VIOMUNDO

Sidney Chalhoub, em carta aberta a jovens: A “velha corrupção” aqui

19 de outubro de 2014 às 21h51

escravos

A “Velha Corrupção” (carta aberta aos jovens sobre as eleições)

por Sidney Chalhoub*

A violência do debate eleitoral no momento causa perplexidade aos jovens de idade semelhante aos que tenho em casa, que talvez acompanhem pela primeira vez, “ligados” de verdade, uma campanha eleitoral dessa importância para o país.

Especialmente em São Paulo, a grande imprensa produziu um verdadeiro clima de guerra civil midiática em torno desta eleição, desinforma o quanto pode, confunde e manipula.

São anos a fio de fogo cerrado contra o governo, em matérias jornalísticas cujos autores assumem o ar arrogante de ilibados defensores da ética e do interesse público.

A insistência no tema da corrupção, como se o atual governo tivesse inventado semelhante mostrengo, é uma combinação ácida de ignorância e hipocrisia.

Vamos primeiramente à ignorância histórica, na qual a grande imprensa chafurda com grande desenvoltura.

A corrupção está, por assim dizer, no código genético do Estado brasileiro.

Nas primeiras décadas após a Independência, período de formação do Estado nacional, a fonte principal da corrupção foi o tráfico ilegal de africanos escravizados.

Ao negociar o reconhecimento de nossa Independência no exterior, o Brasil contou com o apoio da Inglaterra em troca do compromisso de não continuar a capturar e escravizar africanos por meio do tráfico negreiro.

Em respeito aos acordos internacionais firmados pelo país, o parlamento brasileiro aprovou uma lei de proibição do tráfico africano em 7 de novembro de 1831. Todavia, os africanos continuaram a chegar.

Entre 1831 e o início da década de 1850, quando o tráfico realmente acabou por força da aplicação de uma nova lei, 750 mil africanos foram introduzidos no Brasil por contrabando e escravizados à revelia das leis do país.

O tráfico negreiro ilegal coincidiu com o desenvolvimento da cafeicultura no Vale do Paraíba fluminense e paulista. Em meados do século XIX, era comum que cerca de 80% dos trabalhadores das fazendas de café dessa região fossem africanos ilegalmente escravizados.

Para dizer as coisas com clareza: a riqueza dos barões do café e a prosperidade das províncias do Rio de Janeiro e de São Paulo foram construídas por meio da escravização em massa de africanos sequestrados em seu continente de origem e trazidos para o Brasil ilegalmente.

O negócio contou com a prática de corrupção em todas as escalas do governo do país e envolveu amplos setores da sociedade, desde os empresários envolvidos no tráfico, outros empenhados em manter a clandestinidade das operações, até os intermediários e fazendeiros que adquiriam os escravizados.

Basta de informação, oferecida aqui apenas para contrabalançar a ignorância histórica de boa parte da mídia nativa.

Em especial quanto aos jornalões do Estado de São Paulo, eles deviam enrubescer de vergonha cada vez que insinuassem a virtude própria para enfatizar a corrupção alheia.

Um deles, àquela época chamado A Província de São Paulo, foi fiel defensor dos proprietários de gente criminosamente escravizada.

Quanto a este assunto, desde a sua fundação, em 1875, foi conivente com a Velha Corrupção.

Sim, “Velha Corrupção”, para marcar bem o tamanho histórico do problema que os jornalões cismam de atribuir ao atual governo, apenas no intuito de desinformar e tentar influir no resultado das eleições.

Portanto, chega de hipocrisia, de usar dois pesos e duas medidas. No país independente, a corrupção surgiu junto com o Estado em formação, nele se incrustou e é uma tragédia que aí continue.

Assim como continua a grassar na sociedade, como parece óbvio, presente às vezes nas falas dos próprios sujeitos que, ao mesmo tempo, vociferam contra os corruptos no Estado e se dedicam com afinco a viciar concorrências públicas, a bolar estratégias para sonegar impostos diversos, até para ingressar nos aeroportos do país com muambas variadas e outras baixezas do gênero.

Chega de hipocrisia. Onde estava a disposição de investigação da grande mídia quando o governo do PSDB, segundo se dizia, comprava os votos de parlamentares para aprovar a lei que permitiu a reeleição de Fernando Henrique Cardoso?

O chamado “mensalão do PSDB mineiro”, origem do outro do qual tanto se falou, por onde anda? As denúncias de irregularidades nas privatizações tucanas de empresas públicas –algumas vendidas a preço de banana — mereceram a devoção investigativa da grande imprensa? Trens? Metrô? Tudo anda assim tão dentro dos conformes em São Paulo, a nossa Tucanolândia?

A corrupção é tema complexo e difícil.

Não há governante, no Brasil, que dê cabo disso numa penada. Muita coisa se pode e deve fazer para livrar o país da Velha Corrupção. Para começar, o governo precisa ter disposição para enfrentar o problema e tem de garantir a eficácia e a independência dos órgãos encarregados de investigar, processar e punir os responsáveis.

O governo Dilma foi exemplar nesses quesitos. Por conseguinte, a hipocrisia de caluniá-lo por isto é especialmente danosa à democracia e ao atual processo eleitoral.

*É professor da Unicamp

Leia também:

Em Minas, jornalistas denunciam censura e manipulação

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

13 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rafael

23/10/2014 - 16h46

Mais um texto que tenta justificar a corrupção de hoje pela de ontem. Como sempre existiu, como o outro também é corrupto, acham que também podem roubar. Não me interessa se a corrupção é velha ou nova. O governo atual falhou em não cometê-la, e por isso não merece nosso crédito. Roubou, tá errado, cadeia, fim de papo. que venha o próximo e se roubar que seja execrado do poder novamente.

Responder

danir lara

22/10/2014 - 15h03

Estou co 80 anos e quando eu era pequeno havia uma musiquinha que dizia:Quem rouba pouco é ladrão,quem rouba muito é barão.Enquanto o barão veraneia,quem rouba pouco vai prá cadeia.E porto de galinhas? ninguem sabia de nada?

Responder

MAureli

21/10/2014 - 11h13

Aécio é REtrocesso = ARÉCIO

Responder

FrancoAtirador

21/10/2014 - 03h03

.
.
ESTADO DE SÃO PAULO

SISTEMA CANTAREIRA

Volume Morto

Em 20/10/2014

!!! 3,5% !!!
.
(http://www2.sabesp.com.br/mananciais/DivulgacaoSiteSabesp.aspx)
.
ESTELIONATO ELEITORAL

Este é o Velho PSDB

Que a Gente Conhece!

“E Não Existe Outro”

http://imgur.com/y9jeU2G
i.imgur.com/y9jeU2G.png
.
.

Responder

abolicionista

21/10/2014 - 00h29

Por falar em corrupção, vejam que conveniente:

http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,incendio-criminoso-destruiu-papeis-do-metro-imp-,968856

Mais um incêndio que resolve os problemas do PSDB (lembram do último, em Cláudio). Falando sério, até quando vamos assistir a esses bandidos tucanos saírem impunes com seus crimes? Esses canalhas precisam ir pra cadeia, isso chega a ser grotesco…

Responder

antonio

20/10/2014 - 18h10

Bom letras do professor para arejar a cabeça dos mais jovens.

Responder

roberto

20/10/2014 - 17h01

O jovem que votar no Aécio por pura ignorância,influência de outros mais ignorantes até que ele, ou por alienação política, tem que saber que seu emprego,hoje conseguido com facilidade e com boa remuneração,vai sumir, e a coisa vai voltar como no tempo dos tucanos do FHC e Aécio,que governaram de 1994 a 2002, quando a única chance para um jovem trabalhar, era entrar na fila de 15000 candidatos concorrentes, fazer concurso para carteiro, torcer para passar,e um dia talvez, ser chamado e receber o salário mínimo de 80 dólares,por 8 horas de serviço por dia, 5 dias por semana.
Se querem experimentar isso, é só votar no Aécio e boa sorte !!!

Responder

    Jose Bento

    21/10/2014 - 13h52

    Perfeito. Por isso meus filhos não vão fazer esta besteira.

Mário SF Alves

20/10/2014 - 11h57

Estou com Dilma porque com ela ainda posso continuar estando e, sem ela, decerto, estarei, mais uma vez, estado;
Estou com Dilma porque com ela tenho a garantia da continuidade da construção das obras de infraestrutura indispensáveis à dinamização da economia e à continuidade da construção e consolidação do desenvolvimento socioeconômico do Brasil, entre as quais, as usinas hidrelétricas, as eólicas, as ferrovias, os estaleiros, a melhoria e duplicação de rodovias, e outras, realizadas através do PAC e que EXECUTOU R$ 1,5 TRILHÃO EM OBRAS, QUASE O PIB DA ESPANHA;
Estou com Dilma pelos Brics e pela possibilidade de construção de um mundo multipolar, não autoritário e que respeite radicalmente os Direitos Humanos;
Estou com Dilma porque com ela ainda posso ter a esperança da democratização dos meios de comunicação no Brasil e, portanto, consequentemente, pela superação da mediocridade política que ainda impera entre nós;
Estou com Dilma e Lula pela recuperação e intransigente defesa da Petrobras e pelos cerca de R$ 1,3 trilhão em royalties do Pré-sal que serão destinados à educação e à saúde, graças à nova legislação sancionada pela presidenta Dilma em 2013;
Estou com Dilma pela possibilidade de evoluirmos em direção a modelo de exploração agrícola híbrido onde a agricultura empresarial-capitalista fóssil-dependente, transgênica e anti-soberania não seja jamais o modelo hegemônico;
Estou com Dilma pela possibilidade de superação definitiva dos resquícios ideológicos de 350 anos¹ de regime escravagista que se materializaram no abominável apartheid social ao qual denomino de regime Casa Grande-Brasil-Eterna Senzala;

Estou com Dilma pela firme decisão de expurgo da corrupção inerente aos resquícios da ditadura e autoritarismo típicos de um certo capitalismo selvagem que sempre assolou e ainda assola este imenso, potencialmente riquíssimo e ainda tão vilipendiado País;
Estou com Dilma pelas mesmas razões apresentadas pelo querido Chico Buarque, compositor e músico brasileiro nascido no dia 19 de junho de 1944, na Maternidade São Sebastião, no Largo do Machado, Rio de Janeiro, Francisco Buarque de Hollanda, o quarto dos sete filhos do historiador e sociólogo Sérgio Buarque de Hollanda e da pianista amadora Maria Amélia Cesário Alvim.
_____________________________
¹O Brasil teve, na sua curta história de 501 anos, 350 anos de regime escravocrata e apenas 100 anos de trabalho livre. Não levamos em consideração os primeiros 50 anos, quando praticamente o único trabalho era carregar nossa riquezas naturais para fora. Em 1817, o Brasil tinha 3,6 milhões de habitantes e 1,9 milhão de escravos, ou seja, mais da metade da população. Em 1850, esse número pulou para 3,5 milhões.
Fonte:http://www.areliquia.com.br/artigos%20anteriores/41escrav.htm

Responder

O Mar da Silva

20/10/2014 - 08h46

O financiamento das campanhas é uma iniciativa importante. Há muitas coisa criminosa que tem início quando uma empresa ‘empresta’ ao partido, candidato ou coligação e depois recebe contratos em troca.

Responder

    Fernando Lopes

    20/10/2014 - 12h23

    O financiamento das campanhas é um tema importante, mas creio que existe uma super valorização desse assunto. Se somente as campanhas políticas forem regulamentadas, por financiamento público ou outra solução, ainda vai existir corrupção na aprovação de projetos, na escolha de padrões a serem utilizados pelos equipamentos do estado, na divulgação e não-divulgação das notícias. E existe ainda a ideia de a corrupção é um problema somente dos governos, sendo que na iniciativa privada ela corre solta e sem nenhum órgão a fiscalizar… Será que ninguém percebe que empresas particulares de grande porte são milhares de vezes mais corruptas do que qualquer órgão de governo? Será que alguém acredita que o número de views que um vídeo recebe no You Tube é real e não comprado?? E quem fiscaliza o número de views no youtube para dizer que é real?? Mas se eu chego aqui e vou dizendo que o youtube é corrupto terei uma legião de fãs cegos a defender a empresa…
    Meu pai antes de falecer foi empreiteiro e eu digo sem nenhuma dúvida que 100% da engenharia civil do Brasil é movida a base de corrupção. Todas as empresas de engenharia civil em algum momento se utilizaram de propina, corrupção e tráfico de influência para obter melhores negócios. E assim é também com os postos de gasolina, as lojas de shopping, as drogarias., etc…
    Então são cínicos não só o PSDB e o PIG mas a quase totalidade do empresários de grande porte do Brasil que são essencialmente corruptos e serem foram, seja qual for o governo, seja o imperador PedroII, os militares, o PSDB ou ou PT.
    Só acabaremos com a corrupção se destruirmos o poder de empresas como Globo, Andrade Gutierrez, Vale(privatizada), MacDonalds, Google, Youtube, etc… Estes são os verdadeiros corruptos e é contra eles que o povo deve lutar para ter seus direitos respeitados!!

Paulo

20/10/2014 - 07h56

Contribuindo mais um pouco com o tema:

https://www.youtube.com/watch?v=n6tWt3IOtmM

Responder

Deixe uma resposta