VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Beatriz Cerqueira: Governo de Minas quer transferir gestão de escolas públicas para empresas privadas

06 de julho de 2017 às 13h59

Sind-UTE/MG vai apresentar balanço do que o governo deixou de investir em educação nos últimos dois anos

da Assessoria de Imprensa do Sind-UTE/MG

Aconteceu nessa quinta-feira (06/07), na Sala de Imprensa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a coletiva de imprensa do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, Sind-UTE/MG.

O Sind-UTE/MG apresentou uma avaliação do Projeto de Lei 4.135/17, de autoria do governo do Estado, que cria os fundos estaduais de incentivo e financiamento de investimento, aprovado no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em 1° turno, no último dia (4/7/17) e também um balanço do que o governo deixou de investir em educação nos últimos dois anos — e agora quer transferir para a iniciativa privada.

Pelo PL serão criados seis fundos estaduais: de Investimento (MG Investe), de Pagamento de Parcerias Público-Privadas (FPP), de Garantias de Parcerias Público-Privadas (FGP), de Créditos Inadimplidos e Dívida Ativa (Fecidat), de Ativos Imobiliários de Minas Gerais (Faimg) e de Investimentos Imobiliários (Fiimg).

De acordo com a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, muito preocupa os profissionais da educação e o Sindicato a criação de um fundo para pagar parcerias público-privadas.

Segundo o Sindicato, o governo de Minas, do petista Fernando Pimentel, quer entregar a gestão de escolas públicas para empresas privadas, por meio de projeto de Parcerias Público-Privadas — e isso é a privatização do ensino público.

“Estão querendo atender à lógica do mercado e não investir na educação como um bem público e fundamental”, avaliou a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG (veja a íntegra acima).

Leia também:

Só quatro votos no “conselho de ética” para investigar Aécio

 

5 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Paulo Pretinho

10/07/2017 - 05h06

Essa turma aecista vai afundar Minas de vez.

Responder

Fernando

09/07/2017 - 22h05

Governador de Minas não tem nome nem partido, que bacana.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    10/07/2017 - 07h30

    Corrigido.

Gilberto Bueno

08/07/2017 - 15h02

Ele por acaso não é político do PT? Olha essa reportagem falta profundidade mas dá a entender que está havendo uma relativa privatização da educação pública.
Já teve o problema com as àguas de Cambuquira e agora isso!
O governador deveria vir à público e explicar-se.

Responder

lucas

07/07/2017 - 00h05

nem uma menção ao nome do governador. Certamente é de um partido neo-liberal privatista.

Responder

Deixe uma resposta