VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Secretário-geral da CUT-DF pede impeachment de Gilmar


31/05/2012 - 14h59

As recentes declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria tentado chantageá-lo para que adiasse o julgamento do “mensalão”, provocaram vários questionamentos sobre a conduta do ministro, classificada por alguns como “polêmica”, “questionável” e mesmo “destemperada”. PSOL protocolou representação questionando a conduta do ministro. Secretário-geral da CUT-DF protocolou pedido de impeachment.

por Najla Passos e Vinicius Mansur, em Carta Maior

Brasília – As recentes declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria tentado chantageá-lo para que adiasse o julgamento do “mensalão”, provocaram vários questionamentos sobre a conduta do ministro, classificada como “polêmica”, “questionável” e mesmo “destemperada”.

O PSOL – que havia se unido ao PSDB, DEM e PPS para solicitar à investigação da conduta de Lula – protocolou ontem, na Procuradoria Geral da República, representação em que questiona a conduta do Mendes, classificada pela sigla como “bastante questionável”. No documento, o partido pede a investigação dos fatos e, se comprovada conduta indevida, que a Procuradoria adote as medidas cabíveis, nos âmbitos administrativo, civil ou penal.

O servidor público Cícero Batista Araújo Rôla protocolou, nesta quarta (30), na presidência do Senado, o pedido de impeachment do ministro do STF, Gilmar Mendes. Cícero, que é filiado ao PT e secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores no Distrito Federal (CUT-DF), disse à Carta Maior que, “como cidadão que cumpre suas obrigações, não pode aceitar que este magistrado desrespeite o ordenamento jurídico, adote posições tão parciais”.

“Esta é uma postura inaceitável da parte de um juiz da mais alta corte. As contradições entre os depoimentos dos dois revelam que ou Lula cometeu uma irregularidade, ou o ministro mente, o que é uma postura inaceitável da parte de um juiz da mais alta corte. E, dado o histórico de mentiras de Gilmar Mendes, solicitei ao Senado que o afaste de suas funções e apure sua conduta”, justifica.

O ex-presidente Lula, em palestra proferida na sede da ONU em Brasília, na noite de quarta (30), afirmou que precisa ter cuidado com uma minoria que não gosta dele. “Você sabe que tem muita gente que gosta de mim, mas tem algumas que não gostam. Eu tenho que tomar cuidado contra essas. São minoria, mas estão aí, no pedaço”, afirmou.

Mais cedo, a presidenta Dilma Rousseff, durante cerimônia de entrega do Prêmio Objetivos do Milênio Brasil, já havia feito uma homenagem ao ex-presidente. “As pessoas nos lugares certos e na hora certa mudam processos e transformam a realidade”, afirmou a presidenta, propondo a homenagem. A plateia aplaudiu de pé e cantou, em coro, “Olé, olá… Lula, Lula”.

Na terça (29), a Secretaria de Comunicação da Presidência da República divulgou nota desmentindo a matéria “Para Dilma, há risco de crise institucional”, na qual o jornal O Estado de São Paulo diz que a presidenta, em reunião com o presidente do STF, Ayres Britto, teria dito o episódio envolvendo Mendes e Lula colocava em risco as relações entre Executivo e Judiciário. A nota afirma que o jornal contrariou “a prática do jornalismo” e que “os comentários atribuídos à presidenta da República citados na reportagem são inteiramente falsos”, diz a nota.

O STF, que em nota também negou o teor da reportagem, preferiu não emitir opinião sobre as desavenças entre seu ministro e o ex-presidente. De acordo com a Folha de S. Paulo, o presidente da Corte, Ayres Britto, após consulta aos ministros, teria concluído o encontro entre Lula e Gilmar não foi um episódio institucional, mas pessoal.

As demais “vítimas” de Gilmar

A Embaixada da Venezuela no Brasil divulgou nota oficial repudiando as declarações do ministro, ao jornal O Globo, de que “o Brasil não é a Venezuela de Chávez, onde o mandatário, quando contrariado, mandou até prender juiz”.

“Recorrer à desinformação para envolver a Venezuela em debates que dizem respeito apenas aos brasileiros é uma atitude indecorosa – ainda mais partindo de um ministro da mais alta corte da nação irmã – e não reflete a parceria histórica entre Brasil e Venezuela”, disse o embaixador no Brasil, Maximilien Arveláiz.

O deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), também atacado por Mendes, atribuiu as declarações do ministro a uma tentativa de inviabilizar os trabalhos da CPMI do Cachoeira. “Desta vez a tentativa de blindar o crime organizado não deu certo. Felizmente, o trabalho da CPMI do Cachoeira já transcendeu o poder de obstrução dos corruptos, corruptores e do Sr. Gilmar Mendes. Não adianta mais tentar ganhar no grito ou querer dispersar o foco objetivo da CPMI por meio de mentiras”, disse o deputado, em nota.

Protógenes lembrou que Mendes, quando presidente do STF, foi responsável por decisões que afetaram a credibilidade da Justiça brasileira, como a concessão de dois habeas corpos, em 48 horas, para o banqueiro condenado Daniel Dantas, em 2008. “Os atos incomuns praticados no STF pelo ex-presidente Gilmar Mendes tinham, então, respaldo de um super poder judicial acima da lei e da Constituição da República. Hoje eles não tem mais. As coisas mudaram no Brasil. E continuarão mudando”.

Na nota, o deputado disse ainda que “talvez o destempero, nervosismo e arrogância de Gilmar Mendes se explique ao longo da CPMI do Cachoeira na ampliação da coleta de dados, documentos e informações que aprofundem as investigações com o objetivo final de revelar as infiltrações nos Poderes da República, que ameaçam o Estado Democrático de Direito”.

O ex-delegado da Agência Brasileira de Inteligência (Abim), Paulo Lacerda, acusado por Gilmar Mendes de “grampear” o STF, em 2008, rebateu as declarações recentes do ministro de que ele continuaria abastecendo Lula com informações sobre a atividade do magistrado. Em entrevista ao site Terra Magazine, o ex-diretor-geral da Polícia Federal afirmou que, se Mendes realmente fez tal afirmação, “ele foi leviano e mente”. Lacerda negou proximidade com o ex-presidente Lula e disse que, hoje, trabalha para a iniciativa privada.

Negou também conhecer o araponga Idalberto Matias Araújo, braço direito de Cachoeira que, segundo Mendes, seria homem de confiança de Lacerda. Para o ex-delegado, o ministro do STF está “exaltado, sem controle”. Ele afirmou ainda que a CPI do Cachoeira será uma “ótima oportunidade” para esclarecer o caso dos grampos ilegais jamais provados que derrubaram a Satiagraha.

Leia também:

Serra participou da armação Veja-Gilmar

Embaixador da Venezuela repudia declarações de Mendes

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cynara Menezes: Gilmar Mendes tentou usar Ayres Brito como escada « Viomundo – O que você não vê na mídia

02 de junho de 2012 às 16h19

[…] Secretário-geral da CUT-DF pede impeachment de Gilmar […]

Responder

Voar contradiz versão de Gilmar Mendes « Viomundo – O que você não vê na mídia

31 de maio de 2012 às 20h54

[…] Leia também: Serra participou da armação Veja-Gilmar Secretário-geral da CUT-DF pede impeachment de Gilmar […]

Responder

Jose

31 de maio de 2012 às 19h34

Rôla nele!

Responder

Eliana

31 de maio de 2012 às 18h43

Onde eu assino?
Alguém poderia elaborar uma petição com fundamentos jurídicos para que pudéssemos coletar assinaturas na internet pedindo a saída do Gilmau.

Responder

Carlos Ribeiro

31 de maio de 2012 às 17h57

Willian, Você não gosta do Rôla, ou é só disfarce?

Responder

maria olimpia

31 de maio de 2012 às 17h46

Concordo. Se precisar de assinatura, conte comigo.

Responder

lulipe

31 de maio de 2012 às 17h39

Mais um pedido que será arquivado.O Cícero já teve seus 15 minutos de fama…Próximo.

Responder

Serrote

31 de maio de 2012 às 17h30

Onde eu assino?

Responder

PEDRO HOLANDA

31 de maio de 2012 às 17h30

Pronto.!!! Agora ele pegou em bomba chiando. Vê quem foi prá cima dele?

Responder

Gustavo Pamplona

31 de maio de 2012 às 17h23

Impeachment?

Sonhem com isto… meus queridos… pois isto não vai acontecer!!! hahahahhaha

Subitamente os PTralhas alvoroçados vem em peso ao “Vi o Mundo” como cães raivosos, loucos e ansiosos para estraçalhar seus inimigos mais tenebrosos.

—-
Desde Jun/2007 alvoroçando PTralhas no “Vi o Mundo”! =D

Responder

    Sérgio

    31 de maio de 2012 às 23h50

    Apesar de seu comentário soar falso e boçal, não tiro sua razão. Suas opiniões costumam ser sensatas. A forma como você as tem emitido é que retiram seu mérito. Tente ser menos bobo da corte, pois ironia não é seu forte. Você se preocupa em parecer troll de uma forma nada espontânea e ninguém te leva a sério por isso (deixe essa arte para os anônimos EUNÃOSABIA, John Bastos e os outros que já esqueci, que, se não contribuem em nada com o debate, ao menos fazem isso de um jeito menos forçado). Aí você tira a chance de as pessoas verem as coisas através de suas perspectivas, que muitas vezes são interessantes.

    Quanto ao teor da sua opinião, em si, concordo. Sou incrédulo também. Não dou um mês pra essa representação ser arquivada. Da mesma forma que eu acho que essa CPMI vai ficar esses meses bombando no noticiário, mas no fim vai ser esquecida como todas as outras, sem trazer nenhum resultado prático. Posso apostar que o Demóstenes Torres não só vai ser mantido no Senado, como vai ser reeleito. E daqui a um ano ou dois, outra denúncia grave (e devidamente comprovada) contra um senador, um banqueiro, um bicheiro ou um ministro do STF surgirá. Talvez tenhamos outra CPI e, embora enormes contradições sejam expostas, as provas sejam lícitas e irrefutável, tornando clara a culpa, como de costume por um tecnicismo supérfluo aqui, uma camaradagem ali, todos serão absolvidos ou a punibilidade será extinta. Pronto, previ o futuro.

    Tudo como sempre.

Willian

31 de maio de 2012 às 16h21

Antes dos trabalhadores, a CUT defende o PT.

Responder

RicardãoCarioca

31 de maio de 2012 às 16h11

Bem que Protógenes poderia ingressar também com o pedido de impeachment do Mendes. Como diz até a Bíblia: A Fé sem obras é morta, ou seja, ficar só no gogó não resolve nada.
Mas… mas nessas horas eu sempre lembro da lamentável frase do ACM: Se (esse pedido de impeachment) não passa no JN, é porque não aconteceu.

Responder

Fernando Moreno

31 de maio de 2012 às 15h56

Parabéns pela coragem, Cícero.

Responder

Damião

31 de maio de 2012 às 15h28

É isso aí, Rôla vai pra cima de Gilmar!!
(sem nenhum trocadilho, é o que está escrito na notícia!)

Responder

Deixe uma resposta para Damião

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.