VIOMUNDO

Diário da Resistência


Com os pés na lama
Amor Nos Tempos de Cólera 26/02/2018 - 15h55

Com os pés na lama


Por Marco Aurélio Mello

por Marco Aurélio Mello

A indignação pode ser revolta, pode ser porta, pode nascer morta.

Na voz do revolucionário Che, se de indignação trememos diante de uma injustiça, somos então companheiros.

A indignação pode ser filha, assim como a coragem, da esperança.

Foi o que disse Santo Agostinho, ao pregar sobre o desejo de mudança.

Com outras palavras, disse o mesmo a psiquiatra Nise da Silveira: “É preciso se indignar, se contagiar para então mudar a realidade.”

Mas por que sofremos de indignação?

E qual é o sentido deste sofrimento?

Nietzsche se indignava, não com o sofrimento, mas com a falta de sentido em sofrer.

Ora, se indignação é sofrimento, então estamos andando em círculos?

Afinal, temos que nos indignar e nos revoltar, ou temos que, indignados, calar e negar o sofrimento?

O que na indignação é espera, digna?

E o que nela é ação, indigna?

“Indigna, indigna, indigna inação.”

Meros jogos de palavras, passatempo, paralisia.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!