VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Eduardo Guimarães: A quem interessa desagregar a blogosfera?


19/12/2010 - 20h49

por Eduardo Guimarães, no blog da Cidadania

Luis Nassif teve uma atitude corajosa e humilde ao assumir um erro que fatalmente cometeu ao transformar em post o comentário de um leitor seu que inseriu na blogosfera um termo que, até então, só os mais versados na luta das mulheres por igualdade conheciam: “feminazi”. A partir desse episódio, produziu-se uma trama cada vez mais intrigante.

Nassif errou, demorou a corrigir o erro e, assim, teve que assumir e deixar para o público o julgamento sobre se deve ou não ser desculpado, já que não matou ninguém nem pregou opressão das mulheres, ainda que tenha dado espaço a uma caricatura de um movimento necessário como o dessas que tanto sofrem ainda em pleno século XXI.

Mas o que me preocupa não é isso. O que me levanta suspeita é a quem interessaria prolongar uma discussão tão tremendamente estéril que, como primeira conseqüência, já causou uma baixa de expressão em um movimento que se autodenominou “blogosfera progressista” por decisão de mais de 300 blogueiros de todas as partes do país que se reuniram em agosto em São Paulo e que votaram – eu disse que VOTARAM – por se autodenominarem “progressistas”.

Nassif não quer mais nada com o peixe. E não é o único blogueiro de projeção nacional a não querer. Não cito quem são os outros porque não lhes tenho autorização, mas garanto que são aqueles que atraíram para a blogosfera o público que ela auferiu por serem pessoas de projeção pública, jornalistas de renome que tiveram boa intenção e se ferraram por isso.

No começo, pensei que tudo fosse só produto de quatro tipos de pessoas que declararam guerra não só ao Nassif, mas à comissão organizadora do 1º Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas. A saber:

1 – Os que esperavam lucrar mais com o Encontro inserindo-se em um grupo fechado que acreditavam existir, mas que jamais existiu – a comissão organizadora do encontro dos blogueiros progressistas foi constituída episodicamente e, ao fim do evento, decidiu-se que nos próximos seria renovada.

2 – Militantes e não militantes de boa-fé e que ficaram legitimamente contrariados com o erro claramente involuntário cometido por Nassif – estes, ativeram-se a criticar Nassif e só a ele e de forma educada.

3 – Desafetos antigos do Nassif que aproveitaram seu tropeço para acertarem velhas contas consigo, em uma atitude covarde e desleal, e que chegam ao ponto de escrever textos imensos culpando-o pelo sofrimento de todas as mulheres só porque publicou o malfadado post.

4 – Os contrariados com a escolha dos blogueiros que entrevistaram Lula, que não se conformaram por não estarem entre os escolhidos e que não entenderam como nasceu esse encontro e, por isso, não entenderam tal escolha.

Vale explicar uma coisa: a primeira pessoa a lançar uma proposta informal de uma entrevista de blogueiros com Lula foi Eduardo Guimarães há mais ou menos uns dois anos.

Acontece que descobri ter um leitor assíduo que trabalhava no Palácio do Planalto e que um dia me procurou para me convidar a tomarmos um café e batermos papo. Fui ter com ele e, durante o papo, abordei possibilidade que já tinha comentado com amigos como Rodrigo Vianna, Luiz Carlos Azenha, Conceição Lemes, Renato Rovai e Altamiro Borges, entre outros, de o presidente conceder uma entrevista à blogosfera.

Como de costume, comecei a “agitar”. Falei com mais pessoas, tais como, por exemplo, alguém que era sempre bem recomendado inclusive pelo Nassif, um acadêmico e blogueiro de Minas chamado Idelber Avelar.

Convidei todos para uma reunião em meu escritório, da qual todos disseram que participariam. Entretanto, só compareceram o Altamiro e o Rodrigo porque os outros tiveram problemas para comparecer.

Meu leitor que trabalhava no governo me disse que deveria encaminhar uma proposta à Secom, pois achava que ela poderia frutificar devido à vontade do presidente Lula de incentivar o surgimento e a consolidação das mídias alternativas.

Contudo, como não tinha experiência de manter interlocução com governos, fui deixando o assunto pra lá até que acabei não encaminhando nada à Secom.

Lá pra junho deste ano, se bem me lembro, o Miro (Altamiro Borges) convocou uma reunião no restaurante paulistano Sujinho para discutirmos idéia sobre a qual o Azenha sempre falava, de os blogueiros com maior notoriedade se empenharem para dar espaço aos blogueiros ainda pouco conhecidos que estavam surgindo e que tinham ideologias e posições políticas próximas, ainda que desiguais.

Durante aquele jantar, formou-se o embrião da comissão organizadora do encontro de blogueiros que o Azenha pretendia que fosse igual ao que contou com o apoio de Barack Obama durante a última campanha eleitoral à presidência dos EUA.

Mas como fazer para realizar esse encontro? Dificilmente muitos blogueiros de outros Estados poderiam arcar com despesas de avião, hotel, refeições em restaurantes etc. Havia que conseguir recursos, organizar a relação das pessoas que viriam etc.

Azenha e Paulo Henrique Amorim, que num segundo momento juntou-se a nós, não hesitaram em tirar do bolso três mil reais cada um. Azenha, particularmente, sempre tentou dar notoriedade aos blogueiros que estavam chegando – primeiro, através do Sivuca e, depois, através de uma seção que criou em seu blog que chamou de Palanque, se bem me lembro.

Mas era pouco dinheiro o que doaram Azenha e PH e os outros não tínhamos condição de imitá-los. Então, eu, a Conceição Lemes, o Altamiro Borges e a Conceição Oliveira saímos a campo em busca de recursos. Particularmente, fui um dos que mais doações de 3 mil reais conseguiu.

Fomos a empresas, a sindicatos e, a duras penas, juntamos recursos para o evento.

Nada disso teria sido possível sem o apoio do Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé, presidido pelo Miro, pois a estrutura que se montou para dar transporte, hospedagem e alimentação a centenas de pessoas, só tendo uma organização como essa por trás.

Ao fim do encontro, em jantar de avaliação da obra que cometêramos, o Rovai comunicou que levara adiante a idéia que abandonei e que recebera um parecer positivo da Secom. Para dar ainda mais força à associação de blogueiros progressistas que surgira, decidimos que assim nos apresentaríamos durante a entrevista.

Como o encontro de blogueiros nasceu em São Paulo e o governo queria representantes de outros Estados, convidamos o Cloaca, o Túlio Vianna, o Altino Machado, o Leandro Fortes, o Pierre Lucena e o José Augusto (Amigos do Presidente Lula). Azenha, PH e Nassif abriram mão de participar em favor deles e criamos mais “vagas” do que pretendíamos, para dez blogueiros.

Eu mesmo não pretendia participar. Tinha que viajar para a Argentina a trabalho porque devido à campanha eleitoral deixei meu ganha-pão de lado e as empresas que represento estavam me cobrando queda nas vendas. Além do que, alguma coisa me dizia, desde 2 anos antes, que haveria uma comoção entre os que ficassem de fora.

O Rovai e uma pessoa que não posso nominar – e que foi decisiva para eu rever minha decisão de não comparecer – pediram-me encarecidamente que desse um jeito de participar da entrevista. E até por eu ter vários leitores no governo, incluindo o ministro Franklin Martins.

Enfim, contei essa história para que todos entendam como surgiu esse grupo que se autodenominou “progressista” e que teve tal denominação aprovada por expressiva maioria dos 300 blogueiros do Encontro de agosto, e como logramos extrair do Palácio do Planalto a entrevista que o presidente Lula nos concedeu.

Contudo, há uma figura que me levantou suspeita nesse espantoso caso “feminazi”. O tal de Idelber Avelar, com quem só falei uma vez até hoje. Ele aproveitou para acertar alguma conta antiga com Nassif e ainda envolveu gente que não publicou post nenhum divulgando o termo doentio, os blogueiros progressistas.

Qual o interesse desse sujeito? Quem ele pensa que é para apontar o dedo para gente que nem conhece e fazer acusações sobre nada? E o que é pior: de forma covarde e esquizofrênica, sem dar nomes aos bois e baseado apenas em suas idiossincrasias. A quem interessa, pois, desagregar uma blogosfera progressista da qual até o governo Lula reconheceu a relevância?

PS meu, Eduardo Guimarães: o Nassif só cometeu um erro imperdoável, de não ter citado a jornalista Conceição Lemes, que o PH bem chamou de “a alma” do encontro dos blogueiros e que já produziu as melhores reportagens da blogosfera brasileira no Viomundo. Mas devido ao assédio que Nassif vem sofrendo, é compreensível.





86 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Paralelo XIV

22 de dezembro de 2010 às 00h03

Dividir para conquistar – esse é o nome do jogo…

Responder

    joana

    22 de dezembro de 2010 às 21h15

    O problema é que quando a ''esquerda'' chega lá em cima se comporta igual a direita rs rs…

    De boa Eduardo Guimarães, os tais blogueiros ''progressistas'', só são o que são por causa dos militantes internautas que espalham as notícias, sem nós vcs não seriam ninguém rs rs e portanto deveriam ter mais respeito conosco.
    Principalmente na democratização da escolha dos ''escolhidos'' para estar com o Presidente.
    Ficou feio, porque não escolheram mulheres, porque não democratizaram o evento com os internautas e se sou ou somos feminazistas é porque merecem certamente e mais>>>não divulgo nem mais uma vírgula de tais blogueiros ''progressistas;'' se estes continuarem sendo a última bolacha do pacote.

    Horácio

    23 de dezembro de 2010 às 16h40

    Joana, temos tanta coisa para fazer de bom neste mundo!!! Cumpra a sua ameaça; não leia não divulgue; desapareça!!!

Cristiana Castro

21 de dezembro de 2010 às 19h03

Debate tão profundo esse que, até agora, não sei que diabos significa a porra do tal do FEMINAZI! Já li umas duzentas definições diferentes. Só falta eu descobrir que sou uma delas, aí o bicho vai pegar. Vou armar o maior barraco nessa rede.
Azenha, por Tutatis, o que é feminazi?

Responder

José Manoel

21 de dezembro de 2010 às 18h44

Aos poderosos da direita…………………., sem medo de errar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

noctivagovago

21 de dezembro de 2010 às 12h29

Balançar a blogsfera , quem dera! É sonho de nove entre dez latifundiários midiáticos. Nacif , você é cidadão com Maiúscula, e não é de hoje ( desde atacado nos tempos de SR, da procura do boi no pasto com helicóptero ). Sofredor , profissional , empresário e Cidadão . E tem o privilégio da coerência biográfica. Blogsfera ( sempre ) neles!!!

Responder

Salvador

21 de dezembro de 2010 às 11h06

Pelo jeito, blogosfera progressista, Viomundo, etc e tal são os disfarces de uma ala "contra o outro lado", é muita vaidade e muito ressentimento guiando os juizos. Vcs se perderam, se algum dia estiveram num caminho correto. Ao se posicionarem pró-Lula, ao se oferecerem como porta-vozes informais, numa tola guerra contra "o outro lado" que vcs chamam de PIG, vcs jogaram o trem pelo precipcio, deixaram de ser de fato uma alternativa, passaram a ser uma nova versão do mesmo. Lamentavel.

Responder

felipe augusto

21 de dezembro de 2010 às 04h08

O que me chama atenção é o fato de ter se criado a idéia de não poder discordar do "meu conveniente", um sujeito da sua opinião sobre o feminismo e um tal de "feminazi", aí vem um bando de "combatentes da liberdade" lutar pelo silêncio do sujeito. Mais um monte de "combatentes" dizer ao Nassif mais fulano e sicrano que eles não podem divulgar tais opiniões pois isso "nos fere", vem a público dizer algo como "vocês devem defender isso, qualquer coisa contrária é errado".

Responder

    Luanay

    21 de dezembro de 2010 às 12h20

    Concordo totalmente. "Combatentes da liberdade" uma ova. Opressores e repressores, isso sim.

felipe augusto

21 de dezembro de 2010 às 03h03

O que me chama atenção é o fato de ter se criado a idéia de não poder discordar do "meu conveniente", um sujeito da sua opinião sobre o feminismo e um tal de "feminazi", aí vem um bando de "combatentes da liberdade" lutar pelo silêncio do sujeito. Mais um monte de "combatentes" dizer ao Nassif mais fulano e sicrano que eles não podem divulgar tais opiniões pois isso "nos fere", vem a público dizer algo como "vocês devem defender isso, qualquer coisa contrária é errado".

O Nassif ou qualquer outro tem o direito de oferecer sua opinião, os que discordam deveriam mostrar ao público seu ponto de vista, e não dar chilique e vociferar censura, fico com a impressão que a liberdade de expressão aqui não serve para todos e tudo, só para o que nos é conveniente. Não acredito nem pratico a opressão de nada nem ninguém, e é por causa de gente assim, que não aceita a discordância de opinião, os idiossincráticos, que evito usar de chavões sociais que mais separam que unem, eu faço a minha por todos e para todos que posso, sem grupo, sem facção, sem ideologia.

Responder

SILOÉ

21 de dezembro de 2010 às 01h50

Não importa quem fala nem o que se fala, cada um tem o seu filtro. O importante é colocar pra fora as idéias e os pensamentos, mais importante ainda, são esses espaços com um aglomerado de opiniões diversas, que reforçam ou alteram nossos conceitos…

Responder

Luiz Claudio

20 de dezembro de 2010 às 20h56

Meuj apoio irrestrito ao Nassif, homem de coragem, bom jornalista e um ser humano como todos nós, que cometemos erros e às vezes fazemos o que não devíamos ter feito. Parabéns ao Nassif pela coragem que sempre teve e pela humildade em reconhecer o erro.

Responder

cici

20 de dezembro de 2010 às 18h36

Passeio em alguns blogs de "esquerda" e li alguns criticando a escolha para a entrevista, mas não dei ouvidos, pois sei que é impossível atender a todos e por isso mesmo, alguns ficariam chateados. O mais importante é que esta entrevista foi um marco para a democracia.

Responder

Louise Rosemblatt

20 de dezembro de 2010 às 16h33

Acho que o Nassif ERROU e ponto final. Admirar o trabalho dele como um todo não significa idealizá-lo como um DEUS, já passei dessa fase… agrediu as mulheres, agrediu um movimento que lutou pelas conquistas de nossos direitos, um movimento que fez muito pelo sexo feminino. Simples assim. A retratação não foi mais que uma obrigação de cunho formal.

Responder

    Mico Jäger

    21 de dezembro de 2010 às 21h57

    Me desculpe (melhor já começar pedindo perdão hoje em dia), mas não ví em que o Nassif errou. O termo em questão é um indicativo de um tipo de feminismo que de fato existe, como explicado nesse artigo da feminista Marlene Dixon, fundadora do Democratic Workers Party: http://www.marxists.org/subject/women/authors/dix…. Veja o que ela fala sobre "Reacionary Feminism". Liberdade de expressão é isso.

    Eleonora Vaz

    23 de dezembro de 2010 às 18h46

    Tb me desculpem, pq, se nem pedindo desculpas antecipadas adianta alguma coisa, imagine se não se pede! Pessoalmente, sou das que acha chatíssimas 98% das feministas. Fui criada em família de comunistas e ninguém jamais me ensinou que homem seria pior que mulher ou mulher pior que homem ou mulher pior que homem ou homem pior que mulher. Coisa importante que o comunismo ensinou ao mundo é que o capital não tem sexo. Sou das q acha que a mulher precisa ser ajudada, tanto quanto o homem, onde e quando haja gente explorada. "Nossa luta das mulheres", na minha opinião é só um atrasismo a mais, dentre os muitos que o capital cultiva, pra dividir os pobres e oferecer bandeiras 'mais éticas' pra cooptar uns. Depois, é taaaaaaaaaaaaaaaaaanta 'ética' que já encheu o saco. "A questão feminina", na minha opinião é golpe. A mulher pobre é tão explorada quanto o homem pobre. Muita gente pensa como eu, em boa parte pelo trabalho de feministas nazi-fascistas que existem, claro — e de onde, suponho, tenha nascido a expressão que o Nassif reproduziu, e incendiou a ira das feministas, pra provar, se fosse preciso, que há feministas que só defendem os slogans de que fizeram meio de vida. A autodefesa que não vê o outro é fascista por definição. É absoluta verdade histórica e política que sim, há feministas fascistas. Não sei por que "não se pode" denunciá-las. Taí: por que ñ se pode?!

Gão

20 de dezembro de 2010 às 14h04

Que bando de doidos, tô fora de clubinhos de birutas tirânicos que se arvoram de baluartes da esquerda, fosse em outros blogs eu jarava que era coisa da tal soninha francine, esse pessoal não faria feio na campanha do serra, agora não podem por a culpa no vampiro da mooca, pelo menos nos livram desse maniqueismo mostrando que tá cheio de lunáticos na esquerda e direita. Tive pena do nassif, quero distância tanto de direitopatas quanto esquerdopatas(ah feminazis incluso)… aff

Responder

trombeta

20 de dezembro de 2010 às 13h29

Gente, como disse certa vez o Chico Buarque, eu sou de esquerda mas como tem mala na esquerda, de revolucionário de condomínio fechado a profeta do acontecido. Quem tem quilometragem alta nesse negócio sabe que todo dia surge um messias que vai transformar o mundo sem sair da sala de casa, só vendendo idéia.
Nassif é um grande jornalista e teria emprego certo no PIG se fizesse o jogo, poderia passar o dia lustrando seu carrão e planejando uma viagem para Miami no final do ano, nada disso. O cara comprou grandes brigas com o PIG foi processado inúmeras vezes, certamente deve ter desenvolvido uma gastrite e, no primeiro "deslize" foi jogado às feras, uma tremenda sacanagem.
Sei que a inveja, o rancor e o ressentimento pode produzir reações desproporcioanais e exageradas mas ai tentar implodir a comunidade de blogueiros progressitas que fazem um contraponto necessário e competente à grande mídia é doentio.
Menos, menos, menos!!!

Responder

fernandoeudonatelo

20 de dezembro de 2010 às 13h07

Por um lado, se o Nassif errou, fez uma auto-crítica induzida pelos comentários não importa de que estirpe, assumiu e corrigiu o erro, é fato que o blogueiro teve bom senso assim que percebeu que todo o problema ia virar uma bola de neve.

Além do mais, diferentemente de "formadores de opinião" e colunistas especiais da grande imprensa, quando mentem ou publicam meias-verdades, o Nassif respondeu ao público e liberou as postagens críticas.

Interatividade, Instantaneidade e Diversidade são pilares das novas tecnologias em mídia, muito melhor exploradas pelos blogs progressistas.

Responder

Eleonora Balbo

20 de dezembro de 2010 às 12h51

Excesso de "eu" no postado do Eduardo Guimarães. É erro político MUITO GRAVE o cara achar que, se X agitou, fez e aconteceu, e falou com Y, e Y, afinal, concordou, seria razoável concluir que X fez tudo.

Não fosse o trabalho de TODOS, Eduardo Guimarães nem teria o que agitar e fazer e acontecer. Detesto esse autoendeusamento que li acima, oferecido à guisa de 'expor fatos'. Eu não sou jornalista e, portanto, EU SEI que não há fatos. Eu sei que o que há são discursos e desejos. O fato é a mais mortal ficção que o jornalismo inventou e da qual fez meio de vida. Felizmente, NÃO SEI do que o Eduardo G. fala aí acima e DESEJO CONTINUAR SEM SABER.

Responder

Geysa Guimarães

20 de dezembro de 2010 às 12h30

Essa conversa feminazi rendeu, heim? Sempre fui feminista solitária, sem inclusão em agremiações. Mas não me sinto no direito de julgar o Nassif por uma escorregadela, ninguém é perfeito todo o tempo e nem inquestionável.
Se o Iderber (que não conheço) fez crítica de forma elegante, também não vejo mal nisso. O problema é que na blogosferá tudo é lavado diante de todos. Vamos botar água nessa fervura, gente!
N.B. – Yes, a Conceição Lemes é a "alma" (feminina e masculina, viu?) progressista.

Responder

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 15h43

    Geysa,
    Passa lá no blogcidadania do Eduardo Guimarães e leia o texto "Dividir para Conquistar". Verás que o citado aí não "fez crítica de forma elegante" coisa nenhuma.

    Geysa Guimarães

    20 de dezembro de 2010 às 21h11

    Tô indo pra lá, Gerson.

Hans Bintje

20 de dezembro de 2010 às 12h29

Conceição Lemes:

Essa nota é dedicada a você, trecho de "As Três Virtudes do Sábio" ( http://www.taoismo.org/modules/smartsection/item…. ):

"Chegamos finalmente ao verdadeiro diferencial do sábio: bom humor! A sinceridade e a simplicidade podem enganar mas o bom humor não. Aquele que se diz sábio mas vive de cara amarrada e sério não sabe o diz. Você já viu uma imagem de Buda em que ele esteja sério? Tirando os budas japoneses, normalmente apresentados em meditação, eles estão sempre sorridentes e descontraídos.

Os mestres taoístas também são retratos vivos desse bom humor. As imagens dos Imortais Taoístas sempre mostram indivíduos alegres e soltos, rindo e brincando, geralmente em festas. Dizem os bons livros que todo aquele que consegue compreender o verdadeiro Tao solta uma gargalhada nesse instante. O bom humor também é muito valorizado no Zen. Conta-se que um discípulo procurou um Mestre para que este lhe passasse mais ensinamentos. O Mestre se limitou a enunciar um Koan e pedir uma resposta (método comum no ensino Zen-budista). O discípulo soltou uma sonora gargalhada e o Mestre, sorridente, aprovou a resposta!

A seriedade excessiva muitas vezes tem a intenção de passar uma falsa idéia de veracidade a um mestre ou sistema. Nós ocidentais nos acostumamos com a idéia de que para algo ser verdadeiro e bem feito ele deve ser feito com seriedade. Isso gerou muitos adultos infelizes, pois brincadeira é 'coisa de criança'. Nada mais longe da realidade. Brincadeiras e bom humor são elementos indispensáveis à saúde e bem-estar das pessoas. Já é matéria médica comprovada que o riso é extremamente benéfico à saúde, inclusive acelerando curas. Li certa vez sobre um médico que tratava seus pacientes com filmes dos irmãos Marx.

Mas como dizia Buda: 'siga sempre o caminho do meio'. O bom humor deve ser espontâneo e colocado em sua hora e lugar. Brincadeira em excessso ou de mau gosto é ainda pior do que a seriedade excessiva!

Nestes muitos anos de estudo tive a rara oportunidade de travar conhecimento com muitos grandes Mestres de artes marciais, que se revelaram pessoas de ótimo humor. Por exemplo o Mestre Terada, praticante mais graduado do mundo no Yoshinkan Aikidô, que esteve no Brasil este ano. Cada demonstração e correção dele era recheada de brincadeiras e risos. Quem diria que aquele sorridente senhor de 80 anos foi aluno direto do Grande Mestre Ueshiba e colega do Grande Mestre Gozo Shioda, sendo o atual responsável pelo Yoshinkan mundial…

Muitos 'mestres' preconizam a seriedade absoluta porque, sem ela, eles acreditam não existir a Verdade. Grande engano. A Verdade existe mais verdadeiramente ainda atrás de um sorriso ou de uma brincadeira do que em todas as caras amarradas do universo!

Pode ter certeza: se um 'sábio' não tem bom humor, ele com certeza não tem sabedoria também."

Responder

Bertold

20 de dezembro de 2010 às 12h21

Tenho duas filosofias centrais em minha vida que adotei de há muito tempo. A primeira absorvi de karl Marx: nada do que é humano me é estranho. A segunda é de Max Weber em seu conhecido livrinho Ciência e Política duas Vocações: quem quiser salvar almas deve procurar o altar da igreja e não a esfera política. De modo que acho que tem gente inocente quando deve achar que na net a militância e as idéias dos partidos políticos estão neutros das questões em disputa na sociedade a partir da tela do pc. O jornalismo no novo espaço de atuação (internet), noticiando fatos ou manifestando opiniões, não vai se livrar nunca das tensões políticas perfeitamente humanas. Nessa hora, a experiência militante acostumada a enfrentar os embates de idéias, caracteríticos dos partidos políticos, leva ligeira vantagem pois estão calejados de "engolir sapos" nos confrontos de idéias. É o aprendizado democrático com a diversidade. Certo que alguns entregam os pontos e pulam fora. Mas quem quiser desenvolver a prática democrática (não o discurso apenas) deve saber que é preciso encarar os interlocutores mais duros e as vezes perder.

Responder

    Gão

    20 de dezembro de 2010 às 17h08

    "Confronto de ideias" foi o que eu não vi(foi o oposto, querendo censurar) um duelo de egos foi o que eu vi nessa grande ópera bufa.

    Eleonora Vaz

    23 de dezembro de 2010 às 18h54

    Boa! Gostei! Sempre achei que quem quiser salvar almas deve procurar igrejas, não o mundo político — motivo pelo qual a tal de 'ética' da D. Danuza, da D. Eliane Cantanhede e da D. Dora Kramer muito me enchem o saco. Não sabia que fosse lição de Max Weber. Quanto a "nada do que é humano me é estranho" sei que, antes de aparecer em Marx, apareceu num verso de Terêncio. É boa lição, também. Também gostei da lição do "desenvolver a prática, não só o discurso". Sábias palavras. As feministas que brigaram com o Nassif, provaram que só operam no plano dos discursos e pouco sabem da (difícil) arte de construir democracias (além do mais, parecem-me chatíssimas, muitas vezes).

Hans Bintje

20 de dezembro de 2010 às 12h20

Um pouco de filosofia taoísta ( http://www.taoismo.org.br/stb/modules/dokuwiki/do… ):

"O que os sábios taoístas falam sobre a prática da humildade?

A primeira lição é jamais se colocar como superior. A atitude interior adequada é a de se considerar como aquele que está entre todos os seres. Quem se vê com plenitude, não abre espaço para o desenvolvimento. Humildade é ter o espírito do principiante que tem espaço interior e sabe que sempre há muito a aprender. Essa atitude conquista corações de maneira invisível, desperta o respeito e atrai o apoio das pessoas.

O segundo passo na prática da humildade é não supervalorizar as coisas. O correto é ser realista com você e com os outros, senão você poderá ser demasiadamente crítico com as pessoas ou se frustrar, caso não consiga atingir as elevadas metas.

A terceira técnica nesse caminho, é ser flexível nas relações sociais como forma de contornar os bloqueios. Sem tolerância não há situação ou relacionamento que perdure. Porém, jamais ceda naquilo que é essencial para a conquista dos objetivos.

O quarto método para a prática da humildade, segundo os mestres taoístas, é o de se 'esconder debaixo da Terra', como a Montanha no hexagrama Humildade. Ela é discreta e não revela seus traços, de forma que sua profundidade e sua altura não possam ser medidas. (…) Quem se expõe se torna alvo de inveja e críticas e passa a ser vigiado. Quando comete um deslize, inevitavelmente vem o escândalo que poderá ser o estopim de sua destruição. Uma das reações mais naturais ou instintivas do ser humano é a de tentar furar um balão cheio. Então, não se porte como um. Também é aconselhável não se auto-elogiar, pois, se agir assim, só restará aos outros o criticar.

Humildade não é hipocrisia. Quando um doutor se diz analfabeto para simular modéstia revela falta de sinceridade e cria obstáculos para realizar os seus objetivos.

Ao subir a montanha da vida, galgando degraus na carreira profissional, é fundamental preservar o espírito do vale, ou seja, colocar-se abaixo dos colaboradores para receber as informações que são imprescindíveis para se definir as estratégias. O presidente de uma empresa está isolado no topo da montanha e precisa posicionar-se como o vale para conseguir ter acesso à inteligência, olhos e ouvidos de seus companheiros. Com uma visão mais ampla e profunda o líder obterá melhores resultados. Numa reunião de diretoria, por exemplo, ele deve se manter sereno e receptivo e ser o último a se pronunciar, abrindo espaço para que todos exponham suas idéias."

Responder

Adilson

20 de dezembro de 2010 às 12h09

O Blog do Alexandre Porto mostra a farsa montada pelo Estadão falsificando documento oficial contra o ministro Alexandre Padilha. A reporcagem do Estadão comprovaria o aval do ministro à liberação de verbas do ministério do Turismo para entidade fantasma. A farsa é tão grotesca que qualquer leigo consegue perceber.
http://www.aleporto.com.br/blog.php?tema=6&po

Responder

mello

20 de dezembro de 2010 às 11h54

Os blogueiros atingidos pelos disparatados ataques devem ignorá-los, desvalorizá-los. A credibilidade conquistada por todos eles, incluido esse aqui, o do Azenha, é atestada e comprovada pela quantidade de acessos e comentários que conquistaram , com seriedade e ética. Não devem ecoar manobras de propósitos inconfessáveis.

Responder

Jorge

20 de dezembro de 2010 às 11h36

Deslizes todos cometem e o Nassif não é diferente neste aspecto; triste é encontrar pessoas neste ambiente que gostam de explorar estas situações. De qualquer maneira, o importante é não se envolver em celeumas que pouco ou nada acrescentam ao ambiente da discussão política.

Blogs vem e vão, alguns bons e outros nem tanto, alguns inclusive mudando ao sabor da população que postam comentário no blog, algo como tentando explorar as oportunidades e não, como se espera, ser identificado como um blog desta ou daquela corrente.

Eu no começo, lia posts de aproximadamente 20 ou mais blogs e com o tempo, limitei a apenas 8 deles, em uma escolha muito pessoal. Hoje, tenho todos em uma pasta dos Favoritos e quando abro, abro já todos em abas; venci aquele sede de a 2 anos atrás em ler tudo e hoje, divirto-me muito mais com as leituras destes 8.

A propósito – continuo a ler o Nassif, considero-o um dos que mais possui conteúdo e, por incrível que pareça, este é o blog em que menos me manifesto – na verdade nunca postei nada lá.

Responder

Fernando

20 de dezembro de 2010 às 11h18

Tem a rivalidade Latuff x PHA também.

Responder

Antônio Manoel Góes

20 de dezembro de 2010 às 11h17

Obscuro blogueiro do portal 'www.tudoglobal.com', senti-me honrosamente representado pelos companheiros presentes à entrevista do presidente Lula. Requentadas idiossincrasias e egos feridos dos supostamente 'barrados no baie' seriam previsíveis, inclusive nesta onda 'progressista' da blogosfera. Convenhamos que a direita, no item 'coesão', sempre foi competente em seus objetivos. À esquerda, o cacoete 'histórico' de só estar unida atrás das grades(e olhe lá). Essa indigitada 'satanização' do ilustre Nassif, por deslize 'semântico' e nada conceitual(motivo de suas públicas desculpas), decorre da rota compulsória, que nos cabe, para identificar oportunistas e pretensos 'donos da verdade' encastelados na rede. Enquanto isso, os sequazes do Partido da Imprensa Golpista agradecem penhoradamente pela carnificina fratricida que patrocinarmos.

Responder

Lais

20 de dezembro de 2010 às 10h54

A divisão só interessa aos donos do poder desde 1500.
E o grande e velho problema do ser humano, a vaidade, conhecida como ego exagerado. A esquerda , ou movimentos progressistas jem geral, como queiram, sofre desta praga desde tempos imemoriais… Espero que tenhamos maturidade para nos livrarmos disto de uma vez por todas, porque o velho PIG só tonteou, mas não está morto; se começarmos a nos devorar na fogueira das vaidades, o movimento morre e fica do jeito que eles querem. Temos 4 anos de luta pela frente, e se alguém vai ficar de picuinha, vai ficar difícil.

Responder

Aracy_

20 de dezembro de 2010 às 10h41

Que pena que as coisas estejam nesse pé. A vaidade e a inveja são terríveis.
Mas vamos continuar usando a blogosfera de forma construtiva.

Responder

Cético de Plantão

20 de dezembro de 2010 às 10h23

A blogosfera "progressista" é sectária, só o Guimarães não percebe isso. estava demorando para sair um barraco.

Responder

    Adilson

    20 de dezembro de 2010 às 12h14

    Sectária é o PIG que só enxerga o PSDB como via democrática. Sectária é o G1 e a Folha.com que só consegue ver o que ela quer. Ainda bem que os Blogs progressistas não são como os Blogs limpinhos que bloqueiam os comentários de quem não tem a mesma visão dos tucanos que entram aqui na tentativa de provocar desunião. Tudo em vão por que os Blogs Progressistas vão continuar firme e forte. E sabe por quê? porque a cada dia essa massa progressista irá aumentar para o desespero dos limpinhos.

    Eleonora Vaz

    23 de dezembro de 2010 às 19h07

    O que eu acho mais engraçado é alguns blogueiros mais organizados terem-se arriscado na bobagem de querem aparecer como representantes de uma blogosfera que, de fato, é feita de milhões. Representariam o quê, além deles mesmos? O Eduardo Guimarães deseja ter mídia. Eu não quero ter mídia. Eu não quero nem ter blog! Sempre achei que o blog é jornalismo de jornalão trazido para a internet. Mas eu não sabia o que eu queria, até que os vazamentos de WikiLeaks me MOSTRARAM o que o jornalismo que há de fato FAZ. Eu agora só quero ser vazadora de pensamentos que as pessoas pensam e 'informam' com desejo orientado declarado. Não quero NUNCA MAIS ler jornais nem assistir noticiários de televisão. Em matéria de me informar sobre os EUA, p. ex., só quero ler telegramas diplomáticos vazados e romances. Não sei por que eu seria não-progressista. Eu sou comunista. Alguém aí se interessaria por ME representar na tal autoproclamada "blogosfera progressista"? Pra fazermos uma campanha contra TODOS os jornalistas e jornalismos e jornalões como existem hoje no mundo? De fato, aviso que não preciso que ninguém me represente. Eu sou eu mesma, feito o Julian Assange e aqueles diplomatas-espiões lá: a gente diz e faz e escreve O QUE NÓS PENSAMOS, não somos porta-vozes de informação produzida por outros. A gente escreve e assina PESSOALMENTE. Por que precisaríamos de representantes, tb não sei, mas… sabe-se lá, né? Vai que alguém se interessa por ME representar. Estou aberta a propostas. A única coisa garantida é que a tal "Blogosfera Progressista" não me representa.

monge scéptico

20 de dezembro de 2010 às 10h16

Se errou, reconheceu o erro como erro mesmo e desculpou-se, acabou o erro.
Com as providências acima, o erro desapareceu, especialmente do coração
de que não guarda mágoas(sou assim. parece simplório, mas é uma condição
natural; não forçada).
Prosseguir com acusações, contra o sr. NASSIF, me parece injusto. isso é ultra
sensibilidade demais e, não é normal e ponto final!!!!!!!!!!!

Responder

Pedro Luiz Paredes

20 de dezembro de 2010 às 09h55

Não sei do que se trata e nem quero saber. Ainda mais quando se trata do Nassif o qual o único pesar que tenho contra é o de na renovação do site me deixar perdido (só descobri que ele ainda tinha blog por causa de um link direto). Enfim, duvido de qualquer má fé que possam ter reputado a ele.
Deixa estar

Responder

easonnascimento

20 de dezembro de 2010 às 09h51

Desagregar a blogosfera interessa a quem esta blogosfera incomoda. Isso é claro. Por outro lado vejo que mesmo no meio daqueles que se unem em uma causa comum, existe o ego a falar mais alto e a criar conflitos.
http;//easonfn.wordpress.com

Responder

Gerson Carneiro

20 de dezembro de 2010 às 09h49

Raul Seixas já denunciava toda essa safadeza.
Muita calma nessa hora, moçada que organiza a blogosfera progressista.

[youtube r4Pmmr_9DBY&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=r4Pmmr_9DBY&feature=related youtube]

Responder

PAULO

20 de dezembro de 2010 às 09h47

NÃO É SOBRE O ASSUNTO, MAS NÃO ESTOU CONSEGUINDO ACESSAR O CONVERSA AFIADA, ACONTECEU ALGO COM O SITE?

Responder

    Pedro

    22 de dezembro de 2010 às 02h04

    Aqui tá normal

Jairo_Beraldo

20 de dezembro de 2010 às 09h43

Tempestade em copo d'água. Nada mais que isso. Fim de ano, reflexões. Joga a pedra pra cima, vamos ver onde ela cai. Azenha e Conceição fizeram post parecido, dizendo estarem esgotados, mas nada que umas boas e merecidas férias, os farão mudarem de idéia.

Responder

Kodaisama

20 de dezembro de 2010 às 09h22

Sobre esse caso ae do feminazi, recomendo video do vlogger felipe neto sobre os trolls, é para morrer de rir. E desde quando criticar radicalismo lhe coloca na posição radical diametralmente oposta? Essa galera ta querendo eh motivo pra esculhambar o nassif. Ele por acaso tem historico de machismo? Cada uma…

Responder

    José de Queiroz

    20 de dezembro de 2010 às 11h59

    Não sei, mas me parece que o Nassif só tem filhas. Se ele fosse machista estaria lascado como se diz aqui no Nordeste.

El Cid

20 de dezembro de 2010 às 09h21

Juliano Santos, comentando no blog "Cidadania" do Eduardo Guimarães:

"Finalmente descobri daonde veio “feminazi”. Foi um jornalista neocon da Fox que cunhou o termo para se referir às feministas que militam pela liberação do aborto. Ele disse que assim como os nazistas queriam exterminar os judeus, essas feministas querem exterminar as criancinhas antes delas nascerem.
Então o tal André além de ter sido extremamente infeliz ao usar esse termo que só poderia ter saido da cabeça de um neocon, usou-o de forma errada. Niguém falou em extermínio dos homens! Ufa, que alívio!"

… a esse denominado "André", o meu recado: você não tem cheiro de "troll", você tem é o FEDOR dos trolls !!

Responder

mariazinha

20 de dezembro de 2010 às 09h21

São as vaidades, caros, elas fazem uma festa!
A perversa, é parte intrínseca da alma humana e causa danos irreversíveis, dificeis de serem resgatados.
Conheci seu Nassif qdo. criou seu espaço, ao mesmo tempo em que o do EG. Aliás, os blogs progressistas foram criados quase todos, ao mesmo tempo, em vista da necessidade de preencher lacunas de informação que a mídia tupiniquim não conseguia suprir. E foi interessante pois à medida que iam surgindo um indicava o outro, todos companheiros e afinados. Não há como impingir-lhes preconceitos ou desvios éticos; o sucesso deles é, justamente, a retidão ética.
Para quem pensa ser fácil manter um espaço assim, lembro que o MINO, o grande, não conseguiu continuar seu blog pois sentiu-se pressionado pelos comentários. É preciso esfriar a cabeça. Nós amamos todos esses jornalista abnegados e não queremos ve-los desagregados; são nossos gurus, nosso porto seguro da boa informação. MAIS IMPORTANTE, NOSSA ESPERANÇA!

Por favor, relevem as diferenças pois estamos aqui por motivo maiores que tudo: defender uma informação segura, derrubar as mentiras e ciladas da imprensa tupiniquim, defender o território brasileiro dos predadores. Estes, estão doidos que a blogosfera PROGRESSISTA se desentenda pois sabem que são um entrave em seus planos diabólicos.
NAMASTÊ!
["O DEUS que há em mim saúda o DEUS que há em VC"]

Responder

Marco Ferreira

20 de dezembro de 2010 às 08h52

Pois é, o Nassif..cometeu um erro, reconheceu-o,mas há na blogosfera uma meia-dúzia de patrulhadores e que se julgam os "senhores da razão", faz algum tempo que não assino mais jornais e nem os leio, minha fonte de informação passou a ser basicamente os blogs, no entanto, é preciso tomar cuidado para que os blogueiros progressistas de hoje não sejam o PIG de amanhã, alguns blogueiros não admitem , por exemplo, uma crítica ao governo Lula, fazem uma defesa apaixonada do seu governo, que em algumas áreas teve avanços, mas manteve o mesmo cassino financeiro dos anos tucanos, o que tenho percebido é que há pouca tolerância com as idéias divergentes e vejo também que alguns se deslumbram com os holofotes…

Responder

André Oliveira

20 de dezembro de 2010 às 07h39

A difrença entre um formador de opinião e um mala, um babaca, é que este perdeu a noção do exagero e começa a se sentir melhor que os outros, mais inteligente que os outros, mais importante que os outros…A mosca azul do poder tem feito alguns estragos por conta da arrogância de certas pessoas que passaram a se achar acima do bem e do mal..Sinceramente eu tenho visto pelas opiniões e pelas respostas aos comentaristas, algumas de pura grossura e falta de educação, que alguns blogueiros subiram no salto, passaram a se achar melhores que os demais mortais e perderam o que lhes fez grandes: a humildade e a militância da boa argumentação, exatamente o contrário do que ocorre nos blogs limpinhos..A AUTOCRITICA NUNCA FEZ MAL A NINGUÉM…O importante neste processo é o publico que acessa os blogs e não apenas os blogueiros…Quem lê vocês é tão esclarecido, militante e preocupado com o país quanto vocês.

Responder

    Geysa Guimarães

    20 de dezembro de 2010 às 12h29

    André:
    Sim, há blogueiros com o rei na barriga, que nem se dignam a interagir com os comentaristas. Botam a equipe a trabalhar para não ter contato com a "plebe", e nem dissimulam.
    NÃO é o caso de Nassif. Com toda notoriedade alcançada, ele continua a ser uma pessoa comum, sem estrelismo. Nassif nunca deixou de calçar as sandálias da humildade.

    mariazinha

    20 de dezembro de 2010 às 19h33

    É a pura verdade, GG.
    Eu sou testemunha do que VC fala.
    No caso do seu NASSIF, sinto até pena dele pela azáfama pois sei que é uma pessoa cheia de compromissos e ainda leva seu blog em uma boa, dando atenção a todos, sem discriminação. Já nos contou coisas íntimas como suas dúvidas, seus esquecimentos que lhe causaram transtornos, sua vida familiar enternecedora onde as mulheres imperam, numa grande maioria ao seu redor. Maldade estão fazendo com ELE, um cavalheiro excepcional, educado e gentil.

Hiro

20 de dezembro de 2010 às 02h22

Considero leviano aqueles que classificaram o Nassif como "machista". Estive em seu sarau musical em SP, bem simples e por isso mesmo um belo e encantador encontro democrático. Lá houve presença de várias musicistas mulheres (desculpem a redundância, mas é para destacar). E ele tb estava com suas filhAs.
Em seu blog, muitas das músicas que ele apresenta são de cantorAs. Nunca houve quaisquer restrições de participação feminina em seu blog. Ao longo de décadas na mídia, ele historicamente nunca fez nada contra os direitos das mulheres. Ora, não se pode desrespeitar ninguém assim. Faço coro com o jornalista Azenha: a quem interessa desagregar a blogosfera?

Responder

V

20 de dezembro de 2010 às 02h06

"O Erro não é o Erro, o Erro pode ser o que se faz dele". V
Nesta nova fase da humanidade, é importante ser tolerante, não precisa abrir mão da honra ou de princípios.
Tolerante com quem não recicla, então devemos educar.
Tolerante com o preconceito, quando ainda é em palavras e pensamentos, então precisamos curar.
Tolerante com as pequenas coisas erradas do dia a dia, então temos que agir de alguma forma.
Mas não dá para ser tolerante sempre.
Parabéns aos blogueiros que reconhecem erros e se desculpam.
Ah… se o resto da mídia fosse assim.

Responder

Esquemas Táticos

20 de dezembro de 2010 às 00h58

O problema todo é não conseguir separar os debates das pessoas. Acho que a falta de diversidade de gênero na entrevista com Lula foi um erro, mas não tira o brilho do que aconteceu. Falei disso naquele momento e continuo com a mesma posição. O que acho errado é criar uma guerra por causa disso. Eu mesmo, sendo negro, poderia reclamar da falta de diversidade racial. Mas não achei justo. A entrevista foi histórica. Os passos têm que ser dados aos poucos e estão sendo dados. Muitos blogueiros que leio diariamente usam expressões racistas (judiar, denegrir) inconscientemente. O que devo fazer? Comunicá-lo e dar-lhe consciência disso. Não vou atirar-lhe pedras antes que ele possa saber o significado político da palavra. Não bato em aliado. No meu meio, todos sabem que é um expressão racista. Mas todos sabem também que poucos têm consciência disso. Acho que o mesmo acontece com o termo "feminazi". Eu também não conhecia o significado político dela. Então, está certo cobrar o seu não uso, assim como de palavras como judiar e denegrir. Criar um conflito em torno disso não é sensato. A divisão da esquerda é tudo o que a direita quer. De novo: não bato em aliados. Por isso, espero que o entendimento possa acontecer. De minha parte, vou continuar a ler o Azenha, o Edu Guimarães, o Nassif, o Rodrigo, o Rovai, o Idelber, a Cynthia e tantos outros.

Responder

    Flavio Lima

    20 de dezembro de 2010 às 10h13

    Bom o seu comentario. Assino e,baixo.

    Douglas O> Tôrres

    20 de dezembro de 2010 às 12h02

    Foram convidadas outras bloguiras que por motivos vários desistiram na última hora,e não houve tempo habil para se convidar outras,mas concordo quanto a diversidade racial.

Polengo

20 de dezembro de 2010 às 00h51

Como estaria eu, um réles nada, sabendo de tudo isso se não fosse a internet?
Tomem cuidado, e continuem

Todo mundo erra. E fica mais fácil também acusar outrem de erro.

Responder

Fabio_Passos

20 de dezembro de 2010 às 00h40

A entrevista do Lula para blogueiros foi um evento histórico.
Espero que esta conquista se torne regra.

Agora… o Eduardo Guimarães está exagerando nas ofensas aos comentaristas que o questionam.
O Idelber Avelar questionou o Nassif pela questão da "feminazi" e está criticando em bom nível e de forma respeitosa.

Responder

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 09h07

    Não são questionamentos. São provocações.

    O Eduardo Guimarães está é de saco cheio de tanta encheção de saco. E ele está certo.

    Tanta dedicação, muitas vezes até privação do convívio familiar para se dedicar a isso aqui, figura fundamental para a realização do I Encontro dos Blogueiros, coisa que sem esse pessoal não teríamos, e depois aparece nego folgado, que não faz nada, para encher a paciência!

    Eduardo Guimarães está certo. Jesus não retrucou e deu no que deu. Se tivesse seguido o conselho do Raul Seixas….

    ei Jesus Cristo,
    o melhor que você faz
    deixar o pai de lado
    foge pra morrer em paz

    Fabio_Passos

    20 de dezembro de 2010 às 11h04

    O Nassif é o sujeito que enfrentou e derrotou a revista veja. Imagine a coragem?
    Entrei na rede lendo Nassif e não tenho dúvida que ele é a mais importante referência para o Jornalismo praticado na rede. Para mim é atualmente o mais importante Jornalista do Brasil. Disparado.

    No entanto, duvido que exista má intenção naqueles que criticaram o Nassif pelo erro naquele negócio de "feminazi".
    Acredito que as feministas e os blogueiros que criticaram o Nassif estavam sinceramente indignados porque isto desmerecia as mulheres e a ignorância do Nassif sobre o tema não foi compreendida.

    Geysa Guimarães

    21 de dezembro de 2010 às 12h16

    Fábio:

    Não só a revista Veja como o então todo-poderoso presidente do STF, Gilmar Dantas. Nassif é detentor de uma coragem nunca dantes vista no jornalismo deste País.
    Merece ser tratado à altura.

Lucio Dias

20 de dezembro de 2010 às 00h37

Ao Azenha, Edugui e aos caros leitores: "alma nojenta" tem em todo lugar.

Responder

    Paulo

    20 de dezembro de 2010 às 10h14

    INCLUSIVE AQUI…………KKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Lucio Dias

    20 de dezembro de 2010 às 15h28

    … e chegando mais.

dukrai

20 de dezembro de 2010 às 00h31

véi, dor de cotovelo é pior que dor de corno e espero que a turma do primeiro caso sofra bastante.

Responder

Regina

19 de dezembro de 2010 às 23h24

Naõ vou fazer juízo de valor sobre apenas um post…Nassif é um dos jornalistas mais conhecidos,integro,aberto,conceituado,premiado,crítico,e tbém progressista.Naõ tenho blog e acho um absurdo, tentar rotular um nome como o do Nassif.Que sempre permitiu a participaçaõ de nós mortais,tenha o teor que tiver o comentário…Sempre houve isençaõ.Nassif é um dos jornalislas de maior credibilidade do País…e quem têm um passado como o dele naõ precisa ficar se justificando o tempo todo. Um erro diante do que ele já fez, é perfeitamente desculpavel.Sinto muito orgulho e honrada por poder comentar nos blogs de jornalistas que eu acredito e prezo.Inclusive no seu Azenha.Todos os acertos do Nassif,falam melhor do qq um.

Responder

Thiago Leal

19 de dezembro de 2010 às 22h50

Qualé. Isso já deu muito mais do que tinha que dar. Vão querer questionar a integridade do Idelber agora? Devolvo a pergunta: a quem interessa isso. Mas eu também respondo: a ninguém. Pelo menos a ninguém de nós.

Responder

Marcelo Ramos

19 de dezembro de 2010 às 22h47

Vaidades, picuinhas, esquizofrenia,… a blogosfera é igual ao mundo real. Todo mundo quer ser famoso, progressistas, até a hora de repartir o bolo. Se entendi bem, quem inidicou o Avelar para a entrevista com o Lula foi o próprio Nassif. Se foi mesmo o Nassif que indicou, deve selecionar melhor as amizades.

Responder

Gerson Carneiro

19 de dezembro de 2010 às 22h21

SInto orgulho e uma imensa alegria de ter comparecido ao I Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas.
Bem como sinto uma imensa satisfação de ter conhecido esse mundo através dos blogues dessas pessoas que organizaram o I Encontro, incluindo é claro, a Conceição Oliveira e a Conceição Lemes.

Fico triste com a desagregação e celeuma provocadas por essa gente que, até onde estou entendendo, não fez nada para a realização do bem estar da blogosfera progressista, mas agora bate cartão para destruir.

Fiquei um tempão tentando escrever sobre, mas não tenho muito o que dizer. Esse assunto me deixa triste.

Responder

    IV Avatar

    20 de dezembro de 2010 às 00h18

    O certo é que há poucos para carregar o piano, como tem feito estes blogueiros aos quais o Idelber se refere de forma depreciativa
    Ponham o Idelber para carregar o piano, aí ele aprende o que é bom prá tosse

    Será que o Idelber vai se deslocar dos EUA para fazer promover no Brasil encontros como os já realizados pelos blogueiros aos quais ele se refere de forma depreciativa ou se limitará ao seu blog, esta opção é mais provável

    Quem são nossos inimigos?
    Nassif? Eduardo Guimarães? Azenha?

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 08h16

    Exatamente isso. Carregar o piano. Você definiu bem.

    Infelizmente esse é o preço. Os blogueiros progressistas fizeram o que o Lula fez. Aí vêm os "intelectuais" desfilar suas teorias mirabolantes de caridade social.

    E não precisa ir longe não, basta observar o encontro promovido pelo Millenium pra notar que internautas admiradores deles nem sequer tiveram o direito de ficar de fora estacionando os carros.

    Por isso, ó aqui pra eles:

    [youtube RhFAJUG1Idw&feature=fvw http://www.youtube.com/watch?v=RhFAJUG1Idw&feature=fvw youtube]

    Abel Botelho

    20 de dezembro de 2010 às 10h54

    Sr. Geraldo, me desculpe, mas o sr. e essas suas metáforas baratas com citações de letras de músicas já estão passando dos limites da paciência. ô mala!!

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 15h32

    Também não aguento mais esse "GERALDO" . É um mala mesmo.

    O Zé Geraldo,
    Jogado a teus pé,
    Eu sou mesmo um Zé Geraldo.

    Geraaaaaaaldo…

    Abel Botelho

    20 de dezembro de 2010 às 22h00

    como é mala…

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 22h05

    quem, o Geraldo?
    Também acho.

    Davi Vieira

    20 de dezembro de 2010 às 09h47

    "Ponham o Idelber para carregar o piano, aí ele aprende o que é bom prá tosse"

    É isso aí. Concordo com o que o Nassif pontuou no post de ontem. Alguns blogueiros de nicho, ainda que tivessem há mais tempo seus blogs, incomodaram-se com a dimensão que a blogosfera ganhou com o trabalho dos blogueiros progressistas, cuja influência e importância vão muito além de retóricas acadêmicas e, de certo modo, egocêntricas.

    Sou obviamente favorável às críticas, contanto que, como o Nassif sempre ressalta, sejam feitas em "bom nível". Por mais que o desdenhem por essa expressão, ela é correta e necessária. Há comentários e outros textos relevantes em seu conteúdo, mas cuja agressividade, desdém ou semelhantes tornam-nos puro veneno. Pode-se até concordar com o que dizem, o incômodo de lê-los, porém, existe, no momento em que, sob tantos ares intelectuais que beiram a arrogância, é perceptível o mais primário ressentimento contra quem se critica. Sem falar do recurso, baixo, de se "recrutar" blogueiros como aliados por meio de citações elogiosas a eles. Nesse momento, sinceramente, é difícil manter no texto a relevância daquilo que se discute.

    Força, portanto, aos blogueiros progressistas, que carregaram, sim, o "piano". Quanto aos ressentidos, a birra pode até ser sofisticada em seus termos, mas não deixa de ser birra.

    El Cid

    20 de dezembro de 2010 às 07h41

    Gersão, fiz alguns comentários a respeito dessa polêmica toda… minhas impressões do fato: vaidades, dor de cotovelo, discursos radicais DEMAIS, "patrulhamento"… mas como mineiro que sou, desconfio uma certa "iniquidade" que está rolando nisso tudo… Nassif já fez o seu "mea culpa" (qualidade de quem tem caráter) e demais esclarecimentos da parte dele foram para mim suficientes para dar o assunto como encerrado.

    O que eu pude entender, é que publicaram com foco em um problema geral e amplo, que é a condição da mulher. É geral porque todo mundo tem mãe, esposa, irmã e pouca gente acha natural que uma pessoa criada no mesmo ambiente receba tratamento diferente. E cada um tem a sua solução para o problema – o difícil é o consenso.

    … e tem mais, Gersão: Mino há tempos disse que a “os donos da imprensa se odeiam, porém se unem quando se sentem ameaçados”. Resultado? formalizaram a união no encontro do Instituto Millenium.

    Só espero, meu amigo, que não estejamos diante de um primoroso estímulo ao sectarismo…

    Fica de boa e um abraço !!

    Gerson Carneiro

    20 de dezembro de 2010 às 15h37

    El Cidão meu rei, dê uma lida nos textos recentes postado pelo Eduardo Guimarães lá no blog cidadania. Especialmente o texto "Dividir para conquistar".

Beto Crispim - BH

19 de dezembro de 2010 às 22h15

Estou fora da net quase uma semana, estava envolvido em uma atividade e optei por ficar fora. Disso tudo só tenho uma coisa a dizer: VIVA O NASSIF, VIVA A BLOGOSFERA PROGRESSISTA, VIVA NÓS E VIVA O BRASIL DAS MULHERES E DOS HOMENS PROGRESSISTAS.

Responder

Felipe

19 de dezembro de 2010 às 21h47

Se o Nassif, o Azenha, PHA, Eduardo Guimarães e compania são machistas insensíveis eu já não sei de mais nada de nada…..parece que a blogosfera adentrou a loucura da loucura!!!Pirou de vez, surtou….

Olha o governo Dilma ai, as conquistas que as mulheres terão e esse time todo que está sendo acusado por causa de um termo ridiculo (feminazi) estarão na linha de frente da emancipação feminina….

parei….melhor dormir, desligar o computador……

abs

Responder

Thelma Oliveira

19 de dezembro de 2010 às 21h29

Sinceramente, acho importante que se divulgue abertamente as condições do encontro de progressistas e da entrevista com Lula, mas tb considero que não se deve dar atenção demais a determinados eventos, sob pena de aumentarmos a sua importância.
Vocês fazem um excelente trabalho, adoro ler as matérias postadas e poder tb me manifestar sempre que acho necessário. Quem estiver insatisfeito, é mais fácil ainda que mudar de canal, é só não entrar no blog, simples assim. Mas fico entristecida com a forma das pessoas lidarem com o poder, ou a falta de. O que pesa mais, vaidade pessoal, questões políticas, ou simplesmente inveja? De qualquer forma, nada que preste.
Sigam em frente, porque vocês são bem melhores do que isso e tem a admiração de quem segue esses blogs.
Um grande abraço e tudo de bom no próximo ano, pra todos que fazem o blog e pra todos os comentaristas que participam dele de forma limpa e democrática, na verdade, a grande maioria das pessoas.

Responder

    mariazinha

    20 de dezembro de 2010 às 09h27

    Belas palavras, querida.
    Penso, exatamente, assim. Não saberia viver sem eles pois acostumei-me com suas publicações e não leio mais nem vejo a mídia convencional. O menos importante que aconteceu na blogosfera, para mim, foi esse encontro com LULA. Somos maiores que tudo mais!
    Saudações efusivas!

diogojfaraujo

19 de dezembro de 2010 às 21h10

Citou a Conceição (não sei se é a Lemes, mas acredito que seja) sim -> http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-nova-b

Fiquei fora da net e não li todos os blogs para escrever algo decente, mas essa discussão era claramente besta desde o começo… Parece que após o fim das eleições muita gente ficou sem assunto, e aí a baixaria vai retomando seu espaço na net, e infelizmente também no que vcs deram o sangue pra construir…

Responder

    van

    26 de dezembro de 2010 às 19h46

    Só o fato de todos os que blogueiros, comentaristas terem se empenhado tanto pela vitória da Dilma, já deveria ser prova suficiente de que, todos nós, queríamos além da continuação do governo Lula, o que foi dito pelo próprio: A chance de ter uma mulher na presidência do Brasil? Isso já não é tudo?
    Olha o exemplo que vai ser para nossa juventude, homens e mulheres e para todo mundo seu governo, que com certeza vai abalar bangu.
    Acho que lutamos tanto para combater o ódio exalado pelo Chirico, as mentiras e falcatruas do Índio, da Dra. Cureaux, Mendes, enfim não passava um dia sem calúnias, difamações e ciladas. O negócio foi tão forte e agressivo, que ao findar, mesmo ganhando a Dilma, ficamos exaustos e tensos.
    Acho que a provocação feita pelo tal André, teria passado despercebida em outra hora em outro momento, não teria causado tanto.
    Espero que o tempo nos recupere da truculência do PSDB/DEM. Apesar dele continuar no tweeter dizendo que anda com 30 seguranças, porque está sendo ameaçado de morte. Ele e sua família.


Deixe uma resposta para Eleonora Balbo

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding