VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Desembargador autoriza presença de advogado inglês no julgamento de Lula; veja íntegra da decisão

19 de janeiro de 2018 às 15h21

Foto: Filipe Araújo

Da defesa do ex-presidente Lula, via whatsapp

O desembargador Leandro Palsen, do TRF-4, autorizou a presença do advogado britânico e conselheiro da rainha Geoffrey Robertson na sala de julgamento no próximo dia 24.

O pedido foi feito pela defesa porque o Geoffrey representa o ex-presidente na Comissão de Direitos Humanos da ONU e o tema lá tratado envolve grosseiras violações a garantias fundamentais ocorridas nesse processo que será julgado.

Abaixo, a íntegra da decisão do desembargador Palsen.

Leia também:

Jurista italiano alerta o mundo: Lula não está tendo direito a um julgamento justo e imparcial; veja vídeo

23 - fev 0

Requião: Juízes que ameaçam greve não podem ganhar só de auxílio-moradia mais que outros servidores públicos

O país passa por uma crise fiscal que impõe a todos os agentes públicos, em homenagem ao princípio da igualdade, um esforço que não pode ser burlado por pequenos grupos de servidores, especialmente quando esses grupos recebem os melhores salários da nação, e quando o valor mensal desse auxílio-moradia ultrapassa o total da remuneração mensal […]

 

5 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

lulipe

22/01/2018 - 11h49

Daqui a pouco vão tentar ressuscitar Rui Barbosa pra tentar salvar o lula. Tá chegando a hora…..

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

21/01/2018 - 08h29

Pois é. O desembargador, em despacho, refere-se ao réu Luis Inácio Lula da Silva como “Lula” apenas. Desprezo? Despreparo? Ironia? Isso não é atitude de um desembargador. Isso cairia bem para advogado de porta de cadeia. Esse é o nível de nosso judiciário. Fará um mea culpa? Pedirá desculpas as ex-presidente? Claro que não. Deuses não pedem desculpas e, muito menos, erram.
Conheço muitos advogados. E todos eles dizem a mesma coisa, de que muitos juízes, hoje, perguntam aos assessores: “Conhece o réu?” Se a resposta for a de que o réu não é visto com bons olhos, pronto, está condenado. Isso sem ler o processo! Se você conhece algum advogado, pergunte à ele.

Responder

Marcos Luiz Ribeiro de Barros

19/01/2018 - 17h05

Mas o Relator do Recurso de Lula não é Gebran em vez de Paulsen?

Responder

oseias caetano da silva

19/01/2018 - 16h52

NOSSO JUDICIÁRIO É UMA VERGONHA INTERNACIONAL!!!!!

Responder

eduardo carvalho

19/01/2018 - 15h30

” em procuração outorgada por Lula..” De se indagar ao Desembarga, se desfruta de mesma…intimidade com o Nando. Quero dizer, com o Fernando Henrique Cardoso.

Quem é da área sabe bem, que magistrado, que é magistrado, dirigi-se e refere-se às partes por “Sr” e Sra”. Ao tratar o ex-presidente Luis Inácio da Silva “por Lula” demonstra, de plano, de que lado está.

Responder

Deixe uma resposta