VIOMUNDO

Os pela “democracia sem partidos” atacam militantes de esquerda

20 de junho de 2013 às 22h48

por Luiz Carlos Azenha

Os militantes de partidos de esquerda que foram à avenida Paulista nesta quarta-feira — e se identificaram com suas bandeiras — foram seguidos continuamente por um grupo considerável de manifestantes aos gritos de “sem partido”. Houve empurra-empurra, troca de insultos, agressões físicas e a tomada de bandeiras vermelhas, que eram em seguida queimadas. Isso aconteceu até mesmo com bandeiras do PSTU, cujos militantes gritavam palavras de ordem contra o governo Dilma durante a passeata.

Desta feita o formato da celebração organizada pelo Movimento Passe Livre foi distinto. Os integrantes do MPL vieram na frente, seguidos dentro do mesmo cordão de isolamento por gente do PSTU, PCO, PCdoB e PSOL (não necessariamente nesta ordem). O último grupo misturava militantes dos movimentos sociais — como UNE e MST — a petistas com meia dúzia de bandeiras do partido. Um cordão de isolamento fechava a passeata e ficou todo o trajeto exposto a xingamentos e tentativas de agressão.

Quem atacava era um grupo razoavelmente organizado. Tentativas de identificá-los foram inúteis. Todos se diziam apenas “apartidários”. Além de “fora PT, leva a Dilma com você”, gritavam também “o povo, unido, não precisa de partido”. Houve vários bate-bocas ao longo do trajeto. Em resposta aos gritos de “sem partido”, militantes de esquerda gritavam “sem censura, acabou a ditadura”. A tensão na manifestação durou enquanto os vermelhos desfilavam com suas faixas, bandeiras e cartazes (os do PSOL, amarelos).

O risco de violência física fez com que boa parte deles se dispersasse bem antes de atingir o prédio da TV Gazeta — partiram da esquina da Paulista com a Consolação.

Outra vez a manifestação teve de tudo: protestos contra a Copa, a PEC 37 e o deputado Feliciano. Jovens de classe média eram majoritários. Havia skatistas, punks e estudantes de ensino médio, misturados a anarquistas e gente que aparentava ser neonazista. Notei várias pessoas que pareciam policiais à paisana. A Polícia Militar acompanhou desarmada, à distância.

Os únicos militantes que levaram faixas contra o governador tucano Geraldo Alckmin, que desatou a repressão sem precedentes contra o Movimento Passe Livre, estavam dentro da passeata de esquerda.

A certa altura, duas passeatas corriam paralelas: numa pista, os militantes de esquerda; na outra, os de direita, que se agacharam e começaram a gritar “fica em pé turma da corrupção”, ou algo assim.

Veja:

Testemunhei várias situações em que militantes de esquerda argumentavam e discutiam com os de direita, sem agressões. Os primeiros eram acusados de “oportunismo”. Respondiam gritando “fascismo”, relembrando que Mussolini também governou sem partidos.

Todos os militantes de esquerda com os quais conversei se mostravam preocupados. Um deles, chorava.

Aparentemente, no vácuo da desorganização da militância que se deu paulatinamente depois da chegada do PT ao poder, a direita brasileira construiu um quadro razoável de ativistas organizados. Hoje eles carregavam cartazes: “Dilma vaca”, dizia um; “Goleiro Bruno, fica com a Dilma e deixa o resto com o Macarrão”, dizia outro.

Igor Fellipe, integrante do MST, acompanhou tudo de perto: “O grupo que agrediu o bloco de movimentos sociais, organizações políticas, movimento estudantil, sindicalistas e os partidos era de encapuzados, muitos bombados, parte deles deve ter sido paga e outra parte caiu nessa onda conservadora de agredir”.

“O mais assustador é que a violência começou com foco no PT, mas quando a militância petista se dispersou entre os outros partidos, as agressões se voltaram contra toda a esquerda, do PSTU ao PSOL, do PCdoB ao PCO”, continua.

“Ou seja, é um sentimento antidemocrático contra qualquer organização política”, diz Igor. “O que foi impressionante é que todos fomos agredidos juntos. A esquerda se uniu sob o cacete da direita”, continuou.

O nível de agressividade contra o PT em particular e as bandeiras vermelhas em geral era organizado. “Foi orquestrado para fazer com que essa nova classe média se revolte contra os partidos”, concluiu Igor.

Tirando esta polarização mais aguda e localizada, a manifestação foi bastante tranquila e com muitos pedidos de “sem violência”, assim que se armava alguma confusão.

Porém, a repulsa aos partidos teve cenas preocupantes. Várias bandeiras e faixas vermelhas foram “capturadas” por incursões no meio da passeata de militantes de esquerda. Numa delas deu para ver claramente a estrela do PT. Em seguida, eram queimadas diante de fotógrafos e cinegrafistas. Assisti a algumas incursões, de longe. Depois de uma delas, no meio da confusão, notei que meia dúzia de militantes levantou seguidamente o braço direito e gritou três vezes “sieg heil”.

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
230 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O custo de 20 centavos | Muralhas de Troia

07/07/2015 - 16h01

[…] fica evidente ao fim que ela não sabe o que diz. As pessoas estão atacando partidos – mas só os de esquerda, claro – sem entender que ideologia política é completamente diferente de partido. Há várias […]

Responder

Leandro Ramos Benfatti

27/10/2013 - 19h50

Essa dos “apartidários” e dos neonazistas agredirem militantes de esquerda é horrível e antidemocrático. Como uma pessoa acima já falou, a Alemanha nazista começou também com um grito de “sem partido” de o “gigante acordou”. Essa turma vai levar os militares a darem um golpe para reprimir o povo e a esquerda. Precisamos por isso, ficar de olho, pois em 2014 vai ter Copa do Mundo e eleição esses “apartidários” e a direita vão se aproveitar pra clamarem aos militares pelo golpe militar. Todo cuidado é pouco, todos os que defendem a Democracia que fiquem de alerta!!!

Responder

Irineu

27/06/2013 - 10h36

Conceicao,Azenha e leitores, vou compartilhar algo importante sobre o MPL, espereo que ganhe mais dimensao.Fiz esse comentario no face.
_______________________
Irineuamorim Irineuamorimpublicou emMovimento Passe Livre SP
há 10 horas ·

*
Pessoal do passe livre, vocês estão sem noção.
Onde já se viu transporte de graça sem custo, podemos pedir a redução mas zerar não tem como.
Se o pai de vocês tivesse uma frota de ônibus o transporte seria gratuito? Quem iria pagar os custos?
Nem parece que fazem faculdade,
Parece que tem a cabeça só pra separar as orelhas.
Curtir ·
o
Celso Cordeiro Falou tudo caro Irineu, esse pessoal do passe livre ta brincando com assunto serio, eles ficam la nas praças da USP fazendo brincadeiras com a situação do País, que na verdade precisa de muito mais coisas que mudem de verdade a NAÇÃO, e não brincar de fazer manifestação como fizeram essa moçada do passe livre, onde ja se viu uma coisa dessas, porque eles não fazem movimento para zerar os gastos que eles tem com celular?
há 34 minutos · Curtir

Segue o link.
https://www.facebook.com/MovimentoPasseLivreSp/posts/205181506304981?comment_id=712080&offset=0&total_comments=1&notif_t=feed_comment

Responder

Eduino Vaz

26/06/2013 - 08h51

é o poder da midia arrebatando através de uma campanha nazi-facista, toda uma geração, subliminarmente…
Um crime perfeito do sistema, sem deixar vestígios!!!
Os efeitos colaterais desse processo:
A intolerância,a ultra-violência, o personalismo exacerbado e esse antropofagismo…
Quanto a moral e a ética? perderam sua genealogia simplesmente…

Responder

Olavo Silva

26/06/2013 - 02h19

Não entendo de onde surgem suspeitas de que os protestos se tratam de pessoas que querem a anarquia.

A Direita não prega estado zero, prega Intervenção do estado Zero, porém não é o que acontece no Brasil, aonde a Esquerda destrava controles estatais (Privatizações e Concessões) enquanto a Direita prega Reintegração (reestatização de sistema de agua e esgoto por exemplo).

Acho curioso usarem uma palavra em Ingles para descrever o PSDB (PIG), usando a lingua da patria maldita, cria-se a ideia de que talvez exista alguma validade em estudar tal lingua.

De qualquer modo, vale lembrar que todos aqui devem ter senhas em suas internet Wireless, e que, diferente do movimento Anonymous, duvido que fizeram algum “Almoço para mendigos” nos ultimos 10 anos, certo?

Abraço!

Responder

Noronha

23/06/2013 - 09h59

Pelo que pude entender, o companheiro acredita que aqueles que atacaram alguns militantes da esquerda são da direita, por fazê-lo. Ora, meu caro, se quem ataca a esquerda é sempre de direita, é bom avisar ao pessoal do PSTU, PPS, PSOl etc. Eles ainda não sabem que trocaram de lado. Ou será que fomos nós que trocamos e não sabemos? MIstério.

Responder

Bruno Marinada

22/06/2013 - 09h22

A direita com apoio de boa parcela da imprensa e de jovens mal informados ( ? )aposta no Golpe com ocupação do Congresso e do Planalto, o Barbosa como presidente do STF vira presidente por mais um ano, colocando os partidos na ilegalidade e a Marina sonhando (sic) que vai ser nomeada Presidente pelos sem partidos.

Responder

    Ernesto

    24/06/2013 - 11h22

    Prezados, acho absurdas as afirmações de que parte dos manifestantes quer o fim dos partidos. Creio que ou a questao nao foi bem compreendida, ou há verdadeira má fé. Ninguém pregou, nas manifestações ou na imprensa, o fim dos partidos. Ninguém. Nenhum louco, nenhuma voz. Nem mesmo o Jabor disse isso. O que se quis foi ausencia de partidos políticos nas manifestacoes, até porque elas nao nasceram com partidos poíticos, mas com movimentos sociais nao-partidários. Sejamos francos: nenhum partido político ofereceu nenhuma resposta condizente desde o início dos protestos populares. NENHUM!!! A Dilma se ofereceu para dialogar, foi a TV e o que fez? Propostas sem nexo, envolvendo médicos estrangeiros… Quem se propôs a colocar o dedo na ferida e reformar o sistema de saúde/educação? Quem trouxe alguma idéia para tornar mais efetivo e eficiente o sistema de transporte? Melhoria dos hospitais, melhores salários a médicos e professores, mais treinamento, mas atenção? Nada, senão médicos estrangeiros! É MUITO POUCO!! Há um divorcio evidente entre o sistema político e o sistema social! Isso precisa mudar. Nao pela extinção dos partidos, mas pela sua democratização e transparência. Nao vamos nos iludir! A massa, os movimentos, os jovens, de direita ou de esquerda, nao querem dissolucao ou extincao dos partidos!!! Querem, SIM, que os partidos ouçam o povo e nao “peguem carona” nos movimentos. Os movimentos recentes de mobilização nao nasceram de partidos e nao podem ser assimilados por eles: eles é que devem abrir os olhos, os ouvidos, e sair da bolha em que estão, se oxigenar e atender, com respeito, às necessidades básicas do povão! Com respeito, Ernesto

Guilherme Scalzilli

22/06/2013 - 02h34

Não em meu nome

Em Campinas, a manifestação tomou o centro da cidade. Mais de trinta mil pessoas. O clima inicial era pacífico, ordeiro, quase festivo. As primeiras bombas caseiras explodiram logo no trajeto à prefeitura. Apesar dos reiterados gritos de “violência não”, os sustos foram se repetindo, provocados por jovens risonhos com ares de traquinagem.

A aglomeração estancou diante do Paço, fragilmente isolado por cavaletes, cordas e fileiras de guardas municipais. Era impossível acompanhar o que acontecia na linha de frente, mas não houve repressão imediata, porque o ato continuou tranqüilo por cerca de uma hora. Então ressurgiram os estampidos inconfundíveis que nos acompanharam até ali. E barulhos de rojões e pedras lançados às vidraças da fachada do prédio.

A guarda reagiu. Veio apoio policial. Nuvens de gás se espalharam pelas ruas adjacentes, envolvendo a correria do povo assustado. O ardor no rosto e nos olhos era insuportável. Os focos de confusão prosseguiram, empurrando os manifestantes. Os coros pedindo calma foram substituídos por um burburinho apreensivo.

A tropa de choque da PM apareceu, com a brutalidade habitual, e o evento se transformou numa batalha. Fogueiras ardiam nos canteiros das avenidas. Lojas e bancas de jornal foram saqueadas, cidadãos agredidos e roubados por gangues de lenços nas caras. Às onze da noite o centro da cidade era uma ruína de escombros e lixo e fumaça.

Quem são os bandidos mascarados que transformam uma passeata reformista em cenário de guerrilha? Por que se dirigiram a um ato pacífico levando bombas e rojões? O que pretendem conseguir incendiando e depredando o espaço público? Quem os financia, os incentiva, os organiza? O que explica o fato de todos os ataques fascistas exibirem certos padrões comuns, desde as vestimentas dos imbecis até os seus métodos de provocação e ataque?

Essa violência não é representativa. Não é popular. Não é libertária. E definitivamente não é democrática. Chegou o momento de refletirmos sobre o que está acontecendo nas ruas do país. E de cobrar responsabilidades.

http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/2013/06/o-responsavel-por-isso-e-geraldo-alckmin.html

Responder

daniel

21/06/2013 - 23h44

Pois eh em quem votar? Quem votou no Plínio na última eleição. Na minha opinião o presidente sai das assembléias de partidado, o negócio é inundar de novos filiados em algumas cidades, e escolher o nosso candidato.
Ex: Cidade de OSASCO tem 300 filiados ao PDT (é um exemplo!), se nos estudantes conseguirmos filiar 301 estudantes (6 turmas de aula), na convenção do partido conseguiremos colocar um candidato nosso para Prefeito de um partido forte e alguns vereadores.
O negócio é não deixar essa cambada de vagabundo sair como canditado ocupar os espaços dos partidos antes das convenções para definir os candidatos.
Pode ser qualquer partido político, deste que soma do estudantes seja a maioria do partido, escolham um partido e imponham suas idéias e seus conditados. Põem o DCE pra trabalhar!
Se empresário junte-se e tome conta de um partido da cidade (para que existe federação de empresários), se for trabalhador faça o mesmo e comerciantes também (para quê existe CDL mesmo!). Com isso teremos candidatos realmente representand cada categoria.

Responder

daniel

21/06/2013 - 23h32

Alguns que vi se dizem Anarquistas contudo são filiados a partidos, acessores, envolvidos em grêmios estudantis $$ e um era de sindicato, até anarquista de merda são este. Anarquista não tem clubinho, quem tiver dúvida procure um pouco no google a história na Inglaterra nos anos 50 e 60.

Responder

daniel

21/06/2013 - 23h29

Notícia que não é divulgada, a polícia está fazendo sua parte e muitos videos foram enviados para o polícia civil, como através da redes sociais estão informando nomes e endereços da turma de vandalos que acha que o Brasil continuará impune.
Parabéns para quem deu as informações a polícia que prendeu vários destes, a impunidade para o vandalos não fará parte destas manifestação.
Quem tiver alguma filmagem do rosto desta turma de bagunceiros envie para polícia civil, ela está no nosso lado.

Responder

daniel

21/06/2013 - 23h17

Desculpe o movimento está focado na causa, não tem lider e nem mentor.
Quem for de partido político se organize e faça seu protesto no próximo mês.
DIGA NÃO AS OLIMPIAS DE 2016, A COPA VAI SAIR DE QUALQUER JEITO, MAS O OLIMPIA TEMOS UMA CHANCE.

Responder

    daniel

    21/06/2013 - 23h54

    OLIMPIA=OLIMPIADAS

Nelia

21/06/2013 - 18h28

NÓS QUE SOMOS CONTRA O FASCISMO TEMOS QUE PARAR DE SER ACOMODADOS E COMEÇAR A MANDAR MENSAGENS, FAZER PETIÇÕES EM APOIO À DEMOCRACIA. FICAR COMENTANDO E LAMENTANDO EM SITES QUE SÓ PESSOAS ESCLARECIDAS POLITICAMENTE LÊEM NÃO RESOLVE NADA. NÃO ADIANTA FALAR : EU NÃO VEJO REDE BOBO. TEM QUE ASSISTIR PRA VER O QUE ELES ESTÃO FAZENDO, TEM QUE FREQUENTAR AS REDES E ENTRAR NOS DEBATES. IR SÓ NAS MANIFESTAÇÕES E NÃO VER COMO A GRANDE MÍDIA ESTAVA MANIPULANDO A COISA FOI O GRANDE ERRO DA ESQUERDA. SEM FALAR DESSE PESSOAL DO MPL, QUE COMO JÁ DISSERAM POR AÍ, OU SÃO BURROS/INGÊNUOS/ARROGANTES/DESLUMBRADO OU ESTÃO DE MA FÉ MESMO. EU PASSEI AS ÚLTIMAS NOITES POSTANDO NO FEISSEBUQUE TUDO QUE PODIA PRA ALERTAR AS PESSOAS SOBRE ESSA INCITAÇÃO DE GOLPE, MAS A MAIORIA DAS POSTAGENS ERAM DE ALIENADOS, NEO-ATIVISTAS CONSERVADORES. ME SENTI SÓ PORQUE VI POUCA GENTE, COMO EU, TENTANDO ESCLARECER A MOÇADA DESCABEÇADA QUE ANDA POR LÁ. POR EMAIL NÃO RECEBO NADA DO PESSOAL DE ATIVISMO SOCIAL, SÓ ESSAS PORCARIASQUE VERÃO ABAIXO. EU GOSTARIA DE ELABORAR UM TEXTO BEM PEDAGÓGICO DISSERTANDO SOBRE COISAS COMO DISSOLVER SENADO É GOLPE DE ESTADO, PARA REFORMA POLÍTICA NÃO É PRECISO COMETER ATOS INCONSTITUCIONAIS PARA SAIR POSTANDO POR AÍ, MAS NÃO ME SINTO PREPARADA PARA FAZER ISSO PORQUE NÃO SOU JORNALISTA, SOCIÓLOGA , HISTORIADORA, SOU SÓ UMA CIDADÃ PREOCUPADA COM A MANUTENÇÃO DA DEMOCRACIA NO BRASIL. DIGO ISSO PORQUE OLHEM A MERD@ QUE ESTÃO ENVIANDO POR EMAIL, UM TEXTO INCENTIVANDO O GOLPE DE ESTADO. RECEBI DE UM COLEGA DO TRABALHO QUE FOI SEMPRE ALIENADO E CONSERVADOR, AGORA VIROU ATIVISTA. O CARA É MAIS VELHO QUE EU, ENTÃO DEVE SABER COMO FOI EM 1964, DEVE SER DAQUELES QUE O APOIARAM.
ENFIM, LEIAM ABAIXO O TEXTINHO ODIONDO E ENTENDAM A MINHA INDIGNAÇÃO.

“É assim que começa.
Peço a cada destinatário para encaminhar este e-mail a um mínimo de vinte pessoas em sua lista de endereços, pedindo a cada um deles para fazer o mesmo.
Em três dias, a maioria das pessoas no Brasil terá esta mensagem. Esta é uma idéia que realmente deve ser considerada e repassada para o Povo.
Lei de Reforma do Congresso de 2011 (emenda à Constituição) PEC de iniciativa popular: Lei de Reforma do Congresso (proposta de emenda à Constituição Federal)
1. O congressista será assalariado somente durante o mandato. Não haverá ‘aposentadoria por tempo de parlamentar’, mas contará o prazo de mandato exercido para agregar ao seu tempo de serviço junto ao INSS referente à sua profissão civil.
2. O Congresso (congressistas e funcionários) contribui para o INSS. Toda a contribuição (passada, presente e futura) para o fundo atual de aposentadoria do Congresso passará para o regime do INSS imediatamente. Os senhores Congressistas participarão dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria não pode ser usado para qualquer outra finalidade.
3. Os senhores congressistas e assessores devem pagar seus planos de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.
4 Aos Congressistas fica vetado aumentar seus próprios salários e gratificações fora dos padrões do crescimento de salários da população em geral, no mesmo período.
5. O Congresso e seus agregados perdem seus atuais seguros de saúde pagos pelos contribuintes e passam a participar do mesmo sistema de saúde do povo brasileiro.
6. O Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõe ao povo brasileiro, sem qualquer imunidade que não aquela referente à total liberdade de expressão quando na tribuna do Congresso.
7. Exercer um mandato no Congresso é uma honra, um privilégio e uma responsabilidade, não um uma carreira. Parlamentares não devem servir em mais de duas legislaturas consecutivas.
8. É vetada a atividade de lobista ou de ‘consultor’ quando o objeto tiver qualquer laço com a causa pública.
9. Os congressistas serão escolhidos pelo povo e cada estado terá apenas dois representantes .
10. Os Congressistas terão escolaridade superior na área que vão representar impreterivelmente.
11. Os Congressistas serão vedados de oferecer cargos de confiança a parentes e agregados.
12. Os partidos políticos serão agora apenas dois que representarão o povo rapidamente em decisões pragmáticas.
13. Os congressistas farão leis que serão votadas em menos de um mês e todo cidadão poderá votar através da internet.
14. Os Congressistas obedecerão a uma cúpula de ministros representantes do povo e que serão os líderes do povo escolhidos nas 5 regiões brasileira e não mais por estados.
15. Teremos apenas um primeiro ministro que organizará estes cinco representantes de cada região e que serão mudados a cada votação parlamentar pelo povo.
16. A assembleia legislativa será desfeita e haverá um novo fórum de apenas dois representantes por estado para criar e votar leis que a população deverá votar em conjunto por meio de assinaturas e pela transparência na TV.
17. O Senado será desfeito e todos os senadores e deputados exonerados de seus cargos e regalias. Suas contas como também a dos deputados serão investigadas nos paraísos fiscais também.
18. Exigimos a total e completa saída imediata de Dilma Roussef e de seus queridos aliados de cargos de ministro, fora do Planalto.

“Se cada pessoa repassar esta mensagem para um mínimo de vinte pessoas, em três dias a maioria das pessoas no Brasil receberá esta mensagem. A hora para estaPEC – Proposta de Emenda Constitucional – é AGORA.
É ASSIM QUE VOCÊ PODE CONSERTAR O CONGRESSO.
Se você concorda com o exposto, REPASSE. Caso contrário, basta apagar e dormir sossegado.
Por favor, mantenha esta mensagem CIRCULANDO para que possamos ajudar a reformar o Brasil.
NÃO SEJA ACOMODADO. NÃO ADIANTA SÓ RECLAMAR.NÃO CUSTA NADA REPASSAR.”

Responder

    marco

    23/06/2013 - 17h01

    Nélia.Vou te dar uma opinião que dei pra juma filha minha.Deixa o Facebbok de lado.Vai pros blogs,que tem mais consistência que esta armadilha da Internet,que se chama Facebook,é uma armadilha de direita,inventada pra cooptar jovens,que se acham inteligentes,embora um escritor brasileiro melhor os definiu.A juventude é a velhice do mundo,indefinidamente passada a limpo.Tiremos deles portando,o que tem de velhice,já que de juventude,eles mesmos sabem tirar.

Rodrigo

21/06/2013 - 18h23

A GLOBO se une à CIA e passa a controlar as manifestações que ocorrem em todo o país. Segundo informações fidedignas, a NASA descobriu uma forma de controle mental (via satélite) mediante envio de sinais que acabam por alterar a química cerebral dos indivíduos, tornando todos violentos e, pior de tudo, direitistas. Sinais mais comuns, além da violência em si, mas que já indicam um quadro avançado de direitismo, é a procura pela sede do PiG para filiação e uma fotossensibilidade aguda a cor vermelha. Há relatos, não confirmados, de que as turbas estão se transformando em zumbis, que por sua vez estão sendo capturados (pelos ianques malditos, lógico) e enviados à Coreia do Norte e Cuba, a fim de destruírem estes maravilhosos, progressivos e prósperos países comunistas, de dentro para fora, tudo parte de um plano maquiavélico …
Por favor, repassem esta informação para o maior número de blogs mantidos por capital público que conhecerem, como o conversafiada, do ilustre PHA, para que possamos lutar contra mais esta tentativa dos ianques malditos e seus aliados (PiG e a tal direita reacionária) de dominarem o mundo ! ! !

Responder

abolicionista

21/06/2013 - 16h54

Caros, é sempre bom lembrar que povo e massa são coisas distintas

Responder

Carlos

21/06/2013 - 16h17

Boa parte dos blogueiros sujos ficaram deslumbrados com esse movimento pequeno burguês. Eu estive no Largo da Batata/Faria Lima, fiquei chocado com as pessoas com nariz de palhaço, com cartazes contra a Dilma, vestidas de verde-amarelo. Estava na cara, ia dar m….
Mas não imaginei que o MPL fosse oportunista ao ponto de, sabendo que que a direita e a extrema direita estavam assumido a condução do movimento nas ruas, deixar passar essa gravíssima situação, apenas para engrossar a massa de participantes e vencer a luta dos vonte centavos.
Aquietaram-se, mas havia outra conduta, especialmente porque o mundo estava com os olhos voltados para o Brasil: bastava convocar uma coletiva, denunciar a manipulação, rejeitar o apoio da fascistada etc.
É triste, mas além de ingênuos e levemente arrogantes (o que é natural entre os jovens, e um dia eu fui um deles), foram totalmente irresponsáveis, o que é indesculpável em qualquer idade, excetuadas as crianças.
Por fim, sempre é bom não esquecer que, no século passado, na Alemanha, houve um movimento de massas que começou queimando bandeiras, passou a queimar livros e terminou incinerando pessoas. Essa gente quer governar o Brasil. Nós queremos isso? Eu, não!!!

Responder

Rodovalho

21/06/2013 - 14h55

Protesto dos filhos da classe média, distantes dos verdadeiros problemas sociais, divorciados da política. Não entendem, não pesquisam, apenas aceitam, copiam!
Lutem por causas justas: demarcação da terra indígena, reforma agrária, regulamentação do Imposto Sobre Grande Fortunas….

Responder

    Leo V

    21/06/2013 - 22h59

    Vc pelo jeito não deve pegar ônibus, e pelo jeito deve achar que o povão não pega, ou não precisa pegar.

Mário SF Alves

21/06/2013 - 14h53

O que pode ter servido de inspiração à extrema direita daqui? Resposta: a vitória da extrema direita lá; na Espanha, após os “indignados” terem – a exemplo da grande maioria dos daqui – infernizado a frágil e tímida esquerda de lá. Hipótese, claro.
_________________________________
Nada está perdido. É do limão que se faz a limonada, já dizia o Burle Marx, amigo do Niemeyer, o mesmo que projetou o Palácio do Itamaraty, o mesmo que ontem foi cruel, louca e injustificadamente atacado por tupiniquins adeptos dos idealizadores do incêndio no Reichstag na Berlim de aproximadamente 1939. Ufa! Ainda bem que o “meu nome é Enéias!” está fora disso. Se bem que é alívio repentino, haja vista a índole de uma certa revistinha [de dita grande tiragem] que livremente circula difamações e falsos heróis por aí…

Responder

Vicente

21/06/2013 - 14h32

Fui a uma das manifestações em São Luís-MA. Gente que nunca saiu de casa para cobrar nada dos governantes, que sequer tem idade para votar, mas que estavam lá. Não levei bandeira, não protestei contra o PT, reconhecendo que ali estavam reinvidicações extra-partidárias. Fiz questão de escrever num cartaz: “Eu não esqueci do Mensalão!” Não vi “reacionários”, “golpistas”, “extrema-direita”, mas sim muitos jovens e adolescentes em êxtase pedindo “Fora Sarney” (aliás, foi o grande grito da passeata).

Sou filiado ao PSDB, votei no Serra em 2010, e não vou mentir. Quero a saída da Dilma. Mas a saída democrática, derrotando-a em 2014. Não sou ingênuo: estou adorando essas manifestações, vão contribuir bastante para a derrota dela.

Golpe? Não tem quem dê golpe. Se houver um, me atrevo a dizer que seria um dado pelo próprio PT, decretando um estado de sítio primeiro para depois colocar em prática toda a sanha autoritária, começando pelo controle social da mídia.

Responder

    cid elias

    21/06/2013 - 15h35

    “só se for o próprio PT dar o golpe”…Tenha vergonha rapazote!

    abolicionista

    21/06/2013 - 15h50

    Finalmente mostraram a cara.

    Gino Dornelles

    21/06/2013 - 16h04

    Perfeito Vicente, penso o mesmo. O problema é encontrar lideranças políticas que representem este anseio por política sem politicagem.

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 16h46

    Vicente
    Eu sou petista. Você tem o direito de discordar do governo Dilma, de Lula, do PT, de mim, de todos se quiser. Tem o direito de manifestar isso, mas como militante partidário, que exerce seu direito democrático e constitucional de filiação partidária e manifestação política, não tem o direito de ser ingênuo. O teu partido, como o meu, não é um bloco monolítico, com pessoas pensando da mesma forma e concordando em tudo. O que está nas ruas comandado pela Globo e seus parceiros é um nítido e violento ataque à democracia política, ao direito constitucional de filiação partidária, seja minha, a sua, ou de qualquer outro cidadão. É o fascismo e seu niilismo político sustentado em ideologia de violência e absoluta intolerância, machista, racista, homofóbica e política. Antes do PT, do PSDB e da maioria dos partidos que hoje existem no Brasil, com exceção de PTB e PCB, isso já aconteceu, com as mesmas falas, os mesmos argumentos, o mesmo ódio e intolerância. FHC sabe disso. Lula e Dilma também. Muitos de nós sabemos disso. Os sujeitos mudaram, mesmo que não todos, mas as forças sociais envolvidas nem tanto. Se repetem, agora com o advento da web. Muito poucos ganharão com o que está em curso, e certamente ganharão com a derrota da quase totalidade da população brasileira.

    abolicionista

    21/06/2013 - 16h52

    A propósito, você esqueceu do mensalão tucano, Vicente? E de Pinheirinho, você lembra? E da compra da reeleição de FHC? E do Daniel Dantas, você lembra? E da Privataria Tucana, tá esquecido? E das farras do Aécio cheirador, não lembra não?

    Dizem que banana é bom para memória…

    fernando silva

    21/06/2013 - 23h37

    Declaracoes como esta explicam por que Sarney sempre mandou no Maranhao…

Azenha viu o ódio contra Lula e Dilma | Conversa Afiada

21/06/2013 - 14h29

[…] Os pela “democracia sem partidos” atacam militantes de esquerda […]

Responder

cid elias

21/06/2013 - 14h19

Minha aposta: os despolitizados e mal educados jovens, agora poderosos do brasil, estes que descobriram o poder via feicebuqui, serão dirigidos a protestarem contra o quê? Ora bolas, a corrupção! Ponto.

Responder

Elias

21/06/2013 - 13h33

Deixa ver se estou entendo. O Tribunal Superior Eleitoral, que regulariza Partidos e Eleições, deve ser extinto? Que mente brilhante nos dará outro sistema diferente deste? Algum país no mundo funciona sem partidos? Ah! Sim, estava me esquecendo. Nações comunistas são administradas por partido único. E são chamadas de ditaduras. Assim como os fascistas também governam com partido único. É disso que se trata? Ditadura de esquerda X ditadura de direita? Não, não me parece que os manifestantes e suas famílias desejam qualquer uma dessas duas inconveniências. Somos uma das maiores democracias do mundo. E democracia deve ser tratada como ser vivo que é. Essas manifestações são revigorantes, são alimentos para fortalecê-la, não para destruí-la. A democracia deve conduzir nossos rumos, é com ela que devemos fazer história. Fomos, somos e continuaremos sendo eleitores. Partidos são partes de brasileiros divididos em idéias. Mas, somos todos brasileiros, é o Brasil que nos interessa. E através da troca de idéias que faremos um Brasil sempre melhor. As injustiças brotam à flor da pele? Sim, brotam. As manifestações acima de tudo serviram como um chamado à conscientização do povo e também de seus representantes. Nós os elegemos. Elegeremos outras vezes? Sim e Não. A consciência nos dará a resposta. O que não devemos abandonar jamais é o diálogo. Não foi fácil reconstruir a liberdade que nos foi arrancada em 1964. Quem, por desgraça, ainda quer aquilo de volta, não tem amor à democracia e muito menos amor a um Brasil livre e independente.

Responder

Bacellar

21/06/2013 - 13h32

A conivencia da PM com os “bombados” é emblemática.
Adm do VoM: Creio já estar bem clara a articulacao, perfeitamente compreensivel que vcs tenham esperado o desenrolar dos fatos para comecar a se posicionar mais claramente, porem com o desenrolar a hora de articulacao total para barrar os anti-democratas chegou!

Responder

Lafaiete de Souza Spínola

21/06/2013 - 12h32

PARA TRANSFORMAR O BRASIL:

PRECISAMOS DE UM PARTIDO MUITO DIFERENTE DE TODOS!

Torna-se mais fácil construir uma casa nova, evitando as falhas da antiga que apresentou trincas na sua estrutura. Reparos, por melhores que sejam não oferecem a mesma credibilidade.

Faz alguns meses, no programa RODA VIVA, foi discutida a segurança. O tema principal foi o brusco aumento da criminalidade no Brasil e principalmente em São Paulo. Tudo girou em torno da polícia militar, polícia civil e presídios.

Durante uma hora não se encontrou tempo para que se discutisse a origem de toda essa violência: A injustiça social que impera em nosso país. A nossa classe média não consegue desvendar o caminho da maior prioridade que se chama EDUCAÇÃO.

Os partidos que chegam ao poder prometem mudar o Brasil, porém terminam adotando soluções paliativas, como o bolsa família. Faltam convicção, coragem e determinação para um salto de qualidade. Resolvem governar com e para o sistema financeiro e, agora, talvez, estão se dando conta, tardiamente, do grande erro cometido. Sinceramente, não sei se é um erro ou pura opção.

Votei no Lula sabendo que não se tratava, nem havia condições, de qualquer mudança mais radical. Votei na Dilma, no segundo turno, pois era a melhor opção. Mas estou totalmente insatisfeito com o tratamento dado à educação que, no Brasil, sofre de doença grave, portanto não pode continuar recebendo, apenas curativos. Toda nação está sendo corroída, principalmente, por essa doença.

SÓ VEJO UMA SOLUÇÃO PARA AS MAZELAS DESTE PAÍS: UM PARTIDO NOVO, DIFERENTE EM TUDO, QUE DÊ ALTA PRIORIDADE À EDUCAÇÃO.

DISCUTIR UM PROJETO DESSE PARTIDO É A GRANDE LACUNA DENTRO DO NOSSO PAÍS. NADA DO PODER SÓ PELO PODER QUE É A NASCENTE DO PARTIDO SÓ PELO PARTIDO.
EXISTE, HOJE, UM PARTIDO QUE QUE LUTE PARA A APLICAÇÃO DE 15% DO PIB NA EDUCAÇÃO? CURATIVOS NÃO RESOLVEM! DIZEM LOGO: É MUITO, É UTÓPICO, O PAÍS VAI QUEBRAR ETC.ETC. DEVEMOS DISCUTIR AS FONTES DESSES RECURSOS!

O tópico MOVIMENTO POR UM PARTIDO foi publicado em março de 2012. O âmago desse tópico continua plenamente válido!

Pertenço ao conjunto daqueles que desejam ver o ideal, a atuação, de todos que almejam um mundo melhor sendo a popa dessa nau, onde se encontram a hélice que possibilita singrar por esse mar de injustiças e o leme que conduz esse PARTIDO (a nau).

Esse périplo, com destino ao porto dessa viagem, não necessariamente deve ter uma data rígida, mas é urgente. A tripulação dessa nau deve estar atenta à carta de navegação, para evitar um naufrágio ou encalhe. Essa carta é o estatuto com regras de navegação rígidas e claras, com instrumental participativo.
O comandante não poderá, ao seu bel-prazer, alterar essa rota sem o aval da tripulação. No destino desse porto estarão esperando, de braços abertos: a EDUCAÇÃO, logo na frente, clamando por 15% do PIB para que as crianças tenham escolas descentes, em tempo integral, com café da manhã, com almoço, com esporte, com janta e com transporte. A SAÚDE vem em seguida dizendo que apoia, integralmente, esse pleito; pois ela está ciente dos benefícios que terá com tantas crianças bem nutridas e com a certeza que os pais, também, menos estressados e melhor alimentados serão beneficiados, dispensando, inclusive o bolsa família que passa a ser um aporte a esse programa de salvação nacional.
O pequeno agricultor, com todo suporte da Embrapa, passando a ser o principal fornecedor dessas escolas, sentirá as grandes melhorias proporcionadas pela chegada dessa nau (PARTIDO). Tanto essa gente do campo como os marginalizados das cidades, acostumados aos efeitos devastadores das naus piratas ou assemelhadas, ficarão, por certo tempo, reticentes, descrentes, crendo ser, apenas, mais uma.

Como nesse longo périplo estão previstas tempestades; causadas por corruptos, por grandes traficantes, pelos lavadores de fortunas recebidas desses piratas e todos aqueles que vivem desse estado de coisas ou são coniventes ou, simplesmente, indiferentes; então, essa grande embarcação (O PARTIDO) deve ter projeto e estrutura para atravessar esse mar revolto.

A passividade facilita a atuação desses psicopatas. Já dizia Luter King: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” Ele, aqui, possivelmente, engloba os omissos! Nessa nau todos estarão imbuídos pelo ideal do bem comum.

A rigidez do projeto e montagem da sua estrutura não devem sofrer avarias de grande porte ao singrar mar com nuvens negras. O estatuto não permitirá desvios da rota traçada. Tudo deve ser elaborado de tal modo que não haja disputa de poder, só pelo poder; por mais ardilosa que seja. Outras naus existirão e possivelmente os tripulantes com ideais parecidos desejarão mudar de nau democraticamente, pacificamente, ou procurarão meios para adotar estrutura, montagem e estatuto dessas tripulações de modo semelhante. Os honestos, com certeza, notarão que não poderão continuar numa nau que, mesmo com disfarce, esteja sendo usada para a pilhagem. Muitos políticos, do baixo clero, descobrirão que se tornaram reféns do sistema.

Os tripulantes devem ter o conhecimento necessário; para não serem pegos de surpresa pelo discurso de eventuais corruptos, mafiosos e os lavadores de dinheiro proveniente dessa classe de psicopatas; pois há estudos que comprovam a existência dessa praga no meio da sociedade, numa percentagem de aproximadamente 3 a 5%. Eles passam a ter menos influência, quando as leis são devidamente aplicadas e começam a ser identificados. Essa percentagem faz parte de pesquisas internacionais, bem fundamentadas.

Num país de 190 milhões, esses 3% são 5.7 milhões atuando em todas as esferas da sociedade. Pense no efeito multiplicador, devido à enorme influência que esses bandidos exercem sobre aqueles menos informados. Eles, em geral, têm um nível de inteligência acima da média, são dissimulados e bastante ativos no meio em que convivem. Não medem esforços para alcançar o que desejam. Só um partido, como descrito, chegando ao poder, poderá colocar limites a essa escória, onde se encontram os corruptos, os traficantes e aqueles que lavam todo esse dinheiro. Essa gente convive melhor num ambiente de injustiça social. São contrários a um investimento maciço na educação. Eles e aqueles que são influenciados sempre irão dizer, procurar convencer, que investir 15% do PIB na EDUCAÇÃO é uma meta ambiciosa, porém inviável, que o país não tem recursos etc. Na verdade, em médio prazo, isso será prejudicial a todos esses mafiosos. Não interessa a eles um povo esclarecido.

Quem pode achar que pessoas com mentes sadias cometeriam: crimes tão horrendos como a corrupção deslavada, atividades mafiosas e a execrável lavagem de dinheiro? É tudo isso que denigre, embrutece, empobrece uma nação. Quando um país se torna rico através da espoliação de outros povos, pode-se identificar o perfil de seus dirigentes que não titubeiam em fomentar guerras, enganando e manipulando seus compatriotas mal informados.

O mesmo comportamento, ou similar, verifica-se, também, dentro do próprio país, quando tudo é feito para manter o status quo que privilegia grupos em detrimento de todo o povo, sonegando-lhe a educação, a saúde e tudo que represente bem estar social. O psicopata, como já disse, é inteligente, é dissimulado, não sente culpa, é um mentiroso, é manipulador, está sempre à procura de estímulos, adora ser líder. Como exímio chantagista, consegue manter os políticos corruptos no bolso.

Esse partido deve prever, em seu estatuto: mandato único em todos os níveis; fim do alto clero que tudo pode, tudo decide; país unitário; lei única; câmara única; deputados estaduais e vereadores só para fiscalização, recebendo, apenas, ajuda de custo; financiamento público exclusivo, evitando que os eleitos se tornem reféns do poder econômico; revezamento constante em todos os níveis desse partido, desde os menores núcleos à toda direção; não haverá coligações; fim da profissão “político”, o deputado estadual, o vereador continuarão sendo o torneiro, o professor, o médico, o taxista, o comerciante etc.etc.

Deputados estaduais e vereadores, como fiscais, devem ter todos os meios para denunciar os malfeitos; o número poderá triplicar para que haja revezamento.

Esse partido, até que essas mudanças não sejam alcançadas, levará ao povo essas mensagens de mudanças. Pouco a pouco irá conseguir a adesão da maioria de nossa população. Esse é o caminho para, pacificamente, transformar esse nosso Brasil.

Não será um partido tirado da manga de um ou meia dúzia de figurões. Será um partido criado e fiscalizado pelo povo para que não seja usurpado! É difícil, mas só assim teremos uma nação forte, em busca de justiça social.

Só que isso é uma heresia para muitos intelectuais e a maioria da classe média. Não estou falando só das centenas de milhares daqueles que se sujeitaram a verdadeiros vexames para conseguir um carimbo de visto, com a finalidade de passar o fim de ano em NEW YORK (fica mais bacana a pronúncia), pois isso exige renúncias

Responder

Edfg

21/06/2013 - 12h24

É lamentável qualquer violência, sempre. Mas o que a militância esquerdista está sentindo na pele agora é o que sempre fizeram com adversários ou a quem se opunha a suas decisões. Vida PSTU nas greves de USP (no youtube tem dezenas de filmes mostrando a tolerância desse pessoal), assembléias de movimento estudantil, etc. Sob silêncio absoluto da blogosfera “progressista”, diga-se.

Responder

Lafaiete de Souza Spínola

21/06/2013 - 12h22

AQUELES QUE REJEITAM PARTIDOS DEVEM ESTAR PENSANDO EM:

UMA DITADURA?

ANARQUIA?

GOVERNO SEM UM PROGRAMA COM JUSTIÇA SOCIAL?

A ALMA DE UM PARTIDO É O PROGRAMA

Os movimentos de rua que estão ocorrendo, neste momento, comprovam que o Brasil necessita de um Partido como esse, MOVIMENTO POR UM PARTIDO, que publicamos, aqui, formado por esse povo que: sofre pela falta de investimento na educação; que não tem um transporte coletivo de qualidade, porém paga caro.

Nosso povo precisa estar organizado num grande partido que não tenha como meta apenas o poder pelo poder. Precisa de um partido que organize tais protestos, evitando os aproveitadores, os oportunistas, os saqueadores.

UM PARTIDO DEVE NASCER A PARTIR DE OBJETIVOS CONCRETOS.
UM PARTIDO DEVE NASCER COM UM PROGRAMA!

Se você chegar a ler MOVIMENTO POR UM PARTIDO, vai notar que há um norte:
O partido deveria surgir com um programa e, para iniciar, o carro chefe do programa, a EDUCAÇÃO.

Dá para notar que a ALMA do partido é o seu programa.

O partido deveria surgir com um estatuto para blindar tudo de estranho e contrário ao programa.

E tem que ser Partido mesmo! As forças que formam nossa sociedade são compostas de interesses muito distintos. Teria que ser um partido não pragmático, que não tivesse como meta imediata as eleições, o poder pelo poder, o político profissional.

Esse partido só teria magnetismo, atração, para aqueles que realmente desejassem transformar a sociedade, estando ao lado desse povo sofrido, ensinando-o a ser o verdadeiro ator do partido, da sua história.

Fora disso, é mais um!

E coitado do partido que fica dependendo somente dos seus dirigentes para a correção do rumo. Coitado do partido (nau) que fica dependente apenas de um timoneiro.

O programa deveria declarar o destino, o porto para onde navega essa nau.
Eu desisti de embarcar numa nau, assim, sem rumo!

Leia MOVIMENTO POR UM PARTIDO e observe a coerência.
Talvez a intenção do nome rede dê margem ao que está ocorrendo. Numa rede pode vir as mais variadas espécies. Isso pode servir de comparação para outro tipos de redes.
O que deveria estar sendo discutido, faz tempo: o PROGRAMA!
O ESTATUTO serve para dar suporte ao programa.
Um estatuto serve para qualquer partido!
O programa não serve para qualquer partido! A não ser que a única diferença seja o nome.

Em quase tudo que escrevo, faço um alerta contra contra os psicopatas, por isso sugiro que pensem mais neste assunto: Leiam o livro “mentes perigosas”!
Estes são os psicopatas:

“Frios, manipuladores, cruéis e destituídos de compaixão, culpa ou remorso. Utilizam-se de seu charme e de sua inteligência para impressionar, seduzir e enganar quem atravessa o seu caminho. Estão camuflados de executivos bem-sucedidos, bons políticos, bons amigos, pais e mães de família, e não costumam levantar suspeitas sobre quem realmente são”.

Num movimento desorganizado, num país desorganizado, eles conseguem atuar com maior desenvoltura!

Consegue entender o porquê de não participar num partido sem um programa e um estatuto bem definidos? Num partido assim fica mais fácil essa gente tomar o controle!

“Acreditar que todos somos um pouco sombrios é mais fácil do que admitir a ideia real e perturbadora de que alguns seres humanos vivem permanentemente em uma insensibilidade moral absoluta”.

Infelizmente, alguns generalizaram a ideia de que faz parte da natureza humana todos os males que nos afligem, misturando todos nós com essa gente, os psicopatas.

Responder

    Sagarana

    22/06/2013 - 07h12

    “Dá para notar que a ALMA do partido é o seu programa.”
    Notei que o esquizofrenico PT deu um cavalo de pau no programa dele em 2003. Parecia que estava dando certo.
    Parecia…

Marcela

21/06/2013 - 12h17

A esquerda não tem uma maioria esmagadora no país mas elegeu presidente nas três últimas eleições e, para falar no caso específico da cidade de São Paulo, prefeito na última eleição. Sem deixar de considerar todas as variáveis presentes no voto popular e a cultura política do país (ou a falta dela), talvez caiba a pergunta-se: porque a esquerda organizada em partidos, sindicatos nao consegue mais grande mobilização sequer por parte da maioria de seus próprios filiados e eleitores?

Responder

Wildner Arcanjo de Morais

21/06/2013 - 12h17

Culpa disso são dos próprios Partidos de Esquerda, Não só do PT, mas do PSOL, do PSTU, do próprio PC-do-B que, na ânsia de disputa pela ideologia política, e pelos espaços políticos nos governos Lula e Dilma, “esqueceram” que o inimigo comum batia à porta, se fortalecendo cada vez mais. Conseguiram ser mais eficientes do que a Direita na tática do quanto pior melhor. Enfim, no final das contas, a nossa Esquerda Tupiniquim não existe! ela é sim oportunista e na hora de defender os “iguais”, se cala…

Responder

Celso

21/06/2013 - 11h43

O PIG e a direita pautaram a massa despolitizada e os militantes pagos com o bordão “sem partido” porque senão veríamos nas imagens apenas as bandeiras vermelhas dos partidos de esquerda. Como PSDB, DEM e cia poderiam aparecer no MPL se são defensores do “laissez faire”, Estado Zero (pro povo, claro!)?

Responder

Eduardo

21/06/2013 - 11h17

AZENHA, e demais leitores/as do Blog.

Em meio a tanta movimentação vazia de conteúdo e de pauta, segue um texto muito interessante acerca de “protestar sobre tudo”, que no final das contas é o mesmo que “protestar sobre nada”.

Vejam:

http://socialistamorena.cartacapital.com.br/protestar-contra-tudo-e-o-mesmo-que-protestar-contra-nada/

Responder

Wander

21/06/2013 - 11h14

Saiu no Yahoo:

http://br.noticias.yahoo.com/blogs/blog-ultrapop/s%C3%A3o-paulo-20-junho-2013-o-inimigo-quebra-014019022.html

SP, 20 de junho de 2013: o “inimigo” quebra o espelho

Cada dia tem sido desconcertantemente diferente dos anteriores. As ruas fervem em todo o Brasil, e mais uma vez eu posso, no máximo, contar o que estou vendo e sentindo das complexas ruas paulistanas.

Aqui em São Paulo, até ontem, havia dois inimigos evidentes, contra os quais TODOS os manifestantes se voltavam em uníssono, fosse com maior ou menor sinceridade, com maior ou menor conhecimento de causa.

O inimigo número um, evocado pelo Movimento Passe Livre (MPL) desde os primórdios do Inverno Brasileiro de 2013, era o aumento de preço nas tarifas de ônibus, metrô e trem na capital paulista. Ontem, imediatamente após a segunda vitória da seleção brasileira na Copa das Confederações, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) anunciaram em sincronia o retorno das tarifas aos preços anteriores aos aumentos.

Paulista-RebouçasUm dos inimigos, a inflação nos preços da condução, ruiu diante dos nossos olhos, como que coroando a vitória do Brasil no futebol. Hoje, vi muitos vendedores de bandeiras brasileiras na Paulista. Ao longo da noite, vi ruas cheias de gente e completamente vazias de carros e ônibus. A vitória das ruas soa colossal – e quase inacreditável.

O inimigo número dois, que vinha causando muito estrago nas ruas e muita dor nos cidadãos, era a Polícia Militar, violenta, truculenta e brutal nas primeiras manifestações. Hoje, nas quase quatro horas em que fiquei na rua, vi muitos PMs, mas vi também o povo totalmente despreocupado com a presença deles. Vi-os sempre parando, sem ajudar a desfazer tumultos, mas também sem provocar violência e dor. O segundo inimigo evaporou-se de nós, não consigo decifrar exatamente por que, quem sabe inibido pelo sentimento de triunfo respirado dentro de cada peito, pela inédita vitória política de ontem.

Pois eis aí a próxima encrenca. Sem inimigos comuns a atacar, como ficamos nós, os que adotamos a rua como morada noturna em lugar do sofá em frente da Globo, da Record, da Bandeirantes ou da TV paga gerenciada pelas Organizações Globo? Quem ou o que combateremos agora?

Diante do vazio momentâneo, um terceiro inimigo se afigurou rapidamente: os “com-partido”. Se até anteontem São Paulo parecia (des)governada pelos apartidários verdadeiros e por travestis de apartidários, hoje o drama de realpolitik se materializou de modo mais uma vez surpreendente em asfalto, calçada, carne e osso.

Como não acontecia havia muito tempo, TODAS as bandeiras de esquerda se viram agrupadas num polo da avenida Paulista – curiosamente, se concentraram do lado DIREITO da avenida, enquanto os apartidários e “apartidários” cuidavam da pista esquerda. No espelho, tudo fica invertido.

Com-partidoO desfile cívico foi lindo, lindo, lindo, e lotado, lotado, lotadíssimo. Marcharam novamente juntas, depois de muitos episódios de discórdia, bandeiras do Partido dos Trabalhadores (PT), do Movimento Sem Terra (MST), do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), do Partido Socialista Brasileiro (PSB), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do velho Partido Democrático Trabalhista (PDT) de Leonel Brizola, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), da União da Juventude Socialista (UJS), do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), do Partido da Causa Operária (PCO), entre outros que eu não soube identificar.

Até a bandeira engraçadamente azul da União Nacional dos Estudantes (UNE) tremelicou no meio do mar vermelho. Dentro do oceano de brasões, reluzia até a bandeira apartidária do arco-íris, significando os movimentos LGBTTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), acompanhada pelo grito de guerra “até a tarifa baixou, Feliciano, sua hora já chegou”.

Estava lindo.

Mas a presença ostensiva das esquerdas, que sempre tiveram prevalência inquestionável nos movimentos políticos de multidão, incomodou muita gente. Os com-partido e com-bandeira, para muitos, viraram o inimigo da vez.

A velha (por vezes puída e desgastada) militância de esquerda incomodou os que, nas manifestações anteriores, gritavam slogans “sem-partido”. Suponho que incomodou também, e MUITO, os direitistas que vieram à Paulista, mas disso não tenho certezas nem provas – não vi NENHUMA bandeira que identificasse manifestantes do PSDB de Fernando Henrique Cardoso, José Serra e Aécio Neves, do PPS de Roberto Freire, do PSD de Gilberto Kassab, do DEM (de quem mesmo?), nem mesmo da vindoura Rede de Marina Silva (que, até onde se saiba, tem vínculos umbilicais à esquerda).

É muito estranho quando você percebe que todos os “partidários” são ou se acreditam de esquerda, e que todos os militantes de direitas estão ou ausentes das ruas ou diluídos na massa “sem-partido”. O proprio MPL se manifestou hoje, mais cedo, estranhando as infiltrações “apartidárias” da “pauta conservadora” nas manifestações.

O inimigo, de repente, não eram mais nem os 20 centavos nem a Tropa de Choque: o inimigo hoje era o espelho. Esquerda e direita se viram cara a cara, às vezes se xingando mutuamente e não gostaram na do que viram no reflexo.

Como disse um amigo com quem fiquei conversando um tempão NO MEIO da Paulista em plena quinta-feira (que maravilha), era mais ou menos tudo que sonhávamos: esquerdas, direitas e transgênicos se enfrentando cara a cara, no duro, sem o escudo da agressividade simbólica das redes sociais ou de propagandas televisivas político-partidárias. Desta vez, era nas ruas que a disputa teria que se dar – é assim há muito tempo na Venezuela, por exemplo, como lembrou esse mesmo meu amigo.

O que era bonito de repente ficou feio nas zonas de fronteira entre as tribos, compostas, em muitos casos, por gente que mal se (auto)conhece.

Foi feio demais de ver. Quase sempre, a ala dos com-partido era nitidamente maior quantitativamente que a pista da (puxa!) esquerda. Gritávamos slogans como “abaixou a tarifa, agora bota na conta da Fifa” e “caiu, caiu, caiu!, caiu em Porto Alegre, em São Paulo e no Rio!”. Principalmente nas zonas de fronteira, o chumbo foi grosso. Vi muitos homens grandes e musculosos arrancarem com violência e rasgarem bandeiras da UNE e do MST das mãos de manifestestantes. Vi ameaças físicas, muitas. Não cheguei a ver agressõs, porque me afastava sempre das zonas de tensão – mas tenho certeza que ocorreram e estarão amanhã povoando o YouTube e aparentados.

GloboVocê pode discordar, mas preservo meu direito de me manifestar (com a indefectível camiseta de Dilma, que mais uma vez não me rendeu problemas): não me parece nem um pouco democrático ou patriótico um brucutu raivoso que arranca a bandeira do outro e rasga, ou um manifestante vociferante que quer proibir no grito o vizinho de portar a palavra de ordem que ele quiser portar.

“Sem fascismo!” e “sem censura, abaixo a ditadura”, o grupo dos com-bandeira tentava reagir, evidentemente acuado e amedrontado (mas muito, muito valente).

Voltei para casa mais cedo, embrulhado com a violência desta vez encampada por cidadãos contra cidadãos.

Cheguei a tempo de ver um bom trecho do Jornal Nacional. Estou estupefato: a Rede Globo, encantada com imagens tiradas de helicópteros e totalmente afastada do corpo das passeatas-em-si, não narrou NADA do que eu vi nas ruas neste difícil e belo 20 de junho de 2013.

http://br.noticias.yahoo.com/blogs/blog-ultrapop/s%C3%A3o-paulo-20-junho-2013-o-inimigo-quebra-014019022.html

Responder

Rosemary LULA

21/06/2013 - 11h08

Quem diz “fora PT, leva a Dilma com você” não é o povo. O povo épt e o pt é o povo. Voulta LULA!

Responder

Na Paulista: Defensores da “democracia sem partidos” atacam militantes de esquerda e queimam bandeiras vermelhas | Bahia Livre

21/06/2013 - 10h59

[…] Fonte: http://www.viomundo.com.br/politica/na-paulista-defensores-de-democracia-sem-partidos-atacam-militan… /* Veja tambémGlobo enfia a corrupção no Castelão. Não a da FIFASuspeito é filho de empresário de transporteMilitantes dizem que ferimento exibido em fotos foi forjadoMedicamentos antidepressivos podem alterar personalidadeChega de afagos demagógicos […]

Responder

Jose Mario HRP

21/06/2013 - 10h58

Veja só o que a fascistada fez!
Fiquem com a bagaça amigos dos ditadores!

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/06/21/apos-hostilidade-a-partidos-e-pauta-conservadora-mpl-nao-convocara-mais-atos.htm

Responder

lulipe

21/06/2013 - 10h35

Os petistas estão mais perdidos do que cachorro em dia de mudança, afinal, o Brasil está acordando.Que venha 2014!!!

Responder

Karley

21/06/2013 - 10h30

PSTU gritando palavras de ordem contra Dilma, logo após esse mesmo manifestantes são perseguidos por grupo neonazistas com braço direito levantado..
Nosso país a beira de um golpe, a direita muito bem organizada e a esquerda como sempre esfaceladas.
Será que vai sobrar à esquerda chorar pelo o que ela poderia ter feito?
A esquerda está com complexo de Regina Duarte agora?
Sempre tive a certeza que na FFLCH é muito fácil fazer revolução, dentro dos muros das universidades tudo é possível.
E agora?

Acho que agora precisamos deixar o complexo de lado e certas diferenças ideológica e nos unir..

Responder

Luiz Fortaleza

21/06/2013 - 10h27

BOB FERNANDES FALOU DO 20 BRUMÁRIO NO BRASIL, POIS BEM VEJAMOS O QUE É ISSO:

Vou tentar o q é o 18 Brumário de Luis Bonaparte na França de 1848-1852. É a data de junho. Havia uma revolta popular que começou com o proletariado de Paris que se aliou a pequena burguesia, pequenos comerciantes, esta traiu o proletariado ao se unir com a grande burguesia, esta traiu a pequena burguesia, ao se aliar à nobreza, esta traiu a grande burguesia ao se aliar às forças militares de Napoleão III, e este traiu a nobreza. Ou seja, uma classe traindo a sua aliada anterior até chegar o poder ao Termidor. Uma revolução que começou com o motim do povão, do lupemproletariado e proletariado e que terminou com o Poder nas mãos de um Ditador. Foi o que Marx chamou de Revolução ao contrário, o retorno ao retrocesso histórico. Por isso que ele diz que a história se repete duas vezes, a primeira como drama e a segunda como farsa.

Responder

Rafael Isaacs

21/06/2013 - 10h24

Quem falou que o PT é esquerda?

Responder

LEANDRO

21/06/2013 - 10h21

E os governistas ainda se perguntam porque o povo tá revoltado…..

“O jornal britânico Financial Times publicou nesta sexta-feira uma análise que traça um paralelo entre a queda das ações das empresas de Eike Batista e os protestos nas ruas do País nas últimas semanas. Segundo a publicação, com o envolvimento maior da população com decisões políticas fica difícil para o banco de investimento estatal BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) socorrer Eike caso suas perdas continuem.
De acordo com o Financial Times, há uma estimativa de que as empresas de Eike tenham recebido desde 2005 R$ 10 bilhões do BNDES.”

Responder

Vinicius

21/06/2013 - 10h06

Quando será que vão entender que o povo que foi às ruas está lá não por que apoia esses partidecos e corruptos? Não tem mesmo que ter partido. Se tivesse alguém com bandeiras do PSDB ou DEM teriam sido retiradas também! Parem de teorizar conspirações!

Responder

    abolicionista

    21/06/2013 - 15h48

    Vinicius, você realmente acha que a corrupção é um problema restrito aos partidos? Você sabe como funciona o financiamento de campanha no Brasil? Você não se preocupa com quem são os corruptores? Você já parou para pensar em quem financia e pressiona os partidos e seus políticos? Sem responder a essas questões, nossas pautas serão fracas e genéricas e não conquistaremos nada. Qual a pauta do movimento hoje? O que ele espera atingir? Se não há pauta, o movimento se torna uma exibição narcísica do povo apaixonado por si mesmo, por sua própria imagem. É algo que sempre pode ocorrer. Para isso precisamos de uma pauta forte, de um propósito firme, de um objetivo.

    A grande pergunta é: por que exatamente estamos nas ruas?

abolicionista

21/06/2013 - 10h05

“Acorda, Alemanha!” foi o lema utilizado por Hitler para chegar ao poder. E agora ouvimos lemas como: “o gigante despertou”, “o povo acordou”. É de dar arrepios!

Responder

xacal

21/06/2013 - 10h03

Bom, eu acho que em meio a tanta emergência, temos o direito de esticar a corda!

Deve ser mandado um sinal claro a quem se manifesta: Quer negociar, quer mudar, quer propor? Ótimo, diga o quê e com quem negociamos! Caso contrário, como dizem os estadunidenses “my way or no way”.

Imagine negociar com um grupo que toma de assalto um asilo e exige do governo que revogue o envelhecimento por decreto, senão eles o farão assassinando os idosos albergados…É mais ou menos que está acontecendo.

De fato, este episódio servirá para que todos nós entendamos nossos erros de avaliação.

Os meus já enumerei e tento digeri-los:

01- A vigilância democrática tem que ser permanente, pois a violência simbólica (e a física) está em todo canto em um país que se mata aos milhares no trânsito (60 mil, a maioria alcoolizado), em outros tantos por arma de fogo (92,4% dos homicídios em 38 mil são por arma de fogo), onde a violência contra mulher não cede, os negros são (ainda) cidadãos de segunda categoria, que tem 4 vezes mais chances de morrer, ser preso do que ir para a Universidade, onde as mulheres não decidem sobre seus corpos, onde gays são tolerados apenas por serem consumidores, etc.
Nosso fascismo não é invenção das ruas de hoje, ou um legado da chamada “leniência” de Lula, Dilma e o PT com as reformas (progressistas) pendentes.
A luta política é um exercício diário e interminável, e eu me esqueci disto!

2- Não há como negociar com extremistas, estejam na esquerda, estejam na direita! Não sentamos à mesa para discutir menu do jantar com canibais sem ser devorados por eles.
Quem deseja Democracia tem que revelar e mostrar o quanto tem apreço por ela, começando pela tolerância política expressa na vontade popular, justamente aqueles que os meios (ainda que precários) de representação impõem. Se quer mudar, tem que dizer como, quando, e porquê!

3- Mais importante que dialogar é saber a hora de parar de dialogar.

4- Nós, simpatizantes do governo, e militantes do PT, não seremos reconhecidos como os que mudaram a face deste país, a não ser que digamos isto todos os dias, como um mantra.
Não temos que nos envergonhar de termos limites em nossa ação política, quer seja na sociedade, quer seja no governo. Coalizão, negociação, recuo são premissas para governar tanto quanto avanço, inovação, reforma, etc…
Quem tiver projeto diferente que dispute na política, dentro das regras, ou acumule força política para mudar as regras. À força e desorganizadamente, NÃO!
Este papo da ultra-esquerdalha de falar como adversário renhido, e querer tratamento de aliado não cola!

Por outro lado, desde que começou esta celeuma toda, pude ler aqui, neste rico ambiente, como pessoas tidas como bem intencionadas (uma parte delas, sincera) pode se iludir, tendo como referência seus sonhos juvenis de rebeldia, ou a tentativa de resgate de um tempo que já passou, ou “saudade do que não viveu”.

Pessoas que deveriam saber, como seus antepassados (e em alguns casos até eles mesmos) esqueceram em 33 na Alemanha, 73 no Chile ou 64 no Brasil, o potencial explosivo de encurralar um governo democrático pela esquerda, que abre a chance de que a extrema-direita crie as condições históricas para rupturas reacionárias.

É lógico que nós petistas, e o governo (inclusive a presidenta Dilma, pelo seu passado) deveríamos estar atentos. Mas este pessoal que diz que “reconhecemos os avanços, mas queremos mais, sempre mais, muito mais”, é o principal responsável pelo desperdício de energia política e pelo enevoamento da nossa visão.

Um cartaz de uma prostituta, por exemplo, gera uma celeuma que coloca por terra todo o trabalho (vacilante, é verdade, afinal, estamos em um país onde as demandas são conflitantes) de prevenção, diminuição de mortalidade infantil, atenção a mulher, etc, etc…E tome ofensas ao ministro (vai para casa, padilha), e por aí foi…

O leilão de um poço de petróleo tem mais dimensão que o resgate de Petrobrás, produzindo pré-sal em tempo recorde (07 anos, e não 12 como previsto), como previsão de investimento de 250 bi (de dólares)…

Como assim????

Será que o assédio e o cerco ao governo foi só da mídia golpista?

Estas pessoas viveram aquele momento e outras estudaram-no muito bem, e não tinham o direito de errar novamente, inclusive chamado-nos de “burros” (“burrice é não escutar as ruas”, disseram alguns) por rejeitarmos a nos incorporar a turba, principalmente, porque ele nos rejeitava desde o início!

Estas pessoas não tinham o direito a tolice de imaginar que a turba pudesse frutificar em algo virtuoso!

O que está em jogo não é só deles, é nosso, e nós que estamos aqui tentando construir, enquanto eles, por direito, apenas criticam!

Outros publicaram letras de canções, como alegria, alegria (sem lenço e sem documento), esquecendo do viés autoritário da Tropicália, já dito e repetido por quem entende do riscado, como Tinhorão.

“Sem lenço, e sem documento”, como assim?

Não entenderam nada!

E agora estamos aqui, a beira do abismo.

Na hora certa, neste blog e em outros tantos espaços, esta irresponsabilidade terá que ser cobrada…por hora, temos que unir forças para reprimir a turba!

Responder

Romanelli

21/06/2013 - 10h02

vocês tem certeza do que significa democracia ?

Aqui eu NÃO defendo a baderna, nem ladrão, bandido, mascarado ou ofensa, muito menos a violência ..mas sim o legítimo direito de pessoas que NÃO se sentem representadas de pedirem e até exigirem por mudanças

colega, sou tão brasileiro quanto você

Porque da censura comigo se até a nossa constituição garante e valida o que peço ? uma democracia consequente e PARTICIPATIVA, não dominada exclusivamente por caciques, partidos e/ou interesses escusos escondidos em votos secretos ?

grato se me responderem, ao invés de ficarem a todo momento me deletando

Art. 14 da Constituição. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:

I – plebiscito;

II – referendo;

III – iniciativa popular.

Um projeto de inciativa popular exige 0,3% do eleitorado, algo como 400 mil assinaturas

e você sabe a média de votos que CADA deputado teve pra ser eleito ?

GARANTO, é muito MENOS que isso

Pergunto, isso faz sentido ? mais, tais iniciativas não deveriam ter PRIORIDADE ?

Agora imagine, se 97% é a favor da diminuição da maioridade e os caciques não se mexem, pergunto, afinal, sobre que regime vivemos ?

Responder

    Romanelli

    21/06/2013 - 10h14

    você pode até não gostar do meu jeito, ou da forma como me expresso, é um direito ..mas daí a me calar, de me ANIQUILAR, penso que daí são outros quinhentos

    afinal, penso que ninguém pode negar, aqui ou alhures, que me exponho, proponho, e penso que tenho argumentos.

Mario

21/06/2013 - 09h59

A INGLATERRA SE OFERECE PARA SEDIAR A COPA DE 2014

Sugestão a Dilma: vá à televisão e mostre os extraordinários ganhos que o Brasil vai terá com a Copa do Mundo em 2014. Fale, de leve, que o Brasil já sediou uma Copa em 1950, quando então foi inaugurado Maracanã Depois sugira que se faça o mais rápido possível um plebiscito. Se os brasileiros não quiserem a copa, que ela seja cancelada. Mas, um aviso: em caso de um não, vai ser a maior desmoralização que o Brasl será submetido em dos os tempos. E a potência emergente irá sucumbir.

Responder

Romanelli

21/06/2013 - 09h53

Art. 14 da Constituição. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:

I – plebiscito;

II – referendo;

III – iniciativa popular.

Um projeto de inciativa popular exige 0,3% do eleitorado, algo como 400 mil assinaturas

e você sabe a média de votos que CADA deputado teve pra ser eleito ?

GARANTO, é muito MENOS que isso

Pergunto, isso faz sentido ? mais, tais iniciativas não deveriam ter PRIORIDADE ?

Agora imagine, de 97% é a favor da maioridade e os caciques não se mexem, pergunto, afinal, sobre que regime vivemos ?

Responder

Rosemary LULA

21/06/2013 - 09h53

Sem duvidas, a manifestação é da direita. Quando os manifestantes atacaram as bandeiras vermelhas foi tentativa de golpe! Polícia neles!

Responder

Jose Mario HRP

21/06/2013 - 09h48

http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/06/21/e-em-sao-paulo-o-facebook-e-o-twitter-foram-as-ruas-literalmente/

O Sakamoto dando clareza a essa mer## que estão fazendo com uma reivindicação justa!

Responder

Julio Silveira

21/06/2013 - 09h41

As vezes fico me perguntando como essa turma anarco-fascista pensa que se governará o país sem partidos. Será que acreditam que a aprovação de algo relevante para a cidadania se dará exclusivamente por decretos ou atos institucionais(talvez prefiram essa forma), ou quem sabe plebiscito, ou ainda quem sabe por aprovação dos centros comunitários, ou talvez através do voto nas urnas eletrônicas? Será que pensam ser barato votar? em qualquer coisa? Essa turma que desvia a finalidade do protesto, que divide de forma oportunista o anseio e as motivações por uma mudança de paradigma na politica. É disso que acredito que se trata, mudança de paradigma na politica, e não o fim politica, até por que, esses que pregam a inexistência da representatividade politica não estão fazendo nada mais que se colocarem politicamente como representantes dessa nova ordem absurda. Eles sabem que seu negócio é apenas esse, facilitar a ascensão de algum ditador que vai lhes proporcionar mais alguns anos de corrupção bem dirigida, com a maioria da cidadania de fora dos benefícios, como ocorre em todas as ditaduras. Esse turma quer mesmo é que se continue vendendo o povo brasileiro a preço baixo, de preferência para investidor estrangeiro, querem é posar de cidadãos do mundo.

Responder

    carmen mascarenhas

    21/06/2013 - 09h54

    Parabéns pela clareza de sua colocação!

    neuliete lima

    21/06/2013 - 10h26

    Calma, já fazem + de 10 anos comendo!
    Vamos deixar que as mudanças aconteçam, vcs não são deuses para esta julgando o que tem por vir.
    A voz do povo é a voz de Deus!

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 15h38

    Qual povo? Os bombados fascitas que estão espancando jovens nas ruas e os neonazistas? Chama isso de povo? Ou os que votam em eleições e escolhem seus representantes, saem às ruas em paz para manifestar e criticar, os que recebem bolsa família, os que trabalham todos os dias, estudam… …O que está na rua não é o “povo”. Os jovens que manifestavam pacificamente foram massacrados e intimidados pelo “não povo” de fascistas espancadores e intolerantes e seus chefes nas redações da Globo e demais grandes meios de comunicação e na Av. paulista, centro da corrupção nacional.

    roberto pereira

    21/06/2013 - 11h41

    Mussulini governou sem partidos. Traduzindo: essa canalha ultradireitista quer uma ditadura. São os filhotes da mesma classe média que acha que a solução é afogar nordestino. Some-se a isso os despolitizados e o resultado pode ser uma tragédia para o Brasil. Agora, é preciso alertar alguns intelectuais de esquerda – maravilhados com a manada que está destruindo o país – que quando não há desemprego, não há inflação, quando o governo adota políticas de melhoria do ensino, quem vai às ruas depredar é a direita raivosa e retrógada. Ela pode ser até anti-partidária, mas está a serviço das elites. Veja-se a Globo transmitindo ao vivo essas manifestações. Isso já diz tudo…!

Cláudia Stefani

21/06/2013 - 09h35

Que texto escroto… Que ódio estúpido e cego ao PT é esse? O autor dessa peça faz força para não apoiar a direita contra o PT. Nojo, profundo nojo dessa postura!

Responder

abolicionista

21/06/2013 - 09h28

Provérbio revisto
Newton de Lucca

A voz do povo
é a voz de Deus…
Que povo?
Que Deus?
O que beijou Stálin?
O que delirou com Hitler?
Ou o que soltou Barrabás?
(Será que Deus já não teria se
enforcado em suas próprias cordas vocais?)

Responder

    Jose Mario HRP

    21/06/2013 - 09h47

    O Deus que não se mete nessas merdas que fazemos com o nosso livre arbítrio!
    Não ponham nas costas dele a porcaria de utilização que damos a nossa inteligencia e capacidades!

    abolicionista

    21/06/2013 - 10h03

    Por favor, não me leve para a fogueira. Afinal, não fui eu quem escreveu o poema, reclame com o poeta. Grato.

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h05

    Desculpe aí, prezado Mario HRP? Mas, qual deus? Seja como for, tem um deus aí que de fato não se mete. Todavia é inegável, porém, que metem ele nisso o tempo todo. Assim como é inegável que tiram proveito econômico dele o tempo todo. Muito proveito. E um proveito nada pedagógico, diga-se de passagem.

    demetrius

    21/06/2013 - 11h48

    Sinto não corresponder ao esperado, mas deus não existe.
    O que existe é a natureza e a que está imperando é a do homem.

    abs

Ted Tarantula

21/06/2013 - 09h28

“Até ontem, quarta-feira, o Palácio do Planalto avaliava que o problema se restringia a prefeituras e estados, mas ficou perplexo ao perceber que a redução nas tarifas de passagem de ônibus não foram suficientes para conter o ímpeto dos ativistas.”
dá para acreditar??? pior que dá…

Responder

trombeta

21/06/2013 - 09h24

Posso estar enganado mas acho que a capacidade de influência da globo está próxima de virar mito, ficou claro naquela ópera bufa apresentada ontem que a globo fala para si própria e para seu público de reaças de classe média.

Prova disso é que seus jornalistas estão apanhando na rua e ela é obrigada a fazer a cobertura dos fatos de cima (helicóptero, prédios altos e terraços) deixando uma sensação de artificialidade.

Tirando SP que é um caso à parte pelo seu conhecido reacionarismo, em outras cidades os manifestantes tentaram atingir seus prédios (Porto Alegre p.e.) sendo contidos pela polícia.

Responder

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h09

    É… o influxo de energia no sistema foi tamanho e tão inesperado que ela teve de tirar até o *cubo da reta.
    *Cubo: parte removível do microfone onde está inscrita a logomarca da besta-fera.

LEANDRO

21/06/2013 - 09h21

Kd a propalada popularidade da presidente? Os guerrilheiros de teclado
que não saem as ruas, perderam a noção de realidade. O povo apoia esse
movimento, e isso até no nordeste que era curral do governo, porque
cansou de ser governado por marketing. A popularidade caiu? Bom, vamos
lançar um financiamento de tv em cinco anos que o povo acalma. Kd a
timoneira? Deve tá debaixo de uma mesa esperando passar a crise. Vai se
reunir com seus “39” ministros para tentar alguma coisa. Porque não vem a
público pedir apoio ao povo? Porque sabe que não vai ter esse apoio. O
povo cansou de ter o custo de vida entre os mais altos do mundo, ter a
carga tributária criminosa e receber em troca serviços ridículos. Aí,
vem essa copa, herança do lula que também sumiu, com seus gastos
bilionários. O cara olha pro lado e não vê escola, hospital, transporte
e segurança. Ia ter que dar nisso.

Responder

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 09h54

    O gozo efêmero do orgulho em troca da morte da política. Difícil ler o texto e o contexto caro Leandro.

    xacal

    21/06/2013 - 10h09

    Bom, o povo de que o pobre aí de cima fala deve ser a Comuna do Morumbi, ou o povo chique dos bairros de classe média alta dos balneários nordestinos.

    Povo?

    Não na acepção que ele quer dar a palavra.

    É muito cinismo reunir em um grunhido destes o descontrole causado pelo excesso da PM paulista, a ingenuidade e má-fé dos que acreditaram poder controlar a a turba classe mé(r)dia, como os MPL e outros imbecis, e o ataque diuturno da mídia golpista a insuflar os ânimos, e nos oferecer a versão que se trata de um legítimo levante popular…

    Definitivamente aquele estudo que aponta que os de direita são mais burros não estava errado!

    Eu não torço pelo acirramento, nem pelo confronto violento, mas se houver, o meu maior desejo é poder encontrar um tipo desses pela minha frente…vai ser uma festa, ô se vai…

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h32

    Insensato!

    Niterói RJ

    21/06/2013 - 11h12

    Povo??? Que povo??? Olha para a TV e veja quem está participando das manifestações. A burguesia disforme e despolitizada que propõe uma vida política sem partidos. Não me faça rir!!! Acho melhor você voltar prá frente de sua TV, sintonizada na Globo, e se deliciar com a cobertura mais infame de todos os tempos. Só espero que tenha saco (e vontade política) de tentar tirar alguém do poder na base do voto. Só para lembrar. No caso das eleições, o povo de verdade vai estar presente.

    Alemao

    21/06/2013 - 12h29

    Claro! Quando era o MPL à frente então era o povo, agora não mais. Faz todo sentido…

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 15h47

    Pra você Alemão, não deve fazer sentido.

abolicionista

21/06/2013 - 09h17

Queimaram a bandeira do movimento negro. Quem assumiu a liderança essa manifestação são grupos de extrema direita. As bandeiras nacionais são uma clara incitação a um golpe militar, mas a grande maioria nem sabe disso, são analfabetos políticos formados por uma década de “ascensão pelo consumo”.

Responder

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h20

    Larga de curteza de ideia, prezado abolicionista. Larga disso. Generalizações em excesso podem opilar o fígado.
    _____________________________
    É como disse muito apropriadamente um Post no Carta Maior: a pasta saiu do tubo e não adianta, por mais iluminado que o indivíduo seja, forçar a barra porque ela não vai voltar a ele. Agora é assunto político. É o assunto político. E é via de mão dupla, meu caro. Foram dadas as condições para o Brasil negociar um verdadeiro pacto social e político. Governo tanto pode ter tudo a seu favor ou botar tudo a perder. Simples [e simploriamente] assim.

Carlos

21/06/2013 - 09h07

SE DILMA SE SUSTENTAR NO PODER, A PRIMEIRA MEDIDA DEVE SER CANCELAR TODOS SO CONTRATOS DE PUBILICIDADE E APLICAR EM EDUCAÇÃO E SAÚDE. OS ANÚNCIOS DO GOVERNO DEVEM SER DE FORMA DIRETA COM A NAÇÃO, ATRAVÉS DE PRONUNCIAMENTOS OFICIAIS.

Responder

    Alexandro Rodrigues

    21/06/2013 - 09h51

    Vai sonhando, ela não tem coragem pra isso! É só usar o controle remoto, lembra?

    Flor de Ipê

    21/06/2013 - 10h07

    O que eu notei:

    1) no Rio a política sempre foi masi suja do que no Brasil, salvo Brisola, mas os jovens não se lembram. Ultimamente foi contaminada pela banda podre crente. Note-se que até Benedita da Silva foi uma banda podre crente, a primeira que sujou o governo Lula. Só que a Globo tentou exportar para todos os estados a descrença que é, sim, muito maior no Rio.
    2) As rádios tentaram o tempo todo exigir alguma resposta de Dilma. Mas os manaifestantes, em geral, não sabem onde fica a cãmara de sua cidade e nunca foram a uma reunião. Não sabem que sua má politica começa quando vota num vereador. Vale para Campinas esse comentário, única cidade que não é capital, com protesto.E vale para Brasilia, onde o povão sempre aceitou suas favelas e mazelas e nem sabe onde fica o governo do Distrito Federal e se existe uma Câmara distrital e pra que serve. Ressalve-se que uns Agnelos e outros não coontribuiram para melhorar.
    3) O Estadão, já posso chamá-lo de sem-vergonha, pois poupei esse epíteto até hoje, coloca uma manchete mencionando Dilma, e nem tium para prefeituras. O povinho merece pois nem sabe em quem votou.
    4) A mocinha líder foi totalmente comida pelos jornalistas numa entrevista tipo mesa redonda, no começo da semana. Seu horizonte é a ponta do nariz.

    Flor de Ipê

    21/06/2013 - 10h11

    …continuação:

    Até Boechat vomitou mais do que já vomita diariamente sem análise.Ele mora no Rio, essa é a causa de sua raiva. Ele é bonitão rico, e gostaria de aproveitar mais o seu dinheiro e não pode, devido à violência. Entendo, também é um cidadão. Mas sua pose de Boris Casoi não contribui em nada. Pois junta no mesmo balaio politicos completamente diferentes.

Carlos Lima

21/06/2013 - 09h06

Fiz um, aliás vários comentário no início dessa insanidade, reclamei que os bolgs estavão inflando e alimentado com gasolina algo desnecessário para o momento e que a própria esquerda estava se auto destruindo e destruindo sua perspectiva de poder popular e estava entregando a rédeas do país para a direita num passo de burrice absoluta, não deu outra. A imprensa alternativa ou seja,os blogs com vergonha não admitiram que erraram, ai esta algo incontrolável e com ares de fascismo, o que se acordou não foi democracia, foi o desconhecimento da história, foi algo acéfalo, modismo da era da internet, não se pode acuar um governo eleito democraticamente pela a maioria, não ouviram os MILHÕES que estava em casa, somente os MILHARES nas ruas, sem qualquer perspectiva de serem atendidos pois são insatisfações pessoais e pontuais que são do conhecimento público suas causas e consequências. Agora o monstro da comunicação os donos do BRASIL a globo cuidou de moldar os que estão em casa e produziram o GOLPE em curso, sinceramente faltou aos blogs estratégia e visão periférica o mesmo que faltou ao governo,nas fazendas tem um ditado, gado solto é do vizinho, o povo não é gado, más pode ser rebanhado e ser escravizado sem entender o perigo, e sem entender o perigo perdem a sua liberdade para os escravizadores midiáticos e reacionário que continuaram ai soltos esperando esta oportunidade. um jovem entrevistado que passou hoje no telejornal de Uberlândia-MG disse o seguinte: “estamos buscando outra democracia” como se houvesse outra como se houve um jeito mágico de resolver tudo de errado a décadas num passe de mágica, parece que a população não está devidamente informada que há uma crise mundial e a insanidade vai colocar ela aqui dentro BRASIL se continuar esta insanidade. Nenhum, nenhum blog comentou que TODOS OS TRABALHADORES TEM DIREITO AO VALE TRANSPORTE E QUE ISSO CUSTA SOMENTE 6% DO SALÁRIO, portanto a reivindicação pode até ser correta ao custo para outras investidas no transporte de massas, o seja por laser ou estudantil, isso linearmente não se aplicava ao todo, o MPL nunca mencionou sobre o VALE TRANSPORTE, omitira de propósito para gerar um caos completamente desnecessário pelo momento que o país passava, isso negativou todo um processo de recuperação da auto estima da nação, jogou na lama todo o início disso, a paciência é a principal virtude de uma nação que quer vencer, se acabou por este limite teve ajuda da irresponsabilidade midiática, este projeto tinha 12 anos não creio que de Getúlio Vargas para cá o país tenha experimentado algo melhor do que se tem hoje, população jovem exposta ao consumismo burro das elite é insatisfação permanente. Foi burrice e burrice em cima de burrice.

Responder

Alexandre Aguiar

21/06/2013 - 09h01

A noite de quinta-feira foi só uma demonstração daquilo que nós, da esquerda, temos chamado a atenção a todo instante do que pode acontecer, desde que estas manifestações começaram: a apolitização de um movimento político. Isso é um prato cheio pra direita fétida assumir daí e levar ao caos que ela tanto adora, pois a segunda parte é um golpe. Esse é o caldo próprio para o fascismo assumir. A democracia pela qual tanto bradam vai sangrar. E o que se viu não é nem metade daquilo que pode acontecer, pois o Taleban tupiniquim está só esperando a ordem para botar o bloco nas ruas.
Foi hilário ver a burguesada, que antes assistia aos movimentos pela TV a cabo, vendo a banda passar da janela, como na canção do Chico, tremer os lábios.
– Isso aqui é pacífico!
– Não pode ter partidos!
– Sem essa de trazer os políticos!
– É sem ideologia!
– Vou levar minha mãe e minha avó pra participar.
Bradavam os revolucionários de edredom. Aqueles que ouvem a música do Vandré sem compreender a letra. Ou que usam camisa com a estampa do Che, porque é bonitinha.
– Ah, ele é um ícone pop.
Não sabe, esse povo inocente, que essa manifestação assim, descompromissada, é a razão de existir dos reacionários. Sem partidos, sem ideologia, sem líderes, sem propostas concretas é o ninho para a serpente se criar e desenvolver seus ovos. Vocês querem tirar a esquerda do protesto? Ótimo. Mas já viram o que dá, quais as conseqüências. Não que a esquerda seja santinha e vá resolver todos os problemas do mundo. Há muito o que fazer e a construção de um projeto de Estado não é tão simples. Mas movimento popular é coisa da esquerda. É o seu nicho. E ela sabe conduzir um processo sem aquilo que se viu nesta quinta-feira.
Vocês acham como que o PT chegou ao poder? Não foi do dia pra noite.
É claro que o PT precisa se rever. É óbvio que se burocratizou e virou governista. Nós mesmos estamos em auto-crítica constante, tentando recuperar o caminho. E é evidente que o descontentamento, pelas coisas que foram encalhando e não foram resolvidas, daria numa manifestação mais cedo ou mais tarde. Mas tirar os partidos, a ideologia, as bandeiras da praça foi a mais infeliz besteira que esse movimento poderia fazer. E apoiado por quem nunca saiu às ruas e achava que isso era bonitinho. Faltaram a que aula de História para não saber como isso funcionava?
E não é porque a esquerda quer se apropriar do negócio. Quem é esquerda mesmo, quem tem história de luta nas cotas, quem enfrentou as baionetas do regime militar na força da voz e no braço, quem lutou pela construção da democracia para que movimentos Miojos como esses pudessem existir, não quer se apropriar dessa situação. Longe disso.
Só estamos preocupados como cidadãos, apenas isso, para onde ele vai, ou para onde o estão levando, cuja amostra já estamos constatando.
Porém, se o caldo ficar feio de novo, se a escuridão voltar a esse país, a gente pega daqui e faz como sempre fizemos, lutar pela democracia, pela inclusão social, por direitos e garantias civis. E, a saber, para todos, sem distinção de religião, sexo, partido, classe ou time de futebol.
Se achavam que estava ruim, se preparem. Bem vindos ao inferno!

Responder

Fabio

21/06/2013 - 08h55

Aí eu pergunto, o Brasil tem presidenta? se tiver, onde ela está que ninguém viu.
O País pegando “fogo” e a senhora presidenta sumida.

Responder

    jacó

    21/06/2013 - 10h03

    A idiotia faz parte destes mediocres de direita eles já cansaram só quem pode governar esse país é uma presidenta que tem compromisso com o POVO que é do POVO e que tem o apoio dessa enorme nação de 200.000.00 de Brasileiros esses coitados ao não mais aparecer nas suas próprias telinhas deixaram de frescura e voltaram a ociosidade pois são inerete e preguiçosos como todo almofadinha da direita.

Rodrigo

21/06/2013 - 08h41

Será que é tão difícil entender que grande parte da população está é de saco cheio de politicagem em geral?PSDB, PT, PSOL, PMDB, DEM, estão todos no mesmo saco, na visão de grande parte da população.

Parem com essa paranoia de que todos estão contra a esquerda e planejando um golpe de estado à la 64. Se aparecerem bandeiras tucanas por lá podem ter certeza que serão queimadas também.

Responder

    Niterói RJ

    21/06/2013 - 11h18

    Pelo jeito, temos aqui mais um defensor da política sem partidos!!! Isso não existe, amigo. Só em uma ditadura, que, infelizmente, no fundo (nem tão fundo assim), é o que pessoas como você desejam. Discuta alternativas…não fique apenas repetindo essa ladainha de que estão todos de saco da política. Se estão tão indignados, porque continuam votando nos mesmos caras? É que dá trabalho se politizar, né?

    cidadão neutro

    21/06/2013 - 12h26

    Ninguém quer que os partidos acabem, querem que tenham ideologia, que expulsem as laranjas podres de TODOS os partidos.
    Que tenhamos esquerda, direita, centro… somos uma DEMOCRACIA!!
    Foi dado um voto de confiança ao PSDB, a coisa foi boa apenas pra classe média alta e ricos,
    Foi dado chance para o PT, melhorou a vida dos pobres, e a classe média? eu não ganho 1 real de subsidio para comprar minha casa, pago imposto de renda retido na fonte- sou funcionário publico.
    Então isso é o movimento, apartidário no sentido de querer um Brasil DEMOCRÀTICO como MUITOS partidos discutindo ideias e implantando o que for melhor par ao povo, e as reformas a DILMA vai Fazer? o LUlA E O FHC NÃO FIZERAM?

Luiz Fortaleza

21/06/2013 - 08h33

MEU DEPOIMENTO NO FACEBOOK:
Desde 4 horas da manhã q não durmo. Preocupado com comentários de amigos do Facebook que replicam o discurso e a propaganda neofascista que infestou a internet. Já bloquei um ”amigo” pela forma desrespeitosa q me tratou em off, pq critiquei suas postagens incitando violência e golpe na democracia. O ódio político foi todo construído no decorrer de anos, cujo endereço chama-se meios de comunicação de massa das elites burguesas. Pessoas com cores ideológicas, seja partidárias, sindicais, ou de movimentos de luta específicos foram agredidos por nazi-fascistas de ultra-direita na Av. Paulista. Um intolerante comportamento nazi-fascista de um setor da classe média paulista. E Marilena Chauí tem razão: há uma parte da classe média paulista de perfil neofascista, de ultra-direita. Agora entendi,o porquê da construção do pânico inflacionário, do mote do tomate, etc. Um movimento de uma grande maioria de jovens vazio de ideias, de leituras sobre a historia do Brasil, desideologizados, despolitizados, sem ”nenhum” discernimento político e histórico do Brasil. Parece mais um oba oba e modismo, incitado pela TV. Com reivindicações genéricas, pueris, inexequíveis do ponto de vista objetivo. E a ultra-esquerda já está pagando pelo seu purismo político moralista, pelas suas análises puramente ideológicas, não dialéticas. Sendo agredida por grupos apolíticos e apartidários. Bandeiras do PCO, PSOL, PSTU e CONLUTAS rasgadas, queimadas. Eis o perigo do retrocesso, da ignorância política. Grupos pregando o fim da política, do partido, mas sem propor o que pôr no lugar, com discurso genérico e abstrato, acreditando que o pensamento massificado pode dar a solução. Triste muito triste ao ver colegas sindicais fazendo inconscientemente o jogo da DIREITA BRASILEIRA, ao expor propagandas conservadoras, fascistas mesmo. Comprando o moralismo político da direita brasileira, da REDE GLOBO. Pior, gente totalmente desinformada sobre os avanços e as estratégias de melhorar a educação e saúde, como se pudesse mudar tudo isso num passe de mágica. E há sinalizações para tal como % do pré-sal para educação. Visões estreitas, vontades apressadas ou voluntarismo político, discursos imediatistas, é que está dando o tom do comportamento da maioria das pessoas. Os apressadistas das mudanças histórico-sociais vão dar com os burros n’água. Não podemos construir palcos históricos para a DIREITA atuar e ser aplaudida. Tá na hora de uma trégua estratégica, no sentido, de não construir uma história que dê azo o retorno da DIREITA FASCISTA ao PODER. Uma esquerda desunida, é uma direita vitoriosa. Sei quem estava nos anos 1960-70 lutando e dando sua vida para derrubar uma ditadura, que pegou em armas, quem foram torturados, quem foram assassinados. Sei identificar esses personagens históricos. Deixemos o ranço ideológico de lado no campo das esquerdas, e sejamos mais dialéticos nas falas e ações. Um desabafo de alguém que não conseguiu dormir. Perdoem o pecado das minhas limitações políticas.

Responder

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h48

    Facebook, prezado Fortaleza. É hora de a moçada inteligente fechar o tal do facebook e abrir o azenhabook.

doutor natas

21/06/2013 - 08h27

manas e manos,
em bom e claro portugues: sturmabteilung. os nazinets estao constituindo as suas SA, com a diferenca de que os seus chefes ainda nao conseguiram sponsors para bancar seu hugo boss para desenhar o fardamento…

Responder

Antônio

21/06/2013 - 08h26

O QUE O EDUARDO GUIMARÃES PERGUNTA NUMA MATÉRIA DE UMA LUCIDEZ EXTRAORDINÁRIA É SE AS PATRICINHAS E OS MAURICINHOS DE BEVERLY HILLS VÃO DESTRUIR A DEMOCRACIA E COLOCAR O BRASIL DE NOVO NA IDADE DA PEDRA LASCADA

Vão? E nós não vamos fazer nada diante desse espetáculo deprimente? O objetivo está muito claro: com o beneplácito da mídia “nacional”, ou melhor, com o seu incentivo, a ordem é DEPREDAR. Depois eles vão argumentar que o governo perdeu o controle e exigir que um ditador de plantão salve o BraZil do caos. Aliás, já estão pedindo.

E nós, 200 milhões de brasileiros, 120 milhões de eleitores, que participamos no final de 2010 de uma eleição cheia de regras pré estabelecidas, e durante um processo violento de satanização de um partido político, o PT, que foi submetido a mais implacável perseguição política que já acontecera a um partido em toda história da república, vamos ficar acomodados em nossos sofás assistindo a este golpe televisionado? Ou vamos para às ruas lutar com paus e pedras, se for necessário? Afinal, os golpistas não estão danificando o patrimônio público e privado? Os zumbis golpistas não estão rasgando as bandeira dos partidos políticos e do Brasil, e comprometendo o futuro de uma geração inclusive ao determinar o que os brasileiros devem gostar de agora em diante em termos de esporte? Será o Cricket?

Será que uma nova geração, não de patricinhas nem de mauricinhos, vai ter que pegar em armas novamente? Vamos às ruas antes que uma situação extremada desse tipo se imponha. Vamos defender o BraSil que as patricinhas e mauricinhos tanto odeiam! Vamos à luta!

Responder

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 11h30

    E pior. Será que os brasileiros vão ter de recomeçar tudo do zero novamente?
    ________________________________
    Hoje há, quando menos, uma ponte que foi lançada. O Lula a lançou. O PT e aliados históricos e os abnegados de sempre a lançaram. Está aí, consolidada. Mas, ainda é só uma ponte. E não foi sequer inaugurada. Será que ela está na iminência de ser derrubada? Se assim o for, deus livre e guarde, não haverá “será nenhum neste mundo” que ponha em dúvida a previsão catastrófica de que, em lugar desta ponte, o maldito muro do apartheid social vai ser novamente erguido. Se assim for, não é difícil prever o inferno que se descortina, onde mais da metade da população acabará sendo forçada a penar no deserto social do radical neoliberalismo novamente.
    ________________________________________

    Lembro-me de um PT contra o culto à personalidade. Não estaria ele antevendo tudo isso?
    ________________________________________________
    Em tempo: a moçada vai voltar pro facebook. Parte significativa dela vai acabar por admitir que a ação dos vândalos foi a parte mais sensacional da festa. De igual forma, parte dela vai avançar no processo de politização. Muitos certamente já pegaram o gosto da coisa. Dizem que coçar e começar a fazer política é só começar. Mas, seja como for, o recado foi dado: políticos carreiristas, políticos profissionais, pseudo políticos a soldo de interesses socialmente injustificáveis, corrompidos, corruptos e CORRUPTORES de toda ordem, abram o olho, pois seu tempo está acabando!
    _______________________________________________________
    Fiquem por aí com esse discursinho medíocre de redução da maioridade penal; fiquem por aí com essa conversinha mole de maior escândalo de corrupção da História do Brasil; fiquem por aí alimentando o tudo [só] contra o PT, e, logo logo vão sentir o fel na boca ao ver nossa frágil e jovem Democracia sendo arrombada pelo fascismo a la golpe de [Joaquins]
    aríete.
    ___________________________________________________________
    Acorda Brasil! A corda, Brasil! A corda!

    abolicionista

    21/06/2013 - 12h25

    Caro Mário, a ascensão da direita é sempre imediatamente posterior à derrota de um movimento de esquerda. Há vasta literatura a respeito. Nesse sentido, era fácil prever que o fim do projeto desenvolvimentista petista (que possui limites evidentes, sejamos francos) seria seguido de uma ascensão da direita. Só que eu, como a maioria das pessoas de esquerda, pensava que essa ascensão fascista viria após uma crise econômica. Achávamos que isso demoraria mais tempo para ocorrer. Os partidos de esquerda pequenos, inclusive, como o PSol, pensaram que poderiam tirar proveito da amargura cega contra a democracia que pairava no ar e era retroalimentada pela mídia corporativa. Ledo engano, o fascismo é sempre uma explosão de impulsos agressivos de autoconservação. Por isso a estrutura ideológica de manifestações fascistas é sempre nebulosa, o aparato nacionalista cobre muito bem esse vácuo do desejo, que é o desejo por um ato de violência fundador. O fascismo tem raízes no mito sacrificial, ele procura refundar e renovar o estado de coisas por um retorno aos ideais heroicos. Contudo, para que esse retorno ao arcaico funcione, é necessário um ato grandioso, uma violência extrema capaz de “purificar” o presente. Trata-se de uma força muito poderosa e perigosa, uma besta-fera que iria despertar mais cedo ou mais tarde. Como a esquerda no poder não politizou o povo, a massa fascista tomou conta das ruas. Espero que, nos próximos dias, os ânimos se acalmem. Mas, ainda que isso aconteça, o fantasma do fascismo continuará conosco e poderá despertar a qualquer momento.

Pedro Lobato

21/06/2013 - 08h24

Datena ontem já estava conclamando o povo a refazer a constituição!
Que medo que dá de uma ditadura da direita.

Mas não se pode negar que todos os partidos políticos têm sua enorme parcela de culpa pela rejeição, já que todos se acostumaram na sua não-representatividade, e pouco fizeram para ser fazer representativos de verdade.

Dá medo, sou contra queimar e agredir os com-partido, mas esta história foi escrita pelos próprios.

Responder

Pedro

21/06/2013 - 07h55

Está na hora das pessoas de bem entenderem que todos querem participar e não ficarem paradas vendo a banda passar. Faz um bom tempo em que só se criminaliza os partidos políticos e movimentos sociais. Se a direita e a esquerda se unirem no bem para o país, poderemos construir um futuro mais democrático com mais participação popular, caso contrário, estaremos arriscando a ver um novo 1964, onde partidos políticos foram banidos bem como perdemos os nossos direitos democráticos e aí sim vimos a banda passar.

Responder

Vlad

21/06/2013 - 07h51

Politizado ou partidarizado?
Quem não é de partido é despolitizado?
Hmmmmm…brilhante.
Devia haver uma multa a quem não vota no partido ou não é, ao menos, torcedor de algum deles.

Quanto a não haver pauta de reivindicação, objetivos e lideranças e cronograma, etc, sugiro que sejam marcadas para este e o próximo semestre algumas prévias para eleger um colegiado consultivo e um colegiado executivo que, reunir-se-ão até o prazo máximo de seis meses para definir os pontos básicos do movimento. Tal prazo poderá ser prorrogado por mais seis meses por no máximo duas vezes, em caso de necessidade. Feito isso deverão ocorrer reuniões quinzenais (ver se conseguimos patrocínio da Petrobrás ou da CEF para fazer em algum resort) e consultas públicas, seminários, congressos e audiências ao final das quais vamos escolher alguns tópicos e submetê-los à apreciação do colegiado, e ao final de, no máximo 5 anos uns anos, teremos uma idéia dos objetivos, oxalá.
Aí, como estará encerrado o mandato do colegiado anterior, devemos eleger outro colegiado, no prazo máximo de 6 meses prorrogável uma única vez, para que retifique ou ratifique os objetivos e sejam então levados ao líder do Congresso, provavelmente Sarney Neto, e pedir-lhe o favor de apreciar as reivindicações.

Quer saber? VTC!

Responder

xacal

21/06/2013 - 07h41

A única coisa que brota espontaneamente das multidões sem direção é a violência fascista!

Responder

    Ted Tarantula

    21/06/2013 - 08h19

    É o nosso Béria..

    rodrigo

    21/06/2013 - 09h28

    É o dispositivo invencível dos generais do Jango…

    xacal

    21/06/2013 - 18h02

    ted, rodrigo e fortaleza, nem sabem como estou preocupado com a opinião de vocês.

    Olha, eu confesso, não sei o que seria de mim sem esta visão clarificadora que vocês têm a meu respeito!

    Obrigado, ó guias geniais dos povos! À benção meus líderes espirituais e intelectuais, elaboradores dos mais altos conceitos teóricos, e portadores da sabedoria que liberta!

    Luiz Fortaleza

    21/06/2013 - 09h00

    UM CORPO SEM CABEÇA…

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 09h56

    Defina o conceito, prezado Beria.
    Xacal, desculpe a brincadeira sem graça, mas… que a afirmativa ficou muito descontextualizada fico.
    _____________________________

    Não seria mais educativo ponderar que a violência fascista aí referida e conforme referido [e generalizadamente] apenas afloraria em terreno previamente semeado com semente da dita violência. E… indo diretamente ao ponto: qual o maior semeador de fascismo nos dias que correm? Por acaso a Rede Joseph GLOeBOells de Pseudo Jornalismo e Manipulação não teria muita coisa a ver com isso?
    ________________________________________
    Pela união das esquerdas, inclusive a democrática, cordiais saudações e Democracia Já!
    ______________________________________________
    Por um novo pacto social e político nacional;
    Pela superação definitiva do adubo das sementes da violência produzidas pelo capitalismo subdesenvolvimentista naZional;
    Pela desarticulação do golpe do mensalão inserido no universo violento do [tudo só] contra o PT.

    xacal

    21/06/2013 - 17h53

    Mário, vamos lá:

    os sentimentos latentes da violência fascista são atávicos de todas as culturas, em níveis distintos, principalmente pela vivência institucional e democrática de cada um deles.

    Nós temos um corolário deles em nosso baú, desde a escravidão (até hoje presente em nossas relações em alguns locais), racismo, violência de gênero, 40 mil mortes por assassinato por ano, violência no trânsito, violência policial, etc, etc, etc…

    O que previne ou define como este combustível altamente volátil (a violência fascista latente) vá se transformar em algo direcionado e politicamente definido, são várias circunstâncias, mas de modo geral têm um vértice comum: em todos os casos de florescimento do autoritarismo é a total desorganização das manifestações dos setores descontentes, que por várias causas (no caso específico nosso a ignição foi a cagada da PM paulista), e que uma vez deflagrados explodem de forma similar, seja no nazismo, na franquismo, na ditadura, salazar, pinochet ou a nossa.

    Em todos estes casos, um dos componentes primordiais e legitimadores destas inflexões violentas da História foi o movimento descontrolado das populações, como já disse, provocado por uma série de eventos, nem sempre articulados, mas que encontram neste grupo “oportunista” as condições ideais para angariar apoio a sua agenda.

    O fascismo, e outros sempre contaram com amplo apoio popular, ainda que, em alguns casos e eventos, boa parte seja resultado de medo (auto-defesa), mas na maioria das vezes, é a sistematização de uma espécie de sadismo social, que sempre esteve reprimido pelos valores que nós ostentamos: liberdade de expressão, distribuição de renda, justiça social, solidariedade, prosperidade (muitos) ao invés de riqueza (poucos).

    Minha frase é resultado desta reflexão: toda violência fascista brota dos movimentos sem direção!

    Um abraço!

    Vlad

    21/06/2013 - 10h05

    Sim…temos que direcionar o povo. O povo é um perigo.
    Para isso podemos usar cães pastores ou até outras espécies da família, como o canis mesomelas, mamífero irriquieto.

    Abolicionista

    21/06/2013 - 14h22

    É sempre bom lembrar que povo e massa são coisas distintas

Ozzy Gasosa

21/06/2013 - 07h37

O ódio nas ruas, destilada pela classe média (dos condomínios fechados) e por militares infiltrados agitadores.
O Golpe em marcha é para tirar a “corrupta” presidenta, o “demônio” do Michel Temer, o Renan, o presidente corrupto do senado, retira-se também o presidente da Câmara, a massa de manobra nem sabe o nome dele, mas é político portanto, corrupto.
E quem sobra? Quem?
O Joaquim Barbosa, o novo caçador de corruptos.
O líder, o puro, o que eles que no poder para moralizar o país.
A equação fechou, será que ninguém entendeu ainda?
O presidente do STF assume e nos braços do povo.
Tava tudo bem tramado desde o inicio.
O povo o colocou lá.
Veja a página do PMN (Partido Militar Brasileiro), mas sem ingenuidade.
Eles sabem de tudo, a Globo também.
Não precisa nem publicar esse comentário se não quiser, mas essa é a equação do Golpe nefasto tupiniquim.

Responder

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 10h44

    Golpe?!! Golpe, golpe mesmo, golpe com força, foi o golpe institucional à Paragaui, o golpe do mensalão. E fizemos o quê? Esquerda divida sempre dá nisso. Esquerda?!! Que esquerda é essa?!! Veja a história recente do Bob Freire, do PPPPPPPSSSSSS.

Jose Mario HRP

21/06/2013 - 07h36

A “grobo” papagueia que a manifestação é a maior que já houve no País, embora saibamos que de longe a “Diretas já” foi a maior e não foi coberta ou noticiada pela grobo!
Pior, a grobo patrocinava um evento tipo quermesse com tema na Copa das Confederações, no Rio, que foi totalmente detonado pelos bandidinhos pé de chinelo que acompanham os tais protestos “nacionalistas”.
Pois é, incita o que não consegue controlar!

Responder

trombeta

21/06/2013 - 07h34

De um lado, gente bonita, pura, famílias vestidas de branco, jovens sadios com a cara pintada, apartidários.

De outro, gente feia, suja e ruim com bandeiras vermelhas e de partidos de esquerda.

Isso tem nome: discurso fascista, fascismo.

Responder

    dennis

    21/06/2013 - 14h39

    Participei de 3 manifestações, quer dizer que agora todos são filhinhos de papais, classe burguesa… hummm sei … Os manifestantes de esquerda, tem cara que nunca pegaram um onibus na vida. Bem alimentados, bem vistosos, o é problema é o interesse. Sou de posição de centro. Se desde o começo a manifestação fosse com bandeiras de partidos, eu não teria ido.. aliás muito não iriam. A grande maioria que foi, são os que votam em nulo. Não acredita mais em conchavos, e muito do que vi em rasgar bandeiras…esta mais pra desabafo.. E disseram ai, que rasgaram a bandeira de movimento negro. Pura mentira!!!
    Que parecia que alguns eram de direita radicais …isso é verdade. Mas tb vi, estudantes de esquerda mandando adolescentes de heliopolis xingarem a policia.
    Enquanto ficar essa p..taria de brigas ppelo poder… o Brasil continuara essa m…

Avelino

21/06/2013 - 07h28

Caro Azenha e demais
O golpe está sendo televisionado e dirigindo os manifestantes.
Saudações anti golpistas

Responder

AlvaroTadeu

21/06/2013 - 07h23

Faltou dizer. Há algumas semanas, um boato de que a Dilma estava dando um presente de duzentos reais às mães do Bolsa Família em maio, tumultuou as agências da Caixa Econômica em todo o Nordeste, região mais beneficiada (e necessitada) do programa. A PF, no seu partidarismo radical, não descobriu nada. Apenas verificou que a tal empresa de telemarketing que tinha espalhado o boato era uma portinha em algum lugar perdido do país e não havia responsáveis. Aquilo foi um ensaio, um aquecimento para os protestos que viriam depois. Agora, a situação é gravíssima. Observemos o que virá na segunda-feira. Tudo indica que o movimento vai continuar, mesmo tendo perdido a bandeira da revogação do aumento das passagens de ônibus em São Paulo. Esse movimento já tem vida própria. Se continuar, defendo o estado de sítio, porque com ele ou sem ele, o golpe está prontinho. Quem vê isso como alarmismo, vejam que eu não botei a mínima fé nesse movimento. Parecia um pequeno grupo no centro da cidade. Cresceu, espalhou-se pelo país todo como uma onda hitlerista e está irresistível. Cair, pode acontecer, mas lutando, de armas na mão. Não dá para assistir a outro golpe “legalizado”. Não se esqueçam, o Golpe de 1964 foi quase todo dentro da lei, isto é, o presidente do Congresso Nacional declarou vago o cargo de presidente da República e “elegeu” indiretamente o General Castello Branco. Pisaram na Constituição, mas tinham o apoio de quase toda a imprensa e deram ares de legalidade ao golpe militar. Hoje, não há mais imprensaa livre, é toda pautada pelos mervais e pelas leitoas especialistas em Economia.

Responder

Jose Mario HRP

21/06/2013 - 07h05

Coroas de blaser, com ares de burgues tucano, eram comuns ontem na passeata na Paulista gritando ‘Sem partido”!
Uau! Tucanaram o movimento!
Os derrotados por tres eleições seguidas encontraram um novo ninho!
KKKKKKKKKKKKKK……..

Responder

Francisco

21/06/2013 - 07h05

O que foi atacado foi a liberdade de expressão política dos militantes.

Sobre a liberdade de ir e vir nem se fala mais.

No poder, proibiriam partidos?

“Defendo até a morte o seu direito de expressar suas ideias, ainda que divirja”, dizia Voltaire.

Voltaire é liberal, é democrata, é fundamento filosófico da liberdade de expressão burguesa.

Aguardo o editorial do JN e do Globo defendendo o direito da CUT ir às ruas.

Proibir sindicatos? Mau sinal!

Responder

AlvaroTadeu

21/06/2013 - 06h53

Carlos Altamirano, ex-secretário-geral do PS chileno, do mesmo partido que o Presidente Salvador Allende, escreveu um livro chamado “Dialética de Uma Derrota”. Nele, conta passo a passo como se deu o golpe de 1973 e de como Allende, um legalista, cumpria religiosamente a constituição chilena, enquanto os caminhoneiros paralisavam o país e os proprietários de terra se armavam e montavam exércitos clandestinos. Quando o comandante do exército chileno, General Carlos Prats foi assassinado, Allende nomeou o sucessor natural, o ultra fascista e traidor covarde Augusto Pinochet Ugarte. Pinochet deu o golpe e mandou bombardear o palácio. O resto, até as lideranças dessas passeatas, que vestem o uniforme de uma insurreição civil/midiática,sabem. Os elementos mais perigosos numa democracia não são os fascistas, são os ex-esquerdistas arrependidos. Prestem atenção na propaganda do PPS de Roberto Freire, incentivando o golpe e chamando o povo para a rua. A mesma inação de Allende e Jango está sendo apresentada por Dilma Roussef. Já estão falando até em impeachment e mais um mês neste clima, já haverá os Alvaros Dias, Aloysios Ferreira, Serra, Aécio, Alckmin e ACM Neto e outros, prontos para “salvar” o país. A Direita já aponta o dedo para Joaquim Barbosa, para suceder Dilma. Parece um texto do Teatro do Absurdo, mas faz sentido. Se impedirem a presidente e o vice, renunciarem os presidentes da Câmara e do Senado (não se esqueçam, ambos são do PMDB), a sucessão, constitucionalmente falando, cairá no colo de Joaquim Barbosa, presidente do STF. Joaquim é amigo do Merval Pereira, que recebe prêmios nos EUA pelo seu trabalho, digamos, “jornalístico” e foi eleito para a ABL tendo escrito um único livro, ofendendo o Presidente Lula, livro esse que foi um tremendo encalhe nas livrarias.
Quem estiver com o traseiro no sofá assistindo boquiaberto à Globo e GloboNews, é favor levantar-se e mexer-se. Depois, poderá ser tarde demais.

Responder

FrancoAtirador

21/06/2013 - 03h36

.
.
A MÍDIA BANDIDA SUBLIMINARMENTE OU DE FORMA DISSIMULADA

SUGERE QUE AS AGRESSÕES E DEPREDAÇÕES SÃO CAUSADOS

POR GRUPOS DE ESQUERDA E NÃO DE EXTREMA-DIREITA.

ELES ESTÃO PREPARANDO O GOLPE “ANTICOMUNISTA”.

(http://g1.globo.com/jornal-nacional/videos/t/edicoes/v/v/2646538)

Responder

    Cláudia Stefani

    21/06/2013 - 09h36

    Mídia bandida? Prazer, meu nome é Vi o Mundo que está fazendo isso que você aponta em seu comentário.

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 11h51

    Comunista? Que merda é essa Franco.Isso existe ainda? Onde, meu caro, onde? Conta aí que eu vou querer viver pra lá.
    ____________________________
    Abraços, sorte, te admiro muito, mas… não é hora de generalização. Bom, desculpe-me, mas é assim que penso sobre tudo isso agora.

    FrancoAtirador

    22/06/2013 - 01h52

    .
    .
    Bem, Mário,
    também passo procurando o comunismo
    em algum lugar e ainda não o encontrei.

    Mas o anticomunismo, ora travestido de antipetismo,
    está muito vivo na Classe Média tradicional brasileira.

    Apenas para ilustrar, vou dar um exemplo
    com um fato que ocorreu nesta sexta-feira:

    Uma menina de 16 anos,
    cursando o 3º ano do ensino médio
    em uma escola particular católica,
    afirmou-me, em tom de surpresa,
    que a professora de História e Sociologia,
    solicitou aos alunos da classe,
    todos nessa mesma faixa etária,
    a elaboração de um trabalho demonstrando
    “as semelhanças e diferenças
    entre o atual movimento de protestos no Brasil
    e… a Revolução Russa” [hã?!?].

    Bem, eu disse para a jovem
    que perguntasse à professora
    de História e Sociologia [hã?!?]
    se o consultor da matéria
    é o Marco Antonio Villa…

    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .

manifest

21/06/2013 - 03h14

Um sério e importante amigo meu, de grande confiança, acabou de me mandar o seguinte: – São quase uma e meia da manhã e acabei de chegar em casa aqui, e olha que moro perto do centro. A polícia tava por aí, batendo até agora, indo às forras em cima de qualquer um.
Participei das três últimas manifestações aqui no Rio e logo na primeira percebi o tom perigoso do ato, de modo que acompanhei as duas seguintes apenas como atento observador.
O número de provocadores de extrema direita é o maior que já vi em atos de rua….jovens musculosos escondendo o rosto com a popular máscara da vingança, articulados entre si, violentos, portadores de ódio. Reparei bem que eles sabiam o que queriam, em relação aos militantes de esquerda, estavam focados, partiam para cima do pessoal do PSTU e do PCB de forma orquestrada buscando intimidá-los pela violência, assim como também instigavam as pessoas, semeando a discórdia….reparei que no facebook essa discussão sobre o repúdio aos partidos era forte também, embora não me parecesse espontânea. Esses provocadores estimularam o ódio de forma organizada, tanto pela internet quanto no ato…essa raiva leviana foi disseminando como rixa de torcida…sentimentos pequenos envolvidos, o futuro de um grande país e de um grande continente envolvido.

Dava para perceber que o movimento sofria forte assédio de manipuladores. Os lobos cercavam o rebanho dos inocentes apartidários.

Agressão aos partidos, agressão a qualquer ideologia que não esteja limitada a abraçar o pavilhão nacional como gosta o MPL. A contradição é que tentam impedir o que eles mesmos pretendem: direito de se expressar. É sui generis um movimento que prefere caracterizar-se por cartazes com criativos aforismos e não pela enriquecedora batalha de ideias.

Nessa transição do virtual para o real, faltou maturidade a geração facebook para analisar a realidade objetiva e entender como lutar pelos seus direitos sem correr o risco de virar massa de manobra.

Pra mim o show de democracia acabou ali, quando os jovens usaram a força para afastar das ruas seus compatriotas que sempre estiveram nas ruas lutando, mesmo quando eram minoria no enfrentamento com a força policial… numa época que a turma do MPL não sabia sequer onde ficava a Rio Branco.

Na manifestação de hoje ficou claro que o MPL perdeu o protagonismo do movimento…ter insistido nessa baboseira de sem partido, de movto horizontal sem liderança, num contexto de politização precário, foi a crônica de um golpe anunciado.

Teoria da conspiração ou não, o padrão dos protestos pelos Estados semeiam suspeitas.

Se a Dilma não cair da Presidência, e há real possibilidade de que aconteça, terá que ao menos cair na real e cuidar da democratização da mídia para proteger as conquistas do povo brasileiro.

Responder

    Bonifa

    21/06/2013 - 08h14

    Infelizmente, amigo, prepare-se para o pior. Os movimentos de ódio que não tinham um cimento para se unirem, agora têm. Os fascistas estão com uma avenida iluminada aberta à sua frente, e sua marcha já é inexorável. E nos passeios, aplaudindo, vai estar o próprio povo brasileiro, que vai pensar que eles serão a grande esperança nacional para acabar com a insuportável violência cotidiana, com a impunidade escandalosa e com outras coisas de menor importância, como péssimos serviços de saúde e educação. Como sempre dissemos, a violência cotidiana está no topo deste golpe. E é estranho que nenhum canal de televisão fale nisso, tiraram a luta contra falta de segurança urbana do rol de reivindicações do movimento. A muito custo, conseguimos identificar nas imagens de um canal por cabo dois cartazes que diziam respeito à segurança, na multidão de São Paulo – Um, pedia paridade salarial com a polícia de Brasília, dizia mais ou menos isso: “Se querem polícia no padrão de Brasília, que paguem salários como os da polícia de Brasília”. O outro, dizia: “O Código Penal é lixo! É igual a zero.” A mídia não fala que estão protestando pela falta de segurança, de modo nenhum. Isso ocorre porque a falta de segurança, talvez estimulada por forças políticas no momento insondáveis, foi a principal causa da “nuvem de insatisfação difusa” que desembocou neste golpe que está galopando a passos largos. O Brasil da inclusão social e da independência internacional, talvez esteja começando a acabar, com sua imberbe democracia.

    Bonifa

    21/06/2013 - 08h38

    P.S. – É possível construir uma metodologia para medir os componentes da “nuvem difusa de insatisfação”. Se verá que a falta de segurança é mais de 50% na “nuvem”. Nem corrupção, nem falta de saúde, ou de educação, estimulariam a classe média à adesão maciça ao fascismo. E nenhum outro fator une tanto a classe média com o povão. O povão vai aderir ao golpe pela falta total de segurança. Os que administravam o país em seus vários níveis de governo, e não estavam esperando pelo golpe, subestimaram completamente o fator insegurança, desdenharam e menosprezaram o trabalho policial, talvez estimulados por conselheiros mal intencionados, trabalho este que deveria ter sido prioridade absoluta em quantidade e qualidade, e foi por aí que os promotores do golpe agiram.

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 09h18

    Seu relato confere com a escalda da ideologia da violência desenvolvida de forma articulada. O UFC massificado pela Globo cumpre papel, banalizar a violência e tornar “líderes”, “heróis” os que praticam a violência. Os que você descreve saem desses buracos, incitando a violência com seus músculos e aptidão desenvolvida para intimidar. As academias da violência foram endeusadas e glorificadas em uma estética da pancadaria que agora vai às ruas. A importação da estratégia UFC pela Globo para excitar as massas e seduzir pela violência agora ganha as ruas para intimidar e implantar o terror. Jovens pueris e ingênuos serão intimidados e massacrados pela violência real e perversa da ideologia dos UFCs cariocas e de todo Brasil. A ultra direita soube fazer seu exército de assassinos saírem dos octágonos e fazerem das ruas campos de morte. Diante disso a política é esmagada e sobra apenas a violência e intimidação.

    Flor de Ipê

    21/06/2013 - 12h43

    Pelas fotos se pode ver que há outros tipos oriundos de outras classes,
    e inocentes, se sentem autorizados pela “classe média’ a vandalizar.
    Se estão revoltados, e no caso, acompanhados da classe média, não serão presos, por que não vandalizar e (segundo sua cabecinha) exigir dos governos uma solução (mais que necessária???toi, toi,toi) para a sua pobreza?

    Esse é o grande desastre pós-baixa do passe: todos acharem que não precisam lutar, estudar, se sacrificar, concorrer, que o resultado será automático e geral.

    Mas (exemplo) mesmo entre os cotistas, em breve haverá concorrencia acirrada pelas cotas. Nesse sentido o tumulto é terrível para quem tem resultado. Não pode ser à força.Todos temos de passar pelo processo e dificuldade para chegarmos ao prêmio.Desculpem-me pelo comentário, pois eu sei que eu tenho muito mais condição de concorrer a emprego e etc. do que muitos, pela minha cor, por ter tido uma mãe educada, por ter nascido em propriedade da familia, ainda que pobre.

    Ophelia

    21/06/2013 - 10h46

    Final do túnel turvo…Muita lucidez em seu comentário. Obrigado pela contribuição e ajudar a formar uma opinião sobre os acontecimentos recentes.

jose carlos lima

21/06/2013 - 03h13

A corrupção é praticada antes de tudo pelos empresários que, quando recebem desoneração do governo, não repassam para o consumidor. Mas para o povão corrupção é coisa do Estado; Fico muito triste quando vejo que a situação Brasil afora é bem diferente da de Goiânia, onde praticamente todos gritavam Fora Marconi.

Responder

cristiane

21/06/2013 - 03h05

O golpe já aconteceu já era A mídia manobrou o movimento vamos ver como agora os golpistas vão rasgar a constituição eu desde o início sabia mídia martelando mentiras dizendo que tem Hiper inflação Faschobook produziu isso aí! MPL irresponsável dividiu a esquerda brasileira agora não tem força corre dos fachos NEO UDN NA PAULISTA! integralistas bradando palavras de ordem na tv PARECE A BATALHA DA MARIA ANTONIA em 1966 quando os faschos incendiaram o prédio e começaram a cantar o Hino nacional a plenos pulmões dando urros de amor a ditadura Iara Iavelberg estava lá e chocada viu aquilo após sair na porrada com os faschos, ela que em 1970 deu um lenço para a Dilma ao se despedir sabendo que ia morrer. Luta armada já!

Responder

MARINALVA

21/06/2013 - 02h15

NO BLOG DA CIDADANIA, UMA AVALIAÇÃO LÚCIDA DO EDUARDO GUIMARÃES

No começo da noite de quinta-feira (20), redes de televisão exaltavam a “beleza” de protestos violentos, ainda que mascarados de pacifistas, que, há quase duas semanas, esmagam o país com medo, incêndios, bombas, tiros, depredações, destruições de todos os tipos, mutilações e, agora, até com morte, como previsto aqui tantas vezes e tão inutilmente.

Todo o horror que se espalhou pelo país foi produto de exigência feita por um grupo de meninos e meninas embriagados com um poder imensurável que adquiriram em questão de dias e que pôs de joelhos um dos maiores impérios de comunicação do mundo e todo o resto do oligopólio comunicacional verde-amarelo, além de políticos, jornalistas e legiões de cidadãos comuns.

Muito poucos entre os que enxergaram o desastre que estava sendo construído tiveram coragem de denunciá-lo, intimidados por hordas de fanáticos que promoviam linchamentos na internet e até nos ambientes sociais e profissionais mais variados contra todo aquele que ousasse dissentir.

A maioria, porém, enxergou exatamente o oposto do que estava ocorrendo. E agora se espanta com o que estava diante de seus olhos e não viu.

Parece ocioso repetir o tamanho do desastre que se produziu no país algumas dezenas de horas após o Estado brasileiro, em suas mais diversas instâncias, ficar de quatro para pouco mais do que adolescentes mimados, que passaram a emitir ultimatos de que iriam “parar” cidades e depois o país se não fossem atendidos.

Por ficar de quatro, entenda-se as autoridades ignorarem todas as condições técnicas de orçamentos municipais e estaduais porque a garotada “não queria nem saber”.

Organizando manifestações de dezenas de milhares de pessoas mesmo lendo em sua página no Facebook as atrocidades que vândalos prometiam promover, um tal de Movimento Passe Livre assumiu o risco de colocar nas ruas hordas de jovens de classe média que têm tempo para passar 15 dias só se dedicando a “parar cidades” e, como se viu depois, o pais.

Algo que possa ser definido como “o povo” pode chegar todo dia, no meio da tarde, a praças públicas e permanecer nas ruas até a madrugada paralisando a vida de quem levanta cedo para trabalhar e, após extensas jornadas laborais, ainda enfrenta outro tanto em salas de aula?

Não a grande maioria deste povo. O brasileiro trabalha duro. Não tem tempo para isso. Nem que fosse por uma causa concreta e racional conseguiria fazê-lo. Temos que sobreviver.

Parece ocioso relatar no que deu o Estado, as autoridades, enfim, a República ficar de quatro para essa criançada e seu novo brinquedo: o poder. E não um poder qualquer, mas um poder discricionário que, após humilhar e impor caprichos a autoridades e aos Poderes constituídos, arrogou a si o direito de impedir liberdades individuais.

Relatei, no primeiro dia útil desta semana trágica, como os “manifestantes pacíficos” passaram a decidir quem poderia ocupar o espaço público usando uma roupa ou portando um símbolo de partido político como bem lhe aprouvesse. Sobretudo sendo de um partido em especial, que, nos dias seguintes, passaria a ser a Geni da República: o Partido dos Trabalhadores.

Na segunda-feira, vi, a centímetros de meu corpo, a única pessoa humilde de verdade em um agrupamento de milhares de pessoas ser atirada ao chão, chutada, agredida, insultada. Uma garota negra de nem 1,6 metro de altura e pesando, no máximo, uns cinquenta quilos.

Por que? Por usar uma camiseta vermelha e portar uma bandeira do mesmo tom com a sigla de seu partido.

Legiões de garotos e garotas se encantaram pelo clima de “Queda da Bastilha” e pelo poder discricionário recém-adquirido, estimulado por impérios de comunicação e por partidos político ditos de esquerda.

Esse conclave, mesmo após ter suas exigências atendidas, inundou as ruas com fascistas de ultradireita que bem sabia que levaria consigo, pois os via postando sua truculência em frases na internet que mais se assemelhavam a hieróglifos, de tão ininteligíveis em nosso idioma.

Agora, com a República de quatro, como sempre ocorre com o fascismo – e como se tornou pior com o fascismo infanto-juvenil – o tal “passe-livre” (para o caos?) passou a determinar até que cor de roupa as pessoas podem usar na rua. E o vermelho-PT foi “proibido”.

A pena para quem ousasse desafiar o desígnio dos novos donos do país? Espancamento, no mínimo.

Um amigo fraterno, militante da CUT, assim como a Central Sindical e o PT acreditou ainda viver numa democracia e foi com um pequeno grupo à manifestação da avenida Paulista e lá, assim como no resto do país, foi espancado juntamente com seus companheiros, alguns dos quais foram parar no hospital.

Enquanto isso, cerca de cem cidades brasileiras tiveram, cada qual, seu quinhão de ditadura infanto-juvenil. Petistas, sindicalistas, sedes do PT, todos foram atacados nas maiores, nas médias e até em pequenas cidades por usarem a cor ou o símbolo de suas organizações.

A mídia, que num primeiro momento sentiu medo daquelas crianças armadas de tanto poder, vendo possibilidade que tanto almejou durante a última década para destruir um grupo político ao qual se opõe e não consegue derrotar nas urnas, passou a estimular que as massas descontroladas fossem às ruas, em seguida passando a minimizar o caos resultante, atribuindo-o a “pequeno grupo” que, de tão pequeno, conflagrou um país continental de ponta a ponta.

Como não podia deixar de ser – e estava demorando –, veio o primeiro cadáver.

Ao fim da noite, os telejornais, após todo o caos, toda destruição de palácios, espancamento de pessoas vestidas com cores ou portando símbolos proibidos sob o mote do tal “MPL” que proscreveu partidos políticos das ruas ocupadas, comemorava.

O semblante de alegria midiático se acentuou com a notícia veiculada pela rádio CBN de que o Brasil poderá ser punido se a Copa das Confederações não puder ser realizada até o fim por aqui devido à convulsão social desencadeada por crianças armadas de bombas atômicas.

Melhor que isso, para a mídia que atirou o Brasil em duas décadas de ditadura, só se a Copa do Mundo no país for cancelada, fazendo com que amargue prejuízo financeiro e de imagem irrecuperável, sem falar na crise econômica que a conflagração deverá render, pois as expectativas sobre o futuro pioraram muito em míseras duas semanas.

Ao fim da noite fatídica de quarta-feira, o mesmo movimento que atirou o Brasil em um processo que se espera que a maioria silenciosa saiba repudiar – até porque não aguenta mais –, horrorizou-se com sua obra e, em protesto contra si mesmo, abandonou a manifestação na avenida Paulista. Indignado.

Responder

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 02h41

    Dolorosamente real. Estamos em pelo terror incitado não pelo Estado, mas por grupos civis e pela Globo e canalhas. O niilismo dos ” sem ideologia” , dos “sem partido” , dos “sem liderança” está por matar a política, a história e o humano.

    Mardones

    21/06/2013 - 08h49

    Foi o PT que pensou que poderia abrir mão de sua história de lutas e curva-se a uma governabilidade insustentável. Pensaram os ‘progressistas’ que o golpe viria do PIG, depois do judiciário, só esqueceram que a governabilidade do PT-PMDB e quase todo-mundo criava um espaço para mais manipulação da opinião pública e mais acumulação capitalistas. Deu no que deu.

    O PT deve colher o que plantou. Ou então, chama o mercado para defender a governabilidade.

    Gabriel Braga

    21/06/2013 - 10h15

    Assustador tudo isso.

    Infelizmente os pequenos avanços que o país teve desde 2003 estão sob ameaça.

    A história de 1964 se repete.Toda vez que o povo almeja uma melhor distribuição de renda a direita sem voto apela.Naquela ocasião os militares fizeram o trabalho sujo.Em 2013 quem será?O STF?Talvez.

    O pior é que tudo isso foi está sendo alertado há muito tempo.O PT promoveu a ascenção social de milhões de pessoas sem se preocupar em politizá-los.

    O PT nunca se preocupou com a batalha das comunicações.Quem não se lembra que a própria presidenta Dilma disse que o melhor controle no que se referia a mídia era o remoto?Taí no que deu.A mídia golpista percebeu que o movimento estava sem direção e lhe deu um discurso.O discurso de contra “tudo isto que está aí”.E esse “tudo isto que está aí” é direcionado contra o governo federal.

    Será que essa moçada do MPL não estudou a história?Mussolini e Hitler também eram apolíticos.

Armando do Prado

21/06/2013 - 01h40

Claro que a direita e infiltrados estão nas ruas e buscam instrumentalizar o MPL, mas daí falar em golpe ou assalto ao poder vai uma grande distância. Concordo que o MPL deve recuar e sair das ruas para (rea)avaliar toda sua estratégia.

Responder

fernanda

21/06/2013 - 01h30

Eu sabia há muito tempo que o Brasil seria o alvo, diante da união dos países da Amércia Latina. Porque o país é o que está levando os outros junto, começou a ficar muito arriscado deixar ir em frente… só isso…Esse movmento foi articulado ha muito tempo, esses guris foram usados, tinha gente na interent ha muito que eu via, em sites onde se dscutiam assuntos do país, e eu via que eram fakes, leiam o que o Paulo AMorim publicou agora, alguém que teve contato dom o tal Anonymous. Eles estão nas redes sociais há tempo , são os cabo Anselmo da hora, e a Cia deve estar metida nisso até o pescoço. Infelizmente, veio mais cedo do que eu pensava… agora, gente, eu to ferrada com tanta coisa que já disse por aqui e no face. E eu que ria quando um amigo dizia que iam me prender…

Responder

    Ted Tarantula

    21/06/2013 - 08h24

    vc sabia???????? e pq nao nos disse nada???

Antônio

21/06/2013 - 01h27

OS CARAS DEPREDARAM UM VEÍCULO DA FIFA? É ESPANTOSO!

E eu fui ver o número de eleitores que existem hoje no Brasil: aproximadamente 126 milhões. Isto significa que pelo menos 120 milhões participaram da última eleição. E eu pergunto: um milhão que vão às ruas dizem que não querem nenhuma interlocução com os partidos políticos? Quantos desses manifestantes votaram na Dilma? Ou no Serra? Ou na Marina?

E qualquer manifestação de rua não e um ato político?. E porque esse ódio aos partidos políticos ou pelo menos a um deles, o PT? A quem as lideranças dos manifestantes vão encaminhar as suas justas reivindicações? À Dilma, à Marina, ao Serra ou aos saudosos torturadores da última redentora que falam sobre suas torturas, à Comissão da Meia Verdade, com a maior desenvoltura e certeza de uma impunidade absoluta? Eu nunca pensei que Hitler e Mussolini estivessem tão vivos no inconsciente coletivo.

Responder

    renato

    21/06/2013 - 01h46

    Antonio, este pessoal, estão falando por todos os 126 milhoes.
    Falam tudo o que vem na internet, não falam nada do que vem nas escolas.
    Tem alguem que não tem partido, e fala como eles, de tudo um pouco, quer um pouco do PT, outro do PSDB, e assim por diante. Sabe de quem falo..
    MARININHA….super bem ascessorada agora pelo Itau e a Igreja dela.
    Quero ver como vai ser o vinda do PAPA…Não por ser o PAPA mas por ser Argentino, e a Globo não gosta de Argentino..Lá eles tem lei de medios.

Liz Almeida

21/06/2013 - 01h24

Olha, na minha opinião, certas coisas que os blogs progressistas estão divulgando também ajudam ‘o golpe’.

Qualquer grupo que estivesse lá com bandeiras políticas, sofreria a mesma reação.. se fosse PSDB, DEM, seria a mesma coisa; mas quando blogs como este divulgam como se todos que criticaram a passeata de esquerda, fossem pessoas ‘da direita, ajudam a criar esse clima, e isso não é nada bom.

Não vamos dar os subsídios que os golpistas (principalmente globo) estão querendo…

Responder

Edvaldo

21/06/2013 - 01h03

Um por todos e todos por um.
Que este policial sirva de exemplo para seus companheiros, e espero que muita gente de apoio a conduta dele para que ele não seja mandado embora.
https://www.youtube.com/watch?v=NKcxbQixrrA

Responder

José X.

21/06/2013 - 01h01

E aí, esses irresponsáveis que chamam essas manifestações não vão ser responsabilizados ? E quando morrer alguém, como é que vai ficar ?

Responder

    renato

    21/06/2013 - 01h57

    Já morreu , um jovem foi atropelado e morreu em S. Jose do Rio Preto.
    Mas….pergunto quantas moças foram estrupadas, quantos assassinatos, quantos roubos, latrocinios, roubo a lojas, destruição de patrimonio pessoal, como lojas, que não reabrirão e que terão que mandar gente embora.
    quebraram só lojinhas em porto Alegre.

    E a POLICIA, não pode fazer nada, todos pareciam BANDIDOS, isto é muito triste…E pior não sentaram com nínguem para conversar , mesmo tendo canais abertos. Esta “JUVENTUDE”, ou ” DIMENORTUDE”, vai ter que carregar estas buracos deixado pára tras.
    Eu sinto vergonha… Queria ter ficado cheio de orgulho, e ainda assistido o jogo.
    Quem sabe me vestindo de azul e branco com estrelinhas e carregando a Aguia da Vitoria na mão, eu não fique bem…?

xacal

21/06/2013 - 00h54

Este é o preço pago pela estranha mistura que assola os governos e os militantes de esquerda.

A total aversão a legitimação dos métodos de arrecadação de informação e mapeamento das potenciais ameaças, como se o fato de acreditarmos que só fazemos o que entendemos ser o melhor para a população seja suficiente para evitá-las.

Será que ninguém no planalto leu Sun Tzu?

Vai ter que aprender a duras penas, ou seja, vamos ter que trocar o pneu com o carro andando!

Situações extremas, medidas extremas! Uma presidenta e um país não podem ficar encurralados ou parados por algo que sequer se identifica ou se define.

MPL deve ser colocado de lado, já levou o que queria, e já deu chance a esta cagada toda.

Só tiveram força para encurralar os partidos de esquerda desde o início, mas os vândalos passeavam livre, leves e soltos.

Repito: diante dos fatos, a atuação tem que ser cirúrgica, com extremo vigor e implacável.

Se for o caso, exército nas ruas, não tem que ter tabu! São os civis de agora que têm que determinar isto, não podemos esperar que se sintam seduzidos a ouvir os fascistas!

E não há vácuo: senão tivermos coragem, alguém terá…

Responder

    Marcos Rocha

    21/06/2013 - 01h35

    Azenha

    Vai deixar esse fascista conclamar um golpe militar bem aqui no seu blog?

    Matar? Monitorar manifestantes?

    Que é isso?

    _________________________

    Se 30 mil pessoas vão a um jogo de futebol e 30 delas brigam na rua, há que se generalizar dizendo que todos são vândalos???

    Hoje 1 MILHÃO de BRASILEIROS saíram às ruas tendo algo a dizer e vc acha que o governo, ao invés de dialogar, tem que bater e prender???

    xacal

    21/06/2013 - 07h53

    É justamente este tipo de ingenuidade(será) que levou Allende ao suicídio em 1973 ou ao golpe de 64.

    Uma minoria estridente, um bando de outros idiotas indo à reboque(sem saber do que) e as elites esperando a hora certa.

    Fascista, eu?

    Eu nem vou perder tempo de responder a tamanha estultice.

    Eu sei, meu caro, que toda conquista, todo avanço democrático, todo progresso da Humanidade(e não aspectos meramente formais do capitalismo)têm que ser vigiados e protegidos do assédio permanente das classes que se opõem a melhoria de vida da maioria.

    Se você chama isto de fascismo, ok, eu não me importo co rótulo, estes são para comida!

    Mas se eu tiver que defender aquilo que construí em 25 anos de militância, e que sempre esteve dentro das regras institucionais, agora ameaçadas por brucutus e “polianas”(como você) não tenha dúvida, desço a porrada!

    Só estou esperando o comando da presidenta, porque quem age sem direção são, estes sim, os fascistas!

    Ted Tarantula

    21/06/2013 - 08h28

    O Xacal é policia..ele mesmo nunca escondeu isso..

    xacal

    21/06/2013 - 10h22

    Pois é, nunca escondi. Mas esta é só uma parte de minha história, que você, como se quisesse impingir mais um julgamento deturpado, mais uma redução simplista, deseja vincular a função policial com incapacidade de defesa da Democracia, ou de militância política.

    Na polícia eu pude perceber (e abomino) o que a opinião pública, o tal de clamor das ruas, faz em interrogatórios (sempre dos mais pobre e dos mais pretos), o que a chamada classe média nutre de ódio por tudo que é público, cumprimento da lei (só serve a lei que lhes favoreça).

    Não acho que temos que ter medo do Xacal na polícia. Perigo mesmo é você entrar em uma instituição destas.

    E em caso de algum golpe, com certeza, você será aquilo que chamamos de X-9, um tipo de ted cabo anselmo.

    Mário SF Alves

    21/06/2013 - 12h28

    E daí? Antes de tudo ele é um companheiro cujas posições e capacidade de entendimento da realidade só tem feito bem aqui no Blog. Onde está o problema aí? Eu, mesmo, jamais neguei a importância do Viomundo na minha educação política. Portanto, desarmemo-nos. Ou melhor, desasnemo-nos.

xacal

21/06/2013 - 00h40

Dilma não pode mais hesitar.

Acabou a farra, é estado de sítio, toque de recolher e porrada e cadeia em quem desobedecer.

Democracia também se defende com uso da força. Não se pode arriscar o avanço que beneficia milhões por causa de 100 ou 200 mil mimados e débeis mentais que imaginavam que poderiam fazer um movimento sem direção manter-se nos eixos.

Sem direção não há controle, e quem se aproveita da ausência de controle é o fascismo!

Tem que “passar o carro” logo, antes da eleição, identificar todo mundo e monitorar daqui para frente…este é o preço da luta que travamos desde 89.

Não era o que desejávamos, mas não fomos nós que começamos.

porra, então meu voto não vale mais nada, porque um bando de cretinos decidiu que o sistema representativo não vale mais nada?

Mas agora, que nós estamos no poder e fazendo este país um lugar decente? E antes? Era o quê?

Repito: tem que fechar agora, e não ter medo de sujar as mãos!

Responder

    francisco pereira neto

    21/06/2013 - 01h47

    Fiz a pouco no Caf comentários nessa linha.
    Já passou da hora Dilma fazer um pronunciamento em rede de TV e Rádio.
    Quem quiser dialogar com a presidente que se apresente como representante dos movimentos de forma democrática. Os representantes do MPL, ao que parece, se apresentaram com os governantes Haddad e Alckmin. Conseguiram o que queriam. E o resto? Quem são?
    A Folha com o seu editorial fascista exortando a PM a baixar o cacete nos manifestante, voltou atrás. A Globo com o não menos fascista Arnaldo Jabor, após seu comentário idiota, também voltou atrás, pedindo desculpas com a maior cara-de-pau do mundo.Perceberam que era a chance de insuflar a massa sem liderança e defender o que lhes interessa.
    Como você Xacal, eu pergunto: E o meu voto, não vale nada?
    Estão pedindo Reforma Eleitoral. Tenho certeza absoluta que 99,99% não sabem que a PEC do deputado Henrique Fontana do PT do RS morreu no nascedouro- Câmara dos deputados.
    Porque essa turma, até ontem, sem liderança (agora já tem o PIG e a oposição) não vão às ruas protestar como as grandes fortunas da Globo, Folha, Estadão, Abril e os agiotas do mercado financeiro, Itaú, Bradesco, Porto Seguro, Natura, as grandes empreiteira… conseguiram amealhar bilhões de dólares?

Virgulino

21/06/2013 - 00h40

Triste mesmo! Tudo indica que vamos ter mais uma “marcha da família”. Só que desta vez é a Marcha dos Caretas com Iphone pela…. Não-Sabemo-O-Que-Exatamente-Mas-É-Contra-Esses-Politico-Corrupto. Agora só resta torcer pra não ter a marcha da ‘vitória’.

Responder

Luís Carlos

21/06/2013 - 00h30

Os direitos políticos assegurados pela Constituição Federal, como a filiação partidária estão sob franco ataque. A Constituição Federal já esta sendo atacada sem deixar dúvida. As perseguições a quem pensa diferente e se posiciona partidariamente e ideologicamente já estão em curso. Já vimos isso antes e está acontecendo de novo. A intolerância política está de volta.

Responder

    xacal

    21/06/2013 - 01h12

    Luis, a Constituição e a liberdade de expressão e de filiação só vão ser restauradas com uso da força. Não há mais jeito.

    Talvez este seja o momento para mostrarmos, de uma vez por todas, que não estamos para brincadeira.

    Na minha opinião, é matar ou morrer!

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 02h22

    Não dormi. Estou sem sono e tentando rever o momento e contexto.

Messias Franca de Macedo

21/06/2013 - 00h28

ATENÇÃO, BRASIL DE VERDADE!

Duas receitas infalíveis para derrubar o golpe em curso;
# avisar ‘a rapaziada protestante militante’ que ‘os peixes’ lá da ‘Gaviões da Fiel’ foram avisados de que a próxima pauta dos revoltosos é embargar a construção da [suntuosa!] Arena do Itaquerão;
# o molho para temperar o prato (sic): informar que o escroto deputado (In)Feliciano “vai aprovar a Lei” que acaba com todos os times de futebol do Brasil, do Corinthians ao glorioso Ibis de Pernambuco, passando pelo Flamengo e, óbvio, seleção brasileira! Segundo o autor da Lei, o dinheiro economizado será revertido para as obras assistências dele &$ do Silas ‘MalaFALSA’!…

E VAPT VUPT! E vamos economizar balas de borracha – e spray de pimenta, para dar um sabor melhor ainda de vitória!…

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO (depende de nós enquanto ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

cristiane

21/06/2013 - 00h25

Parabens Mpl o que vão fazer agora vão ter culhão de ir pra luta armada?
Chile 1973: Allende sofria oposição do MIR que o considerava moderado a classe média chilena começou a boicotar o Allende em meados de 1972 escondiam mantimentos para a população não poder comprar depois o MIR se arrependeu mas era tarde.
Brasil 1964: Presidente Jango começa a ser emparedado pela esquerda radical a direita começa a falar em baderna corrupção etc Jango ao contrário de Allende não resistiu decidiu deixar o Pais a esquerda que criticava Jango foi derrotada junto com ele.
Brasil 2013: mídia apoia manifestantes que se dizem apartidários A marcha com deus pela liberdade 2.0 O MPL já era! viraram joguete da direita igual o PCB EM 1964 que jamais imaginava que jango iria cair A mídia tentará dar legalidade ao golpe será mais sofisticado que em 1964 será no estilo Paraguai. quem vai para a luta armada agora? a classe média fascista do Brasil? meu pai um reaça daqueles esta adorando as manifestações isso é sinal do que? já chorei muito hoje! não posso acreditar que quase 50 anos depois tudo esteja se repetindo como num filme de terror. a presidente DILMA NÃO TEM MEDO DA MORTE ELA FOI TORTURADA NA JUVENTUDE APENAS UMA SAÍDA : SUICÍDIO!

Responder

    ccbregamim

    21/06/2013 - 01h52

    qué isso, companheira…
    calma.
    um passo depois do outro.
    tá todo mundo se ligando.

    sai do golpe juventude!

    cristiane

    21/06/2013 - 02h14

    Camarada a esquerda brasileira sempre foi muito ingenua agora já era! temos que organizar a luta armada!

sandro

21/06/2013 - 00h23

corrigindo: habitat natural..

Responder

sandro

21/06/2013 - 00h20

Não estaria na hora de pensar na marcha pela democracia?
Estive na segunda e na manifestação do Lgo. da Batata, á diferença
entre participantes era gritante. Por experiência: Neo nazis só se
manifestam em concentrações de jovens de classe média-média, jamais
atuariam na periferia pois não é seu habitar natural. A oposição
que fique esperta isso é coisa de extrema direita usando os “caras
pintadas ” globais de escudo.
,

Responder

Leo V

21/06/2013 - 00h19

“A existência de partidos fraciona a nação, e a política é o reino da divisão do povo”

Benito Mussolini
Ditador fascista

Responder

Messias Franca de Macedo

21/06/2013 - 00h19

*MORADOR DA CIDADE DE SÃO PAULO RELATA MOMENTOS TERRÍVEIS SOB A ÉGIDE DA SELVAGERIA E DO FASCISMO!

LÁ VEM O MATUTO QUE SENTE CHEIRO DE GOLPE DESDE O DIA EM QUE NASCEU EM **PINDORAMA!

**Significado de Pindorama:
Etimologicamente, quer dizer, em tupi-guarani, terra de papagaios. Designação dada ao Brasil pelas gentes andoperuanas e indopampianas. O jornalista e escritor Elio Gaspari, em seus artigos no jornal “O Globo”, usa muito este nome quando quer, de forma irônica, se referir ao Brasil.

Prezado *XAD, são esses bárbaros que empunham o cartaz hipócrita: ‘SEM VIOLÊNCIA!’ São os mesmos e as mesmas “cheirosos(as)” e ‘cansado(as)’ frustrados, entre outras coisas, porque o ‘Joaquinzão Coitado do Ruy Barbosa’, o prevaricador Robert(o) Gurgel e o Gilmar Dantas não entregaram o pacote completo: a farsa do MENTIRÃO não permitiu que José Dirceu e José Genoino fossem esganados vivos em praça pública – com direito à filmagem com o celular do Gerson Camaroti, para deleite do MERDAL, da simpática Renata Lo Prete, da Cristiana Lôbo [de Raiva], dos a$$a$$ino$ de reputações a $oldo dos Civitas…

… Quando a sociedade perceber o que está, verdadeiramente, em jogo a palhaçada golpista/terrorista/antinacionalista acabará por efeito da gravidade!…

Felicidades!

Hasta la Victoria Siempre!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO (depende de nós enquanto ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Lucas L

21/06/2013 - 00h13

Acabo de chegar das manifestações em Campinas. Completamente decepcionado. Explico-me: A princípio, ver toda aquela gente mobilizada, caminhando pelas ruas da cidade, foi algo de muito bom, revigorou não sei que espírito de união, luta, etc. Mas quando começaram a cantar “Eu, sou brasileiro, com muito orgulho com muito amor” seguido do Hino Nacional, fiquei preocupado. Depois começaram os gritos contra a presidenta Dilma e a corrupção… Fiquei chateado de não ver nenhum grito contra o capitalismo, contra um sistema falido de poucos para poucos quando bradavam contra a corrupção. Não. Seguiam as associações fáceis e superficiais de “Mensalão -> Corrupção -> Dilma -> PT”. Não escutei nenhum grito referente ao preço dos trasportes públicos!
A primeira briga que presenciei, na escadaria da prefeitura, foi entre um desses homens grandes bombados de acadêmia (branco, diga-se de passagem) e um menino (negro) que estava andando com anarquistas ou punks, não pude identificar na hora. Escutei a primeira bomba de efeito moral sendo jogada próximo às escadas que dão de entrada para a prefeitura. Após isso, começaram a voar rojões para dentro da prefeitura, onde os policiais estavam concentrados, disparados pelos manifestantes. E assim foi. Um grupinho ficou brincando de medir forças com a polícia na prefeitura enquanto o restante da manifestação (que não foram poucos!) ficou afastada, somente nas mediações, correndo aqui e ali das bombas de gás lacrimogêneo que a PM jogava sem critérios nenhum, com seus gritos que mais pareciam guiados por representantes da Veja, Globo, Folha, PSDB, DEM… Devo fazer justiça ao pessoal do DCE da Unicamp e PUC-Campinas que conseguiram escapar – às vezes – dos gritos manjados pelos caras pintadas com cores da bandeira nacional (isso quando não estavam enrolados de corpo inteiro na bandeira). É… Poderia ser bom. Poderia.

Responder

    Flor de Ipê

    21/06/2013 - 12h49

    Campinas descobriu uma corrupção milenar, que os avisados já tinham descoberto antes do Dr. Helio, e Dr. Helio aontinuou sem denunciar ou teria se aproveitado. Ninguém marchou. As dondocas não marcharam.
    Nunca houve um movimento em Campinas sem se partidario.

    Depois elegeram Jonas Donizete, quando poderiam ter elegido Pochman.

    E agora isso?????? Cidade de pessoas loucas e reduto quercista. Tem história,pois.Uma história má.

Luiz Clete

21/06/2013 - 00h10

O que me deixa pasmo é que o golpe será aplicado sem o PT reagir outra vez e como sempre. Estamos pagando pela “profissionalização” do partido. Pagando por substituir a militância pelo dudu mendonça. Pagando por entregar para a bancada evangelica a CDH. Pagando por entregar o governo para a direita, que não foi eleita para governar, em nome da governabilidade. Estão queimando com as bandeiras vermelhas o Brasil e a America do Sul, que, logo em seguinda, será anexado como o novo estado americano através do ALCA.

Responder

Árley

21/06/2013 - 00h04

Depois da “vitória” de ontem foram comemorar em um apartamento de alto padrão na paulista, dizem que a baladinha foi até altas horas. Eles deixaram de ganhar quando insistiram nos manifestos sem controle.

Responder

Igor

21/06/2013 - 00h01

Tristeza. Só não entendo como a presidenta tinha 75% de aprovação, o seu governo em torno de 60% e de uma hora para outra tem um movimento desse que não foi percebido? Acho que o PT vai perder essa….Acho que vai voltar um governo de direita, só espero que essa juventude que fez essas passeatas consigam seus intentos, porque são conseguirem, será que voltam para as ruas com o mesmo ímpeto? Sei não.

Responder

    ELG

    21/06/2013 - 02h17

    Quem está na rua NÃO representa a maioria dos brasileiros: eis a questão.

Marcos Rocha

20/06/2013 - 23h53

Estive na manifestação desta quinta-feira aqui em Jundiaí. Foram cerca de 10 mil pessoas.

Até a hora em que deixei o movimento (cerca de 21h), não havia qualquer vandalismo, ainda bem.

Pelo contrário: tinha uma moçadinha muito ordeira, embora ativa. Estudantes secundaristas em sua maioria; vários professores; servidores públicos do Judiciário e da Prefeitura; aposentados.

Havia pessoas com crianças em carrinhos de bebê e outras passeando com cães.

Cantamos o hino nacional por diversas vezes.

A pauta foi – ao que me pareceu – nessa ordem:

– Contra corrupção;

– Menos copa e mais investimentos em educação e saúde;

– abaixo o Feliciano (havia muita gente do movimento gay na manifestação. Aliás, foi a única bandeira admitida: a do arco-íris).

– contra a PEC 37;

– contra o Renan.

Honestamente, ninguém gritou fora Dilma ou o PT. Mas bandeiras partidárias não seriam admitidas. Às vezes tinha um burburinho sobre alguém que teria entrado com bandeiras de partido, mas eram apenas boatos.

Dos prédios, as pessoas piscavam as luzes dos apartamentos ante nossos gritos de “vem pra rua”, ao que seguiam nossos aplausos.

Vendo aqueles meninos e meninas com rostos de crianças, lembrei-me de mim mesmo, há 20 anos, como cara-pintada. À época nos levantamos apenas contra um canalha; hoje eles, se levantam contra todos os canalhas.

Com certeza, os meninos de hoje são melhores que os meninos de 20 anos atrás: convivem bem melhor com a diversidade. Acho que não marcharíamos ao lado do movimento gay como eles fazem hoje.

Melhores frases: – Meu cu é laico;
– Feliciano, vai pra cura que o pariu!

Minha hérnia de disco forçou-me a ir embora relativamente cedo da passeata. Não tenho mais 14 ou 15 anos, mas 36.

Espero que esse movimento tão bonito não tenha sido manchado pela violência mais tarde, como aconteceu em Campinas.

OBS: como não podia deixar de ser, cantaram-se hinos contra a Globo também. Como há 20 anos…

Responder

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 00h23

    Prezado Marcos
    Que democracia é essa que é intolerante? Não admitem partidos e centrais sindicais?? Não há democracia na intolerância.

    Marcos Rocha

    21/06/2013 - 00h58

    Não é bem assim Luis.

    Muitos do que estavam na manifestação em Jundiai são sindicalizados. Eu, por ex.

    Mas não se pode negar que esse movimento está se insurgindo contra os partidos políticos, sejam de esquerda, sejam de direita.

    Ora, se há uma manifestação que se diz apartidária, porque, raios, manifestantes com bandeiras políticas cismam de fazer passeatas no mesmo local?

    Não é provocação?

    O pessoal da Marcha gay reagiria bem se alguém entrasse na marcha com bandeiras do Feliciano?

    Os presentes a um comício do Lula reagiriam bem se manifestantes tucanos erguessem bandeiras do Serra em meio ao comício?

    Não é possível que os militantes de qualquer partido façam sua manifestação em outro local da cidade?

    xacal

    21/06/2013 - 07h48

    Marcos, a diferença é a natureza do movimento.

    Movimentos setoriais até podem repudiar (sem violência) manifestantes que contestem suas demandas específicas.

    Já movimentos que sequer determinam uma pauta, como podem limitar quem participará?

    Maria

    21/06/2013 - 00h54

    É! Quando houve o golpe de 64 também foram as ruas em ordem, com a bandeira do Brasil. O resto a história tá aí pra te contar. Não reclame depois do leite derramado.

JOTACE

20/06/2013 - 23h50

Excelente a reportagem do Azenha com um relato detalhado do que viu. Parabéns pra ele! Como brasileiro lamento o que sucede e que se deve em grande parte ao comportamento anti-pátria da cúpula petista que, desde muito tempo, vem traindo o povo da forma mais cínica. E que, de tanto ceder ao grande capital, hoje se torna igualmente vítima da direita fascista e sua corrupta grande imprensa. Cabe-nos a todos o dever de resistir ao assalto e afastar depois pelo voto todos os traidores do Brasil.

Responder

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 00h21

    Não haverá voto, mas biônicos.

    JOTACE

    21/06/2013 - 01h28

    Temos o dever de evitá-los, caro Luis Carlos. A experiência que com os que já temos – pois não representam o povo que neles votou- não é muito boa…

natal

20/06/2013 - 23h45

Estou preocupadíssimo com a manipulação da mídia, tentando colocar o movimento social contra a democracia, disfarçando que a crítica é contra todos os partidos. sinto que estão preparando o terreno para surgir a ideia do salvador da pátria, que certamente acabará com as conquistas sociais dos últimos anos. E quando as vítimas desse golpe perceberem que foram enganados, poderá ser tarde. Possivelmente, a solução será o povo que desconfia desse golpe ir para a rua pedir, entre outras coisas, a democratização da mídia.

Responder

Ozzy Gasosa

20/06/2013 - 23h42

64 vive novamente.
Virão confrontos e todos os absurdos, dessa vez mostrado ao vivo.
Depois de efetuado o Golpe, solta-se o exército nas ruas para restabelecer a ordem.
É assim a fórmula fascista da direita e do PIG.

Responder

Alexandro Rodrigues

20/06/2013 - 23h42

Que isso gente… Segundo a Dilma e so usar o controle remote, lembram?

Bye Bye Dilma 2014!

Responder

von Narr

20/06/2013 - 23h37

No Rio, foi a mesma coisa. Os militantes de esquerda se juntaram para se defender. Foram atacados do tempo inteiro. Deram porrada em militantes da CUT que panfletavam contra a federação de transportes. Skinheads, provocadores profissionais, talvez contratados por empresas de ônibus, neonazistas (na internet havia muita gente convocando para descer a porrada na esquerda), muita gente do povão furiosa contra os partidos. De repente, do nado, surgiam grupos de populares (não eram estudantes) e começavam a distribuir porrada. A polícia democraticamente desceu a lenha em todos, até no reporter da Globo. Jogaram bomba dentro do Souza Aguiar (hospital). A massa amorfa que despreza a política é a base do fascismo, dizia Hanna Arendt. O receio é que as autoridades percam o controle das ruas e então convoquem as FFAA. O impeachment paraguaio contra a Dilma, por não ter evitado as desordens. FHC foi lúcido ao avisar que não sobra pro PSDB, não sobra pra ninguém, sobra pros militares, pros fascistas.

Responder

Luís Carlos

20/06/2013 - 23h35

A ideologia da violência, sempre na pauta da Globo em combinação com seus patrões do norte, com seus UFCs, chegou ao auge, sem freios nem vergonha na cara. A violência está instalada, de forma explícita, como se fosse linda. Depredação, balbúrdia e caos absoluto, a receita perfeita para golpista avançarem em seus objetivos. Não há dúvida, retrocedemos na democracia brasileira embalados pela cantilena venenosa da Globo e seus parceiros midiáticos de pauta única. O MPL naufraga vertiginosamente e leva com ele um país que se levantava da violência e desmandos da ditadura civil/militar. Ainda vão continuar com esses movimentos? Já há morte no interior de SP. Cenas dantescas em todo o país. Saques e atitudes fascistas se espalham. O MPL continuará? É hora de recuar e tirar o movimento das ruas. Esvaziar sua agenda momentânea. Reagrupar e avaliar, para tirar a cobertura de “movimento pacífico” e expor abertamente os baderneiros fascistas que estáo agindo nas sombras da multidão. Não saiam mais essa semana! Esvaziem e tirem a cobertura que o MPL tem dado a esses grupos. Se o MPL continuar nessa insanidade de marchas diárias irá legitimar as atrocidades e barbaridades que estão sendo cometidas em meio às multidões de jovens.
Vocês tem sido usados para legitimar a barbárie. Haddad recuou. Vocês devem recuar agora, para se reagrupar e dispersar grupos fascistas que agem às suas sombras. Recuar não é perder, necessariamente, mas não se deixar levar pelo “vício”, pelo inebriamemto do movimento, às cegas na multidão. Ninguém pode controlar multidões sem amálgama político ideológica como essa que está nas ruas. Será atrocidade atrás de atrocidade. Em uma multidão gigantesca como essa as forças mais atávicas se insurgem descontroladamente. Aquilo que não faríamos só, isolados, irrompe de forma incontrolável no anonimato da imensidão da multidão. Fascistas sabem disso. Vivem e se alimentam disso, assim mostra a história. Essa fúria não pode ser controlada “sem ideologia” e ” sem liderança” legitimada. O jogo da manipulação real, do Big Brother real está em curso. Os controles estão na mão do “Bial” Global, não do MPL.
Recuem, por favor, se reorganizem e planejem seus próximos movimentos. Não queremos o retorno da sombra. Estupros, sequestros

Responder

    Luís Carlos

    20/06/2013 - 23h45

    …invasões, torturas, perseguições e assassinatos.
    O que vemos hoje já foi visto antes, acreditem. Não há oportunidade para orgulho e vacilação. Cada passo errado, necessitará de dois para corrigir.
    Nossos inimigos avançam escorados na tática suicida adorada no momento. O processo se faz de conjunto diverso de movimentos e não de única ação linear e constante. Dizem não ter líderes? Generais não podem expor seus soldados e perder batalhas que levarão a derrota da guerra. E nesse momento nós estamos perdendo a batalha e no caminho de perder a guerra.

    Paulo Macambyra

    21/06/2013 - 07h55

    Luiz,

    Sua análise é perfeita.

    Meus amigos (são ainda?) de classe média andam babando de prazer na redes (eta nome!) sociais. Quase todos eleitores da Marina Itaú Natura Silva, adoradores do Joaquim Barbosa, continuam a achar que o Brasil acordou. Nunca vi tanta gente dormindo!
    Não sei se sinto mais raiva ou nojo.

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 10h05

    Eu preferiria estar errado, por todos que amo.

Iza

20/06/2013 - 23h33

Há dez anos, Folha, Veja, Estadão e Globo, só sabem publicar o ódio!
Hoje, estão colhendo o que plantaram.
Jornalistas agredidos, carros das empresas queimados, uma baderna como nunca se viu nesse país causada pelos ódio, pelas mentiras, desses veículos de comunicação!

Responder

Paulo de Carvalho

20/06/2013 - 23h32

Azenha,
esse momento faz lembrar aquelas enchentes que são amplamente noticiadas em vários meios de comunicação. Mas como em algum momento as cheias cedem, as ruas ficam cobertas de lama e passam aqueles homens limpando… limpando…Com aquele sabão em pó “AZUL”.
Aí mora minha preocupação!

Responder

Iza

20/06/2013 - 23h28

EU disse várias vezes!
Essa “P” armada pela globo ia dar merda!
Quero ver agora que os fascistas estão quebrando o país?

Responder

Bruno Leonelo Payolla

20/06/2013 - 23h26

O MPL não pode se livrar de qualquer responsabilidade sobre os desdobramentos dessas manisfestações. O protesto do movimento, justo em sua motivação, aliado à repressão da PM em São Paulo, soltou a besta que estava sendo criada pela mídia, partidos de oposição, STF e PGR. A anos o discurso da falência da política é martelado na sociedade brasileira, ganhnado força no julgamento do “mensalão” por juízes do STF. Como ativistas das redes sociais, os integrantes do MPL sabem que nesse ambiente existem jóias mas predomina o lixo tóxico. A liberação desse lixo tóxico acabou com a manifestação do MPL. Agora não adianta mostrar gráficos descolados mostrando a alteração dos centros de divulgação de mensagens nas redes sociais. O vandalismo e facismo assumiram as manifestações. O quadro de hoje à noite é terrível para o Brasil Estamos jogando na ralo 30 anos de construção democrática!

Responder

FrancoAtirador

20/06/2013 - 23h25

.
.
PÔ! TEM QUE COLOCAR ENTRE ASPAS ESSA MANCHETE!

NEONAZISTAS, “DEFENSORES DA DEMOCRACIA SEM PARTIDOS”,

atacam militantes de esquerda e queimam bandeiras vermelhas

e destroem e queimam tudo o que veem pela frente

que possa significar Democracia e Liberdade.

ESSES BANDIDOS FASCISTAS NÃO PASSARÃO!

Está na hora do contra-ataque!
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    21/06/2013 - 01h03

    .
    .
    Um bando de incendiários que está destruindo o País para gerar o caos.

    Esses reacionários neofascistas só estão pondo em ação o ódio aos “petralhas” que o Reinaldo Azevedo prega e estimula o tempo todo na Revista Veja.

    O Código Penal prevê pena de prisão para esse crime,
    mas Nazistas como esses devem ser expulsos do BraSil!
    .
    .
    LEGISLAÇÃO SOBRE CRIMES DE ÓDIO

    No Brasil, as leis sobre crimes de ódio dão enfoque ao racismo, à injúria racial e ainda a outros crimes motivados pelo preconceito, tais como os assassinatos praticados por esquadrões da morte ou grupos de extermínio e o crime de genocídio em função de nacionalidade, etnia, raça ou religião.

    Tanto a morte por esquadrões da morte quanto o genocídio são legalmente classificados como “crimes hediondos”.

    Os crimes de racismo e injúria racial, apesar de parecidos, são processados de forma levemente diferente.
    O artigo 140, § 3º, do Código Penal, estabelece uma pena de 1 a 3 anos de prisão (“reclusão”), além de multa, para as injúrias motivadas por “elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem, ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

    Por outro lado, a lei 7716/89 abrange os “crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”, também com pena de reclusão de 1 a 3 anos, mais multa.

    No caso do crime de apologia ao nazismo (artigo 20), cuja pena é agravada para 2 a 5 anos de reclusão, mais multa e destruição do material apreendido.

    Além disso, a Constituição Federal brasileira define como “objetivo fundamental da República” (art. 3º, IV) o de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, OU QUAISQUER OUTRAS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO”.

    A expressão “quaisquer outras formas” refere-se a todas as formas de discriminação não mencionadas explicitamente no artigo, tais como a orientação sexual ou A DISCRIMINAÇÃO EM RAZÃO DA PROFISSÃO OU DA FILIAÇÃO PARTIDÁRIA [CASO DA EXPRESSÃO “PETRALHA”].
    .
    .

    FrancoAtirador

    21/06/2013 - 01h19

    .
    .
    CRIME DE ÓDIO AOS “PETRALHAS”


    DISCÍPULO DO REINALDO AZEVEDO DA REVISTA VEJA

    Chico Pinedo

    21/06/2013 - 18h09

    Fico estarrecido com o que a maioria daqui diz: a direita está preparando um golpe e usando 1 milhão e duzentos e cinquenta mil jovens como massa de manobra para isto, insuflados pela PIG e pelo Joaquim Barbosa. Outros desvalorizam a participação de pessoas de classe média, porque não são dos “movimentos sociais”. Há quem deprecie as pautas variadas, porque não há lideranças e, “movimento sem lideranças políticas vai dar no fascismo”. Caras, este pessoal daqui é fantástico! Tem até quem deseje expulsar do país o Reinaldo Azevedo, por causa de suas idéias e posições. Mas, é claro que esta não é uma posição fascista (kkkk), porque o cara defende posições contrárias aos “movimentos sociais”, e, portanto, precisa ser punido. Percebe-se que só quem entende o povo e por ele luta são estes iluminados, patronos e guardiães dos “movimentos sociais”. O “resto” não precisa ser ouvido nem deve se manifestar, mas caso o faça (mesmo que apenas com a força da caneta), deve ser banido do país. Com toda humildade, acho que vocês não estão entendendo o que está se passando e viajam na maionese…

Ana Raposo

20/06/2013 - 23h23

20/06/2013 – 21h30

Jacques Wagner critica adesão do PT a manifestações pelo país
CATIA SEABRA
DE BRASÍLIA

O governador da Bahia, Jacques Wagner, criticou nesta quinta-feira (20) a adesão do PT ao protesto sem a definição de uma pauta específica de reivindicação. Afirmando que “o PT tem responsabilidade com a nação”, Wagner disse temer a idolatria ao movimento.

“É correto o PT não hostilizar nem criminalizar o movimento. Agora, precisa saber como entra. Não pode engrossar uma coisa difusa. Tenho medo dessa glamourização”.

Veja o mapa dos protestos que acontecem pelo país
Manifestantes entram em confronto na av. Paulista; homem fica ferido
Manifestantes entoam palavras de ordem contra partidos em ato em SP

Wagner evitou comentar o teor das entrevistas do presidente nacional do PT, Rui Falcão, que conclamou a militância do PT a engrossar as manifestações. Insistiu, porém, que o papel do partido é identificar as demandas e seus interlocutores dentro do movimento. Não “fazer massa”. Se não, “vira woodstock”.

“Tem que organizar a demanda. Está protestando por quê? Como viabilizar? Se não, vira woodstock”, afirmou o governador.

E acrescentou: “Com que objetivo o PT pede para a militância entrar no movimento, é para fazer massa? Estou fora. A gente é presidente, governador, deputado…Quem está na rua não está identificando nos partidos políticos veículo de transformação. E o PT faz parte da política. O PT vai para rua fazer o quê? Só dizer que não está contra?”

Enfrentando protestos no Estado, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, informou, por intermédio de sua assessoria, que não comentaria as declarações de Falcão nesta quinta-feira porque precisava se dedicar à segurança durante as manifestações.

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, foi aconselhado a não polemizar com o presidente do PT.

A Folha apurou que a iniciativa de Falcão contraria aliados do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. No Palácio dos Bandeirantes a preocupação foi com a garantia da integridade física de petistas durante protestos. A avaliação é de que a participação de políticos nas ruas gera mais tensão.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1298677-jacques-wagner-critica-adesao-do-pt-a-manifestacoes-pelo-pais.shtml

Responder

laura

20/06/2013 - 23h23

Estive na passeata de hoje em Natal, RN.

Cerca de 20 mil pessoas. MUITA gente para Natal.
Jovens, basicamente jovens.
Basicamente jovens de classe média.
Uma alegria incontida.
A alegria de tomar as ruas, ser uma multidão que se torna um coletivo,autônomo.
Certamente o momento de uma iniciação.
Foi bonito ver e ali estar.
Um coletivo que, na rua, decidia os rumos do que fazer: conter o vandalismo, conter as palavras de ordem partidárias( de partidos).
Não se deixou o Fora Dilma, O Fora Rosalba(DEM), as palavras de ordem dos partidos.
Alguns grupos de mascarados, aparentemente grupos de meninos da periferia( não tinham mulheres) . Era um pouco amedrontador.
Alguns eram de pichadores, alguns pareciam infiltrados.
Eram agressivos.
A multidão e/ou grupos organizados era contra as tentativas destes de barbarizar.
A multidão gritava: Não ao vandalismo! Sem violência!
Conseguia conter. Um ou outro surto de vandalismo, mas no geral,o coletivo sabia o que queria.
Haviam alguns grupos organizados: PSTU, PSO, PSOL, Juventude petista, CUT, MST. UNE.
De resto estudantes de classe media aprendendo a sua maneira o que aprendemos quando também jovens, em outras situações e lugares.
O aprendizado das ruas é rápido e todo mundo sabia o que fazer.
Muitos jovens organizados tinham consciência das infiltrações de direita.
Com essa denominação, inclusive. Achei bom.

Havia de tudo porém.
Desde figuras folclóricas como o “Rambo”, um personagem com uma metralhadora com luzes a qual ele fingia disparar para a multidão que aparece em todas as manifestações públicas em Natal(tipo o Beijoqueiro), até um papai Noel com uma bandeira de paz nas costas.
Também mulheres de classe média mais velhas contra a corrupção e tudo o que está aí.
Bombas,bombinhas, fogos de artifício.
Vi mascarados com grelhas de ferro , possivelmente para atacar algo.
Segundo os jovens organizados tinha gente até da TFP( que eles sabiam o que significava e repudiavam)
Uma faixa de um coletivo de Professores da UFRN apoiando a luta da juventude.

Havia cartazes e bandeiras de movimentos organizados, mas a maioria eram cartazes feitos de papelão, improvisados, individuais.
As palavras de ordem? Muitas contra o aumento das tarifas e/ou a alegria da vitória.
Muitas palavras de ordem gerais ,na maioria as da mídia.
(
Portanto, da direita , em boa parte
.
CONTRA: a corrupção, contra os políticos, contra a copa, contra a Pec 37. Contra os impostos.
Por mais educação, saúde. Ou:Saúde padrão Fifa.
Também contra o Feliciano, o que não é exatamente de direita, mas está na mídia.

Cara pintadas como os cara-pintadas contra o Collor com muitas bandeiras brasileiras enroladas no corpo. Claro, as caras pintadas em verde e amarelo nas têmporas ou na cara toda.
Cantava-se o hino nacional.

A passeata saiu de um shopping e acabou em outro. Um jovem não se conformava que não se manifestassem em frente ao palácio do governo (DEM) que estava no meio do trajeto, e que somente fosse de shopping a shopping.
Estava certo.
Cogitava-se que fosse até a Prefeitura, que é bem mais longe. Não sei se foi, eu não aguentava mais no final do trajeto inicial, no segundo shopping. Voltei para casa.
Soube pelos jornais que depois houve mais vandalismo e a passeata teve mais de um rumo.

A sensação estranha de estar em uma multidão que se autoprotegia com uma enorme maturidade em uma cidade deserta.
Uma multidão que se aventurava junta em um coletivo autônomo e vibrante em uma cidade quase fantasma.

As ruas estavam desertas, a UFRN fechou, as lojas e shoppings fecharam.

O vandalismo assusta e assustou a cidade.

É verdade que a multidão não deixou que se alastrasse o FORA DILMA de gente que parecia infiltrada.
É também vero que esta gente impõe uma nova agenda política no país.

Mas parece-me também vero que toda aquela gente junta na rua também está
repetindo em parte uma pauta que a mídia constrói e a despolitização dos últimos anos permitiu.
Que os ventos da mudança mudem também isso!

Responder

AlvaroTadeu

20/06/2013 - 23h20

A esquerda está manietada e o golpe virá, sem dúvida. Algumas páginas (muitas) do facebook já incitavam Joaquim Barbosa assumir a presidência da República e prender Dilma. Cidades de 30 mil habitantes estão organizando passeatas com prefeitos corruptos da extrema direita liderando. Nem precisa ter visto o golpe de 1964 para ver que o golpe vem aí. Talvez esperem as eleições, mas se as pesquisas indicarem que não vai dar pé, eles já sabem o que fazer. Há um Merval em cada redação indicando o caminho que lhe indica o Departamento de Estado. Quando saíamos às ruas nos anos 70 exigindo o que a Ditadura não podia dar (liberdade de expressão e manifestação), nosso intento era botar a Ditadura abaixo. Logo, esses movimentos exigindo o que o governo não pode dar, querem derrubar o regime. Estão órfãos do golpe, a renúncia do Fontelles na presidência daquela comissão é sintomática. Ele viu que perdia todas no meio daquela fascistada e só teve um caminho: renunciar.

Responder

    hc

    20/06/2013 - 23h50

    Esta na hora das esquerdas,sindicatos,movimentos sociais ir para a rua.
    Quem viveu os anos 70 sente cheiro de golpe,as esquerdas tem os trabalhadores estes sim podem parar o pais,porque tem o maior capital sua mão de obra?o SR Eduardo Campos e Irmãzinha marina tem culpa no que está acontecendo, pois eles mancomunaram. decreta estado de sitio ,duvido que Cristina Kirchener aguentasse isto.
    Estes burguezinhos precisam aprender a liçao.

    Darci

    21/06/2013 - 10h32

    Tá na hora de virar o jogo. O governo o PT deve agora impor uma pauta radical para aprovar políticas públicas populares no campo da saúde, da educação, da cultura, imposto de renda sobre as grande fortunas, regulamentação da mídia, comunicando-se diretamente com o povo. E o Partido se reorganizar em núcleos. Hoje há inclusive meios materiais para isso, inclusive o uso maciço da internet. Politização de todos os assuntos público, inserção no movimento social, sindical, estudantil e de bairro.
    mãos a obra, militantes antigos, experientes não perderão espaço para a garotada marombada e fascista.Política, política e política para o poveo. Transparência e punição para os corruptos.

Gildásio

20/06/2013 - 23h19

A orientação do PT Municipal de São Paulo de algum modo leu tudo erradoe chamou para o confronto, ao contrário da Direção Nacional que leu melhor a situação delicada.

Direção nacional do PT se distancia de “onda vermelha”

O Diretório Municipal do partido, no entanto, convocou militantes a “vestir vermelho” e defender legado de Dilma e Lula

por Redação— publicado 20/06/2013 16:15

A direção nacional do PT confirmou que convocou seus militantes para participar das manifestações na tarde desta quinta-feira 20 em comemoração à redução do preço das tarifas de transporte público em São Paulo, mas nega ter organizado um ato chamado de “onda vermelha”. O diretório municipal do PT, entretanto, mantém em seu site uma convocação para que seus filiados “vistam vermelho” e defendam o legado do ex-presidente Lula e de Dilma nas ruas.

Em um documento oficial, assinado pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão, o PT “conclama a militância a continuar presente e atuante nas manifestações lado a lado com outros partidos e movimentos do campo democrático e popular” e diz que a presença de filiados do PT, com “nossas cores e bandeiras neste e em todos os movimentos sociais, tem sido um fator positivo não só para o fortalecimento, mas, inclusive, para impedir que a mídia conservadora e a direita possam influenciar, com suas pautas, as manifestações legítimas”.

A direção do PT nega, no entanto, ter convocado o ato que vem sendo conhecido nas redes sociais como “onda vermelha”. Rui Falcão chegou a divulgar em sua conta oficial no Twitter a hashtag #ondavermelha, mas depois apagou a mensagem.

Enquanto a direção nacional do PT mantém o discurso de atuar em conjunto com os manifestantes que vão celebrar a redução da tarifa, o Diretório Municipal do partido em São Paulo tem outro discurso. A convocação é para a militância “vestir vermelho, levar sua bandeira para defender o legado dos 10 anos de governo democrático e popular representados pelo presidente Lula e pela presidente Dilma”. O ato está convocado para 16h30 desta quinta, na esquina das avenidas Angélica e Paulista, na região central de São Paulo, a poucos metros da concentração da passeata convocada pelo Movimento Passe Livre (MPL).

A convocação do Diretório Nacional do PT chamou a atenção pelo local e momento em que foram convocados, uma vez que os movimentos chamados pelo MPL, mas não controlados pelo grupo, se caracterizaram por certa hostilidade à presença de partidos políticos.

http://www.cartacapital.com.br/politica/direcao-do-pt-se-distancia-de-onda-vermelha-285.html

Responder

Leo V

20/06/2013 - 23h09

Ah, achei que você foi muito bonzinho em dizer que querem democracia sem partido… (uma democracia direta poderia se sem partido teoricamente). Eles são a favor da ditadura mesmo!

Responder

Leo V

20/06/2013 - 23h08

Obrigado pelo relato Azenha, pra quem não está em São Paulo, como eu, ou não pode esta presente.

Eu de longe também fiquei preocupado com o que aconteceu aí, e como a grande mídia está capturando as manifestações nas cidades que a esquerda está conseguindo ter controle.

O que estamos assistindo é a disputa entre direita e esquerda sair da esfera institucional e i para as ruas, que se tornou locus de poder a partir das mobilizações puxadas pelo MPL contra o aumento das tarifas de transporte.

A ação da direita foi orquestrada, tirar a Polícia, pautar as mobilizações, levar a direita e uma massa despolitizada para as ruas pautada pela mídia. A repressão á esquerda e aos movimentos sociais continua, mas agora não mais pela PM, mas por milícias de direita, ou pela própria massa moldada pela “Globo”.

O Rodrigo Vianna postou há pouco um excelente resumo e avaliação do que tem acontecido e está acontecendo nesse processo das últimas semanas.

Responder

João Guilherme

20/06/2013 - 23h07

Eu não entendi até agora por que se no dia 17 tudo foi tão bem, a vitória foi conquistada, o MPL precisava ter feito o dia 18. É um fôlego muito grande e muito estranho.

Responder

    ELG

    21/06/2013 - 02h01

    É GOLPE, amigo!

Roberto Locatelli

20/06/2013 - 23h06

Amanhã, os “democratas” sem partido programaram uma “manifestação” no museu do Ipiranga. O Instituto Lula é ao lado. Obviamente, programaram no museu para depredar o Instituto.

Responder

    Dorival Gobette

    20/06/2013 - 23h14

    Locatelli, a turminha do MLP, que está sendo festejada até pelo Azenha e alguns blogueiros progressistas, está preparando as capas da Veja e o material do Fantástico, é uma geração da “Sociedade do Espetáculo”, como descreveu Guy Debord em livro do mesmo título. Ou, como disse Andy Warrol estão tendo o seu 15 minutos de fama.

    ELG

    21/06/2013 - 02h00

    Que troço mais reacionário! Ipiranga, 1932, 1964… Esses paulistas… Argh! Eu sou paulista.

Roberto Locatelli

20/06/2013 - 23h05

O golpe está em andamento. Joaquim Batman já está, certamente, reunido com Gilmar, Gurgel e com militares para planejar os próximos dias.

Responder

    Ella

    20/06/2013 - 23h38

    http://www.partidomilitar.com.br/?p=880
    Dá uma olhada neste site. é dó partido militar brasileiro

    ELG

    21/06/2013 - 01h58

    Vire essa boca pra lá! Mas que é possível, isso é… Sds.

Editor da Caverna

20/06/2013 - 23h04

Alguém viu o Merval Pereira na Globo News pedindo para se aproveitar agora para se convocar uma constituinte? Logo depois de falar que nenhum partido mais representa as pessoas?

Responder

    MANOEL

    20/06/2013 - 23h19

    eu vi o datena defender isto na band, meio que envergonhado, mas só pra disfarçar

Dorival Gobette

20/06/2013 - 23h04

Pois é, Azenha, você vai continuar insistindo com a tolice de que o grande perdedor dessa história é o Haddad? Mais uma coisa, os seus novos amigos, essa turminha do MPL são grandes vencedores mesmo. Vencedores do atraso!

Responder

    João Guilherme

    20/06/2013 - 23h08

    O Haddada não é apenas o perdedor ele é o DETONADOR com a sua santa burrice. Ele deu o pé, entendeu?

    Leo V

    20/06/2013 - 23h10

    Por que?

    Juliana

    20/06/2013 - 23h30

    Concordo com você, Dorival. Esses meninos irresponsáveis colocaram um movimento nas ruas e insistem em dizer que não têm como controlar a violência. O que está acontecendo é um golpe da direita, com a anuência de crianças que pensam que são de esquerda, porque não sabem diferenciar uma coisa da outra! Voluntariosos, imaturos e vaidosos!

    ELG

    21/06/2013 - 01h56

    E depois quem se ferra somos nós.

Juliana

20/06/2013 - 23h03

O nome disso é fascismo e o MPL é um muito responsável por isso. Ontem o prefeito e o governador de SP reduziram o preço das passagens e eles insistem no movimento, mesmo vendo que ele já tomou uma forma reacionária, imbecil e fascista. Se são mesmo de esquerda, como dizem, deveriam ter recuado ontem, com a vitória nas mãos. Sei que em outras cidades a passagem ainda não foi revista, mas quem quer fazer política negocia. Movimento de verdade não abandona a luta, mas muda de tática quando percebe que a que está usando atrapalha mais do que ajuda. Quem não negocia, joga o país na obscuridade e é isso que essas crianças irresponsáveis estão fazendo. Talvez estejam fazendo isso porque não sabem o que é viver numa ditadura. Nasceram na democracia que custou muito aos mais velhos! Quem sabe aprendem agora?

Responder

    Leo V

    20/06/2013 - 23h15

    Juliana,

    O MPL tinha chamado a manifestação hoje antes da revogação, e depois transformou a chamada para uma festa de comemoração.

    Mas o fato é que o Instituto Millenium já colocou a direita e a massa despolitizada e direcionada por ele nas ruas.

    Luta de classes é jogo de xadrez,

    Agora, culpar movimento social que vai pra rua reivindicar direitos sociais por movimentos golpistas da direita é como culpar Jango ou os movimentos estudantis e sindicais pelo golpe de 64.

    Se não pode se organizar com pauta de esquerda pra ir na rua, então vivemos um tempo de ditadura velada.

    Luís Carlos

    21/06/2013 - 00h14

    Leo V. Por favor, urge a necessidade de reavaliar os passos do movimento. As marchas do MPL tem sido inequivocamente usadas para inserir pautas diferentes das do Movimento. O MPL não controla mais a pauta e sim a Globo e sua camarilha. Também têm sido usadas para encobrir ou endossar, em sua busca “pacífica” por direitos sociais, vândalos, fascistas e ultra direitistas que se lançam à barbárie em meio a multidões de jovens. Como se todos fossem do mesmo grupo, sendo acobertados pela massa.
    Manter as manifestações, nesse momento é por demais perigoso e joga o país em conflito aberto e sem rumo. Quando a violência irrompe, os jovens que marcham por direitos sociais são oprimidos e ficam diante de “uma face dura do mal” que desconhecem e intimida. É a violência que estupra a ingenuidade e inexperiência.
    O Brasil tem marcas ainda não superadas que podem ser reabertas pelo terrorismo em curso liderado pela Globo e a quem ela representa. Não são sujeitos preocupados com democracia ou com limites éticos. São ensandecidos pelo poder, e a violência é a forma mais dura de busca do poder, como aconselhava Maquiavel aoPríncipe. O terror está nas ruas e Globo usa os jovens manifestantes para legitimar os “poucos baderneiros” ( já sabemos que não são poucos nem isolados) legitimar a continuação do terror para levar adiante a turba com a pauta da Globo. Por favor, reavaliem e se reorganizem.

    Leo V

    21/06/2013 - 23h02

    Concordo Luis Carlos.

    José X.

    21/06/2013 - 00h47

    Não adianta, esses imbecis acham que os 20 centavos (que não fariam a menor diferença para quem tem vale transporte, os idosos, e fariam muito pouca diferença para usuários do Bilhete Único) são mais importantes que os 12 anos sem desemprego, com a inflação controlada, com a redução da miséria, com uma política voltada *também* para o povo (como comprovam programas como o Luz para Todos, Minha Casa Minha Vida, Prouni, Bolsa Família, entre outros). Não tenho outras palavras para classificá-los, são uns imbecis que estão adorando servir de bucha de canhão para a Globo, o Millenium, a extrema direita em geral. O pau tá comendo solto no Brasil, vindo dos “jovens” arregimentados por esses imbecis.

Paulo Figueira

20/06/2013 - 23h01

Chamar de festa cívica o que está acontecendo faz parte do FEDEAPA (festival de demagogia que assola o País).

Playbys de shopping aliados a militantes fascistas depredando o que vêem pela frente, pessoas vestidas de vermelho sendo agredidas, palavras de ordem tiradas da mídia apesar de hostilizá-la, formou-se então o caldo de cultura propício aos que desejam o golpe contra um governo popular, eleito democraticamente.

Assistimos ao vivo e a cores o esforço de gerações por democracia indo ralo abaixo.

Responder

Fabio Passos

20/06/2013 - 22h58

Apartidarios?

Ou militantes de um partido bem manjado: PiG!

A militancia do PiG esta pegando carona nas manifestações do MPL para atacar Dilma, Lula e toda a esquerda.

A pieguice udenista “contra a corrupção ” é a eterna reivindicação dos capachos da casa-grande… que são na verdade o que há de mais corrupto no Brasil.

Responder

    Fabio Passos

    20/06/2013 - 23h02

    Flagra dos “apartidários” em manifestação…

    Tudo militante do PiG. rsrs

    Leo V

    20/06/2013 - 23h16

    Boa!

Deixe uma resposta