VIOMUNDO

Diário da Resistência


O dia em que Cora corou
Amor Nos Tempos de Cólera 05/02/2018 - 12h13

O dia em que Cora corou


Por Marco Aurélio Mello

por Marco Aurélio Mello

— A senhora está a cara da Cora Coralina, disse à minha tia quando a encontrei.

— Ah se o seu tio te visse falando isso… Ele não podia ouvir falar no nome da Cora. Você gosta dela, né?

— Olha tia, li alguma coisa dela e gostei sim. O tio não gostava dela?

— Seu tio tinha uma bronca enorme dela. Sabe, ele era missionário da igreja e andava muito para aqueles lados de Goiás. Teve uma vez que ele e um colega foram visitar Cora. Chegaram lá e foram muito bem recebidos. Ela mostrou a casa, o jardim tão bem cuidado, de onde tirava de plantas, insetos e bichos sua inspiração, e a janela, às margens do rio vermelho, de onde observava o cursar da vida, entre uma receita e outra de doces, que fazia no tacho de cobre, no fogão à lenha… Mas foi eles saírem e Cora deu falta de um dinheiro, que ela guardava em segredo. A doceira e poeta correu para a delegacia e deu queixa dos dois. No dia seguinte eles iam ser fichados quando Cora apareceu e disse que tudo não passara de um mal entendido. Cora tinha trocado de esconderijo.

— Que chato!

— Seu tio ficou inconformado. Ela pediu desculpas ali, em público. Ele não aceitou. Disse que só aceitaria se ela escrevesse uma carta de próprio punho e assinasse. E assim Cora, corada, o fez.

Meu tio era um homem reto e bom, eu sei. Ia perguntar à ela que fim levou a carta, quando a chuva apertou. Disse adeus e voltei para casa perguntando: quantas memórias as pessoas têm? Quantas com a morte vão se perder?

Afinal, minha tia tão lúcida e rica de recordações tem 90 anos, senão mais. Vai ser assim com muitos de nós. Todos temos histórias engraçadas, curiosas, inacreditáveis, assustadoras, milagrosas até. Mas quem tem tempo de ouvir e registrar essas histórias? Por que no curso daquele tempo tão precioso não esperei a chuva passar?

Coincidentemente estive na casa de Cora recentemente, hoje um museu, patrimônio histórico, da cidade mais preservada do Brasil.

E Cora, o que diria?

“Me esforço para ser melhor a cada dia. Pois bondade também se aprende.”

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.