VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Namoro entre PSDB e Força é embalado por repasse de verba


24/08/2011 - 11h29

Namoro entre PSDB e Força é embalado por repasse de verba

Desde 2010, Central recebeu R$ 5,34 milhões do governo em dois convênios

Jornal OTEMPO em 24/08/2011, dica do @michaelrosa13 no twitter

O namoro entre o PSDB, partido do governador Antonio Anastasia e do senador Aécio Neves, e a Força Sindical foi oficializado no último fim de semana – com a criação do PSDB sindical -, mas o flerte acontece há pelo menos quatro anos. Desde 2007, a central é a única entidade representante dos trabalhadores em Minas que recebe repasse de recursos públicos por meio de convênios firmados com o governo do Estado. De março de 2010 até hoje, o Executivo mineiro repassou R$ 5,34 milhões para a manutenção de um serviço que já é oferecido pelo próprio poder público.

Trata-se do Centro de Solidariedade e Apoio ao Trabalhador (CSAT), uma espécie de “braço” do Sistema Nacional de Emprego (Sine), que faz a ponte entre os trabalhadores e as vagas disponíveis no mercado de trabalho. Somente no último convênio, assinado em março deste ano e com validade até janeiro de 2012, foram repassados R$ 2,42 milhões à central sindical, que coordena as três unidades do CSAT no Estado: Uberlândia, Contagem e Belo Horizonte.

Segundo o presidente da Força, Rogério Fernandes, o CSAT possui um total de 120 funcionários e salas equipadas com computadores. Além do encaminhamento para o mercado, as unidades oferecem cursos de capacitação com duração de 20 horas, como o de noções de informática e o que ensina a se comportar durante a entrevista de emprego e depois da contratação. “No CSAT, o trabalhador pode, também, tirar a carteira de trabalho e dar entrada no pedido de seguro-desemprego”, acrescenta Rogério. Todos esses serviços já estão disponíveis nos postos do Sine espalhados pelo Estado e mantidos com recursos do Ministério do Trabalho por meio do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Para o deputado Rogério Correia (PT), líder do bloco de oposição na Assembleia, este tipo de atividade não compete a uma central sindical. “O convênio tem função carimbada de atrair o sindicalismo da Força, já que nenhuma outra central recebe recursos. É o aparelhamento do Estado para os companheiros tucanos”, critica.

Segundo o secretário de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta (PDT), os convênios com a Força são anteriores à criação do PSDB Sindical e não possuem conotação política. “Se o convênio não estivesse cumprindo suas finalidades, eu seria o primeiro a falar. Mas os resultados são muito expressivos em termos de reinserção do trabalhador no mercado. É um investimento que vale a pena”.

História. Em março de 2010, o governo já havia repassado R$ 2,92 milhões à Força. Cinco meses depois, a entidade formalizou apoio à candidatura de Anastasia à reeleição. Em 2011, após a renovação do contrato, os sindicalistas se aliaram definitivamente ao governador, liderando a fundação do braço sindical do PSDB em Minas.

O lançamento, que aconteceu no último sábado, na capital, contou com a presença do governador e de Aécio, promotor da aproximação tucana com os sindicalistas.

A Força realizou em 1º de maio a festa para o trabalhador na Via 240

Questionamento: Oposição quer explicações sobre Festa do Trabalhador

Deputados de oposição na Assembleia questionam a utilização dos recursos repassados pelo governo à Força Sindical. Segundo os parlamentares, há suspeitas de que parte do dinheiro seja utilizado para financiar a Festa do Trabalhador. “Os convênios são liberados em março, menos de dois meses antes do evento. E tanto em 2010 quanto em 2011, tinha palanque para o governador”, aponta o deputado petista Rogério Correia.

No dia 24 de maio, os deputados encaminharam requerimento ao secretário de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, solicitando informações sobre os convênios, mas não tiveram resposta. Por meio da assessoria, a pasta afirmou que os recursos são usados apenas nos centros do trabalhador e que o contrato só é renovado após a comprovação dos gastos.

Segundo o presidente da Força, Rogério Fernandes, a Festa do Trabalhador é financiada com recursos do Estado por meio da Copasa ” com o fornecimento de água mineral”, além de verbas da União. (AL)

PT também usa recursos como estratégia de aproximação

A liberação de recursos por meio de convênios para entidades ligadas aos trabalhadores como forma de conquistar apoio político está longe de ser uma invenção tucana. Historicamente, o PT adota a estratégia junto a diversas centrais sindicais, principalmente a CUT, além do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Para se ter uma ideia, nos três primeiros anos do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2003 e 2005, somente o MST recebeu quatro vezes mais recursos do governo federal do que nos três últimos anos do tucano Fernando Henrique Cardoso –repasse saltou de R$ 7 milhões para R$ 30 milhões. Os repasses para a CUT e a Força Sindical também aumentaram durante os oito anos da administração petista. A maior parte dos recursos sai do Ministério do Trabalho via Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), e não está isenta de questionamentos do Tribunal de Contas da União.

O dinheiro público também é tradicionalmente utilizado pela administração petista para financiar as festas em comemoração ao Dia do Trabalhador. No evento deste ano promovido pela CUT em São Paulo, R$ 300 mil dos R$ 1,5 milhão gastos vieram da Petrobras em troca de publicidade. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Eletrobras também “colaboraram” com os sindicalistas.

A Força Sindical não ficou de fora da distribuição do bolo. Com custo total de R$ 2,5 milhões, a festa para o trabalhador recebeu R$ 300 mil da Petrobras, além de patrocínio da Caixa. (AL)

Altamiro Borges: FHC apoia a faxina que ele nunca fez

Paulo Bernardo reclama da Globo: Ele e a torcida do Flamengo

Deputado quer que Folha explique censura ao Falha



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

carlos bandeira

27 de agosto de 2011 às 01h54

O Vi o Mundo não deveria "colocar pilha" na disputa entre as centrais sindicais, que só divide a classe trabalhadora e coloca água no moinho do capital.

Convênios são conquistas da classe trabalhadora e devem ser aproveitados em benefício dela. Fazer convênio são significa, necessariamente, adesão política.

Sobre a aproximação da Força com o PSDB, vamos esperar e ver o que acontece. Parece um acontecimento limitado a Minas Gerais, onde o PT e o PSDB também são muito próximos.

Responder

FrancoAtirador

25 de agosto de 2011 às 09h21

.
.
A Força Sindical está sempre se vendendo por tostões.
.
.

Responder

SILOÉ-RJ

25 de agosto de 2011 às 01h30

A força sempre defendeu os interesses do patronato, também pudera foi criada justamente para isso.

Responder

Altamiro Borges: Grileiro da Cutrale e laranjas da mídia | Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de agosto de 2011 às 22h55

[…] O namoro entre o PSDB e a Força Sindical   […]

Responder

Regina Braga

24 de agosto de 2011 às 19h56

A farça sindical sempre foi pelega…Como era mesmo o nome do antigo presidente da farça? Aquele que o Paulinho substiui ? De que ele foi acusado? Enfim,juntos!!!

Responder

Pedro

24 de agosto de 2011 às 18h52

Relação entre inimigos dá em dialética. Hegel escreveu precisamente sobre a "dialética do Senhor e do Escravo". Quem sabe possamos encontrar em seu escrito algo que facilite nossa compreensão desse fenômeno tão intrigante!

Responder

O_Brasileiro

24 de agosto de 2011 às 18h41

E o trabalhador que se… exploda!

Responder

Roberto Locatelli

24 de agosto de 2011 às 16h50

A palavra "pelego" se refere, originalmente, ao tecido grosso que o cavaleiro coloca no dorso do cavalo, debaixo da cela.

A função desse "pelego" é fazer com que o cavalo aceite melhor a cela e o peso do cavaleiro, e não se rebele. É a mesma função dos pelegos sindicais. Ao invés de liderarem a luta por melhores condições de trabalho, eles tentam convencer os trabalhadores a se conformarem e a concluírem que "as coisas são assim mesmo" e que o melhor é aceitá-las.

Enquanto a CUT faz um comício contra a chamada desindustrialização (resultado da invasão de produtos chineses) a Força Sindical ensina os desempregados a se darem bem em entrevistas de emprego.

Responder

Sagarana

24 de agosto de 2011 às 16h39

Plágio puro.

Responder

trombeta

24 de agosto de 2011 às 16h13

A força sindical é uma central muito boa de se tratar, você oferece dinheiro ou um carguinho no governo e está tudo resolvido.

É toma lá da cá, sem trololó.

Responder

luis

24 de agosto de 2011 às 15h53

Em Minas é sexo explícito. Aécio anunciou seu "convencimento filosófico" há meses. E não tem escrúpulos. Uma dessas escolas que dão curso de informática é a lavanderia geral da coisa.
Vejam no link abaixo: um dos "líderes" da Força, só que no PDT, sua base na ALMG está sendo investigado por enriquecimento ilícito: http://www.hojeemdia.com.br/noticias/inquerito-ac
Essa é a base sindical de Aécio.
No ato de filiação desses "importantes" e desconhecidos pelegos, a imprensa mineira não registrou foto de ninguem. Eles falaram em 93 filiações. Jornalistas dão conta de que foram apenas 30 dirigentes. Ou supostos dirigentes.

Responder

Fabio Fonseca

24 de agosto de 2011 às 15h20

A NossaPresidenta é a 3ª Mulher mais poderosa do mundo… Viva o Brasil.. Viva Lula… Viva Dilma.___ _http://twixar.com/RM9eEBWMqGd

Responder

Fernando

24 de agosto de 2011 às 15h20

É por isso que nos eventos da CUT a gente canta:

Ooooooo lê a Força
Ooooooo lê ê ê
Força Sindical cambada de pelegão
Eu sou da CUT e do PT
Orgulho dessa nação

Responder

Klaus

24 de agosto de 2011 às 15h00

É um absurdo o repasse de verbas à centrais sindicais com o intuito de cooptá-las politicamente. Sempre achei.

Responder

Celso

24 de agosto de 2011 às 14h43

A relação entre governo federal e sindicalismo ocorre desde o Estado Novo de Getúlio Vargas e o processo de industrialização "tardia" em nosso país. A questão de fundo não é o repasse para A ou B. O capitalismo brasileiro sobrevive sozinho sem as apaziguações dos líderes sindicais em relação aos conflitos de classe que surgem diante de interesses antagônicos entre capital e trabalho? Os sindicatos e centrais sindicais poderão, diante da retomada do crescimento econômico brasileiro, abrir mão do imposto sindical? O Estado pode sozinho enfrentar os conflitos de classe de maneira conciliatória, sem fazer uso do aparato repressivo e de força contra a classe trabalhadora? O PSDB aprendeu com o PT a fazer essas benesses sindicais, entre outras estratégias de ocupação do poder político.

Responder

MataTrolls

24 de agosto de 2011 às 14h41

e seguem as tentativas de enganação do P`SDemB….

Não é um partido, é um órgão patronal.
Não tem militância, tem figuração paga.
Não tem militantes, tem trolls pagos sabe-se com dinheiro originado de onde, pra atazanar na rede.
Não tem bandeira.
Nem tem discurso.

Só tem duas mascotes: o trollcano e o Zé Bolinha.

Responder

Avelino

24 de agosto de 2011 às 14h24

Caro Azenha
Tucanos querendo sindicatos é o mesmo que Hitler festejar igualdade com os judeus.
Saudações

Responder

    EUNAOSABIA

    24 de agosto de 2011 às 14h32

    E petista festejar com banqueiro é o quê?

    Saudações.

Cléris Cavalheiro/RS

24 de agosto de 2011 às 14h18

Curso de capacitação 20 horas kkkkkk….é só pra justificar o dinheiro que foi pro ralo…. que absurdo.
Será que o Ministério Público, não poderia investigar quanto está custando o "Supercurso" ? e mais, procurar os cidadãos para saber como foi a tal qualificação, se isso mudou sua vida profissional?

Responder

Ze Duarte

24 de agosto de 2011 às 14h02

Muito engraçado… só a Força é pelega???

Responder

Marcos W.

24 de agosto de 2011 às 13h38

No Rio Grande do Sul,o Tarso faz e acontece,e a pelegada,petista,Cpers e CUT,sobretudo,não diz absolutamente nada!Todos surdos,mudos e imóveis!

Responder

    Panambi

    24 de agosto de 2011 às 14h37

    Não dizem nada porque são "imóveis", meu caro d(ou g?)ramático preconceituoso…

Clovis

24 de agosto de 2011 às 13h06

A "forca" sindical sempre foi pelega, ela sempre comeu do lado dos tucanos, é igualzinha o pmdb quem der mais leva. Espero que os trabalhadores acordem se não a vaca vai pro brejo. É duro ser representado por Pelegos.

Arte sem pelegada. http://www.artesclovis.blogspot.com

Responder

    felipe.c

    24 de agosto de 2011 às 14h32

    Força sindical, tanto em minas qto em sp. Tomara que o paulinho da força se junte ao PSDB tb.

Rodrigo Leme

24 de agosto de 2011 às 13h04

Eu vou achar graça na hora que o petismo reclamar disso…

Responder

    Leider_Lincoln

    24 de agosto de 2011 às 13h59

    Eu não reclamo: vou até achar graça quando algum outro "conservador" falar mal da CUT, UNE, MST ou o Aecinho Pó falar de ética…

cristiano_baiano

24 de agosto de 2011 às 12h49

essa tucanalhada é mesmo sem noção…
pensam que enganam quem esses tucanos????
ja sei….o pig rsrs

(brasil livre-se do pig)

Responder

Rios

24 de agosto de 2011 às 12h46

Sindicalista apoiando "patrão"… é muito esquisito…

Responder

Jorge Nunes

24 de agosto de 2011 às 12h34

Gente, não adiante reclamar… só existiria cria se fosse o PT repassando verba.

Responder

Rafael

24 de agosto de 2011 às 12h32

Quem perde com essa sacanagem é o trabalhador. Judas bateria palmas para o que o sindicato de minas fez, e diria: "Eu nunca pensaria numa traição que nem essa"

Responder

Rafael

24 de agosto de 2011 às 12h24

Qualquer outro partido que seja trabalhista tem o direito de se aproximar aos sindicatos, mas o psdb que sempre foi e é algoz do trabalhador se aliar a força sindical é um tipo de estupro. Psdb sempre foi carrasco dos trabalhadores, sempre quiseram e querem acabar com direitos trabalhistas, previdenciário a agora se aliam ao psdb, é de dar vontade de vomitar, ´nada é tão ridículo, tão nefasto quanto isso. É como se Jesus se aliasse ao diabo.

Responder

mello

24 de agosto de 2011 às 12h10

A farsa sindical, do paulinho da farsa, está no lugar certo. Como legítimo herdeiro da pelegada é o equivalente ao cabo anselmo, ao bispo macedo do movimento sindical. Está no time certo. A Presidenta Dilma que se cuide…Embora pertença ao PDT, da base do governo, nunca vai deixar de ser o paulinho, da farsa sindical.

Responder

Fran

24 de agosto de 2011 às 12h06

Nenhuma novidade,a força sempre foi adversaria da cut ,historicamente ligada ao PT (hj nem tanto).É mais uma tentativa do PSDB se tornar mais popular para retornar ao poder,vai lutar com as armas do inimigo.Será q consegue?Espero imensamente pelo seu fracasso novamente,o Brasil não merece ter um governo submisso ao imperialismo outra vez.

Responder

Marcio H Silva

24 de agosto de 2011 às 11h51

Força Sindical: sempre foram PELEGOS!

Responder

    EUNAOSABIA

    24 de agosto de 2011 às 13h15

    CUT, UNE, MST, são o quê?

    felipe.c

    24 de agosto de 2011 às 14h31

    Ora, sempre estiveram com o PT, muito antes de se tornar Governo.

    EUNAOSABIA

    24 de agosto de 2011 às 14h47

    Ué, você ficam me dando negativo pelegos?? qualé?? basta me responder… CUT, UNE e MST, são ou não pelegos??? SIM ou NÃO??

    Leider_Lincoln

    24 de agosto de 2011 às 16h59

    Ha ha ha.. O trollzinho que a opus dei não quis, o cinquentão das reticências, quer nos dar ordens? Está de brincadeira, não?

    Vlad

    24 de agosto de 2011 às 16h10

    Movimentos sociais e organizações progressistas temporariamente alinhadas com o governo por questões de histórica afinidade ideológica e generoso suporte financeiro.

    Luis

    24 de agosto de 2011 às 16h51

    O "eunãosabia", tem dó. CUT, UNE e MST tem história de identidade com PT, PCdoB, PSB e outros. Cê pode até discordar. A "Força Sindical" de Minas, liderada por um sindicalista que está sendo processado por enriquecimento ilícito é a vergonha dos tucanos!


Deixe uma resposta para Altamiro Borges: Grileiro da Cutrale e laranjas da mídia | Viomundo - O que você não vê na mídia

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!