VIOMUNDO

Diário da Resistência


“Prisões preventivas” da Copa, armação no Rio para evitar protestos
Você escreve

“Prisões preventivas” da Copa, armação no Rio para evitar protestos


12/07/2014 - 23h57

debate criminalização 1

NOTA DE REPÚDIO ÀS PRISÕES ARBITRÁRIAS

via Lúcia Rodrigues, no Facebook

Na véspera da final da Copa do Mundo, o principal debate não é sobre quem será o possível campeão, mas sim sobre se temos ou não democracia em nosso país. A Justiça expediu 26 mandados de prisão contra professores, jornalistas, radialistas, midiativistas e outros cidadãos, além de mandados de apreensão de dois adolescentes, por conta da participação destes em manifestações e da articulação de novos protestos para os próximos dias. O ato repete prisões que ocorreram também na abertura da Copa.

Tal atitude nos afasta cada vez mais de um Estado Democrático onde o direito à liberdade de expressão e manifestação deve ser garantido amplamente. Por conta disso, as entidades e militantes abaixo assinados repudiam a ação policial e fazem questão de frisar algumas questões relevantes:

1 — O advogado criminalista Lucas Sada, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, cuida do caso da radialista Joseane de Freitas, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), presa neste sábado (12/07) sob a alegação de formação de quadrilha armada, assim como todos os outros presos. O advogado relatou que Joseane apenas participou de duas manifestações, a mais recente realizada em Copacabana por ocasião da abertura da Copa do Mundo. Ela e os outros presos no Rio serão encaminhados ao Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. Este fato reforça características típicas de Estado de exceção que estamos enfrentando nos últimos dias.

2 — A Polícia permitiu acesso exclusivo para os jornalistas a serviço da mídia corporativa empresarial, impedindo jornalistas e comunicadores independentes de fazerem a cobertura da ação. Esse fato revela uma atitude antidemocrática e fere a liberdade de expressão e de imprensa, caracterizando uma violação aos direitos humanos.

3 — Outra violação de Direitos quase se concretizou com a autorização para que os jornalistas que tiveram acesso às dependências da Cidade da Polícia filmassem e fotografassem os presos políticos, mesmo sem haver nenhuma condenação aos suspeitos. Sem maiores explicações, a polícia desistiu de apresentar os detidos. Repudiamos a imposição desse tipo de tarefa pelas empresas aos jornalistas, que viola o Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros. Tal repúdio se dá porque a atitude da polícia e também das empresas que em outros casos já publicaram imagens se impõe como uma violação aos Direitos Humanos dos presos políticos, e um ataque à Cláusula de Consciência do mesmo Código, que garante o direito de os profissionais se negarem a tarefas antiéticas.

4 — Ao chegar à Cidade da Polícia para verificar denuncia de cerceamento ao trabalho dos jornalistas, a diretora do sindicato Gizele Martins foi impedida de ter acesso às dependências da delegacia. Do lado de fora, ela comprovou que jornalistas independentes e comunicadores foram de fato proibidos de entrar na unidade.
Diante desse cenário, é necessário restabelecermos o Estado Democrático de Direito com garantia da liberdade de expressão, manifestação e imprensa. Não podemos admitir, a pretexto da garantia da ordem, o cerceamento de direitos e a prisão daqueles que participam de protestos e lutam por suas causas, ideais e sonhos de uma sociedade mais justa, livre e democrática.

Assinam:

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

Sindicato dos Radialistas do Estado do Rio de Janeiro

Associação Mundial de Rádios Comunitárias

*****

Enquanto os brasileiros sofrem com a derrota da seleção, um resultado muito mais grave está sendo engendrado: a derrota da democracia e da Constituição.

No Rio de Janeiro, por razões políticas, 17 pessoas foram presas, com base em mandados de prisão temporária, e dois menores foram apreendidos.

Um representante do poder judiciário viabilizou a ação policial, evidenciando mobilização orquestrada com participação governamental. A operação foi justificada para prevenir ações que pudessem perturbar a ordem pública no dia da decisão da Copa do Mundo. Por esse motivo os advogados têm tido dificuldade em conhecer a substância de cada acusação: tudo foi feito para impedir que os presos se beneficiassem de Habeas Corpus antes de domingo.

O chefe da polícia civil tem deixado claro, em seus pronunciamentos, que as prisões visam prevenir possíveis ações. Estamos diante de uma arbitrariedade inaceitável, que agride o Estado democrático de direito.

As prisões constituem ato eminentemente político e criam perigoso precedente: a privação da liberdade individual passa a ser objeto de decisão fundada em previsões e no cálculo relativo ao interesse dos poderes do Estado.

Foram golpeados direitos elementares individuais e de livre manifestação. Conclamamos todos os cidadãos comprometidos com os princípios democráticos, independentemente de ideologias ou filiações partidárias, a unirem-se contra o arbítrio e a violência do Estado, perpetrada, ironicamente, sob a falsa justificativa de evitar a violência.

Marcelo Freixo, Jean Wyllys, Lindberg Farias, Tarcísio Motta, Chico Alencar, Luiz Eduardo Soares

Leia também:

Tatiana Merlino: Fantasma do inimigo interno assombra a Maré, no Rio

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Maria Maria

14 de julho de 2014 às 17h44

Jovens manifestantes, venham pra Minas defender o jornalista Carone, preso a mais de 06 meses por publicar falcatruas do Aécio. Venham com coragem, sem máscaras, assim serão, finalmente aplaudidos.

Responder

Leo V

13 de julho de 2014 às 17h07

Do delegado Orlando Zaccone D’Elia Filho, sobre a responsabilidade da Dilma no Estado de Exceção que vivemos:

“A Presidente Dilma é responsável não só pelas prisões dos manifestantes do Rio, como os de São Paulo e no restante do país. A estratégia de definir os ativistas no crime de quadrilha armada, associação criminosa, milícia, etc, foi definida em reunião do Ministro da Justiça com os Secretários Estaduais de Segurança. Infelizmente ela já se manifestou sobre as prisões, determinando aos estados que assim o procedesse. Para piorar a situação,todo este movimento de intervenção federal na atribuição investigativa criminal do estados é tido como um grande sucesso. Recentemente a Presidente falou sobre a necessidade de uma maior competência federal na gestão das policias. OU seja, infelizmente, tudo o que está acontecendo tem a assinatura da Presidente.”

https://www.facebook.com/rchacal/posts/10152304339506909?comment_id=10152304403331909&offset=0&total_comments=45

Responder

Leo V

13 de julho de 2014 às 16h28

E que se acabe com esse blá blá blá de “Polícia do Alckimin”. O estado de exceção é de norte a sul orquestrado nacionalmente. No RS o governo é do PT e não é diferente:

Palavras de Dilma Rousseff em entrevista à Globo News anteontem:

“O Brasil conseguiu construir uma política federativa de segurança, porque hoje garante a segurança desse mundial a interação entre o Exército Brasileiro, e as forças armadas porque a Aeronáutica também e a Marinha estão nisso, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária, as Polícias Militares (importantíssimas dos Estados!), a Polícia Civil dos Estados. Em todos os locais, nas doze cidades da Copa, enfim não é uma coisa de um governador ou de outro governador … Todos contribuíram para garantir um padrão de segurança, nós planejamos juntos, nós executamos juntos.”

Aos 6′ do segundo bloco no link abaixo:

http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2014/07/globonews-eleicoes-renata-lo-prete-entrevista-dilma-rousseff-pt.html

Responder

Eva

13 de julho de 2014 às 16h06

Protestem sem máscaras e sem vandalismo. o Brasil não precisa dessa invasão cultural.Saibam protestar e dialogar.

Responder

    abolicionista

    14 de julho de 2014 às 00h36

    Fascistas! Respeitem à Constituição, vermes malditos.

    Vosso dia ainda há de chegar…

    Abaixo à repressão. O povo não será amordaçado.

Leo V

13 de julho de 2014 às 16h05 Responder

FrancoAtirador

13 de julho de 2014 às 15h25

.
.
As declarações [email protected] [email protected] da Polícia do Estado do Rio de Janeiro

parecem ter atravessado o túnel do tempo, vindo direto dos anos 60/70,

período obscuro e sangrento de perseguição e repressão política violenta

promovido pela Ditadura Militar, sob a vigência do AI-5 aqui no Brasil:

Prisões na véspera da final da Copa despertam críticas

12 de julho, 2014 – 17:45 (Brasília) 20:45 GMT
BBC Brasil no Rio de Janeiro

Por Jefferson Puff e Ricardo Senra

A polícia do Rio de Janeiro prendeu neste sábado ao menos 37 pessoas por supostas conexões com manifestações marcadas para coincidir com a final da Copa do Mundo, entre Argentina e Alemanha, neste domingo no Maracanã.

Consultadas pela BBC Brasil, a OAB e a Anistia Internacional avaliaram as prisões como “inconstitucionais e intimidatórias”.

O grupo também deve ser acusado de “formação de quadrilha armada”.

Mais nove pessoas poderão ser presas nas próximas horas pela operação batizada de Firewall 2, que mobiliza 25 delegados, 80 policiais e até uma aeronave.

Para o presidente de Comissão de Direitos Humanos da OAB do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Chalreo, as prisões são inconstitucionais. “As prisões têm caráter intimidatório, sem fundamento legal, e têm nítido viés político, de tom fascista bastante presente. O objetivo é claramente afastar as pessoas dos atos públicos”.

Ao lado de representantes da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e de coletivos de advogados, Chalreo disse à BBC Brasil que os presos terão pedidos de habeas corpus protocolados ainda hoje, e que “ninguém ficará sem assistência judiciária”.

Ao todo, o juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal da Capital, emitiu 26 mandados de prisão temporária, que permitem até cinco dias de detenção, dos quais 17 já foram cumpridos.

Mais duas pessoas foram presas em flagrante e dois menores foram apreendidos através de mandados de busca e apreensão.

Outras 16 pessoas foram presas sem mandado, apenas para “averiguação”, porque estavam nas casas dos suspeitos detidos, informa a assessoria de imprensa da Polícia Civil.

Segundo a polícia, embora nem todos tenham sido encontrados com armas em casa, os suspeitos teriam praticados atos monitorados durante a investigação que permitiram a delegado, promotor e juiz concluírem que participaram de atos de violência, mesmo que não diretamente.

A outra prisão em flagrante teria sido a de um jovem que foi encontrado com maconha na casa de um suspeitos e foi então acusado de “porte de drogas”.

Porte de arma vencido e maconha [?!?!?]

Segundo a polícia, um dos presos em flagrante seria o pai [!!!]
de um dos jovens sobre os quais pesa um mandado de prisão.

Ao entrar na residência para deter o suspeito,
os policiais teriam encontrado uma arma,
supostamente um revólver calibre 38.

De acordo com as informações iniciais, o documento de porte de arma vencido do pai do suspeito levaram os policiais a prendê-lo em flagrante,

e o revólver em questão teria sido a base da acusação de formação de quadrilha armada,

que teria como chefe a ativista Elisa Quadros Pinto Sanzi, de 28 anos.

[QueQuiéIsso, Cara !!?!!]

Conhecida como Sininho, a jovem, que reside no Rio de Janeiro, foi presa em Porto Alegre.

O grupo será acusado por formação de quadrilha armada, conforme tipifica o artigo 288 do Código Penal Brasileiro.

Segundo a polícia, embora nem todos tenham sido encontrados com armas em casa, os suspeitos teriam praticados atos monitorados durante a investigação que permitiram a delegado, promotor e juiz concluírem que participaram de atos de violência, mesmo que não diretamente.

A outra prisão em flagrante teria sido a de um jovem que foi encontrado com maconha na casa de um suspeitos e foi então acusado de “porte de drogas”.

Chalreo, da OAB, diz que é preciso atenção nos termos utilizados nas acusações.

“Dizer armas e drogas, quando na verdade se trata da pistola do pai e de maconha, é criar uma falsa ilusão de perigo”, avalia.

Também foram encontradas joelheiras, máscaras de gás, jornais e bandeiras de movimentos sociais, que na visão da polícia são indícios do envolvimento dos jovens com os protestos.

“Apreendemos jornais [SIC], bandeiras [SIC], e outros materiais ditos inofensivos porque ajudam a fortalecer a vinculação entre as pessoas que foram presas.
Alguém que tem um mero jornal em casa pode ter participado de outra ação violenta e isso será deixado mais claro em cinco dias”,
disse o chefe da Polícia Civil do Rio, Fernando Veloso.

Ele diz que a ação da manhã deste sábado é fruto de uma investigação iniciada em setembro.
“Hoje nós começamos a desmantelar uma quadrilha organizada.
A investigação começou em setembro”, explica.
“Essas pessoas querem fazer guerra, querem provocar o caos e a polícia não pode permitir isso”, complementou.

Anistia Internacional
A organização de direitos humanos Anistia Internacional chamou a atenção para o fato de prisões semelhantes já ocorridas sobretudo no Rio de Janeiro e em São Paulo antes de manifestações.
Para a ONG, a ação é “preocupante, por parecer repetir um padrão de intimidação que já havia sido identificado pela organização antes do início do Mundial”.

A Anistia disse ainda que “a liberdade de expressão e manifestação pacífica são um direito humano e devem ser respeitados e garantidos pelas autoridades em todas as situações, inclusive durante a Copa do Mundo. Ninguém deve ser detido ou preso apenas por participar de uma manifestação e exercer tal direito”.

Colaboração Júlia Dias Carneiro, da BBC News, no Rio de Janeiro

(http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140712_wc2014_prisoes_rio_jp.shtml)
.
.

Responder

FrancoAtirador

13 de julho de 2014 às 15h03

12 Julho 2014
Anistia Internacional

NOTA PÚBLICA

Anistia Internacional manifesta preocupação com prisões
às vésperas da final Copa do Mundo no Rio de Janeiro

Às vésperas da final da Copa do Mundo, quando há protestos marcados no Rio de Janeiro, a notícia de que cerca de 20 manifestantes foram presos hoje (12) na cidade (e outros estariam com prisão temporária decretada) é preocupante por parecer repetir um padrão de intimidação que já havia sido identificado pela organização antes do início do mundial.

A liberdade de expressão e manifestação pacífica são um direito humano e devem ser respeitados e garantidos pelas autoridades em todas as situações, inclusive durante a Copa do Mundo.

Ninguém deve ser detido ou preso apenas por participar de uma manifestação e exercer tal direito.

A Anistia Internacional pede às autoridades do Rio de Janeiro que:

– garantam o direito de reunião e manifestação pacífica e parem de agir de forma a intimidar os manifestantes;

– garantam que todos aqueles detidos tenham total acesso à assistência legal e aconselhamento jurídico, e que advogados sejam autorizados a exercer suas funções profissionais sem intimidação, obstáculo ou interferência imprópria.

anistia.org.br/sites/anistia.org.br/files/imagecache/540_blog/images/protesto_nao_e_crime.jpg
http://imgur.com/aolyKEw
i.imgur.com/aolyKEw.jpg

Responder

FrancoAtirador

13 de julho de 2014 às 14h58

.
.
12 DE JULHO DE 2014 • 12H26
Justiça Global

Estado realiza prisões para reprimir população no Rio,
na véspera da final da Copa

Na manhã de hoje, 12 de julho de 2014, em torno de 60 sessenta mandados de prisão temporária, impondo cinco dias de detenção, estão sendo cumpridos pela Polícia Civil do Rio de Janeiro contra manifestantes e participantes dos protestos do último ano.

Os mandados foram expedidos desde quinta-feira e cumpridos neste sábado, dia anterior a final da Copa do Mundo, para quando há um grande ato de rua marcado.

Detidos e detidas, incluindo duas mães, estão sendo encaminhados para a “Cidade da Polícia”.

Chegando na caçamba de camburões e sendo retirados sob a mira de fuzis.

Sua transferência para o Complexo Penitenciário de Bangu pode se dar ainda hoje. Dia no qual Defensoria Pública, Legislativo e outros órgãos do Estado que poderiam atuar contra esta arbitrariedade estão em regime de plantão, dificultando sua atuação.

Fatos que, somados ao curto prazo de prisão, evidenciam o propósito único de neutralizar, reprimir e amedrontar aqueles e aquelas que tem feito da presença na rua uma das suas formas de expressão e luta por justiça social.

(http://global.org.br/arquivo/noticias/estado-realiza-prisoes-para-reprimir-populacao-no-rio-na-vespera-da-final-da-copa)
.
.

Responder

FrancoAtirador

13 de julho de 2014 às 14h51

.
.
Nota oficial: OAB/RJ demonstra preocupação com prisões deste sábado

A OAB/RJ demonstra preocupação com a prisão de dezenas de ativistas feitas na manhã deste sábado, dia 12 de julho, com base na acusação de crime de formação de quadrilha armada.

Considerando-se que uma manifestação foi convocada para amanhã, as prisões parecem ter caráter intimidatório.

A Seccional também repudia a violação às prerrogativas profissionais dos advogados que estão atuando em favor das pessoas presas.

Por meio de suas comissões de Direitos Humanos e de Prerrogativas, a OAB/RJ agirá, como sempre agiu, para impedir arbitrariedades por parte do Estado.

Felipe Santa Cruz
Presidente da OAB/RJ

(http://www.oabrj.org.br/noticia/87027-oabrj-demonstra-preocupacao-com-prisoes-deste-sabado)
.
.

Responder

Ronaldo Silva

13 de julho de 2014 às 14h32

Cadeia nessa gente que só tem interesse em baderna. Bucha de partidos e políticos medíocres, que fiquem em cana mesmo.

Responder

    Leo V

    13 de julho de 2014 às 15h42

    Muita gente dizia isso pro Lula em 79/80.

    Ronaldo Silva

    13 de julho de 2014 às 21h19

    Que dia vc viu Lula estimulando baderna? Não confunda alhos com bugalhos!

    abolicionista

    14 de julho de 2014 às 00h45

    Deixa pra lá, Leo, não dá pra argumentar com fascista… Eles estão cegos e cheios de ódio.

    Ronaldo Silva

    15 de julho de 2014 às 20h13

    Abolicionista, fascista é vc e sua laia.

Urbano

13 de julho de 2014 às 13h42

Mas por que mesmo, que temos de fazer protesto exatamente hoje e ainda mais na sala de visitas, em que ocorre a final da Copa Mundial? Até as eleições, ainda há uma porção de dias para que se faça protesto até não querer mais, e em qualquer quadrante do Brasil. Esse protesto está mais para palhaçada da oposição ao Brasil, do que para alguma coisa séria de verdade. Democracia sim e sempre, mas esse tumulto engalhardeado de protesto não cheira muito a isso, não…

Responder

João Aguiar

13 de julho de 2014 às 13h25

Nessa estória de Cabral x BléquiBlóqui não tem mocinho e quero que os dois se explodam

Responder

    Leo V

    13 de julho de 2014 às 15h45

    Onde vc está vendo black bloc?

    Vc engole discurso de governo e de polícia.

    E depois os lulistas daqui acham o povo americano ignorante por acreditar nas desculpas esfarrapadas de Bush para invadir Iraque, Afeganistão etc.

    Claro que não podem prender jovens engajados em luta por direitos sociais dizendo que estão prendendo cidadãos para não exercerem seus direitos constitucionais. Deve-se imputar algo que não são, crminaliza-los.. e se não fosse o fantasmas “black bloc” ia ser Al Qaeda, PCC, qualquer coisa.

Willson

13 de julho de 2014 às 12h53

O exercício REGULAR de direito deve ser protegido e estimulado. Acontece que esses manifestantes querem mesmo é avacalhar nossa imagem internacional, contando com a cobertura da mídia que tanto critica. A democracia envolve respeito às regras do jogo, e esses pseudo-manifestantes já deram mostra de que não dão a mínima pra ela. Imagina se a polícia não toma medidas preventivas e ocorre um confronto entre manifestantes black blocks e torcedores argentinos? Se mortes ocorrerem, enlameando nossa imagem tão duramente construída. A crítica maior cairia em cima de quem? Ô sininho, ô Black blocks… Vão ver se eu estou na esquina!

Responder

Pedro Henrique

13 de julho de 2014 às 12h48

Este sindicato dos jornalistas apóia a prisão do jornalista mineiro Marco Aurélio Carone, já que fazem meses que está preso.
Ou é um sindicato pelego a serviço da extrema-direita e de Aécio N. Cunha.
A direita tem muitos amigos no Pisol.

Responder

Gerson

13 de julho de 2014 às 12h23

Essa Sininho é uma oportunista.
Quero ver essa gente fazendo campanha de verdade, Reforma Política e colhendo assinaturas por exemplo.

Responder

    Leo V

    13 de julho de 2014 às 15h51

    Você nunca verá ela fazendo a campanha que vc quer que ela faça. Essa campanha é vc mesmo que tem que fazer.

    O crime dela então é não ser subordinada a vc?

Marcilio Serrano

13 de julho de 2014 às 08h28

Não vi este mesmo pessoal se manifestar contra a prisão do Jornalista Carone em Minas Gerais e nem mesmo sobre a invasão da Casa da Repórter no Centro do Rio de Janeiro, isto sim completamente arbitrário

Já estou de saco cheio da palhaçada da “Sininho” e sua Big Band. quero mesmo saber do que ela sobrevive e como faz para se manter. Depois reclamam, basta não agir como um bando de marginais que não serão importunados. Querem implantar a democracia da minoria….

No passado participei de manifestações e nunca utilizei qualquer aparato apenas a vontade de mudar e minhas convicções políticas.

Tem mais:

Estou de saco cheio do posicionamento hippie Chic do Chico Alencar que se tirar ele de Santa Teresa não sabe chegar em Bangu.

Ou mesmo o Marcelo Freixo que precisa explicar o porque espalhou que estava indo embora do país por motivo de segurança e depois ficamos sabendo que na verdade era uma viagem de trabalho (simplesmente patético).

Não podemos esquecer do Randolfo Rodrigues que tinham como ídolo de retidão o Senador Demóstenes Cachoeira Torres vivia toda hora levando pasmem o Senador ao seu estado natal para falar de Corrupção!!! ou mesmo a descoberta do seu “Mensalinho” escondido pela Mídia simplesmente porque neste momento não interessa.

Mesmo o Jean Willis que ofendeu um internauta simplesmente porque discordou de sua opinião, por ter frequentado a Globo deve se sentir Global.

Sem esquecer da “Camarada Djanira” simplesmente emudeceram de vez. Um bando de falsos e hipócritas.

Portanto resumindo estou de saco cheio do PSOL a esquerda que a Direita adora. Fazem exatamente a linha auxiliar da direita no Brasil.

Ou como diria Lênin: Esquerdismo, doença infantil do Comunismo.

Responder

Leo V

13 de julho de 2014 às 01h43

Convocatória – Sistema Nacional de Participação Social

Seminário no Complexo do Bangu no Rio de Janeiro.

Duração: 5 dias ou mais.

Responder

Leo V

13 de julho de 2014 às 01h03

A Copa virou desculpa para tudo, inclusive perseguir quem esteve mais ativo nas ruas ano passado.
Todos os poderes constituídos, desde partidos em todas as esferas de governo, passando pelo Judiciário e Ministérios Públicos, além do poder econômicos, tentam calar, intimidar, encarcerar aqueles que os incomodaram tanto ano passado e que representam perigo aos seus interesses.
Querem um povo calado para governar e não tocar nos privilégios dos de cima.

O silêncio do governo federal diante de tudo isso é bastante sintomático. O Ministro da Justiça só vem a público para condenar manifestações. Dilma, hipócrita, antes da Copa disse manifestações “pacíficas” seriam garantidas. Mente como a maioria dos políticos.

PIG, PSDB, PT, PMDB, PSB, todos no mesmo barco de supressão do poder constituinte que se forma nas ruas, nos movimentos sociais, na juventude.

O conservadorismo no poder é tão claro diante do encarceramento dessa juventude que busca se organizar por direitos. Ah sim, só a hipocrisia dos 15 dias em que manifestações era legais e democráticas acabou faz tempo: agora governos e grande imprensa fazem o que sempre fizeram, criminalizar tudo e todos que se interponham aos interesses das classes dominantes.

Responder

    Jbmartins

    13 de julho de 2014 às 11h35

    Voce Acha que Dilma é Juiza, Procuradora, Prefeita ou Governadora, mais acho uma bobagem querer dizer que ela esteja de acordo com as prisões ilegais das manifestação, te pergunto por que as manifestações de Junho pararam assim que ela veio a publico e disse, “Ouvi a voz da Rua, estou encaminhando ao congresso, uma constituinte para as devidas reformas”, parou as manisfestações,e os Lobbys politicos e mesmo os politicos sairam de fininho, Hoje o PT tem um projeto de colher assinaturas para virar a ser lei é termos as devidas reformas, por que via congresso nunca teremos as devidas REFORMAS.

    Cissa

    13 de julho de 2014 às 12h57

    Leo, você frisou bem, que Dilma disse que manifestações pacificas seriam garantidas. Agora lhe pergunto: Alguém vai fazer manifestações pacíficas com todo aquele aparato que a polícia apreendeu com eles? Ora, faça-me o favor! Você colocou bem a palavra pacífica entre aspas.

    Leo V

    13 de julho de 2014 às 15h50

    Qual aparato cara Cissa, jornais de esquerda, mascara de gás?

    Minha cara, máscara de gás os profissionais de imprensa usam. E nao é crime ter máscara de gás. Para exercer o direito de manifestação.

    E o mais engraçado é esse pessoal que esbraveja contra PIG acreditar na polícia e no.. PIG!

    Oras, para efetuar prisões ilegais é necessário forjar qualquer coisa.. é óbvio que a polícia tem que apresentar qualquer coisa, mesmo forjada…
    Essa história se repete e não só aqui no Brasil.
    Muita ingenuidade não perceber o estado policial em que vivemos e que os criminosos e vandalos são os de farda e paletó e gravata, vandalizando os direitos civids.

Lindolfo Campos

13 de julho de 2014 às 00h45

Na segunda feira, esses malas poderão fazer democraticamente todo barulho que quiserem. Oportunistas que são, deveriam ter gritado a mais de cinco anos. Por que agora.

Responder

    olivires

    13 de julho de 2014 às 10h56

    prisão sempre é EXCEÇÃO, e não regra, num regime democrático.

    ninguém deve ir pra cadeia “preventivamente” porque algum dia exerceu seu direito de se manifestar e novamente irá exercê-lo.

    isso é o “crime de pensamento” que os regimes totalitários adoram impor.

    não há justificativa para se prender gente que NÃO FEZ NADA, em casa, porque “são perigosos”.

    se houver manifestação, e houver crime, que sejam presos em flagrante.

    pra ser pró-Dilma não preciso concordar com estado de exceção e suas práticas truculentas.

José X.

13 de julho de 2014 às 00h29

Quando é que esse pessoal vai se mexer no caso do Marco Aurélio Carone ?

Responder

    Angela

    13 de julho de 2014 às 16h26

    Roupas de cama, material de asseio, estarão disponível nos quartos. Leitura de qualquer artigo, livro, não será necessário, Acesso a internet: não tem sinal. Alimentação é por conta do estado. Lutamos tanto para chegar aonde chegamos e assistimos tudo novamente. Só rindo para não chorar.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.