VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Francisco Luís: Fatos do final de 2016 sinalizam que se cumprirá previsão de Dilma: “Não vai ficar pedra sobre pedra”

09 de janeiro de 2017 às 17h43

2017

Fatos do final de 2016 sinalizam como será 2017, o ano que se cumprirá a previsão de Dilma de que “não vai ficar pedra sobre pedra” 

por Francisco Luís, especial para o Viomundo

O ano de 2016 foi tão difícil, tão devastador — é como se uma jamanta, carregada,tivesse passado por cima dos brasileiros  a 200 km por hora –, que esperei até 31 de dezembro para escrever sobre as tendências para 2017.

Uma série de fatos ocorridos no final do ano indica que, em 2017, se cumprirá a previsão feita, em 25 de outubro de 2014, pela presidenta Dilma Rousseff de que “não vai ficar pedra sobre pedra”.

A Veja tinha saído coma reportagem de capa: Eles sabiam de tudo.

Segundo a matéria, o doleiro Alberto Yousseff teria dito que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta tinham conhecimento das irregularidades na Petrobras.

Naquele sábado que antecedeu o segundo turno da eleição presidencial, durante entrevista coletiva em Porto Alegre, Dilma reagiu (o negrito é meu):

“Eu quero aqui manifestar meu repúdio a esse tipo de processo, que é um processo golpístico. Quero dizer que eu tenho uma vida inteira que demonstra o meu repúdio à corrupção. Eu não compactuo com a corrupção, eu nunca compactuei. Quero que provem que eu compactuei com a corrupção e não esse tipo de situação em que se insinua e não tem prova. Nesse caso da Petrobras, ou qualquer outro, que tenha a ver com corrupção, eu vou investigar a fundo, doa a quem doer. Quero dizer que não vai ficar pedra sobre pedra.”

À série de fatos, portanto.

Primeira: Em 13 de dezembro, duas patrulhas do Exército cercam o trancaço feito por estudantes em Recife. No mesmo dia, em Brasília, a polícia reprime violentamente protesto contra a aprovação da PEC 241/55; e na Avenida Paulista,  alguns manifestantes jogam rojões na sede da Federação das Indústrias do Estado de São (Fiesp), durante ato repúdio à instituição pelos sucessivos ataques aos direitos sociais e trabalhistas dos brasileiros.

Na última sexta-feira,06/01/2017, o jornalista Maurício Dias, em CartaCapital, chama a atenção para a possibilidade de o Exército ser usado em manifestações cidadãs contra a perda de direitos.

Segunda: A crise institucional envolvendo  o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF). Em 5 de dezembro, decisão liminar do ministro Marco Aurélio, do Supremo, afasta o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

Em 7 de dezembro, num acordão envolvendo governo, aliados no Congresso e o Supremo, o plenário do STF mantém Renan na presidência para não atrapalhar a tramitação da PEC 55, que congela por 20 anos os investimentos públicos em Educação e Saúde, entre outras áreas.

Em 14 de dezembro, o ministro Luiz Fux, por pressão particularmente dos procuradores da Lava Jato, em decisão monocrática anula a votação na Câmara das “10 medidas contra a corrupção”.

Também ordena que o projeto, já Senado, volte à Câmara para nova votação.

O ministro Gilmar Mendes fuzila a decisão de Fux:“É o AI-5 do Judiciário”.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já havia dito que várias dessas medidas contra a corrupção são inconstitucionais.

A propósito: em outubro de 2016, o ministro Fux, em decisão também monocrática e muito criticada, arquivou, sem investigar, a denúncia de que a firma de advocacia do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes,  recebeu de 2010 a 2014  R$ 4 milhões de empresa alvo da Operação Acrônimo. Mais uma evidência de que a lei não é igual para todos.

Terceira: Nos primeiros minutos de 2017, o assassinato de 11 pessoas em Campinas, sendo nove mulheres, entre as quais a ex-mulher do assassino, que se matou em seguida, e o filho de oito anos de ambos.

Um ato bárbaro, fruto da cultura do ódio promovida por amplos setores da mídia e da direita, liderada pelo PSDB/DEM.

Ainda tivemos no início da tarde de 1º de janeiro de 2017 o massacre de detentos do complexo penitenciário Anísio Jobim (Compaj), de Manaus.

Na madrugada de 6 de janeiro de 2017, nova chacina de 33 presos. Desta vez, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, Roraima.

A lógica do golpe é a do uso da força, estimulando claramente atos bárbaros, visto que muitos de nossa sociedade acreditam no justiçamento e estão descrentes da Justiça, o que leva cada vez mais à  violência.

Caminhamos claramente para a barbárie, especialmente com o enfraquecimento do poder do Estado, devido à grave crise que vivemos.

Quarta: Em 15 de dezembro, o promotor Fernando Albuquerque Soares de Souza, do Ministério Público do Estado de São Paulo, denunciou 18 manifestantes por corrupção de menores e associação criminosos.

Eles foram presos em 4 de setembro na saída do Metrô Vergueiro, onde se reuniram para ir ao ato Fora Temer, na Avenida Paulista.

Entre as provas apesentadas pelo promotor estão vinagre (usado para diminuir os efeitos nocivos das bombas de gás lacrimogêneo), estojo de primeiros-socorros e um disco de metal para ser usado como escudo.

Segundo os jovens, o disco foi “plantado” pela polícia na mochila de um deles.

Como foram presos antes da manifestação, estão sendo acusados de algo que poderia vir a acontecer e não de algo que, de fato, ocorreu.

Só isso já mostra o absurdo da acusação contra os jovens.

Ao mesmo tempo, alerta para perigo que nos ronda atualmente.

Com base no que aconteceu com jovens, pode-se dizer que qualquer pessoa que vá a uma manifestação, levando vinagre e estojo de primeiros-socorros, pode ser presa sob a alegação de, em tese, colocar o patrimônio público em risco.

Pior a decisão promotor da Justiça Militar, do Ministério Público Federal.

Em tese, deveria defender a população dos abusos do poder Executivo e as liberdades preconizadas na Constituição Federal.

Mas ele decidiu arquivar o processo referente ao capitão do Exército Willian Pina Botelho, infiltrado nessa mesma operação.

Tudo isso mostra que as bases do Estado democrático de direito estão sendo solapadas, e o direito a liberdade de expressão e manifestação,cerceado.

Quinta: Governo Temer  enviou ao Congresso Nacional as reformas da previdência e trabalhista, que sinalizam a volta da escravidão e o fim do pouco que avançamos em termos de Estado do Bem-estar Social.

A boa notícia é que o STF pode julgar no começo deste ano a Medida Provisória do Ensino Médio — a  MP 746/2016 –, declarando-a inconstitucional, como já se manifestou o  Ministério Público Federal (MPF).

Se isso ocorrer, abrirá caminho para  barrarmos a MP da reforma trabalhista.

Em tese, o Judiciário deveria, pelo menos, barrar os abusos do Executivo que age contra os direitos sociais consagrados pela Constituição.

Sexta: Seis capitais e diversas cidades do País aumentaram o preço da passagem de ônibus. Isso levanta a possibilidade de 2017 tornar-se um 2013 piorado.

Em 2013, o desemprego era baixo e o país crescia. Em 2017, a economia deve continuar em recessão e chegaremos a 13 milhões de desempregados.

Sétima: A continuidade do acordo de delação da Odebrecht, que será reconhecido em março.

Logo, muita coisa ainda virá à tona, cumprindo-se o prognóstico feito por Dilma em 2014: “Não vai ficar pedra sobre pedra”.

O acordo de leniência da Odebrecht e as denúncias de corrupção já atingem o núcleo duro do PMDB e pesos pesados dos tucanos, como o governador Geraldo Alckmin e o senador José Serra, dificultando muito um acordo social, já que poderemos não ter  atores políticos fortes para levá-lo adiante.

Além disso, a previsão é de que a recessão prossiga com queda de 1% do PIB, fazendo definitivamente água a promessa dos golpistas de que a economia melhoraria com a saída de Dilma.

Eles se baseavam numa idéia furada, a de que a crise era de “confiança”.

Até outubro de 2016, o Banco Central apontava uma queda do PIB de 5%, ou seja, a crise se agravou e a tal “confiança” virou fumaça.

Podemos ter ainda o aprofundamento da crise institucional, visto que as denúncias da Odebrecht podem atingir membros do Judiciário e Ministério Público, como já  foi noticiado por Mônica Bergamo.

Além disso, o acordo de leniência da Odebrecht pode impactar nos bancos, que teriam sido usados para facilitar o fluxo ilegal de recursos. Claro que uma noticia como essa afeta a economia, que já vai mal, por falta de crédito.

Isso sem falar na possibilidade de crise global, especialmente provocada pelos bancos europeus, além do começo do governo Trump, nos Estados Unidos.

Ou seja, 2017 pode se assemelhar muito ao terrível ano de 2016.

Mas, tudo indica, será pior na repressão aos movimentos sociais, com mais perseguição e brutalidade, já que a resistência à perda de direitos deve ganhar novos aliados devido ao ataque à previdência pública.

Ainda mais que, calcula o Dieese, somente 30% da população terá aposentadoria pública.

O cenário para os jovens é tenebroso.

Se a PEC da Morte e a MP do Ensino Médio já lhes solapavam o futuro, imagine com a reforma da Previdência, exigindo 49 anos de contribuição para o salário integral e aposentadoria só aos 70 anos ou mais.

O futuro está nas mãos do que têm coragem e lutam com lucidez contra todas as maldades do governoTemer e do PSDB.

Num cenário tão difícil, a única certeza é a que temos que ocupar as ruas do Brasil para defender nossos direitos duramente conquistados.

Leia também:

As mentiras do governo Temer sobre a reforma da Previdência

 

15 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Luiz Carlos P. Oliveira

11/01/2017 - 11h00

Depois ficam naquela de “o grande chefe é o Lula, o Number One é o Lula, o Number Two é a Dilma, o Number Three é alguém do PT”.
O Number Four deve ser a PQP da Groubo.

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

11/01/2017 - 10h57

Nosso problema com as delações é um só: saberemos somente o que a imprensa publicar, pois os vazamentos são seletivos; em nome do “segredo de justiça” o que não vem ao caso é escondido da patuleia.

Responder

João Luiz Pereira Tavares

10/01/2017 - 12h23

2016…; 2017…

Requião & Moro:

Os nossos inimigos já sabemos! São a picaretagem, a baranguice, a cafonice, o Kitsch, a breguice e a mentira publicitária de Mídias Sociais do Petismo.

Embora já tenham sido privados daquela imagem ilusória de invencibilidade que tinha sido criada por João Santana [agora PRESO POR MORO!], e feito tanta gente tornar-se isentona e alienada, postando coisinhas infantis e oba-oba em sítios como o G+ e Facebook, a favor de PT.

E, daí, esquecendo totalmente de contar a verdade sobre PT. As picaretagens. Exatamente como Requião fez e faz!

Todos esses bregas e essas bregas, que são categoricamente a favor das forças financeiras das trevas, vão continuar passivas e isentonas em 2017!

O ano 2016 foi o da vitória. Esses asseclas do Petismo [e seus satélites, tal qual o REQUIÃO] estão longe de ser derrotados. A baranguice é tal qual ERVA DANINHA, cresce a minuto. Portanto fiquem de OlhOs bem abertos!

A luta continua. E será uma luta mais alegre e mais solar, porque vemos divisões e dúvida no coração do inimigo, e vemos as primeiras luzes do sol, depois de uma longa noite de 13 anos de toda espécie de baranguice petista.

¿Por quê? ¿Por que dizemos que será uma luta mais alegre?
Porque afinal a analfabeta política, de 50 milhões de votos, foi dado-lhe um ponta-pé na traseira pensante que ela leva sobre o pescoço, naquele glorioso ano de 2016.

Por mais que possa parecer estranho e paradoxal, se milhões de brasileiros encontrarem mais coragem para se opor à máquina infernal que os aprisiona, 2017 melhora muito.

O brasileiro, tal qual as norte-americanas têm demonstrado que não querem mais ser soldadinhos de chumbo dispensáveis ou vacas leiteiras.

Claro que estou a falar de gente pensante, e não de bregas, nem de universitários de unidades decadentes e muito menos estou a debater a respeito de ISENTÕES semelhantes ao REQUIÃO, que jamais fez qualquer crítica a Coração Valente. E nem ao partidinho do PeTê. E seus satélites como o PCdoB e PMDB (puxa-sacos).
REQUIÃO é um ISENTÃO. Certamente.

E a mente progressista e a escrita progressista são aquelas que vão em embate aos pensamentos retrógrados e antigos como o de Requião.
Sem o fingimento do politicamente-hipócrita-correto da Dilma, do PT e da Grande Mídia Petista. E contra a ISENTABILIDADE de Requião.

Responder

FrancoAtirador

10/01/2017 - 07h00

.
.
https://pbs.twimg.com/media/Cwq01zaWIAE5bx0.jpg

E o PSDB está Pegando as Pedras

e Atirando na Classe Trabalhadora.

E a Esquerda vai pro Pau-de-Arara.
.
.

Responder

Cláudio

10/01/2017 - 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: A grande mídia (mérdia) é composta por sabuj@s suj@s a serviço dos ianque$ e do $ionismo de capital especulativo internacional e outras máfias (como a ma$$onaria) d@s canalhas direitistas…
.
PARA A ENÉSIMA PUTifARIA ( patifaria + putaria ) DA DIREITA:
Foi com muito cálculo que se preparou mais essa para o PT (e/ou as esquerdas, o progressismo/trabalhismo). E, ao que parece, o partido não contava nem se preveniu para essa eventualidade. Aliás, é estranho o número de vezes que o PT é pego de calças curtas, desprevenido e perplexo. E, o que mais espanta, é que seus inimigos nem parecem ser tão espertos assim.
.
AS MORDOMIAS DOS MARAJÁS EM PÉ DE GUERRA:
Os 17 mil juízes receberam em média 46,1 mil por mês em 2015;
Os 1,2 mil promotores e procuradores de Justiça recebem salário máximo teórico de 33,7 mil mensais;
Magistrados e promotores têm auxílio-moradia de 4,3 mil mensais. Se morarem juntamente com um cônjuge que também tem direito a auxílio, ambos recebem da mesma forma;
Todos têm 60 dias de férias por ano e, em caso de trabalho fora do local, uma diária equivalente a 1/30 da remuneração mensal;
Pena máxima em caso de punição disciplinar: aposentadoria compulsória com salario integral (i$$o é punição mesmo ou é premiação ?…)
.

Poesia contra a distopia (Distopia = Ideia ou descrição de um país ou de uma sociedade imaginários em que tudo está organizado de uma forma opressiva, assustadora ou totalitária, por oposição à utopia. “Distopia”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/distopia [consultado em 01-10-2016].)

::
::
.:.
B……………………………A
…I………………………I
…….S………………C
………..T………N
…………….Â
.
tele……………………..visão
tele……………………..vazão
tele……………………..vazio
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
.:.
::
(En la lucha de clases)
.
En la lucha de clases
Todas las armas son buenas
Piedras
Noches
Poemas
…………………………………………….(Paulo Leminski)
::
(Não é a beleza)
.
Não é a beleza
Mas sim a humanidade
O objetivo da literatura
…………………………………………….(Salamah Mussa)
::
A existência precede a essência.
…………………………………………….(Jean-Paul Sartre)
::
.:.
* 1 * 2 * 13 * 4
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) !!!! Lula (sem vaselina) 2018 neles (que já tomaram DE QUATRO) !!!!
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Antonio Passos

09/01/2017 - 23h27

Dilma Gorbachev e sua Glasnost permitiu esse desmonte nacional. Agora ela vira profeta do apocalipse. Teria feito mais pelo Brasil se tivesse usado a LEI e colocado todos que a grampearam na cadeia.

Responder

José Rosa

09/01/2017 - 20h49

As coisas sempre mudam, fato.

O golpe ainda está fresco e se desmoralizando rapidamente
Estamos vivendo um grande processo de construção cidadã
em que os fascistas interromperam de forma rude e desordenada. Se desejavam fugir dos debates, eles o acirraram ainda mais. Agora é muita paciência e união em pro do povo e do Brasil

Responder

Cleiton do Prado Pereira

09/01/2017 - 20h09

Prezado Miro, me permita discordar.
Quando Dilma disse a celebre frase: “Não sobrará pedra sobre pedra” Ela como muitas mulheres apaixonadas que acreditam no que dizem seus amantes, acreditou que não seria golpeada pelos quadrilheiros que se instalaram no governo. Ouvia somente o Zé da Justiça que, como o Temer, faziam parte do golpe. e diziam a ela que não haveria golpe. Acreditou também que a Vaza a Jato era pra valer e atacaria todos os envolvidos em corrupção. Jamais acreditou que seria apenas para viabilizar o golpe e a entrega de nossas riquezas aos EUA. Eu nunca acreditei que a Vaza a Jato, tivesse de fato, interesse em combater a corrupção. Mesmo porque, o Rei Moro Primeiro e Único, participou juntamente com o Yussef, das investigações sobre o Banestado e esconderam os verdadeiros corruptos de então. Não seria com a Dilma no governo que ele iria combater a corrupção e dar a ela os louros deste feito. Não há mais nada a fazer, posto que, para muitos ficou claro agora a participação do MP, PGR, STF e até as forças armadas, no golpe dado em nossa democracia. Não por acaso o Gal. Vilas Boas, deu seu recado no final do ano, não vacilará em aplicar o Art.: 142 da constituição, não para combater manifestações de coxinhas, vestidos de verde e amarelo (CBF). Em sendo assim, a quem recorrer? Ao MST com luta armada? Esquece isto jamais aconteceria. Não é de nossa índole.

Responder

JADERSON Oliveira

09/01/2017 - 19h57

A parada gay, (nada contra o género, se fosse qualquer outra que reunice tantas pessoas usaria como ex) reúne milhões de pessoas, Carnaval, futebol, Rock inrio.
Brasileiro merece os governantes que tem, pois se deicha alienar por um canal de tv.
Como disse um senador: O brasileiro vai chorar sangue.

Responder

Belmiro Machado Filho

09/01/2017 - 19h10

Um sonho longínquo e inalcançável: “ocupar as ruas do Brasil para defender nossos direitos duramente conquistados”. Chegamos a um grau de viralatismo, de frouxidão, de conformismo que qualquer reação é praticamente impossível. Enquanto estivermos usando nossos dedos para apertar teclas, essa organização criminosa que se apossou a força do nosso país nos fará de gato e sapato. Infelizmente essa é a realidade. Em tempo, vivi minha adolescência, minha juventude e parte da minha vida adulta sob o tacão das coturnos dos milicanalhas assassinos. Sinto profundamente ter que reviver tudo isso novamente.

Responder

    Marcos Neves

    09/01/2017 - 19h22

    Meu amigo Belmiro, me sinto da mesma forma mas te digo, não deixe que a esperança morra.Abcs

    Mauricio

    09/01/2017 - 20h29

    Seu comentário é perfeito! Canso de falar isso, que sem pressão nas ruas e protestos nada irá mudar. Afinal o pilantra que comanda a nação já disse que não se preocupa com popularidade, então só resta a pressão das ruas até derrubar esse governo de saqueadores, apátridas e entreguistas.

    Danilo Dantes

    10/01/2017 - 09h55

    Na ditadura tinhamos verdadeiros herois da resistencia. Hoje temos guerrilheiros de teclados. A tragecomedia vai continuar, pois nossa esquerda e’ covarde. Ate o governador do MA disse que temos que fazer de tudo para ajudar este governo “ilegitimo” e aguardar as eleicoes de 2018. O que este comunista de araque sugere, aceitar os golpistas e o golpe? Cade a Jandira? Bando de esquerdistas sem amor a patria.

Deixe uma resposta