VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC

30 de agosto de 2013 às 07h46

Palmério com o Senhor X, no Acre (foto Mylton Severiano, cedida pela Geração Editorial)

por Luiz Carlos Azenha

Foi o acreano Narciso Mendes, hoje com 67 anos de idade, quem usou um gravador emprestado pelo repórter Fernando Rodrigues, da Folha de S. Paulo, para comprovar que deputados federais de seu estado venderam os votos na aprovação da emenda constitucional que permitiu a reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1997.

A revelação é feita no livro O Príncipe da Privataria, de Palmério Dória, que chega às livrarias hoje.

Em Brasília não era segredo o papel desempenhado por Narciso, à época deputado federal pelo Partido Progressista, de Paulo Maluf. Porém, pela primeira vez ele assume oficialmente o que fez.

Trecho do livro:

A compra dos votos para a reeleição, frisa Narciso, “se dava às escâncaras”. Seria “muita ingenuidade”, diz ele, considerar inverossímil que, no episódio da troca de cheques pré-datados por dinheiro vivo, os deputados saíssem carregando R$ 200 mil em sacolas. Afinal, em notas de R$ 100,00 seriam duas mil notas, ou o dobro se fossem notas de R$ 50,00. Duzentos pacotes de mil reais: volume considerável. “Tinha de ser em sacolas!”, diverte-se ele.

O que Narciso diz é que cheques foram antecipados e, posteriormente — depois da aprovação da emenda — trocados por dinheiro.

Dois deputados renunciaram antes de serem cassados pela Câmara, ao admitirem envolvimento na tramoia: Ronivon Santiago e João Maia. Outros três, igualmente da bancada acreana, também foram citados como tendo vendido o voto.

Na época, o PSDB atribuiu a manobra a interesses paroquiais, de governadores que também seriam beneficiados pela aprovação da emenda. Porém, o livro coloca a operação no colo de Sérgio Motta, então ministro das Comunicações e principal articulador de FHC junto ao Congresso Nacional.

Narciso, hoje empresário no Acre, é dono do jornal O Rio Branco e de uma retransmissora do SBT. Ele sustenta que se opôs à emenda que garantiu a reeleição a FHC por questões ideológicas. Não concordava que pudesse beneficiar quem a promovia.

Reproduzindo um trecho de A Arte da Política, livro de FHC, afirma: “Aqui diz Fernando Henrique Cardoso: Sérgio Motta indignou-se, queria logo uma CPI na ingenuidade de imaginar que, naquela circunstância, da CPI resultasse outra coisa diferente do que culpar o governo”.

Comenta:

“Nem Sérgio Motta queria CPI, nem Fernando Henrique queria CPI, nem Luís Eduardo Magalhães [líder do governo] queria CPI, ninguém queria, porque sabiam que, estabelecida a CPI, o processo de impeachment ou no mínimo de anulação da emenda da reeleição teria vingado, pois seria comprovada a compra de votos”.

Mas, quantos votos foram comprados para que FHC pudesse se reeleger?

Nos cálculos do senador Pedro Simon, citado no livro, 150. A 200 mil reais por cabeça, por baixo, R$ 300 milhões!

Narciso acha que foram mais. Nega que, como foi acusado por escrito por FHC, tenha tentado tumultuar a tramitação da emenda.

“Como é que um desgramado, do baixo clero, do Acre, tinha poderes para tumultuar a emenda da reeleição?”, afirma Narciso.

Também rebate a ideia de que o governador do Acre à época, Orleir Cameli, assim como outros dirigentes de estados do Norte, tivessem tomado a iniciativa de promover a emenda, como sugere FHC em seu livro.

 Uma mentira, diz Narciso, pois no Acre, por exemplo, Orleir Cameli não se candidatou à reeleição. Ademais, acrescenta, não foi “o pessoal do Norte” quem inventou a reeleição, muito menos a compra de votos. “Foi uma criação do  senhor Sérgio Motta e do senhor Fernando Henrique Cardoso”, reitera.

*****

O livro O Príncipe da Privataria é, na verdade, um balanço do entorno do homem que “vendeu o Brasil”. Uma denúncia menos na linha de Amaury Ribeiro Jr. e mais na de Aloysio Biondi e seu O Brasil Privatizado.

Um escândalo sobre o qual o Brasil pouco refletiu, já que a mídia corporativa se refere àquele como um período de ouro do país. É importante frisar que os principais grupos de mídia tiraram proveito direto dos negócios envolvidos na privatização.

Na Nota do Editor que abre o livro, Luiz Fernando Emediato pergunta: “onde estava, no reinado dos tucanos, o ministério público, o procurador geral da República, os Joaquim Barbosa daquele tempo? O chamado “mensalão” — tenha existido ou não — parece coisa de amadores diante do profissionalismo de empresários, burocratas e políticos daquele tempo. Nenhuma CPI. Nenhuma investigação que chegasse ao fim. Nenhuma denúncia capaz de levar a um processo e a uma condenação!”

Palmério Dória avança a tese de que Glauber Rocha, na década de 70, foi visionário ao dizer:

No Brasil, o gancho do Pentágono é o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), que funciona em São Paulo.

Fernando Henrique Cardoso é apenas um neocapitalista, um kennedyano, um entreguista.

Como a Central de Inteligência dos Estados Unidos deu dinheiro à Fundação Ford e esta ao Cebrap — na casa, especula Palmério, do milhão de dólares –, “o Cebrap recebeu dinheiro da CIA”.

Teria sido este o início da “inspiração” que levou FHC a adotar a agenda do consenso de Washington, que resultou na queima de R$ 100 bilhões em patrimônio público dos brasileiros.

[Financie mais conteúdo exclusivo como este assinando o Viomundo]

O próprio autor fala abaixo sobre os principais destaques do livro:

22 - ago 0

STF julga nesta quarta a ilegalidade da MP do Ensino Médio

Ministros do Supremo, amigos ou inimigos da Educação?

22 - ago 0

Ao vivo: Acompanhe o debate na Câmara sobre a revisão da política de atenção básica

Na Comissão de Seguridade Social da Câmara dos Deputados

 

58 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pablo Villaça: Carta aberta a quem tem menos de 25 anos « tatianeps.com.br

14/10/2014 - 18h04

[…] Tucanos, zero. 10. Fim da universidade pública: FHC obedeceu ao FMI 11. A Culpa é do PT? 12. Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC 13. Escândalo do grampo do BNDES 14. Nos tempos do engavetador-geral: Refrescando Henrique Cardoso […]

Responder

Palmério Dória retrata o Brasil na era Sarney - Viomundo - O que você não vê na mídia

25/06/2014 - 17h59

[…] Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC […]

Responder

Altamiro Borges: Nós sabemos o que FHC fez no verão passado - Viomundo - O que você não vê na mídia

12/09/2013 - 13h13

[…] Palmério Dória conta tudo sobre o reino do príncipe da privataria […]

Responder

Alencar PT - Compra de votos para aprovar reeleição de FHC foi “escancarada”, revela ex-deputado

05/09/2013 - 10h34

[…] mais no blog Viomundo Clique aqui           « Juventude do PT realiza Encont… […]

Responder

Blogueiros entrevistam autor do Príncipe da Privataria - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2013 - 17h15

[…] Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC […]

Responder

Eduardo

02/09/2013 - 14h32

O poder do Sistema Globo atingiu proporções incontrolaveis pelo pelo regime democrático e governo! O grande problema do país não é mais os políticos,os empresários corruptores,os homens públicos corruptos, nem a falta de cultura, tampouco a origem de sua população! Tudo isso é superável!
Insuperável é a mídia liderada pela Globo que trabalha para eleger os políticos que deseja,trapaceia e chantagía empresários, instituições públicas e privadas, políticos, governantes e órgãos do governo, enfim comete crimes sistematicamente á luz do dia e ainda os divulga de acordo com seus interesses. Este é o poder para o bem e para o mal! Somos todos submetidos! Somente o povo poderá solucionar com uma liderança hoje inexistente! Quem sabe no futuro!

Responder

RONALD

02/09/2013 - 08h43

Vamos levar o livro pro fhc dar um autógrafo, e de preferencia quando ele estiver na academia brasileiras de (inúteis)letras.
Pode não ser o fhc que escreveu, mas vai ser um ‘melhor vendido’.

Responder

anac

31/08/2013 - 18h15

Gente, pelo visto o golpe da barrigão do Ricardão em cima de fhc foi armação para toná-lo refém da Globo. Miriam jornalista da Globo serviu como arapuca, barriga de aluguel. Na realidade, a ram…ra armou para fhc. Capaz do filho ser do marinho, o bob. E quem se lascou literalmente foi o povo brasileiro,que pagou a conta da barriga. Dá um filme em “Roliúde”.

Responder

Jovens protestam SP, RJ, RS, BA, PA: Devolvemos à Globo o lixo que ela joga no povo brasileiro - Viomundo - O que você não vê na mídia

31/08/2013 - 17h23

[…] Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC […]

Responder

Mauricio Dias: Dilma continua em viés de alta - Viomundo - O que você não vê na mídia

31/08/2013 - 13h26

[…] Palmério Dória: O ex-deputado e a venda de votos para reeleger FHC […]

Responder

juma

31/08/2013 - 12h25

E cadê a justiça neste país?? Por que o sabidamente honestíssimo José Genoíno é condenado e por outro lado “dorme-se” em cima dos mensalões tucanos, propinodutos tucanos etc?? Que vergonha, nação brasileira! Que vergonha!

Responder

Messias Franca de Macedo

30/08/2013 - 21h52

Barão lança “O príncipe da privataria”

Do sítio do Centro de Estudos Barão de Itararé:
Na terça-feira (3), o Centro de Estudos da Mídia Alternativa promove o lançamento de ‘O Príncipe da Privataria’ (Geração Editorial, R$ 39,90), de autoria do jornalista Palmério Dória. A obra consiste em uma grande reportagem de 400 páginas, 36 capítulos e 20 anos de apuração sobre as polêmicas em torno da compra da reeleição de Fernando Henrique Cardoso (FHC). A atividade acontece na sede da entidade (Rua Rego Freitas, 454, conjunto 13) e será transmitida ao vivo pela TVT.

O livro – cuja tiragem inicial é de 25 mil exemplares – aborda as contraditórias privatizações do governo tucano e revela, após 16 anos, a identidade do “Senhor X”, a misteriosa fonte que gravou a confissão de deputados em relação à compra de votos de deputados para garantir a aprovação da emenda da reeleição.

No lançamento, que será aberto ao público, Palmério Dória participará de um debate sobre a produção e as principais polêmicas do livro – desde a compra de votos para a reeleição de FHC até os bastidores da ‘privataria’, da tentativa de venda da Petrobras e dos supostos projetos de venda da Caixa e do Banco do Brasil. Diversos blogueiros já confirmaram presença no evento.

Na véspera do lançamento, segunda-feira (2), o autor também participa do programa de webTV Contraponto – uma parceria entre o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e o Barão de Itararé. Na ocasião, Palmério Dória será entrevistado pelos jornalistas Rodrigo Vianna (Escrevinhador), Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), Paulo Salvador (Rede Brasil Atual) e Renata Mielli (Barão de Itararé), a partir das 19h.

Confira o release completo do livro no sítio da Geração Editorial: Príncipe da Privataria: O livro bomba do ano!

NOTA FÚNEBRE: acompanha o ‘folden’, uma fotografia do “Príncipe Cheiroso do ‘Cansei’” que é um luxo!…

em http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/08/barao-lanca-o-principe-da-privataria.html

#####################

NOTA MAIS DO QUE FÚNEBRE(!)

… [Com um âncora assassino de reputação a $$$oldo dos Civitas] Definitivamente, ‘Roda Morta’!…

E VAPT VUPT!…

… Convenhamos: esse PIG é muito chinfrim! É ou não é?!… Tacanho, desprovido de senso crítico, grotesco, aloprado… Lamentável: o jornalismo de esgoto!…

Que “ellite” é essa, sô?!…

E que país é esse?! “É o ‘brazil’ radicalmente mudado (sic) por um menino paupérrimo – e muito humilde (idem sic) – chamado Joaquim!” Coitado do Ruy Barbosa!…

EM TEMPO: “As elites são tão estúpidas que desprezam as próprias ignorâncias!” Eduardo Galeano – emérito escritor e pensador humanista uruguaio

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

anac

30/08/2013 - 20h38

Não existem santos…
Muito menos na politica…
Até João Paulo II, que serviu a direita na guerra fria ganha pela direita nos fins de 1980, tinha seu lado negro das trevas e serviu ao diabo, o capetalismo, para derrotar o comunismo, outra espécie de diabo.
Então, quem espera santo na politica, uma certeza terá vai se decepcionar e MUITO. Lula usou as regras eleitorais – caixa dois, conchavos, alianças com o diabo para fazer a obra de Deus – vigentes, criadas pelos 1% para chegar e se manter por seculos no poder. Sem a necessidade de grandes rupturas – violência – Lula chegou ao poder. O que jamais pensou a direita ser a esquerda capaz de fazer. A direita sempre dizia que a esquerda só se unia na prisão. O discurso radical da esquerda que pregava a revolução no final servia mais a direita para se manter no poder. Era so colocar os cães pastores militares para reprimir os radicais e ainda teriam o discurso belo de que ao contrario dos esquerdistas, os políticos da direita desejavam tão somente a paz e trabalhavam para resolver os problemas que assolavam o país. Era fácil destruir qualquer aspiração da esquerda ao poder.Ela mesma se sabotava. Lula rompeu com isso. Pelas vais institucionais e usando os meios criados pela direita chegou a poder e se mantem. Aí reside o ódio ao Lula, a Genoíno, ao PT e principalmente a Dirceu que foi o mentor intelectual dessa mudança de estrategia que levou a derrota a direita, que fracassa na disputa pelo poder desde 2002. A vingança veio com o Joaquim do STF.Por isso não basta ver Dirceu condenado, ele tem que ser humilhado, algemado e encarcerado. Como não puderam pegar Lula, que se tornou mito, foram em cima de Dirceu, que não é santo, mas aqueles que o acusa alem de não serem santos, são aliados do diabo para destruir a obra de Deus. Não por acaso são contra a dar comida e água(bolsa família) a quem tem fome, dar assistência medica a quem esta morrendo de fome. Ou seja tudo o que Jesus Cristo pregou.

Responder

Marat

30/08/2013 - 20h37

Ah, seria bom deixar os médicos cubanos de plantão. Pode ser que eles tenham de trabalhar muito, para cuidar de casos de raiva, depressão, vergonha, crise de consciência etc. e tal… A Cantanhêde deveria ser vacinada por um deles… Quem sabe uma injeção de verdade, algo que ela abomina, mas que é necessário!

Responder

Marat

30/08/2013 - 20h35

Bem… cada reinado tem o Príncipe que merece… Logo começará a grita contra o livro por um lado, por outro (PIG) um silêncio ensurdecedor… Fico imaginando as caras de paisagem, especialmente dos “jornalistas” da veja, da Cantanhêde e do pessoal da CBN, que, na minha opinião, são os tons mais escuros de marrom de nossa impren$$$a 50 tons de marrom!

Responder

anac

30/08/2013 - 19h52

Difícil essa gente ser punida, não obstante provas cabais e insofismáveis do ilícito praticado. Privataria tucana, propinoduto de SP, mensalão da reeleição, mensalão de MG, nada vai adiante porque aos 1% e aos políticos que os servem é garantido a impunidade pelas instituições que deveriam punir, tipo Judiciario e MP. A poderosa Globo que detêm o poder midiático de destruir reputações torna refém com chantagens aquele que se insurgir contra tal estado de coisa. A certeza é tanta da impunidade que eles não se abalam mesmo vindo a tona os inúmeros escândalos que lesaram o país. E não adianta dar o numero da conta no paraíso fiscal onde era depositada a propina, não adianta o próprio presidente da SIEMENS, ALSTOM e cia ltda apresentar provas documentais da propina distribuída, as gravações com áudio do pagamento da propina a deputados para aprovar emenda reeleição, eles tem certeza que nada ocorrerá pois não vai sair na Globo e o Judiciario e MP estão dominados. Tudo como antes no quartel de Abrantes…

Responder

    Imputável

    31/08/2013 - 05h17

    Em qualquer lugar sério, partido que teve conta no exterior e até usou para pagar campanha seria extinto automaticamente, aqui o STF diz ser legal e absolveu os caras. Depois disso tudo vale

souza

30/08/2013 - 19h33

a história do governo fhc de ser levado a todos os cantos do país.

Responder

Urbano

30/08/2013 - 19h04

O danoso ferrando henriqueaux está mais para insultão do que pra príncipe de alguma coisa.

Responder

    Urbano

    31/08/2013 - 12h47

    Mas… Até que ele tem condições de ser príncipe ou rei de boston.

Fabio Passos

30/08/2013 - 18h36

Leitura excelente para entender como os donos do poder arrasaram o Brasil durante o desgoverno fhc…o pior presidente da história do Brasil!

O que merece fhc… um traidor que destruiu seu país seguindo ordens dos ianques?

Responder

Messias Franca de Macedo

30/08/2013 - 18h00

… Melhor ainda do que comprar um exemplar da obra-prima ‘[FHC] O Príncipe da Privataria’ é presentear um(a) amigo(a) DEMotucano com o referido futuro próximo ‘best seller’!…

Viva o Palmério Dória! A nação brasileira agradece ao senhor, penhoradamente!

E viva o honesto, sapiente, competente e destemido povo trabalhador brasileiro!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós enquanto ações reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

renato

30/08/2013 - 16h16

Não deu nada naquela época, não vai dar nada agora.
Nem com os caras com a mão na botija, dá alguma coisa.
Aqui só acontece alguma coisa, quando é complicado,
enxadrezado, cheio de teorias, quando o povo não entende
mesmo e vale só o que a mídia diz, quem tem a mídia na mão
LEVA….o que quiser.

Responder

    Roberto Locatelli

    30/08/2013 - 17h47

    Em parte isso é verdade. Só que agora nós também somos mídia.

    Joaquim Batman pode não fazer nada, mas os eleitores terão mais um dado para decidir seu voto em 2014.

    Francisco

    30/08/2013 - 19h55

    Lamentavelmente o Renato resumiu tudo.

    A direita pode ser gravada roubando (reeleição de FHC), fotografada roubando, documentada roubando (privataria de Cerra), filmada roubando (Proprina para a PF de DD), confessar o roubo (Caso da Siemens) que NÃO DÁ EM NADA.

    Já não se sabe mais o que fazer. Se ter mais votos não é ter poder (votar não faz diferença), como culpar quem não quer votar?

    Semana que vem, mais tardar, José Genuino, irá para a cadeia.

    Irá para a cadeia sem provas.

    Os militantes de esquerda ainda não se organizaram para fazer a vaquinha para comprar um terreno e erigir o monumento que lhe é devido.

    Nem vão.

    anac

    30/08/2013 - 20h09

    Como sou otimista, acredito que a verdade salva e liberta…
    Por isso silenciar os mensageiros dela era a principal estrategia para derrota-la e fazer triunfar a mentira, que dita mil vezes pela poderosa mídia detentora até pouco tempo do monopólio de comunicação se tornava verdade. Assim os 1% se mantinham no poder. Qualquer ato em favor do povo por menor que fosse a mídia acusava de populismo, palavra que passou a ter valor pejorativo. Moderno era o politico que beneficiava os 1% na sua jornada de tungar o pais como a privataria. Brizola era acusado de caudilho, populista, dinossauro porque acusou ser a privataria um crime de lesa pátria. Mesmo alguns que aqui comentam, em 1990, foram grandes defensores da privatização, caindo na arapuca armada pelo PiG, votando nos dois fernandos, o collor e o cardoso. Deu no que deu…
    Mas a verdade cedo ou tarde tem o poder do facho de luz que ilumina as trevas. A internet é a verdade. É a luz…..

viomundinha

30/08/2013 - 14h18

E os crápulas do PSDB acharam que enganariam trouxas pegando o Maluf.

Só Maluf?

O bom disso tudo é que o PSDB fechou as portas. Agora é só seguir eles e não deixar que troquem seus nomes e apareçam em algum partido.

Responder

    anac

    30/08/2013 - 23h06

    Os tucanos são os sujos, imundos falando do mal lavado. Como tem o beneplácito da mídia continuam a apontar o dedo em riste para quem comparativamente a eles tucanos pode até se considerar um ladrão de centavos, totalmente inofensivo.

Porém

30/08/2013 - 12h25

Esse é o mesmo cara que quando Sarney apoiava o outro lado nunca disse nada e bastou esse mais do que apoiar, Lula jamias ganharis sem os votos do Maranhão, esse quis vender ao povo que Sarney era bandido.

Responder

Luiz Moreira

30/08/2013 - 12h13

Eu, numa tosca análise, acredito no seguinte, usando o raciocínio lógico aplicado à posição política: todo o capitalista considera que, a maior e primordial característica, para vencer no mundo dos negócios, de qualquer tipo, é a ESPERTEZA. E, os apoiadores desta corrente, em geral políticos ligados ao capital, também defendem esta tese. Mas, qual é a característica necessária para ser um VIGARISTA ou LADRÃO de sucesso? A ESPERTEZA!! Logo, quando falo ou entro em contato com um tipo destes, sempre sei que estou lidando com um vigarista ou ladrão de gravata. Nunca com pessoa honesta.Os honestos não ficam ricos. Única coisa que, em geral, na atualidade, eles não fazem, é matar para roubar. Mas, se necessário, pagam um assassino de aluguel. É que são DEMOCRATAS, e na DEMOCRACIA, cada um pensa o que quiser, mas fazer a sujeira, cabe aos elementos desclassificados, e eles são DOUTORES. Regime safado.

Responder

Messias Franca de Macedo

30/08/2013 - 12h10

FIM DO VOTO SECRETO É O SUICÍDIO DO PARLAMENTO, SEGUNDO O JORNAL ‘O GLOBO’!

… [Calma!] Depois que “o aliado” e atual presidente da Câmara dos Deputados &$ o PIG &$ o restante da DIREITONA cassarem o Dirceu, o Genoino e o João Paulo Cunha, restaura-se, automaticamente (sic), o voto secreto – notadamente em relação ao tópico ‘cassação de parlamentares’!…
É vero: o que a DIREITONA quer é [mais] um “corte na história do país”, ‘tênue, plausível’ (sic) e efêmero [‘o domínio do fato!], a bem da verdade(!)…

E VAPT VUPT!

*Conquista democrática, o voto secreto existe desde a Grécia Antiga, quando os atenienses decidiam se determinado cidadão deveria ser enviado ao ostracismo; ele foi preservado nas democracias modernas para garantir a independência dos parlamentares diante da pressão dos poderes econômico e, sobretudo, midiático; sem o voto secreto, como querem o Globo, o Estado de S. Paulo e colunistas como Eliane Cantanhêde, a democracia brasileira seria substituída por uma espécie de Globocracia, Mervalocracia ou Elianecracia; será que os deputados irão oferecer a eles o próprio pescoço?

30 DE AGOSTO DE 2013 ÀS 11:40

“QUEM CASSA O GENOINO É A CÂMARA” Por jornalista Paulo Henrique Amorim
‘É vero’ II! No entanto, “o aliado” e presidente da Câmara dos Deputados já se apressou(!), afirmando: “Esse foi o último julgamento por voto secreto atinente à eventual cassação de mandato parlamentar!” “Dá pra entender?!”…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Maria Izabel L Silva

30/08/2013 - 11h41

Casseta. E o dinheiro? Veio da Siemens?

Responder

Messias Franca de Macedo

30/08/2013 - 11h40

(…)

“Rameira, ponha-se daqui para fora”? Quem disse essa frase principesca, após um ataque de cólera dentro do Senado Federal?
Por que o Brasil não ficou sabendo que FHC era apontado – já ao chegar ao poder – como pai de uma repórter da TV Globo? Que favores FHC ficou devendo à família Marinho (e ao grupo seleto de políticos que lhe deu ‘cobertura’ na história do filho) quando a Globo aceitou “exilar” a tal repórter num posto sem importância em Lisboa (e depois na Espanha)?
“Olha, Fernando, quando você conversar comigo, por favor, nivele teus olhos aos meus.” Quem foi o homem que acusava FHC de ser um príncipe esquivo e escorregadio?
Não são meros detalhes. Dezesseis anos depois de ter aparecido como “senhor X”, Narciso Mendes ressurge e confirma que a reeleição foi comprada. FHC pode “nivelar os olhos” e encarar Narciso de frente? Parece que não. E o Brasil, FHC pode encarar de frente? Leiam o livro do Palmério antes de dar a resposta definitiva.

Por jornalista Rodrigo Vianna

Palmério revela o Príncipe da Privataria: FHC pode olhar nos olhos do “Senhor X”?
Livro conta tramoia da reeleição tucana
publicada sexta-feira, 30/08/2013 às 06:54 e atualizada sexta-feira, 30/08/2013 às 06:54

em
http://www.rodrigovianna.com.br/palavra-minha/palmerio-revela-o-principe-da-privataria-fhc-pode-olhar-nos-olhos-do-senhor-x.html#comment-95070

#########################

LÁ VEM O MATUTO ‘BANANIENSE’ COM ‘O DIÁRIO DO MENTIRÃO &$ DE OUTRAS MENTIRAS’ NAS MÃOS ‘SUJAS’!

Que “elite” é essa, sô?!…

E que país é esse?! “É o ‘brazil’ radicalmente mudado (sic) por um menino paupérrimo – e muito humilde (idem sic) – chamado Joaquim!” Coitado do Ruy Barbosa!…

EM TEMPO: “As elites são tão estúpidas que desprezam as próprias ignorâncias!” Eduardo Galeano – emérito escritor e pensador humanista uruguaio

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Pedro

30/08/2013 - 11h36

Ficaria surpreso se fosse diferente. A podridão do capitalismo é condição de uma transformação radical, já dizia Marx, mas aguentá-la não é fácil.

Responder

Matheus

30/08/2013 - 11h16

O PT teve a chance de destruir o PSDB/Dem de uma vez por todas. Bastava que o presidente petista da Câmara dos Deputados, em 2012 (antes do atual, do PMDB), abrisse a CPI da Privataria, que já tinha apoios suficientes. Por que não fez isso?

Será que também tem um rabo preso nessa história?

Responder

    cid elias

    30/08/2013 - 11h49

    Não, não tem rabo preso, embora isso seria teu sonho, né mesmo? Ocorre que muitos caciques da base aliada seriam pegos numa cpi da privataria, então o governo que, no atual SISTEMA POLÍTICO, precisa desses crápulas para governar e fazer os pequenos avanços sociais agora vistos, optou por não fazê-lo.

FrancoAtirador

30/08/2013 - 11h13

.
.
Folha de S.Paulo
15/05/97

Mercado de Voto

Ex-deputado do AC pode ser ouvido hoje

da Sucursal de Brasília

A comissão de sindicância que investiga a denúncia de venda de votos na Câmara quer ouvir hoje o ex-deputado acreano Narciso Mendes (PPR, que deu origem ao PPB), que os membros da comissão acreditam ser o autor das gravações divulgadas pela Folha.

Os deputados encarregados da sindicância se fixaram no nome de Narciso Mendes a partir do depoimento secreto prestado ontem pelo deputado Ronivon Santiago.

Pelo relato do deputado Paulo Bernardo (PT-PR), Ronivon afirmou saber quem é o ”senhor X” -como a Folha vem identificando o autor das gravações em que Ronivon diz ter vendido seu voto. Mas disse que só revelaria sua identidade depois.

O jornalista Fernando Rodrigues, autor das reportagens sobre a compra de votos, disse que ”a comissão tem o direito de inferir o que desejar. Apenas a fita com as gravações, entretanto, pode revelar a verdadeira identidade do senhor X”.

É um direito constitucional da Folha preservar o sigilo da fonte de suas informações. Ronivon (PFL-AC) deu pistas sobre a suposta identidade de ”senhor X”: seria um ex-deputado casado com uma deputada, que teria participado das conversas.

Narciso Mendes é casado com a deputada Célia Mendes (PFL-AC), relatora da CPI que investiga o trabalho infantil.

(http://www1.folha.uol.com.br/folha/circulo/pre_mer_voto_11.htm)

Responder

    FrancoAtirador

    30/08/2013 - 12h29

    .
    .
    13/05/97

    Senhor X – Ele não pagou nada daqueles do Orçamento de 94, de 95?
    Ronivon – Não. Ele me deu R$ 100 mil… R$ 100 mil agora para a votação. Deu em cheque e em dinheiro. Me deu um cheque. Aí, depois, me deu dinheiro. Eu devolvi o cheque. Me deu R$ 100 mil, em dinheiro.
    Senhor X – Para a votação?
    Ronivon – É. Mas, dentro daquele negócio. Aí, eu fui e acertei com ele. Eu digo, olha, faz o seguinte: aí tem uma nota para mim, quando eu receber de 400 e poucos mil de um (trabalho) que a firma fez, que é para poder me reter o meu dinheiro. Mas está lá para pagar e até hoje não pagou esse dinheiro. E esse dinheiro que dá para pagar todos esses pagamentos. Estou aguardando.
    Senhor X – Mas, me diga uma coisa. Ele não deu 200 mil para cada um?
    Ronivon – Mas eu peguei só 100.
    Senhor X – E quem foi que pegou?
    Ronivon – Não, todo mundo pegou 200.
    Senhor X – Todo mundo pegou 200… pela votação?
    Ronivon – E eu peguei 100. Mas eu tinha um assunto meu. Que ele ia me pagar isso aqui. Aí ficou pra CM. Aí, eu, né…? Ficou pra CM, porque a empresa que está lá, pra faturar essa nota, que é para poder me pagar tudo. Aí, ficou dentro os meus outros 100. Tô pra receber, ele vai me pagar…
    Senhor X – Orleir chegou a dizer a algumas pessoas lá no Acre que os votos tinham sido pagos…
    Ronivon – 200 paus.
    Senhor X – 200 paus para cada um?
    Ronivon – É.
    Senhor X – E você, tirou 200?
    Ronivon – Só um. Mas eu tenho… vou receber. Está negociado.
    Senhor X – O João Maia também recebeu os 200?
    Ronivon – Recebeu.
    Senhor X – Os 200?
    Ronivon – Todo mundo… Osmir, Zila…
    (…)
    Senhor X – E aquele cheque? Foi pago?
    Ronivon – Foi. Só que veio em dinheiro.
    Senhor X – O cheque não foi descontado, não?
    Ronivon – Não. Rasgou.
    Senhor X – Você rasgou?
    Ronivon – Rasguei. Não só o meu, como o do Osmir, da Zila, de todo mundo.
    Senhor X – Eu pensava que naquele episódio da reeleição você tinha arrumado mais…
    Ronivon – Não. O que tem de mais aí ficou acertado. Ele ligou na minha frente para fazer a nota de 400 e poucos paus. Está lá, está feito. Está autorizado lá, está tudo prontinho lá. Saiu, aí eu pego. É meu. Então, eu não briguei por uns 100 real porque estou vendo que está embutido. A hora que sair a firma me dá, sem problema nenhum.
    Senhor X – Quer dizer que o acerto eram 200?
    Ronivon – 200 para todo mundo.
    (…)
    Senhor X – Mas esse cheque não foi dado na véspera da votação?
    Ronivon – Mas no outro dia ele deu em dinheiro.
    Senhor X – Deu em dinheiro?
    Ronivon – De manhã, antes da votação aqui à tarde.
    Senhor X – Arrumaram esse dinheiro como, hein?
    Ronivon – Sei não. Aí você me enrolou (risos)…
    (…)
    Senhor X – Mas você pagou, você pagou, o Banco do Brasil…
    Ronivon – Numa porrada só.
    Senhor X – Logo? Na mesma hora?
    Ronivon – Não… Na semana passada… Na semana passada (risos). Sou leso? Não, isso foi tudo na semana passada… Deixei assentar a poeira. Fui lá e negociei. Paguei 196 paus.
    Senhor X – 196?
    Ronivon – Pau! Os meus cheques sem-fundos tudinho. Eu tive que arrecadar esses cheques tudinho. Paguei, só de cheques aí deu 46 mil de cheques. Em Rio Branco tinha seis.
    Senhor X – A reeleição lhe salvou, né?
    Ronivon – Ôô!
    Senhor X – A reeleição.
    Ronivon – Eu me protejo, rapaz…

    (http://www1.folha.uol.com.br/folha/circulo/pre_mer_voto_3.htm)

Edmilson

30/08/2013 - 11h12

Azenha, a coisa é realmente assustadora, mas para que não o acusem de “parcialidade”, valeria retificar o valor do total de propina que consta da matéria: R$ 200.000,00 X 150 = R$ 30 milhões, e não 300 (o que não diminui em nada a gravidade do relatado). Vale lembrar que são valores de 1998 e caberia uma “atualização monetária”…

Responder

Ednaldo Vieira osta

30/08/2013 - 11h12

Tenho a impressão que essa sujeirada feita por esse “Falso brilhante”FHC, já teria sido passado a limpo, caso a grande imprensa não fizesse parte do pacote.Outra verdade, é que por trás disso tudo está a inteligência americana.

Responder

Cezarley

30/08/2013 - 11h11

A única certeza que eu tenho é que este livro vai fazer parte da minha coleção se juntando aos outros: PRIVATARIA TUCANA, A VIDA QUER É CORAGEM, A OUTRA HISTÓRIA DO MENSALÃO. Já estou montando a minha biblioteca particular, que beleza e só de birra vou comprar no site da FOIA!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

30/08/2013 - 10h58

… PETIÇÃO PÚBLICA JÁ! Pela abertura imediata da *’CPI DO MENSALÃO DO FHC’!…
*’o MAIOR e MAIS indecoroso escândalo de CORRUPÇÃO da história do Brasil – e quiçá do mundo’?!…

“VUMBORA” ‘supremas vozes das ruas’!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Baruch Ramses

30/08/2013 - 10h55

Alguém já tem um site para comprar pela internet?

Responder

    francisco niterói

    30/08/2013 - 11h05

    comprei hoje cedo no site da FNAC

    Baruch Ramses

    30/08/2013 - 12h03

    Obrigado. Acabei de comprar onde vc indicou.

    Cibele

    30/08/2013 - 23h18

    Também comprei lá, bom preço.

Panino Manino

30/08/2013 - 10h54

Puff… nada que eu já não saiba e vai dar em alguma coisa? Claro que não.
Para esse país andar pra frente primeiro precisa andar para trás, de volta a Era da Bala.
Só isso resolve.
Livros assim acabam sendo mais um agrado as consciências.

Responder

Julio Silveira

30/08/2013 - 10h29

Estou entre os que pensam. E acredito que FHC foi a bomba de nêutrons que explodiu na politica brasileira, pela capacidade que teve de destruir o pais, o estado brasileiro, por longo prazo, deixando inteira a estrutura publica, apesar de fraca e impotente, inclusive para conter avanços internacionais sobre nossos tesouros e nossa soberania. Creio que um dia, com a cidadania mais consciente, a história vai lhe dar o devido mérito.

Responder

    Lamento

    31/08/2013 - 05h22

    de fato, se FHC tivesse deixadso pior, melhor teria sido para o petismo. È por isso que depois de anos elegendo Cabral e turma, o petismo precisa transformar o RIo numa chiqueiro de porco, para que depois o que fizer seja maravilhoso

    Julio Silveira

    31/08/2013 - 19h49

    Então tá, já entendi, para você ele é gênio. Pode até ser, já que fez sumir um patrimônio publico que foi criado estrategicamente. Por que estratégico? E por que foram criados? Você não deve saber, deve ser alguém que já encontrou tudo pronto, e nunca questionou sua necessária existência. O patrimônio foi criado para defender o país da falta de comprometimento que os grupos estrangeiros tinham e tem em relação aos que os hospedam? Comprometimento tem, mas com o país sede, os grupos americanos são um exemplo crasso disso.
    Além do mais, deveria ser sagrado para políticos evitar colocar as mãos em patrimônio que não criaram, principalmente empresas que foram pensadas para servirem como base de construção da nossa soberania industrial. No Brasil essas negociatas só acontecem com certa frequência por que temos uma cidadania que acha natural sermos a casa da mãe Joana. Que vê com apenas uma indignação verborrágica desvios de bilhão em R$, que destrói a sociedade, que retira o futuro de muitos. Gente que admite desvios de conduta, por que dentro do inconsciente de muitos, populares, faz parte da marca nacional a famosa malandragem. Entendo você, sei que o FHC tem simpatias, afinal está até na academia. Seu talento? a burguesia, se protegem, vaziiiiia.

von Narr

30/08/2013 - 10h07

Merval vai dizer que o livro é apenas peça de campanha eleitoral do PT e o Gaspari lamentará que Serjão, o responsável, já faleceu…

Responder

Maria Thereza

30/08/2013 - 09h01

E vai ficar por isso mesmo. Os procuradores, investigadores, juízes do stf são os mesmos desde sempre. Só mudam o corpo, mas o direcionamento é idêntico. Aos amigos, tudo. Aos inimigos, a lei. Mesmo que distorcida, aviltada e contando com uma fala absurda como a do ministro barroso.

Responder

Mardones

30/08/2013 - 08h51

No reino da Privataria, o Brasil não tinha OAB, MP, STF, CRM, Coxinha, tomate caro, não tinha Jabor, Caetano, Luana, Lobão, Hebe, Ivete, Bial, Tacanhede, FIESP…

Depois do Lula, o Brasil descobriu que existia sociedade civil e poder judiciário. Deram – os petistas – vida nova à República e redescobriram até que a PGR exercia função.

O milagre foi tamanho que até adormecido acordou. E não era conto de fada. Era brasileiro e muito bem nutrido. k k k

Viva o Brasil!

Responder

    Véio Zuza

    30/08/2013 - 11h07

    Brilhante!!! Esse comentário merecia ser reproduzido sempre que vêm com essa ladainha…
    Bando de vagabundos!
    Leña y punto!

É isso

30/08/2013 - 08h19

Se fizer uma conta dos votos verá que até gente da esquerda vendeu o seu e foi por isso que o petismo ficou sabendo que poderia ser comprado. E quanto precisou votar coisas como a reforma da previdência, que nunca foi como o petismo quis, mas sim FHC, não tinha outro jeito para aprovar.

Responder

José Ricardo Romero

30/08/2013 - 08h19

O PT vai abominar esse livro porque todos sabem minúcias destes acontecimentos, calaram, continuaram calados e apanhando feito cachorro descoberto na horta durante o mensalão e até agora nas condenações. A mesma atitude diante do “Privataria Tucana”. O governo e os petistas sabem que virão cobranças desse silencio criminoso que trai a confiança daqueles que votaram nesse partido, como a minha. E continuam se situando mal diante das agressões da direita como se tivessem o rabo preso e sejam obrigados a se manter calados.

Responder

    Jorsom

    30/08/2013 - 10h39

    Os 300 picaretas de quem Lula falou estavam no barco do governo FHC e infelizmente grande parte destes picaretas pularam no barco do governo Lula /Dilma e em nome da governabilidade o governo se omitiu e acabou refém dos mesmos, o resto da história vocês já sabem,ou melhor, os últimos capítulos está passando telinha do STF.

Deixe uma resposta para Fabio Passos