VIOMUNDO

“Denúncia” de Veja, que ocupou 4m42s do JN, faz lembrar ofensiva de 2006

03 de agosto de 2014 às 16h56

trama

De volta ao passado: o objetivo então era levar ao segundo turno. Levaram

por Luiz Carlos Azenha

O “novo escândalo” da Veja, sobre suposto vazamento de perguntas — que de qualquer forma seriam tornadas públicas — aos que foram ouvidos na CPI da Petrobras me parece uma manobra diversionista para mudar de assunto. Tirar o noticiário de Cláudio e Montezuma e trazer Dilma Rousseff mais uma vez para o domínio absoluto das manchetes.

Quando eu era repórter da TV Globo, em 2005, antecedendo minha primeira cobertura de eleições presidenciais no Brasil — havia morado quase duas décadas nos Estados Unidos –, uma investigação que fizemos sobre caixa 2 em Goiás acabou em uma das CPIs que trabalhavam simultaneamente em Brasília.

Vi com meus próprios olhos uma importante jornalista da Globo, de alta patente, que me ciceroneava em um ambiente desconhecido, visitando gabinetes de deputados e senadores para troca de informações. No do então deputado ACM Neto, que participaria do depoimento do homem investigado por nós, houve até entrega de documentos e sugestão de perguntas. Eu vi isso acontecer e, francamente, não me espantei.

Se o objetivo de uma CPI é esclarecer os fatos, não há perguntas, nem assuntos secretos. Os depoentes devem trazer todos os esclarecimentos que forem necessários à opinião pública. A existência de parlamentares de diferentes correntes políticas é garantia de que teremos todo tipo de pergunta, das “levantadas de bola” às “pegadinhas”, das críticas às bajulatórias. Bancadas inteiras combinam estratégias. Não há motivo para guardar nenhuma informação em sigilo, se se pretende de fato esclarecer o assunto.

Qual é o problema de perguntas serem organizadas para facilitar os esclarecimentos do depoente? Isso não significa que ele vá responder apenas àquelas perguntas, já que a oposição estará presente. O problema está nas mentiras do deponte, não nas perguntas feitas a ele. Não há nada de errado quando um governo tenta vender à opinião pública sua versão dos fatos, desde que a oposição possa, igualmente, fazê-lo. Vamos combinar que não falta espaço na mídia à oposição brasileira, certo?

Portanto, trata-se de uma denúncia tola, transformada em manchete por uma gravação subterrânea, vendida como “comprometedora”.

O que me chamou a atenção naquela CPI de 2005, na verdade, foi que o homem por nós investigado, dono de uma seguradora, quando abriu os arquivos em seu depoimento deixou claro que havia feito doações por fora a todos os partidos políticos, não só ao PT mas também ao PSDB, PMDB, PFL e outros. Assim que isso ficou explícito e demonstrado, acabou nossa investigação. Fui mandado de volta a São Paulo…

Naquele período eleitoral, também constatei por dentro a mecânica da mídia: denúncia na capa da Veja entre sexta e sábado, repercussão acrítica no Jornal Nacional de sábado, bola rolando a partir de domingo na Folha, Estadão e O Globo.

Não foi o que se chama de “nota pelada” do Jornal Nacional, algo passageiro, sem imagens, na edição de ontem. Foram 4 minutos e 42 segundos falando sobre a denúncia de Veja, uma enormidade! Se fosse em comerciais, teria um custo próximo dos R$ 4 milhões. Frequentemente, quando eu era correspondente em Nova York, precisava explicar assuntos complexos, como a crise que precedeu a invasão do Iraque, em 60 segundos.

O que a Globo fez ontem se chama no meio jornalístico de “dar pernas” a uma denúncia.

Eu mesmo, num plantão, fui convocado a fazer uma destas “reportagens”, denúncia que envolvia um irmão do então presidente Lula e que não deu em nada. Muita fumaça, pouco conteúdo. Argumentei com meu chefe direto que seria impossível fazer uma apuração independente do conteúdo da revista. Estávamos dando tudo aquilo como límpido e verdadeiro. O certo seria fazer nossa própria apuração a partir dos dados trazidos pela Veja. E se as informações não se confirmassem? Resposta dele: é isso mesmo, é apenas para reproduzir trechos da revista.

Foi nesse quadro que, mais tarde, houve um revolta interna na redação da Globo de São Paulo, que envolveu um grande número de profissionais, resultou na demissão de Rodrigo Vianna e, mais tarde, influenciou minha decisão de pedir rescisão antecipada de meu contrato, que venceria quase dois anos depois, para estudar internet nos Estados Unidos. Não me arrependo e, a julgar pelo que aconteceu neste fim-de-semana, vejo que o método da mídia corporativa não mudou. Saiu na capa de Veja, teve grande repercussão no Jornal Nacional e…

A suspeita que eu tinha então agora está desfeita. Não duvido mais que seja tudo combinado. Se não fosse, por que a denúncia da Folha sobre o aeroporto de Cláudio não detonou imediatamente o mesmo rolo compressor investigativo?

Talvez a existência dos blogs e das redes sociais tenha acabado com as mentiras mais deslavadas. A manipulação da mídia corporativa agora é exercida na escolha da pauta e nos recursos direcionados para apurar este ou aquele assunto, de acordo com as conveniências políticas, econômicas ou ideológicas. De volta a 2006!

Leia também:

Luciano Martins Costa: Em julho, 97,6% das manchetes sobre a economia brasileira foram negativas

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
68 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alex

18/08/2014 - 09h31

Pessoal, eu só não entendo uma coisa. Se é normal vazar as perguntas, por que fizeram isso numa reunião secreta? Vocês também não acham que o papel do parlamentar é investigar o governo? Mesmo que sejam da mesma base? E pegar as pessoas de surpresa não seria melhor, do que simplesmente combinar com o depoente?

Responder

Universitário

13/08/2014 - 10h30

Revista Veja culpou Cabral pela falta de investimento na prevenção às enchentes, mas não culpa Alckmin por ter deixado de investir no Cantareira e outros mananciais mesmo tendo sido alertado em 2004.
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/governo-de-jsergio-cabral-foi-alertado-em-2008-sobrea-risco-de-desastre-em-regiao-onde-547-ja-morreram/
O jornal O Globo também bateu em Cabral dizendo que o gasto com prevenção é menor do que aquele após o desastre, mas com Alckmin o jornal resolveu mudar o discurso
http://m.oglobo.globo.com/rio/a-industria-que-se-alimenta-das-chuvas-no-rio-3671378
Na reportagem do O Globo se lê “Sem projetos que ajudem a mudar ou reduzir os danos das chuvas, restam as obras emergenciais, que são anunciadas com pompa por autoridades”… lembra muito a inauguração do volume morto de Alckmin.

Responder

Rotor

11/08/2014 - 08h08

O povo sabe que o plano é levar os tucanos ,de novo ao poder.
Tucanos, dos tempos do país quebrado, do desemprego, da inflação e juros altos, da divida externa.
Dilma 2014

Responder

Brancaleone

10/08/2014 - 20h18

Prezado Azenha:

Alguns comentários que faço são censurados e não saem.
Isso já aconteceu antes. Só que pelo menos colocavam receitas de bolos nos lugar do que foi censurado.
Pelo menos coloquem algo tipo “Comentário do Fulano foi censurado por isso e aquilo”
Obrigado.

Responder

Brancaleone

10/08/2014 - 17h31

Detesto ter que dizer-lhes mas papai noel não existe, nem coelho da páscoa e a terra é redonda. Aproveito tambem para contar a voces que a IMPRENSA é um negocio como outro qualquer. Padarias, botecos, puteiros, templos religiosos tambem são negócios tão honestos ou desonestos quanto quaisquer outros.
Tem que ser muito ingênuo para acreditar que a imprensa e a maioria dos jornalistas – sejam de esquerda ou de direita sejam tambem um tipo de polícia, de promotoria e de juiz do mundo. Imprensa é um NEGÓCIO. Pode ser o Times ou o Pravda (ainda existe?) ou a Voz de la Revolución ou o Diario Bolivariano ( sei lá se existem) tanto faz. Todos sem exeção são apenas negócios e como tal precisam gerar lucros tanto quanto jornalistas precisam de empregos.
Ideais? Princípios? Todos tem e todos sem exceção estão dispostos a vendê-los. Alguns vendem por acreditarem estarem certos, por estarem agindo de maneira correta e honesta e estes são os piores tipos.

Veja e Globo são os vilões? Claro que são. Mas quem não é? qual jornal, qual rede de tv não esta a serviço deste ou daquele grupo político?
Não existem inocentes. Só interessados.

Responder

Olavo

07/08/2014 - 20h47

Se a Dilma e o PT acham tudo normal, não sei por que a gente fica se descabelando pelos caras. Tudo o controle remoto resolve. E tome dinheiro publico na carcunda dos caras. Nós somos doentes. Já cansei de falar sobre isso, mas a militância é meio leniente ou burra mesmo.

Responder

Igor_

06/08/2014 - 14h56

Ué e qual novidade nisso né? Todoa sabemos que o PIG e a “rainha do PIG” a Globo ABSOLUTAMENTE TUDO farão do possível ao impossível para eleger Aécio presidente e seus govenadores preferidos nos estados do Brasil e detonar o PT o quanto mais melhor. Se conseguirão e o que veremos. Mas o PT está mais do que cansado de saber disso do que o PIG é capaz de fazer pelo seus interesses se não aprendeu isso até hoje não aprende mais….

Responder

abolicionista

05/08/2014 - 12h22

Nunca perdoarei o PT por ter se furtado ao combate com a Globo. Tivemos a chance de dar um golpe definitivo na Globo e o Lula estendeu a mão ao inimigo. Há certa justiça poética no que está acontecendo. Há uma lição política a se tirar dessa situação. O governo não precisaria de tantos marqueteiros se tivesse o mínimo de vontade política para mudar a situação das comunicações no país…

Responder

    Mário SF Alves

    12/08/2014 - 20h25

    Pode ser que o Lula nunca tenha levado o velho Marx a sério. Só pode ser isso.

Carlos Roberto

05/08/2014 - 09h54

Realmente Veja mentiu novamente para seus incautos leitores, pois preparar e estudar perguntas e respostas é comum em qualquer fórum vide o Trabalhista em SP e os respectivos Advogados que orientam suas testemunhas.
Portanto, Veja que já chamou Demóstenes de Mosqueteiro da Ética mentiu manipulou mais uma vez.

Responder

Jonas Silva

05/08/2014 - 08h57

E as viúvas indignadas da Globo? Onde estão? http://www.platodocerrado.blogspot.com.br

Responder

Grande Carioca

04/08/2014 - 23h33

A mídia sabe que o aécioporto é apenas a ponta do iceberg.Há piruetas ali que nem a esquadrilha da fumaça consegue fazer…

Responder

Midionauta

04/08/2014 - 21h25

Azenha,
acabei de assistir no JN desta segunda a sequência da reportagem Você acredita que foram perguntar aos 3 principais presidenciáveis o que eles achavam da denúncia? Ninguém perguntou a opinião dos presidenciáveis na questão dos aeroportos!

Responder

marco

04/08/2014 - 21h22

Não me preocupo com que publiciza a Veja,o JN,O Jornal do Bando,isto é,da Band,do Estadão,da Folha,da ZH e tantos correlatos,pois se somarmos quem os lê ou assiste,não passam de poucos.Acho que os blogs,são mais lidos e acessados,do que eles todos juntos e afinal,direitista,sempre vota com a direita.Não mudam nunca!

Responder

Marat

04/08/2014 - 20h57

O PSDB tem muita grana. Quem faz a auditoria?

Responder

FrancoAtirador

04/08/2014 - 20h04

.
.
COMETA G.A.F.E.* AGE NA ILEGALIDADE

As disposições do artigo 243 do Código Eleitoral devem ser observadas,
no que for cabível, à propaganda na internet, não se admitindo propaganda:

a) de guerra, de processos violentos para subverter o regime, a ordem política e social ou de preconceitos de raça ou de classes;

b) que provoque animosidade entre as forças armadas ou contra elas ou delas contra as classes e instituições civis;

c) de incitamento de atentado contra pessoa ou bens;

d) de instigação à desobediência coletiva ao cumprimento da lei;

e) que implique em oferecimento, promessa ou solicitação de dinheiro, dádiva, rifa, sorteio ou vantagem de qualquer natureza;

f) que caluniar, difamar ou injuriar quaisquer pessoas, bem como órgãos ou
entidades que exerçam autoridade pública.

Havendo propaganda com tais características, o prejudicado poderá representar à Justiça Eleitoral, solicitando a sua cessação imediata,
sem prejuízo da ação civil visando a reparação do dano ou da ação penal, quando cabíveis.

(http://www.mp.ce.gov.br/esmp/publicacoes/ed1/artigos/aspectos_juridicos_propaganda_eleitoral.pdf)
(http://www.dji.com.br/leis_ordinarias/1965-004735-ce/ce__240a256.htm)
.
.

Responder

FrancoAtirador

04/08/2014 - 19h37

.
.
Há muitas perguntas sobre Aécioportos

sem respostas do Tucano Aéreo Naves.

CPI DA AEROBRAX, JÁ!
.
.

Responder

Fabio Passos

04/08/2014 - 18h51

É fato. O PiG trata seus leitores como imbecis.

Mas desta vez, mesmo os mais estúpidos leitores de veja, não parecem muito animados com a “denúncia”. rsrs

Até os mais limitados militantes do PiG perceberam que trata-se de uma “denúncia” completamente ridícula.

Responder

Rasec

04/08/2014 - 17h40

A estratégia é usada para que Lula/Dilma/PT usem o tempo de TV pra se defender das acusações que vêm em bloco. Reduz o tempo da tv que poderia ser usado pra mostrar tanto que foi feito!

Responder

lulipe

04/08/2014 - 17h37

E sobre a denúncia, Azenha, nadinha de nada????

Responder

bento

04/08/2014 - 17h07

O x da questão é time-life…

O império aprendeu …durante a segunda guerra mundial…que a manipulação passa pelo domínio da mente…

Para manter as colonias sobre controle…um golpe militar e um sistema de comunicação “amigo”…

Infelizmente são 12 anos em que apenas encher as barrigas era suficiente…não precisavamos de consciência…

Responder

Ricardo

04/08/2014 - 16h55

Azenha, o fato testemunhado por você em Brasília me lembrou de outro, ocorrido no Senado durante a CPI da Petrobras de 2009. Eu estava lá e vi. Durante uma sessão de perguntas a executivos da empresa, um repórter do Estadão aproximou-se do senador Álvaro Dias e, diante de dezenas e jornalistas, assessores e parlamentares, “soprou” uma pergunta no ouvido do tucano. Pergunta que foi feita logo em seguida e foi respondida traquilamente pelos executivos, com fatos e dados, para decepção do repórter e do senador.

Esse é o nível de cumplicidade de oposição e grande imprensa no Brasil.

Responder

manelito

04/08/2014 - 15h43

Nao entendo porque o PT e o governo nao entram com uma representaçao no TSE, pedindo DIREITO DE RESPOSTA…

Responder

FrancoAtirador

04/08/2014 - 15h27

.
.
VEJA/ABRIL/NASPERS DESCUMPRIU LEGISLAÇÃO ELEITORAL.

TSE PERMITE PROPAGANDA ELEITORAL PAGA NA IMPRENSA,

mas o anúncio deve ocupar o “espaço máximo, por edição,
de 1/8 (um oitavo) de página de jornal padrão
e de 1/4 (um quarto) de página de revista ou tabloide”.

E DEVE CONSTAR, “DE FORMA VISÍVEL, O VALOR PAGO”…

LEI Nº 9.504/1997
Art. 43. São permitidas, até a antevéspera das eleições,
a divulgação paga, na imprensa escrita,
e a reprodução na internet do jornal impresso,
de até 10 (dez) anúncios de propaganda eleitoral, por veículo,
em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição,
de 1/8 (um oitavo) de página de jornal padrão
e de 1/4 (um quarto) de página de revista ou tabloide.

§ 1º Deverá constar do anúncio, de forma visível, o valor pago pela inserção.

§ 2º A inobservância do disposto neste artigo sujeita os responsáveis pelos veículos de divulgação e os partidos, coligações ou candidatos beneficiados a multa no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) a R$ 10.000,00 (dez mil reais) ou equivalente ao da divulgação da propaganda paga, se este for maior.

ALÉM DISSO, PESSOAS JURÍDICAS ESTÃO PROIBIDAS
DE VEICULAR PROPAGANDA ELEITORAL NA INTERNET

Art. 57-C. Na internet, é vedada a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga.
§ 1º É vedada, ainda que gratuitamente, a veiculação de propaganda eleitoral na internet, em sítios:
I – de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos;

(http://migre.me/kPKhT)
.
.
Diário Oficial do Estado de São Paulo
Página 41 • Executivo – Caderno 1 • 06/05/2014 • DOSP

FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
[…]
Extrato de Contrato
[…]
Contrato: 15/00201/14/04
– Empresa: Abril Comunicações S/A
– Objeto: Aquisição pela FDE de 4.263 assinaturas da Revista “VEJA”,
destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
– Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 440 dias
– Valor: R$ 1.208.134,20
– Data de Assinatura: 30/04/2014.

(http://www.jusbrasil.com.br/diarios/69847178/dosp-executivo-caderno-1-06-05-2014-pg-41)
(http://migre.me/jzL6M)
.
.
Diário Oficial do Estado de São Paulo
Página 25 • Executivo – Caderno 1 • 09/05/2014 • DOSP
FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
Extrato de Contrato
[…]
Contrato: 15/00202/14/04
– Empresa: Editora Globo S/A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 4.263 (quatro mil, duzentos e sessenta e três) assinaturas da Revista ÉPOCA
– 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
– Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 440 dias
– Valor: R$ 1.208.134,20
– Data de Assinatura: 08/05/2014.

(http://www.jusbrasil.com.br/diarios/70056688/dosp-executivo-caderno-1-09-05-2014-pg-25?ref=home)
(http://migre.me/jzLtm)
.
.
Diário Oficial do Estado de São Paulo
Página 31 • Executivo – Caderno 1 • 14/05/2014 • DOSP

FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
[…]
Extrato de Contrato
[…]
Contrato: 15/00200/14/04
– Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
– Objeto: Aquisição de 4.263 assinaturas do jornal “FOLHA DE SÃO PAULO”,
destinadas a todas as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
– Prazo: 443 dias
– Valor: R$ 2.551.831,80
– Data de Assinatura: 05/05/2014.

(http://www.jusbrasil.com.br/diarios/70256193/dosp-executivo-caderno-1-14-05-2014-pg-31)
(http://migre.me/jzKJ8)
.
.

Responder

Urbano

04/08/2014 - 14h44

O pig é parte integrante, e dos mais atuantes, da quadrilha dos bandidos da oposição ao Brasil. E os crimes? Todo o código penal… Inclusive de morte, pois se não executou diretamente, mas facilitou ou induziu…

Responder

Rodrigo Leme

04/08/2014 - 13h12

A mewdalha de ouro da ginástica retórica vai para o Azenha, rs. Quer dizer que o governo e dirigentes de uma empresa metade privada combinam previamente perguntas e respostas em investigação de suposta irregularidade administrativa, e é tudo certo e esperado?

Se é normal, pq os envlvidos negam ter feito as perguntas ou treinado as respostas? Pq negar algo que é natural?

Azenha, você já foi melhor nisso.

Responder

    J Fernando

    04/08/2014 - 14h33

    A CPI foi instalada pela oposição.
    Se o lado governista estudou as respostas, bem, e o lado oposicionista, que tanto batalhou pela CPI, também cedeu as perguntas?

    Rodrigo Leme

    04/08/2014 - 17h50

    158 das 179 perguntas da CPI vieram do PT ou base aliada. Precisa explicar mais que isso?

    abolicionista

    06/08/2014 - 14h13

    Rodrigo, responda se puder, o que é mais relevante: o escândalo das perguntas da CPI ou o escândalo de 5 bilhões do metrô de SP? As perguntas da CPI ou um estado inteiro sem água? Qual dessas questões recebeu mais de quatro minutos no Jornal Nacional?

    Pra mim, pouco importam essas intrigas palacianas entre os partidos, o grande empecilho à democracia nacional se chama Rede Globo. Aquele braço armado da Globo chamado editora Abril também é horrível, com aqueles foliculários enraivecidos, mas ela é peixe pequeno diante da Globo, em cujas mãos sujas se concentra o maior poder econômico, político e social brasileiro. Diante da Globo, todos os partidos exibem vergonhosa submissão.

    É disso que o Azenha está falando, e você sabe muito bem…

Jose Mario HRP

04/08/2014 - 11h48

Montagem escrota.
E Se eu fosse a uma CPI, de um assunto especifico(se fosse a do fim do mundo não é claro) também treinaria o que dizer , para não deixar nenhuma duvida na firmeza de minhas respostas.
Outubro/Novembro vem aí e o povo( maioria né ) vai dar uma sonora respostas ao PSDB/PPS/morto vivo Dem!!!!!!
FORA Novamente!!!!!

Responder

    Mauro Assis

    04/08/2014 - 16h21

    Acontece, amigo, que vc não teria acesso antecipado às perguntas… esse é o crime da história. Vc acha que um investigador de polícia manda as perguntas pro meliante treinar antes do interrogatório?

    Paulo Figueira

    04/08/2014 - 17h08

    Não trata-se de inquérito policial

valmont

04/08/2014 - 11h24

A Presidência em um governo de coalizão compartilhado com adversários é muito pouco para produzir mudanças substanciais, especialmente as reformas fundamentais. As eleições para o Congresso Nacional devem ser enfatizadas. Não adianta ter a Presidência da República e não ter base parlamentar minimamente confiável.

Há décadas, o Congresso se tornou um balaio de gatos com essa pletora de partidecos mercenários, cujo único interesse é o enriquecimento de suas panelinhas.

A ênfase em nomes (indivíduos), e não em partidos e programas, é o grande engano do eleitor brasileiro.

Responder

Atuante

04/08/2014 - 11h11

Eu vi uma coisa esquisita na TV. Pode te sido na Record.

Mostravam as cidades onde falta água e diziam o nome do prefeito e partido.

Mas quando citaram a capital, não disseram nada de policitcos, só a SABESP. Tô de olho.

Responder

Fabio

04/08/2014 - 09h18

Pior é ver o PT que nada faz com a Ley dos medios e fica sentado esperando a midia detonar o partido e seus membros.
Acorda PT!!

Responder

    valmont

    04/08/2014 - 10h24

    Fábio,

    Você acha que esse Congresso, no qual o Partido dos Trabalhadores tem apenas 17% das cadeiras, aprovaria qualquer coisa contra a vontade do PMDB e da bancada da mídia?

    Vários parlamentares da chamada “base aliada” integram a bancada da mídia e são muito mais fiéis aos seus interesses do que aos do PT e da população.

    Qualquer tentativa parlamentar no setor de comunicação é automaticamente barrada no Congresso. O destino de um projeto de regulação seria a gaveta do eterno esquecimento.

    Não sei quando haverá base parlamentar suficiente para viabilizar o estabelecimento de normas nesse território sem lei dominado pelos barões da mídia. Enquanto o PMDB e a bancada da mídia dominarem o CN, nada passa.

sergio

04/08/2014 - 02h25

É a mesma patifaria de sempre, a Veja lança o “escândalo”, a Globo e as demais mídias golpistas repercutem, repercutem e repercutem.
Este joguinho já está manjado e a população vacinada.
Não adianta eles tentarem tirar o Aécioporto do foco, vamos continuar divulgando em todos os cantos do País.

Responder

FrancoAtirador

04/08/2014 - 01h15

.
.

dom, 03/08/2014 – 14:04 – Atualizado em 03/08/2014 – 15:06
Jornal GGN

Veja continua (inacreditavelmente) pautando a mídia

Por Luis Nassif

Nos anos 2.000, a Folha cometeu o maior erro estratégico da sua história moderna, indo a reboque da revista Veja.
Não apenas ela, mas os demais veículos.

Dias desses cruzei com o diretor de redação de uma grande publicação, ferozmente anti-governo.
Sem que o provocasse, comentou comigo que Veja não faz jornalismo.

Ou seja, mesmo na frente-mídia montada em 2005,
o jornalismo de Veja é motivo de vergonha,
a maneira como ideologizam qualquer besteira,
o fato de não ter a menor preocupação em se ater aos fatos.

Ou seja, o padrão Veja ajudou a desmoralizar o jornalismo como um todo,
lançou ao descrédito todos os grupos de mídia.

É só conferir o desafio gigantesco da Folha para recuperar a imagem perdida,
tendo que “explicar” aos leitores qual sua posição e qual a dos colunistas.

Aliás, a posição de um jornal não é o que sai nos editoriais (de baixa leitura)
mas na cobertura diária.

A repercussão dada ao factoide da Veja desta semana –
tratando como escândalo o suposto conhecimento prévio,
pelos convocados da CPI da Petrobras, das perguntas que seriam formuladas,
beira o ridículo.

Escândalo é continuar se valendo de instrumentos de espionagem,
mantendo o padrão que, na Inglaterra, levou jornalistas à prisão,
e por aqui continua sendo totalmente tolerado.

Ontem um amigo me ligou dizendo que o Jornal Nacional
dedicou quase dez minutos de cobertura.
O efeito-manada faz com que Estadão e Folha vão atrás.

Não adianta.
Mesmo com o Instituto Millenium, com o fórum da ANJ, com os consultores midiáticos,
a Mídia padece de uma ausência total de visão estratégica.

Não tem o menor cuidado ao se misturar com a lama.

(http://jornalggn.com.br/noticia/veja-continua-inacreditavelmente-pautando-a-midia)
.
.

Responder

abolicionista

03/08/2014 - 23h44

E o ministro das comunicações, onde andará?

Responder

HANS

03/08/2014 - 22h41

GLOBO: CANCER DO BRASIL!!! SIONISMO: CANCER DO PLANETA!!! A MIDIA SIONISTA MENTE!!!

Responder

Marat

03/08/2014 - 22h23

O difícil, muito difícil, é explicar isso para meu alienado e burrinho povo de São Paulo, mesmo os que vêm do NE e vivem aqui… Eles (apesar de tudo) acreditam no PIG, mesmo quando eu lhes pergunto: “Mas vocês já pararam para se perguntar quem é que financia o PIG?”

Responder

    Caracol

    04/08/2014 - 07h56

    Vai daí, prezado Marat – utilizando seu próprio (e justo) raciocínio -, seria o caso de começares a desconfiar daquilo de que estou há tempos convencido: nesses tempos de informação à vontade do freguês, otário não é burro, otário é cúmplice.
    Abraço.

Maria Carvalho

03/08/2014 - 22h18

Fico a imaginar(?) como fazem os participantes desse “conluio” (globo, veja, folha e estadão e outros), qual o meio de contato e aonde se encontram para fazer os “arranjos” para a repercussão de notícias combinadas?

Responder

    Caracol

    04/08/2014 - 07h59

    Telefone, computador,Internet, E-mail, celular…

pimenta

03/08/2014 - 21h43

Sobre a CPI da Petrobras

por : Paulo Nogueira

Falta sentido à mais recente denúncia sobre a Petrobras.

Não exatamente sobre a Petrobras, aliás. Sobre a CPI que investiga a compra da refinaria em Pasadena.

Segundo a Veja, um vídeo mostraria que os convocados tiveram acesso às perguntas. E teriam se preparado para elas.

A história contada pela Veja tem tons rocambolescos, e adjetivos furiosos. O vídeo, diz a revista, foi gravado por alguém com uma microcâmara escondida numa caneta.

Coisa de Bond. James Bond. Tanto mais que a motivação do autor, sempre segundo a Veja, permanece um mistério.

Bem, ajudar a campanha de Dilma certamente não foi a intenção do dono da caneta espiã.

A fragilidade do alegado escândalo se revela quando você sai da superfície e tenta entender a história.

Você pode perguntar: os convocados a depor tiveram acesso a perguntas de arquiinimigos do PSDB e do DEM?

Não.

Não tiveram.

Numa decisão bizarra para quem defendera a CPI com tanto ardor, tanto o PSDB quanto o DEM decidiram não indicar integrantes para a CPI da Petrobras.

Se tivessem feito, PSDB e DEM teriam absoluto controle sobre as perguntas consideradas cruciais para a compreensão do caso.

Mas abdicaram de participar da CPI, por algum estranho cálculo.

Examinemos agora as questões supostamente antecipadas.

Em qualquer sabatina, você se prepara exaustivamente para responder toda sorte de perguntas.

Isso se chama media training.

Muitas vezes, neste treinamento, há uma figura chamada de “advogado do diabo”. Ele faz a você as perguntas que seu pior inimigo faria.

É uma prática também comum para candidatos quando se preparam para um debate.

Que perguntas sobre o caso Pasadena não teriam sido previstas pelos convocados a depor em sua preparação para o depoimento?

É virtualmente impossível imaginar uma “pergunta surpresa” em situações como aquela.

Não é uma prova de vestibular, em que pode cair uma questão sobre a Revolução Russa ou outra sobre a Revolução Francesa.

Na CPI é um assunto só. E um treinamento competente deixa você preparado para a sabatina.

Um esforço genuíno de investigação jornalística se centraria não nas perguntas, mas nas respostas.

Elas foram inconvincentes? Trouxeram informações erradas? Se sim, quais são as falácias e onde está a verdade?

É um trabalho duro para jornalistas, muito mais árduo que bater bumbo em torno de um vídeo tirado de uma caneta.

Você só entende a opção pelo caminho fácil jornalístico à luz de, simplesmente, tentar gerar um escândalo à beira das eleições.

O objetivo, nestes casos, não é esclarecer o público e sim confundi-lo.

Não tem sido fácil transformar Pasadena num novo Mensalão, ou coisa do gênero.

Empresários e executivos acima de qualquer suspeita como Fabio Barbosa, Jorge Gerdau e Claudio Haddad faziam parte do Conselho de Administração da Petrobras na época da compra e a chancelaram.

Por que ninguém os entrevista sobre o assunto?

Porque não interessa. Porque não ajudaria naquilo que se deseja: inventar um mar de lama.

Responder

Elias

03/08/2014 - 21h36

“Naquele período eleitoral, também constatei por dentro a mecânica da mídia: denúncia na capa da Veja entre sexta e sábado, repercussão acrítica no Jornal Nacional de sábado, bola rolando a partir de domingo na Folha, Estadão e O Globo.” Luiz Carlos Azenha

Ou seja. O que fica caracterizado é um quadro típico de quadrilha. Eles agem mancomunados numa sequência de conluios delituosos para desestabilizar governos democraticamente eleitos. É uma quadrilha, gente! É uma organização criminosa sem armas, que pode levar ao golpe e aí as armas se impõem. Pior que não existe lei para levá-la (a quadrilha) à prisão. Haverá sempre o recurso da “liberdade de imprensa”. Isso que temos no Brasil é imprensa? Será que cabe dizer “ruim com ela, pior sem ela” (?) Se cabe, então, devemos ter estômago forte para engolir “o quanto pior, melhor”, prato esse que ela (a quadrilha) nos oferece todos os dias. Já não sei mais se a Lei de Meios resolve essa perversidade midiática instalada nos quatro cantos do Brasil. Mas, como democrático e pacifista, aguardo com paciência uma regulação bem significante de todos os meios de comunicação. E que não demore tanto a ponto de esquecermos de sua importância para o futuro das crianças que amanhã serão adultos mais difíceis de serem manipulados.

Responder

pimenta

03/08/2014 - 21h26

Dono do jato ganhou estatal

Aécio Neves publicou hoje, em sua página no Face um artigo sobre a recente polêmica envolvendo o aecioporto no município de Cláudio.

No texto, Aécio admite dois erros:

O erro 1 é fofinho: “No caso de Cláudio, cometi o erro de ver a obra com os olhos da comunidade local e não da forma como a sociedade a veria à distância.”

Erro 2: “Depois de concluída essa obra, demandada pela comunidade empresarial local, pousei lá umas poucas vezes, quando já não era mais governador do Estado. Viajei em aeronaves de familiares, no caso a da família do empresário Gilberto Faria, com quem minha mãe foi casada por 25 anos.”

Fofinho também. Usou o jatinho do marido da mamãe.

Aécio esqueceu, contudo, o erro principal. A pista não estava homologada pela Anac, nem preparada ainda para receber jatinhos do porte que ele usou.

Como um sujeito imprudente, que usa “umas poucas vezes” uma pista clandestina, quer governar o Brasil?

Além disso, acho útil trazer mais detalhes sobre o jatinho.

Na verdade, o jatinho, um Hawker 800, de numeração PT-GAF, pertence à empresa Banjet Táxi Aéreo Ltda, que tem dois proprietários: Clemente de Faria (filho do padrasto de Aécio) e Oswaldo Borges da Costa Filho.

aero_aecio

banjet_frota

banjet_socios

Pois bem, Oswaldo Borges da Costa, um dos donos do jatinho, foi indicado por Aécio, já na transição para seu sucessor, para uma das mais estratégicas estatais de Minas Gerais, a Codemig.

codemig_presidente

A Codemig opera no setor de mineração, como, por exemplo, na reserva de nióbio de Araxá, cuja exploração o governo de Minas entregou a CBMM, pertencente à família Moreira Salles.

Antes de assumir a Codemig, Borges da Costa foi, também por indicação de Aécio, diretor-presidente da Companhia Mineradora do Pirocloro de Araxá, uma companhia mista pertencente à Codemig e à CBMM.

Documento vazado pelo Wikileaks em 2010 revela que a mina de Araxá é considerada um dos lugares mais estratégicos para a sobrevivência dos Estados Unidos.

A exploração da mina de nióbio de Araxá é uma fábrica de dinheiro para os Salles. A CBMM vale US$ 13 bilhões. Com faturamento anual superior a R$ 4 bilhões, dá mais dinheiro à família do que o Itaú-Unibanco, onde a família detêm 33% das ações.

O Brasil possui praticamente 100% das reservas mundiais de nióbio e até hoje não possui uma política específica para o setor.

Segundo a própria CBMM, em 2002 terminou o prazo da parceria entre o governo do estado e a empresa para a exploração conjunta do nióbio em Araxá, mas “as partes não manifestaram interesse na rescisão” da parceria, através da qual o governo de Minas, via Codemig, fica com 25% dos lucros líquidos de toda a operação com nióbio na região.

Adriano Benayon, um especialista em nióbio, denuncia que a CBMM exporta o produto a um preço abaixo do mercado internacional, lesando os cofres públicos em bilhões de dólares por ano.

O site da Sociedade Militar acusa a CBMM de explorar sem licitação, há décadas, o nióbio brasileiro. O Ministério Público de Minas Gerais decidiu investigar o caso, mas não se sabe se o inquérito teve andamento. Parece que o MP e a Justiça de Minas estão mais interessados em prender jornalistas críticos a Aécio Neves do que sustar uma evasão bilionária das riquezas de Minas e do Brasil.

De fato, o povo brasileiro gostaria de saber quando é que alguém pediu sua opinião sobre tanta generosidade com a família Salles?

Aliás, por coincidência, o político que mais recebe doações da família Salles, através do Itaú Unibanco, é Aécio Neves. Em 2010, o Itaú doou, oficialmente, R$ 500 mil para sua campanha ao senado. O Itaú doa para todos os partidos, inclusive para o PT, mas Aécio Neves é seu preferido.

E pensar que tudo isso começou com um jatinho.

Gilberto Carvalho tem razão. É só a ponta do iceberg.
– See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/07/31/dono-do-aeciojato-ganhou-estatal/#sthash.eeyEUxda.dpuf

Responder

Euler

03/08/2014 - 20h39

Como parei de assistir a Rede Globo, não tive a infelicidade de ver este novo ataque midiático contra o governo Dilma, contra a Petrobras e contra a democracia brasileira. O objetivo deles é bem claro: fazer o governo sangrar ao máximo, como vinham fazendo antes da Copa. Aliás, na previsão deles a Copa tinha que ter dado tudo errado. Quebraram a cara. Deu tudo certo, apesar da seleção brasileira ter se dado mal, o que não é culpa do governo federal.

Como foram derrotados na orgnaização da melhor Copa de todos os tempos – apesar deles, frise-se bem – agora partem para novos ataques, e sobretudo para desviar o foco do Aecioporto. Estavam sem argumento, e agora arranjaram este, de um depoimento com perguntas ensaiadas. Como disse o Azenha, a CPI é aberta para a participação de todos os parlamentares, incluindo os da oposição. E as perguntas e respostas se tornam públicas. O resto é apenas um ensaio mesmo, que qualquer pessoa pública quando vai se apresentar tem o direito de fazer, desde que não falte com a verdade, não fuja das perguntas – como durante uma semana fez o candidato dos tucanos.

O problema todo é que a Dilma só terá 11 minutos por dia em horário eleitoral, enquanto a oposição golpista e tucana tem 24 horas menos 11 minutos (estes 11 minutos somente a partir do dia 19 de agosto). A mídia não só quer sangrar o governo até o dia 19, como também deseja pautar a apresentação do PT, fazer com que ele fique na defensiva, sem poder mostrar o legado de 12 anos de governo Lula-Dilma. E criar um clima negativo junto à população, a ponto das pessoas não desejarem assistir o horário eleitoral.

Penso que o PT, seu jurídico, tem que começar a questionar as emissoras de TV e rádios na justiça. Começar a pedir direito de resposta, começar a processar os proprietários por uso indevido de concessão pública, e começar a denunciar a parcialidade da mídia na cobertura jornalistico-tucana dos fatos e factóides.

Não dá para continuar aceitando esta manipulação descarada da mídia tucana contra o povo brasileiro. É hora de denunciar em mais alta escala o papel negativo desta mídia dos banqueiros, dos latifundiários, do consenso de Washington, que todo dia prega o caos do Brasil, esconde as conquistas e transmite pessimismo e ódio ao povo brasileiro 24 horas por dia, em escala nacional e regional. Até quando vamos aceitar esta patifaria com recursos públicos (concessões públicas que recebem financiamento público e publicidade dos governos e estatais – o que é isso, afinal?).

Responder

Leo V

03/08/2014 - 20h29

O que impressiona, ou não, é transformarem o nada em “crime”. Eles possuem uma capacidade impressionante de criarem um clima de crime em cima de não-fatos.

Responder

janio

03/08/2014 - 20h26

Já não surpreende mais essas táticas da grande mídia brasileira, digo, GLOBO/ABRIL/FOLHA/ESTADÃO na cia. DO PSDB/PPS/DEM e outros nanicos traíras!!! Queira a GLOBO E CIA. OU NÃO, VAMOS REELEGER DILMA NO PRIMEIRO TURNO!!! DILMA 13 – O problema da presidenta é permanecer com certos personagens em ministérios importantíssimos, como: Comunicação e Justiça!!! Pô, presidenta, vê se faz uma verdadeira faxina nos ministérios e coloca Comunicação e Justiça a trabalhar!!!!

Responder

Idalma

03/08/2014 - 20h18

Essa mídia apodrecida = Traficante, sobrevive graças aos Papagaios de mídia = usuário de drogas, sem o qual o Traficante sucumbiria, simples assim.

Responder

Luís Carlos

03/08/2014 - 20h02

Azenha
Sem dúvida você tem razão. Mesmo para um leigo como eu em jornalismo, isso salta aos olhos. Além disso, essas “combinações” não restringem à matérias jornalísticas, mas surgem também em pesquisas eleitorais, especialmente para uso especulativo na Bolsa.
PSDB e seus parceiros midiáticos já tem quadro claro sobre dificuldades reais para vencerem eleições presidenciais, bem como, do cenário de possível derrota em MG, segundo maior colégio eleitoral do país e um dos maiores PIBs estadual. Porém, o que aterroriza de fato o núcleo político e midiático da oposição é cenário em SP.
Todos movimentos diversionistas serão utilizados, numa lógica de “redução de danos”, pelo PSDB e parceiros para evitar perda irreparável de SP. Não se preocupam com MG que é tido como suporte para SP ou até mesmo adversário de SP, e têm poucas esperanças com a disputa presidencial, como fica evidente com a escolha do Vice de Aécio.

Responder

Fabio Passos

03/08/2014 - 19h54

PiG e psdb são a mesma organização.
Ambos estão em campanha eleitoral com objetivo de derrotar Dilma.

globo, veja, fsp e esp são uma máquina de propaganda a serviço da “elite” branca e rica.

Responder

Julio Silveira

03/08/2014 - 19h50

Mas sempre foi assim a agencia de noticias do PIG, publica informações contra o governo do qual se opõem de forma coordenada, compartilhada. Agente yem a falsa impressão de independencia por que entremeiam com outros assuntos, mas são unissonos naquilo que os une, nos interesses comuns.

Responder

Francisco

03/08/2014 - 19h37

Para os entusiastas de Dilma é uma excelente noticia! Essa “terrível denuncia” (outra bolinha de papel…) comprova que:

1) Não conseguiram de jeito algum localizar alguma fazenda superfaturada de propriedade dela ou de parentes dela;
2) Não conseguiram localizar algum aeroporto ou outro equipamento construido com dinheiro público para beneficiar ela ou seus familiares e;
3) Não conseguiram estabelecer proximidade alguma entre ela e o trafico internacional de cocaína.

Ótimo! Alvissaras!! Uma candidatura bem melhor que a outra!

Responder

    valmont

    04/08/2014 - 10h58

    Bem pensado, Francisco.

    É realmente impressionante que nem a queda de meia tonelada de cocaína no colo dos “detetives” do PIG consiga mudar a direção dos “CANETAS” da Revista Vesga: “A fazenda é do pai, o helipóptero é do filho e o pó é do Espírito Santo…”

    Nem os James Bonds do PIG resolveram como livrar a turma do aecim das evidências de tráfico de drogas. Fizeram apenas o assunto sumir das telas o mais rápido possível, com amplo direito a defesas deslavadas em rede nacional.

Jasson de Oliveira Andrade

03/08/2014 - 19h17

O que não se comentou, tanto na mídia como nos blogs independentes, caso deste: Se os governistas tramaram as perguntas e as respostas, o que a oposição fez. Por que não participou das perguntas? Protesto? Isso explica, mas não justifica. Para mim, a reportagem da VEJA é um vexame à oposição. Por que os governistas, usando o direito de resposta, não dizem essas verdades nas páginas da revista, bem como em todos os blogs? Textos com a pergunta: ONDE ESTAVA A OPOSIÇÃO?

Responder

    Jacó do B

    03/08/2014 - 20h46

    Bastava aos incompetentes da oposição fazerem as perguntas que não foram combinadas. Estavam ausentes do Plenário! Deviam estar reunidos tentando combinar mil e uma respostas sobre o Aecioporto.

Jorge Vieira

03/08/2014 - 18h50

Azenha: Um aspecto que você não levanta, mas é fato, é que essas pautas, inventadas e articuladas da mídia contra o governo, são comercializadas.
Dinheiro grosso corre dos diversos grupos de interesse em dominar o aparelho estatal para os veículos da imprensa abutre.
É um dos itens que cresce cada vez mais na composição das receitas da imprensa velhaca.
Não sei até que ponto isto é ilegal, irregular, imoral e antiético.
Creio que não o seria apenas se houvesse transparência quanto aos clientes de determinada pauta.
Já imaginou o PSDB identificado como comprador da divulgação desse “escândalo” sobre a CPI da Petrobrás ?
É claro que existem outras maneiras da revista/televisão serem remuneradas.
Fazem o “investimento no escândalo” hoje, para serem fartamente remuneradas quando a oposição assumir o poder.
Mas, e o risco da situação ser reeleita ? É grande.
Portanto, urge já receber pelo serviço sujo o mais rápido possível.

Responder

wilson

03/08/2014 - 18h41

Precisamos denunciar o caos em SP (falta água, corrupção no metrô, violência, etc.).
Aé cio Neves está senso utilizado como boi de piranha. Mas o PIG vai protegê-lo.
O que eles querem é proteger a todo custo a última trincheira deles que é o governo de SP.

Responder

maria do carmo

03/08/2014 - 18h17

Midia suja de sempre; estou curiosa para saber sera que o Aecio nas viagens para Aspen saiu do aeroporto de Claudio ou Montezuma pois disseram que viajou de jatinho fretado sem passar pela alfandega… agora o escandalo dos aeroportos nao e especulacao e real documentada e o terreno do titio esta multiplicando de Hum milhao para vinte e tres milhoes a globo e a veja nada. Assisti a Globo o Bonner estava tendo orgasmos a baixaria de sempre, gostaria de entender a globo ,veja e cia cobrir candidato que mistura o particular com o publico, foi denunciado e o pgr roberto gurgel fechou os olhos mas agora esta claro, se ficar impune vai ousar cada vez mais, imagine se fosse do pt era edicao extraordinarria o dia inteiro. A globo quer trazer o nome da Dilma mesmo em denuncias vazias.A globo veja e cia[ querem enxovalhar aa gande presidenta Dilma’ mas nao conseguirao, o povo nao e bobo, mas esta dificilo aguentar as nao noticias.

Responder

    Francisco

    04/08/2014 - 09h40

    A culpa é em parte da própria presidente; porque em vez de abrir o debate pro povão sobre lei da mídia( assunto q o lula tinha deixado encaminhado e a hermana Cristina fez pra valer), não ; foi fazer comidinha com a Ana M Braga; foi no reduto golpista da falha, queria o quê ? Agora chegou o momento; dois meses de baixaria sórdida piguenta 24 horas até o final da eleição .

Capucho

03/08/2014 - 18h07

Parabéns pelo texto e Parabéns pela denúncia interna. E muito mais Parabéns por vc e o Rodrigo hoje ser a pedra no sapato e a água na cerveja do kamel..

Responder

Patrícia

03/08/2014 - 17h47

Azenha eu vejo essa estratégia da mídia desde antes de 2006. Em 2004 naquela matéria da Época com o caso Waldomiro foi assim. A Época pautava o JN, que pautava a Folha, q pautava o Estadao. Sempre a espera da próxima denuncia de fim de semana. E assim foram desconstruindo a imagem do Dirceu, até chegar em 2005, e da entrevista com RJefferson até a saída do ZD da Casa Civil foram apenas 17 dias. Em 17 dias derrubaram o ministro mais forte do Lula, sem reação nenhuma do PT.Em 2006 foram os “aloprados”, em 2010 as calúnias contra a Dilma, e nesses anos todos, a mídia sempre desconstruindo a imagem do PT. Só q a imagem de Lula é maior q do PT, por isso sobrevive, mas a de Dilma agora é muito frágil. A meu ver qq boato desconstrói a imagem dela rapidamente. A sorte é q o horário eleitoral está começando e o PT vai ter espaço para respostas e defesa. Mas horário eleitoral é de 2 em 2 anos, JN, Folha, etc, são diários.. É difícil resistir.

Responder

FrancoAtirador

03/08/2014 - 17h26

.
.
“Foram 4 minutos e 42 segundos
falando sobre a ‘denúncia’ de Veja,
uma enormidade!
Se fosse em comerciais,
teria um custo próximo dos R$ 4 milhões”.

“…é isso mesmo,
é apenas para reproduzir trechos da revista.”

“O que a Globo fez ontem se chama
no meio jornalístico
de ‘dar pernas’ a uma denúncia [vazia].”
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    03/08/2014 - 17h56

    .
    .
    O objetivo do COMETA G.A.F.E.*,

    com o Factóide, é reverter a Pauta:

    Sai Aécioporto, retorna Petrobrás.
    .
    .
    *COMETA = Consórcio de Mídia Empresarial Tucana Abutre
    G.A.F.E. = Globo, Abril, Folha e Estadão
    .
    .

    FrancoAtirador

    03/08/2014 - 18h02

    .
    .
    02.08.2014 – 15h03 | Atualizado em 02.08.2014 – 18h18
    Agência Brasil

    “Substituíram a ditadura militar pela ditadura midiática”,
    diz Kucinsky na FLIP

    Flávia Villela – Enviada especial

    “Substituíram a ditadura militar pela ditadura midiática, a dominação pelo consenso”, disse hoje o jornalista e escritor Bernardo Kucinsky, sob aplausos da plateia que participou da segunda mesa da Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP) neste sábado (2).

    A irmã e o cunhado de Kucinsky foram presos e mortos pela ditadura e seus corpos continuam desaparecidos.
    Segundo ele, a Comissão Nacional da Verdade não terá resultados concretos, pois os poderosos que apoiaram o Golpe de 64 continuam no poder.

    “E as Forças Armadas não se reciclaram, não condenaram as atrocidades cometidas no passado. A tentativa de desinformar e a guerra psicológica continua em alguns setores militares, continua, ainda que diminuto,” declarou.

    Filho de Rubens Paiva, que foi preso, torturado e morto pelos militares em 1971, o escritor Marcelo Rubens Paiva chorou ao ler um texto sobre o sofrimento da mãe e da família pela incerteza do paradeiro do deputado, cujo corpo continua desaparecido.
    O pai morreu na noite em que a esposa foi presa.
    Apenas em 1996, foi feito o registro de óbito de Ruben Paiva.

    Marcelo foi aplaudido de pé ao lembrar da coragem e determinação da mãe, Eunice Paiva, na luta contra a ditadura.

    “Mamãe era uma dondoca. De repente, foi presa e saiu de lá muito magra e sozinha. E então começou a peitar a ditadura”, disse.
    “Passou a fazer parte de vários movimentos, a ser uma voz quase solitária contra a ditadura”.

    Posteriormente, Eunice estudou direito e passou a se dedicar às causas indígenas.

    A mediadora da mesa e historiadora Lilia M. Schwarcz argumentou que os relatos dos participantes falavam de uma memória de um tempo que não passou e de uma história que ainda incomoda os brasileiros.

    Revisitar os fatos e desnudar as verdades são fundamentais nos dias de hoje para os debatedores.

    “A história é complexa e por isso mesmo requer reflexão, uma boa pesquisa, leitura”, disse o economista Pérsio Arida, preso e torturado quando tinha 18 anos.

    “Se até pessoas que participaram do período têm essa confusão, imagina os garotos que moram na periferia de grandes cidades, que não têm acesso a essa história nas escolas”, disse Paiva.

    “As novas gerações têm muitos poucos pontos de contato com as outras gerações, não tem continuidade. Para eles a ditadura é uma capítulo remoto da história do Brasil. O nível de desconhecimento é impressionante”,
    disse Kucinsky.

    Editor Fábio Massalli

    (http://www.ebc.com.br/cultura/2014/08/substituiram-a-ditadura-militar-pela-ditadura-midiatica-diz-kucinsky-na-flip)
    .
    .

Isidoro Guedes

03/08/2014 - 17h07

Toda essa mídia (direitista e corporativa) na verdade é uma escória. Uma máfia travestida de organizações de comunicação. Precisam ser desbaratadas, pois não praticam jornalismo, e sim terrorismo rasteiro contra governos que não rezam por sua cartilha ideológica (como os governos trabalhistas e de esquerda). Vergonha pura!

Responder

Deixe uma resposta