VIOMUNDO

Reprise: Pó pará, governador?

17 de março de 2010 às 10h33

O recado que José Serra mandou a Aécio Neves, através de um assessor

Pó pará, governador?
28 de fevereiro de 2009 | 0h 00

Mauro ChavesO Estado de S.Paulo

Em conversa com o presidente Lula no dia 6 de fevereiro, uma sexta-feira, o governador Aécio Neves expôs-lhe a estratégia que iria adotar com o PSDB, com vista a obter a indicação de sua candidatura a presidente da República. Essa estratégia consistia num ultimato para que a cúpula tucana definisse a realização de prévias eleitorais presidenciais impreterivelmente até o dia 30 de março – “nem um dia a mais”. Era muito estranho, primeiro, que um candidato a candidato comunicasse sua estratégia eleitoral ao adversário político antes de fazê-lo a seus correligionários. Mais estranho ainda era o fato de uma proposta de procedimento jamais adotada por um partido desde sua fundação, há 20 anos — o que exigiria, no mínimo, uma ampla discussão partidária interna -, fosse introduzida por meio de um ultimato, uma “exigência” a ser cumprida em um mês e meio, sob pena de… De quê, mesmo?

O que Aécio fará se o PSDB não adotar as prévias presidenciais até 30 de março? Não foi dito pelo governador mineiro (certamente para não assinar oficialmente um termo de chantagem política), mas foi barulhentamente insinuado: em caso da não-aprovação das prévias, Aécio voaria para ser presidenciável do PMDB. É claro que para o presidente Lula e sua ungida presidenciável, a neomeiga mãe do PAC, não haveria melhor oportunidade de cindir as forças oposicionistas, deixando cada uma em um dos dois maiores colégios eleitorais do País. E é claro que para o PMDB, com tantos milhões de votos no País, mas sem ter quem os receba, como candidato a presidente da República, a adoção de Aécio como correligionário/candidato poderia significar um upgrade fisiológico capaz de lhe propiciar um não programado salto na conquista do poder maior — já que os menores acabou de conquistar.

Pela pesquisa nacional do Instituto Datafolha, os presidenciáveis tucanos têm os seguintes índices: José Serra, 41% (disparado na frente), e Aécio Neves, 17% (atrás de Ciro Gomes, com 25%, e de Heloisa Helena, com 19%). Por que, então, o governador de Minas se julga capaz de reverter espetacularmente esses índices, fazendo sua candidatura presidencial subir feito um foguete e a de seu colega e correligionário paulista despencar feito um viaduto? Que informações essenciais haveria, para se transmitirem aos cerca de 1 milhão e pouco de militantes tucanos — supondo-se que estes fossem os eleitores das “exigidas” prévias, que ninguém tem ideia de como devam ser –, para que pudesse ocorrer uma formidável inversão de avaliação eleitoral, que desse vitória a Aécio sobre Serra (supondo que o governador mineiro pretenda, de fato, vencê-las)?

Vejamos o modus faciendi de preparação das prévias, sugerido (ou “exigido”?) pelo governador mineiro: ele e Serra sairiam pelo Brasil afora apresentando suas “propostas” de governo, suas soluções para a crise econômica, as críticas cabíveis ao governo federal e coisas do tipo. Seriam diferentes ou semelhantes tais propostas, soluções e críticas? Se semelhantes, apresentadas em conjunto nos mesmos palanques “prévios”, para obter o voto do eleitor “prévio” cada um dos concorrentes tucanos teria de tentar mostrar alguma vantagem diferencial. Talvez Aécio apostasse em sua condição de mais moço, com bastante cabelo e imagem de “boa pinta”, só restando a Serra falar de sua maior experiência política, administrativa e seu preparo geral, em termos de conhecimento, cultura e traquejo internacional. Mas se falassem a mesma coisa, harmonizados e só com vozes diferentes, os dois correriam o risco de em algum lugar ermo do interior ser confundidos com dupla sertaneja — quem sabe Zé Serra e Ah é, sô.

Agora, se os discursos forem diferentes, em palanques “prévios” diferentes, haverá uma disputa de acirramento imprevisível. E no Brasil não temos a prática norte-americana das primárias — que uniu Obama e Hillary depois de se terem escalpelado. Por mais que disfarcem e até simulem alianças, aqui os concorrentes, após as eleições, sempre se tornam cordiais inimigos figadais. E aí as semelhanças políticas estão na razão direta das diferenças pessoais. Mas não há dúvida de que sob o ponto de vista político-administrativo Serra e Aécio são semelhantes, porque comandam administrações competentes.

Ressalvem-se apenas as profundas diferenças de cobrança de opinião pública entre Minas e São Paulo. Quem já leu os jornais mineiros fica impressionado com a absoluta falta de crítica em relação a tudo o que se relacione, direta ou indiretamente, ao governo ou ao governador.

O caso do “mensalão tucano” só foi publicado pelos jornais de Minas depois que a imprensa do País inteiro já tinha dele tratado — e que o governador se pronunciou a respeito. É que em Minas imprensa e governo são irmãos xifópagos. Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes. Neste aspecto a democracia em São Paulo é mais direta que a mineira (assim como a de Montoro era mais direta que a de Tancredo). Fora isso, os governadores dos dois Estados são, com justiça, bem avaliados por suas respectivas populações.

O problema tucano, na sucessão presidencial, é que na política cabocla as ambições pessoais têm razões que a razão da fidelidade política desconhece. Agora, quando a isso se junta o sebastianismo — a volta do rei que nunca foi –, haja pressa em restaurar o trono de São João Del Rey… Só que Aécio devia refletir sobre o que disse seu grande conterrâneo João Guimarães Rosa: “Deus é paciência. O diabo é o contrário.”

E hoje talvez ele advertisse: Pó pará, governador?

Mauro Chaves é jornalista, advogado, escritor,administrador de empresas e pintor. 

PS do Viomundo: Nós publicamos o texto de Mauro Chaves, em 17 de março de 2010, para mostrar o que o Serra é capaz de fazer com os colegas do próprio PSDB.  Hoje, o Eduardo Guimarães pretendia colocar o link para ele num post que fez para o Blog da Cidadania. Fazendo a busca no portal do Estadão, encontrou um link  que conduz a uma página em branco. Mas, com ajuda de um leitor, Eduardo conseguiu recuperá-lo e conta a história toda.

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

55 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

zapdojulio

21/04/2015 - 15h25

[…] insinuações do jornalista Mauro Chaves, no jornal O Estado de São Paulo, de 28/02/2009, sobre hábitos heterodoxos do então governador mineiro. O revide de Aécio materializou-se na investigação de Amaury Junior […]

Responder

Ignacio Delgado: A trajetória política de Aécio é uma tremenda fraude; golpista, entreguista e inimigo dos direitos dos trabalhadores; - Viomundo - O que você não vê na mídia

20/04/2015 - 18h39

[…] insinuações do jornalista Mauro Chaves, no jornal O Estado de São Paulo, de 28/02/2009, sobre hábitos heterodoxos do então governador […]

Responder

Altamiro Borges: Estadão coloca Aécio na "oposição selvagem" e já faz campanha por Alckmin « Viomundo - O que você não vê na mídia

04/01/2015 - 11h54

[…] jornalão da oligarquia paulista, que no passado já disparou o petardo “pó pará, Aécio”, numa insinuação tóxica, não esconde a sua simpatia pelo governador Geraldo Alckmin. Vale […]

Responder

Espaço do internauta – Tuiteiro (@RodP13) agradece solidariedade e pede por Carone « Poços10 – Poder e Política

15/09/2014 - 13h56

[…] dizemos que as pessoas gritam, a plenos pulmões, no centro de BH. Gritam no Mineirão. Insinuam no Estadão. Sugerem que se faça testes de […]

Responder

Aécio, o aeroporto, o “fogo amigo” e a imprensa | Ouro de Tolo

30/07/2014 - 05h54

[…] Estadão, diga-se, foi o portador do famoso artigo “Pó Pará, Governador”, com uma advertência ao então governador mineiro antes da definição do candidato à Presidência […]

Responder

Eduardo

05/06/2014 - 08h58

Não é político eleitoral e não e novo este assunto do pó! Amauri Ribeiro apenas repercutiu assunto de barbearias, saunas, mesas de bar, porta de igreja, festa de casamento, batizados, velórios,churrascos,aniversátios, , coffee break de palestras,enfim onde se reúnem uma pessoa e meia, este assunto,há muitos anos, sempre surge com muitos comentarios!

Responder

Aécio atribui acusação de uso de cocaína ao "submundo" da internet - Viomundo - O que você não vê na mídia

03/06/2014 - 13h49

[…] Mauro Chaves, aliado de José Serra: Pó Pará, governador? […]

Responder

Demitido em MG, Amaury nega que Privataria foi resposta a Pó Pará - Viomundo - O que você não vê na mídia

18/12/2013 - 12h11

[…] Tucana, do repórter Amaury Ribeiro Jr., que vendeu 150 mil exemplares, foi uma resposta ao artigo Pó Pará Governador, do falecido Mauro Chaves, homem ligado a Serra, em O Estado de São Paulo, antes da definição de […]

Responder

Nassif diz que fábrica de dossiês de Serra continuará ativa - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/12/2013 - 21h30

[…] PS do Viomundo: Vamos perguntar ao repórter Amaury Ribeiro Jr. se de fato ele lançou o livro Privataria Tucana como resposta ao Pó Pará Governador. […]

Responder

Mario Marona e Leandro Fortes: Vergonha alheia - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/05/2013 - 16h07

[…] Reprise: Pó pará, governador? […]

Responder

Luís CPPrudente

20/05/2013 - 23h37

O finado Mauro Chaves pediu para o grande (e também finado) Chico fazer uma psicografia póstuma, solicitando que atualizasse a frase bombástica para: “Pó pará, senador Aócio?”.

Responder

FrancoAtirador

20/05/2013 - 23h13

.
.
BANDIDAGEM!!!

Não tem outro nome,

É MÍDIA BANDIDA MESMO!
.
.

Responder

Rodrigo Leme

20/05/2013 - 19h20

O Estadão moveu todo seu arquivo para um formato e seção novos, na ultima reformulação do site. O texto ainda está no site, mas apenas assinantes podem ler o acervo do jornal.

http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20090228-42137-nac-2-opi-a2-not

Responder

    Eduardo Guimarães

    20/05/2013 - 21h09

    Hehehe… Só que a alteração foi feita em agosto de 2010…

    Almerindo

    20/05/2013 - 21h33

    Pois é. ANTES TODOS podiam ler a matéria! POR QUÊ mudaram agora???

    Luís CPPrudente

    20/05/2013 - 23h34

    Rodrigo Sem Leme, sempre a serviço do PSDB e do PIG. Agora só os leitores sócios podem ler, o texto está lá…bem escondido.

    Gerson Carneiro

    21/05/2013 - 01h02

    “A esperteza, quando é muita, fica grande e come o dono”, Lula.

Fabio Passos

20/05/2013 - 17h40

Acho provavel que serra saia candidato a presidente em 2014. Pelo psdb ou por outro partido qualquer. O verdadeiro partido de serra e o PiG.

E possivel tambem que aecio desista.
Enfrentar Dilma defendendo fhc e tarefa suicida. Ninguem e tao estupido.

Quanto a baixaria do serra chamar aecio de cheirador de cocaina… eles se merecem. rsrs

Responder

Marcus Vinicius

20/05/2013 - 17h21

… para reforçar o post, basta o pessoal ir no livro do Amaury Ribeiro Júnior “A Privataria Tucana” nas páginas 28 e 29, onde o autor faz menção do artigo do falecido jornalista Mauro Chaves sobre o tema em questão e a resposta pelo jornal controlado pelo Aécio “Estado de Minas” em 03/03/2010.

o interessante é o capítulo que trata o assunto: “Briga de Foice no PSDB”… rs !!

Responder

    Marcio H Silva

    20/05/2013 - 20h59

    Fui lá conferir no meu exemplar do livro do Amaury. Tem a foto da matéria do Mauro Chaves, e tem também: Aécio retruca pelo Estado de Minas -> “Minas a reboque, não!”. Interessante esta briga política por meio da imprensa, que se tornou cabo eleitoral neste país…….

Hélio Pereira

20/05/2013 - 16h26

O pessoal faz intriga sobre a Preferência de Aécio,mas todo mundo sabe que como bom mineiro,ele gosta mesmo é de Doce e tendo as Narinas acentuadas,ele sente bem o cheiro dos Doces,por isto pra Aécio Neves,tem que ser fornecida COCADA BOA,senão ele fica “estressado”.

Responder

Ricca Maiouh

07/09/2010 - 19h23

A maior maldade embutida no artigo e' o PO', insinuando e ao mesmo tempo ameacando Aecio com a fofoca de que ele e' usuario de cocaina. Aecio nao deve ter digerido isso de jeito nenhum. Se eu fosse ele entregava logo Serra aos lobos.

Responder

duducoutinho

07/09/2010 - 19h20

Ainda bem que o Mauro Chavez me explicou como a democracia em Sao Paulo é mais direta. Com a critica da folha e do estadão…Me sinto mais aliviado.
Essa eleição está entrando pra historia como a mais engraçada de todos os tempos, e não tem a ver com o Tiririca entrar em campanha

Responder

O silêncio obsequioso de “O Estado de Minas” | Viomundo - O que você não vê na mídia

07/09/2010 - 17h28

[…] no início de 2009, uma pessoa ligada a Serra escreveu, em O Estado de S. Paulo, o famoso artigo Pó Pará Governador?, que o Viomundo reproduziu na […]

Responder

Caso da Receita: PF e mídia vão agir de forma republicana? | Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2010 - 17h49

[…] de Aécio Neves e José Serra. Meses antes, num jornal paulista, foi publicado o famoso artigo Pó pará, governador, assinado por aliado de José Serra. No início de novembro, Aécio Neves foi acusado de bater numa […]

Responder

Leider_Lincoln

23/03/2010 - 21h28

Imaginem um homem destes com poder fora da Província de São Paulo?
Pensem nessa coisa falsa, dissimulada, rancorosa, baixa e vingativa como nosso presidente?
De quem ele aceitará críticas? O que será capaz de fazer com quem o criticar?
E ainda há quem diga que a Dilma que é uma ameaça a democracia…

Responder

Donizeti

20/03/2010 - 01h25

Esse Mauro Chaves é um verdadeiro pândego, para não dizer outra coisa!

" A administração do tucano José Serra é cobrada de forma firme e com cabresto curto pela mídia paulista, especialmente pelos dois maiores jornais de São Paulo ". Qua,qua,qua,qua!

Se tem uma coisa que a mídia paulista como certeza não faz (Folha, o Estadão onde ele escreve besterias deste calibre, Veja e rede Globo), é cobrar ou fiscalizar o governo do Serra e dos outros governadores tucanos que já desgraçaram o Estado de SP.
Ao contrário, essa imprensa paulista sabidamente é a primeira a blindar esses governos e politicos do PSDB, jogando para debaixo do tapete qualquer irregularidade tão logo apareça.

Quanto ao " pó, para governador ", o Mauro Chaves, puxa-saco emérito do tucano Serra, estaria fazendo alguma ilação a alguma suposta predileção do governador tucano minerio Aécio por algum pó branco, que não é talco nem farinha de trigo ?

Responder

Rafael, BHte

18/03/2010 - 16h35

Lembro q no fatídico 11 de setembro de 2001, dia em q Osama fez aquela 'intervenção arquitetônica' em Noviorque, estava eu numa consulta ao ortopedista, médicos são normalmente contidos mas aquele fez questão' de para minha surpresa, levantar o tal assunto, era o assunto da vez em 'Belo Horrorizonte city' qualquer lugar q vc fosse alguém acabava falando sobre ,. Quando assumiu Aécio, como seus antecessores já tinha feito, bem usou o fato do Governo do estado ser o maior anunciante e com um bombardeio permanente desses logo o 'contiúdo' foi sustituído por outro mais a favor na cabeça do pobre mineiro q já padecia de falta crônica de imprensa critica. Mas seria ingenuidade achar q os inimigos (até do próprio PSDB) não iriam requentar o assunto quando fosse conveniente. Se verdade for suponho q como sempre acontece nesses casos talvez esteja fartamente documentado com vídeos etc. Como o avó ele tb parece q acha q ser político é profissão (embora não exista registro de tal ofício no Ministério do Trabalho mas como ele não é o único a fazê-lo não podemos condená-lo) e tudo indica q terá vida longa no meio, mas corre o risco por causa da tal 'advertência' de frequentar os banquetes e nunca conseguir se assentar na cadeira principal, se bem q do jeito q a coisa anda logo será preciso mudar os parâmetro com que se costuma 'julgar' os outros já q não restará quase nenhum virgem nessas 'paradas'. Particulamente não gosto dele mas acho uma extrema falta de caráter apelarem para esse tipo de coisa embora eu tenha tb q considerar q um político q ocupa cargos importantes e tenha algo na vida particular a esconder fica sujeito a todo tipo de chantagem.

Responder

Rodrigo Doneda

18/03/2010 - 10h50

Mauro Chaves escreveu: "Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes."

Digo eu: 'ce bebeu, meu??!!!

Responder

silvia macedo

18/03/2010 - 00h41

E as qualidade do Chirico?
"só restando a Serra falar de sua maior experiência política, administrativa e seu preparo geral, em termos de conhecimento, cultura e traquejo internacional." Traquejo internacional? O Mauro está falando do Lula, gente.

Sempre o mesmo discurso, já comprovadamente testado como falso.

Responder

Jason-PR

18/03/2010 - 03h27

Hoje na verdade Serra e Aélcio Neves estão no cenário nacional tão fortalecidos e tão bem avaliados pela população dos outros estados que ninguém sabe o que eles pensam e o que querem sobre o futuro do país.
Um apesar de estar bem nas pesquisas todo mundo acha que o Serra é o Drausio Varela, no máximo um genérico do FHC. Aélcio é aquele que gasta o mundo e o fundo para trazer o jogo das eliminatórias entre o Brasil e Argentina para BH e demitir o Kajuru (ninguém merece).
Eles não tem cacife nem para bancar o jogo de abertura para a copa de 2014 e querem ser presidente do Brasil. Que inventou esse caras
Quando começar o horário eleitoral e o povo perceber que o Serra não o Drausio Varela ele despenca no máximo faz 25 %.
Se Lula ver que Dilma não ganha no primeiro turno (o que será um supresa grande como em 2006) e der uma ajuda na candidatura de Ciro. Um segundo turno entre Dilma x Serra tem quase a mesma chance de acontecer que Dilma x Ciro.
Vou dar uma de analista e cravar: cenário mais provável Dilma leva no primeiro turno ou Dilma quase leva no primeiro turno e Ciro (2° lugar) ganha por 2% do Serra (3/ lugar). Azenha se eu acertar quero os créditos, te cobro em outubro.

Responder

Piá

17/03/2010 - 20h41

"Pó pará, governador?"
.
Isso parece uma ameaça, chantagem.

Responder

Destruir, destruir, destruir. Eles só pensam em destruir | DSG Online

17/03/2010 - 16h10

[…] boatos e rumores. Isso vale contra qualquer um que se coloque no caminho de Serra. Trago de volta, aqui, o artigo de um assessor do governador paulista, publicado no Estadão, com o sugestivo título de […]

Responder

Jairo

17/03/2010 - 19h00

Mauro Chaves, leve-me a seu lider.
Este cara é de outro planeta. Ambos são competentes?!?!?!Um, administra do Leblon o estado de Minas (dizem que quem administra é a irmã na verdade). Dizem outras coisas, também… O outro transformou o estado de SP num lixo. Todos falam de suas qualidades de gestão, mas não dizem quais.
Mauro Chaves. Vai plantar orgânicos.

Responder

augusto

17/03/2010 - 17h09

o que significa esse negocio de pó?

Responder

    Carlos

    17/03/2010 - 19h02

    "Pó"?
    Não tenho a mínima idéia….

    jakelyne

    20/10/2010 - 12h02

    nao tenho ideia

    Chico Pina

    17/03/2010 - 20h59

    Vocês dois estão falando sério…?

    Ninguém sabe que é uma insinuação sobre o suposto vício do Aécio em cocaína?

    Marcio H Silva

    20/05/2013 - 21h03

    Não de carne a gato, meu amigo. Eles podem engordar…..

Caesarea

17/03/2010 - 16h07

Esse texto é surreal !!! onde esse pobre coitado do assecla de serra vive? resposta: na privincinha de são paulo, é claro!

Responder

AZENHA: Destruir, destruir, destruir. Eles só pensam em destruir « UNIVERSIDADE PARA QUEM?

17/03/2010 - 13h02

[…] boatos e rumores. Isso vale contra qualquer um que se coloque no caminho de Serra. Trago de volta, aqui, o artigo de um assessor do governador paulista, publicado no Estadão, com o sugestivo título de […]

Responder

Bruno Z.

17/03/2010 - 15h58

"Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes."

Corram para as colinas, é o fim dos tempos!!!!

Responder

    Carlos

    17/03/2010 - 18h58

    "… pelos dois jornais mais importantes."
    OESP e FSP: unidos na bancarrota.

MarcãoTeuPai

17/03/2010 - 15h57

Candidatura "Despencar feito viaduto"? hahaha olha o tiro no pé!!! Pior que isso seria ele escrever "ir por agua abaixo"… Era uma vez um tucano que contratou a raposa pra matar o outro tucano. Adivinha o que acontecu?
O Mauro Chaves, Chaes, Chaves! Uma histórinha bem gostosa de se ler! Isso, isso, isso!

Responder

Murilo

17/03/2010 - 15h05

Que viagem!: "É que em Minas imprensa e governo são irmãos xifópagos. Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes. Neste aspecto a democracia em São Paulo é mais direta que a mineira (assim como a de Montoro era mais direta que a de Tancredo)."

Acham que enganam a quem?

Responder

    Roberto Locatelli

    20/05/2013 - 16h53

    Realmente, essa passagem é surreal. O próprio artigo é o retrato de como os tucanos são irmãos xipófagos do jornalecão.

Jeanette

17/03/2010 - 15h05

Do blog do Rudá Ricci, foto da "acolhida" da polícia na manifestação dos funcionários públicos mineiros, no novo centro administrativo.
http://rudaricci.blogspot.com/2010/03/acolhida-da

Responder

    Ronaldo Rocha

    18/03/2010 - 03h19

    Aproveitando a deixa do comentário, hoje foi a vez dos "acolhedores" militares mineiros que ontem protegiam o novo "Paço do Governo" com cavalaria, cães e bombas de gás, dos "manifestantes" (assim que mídia mineira se referiu aos funcionários estaduais), manifestarem contra o Governo. O senhor Aécio Neves que prega aos 4 cantos do Brasil e do mundo um modelo de excelência em gestão, hoje deve estar muito orgulhoso de ver o pronto socorro do Hospital XXIII (para quem não sabe é o maior pronto socorro de MG) com seus médicos de braços cruzados, os educadores prontos para entrar em greve, e a segurança pública que já não é das melhores dando sinais de que também já não suporta o arrocho e as falsas promessas. Além das várias outras categorias de servidores que também já não aguentam tamanho sucateamento. Esse é o "Choque de Gestão" que não passa de muito marketing e pouca ação.

Genghis Khan

17/03/2010 - 15h02

Para os mais informados, o 'pó parar', pretendia apenas alertar o pretenso candidato de que se ele resolvesse entrar na briga, deveria se preparar para chafurdar no lamaçal. Depois disso veio o blogueiro Juca Kfuri com 'os tabefes do aécio na namorada'. Vejam que o Juca é blogueiro esportivo mas, amigo de dom josé chirico I, não se furtou a lhe dar mais essa mãozinha. Então, é melhor que estejamos todos preparados para o odor putrefato que vai exalar da midia paulistana nestes meses que antecedem o pleito. Não podemos nos esquecer do que dom josé I fez com a rosena sarney, com o uso da estrutura da policia federal. Se esse cara ganha, aí sim as liberdades estarão em perigo. Em compensação, os civitas, marinhos, frias e mesquitas encherão as burras.

Responder

laura-bh-mg

17/03/2010 - 14h40

Li como se o assunto ou o texto tivesse sido escrito hoje. Nada mudou no mundo dos DEMOTUCANOS. Quanto à boa aparência do Aécio, tenho minhas dúvidas. Ontem vi uma das imagens dele publicada pela mídia PIG, que tenta desesperadamente favorecer quaisquer de seus asseclas, e por maior que seja o retoque, fiquei envergonhada de ver o tamanho do nariz e das narinas que o elegante menino do Rio vem apresentando. Não o acho boa pinta… Onde ficou a pinta?

Responder

Julio Cesar

17/03/2010 - 14h29

Não dá mais pra acreditar no nível!!! E q negocio é esse que a imprensa paulista pega o governador pelo cabresto? Como assim? É pra chorar um negócio desses…

Responder

André Almeida

17/03/2010 - 14h25

Adorei o parágrafo em q o assessor de Serra diz q Serra é cobrado "com força" pela mídia paulista. E a cara nem fica vermelha…
Relembrar é preciso…

Responder

Destruir, destruir, destruir. Eles só pensam em destruir « Viomundo – O que você não vê na mídia

17/03/2010 - 10h36

[…] boatos e rumores. Isso vale contra qualquer um que se coloque no caminho de Serra. Trago de volta, aqui, o artigo de um assessor do governador paulista, publicado no Estadão, com o sugestivo título de […]

Responder

Deixe uma resposta