VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Sobre Datenas, Jabores e Pondés

18 de junho de 2013 às 19h14

Artigo

“Não podemos nos alinhar aos Datenas, Jabores e Pondés”

O grito dos jovens está longe de bradar contra os ‘mensaleiros’, a inflação e as políticas de transferência de renda. O movimento é progressista por natureza

via CartaCapital

por Paulo Motoryn — publicado 18/06/2013 11:29, última modificação 18/06/2013 15:41

Desde o ato da última quinta-feira contra o aumento da passagem do transporte público em São Paulo, em que a violência e a repressão policial viraram notícia em todo o planeta, mais uma ameaça ronda o sucesso das manifestações organizadas pelo Movimento Passe Livre: a instrumentalização do povo.

A evidente mudança de postura da imprensa em relação aos protestos deve ser motivo de desconfiança, não de festa. Isso porque nos últimos dias imperou o comentário: “Agora até a grande mídia defende as manifestações”. Como se isso fosse algo positivo.

Por um lado, a máxima “não é só pelos 20 centavos” conseguiu convencer diversos setores da população a ir às ruas. Por outro, abriu uma questão polêmica: se o aumento da passagem foi só o estopim, o que mais nos incomoda? Quais são os reais motivos do fim da letargia política em São Paulo?

É fato, o reajuste do preço transporte só provocou a revolta necessária para que o paulistano percebesse o óbvio: política se faz nas ruas. No entanto, a recusa ao modelo de sociedade atual tem de ser deixada clara. Isso porque os perigos da apropriação do movimento são reais.

Na sua última edição, Veja contrariou sua linha editorial e se posicionou a favor das manifestações. Quando um veículo que representa o que há de mais reacionário na sociedade apoia movimentos sociais, há no mínimo um ponto de extrema relevância para refletir.

Mas as páginas de Veja só revelam a nova postura dos veículos da imprensa dominante: já que não podem mais controlar ou evitar a multidão, manipulam seus objetivos. De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade…Falácia.

É evidente que essas questões também são importantes, mas os jovens que estão nas ruas estão preocupados com questões muito mais profundas. A juventude está mostrando que não quer compartilhar dos valores individualistas, consumistas e utilitaristas da geração de seus pais.

O grito dos jovens está longe de bradar contra os “mensaleiros”, contra a inflação, contra as políticas sociais de transferência de renda. O movimento é progressista por natureza e agora tem de saber lidar com uma ameaça feroz: a direitização.

O aparelho midiático que serve a esses interesses já foi acionado. A grande imprensa já está mobilizada para maquiar o movimento de acordo com um ideário conservador, por isso o povo precisa fazer seu recado ser entendido.

Sob hipótese nenhuma podemos nos alinhar aos Datenas, Jabores e Pondés.

O que queremos é derrubar as barreiras entre ricos e pobres, quebrar os muros entre centro e periferia, consolidar o povo como um ator político de importância ímpar e lutar por um Brasil com justiça social, sem desigualdade e com oportunidades iguais para todos e todas. Nada mais. E nada menos.

Vamos à luta!

Leia também:

Repórteres da Globo não usam cubo da emissora; JN noticia palavras de ordem

 

40 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Nelson

19/06/2013 - 17h35

O Senhor Arnaldo Jabor é um ser profundamente, convictamente democrático. Na noite em que ocorreu o golpe de Estado na Venezuela, em 11 de abril de 2002 – golpe também apoiado por todos os pretensos democratas daquele país e dos EUA -, ele apareceu na tela da Globo descascando uma banana e a comemorar a derrubada, pela violência, de um governo eleito pelo povo venezuelano.

Responder

Nelson

19/06/2013 - 17h18

A mídia hegemônica estará apoiando desde que as manifestações fiquem a tangenciar os problemas. O enfoque, de forma bem generalista, na corrupção, sem esmiuçar a coisa, a recusa a qualquer partido político, os supostos mais altos impostos do mundo, são questões que serão repetidas à exaustão por essa mídia.
No entanto, se os manifestantes passarem a questionar os leilões de petróleo, a absurda retomada das privatizações pelo governo Dilma, a concessão de gordíssimos subsídios, via BNDES, a grandes empresas e as desonerações, que acabam por engordar ainda mais os lucros daqueles que já estão balofos de tanto lucro, veremos tal mídia retirar seu apoio ao povo na rua.

Responder

nona fernandes

19/06/2013 - 17h07

Eu já assisti a entrevistas com uns três ou quatro jovens que se dizem representante do MPL, alguns desde a sua criação, há mais ou menos oito anos. Todos foram unânimes em dizer que a pauta principal quase única do Movimento, é o aumento da tarifa dos ônibus. Os jornalistas os instigam, quase sob forma de pressão, para que estiquem a pauta e acusem o atual governo, mas eles logo repetem que o que os unificam é puramente a tarifa do ônibus. A classe média que se sente “desprotegida” pelos governos do PT, está pegando carona na Movimento, numa nice. Para essa classe média que sempre quis “um fora Lula e fora Dilma”,mas nunca teve tem capacidade para organizar nada no gênero, as manifestações caíram como uma luva. Veja o que foi o Movimento Cansei.

Responder

Oswaldo

19/06/2013 - 14h37

Não é a rapaziada de Gonzaguinha. É a direita mesmo:
http://blogumlugar.blogspot.com.br/2013/06/nao-e-rapaziada-de-gonzaguinha-e.html

Responder

leprechaun

19/06/2013 - 09h43

acho que vc está fantasiando um pouco e invertendo questões, vc deve ser petista, mas vamos lá, vou dar minha opinião… vc escreveu:

“De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade…Falácia.”

Não é falácia, milhares desses jovens tem como motivos para estar nas ruas: o descontentamento com a corrupção, martelada insistentemente em suas cabeças por todos esses anos e não sem uma dose de verdade apesar da cortina de fumaça que isso representa, a criminalidade idem.

“É evidente que essas questões também são importantes, mas os jovens que estão nas ruas estão preocupados com questões muito mais profundas. A juventude está mostrando que não quer compartilhar dos valores individualistas, consumistas e utilitaristas da geração de seus pais.”

Não acho, nem perto disso, a não ser por grupos e pessoas isoladas, pouquíssimos cartazes dizem respeito a esses temas e nenhuma palavra a arrisco dizer que se as manifestações se voltarem a esses temas, resultará num esvaziamento considerável. Acho que temos que dar esse salto de qualidade, mas ainda está longe. Mais longe ainda, porque o efeito colateral de das políticas sociais, redistributivas é jogar milhões de pessoas na sociedade de consumo ensandecidamente ávidas por comprar tudo, a despeito de satisfazer necessidades primárias

Responder

Marcos W.

19/06/2013 - 06h25

Protestar contra a corrupção endêmica no Brasil, não é um bom protesto? Só é possível e legítimo protestar contra o que, talvez, não nos atinja? Não só a imprensa mudou o discurso, todos mudaram, todos passaram a achar o movimento lindo demais. É a velha hipocrisia brasileira. E piores do que os hipócritas são os que procuram “cabelo em ovo”. Não faltava ao PT apoio popular para realizar determinadas reformas? Pois que o PT aproveite, sem depender tanto quanto depende da “base aliada”!

Responder

Francisco

19/06/2013 - 05h08

Aquele cara da Record (aquele que o Pânico imita) tem que ser chamado às falas. Ele não pode (ninguém pode) incitar à violência no ar.

Pela fala dele, o fato de todos os políticos brasileiros serem eleitos é irrelevante. Será ele um antidemocrata?

O ministro da Comunicação tem que (tem que!) dar um telefonema para a emissora e cobrar que o jornalista se lembre que Haddad foi eleito e que numa democracia 200 mil são muitos, mas não são a maioria.

Aliás, muitos comunicadores estão esquecidos desse detalhe. Outro detalhe que esquecem é o “empenho” dos tucanos em construir o metrô…

Responder

    Carlos Ribeiro

    19/06/2013 - 07h06

    O Marcelo Rezende jamais incitou a população contra o Serra ou Alckmin. Deve tá recebendo algum por fora. Aliás, a TV Record assumiu outra postura depois da última eleição. Ainda não digeriu a derrota do seu pupilo.

Aledfb

19/06/2013 - 02h40

“De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade…Falácia.” Confesso que poucas vezes li algo tão cretino, tão tendencioso e tão pseudo filosófico como isto, pensas que engana quem meu caro? Que o mpl é um movimento político esquerdista não há dúvida, mas que corrupção e criminalidade estão na pauta do descontentamento não há menor dúvida. É por isso que não dá pra confiar em esquerdista hipocrisia, demagogia e mentira em abundânica. Adeus e até nunca mais

Responder

Sobre Datenas, Jabores e Pondés | Bahia Livre

19/06/2013 - 02h34

[…] Article from http://www.viomundo.com.br/politica/sobre-datenas-jabores-e-pondes.html /* Veja tambémTudo que você precisa saber para ajudar nos protestosCartazes Criativos […]

Responder

Geysa Guimarães

19/06/2013 - 02h01

Acho injusto botar o Datena no mesmo balaio de Jabores.
Assisto ao Brasil Urgente quase todos os dias, posso falar do Datena sem medo de errar.
À menor oportunidade, ele exalta os feitos de Lula e Dilma.
É visível a simpatia do apresentador por governo popular.
Por que tanta ojeriza a ele?

Responder

    J Tavannes

    19/06/2013 - 11h36

    Geysa, o Sr. Datena é garoto propaganda do governador Alckmin e consequentemente do PSDB. Jamais lhe chama as falas, sobre a segurança ou sobre o que está errado em sampa. Perceba que ele joga todas as broncas pra Brasília, tentando atingir o governo federal e dessa forma livra a cara do (des)governador de sampa e por tabela atingir a Dilma e sua base aliada. A pergunta que não quer calar: Pra que então governos estaduais e municipais???? Deixasse então tudo pro federal que acho que daria mais resultado do que ficar nas mãos de tucanos enganadores.

Jones

19/06/2013 - 00h14

Quem foi na passeata sabe que o protesto é contra o fisiologismo operado pelo PT que tirou toda a legitimidade da política enquanto força de mudança. Vejam bem, entre um “Alckmin vai tomar no c*, Haddad vai tomar no c*, Dilma vai tomar no c*” também tinha “Feliciano vai tomar no c*”.

A questão é: o Feliciano e tudo o mais (copa, serviços ruins, etc.) são causas amplas, mas que tem um catalizador a maneira como o governo PT tornou-se um Estado autocrático.

Responder

    Francisco

    19/06/2013 - 05h12

    O PT foi eleito. Ponto final.

    Na próxima eleição vote no PSC (Feliciano), ou no PSDB (Alckmin) para presidente.

    Vão fazer tudo bem melhor.

    Jones

    19/06/2013 - 08h35

    Ai que está. Não preciso votar no Feliciano para ele ocupar um cargo importante no governo. Basta eu votar no PT, que o mesmo vai dar, de mão beijada, uma presidência dos Direitos Humanos para o PSC.

    O que adianta votar em um partido auto-declarado progressista se el vai dar cargo para um Feliciano da vida?

    Para constar: Ontem, a comissão dos direitos humanos, liderada por Feliciano, a pratica de cura gay.

    Vai lá Francisco, vote no PT.

    Luís Carlos

    19/06/2013 - 08h27

    Achar que o PT, Feliciano e Alkmim são a mesma coisa é forcar demais. Mas vote em Feliciano e na “cura gay” ou no Alkmim que não quer a redução da energia elétrica para todos. Vamos ver se acharás que é a mesma coisa. Esse é o discurso da grande mídia engolido por muitos, “político é tudo igual e nenhum presta”. Esvaziar a política é o jogo da mídia e do mercado, e tem gente que embarca. Por isso Feliciano e Malafaia avançam, com teu apoio, não com o meu.

    Jones

    19/06/2013 - 11h25

    Os fatos estão ai para serem interpretados: Feliciano chegou à presidência da Comissão de Direitos Humanos graças ao jogo de alianças fisiológicas que o PT vem fazendo a um bom tempo.

    O PT desmoralizou a própria política quando jogo no lixo a sua história. Ele não é mais um governo de esquerda. É um governo de ampla coalização em que entram Sarneys, Malufes e Felicianos.

    Infelicianos ficaram aqueles que acreditavam no PT. Mas vamos lá, votem no PT.

    Hoje o protesto começou na periferia do M’boi Mirim, será que é a classe média indo pra perifa pra protestar? quaquaqua

Noé

18/06/2013 - 23h35

Quero ver se o Alckimin terá coragem de aumentar os pedágios este ano, que são os mais caros do mundo. O pedágio é altamente inflacionário e a politica tucana é contra a Dilma.

Responder

Ozzy Gasosa

18/06/2013 - 23h08

O Golpe é iminente .
Todos os atores estão reunidos.
A direita está a alguns passos de retomar o poder, por que, depois de concretizado o Golpe, eles agirão com força excessiva e aval do PIG para dispersar essa multidão de alienados.
Parecem uma horda de zumbis.

Responder

Urbano

18/06/2013 - 23h02

Filosofia sem nenhuma pondésração?…

Responder

Gabriel Braga

18/06/2013 - 22h53

Acho esses protestos positivos pois eles obrigarão o PT a se mexer e,quem sabe,rever sua estratégia de reformas cada vez mais graduais e sua política de alianças cada vez mais conservadora.
Mas estou começando a ficar assustado porque pelo que estou lendo nas rede sociais a indignação está sendo canalizada contra o PT e temo que aconteça aqui algo semelhante ao que ocorreu na Espanha que após toda a mobilização dos indignados,elegeu o consevador PP de Mariano Rajoy.
Acorda PT!

Responder

    Vinicius

    19/06/2013 - 09h23

    Deixa o partidarismo de lado! O PT já mostrou que é só mais um partido corrupto como outro qualquer! Torça pelo país, não pelo seu partido!

    Não é “acorda PT”. É “ACORDA BRASIL!”

Marcos Sousa

18/06/2013 - 21h47

Esta semana poderemos ter um norte. É que o projeto de lei 5.500/13, que distribui 100% dos royalties do petróleo para a educação, tranca a pauta da Câmara dos Deputados a partir de hoje e poderia ser um dos motivos das reivindicações nas manifestações.

Vê: http://mticianosousa.blogspot.com.br/2013/06/royalties-do-petroleo-para-educacao.html

Responder

    Fátima Freire

    19/06/2013 - 01h24

    Marcos Souza, fico feliz que alguém tenha mencionado projeto de lei 5.500/13…Não vi, na cobertura das manifestações de hoje (18.06.2013), nenhum comentarista lembrar desse projeto tão importante. Discutir o Brasil, passa, também, pela informação e orientação ao público…Penso que é uma oportunidade ímpar para a sua aprovação no Congresso Nacional.

trombeta

18/06/2013 - 21h37

Boa análise, sabemos que o PIG nunca apoia manifestação a não ser por interesse, eles sabem que estão sendo vigiados então estão tentando impor a sua agenda de forma subliminar.

Responder

Marco

18/06/2013 - 21h22

Se o senhor prestar bem atenção nas mãos dos aludidos,vai reparar que elas são côncavas,em virtude de terem passado longos anos,pendurados nas genitálias de seus patrões.Por sorte,se levarem como de habito,um pontapé no traseiro,terão alternativas de trabalho,como ordenhadeiras,em alguma granja produtora de leite!

Responder

Fabio Passos

18/06/2013 - 21h01

O PiG nada mais e do que a maquina de propaganda da “elite” branca.
Um aliado da casa-grande, que passeia de carrao importado e helicoptero, enquanto o povo trabalhador esta abandonado em um transporte publico caro e de pessima qualidade.

O PiG considera seus leitores imbecis.

A juventude que se rebela esta mostrando que abomina a pieguice reacionaria destes pistoleiros do PiG.

Responder

Messias Franca de Macedo

18/06/2013 - 20h44

… ‘Arnaldo JABÁres’ “da ‘grobo'”!…

… E “vamo” protestar! Em Pindorama, motivos não faltam! Contrariamente! E a liberdade de expressão?! “Nos olhos dos outros é refresco!”…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Fabrício

18/06/2013 - 19h56

“De acordo com a revista, o descontentamento dos manifestantes se deve também à corrupção, à criminalidade…Falácia.”

Larga o partidarismo, se a direita que estivesse no poder com tudo isso acontecendo o teu discurso seria outro. O movimento é apartidário, pelo menos esse agora, inflado por milhares, diferente do inicial partidário com suas bandeiras vermelhas (Um partido vermelho no dia do vandalismo inicial deles, veiculou propaganda no horário do JN, PASMEM, defendendo os condenados do mensalão !!!!!! é mole ??????), que ainda insiste em dividir algo que deveria ser pelo fim da corrupção, exigindo que leis rígidas, as mais rígidas sejam criadas e cumpridas principalmente contra aqueles que desviam por volta de 1 bilhão de reais diários nesse país, que são os políticos, sejam eles de quais partidos sejam, são TODOS ladrões !

Só com essa medida, já sobraria dinheiro pras reivindicações referentes ao transporte público, saúde, segurança, educação … enfim, LAMENTÁVEL posições com a sua nesse momento onde se todos estivessem unidos contra a CORRUPÇÃO e não a favor de partidos, poderíamos mudar o Brasil pra melhor, e não rebaixar o país a uma Cuba, Venezuela, Coréia do Norte como infelizes como você gostaria !

Responder

    marcosomag

    18/06/2013 - 20h38

    Nada disso. Na democracia representativa quem tem o poder político real são os partidos. Na Argentina, quando De La Rúa não teve a coragem de enfrentar o legado neoliberal de Menem, os manifestantes diziam, como você: “Que vão todos embora!” Não existe vácuo em política, e os mesmo peronistas ocuparam a vaga deixada por De La Rúa e pelos manifestantes “apartidários”. Se o MPL não deixar bem claro as pautas, ele será pautado pela Globo, Veja e tudo o mais que existe de mais reacionários neste país.

    von Narr

    18/06/2013 - 20h44

    É isso aí, são a voz dos milhões que acham que político é tudo igual, ladrão e mentiroso. Se protestam contra o governo, que outro governo federal há no Brasil além do governo Dilma? São pessoas que acham que a democracia é falsa, que não os representa, porque não pode ser democrático um país que elege o PT, Lula e Dilma. Nas passeatas, os partidos de esquerda eram todos vaiados. Se o MST entrar no meio da massa, a coisa vai ficar feia. Muitos gritam “fora comunistas!” Quem estava na passeata viu.

    M. S. Romares

    18/06/2013 - 21h43

    Só um fabrício poderia nos brindar com texto tão exuberante…volta pro Hariovaldo, fabrício.

    Luís Carlos

    18/06/2013 - 21h57

    Você é contra a corrupção? Então denuncie e lute contra os bancos privados que roubam o país e subtraem nossa riqueza extorquindo juros. Lute contra a grande mídia que não paga impostos e mente sobre inflação para subir juros e ajudar seus comparsas banqueiros e especuladores. Quer lutar contrata corrupção? Então peça para saber quem ganha com a corrupção. Quando há um corrupto há no mínimo um corruptor e é da área privada, tentando se beneficiar do que é público e coletivo em proveito próprio. Já viste uma matéria de imprensa informando os nomes dos corruptores?
    Empresas privadas que sonegam impostos, milionários que sonegam imposto de renda, denuncie estes também. Caso contrário, você não é contra a corrupção, você é contra a política, esvaziando a política para benefício de grupos, oligarquias e contra a população. A corrupção nasce do interesse privado em se aproprirpar do que é público e de todos.

    Luís Carlos

    19/06/2013 - 11h25

    Aliás Fabrício, para quem diz “não ter partido” e que “todos políticos são ladrões” é muito significativo os países que citas ao final de teu texto. “Cuba Venezuela e Coréia do Norte”. Bem se vê que “não tens posição ideológica”. Não achas corrupção a ser denunciada a farra do dinheiro público nos EUA “resgatando” bancos bilionários e que roubaram o dinheiro do povo dos EUA e do mundo criando a “crise financeira” com suas “bolhas especulativas” e matando milhares de pessoas que se suicidaram pela ruína, por perderem suas casas, pelo desemprego? Achas os EUA, por certo um país modelo e uma democracia? Não denunciarás como corrupção a mancomunação de empresas como o Yahoo, Google, Microsoft, Facebook, empresas de telefonia privadas entre outras e o governo dos EUA para espionar a população dos EUA e do mundo? Não denunciarás por corrupção nem lutarás contra M. Madoff pelo roubo de bilhões de dólares em sua “pirâmide”? Denunciarás como corrupção empresas de planos privados de saúde dos EUA e de outros países, “campeões da democracia e da liberdade” por negarem tratamentos a pessoas mesmo com contratos assinados que lhes garantam os tratamentos? Por favor, não digas que é brasileiro e o que acontece nos EUA, por exemplo, não te importa. Não tenhas indignação seletiva, esquecendo que o que eles fazem impacta em todo mundo, que a corrupção dos EUA destroi a vida de milhões no mundo e no Brasil também.
    Vais denunciar o STF que decidiu pela “constitucionalidade” da lei da anistia e deixou livres e impunes sequestradores, torturadores e assassinos da ditadura? Ou ainda não denunnciarás o STF por ter libertado com dois habeas corpus um banqueiro que era investigado e um médico estuprador com outro habeas corpus? Ou o estupro para você não é crime, nem ato odioso e hediondo? Não seria violência e concordas com o habbeas corpus que libertou médico criminoso.
    Tua voz engasga? Vais te calar sobre isso e soutras situações que envolvem outros países e o mundo, inclusive nós, empresas privadas ou o STF, por exemplo? Se sim, de fato, não lutas contra a corrupção, mas sim contra a política, e como todos que assim fazem, tens lado e és ideológico. Tua indignação é “seletiva”. Apenas contra a distribuição de renda e os “pobrinhos” do bolsa família. Não estarás do lado do povo, mas te escondes em discursos fáceis e ideológicoamente escorado.

    matheus

    19/06/2013 - 17h41

    Crápula oportunista! Lixo reacionário! Vai criar o seu próprio movimento, ao invés de pegar carona no movimento dos outros!

Deixe uma resposta