VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Mauricio Dias: Por que o ódio ao PT e aos petistas?
Política

Mauricio Dias: Por que o ódio ao PT e aos petistas?


21/09/2014 - 00h19

Aécio Neves com arma

O ódio embutido nesta frase de Aécio  surpreende:”Minha luta é contra o continuísmo dessa gente”

Por que o ódio ao PT?

Mais uma vez surge, nesta eleição presidencial, como fator determinante da escolha de uma porção da sociedade
por Mauricio Dias, em CartaCapital  

O ódio ao PT e aos petistas em geral é um eixo importante sobre o qual também gira a campanha presidencial de 2014.

Esse sentimento antigo, manifestado abertamente por adversários de influência forte no eleitorado de oposição, permanece em estado latente e se manifesta mais claramente nas “guerras” presidenciais. Em tempos de “paz” é cochichado pelos cantos do Congresso e, igualmente, em reuniões sociais onde não há preocupação em expor preconceitos.

Nesses salões mais elegantes, os petistas são tratados de corja.

Recentemente, o asco jorrou surpreendentemente da boca do senador Aécio Neves, um mineiro até então pacato com os adversários políticos. A competição acirrada fez o candidato a presidente pelos tucanos sair dos seus cuidados.

“Sei que não vou ganhar. Minha luta é contra o continuísmo dessa gente. É contra isso que vou lutar”, confidenciou a Jorge Bastos Moreno, de O Globo. Isso, ainda no início de campanha, revelou o jornalista.

Reação incomum a do mineiro Aécio Neves, neto de Tancredo.

A tradicional cordialidade na sociedade mineira, por exemplo, aproximou o tucano Aécio do petista Fernando Pimentel. Em 2008, firmaram a aliança, com resistências no PT, para eleger o prefeito de Belo Horizonte. Acordo repudiado pelos petistas mineiros.
Na política, excetuadas as exceções, os adversários não são tratados como inimigos. Sabem que amanhã será outro dia e poderão estar no mesmo palanque.
O ódio embutido na frase de Aécio Neves tem explicação e antecedentes. Alguns bem mais explosivos e de maior violência verbal.

Em 2006, o senador Jorge Bornhausen (PFL-DEM) lançou uma provocação violenta contra a reeleição de Lula: “Vamos acabar com essa raça. Vamos nos livrar dessa raça por, pelo menos, 30 anos”. Falhou na previsão, como se sabe. Essas são algumas das raízes que fazem o ódio aflorar no processo eleitoral deste ano de forma mais transparente. O sentimento espalhou-se por uma parte considerável do eleitorado. De alto a baixo.

Para derrotar Dilma, um grande contingente de eleitores tucanos trocou de camisa. Optou por Marina. Aécio em poucos dias foi desidratado. Ele chegou a ter 23% das intenções de voto. Mas empacou. Dilma aproximou-se muito da possibilidade de vencer no primeiro turno. Aproximadamente, 30% dos eleitores formavam o grupo dos indecisos ou mostravam a intenção de votar em branco ou nulo.

O imprevisto jogou Marina na disputa. Ela rapidamente superou Aécio, que caiu para 15% das intenções de voto. Voltou a subir a 19% segundo o Ibope.

Trocar Aécio por Marina não é, efetivamente, resultado político adequado pelos critérios políticos mais tradicionais. A troca de candidato, no entanto, é fruto do medo de uma nova vitória do PT, cujo compromisso social assusta parte da sociedade com dificuldade de conviver com pobres.

Essa porção de privilegiados assusta-se com um pouco mais de igualdade. Da fonte do medo também brota o ódio.

Leia também:

Leia também:

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



67 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zagalo

23 de setembro de 2014 às 13h32

Não só. O PSDB também é tratado de corja e muito.

Responder

Shirley

23 de setembro de 2014 às 08h17

Dilma tem que ter uma conversa franca com a classe média, chamá-la à realidade social!! O que tá faltando ainda é o discurso claro e objetivo, sem linguagem técnica. Tem que responder a classe média, mostrando que ela não é elite! Infelizmente, eu vejo muitas pessoas destilar seu ódio ao PT. Lógico, porque são manipulados da mídia e porque não se sentem parte integrante do processo de mudança. Porque a grande mídia, passa a imagem de que quem paga a conta é a classe média! Agora lhe pergunto, muitos que compõem a classe média atual, saiu da linha da pobreza, mas por ironia do destino, afirma que não foram beneficiados pelo programas de governo.Linhas de financiamento de casas, carros e estudos no exterior não os beneficiam??

Responder

    malajef

    23 de setembro de 2014 às 21h06

    Ah é ? Então a classe agora só serve para pagar as contas, é? Minha filha, tenho dois emprego e já estou de saco cheio de pagar impostos e não ter nenhum retorno de quem quer que seja. Não peço esmola para este governo que vc parece tanto enaltecer. Nos últimos doze anos a tabela do imposto de renda só faz reduzir o limite para declaração enquanto os impostos para compra de bens e alimentos está na casa dos 40%! Acorda criança e vê se lê mais para melhor se informar. .

    Shirley

    23 de setembro de 2014 às 23h43

    Não diga doutor em economia, eu também pago impostos!! E nem por isso, sinto que carrego o Estado nas costas. Toda sociedade paga impostos através dos produtos que compramos e pagamentos de taxas!! E sempre foi assim. Quando o governo resolve partir o bolo, vcs logo se sentem traídos, não diga!!

Maria Libia

22 de setembro de 2014 às 14h34

Enquanto esta perseguição existir, vou continuar votando no PT. Simples assim.

Responder

    Mariza Mendes

    22 de setembro de 2014 às 23h18

    Em 1980, resolvi me inscrever no PT, quando ouvi uma professora, minha colega de magistério, dizer espumando: “Eu tenho nojo do Lula!” E então comecei a ouvir as maiores barbaridades, de amigos e parentes: “Por que votar no PT, se vc não é trabalhadora?” Eu respondia: “Como não? Só não sou trabalhadora braçal, mas professora é uma trabalhadora intelectual”. E além disso, não tenho que votar num partido que defenda apenas a minha classe profissional, tenho que votar em quem defende os direitos de todos!!!

    maria julia

    28 de setembro de 2014 às 13h19

    Você tem toda razão. Também sou professora (aposentada) e concordo plenamente com você. Maria Julia

Sonia Beligerante

22 de setembro de 2014 às 11h16

Prestem atenção nesta frase do Aécio, por que logo depois dela ocorreu o trágico acidente onde morreu o candidato Eduardo: ““Sei que não vou ganhar. Minha luta é contra o continuísmo dessa gente. É contra isso que vou lutar”. Foi esta morte que permitiu o lançamento de Marina a candidata a presidente.

Responder

Joel Miranda

22 de setembro de 2014 às 09h07

Amigos

O embate político é saudável, mas no Brasil existe o PIG, o partido da imprensa golpista, formado pela Globo, Veja, Folha e Estadão, forças hegemônicas da comunicação, que, para defender interesses escusos, criaram um ambiente de desconstrução da política e dos políticos, de ódio entre os partidos legais, principalmente contra o PT, partido dos trabalhadores.
O assassínio é a consequência maior de outras atitudes contra o petismo.
Não sabemos hoje o resultado desta guerra, mas se Dilma for reeleita, os próximos quatro anos serão de ódio total, pois estes veículos assumirão ostensivamente a derrubada da democracia brasileira.
Tomara que eu esteja pensando besteira!

Responder

José Souza

22 de setembro de 2014 às 06h18

O ódio ao PT tem sua origem no emprego e renda proporcionados e conseguidos durante os governos desse partido. Somente com emprego e respectiva renda a pessoa se torna independente não sendo, a partir daí, obrigado a aceitar opiniões e/ou as migalhas de benesses concedidos pela elite. Foram 20 milhões de pessoas que conseguiram empregos portanto são, no mínimo, 30 milhões de pessoas que passaram a ter opiniões, gostos e decisões próprias. Esse contingente não é mais “controlado” pela direita e agregados, são livres para exercerem os seus direitos. E o livre arbítrio é um dos que mais incomodam. O povo já percebeu que votar no Aébrio é retroceder à época das dificuldades, da exclusão e do desemprego. Esse mesmo povo sabe também que, caso eleja a Margarina, terá um governo manipulado por falta de bancada, controlado pelos fortes grupos que a apoiam e vazio de idéias pois ela é contra tudo. Resumindo, caos à vista. A única fatia da população que ainda não consegue exercer o livre arbítrio é a que cultuam religiões pois els controlam a mente de seus seguidores. Aqui, talvez, coubesse uma lei proibindo que pessoas ligadas às religiões (todas e qualquer uma) se candidatassem a cargos eletivos, afinal o país é laico. Temo que, ao conseguirem bancada majoritária, implantem uma teocracia em nosso país. Ódio contra os semelhantes eles possuem de sobra, só lhes falta o poder.

Responder

Nelson

21 de setembro de 2014 às 22h53

Reforma Política Já

Hoje pela manhã aqui em Fortaleza eu estava no trabalho quando passa uma carreata do Eunicio Oliveira-PMDB, candidato a governador do Ceará, com um trio elétrico e umas duas dezenas de carros velhos com acessórios de propaganda volante no teto, não havia pessoas dentro dos carros além dos motoristas. Retornei ao trabalho pensando que quem não tem militância tem que improvisar. Não demorou muito e sou surpreendido por um pipocar de fogos e volto novamente para ver o está acontecendo e vejo uma grande carreata vindo no sentido contrário da outra que acabara de passar. Um enorme trio elétrico seguido por centenas de carros começa a passar a minha frente, mas algo me chama a atenção: nesta carreata não há carros velhos e eles estão cheios de eufóricos militantes. Os carros na sua grande maioria eram SW importados e sedam de luxo e a aparência de seus ocupantes eram de pessoas das classes A e B. Fiquei indignado, eu não votei no PT todos esses anos para ver esta cena lamentável, pois a segunda carreata era do candidato do PT ao governo do Ceará Camilo Santana, tendo a frente do trio elétrico em sua motonete o Governador Cid Gomes-PROS que já aparelhou o Estado do Ceará e ao que parece está fazendo com o mesmo o Partido dos Trabalhadores no Estado. Eu não vi ali naquela carreata as cores do PT ou a cara de sua militância, vi as cores e cara da burguesia do Ceará. Infelizmente esta foi a minha impressão. O PT tem uma importante desafio para o próximo governo da Presidenta Dilma, ou toma as rédeas do Congresso Nacional para fazer as reformas como: a política, democratização da mídia e outras reformas sociais que o povo brasileiro está esperando ou passará para a História como mais um partido corrupto que governou o Brasil, assim como o os seus antecessores.

Responder

    Rita

    22 de setembro de 2014 às 12h53

    Uai, só pobre pode gostar e ser PT??

    Nelson

    23 de setembro de 2014 às 06h28

    Rita,

    Onde se ler “vi as cores e a cara da burguesia do Ceará” leia-se “vi as cores e a cara da máquina comandada por Cid Gomes”. Percebia-se no rostos dos eufóricos “militantes” o desejo de continuarem “trabalhando” Pelo Ceará.

Edanaldo Vieira Costa

21 de setembro de 2014 às 21h50

Isso vem da época da casa grande.Os filhotes deles forjaram essa imprensa que está aí.Conheço muita gente pobre que diz que o PT só tem ladrão, no entanto o PT é o nono partido na lista dos ficha suja, e o PSDB é o primeiro. Nós vamos mudar essa situação com a regulamentação da mídia.

Responder

JoãoP

21 de setembro de 2014 às 20h26

É claro que a classe média não quer pobre no calcanhar, mas ela não me parece inteligente, pois nos últimos 12 anos ela melhorou muito de vida, logo não votar em Dilma me parece meio estúpido. Por outro lado, esse ódio está sendo construído por uma imprensa irresponsável desde a fundação do PT. com mais enfase depois de 2002.

Responder

Fabio Passos

21 de setembro de 2014 às 19h33

A “elite” branca e rica despreza o povo brasileiro.
O PiG incita parte da classe média, mal formada e mergulhada em preconceito, atacando o PT com mentiras e difamações, desde o começo do governo Lula há 12 anos.

Diante da perspectiva de nova derrota… os inconformados da direita perdem o controle e fazem uso da violência.

Responder

Miguel Batista

21 de setembro de 2014 às 19h31

Ela, a elite brasileira, vive e pensa como se estivesse ainda no tempo da casa grande e senzala, onde fazia pequenas concessões aos servos e escravos, quando fazia, o suficiente para manterem-se vivos e produzir. A ascensão dos pobres a níveis sócio-econômicos nunca antes imaginados na sociedade brasileira faz a elite temer pela perda de seus privilégios e alimentar ódio pelos políticos que promovem essas mudanças no “status quo” da sociedade brasileira.

Responder

Francisco

21 de setembro de 2014 às 19h01

No fim do Império, depois da Revolta dos Malês, os proprietários de escravos (o Estado) baixaram uma Lei que tornava culpado de rebelião um escravo que não acudisse um senhor atacado por outro escravo.

Essa Lei foi aplacada contra metade dos brasileiros. Os negros.

Entende o terror que povoa as noites desse pessoal que nunca trabalhou na vida?

Responder

    Rita

    22 de setembro de 2014 às 13h03

    Uhh! GOSTEI!!

Antonio

21 de setembro de 2014 às 18h31

Essa petefobia foi turbinada pela espetacularização do julgamento do caixa 2 do PT, que elevou à categoria de salvadores da pátria os senhores Barbosa e Gurgel.

A pecha de partido corrupto foi aí sacramentada à enésima potência.

Responder

    Mário SF Alves

    22 de setembro de 2014 às 10h33

    É isso, Antônio.

Marco

21 de setembro de 2014 às 17h56

O que eu odeio, é tanta corrupção, tanto maquiamento de dados, tando discurso de odio a classe media, e a luta incentivando luta entre as classes, odeio que nunca ninguem sabe de nada em nenhum escandalo, odeio que sempre a culpa é do pig, do juiz, dos ricos, da classe média, dos outros, da oposição, do papa, odeio que quando o sujeito não concorda comigo ele é coxinha, odeio muito tudo isso

e o pt representa a maior parte disso tudo, mas não é exclusividade do PT.

Responder

Cláudio

21 de setembro de 2014 às 17h13

Com Dilma, a verdade vai vencer a mentira assim como a esperança já venceu o medo (em 2002 e 2006) e o amor já venceu o ódio (em 2010). ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . Vote consciente e de forma unitária para o seu/nosso partido ter mais força política, com maioria segura. . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

Responder

Angela Liuti

21 de setembro de 2014 às 15h40

Mais que a questão social,que tem forte apelo sobre a elite conservadora, é a campanha dioturna da mídia afirmando o que o PT é corrupto e manipulando a raiva do eleitor contra o partido,o governo Dilma e contra a política de modo geral. Aumentou a partir da cobertura do dito mensalão acirrou, corroeu a manipulou a confiança do eleitor (e o PT tb se omitiu em desconstruir esta farsa como tem feito agora na campanha com garra e envolvimento de todos os setores do governo resulta que Dilma recupera pontos. Foi fartamente discutido nas redes e blogs progressistas a falha de comunicação do Governo petista ( sempre foi uma critica construtiva,ok). Outra questão tb tratada nos debates via redes por blogueiros progressistas e internautas foi sobre as estratégias da direita(inclusive da americana), que manipula via mídia a raiva do eleitor, assim como agencias estrangeiras atuando junto aos jovens neste sentido aumentando a participação nas mobilizações das ruas em junho/2013.(Não me refiro ao PASSE LIVRE que já é um grupo muito politizado e não é suscetivel à esse tipo de manipulação ,inclusive a repudi), mas da maioria da juventude que foi ás ruas manipulada via blogs financiados por recursos estrangeiros> Assim como aconteceu com as mobilizações mundo afora, como no Egito (Primavera ÁRABE), Grécia ,Espanha (tentaram fazer em CUBA mas o governo cortou as asinhas tempo) assim como a ênfase dada à blogueira cubana pela direita e midia brasileira,etc. Esta manipulação contra o PT não começou nesta eleição, na campanha do Jose Serra para governo federal o PSDB trouxe o marqueteiro da direita americana lembram: ai veio o discurso moralista contra o aborto, liberdade religiosa, homofobia, etc, creditando a pecha de abortista à Dilma, publicação da ficha falsa da Dilma na folha, Dilma a guerrilheira, o PT comunista (que come criancinha),acusações sempre sem provas de mala de dinheiro vindo de Cuba,da Venezuela. Atualmente criminalizam o governo federal/pelo empréstimo do BNDES para construção do Porto de Mariel em Cuba,perdão da divida de petróleo salvo engano para a Venezuela,que a DILMA/PT reeleita irá implementar o bolivarianismo,(devido às criticas da mídia e oposição ao decreto de Participação Popular e tb sobre os debates sobre a regulação da Mídia). Interditam o Debate,criam suspeitas, ilações, para revoltar os conservadores que só se informam vai jornal nacional,veja ,folha estadão, o globo etc (nos estados só existe a mídia do pensamento único lincado ao poderio de mal informar).

Responder

Mário SF Alves

21 de setembro de 2014 às 15h01

“Trocar Aécio por Marina não é, efetivamente, resultado político adequado pelos critérios políticos mais tradicionais. A troca de candidato, no entanto, é fruto do medo de uma nova vitória do PT, cujo compromisso social assusta parte da sociedade…”

_________________________
Perfeito!

E mais, o que a assusta mesmo é essa ainda tímida democracia que a trancos e barrancos temos conseguido exercer no Brasil. É isso que a enlouquece. É isso que enlouquece [e por vezes enriquece] quem está por trás dela: os lacaios do império do Norte.

Responder

lulipe

21 de setembro de 2014 às 14h20

È muita cara de pau, nem com óleo de peroba resolve!!!

Responder

SERGIO GOVEA

21 de setembro de 2014 às 14h15

Falta o debate político na sociedade.

A falta desse debate tem levado sistematicamente a população a odiar quem a ama e a amar quem a odeia.

A política do controle-remoto cobra o seu preço.

Sergio Govea.

Responder

Carlos N Mendes

21 de setembro de 2014 às 13h51

Claro que o problema da direita não é a convivência com pos pobres; o problema sequer é o enriquecimento do mesmos. O problema, o GRANDE problema é a perda da EXCLUSIVIDADE. Ê perder a graça de encher a boca e dizer que viajou para o exterior, comprou um carro zero, ganhou um Iphone… Pois está cada vez mais difícil criar inveja alheia – logo um dos remediados que te cercam fala, para sua frustação: “ah, eu também’. Isso dói, dói muuuito…

Responder

MARCO ANTÔNIO LEITE DA COSTA

21 de setembro de 2014 às 13h29

QUAL O MOTIVO QUE O VIOMUNDO NÃO ESTÁ LIBERANDO MEUS TEXTOS???
MARCO LEITE

Responder

    Conceição Lemes

    21 de setembro de 2014 às 15h35

    Marco, já pedimos para não postar com que letras maiúsculas nos comentários. Vc continua postando…

José Antônio Pinto Pereira

21 de setembro de 2014 às 12h56

O ódio ao PT e aos petistas é o mesmo ódio das elites contra os trabalhadores. O povo vai vencer mais essa Eleição, inclusive com mais representação no Congresso Nacional. Viva o PT, VIVA os TRABALHADORES/LULA/DILMA.

Responder

Fabio Hideki

21 de setembro de 2014 às 12h09

O Anti-Corinthiano fica mais feliz com a derrota do Corinthians do que com a vitória do próprio clube.
Já o Anti-Petista, prefere ver o PT fora, mesmo que a sua vida piore.

Responder

Fabio Passos

21 de setembro de 2014 às 11h53

Avareza, ignorância e preconceito.
São características claras da pior “elite” do mundo… e também de parte da classe média adestrada pelo PiG.

O Apartheid Social não é um acidente. Foi construído.
A ascensão social dos pobres deixou a “elite” branca e rica inconformada.

Responder

Léo

21 de setembro de 2014 às 11h38

Aécio a tempos já não discursa como presidenciável, discursa como um aliado da Marina. Em SP sorrateiramente, Marina aparece na coligação do PSDB, para ser mais preciso nos programas eleitorais de lá.

Responder

Fabio Hideki

21 de setembro de 2014 às 10h59

Existe um grande preconceito contra pobre. E isso é muito claro na antiga classe média, que não percebe que seus interesses tem mais em comum com os pobres do que com os ricos.

Responder

José Henrique

21 de setembro de 2014 às 10h54

A elite branca,não aceita concorrência da distribuição de verbas públicas;por isso tem este ódio,continuam ganhando muito como sempre,mas ficam irritadíssimos em ver os pobres receberem,mesmo que migalhas, visto ao que eles recebem e sonegam

Responder

Lukas

21 de setembro de 2014 às 10h37

Quem aqui odeia os tucanos?

Provavelmente todos, mas acreditam que por uma boa razão.

Responder

    João Almeida

    21 de setembro de 2014 às 12h30

    Eu não odeio nenhum tucano.

    Mário SF Alves

    21 de setembro de 2014 às 14h07

    De minha parte, jamais falei em depenar tucano algum. Até porque o tucanato tornou-se braço político do poder, em especial do poder colonial. Porém, ainda assim, é um partido político, legamente constituído, portanto, faz parte desse jogo que ingenuamente e com ressalvas admito como jogo democrático.
    ________________________________
    Agora, cá entre nós, que o regime Casa Grande-Brasil-Eterna Senzala é uma excrecência, é.

    El Bartho

    21 de setembro de 2014 às 16h53

    Eu não odeio ninguém.

    Lukas

    21 de setembro de 2014 às 19h17

    Olha, tem uns comentaristas por aqui que fingem muito bem odiar tucanos (ou qualquer adversario petista).

    Eu só finjo acreditar.

Edgar Rocha

21 de setembro de 2014 às 10h21

Não votaria no Aécio nem se o outro candidato fosse o Maluf! Mas, convenhamos, vitimismo tem limite. se ódio for o fiel da balança pra desqualificar um discurso, ganha a Marilena Chauí que ‘odeia a classe média’, ganha o Lula contra os ‘300 picaretas’, ganha alguns petistas contra ‘a traidora Marina, a fundamentalista Marina’, ganha o Malafaia (nem preciso citar exemplos), ganha o Edir Macedo, enfim, frases de efeito e demonstrações de desprezo e ódio são muitas. E bem mais fortes que as do Aécio acima citadas. O problema não é o discurso de ódio, mas as razões pelas quais ele pega (até em gente que ganha bolsa família). Este é o tipo de texto pra levantar a galera, criar um inimigo comum, colocar-se moralmente acima de seu opositor, atiçar àqueles que respondem passivamente à bile que lhe sobe do fígado, sem direito a sal de frutas. Mais incitação ao ‘ódio’ que esta, difícil encontrar. Mas, faz parte. Aécio fala frases de efeito pra insuflar os idiotas do lado de lá. E o Maurício Dias colabora com os esforço de se mostrar que os idiotas do lado de cá são mais ferozes que os deles. Bonito isto. É política em tempos de campanha. E todo mundo que fizer uma crítica, seja de um lado ou de outro, é sempre o que mais odeia.
PS: dá pra parar de dar ibope pro Aécio, pra Marina e cia. e se ater aos aeroportos, por favor?

Responder

    Mário SF Alves

    21 de setembro de 2014 às 14h19

    Pombas! Edgar, o Brasil lutando pra se livrar das garras dos abutres locais testas de ferro do império do Norte e vocẽ botando tudo em pé de igualdade. Cara, a luta é contra a interferẽncia nociva de um império, cara. Um império em crise de decência e que por nada já destrói povos inteiros, seja no Iraque, seja na Líbia, seja na Síria.

    Agora, diz aí, quando é que um militante do PT assassinou alguém? Quando um militante do PT mordeu o dedo de alguém? Quando foi que militantes do PT fizeram apologia ao crime? Quando foi que militantes do PT pediram pena de morte para os rola-bostas que malandramente os rotulam de petralhas? Quando foi que um militantes do PT pediu a guilhotina para o FHC?

    Edgar Rocha

    21 de setembro de 2014 às 21h25

    Mário, não sou eu que estou nivelando todo mundo. É quem desce ao nível ou se coloca na condição de vítima por qualquer frase que dizem. Que o povo da direita tem a vocação pra cometer atos de violência e vilania, disto todos nós já sabemos. Estava me atendo a postura que o texto apresenta quando se refere a atitudes como as do Aécio. Não é preciso muito esforço pra entender que numa disputa como esta, em que os caras estão desesperados, eles assumirão a condição de antagonistas ao invés de opositores. Cobrar, como fez o autor, coerência do PSDB, quando este leva uma lavada no próprio Estado do candidato, entender a frase como ódio pessoal, é fazer o que o Lula sempre evitou, que é trazer pro lado pessoal as ofensas que recebia. Estratégia errada, fruto de insegurança de que os que apoiam estejam realmente envolvidos na campanha, nada mais. Já as agressões as quais você alega nunca terem sido feitas por um petista, olha, se eu fosse você, não botaria a mão no fogo por todo mundo, não. Ainda (e só ainda) não pegaram ninguém falando uma besteira destas. Mas que tem gente falando (e aprontando) por aí… Felizmente, não o fazem em nome do PT. E isto já está bom, não? Quanto à luta contra o império, sei que a derrota da Dilma é estratégica, para os EUA, CIA, União europeia e afins. Mas, deixe o desespero pra eles. Descer ao nível ou se fazer de vítima, do ponto de vista dos indecisos, só faz pender a balança.

    Mário SF Alves

    22 de setembro de 2014 às 10h16

    Prezado Edgar,

    Ganhei meu dia. Sua resposta é clara e honesta. E enobrece a todos.

    Valeu. E que possamos seguir em frente rumo a mais entendimento e mais convicção na capacidade de superação desse mundo de mediocridade e de antagonismos tolos e injustificáveis que só atrasam a libertação dos povos na América Latina.

Julio Silveira

21 de setembro de 2014 às 09h19

Perfeita analise, que revela as bases de um país de cultura colonial onde os dorigentes das elites vêem a cidadania mais carente como seus problematicos suditos.

Responder

Romanelli

21 de setembro de 2014 às 09h04

ARROGÂNCIA, violência, vitimismo, MENTIRA, maniqueísmo exacerbado ..incompetência, ROUBO, traição ..e os motivos não param por aí ..temos ainda DESVIOS, alianças espúrias, CORRUPÇÃO

Convenhamos, o PT já teve DOZE anos pra botar a casa em dia, e ?! Saúde, educação, infra, segurança ..um LIXO !!

Evidente que não posso dizer pelo BRASIL, mas aqui em SP o partido DERRETEU. Seus principais líderes, COM RAZÃO, estão na papuda, e hoje, os que se apresentam, já o fazem sob suspeita.

VEJA um caso duma OLIGARQUIA sendo formada, a dos Tatto.

nota – das informações que me chegaram repasso, e como cidadão aceito eventual correção e/ou imprecisões que por ventura constem no que narro abaixo:

São Paulo promete se tornar rapidamente o lar do PTT. Partido dos TaTTo ..esta família, originária do RS (outros que pra cá vieram fazer a vida) não se notabilizou por fazer tatuagem, mas sim por participar e liderar os pretéritos movimentos de transportes CLANDESTINO nesta cidade, os dos perueiros ..um movimento de ARRUACEIROS, de baderneiros, que enquanto não conseguiu o seu QUINHÃO no cartel dos coletivos (hoje eles tem empresas), não deixava a população dormir sossegada (e isso, o armistício – aonde eles depuseram literalmente suas ARMAS DE FOGO – aconteceu no governo de Marta).

Atualmente, um dos TATTO é vereador nesta cidade, o ARSELINO TATTO ..outro, é o secretário de transportes do Haddad (o GILMAR) ele que foi pego financiando um FUGITIVO de cadeia do RS que se infiltrou, se candidatou, e conseguiu um mandato de Deputado Estadual pelo PT, Luiz Moura, isso até o mesmo ser acidentalmente apanhado fazendo uma reunião com o PCC.

Agora, nestas eleições, os gaúchos TATTO lançaram ENIO TATTO para deputado Estadual, e NILO TATTO para deputado FEDERAL ..tudo pelo PTT.

Uma curiosidade na campanha deles em 2014, que TESTEMUNHEI, é que eles andam circulando nos bairros com suas velhas KOMBIS que ostentam uma gravação FALSA, gravação FALSA imitando a VOZ DE LULA, aonde este líder se apresentaria pedindo votos pra família

..francamente, pensei, começaram mal ..de novo

Responder

    vicente caliman

    21 de setembro de 2014 às 09h48

    Romanelli< fala agora sobre a dinastia dos Neves, dos Bornhauser, dos Roriz, dos Sarney…. só para citar alguns

    MANREL

    21 de setembro de 2014 às 10h51

    Romanelli, você se esqueceu da família Sarney.

    Nossa que informação!!!, por causa disso vou deixar de votar no partido que mais distribui renda neste pais de mais de 500 anos.

    Romanelli

    21 de setembro de 2014 às 12h53

    coleguinhas ..o texto é sobre o PT ..não é sobre ALIADO e/ou adversário, é ?

    Agora, se vocês quiserem, eu falo do André Vargas por exemplo e do “Yourself”, querem ?

    orra, essa mania de só apontar o RABO dos outros, de tergiversar e fingir cara de paisagem, de citar roubo e/ou erro dos outros pra não justificar os seus, é outro problema grave que atiça o tal ódio da matéria, não é?

    Ademais, todos aqui sabem que eu sempre DEFENDI, votei e, PIOR, aconselhei amigos, parentes e vizinhos a confiarem no PT ..qual seja, meu sentimento de frustração é enorme.

    Mário SF Alves

    21 de setembro de 2014 às 14h38

    “Orra”, Romanelli, essa sua forma de argumentar compartimentalizando a realidade é típica. Na boa, pense sobre isso? Ainda há tempo.

    Lembro de um professor que tive numa especialização realizada ainda no “apagar das luzes” do último e ilegítimo governo da ditadura:

    “No Brasil não temos mais Universidades, pois a ditadura conseguiu a proeza de em lugar dela, criar um conjunto de faculdade isoladas.” Compartimentalizadas, portanto, pois não?

    Romanelli

    21 de setembro de 2014 às 12h55

    Mário SF Alves

    22 de setembro de 2014 às 10h32

    “Vc acha mesmo que um Mauá, Matarazzo, Crespi, Ermírio de Morais, Setúbal, Jafet, Mindlin, Klabin, Brenan, Bonfiglioli, Kazinski, Gurgel e tantos outros que submergiram e/ou ainda permanecem, não acreditaram no BRASIL?”
    ______________________________
    Volto à observação de início: não fragmentemos a realidade. Análise fragmentada não permite conclusões sustentáveis. No entanto, sobre a pergunta prometo pensar a respeito.

    Obrigado pela resposta. Ajuda na busca do entendimento, o que é um bom começo.
    Abs.,
    Mário.

    Mário SF Alves

    21 de setembro de 2014 às 14h26

    “Convenhamos, o PT já teve DOZE anos pra botar a casa em dia, e ?!”

    ________________________________
    Putz! Doze anos, Romanelli! O que são doze anos frente a 500 anos de exclusão social neste País? Um país que já nasceu sob o signo da desigualdade social, desde a instituição das Capitanis Herditárias.

    O que são doze anos para desarticular os tentáculos do colonialismo que nos sufoca desde antes do vergonhoso março de 1964?

    Ora, convenhamos, esse seu argumento tá mais pra … humm… deixa pra lá.

    Romanelli

    21 de setembro de 2014 às 16h04

    Vc deve estar de brincadeira ..pra educação em termos, mas pra saúde dava tempo

    PRA DESFAVELIZAÇÃO, pra construção prioritária de garagens, de LARES, antes mesmo de se ter um carro. ..nem se fala

    Antes faltavam-nos engenheiros ..hoje faltam MÉDICOS, pilotos, práticos ..o qualidade do ensino continua caindo, a violência explodindo, o vício dinamitando toda uma geração

    só no RJ 25 % dos jovens são NEM NEM, nem trabalham ou estudam ..e pior que ainda se orgulham de aumentar a cada ano o número de assistidos ..até quando ? chega, não ?

    Verdade é que dos 12 anos, só os 4 primeiro prestaram, o dos projetos, metas ..período que foi desenhado pelo visionário JOSE DIRCEU ..o resto, foi caricatura, uma bazófia ..um bando de incompetentes não conseguindo tocar as metas e os projetos, mas bem flagrantemente a maioria conseguiu se fazer na vida

    pena que o gen.José achava que a questão da ética era um mero detalhe frente às realizações que se seguiriam ..errou, errou feio

    colega, como vc viu, sou soldado de 1a linha, ninguém pode dizer que não confiei ..mas paciência tem limite

    hoje sei que o país não será pra mim, provavelmente nem pros meus filhos ..e se neste ritmo, sequer pros meus netos (ferrovias, transposição, INFRA, hidrelétricas, refinarias, passivos praticamente intocados, etc ..tudo superfaturado e atrasado ..que vergonha)

    Verdade é que a esquerda provou ser boa de discurso, mas péssima quando o assunto era mãos à obra

    em tempo – e apesar de tudo, eu ainda espero poder votar NULO ..tamanha a minha falta de fé nos que estão ppor aí

    Mário SF Alves

    21 de setembro de 2014 às 21h48

    Não, Romanelli, sinto informar, mas não estou de brincadeira, não.

    Nessa quadra de nossa história, quando nos vemos na iminência de perder não apenas as conquistas dos últimos doze anos, mas, sobretudo, o pouco que conseguimos conquistar em termos de soberania do Brasil, seu argumento não me parece nada, nada, razoável.

    Tá. Entendi que você entende que tais conquistas sejam de menor importância frente a outras às quais considera plenamente factíveis e mesmo imprescindíveis. Opinião sua. Eu não entendo que seja assim.

    E mais, a prosperar críticas como essa, posso garantir que você terá toda razão ao afirmar “hoje sei que o país não será pra mim, provavelmente nem pros meus filhos ..e se neste ritmo, sequer pros meus netos”. De fato. Porém, não hoje, mas amanhã. Bom, isso se, de fato, for verdadeira essa sua aparente indignação social. Caso contrário, quem sabe, com o Brasil sequestrado e totalmente submisso à oligarquia internacional, o que lhe aguarda não seria um título de nobreza qualquer?

    Nosso País está dividido, Romanelli. Dividido ideologicamente. E quem o dividiu não foi o PT. O PT segue a Constituição da República Federativa do Brasil. Quem o dividiu foram os representantes da mediocridade; do egoísmo e da histórica submissão a interesses publicamente inconfessáveis. O que o dividiu foi o complexo de vira-latas; foi a covardia de uma elite que jamais acreditou no Brasil.

    Admira-me você com um potencial de entendimento que tem, deixar-se levar por leviandades.

    Nunca filiei-me ao PT. Não por julgá-lo imerecedor, mas por oposição a isso, por julgá-lo bom demais.
    Ao evitar tal filiação, o fiz por respeito e por entender que não tenho o perfil de um verdadeiro petista. Só por isso. É bem verdade que tal recusa deu-se bem antes do embate governista.

    Seja como for, sugiro uma ligeira reflexão sobre o seguinte:

    Você conhece a história da formação da estrutura agrária brasileira. Você sabe das Capitanias Hereditárias. Pois bem. A correção ou reforma de tal estrutura, uma das mais concentradas e socialmente excludentes do mundo, sempre foi objeto de questionamento, indignação e luta por parte de grandes lideranças populares e de intelectuais brasileiros ao longo de quase um século.

    Portanto, era de se imaginar que a ditadura militar imposta com o vergonhoso golpe de estado de 64, dotada de [teóricos] plenos poderes, tivesse total condição de ao menos tecnicamente corrigir as distorções de tal estrutura. Porém, pasme, prezado Romanelli, não foi isso o que aconteceu.

    O Estatuto da Terra, elaborado por solicitação do general, aí, sim, general, Castelo Branco, instituído pela LEI Nº 4.504, DE 30 DE NOVEMBRO DE 1964, não deu em nada. Trata-se um documento excelente, reconhecido pelos técnicos e planejadores como instrumento social e economicamente imprescindível e que, no entanto, não saiu da gaveta daquilo que aparentemente teria sido a poderosíssima ditadura militar de direita. Esse é o Brasil do atraso, meu caro. Esse é o Brasil envergonhado, protegido contra nós mesmos e eterna reserva de valor para interesses alienígenas.

    Nem ela, Romanelli, nem ela.

    Então, meu amigo, seja razoável, some forças, ajude-nos a desmascarar e desmontar as forças que sempre atuaram contra o desenvolvimento do Brasil em nome de interesses publicamente inconfessáveis. Chega de filigranas e purismos ideológicos sumariamente usados contra o PT. Isso não leva a nada. Pelo contrário só desmobiliza e esvazia o debate.

    Romanelli

    22 de setembro de 2014 às 06h51

    Pois é, Alves

    Sobre o estatuto da TERRA ..1964, foi-se ..supera ..FATO, hoje o país é dos MAIORES produtores do MUNDO em alimentos ..desgraçadamente este é o setor que ainda nos sustenta ..é um setor dinâmico, diversificado ..DE ERRADO é sua fragilidade fundiária, e sua estrutura que prioriza semente, insumos, adubos, implementos, colheita, estocagem, pré industrialização, distribuição e exportação tocada em maioria por CAPITAL INTERNACIONAL

    Aliás, fosse pelos “revolucionários” do séc XXI c/métodos do séc XIX, uns que se pedem de pequenas propriedades familiares e de produção de orgânicos, a coisa seria uma CATÁSTROFE, a começar pela inexistência dos transgênicos que, mesmo no governo de LULA, foram responsáveis por DUPLICAR a nossa colheita, tudo a fim de dar sustento à farra consumista que se dava pela China.

    Sobre uma oligarquia, acabei de dar exemplo dos Tatto (coisa recente, vinda da esquerda), e já disse aqui, SP é responsável por 41% da receita da União, 22% da população, 3,5 dos votos no SENADO, 13,5% dos votos na Câmara ..e ninguém fala disso ..enquanto não tivermos DEMOCRACIA participativa, qq discurso sobre Oligarquia (que tb trata da partidária) é coisa dissimulativa.

    Sobre a divisão, DESCULPE, mas foi LULA que começou com a história de SP x NE, de olhos azuis, de golpe da elite dado a qq critica que se fizesse ..foi Dilma que só fala e governa pra MULHER ..eles inventaram as COTAS ..vocês é que não superam a ANISTIA ..que enchem o saco com o ABORTO – como se fosse inevitável – ao invés de se preocupar com o VOLUNTARISMO que se é engravidar ..vocês que não dando conta do passivo do álcool e cigarro, das drogas, ainda vem aborrecer com o papo da maconha ..enfim

    E sobre a Elite alienada, francamente, que é o ingrato aqui ? ..acho que sua critica poderia ser dada ao MODELO concentracionista (mesmo pq é difícil dividir com quem não trabalha e fica marginalizado), ou aos entraves geopolíticos ..e Afinal, quem facilitou a cartelização dos últimos anos ? A FAGOCITOSE internacional sobre o capital Nacional ?

    Vc acha mesmo que um Mauá, Matarazzo, Crespi, Ermírio de Morais, Setúbal, Jafet, Mindlin, Klabin, Brenan, Bonfiglioli, Kazinski, Gurgel e tantos outros que submergiram e/ou ainda permanecem, não acreditaram no BRASIL ?

    Maria Libia

    22 de setembro de 2014 às 14h50

    Romanelli, o TRE descarta todos os votos nulos e só conta os votos válidos, ou seja, seu voto vai para a lata do lixo pois não tem essa de que os votos nulos (ou brancos), se numericamente grandes, obrigaria ao TRE a fazer uma nova eleição. Se não acredita, procure informações no próprio Tribunal. Leia a reportagem sobre o ódio ao PT , publicado neste blog, hoje, e veja como você está perfeitamente descrito. Devolvo a você todo o ódio do PT que transpira em suas mensagens. Sabe o que me dá mais prazer, é saber que esse ódio está corroendo suas entranhas, de minuto a minuto.

mineiro

21 de setembro de 2014 às 08h15

isso nao é novidade, é bom que essas eleiçoes ta mostrando a cara de certos calhordas brasileiros que viviam nessa imbecilidade de pais cristao, nao tem racismo , é o melhor pais do mundo. essa idiotices todas , que pregavam que so existiam em outros paises , aqui nao. agora nao esses lixos da sociedade ta mostrando a cara , inclusive as religioes. é bom desmacara todo mundo , o odio ao pt , ta fazendo essa corja mostrar a cara. eles nao aguentam mais , vai morrer pelo proprio veneno e tomara que morra mesmo.

Responder

niveo campos e souza

21 de setembro de 2014 às 07h35

Colocou o pobre e os desassistidos no orçamento do Brasil.

Responder

roberto

21 de setembro de 2014 às 05h39

Análise perfeita!

Responder

    Objete

    21 de setembro de 2014 às 09h45

    Beleza amigo. Perfeito

Denis da Silva Pereira

21 de setembro de 2014 às 01h12

Concordo Plenamente! O problema é que o discurso de ódio contra o PT acabou sendo introjetado por aqueles que são beneficiados pela inversão que o governo Lula e Dilma empreenderam no Brasil.

Responder

Brancaleone

21 de setembro de 2014 às 00h38

12 anos de PT.
12 anos de Lula – afinal a idéia era a Dilma-poste que não deu certo.
12 anos é muito tempo para nem tantas mudanças assim.
Não digo que seja ódio ao PT. Tá mais pra saco cheio, falta de crédito, chega de papo. querer ação.

Responder

    Objete

    21 de setembro de 2014 às 09h47

    E quer convencer de que não é ódio ? Ora, vá caçar um borralho.

    MANREL

    21 de setembro de 2014 às 10h48

    Lembrança ao cego do exército Brancaleone
    Trocar Aécio por Marina não é, efetivamente, resultado político adequado pelos critérios políticos mais tradicionais. A troca de candidato, no entanto, é fruto do medo de uma nova vitória do PT, cujo compromisso social assusta parte da sociedade com dificuldade de conviver com pobres.

    Essa porção de privilegiados assusta-se com um pouco mais de igualdade. Da fonte do medo também brota o ódio.

    Liz Almeida

    21 de setembro de 2014 às 18h28

    Penso que é ódio sim, ‘Brancaleone’

    A elite reconhece tudo o que foi feito nesse país nos últimos doze anos, porque só não reconhece que tem algum problema mental. Impossível não enxergar.

    Porém, essas pessoas deixam que os seus preconceitos falem mais alto que o bom senso; sentem um tipo de ódio que é o pior que um ser humano pode sentir, o ódio porque outros seres humanos estão conquistando o que só uma minoria tinha antes. É o ódio de classe.

    Quem criou essa frase sabia o que dizia: ‘A pior pobreza é a de espírito’. É essa a pobreza da elite brasileira.


Deixe uma resposta para Fabio Hideki

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.