VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Luana Tolentino: A queda de Aécio e a imprensa em Minas

22 de junho de 2011 às 09h45

por Luana Diana dos Santos Tolentino, para o Viomundo

No último domingo acordei ao som das gargalhadas do meu irmão. Ao perguntá-lo o motivo de tanta alegria às 7 da manhã, fui informada que Aécio Neves havia caído do cavalo. A princípio, pensei que fosse piada. Após uma olhada rápida no twitter, descobri que não havia nenhuma figura de linguagem na queda do senador tucano. O acidente lhe custou cinco costelas  e a clavícula direita quebradas.

Na padaria não havia outro assunto. Enquanto tomava meu cafezinho acompanhado por um pão com manteiga, observava um grupo de senhores de meia idade organizarem  um ‘bolão’ dos motivos do tombo do ex-governador. Sei que é pecado rir da desgraça alheia, mas foi difícil me conter diante das apostas:  “O cavalo deve ter sido presente do Serra”…”A eguinha ‘pocoPó’ se rebelou contra a tucanada”…risos….

Saciada a minha fome, dei uma folheada no Estado de Minas, o maior jornal das Gerais. Buscava uma foto, alguma notícia em relação ao quadro de saúde de Aécio. Não encontrei absolutamente nada. É aí que a queda do tucano perde a graça.

A falta de notícias quanto ao que realmente aconteceu com o  neto de Tancredo na tarde de sábado é apenas mais um capítulo do clima de cerceamento que vive a imprensa mineira. No episódio que ficou conhecido como #Aéciodevassa ocorreu a mesma coisa. Nem uma mísera linha sobre o assunto no jornal. Por aqui, qualquer fato que desagrade Aecim ou o Governo, hoje liderado pelo também tucano, Antonio Anastasia, fica de fora dos veículos impressos e televisivos. Quando divulgados, são feitos de maneira deturpada e tendenciosa.

Desde o dia 8 de junho, quando nós professores da Rede Estadual de Ensino entramos em greve reivindicando a implementação do piso salarial nacional (recebemos um piso de R$ 550,00!), tenho comprado o Estado de Minas diariamente a fim de acompanhar as notícias sobre o movimento. Até o momento foram divulgadas não mais que meia dúzia de parágrafos sobre a paralisação dos profissionais da educação, e mesmo assim com o intuito de desmoralizar ainda mais a nossa classe. Infelizmente,  a pouca visibilidade dada pelo periódico à nossa luta é motivo de comemoração pelo  Sindicato dos Professores. No ano passado, foram necessários exatos 60 dias para que uma nota saísse no jornal.

A censura exercida pelos tucanos sobre a imprensa mineira causaria inveja até na turma do DOPS. Na quarta-feira passada, 15, cerca de 700 professores se reuniram em frente à Cidade Administrativa, fechando a Linha Verde, via de acesso ao Aeroporto de Confins. Na voz do Diretor de Segurança da sede do Governo, veio o recado de Anastasia: “Liberem a Linha Verde e o Governador deixará a imprensa noticiar a manifestação de vocês!”. No dia seguinte havia 3 linhas (3!) sobre a ato  no Estado de Minas e uma matéria de 30 segundos no noticiário local.

As restrições à liberdade de expressão em Minas é tão pesada que virou documentário. Alunos do curso de jornalismo  da Universidade Federal de Minas Gerais realizaram um vídeo onde profissionais de rádio e televisão denunciam as dificuldades encontradas para a veiculação de matérias contrárias aos interesses de Aécio e cia. Alguns jornalistas que ousaram romper com a tirania psdbista foram demitidos. Á época da realização da pesquisa, Aécio Neves era o governador do Estado. Dias depois do documentário ganhar a internet, começou a circular uma nova produção  – “Olha só como se constrói uma mentira e a distorção do fatos. Jornalistas negam censura”. Essa era a chamada do vídeo. Aecim é realmente muito danado!

Conversando com uma grande amiga que trabalhou durante 25 anos no Estado de Minas, soube que 50% dos recursos do jornal são provenientes de contratos publicitários com o Governo Estadual, num momento em que a tiragem e o número de assinantes decresce vertiginosamente.  O Deputado Carlin Moura, do PCdoB, já havia feito a mesma denúncia no ano passado. Encaminhada ao Ministério Público Estadual, se juntou aos milhares de processos que encontram-se engavetados.

Dedilhando este texto lembrei-me de Lima Barreto, um dos meus escritores preferidos. Barreto costumava dizer que no Brasil muitos jornais não passavam de meros diários oficiais à serviço dos interesses do governo. Em Minas, o pensamento barretiano permanece atualíssimo.

Como boa mineira, não perco a fé. Não há motivos para perdermos as esperanças de que em breve teremos uma imprensa livre e democrática, que atenda de fato aos interesses dos cidadãos. A liberdade é o lema da nossa bandeira. O sucesso do II Encontro de Blogueiros Progressistas sinaliza que novos tempos estão por vir.

Luana Diana dos Santos Tolentino é cronista, historiadora e professora da Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais.
@luanadianas

 

108 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eliseu Pinto Teixeira

05/05/2012 - 19h51

Eu gostaria que a noticia: Aecio caio do cavalo, fosse no sentido figurado. Por exemplo: Aecio se candidatou a gari e não foi eleito. Se fizer eleição qual o peor? Serra ou Aecio. Aecio ganha. Aecio vai ser peor que o avô.É questão de tempo. Tancredo servio de Getulio até morrer. Mostrem-me o que ele fez de bom para o povo. UM CONCILIADOR como
“carregador de recado de rapariga”. Lula não foi o que eu esperava, mas deu o primeiro chute. Agora é fazer como os mineiros. “Não deixar a peteca cair”. PSDB,DEM.FHC e ditadura americana. NUNCA MAIS!!!
,

Responder

Marco Meyer

26/06/2011 - 21h15

Tia Anastacia (Anastasia-governador de Minas)paga uma nota em propaganda na Imprensa Mineira
dizendo que "melhorou e asfaltou 299 estradas".Todo dia sai nos "jornais e na televisão", e, vem o
Aecim passear do Rio em Minas e cai do cavalo numa estrada.Queisso uai?
Gente como chamava o Pocotó?
"Cheiroso"

Responder

Helga Lima

26/06/2011 - 14h06

Fico indignada quando sei que ainda hoje o jornal está a serviço do governo e só para ele deve trabalhar. Mas fico feliz em saber que a nosso favor existem pessoas como Luana, mulher sábia e antenada e que ainda por cima é uma professora que luta não só pelos direitos dos professores, mas tamb em busca de uma melhor educação para nossa população. Parabéns a essa professora que luta por uma notícia real.

Responder

Guilherme

26/06/2011 - 11h38

Oi Luana, por favor, crie um novo jornal! Vocês professores precisam ser mais empreendedores, criem novos jornais pra acabar com essa porcaria que é o jornal Estado de Minas.

Responder

Euler Conrado

25/06/2011 - 20h50

Chamo a atenção especialmente para a Rádio Itatiaia, cujos comentaristas parecem assessores do governador de Minas e do ex-governador, tal o puxa-saquismo deslavado – certamente em troca de muitos 30 dinheiros.

Agora na nossa greve, por exemplo, têm o cinismo de dizerem que estão preocupados com os alunos. Ora, a quem eles pensam que estão enganando? Quem está realmente preocupado com os alunos defende a nossa greve, que exige simplesmente o cumprimento de uma lei federal, a Lei do Piso, que o governo de Minas não cumpre. A política do governo mineiro está destruindo a carreira dos educadores e com isso acabando com a possibilidade de um ensino de qualidade.

Minas é uma região que não se difere muito das outras regiões brasileiras dominadas pelo coronelismo. Justiça, mídia e legislativo estão ligados como apêndice ao coronelzinho de plantão que ocupa o governo. O Brasil precisa evoluir muito ainda e sair desse grau de subserviência e cumplicidade dos poderes e da mídia para com essas práticas, que só contribuem para criar privilégios, práticas de corrupção e estimular as desigualdades sociais.

Em suma, a mídia mineira não é menos corrupta e canalha do que a mídia nacional. Mas, felizmente temos quebrado em parte esta autocensura da mídia mercenária, através da Internet e das mobilizações populares. Que precisam se fortalecer, para desmascarar essas realidades que desfazem a cidadania e os direitos assegurados em lei.

Responder

Marcelo Pizzi

25/06/2011 - 10h20

No que diz respeito ao cerceamento da imprensa mineira, nada a discutir. É assim mesmo. Talvez devesse incluir outros órgãos, como a Rádio Itaiaita e o jornal Hoje em Dia, que faz propaganda para todos políticos: PT, PSDB, PC do B, etc, etc.

O resto do artigo, porém, é propaganda barata do petismo.

Aécio e o PT são variações do mal que acomete o Brasil: políticos de péssima qualidade. A diferença entre um e o outro, é que Aécio tem um projeto pessoal. O PT, um projeto partidário. No entanto, para ambos, o desenvolvimento do Brasil passa longe de ser uma prioridade.

O erro é escolhermos um lado, e pior, enxergar virtudes em tanta sem-vergonhice.

Responder

    João Vitor

    25/06/2011 - 16h43

    Engraçado! Você não consegue disfarçar a sua idolatria pelo PSDB , Que é isso Marcelo!!.

Yarus

25/06/2011 - 07h49

Viva São João!
Viva os Bebão!
Viva Aébrio Neves
Viva Índio da vodka
[youtube -nh_T8WhWNI http://www.youtube.com/watch?v=-nh_T8WhWNI youtube]

Responder

Poliana

24/06/2011 - 12h17

Antes em Minas a irmã o protegia da mídia, evitando assim que as notícias ruins viessem a tona…lá fora quem o protege?

Responder

FrancoAtirador

23/06/2011 - 19h58

.
.
O CACIQUE JÁ CAIU DO CAVALO
AGORA, FOI A VEZ DO ÍNDIO

Índio da Costa perde a carteira em blitz da Lei Seca

Rio – O candidato à vice-presidência da República na chapa de José Serra nas eleições de 2010, o empresário Índio da Costa, teve sua habilitação retida por se recusar a fazer o teste do bafômetro em uma blitz da Operação Lei Seca realizada no Leblon, Zona Sul do Rio, na noite desta quarta-feira. Conforme explicou, ele estava indo para a casa da namorada, quando foi parado pelos agentes na Av. Bartolomeu Mitre por volta das 23 horas. Índio disse que se recusou a fazer o teste porque teria bebido vinho durante o almoço.

"Eu não sei quanto tempo o álcool fica no sangue, mas me sentia bem para dirigir. No Detran, deixei claro que havia tomado vinho no almoço. Eu parabenizo o trabalho da Operação Lei Seca e fiquei muito feliz em ver a atuação dos agentes", justificou.

A carteira de habilitação de Índio da Costa foi retida e o empresário teve que acionar um taxista para conduzir o carro.

23/06/2011
Por Pedro de Figueiredo
O Dia online

Responder

    ANNA

    24/06/2011 - 00h43

    O CACIQUE JÁ CAIU DO CAVALO
    AGORA, FOI A VEZ DO ÍNDIO

    A melhor piada deste feriadão!! kkkkkkkk

    como esse povo é barbeiro!
    não conseguem dirigir nem cavalo pangaré e querem dirigir o país.

niltinho

23/06/2011 - 19h36

Olha aí gente mais uma reserva de gás em Minas, a Codemig está no comando e o presidente da Codemig é a sombra do Aético, olho vivo para não nos roubarem: http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoti

Responder

    Eugênio L.da Costa

    23/06/2011 - 19h48

    O Aécio fala, fala do PT e não dá a mesma liberdade que o LULA deu a imprensa. Ele pensa que
    vai fazer o nós brasileiros como amordaçou os mineiros, com a censura

Giordano

23/06/2011 - 16h32

Acho muito estranho o Aecim ter caído de um mísero pangaré. Digo isso porque ele costuma surfar na noite carioca agarrado nas crinas de cerca de 200 purossangue de sua possante Land Rover. Não fosse uma equivocada blitz de trânsito mal avisada, ninguém ficaria sabendo que ele faz isso costumeiramente com a cara cheia da marvada manguaça. hehehehehehehehe…

Responder

André

23/06/2011 - 15h57

Isso mesmo, eleitores de Minas Gerais, continuem votando no PSDB, e terão sempre essa impresa porca… merecido isso!!!

Responder

josé

23/06/2011 - 14h47

GREVE HISTÓRICA DA EDUCAÇÃO EM MINAS

A greve na rede estadual de educação de Minas Gerais de 2011 é uma greve histórica. É uma greve como nenhuma outra na história deste país, como dizia o ex presidente. É uma greve para reduzir os salários.

Esta conclusão foi tirada a partir da leitura de carta da Secretária de Planejamento Renata Vilhena ao jornal O Tempo dia 22.06.2011, que transcrevo abaixo:

“Outra reivindicação do sindicato é a necessidade de o governo de Minas pagar o piso salarial. Ocorre que, com o subsídio, o Estado já paga acima do piso. Segundo o MEC, o piso nacional é de R$ 1.187 para uma jornada de 40 horas semanais, o que representa R$ 712,20 para 24 horas. Em Minas Gerais, o rendimento inicial de um professor de educação básica, no nível médio, para 24 horas semanais, é de RS 1.122, ou seja, 57,54% acima do piso.”

O mais intrigante é que até agora o Governo do Estado de Minas Gerais não aceitou a proposta do Sind-UTE. Isto reduziria muito a folha de pagamentos do Estado e o limite prudencial de gastos com pessoal conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal. Poderia antecipar o reajuste do pessoal da segurança pública e até conceder um aumento ainda maior. Sobraria dinheiro para aumentar a capacidade do estádio Mineirão propiciando aos educadores mineiros assistir os jogos da Copa gratuitamente, como forma de recompensa pelo ato de proporem a redução de salários.

Neste momento é importante o Sind-UTE intensificar as ações para aumentar as adesões ao movimento. Vamos alcançar a tão desejada redução de salários. Na próxima semana receberemos apoio dos pais e a imprensa cobrirá diariamente nossas ações. A justiça mineira encontrará alguma lacuna na legislação permitindo a redução de salários. O quadro será muito favorável para alcançarmos 100% de adesão. Comentário de um professor.

Responder

    Aline Rezende

    24/06/2011 - 10h35

    Caro senhor José,

    Admira-me muito que o senhor enquanto professor, ainda faça uso da informação deturpada que o estado reproduz , por meio de uma imprensa cerceada, como o próprio artigo relata.

    Gostaria muito de acreditar que o senhor não é professor da rede estadual de ensino, pois demonstra total desconhecimento das reinvindicações de nossa categoria.

    No ano anterior reivindicávamos o Piso Salaria Nacional, porém ainda existia uma ação no STF (ADIM) em que 5 estados alegavam a inconstitucionalidade da lei do piso. Por isso acabamos a greve de 2010 "aceitando" a proposta do subsidio. Vale ressaltar que tal proposta não foi discutida, tão pouco aceita na integra pelos professores e consequentemente pela instituição que nos representa "SINDUTE", o governador nos impôs essa forma de remuneração.

    No entanto no dia 6 de abril de 2011, a lei do piso foi considerada constitucional em sua plenitude. Vou explicar-lhe em que consiste o Piso, pois acredito que o senhor ignore. Foi considerado PISO o vencimento básico no qual deveriam ser acrescida todas as vantagens dos servidores. Também consta na lei que o reajuste salarial acontecerá todo janeiro com percentual igual ao custo aluno calculado pelo Fundeb. Já no sistema remuneratório do subsídio imposto pelo Governo do Estado de Minas Gerais reuni-se todas as vantagens e forma-se o total de remuneração do servidor. Dessa forma pessoas que tiveram direitos como biênios e quinquênios perdem tais benefícios, além do que a forma de reajuste é extremamente questionável, pois se dará apenas se não ferir a lei de responsabilidade fiscal e não existe um percentual fixo, nem mesmo aproximado, ou seja, poderemos ter 0,01 por cento de reajuste e até mesmo nada, caso o governo alegue que esbarramos na lei de responsabilidade fiscal.

    Recomendo ao senhor que leia e reflita sobre a lei 11.738 que estabelece o Piso Salarial Nacional para os profissionais da educação , para não ser tão ingênuo ao ponto de acreditar em distorções criadas pelo governo que tenta tirar de uma categoria como a "nossa", já tão empobrecida, o que nos é de direito.

    Não seja tolo e informe-se melhor sobre as reinvindicações nas quais nos pautamos para mantermo-nos em greve, buscamos valorização, dignidade e o cumprimento de uma lei, será mesmo que o senhor acredita que nós seriamos ignorantes ao ponto de pedirmos algo que reduzisse o pouco que já ganhamos.

    Prefiro acreditar que o senhor não pertence a nossa categoria e caso pertença, infelizmente, sou obrigada a considerar que o senhor pouco gosta de pensar.

    Atenciosamente,
    Aline Rezende
    Professora de Língua Portuguesa da E. E. José Soares Diniz e Silva (Ribeirão das Neves)
    EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO.

    Tiago Almeida

    24/06/2011 - 12h40

    Parabéns irracional continue com este pensamento que a luta é para redução de salários. Assim o Brasil não precisará de mais trabalhadores pois você terá que estar em três a quatro empregos para tentar ter uma vidinha de dinheiro contado para provavelmente satisfazer 1% dos seus desejos. Quando estiver procurando outro emprego pode pedir por este canal sem preciso de ajudante na obra.

    Um grande abraço de alguém que aprendeu com os educadores estaduais de MINAS e não subestima a inteligência dos mesmos.

    Eurides dos Santos

    25/06/2011 - 14h50

    José,

    Bem se percebe sua falta de informação acerca dos fatos, posto que sua conclusão, baseia-se apenas na carta da senhora secretária. Vc acompanhou o movimento grevista de 2010? Se acompanhou, não procurou se informar dos fatos, leis, jornais, etc. Ora, caríssimo, concordar com o que senhora secretária coloca e concluir ABERRAÇÕES a partir da uma mentira sem tamanho só faz crer que você: ou é um professor que não lê sobre a própria categoria, ou é um frustrado em outra área e que faz bico na educação, ou é um professor sem compromisso com a educação, ou é um tucano que quer brincar de fazer comentários. Procure ler mais, se informar mais. Não fique no raso, fique no profundo! Por gentileza, não faça a categoria passar vergonha com sua desinformação e trabalho para o governo tucano.

    Eurides dos Santos

    Euler Conrado

    25/06/2011 - 20h23

    olá, pessoal, quer me parecer que o José está ironizando o governo de Minas, que através de artigo em jornal O Tempo disse que o sindicato estaria induzindo os educadores a "perder dinheiro" com a recusa da Lei do Subsídio, imposto pelo governo para não pagar o piso. Neste caso, se o governo pensa assim (ou seja, que o piso representa perda salarial), seria fácil acabar com a greve: bastaria pagar o piso. Mas, é claro que não é assim. Como já pude demonstrar em artigo no meu blog, o subsídio representou um confisco de duas cidades administrativas no bolso dos educadores. Um abraço a todos, unidade e força na luta!

fátima mattos

23/06/2011 - 14h05

È assim que o Aécinho estará em 2014,no chão.
E viva a Dilma!

Responder

Geysa Guimarães

23/06/2011 - 12h15

Conceição:
Me atrapalhei, estão soltanto bombas juninas aqui, sem parar, e vira um tumulto com os cachorros.
O caso aí não é sentido de tempo, mas de existir, OK?

Responder

Eugenio

23/06/2011 - 11h34

Vergonha, mas não uma novidade, pois é assim que o PSDB faz, ou melhor não faz…. Agora o cavalo ter sido presente do Serra… Acho provável…

Ainda temos os blogs! A única mídia livre e demorcrática!

Responder

mquadros1

23/06/2011 - 09h55

Mas Minas não é o Brasil, e o Brasil todo sabe das quedas de cavalos do Aécio: Seu primeiro discurso no senado, a recusa de soprar o bafômetro no Rio e a queda do cavalo propriamente dita.

Responder

    kelvin

    23/06/2011 - 13h04

    Minas não é Brasil mas representa o segundo maior colégio eleitoral do país… A influência de MG numa eleição é grande, sem contar que a notícia deve, e deveria ser para todos…

Anna Christina

23/06/2011 - 08h49

Quem ainda não sabe que o Aécio comprou a imprensa mineira e que eles só publicam o que é conveniente para ele? Já faz alguns longos anos, desde o seu primeiro mandato de governador! É uma pena saber que o dinheiro compra quase tudo! Só não compra verdadeiros valores morais como honra, dignidade, honestidade, etc.

Responder

Ana

23/06/2011 - 08h40

É impressão histórica ou o Brasil não saiu das Vidas Secas dos anos 30 – coronéis, volante-PIG-, cangaceiros e gado eleitoral?
Coronel neoliberal é de doer!

Responder

Roberto Macedo

22/06/2011 - 23h37

Bravíssima Luana!

Responder

luiz oliveira

22/06/2011 - 22h30

O cavalo fez o teste do bafômetro ??….Fez pelo menos um 4 ???….Aécio estava inconsciente em cima do equino. Ou o contrário.

Responder

Sandra Lúcia

22/06/2011 - 21h05

Ou seja, a imprensa de Minas não difere muito da de São Paulo. Os tucanos de Minas também não diferem dos tucanos de São Paulo.

Responder

Regina Braga

22/06/2011 - 18h56

Berlusconi,brasileiro…

Responder

Canena

22/06/2011 - 18h44

Nós do Rio de Janeiro estamos indignados, o que o Aécin estava fazendo em MG?

Responder

luiz antonio barbosa

22/06/2011 - 18h18

Minha cara Luanna, interessantíssimo seu texto, todavia indago cá com meus botões: Como que Aécio foi várias vezes deputado, reeleito governador, agora eleito senador. Aí me vem uma certeza muito grande, foram com votos de pessoas as quais foram alunas das escolas públicas, e aí aprenderam a votar com os professores deles, ou você tem dúvida de que a maioria do professorado votou no Serra, no Anestezia, no Aécio e de quebra ressucitarem o velho Itamar. Infelizmente nas escolas não se discute politica, só discute campanha salarial, sei pois convivo de perto com professores e outros funcionários públicos das gerais. Abraço.

Responder

    Davi Neves

    22/06/2011 - 20h04

    Concordo co o Luiz … tenho entes que trabalham na edução de Minas … todos votaram no Aécio, Serra e CIA … Minas é um estado muito conservador, no Sul de Minas então … onde tenho estes entes … nem se fala. Aécio só cairá do cavalo mesmo quando a farsa do se avô PILANTRA for desmascarada … Tancredo foi uma %$#&% … Mas não desanimem, um dia a casa cai …

    Gilson Raslan

    24/06/2011 - 11h00

    Davi, para seu deleite, uma historinha sobre Tancredo.
    Quando da crise que antecedeu o suicidio de Getúlio Vargas, Tacredo, como seu Ministro da Justiça, foi depachado para o Ministério da Guerra para dialogar com os militares.
    Conversa vai, conversa vem, Tancredo apresentou a seguinte solução para a crise: "deponham o presidente".
    De volta ao Palácio do Catete, Tancredo disse a Getúlio: não há como dialogar com os militares. A solução para a crise, Presidente, é demitir os Ministros Militares. Diante desse "gesto de lealdade", o Presidente presenteou Tancredo com aquela famosa caneta de ouro.
    Essa história está narrada no extinto Jornal de Minas, do jornalista Afonso Paulino, cuja machete é: TANCREDO: ALÉM DE BILTRE, CARA DE PAU.

    João Paulo

    24/06/2011 - 13h27

    Pois, secundando o sr.Gilson Raslan, tenho outra história sobre Tancredo, que consta do meu livro ''História do Município de Senhora dos Remédios, edição minha, de 2003, p.209.
    Senhora dos Remédios é um município que se emancipou de Barbacena em 1953, e sempre votou na UDN. Bias Fortes era o governador do Estado, e Tancredo Neves era secretário de Estado do Interior, e a ele então estavam afetos os assuntos da Educação. No povoado do Japão, em 1959, havia uma escola estadual, cuja professora era filha do prefeito José Paulo de Assis, que governara de 1955 a 1958. Tancredo, visando desempregar a referida moça de 17 anos, transferiu a escola para o povoado do Couto, onde já funcionava uma escola do município. Acontece que a escola do Japão atendia aos povoados da Terça e do Patrício, sendo que a Terça era reduto eleitoral do velho PSD. Tancredo, querendo administrar com ódio, perseguir a UDN, acabou deixando sem escola os filhos dos seus aliados.

Carla Bergamo

22/06/2011 - 18h12

Acho que a única solução é proibir qualquer orgão público de fazer publicidade. Só comunicados oficiais e gratuitos. Mas alguém tem que ser mexer… fazer barulho, e só há a rede para obter algo…

Responder

Maria José Rêgo

22/06/2011 - 18h04

Luana, parece que este procedimento é praxe em todos os Estados governados pelo PSDB/DEM. Era assim no Rio Grande do Sul e em Goiás não é diferente. Já está passando da hora dos Ministérios Públicos exigirem destes governantes a divulgação dos gastos com publicidades. É inconcebível que o aumento destes gastos é superior ao da educação.

Responder

Maria

22/06/2011 - 17h55

Como mineira conclamo meus colegas de blog, a imaginarem o que "poderia" acontecer no país, caso esse senador fosse eleito presidente, pq Deus é pai e nós brasileiros não merecemos isso!!!!

Responder

    Bisa Rio

    24/06/2011 - 09h44

    Cara Maria,
    do jeito que o cavalo caiu, vai dar Aécio, Cabral e Itamar na Casa Civil!!! Duvidas?! a Globo e toda a mídia PIG estão comprados e o professorado indo em bando para as OS's e OSIPS da Fundação Roberto Marinho / Ayrton Senna e Rômulo Arantes (pró labore na faixa e 1.000 reais por 24 horas, sem direito a férias nem 13°). O alunado eslegerá os filhos de toda a canalha para manter o plantel do psdbista…

Marcos José

22/06/2011 - 17h28

Pô, porque não deram o bafometro para o cavalo assoprar, isto é caso de policia, no minimo da lesão corporal.

Responder

    Marcos W.

    23/06/2011 - 09h28

    É,xará!E dizem que o brevê de cavaleiro do Aecim estava vencido.E tudo aconteceu apesar da mansidão do matungo velho,que,como todo cavalo mineiro,vai devagar,quase parando,por isso tem dificuldade até em mudar de direção.Mas o bagulho,segundo dizem,costuma deixar o maluco "ligado",e o cara se estatela.Sei não!

Luana Santos: A queda de Aécio e a imprensa em Minas « Blog do EASON

22/06/2011 - 17h02

[…] por Luana Diana dos Santos, para o Viomundo […]

Responder

Ivan Arruda

22/06/2011 - 16h14

Quando não é o bafômetro é o cavalo. Santo protege bêbados quando andam a pé.

Responder

    Leider_Lincoln

    22/06/2011 - 16h45

    Ou a pó, nunca se sabe…

Marcos W.

22/06/2011 - 16h11

E no Rio Grande do Sul,o Grupo RBS defende com unhas e dentes o Pacotarso!É preciso dizer,porém,que o Grupo RBS atua em conformidade com suas "bandeiras históricas",seja,sempre defendeu qualquer coisa semelhante ao pacote apresentado pelo atual governo,do PT,por governos anteriores,ou do Rigoto ou da Yeda,ou ainda antes,do Britto.Quem mudou,aparentemete(digo aparentemente não porque parece estar fazendo o que está,quando queria fazer outra coisa,mas porque faz o que sempre quis fazer,contudo proclamava não querer),foi o Tarso e o PT estadual.Aliás,por onde andará o Deputado Pont?!

Responder

luiz pinheiro

22/06/2011 - 15h53

Bom mesmo vai ser quando ele cair do cavalo – na melhor linguagem figurada possível – em outubro de 2014.

Responder

Luiz Henrique

22/06/2011 - 15h34

O jornaleco do estado de Minas não vale nada!
Sou mineiro e não perco tempo em ler este jornaleco.
A matéria é mais uma prova de que o governo mineiro é ditador e monopolista. Coisa de tucano. É uma …

Responder

Ferrado

22/06/2011 - 15h17

Trabalho na COPASA, companhia de saneamento de Minas Gerais. Aqui as coisas são as mais absurdas possíveis. Estão com planos de privatizar um dos maiores sistemas de abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte. Nós trabalhadores somos tratados como lixo enquanto o salário da diretoria da empresa beira os R$25.000,00, além de mais de mais de uma dezena de assessores (os famosos aspones) que percebem quase isso por mês. O négócio aqui é tão feio que um empregado da área de informática da empresa, foi deslocado de suas funções e de seu descanso (estávamos no horário do almoço) para instalar no computador do Vice Presidente (Luiz Otávio Ziza Valadares), um link direto para as câmeras de segurança de uma loja comercial dele. Isso é só para começo de conversa. Estamos vivendo uma ditadura em Minas Gerais.

Responder

Leleo

22/06/2011 - 15h11

Conclusões : Minas continua amordaçada , o playboy do aecim só sobrevive com a vitrine da mídia ( bem como a farsa do tucanato mineiro , falando em neoliberalismo ) e somente a regulamentação da mídia
e a implantação real e de fato da Banda Larga de qualidade e barata para toda a Minas Gerais ( e Brasil ) ,
poderia ser um início para acabar com a banda podre das Gerais.

Responder

Paulo Maurício

22/06/2011 - 14h18

A melhor "sacada" de ilustração que saiu sobre o tombo da eguinha PocoPó saiu no blog da Nívia – a Cachaça da Happy Hour:
http://www.materiaincognita.com.br/tucano-aecio-n

Responder

edmil

22/06/2011 - 14h07

E AÍ CUMPADE!
-QUE HOUVE CUMPADE!?
-O AECIN CAIU DO CAVALO.
-CAIU DO CAVALO OU O CAVALO CAIU COM ELE?
– AI NÃO SEI CUMPADE, MAS QUEBROU A CRAVICULA E CINCO COSTELAS.
-FIZERAM O TESTES DO BAFOMETRO ,CUMPADE?
-FIZERAM CUMPADE. O CAVALO ESTAVA COM O GRAU ETÍLICO MUITO ALTO ,DOIS BALAIO DE CANA.
-E O AECIN ?
– DOIS BALAIO E MEIO , CUMPADE.

Responder

    Conceição Lemes

    22/06/2011 - 14h58

    Edmil, letras minúsculas nos próximos comentários, por favor. abs

Pardalzinho

22/06/2011 - 13h57

À distância, a sensação é a de que a situação em Minas é ainda pior – por incrível que pareça – do que a de São Paulo. O jornalismo por aqui, que nunca foi lá grande coisa, vive seu pior momento e o que é pior, com a complacência de boa parte da população que parece não perceber os riscos que nossa frágil democracia corre. Parece que 1964 foi ontem…

Responder

    Lulu

    23/06/2011 - 10h43

    É verdade!!!

    São Paulo é o antro do PSDB… e não há perspectiva de o paulista tomar vergonha na cara e começar a votar diferente…

Luci

22/06/2011 - 13h14

Luana agora quem cai do cavalo são os que esqueceram a pratica da ética na vida pública, desrespeitam a República, a democracia e o Estado Democrático de Direito. As notícias que lemos diariamente apontam que estão caindo do cavalo todos que estão ignorando a soberania do povo.Farsas e mitos também estão caindo do cavalo.

Responder

Antônio de Sampaio

22/06/2011 - 13h02

Se esse cavalo fosse petista, ele seria um cavalo mensaleiro.

Responder

    Panambi

    22/06/2011 - 14h09

    Se o autor do comentário fosse tucano, seria um comentarista asno.

    Master Blaster

    22/06/2011 - 14h29

    Viúva do Aécio, aqui?

    Panambi

    22/06/2011 - 17h08

    Acho que ainda estão namorando…

    Leider_Lincoln

    22/06/2011 - 16h46

    Na verdade, o Mensalão não foi inventado justamente em Minas? Por um famoso tucano de altas plumagens, o Azeredo?

Fabiano

22/06/2011 - 12h40

É como era ACM na Bahia, até a década de 90.

Responder

Gustavo Pamplona

22/06/2011 - 12h36

Interessante… então quer dizer que o EM (Estado de Minas) não falou da queda do cavalo? E pergunto: Qual cavalo? O Aéquino ou o próprio equino? hahhahhahaa

Bom… como não leio o EM já faz pelo menos uns 12 anos, na realidade só lia mesmo foi quando eu tive conta no provedor UAI, isto foi entre 1997…1999 quando eu acessava discado por um modem.

E agora lá vai uma para vocês… ;-)

Ontem como sempre, por volta das 22:00 fui no site do JN ver se eu achava alguma coisa que tinha "relevância" (pelo menos para mim, é claro) mas desta vez não achei nada que prestasse.

—-
Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
Desde Jun/2007 não caindo do cavalo no "Vi o Mundo"! ;-)
Desde Jun/2007 dando "uma para vocês" no "Vi o Mundo"! ;-)

Responder

Jotapeve

22/06/2011 - 11h59

A explicação para a queda do Aécio do cavalo é simples: Depois de ter sido flagrado dirigindo bêbado, agora resolveu mudar de veículo..mas conrtinua bebendo.

Responder

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 13h10

    KKKKKKKKKKK Muito boa! Ótima! Já estou passando adiante (com todos os créditos).

Josaphat

22/06/2011 - 11h38

Ao mesmo tempo triste e belo, termos professoras estaduais que escrevem tão bem.

Responder

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 12h56

    É só triste. E a professora escreve mal. "Ao perguntá-lo o motivo de tanta alegria às 7 da manhã" é erro. O certo é "Ao perguntar-lhe (…)".

    Verdade é que, enquanto a oposição fica por aí rindo desse famigerado Aécio, o famigerado Aécio continua mandando nos jornalões de Minas. Qual é a novidade em o EM não noticiar a queda dele? Algum dia noticiou alguma queda de algum Aécio? Até quando vamos ficar rindo do Aécio, enquanto o Aécio ri de nós?

Klaus

22/06/2011 - 11h31

Quer dizer que com verba publicitária é possível comprar o silêncio de órgão de imprensa? Mas, é claro, isto é coisa que só tucano faz, né? A"pulverização" das verbas de comunicação feita pelo governo federal proporcionou apenas pluralidade de informação, não houve cooptação destes pequenos órgão beneficiados, ok?

Responder

    augusto

    22/06/2011 - 13h35

    Nao quando nao é impeditiva, o eisntein!
    pulverizaçao é democratizaçao.
    se eles escreverem ou falarem coisas contra, a verba continua.]
    Tua conclusao está milhao de km alem da premissa.

    Klaus

    22/06/2011 - 13h58

    #sera?

    Raphael

    22/06/2011 - 22h53

    Demonstre o contrário.

    Panambi

    22/06/2011 - 14h12

    Concordo Augusto, principalmente com o: "o einstein".

    João PR

    22/06/2011 - 13h45

    Troll profissional.
    Por acaso você sabe de algum jornalista que o Governo Lula tenha "pedido a cabeça"?
    Vá ver o documentário "liberdade, essa palavra" e verá depoimentos de diversos jornalistas sobre as táticas da famíglia Neves (Andréa, principalmente) quando algum jornalista "ousa" mostrar fatos que desabonem o desgoverno mineiro (Kajuru que o diga).
    Agora, pode ir tomar o seu todynho, e continuar vendo o Jornal Nacional.

Klaus

22/06/2011 - 11h27

Por falar em falta de notícias na imprensa: qq coisa que os tucanos de SP fazem é motivo de profunda crítica na blogosfera "independente". Há um escândalo envolvendo o Pagura e não há uma linha sequer. Estranho. E sobre o Mercadante também. E ele é do PT paulista, não muito amado por aqui. Estranho II, a missão.

Responder

    augusto

    22/06/2011 - 13h38

    Pagura é a regra paulista, sr. einstein.
    Nao a exceçao.
    Noticia e quando difere um pouco da regra…

    Panambi

    22/06/2011 - 14h14

    Caro Augusto, deste jeito o Sr. Einstein vai ficar com o bico avariado…

    J Fernando

    22/06/2011 - 13h51

    Conversa fiada. Sobre Pagura não tem nada mesmo, mas sobre o Mercadante já sabemos que querem convocá-lo a dar explicações sobre reportagem da Veja desta semana. Tá nos jornais.
    Sobre o Pagura, onde eu posso ler não noticias compactas, mas informativas, com o cargo do mesmo, quem o nomeou e qual o partido é responsével.

André Albuquerque

22/06/2011 - 11h19

Impressionante como Minas Gerais parece com o Maranhão no quesito Aécio/Sarney! Em Minas só sai na "imprensa oficial" o que se pinta o Aécio de bonitinho e no Maranhão idem, só sai na imprensa o que se pinta a corja dos Sarney's, Lobão, etc de bonitinho.

Responder

Zé Fake

22/06/2011 - 11h01

Cadê a oposição aos tucanos em MG ? Não precisa responder, é tão incompetente quanto a oposição aos tucanos em SP…

Responder

    Maria Fulô

    22/06/2011 - 14h02

    Volte a ler o texto, Zé… quem sabe você capta a mensagem. Nenhuma oposição (ao contrário da Federal) consegue reverberar sem um mínimo de abertura da grande imprensa; é justamente isso que a matéria versa. Mas não desanime… continue praticando leitura, uma hora você consegue…

    mauro ramos

    22/06/2011 - 15h07

    pocopó´´,pocopo´´´,pocopó!!!! falou tudo,Fake!!

André

22/06/2011 - 10h55

Que tipo de gente rir de quem quebrou 5 costelas e uma clavícula?

????

Responder

    Anderson

    22/06/2011 - 12h43

    Eu, principalmente se for do Aequino…
    não tenho dó da direita,
    para mim eles mortos são a solução.

    Antônio de Sampaio

    22/06/2011 - 12h48

    Os esquerdopatas de meia pataca… os que adoram mendigos… pergunta quantas vezes na vida ela já levou um agasalho ou prato de sopa pra mendigo na rua… essa senhora ama os mendigos… se importa muito com eles… tudo papo furado…

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 13h59

    Calma, Antônio! Por que tanta ira? Afinal, pelo cheiro (epa!) da brihantina, o Aécio não quebrou costela alguma. Não entendi seu postado. Vc acha ruim levar agasalho pra pessoas na rua? Só se estiver vestido de mendigo? Se a dondoca tiver esquecido o vison em casa, vc deixa ela morrer de frio? Não entendo essas respostas em que as reticências sempre desmentem o que as palavras deveriam significar, mas não significam.

    E tem o seguinte: "esquerdopata" não existe. Pode haver esquerda atrapalhada, esquerda confusa, esquerda sem orientação adequada, num ou noutro momento. Mas doente, doente mesmo, e sempre, é, sempre, a DIREITA.

    Panambi

    22/06/2011 - 14h17

    Depois deste comentário, o tombo do Aecim perdeu a graça, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Já ganhou, tucaninho……

    André

    22/06/2011 - 14h46

    É sério.

    Como alguém pode achar "engraçado" uma pessoa quebrar cinco costelas e uma clavícula?

    filho

    22/06/2011 - 15h39

    quando se ganha 500 reais de salário para educar nossos filhos tudo é possível

    @4lex78

    22/06/2011 - 15h53

    Muita gente ri da desgraça alheia, não seja puritano.
    Se a Luana tivesse rido da MORTE de Aécio, aí seria preocupante…

    Leider_Lincoln

    22/06/2011 - 16h48

    Pó pará, né? É muita maldade para póuca compóixão pelo póximo…

    Mariano

    24/06/2011 - 13h32

    Nossa, que piada inteligente !! Você deve ter gastado horas para bolar algo tão brilhante.

helena catin

22/06/2011 - 10h35

Acho engracadíssimo se falar que a imprensa mineira voltará a ter liberdade e informar com isencao! Em qual universo paralelo, já existiu IMPRENSA MINEIRA? Essa suposta imprensa JAMAIS EXISTIU, antes de Aético, já nao fazia NADA que presta, ela é apenas e tão somente um memorandozinho, um resuminho de fatos que nao fedem e nao cheiram, e com Aético apenas ficou PIOR e mais descarada, mas jamais existiu nada parecido com imprensa em Minas, jornais, radios e tvs são gigolos de quem paga mais e só!!

Responder

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 13h03

    Também acho. Rosa Luxemburgo, uma grande comunista alemã, ensinou que todas as soluções de acomodação só fazem 'adaptar' o fascismo e torná-lo palatável para a classe média. Esse negócio de achar que, só por chamar de PIG os jornalões, já se estaria fazendo crítica para transformar é mais uma dessas soluções de acomodação que tornaram palatável para a classe média (sempre liberal e reacionária) o GRANDE CRIME que são e vivem de praticar todo o jornalismo, os jornalões e jornalistas que há.
    Nada pode ser mais patético do que os movimentos para democratizar o jornalismo da rede Globo. É como se esfalfar para democratizar o Perval Mereira. Pulverizar verbas, aliás, é outra besteira. Devíamos, isso sim, é CORTAR toda a publicidade paga a esses falsos jornalistas, falsos jornais e falso jornalismo.

    Euler Conrado

    26/06/2011 - 01h49

    Mas, afinal, em qual estado brasileiro nós temos algo parecido com uma imprensa?

Gersier

22/06/2011 - 10h08

Pois é, e o PIG que tanto reclama da "censura federal" que só está na cabeça dos que fazem parte dessa imprensa golpista,se cala ante as censuras reais que existe em Minas,no Paraná e no Pará.Ainda por cima quer vender para o Brasil uma imagem falsa de bom moço e de excelente administrador desse menino do Rio.Vc como boa mineira sabe que não é só na educação que os salários são vergonhosos.Os dos policiais civis e militares é uma vergonha.A greve dos policiais civis ja dura meses e vc não vê uma lauda sequer sobre o assunto nos jornais "comprados" a peso de ouro e muito menos nas emissoras de rádio e TV.No Brasil fazem de tudo para proteger tuganos e demos.

Responder

Taiguara

22/06/2011 - 10h05

O Aócio ou melhor o Baladeiro do Baixo leblon é reconhecidamente dependente cínico das drogas da dissimulação e do engôdo. Ele um dia terá que explicar em que tipo de pó foi transformada a dívida do Estado. Quando ele assumiu ela era, consolidada, em 14 bilhões. Hoje, depois de nove anos de divertida carreira ela está em galáticos 67 bilhões. O PERIGO MORA EM MINAS E, pior…..dirige e, agora, pelo menos dissimuladamente, cavalga b~ebado. Se é que se pode dar crédito a essa história de queda do cavalo, não é mesmmo? E a Frrari abandonada com a versão "empresário paulista"?

Responder

    Marta

    22/06/2011 - 19h02

    Adorei Taiguara:"…dependente cínico das drogas da dissimulação e do engôdo. …. O PERIGO MORA EM MINAS E, pior…..dirige e, agora, pelo menos dissimuladamente, cavalga bêbado."

    Com poucas palavras a descrição exata dessa caricatura que chamam de Aecim.

quantotempodura

22/06/2011 - 09h54

Só um detalhe pra lá de curioso: Aécio caiu do cavalo na SEXTA A TARDE. A assessoria de imprensa (o orgão do governo de minas que mais funcionou no seu governo) segurou a notícia até sábado, por volta de 18:30;

24 horas de buraco negro.

Além disso, nenhum orgão da imprensa conseguiu (ou se interessou) confirmar onde diabos ficava a tal "fazenda do primo". A nota publicada no Terra Magazine consegue a proeza de terminar dizendo onde a fazenda NÃO era.

Enfim, se for mesmo verdade essa versão, Aécio estava "cavalgando na fazenda de um primo" durante o dia de sexta feira, quando devia estar em Brasília. A imprensa, que fez um estardalhaço (merecido) em cima do Romário jogando futivolei no horário de trabalho, fica caladinha no caso do Aécio.

Mas o pior de tudo é que essa "segurada" da assessoria de imprensa pode implicar que essa história nem mesmo é verdade… e que a verdade pode ser muito pior.

Responder

    miriam

    22/06/2011 - 10h29

    Eu torno a perguntar p quem tenha conhecimento, se 10 dias são suficientes para recuperar de fratura de clavicula e costelas, essa estorinha não cheira nada bem, acho 10 dias pouquissimo e suspeito, como muitos que a ida ao Mater Dei foi pelos motivos de sempre.

    Taiguara

    22/06/2011 - 13h36

    Já fraturei, coincidentemente, cinco costelas. Com menos de trinta dias é impossível sequer caminhar. Aí tem. Mesmo porque, inicialmente, o "acidente" teria sido em sua fazenda, já mudaram para a do "primo". Ou seja, alguém o teria visto em outro lugar. Não tá cheirando(êta palavrinha, sô. Não pode ver uma frase em que o sujeito é o Baladeiro que ela tá entrando) bem…..Não teria sido uma "carreira"(é outra que não resiste) a cavalo? E, ele caiu na grama ou no pó(mais uma).

    joana

    22/06/2011 - 13h52

    A Amy Neves ou Aécio winehouse não se emenda, não quer encarar uma rehab (é assim?) de jeito manera!

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 14h06

    MUITO BOM! Uma boa informação, como a sua, basta para detonar quilômetros quadrados de jornalismo de emburrecimento da população e hora e meia da pregação burrificante do Jornal Nacional. MUITO BOM!

    Mas o caso é que o jornalismo progressista precisa ser jornalismo, quero dizer: não pode ser só opinionismo de um ou outro jornalista ou blogueiro, mesmo que seja o nosso jornalista ou blogueiro. Já temos algum repórter investigando a queda do Aécio?

    Taiguara

    22/06/2011 - 14h45

    "Na qual" o Baladeiro. Desculpem.

    Zé Fake

    22/06/2011 - 16h45

    Caraca, se ele quebrou uma clavícula e 5 costelas, não precisa operar, colocar pinos para rejuntar o ossos quebrados ? Mais uma historinha inverossímil do Aécio, e todo mundo "do lado de lá" fazendo de conta que tá tudo normal…

    Eliahu Denner

    23/06/2011 - 11h49

    Isso me cheira a um outro mineiro viril e heterossexual que teve uma mulher sem calcinha plantada a seu lado no palanque pra acobertar certas tendências….

    Paulo E. Santiago

    22/06/2011 - 13h08

    Não acho "merecida" nenhuma crítica ao Romário por estar jogando bola no horário de trabalho. Romário foi eleito PORQUE joga bola. Aécio é outro negócio. Aécio não foi eleito por andar a cavalo (aliás… foi eleito por que, por falar nisso?).

    Vampará coessa bobagem metida a 'ética'. "Só o trabalho enobrece" foi (e lá continua até hoje, que eu vi) o lema dos campos de concentração de Auswich. Esse negócio de "só o trabalho enobrece" é papo dos nazistas (taí: outra lição que os liberais bonzinhos da direita NUNCA ensinam, não é?!)

    Marta

    22/06/2011 - 19h04

    É isso aí Paulo, não é o trabalho que enobrece o homem, mas é o homem que enobrece o trabalho.

    Marta

    22/06/2011 - 19h07

    As 24 horas de buraco negro foi o tempo necessário para se construir a estória: ele caiu do cavalo numa fazendo que ninguém sabe onde fica e nem de quem é . Poxa, o pessoal tá ficando sem imaginação!

Deixe uma resposta