VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

CPMI do Cachoeira: Saiba quem é quem


25/04/2012 - 12h00

de CartaCapital

O Congresso tornou oficial, na noite desta terça-feira 24, os nomes dos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito que vai investigar os negócios do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e privados. São 64 parlamentares, 32 titulares e 32 suplentes. Eles terão seis meses para verificar como atuava a quadrilha que, segundo investigações da Polícia Federal, mantinha um esquema de exploração de jogos ilícitos.

O PT, dono da maior bancada da Câmara, indicou como relator da CPI o deputado Odair Cunha (MG). Sua posição é estratégica, uma vez que o relator coordena as investigações da comissão. Nesta terça, Cunha prometeu conduzir uma investigação “séria e serena” e que produza resultados “doa a quem doer”. É uma tentativa de indicar que a CPI será isenta e não tentará proteger aliados do governo.

A oposição, da mesma forma, tenta mostrar coragem diante da CPI. Nesta terça, o líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), afirmou que seu partido apoia a ida do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), à CPI. “O governador Marconi Perillo virá e tem todo o apoio do PSDB para participar com esclarecimentos na CPMI. Esperamos que o PT tenha o mesmo desprendimento”, disse. Perillo é um dos políticos com mais problemas diante de sua relação com Cachoeira. A investigação da PF mostrou, por exemplo, que sua ex-chefe de gabinete, usando informação passada por Cachoeira, avisou um prefeito aliado de Perillo sobre uma operação da PF.

O comentário do líder do PSDB sobre o PT é uma óbvia referência ao governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. O petista também aparece nas gravações das operações da Polícia Federal. A quadrilha de Cachoeira tem tantos tentáculos nos Estados que nenhum grupo político está a salvo de polêmicas. Além de Perillo e Agnelo, outros governadores que podem ser investigados são Beto Richa (PSDB-PR), Silval Barbosa (PMDB-MT) e Raimundo Colombo (PSD-SC).

O alvo principal da CPI, entretanto, deve ser o senador Demóstenes Torres, de Goiás. Ele é o personagem público mais comprometido com Cachoeira. Demóstenes deixou o DEM para não ser expulso do partido, está sendo investigado pelo Conselho de Ética do Senado e pode ter seu mandato cassado por conta das relações com Cachoeira. Famoso por bater duramente nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff, Demóstenes passou a surgir de forma apenas esporádica no Congresso desde o surgimento do escândalo. Com a CPI, é provável que sua situação se torne insustentável.

O grande desafio da CPI será provar sua capacidade de investigar e punir os culpados por corrupção. É isso o que a sociedade brasileira espera.

Confira abaixo os integrantes da CPI do Cachoeira:

No Senado, a representação foi feita conforme os blocos. O maior, formado por PMDB, PP e PV ficou com cinco vagas, incluindo a presidência da CPMI. O bloco do governo também teve cinco vagas. O bloco da minoria ficou com três vagas e o bloco União e Força (PR e PTB) com outras duas. O PSD recebeu a vaga extra.

No Senado, a representação foi feita conforme os blocos. O maior, formado por PMDB, PP e PV ficou com cinco vagas, incluindo a presidência da CPMI. O bloco do governo também teve cinco vagas. O bloco da minoria ficou com três vagas e o bloco União e Força (PR e PTB) com outras duas. O PSD recebeu a vaga extra.

Titulares                                                                     Suplentes
Vital do Rêgo (PMDB-PB) – PRESIDENTE            Benedito de Lira (PP-AL)
Ricardo Ferraço (PMDB-ES)                                  não indicado
Sérgio Souza (PMDB-PR)                                         não indicado
Ciro Nogueira (PP-PI)                                               não indicado
Paulo Davim (PV-RN)                                               não indicado
José Pimentel (PT-CE)                                              Jorge Viana (PT-AC)
Lídice da Mata (PCdoB-BA)                                    Delcídio Amaral (PT-MS)
Humberto Costa (PT-PE)                                         Walter Pinheiro (PT-BA)
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)                         Wellington Dias (PT-PI)
Pedro Taques (PDT-MT)                                          Acir Gurgacz (PDT-RO)
Álvaro Dias (PSDB-PR)                                             Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)
Jayme Campos (DEM-MT)                                      Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)                              Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE)
Fernando Collor (PTB-AL)                                     não indicado
Vicentinho Alves (PR-TO)                                      não indicado
Kátia Abreu (PSD-TO)                                               Sérgio Petecão (PSD-AC)

Na Câmara, a divisão das vagas foi feita de acordo com a representação de cada partido na Casa. O PT ficou com três vagas, incluindo a do relator. O PMDB e o PSDB ficaram com duas vagas e outros nove partidos obtiveram uma única vaga.

Titulares                                                               Suplentes
Odair Cunha (PT-MG) – RELATOR                    Sibá Machado (PT-AC)
Paulo Teixeira (PT-SP)                                      Dr. Rosinha (PT-PR)
Cândido Vaccarezza (PT-SP)                           Luiz Sérgio (PT-RJ)
Luiz Pitiman (PMDB-DF)                                  Edio Lopes (PMDB-PR)
Íris de Araújo (PMDB-GO)                              João Magalhães (PMDB-MG)
Carlos Sampaio (PSDB-SP)                              Domingos Sávio (PSDB-MG)
Fernando Franceschini (PSDB-PR)              Rogério Marinho (PSDB-RN)
Onyx Lorenzoni (DEM-RS)                             Mendonça Prado (DEM-SE)
Protógenes Queiroz (PCdoB-SP)                  Osmar Júnior (PCdoB-PI)
Miro Teixeira (PDT-RJ)                                   Vieira da Cunha (PDT-RS)
Gladson Camelli (PP-AC)                                Iracema Portella (PP-PI)
Rubens Bueno (PPS-PR)                                  Sarney Filho (PV-MA)
Maurício Quintella Lessa (PR-AL)                  Ronaldo Fonseca (PR-DF)
Paulo Foletto (PSB-ES)                                    Gláuber Braga (PSB-RJ)
Felipe Pereira (PSC-RJ)                                  Hugo Leal (PSC-RJ)
Silvio Costa (PTB-PE)                                      Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)

Leia também:



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


42 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

jesus

29 de abril de 2012 às 21h50

a esclha de color de melo não foi cassado por corrupção?Então como como ser juíz agora? Isso é piada?

Responder

foo

26 de abril de 2012 às 15h15

Ajude a divulgar o tuitaço contra os anunciantes da #VejaBandida. Basta copiar e colar as seguintes mensagens no seu twitter:

O Boston Medical Group (@bmginfo) é um dos anunciantes da #VejaBandida no Brasil. Eles patrocinam a mentira e a corrupção. Divulgue!!!

O @Bradesco é um dos anunciantes da #VejaBandida no Brasil. Eles patrocinam a mentira e a corrupção. Divulgue!!!

A Citroën (@CitroenBrasil) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção. Divulguem!!!

A FIAT (@FiatBR) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção. Divulgue!!!

A @HP é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Hyundai (@Ottoni_Brasil) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção. Divulgue!!!

A @JeepdoBrasil é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Localiza (@localizarh) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Mercedes-Benz (@mercedesbenzbr) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Nokia (@nokiabrasil) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Oi (@digaoi) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

O @pontofrio é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A @rederecordtv é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A @RenaultBrasil é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A SKY HDTV (@skybrasil) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

A Vivo (@Vivoemrede) é um dos anunciantes da #VejaBandida. Eles patrocinam a mentira e a corrupção no Brasil. Divulgue!!!

Responder

    Gilson Rocha

    26 de abril de 2012 às 22h55

    Mas que bobagem…

Adilson

26 de abril de 2012 às 04h52

Você já falou com os parlamentares sobre a CPMI do Cachoeira, que o PIG quer transformar na CPMI da Delta? Eu já falei, mandei e-mail para diversos parlamentares. Temos que atuar de maneira proativa, nós eleitores temos o poder de pautar a CPMI do Cachoeira, não tenham dúvidas de que os parlamentares estão observando e levam em conta a pressão dos eleitores.

Por oportuno, quem não quer ter o trabalho de escrever uma mensagem para os Deputados e Senadores, copiem o e-mail abaixo que mandei para diversos parlamentares. Não obstante, se alguém preferir melhorar o conteúdo, que melhore, mas, vamos realizar por meio da internet um marketing viral e não deixe de enviar um e-mail para os parlamentares. A seguir a transcrição que encaminhei aos parlamentares:

Exmo(a) Senador(a),

Vimos por meio deste, em primeiro lugar cumprimentá-lo(a) pelo seu trabalho no parlamento para em seguida dizer que a nação brasileira, especialmente, as pessoas de bem, estão estarrecidas com as relações criminosas entre “políticos”, “empresários”, “jornalistas” , “magistrados” e "concessionárias de radiodifusão" demonstrada irrefutavelmente pela Polícia Federal no caso popularmente conhecido como “Cachoeira”. Honestamente, espero que V. Exma. não refute a sua missão de representar o seu Estado e atuar direta ou indiretamente na CPMI na busca dos fatos e, por conseguinte, se for o caso, propor medidas legislativas que possam coibir essas práticas repugnantes, mudando o que tiver que ser mudado, e exigir do Ministério Público que tome as providências de sua alçada, especialmente na esfera penal.
Ocorre que vivemos um momento ímpar na história do Brasil, eis que nunca as podres vísceras da imprensa golpista esteve tão expostas como agora. V. Exma sabe que ninguém deve supor que está acima da lei, essa regra também vale para a imprensa que perdeu a noção do que é ser responsável, idônea, imparcial, séria e de caráter integro diante da divulgação dos fatos. Portanto é o cúmulo do absurdo um particular receber concessão pública do Estado para prestar um serviço essencial à sociedade, mas, prefere enveredar pelo caminho da injúria, da mentira, da difamação, da desinformação, da manipulação, da calúnia, e se mancomunar com o crime organizado. Em síntese Excelência, esse é o papel da mídia, salvo raras exceções, razão pela qual a CPMI deve servir para essa Casa Legislativa, criar a "Lei de Médios".
Sei que uma das funções do Senador é defender os interesses legais do seu estado, entretanto, como esse assunto fere e abrange toda a nação, com as vênias de estilo, tomei a liberdade de encaminhar essa mensagem eletrônica para mais de um(a) Senador(a), externando a minha indignação e a repulsa de milhões de brasileiros.
Por fim, eu na condição de cidadão brasileiro não tenho dúvidas que Vossa atuação na CPMI do Cachoeira vai ser enérgica pela busca da verdade real. Além do mais o Congresso Nacional tem a obrigação de iniciar uma limpeza na política do Brasil e nos meios de comunicação / imprensa que apresentam essas conexões perniciosas com organizações criminosas.

Cordialmente,

Adilson.

Responder

    Jovelino Gomes de Mendonça

    10 de maio de 2012 às 08h53

    Adilson, concordo com você. Na atual conjuntura é hora de passar o Brasil a limpo. O povo brasileiro não suporta mais essa corrupção que estamos vivendo no país. A saúde não funciona, a segurança não funciona, o saneamento básico não funciona, obras inacabadas; inclusive redes de esgotamento sanitários em vários municípios deste país. A distribuição de renda é vergonha para um país como o nosso. Nós temos 513 deputados federais, 84 senadores, mais de 2000 deputados estaduais, mais 80000 vereadores; para que tudo isso? Sou a favor da democracia, porém é preciso mudar as nossas leis para punir com rigor os corruptos.

Luiz Augusto Barroso

26 de abril de 2012 às 02h30

Lídice da Mata não é senadora do PCdoB.

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2012 às 21h39

CPMI do Cachoeira reforça necessidade da reforma política, dizem deputados

Por Najla Passos, na Carta Maior

Brasília – Deputados de diferentes partidos defenderam a urgência da realização de uma profunda reforma política no país, durante a Sessão do Congresso Nacional, realizada na noite desta terça (24), para oficializar a nomeação dos integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), criada para investir as relações do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e grupos privados.

“É por não termos feito uma reforma política que estamos aqui fazendo esta CPMI. Se tivéssemos partidos fortes e financiamento público de campanha, não estaríamos aqui”, afirmou o deputado Fernando Ferro (PT-PE). Ele lembrou que o financiamento privado de campanha é a principal arma adotada pelos corruptos para aliciar agentes públicos para trabalhar em prol de seus interesses.

“É preciso recordar que esta CPMI surgiu para apurar o envolvimento do senador Demóstenes Torres [ex-DEM] com Cachoeira e outros grupos privados, incluindo setores da mídia, como é o caso da revista Veja. E os grupos privados que estão por trás dessa CPMI não são solitários. Estão por trás de uma rede que tenta se apropriar do aparelho do estado”, denunciou.

Para o deputado Amauri Teixeira (PT-BA), a Comissão deve apontar e punir os culpados, mas precisa ir além. “Esta CPMI tem por obrigação propor soluções para extrair a raiz do mal. E a raiz do mal é o financiamento público de campanha. Temos que acabar com a ingerência do capital na política brasileira. E as empreiteiras as principais responsáveis pela corrupção no país”, afirmou ele, referindo-se à construtora Delta, apontada como parte integrante do esquema de corrupção liderado por Cachoeira.

Teixeira destacou também a necessidade do parlamento aprovar uma nova legislação anticorrupção, que puna não só os agentes públicos envolvidos em esquemas ilegais, mas também os corruptores, como propõe o relator do projeto de lei anticorrupção que tramita na Câmara, deputado Carlos Zarattini (PT-SP). “Temos que punir também aqueles que corrompem”, enfatizou.

O líder do PSOL, deputado Chico Alencar (RJ), foi outro que ressaltou a importância da CPMI pautar a necessidade da reforma política. E citou o artigo “Sobre a corrupção”, do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, publicado pela Carta Maior, para fundamentar sua defesa. “Precisamos acabar com esses financiamentos milionários de campanhas”, ressaltou. Segundo ele, o financiamento privado resulta em escândalos como o que envolve a construtora Delta.

O deputado Marçal Filho (PMDB-MS) também abordou a associação entre corrupção e financiamento privado das campanhas. “A corrupção só vai acabar com uma profunda reforma política neste país”, resumiu. Já o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), defendeu a importância de se aprovar o fim do voto secreto no parlamento e do foro privilegiado.

Críticas da oposição
Na contramão, o líder da minoria, deputado Antônio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), resumiu a linha que deverá pautar os trabalhos da oposição: desqualificar a CPMI, acusando-a de “submissão ao governo” e de configurar instrumento para atentar contra a “liberdade de imprensa”. O deputado classifica a CPMI de “chapa branca” por ela comportar maioria de membros da base aliada. E a acusa de tentar cercear a liberdade de expressão por prever a investigação do envolvimento de veículos de comunicação no esquema de Cachoeira.

Para o Thame, convocar profissionais da imprensa para depor na Comissão constitui crime de atentado à liberdade de imprensa tão grave como assassinar jornalistas. Ele chegou ao extremo de comparar uma possível convocação dos jornalistas envolvidos com Cachoeira ao assassinato do jornalista maranhense Décio Sá, ocorrido esta semana.

Escalação dos membros
A escalação dos integrantes da CPMI foi anunciada pela presidente em exercício do Congresso, deputada Rose de Freitas (PMDB-PA). Serão 32 titulares, 16 senadores e 16 deputados, e igual número de suplentes. A presidência ficou a cargo do senador Vital do Rêgo (PMDB-PA) e a relatoria, com o deputado Odair Cunha (PT-MG). Pelo regimento da Casa, as indicações do presidente e do relator cabem aos partidos de maior bancada. O número de integrantes de cada bancada também obedece a critérios de proporcionalidade.

Dezenas de deputados e senadores que não assinaram a lista de pedido para abertura da CPMI justificaram em plenário o motivo da ausência dos seus nomes, e pediram inclusão na lista. Segundo eles, o fato da CPMI ter sido criada em tempo recorde dificultou a mobilização. Caso, por exemplo, do deputado Marcal Filho, que participava de missão oficial no exterior, na companhia de outros seis parlamentares.

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Responder

Vlad

25 de abril de 2012 às 20h34

Oh myyyyyyyyy God!
Estão tentando envolver o PT nessa sujeirada!
Se o PT cair, abrirá espaço para a abominável esquerda (argh) tomar o poder! Não podemos permitir!
Salvem o PT e a base aliada, nossa direitona-centrona-dissimulada-gosmenta-disforme-conservante.
Viva o PAC, o Kassab, o Sarney, o Cabral, o Renan, o Meirelles, o Ministério da Pesca, o Zé Dirceu e os milão dos professores.

Responder

Gilson Rocha

25 de abril de 2012 às 19h33

Eu estou muito curioso em qual
vai ser a desculpa se acabar
tudo em pizza…
Uma CPMI com Collor aliadinho
do governo.
Nosso Brasil não é o máximo?

Responder

Yarus

25 de abril de 2012 às 19h01

Poxa meu! Não sobrou nem uma vaguinha de suplente pra Fernando Ferro!

Responder

Jorge Portugal

25 de abril de 2012 às 17h05

Esse Noblat é muito abusado ou tem politico de rabo preso?
POLÍTICA
As mentiras de Ricardo Noblat, pelo portal do PC do B
Kerison Lopes, Vermelho (portal do PC do B)

A cobertura do PIG para a CPI do Cachoeira/Demóstenes tem um rumo muito claro: jogar no colo do governo Dilma toda a roubalheira praticada pela direita em conluio com o contraventor e os bandidos do próprio PIG. Para isso cometem as maiores aberrações. Porém, Ricardo Noblat, colunista e blogueiro do Globo, passou de todos os limites. Mentiu descaradamente nesta terça-feira (24) ao envolver o deputado Rubens Otoni (PT-GO) e livrar a cara do deputado Sandes Júnior (PP-GO).

Em texto escrito pelo próprio Noblat, publicado às 19h36m, o jornalista publica a seguinte matéria, que tem como título: STF processará deputados do Caso Cachoeira:“O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, anunciará daqui a pouco que autorizou a abertura de processo contra três deputados federais por Goiás envolvidos nos malfeitos do bicheiro Caroinhos Cachoeira e do senador Demóstenes Torres. Os três: Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), Rubens Otoni (PT-GO) e Sandes Júnior (PP-GO)”.

Na verdade, como foi noticiado por toda a imprensa brasileira, inclusive o site do jornal O Globo, os três inquéritos que foram abertos a pedido da Procuradoria-Geral da República foram contra os deputados federais Carlos Leréia (PSDB-GO), Sandes Júnior (PP-GO) e Stepan Nercessian (PPS-RJ). Ou seja, todos da oposição ao governo Dilma. Apesar de ser do PP, partido da base de Dilma, Sandes Júnior é ligado ao governador Marconi Perillo, envolvido até a cabeça com a quadrilha de Cachoeira.

Se a realidade não corresponde ao que manda o patrão, publica-se a mentira. Foi isso que fez Ricardo Noblat. Até esta quarta-feira (25), às 10:00h, não foi publicado nenhum desmentido no blog e a notícia mentirosa permanece publicada. Ricardo Noblat não é qualquer jornalista. É um dos atacantes do time do PIG. Ganhou grande notoriedade por ter sido uma das pontas de lança na tentativa de golpe contra os governos de Lula e Dilma.

Se sentasse em uma cadeira para depor na CPI, Noblat teria muito pra contar sobre o esquema criminoso montado por Cachoeira com a cúpula do PIG. O colunista é uma das principais viúvas do senador Demóstenes, por quem nutre grande admiração. Tanto é que Demóstenes era dos únicos políticos com coluna fixa no Blog do Noblat. Coluna sempre pautada pelo tema da “ética e moralização”.

Sem explicação, a coluna semanal sumiu do blog assim que começaram a ser reveladas as gravações do seu ídolo com Cachoeira. Ricardo Noblat poderia também, sentado como depoente na CPI, contar para o Brasil porque foi o mais implacável jornalista contra Luiz Antônio Pagot, quando esse estava na direção geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Diariamente, publicava as denúncias em primeira mão, já que a revista Veja, braço direito da organização criminosa de Cachoeira é semanal.

Como ficou claro em gravações já vazadas pela Polícia Federal, Pagot foi vítima de uma armação de Cachoeira, a empreiteira Delta e a revista Veja. Qual foi a participação de Noblat no esquema? Bem que ele poderia contar ao Brasil sentado na mesa da CPI. Para isso acontecer, basta um deputado federal apresentar o pedido de convocação e ser aprovado pelos membros da CPI. Já tenho até sugestão do parlamentar que poderia formular o pedido, o caluniado Rubes Otoni (PT-GO).

(Comentário meu:( Noblat) Temo decepcionar caso seja convocado pra depor na CPI do Cachoeira. Mas desde já me declaro à disposição dela. Desde que possa depor e ao mesmo tempo blogar ou tuitar. Seria uma experiência imperdível.)

Responder

    Gilson Rocha

    25 de abril de 2012 às 19h48

    Mas se não me engano o
    caluniado deputado Rubens Otoni
    foi gravado em vídeo com o Cachoeira.
    Ou estou enganado neste caso?

    Serrote

    25 de abril de 2012 às 23h27

    Sim, mas não é ele que está sendo processado pelo STF, seu nome foi colocado no lugar do Dep. Leréia. A verdade será suficiente, não é necessário mentir, só que a verdade parece inconveniente para o Dep. Leréia.

Jorge Portugal

25 de abril de 2012 às 17h03

Eu estava lendo uma reportagem no jornal vermelho sobre uma publicação de Ricardo Noblat acusando um deputado do PT no esquema do Cachoeira, e na matéria pedia a convocação do Noblat para depor na CPI. Então entrei no blog do Noblat para ver a tal publicação, e me deparei com a matéria do vermelho no blog do Noblat e vi que o cara é abusado, ele se garante em quem? Pelo que li tem muito politico de rabo preso com a Globo. Veja o que o cara escreveu: As mentiras de Ricardo Noblat, pelo portal do PC do B.(Comentário meu:(Noblat) Temo decepcionar caso seja convocado pra depor na CPI do Cachoeira. Mas desde já me declaro à disposição dela. Desde que possa depor e ao mesmo tempo blogar ou tuitar. Seria uma experiência imperdível.)

Responder

E. S. Fernandes

25 de abril de 2012 às 16h41

O troll sabe que o cerra também "contratou a delta"?

Responder

Emilson Werner

25 de abril de 2012 às 16h31

Alguma coisa contaminou a lista:
o deputado Franceschini é do PSDB do Paraná.

Responder

    Conceição Lemes

    25 de abril de 2012 às 17h43

    Oi, Emilson, corrigimos. Obrigada. abs

Almeida Bispo

25 de abril de 2012 às 16h08

O peso e o contrapeso dos Demos estão perfeitos: Onyx Lorenzoni que dispensa apresentações, e o genro do ex-governador João Alves Filhos de Sergipe, logo, cunhado de João Alves Neto, preso na Operação Navalha (http://www.nenoticias.com.br/lery.php?var=1278677003)

Responder

Hélio Pereira

25 de abril de 2012 às 15h43

É vamos esperar pra ver no que vai dar esta CPI.
Eu só queria fazer uma correção,o Deputado Fernando Franceschini não é do PSDB de SP,mas sim do PSDB do PR,PSDB de Álvaro Dias e Beto Richa que já apareceu nas gravações da PF e deve ser um dos investigados nesta CPMI.

Responder

Remindo Sauim

25 de abril de 2012 às 15h08

Desculpem-me, editores da Carta, mas o personagem principal da CPI Mista do Congresso será a Veja. Os senadores e deputados, de todos os partidos vão tirar o foco da política para mirar a Veja. Cacahoeira e Demóstenes serão peões que serão comidos "en passant". São sim criminosos, como o semanário, mas em nome da justiça maior, provavelmente serão aliciados para a delação premiada. Mas por maior culpa que a revista tenha, a de fazer um peessimo jornalismo será a mais gritante.

Responder

RicardãoCarioca

25 de abril de 2012 às 15h07

Só a Globo daria uma mega CPI.

Responder

luiz pinheiro

25 de abril de 2012 às 14h57

Outro trecho do Mino:
"Resta algo mais, merecedor de destaque e, suponho em vão, da atenção da mídia nativa. Passou oito anos a agredir o presidente Lula e o agredido contumaz deixou o governo com quase 90% de aprovação. A presidenta Dilma, embora ex-guerrilheira não é ex-metalúrgica, e tem merecido alguma condescendente compreensão. Mesmo assim, se houver oportunidade, não será poupada. Por enquanto, cuida-se, de quando em quando, de colocar pedras em seu caminho. Não são o bastante, ela cresce inexoravelmente em popularidade. Não me arrisco a crer que os alicerces da senzala comecem a ser abalados, já me enganei demais ao longo da vida. Por parte da mídia, não valeria, porém, analisar os fatos com um mínimo de realismo?"

Responder

luiz pinheiro

25 de abril de 2012 às 14h54

Trecho da colunal do Mino na Carta:
"O caso revelado pelo vazamento dos inquéritos policiais que levaram à prisão do bicheiro Cachoeira existe. Pode-se questionar o fato de que o vazamento se tenha dado neste exato instante, mas nada ali é invenção. Inclusive, a peculiar, profunda ligação do jornalista Policarpo Junior, diretor da sucursal de Veja em Brasília, com o infrator enfim preso. Não é o que se espera de um qualificado integrante do expediente de uma revista pronta a se apresentar como filiada ao clube das mais importantes do mundo. Pois é, o Brasil ainda é capaz de dar guarida a grandes humoristas".

Responder

Aracy_

25 de abril de 2012 às 14h08

Colocar Collor, Álvaro Dias e Kátia Abreu investigando o Cachoeira equivale a arranjar cabras para tomarem conta da horta. Vamos ver se os demais integrantes salvam a CPMI.

Responder

Ana Cruzzeli

25 de abril de 2012 às 13h47

2/3 desse povo aí foi vitima da Veja, da Globo…

Eles não vão pro revanchismo, agora que a dedicação será dobrada, ah isso será.
Só de ver a Rede Globo aqui em Brasilia estrebuxando, isso por si só não tem preço.
A coitada está atacando todo mundo que seja do PT. A primeira vitima foi o Agnelo, agora são as mentiras do Noblat com relação ao deputado Otoni.

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia

Enfim, a carnificina será das mais horrorosas, eu quero ficar de camarote assistindo a nave-mãe platinada cair, cair, e cair e depois ser apenas uma memoria esquecida de um tempo de golpismo que não toleraremos mais.

Esses homens e mulheres da CMPI terão a missão das mais nobre de todas.

Responder

    André

    25 de abril de 2012 às 19h06

    Nossa Ana, que otimismo hein, legal ver isso nas pessoas, tomara que tudo que vc fala se concretize, aqui em São Paulo estou apreensivo, pois aqui todos sabem que apito toca na mídia em geral, toda comprada, os bombardeios contra o governo estão a todo vapor, que a verdade venha à tona, toda ela, que esses parlamentares percebam que o cerco está se fechando.

José C. Neto

25 de abril de 2012 às 13h36

Fernando Ferro pq ficou fora dessa briga com a veja?

Responder

O_Brasileiro

25 de abril de 2012 às 12h49

"Está claro também de onde os dois recebiam comissão pela venda exclusiva dos direitos de transmissão do jogos: “O pagamento foi feito pela ISL e uma de suas subsidiárias a ISMM Investiments, que recontratava empresas para vender direitos de televisão e rádio a um país da América do Sul”. Os dois únicos interessados em direitos de televisão na América do Sul e que eram oficiais da Fifa, e que operavam a Sanud e a Garantie JH, são Ricardo Teixeira e João Havelange." http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/20
Qual foi a rede de rádio e televisão que conseguiu tais direitos de transmissão da copa do mundo???

Responder

    Gilson Rocha

    26 de abril de 2012 às 19h26

    Sabe o que é engraçado?
    Onde estão as agências reguladoras?
    Se estivéssemos em um governo de oposição
    poderiam dizer, estão todos mancomunados para
    beneficiar a Globo.
    Mas não é este o caso não é?
    Na minha opinião, Copa do Mundo e Olimpíada deveria
    ser transmitida por todos os canais de tv aberta e rádios
    que tenham condições de transmitir.
    Cada rede de tv/rádio pagaria uma cota e todas teriam o direito de
    transmissão.
    Assim, o telespectador escolheria em qual canal/rádio gostaria de
    acompanhar.
    Acho injusto que apenas uma rede de tv aberta tenha direito a transmitir
    eventos deste porte.
    Todos devem ter direito de escolha, e esse direito é do telespectador.

EUNAOSABIA

25 de abril de 2012 às 12h39

"""O alvo principal da CPI, entretanto, deve ser o senador Demóstenes Torres, de Goiás. """

Isso é que vocês pensam que será… o alvo é a Delta, o jogo do bicho e quem foi eleito com dinheiro do esquema.

Eu acho que vocês estã desesperados tentando pautar o que a CPI deve ou não apurar.

E ainda se dizem isentos… rapaz… vocês pensam que enganam a quem com esse papo de imprensa livre? vocês são a imprensa livre?

Responder

    RicardãoCarioca

    25 de abril de 2012 às 14h23

    Sendo o governo maioria na CPI, ela embicará para onde a situação quiser. Apoio que tratem da Delta, mas também de políticos, membros do judiciário e principalmente do PiG, braço midiático do Cachoeira.

    EUNAOSABIA

    25 de abril de 2012 às 14h34

    Esse papo de PIG tá muito surrado rapaz….

    Partido da Imprensa Governista? é esse o PIG que vocês gostam não é?

    RicardãoCarioca

    25 de abril de 2012 às 15h04

    Não, golpista mesmo. E a sua opinião parece refletir o PiG. Não é porque o PiG só fala da Delta que a CPI só a investigará. Você também sabe (não seja tolo) que isso não passa de uma cortina de fumaça paa proteger a Veja e, por conseguinte, o restante do PiG, que é Golpista.
    E o PiG não é governista. A presidente da ANJ afirmou isso, ou você não sabia?

    Sérgio Ruiz

    25 de abril de 2012 às 18h09

    Surrados estão seus comentários na vã tentativa de defender os canalhas do pig. Já leu o tio reimósteles hoje ?

    Pe. Iscariotes

    25 de abril de 2012 às 14h58

    Eunaosabia : sabia sim senhor e mesmo assim votou no çerra .

    Sérgio Ruiz

    25 de abril de 2012 às 18h05

    Pe. Iscariotes o eunaosabia votou no Serra porque não tinha ainda saído o livro da PRIVATÁRIA TUCANA, agora que o livro saiu, um grande sucesso de vendas, ele não vai mais votar no mesmo.
    Para quem tem um mínimo conhecimento do livro do Amaury e continuar a votar no Serra é não ter o mínimo de vergonha na cara.

    Zhungarian Alatau

    25 de abril de 2012 às 16h02

    Sonha, filhinha, o alvo será você.

EUNAOSABIA

25 de abril de 2012 às 12h34

O ex dono da Delta acaba de ser preso, há um indício muito forte que a Delta aliada ao jogo do bicho financiou campanhas eleitorais…. sabe quem era um desses candidatos??? vocês sabem sim… era ele mesmo….um grande amigo nosso… pois é gente…. vocês pensam que vão poder controlar essa CPI, ir pra cima da oposição e da imprensa… mas essa CPI é a CPI da Delta e de quem já pagou mais de 1 Bilhão de reais a empresa.

Vocês vão entrar pelo cano.

Responder

    pedro paulo

    25 de abril de 2012 às 13h55

    Você está falando do contrato com a Delta de ampliação da marginal tietê, cujo custo inicial de R$ 1bi contratado pelo Serra, teve adicional de R$ 750mi, na gestão atual ??? Isso é metade do que o PAC gastou no Brasil inteiro nesses anos com esta empresa.

    RicardãoCarioca

    25 de abril de 2012 às 14h21

    Espera sentado. Enquanto isso, procure saber das relações da Delta com o governo de SP na administração Serra.

    Douglas O. Tôrres

    25 de abril de 2012 às 14h24

    Não meu caro,esta CPI é do Gemóstenes e da veja.A CPI de que vossa senhoria fala é a da globo,que ja entrou "pelo cano" com a divulgação de todos os contratos do governo com a Delta,Agora eu quero ver é o governo de São Paulo fazer a mesma coisa.

    Carlos Antonio

    25 de abril de 2012 às 19h41

    É verdade o tukanoduto demo vem desde da yeda arruda serra kassab alckmim e aécio beto paraná tocantins se fuçar não vai sobrar tukano demo sem lembrar da lista de furna e o eunaosabia vai ter que migrar para o psd porque ele nukassab se é tukano demo ou….


Deixe uma resposta para Aracy_

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!