VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Demorou

19 de julho de 2018 às 13h37

por Marco Aurélio Mello

No último dia 18 de Julho (ontem), conforme o boleto bancário que faço questão de apresentar aqui, fiz o depósito judicial referente à ação em que fui condenado, por causa de um texto de ficção chamado O Maconhal Caseiro.

A sentença “transitou em julgado”, como se diz no jargão jurídico.

Significa que, agora, não há mais recurso cabível, a não ser pagar a indenização.

E foi o que fiz.

Hoje, 19 de Julho, coincidentemente faz um ano que encerramos a campanha no Catarse.

Com o apoio de todos arrecadamos R$ 51.778,00.

As taxas de serviço somaram o valor de R$ 6.731,16

Portanto, a receita líquida atingiu o total de R$ 45.046,97

Este dinheiro ficou numa caderneta de poupança na Caixa Econômica Federal.

Durante este período o rendimento foi de 4,8534800%

O total apurado acumulado somou R$ 47.233,32.

O cálculo pode ser confirmado aqui: https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/corrigirPelaPoupanca.do?method=corrigirPelaPoupanca

A diferença entre o que foi apurado e o que foi pago veio de outras economias que fizemos.

Gostaria de dizer apenas que esta página está virada na minha vida.

Quero que este senhor que me processou e me calou faça bom proveito dos recursos.

Não guardo ódio, nem ressentimento, nem desejo de vingança, como ele me acusou ao longo de todo processo.

Quero, agora que esta página está virada, seguir em paz realizando o meu ofício de jornalista.

Muitos podem estar pensando: “ué, mas não são duas ações?”

Sim, são duas.

Na segunda ação eu venci na primeira instância, no TJ, por três votos a zero, e no STJ.

Os advogados dele ainda interpuseram novo recurso, mas segundo o advogado que me defende de graça, o Vitor Cardoso, nenhuma decisão modifica o mérito, ou seja, ele já perdeu.

Portanto, é hora de mudar de assunto e parar de aborrecer vocês.

Um forte abraço e minha gratidão eterna a todos.

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

26 - jul 1

Boa sorte a nós todos

Este é o meu desejo sincero

24 - jul 0

E se seu chefe visse isso?

Acho que muitos são incapazes de alcançar

23 - jul 1

Onde ninguém nos alcança

Este sim é o lugar

 

2 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Patrick

19/07/2018 - 16h29

Eu li o texto na época e não consigo entender como ele gerou tudo isso. Nem indiretamente dá pra imaginar que você está falando de alguém que não seja Fernando Henrique Cardoso. Me pareceu elogioso, até.

Responder

    Marco Aurélio

    19/07/2018 - 17h13

    Allan, o que houve foi um cruzamento de informações com outros textos: A vizinha, No Dia Seguinte e o Maconhal Caseiro. Foi depois do Escândalo da Bolinha de Papel, quando noticiei que o perito contratado, o Molina, era amigo de um dos chefes da Globo, porque já tinha feito laudo para um processo em que a vizinha do andar de cima reclamava do cheiro de maconha vindo do andar de baixo. Ele colecionou todos os textos e afirmou ao juízo que o chefe era ele.

Deixe uma resposta