VIOMUNDO

Diário da Resistência


Omar Aziz: “Não é um teatro sem consequências, mas um ataque frontal à democracia, que precisa ser repudiado”; vídeo
Política

Omar Aziz: “Não é um teatro sem consequências, mas um ataque frontal à democracia, que precisa ser repudiado”; vídeo


10/08/2021 - 11h32

Da Redação

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), abriu a sessão desta terça-feira, 10/08, com um pronunciamento sobre o desfile militar na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

A exibição ocorreu alguns minutos antes do início da CPI e no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados votará a PEC do voto impresso em plenário.

Abaixo, a íntegra da fala de Aziz:

“Enquanto abrimos esta importante sessão da CPI, o Brasil passa por um momento grave. Aqui do nosso lado, no Eixo Monumental, o Presidente Jair Bolsonaro comanda um lamentável desfile de blindados das Forças Armadas em uma clara tentativa de intimidar parlamentares e opositores.

Bolsonaro imagina, com isso, estar mostrando força, mas, na verdade, está evidenciando toda a fraqueza de um Presidente acuado pelas investigações de corrupção, inclusive desta CPI, e pela incompetência administrativa, que provoca mortes, fome e desemprego em meio a uma pandemia sem controle.

O presidente cria uma encenação, uma coreografia para mostrar que tem o controle das Forças Armadas e pode fazer o que quiser com o País. É um absurdo inaceitável. Não é um teatro sem consequências, mas um ataque frontal à democracia que precisa ser repudiado.

O papel das Forças Armadas é defender a democracia, não a ameaçar. Desfiles como este serviriam para mostrar força para conter inimigos externos que ameaçassem a nossa soberania, o que não é o caso neste momento.

As Forças Armadas jamais podem ser usadas para intimidar a sua população, seus adversários, atacar a oposição legitimamente constituída. Não há nenhuma previsão constitucional para isso.

O Brasil vive o maior período democrático de sua história desde 1985. Temos eleições livres, instituições fortes e independentes dos Poderes.

Bolsonaro não tem o direito de usar a máquina pública para ameaçar a própria democracia que o elegeu.

Em apenas dois anos e meio de mandato, Bolsonaro colocou o País nessa situação vexatória; degradou as instituições e rebaixou as Forças Armadas, formadas, em sua grande maioria, por homens sérios e honrados, como pude presenciar de perto no meu Amazonas.

Todo homem público, além de cumprir suas funções constitucionais, deveria ter medo do ridículo, mas Bolsonaro não liga para nenhum desses limites, como fica claro nessa cena patética de hoje, que mostra apenas uma ameaça de um fraco que sabe que perdeu.

Não haverá voto impresso, não haverá nenhum tipo de golpe conta a nossa democracia. As instituições, Congresso à frente, não deixarão que isso aconteça. A democracia tem instrumentos para defender a própria democracia contra arroubos golpistas.

Agressões à Constituição não são legítimas. Defender golpe não é aceitável. E defender o fim da democracia precisa ser punido com o rigor na lei.

Nós, os democratas, estamos aqui a postos para defender a democracia e o nosso País com os instrumentos que a Constituição nos confere.

Era este o recado que a CPI, eu, como Presidente da CPI, queria passar: a democracia é inegociável! Não se negocia a democracia. E aqueles que usam todos os meios para apoiar um golpe estão contra a democracia, estão cometendo um crime constitucional, independentemente do meio de comunicação – independentemente do meio de comunicação.

Quem esteja, neste momento, apoiando esses tipos de atos, arroubos contra a democracia brasileira não pode passar impune.

Nós já temos história, e a história da democracia brasileira cada ano se fortaleceu. Não é possível que, num país democrático, em que nós votamos e somos votados, em que perdemos ou ganhamos eleição, se questione isso num momento em que temos outros temas mais importantes para tratar na Nação.

Pessoas morrendo todos os dias pela covid, a fome em vários cantos do País, o desemprego em alta, a economia cambaleado, e a discussão, a pauta é uma pauta superficial, golpista, que não leva o Brasil a lugar nenhum; nos torna um país pequeno, um país sem autonomia, um país sem rosto.

Nós não somos isso e não vamos permitir que aqueles que estão de plantão comandando qualquer instituição possam querer acabar com a democracia brasileira. Não aceitamos isso!

Em 1984, estava eu, aqui em Brasília, quando o General Newton Cruz colocou seus tanques contra o voto direto: não houve o enfrentamento, mas a história registra até hoje. E, lá atrás, quando esse tipo de atitude foi tomada e não houve punição… Está acontecendo de novo.

Por isso, o Congresso Nacional não pode se curvar a isso, é necessário que tome providências.

Punição àqueles que, mesmo brincando, falam de golpe como se fosse uma coisa normal; àqueles que, de uma forma, de brincadeira, tratam a democracia como se fosse uma coisa que não deve ser respeitada.

A democracia tem que ser respeitada, a divergência de opinião faz parte da democracia; o que não faz parte da democracia é arroubos e mostrar a força contra os próprios brasileiros.

Mostre forças para aqueles possíveis inimigos de fora do País, aqueles que queiram atacar a soberania brasileira; não contra os brasileiros que construíram esta Nação!

Não vamos permitir isso, e eu espero que a CPI da covid tome a frente disso e continue mostrando o desmando que esse Governo tem em relação à morte de milhares de brasileiros e à morte de milhões de sonhos neste momento.

Agora no último domingo, Dia dos Pais, milhares de filhos não puderam passar o dia dos pais com os seus genitores.

Por quê? Porque perderam seus pais para a covid, numa omissão clara do Governo que poderia ter salvado vidas. Nesse sentido, eu quero dizer a todos aqueles que estão nos ouvindo: o Senado, nós Senadores não nos curvaremos a arroubos”.





5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

10 de agosto de 2021 às 22h05

Jair Bolsonaro quer Contagem Manual dos Votos,
passível de Fraudes de toda espécie, por Medo de
perder paara o LULA a Eleição Presidencial de 2022.
A permanecer desse jeito, daqui a uns dias, os Fascistas
Bolsonaristas proporão o fim do do voto das Mulheres.

Responder

Zé Maria

10 de agosto de 2021 às 21h32

“Dados que o governo Bolsonaro não faz desfile pra exibir

Nos últimos 12 meses:

– Arroz subiu 48%
– Feijão subiu 22%
– Carne subiu 38%
– Leite subiu 11%
– Gás subiu 24%
– 14,8 milhões de brasileiros desempregados e
-Fila do osso”.

Luiz Inácio LULA da Silva
O Melhor Presidente da República
em toda a História do Brasil

Responder

Nilton Carvalho

10 de agosto de 2021 às 19h05

O que falta para prenderem esse genocida? Não falta nada, o problema é que o vergonhoso exército militar o protege.
As Forças Armadas já foram orgulho dos brasileiros, hoje é uma vergonha.
O supremo é outra vergonha que protege os bandidos, se eles não fossem não precisariam do apoio desse stf covarde.
Continuo afirmando que as maiores vergonhas do Brasil são:
1 – O povo brasileiro.
2 – As forças armadas “brasileiras”.
3 – stf, que protege os bandidos por pura covardia e é conivente com a entrega das estatais brasileiras para os aproveitadores internacionais,
4 – Grande parte dos políticos que apoiam esse genocida e essa forcinha armada que não tem condições nem de lutar contra a familicia.

Responder

abelardo

10 de agosto de 2021 às 12h53

VERGONHA!!!!!!!!
Militares boldonaristas desonram o Brasil, a instituição das FFAA, as fardas que vestem, a democracia, o estado de direito, a população brasileira sã e ajuizada.

Responder

Deixe uma resposta para Zé Maria

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding