VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Sem espetáculo, promotores americanos mostram como fazer à Lava Jato: Delações, gravações, fotos e o caminho do dinheiro que abasteceu os cartolas

17 de dezembro de 2017 às 23h44

Da Redação

Não houve vazamentos antecipados, para condenar os réus na mídia.

Não houve vazamentos para o New York Times, que poderiam facilitar a defesa dos ainda não investigados ou dos que estão em investigação.

Os promotores do caso Fifagate, em Nova York, que dependem de um júri para condenar — ou não –, acabaram dando uma aula involuntária à turma da Lava Jato, que condena na imprensa.

Os brasileiros, incluindo aí o juiz Moro, da boca para fora dizem ter como modelo… os Estados Unidos.

O fato é que a promotoria apresentou PRIMEIRO aos jurados delações, fotos, gravações e o caminho do dinheiro que abasteceu os cartolas acusados, dentre os quais o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, que — sempre segundo a acusação — recebeu parte da propina através da empresa Firelli, baseada em Miami. Ele nega.

O resultado do julgamento é incerto — e deveria ser assim.

Tudo vai depender da decisão de um júri, que deve deliberar nos próximos dias.

Enquanto isso, no Brasil, Ricardo Teixeira dá entrevista à Folha, Marco Polo del Nero dirigia até recentemente a CBF sem ser incomodado, Marcelo Campos Pinto continua por aí e a Globo… ora, a Globo…

O Ministério Público Federal? Sumiu!

PS do Viomundo: E cadê o Deltan Dallagnol deles? Cadê as postagens dos promotores norte-americanos fazendo política no Facebook? Cadê o agente do FBI propondo publicamente a condenação antecipada dos réus? Você sabe sequer o nome de um dos promotores do caso? Só no Brasil…

 

9 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ligia

19/12/2017 - 19h00

Fiquei surpresa vendo agora um resumo da delaçao de Marcelo Odebrecht,existem quatro ex_presidentes denunciados.GloboNews só falou do Lula alguém sabe quem são os outros três? Será que entendi errado?.

Responder

Alexandre

19/12/2017 - 18h27

U Judiciário espetáculo não resistirá a realidade das ruas. A bolha há de estourar:

https://novoexilio.blogspot.com.br/2017/11/o-canto-da-casuarina-e-o-silencio-dos.html

Compartilhe

Responder

enganado

18/12/2017 - 22h12

E aqui desde qdo aqui=___braZiUSA__se cumprem as LEIS? O guardião da Constituição , artigo 142, pensa que está tudo nos trinques e as Leis estão sendo cumpridas, e que a Constituição NUNCA foi ultrajada. Pode roubar a vontade, com tanto que sejas de DIREITA!!! Pois não foi à-toa que bi-meRdalharam o __thief_stateless_judge__çerjiou murrow__ , ou seja, o orgulho do “”TRIO ESPERANÇA”””, 1-) chefe viDDas bôas; 2-) chefe mourão, 3-) chefe etchegoyen. Este é um país que pra frente, ou, ou, ou, ou, ou, . . .

Responder

Jose fernandes

18/12/2017 - 21h42

Estamos em um País em que a corrupção começa na justiça..simples assim..

Responder

Patrice L

18/12/2017 - 13h16

Graves questões éticas, para dizer o mínimo, estão colocadas quando o mais famoso justiceiro do país e seu primeiro-amigo e padrinho dão a impressão de patrocinar interesses privados de um outro amigo à frente de uma associação empresarial e respectivo sindicato.

A saber, e nessa ordem: Sergio Moro, Carlos Zucolotto Jr, Fabio Aguayo, ABRABAR e SINDIABRABAR.

Essas últimas reúnem, sob a presidência de Aguayo, o considerável mundo de empresas de gastronomia, entretenimento e similares de Curitiba.

Show do Skank. O casal Moro e mais dois casais amigos aparecem na foto marqueteira com o grupo musical: Zucolotto e Thais, Aguayo e Fabiana.

http://www.gazetadopovo.com.br/reinaldo-bessa/social/moro-curte-show-do-skank/

Zucolotto, todos sabem, é acusado por Tacla Duran, advogado e operador da Odebrecht, de tentativa de extorsão, com pagamento de uma comissão por fora, em arranjo que supostamente envolveria membros da Força Tarefa da Lava Jato.

Zucolotto e Aguayo também aparecem ao lado de Moro em outros eventos mobilizando artistas e apoiadores, em cenas explicitas de sabujice e marquetagem, notadamente no restaurante curitibano Paraguassu (de propriedade do irmão de Zucolotto).

O DCM já postou, a este respeito, matéria com riqueza de detalhes.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-que-esta-por-tras-da-cena-de-moro-e-fagner-num-bar-ao-som-de-vamos-prender-vagabundo-por-joaquim-de-carvalho/

Mas, voltando ao início.

Que tipo de interesse privado o Moro está patrocinando ao emprestar a sua figura pública a este evento no SINDIABRABAR – Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba?

http://www.sindiabrabar.com.br/representantes-do-ministerio-do-trabalho-trazem-a-carta-sindical-do-sindiabrabar/

Cabe a este juiz, nas atuais circunstâncias, estar neste lugar?

Certamente, Moro alegará que ali esteve apenas na condição de amigo – o que de fato é – de Fabio Aguayo.
Mas, por qualquer ângulo que se veja a presença dele na foto, é inegável a tentativa de explorar o seu prestigio e a imagem cuidadosamente estudada para posar de super-herói da Liga da Justiça. Como foi na foto roqueira.

A República de Curitiba vai ficando conhecida por algumas questões que vem ao caso e outras, não. Vem ao caso estender às empresas e associações apoiadoras do Moro a expressão cunhada nas denúncias de Tacla Duran, qual seja, “panela de Curitiba”?

Quem paga o quê nestes eventos, nestas peças marqueteiras destinadas a cobrir de elogios o juiz e a operação polêmica que conduz?

Empresas, associações e sindicatos costumam, mesmo, se alinhar a correntes ideológicas e forças políticas. Faz parte da vida normal do país. O que não faz, ou não deveria fazer, é aproximarem-se da Justiça e financiarem um juiz e uma força tarefa que, ao contrário da esperada isenção, agem para produzir resultados políticos em favor da sua corrente de pensamento.

Muito menos estão supostos de passarem de certos limites a ponto de servir como local de referência para incitações fascistas (*).

https://jornalistaslivres.org/2016/03/linchadores-malham-o-mst-em-bairro-de-classe-media-de-curitiba/

João, irmão do Zucolotto, proprietário do restaurante Paraguassu e líder de motoqueiros HD, e Aguayo têm sido figurinhas fáceis no oferecimento de espaço e apoio aos áulicos de todo tipo que bajulam a Lava Jato. Remete, novamente, à pergunta de quem paga o quê, já que nem juiz nem procuradores estão supostos de nada pagar ou receber em convescotes políticos da iniciativa privada.

Remete também à dúvida, normal nesse caso, sobre quais reciprocidades e contrapartidas estão envolvidas no “você me apoia aqui, que eu saio na foto com você ali”. Com o Paraguassu e Aguayo, então, é uma grandeza! Moram com ele!

https://www.facebook.com/ParaguassuGrelhados/posts/1161620497228934?comment_id=1161647990559518&comment_tracking=%7B%22tn%22%3A%22R0%22%7D

“Paraguassu Grelhados
August 19, 2016 ·
Salve amigos do Paraguassu!
Gostaríamos de dividir com vocês que na segunda-feira 08/08 tivemos a satisfação de receber para um almoço no Paraguassu, toda equipe da Lava Jato inclusive os ilustres senhores Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, além de artistas que vieram a Curitiba participar de um Ato de Apoio à Lava Jato e às 10 Medidas Contra a Corrupção que aconteceu em frente ao MPF na tarde do mesmo dia.
Entre um Bobó de Camarão e um Brigadeiro de Colher, Suzana Vieira, Luana Piovani, Lucinha Lins, Victor Fasano, Jorge Pontual e o cantor Fagner, declararam seu apoio a Lava Jato e sacaram selfies com Moro, Deltan e a equipe do Paraguassu (prá nossa alegria).
Queremos agradecer a todos os participantes pela simpatia, a Fabio Aguayo (presidente da ABRABAR) pela organização, a equipe e amigos do Paraguassu pelo apoio e em especial à Sérgio Moro pela escolha do Paraguassu para esse encontro memorável.
Obrigaduuu!”

Por último, duas questões pertinentes.

Embora não seja ilegal, como, do ponto de vista ético, o Aguayo pode justificar a contratação, pelo sindicato, da consultoria jurídica do amigo Zucolotto, através de um sócio?

Então, a transparência diante dos seus pares é tanta assim que se possa trazer, sem problemas, o escritório do amigo de farra ao sindicato para remunerá-lo por serviço profissional?

http://www.sindiabrabar.com.br/comunicado-sindiabrabar-2/

E, nesses tempos em que a primeira-esposa (Rosangela Moro) gosta de contrapor às gravíssimas suspeitas do momento o que seria, a seu ver, o nobre e honesto trabalho que o casal faz em prol da APAE, nunca é demais perguntar o que o Aguayo entende por parcerias, das quais jactou-se, entre as suas entidades empresariais e a APAE Curitiba.

http://www.pictaram.life/tag/cntur

(*) Quando o entorno sugere os passos. A moral de amigos e pessoas próximas a Moro tem um viés inegavelmente direitista, em um arco que vai desde postar no Facebook o tradicional link de apoio ao juiz da Lava Jato a links como o Endireita Brasil e Jair Bolsonaro. Sem esquecer de passar por, ora vejam, Aécio Neves e a trupe de artistas e globais de moral seletiva do tipo Cansei! e Basta!

Responder

    Patrice L

    20/12/2017 - 12h54

    * correção: já que juiz e procuradores estão supostos de nada pagar ou receber em convescotes políticos da iniciativa privada

Messias Franca de Macedo

18/12/2017 - 11h15

Moro negociou com eduardo CUnha a retirada do ‘cumpadi’ Zucolotto do relatório da CPI da JBS. Em troca, a liberdade do CUnha do mafioso minmiSHELL. Ainda que o CUnha nunca esteve preso! E o que dizer de “a dondoca cheiorosa” ‘Cláudia Cruz Credo’ não ter sido sequer incomodada pelo juizeco ‘mor(T)o’?
Acabou a Lava Jato – a bomba que prova #TaclaFuraBolha!
Por egrégios e destemidos jornalistas Welington Calasans e Romulus Maya, direto da Suíça e da Suécia, respectivamente!
https://www.youtube.com/watch?time_continue=1166&v=4oiaVZSRzXI

Responder

cunha e silva

18/12/2017 - 10h33

Quando há interesse , e principalmente para pegar os outros eles são eficientes. ( malas de outros países ). O sistema americano de justiça americano é eficiente e apoiado por uma polícia também eficiente dá resultados .
Mas eles tem lá seus malas também , que nunca são pegos .

Responder

Mauro César

18/12/2017 - 06h43

Na hora de imitar os N. Americans nas ações coerentes nós não imitamos.

Responder

Deixe uma resposta