VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Sobrevivente diz que fogo na boate começou com sputnik

27 de janeiro de 2013 às 21h03

GERAL  |  27/01/2013 18h58min

“Poderiam ter salvo muita gente”, diz estudante que ajudou no resgate

Voluntário na retirada de corpos reconta como foram os momentos de desespero

Fernando Corrêa, no Diário de Santa Maria

O personal trainer de 23 anos, Ezequiel Corte Real, que presenciou a tragédia em Santa Maria, foi um dos sobreviventes que ajudou a retirar pessoas com vida na primeira hora após o início do incêndio. Apesar da grande dificuldade causada pela fumaça e pela falta de visibilidade, o jovem salvou cerca de 20 pessoas:

— Agarrava uma perna, um braço, tentava puxar, mas era difícil. Duas meninas me pediram ajuda, não sabia quem salvar. Respirei, comecei a tontear e não consegui pegar nenhuma. Saí para respirar, me molhei e voltei de novo — recorda.

A certa altura do resgate, já exausto, o estudante de Educação Física foi desestimulado pelos bombeiros a continuar a operação:

—Eles disseram para mim que nem adiantava mais se sacrificar porque estava saindo todo mundo morto.

O início do fogo, relembra, foi quando o vocalista pegou um sputnik (sinalizador) para comemorar algo que não ficou claro para a plateia. Nesse momento, quando tocava o hit Amor de Chocolate, de Naldo, o fogo alcançou o teto. Ao perceber o incêndio, o vocalista teria pego um extintor que falhou. O fracasso na tentativa de salvamento foi alvo de vaias do público.

Ao tentar manter a calma, o estudante percebeu que a fumaça era muito tóxica e “queimava ao respirar”. Foi então que começou o resgate. O estudante relata não ter visto nenhum tipo de mecanismo anti-incêndio em funcionamento no estabelecimento. Das pessoas que retirou de dentro da Boate Kiss, três ou quatro estavam queimadas e o restante, debilitado pela fumaça.

– Vi uma funcionária se refugiando dentro de um freezer – conta.

Na opinião dele, muitas vidas poderiam ter sido salvas no momento em que a saída de jovens da danceteria foi impedida pelos seguranças. Em frente à porta, havia mesas caídas, que podem ter sido arrastadas pelos próprios jovens no momento de desespero.

— Foi pouco tempo, mas poderiam ter salvado muita gente enquanto ainda tinha visibilidade lá dentro.

Veja também:

A tragédia que matou 232 jovens

20 - set 0

Alexandra Mello: Querer é poder, custe o que custar, doa a quem doer?

Entre o desejo, a satisfação e a felicidade

 

23 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Gilmar Bueno

28/01/2013 - 21h04

Corroborando com o comentário do Francisco:Foi uma somatória de interesses,inclusive dos “CONSUMIDORES”.

Responder

Bombeiros: “Em São Paulo é proibido o uso de fogos em ambientes fechados” « Viomundo – O que você não vê na mídia

28/01/2013 - 17h42

[…] Sobrevivente diz que fogo na boate começou com sputnik […]

Responder

Jorge Portugal

28/01/2013 - 12h03

Agora quem é culpado???? Para mim procurar culpado em uma hora dessas é apenas hipocrisia, quero que me aponte uma boate neste país que esteja completamente legalizadas e dentro das normas de segurança. Isso ainda vai dá muita audiência.
Culpado somos nós mesmos. Nunca nos preocupamos com nossa segurança, muito menos com as dos outros.

Responder

saulopb

28/01/2013 - 11h39

Todos nos temos culpa, a brasileiro primeiro inaugura depois termina, aqui em curitiba um shopping semi acabado foi inaugurado, os pisos estavam todos soltos, os bombeiro nao liberam, um juiz de uma liminar, pronto. assim funciona o brasil ainda somos amadores, vario setores. nossa geração é filha do campo, ate pouco tempo atras o brasil era rural e fomos jogados nas grande regiões metropolitanas desse pais, como gado para abate, tinha um livro que era piá (adolescente) que eu li, de uma menina alemã que mostra que Alemanha passou por isso, nos anos 70, eu, Christene F, 13 anos, drogada e prostituída, ela faz sua a narrativa, como era sua vida na infância e um condomínio, sem perspectiva, um livro que recomendo para as elite política do brasil, vamos apreender como isso temos que cobrar quando se trata de vida, veja o caso de minas gerais quando os ficais Unaí, foram mortos tentando fazer o seu trabalho. Ainda temos o resquício patrimonialista, agora com essa tragédia temos que nos auto criticarmos, todos desde do faxineiro em um a empresa privada até o presidente do supremo, não com a caça as bruxa; obra esta irregular não libera, o restaurante não tem uma cozinha adequada não libera, não dar cafezinho guarda, uma pessoa mais no carro sem sinto, não carregue.

Responder

Quiteria morais

28/01/2013 - 10h47

Estou muito triste pelo o acontecimento eu sou mãe e imagino o que esses pais estão passando nesse exato momento,dói perder um filho, mais eu acho que essa boate não tava preparada para fazer festa.
A boate é responsável por o que aconteceu, eles deveriam treinar melhor seus seguranças para não acontecer esses acontecidos, e deveriam pensar mais nos clientes e não no lucro que ele esta ganhando.
Estou pedindo muito a Deus pra dar força a famílha das vitimas principalmente aos pais ele que sofrem mais ao perder um filho ou uma filha.

Responder

Marcelo de Matos

28/01/2013 - 09h44

Será que a conduta do músico que lançou o sputinik e a dos demais que promoveram queima de fogos em ambiente fechado, e lotado, não é criminosa? Então eu não sei o que é crime.

Responder

ma.rosa

28/01/2013 - 09h39

É triste ver que uma somatória de “equívocos”, como: ganância, incompetência,exibicionismo e despreparo resultaram nesta tragédia que ceifou 231 vidas!!!!!

Responder

Hélio Pereira

28/01/2013 - 08h14

Os “Seguranças” da Boate estavam “altamente Treinados”,com certeza para evitar que algum estudante que ali estava se divertindo saisse sem pagar a fatura!
Lamentável os donos do estabelecimento pensaram apenas em garantir seus lucros e jamais em proteger seus clientes,pensaram no bolso não na Segurança!

Responder

    Marcelo de Matos

    28/01/2013 - 09h42

    Para melhorar a segurança nas danceterias e congêneres a lei deveria exigir que toda despesa fosse paga no ato. Nunca frequentei esses lugares, mas, ouço dizer que a fila da saída é bem demorada por causa dos pagamentos. Os seguranças não deixam ninguém sair e, muitas vezes, batem em pessoas que supostamente tenham tentado se evadir.

Francisco

28/01/2013 - 02h34

O brasileiro precisa enfiar na cabeça que ele não é hospede do Brasil, ele é dono.

E dono, manda.

Pode parecer duro dizer isso nesse momento, mas muitas pessoas frequentavam aquele ambiente nas semanas e meses anteriores.

Porque ninguém denunciou?

Nas rodas de conversa ao longo desta semana, se ouvirá dezenas de vezes a frase: “Bem que eu achava aquele lugar meio improvisado, ou sem saída, ou…”.

A frase seguinte: “Não denunciei nada para não ser o ‘chato’…”.

As festas são contratadas (de casamento, de faculaddes, bailes, etc.) por pessoas que não lembram de questionar a segurança.

Essas pessoas somos nós.

Nós não denunciamos o vizinho sistematicamente barulhento, não denunciamos a boca de fumo no seu começo, não denunciamos o prefeito larápio, não denunciamos o vereador safado (quase semnpre o responsável por essas tragédias “municipais”), não denunciamos as cracolândias nas suas primeiras semanas…

Nós nos comportamos no Brasil como hóspedes, reclamamos, nos “indignamos” intramuros: nas filas, nos bares. Serve de quê?

Ninguém pega um telefone para denunciar:

“Alô, bombeiros? Ontem estive num lugar que a porta de emergência é trancada com cadeado, não vi um extintor por perto, não sou entendedor do assunto mas aquilo lá é um perigo…”.

Quando se é hospede, não se reclama se o banheiro esta limpo ou não.

Quando se é dono, ou se limpa pessoalmente ou se manda (ordena!) limpar.

Este país não é emprestado, é nosso.

Quanto a prejudicar ou não o negociante, o “rapaz que só quer trabalhar”, se estiver tudo em ordem, ele não será prejudicado, com certeza.

Se algo estiver fora do adequado, você pode estar salvando uma vida, talvez a sua.

Nós não somos hospédes do Brasil, somos donos.

E dono manda.

PS. Precisamos superar essa fase da adolescencia civilizatória em que quem quer tudo “certinho” é o “chato”, o “careta”. Só vamos mudar de degrau quando chamarmos a nós (nós, o povo) a responsabilidade de dono.

Responder

Geysa Guimarães

28/01/2013 - 02h29

Pirotecnia insana.
Em recinto fechado, mais ainda.
Chega de tanta permissividade, de cultura meia-sola!
Vamos perseguir a excelência!

Responder

Os depoimentos sobre despreparo para lidar com a emergência « Viomundo – O que você não vê na mídia

28/01/2013 - 01h53

[…] Sobrevivente diz que fogo começou com sputnik […]

Responder

Magda Maria Magalhães

27/01/2013 - 23h36

Fica difícil comentar. Meus sentimentos às famílias que estão passando por esta tragédia. É mais uma no país, fruto da ignorância e do querer ganhar dinheiro gastando pouco.
Os donos da boate não sabiam que o isolamento acústico era altamente incendiário? Não proibiram às bandas os efeitos especiais? Não instruíram os seguranças a agir em caso de incêndio? Não havia placas para outras saídas ou elas não existiam?
Lições que o Brasil terá que aprender. Infelizmente com o sangue de tantas vítimas inocentes.

Responder

    Silvia

    28/01/2013 - 00h54

    Sou mãe e nem consigo imaginar tamanha dor, pois não dá. Sei que essas vidas não voltam, mas esses filhos da puta dessa boate vão ter que se responsabilizar por isso, pois os equipamentos de incêndio estavam vencidos, e os seguranças sem atitudes humanas jamais deveriam ter feito isso, pois tinha muita gente querendo sair de uma única vez como não conseguiram constatar que dia algo de errado? Tem que existir justiça, meu Deus acalme os corações dessas famílias a dor é muito grande.

Julio Silveira

27/01/2013 - 22h19

Ao ver essas vitimas aqui no estado, jovens em sua maioria, não poderia ser diferente, meu minuto de silencio vai para o Brasil, com todo o simbolismo e critica que o ato possa conter.

Responder

Gerson Carneiro

27/01/2013 - 21h43

Responder

    Marcos Rocha

    28/01/2013 - 02h40

    Explêndida a postura da Presidente, que não liga de associar sua imagem à “episódios ruins” em momentos como esse.

    Prestou solidariedade imediata neste caso e às vítimas do matador do Realengo. Preocupa-se com o conforto das famílias antes de se preocupar com o marketing pessoal.

    Parabéns Dilma.

    Helio

    28/01/2013 - 09h05

    Muito elogiável a postura da presidenta, mas uma pena que ela não teve a mesma conduta com os pobres do Pinheirinho em S.J.dos Campos/SP, onde milhares de pesooas(crianças, mulheres e idosos) foram covardemente “massacrados” até na sua honra, por tucanos, juizes vendidos e uma policia assassina e vagabunda, que até estupros cometeram. Faltou apoio dela lá também…pois era um movimento social!

    Renato

    28/01/2013 - 09h06

    É por isso que era vai ganhar em 2014. Demonstrando uma grande humanista como de fato o é, não sobrará espaço para a oposição.

    Renato

    28/01/2013 - 09h55

    Sem criticar e sem querer dizer que foi cassar votos.
    É por isso que ela vai ganhar em 2014. Está demonstrando ser uma grande humanista.
    Eu acredito que as pessoas colhem o que planta durante a vida. E o fato de ser uma grande humanista, já demonstra que será uma grande força em 2014.
    Uma coisa devo reconhecer, o ex-presidente Lula sabe escolher bem os seus sucessores. Não haveria a outra ou outro para sucede-lo. Para sucede-lo tinha que ser alguém, com carater (não estou fazendo juízo de valores) muito mais humanista que a dele. E olha dificilmente alguém vai superar o Lula nesse quesito.

    Parabéns a Dilma pela humanidade e pela solideriade.

    É opinião de um ferrenho opositor.

Gerson Carneiro

27/01/2013 - 21h30

Sério que tudo isso não é só um pesadelo?

Responder

Gerson Carneiro

27/01/2013 - 21h28

Sem palavras…

Responder

Deixe uma resposta