VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Duas críticas à vacinação contra a gripe suína

23 de março de 2010 às 01h28

Primeiro, de um médico:

Venho acompanhando seu blog desde 2009, embora só recentemente passei a enviar alguns comentários. Sou médico, formado em 1974 na Universidade Federal de Juiz de Fora, atualmente professor Associado 1 nessa mesma Universidade, tendo me especializado em Saúde Pública pela ENSP, feito mestrado e doutorado em Saúde Coletiva pela UERJ.

Ao acessar o blog ontem vi que meus comentários sobre a vacinação contra a Influenza A H1N1 feitos na entrevista do ministro Temporão e no espaço da jornalista Conceição Lemes haviam sido deletados.

Coincidência ou não, todos eles eram contrários à vacinação contra esta virose banal, de baixíssima letalidade (0,03%) e fácil contágio. Na minha argumentação, evidentemente, só usei dados de base científica e do próprio site criado pelo Ministério da Saúde sobre esta vacinação. A minha insistente pergunta era: por quê vacinar ?

Não encontrei até agora nenhuma justificativa embasada em dados científicos que me convencesse da necessidade de uma vacina específica para o H1N1. Inclusive porquê já há uma cepa deste desimportante vírus na vacina anual para a gripe sazonal. Não precisa mais que isso que já existia, pois este vírus causa gripes ha 70 anos e nunca sofreu uma mutação que o tornasse virulento.

Enfim, existem múltiplas razões para discordar desta vacinação proposta pelo Ministério da Saúde. Mas essa mensagem se refere ao fato de ter sido pela primeira vez censurado num blog da internet. Dou pitacos em blogs até de direita, discordando de suas opiniões educadamente e nunca fui censurado. A alegação da srª Conceição Lemes é que declarei ser médico mas não provei, mas o blog nunca pediu minha identificação documental, nem me enviou nenhum email solicitando meus dados, mesmo conhecendo meu endereço eletronico.

Francamente sr. Azenha, estou decepcionado com Viomundo e hoje, na data de 21/03/2010 foi a última vez que acessei o seu blog.

Att.
Celso Paoliello Pimenta
CRMMG 8153
RG: M-644.712 – SSP/MG
Juiz de Fora – MG

Nota do Viomundo: Nossa intenção, ao remover os comentários, foi de se certificar que não se tratava de algo muito comum nos dias de hoje, na internet: um trote. Em retrospectiva, reconhecemos que isso deveria ter sido feito ANTES da aprovação dos comentários. O fato de o blog publicar agora, com destaque, a opinião do dr. Celso não significa que ela seja endossada por nós.

*****

Agora, de um leigo:

Com a chegada do inverno, a Europa investiu um arsenal para combatê-la, como se numa guerra de mundos. Resultado: vários países europeus tentam se livrar do excesso de vacinas e apetrechos relacionados à gripe A (H1N1), que não foi tão forte quanto previsto. A Suíça, comprou 13 milhões de doses e agora deverá doar ou vender grande parte ao exterior,e manter outra em estoque para uma eventual próxima pandemia; a França, anunciou na última segunda-feira que cancelaria a compra de 50 milhões das 94 milhões de doses que havia encomendado 1; a Alemanha também tenta se livrar dos excedentes e renegociar as encomendas feitas durante a fase inicial da onda de gripe  A (H1N1); e Itália, Espanha, Portugal e Holanda já reavaliaram as encomendas de vacinas que haviam feito no início da (mal) dita pandemia.

Hoje, a nova “chaga”, dantes considerada uma mina de ouro do setor, cujas vendas de vacinas eram consideradas uma benção para as indústrias farmacêuticas, já não assusta e a receita dos fabricantes de vacinas e as perspectivas de lucros com a pandemia da gripe A (H1N1) já se mostram bem incertas.

E a maior prova disso (e de toda a campanha midiática acerca da falsa epidemia) é motivo de investigação por alguns dos parlamentos europeus e de criação de uma “comissão de inquérito” por parte da União Europeia, com vistas a analisar a influência (e o lobby) dos gigantes laboratórios transnacionais sobre os dispêndios públicos em vacinas e congêneres.

Assim, a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa (APCE) abriu um inquérito em janeiro sobre a influência das empresas farmacêuticas na campanha global da gripe A, focando especialmente sobre a dimensão da influência da indústria farmacêutica na OMS. Trata-se, pois, de um passo há muito necessário no sentido de existir uma transparência pública quanto a um “Triângulo Dourado” de corrupção na área dos fármacos entre a OMS, a indústria farmacêutica e cientistas acadêmicos.

No Brasil, embora tudo mais distante em relação a processos de investigação, a situação prática dos gastos públicos e do temor populacional fora idêntico ao que se passa na Europa. Aqui, também, o nome científico para o que ocorreu – e, parece, está em visas de se repetir – é “estado hipocondríaco transitório movido por um estresse psicossocial”; o nome fantasia — ou a chaga social — é “cegueira branca”, aquela mesma descrita por José Saramago, talvez um pouco metamorfoseada.

Estava a se falar demais sobre o “nada”, dando ao “nada” status de “fato”, a criar mensagens subliminares que (inconscientemente) intentavam mostrar a todos a aproximação de um monstruoso enxame de rãs, de sarnas e de gafanhotos, o qual daria início ao grande dia do juízo final. E assim, lendo o que repercutia à época a mídia, este parecerista começou sim a temer pela sua vida: não por causa da gripe, mas porque é o primogênito.

No último inverno ao sul do Equador, renomados especialistas, desprezados pela grande mídia — como a Diretora do Hospital das Clínicas de SP e Mestre em Epidemologia, Sra. Anna Sara Levi, e o Diretor da Faculdade de  Medicina da USP e Doutor em Infectologia, Dr. Marcos Boulos 2, afirmaram veementemente que a fome, o frio, a esquistossomose e a malária matam (e matarão) centenas de milhares de vezes mais do que o “monstro” da nova gripe, o (pseudo) anúncio do apocalipse.

Fazer política partidária ou lobby econômico com notícias de saúde, além de imoral, tem “efeitos colaterais”, da ordem econômica, relacionados à falta de recursos públicos em certas áreas — vez que há um típico caso de trade-off –, e, também, de ordem social, cujos efeitos impregnam no estado negativamente extático da população, cujas consequências, dentre outras, remetem àquelas da gripe aviária de 2007 e da febre amarela de 2008: milhares e milhares de pessoas vacinaram-se desnecessariamente e, como a vacina tinha contraindicações, várias acabaram hospitalizadas e algumas morreram (ora, para ir rápido ao abastecimento dos produtos, em algumas vacinas se tem utilizado adjuvantes cujos efeitos não foram testados suficientemente…).

E porque tudo isso e essa suspeita típica dos enredos dos grandes thrillers? A memória não é tão curta 3.

Em abril de 2009, quando chegou o primeiro alarme do México acerca de uma “nova” gripe, a OMS quase imediatamente declarou uma “pandemia”, mesmo que esse elevado nível de alarme não se correspondesse com o números dos “casos”. Não havia nem mil enfermos e o alerta máximo se baseou em que o vírus era novo.

Porém, todo profissional das áreas da saúde sabe, uma característica das enfermidades gripais é que se desenvolvem muito depressa, por meio de um vírus que cada vez toma formas diferentes e se instalam em novos hóspedes. Nada novo. Todo o ano aparece um novo “vírus da gripe”. Realmente não havia nada que justificasse  semelhante grau de alarme.

Isto tem sido possível desde que a OMS, em maio de 2009, numa manobra jurídica, mudou sua definição de “pandemia”. Antes dessa data não só era necessário que a enfermidade se manifestasse em vários países por vez, senão que, ademais, tivesse consequências graves com um número de casos mortais, maior que a média habitual.

Na nova definição se eliminou esta parte e só se manteve o critério do ritmo de propagação da enfermidade. E se pretende que o vírus seja perigoso porque as populações não tinham desenvolvido defesas imunitárias contra ele. O qual é falso no caso desse vírus, porque podemos observar que as pessoas com mais de 60 anos já possuíam anticorpos, vez que já tinham estado em contado com vírus análogos — por outra parte, essa é a razão de que praticamente não tenha havido pessoas com mais de 60 anos que tenham desenvolvido a enfermidade.

E a recomendação da OMS em utilizar unicamente as vacinas especiais patenteadas? Sem embargo, não havia nenhuma razão para que não se acrescentassem, como se tem feito todos os anos, as partículas antivirais específicas do novo vírus H1N1 para “completar” as vacinas que se utilizam para a gripe estacional. Não se fez, senão que se adotou pela utilização de materiais de vacinação patenteados que os grandes laboratórios tinham elaborado e fabricado para que estivessem preparados no caso de que se desenvolvesse uma pandemia. E procedendo dessa forma não se duvidou em colocar em perigo as pessoas vacinadas. Em outras palavras: querem utilizar forçosamente os novos produtos patenteados em vez de usar as vacinas segundo os métodos de fabricação tradicionais, muito simples e confiáveis, e mais baratos. Não há nenhuma razão médica para isso. Unicamente razões de mercado.

Todavia, mesmo diante de todas essas (quase) evidências, a grande mídia corporativa e a parcela pestilencial da saúde pública ou privada brasileira já pressionam e advertem o Estado para o infernal inverno que se aproxima e que, agora garantem, a tal peste vai mesmo dizimar o resto da população sobrevivente.

E o Estado, o que deve fazer? Ora, não importa o que faça será, claro, jogado aos leões, afinal: (i) se realmente ignora essa pseudo-hecatombe e não gasta a querida fortuna em arsenal anti-gripe suína, mas algumas pessoas morrem da gripe, ele será eternamente criticado por não ter se preparado, por não ter investido, por ter sido negligente etc.; e, por outro lado, (ii) se realmente dá ouvidos às notícias e aos reclames da mídia e das indústrias fármaco-hospitalares, e gasta uma fortuna para se precaver e combater a tal gripe, e ela não vem (ou vem, como bem se viu, como outra doença qualquer que, mais ou menos sólida, se desmanchou no ar), será eternamente criticado por ter desperdiçado tempo e dinheiro público, por não ter examinado direito a situação, por não ter sido eficiente etc. Sim, é assim que o jogo sempre funciona, e a solução, vez que os dados com que se joga são vidas humanas, sempre tende para essa segunda.

Portanto, o que a população necessita, de verdade, é de “kits” e “vacinas” contra os surtos midiáticos — afinal, então sim, quanto mais prevenção maior será a proteção. Para a gripe, precisa-se, na verdade, de muita ciência e muita cautela 4.

Por Z. Iljitsch Samsa, em seu blog

1 Em http://www.swissinfo.ch/por/sociedade/Europa_tenta_se_livrar_da_vacina_contra_gripe_A.html?cid=8038812; in http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=16667
2 Em http://abuladabola.blogspot.com/2009/08/aspas-xxi.html; in http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=14931.
3 Em http://www.humanite.fr/2010-01-07_Societe_Grippe-A-L-implacable-requisitoire-du-depute-Wodarg.
4 Além, claro, dos procedimentos básicos de higiene e prevenção, que costumam evitar ou minimar qualquer gripe.

 

56 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

elaine

04/06/2010 - 22h28

Eu não tomei essa vacina e se me pagassem milhões JAMAIS tomaria!
Motivo:pesquisei na internet e tomei minha decisão,porque acreditar nos anúncios que estavam na internet ou na mídia CONTROLADA,creio pela misericórdia de Deus, que fiz a escolha certa.Pesquisem primeiro,não acreditem no que a tv,os jornais,revistas,rádio dizem pois eles estão escondendo de vc que essa vacina é um veneno e que essa "pandemia" é uma farça! Bom, eu sei que o meu comentário pode não ser postado,mas não custa tentar.

Responder

fernanda

25/05/2010 - 11h19

Eu entrei nesse blog e li os comentários e vou deixar o meu….nem quero saber o que vai na vacina, se vai combater o vírus,se é jogada política,etc,etc,…..eu TOMEI e estou levando hj a minha filha e meu marido pra tomarem tbm….o maior bem que eu tenho é a minha vida….e tá todo mundo aí reclamando de tomar a vacina, nessa discussão absurda…as pessoas tomam tranfussões de sangue…sabem quantas doenças os laboratórios não acusam que estão no sangue?…cerca de 70 tipos….ah me poupem!!! Se não querem tomar azar de vcs, cada um faz o que quer da sua vida…se é pra ficar falando da vida alheia, sugiro que cada pessoa aqui crie um gato…dizem que o gato tem 7 vidas…eu tenho 2 são 14 vidas pra eu cuidar mais a minha,da minha filha e o pobre do meu marido….que eu tomo conta mesmo!!!…VACINA JÁ!!!!!

Responder

Richard

24/05/2010 - 19h00

Não vejo motivo pra discussão disso!Essa gripe é ridícula quando comparada a outras doenças!Está mais do que óbvio que essa gripe é pra ganhar dinheiro.Expor a população aos riscos das vacinas é bem mais grave!Quanto há de timerosal(MERCÚRIO) e outras porcarias nessas vacinas???Eu que não me arisco a receber mercúrio intra-muscular, prefiro continuar cuidado da minha alimentação, tomando a minha vitamina C, zinco, lactobacilos que fortalecem o meu sistema imunológico.E olha que moro no sul e raramente fico doente.Que venha a gripe, meu sistema imunológico vai dar uam surra nela.

O mais grave dessas vacinas é que estão vacinando grávidas e crianças.É total absurdo o que estão fazendo!Quais serão as consequências no futuro dessas crianças por causa de uma gripe comercial???O mercúrio não só prejudica o sistema nervoso quanto o sistema imunológico.O desenvolvimento neurológico dessas crianças pode ser gravemente prejudicado e isso me preocupa.

Responder

Aline

08/04/2010 - 18h37

As pessoas que estão endossando os links sobre "a nova ordem mundial" deveriam refletir sobre todo o contexto, que é muito mais amplo do que a vacina contra gripe.
E a nova ordem mundial já está instalada: rebolation, mc donalds, alimentação que causa câncer, igrejas realizando lavagem cerebral e enriquecendo uma pequena parcela da população (oh bendito dízimo!) e pessoas que não tem capacidade de raciocinar, questionar e acreditam em tudo o que lêem!

Responder

    Taciane Grant

    21/04/2010 - 01h40

    Concordo com você Aline!
    Mas a realidade é que nem mesmo o próprio laboratório que criou essa vacina, o FDA (Food and Drug Administration) nos EUA, aprova mas NÃO SUGERE a utilização dessa vacina agora.
    Pedem que a população aguarde maiores estudos para uma resolução mais coerente. Pois a vacina de agora, infelizmente NÃO SURTE EFEITO NENHUM em 7 de cada 10 pessoas vacinadas. Além disso, os efeitos e consequências que essa vacina causa nas pessoas são totalmente negativos. Entre 7 e 8 dias após essa vacinação, surgem sintomas sérios que precisam ser reavaliados. Em alguns lugares como por exemplo em "Bangkok" na Tailândia, suspenderam essa vacinação. Eu sou contra essa vacinação até que maiores estudos e maiores explicações sejam feitos e DIVULGADOS COERENTEMENTE a NOSSA POPULAÇÃO BRASILEIRA.
    A saúde dos brasileiros merecem mais respeito! E do mundo também.

Emerson Cardoso

04/04/2010 - 17h41

Ministério da saúde:" Não podemos colocar a saúde pública em risco por causa de teorias e boatos irresponsáveis e sem nenhum evidência que são verdadeiros."

Por favor chequem as seguintes informacoes:

Responder

Pedro

26/03/2010 - 00h58

Fala-se muito, e até demais, em educação, escola e tudo mais que se refere ao assunto. Enquanto a mídia é a deseducação sistemática e intencional, a Internet é o novo instrumento de educação. Este, sim, rompe com todas as formalidades e interesses caducos. Aqui a liberdade de expressão vai ter lugar. Este debate sobre a gripe suina parece-me a prova disso.

Responder

ligia

25/03/2010 - 22h42

porque crianças de 4 anos e 5 anos nao entram na vacinaçao

Responder

MANOEL JÚNIOR

24/03/2010 - 20h46

Sabemos que a química que acompanha uma vacina é na maioria das vezes a causa de muitas mortes, sabemos que em 1976 nos EUA quando teve um suposto surto do bendito vírus do porco, o governo americano fez um alvoroço na mídia a ponto de deixar as pessoas aterrorizadas, e depois começou uma campanha de vacinação onde o resultado foi a morte de uma pessoa pelo vírus e milhares pela vacina, isso custou caro aos cofres do governo pelas indenizações que teve que arcar. Hoje nos deparamos com caso semelhante, e ao que parece vem com um ar de mistério, pois a OMS nunca se preocupou tanto com um vírus quanto atualmente, um vírus banal se comparado com cepas conhecidas. Não sou médico nem infectologista, porém não sou leigo, e as denúncias e alertas por especialistas na área dão conta de que essa bendita vacina carrega uma química muito venenosa para o sistema imunológico das pessoas. Tenho por mim que essa vacinação não passa de um ensaio para destruir o sistema imunológico das pessoas e fazê-las escravas das grandes farmacêuticas.

Responder

Carta de Médico Contrário a Vacinação | Fim dos Tempos.Net-2012

24/03/2010 - 16h46

[…] Fontes: Blog Vi o Mundo: Duas críticas à vacinação contra a gripe suína […]

Responder

Alex Mendes

24/03/2010 - 05h35

Sr. Takata

Já pensaste na possibilidade das pessoas adquirirem a doença tomando a vacina?

Responder

    Roberto Takata

    24/03/2010 - 08h26

    Mendes,

    Nessas vacinas, os vírus são inativados (estão mortos). As chances de se adquirir gripe pela vacina é incomparavelmente menor do que de se adquirir gripe caso não se vacine.

    []s,

    Roberto Takata

Alex Mendes

24/03/2010 - 05h29

Estou percebendo aqui uma controversa saudável …. no bom sentido. As pessoas têm a Medicina como ciência dura, como a matemática e a física, por exemplo. A medicina não é. Não é possível criar experiencias reprodutíveis como na física e portanto a medicina é baseada em estatísticas altamente manipuláveis. O fato que mais me intrigou foi o anúncio criação da vacina no dia seguinte do anúncio da pandemia pela OMS. Esta gripe não teve a taxa de casos fatais acima de uma gripe normal, talvez um pouco menor, mas o escândalo que o imprensa fétida fez talvez tenha levado o governo a fazer esta vacinação em massa, provavelmente a maior do mundo. Não me julgo leigo pra falar da eficiência das vacinas, mesmo não tendo formação em medicina. Tenho como objeto de análise minha própria experiência de vida. A idéia de vacinar índios me dá arrepios.

Responder

Suzie

23/03/2010 - 22h40

Sou leiga e prefiro não fazer vacinação.
Minha mãe não faz vacinação contra a gripe, indicada todos os anos. Ela tem 83 anos.
Tratamos de "provocar" as defesas orgânicas com nosso médico homeopata.
Sou "contra" vacinação em massa.
Somente as básicas e obrigatórias.
Cada organismo possui a sua química, portanto…
Estamos na quarta geração tratados com HOMEOPATIA.
Meu sábio pai já dizia: o melhor remédio é a alimentação, atividade física e "cuca" boa!
Solicitei ao meu plano de saúde privado , credeciamento de médico quiropraxista, recentemente..
Resposta: não é autorizado pela ANS.
Que barbaridade!
Foi assim quando era bem novinha e solicitei credenciamento de Médico Homeopata.
Preferem a DOENÇA que a Saúde.
Prevenção não dá LUCRO para os sócios de nossos corpos.

Responder

Glecio_Tavares

23/03/2010 - 21h57

Queria dar uma opinião totalmente minha.

Sempre achei que o que mais estimulava as mutações em vírus eram as vacinas. Como no caso das defesas contra pragas da natureza que se tornam mais fortes nas próximas gerações e precisam de venenos mais fortes para serem contidos.
A evolução em seres microscópicos são mais rápidas pois sua vida é muito mais curta e em curto espaço de tempo várias gerações são criadas e como sempre os mais resistentes criam as próximas gerações.
É claro que sou um leigo e isso é apenas um ponto de vista. Por outro lado se os laboratórios forem à falência, quem continuará as pesquisas contra as doenças que assolam a humanidade?
meus 4 filhos tem mais de 2 anos e menos de 20, portanto eu que tenho mais de 40 não preciso me preocupar com isso desta vez.

Viva a guerrilha da informação.

Dilma 2010 vacinando a hipocrisia da mídia brasileira.

Responder

Paulo José

23/03/2010 - 20h15

Agora mudou de vírus, é um H1. E daí? e daí que isso foi o que chamamos de grande mutação. O vírus pode não ser muito letal, como não é, mas ele está, como todos vírus influenza, sofrendo várias pequenas mutações em várias pessoas. E daí? e daí que, como ocorreu na gripe espanhola, já houve uma mudança de Hs – do H2 para o H1 – e a primeira leva foi fraca. Mas se o vírus sofrer uma mutação que adquira maior letalidade, pode ocorrer como já ocorreu no passado.

Vai ocorrer? ninguém pode saber. Por isso, é melhor previnir do que remediar. O "jogo" é incerto. Grande parte da população atual não é imucompetente para vírus tipo H1.

Paulo José Chipoletti Picca – Quinto ano da Unifesp-Epm.

Responder

Paulo José

23/03/2010 - 20h14

Olá, sou estudante de medicina e vou falar sobre o que sei da gripe.

O vírus influenza infecta homens, suínos e aves. É comum a infecção, nos suínos, ocorrerem por vírus vindo das aves + vírus vindo de homens. É incomum e perigoso (como na gripe aviária) homens se infectarem por vírus vindo das aves.

Esse vírus (H1N1) não é o vírus da "gripe comum" (H2N5). Por quê? porque há uns 50 anos (não sei exatamente quanto tempo) o vírus que circula entre os homens é H2. O que significa esse "H"? é a abreviação de uma enzima de superfície do vírus. Trocando em míudos, há uns 50 anos (por isso os idosos não estarem inclusos na lista de vacinação) o homem vem convivendo com um vírus influenza tipo H2.

Responder

Sérgio C. França

23/03/2010 - 15h37

Parabéns Azenha, melhor previnir que remediar, pelo que eu sei todos os comentários passam por uma avaliação antes de serem publicados, nada mais justo o mesmo ser avaliado e só posteriormente ser publicado. Não podemos confundir choque de opiniões ou censura com certificação do conteúdo, já não basta o PIG que divulga um monte de inverdades ? Exijo que esse critério de avaliação seja mantido; inclusive em cima de minhas opiniões e após avaliação mesmo ela sendo contrária a sua opinião que a mesma seja publicada; desde que a mesma não venha a comprometer os avanços da democracia. Mais uma vez parabéns pelo bom senso e precaução. Querem ler bobagens e mentiras fiquem com o PIG.

Responder

O Brasileiro

23/03/2010 - 18h30

Talvez o Dr. Celso tenha razão. Talvez a vacina seja desnecessária. Talvez seja até perigosa.
O Dr. Celso poderia nos relatar sua experiência, e dizer quantos pacientes ele atendeu com a gripe H1N1, até para comparar com a mortalidade observada por outros colegas dele.
Até porque ninguém morre de febre amarela, mas porque é vacinado ou não mora em área endêmica!

Responder

Alex Mendes

23/03/2010 - 18h08

Concordo com o Dr. Celso. Esta vacinação é praticamente inútil. Provavelmente um esforço do governo para que o PIG não o acuse de incompetente. Desperdício de dinheiro.

Responder

Carla

23/03/2010 - 17h35

Eu não entendo porque ViOMundo insiste tanto a favor da vacinação e evita a discussão, como fizeram na Europa, onde a questão foi levada até o parlamento europeu. E de fato a gripe não explodiu neste último inverno, nem na Europa nem nos EU. E pouquíssimos europeus se vacinaram…etc.

Responder

Leider_Lincoln

23/03/2010 - 17h08

Eu sempre fui da opinião de não vacinar, mas enfrentar as duas Conceições sem ser médico nem jornalista atuante na área é coisa que eu não iria fazer. Intuitivamente concordo com ambos, tanto com o médico e seus argumentos quanto com a precaução do Viomundo em evitar que comentários que soassem alarmistas pudessem espalhar mensagens erradas.
Sinceramente, penso que se ele tivesse se identificado enquanto:
Celso Paoliello Pimenta
CRMMG 8153
RG: M-644.712 – SSP/MG
Juiz de Fora – MG
Professor da UFJF e talz isto teria sido evitado…

Responder

ejedelmal

23/03/2010 - 16h07

Noves fora, enfim um jornalista sério ouviu os clamores contra esta idiotice de vacinação.

Não é culpa do Azenha, e não é só aqui que acontece este problema. Você traz um assunto sério, mostra uma especialista apresentando dados científicos (como a monja Teresa Forcades), só que em seguida vêm as teorias da conspiração (confesso que me divirto com o tema): é Nostradamus, 2012, fim do mundo, arrebatamento, maçons, iluminatti, alienígenas, etc.

O mesmo se passa entre os engenheiros e arquitetos no mundo todo e o Alex Jones.

Vide link: http://www.ae911truth.org/

Responder

emerson cardoso

23/03/2010 - 15h51

Parabens por abrir espaco para opinioes contrarias.

Para dar mais conteúdo e veracidade a esta montanha de desinformação, leia abaixo opiniões de profissionais altamente qualificados sobre o vírus e a vacina. Clique no link "matéria" para ver mais detalhes e todas as fontes.

—————————————————

Philip Alcabes, PhD

Qualificações: PhD em epidemiologia de doenças infecciosas pela Universidade Johns Hopkins Mestrados em bioquímica e saúde pública. Professor na Universidade de Yale e na Universidade da Cidade de Nova York.

"Houve um tremendo exagero com a ameaça representada pelo vírus H1N1 que acabou como uma espécie de galinha dos ovos de ouro para os fabricantes de vacinas e as empresas farmacêuticas".

http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/expert-e

Leias mais declaracoes estarrecedoras de especialistas aqui. E para o estadao, faca o favor de cobrir os dois lados da historia, onde esta o jornalismo investigativo???

http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/opiniao-

Responder

Gerson Carneiro

23/03/2010 - 15h46

Pronto. Agora o Azenha virou a Geni.

"Joga pedra na Geni; joga bosta na Geni
ela é boa de apanhar, ela é boa de cuspir,
ela dá pra qualquer um, maldita Geni! "

Responder

Mario Adriano

23/03/2010 - 14h37

Caro Azenha,

Creio que agiu acertado. Seria censura se o que fosse inicialmente vetado tivesse conotação puramente política. Políticas de saúde não são decididas no calor da hora. São ações do estado! Por mais que discordemos, elas se baseiam em dados técnicos. A estratégia vacinal planejada privilegiou a quebra da cadeia de transmissão, vacinando profissionais de saúde e os grupos de risco. Ninguém lembrará das ações governamentais se o comportamento da gripe se mantiver sem grandes repercussões. Mas se não for realizada vacinação e tivermos uma epidemia diferente da ocorrida na Europa, esse governo será lembrado pela ineficiência e falta de responsabilidade.

Aqui é um espaço democrático e você nunca deu prova contrária a esse fato. parabéns!

Responder

Mc_SimplesAssim

23/03/2010 - 14h19

Não creio que este blog esteja engajado na defesa dos lucros indecentes de certos laboratórios multinacionais, mas sem dúvida nutre uma simpatia indisfarçável pelo governo Lula e, por consequência, acaba puxando a sardinha pro lado do Ministro Temporão, o que é perfeitamente compreensível.

Digamos que deletar certos comentários sob a alegação de se tratarem de trotes da "direita", não seja mais do que um ato falho.

Como diria meu finado avô: "não há nada mais à direita do que certa esquerda no poder".

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    23/03/2010 - 14h26

    Não se trata de "trotes" da direita. Trata-se de identificar um médico como REALMENTE médico antes de publicar um comentário que pode levar gente a não se vacinar contra a gripe suína. Simples assim.

    Moacir Simples Assim

    23/03/2010 - 14h48

    Este episódio ainda será conhecido no futuro como a "Revolta da Vacina".

    Mario Adriano

    23/03/2010 - 14h40

    Nada mais à direita do que a direita que troca de nome, para esconder o passado!

Marcelo de Matos

23/03/2010 - 14h08

Azenha, você é tão liberal e contrário à censura que abre espaço para esse blogueiro prolixo, leigo e inconcludente criticar a campanha de vacinação. Não é novidade o que está se passando: o Brasil tem tradição de campanhas contra vacina. Quem não ouviu falar, nos bancos escolares, da “Revolta da Vacina”. Que vergonha! Essa vacina também não faz mal algum. Há muita sinistrose nessas manifestações anti-vacina e não podemos deixar que ela se propague. Xô catastrofismo! Se você não quer tomar a vacina não tome, mas, não fique agourando. Eu vou tomar a vacina dos idosos e essa da gripe suína. Só não tomo vacina contra a dengue porque não existe.

Responder

Ruth Alexandre

23/03/2010 - 13h58

Olá Azenha, na minha opinião, você agiu com responsabilidade.
Abraço

Responder

Gunther Furtado

23/03/2010 - 13h32

Azenha, acho que cabe um glossário para este tema. Eu tenho dúvidas de que o comentarista Takada e o médico que escreveu sobre o vírus banal estejam falando da mesma coisa quando se referem a letalidade. Meu palpite é que o Dr. Celso está usando o conceito de que só foram casos confirmados os que chegaram a apresentar alguma gravidade e por isso foram testados, mas isso é só um palpite meu.

Quanto ao artigo do leigo, com certeza ele soa muito sólido e adere a qualquer observação das práticas históricas do grande capital onde quer que ele atue: remédios, cigarros, transgênicos, jatos militares etc.

Responder

André Justino

23/03/2010 - 13h22

Sugiro como leitura sobre a gripe A O site do professor/médico espanhol Juan Gervas: http://www.equipocesca.org. O texto "ocho razones para no vacunarse" é ótimo para todos que querem entender melhor o assunto. A decisão em tomar ou não a vacina é individual (neste caso) por outro lado a decisão de comprar ou não vacina (e com isso milhões vão para laboratórios e deixam de ir para outras necessidades) essa sim não pode deixar de ser questionada. Apesar da grande pressão midiática para comprar a vacina eu , no meu humilde modo de pensar, creio que seria mais importante o ministro Temporão vir a TV e explicar toda essa panacéia com clareza. Abraços. PS: vale a pena Azenha uma entrevista com o médico Juan Gervas, o cara é muito bom e tem uma visão de medicina atual muito interessante.

Responder

Edmundo Cesar Nunes

23/03/2010 - 12h50

Forneça-se a vacina e quem quiser se vacine.
Pessoalmente sou contrário a essa vacina; não se explica nem se justifica. Porém, é dever do Estado prover a vacina. As pessoas têm visões diferentes sobre esse tema, muito diferentes, e não pode o Estado eleger uma corrente e pronto. Além do que, se o Governo não compra essas dezenas de milhões de vacinas adeus vitória nas eleições.
Já antevejo as matérias: por conta da omissão do Governo morrer mais uma criança por conta da gripe A..etc…
A decisão é técnica? Talvez. Porém, por tudo que li e ouvi do Ministério da Saúde ano passado não "fecha" essa vacinação agora.

Responder

    Gleizy

    23/03/2010 - 18h17

    Perfeita essa observação! O governo está mesmo preocupado com as eleições. O que se gastou com a compra das vacina é, na verdade, um investimento.

Wendel

23/03/2010 - 12h50

"Não houve censura ao post, houve precausão para não espalhar falsos comentários"
É Azenha, pegou mal! Fazer censura nesta altura do campeonato, não fica bem, principalmente partindo de vc!
Eu tb tenho evitado seu Blog já algum tempo, em virtude de achar que os personagens John Bastos e Dvorak, tenham sido supostamente criados por vc para "inflamar os comentários", embora à época muitos outros internautas tb tivesem levantado esta hipótese, e vc negado veementemente!
No mais, só o tempo dirá, e espero sinceramente que este meu comentário tb não seja censurado, mesmo porque, se assim for, terei muitos outros espaços na internet, para postá-lo!

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    23/03/2010 - 13h00

    Wendel está aprendendo direitinho com a mídia: "supostamente criados". Cada um que aparece!

    Gerson Carneiro

    23/03/2010 - 13h13

    "Eu tb tenho evitado seu Blog já algum tempo"

    E por mera e grande coincidência aparece justamente para atirar pedras.

    Óh pai, por que não me fizeste rico ao invés de belo?

    Leider_Lincoln

    23/03/2010 - 19h50

    A grande questão é que de Papa e de Deus todo médico tem um pouco…

Gerson Carneiro

23/03/2010 - 12h25

Entendo que há muita coisa para cuidar ao mesmo tempo. O Azenha, de boa-fé, em algum momento pode falhar. Ainda que seja sob a preocupação da precaução que este blog exige. Não se trata de "passar a mão na cabeça". Vamos alertá-lo das possíveis falhas, mas não vamos "atirar pedras". O cara com toda uma vida para cuidar (pessoal e profissional) e ainda se dispoe a nos disponibilizar um espaço maravilhoso desse! Sinceramente, temos que nos curvar.

Responder

Tereza

23/03/2010 - 11h34

A desculpa de evitar um trote não engana ninguém. Foi censura mesmo. Minha decepção também é grande

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    23/03/2010 - 13h13

    Não houve censura ao post, houve precaução para não espalhar falsos comentários. abs

    Alexandre Motta

    23/03/2010 - 14h29

    Se houvesse censura,porque então foi publicado agora?Na verdade tanto seu comentário quanto o de Wendel abaixo tem o propósito não de analisar o texto e sim queimar o Viomundo.Não houve censura e sim bom senso.

    Wendel

    23/03/2010 - 15h09

    Sr. Alexandre;
    Se não foi censura pq não foi publicado à época, fazendo antecipadamente as averiguações sobre a identidade do internauta?
    Defender o indefensável, não é mérito nenhum! O Azenha é um ótimo jornalista, e não precisa que ninguém o advogue e a meu ver não está acima das críticas! Críticas construtivas diga-se de passagem!
    Tenho um grande apreço pela elite de nosso jornalismo, dentre os quais, PHA, Nassif, Mino Carta, Dinis, Washington, e inclusive o Azenha. Posso ter esquecidos muitos outros, mas reafirmo, nenhum deles estão acima da crítica!
    A evolução ou involução de nossos comentários, estára inexoravelmente ligados a toda e qualquer banimento de censura, seja ela oficial ou não!
    Palavras como precausão, bom senso, etc, etc, etc, nada mais são justificativas de retóricas para justificar "CENSURA"!
    Portanto, não nos faça de idiotas!!!!!!!!!!!!!!!!

    jbmartins

    27/03/2010 - 03h26

    Pessoal fraco, não sabem o que é Censura,
    lembram da Folçhas com noticias de doenças a correria para a vacinação.
    imaginem aqui na internet o que poderia acontecer.
    o Dr Celso deveria se identificar e expor suas ideias, seria ate bom para as pessoas serem orientadas.

Gerson Carneiro

23/03/2010 - 11h31

Nessa fogo cruzado de prós e contras, penso que só nos resta uma esperança: quem sabe a iluminada Eliane Catanhêde, venha em emersão, e traga-nos seu veredito, e consiga nos "alumiar". Óh pai, por que não me fizeste rico ao invés de belo?

Responder

@beneramos

23/03/2010 - 11h03

Estranho, nunca tinha percebido que esse blog censurava posts que fossem contra suas idéias. Desculpe Azenha , isso caiu mal. Está entrando na mesma dos outros blogs anti-Brasil que tem por ai.

Responder

Roberto Locatelli

23/03/2010 - 10h18

Detalhe: não me senti à vontade para fazer esses comentários no post da entrevista com o Ministro Temporão. Deu-me a impressão que a matéria não contemplava contraditórios. Vejo que foi uma falsa impressão. O VioMundo é o site mais democrático do Brasil.

Responder

Roberto Locatelli

23/03/2010 - 10h13

Não tomo vacinas contra gripe de qualquer tipo. Acho-as desnecessárias e, mais do que isso, prejudiciais.

Há poderosíssimos interesses econômicos envolvidos, dos grandes laboratórios. Eles exercem uma pressão violenta sobre os governos, exigindo que sejam compradas dezenas de milhões de doses de vacinas, resultando num lucro estratosférico para esses mesmos laboratórios.

Recentemente houve uma pressão da velha mídia e de médicos a serviço de grandes laboratórios para que o medicamento tamiflu fosse ministrado indiscriminadamente. O Ministério da Saúde resistiu de maneira firme a essa pressão. No caso da vacina, o Governo cedeu. E não o culpo. Se não houvesse a vacinação, a mídia certamente crucificaria Temporão, Lula e Dilma. Essa execração pública contaria com efusivos aplausos dos laboratórios, faculdades de medicina, planos de saúde e outros urubus dessa extirpe.

Lendo os comentários no post da entrevista com o Ministro Temporão, nota-se como os laboratórios usam o medo para vender. Veja-se, por exemplo, o desta mãe:

"como fica a minha situacao tenho 2 filhos um de 13 anos que ja teve pnaumunia 3veses e uma filha que ja teve poblema de plaquetas ela tem 6 anos qual a minha seguranca ele nao tomar a vacina contra a gripe h1n1 "

e desta outra:

"Gostaria de saber o porque de não vacinarem pessoas entre 02 à 20 anos.

Será o caso de pensarem que se estas pessoas não forem imunizadas, sendo que a gripe A não terá para onde ir, não iria justamente para aqueles que não tomaram a vacina??? "

Ou seja, o pânico faz com que as famílias tenham impulso de vacinar os bebês, o cachorro e o aspirador de pó. Tiro o chapéu para a estratégia canalha da mídia em conluio com as multinacionais do medo. Realmente uma estratégia vitoriosa.

Os médicos são parte integrante do esquema terrorista das multinacionais do medo. Eles sofrem uma tremenda lavagem e enxaguagem cerebral desde os bancos escolares, pois os professores são, em grande maioria, funcionários dessas mesmas multinacionais. Já está gravado na caixa-preta dos médicos (exceto os homeopatas e alguns alopatas que estudaram melhor a questão) que vacina é boa, necessária e, se possível, obrigatória.

O que se pode fazer é discutir a questão. Nos países do chamado primeiro mundo essa discussão está mais avançada, pois o grau de questionamento da população é maior, provocando boas discussões públicas.

América Latina e África, continentes que (ainda) têm grande parcela da população com baixo índice de consciência, são o paraíso das vacinas. Aqui não há quase discussão alguma. Ao invés de discutirmos, obedecemos. Pelo menos três vezes por ano há vacinação de milhões de pessoas. Algumas vacinas talvez sejam benéficas. Outras, nem tanto.

No mercado de ações, os papéis dos grandes laboratórios estão sempre em alta.

Responder

    Roberto Takata

    24/03/2010 - 08h33

    Locatelli,

    Se é para cair em teorias conspiratórias, eu diria que você é um agente da Roche que está aqui pra fazer com que as pessoas não se vacinem, aí vão ganhar mais dinheiro vendendo Tamiflu.

    Gripe e conspiração
    http://neveraskedquestions.blogspot.com/2010/03/g
    ———————

    []s,

    Roberto Takata

Roberto Takata

23/03/2010 - 07h14

Caro, Azenha,

O Senhor Celso Pimenta, apesar de médico, está absurdamente desinformado.

Apesar da cepa da gripe suína ser chamada de A(H1N1), ele é um vírus *novo*. Deve-se atentar que as linhagens de virus recebem o nome principal pela combinação entre o tipo de duas proteínas: a hemaglutinina (que dá a numeração H) e a neuraminidase (que dá a numeração 1). Mas ter a mesma numeração, indica apenas que os genes correspondentes a essas duas proteínas são partilhadas, não que se trate do mesmo vírus. A cepa da gripe suína atual, aparentemente, é resultado da combinação de três outras cepas: http://scienceblogs.com.br/rainha/2009/05/a_orige

Isso confere características distintas em relação a outra cepas do mesmo subtipo geral.

A letalidade geral realmente não é muito maior do que as das gripes sazonais quando se considera os dados globais, mas, no Brasil, a letalidade foi de cerca de 0,82%: (54 mortes em 6.592 casos confirmados até outubro de 2009, bem maior do que o valor de 0,03% mencionado pelo médico). Mas a letalidade não é o único critério de gravidade de uma doença. A atual gripe suína, segundo os dados disponíveis nas mesmas fontes que o Sr. Pimenta pesquisou, atinge com mais gravidade, no inverno passado, foi o responsável por cerca de 60-70% dos casos de SRAGs – Síndrome Respiratória Aguda Grave. http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/in

Inacreditável que um médico diga que a vacina seja desnecessária porque na vacinação contra gripe sazonal haja já uma cepa do mesmo subtipo. Vamos supor que não houvesse essa diferença de origem a que mencionei de passagem mais acima – que torna as diferenças grandes o bastante para explicar as diferenças nos perfis de etários entre a gripe pandêmica e a sazonal (a sazonal causa mais mortes e complicações entre os mais velhos, a pandêmica entre os mais novos): nem na própria gripe sazonal ocorre a imunização cruzada – tanto é que a cada ano é preciso aplicar uma nova vacina.

Continua a me surpreender que a desinformação seja tão contagiosa.

Roberto Takata

Responder

    Antonio

    23/03/2010 - 18h28

    Concordo plenamente Roberto, percebi várias incoerências no post. Um leigo cometer este tipo de deslize é até perdoável; estes "espíritos de porco" atazanando o Azenha, já estamos acostumados; mas, pela titulação apresentada, fiquei impressionado com a ausência de embasamento científico nas declarações do médico. Compartilho da opinião que casos como estes, principalmente após a vacinação forçada da febre amarela promovida por alguns segmentos da mídia, sejam, sempre assim, tratados com muita responsabilidade. Parabéns Azenha pela atitude respondável e o zelo pelos seus leitores.

Dada

23/03/2010 - 05h34

Não sei realmente pq o blog proibiu ou deixaria de publicar o post do médico. Soa muito estranho, sabe pq? p
q nos EUA e na Europa MUITA gente teve uma discussão GRANDE E REAL sobre a necessidade dessa vacina. Até pq, muito mais gente em outras épocas morreu mais da vacina que da doença.

Esse cara aqui http://swineflu.mercola.com/ é um dos maiores entendedores disso, e fez até esse site especial, dentro do site dele para demonstrar isso. Enfim; aqui tb tem uma carta a respeito: http://www.logosinstitute.org/swineflu.pdf+vaccination+m... target=”_blank”>http://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:Ihj…” target=”_blank”>http://www.logosinstitute.org/swineflu.pdf+vaccination+marcola&hl=pt-BR&sig=AHIEtbRG105cWN-iTUCxIKTu47PooXvxBg

Responder

Deixe uma resposta