VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Aécio Neves, que nunca ralou na vida, encabeça a lista dos 50 senadores que mataram a CLT

11 de julho de 2017 às 20h37

Da Redação

Guarde o nome dos 50 senadores que permitiram que o trabalhador brasileiro ganhe menos que um salário mínimo mensal:

Aécio Neves (PSDB-MG)

Ana Amélia (PP-RS)

Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Airton Sandoval (PMDB-SP)

Armando Monteiro (PTB-PE)

Ataídes Oliveira (PSDB-TO)

Benedito de Lira (PP-AL)

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

Cidinho Santos (PR-MT)

Ciro Nogueira (PP-PI)

Cristovam Buarque (PPS-DF)

Dalirio Beber (PSDB-SC)

Dário Berger (PMDB-SC)

Davi Alcolumbre (DEM-AP)

Edison Lobão (PMDB-MA)

Eduardo Lopes (PRB-RJ)

Elmano Férrer (PMDB-PI)

Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)

Flexa Ribeiro (PSDB-PA)

Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)

Gladson Cameli (PP-AC)

Ivo Cassol (PP-RO)

Jader Barbalho (PMDB-PA)

João Alberto Souza (PMDB-MA)

José Agripino (DEM-RN)

José Maranhão (PMDB-PB)

José Medeiros (PSD-MT)

José Serra (PSDB-SP)

Lasier Martins (PSD-RS)

Magno Malta (PR-ES)

Marta Suplicy (PMDB-SP)

Omar Aziz (PSD-AM)

Paulo Bauer (PSDB-SC)

Raimundo Lira (PMDB-PB)

Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

Roberto Muniz (PP-BA)

Roberto Rocha (PSB-MA)

Romero Jucá (PMDB-RR)

Ronaldo Caiado (DEM-GO)

Rose de Freitas (PMDB-ES)

Sérgio Petecão (PSD-AC)

Simone Tebet (PMDB-MS)

Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Valdir Raupp (PMDB-RO)

Vicentinho Alves (PR-TO)

Waldemir Moka (PMDB-MS)

Wellington Fagundes (PR-MT)

Wilder Morais (PP-GO)

Zeze Perrella (PMDB-MG)

Resumo do Congresso em Foco

1 – Gestante e lactante em ambiente insalubre

O texto aprovado pela Câmara dos Deputados prevê que a trabalhadora gestante deverá ser afastada automaticamente, durante toda a gestação, apenas das atividades consideradas insalubres em grau máximo. Para atividades insalubres de graus médio ou mínimo, a trabalhadora só será afastada a pedido médico.

2 – Serviço extraordinário da mulher

O projeto enviado ao Senado pelos deputados federais revoga o art. 384 da CLT. Esse artigo determina que a trabalhadora mulher deve ter 15 minutos de descanso obrigatório antes de iniciar o horário de serviço extraordinário, a chamada hora-extra.

3 – Acordo individual para a jornada 12 por 36

Para o relator na CAE, Temer deveria vetar também a alteração que permite que acordo individual estabeleça a chamada jornada 12 por 36, aquela em que o empregado trabalha 12 horas seguidas e descansa as 36 horas seguintes. Ferraço acredita que o texto aprovado pelos deputados sobre esse assunto “não protege suficientemente o trabalhador, que pode ser compelido a executar jornadas extenuantes que comprometam sua saúde e até sua segurança”.

4 – Trabalho intermitente

O relator recomenda veto aos dispositivos que regulamentam o chamado trabalho intermitente, aquele no qual a prestação de serviços não é contínua, embora com subordinação. Nesse tipo de trabalho, são alternados períodos de prestação de serviços e de inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador. O melhor, para ele, seria regulamentar por Medida Provisória, estabelecendo os setores em que a modalidade pode ocorrer.

5 – Representantes dos empregados

O relator crê que uma MP poderia regulamentar a criação da comissão de representantes dos empregados nas empresas com mais de 200 funcionários. O PLC 38/2017 prevê que esses representantes não precisam ser sindicalizados e terão o objetivo de ampliar o diálogo entre empresa e empregados, mas não têm estabilidade do emprego.

6 – Negociação do intervalo intrajornada

O texto aprovado pelos deputados permite que trabalhador e empregador acordem, por meio de convenção coletiva ou acordo coletivo, “intervalo intrajornada, respeitado o limite mínimo de 30 minutos para jornadas superiores a seis horas”. Para o relator a mudança precisa ser melhor analisada para não gerar “precarização das condições de trabalho, com consequências sobre a saúde e a segurança do trabalhador”.

Veja também:

Um discurso memorável contra a reforma trabalhista

 

21 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Albino Rodrigues

12/07/2017 - 23h07

Povo brasileiro deitados eternamente em berços esplêndido do comodismo.

Responder

Nelson

12/07/2017 - 21h50

Os gaúchos estamos convencidos de que fazemos parte do estrato mais politizado da nação. Pois, os mais politizados, conseguimos eleger para o Senado Federal duas coisas espúrias oriundas da RBS.

Só porque apareciam todo dia na telinha, com aquele jeito de prestativo, de preocupados com as demandas do povo – farsa da mais grotesca -, nos comovemos e elegemos Ana Amelia Lemos e Lasier Martins.

O resultado foi o que estamos constatando, uma vez mais. Crias da RBS, eles tiveram suas campanhas eleitorais financiadas justamente para fazerem o que estão a fazer: ferrar com o povo brasileiro em benefício do grande empresariado.

Repetindo. Politizados, fizemos isto. É de imaginarmos o que teríamos feito se não fôssemos.

Responder

Tarlen Silva

12/07/2017 - 21h21

Os políticos do Maranhão são todos pilantras mesmo só poderia esperar isso deles corja de cobras…

Responder

Giordano

12/07/2017 - 20h52

A Praça é do Crack como o céu é do Helicoca. Ah! é sim! Ah! é sim! Cidadão acima de qualquer suspeita, com atestado de conduta irrepreensível conferido pela mais alta corte de justiça. “Vamos lá pra ver o que será “.

Responder

Arainat

12/07/2017 - 15h24

A Lista dos Escravocratas começa com um traficante (Aético), e termina com outro traficante, comparsa do primeiro (Pórrela)

Responder

Ramon

12/07/2017 - 15h12

Os três bandidos do Maranhão, votaram a favor da Reforma. Lamentável.
Azenha, o caminho é triste.

Responder

Costa Neto

12/07/2017 - 15h06

Marta Suplicy usurpadora, usurpou até o nome do ex marido …

Responder

Jaderson B. de Oliveira

12/07/2017 - 12h13

Trocaram o comunismo pelo satanismo.

Responder

    Nelson

    12/07/2017 - 20h46

    Meu caro Oliveira.

    Explica pra nós. Onde é que você viu comunismo?

Jaderson B. de Oliveira

12/07/2017 - 12h12

Infelizmente o congresso Nacional é a cara do povo brasileiro, o oprimido sonhando ser opressor.
As eleições vão chegar, e com ela as propagandas e horários políticos antes do meu Jornalzinho e nos intervalos de minha novelinha, esse é o Brasil eleitor de Coroneis, assassinos e traficantes como Aécio, Perrella e tantos outros.

Responder

Valter

12/07/2017 - 10h50

Essa lista de políticos votaram e estão dando a cara p bater, tornando-nos mais incompetentes na arte de julga-los ,pois durante anos eles fizeram suas próprias leis para previlegia-los , e nós brasileiros sem informação ou talvez falta de interesse ou confiança em quem a gente não conhecia verdadeiramente.Eles não mostram temor, pois sabem que se não forem votados ,vão permanecer ricos e com algum cargo no poder por indicação de alguém que lhes deve , por uma ajuda anterior. É humilhante ver suas caras estampadas sem nenhum pudor, como se estivessem rindo do trabalhador brasileiro, afinal aqui não há justiça,temos agora reinando a Corrupção Democrática.

Responder

Edson

12/07/2017 - 10h42

EI COXINHAS !!!
Vocês nos deram mais um presente !!!
E pior que o povão não entendeu nada !!

Responder

Hélio Alves Cardoso

12/07/2017 - 10h26

Bando de canalhas traidores da nação,em breve eles terão a resposta, virá mais eleições por aí.

Responder

    Albino Rodrigues

    12/07/2017 - 23h00

    Fazer panelaço das sacadas dos prédios contra Dilma foi muito cômodo. Más ir as ruas contra o temer e suas reformas é um DEUS nos acuda…

Luiz Machado

12/07/2017 - 09h52

Olhamos a lista de quem votou contra os trabalhadores, trabalhadores que pagam impostos que pagam a boa vida, os salários de políticos e dessa justiça corrupta representada pelo stf (minúsculo), salários fora da realidade brasileira, onde um juiz e um deputado ou senador estão ganhando perto ou mais de R$ 100.000.00, enquanto o valor do salário minimo e de R$ 937,00, ou seja nós trabalhamos para dar boa vida a esse monte de vagabundos, que vivem como marajás e traem seus eleitores. O povo deve guardar esses nomes desses políticos, que a gente vê que em sua maioria são do PSDB, PMDB, DEM, PR, PTB e PP, para em 2018 darmos uma resposta a eles, não votando nesses safados e canalhas que só fazem maldades com o povo brasileiro!

Responder

Valter

12/07/2017 - 09h10

Infelizmente vivemos momentos de muita tristeza, pessoas que colocamos no poder estão cada dia mais, mostrando suas verdadeira faces, enriqueceram através de corrupção e de um país que não tem lei , aqui quem fala alto é o dinheiro. Estamos de LUTO ,a política brasileira perdeu a dignidade e o respeito pelo próximo, a ganância a luxúria é predominante na vida deles , não interessa mais moral a ética a educação. É de dá DÓ.

Responder

Vanuzia Lopes

12/07/2017 - 08h44

Espero que os mineiros acordem! Aecio Neves, Zeze Perrela, Anastasia ,em Minas, não terão o nosso voto.
Não são dignos nem para trabalhar como Gari.

Responder

Carlos Henrique

12/07/2017 - 07h19

Hoje lamento profundamente de ter votado em AECIO para governador, senador e tambem arrependo de ter votado em ANASTASIA, esperp que esses vagabundos, sobretido o mineirinho do RJ nunca mais nos represente. Quanto ao restante, aguarde as eleiçoes a respista virá, claro, se nao derem mais um golpe com a reforma eleitoral.

Responder

PAULO AFONSO ARAUJO

12/07/2017 - 00h00

Sr. Elmano Ferrer, Sr Ciro Nogueira, os senhores foram eleitos por nós petistas. Nós que somos trabalhadores de fatos, que apoiamos os senhores e que pagamos os vossos salários não devíamos ser traídos. Não é justo que com o cargo e o poder que lhes outorgamos os senhores nos traiam de forma tão vil. Tudo bem que já tenham as suas independência econômicas, mas nós ainda batalhamos pelo sustento e lá no Planalto queríamos que os senhores, pessoas cultas que são, com palavras sábias e convincentes, nos defendessem. Falharam e aqui, daremos a resposta, se é que lhes será permitido a entrada. De canalhas, canalhas, estamos até o pescoço!

Responder

José Fernandes

11/07/2017 - 21h38

“Tem que ser gente nossa, porque agente mata antes dele delatar” frase do senador da república que votou hoje a reforma trabalhista.

Responder

Helena/S.Andre (SP)

11/07/2017 - 21h20

Que horror, hein, dona Marta Suplicy! Votando contra os trabalhadores brasileiros….. O mandato dessa sra. como senadora termina no ano que vem? Nunca mais será eleita para nada, sequer para vereadora…..

Responder

Deixe uma resposta