VIOMUNDO

Diário da Resistência


Olho no caldeirão
Amor Nos Tempos de Cólera 07/11/2017 - 12h39

Olho no caldeirão


Por Marco Aurélio Mello

por Marco Aurélio Mello

Outro dia fiz uma pergunta no Facebook: E se lançássemos Caetano Veloso presidente em 2018?

Por incrível que pareça muita gente levou a ideia a sério.

Parafraseando o próprio Caetano em Sonhos, do Peninha, “tudo era apenas uma brincadeira e foi crescendo…”

É o que está acontecendo agora.

Comento há tempos que o Luciano Huck será o candidato da direita, com o aval do próprio Caetano e da companheira dele, a Paula Lavigne, que demonstram entusiasmo com a ideia.

O pessoal acha que é brincadeira.

Mas parece que o cenário está ficando mais claro agora.

Vejo que o Huck já estaria até montando ministério.

Para mim faz todo o sentido.

As Organizações Globo e seus patrocinadores, as transnacionais, não confiariam jamais num candidato fascista, como o Bolsonaro.

Assim como os fanáticos, fascistas não são confiáveis.

Portanto, eles precisam urgentemente construir uma candidatura “apolítica”.

Alguém que faça o meio de campo entre o povão e os endinheirados.

Que faça filantropia, que incentive o microempreendedorismo.

Que acalme e se possível adormeça as massas.

Huck é fugurino sob medida.

Figurino aliás que experimentamos nos anos 1990, com Collor.

Deu no que deu.

O desafio da esquerda portanto é desconstruir esta falácia que está sendo construída cuidadosamente.

Esqueçam o Bolsonaro!

Não se iludam, Huck já está em campanha.

Foco nele.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Edgar Rocha

10 de novembro de 2017 às 02h09

Eu não afasto o Bolsonaro, não. O índice de ódio no sangue da classe média está muito alto. Além disso, ainda temos o “fator S.A.”. Refiro-me à S.A. nazista, grupo paramilitar inicial do partido nazista, destinado unicamente a aterrorizar a sociedade alemã e aprofundar o caos social. Juntamente com a juventude hitlerista, foram capazes de abrir caminho no espaço político e institucional através da coação pura e simples de toda a sociedade, como verdadeiros cachorros loucos atacando cidadãos nas ruas e disseminando o ódio. O paralelo que estabeleço com o Brasil se baseia na cooptação das PM’s estaduais para a candidatura de Bolsonaro e a consequente instrumentalização do crime organizado – claramente simbiótico com as forças policiais em geral, não só as PM’s.
Eu não subestimo esta estratégia. Nem eu, nem o candidato Alckmin. Ele, que nunca entrou em litígio com a corporação, pela primeira vez, apoiou uma CPI contra coronéis (9, se não me engano). Pediu a CPI e depois recolheu-se, deixando a espada sobre cabeça de sua milícia, como recado, pra ser usada quando bem entender.
No Rio e em outros estados as milícias estaduais têm sofrido inúmeros ataques à sua imagem, incluindo as recentes declarações do Ministro da Justiça de Temer.
Pra mim, a direita já sacou o mesmo que eu. E se não for possível conter as milícias bolsonaristas e impedir a estratégia de disseminar o caos, Bolsonaro estará no páreo. O último recurso seria uma ditadura militar. Mas, aí é quase seis por meia dúzia. Ou, como na Segunda Guerra, trocariam as S.A. pela S.S.

Responder

Márcio Martins

09 de novembro de 2017 às 22h59

Há um enorme ponto fraco em huck: a amizade com Aécio. Se for mostrada a todos aquela foto no apto. do dia da derrota do Aécio…se ele for eleito é porque o povo merece!

Responder

João Lourenço

07 de novembro de 2017 às 15h09

Engraçado,mas antigamente se dizia que comunistas comiam criancinhas e botavam um medo danado na população pouco esclarecida.Agora são os comunistas que querem botar medo em tudo que surge e amedronta eles .Entram em parafuso rapidamente !!!kkkkkk

Responder

    Aurélio Soma

    07 de novembro de 2017 às 17h46

    Engraçado como são ignorantes os ignorantes de hoje em dia. O PT é um partido trabalhista, nunca teve a ver com comunistas. Mas para os ignorantes isso não importa. Pois são ignorantes graduados. Mesmo com o Google a mão, não distinguem o que são comunistas, socialistas, trabalhistas, progressistas, liberais etc. São apenas os “novos ignorantes”.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.