VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Brasil condena ataque, pede investigação independente e convoca o embaixador de Israel


31/05/2010 - 15h09

Nota oficial do Ministério das Relações Exteriores

31/05/2010 –     Com choque e consternação, o Governo brasileiro recebeu a notícia do ataque israelense a um dos barcos da flotilha que levava ajuda humanitária internacional à Faixa de Gaza, do qual resultou a morte de mais de uma dezena de pessoas, além de ferimentos em outros integrantes.

O Brasil condena, em termos veementes, a ação israelense, uma vez que não há justificativa para intervenção militar em comboio pacífico, de caráter estritamente humanitário. O fato é agravado por ter ocorrido, segundo as informações disponíveis, em águas internacionais. O Brasil considera que o incidente deva ser objeto de investigação independente, que esclareça plenamente os fatos à luz do Direito Humanitário e do Direito Internacional como um todo.

Os trágicos resultados da operação militar israelense denotam, uma vez mais, a necessidade de que seja levantado, imediatamente, o bloqueio imposto à Faixa de Gaza, com vistas a garantir a liberdade de locomoção de seus habitantes e o livre acesso de alimentos, remédios e bens de consumo àquela região.

Preocupa especialmente ao Governo brasileiro a notícia de que uma brasileira, Iara Lee, estava numa das embarcações que compunha a flotilha humanitária. O Ministro Celso Amorim, ao solidarizar-se com os familiares das vítimas do ataque, determinou que fossem tomadas providências imediatas para a localização da cidadã brasileira.

A Representante do Brasil junto à ONU foi instruída a apoiar a convocação de reunião extraordinária do Conselho de Segurança das Nações Unidas para discutir a operação militar israelense.

O Embaixador de Israel no Brasil está sendo chamado ao Itamaraty para que seja manifestada a indignação do Governo Brasileiro com o incidente e a preocupação com a situação da cidadã brasileira.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



64 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rafael, BHte

01 de junho de 2010 às 12h41

Registre-se a impáfia, a maneira impertinente e desrespeitosa com q se dirigiu a imprensa o embaixador israelense criticando a posição correta do goveno brasileiro. Só mesmo quem tem por trás o 'fortão e mandão da escola' (aquele que toma a merenda dos colegas mais fracos e os enfia dentro do armário), só quem tem um salvo conduto desses pode se dar ao luxo de ser arrogante mesmo tendo sido pego em flagrante fazendo mais uma meleca e com a quase unânime condenação internacional. Uma completa vergonha!

Responder

    Jairo_Beraldo

    01 de junho de 2010 às 21h18

    E acaso, alguém ou algum do governo israelense, tem compostura? Como o candidato paulista tucano do PIG, eles podem mais…alias, podem tudo!

Luciana

01 de junho de 2010 às 12h27

A resposta do embaixador de Israel foi desrespeitosa, justificar barbarie aos olhos do mundo, com vídeo que demonstra como foi o ataque. Ação de ódio racial. São colonizadores/opressores, onde se encontram.
E o governador Alberto Goldman não vai se manifestar? E FHC, William Bonner, Boris Casoy, Silvio Santos não vão repudiar o ataque?

Responder

Urbano

01 de junho de 2010 às 12h18

Há algum tempo existem dois países colados de costas um pro outro e cada qual empunhando uma arma, em busca de pseudos-inimigos comuns.

Responder

Carlos

01 de junho de 2010 às 12h05

Ubaldo é favorável favorável ao bloqueio a Gaza, sim, mas não pode dizer isso com clareza – fica nos rompantes de arrogância.
Alega que tentativas anteriores foram frustradas, "esquecendo", por conveniência, que as circunstãncias agora são outras.

A propósito: o que Alberto Goldmann tem a dizer sobre os fatos?

Responder

Geysa Guimarães

01 de junho de 2010 às 11h12

Lula tem mesmo sorte. O irracional ataque de Israel jogou água na fervura das sanções contra o Irã. Se não evitar, pelo menos fortaleceu a legitimidade do acordo elaborado pelas chancelarias Lula-Erdogan. Lutasr pela paz. Sempre!

Responder

    Jairo_Beraldo

    01 de junho de 2010 às 21h19

    Mas precisamos ver o que irá dizer a ONU….

Carlos

01 de junho de 2010 às 09h45

Ubaldo questionou, por exemplo, o trecho da nota que defende “a necessidade de que seja levantado, imediatamente, o bloqueio imposto à Faixa de Gaza, com vistas a garantir a liberdade de locomoção de seus habitantes e o livre acesso de alimentos, remédios e bens de consumo àquela região."

Ao dizer para Alice que tal nota, COM UM PLEITO HUMANITÁRIO, “nunca deveria ser formulada”, Ubaldo deixa claro que é:
– contra a liberdade de locomoção dos habitantes daquela área;
– contra o livre acesso de alimentos, remédios e bens de consumo.

O fascismo do Ubaldo é evidente, transbordante, e o Azenha deve analisar a possibilidade de bloqueá-lo.

A propósito, Azenha: Que outros governos se manifestaram oficialmente sobre o episódio e como o fizeram? – Suponho que seja praxe na diplomacia a manifestação oficial através de Nota – aqui questionada pelo Ubaldo.

Responder

    Carlos

    01 de junho de 2010 às 10h23

    Leider citou: Suécia, Espanha, Dinamarca e Turquia.
    Possível obter / traduzir cópias das notas oficiais dos governos?
    Que poutros países manifestaram-se?

    Ubaldo

    01 de junho de 2010 às 14h28

    Carlos,
    Volta e meia você tem um lampejo de petista manipulador. Eu não disse, em nenhum momento que sou favorável ao bloqueio israelita na faixa de gaza. O que eu disse e repito é que o nosso míope Ministério das Relações Exteriores não deveria pedir através de uma nota que fosse levantado o bloqueio, uma vez que isso já foi insistentente tentado diversos organismos internacionais e muitos países e que tal solicitação assim formulada era completamente inócua e só serve para jogar para a torcida, aliás que é de feitio contumaz do Amorim e Garcia na direção eleitoreira.
    Essa sua face de manipular talvez você tenha aqui aprendido com alguns outros desprovidos de argumentos lógicos e que tentam combater minhas posições com ameaças e paixão mas sem o necessário apoio da sensatez.

Erigutemberg Meneses

01 de junho de 2010 às 07h38

A ONU serve para que mesmo? Proteger os Estados Unidos e seus estados cúmplices? O Conselho de Segurança da ONU lamentou a perda de vidas e os ferimentos causados a outras pessoas durante a operação militar israelense contra uma frota humanitária junto à costa de Gaza, e condenou o ataque aos navios civis que naveghavam em águas internacionais e ressalte-se, de ajuda humanitária, mas não o Governo de Israel. Ou seja: após doze horas de falsas negociações, a sessão do Conselho terminou concedendo licença para matar ao estado terrorista. Se em direito internacional prevalece a teoria da iniciativa de antecipar a defesa, os cidadãos mutatis mutandis poderão fuzilar seus desafetos sob o argumentos que se defenderem de potenciais atacantes.

Responder

Djalma d'Oiveira

01 de junho de 2010 às 02h20

O Iran teria sido invadido hoje pela manhã se uma ação similar a esta fosse tentada pela marinha Persa.
EUA=CABALAH=DINHEIRO=666.
Entretanto, 'Ordo ab Kaos".

Responder

Antônio Jorge

01 de junho de 2010 às 01h50

Vejo em tudo isso a ação dissimulada dos Estados Unidos, que atualmente tem sua política externa comandada pela extrema direita, pelo lobby dos fabricantes de armas, pelo lobby sionista que manda em tudo, com o apoio da grande mídia interesseira que martela sua "verdade", por 24 horas, na cabeça do incauto povo americano. Todos eles representados pela nefasta madame Clinton, que com seu olhar diabólico se diz falar pela "comunidade internacional"….
Na minha modesta opinião, o acordo do Presidente Lula no caso do Irã marcou o início do fim da hegemonia política dos Estados Unidos no mundo…. Agora eles só possuem a hegemonia bélica, e tentarão de todas as formas usar isso como intimidação para preservar o domínio geopolítico.
Algo me diz que, após o sucesso da rebeldia de Brasil e Turquia, que expôs ao mundo a hipocrisia da política do Conselho de Segurança da ONU, manipulado pelos 5 grandes sentados sobre suas bombas atômicas, os EUA agora intensificarão suas ações funestas para provocar um conflito no oriente médio, através das provocações de Israel, como forma desestabilizar toda a região e manter sua hegemonia.
O caso do navio de guerra afundado entre as duas Coreias pode muito bem ser ação dissimulada dos Israelenses, a serviço dos seus financiadores, para desestabilizar a região !?
Estou curioso para ver como acabará esse caso do ataque aos navios humanitários!!!….

Responder

    Carlos

    01 de junho de 2010 às 09h28

    Nos governos Bush e Reagan – por exemplo – a política externa dos EUA era comanda pela esquerda?

    Jairo_Beraldo

    01 de junho de 2010 às 21h23

    Qual esquerda? A cubana? Era fidel que mandava? Ora, me poupe!

Regina Morena

31 de maio de 2010 às 22h39

Geralmente,gosto de humor,ironia e um certo sarcasmo.Mas,hoje,naõ…Estou triste…Triste por mim,pelos judeus(a maioria do povo naõ sabe o que ocorreu),pelos ativistas humanitários(que sonhavam com GANDHI – resistência pacifíca),usando gás de pimenta contra armamentos pesados,enfrentando um dos exércitos mais preparado do mundo.

Hoje,é um dia em que todos perdemos….Perdemos o senso crítico…Perdemos a dignidade…Perdemos ,um pouco mais do nosso humanismo.Caimos com os ativistas ,israelenses,turcos,caímos como civilizaçaõ.

Mas,quero crescer…Quero acreditar…Quero a paz…Sim,Obama…mais do que vc imagina…NÒS PODEMOS,SOMOS MUITOS E PODEROSOS.A paz é um desejo de muitos e naõ vai ser sufocada por poucos.

Em vez de fazer o dia anti-tabaco,vamos fazer o dia…a semana…o mês…o ano da paz…..2010.O primeiro ano da paz .

A paz naõ tem crença,cor ou sexo…NÓS PODEMOS CRIAR UM NOVO MODELO,QUE SEJA ,AGORA! Juntos podemos passar por qualquer impedimento,e descartar ,alguns cujos interesses sejam outros. Fui……..procurar a resistência pacifíca.

Responder

RENAN COSTA

01 de junho de 2010 às 01h27

LAMENTÁVEL O QUE O ESTADO DE ISRAEL PRATICA . MAS SE NÃO TIVESSE O APOIO INTERNACIONAL QUE TEM NÃO TERIA A CORAGEM.
SÃO UNS COVARDES.

Responder

    Jairo_Beraldo

    01 de junho de 2010 às 21h25

    Todo covarde ataca, por ter retaguarda…por isso os que morreram assassinado pelos valentes israelenses, devem ser lembrados como HEROIS!

Cesar

31 de maio de 2010 às 22h03

israel seria a desgraça do mundo atual…juntamente com os americanos do norte…mais o pig brasileiro ????

Responder

    francisco.latorre

    01 de junho de 2010 às 14h08

    não seria.. é. são.

    desgraça.

    ..

Ubaldo

31 de maio de 2010 às 21h51

Interessante que essa nota do Ministério das Relações Exteriores, o do Amorim e do Garcia em dado momento clama pela necessidade de que seja levantado, imediatamente, o bloqueio imposto à Faixa de Gaza.
Eles podiam aproveitar e pedir também para que Israel acabasse com seu potencial atômico, pedir também aos EUA que não protejam mais Israel, solicitar também que a ONU não aplique as sanções ao Irã e que se acabe com os embargos comerciais à Cuba.
Obviamente que o pedido de se levantar imediatamente o bloqueio à Faixa de Gaza será atendido ainda hoje. As demais solicitações que citei, só serão atendidas após o Ministério das Relações Exteriores mandar a nota por escrito e isso pode demorar até amanhã à tarde.
Como esses caras, Amorim e Garcia são amadores!!!

Responder

    Alice Matos

    31 de maio de 2010 às 22h01

    Ubaldo, já que você é um profissional, poderia dizer como seria a sua postura? E poderia colocar aqui que nota você escreveria. Seja macho, meu amigo! E diga!

    Ubaldo

    01 de junho de 2010 às 01h23

    Alice Matos,
    Relembre o que os amadores escreveram:
    "Os trágicos resultados da operação militar israelense denotam, uma vez mais, a necessidade de que seja levantado, imediatamente, o bloqueio imposto à Faixa de Gaza, com vistas a garantir a liberdade de locomoção de seus habitantes e o livre acesso de alimentos, remédios e bens de consumo àquela região."
    Qual a chance dessa solicitação ser atendida, ainda mais por meio de uma nota?
    Zero. É a chance de ser atendida.
    Assim querida Alice, nunca deveria ser formulada.
    Ou seja, esse Amorim, esse Garcia, fizeram a nota e solicitaram o levante do bloqueio da faixa de gaza só para cumprir tabela, para jogar para a torcida. É o que eles sabem fazer. Derrota após derrota, em Honduras, em Doha, em Cuba, na questão do Irã …e se dizem vencedores.
    Nem o mais crédulo bloguiado (alienado do blog) petista pode acreditar nesses caras.
    Acredite, antes desses caras deixarem o governo eles vão criar um grave incidente diplomático.

    Polengo

    01 de junho de 2010 às 01h44

    Permita uma analogia, estimado Ubaldo.

    Um cara mata tua mãe.
    Já que ela morreu mesmo, pra quê repreendê-lo?
    Qual a a chance dela ressucitar, ainda mais por meio de uma repreensão?

    Pois é, pior ainda pra você se o cara matou tua mãe, e ninguém ligou.

    Ubaldo

    31 de maio de 2010 às 23h44

    Permita uma analogia, estimado Polengo.

    Um cara mata o teu pai.
    Já que ele morreu mesmo, pra que repreendê-lo?
    Qual a chance dele ressuscitar, ainda mais por meio de uma repreensão?

    Ai você diz para quem o matou para não fazer mais isso com os outros seus pais.

    Polengo

    01 de junho de 2010 às 17h38

    É, você entendeu tudo mesmo.

    Upeludo

    01 de junho de 2010 às 11h02

    Ubaldo, você está ansioso. Vá com calma. Uma coisa de cada vez.
    Mas você não perde por esperar.
    Se até o fim do governo Lula estas questões (armas atômicas, Irã e Cuba) não forem encaminhadas, no governo Dilma serão.

Cristiana

31 de maio de 2010 às 21h22

Ô Azenha, vc, por acaso, viu o JN, hoje? Eu estou achando que eu não posso ter entendido direito. Eu vi mesmo as " armas" que oa bárbaros da Al Qaeda carregavam na embarcação Vicking? Eu vi mesmo um bodoque e algumas bolas de gude? Aquilo era pra zoar com a gente, não era? O comandante do exército de Israel é o Inspetor Clouseau?

Responder

engajarte

31 de maio de 2010 às 21h03

Este é o padrão israelense desde a "guerra de independência", na formação do Estado de Israel.
Eles sempre fizeram desta forma e venceram quase todas as vezes.
Esta atitude e procedimento já é doutrina "pacífica" em Israel, e está calcada na base ideológica do estado e da sociedade, que é o movimento sionista.
Nisto não há polêmica nem dentro de Israel.
E em razão de eles terem conseguido dominar a política externa e parte da interna dos EUA (caso único na história, um país pequeno e fraco ter domínio de interesses sobre um país gigante e super poderoso), eles vêm que não necessitam alterar sua política, pelo contrário, só tem colecionado vitórias, hoje inclusive com crescente apoio europeu e russo.
Onde isto vai parar? O esmagamento dos palestinos é uma possibilidade a médio prazo e uma guerra nuclear de aniquilamento é outra.
O Estado de Israel já se acostumou a não ter limites.

Responder

Nivia de O. Castro

31 de maio de 2010 às 21h03

Azenha, eu publiquei o repúdio do Carlos Latuff ao ataque. É mais uma ilustração forte e incisiva, como sempre.
http://cachacaaraci.wordpress.com/2010/05/31/o-pr

Responder

Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … | Media Brasil

31 de maio de 2010 às 20h48

[…] Go here to read the rest: Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … […]

Responder

Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … | Mídia Global

31 de maio de 2010 às 20h46

[…] The rest is here: Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … […]

Responder

José de Queiroz

31 de maio de 2010 às 20h45

Por que os EUA não pedem sanções para Israel na ONU.

Responder

luizmullerpt

31 de maio de 2010 às 20h45

Justa a posição do nosso governo em condenar esta barbárie perpetrada por Israel. Ao mesmo tempo em que querem impedir o Irã de processar Urânio a 20% (que só serve para a área da saúde), o império continua patrocinando esta anomalia geográfica que é Israel, assentado sobre terras que eram do povo palestino. E ao povo palestino sequer lhes é permitido ter uma pátria. Mataram gente que só queria levar ajuda para o oprimido povo palestino de Gaza. Gaza é um gueto que Israel cercou, e onde mata a míngua ou a bala os palestinos. Qu diferença há entre os guetos nazistas e o s guetos que Israel mantém? A diferença é que Hitler foi derrotado. Israel e o Império que lhe dá guarida, ainda não. Mas serão. E este tempo esta próximo. O mundo começa a abrir os olhos e o Brasil esta ajudando a iluminar o caminho.

Responder

Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … | Media Brasil

31 de maio de 2010 às 20h43

[…] more here: Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da … Tags: coimbra, com-vistas, direito-humanit, gicos-resultados, notícia, que-seja, result, […]

Responder

luiz carlos lando

31 de maio de 2010 às 20h34

para mim o povo americano e uns dos mais manipulados pela midia sionista se o povao soubesse de fato da verdade jamais apoiaria esse horror que aflige o povo palestino dentre outros.

Responder

Brasil condena ataque, pede investigação independente e convoca o … | Media Brasil

31 de maio de 2010 às 20h34

[…] more here: Brasil condena ataque, pede investigação independente e convoca o … :foi, foi-instru, israel, Opinião, povo-diz, seguran, seja-manifestada, sendo-chamado, […]

Responder

José Tadeu

31 de maio de 2010 às 20h11

Prezado Azenha;

É hipocrisia do obama, O prêmio Nobel da Paz, "solicitar explicações" a israel, foram 19 vidas.

Como uma "nação" que dizem que já sofreu tanto no passado pode ter uma atitude tão desumana, foram 19 vidas.

Uma significativa parte do capitalismo internacional investe maciçamente em campanhas, filmes livros etc etc chafurdando no holocausto, para que a humanidade não esqueça e jamais repita a experiência. E uma pequeníssima parte da humanidade repete sistematicamente "holocaustosinhos" sem nenhuma cerimônia.Foram 19 vidas.

Quando será dado um basta nisto?

José Tadeu

Responder

Sérgio Pestana

31 de maio de 2010 às 20h05

Mais um crime cometido por Israel. A ONU fará os pronunciamentos de praxe, solidarizando-se com os sobreviventes e condenando pro forma a ação criminosa, mas nada fará além disso. O Conselho de Segurança, capitaneado pelo os Estados Unidos, na pessoa da Condoleeza Hilary Clinton, lamentarão as vítimas e dirão com a sem-vergonhice de sempre que o navio estava a serviço de terroristas e quejandos. Impedirão, junto com as outras nações que compõem o Conselho, que haja quaisquer sanções ao estado terrorista de Israel. O Brasil fez muito bem em chamar o representante de Israel e deve protestar veementemente sobre a covardia desses assassinos.

Responder

Lourdes Queiroz

31 de maio de 2010 às 19h59

Confesso que estou angustiada e assustada com o "vale tudo" do Serra / mídia. Por isso sentí um pequeno alívio ao ler este artigo de alguém DoLaDoDeLá(Cláudio Lembo). Vale a pena dá uma espiada . Esta visão aplica-se ,também, ao Oriente Médio. http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI44…

Responder

Antonio

31 de maio de 2010 às 19h59

Qual tipo de sanção economica HIllary Clinton vai impor a Israel???

Responder

Tartufo

31 de maio de 2010 às 19h55

Nada de novo nesse front. Israel vai desempenhando seu papel de fomentar, manter e acirrar os conflitos armados no oriente médio, preservando com fidelidade os interesses políticos e econômicos dos EUA na região. Claro que essa estratégia, genocída por definição, tem custado vidas de milhares de inocentes ao longo de decadas. A diferença é que antes ninguém se importava e agora a chamada "comunidade internacional" se manifesta de forma vigorosa. Orgulho-me de ver o Brasil na linha de frente dessa luta. Logo nós, que até há alguns poucos anos atrás eramos a "Maria-vai-com-as-outras" do panorama político mundial. Logo nós, que até há pouco eramos representados nas questões políticas e econômicas mundiais por janotinhas obedientes.

Responder

Rezende

31 de maio de 2010 às 19h51

devemos também responsabilizar os EUA e diretamente Hillary Clinton, pelo que aconteceu pois a atitude dessa senhora é de quem quer a guerra e estimula Israel a praticar tais atos.

Responder

Paulo

31 de maio de 2010 às 19h50

Melhor faria o governo brasileiro se rompesse relacoes diplomaticas com o estado racista de Israel.
Limpeza etnica, assassinato de civis, roubo de terras de palestinos, leis diferenciadas para cidadaos arabe-israelenses: Israel nao eh apenas racista, eh genocida.

Responder

Wendel

31 de maio de 2010 às 19h50

Alguns internautas estão pedindo que Obama se manifeste, ou são inocentes ou estão provocando.! Prefiro à última afirmativa, mas informo:
O Grande Obama, Prêmio Nobel da Paz, que só fala em sanções, em aumento de efetivo militar na guerra do Iraque e Afeganistão, está na verdade de "rabo preso". Foi eleito com as doações do AIPAC, e deve seguir a cartilha deste órgão, que é na verdade quem determina a política externa dos USrael.
Toda a retórica, da "loura" Clinton, tb está a serviço desta política, e bobos somos nós que ainda pensamos que a ONU, é um órgão sério. Se fosse, já teria há muito feito cumprir suas resoluções contra o estado Sionista de Israel.
Os membros permanentes do CS, tb estão comprometidos, pois quase todos, comem na mãos dos Sionistas!

Responder

paulo chacon

31 de maio de 2010 às 19h45

Os grandes terroristas do mundo são EUA e Israel.

Responder

sidinei

31 de maio de 2010 às 19h42

Barack Obama para mim é uma grande decepção. Se omite diante da arrogância israelense contra os palestinos e contra qualquer pessoas ou grupo de pessoas que queira dar ajuda aquele povo.
Mas este mesmo Obama é truculento com o Irã ao propor retaliações sem nem sequer saber se o acordo costurado pelo Governo brasileiro e turco junto com o governo iraniano vai dar certo.
Infelizmente Obama está se tranformando na figura tipica do Tio Sam, arrogante, prepotente contra os que questionam os EUA e os mais fracos e omisso com os absurdos que o estado sionista comete contra pessoas inocentes.

Responder

Eutímio Pimentel

31 de maio de 2010 às 19h28

Diante desse fato, que a todos indigna e assusta,podemos ver claramente, a cara de pau dos americanos,sua desfaçatez,sua prepotencia e arrogancia. Quando é o Irã,ou qualquer outro pais, que não se alinhe com sua politica imperialista e usurpadora,eles, imediatamente se arvoram nos defensores da liberdade,arautos da justiça e da paz mundial

Responder

priscila presotto

31 de maio de 2010 às 19h20

Viva o Brasil e o Lula!
Tem que repudiar mesmo,nada ainda ffoi provado que a frota humanitária era um disfarce escondendo armas….

Responder

priscila presotto

31 de maio de 2010 às 19h18

Para mim ,as atitudes do governo de Israel é um atraso para a humanidade.

Responder

Leider_Lincoln

31 de maio de 2010 às 19h18

E apesar de ter sido Israel que tentou vender armas nucleares para os africânderes, o Irã que é o perigo. O que foi feito hoje ultrapassou todos os limites da decência. Devemos fazer como Suécia, Espanha, Dinamarca e Turquia e retirar nosso embaixador de Tel Aviv. É hora de começar a tratar Israel como eles merecem ser tratados: um Estado Pária!

Responder

ODEMAR LEOTTI

31 de maio de 2010 às 22h00

Parabéns Lula e Amorim. Estamos com vocês. Vamos dar mais uma lição ao mundo de que o Brasil nao adere e essa violência covarde. Cadê a arrogante de presidenta Clynton, ou desculpe ministra da defesa. Cadê o Obama sumiu. Vai agora ficar debaixo da barra da saia do Lôra reaça que pegou grana das companhias de seguros de saúde para aprovar o modelo de saúde horroroso dos E.U.A. (Veja o documentário Sicko do Michael Moore).

Responder

dukrai

31 de maio de 2010 às 21h54

E Israel foi aprovado como primeiro parceiro comercial externo do Mercosul. Para os sionistas isto é o que importa, o resto é bla bla bla da ONU, que tem uma dúzia de condenações à Israel, que debocha de tudo e de todos, inclusive do Obama.O repúdio internacional à Israel tem que evoluir para o isolamento diplomático e sanções econômicas, que agora parece tão distante quanto a condenação de Pinochet e seus asseclas há tempos atrás. Os ditadores e torturadores no Brasil também aguardam a sua vez.

Responder

voxetopinio

31 de maio de 2010 às 21h44

Uma coisa boa: O Brasil começa a puxar a as orelhas dos outros países com força. Isso também faz parte da diplomacia, principalmente para aqueles que não cumprem com os tratados internacionais.

Responder

Carlos Marques

31 de maio de 2010 às 21h25

Na escala temporal própria da História, o Estado de Israel, com sua brutalidade militar e bélica, que tem limites além dos quais torna-se ineficaz, está preparando nova diáspora do povo judeu. Os judeus sofreram muito e hoje causam muito sofrimento. As consequências de sua insensatez se voltarão inexoravelmente contra eles. Mais anos, menos anos.

Responder

blogdacoroa

31 de maio de 2010 às 21h18

Olha o q dizem os leitores do Noblat:

O Lula força a oposição a cometer crimes!
http://blogdacoroa.wordpress.com/2010/05/31/o-lul

Responder

josé gilvar gonzaga

31 de maio de 2010 às 21h16

A ONU TEM OPOR OBRIGAÇÃO FAZER SANÇÕES EM ISRAEL. PORQUE SO NO IRÃ? OS PAÍSES MENBROS PERMANENTE TEM QUE REUNIR E TOMAR DECISÕES IMEDIATA CONTRA ISRAEL.

Responder

edu marcondes

31 de maio de 2010 às 21h14

Agora, esperamos, ainda que um simples puxão de orelha do governo Obama mesmo que apenas pra constar e não ficar muito vergonhoso.
Esperemos também que a mídia corporativa brasileira não comece criticar o governo Lula pela condenação do Itamaraty.

Responder

Christian Schulz

31 de maio de 2010 às 20h50

Azenha, se esse ataque não tiver relação com o acordo Irã-Turquia-Brasil mudo meu nome para Joaquim.

Responder

    ana cruz

    31 de maio de 2010 às 19h24

    Estão provocando e avisando que não s emetam como eles pois passam por cima de tudo e de todos. Israel quer a GUERRA contra o Irã. Israel AGE no sentido de varrer do mapa o povo arabe e palestino. Israel não solta bravatas, Israel AGE. Sou cetica, mas ao mesmo tempo curiosa e ao assistir o canal a cabo HISTORY sobre as profecias de nostradamus e dos Maias, sinto que pelos atuais acontecimentos são factiveis. O terceiro anticristo já está entre nós.

Stefano Schäfer

31 de maio de 2010 às 17h22

E todos temendo o Irã. Israel tem bomba atômica. Eles são os truculentos e usando o holocausto de forma extorsiva, impõem sua vontade, debochando do mundo e do direito internacional. Infelizmente, as lições do holocausto foram tão bem absorvidas por eles, que eles aplicam-nas aos palestinos. Duvido que haja sanções a Israel, pq seu aliado, os EEUU, não permitirão.

Responder

Leosfera

31 de maio de 2010 às 19h26

FHC e seus embaixadores de pijama tirariam os sapatos para os ianques, calando ante os assassinatos israelenses.

Responder

Jairo_Beraldo

31 de maio de 2010 às 16h16

Assim se procede um governo democrático que trava luta contra injustiças. Sabemos que Israel desdenhará do nosso governo, mas a indignação será sentida pelos aliados do Brasil mundo afora. Principalmente aqueles que por se sentirem impotentes, se calam!

Responder

Tweets that mention Brasil condena ataque israelense e defende investigação independente | Viomundo - O que você não vê na mídia -- Topsy.com

31 de maio de 2010 às 15h43

[…] This post was mentioned on Twitter by Homero Pavan Filho, diogo. diogo said: Governo brasileiro condena ataque israelense à “Flotilha da Liberdade” http://bit.ly/a7bp6z […]

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.