VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Eduardo Vasco: Globo usa série sobre idosos para fazer propaganda da reforma que tira direitos dos idosos

10 de janeiro de 2017 às 12h59

Captura de Tela 2017-01-10 às 12.57.58

Globo utiliza série sobre idosos para fazer propaganda pela reforma da previdência

Eduardo Vasco, no Causa Operária

O monopólio Globo tem um histórico invejável de ataques aos direitos dos trabalhadores, desde as capas de jornais contra o 13º salário até as campanhas atuais pela PEC 55, reforma trabalhista e da previdência, passando pela propaganda de golpes de estado e perseguição a políticos de esquerda.

Essa manipulação e distorção dos fatos para enganar a população muitas vezes é feita de forma escancarada, e em outras é encoberta.

Esse é o caso da propaganda a favor da reforma da previdência, que o governo golpista busca implementar para fazer com que os trabalhadores só se aposentem até pouco antes de morrer.

O Jornal Nacional desta semana está com uma série de reportagens especiais sobre os idosos, como podem cuidar da saúde na velhice e viver melhor.

Curiosamente, segundo a reportagem desta quarta-feira (4), uma das maneiras de viver melhor para os idosos é trabalhando para um patrão até o fim da vida, e não utilizando seus últimos anos de vida para o lazer.

Os entrevistados da reportagem são idosos que gostam de trabalhar.

Um especialista afirma que um dos motivos de pessoas com idade para se aposentar continuarem trabalhando é a baixa renda dos trabalhadores.

O dinheiro da aposentadoria também é muito pouco.

A solução, para a Globo, é muito simples: que continuem a trabalhar, ora!

Aumentar o salário e a aposentadoria, isso nem passa pela cabeça dos patrões, obviamente.

Mas o pior vem a seguir: “É pouco dinheiro para quem recebe, mas é muito para quem paga”, diz o repórter, com ênfase no muito.

Exatamente a mesma lábia dos patrões, não?

E o argumento é aquele mesmo do governo golpista: a expectativa de vida está aumentando, a cada ano mais gente recebe aposentadoria mas menos gente contribui etc, etc, etc.

Aí vem um economista burguês dizer que a reforma da previdência é urgente!

Hélio Zylberstajn, professor da USP, é o entrevistado. Ele já deu declarações em outras reportagens da Globo a favor da reforma previdenciária, é aquele típico entrevistado de fachada que serve só para os jornais dizerem que são imparciais e estão apenas consultando a opinião de um especialista.

Tem mais. Outro “especialista” vem com um discurso ridículo, pra avacalhar de vez: desesperados para manipular a opinião da audiência, o argumento é o de que os idosos têm que trabalhar mais tempo porque sua simples presença deixa mais agradável o ambiente de trabalho e assim ele funciona melhor!

O trabalhador idoso, segundo a esdrúxula explanação do “especialista”, tem mais jogo de cintura pra conversar com seus colegas e com o chefe.

Ainda segundo a reportagem/propaganda, uma aposentadoria “precoce” (que foi um direito conquistado por anos de luta dos trabalhadores) acaba desperdiçando a experiência que o aposentado adquiriu ao longo da vida.

Então se for assim, para que a experiência do trabalhador não seja desperdiçada, ele deveria trabalhar até o último suspiro, porque quanto mais velho maior sua experiência.

O ato final da comédia midiática do Jornal Nacional é citar o exemplo do Japão: idosos com mais de 70 anos se “divertem” trabalhando.

O governo incentiva os idosos a trabalharem (ou obriga, como os golpistas daqui querem fazer?).

O Japão, que tem um dos sistemas de trabalho mais brutais e exploratórios do mundo, onde o trabalho é tão opressor que as pessoas enloquecem ou se suicidam para se livrar do excesso de exploração.

Segundo o governo japonês, mais de 2 mil trabalhadores se suicidam todos os anos por estresse relacionado ao excesso de trabalho (BBC, 29/12/16).

Isso sem contar as mortes por problemas de saúde resultantes do trabalho excessivo. “Karoshi” é o termo utilizado para designar esse tipo de suicídio, de tão comum que se tornou a prática.

A Globo, comandada pela família mais rica da história recente do Brasil, sonegadora de impostos e benefeciária de grande fatia de dinheiro público por investimento do governo, utiliza mais uma vez seu monopólio para fazer campanha de ataques aos direitos da classe operária, como é o direito à aposentadoria.

Seguindo os interesses da sua própria classe burguesa, ela quer que o trabalhador produza a riqueza para encher os bolsos do patrão até que morra por morte natural aos 80 anos, ou então até que morra enquanto trabalha em condições miseráveis aos 75, sendo superexplorado e dando lucros para o patrão e sem receber qualquer migalha de aposentadoria.

Leia também:

Wadih Damous: Temer e Moraes fazem espuma sobre crise prisional

 

11 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Viviane

11/01/2017 - 18h16

Zylberstajn… Por acaso não é o sobrenome de um genro de FHC? Ou estou enganada?

Responder

RONALD

10/01/2017 - 22h01

O Povo tem que parar de ver a golpista globolóide. Como dizia muito bem o saudoso Bob Marley: Eu não preciso ler jornais( mídia em geral), pois sei mentir sozinho.

Ver a globolóide é alimentar o câncer que irá nos matar…

A minha parte de sangue já parei de dar a este câncer há muito tempo !!!! leia o Viomundo e os canais de notícias alternativas que será bem informado e não cairá em armadilhas da mídia corporativa podre e degenerada.

Responder

Messias Franca de Macedo

10/01/2017 - 22h00

Um texto que ajudou-me a sair um pouco da depressão!
Ainda há esperança?

***

Economista Luiz Gonzaga Belluzzo: Moro é o sábio idiota

publicado 10/01/2017

O Conversa Afiada reproduz entrevista concedida pelo economista Luiz Gonzaga Belluzzo à Rede Brasil Atual

(…)
Um exemplo para ilustrar a cor cinzenta do horizonte hoje é a chamada “PEC do Fim do Mundo”, que congela gastos públicos em áreas vitais como saúde e educação. “É uma insensatez. Qualquer pessoa com inteligência acima de dois neurônios se dá conta de que isso é um desastre. É coisa de hospício.”
Os episódios recentes nos presídios brasileiros para dizer, citando o filósofo italiano Norberto Bobbio (autor de Teoria Geral da Política), que se pode avaliar “o grau de civilidade de uma sociedade pela forma como trata as crianças, os velhos e os prisioneiros”. “Quanto mais selvagem e mais bárbara a sociedade, pior o tratamento que dá a essas categorias de pessoas”.
(…)
Acho que o Sérgio Moro, por exemplo, nem sabe o que está fazendo. Isso é o pior nessa sociedade em que nós vivemos. Tanto ele (Moro) quanto os que deflagraram o ajuste não têm consciência exata do que estão fazendo. Há estudos agora sobre o caráter da informação, da língua, da linguística, dos falsos conceitos, o que tem a ver com a mídia brasileira, escancaradamente de quinta categoria.
O Moro é o que nos anos 1920 ainda se chamava idiot savant, uma expressão psiquiátrica, para falar do sábio idiota, aquele que só conhece a área dele e não consegue fazer uma relação entre a área dele e as demais. Então não acho que o Moro seja um conspirador. Ele está encharcado dessas convicções, foi ensinado assim, estudou lá, percebe-se claramente que não tem uma cultura mais ampla. Aliás, isso faz falta entre operadores de direito e de economia. A gente sempre precisa achar que a gente sabe menos do que acha que sabe
(…)
Há o atraso secular do Brasil, atraso social, moral e ideológico que vem lá do escravismo, e depois vem da desigualdade, e de todas as mazelas das quais esse país não se livrou. Isso tudo está cristalizado hoje em duas coisas: no mercado financeiro e na mídia de massas. Isso é que conforma o imaginário, a compreensão de muitos brasileiros entregues a isso sem nenhum poder de reação e nenhuma possibilidade de se informar alternativamente.
(…)
O que é assustador aqui é nosso atraso cultural, intelectual, sobretudo nas camadas dos que se consideram acima dos mais fracos e mais pobres. Seria bom que o Brasil tivesse uma elite, mas não tem. O Brasil tem ricos, mas não tem elite.
As camadas superiores não querem saber do Brasil. É como se estivéssemos voltando à época do pau-brasil, isso aqui virou um campo de caça. Como se viessem fazer uma coisa extrativista: tirar e ir morar em Miami. Não têm solidariedade com o outro. E isso é fundamental, foi o que cimentou a construção do Estado do bem estar, que hoje está começando a se dissolver também na Europa. Isso é que é terrível. O capitalismo não consegue mais se proteger dele mesmo.
(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.conversaafiada.com.br/brasil/belluzzo-moro-e-o-sabio-idiota

Responder

Flávio Luiz Sartori

10/01/2017 - 18h42

Amanha em Campinas

Manifestação contra o abusivo aumento nas passagens de ônibus para R$ 4,50 uma das mais caras do Brasil.

http://cartacampinas.com.br/2017/01/protesto-e-marcado-para-esta-quarta-feira-11-contra-aumento-da-passagem-em-campinas/

Se puderem enviar e mail ou como fazer contato, vamos estar fazendo cobertura da manifestação.

Flávio Luiz Sartori

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

10/01/2017 - 16h38

“É pouco dinheiro para quem recebe, mas é muito para quem paga”, diz o repórter, com ênfase no muito.

Como podemos interpretar essa frase? Isso veio de um trabalhador da Globo? Ou a Globo faz com seus funcionários o mesmo que faz com seus telespectadores? Ou seja: são midiotizados também? Mas o capitalismo funciona assim mesmo, o lucro é sempre “aquém da meta” e os salários pagos são “além do que querem pagar”. Ferro no povo.

Responder

Paulo Roberto

10/01/2017 - 16h38

E o patrão para economizar não quer colocar jovens para aprender junto com os veteranos, a tempo de assimilar experiência, antes que o ele aposente (ou morra, como querem agora). A própria empresa perde com o pouco treinamento dos novatos.

Responder

Homero Mattos Jr.

10/01/2017 - 14h26

a ‘mão invisível’ do Mercado…
pesada, livre e solta. à toda.
Crackolândia, Sp, SP?
não. LA, CA.
https://www.youtube.com/watch?v=E7HozzSGakA

Responder

Nelson

10/01/2017 - 13h58

Os órgãos da mídia hegemônica se utilizam de dinheiro do governo – portanto, pertencente ao povo – para mentir, mentir e mentir, para este próprio povo. E nós, que estamos pagando a conta, pouco ou nada fazemos. Nos limitamos a ficar sentados “no trono de um apartamento, com a boca escancarada cheia de dentes [nem tão cheia assim], esperando a morte chegar”

Responder

eduardo

10/01/2017 - 13h54

Embora ainda apareça gente “progressista” para depositar alguma coisa de culpa na Dilma e no PT, vale lembrar que os idosos fizeram em 2014 nada menos que 18 milhões de viagens consideradas de turismo.

Responder

Cunha

10/01/2017 - 13h16

Os desgraçados querem acabar com a aposentadoria especial dos trabalhadores do campo! Soube pelo guia que um cortador de cana em PE ganha R$3,00 por TONELADA cortada! Imaginem se chegariam na idade máxima! Impossível!
#FORATEMER
#FORAGOLPISTAS!

Responder

    Terceiro Mundo

    10/01/2017 - 14h27

    Sixteen tons what do you get? Another day older and deeper in debt….

Deixe uma resposta para Paulo Roberto