VIOMUNDO

“Só os ignorantes me chamam presidente”, diz a presidenta

06 de janeiro de 2011 às 21h27

Azenha,

Segue como sugestão para o blog. É “requentado” mas é muito atual!

Em entrevista de 2008, Pilar del Rio explica (e trucida o repórter) porque devemos chamar a mulher de presidenta.

[O Eduardo diz que encontrou no Blog do Garfar]

Abraços,

Eduardo Victor Viga Beniacar

Entrevista com Pilar del Rio, Presidenta da Fundação José Saramago

05/01/2011 por garfar

João Céu e Silva: Foi o livro ‘Memorial do Convento’ que fez Pilar del Río encontrar José Saramago em 1986. Desde então, ficou conhecida dos portugueses por ser capaz de fazer afirmações tão contundentes como as do escritor e partilhar do seu ‘exílio’. Nesta entrevista, confessa-se “uma mulher indignada” que não perdoa sexismos gramaticais nem perguntas machistas. Há um ano que é presidente da Fundação José Saramago…

Pilar del Rio:
Presidenta!…

João Céu e Silva: Presidenta?

Pilar del Rio: Só os ignorantes é que me chamam presidente. A palavra não existia porque não havia a função, agora que existe a função há a palavra que denomina a função. As línguas estão aí para mostrar a realidade e não para a esconder de acordo com a ideologia dominante, como aconteceu até agora. Presidenta, porque sou mulher e sou presidenta.

João Céu e Silva:
Mas a palavra não existe!

Pilar del Rio:
Porque é que entre uma mulher e um animal tem primazia o género do animal? Porque dizem “Vêm os dois” se é uma mulher e um cão quem vem? Em vez de dizerem que não se pode dizer presidenta, mas ministra sim, solucionem essa injustiça e canalhice. Que os doutos académicos resolvam um conflito que tem séculos porque não têm sensibilidade para apreciar a questão ou nem se aperceberam. Por isso, justificam com leis gramaticais ou simplesmente silenciam e riem-se das pretensões da mulher porque se acham superiores. Em quê?

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

299 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jorge Carlos

31/08/2013 - 23h16

Pessoal. Será que ninguém percebe que essa discussão se é Presidente ou Presidenta nada tem a ver com linguística, gramática normativa etc ?
Trata-se simplesmente de uma discussão política,de quem é a favor da presidenta ou de quem é contra a presidente. Nada mais do que isso.

Responder

Ruth

05/10/2011 - 17h50

Criaturas,a língua portuguesa é como rio que não para,corre e flui!!!
Há alguns séculos,creio que haveria a mesma discussão se alguém sugerisse simplificar vossa mercê por você e,agora,vc.
A cultura de um povo nunca fica estática,e assim também com a língua.
Creio que é muita discussão para algo simples;Dilma é mulher,ela preside,é PRESIDENTA e ponto.

Responder

    bbbbbbbbbb

    20/05/2014 - 16h47

    você é muito inteligenta!

luisa

10/07/2011 - 12h34

Só deixe-me corrigir algo: não são os doutos execram o uso do termo 'presidenta', mas sim os ignorantes que ainda defendem uma gramática normativa (e, desculpe-me, mas não existem 'doutos' entre eles, ao menos não na área de linguística).

Responder

luisa

10/07/2011 - 11h40

Só deixe-me corrigir algo: não são os doutos execram o uso do termo 'presidenta', mas sim os ignorantes que ainda defendem uma gramática normativa (e, desculpe-me, mas não existem 'doutos' entre eles, ao menos não na área de linguística).

E esse pessoal que assiste Pasquale na TV deveria estudar um pouco antes de repetir as bobagens que ele fala.

Responder

katia

13/02/2011 - 17h02

Eu nao sou catedratica em linguas, mas a logica diz que Presidente, preside. Seja homem ou mulher. O presidente. A presidente. Estamos falando de quem preside e cujo genero está sendo determinado pelo artigo que vem antes do substantivo. É p estes casos que existem artigos determinantes.
Assim como estudante: O estudante, A estudante. Nao vamos comecar a chamar as estudantAs, os estudantOs!!!! Porque esta designando a pessoa que estuda, seja ela homem ou mulher. Tem O pedinte, A pedinte; designando a pessoa que pede. A residente, O residente é quem reside. O comandante, A comandante. O gerente, A gerente.
Eu, como mulher, nao fico indignada qdo me chamam de estudantE; e nem vejo os presidentEs da vida ficarem indignados, pedindo serem chamados de presidentOs!!
EU SOU FEMINISTA, SIM SENHOR. Mas nao sou ignorante. À primeira vista, repito –à primeira vista — este negocio de colocar A no fim de toda palavra como explicacao de defesa do genero feminino, é de um radicalismo tao estupido qto o machismo.
Acho que levantar a questao da necessidade de uma nova visao da palavra Presidente, devido à sua significacao de poder, para historia da luta das mulheres por um equilibrio social, é valido. Mas dizer que as pessoas que usam "A Presidente" sao ignorantes denota um radicalismo e uma ignorancia tao evidentes q eu acho muito perigoso o numero de pessoas que acatam e aclamam tao facilmente tais ideias. E tem sites por ai, escrito por pessoas inteligentes, defendendo este tipo de comentario!!

Responder

Denise

19/01/2011 - 11h45

Não existe preconceito maior do que o preconceito linguístico e dele pouco tratamos. Leiam Marcos Bagno ("Preconceito Linguistico, o que é, como se faz") para verificarem a extensão que tem a afirmação da Pilar del Rio.

Azenha, esta discussão tem tudo a ver com este blog progressista, sim! Deveria ser aprofundada.

Responder

Felipe

13/01/2011 - 00h06

Pelos mesmos motivos, dizia-se, há uma dúzia de anos, que não se devia chamar uma mulher praticante da poesia de "poetisa", mas de "poeta". Remamos, agora, rio acima…

Responder

gonçalves

11/01/2011 - 16h54

esta faltando assunto? vamos falar serio que tal os passaportes dos filhos do LULA e dos familiares dos parlamentares ? olha a isençao fora o protecionismo viva o jornalismo critico e auto-critico , senao vira tudo PIG cuidado sr AZENHA

Responder

Solange

11/01/2011 - 09h58

É "presidentE" sim ! Significa "quem está presidindo", seja mulher ou homem.
A se seguir a idéia da Pilar del Rio, o Lula teria que ter sido chamado de PresidentO. Ridículo…

Responder

Morvan

10/01/2011 - 09h36

Parafraseando o Vi O Mundo: João Céu e Silva sobreviveu?

Morvan, Usuário Linuc #433640

Responder

A Presidenta.

10/01/2011 - 08h18

[…] Pilar del Rio: Só os ignorantes é que me chamam presidente. A palavra não existia porque não havia a função, agora que existe a função há a palavra que denomina a função. As línguas estão aí para mostrar a realidade e não para a esconder de acordo com a ideologia dominante, como aconteceu até agora. Presidenta, porque sou mulher e sou presidenta. Acho que isso resume muito a questão. Porque o termo “presidenta” não é tanto uma questão de linguística, mas de política. De mostrar que algo mudou.  Que agora uma mulher ocupa a Presidência da República do Brasil. As pessoas podem dizer que é bobagem, mas não é, porque é extremamente representativo. Não só para mim, mas para as futuras gerações que merecem um mundo mais igualitário. Novos ventos sopram, novas palavras surgem para representar e significar a importância do momento. E fico muito orgulhosa que Dilma tenha incorporado essa mudança também no vocabulário diário. Fonte: Na foto, o fotógrafo Roberto Stuckert Filho flagra o olhar da filha de 5 anos da ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social) para a presidenta Dilma no dia da posse. […]

Responder

Mônica Santos

09/01/2011 - 23h35

Pelo (pouco) que eu saiba, as palavras do português de origem latina usam a terminação "o" para fazer o masculino e a "a" para o feminino. Mas há algumas palavras "neutras" (servem tanto para o masculino e feminino) que tem outra terminação, como gerente, pedinte, atendente, vidente, etc. Ou será que vamos ter que usar gerenta, pedinta, atendenta, videnta, etc? Sinceramente, acho que isso é trazer o feminismo (americano, bem entendido) para o campo linguístico. Por exemplo,´lá nos EUA fizeram um movimento para tirar apalavra "man" de todas as profissões. Você não é mailman, mas mail carrier; não é policeman, mas police officer (sinceramente, estou esperando para ver o que vão fazer com a palavra "woMAN"…). E se você fala inglês, já deve ter se irritado em ser obrigado a usar os famosos "he/she", "him/her" quando escreve. Sou mulher, mas acho tudo isso uma chatice que não leva a lugar nenhum. Não é por aí que vamos chegar à igualdade de condições com os homens.

Responder

LIBERDADE AQUI!

09/01/2011 - 15h27

[…] machista e/ou reaça. A presidenta da Fundação José Saramago, e também sua viúva, Pilar, disse em 2008, “Só os ignorantes me chamam presidente”. Acho que não é por aí. Creio que […]

Responder

Bonifa

09/01/2011 - 15h06

Discordo. Presidente não é masculino. Nem dente. Nem serpente. Insistir nisso é ficar patinando gloriosamente na superfície de situações que exigem profundidade.

Responder

Otaciel de Oliveira

08/01/2011 - 21h20

Azenha, me desculpe, mas dessa vez você não foi feliz com a manchete da primeira página do seu blog: "Só os ignorantes me chamam presidente”.

Quem não leu a matéria ficou com a impressão que a frase teria sido pronunciada pela Presidenta Dilma. E não foi.

Tenho certeza que você não pensou em gerar nenhum mal entendido.

Mas é assim que o PIG age(nenhuma referência a você, claro) quando quer confundir as pessoas.

Responder

    Trindade

    09/01/2011 - 03h31

    Concordo plenamente com você Otaciel. Eu mesmo resolvi ler a matéria pois o título me remeteu a pensar " A Dilma disse mesmo isto?"
    Abraços
    Trindade

Sergio Luis

08/01/2011 - 20h24

É ridícula essa tentativa de estuprar a gramática por questões de vaidade feminista! A palavra "presidente" é substantivo comum de dois, determinado pelos artigos definidos o, a, os, as, ou indefinidos, um, uma, uns, umas. Se modificarmos o substantivo presidente teríamos que mudar também os demais como: agente, estudante, meliante, etc. O que importa não é a denominação, mas a competência de quem ocupa o cargo. Votei em Dilma e espero que ela se preocupe com coisas mais importantes do que o gênero do cargo de presidente!

Responder

Domiciano Santos

08/01/2011 - 19h19

Parece que poucos leram a reportagem na íntegra. Deixaram-se influenciar pelo título e subtítulo.

[youtube obGnfvtdA_g&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=obGnfvtdA_g&feature=related youtube]

Responder

    Talita

    16/03/2011 - 17h22

    Engraçado é que Teatro Mágico não escreve uma vírgula no lugar errado em suas letras. Eles são totalmente coesos e coerêntes. O que dizem é que devemos respeitas os erros, principalmente de pessoas que tem pouco estudo e mesmo assim conseguem se fazer entender.
    A presidente Pilar del Rio está errada gramaticalmente falando, e como presidente, deveria ter esse conhecimento. Mas ela quis dar genêro a uma palavra neutra, então o certo seria defender o mesmo para TODAS as palavras neutras e não apenas a palavra presidente.

Joel Mendes

08/01/2011 - 17h19

Deixem a gramática em paz. Se ela quer ser chamada de presidenta ela pode ser chamada de presidenta. Se não existir como palavra, que exista como apelido. Se ela quer ser presidenta, que assim seja. Alguem tem dúvida que logo sera chamada de presidenta por todos ?
Alguem ira chamar o Tiririca de Francisco ?

Responder

    Marcelo

    31/01/2013 - 00h15

    Já estamos em 2013 e não são todos que utilizam “presidenta”… porque está errado, é claro !. Todos que utilizam o termo com certeza o fazem por tendência política e não por conhecimento da lingua portuguesa.

André Luis

08/01/2011 - 13h40

Caro Azenha, enquanto nos perdemos em discussões "farisaicas", cuja importância é a mesma de discutir o passaporte diplomático dos filhos de Lula, a "direita residente" e a mídia, corrupta e golpista, vão se guardando para quando o carnaval chegar. A FSP todos os dias, em letras pequenas, miúdas e grandes vem alimentando o que chama de "crise" entre o PT e o PMDB. Subtrai o fato de quem ganhou a eleição foi uma aliança encabeçada pelo PT e, acusa o Governo Dilma de destinar a maior parte dos cargos políticos para o PT. Até entendo que em períodos de calmaria possamos nos divertir com temas irrelevantes mas, não podemos deixar de vigiar.

Responder

Persilva

08/01/2011 - 12h11

A chamada da matéria na home do site foi idiota. Ao passar os olhos, temos a impressão que a Dilma disse isso…

Responder

    Marcelo

    31/01/2013 - 00h17

    Não foi a Dilma quem falou, mas foi ela quem instituiu essa idiotice no país.

Leonardo Priori

08/01/2011 - 10h48

Já de primeira vista a fazer uma palavra deixar de ser "comum de dois gêneros" por um combate ao machismo parece exagero. Ainda mais se vermos a quantidade de exceções e como o gênero se define de forma tão imprevisível. É uma discussão interessante e valorizo as duas opniões, mas estou mais inclinado a pensar que não se deve utilizar o "presidenta". No português – e não estou falando de meras leis gramaticais – o "o" no final marca o masculino e o "a" o feminino, palavras sem essa marcação tendem a ir para o masculino. A questão é que a quantidade de casos em que esta falta de gênero evidente cria uma palavra "comum de dois gêneros" é grande. É engraçado que só a reivindicam estes dois altos cargos, o "presidenta" e "gerenta". Nunca vi ninguém reivindicando "estudanta", "repórtera", "imigranta", "agenta", "clienta", "hereja", etc. E de certa forma os homens poderiam reivindicar também serem "artistos", "poetos", "pianistos", "jornalistos", "dentistos", etc.

Responder

Leonardo Priori

08/01/2011 - 10h44

A primeira vista a fazer uma palavra deixar de ser "comum de dois gêneros" por um combate ao machismo parece absurdo. Ainda mais se vermos a quantidade de exceções e como o gênero se define de forma tão imprevisível. É uma discussão interessante e valorizo as duas opniões, mas estou mais inclinado a pensar que não se deve utilizar o "presidenta". No português – e não estou falando de meras leis gramaticais – o "o" no final marca o masculino e o "a" o feminino, palavras sem essa marcação tendem a ir para o masculino. A questão é que a quantidade de casos em que esta falta de gênero evidente cria uma palavra "comum de dois gêneros" é grande. É engraçado que parecem que estão sempre a reivindicar o "presidenta" e "gerenta", cargos altos. Nunca vi ninguém reivindicando "estudanta", "repórtera", "imigranta", "agenta", "clienta", "hereja", etc. E de certa forma os homens poderiam reivindicar também serem "artistos", "poetos", "pianistos", "jornalistos", "dentistos", etc.

Responder

    Felipe

    08/01/2011 - 14h10

    ou presidento, gerento, governanto e etc…

    concordo plenamente com você. Isso é absurdo.

Edson Lima

07/01/2011 - 23h41

Acho que está rolando uma certa confusão, quando alguém cita profissões querer comparar com a pessoa que ocupa o lugar mais importante de uma república, penso que é preciso sim a afirmação da mulher na função, não vejo nada de feminista na idéia em chamá-la de presidenta. Não temos governadores e governadoras, prefeitos e prefeitas (lembrando que foi Erundina que inaugurou o termo na prefeitura de São Paulo), ministros e ministras, senadores e senadoras, juízes e juízas. Não acredito que se trata de apenas uma afirmativa de movimento feminista, mas a coisas simples e natural a constatação do gênero… segundo minha opinião o termo é "Presidenta" sim e tem um alto significado passar a ser praticado, claro que a Presidenta Dilma tem que pensar em tantos assuntos importantes, mas esta questão não pode ser colocada de lado com estes argumentos. Penso que é um fato que nem precisa ocupar o espaço de muita discussão: "nunca antes na história deste país tivemos uma "presidenta" da República Federativa do brasil.

Responder

malu

07/01/2011 - 23h01

Comentar como visitanta ou visitante? Ah, dona Pilar, a sra é muita inteligenta, mas é meio arroganta.

Responder

    Jairo_Beraldo

    09/01/2011 - 16h49

    Também achei, malu!

    Ruy

    09/01/2011 - 21h43

    Na mosca, Malu.

Emilio Matos

07/01/2011 - 22h02

Eu acho essas picuinhas feministas meio bobas. Desviam o foco da discussão do preconceito contra a mulher para essas bobices. Mude-se o título do artigo então para "Só os ignorantes e as ignorantas me chamam presidente". Mude-se a primeira resposta dela para "(…) e não para a esconder de acordo com a ideologia dominananta (…)"

O que importa é a Dilma demonstrar que tem capacidade de ser uma excelente presidente, conseguir resultados substanciais, e vencer as próximas eleições tendo como vitrine esse seu mandato. O que importa é que as ministras demonstrem bons resultados em seu trabalho. É a isso o que vai acabar com esses absurdos de preconceitos sexuais, não essas parvoíces ignorANTAS que parecem pirraça de criança quanto a chamá-la de presidenta.

Responder

    Lu Busis

    08/01/2011 - 01h47

    Ehhhhhhh, pera aí colega, não foi a Dilma que disse isso, foi a Pilar del Rio. A Dilma se diz presidenta e não presidente, porque as duas formas estão corretas e ela fez a opção pela mais correta das duas que é presidenta.

    Emilio Matos

    08/01/2011 - 12h18

    Eu entendi, Lu, a parte indignada estava se referindo à Pilar mesmo.

    Mário SF Alves

    08/01/2011 - 01h50

    Emílio, gostei de ver. Você está certo, pois nessas alturas do campeonato pode ser desvio de foco mesmo. . Ainda bem que ao povo nada disso faz a menor diferença. O que as pessoas querem mesmo é sossego, tranqüilidade. E, presidente ou presidenta, o que interessa é que se aja às claras e que fale uma linguagem que todos entendam. Melhor ainda é unir as duas coisas. É isso que importa.

@jucapastori

07/01/2011 - 19h25

A PresidentA da Fundação José Saramago foi mal-educada e arrogante com o jornalista, isso sim. Pode se chamar Presidenta se quiser, mas não deve ser a pessoa q preside realmente a Fundação, pois quem preside algo é presidente de algo. Essa discussão é tão idiota quanto feministas de plantão afirmarem q optar por "a PresidentE" é ranço machista. É a esse tipo de discussão q se reduz o feminismo brasileiro?

Responder

monge crédulo??

07/01/2011 - 19h24

PUXA? Eu as vezes a tratei assim. Nem tanto por ignorância; mas por comodismo
gráfico. Obviamente, não sou um sábio; se o fosse poderia ter contribuido a esquer-
-da,para o engrandecimento do meu país. Por osmose e exemplos, passei a usar
grafia normal, PRESIDENTA!. e assim o farei sempre doravante.
Parece-me entretanto, que o país, tem coisas mais importantes e imediatas para
se ocupar e tanto para administrar e prestar contas.
OBRIGADO LULA!

Responder

Edson

07/01/2011 - 18h12

LEI N° 12.379, DE 6 DE JANEIRO DE 2011

Dispõe sobre o Sistema Nacional de Viação – SNV
(…)

A P R E S I D E N T A D A R E P Ú B L I C A
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

CAPÍTULO I
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Art. 1 Esta Lei dispõe sobre o Sistema Nacional de Viação – SNV, sua composição, objetivos e critérios para sua implantação, em consonância com os incisos XII e XXI do art. 21 da Constituição Federal.

Art. 2 O SNV é constituído pela infraestrutura física e operacional dos vários modos de transporte de pessoas e bens, sob jurisdição dos diferentes entes da Federação.

§ 1 Quanto à jurisdição, o SNV é composto pelo Sistema Federal de Viação e pelos sistemas de viação dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

§ 2 Quanto aos modos de transporte, o SNV compreende os subsistemas rodoviário, ferroviário, aquaviário e aeroviário.
http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp

Responder

Ramiro

07/01/2011 - 17h33

Venho solicitar,por favor uma atenção do site Viomundo para uma certa confusão que o título e sub-título dessa matéria está gerando. Aliás vejo que dois outros comentaristas já alertaram sobre o mesmo fato.
Não dá para arrumar esse título não?
Está gerando confusão, pela forma como aparece via Twitter ou por quem apressadamente só lê os títulos e sub-títulos e vai tirando conclusões. Fica parecendo que foi a nossa Presidente que chamou pessoas de ignorantes e que é considerada grossa pelo Viomundo. E como tem muita gente torcendo contra… já viu!
Nossa Presidente está trabalhando duro, precisa de sossego! Vamos preservá-la de fofocas e maus entendidos, por favor!

Responder

    Lucio Dias

    08/01/2011 - 02h40

    Presidente ou Presidenta ? que discussão importante, Jesus Cristo !!!

Silvio - Sampa

07/01/2011 - 17h19

Que banalidade é esta? Tenho 60 anos e lembro-me muito bem das minhas aulas de português que minha doce professora Dona Selma me dava (graças a Deus ainda está entre nós). Entre as classificações dos substantivos existem os comuns de dois, sobrecomuns e epicenos.
PRESIDENTE = COMUM DE DOIS
VÍTIMA = SOBRECOMUM
EPICENO = ONÇA
Fácil assim.

Responder

    Felipe

    07/01/2011 - 19h39

    Caro Silvio, creio que devemos jogar a gramática no lixo e ignorar a dinâmica da língua.

    Vamos considerar certo os primeiros raciocínios superficiais sobre a língua e mudá-la conforme nossas primeiras conclusões.

    Esqueçamos o fato de que apenas o gênero feminino é definido no plural, enquanto que o masculino pode não designar gênero algum: "elas" sempre se refere a substantivos femininos, enquanto que "eles" pode ser masculino, misto ou mesmo se referir a um grupo composto exclusivamente por mulheres (algo possível quando o sujeito é indeterminado). Vamos pensar que em vez disso, a língua é machista e pronto.

    Nesses tempos moderninhos, perdeu-se a abrangência dos termos "masculino" e "feminino". Tudo se reduz a macho e fêmea: a borracha é fêmea e o algodão é macho. Isso faz da multidão uma fêmea (mesmo com homens presentes – tenho dificuldades para entender isso e estou certo de que um dia alguém tentará corrigir essa injustiça).

    Comum de dois já não existe – melhor dizer presidenta, estudanta, atendenta, gerenta, pacienta, coerenta, dependenta, deficienta, inteligenta, etc. É ignorância seguir a tradição, porque antigamente as mulheres não ficavam doentes e nem ansiosas, não estudavam e nem tinham qualquer deficiência. Aliás, eu acho esse título machista, já que só fala dos homens… e as ignorantas???

    Coerência histórica de quem realmente entende de etimologia.

AlderOeSilva

07/01/2011 - 16h50

É tão estéril e tola essa discussão se a Dilma deve ser chamada de presidente ou presidenta. O importante é ela fazer um excelente governo que é o que todos nós torcemos e esperamos.

Responder

    Jairo_Beraldo

    09/01/2011 - 16h51

    Concordo com voce. Mas Dilma disse que quer ser chamada de presidenta, e pediu para que se oficialize isso na papelada oficial de seu governo. São bobagens, mas é direito dela.

Louise Rosemblatt

07/01/2011 - 16h07

Por que ninguém acha estranho falar "governanta", para referir-se àquela espécie de doméstica de luxo, mas acha muito estranho falar "presidenta"? É simples. Porque governar uma casa a mulher pode, é "normal"; governar uma nação ou dirigir uma organização qualquer é "estranho".

Ainda bem que os melhores dicionários, como o Aurélio, já registram o termo "presidenta".
A língua, como a sociedade, também precisa evoluir.

Responder

    Pedro

    07/01/2011 - 18h17

    Bom, então, por gentileza, peça aos elaboradores do dicionários que adicionem "estudanta". É um absurdo machista deixar as moças que estudam no esquecimento léxico…
    Faça-me o favor, senhora…

    Felipe

    08/01/2011 - 07h41

    Simples: porque governanta não é o feminino de governante. Agora vamos ver se você consegue responder à minha pergunta: por que todos acham estranho falar "estudanta" mas ninguém acha estranho falar "governanta"?

Luiz

07/01/2011 - 16h07

Caro Azenha, realmente o tweet faz parecer que foi a Dilma quem falou. Pouca gente diria que se refere à presidenta da Fundação Saramago sem ler o post. E como tem gente que faz barulho só com o tweet…

Responder

edson fachin

07/01/2011 - 15h55

niguém se entende, e os nossos alunos,já sem um bom ensino,lendo isto tudo, como fcam????/
me parece que temos bons profissionais participando deste debate, porque aceitar algo "que a nossa mandataria" quer falar só para parecer, como ????? voces sabem do que me refiro.

Responder

Carlos

07/01/2011 - 15h52

Não adianta eu chamá-la de uma forma ou de outra.

Ela não virá MESMO!…..

Ehehehehehehhh…..

Discusãozinha besta, sô……vão trabalhar….

Responder

Paulo

07/01/2011 - 15h43

Complexa essa questão, mas ao meu ver o nome do cargo dificilmente muda em função se a pessoa é do sexo feminino ou masculino.. é uma questão muito complexa.. mas uma coisa é certa.. a midia brasileira continua chamando a Dilma de PresidentE.. ehehehheh

Responder

Andreza Ferreira

07/01/2011 - 15h41

Para não ser indelicada, vou interpretar ignorante na acepção mais dicionarizada do termo, ou seja, quem não chama a senhora Pilar de presidenta, desconhece (ignora) o gosto pessoal desta. Acho estranho, até bem pouco tempo, nós mulheres lutavamos por igualdade, sempre defendi a palavra "poeta" em detrimento de "poetisa", exatamente para não marcar o gênero. Mas não adianta a PRESIDENTA espernear e berrar, o que o povo consagrar irá vingar, tem sido assim sempre, desde o Latim "vulgar".

Responder

vanraz

07/01/2011 - 15h41

Gostei dessa presidenTA, Pilar del Rio. Concordo pelnamente com ela. http://www.vanraz.wordpress.com

Responder

Aline

07/01/2011 - 15h36

Caro Azenha
Vc vê como são as coisas.
Um amigo acabou de me enviar um email dizendo que a Presidente Dilma tinha sido muito grosseira dizendo que "só os ignorantes a chamavam de presidente". E que o Viomundo tinha escrito que ela era grossa.
Achei aquilo muito improvável e liguei para ele perguntando que história era essa.
Aí ele me "informou"que tinha lido no Viomundo!
Corri para cá e vi que foi um mal entendido: ele leu apenas o título e sub-título e chegou a essa conclusão.
Mas cá entre nós, o título "Só os ignorantes me chamam de presidente" e o sub-título "Que grossa" estão se prestando a esses equívocos mesmo. Quem os lê, sem tempo para se aprofundar no post, pode ser induzido a pensar que foi a nossa Presidente quem foi ríspida. Até porque corre o boato que ela simpatiza com o termo presidenta.
Como tá todo mundo meio em pânico… com as últimas twittagens incentivando o crime de magnicídio, os "inocentes" comentários do Estadão, vídeos podres etc vemos que está no ar uma continuidade da campanha difamatória que correu solta durante a campanha.
Portanto, é preciso muita cautela e calma. O mar não está para peixe e está cheio de pescadores de águas turvas, querendo ver o circo pegar fogo!
Deixemos bem claro que a nossa Presidente Dilma Rousseff está muito ocupada trabalhando sem parar e nada disse sobre ignorantes ou coisa que valha. O título desse post é fala de Pilar do Rio, presidente ou presidenta, da Fundação José Saramago.
Nossa Presidente é inteligente, simpática e muito carinhosa e doce ( embora os inimigos gostem de dizer o contrário) e jamais iria insinuar que pessoas são ignorantes porque usam um termo linguístico assim ou assado.
Viva a nossa Presidente ou Presidenta Dilma Vana Rousseff! Vida longa para ela!

Responder

Henrique

07/01/2011 - 15h28

E se algum dia eu virar presidente de algo, quero ser o presidentO. Já que presidente, pode ser usado no feminino também.

Responder

    Wilson Batista

    07/01/2011 - 18h18

    Genial!!!!
    Vou ser presidento do sindicato dos inimigos do batente…
    Gostei dessa!!

dada

07/01/2011 - 15h11

"A doente" ou "a doenta"?
"A deficiente" ou "a deficienta"?
"A sorridente" ou "a sorridenta"?
"A vidente" ou "a videnta"?

Responder

Oswaldo

07/01/2011 - 14h45

Enquanto a dona Dilma (e a dona Pilar) perdem tempo com essa história de "presidenta", o Temer vai tomando conta da garrafa. E nós sabemos quem o Temer é, certo? Em vista do Serra, acho que nunca me arrependerei de ter votado em nossa Presidente, mas, faça-me um favor, que presida logo.

Responder

    Benjamin Malucelli

    07/01/2011 - 16h53

    Ô, Oswaldo. Qualé? A Presidenta nem bem tomou posse e você já está criticando? Certamentre, você não acompanha o noticiário. Deve ser daqueles que reclama por reclamar. Ela já começou a governar antes mesmo de assumir!

Baixada Carioca

07/01/2011 - 14h39

Tenho um amigo angolano que me pediu um artigo sobre a presidenta e eu lhe enviei antes mesmo de terminar a apuração total dos votos. Nesse artigo eu a trato como PRESIDENTA e ele fez uma introdução ao artigo dizendo:

Para este facto solicitei ao jornalista e bloguista Rildo Ferreira uma opinião sobre a nova presidente (e não presidenta como gosta de se intitular porque em português todos os verbos que definam “acção”, como presidir, por exemplo, derivam em particípios activos com os sufixos “ante”,”ente” ou “inte”; logo, presidir dá presidente!) bem assim como se posicionará face a África <a href="http://(www.pululu.blogspot.com)

” target=”_blank”>(www.pululu.blogspot.com)

Lhe remeti um comentário discordando desta introdução sem, entretanto, tentar parecer arrogante ou querer influenciar sua cultura, mas precisava dizê-lo já que ele é Doutor em sociologia.

Responder

    Chatonildo

    07/01/2011 - 16h12

    "Lhe remeti" é atentado à gramática.
    Pronome oblíquo em início de frase é erro elementar.
    Mais atenção, por obséquio.

    Baixada Carioca

    10/01/2011 - 13h50

    Obrigado chatonildo. Tinha a impressão de que o falar servia para nos fazer entender e entender o outro e não para atender as "normas gramaticais". Obrigado mesmo.

    Victor

    09/01/2011 - 16h37

    A introdução dá uma explicação totalmente de acordo com as normas gramáticais. Em que parte você discorda com ela?

    Baixada Carioca

    10/01/2011 - 13h49

    De que é absurdo chamar Dilma de Presidenta. Toda a explicação dele tem acordo com as normas gramaticais, as normas é que estão em desacordo com o modo de falar do povo.

Vlado

07/01/2011 - 14h28

Azenha, você é jornalista ou jornalisto, afinal?

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    07/01/2011 - 15h57

    Jornalisto. abs

    Janes Rodriguez

    07/01/2011 - 16h45

    Ô, criatura, jornalista é um substantivo comum-de-dois-gêneros. Para designar se o jornalista é homem ou mulher, usa-se um artigo: para o Azenha, por exemplo, dizemos: O jornalista Luiz Carlos Azenha…, se for a Ana Paula Padrão, dizemos, A jornalista. Os substantivos epicenos indicam tanto um quanto outro sexo com a mesma grafia e inclusive o artigo: A criança, As férias …. E ainda temos o sobrecomum, usado para animais, caso de baleia: baleia macho, baleia fêmea; cobra macho, cobra fêmea e assim por diante. Espero que depois dessa aula grátis, vc páre de ser machista e preconceituoso. E mesno ignorante também. O que é tudo a mesma coisa…

malu

07/01/2011 - 14h24

Que exagero! Agora teremos tenentas, classe C emergenta e mulheres arrogantas. Sou feminista, mas isso de brigar por um E ou um A não vai mudar a questão feminina. O importante é que a Dilma é nossa presidente ou presidenta, fica a critério de cada um, e o Serra é um eterno candidato a presidento.

Responder

Geraldo Santos

07/01/2011 - 14h23

Uma discussão que inicialmente parecia tão simples gerou um avalanche de comentários bastante psrodutivos. Sem nenhum trauma com machismo ou feminismo, a Dilma será minha presidenta até 2014… e o neologismo permite isso. Além de que a gramática incorporará a palavra PRESIDENTA naturalmente.

Responder

Antonio carlos Gomes

07/01/2011 - 14h16

È PRESIDENTE E NÃO SE FALA MAIS NISSOE PONTO.
VIVA O POVO BRASILEIRO,VIVA…….

Responder

Baccko

07/01/2011 - 14h05

Que discussão inútil, quanta perda de tempo.

Responder

augustodafonseca13

07/01/2011 - 13h57

A esse respeito, publicamos há um ano:

Atenção, a Dilma será Presidenta e não Presidente do Brasil (http://festivaldebesteirasnaimprensa.wordpress.com/2010/02/21/atencao-a-dilma-sera-presidenta-e-nao-presidente-do-brasil/ )

*

Tá lá no Houaiss:

Presidenta

Acepções
■ substantivo feminino
1 mulher que se elege para a presidência de um país
Ex.: a p. da Nicarágua
2 mulher que exerce o cargo de presidente de uma instituição
Ex.: a p. da Academia de Letras
3 mulher que preside (algo)
Ex.: a p. da sessão do congresso
4 Estatística: pouco usado.
esposa do presidente

Etimologia
fem. de presidente;

Responder

andre i souza

07/01/2011 - 13h10

Que "sera huamana" "ignoranta".

"Arroganta" e "mala-educada" quer criar um tsunami num pires d'agua.

Ajuda, que babaquice tem limite!

Responder

    Gerson Pompeu

    07/01/2011 - 16h25

    "Ajuda, que babaquice tem limite!"

    A julgar pelo seu comentário, parece que não.

    andre i souza

    07/01/2011 - 22h26

    Desculpe-me, mas eis aí o porquê de eu pedir ajuda, companheiro Gerson.

    Um grande abraço.

Denise Resende

07/01/2011 - 12h55

Presidente ou Presidenta… Essa escolha é cheia de História sim! Ela representa uma questão de gênero importantíssima que faz desaguar, nas paredes da palavra, o evento da chegada de uma primeira mulher ao cargo de presidente da República em nosso país.

Sugiro a leitura do artigo abaixo, de autoria própria, já publicado no blog "Joaquim vai ao Centro" (http://joaquimcentro.wordpress.com) :

O BEIJO NA BANDEIRA NACIONAL: DILMA, PRIMEIRA PRESIDENTA BRASILEIRA

Denise de Paula Resende
Belo Horizonte, MG
http://joaquimcentro.wordpress.com/2011/01/06/o-b

Responder

    edson fachin

    07/01/2011 - 15h48

    boa tarde, eis a questão,o que está certo mesmo, quanto a gênero,não vem ao caso,mas quanto a gramatica, tá certo??????e os estudante na hora dos concursos o que será certo???? e daíi.
    fiquei sabendo que presidente de presidir..sei lá…

    erica

    07/01/2011 - 16h25

    ótimo o texto da denise, recomendeo

    Felipe

    07/01/2011 - 19h08

    Se a Dilma adoecer, deverão os jornalistas e as jornalistas, além, claro, dos médicos e das médicas (para não excluir os homens no primeiro caso e nem as mulheres no segundo), chamá-la de pacienta? Eu acho que a presidenta está sendo incoerenta nessa questona (afinal, todos sabemos que "ão" é masculino e ona é mais correta para a feminina…)

    Realmente é uma escolha cheia de História. Sinto muito por essa visão pseudo-racional da língua. E pouco me importa o que diz o dicionário Houaiss – não me lembro do dia em que ele foi eleito o dono do vocabulário oficial e na realidade isso pouco importa – essa visão sexista da língua não tem cabimento.

    luisa

    10/07/2011 - 12h42

    claro, porque o dono do vocabulário nacional, para quem não sabe, é o sujeito que comentou aí em cima.
    Faça-me o favor…

Gerson Carneiro

07/01/2011 - 12h54

Pensando melhor, podemos chamar o Zé Bolinha de PSICOPATO.

Responder

    Gerson Pompeu

    07/01/2011 - 16h26

    Troque o "A" por "U" para ser mais preciso.

Jairo_Beraldo

07/01/2011 - 12h42

Impositiva a Sra. Pilar. Poderia ter sido mais elegante, sem ser impositiva como nossa Dilma, que disse – "quero ser chamada de PRESIDENTA".

Responder

Sueli

07/01/2011 - 12h41

Acho uma besteira chamar uma presidente de "presidenta". Eu pelo menos aprendi que cargos, profissões e atividades com terminação em "e" são NEUTROS: presidente, assistente, etc. Os com terminação "o" quando for do sexo feminino, mudam para "a": ministra, bióloga, professora, instrutora. As terminações em "a", FICAM DO MESMO JEITO: oftalmologista, dentista, analista, jornalista.

A definição do artigo já define que é do sexo feminino: A presidente…

Responder

    landreh

    07/01/2011 - 15h33

    Sueli.
    A Carmem Lúcia, aquela do Supremo Tribunal Federal. Como você a chama?

    a) MinistrO Carmen Lúcia.

    b) MinistrA Carmen Lúcia.

    Seria ela "JUIZ" ou "JUIZA"?

Pérsio

07/01/2011 - 12h20

Sou PT, acho-me progressista, votei em Dilma. Mas, sinceramente, tenho receio dessa onda feminista. Não entremos numa guerra de sexos. Têm coisas muito mais importantes que ficar discutindo se é Presidente ou Presidenta. Não se pode querer mudar uma história aos gritos, devemos ter calma, o importante é não criar um clima de guerra. Realmente, durante muitos anos a sociedade era puramente machista, incluindo-se aí as próprias mulheres. Entretanto, pensar que as mulheres vão tomar conta de tudo, assim como aquele seriado planeta dos macacos, é puro engano. Não vão com muita sede ao pote, fiquem alertas, democracia é uma coisa, perseguição é outra.

Responder

Luiz

07/01/2011 - 12h08

Esta entrevista está no filme "José e Pilar", um documentário sobre José Saramago e senhora, filmado pouco antes de sua morte e que ainda está em cartaz no Brasil. A Pilar é uma pessoa interessantíssima, mas está errada. Se não, teríamos que dizer que ela é residentA numa ilha pertencente à Espanha, sem mencionar impertinentA, inocentA, pendentA, referentA… Se a repórter fosse mulher seria chamada de ignorantA? Um grande ego não é suficiente para mudar um idioma.

Aliás, no mesmo filme, Pilar faz uma referência ao "respeito" que os linguistas portugueses têm por nossas universidades, o que teria prejudicado bastante o andamento do acordo ortográfco… Ela também faz um discurso defendendo o movimento separatista basco e, em outra parte, se contrapõe ao marido em uma discussão com amigos, para defender entusiásticamente a Hillary Clinton.

Responder

Asdrubal

07/01/2011 - 11h50

"ente", "enta"… tanto faz.
Mas, fIca a dúvida:
Neste caso, LULA (o molusco marinho, não o ex-presidente) deveria ser chamado de ""LULO"" quando o espécime for macho?
Ou então, ANTA (novamente, trata-se do reino animal e não de alguma personalidade importante) deverá ser chamado de "ANTO" quando o espécime for macho?
Ou, continuando no reino animal, GIRAFA, deverá ser chamado de ""GIRAFO"" no caso do espécime ser macho?
Ou, novamente no mundo animal, FORMIGA deverá ser chamado de "FORMIGO" quando espécime for macho?
Ou, intensificando o debate, devemos chamar o espécime macho da ABELHA de "ABELHO"?
Sendo assim, teremos que reformar a língua portuguesa urgente…
Com a palavra, o professor Pasquale Cipro Neto:

Responder

    landreh

    07/01/2011 - 15h30

    Asdrubal, já que você trouxe o trombone…. Pergunto-lhe:

    Como deveríamos chama-lo?

    a) Invejoso.
    b) Invejosa.
    c) Despeitada.
    d) Rampeira.

Alvino Lemos

07/01/2011 - 11h47

Azenha, será que não estamos vendo apenas o machismo intrincheirado na gramática? Porque a resistência em admitir o termo "presidenta" como o mais adequado a realidade de termos uma mulher na presidência da República? Se o termo é previsto por dicionários(Houaiss) porque a dificuldade?

Responder

Jose Bentes

07/01/2011 - 11h45

Pois é Carlos , e no caso de Vereadora, deputada, senadora, ficariam então : A vereador, A deputado, A senador?

Responder

    edv

    07/01/2011 - 23h09

    Aproveitando o tema, vc seria filhoda D. Josefa Benta?

Elton

07/01/2011 - 11h43

Impressionante como este tópico "bombou"……..eu no começo achei que não iria haver tanto interesse. Mas em partes é porque tivemos uma invasão de trolls………e eles não podem ficar sem resposta!

Responder

Jose Bentes

07/01/2011 - 11h35

Nessa discussão inócua, o Tarcisio, é o que melhor falou se tem vereadora, deputada, senadora etc por que não presidenta? que mal ha em querer ser chamada de presidenta como a propria Dilma quer ?
Né messsssssssssssss.

Responder

Gerson Carneiro

07/01/2011 - 11h27

Hoje eu sou o aniversarianto.

Responder

    Jairo_Beraldo

    07/01/2011 - 12h39

    Parabéns cumpadi…mas não bagunço dimais o gramático.

    dukrai

    07/01/2011 - 22h43

    véi, parabéns pra você, deve tá fazendo nem 50 anos. quando a gente vamos tomar umas pra comemorar?

zelu

07/01/2011 - 11h26

e VIVA a nossa Presidente (ou presidenta…). Não importa, o que importa é a Dilma.

Responder

zelu

07/01/2011 - 11h25

desculpem, mas essa estoria de presidenta é um exagero feminista. Afinal, presidente é uma palavra sem genero, senão teriamos PRESIDENTO e PRESIDENTA. Porque querer complicar ainda mais nossa já complicada lingua portuguesa, alocando mais palavras, quando o mundo atual pede simplicidade. No caso o artigo previo definiria o termo (o ou a presidente…).
E para as feministas de plantão, só para realçar que não existe sexismo nas palavras, no caso proximo dos jornalistas, seria pior ainda, ja que não existe o indefinido jornalistes, e mesmo assim o artigo define o sexo do(a) jornalista.
Só para as raivosas, quando se usa "eles" no caso de um casal, o sentido é dado por serem dois seres humanos (por isso eles, apenas para combinar), mas podem ser elas, quando se trata por pessoas. Viram!

Responder

Tininha

07/01/2011 - 11h24

Meu irmãozinho não quer mais ser chamado de criança…ele diz que é um crianço.
Acho que ele tem razão….crianças são só as meninas…e se forem animais é um filhoto ou filhota, dependendo se tem pipi ou bibi.

Agora dá licença que tô espirrando…tomara que não fique doenta nas férias. :((

Responder

SergioRDG

07/01/2011 - 11h22

Dicionários às vezes se desentendem. Pra dirimir quaisquer dúvidas, está no VOLP: presidente e presidenta, ambos corretos. Está feito, e como ela assim prefere, chamemos nossa líder de presidenta e pronto!

Responder

    Conceição Lemes

    07/01/2011 - 12h08

    Sérgio, é exatamente o que mostrou o Edv. abs

claudio

07/01/2011 - 11h20

Perdoem-me os que advogam a posição contrária, mas acho que chamar a Dilma de presidentA é um erro gramatical.
Além de desnecessário.
O jeito normal de se formar um substantivo que expressa o agente de um verbo é or(a).
Assim, se quem preside fosse sempre a mesma pessoa, como no caso de apresentador, aí sim haveria identificação entre a função e quem a detém, de modo permanente.
Como presidir é um ato por definição transitório, temporário, quem preside "está presidindo" e não "é o presididor(a)".
Como o gerúndio não varia em função do gênero do agente, presidente não é masculino. É neutro e precisará de um artigo para identificar-se o gênero.
Portanto, pra mim, o mais correto é "A Presidente Dilma".
Mas, como o Lula mostrou, política é mais importante que gramática.
Se a maioria do movimento chamá-la de presidenta, tudo bem, a línga é do povo.
Abraços

Responder

José Flávio

07/01/2011 - 11h18

KKKKKKK!!! Todos se lambuzando com algo que não tem nenhuma importância! O que vale de fato é, será que ela vai governar para o povo? Isso sim importa. Querem saber? Acredito que vai!!!!

Responder

    Gerson Carneiro

    08/01/2011 - 13h19

    Estou certo de que Dilma vai governar tanto para o povo, quanto para a pova.

Joseph Shafan

07/01/2011 - 11h09

Era fins de novembro. Havia ido ao dentisto para uma revisão. No caminho, encontrei uma estudanta gazeteanda (o que tem sido normal), disfarçanda de inocenta, vagueanda pelo jardim da praça. Não sou nenhum especialisto no gênero, mas creio que há mais estudantos e estudantas foram da classe nesse período.
Uma policiala escolar conversava animadamente com uma colega na porta do estabelecimento de ensino. Apesar do abafadiço os pessoos e as pessoas ainda mantinham vestimentos e vestimentas primaveris. No celular, quando busquei a númera de minha amiga, confidenta de muitas anas, aproveitei para ler as notícias. Dentre elas destaquei uma entevista já requentada e considerei que aquela mulher é uma dementa e que poderia ser mais condescendenta quando depoenta; mas, embora deprimenta, a notícia revelava que tanto o preconceito quanto a preconceita tem dois lados ou duas ladas.
Coisas da humanidade, do humanidado e também da humanidada.

Responder

Pedro Soto

07/01/2011 - 11h04

Caro Azenha

Desde ontem não consigo acessar o blog do PHA.
Sabe o que está acontecendo?

Quanto à presidenta, devemos dizer "jornalisto"?

Responder

    Conceição Lemes

    07/01/2011 - 11h05

    Pedro, estou acessando normalmente. abs

    Carlos Mangino

    07/01/2011 - 11h55

    Jornalista é precedido pelo artigo A ou O, então fica assim: o Jornalista ou a jornalista. E ainda tem aqueles que engasgam para se definir.

Luis Fernando - SP

07/01/2011 - 11h00

Já, já, vai ter gente espalhando pela rede que foi a Presidenta Dilma que falou isso que está no título da matéria…
olha a munição pro inimigo – e isso que mal começou o mandato…
Acostumem-se pois com o termo – já está grafado nos decretos oficiais e, portanto, veio para ficar. O Português (não o da padaria…) é uma língua viva, e por ser viva, evolui, cresce e se metamorfoseia a cada dia.

Responder

Jota Ricardo

07/01/2011 - 10h55

Mas, os ignorantos ou as ignorantas?
Isto ficaria de acordo com o modismo de se iniciar os discursos com''Todos e todas…'', por exemplo. Todos e todas é dose pra mamute grávido(ou grávida, grávide,sei lá). Tira até a idéia de totalidade, já que a mensagem é que importa.

Responder

    edv

    07/01/2011 - 11h52

    Interessante essa de todos e todas.
    Todos engloba "eles e elas".
    Todas, apenas "elas"!
    Como "presidente" e "presidenta".
    Se "tuda as coisa fosse quinem qui anssim, os homi tariam em disvantage".
    Como parece que historicamente não estamos, viva nossa presidenta!

Gilson Raslan

07/01/2011 - 10h48

Eh Azenha, se você quis criar confusão, acertou na mosca.

Responder

Morvan

07/01/2011 - 10h48

Bom dia. É de uma inocuidade abismal, esta discussão. Eu a chamaria de PresidentE, sem desinência de gênero, por questão puramente estética (tudo bem, concordo: visão pessoal). Quanto à postura da Sra. Pilar, eu diria que há mil formas de dizer algo a alguém; ela parece, deste leque de mil, ter escolhido a mais deselegante e áspera, em detrimento das outras novecentas noventa e nove restantes…
Sim, outra coisa, que eu gostaria que a Sra. Pilar e outros que estão a discutir ora entendessem o seguinte: educação não tem gênero, isto é, homens e mulheres devem se portar com civilidade diante do seu semelhante, o que a Sra. Pilar parece ter esquecido / desprezado, com relação ao Sr. Repórter.

Morvan, Usuário Linux #433640

Responder

Gerson Carneiro

07/01/2011 - 10h31

Parabééééééns para MIM
Nessa daaaaata, queridaaaa.
Muitas feeeeelicidades
Muitos ããããããnos de vida!

Hoje é meu aniversário. VIVAAAAAAAAAA!

Sou o meu maior fã!

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h31

    Sou feliz por um triz
    Por um triz sou feliz

    Mal escapo à fome
    Mal escapo aos tiros
    Mal escapo aos homens
    Mal escapo ao vírus
    Passam raspando
    Tirando até meu verniz

    O fato é que eu me viro mais que picolé
    Em boca de banguelo
    Por pouco, mas eu sempre tiro o dedo – é
    Na hora da porrada do martelo
    E sempre fica tudo azul, mesmo depois
    Do medo me deixar verde-amarelo
    Liga-se a luz do abajur lilás
    Mesmo que por um fio de cabelo

    Sou feliz por um triz
    Por um triz sou feliz

    Eu já me acostumei com a chaminé bem quente
    Do Expresso do Ocidente
    Seguro que eu me safo até muito bem
    Andando pendurado nesse trem
    As luzes da cidade-mocidade vão
    Guiando por aí meu coração
    Chama-se o Aladim da lâmpada neon
    E de repente fica tudo bom

    Feliz por um triz
    Composição: Gilberto Gil

    mariazinha

    08/01/2011 - 19h14

    Só vi hoje, querido.
    Aceite meus parabéns, ainda que atrasados mas de todo coração. Uns versinhos de presente vou lhe dar. Tudo de bom!

    "BONS AMIGOS

    Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
    Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
    Amigo a gente sente!

    Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
    Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
    Amigo a gente entende!

    Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
    Porque amigo sofre e chora.
    Amigo não tem hora pra consolar!

    Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
    Porque amigo é a direção.
    Amigo é a base quando falta o chão!

    Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
    Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
    Ter amigos é a melhor cumplicidade!

    Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
    Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!"
    Machado de Assis

    Gerson Carneiro

    08/01/2011 - 21h20

    "O cofre do Banco contém apenas dinheiro. Frustrar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza"
    Carlos Drummond de Andrade

    Conceição Lemes

    07/01/2011 - 11h02

    Parabéns, Gerson. Abração

    maria regina

    07/01/2011 - 11h57

    Figurinha carimbada!!! Parabéns!!!

    Ana Rosa

    07/01/2011 - 12h00

    Feliz aninversário! e muitos anos de vida. De preferência com este humor em dobro!

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 12h56

    Se dobrar, tem gente que não vai aguentar.
    Azar.
    :)

    carlos anselmo

    07/01/2011 - 12h01

    grande gerson,

    tim .. tim .. brindemos, pois!
    parabéns, seo cabra danado!

    andre i souza

    07/01/2011 - 13h26

    Parabéns, Gerson. Continue assim.

    Abração.

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 21h57

    Não me deseje isso não. Eu quero crescer.
    :)

    CC.Brega.mim

    08/01/2011 - 01h05

    parabéns companheiro!
    …o amante das mulheres…
    que cresça sempre!
    cada vez mais firme…

    é sua a alegria, o humor, a leveza…
    essa que você traz pra gente
    seja feliz sempre
    beijo, amigo!

Saul

07/01/2011 - 10h25

Não Tropece na Língua
Edição Extra: “COMO CHAMAR A NOVA PRESIDENTE DO BRASIL”
Dona Dilma Rousseff tem à sua disposição dois nomes para designar seu novo cargo: presidente e presidenta. E nada a impede de usar ora um, ora outro, dependendo do que lhe soar melhor. Com o tempo, a preferência pode recair no substantivo válido para os dois gêneros: presidente, ou pode se tornar mais comum o uso da palavra com a desinência do feminino: presidenta.

Já em 2000 dizíamos na coluna Não Tropece na Língua 022 (com segunda edição em 2006):

“Neste caso específico, valem os dois termos: uma juíza pode ser a presidente ou a presidenta de um Tribunal, por exemplo. A primeira forma é de uso mais corrente, porém é bom saber que “presidenta” é uma variação possível, assim como há outros femininos (raros) em -nta: governanta, infanta, parenta, giganta…”

Devo acrescentar que o termo governante também pode ser usado para a mulher que administra a casa de outrem; no entanto, sempre se preferiu falar em governanta, pois a terminação em “a” deixa mais claro se tratar do feminino, principalmente em situações que não comportam o artigo “a”. Quanto a infante, era substantivo de dois gêneros no português arcaico, mas ao longo do tempo, com a troca da vogal temática para “a”, veio a se firmar um nome específico para as filhas dos reis de Espanha e Portugal ou para as mulheres dos infantes:infanta.

Pode-se afirmar, então, que é melhor usar “a presidente” ou “senhora presidente”, mas não será errado (como andam dizendo pela internet) falar em “presidenta do Brasil”.
&gt ;http://www.linguabrasil.com.br/
Profa. Maria Tereza de Queiroz Piacentini
4.out.2010

Responder

    Ignez

    07/01/2011 - 13h40

    Valeu, Saul! Esclarecedor e direto. É isso aí: A PresidentA Dilma . Que resitência dos "gramáticos"! Mudaram um montão de coisas na recente reforma da Língua Portuguesa!!! Por que essa imposição do termo Presidente para uma mulher?! He, he, he…será só machismo?

Gisela

07/01/2011 - 10h20

Talvez no espanhol seja diferente, mas no português sua fala não faz o menor sentido. Ignorante é a intolerância dela a palavras unisex!

Responder

Tarcisio

07/01/2011 - 10h16

Temos:
Vereadora, Prefeita, Deputada, Senadora, Ministra… porque não Presidenta? Que coisa triste o machismo.

Responder

    Ricardo

    07/01/2011 - 12h16

    Simples, porque se trata de vereador, prefeito, deputado, senador e ministro… todas palavras em que o gênero explicita-se como masculino. Faz-se necesaria a transposição verbal de gênero nesse caso. Mas com gênero neutro (coronel, general, almirante, chefe, comandante, representante, palestrante), a transposição forçada só pode denunciar uma coisa: obcessão sexista.
    Imagine agora que tenhamos que dizer coisas como "coronela", "almiranta" (em breve as teremos), "comandanta", "representanta", "palestranta"… haja deselegância morfológica! Pior que isso só a deselegância da histeria da Dna. Pilar (essa sim, uma rematada e histérica sexista).

Hélio Pereira

07/01/2011 - 10h06

Eu acho o termo Presidenta Terrível,seria o mesmo que chamar Lula de Presidento.
Fica muito melhor usar a Presidente Dilma ou o Presidente Lula,este negocio de Presidento e Presidenta,soa muito mal aos ouvidos.
A palavra Presidenta me causa muita antipatia,acho horrivel o som dela.
Eu votei na Dilma,nos dois turnos,mas votei pra ela ser Presidente e não Presidenta.
Também votei no Lula nos dois mandatos,pra ser Presidente e não Presidento.

Responder

Valmir

07/01/2011 - 10h02

Eu posso chama-la do modo que eu quiser.
Pois enquanto ela for Presidenta ou Presidente não há a menor chance de trocar duas palavras com ela mesmo.

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 11h01

    Apois é.
    Negociata não é com ela mesmo.
    Pode ir se acostumando.

ana

07/01/2011 - 10h00

Este quiprocó linguístico não tem fim.
Fica a regra então:
Norma Culta: documentos oficiais: Presidenta.
Norma Culta falada: escolha do freguês, com uma grande tendência 'a Presidente"
Norma Culta escrita: Presidenta, vai que cai em Concursos, Vestibulares etc (examinadores adoram 'pegadinha')
Norma Popular: escolha do freguês, com uma grande tendência "a Presidente"
Neste quesito, encontramos um consenso entre a fala da Norma Culta e Popular!
Já estava na hora!

Responder

patricio

07/01/2011 - 09h56

Não vejo tanta desculpa esfarrapada desde muito. Toda Língua viva é dinâmica. Se não muda, morre. Sendo tão exigentes a ponto de citar velhas normas, os "cultos" de plantão devem chegar a uma conclusão bem estranha: se Camões, o pai da Língua, adota "frecha" e "flecha" em seus textos, deveria ser um analfabeto. Diriam o mesmo a respeito do Lula. Naquele tempo devia ser possível as duas formas, mesmo entre os eruditos. Só que a língua não pertence aos eruditos. Pertence ao povo. Não é burrice de ninguém dar um nome ou o outro, ou até criar neologismos. Eu fico com PRESIDENTA, pois respeita o gênero, indica que podemos ser flexíveis com nosso vocabulário, pois não estamos aprisionados por um idioma caduco. Pilar del Rio está certíssima: as palavras surgem a partir das necessidades. Nosso idioma permite -porque é um idioma muito mais rico que o inglês- a adoção do gênero nas palavras. A rigidez dos "Guardiões da Língua", é cadavérica. É uma forma de preconceito, derivado do maior dos deles, o preconceito de classe.
É complicado ver até gente de esquerda defender aqui os manuais medievais da Língua Portuguesa.

Responder

    Ignez

    07/01/2011 - 13h43

    Digo o mesmo que disse ao Saul: Excelente esclarecimento e totalmente fundamentado. Parabéns! A língua é coisa viva! Viva a PresidentA Dilma Roussef!

    CC.Brega.mim

    08/01/2011 - 00h57

    falou e disse!

Ernesto

07/01/2011 - 09h47

no caso de o Serra ter sido eleito, deveríamos usar "Coiso" ou "Coisa" ???

Responder

    Paulo

    07/01/2011 - 10h08

    Boa!!! rsrsrsrsrsrr

    alex xisto

    07/01/2011 - 10h33

    coiso

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h35

    Eu não diria "Coiso" nem "Coisa".
    Eu diria: o Bosto.

    Gerlaod

    07/01/2011 - 10h48

    Devríamos usar "Coiso-ruim".

    Daniel

    07/01/2011 - 10h56

    No caso do Serra ter sido eleito (Deus nos livre de todo esse mal para todo o sempre, Amém). Deveríamos era fugir do Brasil.

    edv

    07/01/2011 - 11h56

    Mônico!

Ernesto

07/01/2011 - 09h45

Marcio: nao soa bem pq nunca tivemos uma. Não estamos acostumados. É o uso do cachimbo que entorta a boca.

Responder

diogojfaraujo

07/01/2011 - 09h38

Pra não errar só vou chamar pelo nome qualquer mulher que ocupe cargo na presidência de qualquer coisa… Tomar um ralo desse é pesado, eheheh…

Responder

Carlos

07/01/2011 - 09h24

Do dicionário online de português:

presidenta

Significado de Presidenta
s.f. Mulher que exerce função de presidente.

FIM DE PAPO, NÉNÃO?

Responder

Raimundo Andrade

07/01/2011 - 08h54

Amém!!!Uffffaaa!

Responder

Rodrigo Leme

07/01/2011 - 08h53

Que bobagem sem fim…então analista, motorista, motociclista devem ser variados também em analisto, motoristo e motociclisto para ficar igual?

É típica discussão de intelectual, pseudos ou verdadeiros: pega uma coisinha desse tamanho pra fazer um discurso de 3 horas.

Responder

    Flavio Lima

    07/01/2011 - 10h07

    Mas Rodrigo, veja bem: ELAS PODEM.
    Fiquemos quietos na nossa inferioridade numerica e historica. No fundo elas que mandam mesmo…

    jose marcos

    07/01/2011 - 11h21

    caro Rodrigo, como sei que voce é PSDB, porque não fazemos ao contrario, vamos então chamar ministra de ministro, prefeita de prefeito, vereadora de vereador , senadora de senador , etc, não força, porque que só presidente é que não pode??? ja sei , é porque é a Dilma, se fosse eleita, por exemplo, o SENADOR Katia Abreu para o cargo maximo da nação e ela seria chamada, se desejasse , de Presidenta sem o menor problema por voces. Outra coisa a lingua muda sabia??? hoje não escrevemos mais farmacia com ph. Alias voce Rodrigo adora entrar nestes discursos quando é contra, ja vi voce se calar em assuntos importantes que não te interessam ser discutidos. Outra coisa Rodrigo o universo é feminino!!!, tenho certeza. Para finalizar antes que voce diga qualquer coisa eu tenho coragem de assumir, sou de esquerda e PT ok?

    Rodrigo Leme

    07/01/2011 - 13h38

    Hahahahahhaha, quem está transformando isso em discussão política é você, amigo.

    Essa discussão não tem nada a ver com política. Aliás, se o maior problema do Brasil fosse definir se a palavra é presidente ou presidenta…

    Mas fica aí no seu palanque, que eu vou tomar meu cafezinho…

    jose marcos

    07/01/2011 - 15h25

    Estou no palanque e assumo, pior é voce que não assume, e esta discussão é politica sim!!! pois esta polemica só existe porque é uma Presidenta do PT, do contrario tenho certeza que voce estaria tomando seu cafezinho sem se importar. Outra coisa, estou no palanque porque voces tambem nunca desceram. Outra coisa caro Rodrigo esta discussão , voce sabe muito bem que transcende a mera questão semantica, pois do contrário a grande midia não estaria batento tanto nesta tecla pois ela continua no palanque. Agora chega Rodrigo tome seu cafezinho no seu palanque, quando voce sair do seu palanque eu tambem saio rsss

    @Doradu

    07/01/2011 - 11h45

    agora vc me pegou de saia justa, rsrsrsrs

Andreza MG

07/01/2011 - 08h53

Língua não é ciência exata, não adianta berrar e espernear se o povo adotar o termo "presidente", afinal historicamente a língua vem do que é consagrado pela massa, vide Saussare e outros linguístas. Acho estranho a colocação de Pilar e até radical demais, porque nós profissionais das Letras sempre lutamos pelo termo "poeta" em detrimento do termo poetisa por aquele ser mais neutro e este apresentar o gênero mais marcado (além de ser depreciativo). Agora vejo as mulheres lutarem contra a corrente, estranho… sempre fui a favor de não marcar os gêneros, principalmente em profissão, dá um sentido de igualdade pelo qual sempre almejamos, não o de SUPERIORIDADE. Ainda que os gramáticos e os políticos queiram, irá permanecer o que o povo consagrar.

Responder

Francisco

07/01/2011 - 08h52

Ok, adotamos Presidenta.
E não tem conversa: quando for eu o ocupante do Palácio do Planalto, serei o PRESIDENTO!

Responder

Bernardo F Costa

07/01/2011 - 08h50

Se vale presidenta, então estudanta também vale !

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h41

    Então também vale Cuteu, para o marido da Cutia.

    Elton

    07/01/2011 - 11h39

    Graaande Gerson! Inspirado neste dia tão especial….acima do normal………

    edv

    07/01/2011 - 12h02

    Êpa! Já que é seu aniversário, vai uma lembrança: Cutia em inglês é AssAunt!

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 13h01

    edv,
    Hoje o aniversário é meu e tu vem aqui me superar, seu cabra!

    edv

    07/01/2011 - 19h37

    Eu não supero nem a mim mesmo…
    Parabéns e curta aí com os seus!
    Êpa! Com as SUAS também, se não perdemos o tema.
    Abs

mila

07/01/2011 - 08h12

Bem , a presidente Dilma foi eleita, inclusive por mim, mas não está autorizada a mexer na língua. Que eu saiba, presidente não tem gênero. Jamais chamarei ninguém de presidenta, é horrível para o ouvido e para os olhos.

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h40

    Horrível para o ouvido é cera.
    Horrível para os olhos é remela.

    E Presidenta não é cera nem remela. Então Presidenta é linda.

    edv

    07/01/2011 - 12h06

    Mila, ela até está autorizada pois pode propor leis e até decretar medidas provisórias, mas ela NÃO mexeu em NADA.
    Presidenta existe oficialmente desde antes de sua candidatura.
    Ela apenas manifestou sua preferência.
    E vc também.

carlos quintela

07/01/2011 - 07h56

Já estou até vendo o Serra, quando da reeleição da Dilma, dizendo: vamos evitar bate boca, Serra para Presidente!

Responder

JOSÉ DANTAS

07/01/2011 - 07h53

Esse tipo de discussão é tipico das pessoas que pensam com aquilo que existe no meio das pernas, ou seja, feministas e machistas, por mais graduados que sejam.

Responder

    Daniela

    07/01/2011 - 10h02

    Oi José. 'Excelente' comentário, pena que 'feminista' não é o oposto de 'machista'. São coisas bem diferentes e não opostas. O oposto de 'machismo' é 'femismo'. Que tal ler sobre o assunto?

    JOSÉ DANTAS

    07/01/2011 - 20h10

    Daniela,

    Comecei a pesquisa sobre o assunto pelo Aurélio. Das quatro palavras (feminista, machista, machismo e femismo) só encontrei uma e desisti. Aí se estabelece mais uma polêmica, como não existe "presidenta" e assim prefiro apenas continuar acreditando que a mente não tem sexo.

    De qualquer modo, obrigado pelo alerta.

    jpbonson

    08/07/2011 - 20h37

    Deve ter sido um dicionário muito fajuto mesmo.

    Como se fosse muito difícil jogar essas palavras no Google ou na Wikipedia.

    Em resumo:
    Machismo: Acredita que homens são superiores as mulheres.
    Femismo: Acredita que mulheres são superiores aos homens.
    Feminismo: Acredita que ambos merecem direitos e deveres iguais e devem ser respeitados como seres humanos.

João Carlos

07/01/2011 - 07h49

presidenta
[Fem. de presidente.]

Substantivo feminino.

1. Mulher que preside.
2. Mulher de um presidente.

© O Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa.

Desculpe quem diz que Presidenta não existe, mas eu prefiro confiar no Aurélio.

Responder

    Gilson Raslan

    07/01/2011 - 10h45

    Da mesma forma o Caldas Aulete.

Gerson Carneiro

07/01/2011 - 07h33

E por falar em escolha de substantivo,

Azenhão, você tem, no baú do Azenha, algum texto aonde explica a criação do viomundo, e a escolha do nome? Gosto desse nome. Outro que pegaria bem seria "caleidoscópio". A cada olhar , ainda que sobre um mesmo ambiente, através dos inúmeros comentários, vê-se uma imagem diferente.

Ah, mas deixa pra lá. Isso é só uma malice minha.
(eu disse malice, de "mala", e não malícia).

Responder

Gerson Carneiro

07/01/2011 - 07h08

Quando vejo o mundo
Gosto de observar o mar agitado

Quando há poucos comentários
Tenho a sensação de calmaria

Então tento provocar ondas
Atirando algumas pedras

De longe, é claro
Para não morrer afogado

Autor: Gerson Carneiro

Responder

PRESIDENTA: UMA QUESTÃO POLÍTICA |

07/01/2011 - 07h01

[…] (via Vi o Mundo). […]

Responder

Marcio Leandro

07/01/2011 - 06h32

Cá estamos nós a discutir outra besteira, tanto faz Presidente ou Presidenta….apenas acho que fica bem feio falar Presidenta, não soa bacana, pelo menos em meus ouvidos.

Responder

nortonlimajr

07/01/2011 - 04h57

nem presidente, nem presidenta, presidAnta

Responder

    ana

    07/01/2011 - 10h15

    Quanta falta de educação!

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h48

    pra combinar com DESnortonlimajr.

    Daniel

    07/01/2011 - 10h59

    Troll detectado. Não o alimentem. Só cliquem no negativo.

    edv

    07/01/2011 - 12h09

    Sim, ela ambém é presidenta de antas que comentam.

    jose marcos

    07/01/2011 - 15h31

    Se não tem argumentos de seres pensantes cala a boca

felipe augusto

07/01/2011 - 03h11

No português dizem que o "ente" representa os dois gêneros, dizem que o "enta" um, faça o seguinte então, cada um chama como acha que deva chamar, de resto pegue o "O" e enfiem aonde bem quiserem!

tão usando tanto o papo do "machismo", que isso já tá virando papo-furado!

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h52

    "Vamos deixar as baixarias para os baixos" – Beto Crispim – BH

    PAC! PAC! PAC! PAC!

    felipe augusto

    07/01/2011 - 23h26

    "Nosso calão nunca é mais baixo que o censor" – Felipe Augusto – BH

valmir marques

07/01/2011 - 03h10

e bizantinismo quer dizer o que mesmo??????????

Responder

Gerson

07/01/2011 - 03h05

O Cara e a Mina rsrrsrs

Responder

Julio_De_Bem

07/01/2011 - 01h12

Sim sim Lula presidento, Azenha jornalisto etc etc…

Feminismo ao extremo é tão errado quanto o machismo. A senhora aí, pelo que leio, respondeu de uma forma muito áspera e sem educação. Poderia, sendo uma mulher, usar a sutileza pecualiar que elas têm para expor sua opinião e "trucidar" o interlocutor. Não de forma tão arrogante.

Responder

    mariazinha

    07/01/2011 - 12h03

    Muito certo, Julio. Entretanto é bom lembrar que existem coisas que vão indo, indo e, aí, VC perde totalmente o controle. Tenho para mim que, se eu fosse uma pessoa pública, perderia sempre a paciência; como tem gente intrometida a perseguir essa gente!

Marcio Passamani

07/01/2011 - 01h00

Eu perguntaria a sábia que acha que deve ser chamada de presidenta:

"Bem presidenta, quando a senhora ficar DOENTA, pegará uma licença?"

"A senhora gostou de ser AMANTA de José Saramago?"

"De onde a senhora é RESIDENTA?"

E diria: "A senhora pelo visto não é COMPETENTA com a língua portuguesa".

E de Saramago continuo fã. Ela não ficará CONTENTA com que escrevi, e minha opinião será DESCEPICIONANTA…

Salve as mulheres, com minha querida Iriny Lopes (PT-ES) na Secretaria das Mulheres em que votei.

Responder

    Matheus Nahkur

    07/01/2011 - 09h50

    Machado de Assis também era incompetente com o idioma? Porque Memórias Póstumas, de 1880, já trazia a palavra presidenta.

    A propósito, decepção não leva S antes do C.

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h55

    Dá vontade de PASSAMANI com toda força na tua oréia.

Rodrigo

07/01/2011 - 00h53

Que frase infeliz a dela…

Responder

Elias SP SP

07/01/2011 - 00h53

DICIONÁRIO HOUAISS
> presidenta
substantivo feminino
1 mulher que se elege para a presidência de um país
Ex.: a p. da Nicarágua
2 mulher que exerce o cargo de presidente de uma instituição
Ex.: a p. da Academia de Letras
3 mulher que preside (algo)
Ex.: a p. da sessão do congresso
4 Estatística: pouco usado.
esposa do presidente

Responder

    Felipe

    08/01/2011 - 07h45

    esse não é o mesmo dicionário que aceita o termo "salchicha"?

SILOÉ

07/01/2011 - 00h42

Presidenta, generala marechala qualquer enta qualquer ala não importa, o que importa é que: é ela quem manda e que saberá mandar. Aí então, sem nenhuma contestação. ela será E S T A D I S T A.

Responder

Jorge Stolfi

07/01/2011 - 00h34

Pombas, consultem o dicinário:
* "Estudante" pode ser homem ou mulher
* "Estudanta" não existe.
* "Governante" pode ser homem ou mulher.
* "Governanta" existe mas é outra coisa (feminino de mordomo, + ou -).
* "Presidente" pode ser homem ou mulher.
* "Presidenta" também existe e é um presidente que é mulher.
Quem diz isso? O povo, que é quem decide o que é certo e errado na língua
(não são os gramáticos, nem os Imortais, nem o Aurélio!)
Ilógico? É, mas línguas são assim mesmo.

Responder

alirio

07/01/2011 - 00h14

O melhor disso tudo é que fica evidente a necessidade do estudo da gramática para o conhecimento da língua.

Responder

Nelson Mosquera

07/01/2011 - 00h06

Pô Azenha, que susto você deu. Pensei que a declaração tinha sido feita pela Dilma….Não faz mais isso não!

Responder

Luiz Fortaleza

07/01/2011 - 00h01

Já vi e ouvi um professor de português dizendo que pode usar os dois termos: presidente ou presidenta. Tanto faz… vi isso, se não me engano, numa reportagem da GLOBONEWS.

Responder

Fabio_Passos

06/01/2011 - 23h56

Presidenta.
Sem dúvida.

E ainda por cima é muito mais legal.

Responder

Spok da Silva

06/01/2011 - 23h55

Independente de um estudo mais profundo sobre etimologia da palavra, o termo "presidenta" está no Aurélio há décadas e se o mestre falou não vou discutir: agora é presidenta Dilma e Pt saudações.

Responder

CC.Brega.mim

06/01/2011 - 23h53

os defensores da gramática
passam por cima da história
se esquecem que a língua é viva e mutável
sempre.
a gramática nasceu descritiva
e se tornou normativa como acessório da dominação…
o "certo" é a variante da língua socialmente valorizada
ou seja, o "sotaque" usado pela elite…
pra mim, Pilar tem razão
a língua tem sentido político
sempre.
e é de todos nós
mulheres e homens

Responder

Jose Ricardo M Silva

06/01/2011 - 23h51

Engraçado como teve leitor pensando que foi a Dilma que disse isso… hehehehehejavascript

Responder

Haroldo

06/01/2011 - 23h49

Discussão inócua, pura perda de tempo. Caso eu tenha que escrever presidenta, vou escrever, sem nenhuma dor no coração!!!

Responder

Nelson Efraim

06/01/2011 - 23h48

Ficamos assim: a presidenta Dilma é inteligenta e coerenta.

Responder

    Leider_Lincoln

    07/01/2011 - 16h08

    E você é um Jumente, ok?

Marcelo Rodrigues

06/01/2011 - 23h41

Como já se comentou neste post, presidente e presidenta ambos são aceitos pela língua. Mas sendo "presidente" comum de dois gêneros, talvez isso indique que o sexo não é preponderante para o conceito, ou seja, mesmo antes da eleição de uma mulher a palavra já indicava que esta possibilidade era concreta.

Caso bem diferente é rei/rainha, pois a questão do sexo é central na sucessão hereditária, quase sempre afastando as mulheres.

Responder

EFS

06/01/2011 - 23h39

Gente, de fato, essas variantes pouco importam…. A inteligência não permite esse tipo de discussão. Chame-a como queiram. O respeito e a dignidade nunca variam nem em gênero, nem em grau. Viva Dilma! Viva o Brasil!

Responder

MARCO ANTONIO

06/01/2011 - 23h38

Prezado Azenha, desculpe o exemplo mas vai:
"No caso de um homem e uma mulher. O correto é o homem ter "um tesão" ou "uma tesão" pela mulher? O importante é ter tesão, né?"
"O que importa é o casamento maravilhoso entre o Primeiro Mandatário de um País e seu Povo, como foi com o Lulaço e os brasileiros e, vai ser com a Dilma e os brasileiros. Se é Presidente ou PRESIDENTA, não vem ao caso e não vai alterar a simbiose e sua produção, certo?

Quem levanta essa lebre, na verdade, está preocupado com as cores do par de meia da pessoa que está na sua frente e não com a cor e o brilho de seus olhos.

Um forte abraço, mermão.

Responder

Manoel

06/01/2011 - 23h34

Independentemente da discussão, eu acho que PRESIDENTA fica mais legal para uma mulher.
Fechei com Presidenta, pronto.

Responder

Nívia de O. Castro

06/01/2011 - 23h17

Muito legal. Eu uso PRESIDENTA desde a campanha e tá acabado, não tem papo. Mas boa mesmo é a fera, o Sírio Possenti, dando um cala-boca geral na galera do contra. Vale dar uma "chegada":

(…) O comportamento típico é o seguinte: quando não gostam das formas que os dicionários e gramáticas abonam, dizem que gramáticas e dicionários não são as únicas autoridades. Mas, quando as gramáticas e dicionários concordam com seu gosto, esses documentos são santificados. (…)
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI48…

Responder

David R. da Silva

06/01/2011 - 23h13

A Chamarei de A PRESIDENTE, se achar ruim que institua uma lei nesse sentido. Que DILMA se chame do jeito que quiser, continuo indo de A PRESIDENTE ………..de Belo Horizonte.

Responder

    mariazinha

    07/01/2011 - 11h53

    ELA não exige nada 'para você', caro. Exige lá, NO ÂMBITO de seu governo, em seus despachos, nos seus Ministérios, etc, etc….Ali, é ELA a MANDAR e obedece quem é inteligente e todos que não veem nada demais em obedece-la.

Gustavo Campos

06/01/2011 - 23h08

se a gente seguir essa linha de raciocínio então o Lula foi um ótimo presidentO…..
????? Não faz sentido… eu votei na Dilma graças a Deus, mas "presidentA" não tem lógica.
Isso é coisa de feminismo do século passado… as mulheres já passaram os homens a muito tempo… querem se afirmar com mais o q??
Nesse ponto eu não concordo com nossa presidentE…

Responder

Eleonora Vaz

06/01/2011 - 23h07

Do ponto de vista linguístico, é absolutamente indiferente que se diga presidente ou presidenta. Governanta tb não existia, até que foi inventada a palavra. E, de fato, só foi inventada pra que ninguém confundisse o poderzinho de quem governa casa dos outros e o poderzão de quem governa países ou a própria casa.

Pretender que haveria algo de especial em alguém ser presidenta é asnice, das brabas (e não deixa de ser asnice por ser dita por essa senhora Pilar, é claro). Mais um pouco, alguma Eliane Cantanhede por aí, começará a escrever gerenta e competenta. Está ficando fácil demais desmoralizar a presidência da presidente Dilma. Os petistas estão facilitando. Quando a discussão melhorar, me avisem, por favor.

Responder

dukrai

06/01/2011 - 23h05

presidenta está em todos os dicionários, mas é ingenuidade achar que a questão seja gramatical, maibródis e maibródas. É política, por isto a gLobo, falha de sp e outras só usam presidente, dá arrepios na galera de pseudo-machos ser confrontada com a lenhada que levaram nos entre-cornos de uma mulher e que manda nesse Brazilzão mais que a minha mulher em mim. da minha parte tô gostando.

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h59

    "…uma mulher e que manda nesse Brazilzão mais que a minha mulher em mim".

    Ahahahahaha… faz-me rir. Que piada. Que piada!
    Ele dando uma de machão.

    dukrai

    07/01/2011 - 22h47

    é o contrário, é as mulher que manda ni nóis, né não dona Tânia?

    Gerson Carneiro

    08/01/2011 - 13h13

    o pobrema é que tu tentou minimizar o poder de dona Bia sobre tu. Quando Dilma mandar mais no Brasilzão do que dona Bia em tu (sinceramente acho difícil), Dilma de fato será a muié mais poderosa do mundo. Ou seja, tu quis dizer que dona Bia não manda tanto em tu. Aí está a piada.
    Dona Bia escolheu para você até o time que você torce. Ahahahaha….

    dukrai

    08/01/2011 - 20h32

    aceita um acordo? manda igual kkkkkkkkkkkkkk

    Gerson Carneiro

    08/01/2011 - 21h03

    o que não é pouco. ahahahaha…

    Mário SF Alves

    08/01/2011 - 02h16

    Bacana, Duka! Bota pra quebrar porque a coisa tem dimensão política mesmo. "Presidenta" encolhe a arrogância dos ególatras. Aliás, Lula – o incontido e sua caixa de isopor na cabeça – referiu-se a ela como presidenta.

    dukrai

    08/01/2011 - 20h52

    87% do povin é farofeiro e Lula é o nosso ícone.

“Só os ignorantes me chamam presidente”, diz a presidenta « Blog do EASON

06/01/2011 - 23h03

[…] Blog Vi O Mundo de Luiz Carlos Azenha […]

Responder

Regina

06/01/2011 - 23h01

Pilar,aprendi mais uma…É Presidenta…Viva o Saramago!!!

Responder

Claudio Ribeiro

06/01/2011 - 23h00

PIG (partido dos ignorantes golpistas?) Uma variável da sigla…
http://palavras-diversas.blogspot.com/2011/01/o-b

Mas enfim…A aposta em confrontar partidariamente os fatos talvez possa explicar porque o maior telejornal do país, Jornal Nacional, amargou, segundo o Ibope, uma queda de quase 25% de sua audiência na década passada e o Fantástico teve recuo de 35% em igual período

Responder

@sergiobio

06/01/2011 - 22h56

Eu acho a discussão inútil. Mas se é pra discutir, os argumentos em favor da não-flexão me parecem os mais criteriosos, mas também os mais idiotas. Uma coisa que eu decidi pra mim é que correção gramatical, pelo menos em questões dessa natureza, só serve para praticar egolatrias. De resto, só atrapalha e confunde.

No mais, embora eu entenda que essa flexão agrida os ouvidos de uns mais acadêmicos, não dá pra dizer que é um vocábulo inapropriado. Por isso, eu me refiro à Presidenta com "A" mesmo, se é assim que ela quer ser chamada.

Responder

mariazinha

06/01/2011 - 22h55

Pois é, gente. A mídia burra e hostil insiste em dizer que apesar de D. DILMA preferir ser chamada de PRESIDENTA, eles irão sempre chama-la de presidente, pois é o certo. Será que eles sabem o que é certo ou errado?.
Eu já escolhi: se D. DILMA falou, falado está. Imagina se eu seguiria essa mídia venal e invejosa? JAMAIS, né PRESIDENTA DILMA!

Responder

nelson

06/01/2011 - 22h55

Divertido mesmo é utilizarem a palavra "parente" como exemplo da imutabilidade da regra.

Me resta jogar fora um livreco escrito por um abestado que tem a seguinte passagem
"minha mãe queria ter uma senhora íntima ao pé de si, e antes parenta que estranha."
Bye bye Dom Casmurro…

Responder

alirio

06/01/2011 - 22h53

O melhor disso tudo é que fica evidente a necessidade do estudo da gramática para o conhecimento da língua.
Não vejo problemas. O presidente, A presidente. Nossa riqueza linguística permite o termo presidenta; Assim como podemos dizer: A oficial, ou a oficiala; O personagem, ou A personagem.
Quem deve estar adorando o debate são os livreiros e editoras: em breve estarão esgotadas todas edições.
Fomos ainda mais longe: até o Wittgenstein 'entrou na parada'!
O site do Azenha também é cultura!

Responder

Messias Macedo

06/01/2011 - 22h48

A meu ver, a denominação 'a presidente' é muito mais, digamos, sofisticada – a doce leveza das palavras!

Lembrando as declarações do conspícuo jornalista brasileiro Franklin Martins: "A presidente Dilma Rousseff prefere ser chamada de 'a presidenta', eu respeito… Agora, eu não sou um 'jornalisto'… Não se diz 'o Economisto'… Mas, 'vá la', ela [Dilma Rousseff] prefere ser chamada de 'a presidenta', fazer o quê?!"

Pano rápido!

Brasil Nação
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

ana

06/01/2011 - 22h46

O feminino de Presidente é Presidenta, do ponto de vista da Norma Culta, por favor, confiram as Gramáticas Normativas. A definição de 'presidente' como subtantivo comum de dois gêneros, não existe.
Toda esta confusão está ligada ao estranhamento diante de uma MULHER assumir o cargo mais importante do Brasil e o total esquecimento das aulas de Gramática.
Podem se acostumar porque é 'presidenta' mesmo!
Agora se o povo que a elegeu quiser chamar de presidente, também funciona!
Dilma, Presidenta!
Dilma, Presidente!
Vox populi, vox dei!

Responder

Carla

06/01/2011 - 22h45

Geralmente, palavrlas que terminam em "e" não têm "sexo"… presidente, governante, inademplente, suplente, vidente, etcetera etcetera.
Não entendo essa discussão, realmente não entendo. Ministro/ministra, chefe/chefe, idiota/idiota…
Realmente acho essa insistencia irritante. Faz alguma diferença em termos de eficiencia?

Responder

    ana

    07/01/2011 - 09h24

    Carla,
    O feminino na Norma Culta de 'presidente' é 'presidenta', não tem outra possibilidade.
    O feminino na Norma Popular de ' o presidente' pelo visto é 'a presidente'.
    Como a Língua é ao mesmo tempo fascista- domínio da elite- e libertadora- aquisição consciente do povo para questionar o poder ( Educação Popular)- adote com adequação um ou outro.
    Atenção: Nos Documentos Oficiais só irá aparecer 'a presidenta'

    Abraços

    ana

nelson

06/01/2011 - 22h35

Bem, eu é que não vou entrar em discussão com doutos doutores. Contudo, ao reler velhos textos de 1700 e lá vai bolinha (graças ao Google books) até meados do século XX encontro o uso de "aberrações" tais como pacientA, serventA e governantA. (Só alguns exemplos)

Isso, inclusive, em José de Alencar que sempre tive por zeloso de nosso idioma.

Curioso que para os casos de funções tipicamente femininas jamais encontrei um grande escritor dizendo a serventE. Talvez seja falta de procurar melhor…

Responder

    CC.Brega.mim

    06/01/2011 - 23h58

    em Machado você vai encontrar ainda meia tonta ou meia cansada…
    é que a língua muda…
    quanto a Alencar, ele era um defensor da língua brasileira
    dizia que a boca que chupa manga e caju não é igual à portuguesa…
    era um progressista nesse assunto, defendia as transformações, os avanços
    essas coisas que hoje ainda temos receio de defender
    em nome de ilusões como o idioma, o certo ou o douto conhecimento…
    agora, quando é o Rosa que inventa, mistura e avacalha
    todo o mundo baba…
    (a licença poética não devia ser de todos?)

    ana

    07/01/2011 - 09h30

    Isso memo, não existe uma regra para substantivos terminados em 'e' serem comum de dois gêneros. O que há é uma tendência a simplificação 'palavras terminadas em 'e', o artigo determina o gênero. No futuro, talvez exista esta regra, como se vê no seu exemplo, a norma assente mudou.
    Mas, Presidenta ainda não ( na Norma Culta, claro!)

Mário Ruy

06/01/2011 - 22h33

No geral, parece que não foi compreendida a essência da questão colocada. Acredito, e peço desculpas pela pretensão, que o que está em jogo é justamente a simbologia embutida no tema: séculos de domínio masculino (ou machista) determinaram muitas coisas, talvez, até, as bases etimológicas. Assim, me parece adequado firmar posições também quanto às palavras; novos tempos, novas mulheres, novos homens… novas palavras!

Responder

    Aline

    06/01/2011 - 22h51

    Pois é Mário, temos (homens e mulheres) o poder de reinventar as coisas, e quando for para consolidar a liberdade, e as novas relações de gênero, possamos fazê-lo com criatividade!!

    Fabio SP

    07/01/2011 - 09h02

    Porque "machista"… exijo que se escreva e fale "machistO" por ser masculino.

Carlos

06/01/2011 - 22h29

O certo é "a presidente", e pela seguinte razão: no Antigo Regime absolutista, onde os cargos públicos eram hereditários, como a mulher do titular era "agregada" ao marido, ela era "a marechala", a "coronela", a "presidenta" (Há uma "presidenta", casada com um presidente de tribunal, se não me engano, em "As Ligações Perigosas"). O certo, pruridos dessa espanhola arrogante "agregada" do Saramago a parte, é A PresidentE; PresidentA só reforçaria a idéia que a Direita quer passar de falta de independência da Dilma.

Responder

    Jair de Souza

    07/01/2011 - 08h31

    Quanta bobagem em tão poucas palavras.

    Tereza

    07/01/2011 - 08h47

    Por isso mesmo deve-se usar presidentA

    ana

    07/01/2011 - 09h51

    Aposto que se vc reler o que escreveu, vai apagar tudo!

Jeferson Melo

06/01/2011 - 22h29

No Estadão de ontem, o Zé Nêumane se queixou por que terá que conviver com essa questão, segundo ele, um barbarismo. Cecília Meireles dizia que era poeta . Abominava ser chamada de poetisa. Nunca apareceu um douto para acusar-lhe de barbarismo……

Responder

    edv

    06/01/2011 - 23h13

    Eu, que apoio o feminismo (de resultados!) e adotei "presidenta" porque é oficialmente correto, não foi criado por Dilma e especifica APENAS o gênero feminino, homenageando esses essenciais seres que pariram TODOS nós, não vou ficar dando trela a estes jornalistOS (oops) que querem ficar levantando bolas para chutarem contra nossa presidentA.
    Já deu. Ponto! (que é diferente de pontA…)

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h14

    O barbarismo é o próprio Nêumane, de José Nêumane Pinto. Na pequena cidade de Uiraúna, no Vale do Rio do Peixe, Alto Sertão Paraibano, onde ele nasceu, o mais comum é Zé Pinto, apenas. E nós não temos que conviver com essa coisa? E não nos queixamos.

    edv

    07/01/2011 - 19h48

    É que ele não quer dar na "pinta" que o Pinto dele está na rabeira…

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h17

    Curiosidade: Seu nome é uma corruptela do nome do cardeal inglês John Henry Newman. O fato é que ao registrá-lo seus país não levaram escrita a grafia correta do nome e a escrivã grafou como ouviu: “nêuman”, e acrescentou um “e” para aportuguesar.

Edson

06/01/2011 - 22h26

esqueci:

DECRETO Nº 7.424, DE 5 DE JANEIRO DE 2011

Dispõe sobre a transferência do Centro
Gestor e Operacional do Sistema de Pro
teção da Amazônia – CENSIPAM da Casa
Civil da Presidência da República para o
Ministério da Defesa

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição
que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a", da Constituição,

D E C R E T A :

Art. 1° O Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia – CENSIPAM fica transferido da Casa Civil da Presidência da República para o Ministério da Defesa.
(…)
http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=06/

Responder

edv

06/01/2011 - 22h21

Adotei "presidenta" com muito gosto e porque tem um gênero só e específico, além de ser oficialmente correto já mesmo antes das eleições.
Mas não vamos exagerar na dose: "Presidente" não é masculino, é duplo gênero.
Como coerente, agente, dissidente, doente, depoente, etc. Mera derivação verbal.
Por tantas outras machices, que nós homens fiquemos apenas com o duplo e inespecífico gênero!
E deixemos claramente o "presidenta" só para nossas essenciais companheiras.

Responder

    Klaus

    07/01/2011 - 08h37

    De agora em diante, doenta e agenta estão definitivamente no meu vocabulário. Nada de machismos mais!

    edv

    07/01/2011 - 11h34

    Vc parece um cara difícil de sintonizar. Sempre com estática…

edson fachin

06/01/2011 - 22h21

voltei.
fui rapidinho verificar. eu acho que a PRESIDENTE DILMA, deva achar um tempinho,alias ja teve na cadeia, e estudar gramatica um pouquinho mais, se a PRESIDENTE quer um povo sem pobreza deveria começar co m educacção, seria bom começar por lá no palácio do governo.

Responder

    Edson Augusto

    06/01/2011 - 22h55

    Calma xará, consulte o Aurélio:
    Presidenta:
    [Fem. de presidente.]
    S. f.
    1. Mulher que preside.
    2. Mulher de um presidente.

    edv

    06/01/2011 - 22h55

    Ô fachin, quem definiu, antes mesmo de Dilma ser candidata, que "presidenta" pertence ao vocabulário da língua mãe foi, oficialmente, a ABL e não a Dilma.
    Veja em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys
    Talvez vc ache um "tempinho" para se informar melhor, ser melhor educado e falar menos, digamos, bobagens.
    (desculpe o mau humor)

    Conceição Lemes

    07/01/2011 - 09h18

    Realmente, Edv. Bem antes de a presidenta Dilma ser candidata a ABL já havia estabelecido. Quem tiver dúvida, confira. abs

    rosani

    06/01/2011 - 23h25

    edson, na cadeia ela não teve tempo para estudar gramática. ela estava muito ocupada com
    a palmatória, o pau de arara, as sevícias todas. e, você há de concordar que é difícil estudar nessas condições.

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h28

    Noto que você não estudou gramática. Eis que precisou ir "rapidinho verificar". Portanto, não tem isenção para dar esse tipo de conselho a Dilma.

    Bem, como estudei um pouquinho gramática, devo dizer, sem ir rapidinho verificar, que a crase em "a Dilma" é facultativa, eis que trata-se da situação em que a vogal "a" está posicionada antes de nome próprio feminino.

    priscila presotto

    06/01/2011 - 23h56

    Edson ,como voce é "chique"!

    Elton

    07/01/2011 - 00h29

    Ridículo!

Edson

06/01/2011 - 22h20

Está no Diário Oficial da União: "A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição"
http://portal.in.gov.br/

Responder

PGP

06/01/2011 - 22h20

Quem quiser chame de presidente ou presidenta, porque as duas formas são corretas. Mas nem por decreto ela pode me obrigar a chamá-la de presidenta.

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h33

    Por decreto ela pode sim. Mas como não é uma ditadora, e trata-se de uma questão de menor importância, fique tranquilo(a). O fato de você reconhecê-la como Presidente é satisfatório.

    José Silva

    07/01/2011 - 01h15

    Ela quem? A Pilar? Porque a Presidente (a) Dilma, pelo que eu saiba nunca manifestou preferência gramatical para este termo, quanto mais desejo de legislar sobre a língua portuguesa ou a vontade das pessoas.

Benedita da Silva

06/01/2011 - 22h18

Se presidente eh comum de dois e somente o artigo diferencia o genero, sugiro INVERTER, em lugar de presidentE, usemos presidentA para os dois genero. Assim, A presidentaA, O presidentA. E aih, srs. machoes, gostaram ou vao adoecer sendo chamados de O presidentA.

Observo que meu computador nao estah formatado para portugues, daih este horror de acentuacao.

Responder

    edv

    06/01/2011 - 23h04

    Presidente serve a AMBOS os gêneros por ser derivação verbal de presidir. Não tem nada de machismo.
    Já PresidentA é específicamente feminino. Ótimo! É correto, oficial e vamos usá-lo!
    O feminismo já é uma luta difícil e complexa, e gastar energia em bobagens, só prejudica o movimento.
    Tenho certeza que vc tem sugestões mais relevantes e eficazes.
    Seja coerENTA (oops…), por favor!

    Clóvis

    07/01/2011 - 09h14

    Como burrice não tem genero:
    atleta
    poeta
    logista
    especialista
    sexista
    machista
    Conhecer a própria língua pode evitar que se fale absurdos! Nunca vi, machão ou não, homem algum reclamando de ser chamado de atleta ou de qualquer outra destas palavras (salvo as 2 últimas)!
    A questão é pra gramáticos, o que não sou, se for aceitável presidenta (o que sempre achei que era uma forma inexistente – inexistenta segundo a senhora benedita pois forma é substantivo feminino e senão serei sexista ou melhor, sexisto) que a presidente(a) da república escolha a forma que considera mais conveniente, mas não pode reprender ninguém por chamá-la de presidente.
    Se a Sra. Pilar del Rio não liga de se mostrar mal educada e mal-educada continue a ofender quem a chama de presidente!

joao

06/01/2011 - 22h17

Viva a nossa Presidenta Dilma

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h55

    Vivaaaaa!

Carlos

06/01/2011 - 22h17

Não vou ficar aqui discutindo o que a primeira mandatário do país quer. Sendo objetivo, é importante frisar que existem os substantivos comuns de dois gêneros ainda. O que varia é o artigo e não o substantivo. Assim temos: O jornalistA / A jornalistA; O doentE / A doentE( também a palavra em discussão). Essas desinências finais são vogais temáticas de nomes. Não são desinências de gênero. Prefiro ficar, não com os medalhões da gramática, mas, nesta parte, fico com a coerência da norma gramatical. Não importa que sejam entendidos. O maior problema do idioma está nas exceções. É mais uma que se acrescentou ao longo do tempo. Chega de exceções. O idioma fica mais fácil sem elas.

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h58

    É melhor a gente fazer uma exceção e ficar sem esse comentário. É mais fácil sem ele.

Sagarana

06/01/2011 - 22h13

Será que o Lula era "presidento" e ninguém sabia?

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h34

    O que o mundo soube é que o Lula é o Cara.

    Sagarana

    07/01/2011 - 10h56

    pela lógica da "presidenta" Lula foi o "caro".

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 11h16

    Também.
    Lula é: meu Caro Lula.

    Elton

    07/01/2011 - 11h51

    Tem gente que entra aqui só pra POLUIR…….dá licença, né?

edson fachin

06/01/2011 - 22h06

boa noite,
agora esta claro, voces,creio que sejam bem informados, não são sérios…dejeito nehum, são sim aproveitadores de situações.. Vamos minha gente fazer deste país um país sério…deixem de brincadeiras…
estava lendo agora a exame online,sei la para voces deve ser uma revista não confiavel, A CEF DEPOSITOU DINHEIRO A MAIS NO BOLSA FAMILIA, nos meses de stembro e outrubro/2010, foi falha no sistema,dois meses seguido e só viram no terceiro?????/ ja sei meu comentario não vai passar pelo crivo da censura deste "site".
serieadade, vamos..

Responder

    dukrai

    06/01/2011 - 22h52

    trollzinho, a Air France perdeu as malas do mala Vampiro Brazileiro e o infeliz passou 10 dias vestindo a roupa da patroa. O que isto tem a ver com o post? é que nem vestido de mulher ele vira presidenta.

    edv

    07/01/2011 - 12h16

    É fato? Ótima essa!

    edv

    06/01/2011 - 23h21

    Os tucanos venderam a Vale por uma fração do que ela dá de lucro por ano e até hoje ainda não "repararam". Esqueceram até de colocar no valor o imenso patrimônio de uma das maiores riquezas minerais do planeta e também do conhecimento geológico dela.
    Não, vc não vai encontrar este tipo de informação na Exame.
    Seriedade, vamos!
    E percepção…

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h50

    ah, fala sério…
    gente, vamos continuar brincando de aproveitar de situações que é muito melhor.

    Elton

    07/01/2011 - 00h28

    Passou sim………embora eu saiba quem o senhor é……..é da minha terra. Sei o que pensa.

Leonardo Câmara

06/01/2011 - 22h04

Bom, de acordo com a indignada senhora, homens são amantes e mulheres são "amantas", é isso?

Francamente …

Responder

    Eleonora Vaz

    06/01/2011 - 23h12

    Boa! "Amante" é o melhor exemplo que já vi, pra demonstrar que, no que realmente importa, tanto faz quem seja o homem e quem seja a mulher. MUITO BEM LEMBRADO.

    Achei bobagem o Viomundo dar espaço pra essa discussão sobre presidenta/presidente.

    Melhor seria a presidente Dilma nunca ter entrado nessa de "presidenta". Agora, o melhor seria ela mesma tratar de sair da fria em que se pôs, só pq entrou no papim fraco das feministas fracas. Ninguém é perfeito (ou, talvez, Ninguém é perfeita, no caso?) Quanta besteira metida a inteligente, né-não?.

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h48

    e você é um idioto, é isso? :)

    Klaus

    07/01/2011 - 08h34

    Com a evolução da língua e da sociedade, é normal que novas palavras surjam. Desta forma, presidenta não está errado, mas o uso de "a presidente" também não está. A presidenta aí do texto poderia ter sido menos arrogante.

Carlos A. A. Marques

06/01/2011 - 22h00

Diferente do que afirma pretensiosa e arrogantemente Pilar del Rio, Wittgenstein – o maior de todos os filósofos da linguagem – já mostrou que a linguagem é aquilo que o uso convencional faz dela. Na presidência, uma mulher pode ser chamada de presidente ou presidenta, conforme a convenção usual entender de estabelecer. Particularmente, acho que "presidente" é mais correto, mas também pode ser "presidenta", se assim for convencionado pelo uso linguístico. Existem vocábulos comuns para os dois gêneros, como "paciente". Não se diz, por exemplo, "Maria é a pacienta do quarto 3".

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h40

    Em conformidade com "o maior de todos os filósofos da linguagem", convencionalmente, adotaremos o uso do termo PRESIDENTA para nos referir a Dilma.

Gerson Carneiro

06/01/2011 - 21h51

Essa entrevista aparece no documentário "José e Pilar".

…e também em um comentário meu no texto"Dilma, Alckmin e a dança de 2014" de dois dias atrás, em resposta a um comentário do cumpadi El Cid. Sou ciumento mesmo viu, Conceição. Ponto :(

Responder

    Gerson Carneiro

    06/01/2011 - 23h45

    Quanto a você, seu Gerson Carneiro, tá parecendo o Smurf Ogenio. E deveria deixar de ser infantil. Cresça e apareça.

paulo sergio

06/01/2011 - 21h47

Essa Pilar é uma presidanta .
Paulo

Responder

Sev

06/01/2011 - 21h37

A Dilma é PRESIDENTA! É assim que ela quer ser chamada. Que assim seja.

Responder

ZePovinho

06/01/2011 - 21h34

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Gerson Carneiro

    07/01/2011 - 10h27

    É melhor gargalhar do que chorar.
    Por isso voto positivamente neste comentário.

Deixe uma resposta