VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Moro interpreta piada de Paes sobre sítio e barco como prova contra Lula; condena Damous por pedido de impeachment de Gilmar; leia a íntegra do que ele escreveu ao STF

30 de março de 2016 às 02h32

Captura de Tela 2016-03-30 às 03.14.24

Captura de Tela 2016-03-30 às 01.28.07

Da Redação

No despacho em que respondeu à solicitação do ministro Teori Zavascki para esclarecer a interceptação e vazamento de grampos de autoridades com foro privilegiado e advogados, o juiz Sérgio Moro argumentou que o fez por acreditar que os diálogos eram relevantes para o processo.

Eles indicariam ação do ex-presidente Lula para obstruir a Justiça.

Isso certamente causará grande debate, uma vez que Moro aparentemente considera qualquer ação política como potencialmente criminosa.

No despacho, o juiz federal de Curitiba menciona a decisão de Wadih Damous — de pedir o impeachment do ministro Gilmar Mendes, do STF — como prova de que o deputado petista teria agido como cúmplice do ex-presidente.

Moro usa uma lógica tortuosa: como nenhuma das autoridades com foro privilegiado teria cedido às pressões de Lula, a divulgação das gravações em que as vozes delas aparecem não teria tido maiores consequências. Porém, isso é contraditório com o grampo que causou maior celeuma.

Na conversa com a presidente Dilma, Lula ouve enquanto é informado que receberá um documento em casa. O próprio Moro admite que não viu nada de errado na ação de Dilma. Como a gravação registra Lula passivo, por que então divulgar a conversa, se ela nada acrescenta à acusação contra o ex-presidente?

Moro afirma que as gravações de conversas de Roberto Teixeira se justificam pelo fato de que o advogado de Lula é suspeito de ter servido de acessório para seu cliente ocultar patrimônio.

Mas o que mais impressiona no longo despacho (íntegra abaixo) é que Moro considera a blague do prefeito Eduardo Paes, capturada em conversa com o ex-presidente, como prova de que Lula de fato seria dono do sítio de Atibaia, talvez pela frase “imagina se fosse aqui no Rio esse sítio dele”. No contexto, no entanto, está claro tratar-se de uma piada.

Sobre as “escusas” de Moro, ele não se desculpou por vazar as gravações, mas apenas pela polêmica que de fato gerou.

A leitura da íntegra do despacho indica que o juiz já formou convicção sobre a culpa de Lula, mesmo tendo ouvido e registrado o diálogo do ex-presidente de que jamais iria para o Ministério de Dilma para se proteger.

A resposta de Moro a Zavascki, em forma de sentença, foi uma inteligente forma de emparedar o Supremo Tribunal Federal.

Seja como for, internautas se divertiram com a postura de Moro depois que a mídia registrou que ele tinha pedido “desculpas”:

Por Anna Christina com ilustração disseminada por Maria Goretti

Coloquei em risco a segurança nacional.

Desrespeitei direitos de cidadãos e da autoridade máxima do país.

Desmoralizei publicamente você, sua família e seus amigos.

Coloquei em jogo o futuro do país.

Deixei o Supremo Tribunal Federal em maus lençóis.

Dei munição pra mídia destruir a sua imagem.

Invadi sua privacidade e mandei tudo pra TV.

Desculpa, tá…

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

45 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alexandre

30/03/2016 - 21h32

Dizem que o juiz da Mani Politici tupiniquim é de Maringá, mas para mim ele só pode ser nascido em Arapongas…

Responder

C.Paoliello

30/03/2016 - 18h50

Ninguém tem mais dúvida, o objetivo principal da “lava jato” é a destruição das empresas nacionais permitindo um avanço maciço de empresas estadunidenses sobre o nosso país:

http://blogdoalok.blogspot.com.br/

Responder

roberto

30/03/2016 - 17h47

Além de corrupto, estou convencido que esse juizóta do interior , é um dos seres humanos mais burros que já pisaram em solo brasileiro, desde o descobrimento em 1500.
O texto de seu pedido de desculpas ao TSF .por conspirar contra a Pátria e a Presidência da República,colocando escutas espiãs e terroristas, no telefone da Chefe Mandatária da Nação, é algo tão confuso, incompreensível e iligível , que choca até uma criança da oitava série.

Responder

Jotage

30/03/2016 - 14h20

O juiz Moro é um caso de psiquiatria?
Quando com a foice na mão para decidir a vida de pessoas, comporta-se como um crápula, arrogante, cínico e dono da verdade (a dele lógico) não respeitando as leis ou torcendo-as segundo sua vontade, não aceitando críticas e ameaçando a quem o faça.
Quando pego fazendo traquinagens (?) pelos responsáveis por sua supervisão, faz beicinho, se joga no chão e pede desculpas, não a quem ele ofendeu (inimaginável), mas a quem possa castiga-lo. Atitude típica de criança mimada com desvio de caráter latente.
Com a palavra os psiquiatras, pois o comportamento acima é real, mas minha conclusão pode estar errada.

Responder

Márcio Gaspar

30/03/2016 - 14h09

Esse juiz não tem mais autoridade moral alguma para julgar ninguém, pois desde o começo desta operação o intuito era vasculhar a vida do Lula e seus parentes para encontrar algo ilícito para poder leva-lo a cadeia. A única coisa que “encontrou” foi um sítio, que não é do Lula, um apartamento, que também não é do Lula, as palestras que foram dadas e declaradas, os pedalinhos e o barco de lata. O “juiz” quer condenar o Lula, pois o objetivo é esse desde o começo. Como há pessoas que querem justiça e procuram se defender de injustiças foi necessário saber o que o “dotô” pensa e para isso foram ler os artigos e teses que o Moro escreveu. Nessas é possível perceber que o “dotô” quer impor o judiciário sobre os outros poderes. É óbvio que não é possível, pois existe lei e a Constituição, e ele é um juiz de primeira instância, onde as suas decisões podem ser revistas pelos tribunais superiores, mas o maquiavélico procura impor as suas decisões manipulando a investigação com vazamentos seletivos à imprensa com uma articulação perfeita a amedrontar os tribunais superiores de forma que não tenham coragem de refazerem as suas decisões. O Lula já deu algumas declarações sobre o Moro, dizendo que do juiz ele só quer justiça. Para mim, isso foi suave. O que o Lula deveria ter dito é que o juiz Moro já o prejulgou e quer condena-lo por ocultação de patrimônio que não possui, pois não encontrou nada que pudesse incrimina-lo na Lava Jato, que o associasse aos crimes da Petrobrás, não restando outra alternativa a invenção de patrimônio oculto, com clara intenção de inviabiliza-lo com candidato a presidência. O Lula deve subir o tom sim, pois é uma investigação partidária, que tem o intuito de liquidar o PT e as esquerdas do país para a direita voltar ao poder, liquidar as políticas sociais e acabar com a Lava Jato, que não tem o objetivo de colocar na cadeia a direita e o seus os cabeças envolvidos nos merendões, trensalões e petrolões. Alcançado o objetivo de impinchar a Dilma e prender o Lula, o Moro ganhará um cadeira de Ministro no STF como prêmio pelos seus feitos. Mas para isso falta combinar com o povo. Com o povo da periferia!!!

Responder

Bacellar

30/03/2016 - 13h50

Oq esse cara precisa fazer para ser exonerado?

Inacreditável que se permita a este agente da desestabilização nacional continuar operando de forma tão grotesca.

Supremo e o MJ já possuem uma miríade de razões técnicas para punir imediata e exemplarmente o cidadão.

O único cuidado deve ser em função da vitimização que mídia e agentes do judiciário promoverão em relação a punição do juiz. Porém é fundamental anular imediatamente sua capacidade de seguir inflando o golpe.

Responder

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 13h14

… A Petrobras já demitiu 170 mil trabalhadores em tempo de Operação midiático-fascigolpista ‘Lava [DEMoTucano a] Jato’!…
O que não deve roubar deste pária um minuto sequer do sono dos trogloditas!

***

Petrobras já demitiu 170 mil funcionários desde o início da Lava Jato

29/03/2016

(…)

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE [IMUNDA!]: http://www1.folha.uol.com.br/paywall/login.shtml?http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/03/1755010-pos-lava-jato-petrobras-ja-demitiu-170-mil-funcionarios.shtml

Responder

Urbano

30/03/2016 - 13h12

O que se pode dizer é que assim já se trata de excesso de morolidade…

Responder

    Urbano

    30/03/2016 - 13h21

    Os bandidos fascistas da oposição ao Brasil possuem alguns sabujos operando na internet, a fim de acompanhar quem lhes faz oposição.

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 13h11

… Cínico da cepa IMUNDA
do ‘Sonso geral da nação em frangalhos’,
outro traidor,
o glutão suarento Janot!

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

… Atentou – covarde e deliberadamente – contra a Lei de Segurança Nacional; impiedosamente, incitou derramamento de sangue, “que ainda não veio nos jorros espasmódicos pretendidos e esperados”… E o energúmeno, agora, “pede desculpas”: não às vítimas, o honesto povo trabalhador brasileiro, e sim “aos/às supremos(as)” encastelados(as) em gabinetes blindados por detectores de metais, câmeras de vídeo, seguranças trogloditas pagas com o dinheiro público e vultosos salários e obesas mordomias…

Restou da história o colossal precedente do episódio!
‘Amanhã’ análogo evento se repetirá enquanto tragédia – e farsa!

Responder

    Messias Franca de Macedo

    30/03/2016 - 13h13

    … Um reles torpe desumano e impiedoso – em sua louca e desvairada cavalgada togada seletiva!

    ‘Triste Fim de um arrivista militante com traços pronunciados de psicopatia’!

    Boa viagem, infausto energúmeno desalmado!

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 13h05

A PERGUNTA HISTÓRICA FORMULADA PELO BRASIL DO BEM

… E se ‘amanhã’ um(a) famélico(a) degredado(a) em uma esquina qualquer da vida afanar a carteira de um(a) supremo(a) rogando-lhe aplacar a sensação desumana da fome… “Os supremos(as)” tão generosos com o delinquente “juiz” ‘mor(T)o’ acatarão “a jurisprudência”?

A conferir!

Responder

    Messias Franca de Macedo

    30/03/2016 - 13h06

    … “Os(as) supremos(as)” acolherão com louvor as suas desculpas, farsantes se identificam por sinais!
    O que importa é que se este arremedo de “juiz” mequetrefe- com ares de nazifascista psicopata – e lotado em uma abjeta primeira instância de uma comarca qualquer tivesse perpetrado os crimes hediondos, por exemplo, nos *EUA, estaria ‘elle’ mofando numa solitária na Antártida!
    Ou não Sibéria!
    *A [suposta] nação mais democrática do mundo!

    RESCALDO FÚNEBRE:
    o ostracismo ‘pé na bunda’ deste irresponsável militante será muito mais degradante do que o que acomete hoje em dia o congênere rábula psicopata do Mentirão!
    E não se tratam de imprecações!
    São as Leis Divinas e Insondáveis da Natureza, estúpido!

    Messias Franca de Macedo

    30/03/2016 - 13h16

    Esporadicamente, as organizações (sic) Globo também são ‘CUrtura’!

    … Não repare, não, “seu moço”, “o juiz [juiz!] Sérgio Moro não domina nem o vernáculo”, segundo o ínclito e intimorato jornalista Paulo Henrique Amorim, lá no blogue ‘sujo’ ‘Conversa Afiada’!
    Ah, “cê” sabe como é que o “juiz” sérgio ‘Tolo’ pronuncia em evento público a palavra gratuito?
    “gratuÍto”!

    Dizer mais o quê?!
    Pano rápido!

Nelson Nobre

30/03/2016 - 12h21

Senhores Ministro do STF, o Juiz Moro tá de brincadeira com o povo brasileiro. As investigações que antes eram para ser sigilosas e remetidas ao STF ele as remeteu a Globo que as tornaram públicas. Renomados juristas reprimiram as atitudes anti republicanas do Juiz Moro e ele as tornou sigilosas as já públicas investigações e remeteu ao STF. Agora em um pretenso pedido de desculpas ao STF pelos graves erros processuais cometidos, o Juiz Moro torna novamente públicos os sigilosos dados das investigações, aqueles mesmos que ante as pressões da comunidade jurídica ele os tornou sigilosos depois de primeiramente torna-los públicas através da rede Globo.
O STF vai esperar novamente um novo pedido de desculpas do Juiz Moro ou tomará uma atitude republicana para com este Juiz?
Senhores Ministros do STF, nós não queremos o fim das investigações, mais que elas caminhem dentro preceitos constitucionais do nosso país. Os erros processuais nas investigações, não tenham dúvida, serão usados por congressistas corruptos para criarem leis que barrem a lava jato, afinal a grande maioria está envolvida em atos de corrupção.
E mais Senhores Ministros do STF, a oposição e a mídia favorável ao impeachment da Presidente Dilma tem usado de forma leviana as vossas declarações a respeito do rito e não do mérito, como se os senhores fossem a favor do golpe institucional que está ocorrendo em nosso país. É mais que urgente que o STF venha a público esclarecer estes fatos a população brasileira, não é hora para acovardamentos e sim a hora de tomar posições em defesa da nossa frágil democracia tendo com parâmetro a nossa constituição, afinal os senhores são os seus fieis guardiões.

Responder

marco

30/03/2016 - 11h42

Já fiz,noutro Blog,Tijolaço,algumas considerações ao respeito desse CRIMINOSO JUIZ CÚMPLICE DO pig, AO RESPEITO DA impunibilidade que goza um Canalha,COM OS OLHARES COMPLACENTES DA maioria do judiciário brasileiro,PARASITAS DOS COFRES PÚBLICOS,escondidos com poder SEM OUTORGA e GOZANDO DO INSTITUTO DA IMPUNIBILIDADE,pois não existe FÔRO que os julgue de nada que fizerem,fazem e farão.com um diminuto número de PATRIOTAS QUE LÁ SE ENCONTRAM,SEM FORÇAS PARA REVERTER ESSA SITUAÇÃO.Isso faz prosperar CANALHETES DO TIPO MORU-UNGAVA,com a cumplicidade dos CHEFES DO GOLPE DE ESTADO QUE SE ESTÁ TENTANDO PERPETRAR CONTRA À DEMOCRACIA.Mas ainda acho,que não passarão.

Responder

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 11h17

FALANDO A SÉRIO!
Podem desligar os aparelhos!
Ou o Brasil enlouqueceu no cinismo, no fascismo e na inépcia!
Dileto(a) leitor(a), por favor, coloque o cinto de segurança, use uma máscara contra absurdos, e chore copiosamente, se puder!…
Simplesmente inacreditável!
Absoluta esculhambação criminosa!
Ainda bem que eu vomitei!
Quase as tripas iam juntas!…

$$$$$$$$$$$$$$$

Um dos membros da força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato, o procurador da República Paulo Roberto Galvão de Carvalho, também proferiu palestra [em simpósio cujo tema é ‘Combate à Corrupção’, e que conta com a participação do juiz Sérgio Moro] . Ele [o procurador Paulo Roberto Galvão de Carvalho] apresentou defesa a acusações de que a operação só investiga “um lado” e de que prende investigados para forçá-los a fazer uma delação premiada.
“O esquema não é [de] órgãos da administração pública federal beneficiando partidos da oposição, nem poderia ser. Não faria sentido que os órgãos da administração pública federal fossem colocados à disposição da oposição para que ela arrecadasse dinheiro para suas campanhas. Não há lógica em que a gente ache o dinheiro da Petrobras sendo destinado a um partido da oposição”, disse.
Segundo ele, no entanto, a oposição pode ter sido beneficiada em situações específicas, quando detinha alguma importância para o esquema de corrupção. De acordo com o procurador, porém, esses casos ainda estão “sob investigação”.
“A oposição pode ser beneficiada quando tem algum poder relevante sobre aquele esquema. Isso coincide com fatos que ainda estão sob investigação, no sentido de que quando a oposição teve algum poder sobre a Petrobras ela também foi beneficiada, e isso ocorreu nas comissões parlamentares de inquérito (CPI) que investigavam a Petrobras. Nesse momento, faz sentido que tenha havido destinação de dinheiro para outros partidos que não os partidos da base”, acrescentou.
Segundo o procurador, o prazo de prescrição dos crimes inviabiliza que as investigações sejam voltadas para o período anterior ao do PT no poder. “Os fatos ocorridos em governos anteriores ocorreram, portanto, há mais de 13 anos. Para que a gente pudesse condenar alguém com fato ocorrido com mais de 13 anos, essa pessoa tem que ter uma pena final, por um crime, acima de oito anos de prisão. Na própria Operação Lava Jato, salvo engano, a gente não tem nenhuma condenação de nenhuma pessoa a oito anos por um crime”, ressaltou.
(…)

em
Moro pede mobilização da sociedade civil para combater corrupção
Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil
29/03/2016 21h26 São Paulo

FONTE:
http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2016-03/moro-pede-mobilizacao-da-sociedade-civil-para-combater-corrupcao

Responder

Lukas

30/03/2016 - 11h17

Parece que Lula só nega que o sítio seja dele em público. Em privado, com se ouve na gravação, não há qualquer negativa.

Agora sério: vocês, realmente, de verdade, no fundo da alma, acham que o sítio não é do Lula?

Mesmo?

Responder

    Fabio

    30/03/2016 - 11h34

    Se fosse dele porque iria esconder?
    Você está na duvida, justamente o que a Globo e a Veja querem.

    Paulo Figueira

    30/03/2016 - 12h01

    Mentira!
    Em diversas outras conversas gravadas Lula diz que o apartamento e o sítio não são dele.

    Sidnei Brito

    30/03/2016 - 13h01

    A questão é muitíssimo simples.
    Se o sítio fosse de Lula, ele diria que o sítio era dele e estaria todo registrado em nome dele etc.
    Por que não o teria em seu nome?
    É um sítio, oras. Não é uma fazenda em Buritis.
    Não é apartamento em Paris, Nova Iorque ou Barcelona.
    Não é mansão em Paraty.
    Não é helicóptero.
    Você realmente acredita que Lula ocultaria esse tipo de propriedade?
    Sem sentido para mim.

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 10h57

… Será que ‘O Sistema’ considera defenestrar o “juiz”, ‘mor(T)O’?!…
Combate à corrupção que não atinge desde o GÂNGSTER mafiosíssimo eduardo ‘CU(nha)’ até o decadelatado ‘Aécio 1/3 El Chato Principado de Liechtenstein Furnas Forever’, passando pelo ‘TRAIDOR-mor da nação em frangalhos’, o Mimimichel TEMERoso “parceirão do ‘CU(nha)’ em todas as picaretagens”, segundo o Ciro Gomes…
Combate à corrupção?!
Sei!…

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Juiz Sergio Moro é escoltado por *12 seguranças ao participar de evento180

Valor29/03/201615h43

[E que paga esta lambança?! Adendo nosso!]

Moro é acompanhado por 12 agentes federais. Até para ir ao banheiro, o magistrado é acompanhado por dois agentes de segurança. Moro participa do evento “Combate à corrupção: desafios e resultados. Casos Mãos Limpas e Lava-Jato”.
Também participam do seminário o juiz italiano Piercamillo Davigo, que integrou a Operação Mãos Limpas na Itália, na década de 1990, e o procurador da República integrante da força-tarefa da Operação Lava-Jato em Curitiba, Paulo Roberto Galvão.

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE [IMUNDA!]: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2016/03/29/juiz-sergio-moro-e-escoltado-por-12-segurancas-ao-participar-de-evento.htm

Responder

titus

30/03/2016 - 10h57

Se o STF aceitar esse monte de estupidez que escreve esse juiz infantil, que parece mais um moleque imaginando-se sherlock mais que e mais para comedia de pantera cor de rosa podemos considerar os STF infantilissimo e inacreditavel para qualquer pessoa adulta esperar justica de um bando de imbecis, nem um adolescente moderno e tao imcapaz pelo amor de deus brasileiros tornem-se adultos….isso e piada mo mundo inteiro…….

Responder

carlos

30/03/2016 - 10h55

Esse vagabundo representa aquilo que há de mais nojento e mal cheiroso na politica de Maringá aonde contribuiu, para desviar 500 mi do povo Paranaense a história ha de reparar essa grave farsa e botar esse bandido na cadeia, pois não existe crime perfeito.

Responder

João Bosco

30/03/2016 - 10h33

Moro não cometeu deslizes, cometeu crimes. E por esses crimes deve ser punido como qualquer cidadão comum. A não ser que a jurisprudência passe a ser: a qualquer um que cometer crimes, basta enviar um pedido de desculpas para o tribunal (inclusive o STF) e a pendência estará sanada.

Responder

Sérgio Rodrigues

30/03/2016 - 10h26

Réu confesso. Lei pra ele!….

Responder

Karen

30/03/2016 - 10h19

Moro tá subestimando a inteligencia do Teori e dos juristas.
Ele parece não saber que o Brasil não é mais como há 12 anos, em que eram raras as pessoas com curso de direito e capazes de ler artigos jurídicos.

Tenha santa paciência com esse político de toga.

Responder

    Luiz Claudio Fazenda

    30/03/2016 - 12h53

    Infelizmente Karen, o Brasil continua o mesmo, senão pior. Em um país decente, essa quadrilha que está operando o golpe já estaria presa. Justiça no Brasil? Só para PPP – preto, pobre e puta.

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 10h05

[Perdão pelo fora de pauta não tão fora de pauta assim, o fascismo não é mais do que isso e outros mais!
Um pouco mais sobre “querer destruir opositores um(a) a um(a), inclusive no ‘nascedouro'”!]

Sindicato aprova ato de médica que se recusou a atender bebê por mãe ser petista

POR FERNANDO BRITO · 30/03/2016

Como disse o meu velho professor Nilson Lage, tome um remédio para que seu estômago não embrulhe com esta notícia do Diário Gaúcho, do grupo RBS:
A pediatra que se negou atender uma criança de um ano e um mês, na Capital, porque o menino é filho de uma militante do Partido dos Trabalhadores (PT) teve o comportamento aprovado pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers). Em entrevista ao Diário Gaúcho, o presidente da entidade, Paulo de Argollo Mendes, defendeu a profissional:
— Ela tem a nossa admiração — disse Paulo de Argollo, em entrevista ao Diário Gaúcho.
(…)
A um médico como este, só se por dizer: Senhor, o senhor é um doente. Tomou tantas doses de ódio que consegue aprovar e apoiar a discriminação de uma criança de um ano apenas porque não gosta das ideias da mãe. Quantas doses mais para achar que pode recusar uma criança por que sua mãe é negra, ou pobre, ou índia?
O senhor pode ter um diploma de médico, mas não tem a alma de um.
Talvez devesse voltar no tempo e conversar com aquele seu colega alemão, o Mengele, o senhor conhece?

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.tijolaco.com.br/blog/sindicato-aprova-ato-de-medica-que-se-recusou-atender-bebe-por-mae-ser-petista/comment-page-1/#comment-269744

Responder

Francisco de Assis Ferreira

30/03/2016 - 09h49

Que LIXO esse relatório do Moro. A única coisa onde ele tenta se agarrar, para se salvar, é a frase acima do Lula: “Eu acho que eles têm que ter em conta o seguinte, bicho, eles têm que ter medo.”
.
Só que a frase de Lula se refere EXPLICITA e ESTRITAMENTE à atuação da bancada de deputados federais do PT, a ações que a bancada poderia realizar. Ou seja, ações discursivas, recursivas, argumentativas. A menos que Moro esteja achando que os deputados do PT iriam às casas dele, dos procuradores e dos delegados, ARMADOS com arma de fogo para meter medo nos cretinos. PALHAÇADA.
============================================================
Na Página 22 (ou 23, contando a capa do relatório de Moro ao STF):
.
LULA: “E.. e.. e eu to botando muita fé de que se a nossa bancada tiver animada ela pode fazer a diferença nesse processo com o MORO, com LAVA JATAO, com qualquer coisa, sabe?”
WADIH: “A bancada tá outra bancada.”
(…)
============================================================
.
Seguem algumas ações dos deputados do PT “que meteriam medo” na LAVAJATO do MORO, de acordo com a orientação do “metedor de medo’ LULA DA SILVA:
.
1. “Eles têm que ter preocupação.. um filho da puta desses qualquer que fala merda, ele tem que dormir sabendo que no dia seguinte vai ter (…)”
1a. “dez deputados na casa dele enchendo o saco,”
1b. “no escritório dele enchendo o saco, ”
1c. “vai ter uma representação no Supremo Tribunal Federal, ”
1d. “Vai ter dez discursos no câmara contra ele, ”
1e. “vai citar o nome dele, sabe?”
1f. “Se não parar com esse negócio de que eles tão acima do bem e do mal.”
.
.E como no final WADIH afirma “WADIH: É isso mesmo.” então PROCESSO NO WADIH.
.
É ou não é uma esculhambação estes “Mani Poluta”?

Responder

Messias Franca de Macedo

30/03/2016 - 09h43

Lava Jato inventa crime do “IA”, um novo tipo penal, por Armando Coelho Neto

QUA, 30/03/2016 – 09:01

Por Armando Rodrigues Coelho Neto

Antes de qualquer coisa, dois esclarecimentos ao leitor são necessários. Meus textos escritos às pressas, movidos pelo terrorismo midiático diário, aqui ali apresentam pequenas agressões à norma culta. Mas, no presente caso é proposital. O verbo IR, em algumas passagens deveria vir como iria ou IRIAM. Mas, se fosse obedecer essa regra, não daria pra explicar o ”IA”, esse novo tipo penal inventado na “vazocracia”.
(…)
O Lula [portanto] não pode ser preso nem condenado (agora é nessa ordem que funciona) por causa de um imóvel que ele ”IA” comprar lícita ou ilicitamente. O suposto crime que ele ”IA” cometer caso comprasse o tríplex “sem ter os recursos” ainda não ou nunca aconteceu.
(…)
Agora, Lula está dependendo do Supremo Tribunal Federal, que precisa de tempo para entender o CRIME DO “IA”, que não consta no ordenamento jurídico nacional.

Armando Coelho Neto é jornalista e advogado, delegado aposentado da Polícia Federal, ex-representante da Interpol em São Paulo

FONTE [LÍMPIDA!]: http://jornalggn.com.br/noticia/lava-jato-inventa-crime-do-%E2%80%9Cia%E2%80%9D-um-novo-tipo-penal-por-armando-coelho-neto

Responder

Guilherme

30/03/2016 - 09h07

Azenha, olha o que os “pacificadores” fizeram em Curitiba semana passada. Acho importante divulgar:

http://jornalistaslivres.org/2016/03/linchadores-malham-o-mst-em-bairro-de-classe-media-de-curitiba/

Responder

Fabio

30/03/2016 - 08h57

Esse juiz bandido deveria ser preso depois do crime que cometeu.
Agora vem com desculpazinhas.
Canalha.

Responder

mineiro

30/03/2016 - 08h45

se nao parar esse juiz facista serviçal do pig esgoto , ele proprio vai dominar o brasil. e pelo jeito nao tem ninguem de peito e vergonha na cara para dar um basta nisso. entao vai ter que ser o povo mesmo que vai ter dar um basta nesse b………………..sem vergonha golpista.

Responder

Jorge Luiz

30/03/2016 - 08h43

Esse pessoal que não sabe diferenciar política de direito e acaba por fazer política através do direito se auto intitulam de ativistas judiciais. São doentes; tem complexo de Deus e se apegam ao moralismo em sua essência para justificar suas ações. Não percebem o retrocesso a qual submetem seus tutelados. Assim, não se incumbem do ônus público e nem sabem fazê-lo, assim como os Maçons, só enxergam interesses privados; para eles tudo é privado. Sendo que não podem ocupar cargos públicos pois não tem competência intelectual para defender o que é público; ingerem na imperícia quando não são negligentes ou imprudentes; de fácil comprovação. Usam o sistema para favorecê-los e a seus pares. Nunca serão equânimes ou imparciais, seja na polícia, seja na receita federal, seja no judiciário. São pragas.

Responder

mineiro

30/03/2016 - 08h42

so uma guerra civil com o povo liderando para salvar o brasil , e nao tem essa de seguir a maldita lei que nunca serviu para nada nesse momento. se os ratos desgraçados estao passando por cima da maldita lei , nos do lado ca , temos que fazer a mesma coisa. nao tem essa se sair o maldito golpe via judiciario e camara , a pres. deixar o cargo. é so ela falar que vai ficar no cargo e nao vai sair de jeito nenhum que o povo fecha com ela e para o brasil. ela fica no cargo e o povo cerca o lugar e ai eu quero ver qualquer golpista sem vergonha tirar ela de la. vai ter ser na força e na guerra. porque ninguem mais esta respeitando a nada vezes nada. ou é assim ou é o golpe. tem que cercar a camara e o stf o braço do diabo. é por isso que eu nunca confiei nesse judiciario porco que me perdoe os porcos e o maldito do stf. esse stf nunca enganou ninguem e a prova esta ai.

Responder

Sidnei Brito

30/03/2016 - 08h37

Sujeito usa e abusa de prisão preventiva.
Sujeito prende e pressiona (alguns dão um nome mais forte) para o cara delatar.
Sujeito condena sem dó nem piedade sem provas ou com base em provas frágeis.
Sujeito determina condução coercitiva de pessoa que nunca se negara a depor.
Sujeito rigoroso pra caramba esse, não?
É bastante curioso, portanto, que, quando pego em situação que se pode configurar uma ilegalidade, esse sujeito acredite que tudo possa se resolver com um mero pedido de desculpas.
Eu é que peço desculpas, mas isso é uma verdadeira piada pronta, não?

Responder

Arthemísia

30/03/2016 - 08h34

Penso o mesmo. Moro apenas tabelou com Janot, que quer Lula ministro e réu de Moro. Jogando de bom moço para o STF, Moro conseguirá o que quer, pois acho que o supremo vai atender a recomendação de Janot. Só ocorrerá o contrário se alguns pingados ministros tiverem a coragem que o cargo exige. Se eles lerem esse conteúdo, devem livrar todo e qualquer cidadão das mãos de um juiz que condena o réu antecipadamente. Mas já não tenho mais essa ilusão; os heróis morreram todos e não foi de overdose, foi no cacete da ditadura mesmo.

Responder

jose fernandes

30/03/2016 - 08h22

Isso é um demente,e mais demente quem aceitas esse despacho.

Responder

Comentador

30/03/2016 - 08h03

Tremenda falta de honestidade, carater e imparcialidade deste juizinho fascista de voz fina.

Bem, o Brasil ta coalhado dessa gentalha, incluindo os donos do capital e dos meios de producao com suas crias aberrantes alem da legiao de profissionais “liberais”, concursados frustados (aqueles que buscam uma renda garantida e a estabilidade do contrato) e comissionados lotados em cargos publicos, nao é a toa que o pais patina na lama desde sua fundacao. A democracia sempre em xeque pela falta de etica e moralidade dos operadores dos tres pilares do estado de direito (legislativo, a juridiciario e o executivo) nao passa de uma palavra que remete a um conceito abstrato dentro do dicionario, o mesmo serve para a palavra cidadania. O problema do Brasil nao é a corrupcao em si, mas sua cultura que venera a malandragem e veste o jeitinho com pele de carneiro. Outras culturas dao mais valor à outros elementos como o trabalho, a honra, a tradicao, a burocracia…

Apesar de nao ser petista de carteirinha, deve-se admitir que o PT, especialmente na era lulista, foi o unico partido politico brasileiro que até entäo realmente apresentou um programa de desenvolvimento e de inclusao social. Enquanto a direita e seus movimentos “sociais” vem usando mantras de livros do seculo XVIII do estilo “quando menos estado melhor” ou “privatize a politica” (corrente economica derrotatisissima nos meios academicos, responsabilizada inclusive pelos nao ambundantes frutos das decadas perdidas de 80 e 90); a equipe do Lula, seguiu em boa medida as ponderacoes da faccao da NDE (new development economics) em termos de politica economica.

Se nao fosse pela crise politica intencionalmente gerada por essa oposicao porca e elitista, com anos de pautas-bomba e em nome de oligarquias e interesses escusos ( p.ex. tentando “lavar as proprias maos” “apontando o dedo para os outros”) a sociedade estaria colhendo (mesmo que numa conjuntura desfavoravel) os frutos desse minimo de organizacao teleologica que visava empoderar politicamente e aumentar economicamento o nivel de vida do cidadao medio brasileiro.

Responder

Fabio Souza

30/03/2016 - 07h49

Li todo o despacho na íntegra, mas nem precisava. Concordo absolutamente com todo o resumo feito por Azenha.

Responder

Julio Silveira

30/03/2016 - 05h19

Certamente o espírito corporativo dessa instituição, que deveria ser isenta, chamado judiciário vai prevalecer e vão acabar dando um jeito de relevar o criminoso Moro. Mas para mim o fato está consumado, ele pode ter o amparo de seus cúmplices legais, mas não justos, legais no sentido de fazerem vista grossa, por cumplicidade com o seu ilícito desvario. Por que para as leis nacionais ele cometeu um crime, um crime constitucional, e foi premeditado e teve parceiros, agiu dentro do moldes de formação de quadrilha.

Responder

FrancoAtirador

30/03/2016 - 04h06

.
.
Essa Manifestação do Juiz Sergio Moro
serve muito mais para sair de bonzinho
na Mídia Jabáculê do Golpe Financeiro
e para a própria Defesa dele perante
o Conselho Nacional de Justiça (CNJ)
do que para influir nas Decisões do STF.
.
Daqui pra frente, a Palavra que vale
é a do Ministro-Relator, no Supremo.
.
Excertos da Decisão de Teori Zavascki,
que pôs o Direito Constitucional nos Eixos:
.
Reclamação STF: RCL 23457 MC / PR
.
5. … Autuado, conforme se observa na tramitação eletrônica, requerimento do Ministério Público de interceptação telefônica, em 17.2.2016, “em relação a pessoas associadas ao ex-Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (eventos 1 e 2)”, aditado em 18.2.2016, teve decisão de deferimento em 19.2.2016 e sucessivos atos confirmatórios e significativamente ampliativos, em 20.2.2016, 26.2.2016, 29.2.2016, 3.3.2016, 4.3.2016 e 7.3.2016, sempre com motivação meramente remissiva, tornando praticamente impossível o controle, mesmo a posteriori, de interceptações de um sem número de ramais telefônicos.
.
6. Embora a interceptação telefônica tenha sido aparentemente voltada a pessoas que não ostentavam prerrogativa de foro por função, o conteúdo das conversas – cujo sigilo, ao que consta, foi levantado incontinenti, sem nenhuma das cautelas exigidas em lei – passou por análise que evidentemente não competia ao juízo reclamado: …
.
7. Enfatiza-se que, segundo reiterada jurisprudência desta Corte, cabe apenas ao Supremo Tribunal Federal, e não a qualquer outro juízo, decidir sobre a cisão de investigações envolvendo autoridade com prerrogativa de foro na Corte, promovendo, ele próprio, deliberação a respeito do cabimento e dos contornos do referido desmembramento… No caso em exame, não tendo havido prévia decisão desta Corte sobre a cisão ou não da investigação ou da ação relativamente aos fatos indicados, envolvendo autoridades com prerrogativa de foro no Supremo Tribunal Federal, fica delineada, nesse juízo de cognição sumária, quando menos, a concreta probabilidade de violação da competência prevista no art. 102, I, b, da Constituição da República.
.
8. Diante da relevância dos fundamentos da reclamação, é de se deferir a liminar pleiteada, para que esta Suprema Corte, tendo à sua disposição o inteiro teor das investigações promovidas, possa, no exercício de sua competência constitucional, decidir acerca do cabimento ou não do seu desmembramento, bem como sobre a legitimidade ou não dos atos até agora praticados.
.
9. Procede, ainda, o pedido da reclamante para, cautelarmente, sustar os efeitos da decisão que suspendeu o sigilo das conversações telefônicas interceptadas.
São relevantes os fundamentos que afirmam a ilegitimidade dessa decisão.
Em primeiro lugar, porque emitida por juízo que, no momento da sua prolação, era reconhecidamente incompetente para a causa, ante a constatação, já confirmada, do envolvimento de autoridades com prerrogativa de foro, inclusive a própria Presidente da República.
Em segundo lugar, porque a divulgação pública das conversações telefônicas interceptadas, nas circunstâncias em que ocorreu, comprometeu o direito fundamental à garantia de sigilo, que tem assento constitucional.
O art. 5º, XII, da Constituição somente permite a interceptação de conversações telefônicas em situações excepcionais, “por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal”.
Há, portanto, quanto a essa garantia, o que a jurisprudência do STF denomina reserva legal qualificada.
A lei de regência (Lei 9.269/1996), além de vedar expressamente a divulgação de qualquer conversação interceptada (art. 8º), determina a inutilização das gravações que não interessem à investigação criminal (art. 9º).
Não há como conceber, portanto, a divulgação pública das conversações do modo como se operou, especialmente daquelas que sequer têm relação com o objeto da investigação criminal.
Contra essa ordenação expressa, que – repita-se, tem fundamento de validade constitucional – é descabida a invocação do interesse público da divulgação ou a condição de pessoas públicas dos interlocutores atingidos, como se essas autoridades, ou seus interlocutores, estivessem plenamente desprotegidas em sua intimidade e privacidade…
.
10. Cumpre enfatizar que não se adianta aqui qualquer juízo sobre a legitimidade ou não da interceptação telefônica em si mesma, tema que não está em causa.
O que se infirma é a divulgação pública das conversas interceptadas da forma como ocorreu, imediata, sem levar em consideração que a prova sequer fora apropriada à sua única finalidade constitucional legítima (“para fins de investigação criminal ou instrução processual penal”), muito menos submetida a um contraditório mínimo.
A esta altura, há de se reconhecer, são irreversíveis os efeitos práticos decorrentes da indevida divulgação das conversações telefônicas interceptadas.
Ainda assim, cabe deferir o pedido no sentido de sustar imediatamente os efeitos futuros que ainda possam dela decorrer e, com isso, evitar ou minimizar os potencialmente nefastos efeitos jurídicos da divulgação, seja no que diz respeito ao comprometimento da validade da prova colhida, seja até mesmo quanto a eventuais consequências no plano da responsabilidade civil, disciplinar ou criminal.
.
11. Nos atos ampliativos antes referidos, encontra-se decisão datada de 26.2.2016, em que é autorizada a interceptação telefônica de advogado sob o fundamento de que estaria “minutando as escrituras e recolhendo as assinaturas no escritório de advocacia dele”.
Aparentemente, é só em 16.3.2016 que surge efetiva motivação para o ato: …
.
12. Ante o exposto, nos termos dos arts. 158 do RISTF e 989, II, do Código de Processo Civil,
defiro a liminar para determinar a suspensão e a remessa a esta Corte do mencionado “Pedido de Quebra de Sigilo de Dados e/ou Telefônicos 5006205 98.2016.4.04.7000/PR” e demais procedimentos relacionados, neles incluídos o “processo 5006617-29.2016.4.04.7000 e conexos” (referidos em ato de 21.3.2016),
bem assim quaisquer outros aparelhados com o conteúdo da interceptação em tela,
ficando determinada também a sustação dos efeitos da decisão que autorizou
a divulgação das conversações telefônicas interceptadas.
.
Comunique-se com urgência à autoridade reclamada, a fim de que, uma vez tendo cumprido as providências ora deferidas, preste informações no prazo de até 10 (dez) dias.
Com informações ou decorrido o prazo, abra-se vista dos autos ao Procurador-Geral da República (arts. 160 do RISTF e 991 do Código de Processo Civil) e voltem conclusos para julgamento.
Junte-se cópia desta decisão nos autos de Pet 5.991, arquivando-se aqueles.
.
Publique-se. Intime-se.
.
Brasília, 22 de março de 2016
.
Ministro TEORI ZAVASCKI
Relator
Documento assinado digitalmente
.
.
.
.
SENADORES DE DIVERSOS PARTIDOS ENTRAM COM RECLAMAÇÃO DISCIPLINAR
.
CONTRA O JUIZ SERGIO MORO NO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ)
.
No pedido, os senadores consideram a importância da Operação Lava Jato
na investigação da corrupção, mas afirmam que a apuração
passou a ser conduzida de forma “midiática e espetacularizada”.
.
Os senadores pedem que o CNJ aplique ao juiz as medidas disciplinares previstas na Lei Orgânica da Magistratura (Lomam), como advertência, censura, remoção compulsória, aposentadoria compulsória ou demissão.
.
De acordo com os senadores, Moro agiu com arbitrariedade
e expôs a presidente Dilma a uma “situação absurda”.
.
“Ao levantar o sigilo de conversas telefônicas do ex-presidente Lula no momento em que se preparava para assumir o cargo de ministro da Casa Civil, o juiz Federal Sérgio Moro sabia que cometia um Crime.
Tomou, nada obstante, uma atitude política, em nome de um desejo de realizar o fim pretendido de evitar que o ato administrativo de posse do indicado ao cargo se efetivasse”, afirmou a petição.
.
“O juiz que a conduz mostra-se seduzido pela fama e faz um diálogo com o segmento social insatisfeito com o governo federal não no sentido de esclarecê-lo e acalmar os ânimos, mas ao oposto.
Seus atos tendem a incitar a população à subversão da ordem política e social.
E o grave é que não encontra mais os limites das leis e da Constituição Federal como parâmetros.”
.
Assinam a Reclamação Disciplinar contra o Juiz Sergio Moro no CNJ, dentre [email protected],
@s Senadore(a)s Ângela Portela (PT-RR), Donizeti Nogueira (PT-TO), Fátima Bezerra (PT-RN),
Gleisi Hoffman (PT-PR), Humberto Costa (PT-PE), Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE),
Lídice Da Mata (PSB-BA), Lindbergh Farias (PT-RJ), Paulo Rocha (PT-PA), Roberto Requião (PMDB-PR)
e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).
.
(http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2016-03/senadores-recorrem-ao-cnj-com-reclamacao-disciplinar-contra-moro)
.
.

Responder

FrancoAtirador

30/03/2016 - 02h51

.
.
Moro no Faustão: (https://youtu.be/Xl-W7iDVi9w)
.
.

Responder

    José Fernandes

    30/03/2016 - 11h38

    kkkkkkkkkkk adestrado pela mídia e só faz merda…

Deixe uma resposta