca de 70 entidades, lançou nesta quarta-feira, 12, um manifesto contra o plano do governo estadual.

Os militantes querem a entrada direta dos cotistas nas universidades, “sem etapas intermediárias”, e que a reserva de cadeiras pelo critério étnico incida sobre 100% das vagas.

O manifesto foi protocolado na Assembleia Legislativa de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes e nas reitorias das universidades estaduais. O documento reúne 225 assinaturas de representantes de movimentos sociais, professores e estudantes.

Para os signatários do manifesto, o curso de formação geral – inspirado nos colleges norte-americanos – na verdade cria um degrau a mais para a inclusão de negros e pobres na universidade.

Dirigente da Uneafro, rede de cursinhos populares, o professor de história da rede pública Douglas Belchior acredita que o college vai prejudicar principalmente alunos negros, que terão as piores notas no vestibular.

A frente quer que seja levado adiante um projeto de lei 530/2004, que tramita na Assembleia há oito anos e, segundo os ativistas, está pronto para votação.

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,frente-pro-cotas-critica-plano-das-universidades-estaduais,972694,0.htm

Responder

abolicionista

20 de dezembro de 2012 às 23h02

Procurador de Serra é flagrado em crime de alta traição contra o país

Deixou claro que seu objetivo era “ferrar Dirceu e derrubar o governo” através de embustes e manipulações. Queria a fita de vídeo do bicheiro Carlinhos Cachoeira, não para apurar nada, mas exatamente, para burlar e trapacear

Na fita, revelada em matéria da TV Globo, onde o subprocurador José Roberto Santoro tenta obter do bicheiro Carlos Cachoeira a gravação de sua conversa com Waldomiro Diniz, é claro o objetivo de Santoro: “Daqui a pouco o procurador-geral chega (….) e vai me ver tomando um depoimento pra ferrar o chefe da Casa Civil da Presidência da República, o homem mais poderoso do governo, ou seja, pra derrubar o governo Lula”. Mais adiante: “daqui a pouco o Cláudio [Fontelles – procurador-geral da República] chega (…) e vai ver um subprocurador-geral empenhado em derrubar o governo do PT”.

EMBUSTE

Não poderia ser mais claro. Mas Santoro ainda repete mais vezes para o bicheiro que seu objetivo é “derrubar o governo”: “Ele [Fontelles] vai chegar aqui e vai dizer ‘o sacana do Santoro resolveu acabar com o governo do PT, e, pra isso, arrumou um jornalista, juntaram-se com um bicheiro, e resolveram na calada da noite tomar depoimento”.

Mas, em que a gravação da conversa em que Waldomiro pede propina para favorecer os negócios do bicheiro poderia acarretar a derrubada do governo? Em que a descoberta de um ladrão, que não passava de um funcionário do terceiro escalão do Ministério, iria afetar Dirceu, mais ainda sendo este um homem de longa história de honradez e coragem? Ladrões existem em qualquer lugar, e corruptos têm o hábito de se infiltrar na máquina administrativa – caso contrário, não poderiam roubar o dinheiro público. Tratava-se de um caso policial. Por que, então, Santoro diz que a gravação que tenta obter a todo transe – às 3 h da madrugada, escondido de seus superiores, com a companhia apenas de alguns de sua corriola – iria “ferrar o Zé Dirceu e derrubar o governo”?

A resposta é inevitável: porque ele – e seus cúmplices – queriam usar o vídeo da conversa do ladrão com o bicheiro para ferrar Dirceu e derrubar o governo. Não lhe interessava nem um pouco a apuração dos ilícitos de Waldomiro, denunciá-lo e puni-lo. Tanto assim que o esquisito procurador Serra Azul, protegido de Santoro que estava na reunião com o bicheiro, obrigou, na segunda-feira, a Polícia Federal a encerrar o inquérito sobre Waldomiro e a multinacional americana Gtech, ao fazer sua inepta denúncia dos diretores da Caixa. Legalmente, a PF somente pode proceder a um inquérito enquanto não é feita a denúncia. Mais de metade dos depoentes convocados, além das diligências periciais, ainda estavam para ser ouvidos, quando Serra Azul, que, a julgar pelas suas próprias palavras, não faz nada que Santoro não queira, fez a denúncia, o que acabou com a investigação da PF, pedindo imunidade para Cachoeira, exatamente o que Santoro promete ao bicheiro em troca da gravação em que aparece Waldomiro.

Em suma, o que queriam era promover um embuste, atribuir a Dirceu, ao governo e ao PT responsabilidade pelos crimes de um elemento que abusara da sua confiança. Era isso e somente isso o que interessava a Santoro e aos seus asseclas: derrubar o governo com uma fraude, com uma manipulação asquerosa, repugnante, em suma, com uma farsa.

A prova mais irretorquível disso é que foi exatamente isso o que se tentou fazer em seguida: na reunião de Serra, Bornhausen, Tasso e outros golpistas, falou-se que “o nome da crise é Lula”. Se é assim, é evidente o que tem-se que fazer para superar a crise: remover Lula. Berrou-se que “o governo está acéfalo”. Se o governo está acéfalo, ou seja, está sem cabeça, é evidente que é necessário arranjar uma – e certamente não era Lula que eles pretendiam que fosse essa cabeça, pela simples razão de que Lula já é o cabeça do atual governo.

CAFOFO

Se Santoro quisesse obter a gravação para fins mais nobres, ou seja, para purificar a República de um ladrão, não precisaria fazer reuniões escondidas na calada da noite, ou coagir um bicheiro – pois ele não estava obtendo um depoimento, que é um instrumento legal e perfeitamente definido. Santoro não possuía prerrogativas legais para tomar o depoimento de Cachoeira – e, tanto assim, que não o fez. Se não fosse a fita revelada pela Globo, não haveria provas do encontro noturno que ele promoveu. Somente o cinismo dos Virgílios e outras mediocridades politicamente anormais é que pode não ver nada demais nisso.

Ao contrário de colher um depoimento, Santoro propõe a Cachoeira que não deponha: “Faz o seguinte: entrega a fita, não depõe, diz que vai depor mais tarde pra ver o que que aconteceu, porque aí você acautela que você colaborou com a Justiça, entregou a fita, acautelou prova lícita, o cacete a quatro, … então… e aí vem o cafofo”. O “cafofo” é como ele chama a troca da gravação pela impunidade de Cachoeira.

É óbvio que se ele quisesse apurar alguma coisa sobre Waldomiro e Cachoeira, se quisesse obter a gravação para contribuir com a Justiça, bastaria remeter a questão à polícia, através do procurador-geral. Mas isso é exatamente o que ele diz a Cachoeira que não quer fazer. Numa perversão geral das funções, é o bicheiro quem propõe que a Polícia Federal seja acionada (“Entrego o endereço, entrego tudo… combino o local…”, diz Cachoeira). Mas Santoro é contra: “Você sabe o que vai acontecer com essa fita? A busca e apreensão vai ser feita pela Polícia Federal… A primeira coisa que vai ser, vai ser periciada e a primeira pessoa que vai ter acesso a essa fita é o (Paulo) Lacerda (diretor da PF), o segundo é o Ministro da Justiça e o terceiro é o Zé Dirceu. E o quarto o presidente”.

Por que ele quer esconder a gravação do diretor da PF, do ministro da Justiça, de Dirceu e, inclusive, do próprio presidente da República? Por que ele sabe que todos são pessoas reconhecidamente honradas. Se a gravação fosse mostrada a eles, é evidente que iria acontecer exatamente o que aconteceu: Waldomiro seria demitido e remetido à polícia e à Justiça. Mas Santoro estaria impedido de forjar um escândalo, de manipular a gravação, de colocar nas sarjetas um escândalo de fancaria. É também o que explica porque a gravação foi entregue à revista “Época”, ao invés de a um desses panfletos nojentos e histéricos do tipo “Veja” ou “Folha de S. Paulo”. Esses não era preciso manipular, pois já manipulam qualquer coisa contra o governo. O que era preciso manipular era o resto da imprensa.

Como nota “O Globo” em sua edição de quarta-feira, na tentativa de fazer Cachoeira entregar a gravação, Santoro admite – seria mais preciso dizer, confessa – que seu objetivo é fazer a fita chegar à imprensa: “Então é o seguinte: Eu vou pegar essa fita e se um dia ela sair publicada pelo menos a culpa cai em cima de mim, eu sou procurador… De mim, tô te protegendo judicialmente, eu assumiria”. Não se trata, como o leitor pode ver, de uso legítimo da imprensa. O que ele está dizendo a Cachoeira é que quando a gravação aparecer na imprensa, ele não será acusado de divulgá-la. Portanto, pode entregá-la.

Em prol de quem – ou sob as ordens de quem – Santoro estava agindo? Pois não se trata de um maluco solitário – sua fraude contou com ampla repercussão dos Serras, Bornhausens, Fernandos-Henri-ques e outros marginais.

O que se sabe é que Santoro é um íntimo de Serra. Subiu na vida – se assim pode-se chamar essa desgraça – como pau mandado de Serra. Foi assessor no Ministério da Saúde desde que Serra pisou lá, em 1998. Foi quem, diante da acusação feita pelo lobista Alexandre Paes dos Santos, sobre o achaque da entourage de Serra para conceder licenças de medicamentos, chegou à conclusão de que o culpado do achaque era quem o denunciava. Foi também quem armou o flagrante na Lunus, para culpar Roseana Sarney por um crime que não existia – tal como concluiu depois a Justiça – e destruir sua candidatura a presidente. Fez isso com a colaboração de um procurador regional em Tocantins, Mário Lúcio Avelar, o mesmo que agora foi um dos participantes da coação ao bicheiro. E foi ele quem vazou a fotografia do dinheiro apreendido na Lunus para a imprensa. Também era ele que chefiava o inquérito contra o senador Antonio Carlos Magalhães, que o levou à sua renúncia na legislatura passada – inquérito que vazou rapidamente para aquele chiqueiro, a “Veja”.

CONSPIRAÇÃO

Serra, por sinal, já passou recibo. Em nota apenas 24 horas depois de divulgada a fita pela Globo, disse que “desafia quem quer que seja a provar seu envolvimento”. Quanto à sua relação com Santoro e caterva, essa já foi provada há muito. Quem sabe se também seu envolvimento não será provado nesse caso de conspiração contra as instituições, contra o Estado e a República? Aliás, Serra diz em sua nota que nunca nomeou Santoro para o Ministério da Saúde. É mentira. Tal como divulgou o jornalista Paulo Henrique Amorim, através da portaria 529, de 30 de abril de 1999, Serra o nomeou para função oficial no Ministério da Saúde.

O que vai ser difícil mesmo é Serra provar que essa corriola – ou seja, a sua turma de cocheira – estava sabendo da gravação, e ele não. Será que eles resolveram dar um golpe de Estado particular? E, se o assunto foi em frente apesar da influência que Serra tem perante aos indigitados, não parece que ele os tenha desestimulado.

CARLOS LOPES

Responder

FrancoAtirador

20 de dezembro de 2012 às 22h42

.
.
AMANHÃ (21/12), SERÁ O FIM DO MUNDO.

AO MENOS, PARA OS CANDIDATOS DA GLOBO…
.
.
Dilma sanciona Lei Seca mais rígida

20/12/2012 – 21h27

Por Luana Lourenço, repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff sancionou hoje (20), sem vetos, a lei que torna mais rígidas as punições para motoristas flagrados dirigindo alcoolizados.

A nova Lei Seca determina que outros meios, além do bafômetro, podem ser utilizados para provar a embriaguez do motorista, como testes clínicos, depoimento do policial, testemunhos de terceiros, fotos e vídeos.

O texto também prevê o aumento da multa dos atuais R$ 957,65 para R$ 1.915,30 para motorista flagrado sob efeito de álcool ou drogas psicoativas. Caso o motorista reincida na infração dentro do prazo de um ano, a proposta é duplicar o valor, chegando a R$ 3.830,60, além de determinar a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

A lei será publicada no Diário Oficial da União de amanhã (21).

Com a sanção, as novas regras serão aplicadas nas operações das polícias rodoviárias para o período de festas de fim de ano e férias.

Edição: Fábio Massalli

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-12-20/dilma-sanciona-lei-seca-mais-rigida

Responder

Thomas Nok

20 de dezembro de 2012 às 22h13

Pode também explicar no novo livro as suas afirmações que deu numa entrevista à Gazeta do Povo, logo após o lançamento do Privataria 1, onde afirma que a CPI DO Banestado foi encerrada após ela chegar perto de petistas.
Não sou a favor de nenhum. Só da verdade.

Responder

lord jim

20 de dezembro de 2012 às 18h00

na verdade a coisa toda é muito simples: o poder politico é como o violino, vc pega com a esquerda mas toca mesmo é com a direita…

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de dezembro de 2012 às 14h26

(… É a nossa primavera ‘bananiense’, estúpido!…)

… O trem das onze já partiu! E na estação, baratas, ratos, moscas, cobras, venenos (sic), alguns bilhetes de passagens amarfanhados pelo chão, editoriais da ‘veja’ nas lixeiras…

…As ruas, becos, guetos, avenidas, alamedas… Estão mortos… De vergonha – e de indignação!…

SOBRE A ROTA!: … Estamos (quase-)perdidos!…

Felicidades a nós todos no ‘front’!…

Hasta la Victoria Siempre!

Saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e, portanto, beligerantes!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de dezembro de 2012 às 12h54

LULA VAI À RUA
PEITAR O GOLPE

A elite não aguenta mais seis anos de governos trabalhistas. Dois da Dilma e mais quatro (da Dilma ou do Lula). Só o Golpe ! E é por isso que o Lula vai às ruas.
em http://www.conversaafiada.com.br/politica/2012/12/20/lula-vai-a-rua-peitar-o-golpe/#comment-1001570
Publicado em 20/12/2012

LÁ VEM O PITACO DO MATUTO ‘BANANIENSE’!

LULA FAZ O QUE A POLÍCIA FEDERAL DEVERIA FAZER: IR ÀS RUAS PEITAR O GOLPE!

A INAÇÃO E A INÉRCIA DA CENTENÁRIA PF: “tá aí” (o quase-)tucano ministro da (In)Justiça para referendá-las!…

… O trem das onze já partiu! E na estação, baratas, ratos, moscas, cobras, venenos (sic), alguns bilhetes de passagens amarfanhados pelo chão, editoriais da ‘veja’ nas lixeiras…

SOBRE A ROTA!: … Estamos (quase-)perdidos!…

Felicidades a nós todos no ‘front’!…

Hasta la Victoria Siempre!

Saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e, portanto, beligerantes!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Bonifa

20 de dezembro de 2012 às 12h22

Amaury acertou em cheio quando falou as razões pelas quais o PT não reage. Não reage porque muito do PT está tão sujo quanto sujo esteve o PSDB. Não adianta estes picaretas oportunistas do PT tentarem agora, ao se verem acuados, se aproveitarem das reações de sobrevivência do Partido que não souberam honrar, nem do povo cujos interesses traíram em benefício próprio. O PT exige limpeza para sobreviver. Os ladrões, que saiam, que se unam e fundem seu próprio partido. O PT, onde se fez governo, muitas vezes aproveitou esquemas de gestão imersos em todo tipo de corrupção, apadrinhamento, achaques e outros vícios aperfeiçoados pelos tucanos. Agora, os originais construtores destes esquemas sabem muito bem onde procurar e como detonar os noviços. E como controlam o Ministério Público e a Polícia, deixaram os novos ladrões em polvorosa, sem saída a não ser se oferecerem para fazer a defesa pública do próprio inimigo. Este fato deve ser teoricamente isolado com microscópio eletrônico para análise dentro do próprio Partido. O Partido pode e tem a obigação de sobreviver, mas medidas internas severas devem ser tomadas, ou aquilo que foi a maior experiência partidária recente do Hemisfério sucumbirá em uma avalanche da própria lama em que alguns de seus membros chafurdaram em busca de tesouros. E a lama que retornará do passado para assumir o poder novamente, envolverá o país e destruirá tudo o que foi feito de positivo com tanto sacrifício dos que não se venderam. O Governo e as exigências de Dilma em relação ao aperfeiçoamento da governança, daqui para a frente, será fundamental neste sentido de deter cupins petistas ou não petistas. Porém, não se deve esquecer jamais que o objetivo real dos lamacentos golpistas não é os petistas prevaricadores e corruptos, com estes eles até se entenderiam, mas também serão atingidos apenas para que se maculem o Partido em geral. O que eles visam mesmo destruir é o que o PT tem de melhor. Por isso querem destruir o Lula, não importa que falta faça ele à Humanidade. Portanto, se há um comitê pessedebista destinado a trabalhar dia e noite a favor do golpe, também deverá haver um comitê petista ou suprapartidário muito capacitado, devotado para trabalhar dia e noite sem descanço, para levantar e coordenar asações do antigolpe. Urge trabalhar já, porque, como dizia Lampião, os macacos não dormem e a polícia já está de pé.
Estas são as palavras do Amaury que devem calar fundo no PT:
“O PT parece abafar todos os casos. Suspeito que é por um motivo simples. Herdou e deu continuidade a esquemas dos tucanos. No caso do Odair Cunha, devemos lembrar que o ex-sócio dele, que é da região de Boa Esperança, em Minas Gerais, se tornou diretor de Furnas e controla verbas e cargos. Será que tem o rabo preso e os tucanos descobriram?

Viomundo: E a CPI da Privataria, agora sai?

Amaury: Acho que não sai. Tudo indica que o PT tenha herdado o esquema promíscuo que os tucanos tinham com as empresas de telecomunicações…”

Responder

    Jotace

    20 de dezembro de 2012 às 20h15

    Caro Bonifa,

    Parabéns! Brilhante o teu comentário o qual deveria ser considerado pelos quadros petistas a fim de que fossem retomadas as metas que deram origem à criação do PT. É necessário que chegue até eles o justo clamor do povo. Pois não é possível ao mesmo estar alheio à continuada bandalheira de tantos figurões do PT que corre por isso o risco de afundar com os ratos a que tem dado abrigo. Abraços, Jotace

MariaC

20 de dezembro de 2012 às 12h02

Os bate-paus estão em nível baixissimo. Não conseguem depor nenhum presidente. Mas pelo visto, podem dar tiros. E tiros matam. cuidado Amaury.

Responder

    Bonifa

    20 de dezembro de 2012 às 13h10

    Acreditamos que ainda não chegaram ao nível do assassinato, se bem que tomar o controle da maioria do Supremo e da Procuradoria Geral da República, usando–as para buscar a hegemonia política por meios confessadamente antidemocráticos, acreditamos que seja pior que assassinato.

marcos

20 de dezembro de 2012 às 11h59

Escandalos do Governo Lula surgiram de todos jeito por sistema eleitoral e favorecido de dinheiro e votação no Congresso e baseado e favores só precisavam de maneira de liquida a dividas de campanha.Zé Dirceu fez a coisa o primeiro ato para salva o mandato de Lula,se não ficava ingovernavel Lula.Agora estão querendo pega Dirceu e futuramente Lula e atingir Dilma e 2014 antecipado.

Responder

Carlos Lima

20 de dezembro de 2012 às 11h46

Se a DILMA não demitir imediatamente o ministro da justiça, ela vai para a cadeia e o LULA também, não confie no THEMER e no ZÉ da justiça, São Paulo é golpista e mineiro é vingativo, eles estão juntos. Tem algo de errado acontecendo, se a DILMA estiver fazendo parte disso, vai ser a maior traição da histoória da república, O PT precisa de faxina, libere os medrosos e habitantes do muro para outros partidos, diminua o tamanho, más que seja um partido de verdade. Volto a afirmar tem algo grave acontecendo e a presidenta está dormindo. Acho bom a presidenta ir em rede nacional e avisar a população que há um golpe em curso, essas atitudes do STF, MÍDIA BANDIDA, CONGRESSO e MILITARES não é normal, tem algo de errado acontecendo, acorda DILMA, acorda.

Responder

    Bonifa

    20 de dezembro de 2012 às 12h35

    Não nos consta que os militares estejam nisso. Ninguém pode negar que a visão de que o país tem de ser governado pelas oligarquias econômicas, antigamente dominante entre os militares, tem evoluido para uma concepção mais moderna de democracia e para a crença de que o Brasil pertence a seu próprio povo, um povo altivo e capaz, e por ele deve ser governado, como manda a Constituição.

Isidoro Guedes

20 de dezembro de 2012 às 11h38

Como costumava dizer meu grande amigo Aderico Vasconcelos (que foi vice-prefeito de Goiana – PE, e foi um dos homens mais dignos e honrados que já conheci): “chegamos (o PT, Lula e as esquerdas) ao governo, não ao poder, o poder está nas mãos de quem sempre esteve (nas mãos do grande capital e dos interesses privados e econômicos”. E assim continua a ser. O PT, para garantir uma frágil governabilidade, teve que fazer inúmeras concessões, e até trair a maioria de suas causas. Fez (e vem fazendo) um governo bem sucedido, um governo que, a seu modo (e ainda que de maneira tímida), está reduzindo as desigualdades sociais e promovendo a inclusão social de parcelas significativas da sociedade (e é isso o que justamente incomoda a direita e as forças conservadoras e mais reacionárias), mas vem fazendo tudo isso a um preço muito alto.
O restante já se sabe: a direita, que sempre foi quem teve o poder de fato (pois vocaliza as aspirações do poder econômico), está enfraquecida, mas não morta ou irremediavelmente derrotada. E agora se rearticula numa cada vez mais nítida manobra golpista urdida junto com a mídia conservadora e com o que há de mais atrasado no Judiciário para avançar e desfechar um golpe contra o governo Dilma (legitimado pelas urnas).
Como a mídia já não consegue manipular o resultado de eleições como antes fazia a todo tempo (dado o sucesso econômico e social do governo), animada pelo que aconteceu em Honduras e Paraguai (países periféricos da América Latina, mas onde manobras golpistas engendradas por mídia e justiça deram bons resultados), por aqui as mesmas manobras percorridas pelas elites desses países para derrubar governos trabalhistas ou de esquerda, vão avançando.
Esse julgamento de exceção da AP 470 (relativa ao chamado “mensalão do PT) já foi um sinal claro disso. Contando com magistrados acuados, ameaçados, intimidados ou deslumbrados pelos 15 minutos de fama a que teriam direito na mídia, conseguiram a condenação (sem provas) de figuras importantes do núcleo político do PT, criminalizando irremediavelmente o partido. Para tal bastou o estupro de uma já discutível teoria do direito: a do “domínio do fato”.
Condenados os réus, que agora deverão ser presos e execrados publicamente às vésperas do natal, por conta de manobras do atual procurador-geral da República (que é acusado pelo senador Collor de Mello, PMDB, de “chantagista” e “prevaricador”) em conluio com o atual presidente do STF, a manobra golpista toma novos contornos.
Paralelamente a imprensa reacionária tenta criar constrangimentos ao ex-presidente Lula (com a divulgação desse affair com a tal Rose do escritório de São Paulo) e paulatinamente tenta ligá-lo ao “mensalão”, o que não conseguiram até aqui, mas que insistirão em fazer, provavelmente com o inestimável apoio dos setores mais conservadores e reacionários do Ministério Público.
A parte final será chegar até a presidente Dilma e (bingo!) desfechar o golpe final, preferencialmente cassando o mandato da presidente ou, se isto não for possível (como não foi com Lula em 2005), criar um clima para que ela chegue nas urnas enfraquecida em 2014.
A sorte já foi lançada e não pensem que as elites não são capazes disso, e que isso é a apenas mera teoria conspiratória. As elites (nossa história já registra) são capazes disso e de muito mais quando tem seus interesses políticos e econômicos contrariados. E quando ser poder apenas já não lhe basta, havendo a necessidade também de ser governo.
Para os que dizem que o PT aparelhou o Estado, é risível o fato do PT ser (hoje) justamente refém desse Estado que aparelhado o fosse não lhe criaria embaraços de nenhuma espécie. Pois aí estão setores tucanos da Polícia Federal, setores reacionários do Ministério Público e do judiciário (com “j” minúsculo mesmo) e. obviamente, a mídia reacionária, todos trabalhando na direção de destruir o Partido dos Trabalhadores, sua principal liderança (Lula), a atual presidente da República, e toda a obra de construção de uma país mais justo e plural, que vem sendo tecida ao longo de uma década.
Infelizmente a verdade é que o PT contribuiu para isso, repetindo os mesmos esquemas de corrupção do PSDB (o principal partido de direita do país) e do DEMO (antigo PFL, PDS, ARENA, UDN…). Esquecendo-se porém de que não tinha tanto know-how nesse campo, e que essa seria a isca jogada para fisgá-lo depois.
O governo petista (tanto com Lula, quanto com Dilma) errou feio ao não avançar sobre o baronato da mídia, com uma lei para limitar oligopólios midiáticos à serviço do poder econômico (e que usam a liberdade de expressão como escudo para defender na verdade seus negócios e interesses ideológicos imediatos).
Enfim, se há acertos (e há muitos), os trabalhistas que hoje governam o país também abusaram de cometer erros.
Mesmo assim não é justo que caiam por conta de manobras golpistas. Pois os que os sucederiam não trariam nada de bom para o país, exceto o retorno do velho modelito de injustiça social e iniquidade econômica propalado pelo neoliberalismo desumano (e que tem levado os países europeus ao colapso, e o povo europeu ao empobrecimento acelerado, com os ataques sobre o Estado do Bem Estar Social).
Ainda há tempo de enfrentar esse golpismo que está avançando, e o antídoto se chama povo na rua. Ou se parte para o embate ou então o golpismo avança, e todos sabemos que o avanço do golpismo na verdade significa retrocesso e autoritarismo – assim foi com 1964, assim será enquanto existirem os que querem o povo amordaçado e de volta para as senzalas modernas das favelas e periferias (e de mãos vazias).

Responder

    Laura

    20 de dezembro de 2012 às 13h29

    Parabéns pelo seu comentário!

    Patricia

    20 de dezembro de 2012 às 14h19

    Parabéns pela análise simplesmente PERFEITA!!!

    Jotace

    20 de dezembro de 2012 às 23h36

    Caro Isidoro,

    Teu comentário é simplesmente magnífico ainda que pela bondade de que se reveste, pode conduzir como que a um descaminho a desprevenidos: o de aceitarem como sempre uma justificativa para o comportamento mesmo inadmissível das maiores lideranças petistas e de Lula e Dilma, de uma forma especial. No meu entendimento, temos, nós do povo, que recusar vivamente tal forma de fazer política para governar. Não é possível que continuemos a aceitar sem um protesto, sem dizer-lhes quanto nos envergonha o intolerável que tem se passado no país, e que continuam desde os tempos infames de FHC: as concessões obscenas feitas a máfias estrangeiras, as negociatas com o patrimônio do povo, a lavagem de dinheiro nos paraísos fiscais, a confraternização que reflete submissão de rabo preso às organizações criminosas que fazem a nossa imprensa de esgoto, tinham que dar muma situação como a presente. Momento da história brasileira no qual se desconhecem denúncias as mais fundamentadas sobre o comportamento de figurões oponentes do governo e se castigam com as mais duras penas sem provas concretas a destacados quadros petistas. Por isso não há como compreender colocar nos quadros oficiais acrobatas vende-pátrias travestidos de patriotas. Apelar para o povo nas ruas como seu artigo sugere faz muito sentido, mas é preciso que o fato ocorra, se necessário, quando de verdadeiras e indispensáveis ações de Lula e de Dilma. Como, por exemplo, a da muito urgente cirurgia desta parte podre do governo e devovê-la às suas verdadeiras origens. Não é justo ir para as ruas defender um governo que contém nos seus quadros figuras das mais abjetas e exponenciais da corrupção. Um abraço, Jotace

daniel

20 de dezembro de 2012 às 11h31

acredito que tem terroristas também externos “yes”ameaçando nossa democracia quase consolidada.

Responder

    Bonifa

    20 de dezembro de 2012 às 12h37

    Se tiverem, estão agindo de comum acordo com traidores internos.

Julio Silveira

20 de dezembro de 2012 às 10h49

Por debaixo desse manto de civilidade, vendido pela grande midia corporativa, existe uma luta por poder bananesca (vem de Republiqueta de bananas)que só se justifica pelo indice ambição em se possuir as oportunidades que produzem negociatas e corrupção. Não é a toa que temos indices vergonhosos para ostentar.
Bem disse Deus, quando um invejoso o viu criando a natureza do Brasil e lhe cobrou pela modesta dedicação na sua patria.
Ele falou:
– Espera que voce vai ver a elite que vou colocar lá dentro.

Responder

Narr

20 de dezembro de 2012 às 10h43

Acompanhei de perto quando o PT assumiu, pela primeira vez, a prefeitura de uma importante cidade com eleição em 2 turnos, dos principais IDH do Brasil, a maior percentagem nacional de moradores com curso superior completo e de renda classe A/B. Logo no começo do governo petista, um amigo, agora em cargo público, viu o cheque em branco em cima da mesa bem no primeiro dia de serviço: “era para o seu antecessor, mas então agora é seu. Pegaí”. Ou seja, o corruptor pagava mensalinho e esclarecia que não era fiel a partido mas era fiel a acordo e portanto o cheque estaria ali, mensalmente, para o novo ocupante, até então desconhecido por ele. Meu amigo disse não, que agora era o PT quem governava, que o cretino iria se dar mal com isso, que o assunto chegaria até o prefeito! O cara sorriu e se despediu com um “até logo”. Bem, no começo a intenção era de limpar a prefeitura. Esses tipos realmente pareciam ter sido postos para correr. Mas com a proximidade das eleições, os fornecedores da prefeitura começaram a fazer pedidos. Os bravos militantes agora administradores municipais rejeitavam o assédio e respondiam com “PT é diferente”. Até que vieram os telefonemas de cima, do secretário, para deixar que esse assunto o próprio prefeito resolveria diretamente. Ou seja, o esquema fornecedor-doação de campanha voltava a operar. A máquina eleitoral foi herdada. Ela passou a irrigar até os bolsos dos líderes comunitários que convocavam os eleitores para a convenção municipal petista, repleta de vans gratuitas de moradores de comunidade que repetiam “viva o partido trabalhista! (sic)” A melhor desculpa dos dirigentes foi a de que “esse esquema não é nosso, foi inventado por aqueles fdp da direita. Só que agora nós, marxistas-leninistas, usamos o esquema contra a direita. Ela fez a corda com a qual será enforcada” e demais blablablás. Racionalização da safadeza. Metodologicamente, não se pode dizer que é o caso generalizado da administração nacional do PT. Mas desconfiadologicamente, ah, sim, bem que talvez seja o caso aí…

Responder

    francisco niterói

    20 de dezembro de 2012 às 18h32

    Narr
    asua descricao da cidade me deixou crabreiro, mas se for o lugar que penso tudo é possivel.

    Mas a questao do financiamneto publico de campanha, controles sociais, etc, tudo ajudam pra desmoralizar partidos de esquerda e trazer a direita de volta. O que eu quero dizer é que a mudanca na oolitica nao pode ficar a cargo nem de um so oartido, ou de consciencia de seus integrantes. Alias, a questao “honestidade” é terra dificil de navegar, ou seja, as leis, a transparencia, etc, sao vitais para que os partidos de esquerda governem.

    Lei contra a corrupcao ativa faz mais efeitos do que julgar partidos, por ex. Assim, precisamos de arcabouco institucional pra nao termos que termos oartidos heroicos. Nao depositemos as esoerancas nas pessoas e partidos. Ajudemos a estes realizar o projeto apresentado na eleicao, mas sem querermos crer que somos diferentes. Somos humanos, O QUE DIFERE É O PROJETO DE CADA UM.

Luiz Fortaleza

20 de dezembro de 2012 às 10h18

Apenas uma pergunta simples: Por que o PT foi se meter com essa gente suja do Valério? Pronto. Não precisa fazer malabarismo com a linguagem, construir argumentos especulativos, apaixonados, para kerer saber a VERDADE. O PT parece q se degenerou como partido de esquerda. Ficou igual a direita. Fato. Se política for isso, então vamos abolir esta forma de se fazer política. Ou como diz o movimento Krisis: FIM DA POLÍTICA BURGUESA.

Responder

Bernardino

20 de dezembro de 2012 às 10h13

Nao CaRLOS LIMA, O PT passou a integrar o grupo da politca X Matematica,onde a potencia C3 predomina.C3= CORRUPTOS,COVARDES E CRETINOS ao lado de todos os outros partidos,tendo oPMDB e Psdb como professores
O CIRO GOMES falou: O PMDB vende a mercadoria cara e nao ENTREGA e o chfe da Quadrilha é o Michel Temer”O PT se juntou a eles em nome da Governabilidade! Quer mais!!Porem a raiz de tudo isso: O DNA CUltura portugues:Corrupto e covarde e tb Incorrigivel ate porque ja faz parte da LIXEIRA da Historia
AFIRMO Convictamente: VOTAR NO PT nunca Mais!!Até porque a COVARDIA quando Repetida vira BICHO E Come o COVARDE!!!!!!!
A Primeira vez que me ENGANAS a culpa é VOSSA,Mas a SEGUNDA a Culpa é MINHA
ditado Arabe!!

Responder

    Bonifa

    20 de dezembro de 2012 às 12h57

    DNA Cultura portuguesa? A cultura inglesa, ou espanhola, ou francesa, ou alemã, é menos corrupta, menos cruel e mais humanista que a portuguesa? Ainda não temos cultura de etês para parâmetro.

Longe demais das redações « Ficha Corrida

20 de dezembro de 2012 às 09h49

[…] Amaury Ribeiro Jr. promete revelar em novo livro bastidores do complô para derrubar Lula e Dilma […]

Responder

Haroldo Cantanhede

20 de dezembro de 2012 às 09h24

Me lembro da situação da PF no desgoverno do PSDB, sem dinheiro, desmoralizada, pneus carecas, viaturas caindo aos pedaços, falta de $ até para combustível, computadores velhos, infraestrutura corroída. Lula assumiu em 2003 e, logo no início, o governo começou a revitalizar a PF, comprando equipamentos, reformando a estrutura, para que a PF pudesse cumprir o seu papel – com os cretinos da direita privatizante reclamando que “a corrupção estava aumentando”, quando na verdade a PF de antes não tinha gasolina para fazer diligência. É lamentável que a PF e o MP tenham decidido – não sei qual seja a parcela vendida à Privataria – trabalhar contra o país e o povo porque, afinal, acabam trabalhando contra si mesmos, se forem brasileiros, é claro… O povo sempre viu, com orgulho, o renascer da PF depois da quase falência total da PF durante a Privataria Tucana; agora, essa mesma PF e o MP passam a agir em conluio com a quadrilha da Privataria; isso é lamentável; as pessoas de bem lá dentro deveriam vir a público para denunciar esse apodrecimento.

Responder

Carlos Lima

20 de dezembro de 2012 às 09h21

Azenha, parece que o PT quer se auto derrubar, acabo ler agora no portal terra a notícia que vão doar r$ 100.000,00 para os campeões de futebol de 58, 62 e 70 e é R$ 100.000,00 para cada um. Azenha o governo está bincando com fogo. Os contribuintes da previdência estão com o pires na mão, todo ano o ministro fala do défit da previdência, isso é uma falta de respeito como o aposentado, com o povo e com os atuis contribuintes engolidos pelo fator previdenciario. Gente a onde o PT quer chegar? Parece que querem acabar com a sigla, tem algo de anormal nas atuais atitudes do governo, tem alguma coisa estranha nos porões do poder, o PT perdeu o rumo da responsabilidade e do respeito para com o povo e para com sua militancia e bases. que troço é esse.

Responder

Mardones Ferreira

20 de dezembro de 2012 às 09h09

Será relevante as informações sobre a manutenção do suposto filho e da amante do FHC por duas décadas lá na Espanha.

Com relação ao relacionamento promíscuo entre policiais federais e servidores do Ministério Público com a cúpula do PSDB também será de grande valor saber como esses conluios se dão.

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de dezembro de 2012 às 08h46

UMA DAS SEQUÊNCIAS ARDILOSAS E COVARDES DA ‘FASE ALUCINÓGENA’ DO GOLPE ORA EM CURSO! ENTENDA

Após solicitação de procurador-geral, pedido para prisão imediata a réus do mensalão contraria ministros do STF
Barbosa deve analisar sozinho a solicitação
Análise: decisão deve ser favorável à prisão

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: “grande” mídia nativa!

EM TEMPO DE GOLPISMO, SOMENTE NOS RESTA A RESISTÊNCIA CÍVICA: o exposto acima é, também, uma convocação ao povo no sentido de sair às ruas desta republiqueta cuja subdemocracia está sendo tripudiada, achincalhada e… Usurpada!…

NOTA ACAUTELATÓRIA: os advogados dos réus já ingressaram com as devidas medidas cautelares?! Ou irão esperar, ‘bovinamente’, o PIG estamparem imagens e fotos do José Genoíno, do João Paulo Cunha, do José Dirceu e demais “condenados [algemados!] em processo ainda não transitado em julgado”?! Motivo pelo qual assistiremos “a [indefectíveis e inclementes] *sorrisos descomunais ‘nunca antes visto nesta republiqueta de ‘Nois’ Bananas’!…
*sorrisos protagonizados pelos ‘jornalistas amigos(as) dos patrões barões da “grande” mídia nativa, golpista, terrorista, antinacionalista…

RESCALDO: pintemo-nos para a guerra!

IMPORTANTE:
“Não importa ser feliz ou infeliz! A vida é um sopro!” Oscar Niemeyer – brasileiro ecumênico!
“Eu não tive tempo para ter medo!” Carlos Mariguella

Hasta la Victoria Siempre!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Rodrigo Leme

20 de dezembro de 2012 às 08h37

Nesse livro o Amaury vai trabalhar com o Dadá tbm?

Responder

    Vinicius Garcia

    20 de dezembro de 2012 às 14h29

    Sim e também com o Dedé, o Didi, o Dodó e com o Dudu. Oh grande troll questionador…

mariazinha

20 de dezembro de 2012 às 07h57

O clima, no BRASIL esta horrível. Se olharem os comentários do uol verão a beixaria que é. Querem criar a confusão e a discórdia para o golpe. Os mesmos clima às vésperas do golpe militar de 64: inocentes na cadeia e a bandidagem fora dela aprontando horrores.

Responder

Roberto Ribeiro

20 de dezembro de 2012 às 07h07

Roberto Gurgel e Joaquim Barbosa vão pedir reformas nas instalações da Rua Tutóia para alojar Lula e Dilma. E o PT? Dorme!

Responder

Carlos Ribeiro

20 de dezembro de 2012 às 06h45

Fará alguma diferença você acreditar ou não?

Responder

Roberto Ribeiro

20 de dezembro de 2012 às 05h37

Lula pode andar pelo Brasil, no meio do Povo, que o reconhece, debaixo de sol ou chuva, FHC não.
FHC não pode sair de debaixo do ar condicionado, onde repórteres sabujos só lhe fazem perguntas óbvias e combinadas.
Se FHC sair de debaixo do ar condicionado, e o Povo souber de quem se trata, alguém poderá lhe fazer perguntas incômodas sobre A Privataria Tucana.

Responder

Rodrigo Mello

20 de dezembro de 2012 às 01h08

Gosto de ler matérias do site, para saber como as pessoas reagem diante dos fatos aqui colocado. O tal AMAURY, fala em complô da Polícia Federal, enquanto seu DEUS, ou melhor, LULA, elogia constantemente sua atuação quanto às investigações.Em diversas ocasiões, o rei das virtudes, falou que “nunca antes no país a polícia federal investigou tanto…”.Gostaria muito de saber, quem está com a razão. Depois ele fala em “requentar” assuntos. Quando foi lançado mesmo o “best seller” do futuro “imortal”? e de quando foi os pseudos-fatos? Pelo jeito, não é só Rosemary que pensou em tirar vantagem usando o nome do POPSTAR como trunfo. Tem muita gente, em diversas áreas, querendo garantir o seu. Pena que nessa enxurrada de informações, o povo nunca saiba quem está falando a verdade. Muito disse me disse, e pouca ação.

Responder

    rodrigo

    20 de dezembro de 2012 às 02h12

    Pra isso existe um “negócio” chamado imaginação individual, que salvo morte por inanição ainda ajuda a gente a enxergar o mundo.

    Rodrigo Mello

    24 de dezembro de 2012 às 00h48

    Que mundo?

Antonio Carlos - Brasilia

20 de dezembro de 2012 às 00h48

Azenha, vamos pra rua, aqui em Brasília denunciar tudo isso. Isto é muito sério. Não dá mais pra atuarmos só na blogosfera. Hoje o Fernando Henrique disse que
“Estamos vivendo como nos anos 70. O governo toma uma decisão, publica e não há conversa com a sociedade, não há discussão. Precisamos de uma nova sacudida forte”,
Tá na cara! É a senha pra uma tentativa de golpe.

Responder

    Antonio Carlos - Brasilia

    20 de dezembro de 2012 às 00h51

    Vamos convocar a imprensa internacional, a séria né. E vamos pra rua denunciar. Todos os jornalistas sérios deste país tem que denunciar isso. É nossa democracia que está em jogo.

    Fabio SP

    20 de dezembro de 2012 às 08h25

    “Vamos às ruas defender José Dirceu e Genuíno”… por acaso isso também é tentativa de golpe?

    Antonio Carlos - Brasilia

    20 de dezembro de 2012 às 10h46

    Irei às ruas pela Democracia. A direita nunca soube perder. Não tem propostas. Lula e Dilma são imbatíveis até provem o contrário. É o desespero de quem não vê luz no seu túnel. A direita vai ficar pelo menos mais 8 anos na espera.

Antonio Carlos - Brasilia

20 de dezembro de 2012 às 00h43

Tem gente, muitos jornalistas bons também, acreditam que vivemos já uma democracia estável. Mentira. Agora tá na cara o tipo de golpe: Honduras e Paraguai são exemplos. Se emplacarem uma denúncia contra Lula, condenado, não pode se eleger mais. Depois é Dilma.

Responder

Flávio Augusto

20 de dezembro de 2012 às 00h37

Que estragou que causara o livro? Aconteceu alguma coisa? Nada! Nada vezes nada! O livro do Amaury parece a Carta Capital que, em matéria de jornalismo, não rende absolutamente nada.

Responder

    Paulo Figueira

    20 de dezembro de 2012 às 11h08

    A rejeição espetacular de Serra constatada na última eleição para a prefeitura de São Paulo, não seria uma dessas consequencias? Quanto as consequencias jurídicas, o astuto PRG está se fingindo de morto, mas conseguirá continuar ignorando fatos tão fartamente documentados? Além do mais, em agosto termina o seu mandato e querendo ou não, será obrigado a levantar o traseiro imenso das denúncias que pesam sobre a oposiçaõ e seus aliados.

    Flávio Augusto

    20 de dezembro de 2012 às 14h56

    Vou citar apenas um exemplo. Capa de Carta Capital: Valerioduto abasteceu Gilmar. Aconteceu alguma coisa?

Antonio Carlos - Brasilia

20 de dezembro de 2012 às 00h34

Amaury, de hoje em diante você está diuturnamente em minhas orações. Deus está te protegendo! Coragem! Cuidado! Quando sai o livro?
Vida Longa ao Amaury!!!

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    20 de dezembro de 2012 às 00h35

    Amaury corre sério risco de vida. Torçam por ele…

    Antonio Carlos - Brasilia

    20 de dezembro de 2012 às 00h38

    Diga pra ele se mandar Azenha. Isto é muito sério. Denunciar tudo no exterior.

nina rita de cássia

20 de dezembro de 2012 às 00h01

( continuando ) Por esse episódio, me ocorreu, pela 1ª vez, a possibilidade de JB ser ingênuo, e ter sido enganado. Agora acho que é possível que ele ache mesmo que está sendo correto e fazendo justiça, alguém o envolveu numa ardilosa trama. Como não sabia que não deveria falar os nomes dos “colaboradores” e M A de Mello sabia ?

Responder

Almerindo

19 de dezembro de 2012 às 23h56

“Viomundo: E essas gravações que você fez, do pessoal que tentou armar contra você, vão entrar no livro?

Amaury: Com certeza, mas antes vou entregar todo o material à Polícia Federal e à Justiça. Quero deixar claríssimo que eles escolhem os casos para investigar e punir. Como eles até agora não tomaram providências, pretendo entrar com representações na PF e no Ministério Público pedindo a apuração das denúncias contidas no Privataria Tucana. Quero ver eles sentarem em cima do assunto. Pelo jeito só vai me restar fazer denúncias fora do Brasil por meio da ICIJ, International Consortium of Investigative Journalists, entidade que tem sede nos Estados Unidos e representação em dezenas de paises. Fui o primeiro repórter brasileiro a integrar a entidade e estou pensando em acioná-la se as autoridades brasileiras não tomarem providências.”

Grande Amaury, tem que fazer as denúncias JÁ, MEU CARO!!! JÁ!!!!!!!!!!!!!

O TEMPO URGE!!!!!!!!!

Responder

nina rita de cássia

19 de dezembro de 2012 às 23h56

Quando encerrou o pseudo julgamento, no fim, JB foi fazer agradecimentos a uns colaboradores, e M A de Mello tentava evitar, a todo custo, que ele falasse nomes. Sua insistência me chamou atenção, contentou-se que os nomes dos tais colaboradores não constassem em ata. Estava, visivelmente, tentando protegê-los, e JB parecia mais ingênuo, insistindo em declinar os nomes, por dever de gratidão. E enunciou alguns, que não conheço, mas identificou-os todos como do RJ, mencionou procuradoria, e tinha uma mulher _ ele falou dois ou 3 nomes de pessoas que o ajudaram nesses 7 anos, sem as quais não conseguiria ter obtido êxito. Era uma ajuda extra-oficial.

Responder

sandro

19 de dezembro de 2012 às 23h51

Nivel ruim hein Azenha?
Puro reflexo dos dias que vivemos, mas acho legal a porcada por o
focinho prá fora,tô esperando o dia que ameaçarão o Lula de morte na blogsfera se é que já não ocorreu.

Responder

Nelson

19 de dezembro de 2012 às 23h19

Tucano enrustido.

Responder

Paulo

19 de dezembro de 2012 às 23h08

Pelo jeito você não leu o livro, ou se leu, não entendeu

Responder

lindivaldo

19 de dezembro de 2012 às 22h47

Gil,
Você está enchendo o saco não é pela falta de entendimento do texto, em que o jornalista denuncia que está sendo alvo de perseguição, é pela total falta de conhecimento da língua portuguesa.

Responder

    Jose Mario HRP

    20 de dezembro de 2012 às 09h23

    O cara além de nem saber quais são os crimes e o porque da perseguição tá muito por fora!
    Mas é assim, se é para confrontar qualquer coisa serve, e como não sabe interpretar texto leva fora em cim de fora!
    Pede pra c e dá o fora!

Rasec

19 de dezembro de 2012 às 22h39

Esse Amaury, sei não! Quer dizer que o problema agora é o PT? E a relação do jornalista com a turma do Aécio? A conferir…

Responder

    Adma

    19 de dezembro de 2012 às 23h12

    Ele não livra a cara de ninguém, nem de setores do PT que têm rabo preso. E não tem que livrar mesmo. Mas é evidente que o alvo maior dele são os tucanos e a elite reacionária. Só não vê quem não quer.

    Antonio Carlos - Brasilia

    20 de dezembro de 2012 às 00h37

    Jornalista Sério = Azenha.

    Bonifa

    20 de dezembro de 2012 às 12h51

    Rasec é troll. Temos trolagem ligth também.

lindivaldo

19 de dezembro de 2012 às 22h38

Grande Amaury,
Parabéns pelo seu trabalho!
Que coragem enfrentar uma direita poderosa, sem nenhum escrúpulo, e que tem braços na grande mídia e núcleos na PF, PGR, STF, etc.
Como formiguinhas, continuaremos divulgando seu trabalho.

Responder

Vlad

19 de dezembro de 2012 às 22h37

Não posso acreditar!
Eles querem dar o golpe e colocar alguém MAIS de direita ainda?
Não é possível.
Essa gente não tem limites.

Responder

    abolicionista

    20 de dezembro de 2012 às 10h05

    Bem vindo ao Brasil. É fácil militar no primeiro mundo, não? Aqui o buraco é mais embaixo. Não vejo o que se ganha em ser carta fora do baralho…

Francisco

19 de dezembro de 2012 às 22h37

Sugiro também um curso com Lugo do Paraguay…

Responder

Liz Almeida

19 de dezembro de 2012 às 22h34

E dá-lhe Amaury!

Ah, se pelo menos a metade do PT tivesse a coragem deste homem…

Responder

Marat

19 de dezembro de 2012 às 22h17

Lula e Dilma precisam tomar umas aulas urgentes com a grande Cristina Kirchner, com o Evo, o Chávez (antes que seja tarde), Mujica e Rafael Correa…

Responder

    tiago carneiro

    20 de dezembro de 2012 às 03h12

    Não não, Dilma faz parte do PSDB, e Lula do PT amarelinho.

Marat

19 de dezembro de 2012 às 22h15

Falar, falar, falar e “retoricar” não fará nenhuma diferença… tem é que partir pra porrada!

Responder

tiago carneiro

19 de dezembro de 2012 às 21h57

Resumindo: não tem mais nada TUCANO que o atual quadro O PT. Sai dessa fria, Lula.

Responder

neopartisan

19 de dezembro de 2012 às 21h46

Aviso aos internautas:
Este é um libelo CONTRA os reacionários!
Foi inspirado em dizeres de linchadores quando linchavam vítimas.
Concretamente, escutei-os em meio a duas tentativas de linchamento que testemunhei: uma em 1976, outra em 2007.
Em ambos os casos, as vítimas eram totalmente inocentes.
E ainda que não o fossem, o fato é que nas duas ocasiões tentei defendê-las da turba e, no final, elas sobreviveram
Agora, estamos diante de uma turba de classe, composta por togados, a velha mídia e polítcos direitistas, todos movidos por uma LuloPTfobia rançosa e rancorosa, sem limites éticos ou morais.
É preciso virar a página, na prática, do imobilismo que tomou conta do partido.
Há hoje um fenômeno que poderia ser chamado de parapetismo – do qual faz parte este blog e outros blogs- , mais combativo e efetivo do que a máquina partidária enfurrajada e empacada.
Vamos em frente, pois, com determinação conseqüente, capaz de fazer face ao tenaz inimigo!
24 HORAS DE ÓDIO CONTRA O LULA (Ou como pensa a turba togada/PiGuenta/demotucana).
“O Lula nunca pisou em ninguém e mesmo assim tem mais é que ser pisado”.
“Não tem essa de defender operário metido a besta não. Isso é coisa de homens e classes inferiores e sem capacidade nenhuma.”
“Quem mandou ser operário…respeito é o caralho! Só animais como os blogueiros sujos é que defendem essa desgraça!”
“Respeito com o peão porra nenhuma! Desce a madeira nele! Volta com o Carandiru!”

“Consideração é pra quem é direito(a)…direito tem quem direito anda…fez bosta que nem este peão tem mais é que rodar…
”
“Contra operário safado o processo pode ser até secreto. A decisão está sujeita aos nossos humores (classistas). Vamos incentivar o povo a apontar na rua e gritar “é ele”! Nossa moeda tem uma face só e pronto!”

“Foda-se este negócio esquerdista de dizer que “a historia só se repete como farsa”, “dois pesos, duas medidas”, “o pau que bate em Chico tem que bater em Francisco”, “duplo padrão moral”, “unilateralismo”, ”toda moeda tem dois lados”, etc.”
“Somos mais a favor de linchar o peão na moral e depois deixar ele dizer que não fez. À toa é que o safado não está apanhando não. Se a gente está vendo fumaça é porque tem fogo. Vamos provocar os eleitores a convidar o cara a passar uns dias na casa deles, até ele comer a mulher, os filhos e as filhas deles. Depois, vamos ver!”

“Que porra é essa dos blogueiros sujos nos taxarem de reacionários só porque somos realistas! A corja de internautas e populacho não passa de aproveitadores da desgraça e da miséria alheia! Que meta os caras dos blogs nazistas tem: ganhar um contrato de jornalista da Globo?”
“Reacionário é a mãe! Vão trabalhar! Larguem esta merda de PC e vão cuidar dos necessitados. Deixem de soberba e de ser anti-éticos fingindo que são bons samaritanos! Hipócritas! A ira de um povo contra este peão da porra não deve ser contida jamais! Pois no final quem paga o pato são os inocentes!”
“Peão metido a bacana/sacana não tem direito a porra nenhuma, se é trabalhador não merece esculacho…mas se quiser estuprar nossa superioridade (de classe), seu lugar é na tumba”

“Tribunal de exceção, julgamento antecipado, direito à defesa e ao devido processo legal, é o escambau! O Lula roubou (nosso poder), é abortista (dos nossos privilégios de herança), é pedófilo (com preferência pelas crianças do seu populista bolsa família) e chifra (apesar de ser mula sem cabeça).”
“Se ele transgrediu a linha divisória da ordem social – e ele o fez! -, temos mais é que linchá-lo na moral, na política e no uso da lei ao nosso modo.
No limite, com D. Justa fazendo vista grossa, se alguém pegar um cassetete, passar cerol e enfiar naquele lugar dele, nem que depois falem que nossos atos são um crime de lesa direitos.”

Responder

    Maria Rita

    19 de dezembro de 2012 às 23h21

    Sâo os ‘pensadores da privada’, aqueles que escrevem nas portas dos banheiros as coisas mais insanas e mais porcas. Adeptos do pig.

    Jaime Haas

    19 de dezembro de 2012 às 23h31

    Pelo visto este “neopartisan”, deve tomar intidepressivo, porque deve estar muito doente; é igual a um cão raivoso. Vá se tratar cara; Tens inveja que o Lula conseguiu melhorar a vida de milhões de brasileiros?
    Ou vais dizer que os tucanos são “santinhos”. Melhor vc se basear no indece alto de aprovação do governo Lula e Dilma.

    lindivaldo

    20 de dezembro de 2012 às 01h43

    Acho que está havendo um engano.
    Entendi que o neopartisan expressa o ódio que a direita, e não ele, sente pelo Lula. Ele carregou um pouco na tinta, porém, na verdade é isto que que os golpistas pensam…

    neopartisan

    20 de dezembro de 2012 às 07h34

    Ô cara, releia o aviso aos internautas! Só o Lindivaldo sacou o sentido? Os outros comentaristas trocaram o sinal do texto, caramba!!

    renato

    20 de dezembro de 2012 às 07h55

    Jaime, meu querido!
    Se liga! Não é isto.
    Leia pausadamente a introdução!
    E peça desculpas ao nosso amigo!

    Claudio

    20 de dezembro de 2012 às 14h57

    Relendo melhor o texto, tenho que pedir desculpas ao “neopartisan”, pois eu nao havia entendido o sentindo real do texto. Com certeza, é desta maneira que se pensa uma pessoa de direita. Mais uma vez desculpas ao neopartisan. Mas a princípio fiquei confuso, apenas depois consegui captar o sentido de seu texto.

    Almerindo

    20 de dezembro de 2012 às 00h07

    Quanto ódio no coração, “minino”… Vai tomar seu todinho e fica quietinho, vai…

    P.S.: Pô, Azenha, comentários de baixo nível como esse eu costumava achar só em sites da nossa extrema-direita raivosa, meu caro… Dá uma moderada aí, né?!

    neopartisan

    20 de dezembro de 2012 às 12h26

    Ô cara, se liga no conteúdo do libelo e não faça ilações.
    Não confunda alhos com bugalhos.

    Jairo Mello

    20 de dezembro de 2012 às 02h11

    neopartisan.
    do jeito que a carroagem anda, a direita em seus oito anos no poder que pegou a divida de 500 anos em 38% do pib, privatizou e financiou com recursos do bndes e entregou ao peão em 78% do pib, se voltar ao poder, em mais quatro anos, seremos a Grecia do america do sul.
    Claro, voce vai estar com chicote na mão, e tera seus recursos multiplicados.
    sds
    JM


Deixe uma resposta para Francisco

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.