VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Zeca Dirceu: Uma história que se repete

15 de novembro de 2013 às 22h31

Um filho do Brasil

Por Zeca Dirceu

Falar que a prisão do ex-ministro José Dirceu foi resultado de um julgamento político, de exceção, pressionado pela grande mídia e que foi condenado sem provas, é quase uma obviedade. É discorrer sobre assunto que grande parte dos brasileiros já tem conhecimento. Hoje, pretendo me posicionar não como agente público, deputado federal ou ex-prefeito. Falo como filho mais velho de um homem que doou a sua vida pela transformação do nosso país. Falo pelas minhas irmãs, pelos meus tios, avó, mãe e filha, num momento em que a nossa família está sofrendo muito.

Meu pai tem 67 anos. Nasceu em Passa Quatro, interior de Minas Gerais. Ativista estudantil, obcecado pela luta democrática, depois de ter sido exilado em Cuba, ficou refugiado clandestinamente no interior do Paraná, quando conheceu e se casou com minha mãe Clara. Tenho 35 anos e sou fruto desta trajetória de meu pai.

Tendo plena convicção sobre a sua inocência, quando sou questionado sobre o mensalão, sempre digo que não é da natureza de nenhum filho condenar o próprio pai. Quem já teve alguém a quem ama muito nessa situação de fragilidade, com certeza compreende o que estou falando. Especialmente, quando o direito de liberdade é retirado de quem sempre buscou um país onde todos fossem verdadeiramente livres política e socialmente, mesmo que para isso precisasse sacrificar a convivência com a sua própria família, como foi o caso do meu pai.

Estou me sentindo como a minha avó se sentiu há décadas quando viu seu filho preso, torturado e expulso do país pela ditadura militar. Hoje com 93 anos, mais uma vez ela suporta todas as cenas. Parece história repetida! É uma sensação de muita tristeza e preocupação, mas ao mesmo tempo de uma certeza, a mesma que carregava vó Olga quando meu pai tinha vinte e poucos anos, de que só sairemos vitoriosos de mais esta situação, se enfrentarmos a tempestade com muita coragem.

Quando eu tinha 6 ou 7 anos de idade, o PT ainda era apenas uma semente plantada no coração de poucos, mas eu já acompanhava em São Paulo toda a articulação daqueles homens e mulheres que tinham uma determinação que parecia estourar no peito. Tenho a história do meu pai, o Zé dos petistas, e de todos os seus companheiros, como inspiração. Sempre me emociono ao pensar do que eles foram capazes de suportar para que os padrões da ditadura fossem rompidos.

Tenho muito orgulho por ter a oportunidade de fazer parte dessa construção. Hoje já consegui construir o meu próprio caminho político, mas nunca deixarei de respeitar e admirar toda a história de vida de meu pai. Não são histórias iguais, nem semelhantes, mas eu me sinto parte dele e tenho certeza de que ele também se sente parte de mim. É uma relação permeada e alicerçada pelo amor.

Estaria mentindo se dissesse que meu pai não está revoltado com toda esta situação. Como ele se sente? Às vezes tenho a impressão que não acredita que isso realmente esteja acontecendo. Muitas vezes imagino que ainda pensa que pode acordar no meio deste grande pesadelo. Quem o conhece, sabe que ele não se conforma com injustiças. O que me deixa mais tranquilo é saber que meu pai é muito forte e não está sozinho, junto dele há muita gente de bem.

Se por um lado temos a força de uma mídia esmagadora de direita, que não se conforma com as transformações positivas de distribuição de renda em todo o país; de outro temos a energia dos brasileiros que já provaram que querem viver num país em constante crescimento e da militância que nunca abandona o seu projeto político e o apoio aos seus pioneiros.

Este é um momento em que precisamos aceitar as lágrimas, sem deixar de alimentar a esperança. A única coisa que peço a Deus é que mantenha a chama da fé acesa na vida do meu pai. Assim, tenho certeza que ele, enquanto suspirar, continuará batalhando para provar a verdade e não desistirá de suas lutas.

E nós vamos continuar defendendo a democracia e os direitos igualitários, dando sequência a essa bela história moldada desde a década de 80. Com humildade, mas também com muita garra, não deixaremos a nossa estrela parar de brilhar!

Leia também:

José Dirceu: Um julgamento sob o signo da exceção

 

22 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Valdete Lima

17/11/2013 - 10h40

A coisa mais absurda deste imbróglio todo é que sequer esperaram para fazer o pacote todo, ou seja, determinar quais as cadeias pra as quais os réus iriam!!! Não puderam esperar! Então, a data de 15/11 tinha que ser emblemática. Tirá-los do convívio da família no grande feriado. Maldade em cima de maldade. Havia mulheres no grupo e nem sequer determinaram para onde iam. Resumo da ópera: Sua Excelência, Ministro Barbosa atropelou o processo apenas para sua honra e sua glória. Digo a ele apenas uma frase de Dom Hélder Câmara; ”a vida é como uma roda gigante. Um dia estamos sentados no mais alto lugar a roda gira e ficamos no lugar mais baixo”. Força, José! A militância está contigo! O que quer que tenha acontecido, com certeza não foi da maneira que está nos autos.

Responder

Savio

17/11/2013 - 08h05

Se acontecer alguma coisa a José Dirceu e Genuino, o Brasil não será mais o mesmo, certamente haverá um golpe, pois a população não aceitará que inocentes sejam sacrificados mais do que já estão, um ex-ministro do governo Lula, teve o seu estado de saude agravado pela tamanha injustiça que fizera contra ele, e o “supreminho”, depois do enorme estrago que causou ao cidadão, o inocentou, porem já havia matado o cidadão quando criou essa enorme “FARSA” chamada de “MENTIRÃO, e população brasileira já está cansada, BASTA de mentiras,

Responder

Pedro

16/11/2013 - 23h00

O STF condena aqueles que dificultam a corrupção inerente à direita, ou seja, ao PSDB e ao DEM.

Responder

    renato

    17/11/2013 - 10h01

    A Globo não pagou o IR.
    Falou “muito” dos propinoduto, até sair as sentenças,
    agora não vai falar mais.
    Infelizmente existe uma anestesia politica em parte da sociedade.
    Vamos aguardar…
    O Lula ainda vai falar.

Pedro

16/11/2013 - 22h58

Está na cara, se o Dirceu fosse esse corrupto que os bandidos da direita querem fazer crer que seja, por certo que seu partido seria o PSDB ou o DEM.

Responder

João de Sales andrade

16/11/2013 - 21h38

para a Sra. Sil Nikitta e o Sr. André Uchoa.

Marcadores: Brasil 247, Golpe, José Genoino Nenhum comentário:

Sete motivos para ser tucano

Weden Alves

É rapidinho. Procure o diretório mais próximo e faça sua filiação. Não custa nada e você ainda pode contar com várias vantagens, como:

1. Você pode comprar votos para reeleição e receber amplo apoio da grande imprensa para se reeleger.

2. Você pode embolsar dinheiro das privatizações (caso Ricardo Sérgio-José Serra) e ver o livro que conta a história silenciado pela grande mídia.

3. Você pode ganhar propina de multinacionais como a Siemens (governos Covas-Alckimin e Serra) e não ter repercussão no Jornal Nacional.

4. Você pode assinar contratos do BB com o Visanet sem ser lembrado (três diretores nomeados por FHC) por Joaquim Barbosa.

5. Você pode nomear propineiros, que a imprensa fará a culpa recair sobre um prefeito petista (Serra e o caso da Prefeitura de SP).

6. Você pode se envolver com o valerioduto e não ser julgado (Mensalão Tucano) nem ser lembrado pela Veja.

7. Você pode ter uma nora envolvida no escândalo do Banco Nacional (FHC) e ver o STF esperar 18 anos para finalizar o julgamento e ver o caso esquecido pela Folha.

E ainda ganha um ano de assinatura gratuita da Folha, do Estadão, da Veja e do Globo. Só vantagens.

Então: vale ou não vale ser tucano?

FICHA DE FILIAÇÃO

Nome: ________________________________________
Endereço: _____________________________________
Tipo de Preconceito: _____________________________
Escândalo a ser silenciado na imprensa: _______________

às 19:25 Links para esta postagem

Marcadores: Crime organizado, Facebook, Mídia Bandida, PSDB, Weden Alves Nenhum comentário:

Responder

    Helena/S.André (SP)

    16/11/2013 - 23h25

    Boa, João Sales! Outro dia li uma frase no blog Esquerdopata.blogspot.com onde faz uma analogia ao que escreveu Bertold Brecht: “Melhor que assaltar um banco, é fundar um. Melhor que fundar um banco, é filiar-se ao PSDB pois a imprensa não denuncia, a polícia não investiga, o MP não indicia e a justiça não julga”.

João de Sales andrade

16/11/2013 - 21h35

PSe tivesse que escolher uma biografia a ser seguida pelos meus filhos e netos, optaria pela de Genoino ao invés de biografias fétidas como a de ministros como Barbosa, Fux e Mendes e Mellos.
.

Não consigo entender como pessoas como Genoíno e Dirceu, com um passado de lutas pela democracia, vão para a cadeia enquanto ladrões públicos como Serra, FHC, para citar apenas dois, que patrocinaram a Privataria Tucana – o maior crime de lesa pátria perpetrado contra o nosso país – continuem livres, leves e fagueiros rindo na cara do Brasil.
.

__________________________

Responder

João de Sales andrade

16/11/2013 - 20h57

Se tivesse que escolher uma biografia a ser seguida pelos meus filhos e netos, optaria pela de Genoino ao invés de biografias fétidas como a de ministros como Barbosa, Fux e Mendes e Mellos.
Do contraponto PIG.

Não consigo entender como pessoas como Genoíno e Dirceu, com um passado de lutas pela democracia, vão para a cadeia enquanto ladrões públicos como Serra, FHC, para citar apenas dois, que patrocinaram a Privataria Tucana – o maior crime de lesa pátria perpetrado contra o nosso país – continuem livres, leves e fagueiros rindo na cara do Brasil.

Eu assino embaixo.

__________________________

Responder

    Maria Quinet

    16/11/2013 - 21h33

    Eu assino embaixo da dele e também da sua. Da sua, porém, eu não deixaria de acrescentar o nome do Aécio Neves e a turma dele, seja em Minas ou qualquer outro lugar do país.
    Pele mídia Minas parece o paraíso, para quem não conhece a história. Pela mídia, nem parece que Minas existe no mapa, tudo é blindado, exceto as propagandas enganosas.
    Espero que não demore mais 50 anos para conhecermos certas verdades.

João de Sales andrade

16/11/2013 - 20h45

sábado, 16 de novembro de 2013

Contraponto 12.609 – “Proclamação suprema”

.16/11/2013

Proclamação suprema

Carta Maior – 16/11/2013

Antonio Lassance

Antonio LassanceO presidente do STF, ao bel prazer de suas atribuições, para a glória de sua figura e regozijo de todos os que odeiam um determinado partido, proclama…

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ao bel prazer de suas atribuições, para a glória de sua figura e regozijo de todos os que odeiam um determinado partido que, há 10 anos, governa este país, proclama:

1. O crime do caixa 2 será tratado como o mais hediondo e repugnante de todos, mesmo não havendo dinheiro público envolvido e, portanto, desviado. A dosimetria das penas será calculada conforme a repercussão midiática do escândalo. Não importa que os dirigentes partidários acusados não demonstrem evidências de enriquecimento ilícito, como carros de luxo, contas na Suíça ou apartamentos em Miami.

2. Crimes com alguma participação de petistas serão julgados antes de todos os demais, mesmo dos que tenham sido protocolados anteriormente (caso do chamado “mensalão mineiro), e não poderão jamais ser desmembrados (ao contrário do referido “mensalão mineiro).

3. Tais crimes serão julgados com a máxima urgência, a tempo de produzirem resultados a pelo menos um ano antes das eleições, oferecendo imagens e declarações que se prestem plenamente ao escárnio público e à propaganda eleitoral de partidos de oposição.

4. A participação em propinodutos de obras públicas e a privataria será considerada um fato menor e irrelevante do ponto de vista da ética republicana, da moral política e dos bons costumes da administração pública, conforme a jurisprudência firmada pelo escândalo do “impeachment” do ex-presidente Collor, pelos processos arquivados pelo Engavetador-Geral da República, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, e pela atuação do Ministério Público de São Paulo no escândalo carinhosamente apelidado de “caso Alstom”.

5. Fica decretada esta punição exemplar como marco do fim da impunidade no Brasil, de modo a aliviar a carga e a urgência do Judiciário sobre processos de corrupção aberrante e explícita, que estejam prescritos ou em vias de prescrever, e que seus praticantes estejam impunes, com suas fichas mais que limpas, prontos para concorrer às próximas eleições e dar continuidade às suas atividades.

6. Cria-se, para além do trânsito em julgado, a figura jurídica excepcional gerúndica do processo “transitando em julgando”, pela qual réus que ainda possam ter direito a recursos serão imediatamente condenados e presos. As eventuais contrariedades a tal decisão serão oficialmente respondidas não com argumentos jurídicos, mas apenas com a adjetivação de seus defensores como “chicaneiros”. Ficam os vocábulos “chicana” e “chicaneiro” definitivamente incorporados ao léxico desta Suprema Corte.

7. Que se aprenda a lição: o crime de caixa 2 não compensa. Sobre os demais, o STF se declara incompetente.

8. Este ato fica consignado na lista de julgamentos históricos do STF, ao lado de decisões como as que negaram “habeas corpus”, durante as ditaduras de 1937 e 1964, a cidadãos acusados sem provas, com base apenas em testemunhos de desafetos; junto ao ato chancelado pelo STF que extraditou a senhora Maria Prestes (mais conhecida como Olga Benário) para a Alemanha Nazista, em 1936; junto também à decisão que ratificou o golpe de 1964 e a deposição do presidente João Goulart; entre tantos outros que estão à disposição para a leitura dos brasileiros na página do Supremo Federal, na internet.

Brasília, 15 de novembro de 2013, uma data para entrar para a História.

(*) Antonio Lassance é doutor em Ciência Política pela Universidade de Brasília.
.
.

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut

Responder

João de Sales andrade

16/11/2013 - 20h08

Para a Sil Nikita.
Meu nome verdadeiro é o que está escrito aí em cima, sem pseudônimos.
Basta ler um pouco além do que está escrito na Veja e nos demais jornais (todos de direita, no Brasil) para tomar conhecimento de quem são os reais bandidos do país. É fácil, pois imagino que a Sra. sabe ler. Embora leia apenas o que escrevem os miquinhos amestrados. Os papagaios de ventríloquos.

Responder

lidia virni

16/11/2013 - 13h08

Eu me pergunto: quem merece a execração pública? Aqueles que foram julgados e presos sem provas e sem direitpo a defesa, em um julgamento claramente político-ideológico ou os que criaram e consumaram essa ópera bufa, todos eles com comprovada relação carnal com o PSDB e com a globo, com comportamento tanto profissional como pessoal incompatível com o que se espera de representantes mximos do Poder Judiciário? Vale para Dirceu, Genoíno e outros companheiros a famosa frase de Fidel Castro ao se defender de processo semelhante em sua luta pela libertação de Cuba: A História me Absolverá.

Responder

Jose Mario HRP

16/11/2013 - 12h24

Pizzolato se foi!!!!!!!!!!!!!!
CHUPA PF(prato feito)!!!!!!!!!!!!!!!

Chupa Joaquim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Que remelas!!!!!!

Responder

Ana Cruzzeli

16/11/2013 - 08h31

Nesses dias que seguem Ivan Lins, mais atual do que nunca…

Nos dias de hoje é bom que se proteja
Ofereça a face pra quem quer que seja
Nos dias de hoje esteja tranqüilo
Haja o que houver pense nos seus filhos

Não ande nos bares, esqueça os amigos
Não pare nas praças, não corra perigo
Não fale do medo que temos da vida
Não ponha o dedo na nossa ferida

Nos dias de hoje não lhes dê motivo
Porque na verdade eu te quero vivo
Tenha paciência, Deus está contigo
Deus está conosco até o pescoço

Já está escrito, já está previsto
Por todas as videntes, pelas cartomantes
Tá tudo nas cartas, em todas as estrelas
No jogo dos búzios e nas profecias

Cai o rei de Espadas
Cai o rei de Ouros
Cai o rei de Paus
Cai, não fica nada.

Nossos Herois, José Genuino, José Dirceu, Dilma, Lula e tantos outros já derrubaram o Rei de Espadas, já derrubaram o Rei de Ouros, ainda falta derrubar o rei de Paus, de Paus-mandados.
Essa tarefa é para os filhos da ditadura…

Responder

adjacy

16/11/2013 - 01h10

Força Dirceu, a História o absolverá !!

Responder

    Maria Libia

    16/11/2013 - 19h03

    Sabe do que tenho medo? De eles não saírem vivos destas prisões.

Herivelto Canales

16/11/2013 - 01h00

Companheiros Zé e Zeca Dirceu, sabemos que tudo isto foi uma armação.
Tenham mais força do que vocês já têm.
Torço por vocês.

Responder

fabio nogueira

16/11/2013 - 00h06

Companheiro,seu pai tem história.

Responder

Aline C Pavia

15/11/2013 - 23h18

Zé e Zeca, estou com vocês. Força, fé, ânimo. Nossos pensamentos, corações e orações estão com vocês nesta hora abjeta da história do país.

Responder

    Sergio

    16/11/2013 - 02h01

    É isso aí Aline. Estou com você, assim como a grande maioria do povo brasileiro.

    Maria Libia

    16/11/2013 - 19h12

    Mande um e-mail, com, exatamente, estas palavras que você escreveu para o José Dirceu. Peça a seus familiares, amigos, e até nos blogs que façam a mesma coisa. Além de ser muito gratificante, ele deverá passar por situações muito difíceis e precisa de nosso apoio. A globo mostrou onde ficará e caso ele não tenha emprego, não terá direito a saída. O problema é que ele tem seu escritório, é dono do próprio negócio. Como vai funcionar? Ele indicará a justicinha que ele é o empregador e o empregado? Dirceu e Genoíno querem estar perto de suas famílias, que estão em São Paulo. Será que o jb vai aceitar este pedido, pois é ele que indicará o local onde JD e G ficarão. Meu maior medo é que eles não saiam vivos destes locais, como aconteceu com o Wladmir Herzog.

Deixe uma resposta