VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Leonardo Boff: Por uma aliança entre Marina e Dilma


06/10/2010 - 12h29

Leonardo Boff apóia aliança entre Marina e Dilma

Há dois projetos em ação: um é o neoliberal ainda vigente no mundo e no Brasil apesar da derrota de suas principais teses na crise de 2008. Esse nome visa dissimular aos olhos de todos, o caráter altamente depredador do processo de acumulação, concentrador de renda que tem como contrapartida o aumento vertiginoso das injustiças, da exclusão e da fome. José Serra representa esse ideário. O outro projeto é o da democracia social e popular do PT. Sua base social é o povo organizado e todos aqueles que pela vida afora se empenharam por um outro Brasil. Dilma Rousseff se propõe garantir e aprofundar a continuidade deste projeto. É aquí que entra a missão de Marina Silva com seus cerca de vinte milhões de votos. O artigo é de Leonardo Boff.

Leonardo Boff, na Carta Maior

O Brasil está ainda em construção. Somos inteiros mas não acabados. Nas bases e nas discussões políticas sempre se suscita a questão: que Brasil finalmente queremos?

É então que surgem os vários projetos políticos elaborados a partir de forças sociais com seus interesses econômicos e ideológicos com os quais pretendem moldar o Brasil.

Agora, no segundo turno das eleições presidenciais, tais projetos repontam com clareza. É importante o cidadão consciente dar-se conta do que está em jogo para além das palavras e promessas e se colocar criticamente a questão: qual dos projetos atende melhor às urgências das maiorias que sempre foram as “humilhadas e ofendidas” e consideradas “zeros econômicos” pelo pouco que produzem e consomem.

Essas maiorias conseguiram se organizar, criar sua consciência própria, elaborar o seu projeto de Brasil e digamos, sinceramente, chegaram a fazer de alguém de seu meio, Presidente do pais, Luiz Inácio Lula da Silva. Fou uma virada de magnitude histórica.

Há dois projetos em ação: um é o neoliberal ainda vigente no mundo e no Brasil apesar da derrota de suas principais teses na crise econômico-financeira de 2008. Esse nome visa dissimular aos olhos de todos, o caráter altamente depredador do processo de acumulação, concentrador de renda que tem como contrapartida o aumento vertiginoso das injustiças, da exclusão e da fome. Para facilitar a dominação do capital mundializado, procura-se enfraquecer o Estado, flexibilizar as legislações e privatizar os setores rentáveis dos bens públicos.

O Brasil sob o governo de Fernando Henrique Cardoso embarcou alegremente neste barco a ponto de no final de seu mandato quase afundar o Brasil. Para dar certo, ele postulou uma população menor do que aquela existente. Cresceu a multidão dos excluidos. Os pequenos ensaios de inclusão foram apenas ensaios para disfarçar as contradições inocultáveis.

Os portadores deste projeto são aqueles partidos ou coligações, encabeçados pelo PSDB que sempre estiveram no poder com seus fartos benesses. Este projeto prolonga a lógica do colonialismo, do neocolonialismo e do globocolonialismo pois sempre se atém aos ditames dos paises centrais.

José Serra, do PSDB, representa esse ideário. Por detrás dele estão o agrobusiness, o latifúndio tecnicamente moderno e ideologicamente retrógrado, parte da burguesia financeira e industrial. É o núcleo central do velho Brasil das elites que precisamos vencer pois elas sempre procuram abortar a chance de um Brasil moderno com uma democracia inclusiva.

O outro projeto é o da democracia social e popular do PT. Sua base social é o povo organizado e todos aqueles que pela vida afora se empenharam por um outro Brasil. Este projeto se constrói de baixo para cima e de dentro para fora. Que forjar uma nação autônoma, capaz de democratizar a cidadania, mobilizar a sociedade e o Estado para erradicar, a curto prazo, a fome e a pobreza, garantir um desenvolvimento social includente que diminua as desigualdades. Esse projeto quer um Brasil aberto ao diálogo com todos, visa a integração continental e pratica uma política externa autônoma, fundada no ganha-ganha e não na truculência do mais forte.

Ora, o governo Lula deu corpo a este projeto. Produziu uma inclusão social de mais de 30 milhões e uma diminuição do fosso entre ricos e pobres nunca assistido em nossa história. Representou em termos políticos uma revolução social de cunho popular pois deu novo rumo ao nosso destino. Essa virada deve ser mantida pois faz bem a todos, principalmente às grandes maiorias, pois lhes devolveu a dignidade negada.

Dilma Rousseff se propõe garantir e aprofundar a continuidade deste projeto que deu certo. Muito foi feito, mas muito falta ainda por fazer, pois a chaga social dura já há séculos e sangra.

É aquí que entra a missão de Marina Silva com seus cerca de vinte milhões de votos. Ela mostrou que há uma faceta significativa do eleitorado que quer enriquecer o projeto da democracia social e popular. Esta precisa assumir estrategicamente a questão da natureza, impedir sua devastação pelas monoculturas, ensaiar uma nova benevolência para com a Mãe Terra. Marina em sua campanha lançou esse programa. Seguramente se inclinará para o lado de onde veio, o PT, que ajudou a construir e agora a enriquecer. Cabe ao PT escutar esta voz que vem das ruas e com humildade saber abrir-se ao ambiental proposto por Marina Silva.

Sonhamos com uma democracia social, popular e ecológica que reconcilie ser humano e natureza para garantir um futuro comum feliz para nós e para a humanidade que nos olha cheia de esperança.

(*) Leonardo Boff é teólogo





140 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Teólogos sérios apóiam Dilma « Política e Verdade

14 de outubro de 2010 às 14h44

[…] que tem como contrapartida o aumento vertiginoso das injustiças, da exclusão e da fome” (clique aqui para […]

Responder

CARLOS

13 de outubro de 2010 às 17h56

As questões descutidas sobre o aborto e a vida está sendo valorizado mais do que deve. Primeiro não existe por parte de nenhum candidato falando que é favor do aborto. Segundo está dando magem para a igreja se manifestar e se promover enquanto ela tem questões bem mais sérias que ataca a vida que são os padres tarados. Quanto aos depoimentos destes padres que falam contra a administração do LULA fazem parte dos padres que são a vergonha para o nosso criador. Usa a igreja a serviço dos seus ideiais e não em favor dos mais pobres. O SERRA hoje aparenta uma pessoa tão leve, simpática, comprometida com os movimentos populares, isto é fruto de um marqueteiro. Na verdade eu não acredito nem no SERRA do passado quando foi da UNE, penso que nesta época ele foi para o Chile para
se esconder por ser traíra deixando os colegas sendo presos e torturados. O que ele fez no Chile contra a ditadura de lá.
Se ele fez alguma coisa por que ele não ficou aqui defendendo a liberdade de nosso povo. É BOM QUE SE PROCURE SABER QUEM É JOSÉ SERRA NO PERÍODO DO EXÍLIO. SE É QUE FOI EXÍLIO!!!

Responder

Terezinha

12 de outubro de 2010 às 19h48

a CNBB pensa que pode tudo. Quer expulsar os evangélicos e mandar sozinha no país.

Responder

Bertold

08 de outubro de 2010 às 23h07

"Nada do que é humano me é estranho'… visão lapidar de Marx sobre a natureza humana. Infelizmente, muita gente toma isso como uma concessão ao relativismo, coisa hoje tão em moda que é negar postulados para não parecer dogmatico. Marina não pensa mais como militante de esquerda. Sua ascensão política e econômica no ambiente da "realpolitik" mudou indelevelmente sua personalidade e caráter. Não nos iludamos, ela não virá conosco. Dilma deve ir em frente e ignorá-la senão vai derder tempo preciosos de campanha. Os votos que Marina teve (e que não são seus) é vulnerável e fulgaz. Impediu a vitória no primeiro turno mas majoritariamente virá em avalanche para Dilma porque no fundo também rejeitam mais o Serra.

Responder

    wallison

    10 de outubro de 2010 às 09h05

    Não sei não…prefiro rezar para DEUS.Eleições são cheias de surpresas, eo povo têm muito o que aprender.O juiz Fausto,e o delegado protógenes não tiveram desfecho do Brasil por eles,pelo BEM que nos fizeram;o Brasil ficou paralisado vendo aqueles hérois serem humilhados pelos pseudos-juízes,e pseudo-políticos da desordem em Brasília.Me lembro que o colega do Fausto,negro,acho que é joaquim,também juiz,falou para o infeliz que foi atrapalhar o FAUSTO,que ele estava arruinando com o judiciário.O povo é quieto demais…prefiro rezar para DEUS,é mais seguro.

Cesar

07 de outubro de 2010 às 07h27

Se O PV apoiar o Serra estará morto politicamente, pois será a maior incoerência ideológica da história do BR.
Por isso o Gabeira já foi enterrado no Rio.

Acho que em vez de ficarmos aqui tricotando entre nós , devemos escrever p o PV p/ a Marina, pra ver se essse povo acorda e não faça essa besteira , que o Chico Mendes com certeza abominaria.

Responder

Regina

06 de outubro de 2010 às 22h57

Aprecio muito Leonardo Boff e muitos militantes brasileiros que "infelizmente" declararam e apoiaram Marina. Discuti com muitos amigos meus sobre isso. Não porque não goste de Marina, mas exatamente pelo que o prezado Boff diz no início do seu texto. Se estamos ainda no início da construção deste novo Brasil não deveríamos ter brincado com segundo turno…. O correto era termos eleito logo Dilma sem dar chance ao PIG e à direita raivosa coordenada pelo inescrupuloso e dissimulado Serra.
Espero que essa construção não seja abortada (palavra tão usada nos últimos dias) com a infeliz ajuda desses tão brilhantes companheiros que tentaram o verde quando se evidenciava uma onda laranja, sendo que os reais princípios de sustentabilidade da vida humana num processo de ecologia humana estava na onda vermelha, que representa o sangue dos brasileiros que correm em nossas veias cheias de vida e de desejo de mais vida para 190 milhões de brasileiros, com amor e muita paixão por este país e por sua população.
Existem erros pelos caminhos, sem dúvida, mas os acertos são muito maiores.
Ah, companheiros, espero que não tenham dado um tiro no pé!

Responder

    visitante

    10 de outubro de 2010 às 10h05

    Admiro o Boff,mas acho que o BRASIL todo tinha que dedicar-se a ter atitudes mais ativas para que o plano feito para a população seja CONSTITUCIONAL,e permaneça intocável ,para evitar tais eventos de receios do" será que vão mudar o que foi feito"?não ocorra nunca.Se é para alimentar o povo,dar emprego,terras,escolas,para que combater?A briga partidária é desrespeitosa e contraditória;não é para o BRASIL ser ajudado?imperfeições do ser humano,vai aceitar e entender….devia ter sido criado mecanismos no BRASIL para não ficar maltratado o povo,isso sim.Deviam por exemplo tomar todo dinheiro dos deputados que eles tiveram e dar para o povo,por exemplo,deviam é parar de aumentar seus salários.

Luciane

06 de outubro de 2010 às 22h33

Precisamos lutar…. precisamos esclarecer a população… alguns padres e pastores estão difamando a imagem da Dilma… precisamos pedir que o clero se manifeste… afinal a luta popular no Brasil nasceu também nas igrejas….

Responder

antonio

06 de outubro de 2010 às 22h28

Será que a Marina não percebe que foi usada pela midia para favorecer a candidatura do serra?
A tal onda verde foi um artificio patrocinado pela midia, para socorrer o candidato Serra que não subia nas pesquisas.

Responder

El Cid

06 de outubro de 2010 às 22h21

Comissão da CNBB sai em defesa de Dilma – http://cristaoscomdilma.blogspot.com/2010/10/comi

A Comissão Brasileira Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), manifestou-se, por meio de nota, "preocupada com o momento político na sua relação com a religião". "Muitos grupos, em nome da fé cristã, têm criado dificuldades para o voto livre e consciente", afirmou a entidade, no comunicado.

A manifestação deve endereço certo: o bispo de Guarulhos (SP), d. Luiz Gonzaga Bergonzini, que tem pregado o voto contrário à candidata petista Dilma Rousseff e um debate sobre o aborto que tomou conta das campanhas dos dois candidatos à Presidência.

"Dos males, o menor", tem dito d. Luiz Gonzaga, ao defender o voto contrário a Dilma que, segundo ele, apoia o aborto. O bispo tem usado suas missas para acusar Dilma e o PT de terem incluído em seu programa de governo a defesa do aborto. Guarulhos, na Grande São Paulo, tem 1,3 milhão de habitantes.

Para o secretário-executivo da Comissão Justiça e Paz, Daniel Veitel, Dilma foi a única candidata que se declarou claramente a favor da vida. "O José Serra (presidenciável do PSDB) não tem uma posição clara", criticou. Veitel lembrou que a CNBB não impôs veto a ninguém nas eleições. Afirmou ainda que alguns grupos continuam induzindo erroneamente os fiéis a acreditarem nisso.

"Constrangem nossa consciência cidadã, como cristãos, atos, gestos e discursos que ferem a maturidade da democracia, desrespeitam o direito de livre decisão, confundindo os cristãos e comprometendo a comunhão eclesial", afirma a nota da comissão.

Responder

Orsola Ronzoni

06 de outubro de 2010 às 21h51

Contribuo para a discussão com duas constatações que Elio Gaspari fez hoje em sua coluna na Folha de São Paulo
1-“Zé Dirceu chegou cedinho para votar num colégio de Moema entrou pelos fundos e saiu protegido por seguranças. FHC foi a pé de sua casa até o colégio Sion em Indianópolis. Zè Dirceu entrou sorrateiro pelos fundos, FHC pela porta da frente.”
2-“João Paulo Cunha, réu do processo do mensalão foi o deputado federal mais votado do PT. Numa bancada que já teve Florestan Fernandes e Hélio Bicudo, o líder do PT na Câmara Cândido Vacarezza chegará à Câmara numa coligação beneficiada pelo 1,4 milhão de votos dados ao palhaço Tiririca.”
Sinais dos tempos???

Responder

    Marcelo de Matos

    07 de outubro de 2010 às 08h41

    Orsola. Passei agora lá no blog do Noblat e tinha um recado para você. Estão sentindo sua falta. Va via, va.

    Orsola Ronzoni

    07 de outubro de 2010 às 11h06

    Marcelo, você leu direito? Não foi o Noblat nem tampouco aquele blogueiro da Veja, mas sim ELIO GASPARI, que escreveu o que relatei acima. Elio Gaspari, como você sabe, é um dos mais ferrenhos defensores do atual governo e que, morrendo de amores por Lula, alcunhou-lhe carinhosamente de Nosso Guia.

Leandro

06 de outubro de 2010 às 21h38

sem querer ser do contra… nos lugares onde Serra ganhou, eleitor de Marina vota no Serra. Nos lugares onde Dilma ganhou, eleitor de Marina vota na Dilma. expectativa grande pra ver que lado Marina vai escolher! Eu diria que eh 45! Palpite!

Responder

NELSON NISENBAUM

06 de outubro de 2010 às 21h36

Caro professor Leonardo Boff, MUITO OBRIGADO pelas luzes do teu artigo, que vou distribuir à minha rede.

Responder

Sebastião Rodrigues

06 de outubro de 2010 às 21h35

Mandem este pessoal caçarem um pau pra subir. Não tem nada de ficar arrotando valentia que nós não temos medo de cara feia não. Eles estão é supervalorizando pra vender o apoio deles mais caro. Eles sempre foram assim. Facistas! Uma meia duzia de Tucano Demos ficam passeando nos Blog esparramando estas porcaria, tentando instilar mêdo nos incautos, mas,isto de nada irá adiantar!

Responder

Fabio_Passos

06 de outubro de 2010 às 21h07

"É simples assim : Dilma é melhor para o Brasil."
Roberto Requião
http://twitter.com/requiaopmdb

Responder

Ivander

06 de outubro de 2010 às 20h36

Azenha, envia este texto para a campanha de Dilma. Eles precisam trazer de volta a Marina para o governo.

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 22h41

    Não faça isso. Deixa a Marina seguir seu caminho, até se encontrar com Heloisa Helena.

oswaldo j. baldo.

06 de outubro de 2010 às 20h31

Quando Marina Silva saiu do PT, anteriormente já tratava essa entrada no PV e concorrer a presidencia, foi tudo pensado e planejado dentro do governo Lula.
É só analisar todo desenrolar dos acontecimentos, não era possivel tudo que aconteceu sem estar premeditado, estar planejado e calculado.
Deveria ter ficado sem o mandato e não ter recebido do PT tanto prestigio.

Responder

Walter Cesar

06 de outubro de 2010 às 20h18

Fascismo está na área gente. Está claro. Infernização crescendo do NADA.

Responder

    Sidora

    06 de outubro de 2010 às 22h42

    TFP de novo???? Mil vezes nãooooooooo!!!!

luiz

06 de outubro de 2010 às 19h59

A TFP apóia Serra e ensina a difamar Dilma: http://uolpolitica.blog.uol.com.br/arch2010-10-03

Responder

luiz bruschi

06 de outubro de 2010 às 19h51

Penso que estão valorizando demais o passe de Marina. Eu acho, que ela será, após a eleição, no maximo vereadora, como a traíra heloísa Helena.

Responder

    Sebastião Rodrigues

    06 de outubro de 2010 às 21h30

    Eu tenho a mesma opinião. Deixe ela morrer no abraço de afogado junto com o Serra. Eu sou de opinião que Dilma e Lula não tem que puxar o saco de ninguém. O Presidente Lula tem realizações espetaculares e não tem de ficar valorizando quem não merece! Vamos Pro pau!

Gerson Carneiro

06 de outubro de 2010 às 19h46

Não querendo te desanimar: sobrou para nós contribuintes pagar as dívidas do Romário.
Rapaz, quando eu decido doar dinheiro eu dou para minha mãe, uma senhora de 78 anos que eu tenho certeza que nunca vai me sacanear.

Responder

Carlos.

06 de outubro de 2010 às 19h18

Panfleto pró-TFP circula em reunião tucana – blog de Fernando Rodrigues
http://uolpolitica.blog.uol.com.br/arch2010-10-03

Responder

Hiro

06 de outubro de 2010 às 19h12

Marina não me engana mais. Representa a direita conscientemente, e a sua ambição pelo poder não se refreia nem qdo se coloca em risco o retorno brutal do psdb-demo no Brasil ao governo, com todo o desemprego em massa, fome, miséria, privataria-entreguista em escala industrial, falências generalizadas… Pode-se dizer que Marina representa também a extrema-direita, na medida que colabora para a ascensão em escala nunca antes vista, de neo-obscurantistas religiosos medievais em pleno século XXI.
Leonardo Boff é um dos grandes luminares e a sua obra me ajuda a pensar e me libertar em muitas questões difíceis, mas neste caso está enganado, infelizmente. Afinal, Marina é agente direta da direita pelo que pudemos ver neste primeiro turno. Com muita tristeza…

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 22h43

    E onde será que ela vai fazer sua freguezia…DF ou RJ?

Carlos.

06 de outubro de 2010 às 19h02

Convenção para decidir quem o PV vai apoiar? O dono, digo presidente do partido já declarou apoio a serra no sábado mesmo. O jogo é de cartas marcadas. Se a ex-candidata acha que vai apitar alguma coisa, pode ir tratando de amarrar o burro na sombra de outra seringueira. Melhor é ela e os que a convenceram a embarcar na aventura "PV" refletirem um pouco sobre o futuro do país e tomarem uma atitude corajosa. O apoio do PV não significa meleca nenhuma para ninguém porque os votos da ex-candidata tiveram origens diversas, a minoria deles ocorreu por causa do partido. Ou a ex-candidata segue o exemplo de Leonal Brizola na eleição de 1989, independente do que os donos do PV já decidiram fazer, ou entra definitivamente para a história como uma pessoa ambiciosa que traiu seu passado. E ela que não se iluda, tenha coragem de fazer o mais correto, pois se não fizer o que a mídia e a direita querem que faça, passará também a ser perseguida.

Responder

Almeida Bispo

06 de outubro de 2010 às 18h58

Que mané aliança com Marina que nada! Marina não foi republicana, foi egoísta, ao tentar se vingar do partido que a trouxe das selvas pra cidade. Não teve grandeza pra perceber o grande papel que poderia desempenhar, mesmo aparentemente subalterna.
O que temos que nos preocupar é com a horda neocon que está invadindo pra valer e estimulada pela mídia golpista que, fazendo de conta que nem tá aí, divulga onde tem carniça para que os abutres se refestelem. Aqui: http://uolpolitica.blog.uol.com.br/arch2010-10-03
Vão… ficar de tro-lo-ló de discussões bonitinhas, mas estéreis enquanto a matilha assola tudo!

Responder

O JUIZ

06 de outubro de 2010 às 18h54

Que me perdoe o Boff.
Mas Marina não recebeu 20% de votos. Marina não recebeu nada. Foi protesto puro!
Não há o que se valorizar nessa "conquista" tão propalada pelos verdes.
Não tivessem havidos tantos erros na Campanha de DILMA no primeiro turno, a eleição terido se definido ali mesmo.
O PV mostra sua conduta ao anunciar que irá definir seu apoio somente no dia 17, ou seja, depois de mais de 10 dias de campanha. Puro mercantilismo. O que será que vai acontecer nos bastidores até lá? Não seria mais honesto o PV declarar logo seu apoio ? Ou é medo de que esses 20% realmente não sejam votos pensados, mas de protesto?
Com a palavra os eleitores pertencentes a esses 20%.

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 22h43

    Não acho que fora protesto. Foram imbecis convictos!

El Cid

06 de outubro de 2010 às 18h19

Com ameaça de impugnação, PSDB desiste de rifar Indio da Costa – http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1

O comitê da campanha do tucano José Serra à Presidência consultou a assessoria jurídica sobre a possibilidade de troca do vice Indio da Costa (DEM-RJ) no segundo turno da eleição. Mas Ricardo Penteado, advogado da campanha, desaconselhou a operação, alertando para riscos de perda do registro da candidatura de Serra.

O comitê da campanha do tucano José Serra à Presidência consultou a assessoria jurídica sobre a possibilidade de troca do vice Indio da Costa (DEM-RJ) no segundo turno da eleição. Mas Ricardo Penteado, advogado da campanha, desaconselhou a operação, alertando para riscos de perda do registro da candidatura de Serra.

Segundo relato de um tucano, integrante da cúpula da campanha e íntimo colaborador de Serra, a assessoria jurídica argumentou que a substituição do vice pode ser questionada na Justiça. A avaliação de Penteado é de que, apesar de dúbia, a Constituição permite a interpretação de que o vice é também titular da chapa, não só o candidato em si.

A troca é permitida pela legislação em alguns casos — mas, passado o primeiro turno, o vice pode ser considerado como uma espécie de sócio da votação destinada à chapa. Serra negou que tenha cogitado a substituição porque era "juridicamente inviável" e telefonou para o próprio Indio para negar qualquer intenção de substituição. As especulações da campanha, no entanto, eram reais.

Alimentada por alguns integrantes da campanha, a ideia de substituição do vice nasceu da torcida pela ampliação do eleitorado de Serra no segundo turno. O nome de Fernando Gabeira (PV-RJ) chegou a ser cogitado. A proposta foi descartada porque a Lei Eleitoral não permite a indicação de um nome cujo partido não componha a coligação original do candidato.

Num segundo momento, ventilou-se a hipótese de o ex-governador Aécio Neves (PSDB) assumir a vice. Essa possibilidade foi igualmente desautorizada não só por orientação jurídica — mas por não se saber que impacto político provocaria sobretudo no Rio. Segundo especialistas, para ocupar a vice Aécio teria que renunciar ao Senado.

O tema é controverso, uma vez que consulta feita ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 1994 indicou que esse tipo de substituição poderia provocar um desequilíbrio no processo eleitoral. Para descartar o assunto, líderes do DEM lembraram que a troca só seria possível com a anuência do próprio Indio, que teria de renunciar. Irritados com os rumores, os “demos” chegaram a se queixar da discussão de uma agenda negativa num momento em que Serra deveria buscar a união entre aliados.

Da Redação, com informações da Folha.com

Responder

    O JUIZ

    06 de outubro de 2010 às 20h01

    Também li essa notícia. Será que a Globo vai tratar do assunto? Esse é o PSDB que viu a viola em cacos e quer mudar a regra no meio do Jogo. Gostaria que mudassem mesmo. Isso mostraria o Serra ainda mais. o PSDB está perdido, derrotado. A chegada do CIRO para o combate, fará o Serra tremer as pernas e mostrar as gengivas. Eu gostaria de poder contemplar ainda neste segundo turno, uma atitude cívica do Amaury Ribeiro, em defesa da democracia, abrindo de vez os "Porões da Privataria". Veríamos depois disso, se sobraria tucano sobre tucano. A não ser que esse livro seja só um boato promocional.

Regina

06 de outubro de 2010 às 18h14

Carlos,concordo com vc…Essa é a minha maior preocupaçaõ…Naõ acho que Marina resolva ter um posiçaõ,mas se for é melhor…Repetir os erros da Idade Média em pleno século XXI,só podia sair da cabeça de um rei,sem trono.

Responder

Darcy Brasil

06 de outubro de 2010 às 18h06

Eu ,que admiro profundamente Leonardo Boff,entendendo igualmente que esta eleição tem exatamentee o caráter apontado por ele,ou seja,de um confronto de dois projetos antípodas,um elitista,antidemocrático,antinacional e antipopular,representado pela candidatura neoudenista e neoliberal de Jose Serra,outro, includente ,portador de um a ideário nacionalista de novo tipo ,ampliado,bolivariano se quiseerem,voltado à edificação de uma América Lartina unida,em que a Unassul já é um instrumento vivo em busca de sua afirmação; governo preocupado com as aspirações e carências não apenas de nosso povo,portanto,mas de nossos povos,ativamente empenhado em superar as assimetrias tanto sociais como regionais, sejam estas as externas, que sempre opuseram ,por conta da lógica perversa do crescimento desigual capitalista, o hemisfério Norte ao hemisfério Sul,por um lado, o Brasil e a Argentina, ao Equador e á Bolívia,por outro lado,como as internas,historicamente a diferenciar o Nordeeste do Sudeste,como exemplo mais gritante e revoltante. .Destaque-se também o empenho do governo Lula em produzir novas relações com os países irmãos africanos,dando uma prova concreta do reconheecimento do povo brasileiro da dívida inestimável que possuímos com o povo negro africano,que,como já o disse em outro lugar, não apenas colaborou com o seu suor e sangue para edificar materialmente as estruturas produtivas do país em que vivemos,mas que foi um elemento estruturador decisivo da brasilidade que representamos,tão pouco reconhecida na história escrita pelas falsas mãos brancas de nossa elites,que buscam esconder de si mesmas suas próprias origens mestiças.Porém,discordo (o que é uma raridade,creia-me!) do caráter da votação recebida po Marina.Embora me inclua na também na "faceta do eleitorado que quer enriquecer o projeto da democracia social e popular",não votei em Marina,mas em Dilma,e a maioria dos que votaram em Marina não o fizeram com esse propósito.De qualquer maneira,Marina está em uma encruzilhada.Nesse momento não há "terceira via".Sabemos o quanto Marina abusou da falácia que consistiu em afirmar não existirem diferenças de fundo entre a era FHC e a era Lula.Com isto,colaborou para acentuar no eleitorado o efeito mistificador desta propaganda midiática torpe,incorporada pelo discurso de campanha de José Serra.Esperamos,então,com Leonardo Boff que ela se redima deste deslize oportunista eleitoral,reposiciondo-se ao lado das forças populares e afastando-se das tentações das elites que se esforçam por cooptá-la.Senão,não seremos nós que perderemos seus eleitores,pois que esses podemos convencer em uma campanha esclarecedora no segundo turno,agora reforçada com a participação do competente Ciro Gomes,será ela que perderá um passado de 30 anos vividos em meio aos lutadores do povo,que lhe custará ainda a perda da admiração que por si só vale toda uma vida,de homens valorosos como Leonardo Boff.

Responder

JEAN

06 de outubro de 2010 às 17h38

A questão, é ambiental para os filhos da classe média que posam de "humanistas". Para o povaço que nem sabe o que é CO2, está valendo mesmo é o burbúrio criado pelas igrejas. O "bispo" Macedo correu em afirmar-se dilmista, pra tentar apagar o incêndio em suas fileiras contribuintes. Ao mesmo tempo, o baixo clero católico reage contra a "abortista" "assassina" candidata do PT. O embate é do pior tipo que conhecemos, guerra religiosa alicerçada na ignorância e preconceito. Essa sim foi a "contribuição" de Marina para essa campanha. Espero com sinceridade que caia no esquecimento essa senhora.

Responder

José Eduard Dyonisio

06 de outubro de 2010 às 17h30

Hoje a Marina deu entrevista na Jovem Pan e afirmou que o PV vai fazer a convenção para decidir , pofrém , o lado que perder a votação vai poder vir a público e dizer quem apoiou. Por outro lado, não podemos ser donos da verdade, ter uma atitude arrogante (Marina teve 20 MILHÕES DE VOTOS), maniqueista (Deus ou o Diabo). Muitos analistas consideram que o projeto de Lula, embora não tenha paralelo em termos de avanço social, distribuição de renda, pecou pela despolitização do eleitorado. Se tivermos humildade de conversar com Marina e seu eleitorado (digamos 10 MILHÕES DE ELEITORES), a Dilma ganha, e mais ainda a DEMOCRACIA.

Responder

José Vitor

06 de outubro de 2010 às 17h25

Agora, Boff, que o leite derramou ?

Responder

pereira

06 de outubro de 2010 às 17h24

Vocês estão todos enganados, a marina foi mordida pelo poder do capitalismo selvagem, ela vai trair todos os seus que votaram por ideologia, quem quiser ver a Dilma eleita comece a pedir voto, e este é o reciocínio, não vamos nos enganar, e a marina não tem voto, A Dilma só necessita ser firme.

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 22h45

    E de pouco mais de 3 milhões de votos.

Pedro Ayres

06 de outubro de 2010 às 17h03

Creio que o sr. Boff está a fazer certa confusão enre o que o ele pensa e deseja e a cruel realidade. Uma realidade tão clara e denotativa que pode até produzir estados de choque nas pessoas bem-intencionadas e capazes de sonhar com a humanização e solidariedade do capitalismo neoliberal. O projeto "verde" que a acreana defende tem a mesma profundidade ecológica e social das atividades extrativistas, industriais e comerciais do Império, tanto que, em 19/22 de maio de 2010, enquanto na cidade de Cochabamba se reunía a Conferência Mundial dos Povos sobre Mudança Climática, ela estava nos Estados Unidos mostrando extrema identificação com as teses estadounidenses sobre o mundo e tudo o mais, segundo declarações prestadas em Washington, 23 de maio de 2010.
A nova líder da nova "revolução verde" se morasse nos Estados Unidos, não só faria parte do Tea Party, como disputaria a vanguarda do atraso com Sarah Palin. Tudo indica que seguirá a sua nova linha político-ideológica. O compromisso que ela tem não diz respeito aos destinos do povo brasileiro.

Responder

    Alfonso

    06 de outubro de 2010 às 23h21

    Sr. Pedro, infelizmente tenho a mesma sensação! ainda estou perplexo com os estragos feitos pela boataria contra Dilma, sento uma certa decepção para com o eleitorado, achava que estivéssemos mais maduros, ainda achava que as lideranças religiosas tanto católicas ou protestantes ( pelo menos a maior parte) fossem mais criteriosas e atentas aos reais valores do cristianismo.
    Naõ vejo que Marina esteja preparada para fazer juz a votação que teve, ela não tem capacidade e visão, a prova disto vem desde sua passagem pelo MInisterio que ocupou, pior ainda, muitas posturas que ela assumiu deram a entender que já flertava desde antes com a simpatia dos poderosos grupos americanos, em Copenhagem, na reuniao sobre o clima, Marina e Serra, apoiaram a postura americana, que nos, o Brasil e os paises em desenvolvimento pagasemos tambem a conta dos estragos feitos pelos paises que poluiram irresponsavelmente ate hoje o planeta.
    E a perguntinha incomoda, para uma partido inexpressivo e uma candidata pobrezinha, quem esta pagando a pesada conta de mais de 13 milhões da campanha dela??
    Infelizmente, pelo menos neste momento, para evitar o pior, sera melhor compor.

Ronaldo

06 de outubro de 2010 às 16h32

O Blog do Esmael, costumeiramente censurado pelo novo governador do Paraná, o censurador Reto Bicha, está fora do ar há dois dias.

Alguém pode dar notícia ou ajudar?

Responder

    Riri Farinha

    06 de outubro de 2010 às 16h53

    E o Conversa Afiada do PHA e o Tijolaço do Brizzola Neto? Desde domingo não consigo acessá-los. Abs.

Elias São Paulo SP

06 de outubro de 2010 às 16h28

OS QUE USAM A RELIGIÃO E OS QUE FAZEM DELA O BOM SACERDÓCIO
Sirvo-me da presença de Leonardo Boff, um expoente do cristianismo, para impugnar
o oportunismo de um apresentador de televisão.

Responder

Elias São Paulo SP

06 de outubro de 2010 às 16h24

Datena no seu programa bateu muito na tecla de “quem não tem Deus no coração
é que comete esses crimes…gente que não tem Deus mata a mulher…são monstros que não respeitam ninguém…”. Datena insistentemente repetiu esse chavão setembro inteiro no dia-a-dia do seu Killer Show. Chegou a fazer pesquisa por telefone Quem Acredita em Deus e Quem Não Acredita? Datena fala como se bandido fosse ateu. (segue abaixo)

Responder

Elias São Paulo SP

06 de outubro de 2010 às 16h23

Visite uma prisão e veja as tatuagens dos bandidos mais perigosos: Cristo é Fiel, Cruz (no peito, nas costas), Tudo Posso Naquele Que Me Fortalece, Estrela de Davi. Bandido acredita em Deus. Todo bandido tem religião, os maiores crápulas da história são papa hóstia, são evangélicos, são judeus, muçulmanos, budistas, religião não é referência de boa índole, de moral, de coisa alguma, religião é algo pessoal de cada um em relação à existência, ao mistério que habita a cabeça dos humanos preocupados com o quem vem depois da morte. Esses que propagam mentiras acusando adversários de ateus se acham de bem com Deus. Serra chegou a dizer “o Brasil do bem”. O que ele quer dizer é “o Brasil do Dem”. Esses caras sim vão conhecer o inferno, não pode ser que Deus perdoa também esses facínoras.

Responder

Morvan

06 de outubro de 2010 às 16h03

Vejam só esta pérola que saiu agora a pouco no Terra:
TV+catolica+Cancao+Nova+exibe+sermao+contra+voto+em+Dilma.html

O argumento das abstenções parece cair por terra (sem trocadilho), agora.
Na verdade, o voto reacionário "PIO XII", onde se escolhe "o mal menor (desemprego, para os reacionários, não é nada; Perigoso é o aborto!)"…
Este é o verdadeiro inimigo que levou a eleição para o segundo turno e pode entregar o Brasil nas mãos dos privatistas, o que parece – também – não significar nada para este povinho "do mal menor": o voto PIO XII.

Morvan, Usuário Linux #433640

Responder

    ZHE

    06 de outubro de 2010 às 18h20

    Concordo com você em tudo o que disse, mas não podemos esmorecer contra as trevas da Opus Dei

José Pepe

06 de outubro de 2010 às 16h01

No debate da Globo, o Serra, irritado,(negando o desprezo com que a oposiçao sempre tratou o Bolsa Família), disse que a Marina e a Dilma tinham muita coisa em comum. E agora? Acho que das pouquíssimas coisas certas ditas por esse candidato essa é verdadeira. Em outras palavras, tá na cara que o projeto de Marina-Dilma é muitíssimo mais próximo que um eventual Marina-Serra. Marina saber perdoar, se te sentiste ofendida pelo PT é um privilégio que só as pessoas honestas possuem, principalmente quando está em jogo o destino de uma massa de pobres e oprimidos ao longo da história.

Responder

Vinícius Camargo

06 de outubro de 2010 às 15h53

Ao longo desse processo eleitoral tenho visto os colegas “da esquerda” acusarem a Marina ora de traidora, ora de se vender a conveniências, ora de fazer o jogo político da direita, ou tudo isso ao mesmo tempo agora.

Foram obrigados a retirar a candidatura de Ciro, a aceitar a Dilma como candidata, e engoliram tudo. Quando uma força de história se colocou como opção na eleição, acusaram: traidora!

Agora, depois que a traidora, assim não foi considerada por larga parcela da população, passam a lhe exigir abstenção ou adesão por sua história.

Ora, quando conveniente, lembram da história política de Marina, mas, antes, ao lhe desferirem os impropérios de traidora e lacaia da direita “esqueciam” de quem foi e é Marina.

Traidores são aqueles que tratam a integridade dos outros como se fosse leviandade se posicionar politicamente e disputar os espaços.

O autoritarismo tem se feito mais do que presente. Parte da esquerda, que age somente na base da desqualificação e da ação contra outras forças emergentes bem se parece à direita em seu modus operandi.

A democracia não comporta um jogo eleitoral em que uma parte, ou partes, pré-determinam quem poderá se candidatar.

A política é um campo dos ungidos ou deve ser ação e direito de todo cidadão?

Como, uma senadorazinha, pobre, preta, mulher, nortista, dos rincões da Amazônia, não filiada ao PT, PSDB, DEM ou PMDB, e que deixou as benesses de ser governo, desdenhou do poder, pode querer e disputar com a gerente ungida por Lula e o gerente do Estado mais rico da nação?

Marina, de forma impertinente, aos olhos dos autoritários de direita e esquerda, ousou concorrer para ser presidente.

Responder

    Thiago

    06 de outubro de 2010 às 17h03

    Irretocável, Vinícius.

    William

    06 de outubro de 2010 às 17h34

    E eu repito: irretocável, Vinícius.

    Carlos

    06 de outubro de 2010 às 17h29

    Marina tem seus méritos, mas é sempre bom lembrar que deve o início da carreira política ao PT, legenda que lhe abrigou e permitiu fosse eleita vereadora em 1988, deputado estadual em 1990, senadora em 1994 e ministra entre 2003 e 2009.
    Sem o PT, portanto, não estaríamos falando agora da "senadorazinha, pobre, preta, mulher, nortista, dos rincões da Amazônia".

    A atitude da Marina agora dirá quem ela é, dispensará palavras.

    mariazinha

    06 de outubro de 2010 às 18h06

    Larga a mão de drama, meu caro. Nada disso é verdade. O PT acolheu a POBRE seringueira e ela, ingrata, abandonou a luta por conta de vaidades. jUNTOU-SE AO CAPITÃO DEVASTADOR E CRUEL, ao gringo sedentos de nossas riquezas, andando prar lá e para cá em seu jato de 50 milhões de dólares. Se o BRASIL dependesse de gente assim, estaria no buraco. A traíra refugou no momento mais crítico em que os brasileiros precisam consolidar suas conquistas e a vennenosa verde, só se for uma erva daninha, deu um tapa na cara dos petistas que a colocaram lá, como senadora. Ela nunca terá meu voto e o de muitos brasileiros que possuem vergonha na cara.
    ADEUS, MARINA, ATÉ NUNCA MAIS.

Marcio Hideo Mino

06 de outubro de 2010 às 15h51

Companheiros, concordo que o debate em torno do apoio ou não da Marina seja oportuno, entretanto, não nos deixemos enganar e perder nosso precioso tempo com isso, pois tem uma eleição a ser ganha, e a Marina já demonstrou em todo o decorrer do primeiro turno que está a serviço da Direita para tirar votos da Dilma e conseguiu. Muitos eleitores da Dilma foram enganados pela boataria geral, utilizem todos os espaços de tempo e oportunidade para pedir voto e desmentir a boataria e acima de tudo, desmascarar os entreguistas do Brasil, citem as CPIs impedidas por Serra, o superfaturamento e desastre do metro de São Paulo, o baixo salário dos professores em São Paulo, o custo do pedágio mais caro do mundo, a "privataria" do PSDB, a corrupção da dupla DEMOTUCANO, o ministro do aborto, o demagogo (salário mínimo 600, 13° bolsa família, ), principal figura do governo FHC e seu substituto, derrotado por LULA que veio a ser o melhor presidente do Brasil.
Força brasil, dilma 13

Responder

Ronaldo

06 de outubro de 2010 às 15h48

Serra defendendo o plebiscito para o aborto.

20/04/2010

Revista Época
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EM…

ÉPOCA – O ministro Temporão fez algumas declarações provocativas a respeito do aborto, considerando-o um problema de saúde pública e dizendo que o Brasil deveria tratar essa questão de outra forma. Qual é sua opinião sobre isso?
Serra – Pessoalmente ninguém pode ser a favor do aborto. Se eu vier a ser presidente da República, não vou propor mudança na lei atual, mas vou permitir que essa discussão se tenha amplamente no Brasil, no âmbito do Congresso, eventualmente até por meio de consulta à população.

Responder

william porto

06 de outubro de 2010 às 15h44

Com todo respeito ao eminente pensador católico, mas ele devia fazer primeiro uma autocrítica porque foi dos mais excitados e frenéticos a louvae a candadatura de Marina, devia ter orovuidenciado até um babador para conter o excesso de baba louvando a divisão das forças progreesisr]tas, inicistiva que só sderviu à reação. Como Marina está deslumbrada com a corda que a reação está lhe dando, se Dilma demorar não vai fazer campanha de segunfo turno . Melhor fez Gilo que já declarou vorto na Dukma ssem necessidade desses salamaleques socuiológicos propostos por Boff. É melhor começar a campabha, os bofes virão por gravidade.

Responder

Marcio Hideo Mino

06 de outubro de 2010 às 15h35

Dei uma olhada geral nos principais sites do Brasil e nas páginas sociais e notei que muita coisa mudou de ontem para hoje, está havendo contraponto dos boatos contra a Dilma e uma ofensiva para desmascarar o Serra DEMOTUCANO. Mais, ainda, são contrapontos com conteúdo, eis a diferença. Alegro-me em ver que a militância resolveu agir, eis o grande temor dos serristas, a militância. Força e em frente sempre, Dilma 13

Responder

    Mariana

    06 de outubro de 2010 às 17h05

    Márcio, eu fui uma que começou a fazer isso, não sou filiada ao PT, mas acho que é meu dever como cidadã lutar pelo que eu acredito. Você também, assim como todos daqui, podem fazer isso, vamos fazer a nossa parte. Ontem comecei a entrar na folha, depois que eu cheguei do trabalho, e desmenti tudo o que eu podia usando argumentos embasados em fatos, fui dormir umas 3h da manhã e vim trabalhar às 9h. Se cada uma de nós dedicar um pouco do seu tempo, seja na hora do almoço, antes de ir trabalhar ou depois, vai funcionar!!! Vamos em frente!

    ZHE

    06 de outubro de 2010 às 18h27

    É isso ai Mariana, sou de Uberaba e estou no mesmo rítmo seu, visito os blogs faço postagens, envio emails, e refuto todos os que recebo, com o desmentido e a fonte, hoje colei 2 adesivos da Dilma no meu carro, fui a uma loja e dialoguei com a vendedora de forma amorosa e tranquila, só assim conquistaremos as pessoas, não podemos desqualificar, pois os votos de Serra podem encolher.

Abel Duarte Fº

06 de outubro de 2010 às 15h31

Azenha, afirmo categoricamente que esta é DE LONGE, a campanha mais sórdida que o país já teve. A tecnologia da informação tem sido muito bem utilizada pelo fascismo udenista para promover o linchamento eleitoral sobre Dilma.
Infelizmente essa eleição não será decidida pelos projetos políticos dos candidatos, mas por temas oportunistas como legalização do aborto, casamento gay e falsas biografias. Percebo que uma das conquistas da nova classe média – o computador com acesso a internet, virou um instrumento de (des)informação que foi fundamental para levar a eleição para o segundo turno e quem sabe para uma disputa apertadíssima nessa reta final.
Estão em curso montagens grosseiras, inclusive com vozes imitando as originais para dar veracidade a manipulação, como foi vítima o Gabriel Chalita no final da campanha.
Estamos em guerra!!!

Responder

Otaciel de Oliveira

06 de outubro de 2010 às 15h22

VÃO ESPERAR PELA DECISÃO DA MARINA PARA DEPOIS COMEÇAR A CAMPANHA?

Minha gente, vamos começar a campanha imediatamente. Se lá para o dia 15 a Marina resolver apoiar e pedir votos para Dilma, ótimo. Mas os partidos da coligação que apoiam Dilma devem partir já para conquistar os votos dos (a) Marinistas. A quem a Marina vai apoiar, este será o mote do PIG, que mais uma vez fugirá do tema mais importante colocado pelo articulista:

"Há dois projetos em ação: um é o neoliberal ainda vigente no mundo e no Brasil apesar da derrota de suas principais teses na crise econômico-financeira de 2008. Esse nome visa dissimular aos olhos de todos, o caráter altamente depredador do processo de acumulação, concentrador de renda que tem como contrapartida o aumento vertiginoso das injustiças, da exclusão e da fome. Para facilitar a dominação do capital mundializado, procura-se enfraquecer o Estado, flexibilizar as legislações e privatizar os setores rentáveis dos bens públicos.

O outro projeto é o da democracia social e popular do PT. Sua base social é o povo organizado e todos aqueles que pela vida afora se empenharam por um outro Brasil. Este projeto se constrói de baixo para cima e de dentro para fora. Que forjar uma nação autônoma, capaz de democratizar a cidadania, mobilizar a sociedade e o Estado para erradicar, a curto prazo, a fome e a pobreza, garantir um desenvolvimento social includente que diminua as desigualdades. Esse projeto quer um Brasil aberto ao diálogo com todos, visa a integração continental e pratica uma política externa autônoma, fundada no ganha-ganha e não na truculência do mais forte".

Vamos às ruas, às fabricas e às escolas. Nada de ficar esperando pela decisão da Marina. Mãos à obra, pois temos muito pouco tempo até o segundo turno.

Desde segunda feira que eu já comecei o corpo a corpo. E tenho notado, com uma certa satisfação, que muitos dos amigos/colegas/conhecidos que votaram na Marina já assumiram, por contra própria, a opção pela Dilma. E eu os perguntei: "e se a Marina apoiar o Serra?" Resposta: "o problema é da Marina".

Vamos trabalhar?

Responder

    Mariana

    06 de outubro de 2010 às 17h07

    Otaciel, vamos começar a defender o que acreditamos nos sites da grande mídia, rebatendo os comentários feitos nas matérias das grandes mídias como a folha de são paulo!

mara

06 de outubro de 2010 às 15h11

Caro Boff, te respeito muito como cidadõa e escritor,.mas ñ concrdo c/ vc. a respeito da marina,ela esta deslumbrada…. e vc. conhece bem melhor do eu pessoas qd. sua vaidade e maior q. o carater. PQ. erla ñ fez ?qd. o governo deu oprtunidade? é muito facil ficar de blá……, eu sempre olhei estes verdes meio de lado.Mas procuro ate arrisquei minha vida ñ me arrependo , farei tds vezes ……..em defesa pequeno rio,reciclo td. q. posso na mimha casa,sou ate chata.ando de bicleta, caminho, acredito q. pouco de cad um. Msa vejo uma luz (pequena) materia obrigataria nos colegios desde berçario. muitos pais deixaram de fumar em funçõa dos filhos.

Responder

adilson (E agora?)

06 de outubro de 2010 às 15h06

Marina não dará apoio a Serra, isso é fato.

A senadora não rasgaria sua biografia por algo incerto e não arriscaria sair manchada de um processo onde saiu vitoriosa. Ou ela apoirá Dilma ou ficará neutra, o que é mais provável.

A mídia, sabendo disso, começa a sabotar de todas as maneiras possíveis qualquer suspiro de inciativa do PT em conversar com Marina, o que fatalmente decidiria a eleição. Com uma opinião publica formada nesse sentido (o que para eles é moleza), Marina subiria no muro com muito mais conforto. Ou seja, mais uma vez a tendência é vermos a mídia norteando a sua campanha. Simples assim? simples assim.

Responder

    naique

    06 de outubro de 2010 às 16h27

    Caro Adilson

    Marina já rasgou sua biografia. Mas se mantiver a postura do último debate, onde deu leves fustigadas no Serra talvez recupere um pouco a dignidade e preste um serviço a pátria. Mas os demais caciques verdes, pode anotar, vão com adireita com o maior gosto. Espero quye aprte do eleitorado que votou em Marina compreenda a natureza da luta política em curso e refute Serra e PSDB-Demo, mas…

    Se Nagao

    06 de outubro de 2010 às 20h46

    Caro Naique,
    Os caciques verdes já estão na direita faz tempo, estão em governos do demotucanato. Só a Marina não viu ou não quis ver, convenientemente.

Coutinho

06 de outubro de 2010 às 15h04

O inimigo comum do povo brasileiro é o grupo representado por Serra. Esse grupo é inimigo de qualquer facção da esquerda. Não adianta rancor, orgulho ou sentimentos semelhantes quando está em jogo o futuro do país; o futuro de uma obra em estado adiantado, que pode ser minada pelos demo-tucanos. Concordo com Leonardo Boff

Responder

Gina Lund

06 de outubro de 2010 às 15h04

Se vocês olharem os blogs dos pastores Mautício Britto e Charlles Oliveira, verão a causa da perda de votos da Dilma. Lá (nos blogs), eles enumeraram as "práticas" da Dilma e, entre outras horríveis, a de número 19 diz que a Dilma faz rituais satânicos com seres humanos, além de apoiar o aborto (usam como ilustração um feto dentro de vidro). Postei comentários várias vezes, mas nenhum foi publicado. Mas que eles leram o meu repúdio, isto sim, leram
Os pastores são da Igreja Assembléia de Deus de Madureira, a mesma da Silas Malafaia (o palhaço do evangélho). A Assembléia de Deus é dividida em duas, no país: uma é de Madureira e outra de Belém. Uma não gosta da outra.

Responder

    visitante

    13 de outubro de 2010 às 22h20

    Eu entrei no blog de determinada revista,e vi como o pessoal têm um espaço de maledicência para falar do lula,e da DILMA.É RIDÍCULO DEMAIS.

Anita

06 de outubro de 2010 às 15h03

É exatamente isso, o discurso dos aliados e muitos eleitores de Serra é totalmente NEOFASCISTA!
As semelhanças não são mera coincidência!
O neofascismo brasileiro é escamoteado e certamente muitos de seus seguidores nem mesmo se dão conta disso, assim como a população italiana e alemã não percebia o que estava fazendo ao apoiar Mussolini e Hitler durante os regimes que se instauraram na Itália e na Alemanha.
O ponto principal desses regimes assentava-se no ideal de uma raça superior (nazismo), e de uma “classe superior” (fascismo), que nega sistematicamente todos os seus defeitos e prega que os problemas na verdade são os “inferiores”.
É um discurso preconceituoso, pautado na idéia de que as pessoas humildes, os negros, as mulheres, dentre outros, são burros, e que deveriam ficar em seus lugares, se ocupando de algumas profissões típicas dessa classe sem se meter na política, por exemplo, pois não tem capacidade para tal.
Essa tem sido a pauta mais freqüente no discurso fascista brasileiro que tenta desmoralizar o atual presidente, principalmente pelo fato de ele ter vindo do seio desta classe, considerada inferior por natureza.
Enquanto isso, a elite, intelectualmente “superior” e apoiada pelos empresários, deve mandar, porque só eles sabem o que é bom para os pobres.
Outro grande pilar dos regimes de extrema-direita é a discriminação a grupos específicos, sejam eles homossexuais, negros, índios, ou judeus (no caso ateus, ou não cristãos).
Essas características do discurso dos eleitores de Serra foram a pouco desveladas pela homofobia, o fanatismo religioso e o embrutecimento do sistema punitivo com redução da maioridade penal, fim da progressão de pena, etc.
Isso só pode significar um fortalecimento à perseguição daqueles que incomodam as “classes superiores” através da criminalização dos movimentos sociais, dos pobres, homossexuais e demais "minorias".

Responder

ebrantino

06 de outubro de 2010 às 15h01

Marina pode ser iluminada por Deus (em quem acredita) e fazer o que o Brizola fez, e apoiar o Brasil (Dilma), ou ficar no muro ou apoiar Serra e desaparecer no limbo da história, esquecida em cerca de 90 dias. E o pior, sem chance de lutar por suas ideias. A escolha é simples – apoia Dilma e terá chance de lutar pela causa ambiental, e até ser candidata novamente, ou não fazê-lo e sumir no ostracismo. É Dilma ou a Direita.

Responder

luiz paulo

06 de outubro de 2010 às 15h00

Concordo com o Boff (quem sou eu para discordar…), mas temos que entender que na política alguém que agora pensa que tem esse "capital" que a Marina conseguiu, tem o direito de ter seu projeto desvinculado ao poder central, até porque tem que pensar no futuro. Não dá para ser purista e achar que pelo passado dela é óbvio que ela apoiará a Dilma, não funciona assim. Ela só tem a perder politicamente manifestando apoio formal a um candidato no segundo turno. Dilma ganhando o que vai acontecer com a Marina? Volta para o governo? E o PV, seu partido, que é aliado ao PSDB? Como fica? Penso que politicamente o que ela pode fazer é ficar na neutralidade e começar a conversa com Aécio na criação de um novo partido. Seria uma dupla de peso para o futuro e acabaria de vez com o PSDB e com o seu laranja PV… mas isso são somente elocubrações de uma mente perigosa…

Responder

    Raimundo

    06 de outubro de 2010 às 15h53

    É muito provável que isso aconteça, Marinha juntar-se com Aécio Neves, porque ela ja mudou de lado outras vezes: já foi católica e da Teologia da Libertação, agora é evangélica, filiada e militante do PT e agora é do PV. Mudou até o decurso de ecologista para eco-capitalista. Por que não se juntar ao representante maior da burguesia mineira.

Dejair Brasil

06 de outubro de 2010 às 14h59

Calma gente! O que levou a eleição para o segundo turno foi a abstenção. Em alguns estados choveu muito, como no Rio De Janeiro. No domingo, dia 31, é no meio de um feriadão e os burgues paulistas vão para a praia, novamente a abstenção vai ser a responsavel para resolver a eleição, só que desta vez em favor de Dilma. Pois os paulistas já ganharam seu prêmio de consolação, a vitória para o governo do estado. E não estão nem aí para o Serra.

Responder

    ValmontRS

    06 de outubro de 2010 às 17h05

    Por falar em abstenção, dia 31 será um feriadão (segunda será dia do funcionário público e terça, finados) e milhões de brasileiros estarão viajando. :((

Vieira

06 de outubro de 2010 às 14h55

Marina, ainda está vislumbrada com o aviãozinho que ela andava pra cima e pra baixo de $ 50 milhões de dólares.

Responder

Haroldo Cantanhede

06 de outubro de 2010 às 14h49

Ninguém subestime o poder da mágoa; Marina é a nova Heloísa Helena.

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 15h25

    E o que representa HH na politica hoje?

Jana

06 de outubro de 2010 às 14h48

Penso que o apoio de Marina pode ser interessante, mas de qualquer forma será apenas simbólico.

Ela não tem poder para direcionar os votos que foram dados pra ela no primeiro turno:

– os que ela "roubou" da Dilma e do Serra, vão voltar para eles

– os seu apoiadores de primeira hora, também voltarão para as suas origens

– os eleitores de última hora, que foram na onda do que o padre ou o pastor falou, vão depender da decisão destes

Responder

Paulo Cavalcanti

06 de outubro de 2010 às 14h48

Nassif,

Com todo respeito que tenho por Boff e sua história, não adianta fazer essa pregação, pois o que esta posto aqui, é uma figura chamada Marina, que está "agregada" a um partido que não tem credibilidade, uma vez que é correia de transmissão, ou caixa de resonância tucana (governo estado) – DEM (prefeitura sp).

Na véspera da eleição (sábado) – o Sr. Penna, declarou à imprensa, que num provável 2º turno – o PV, estaria com José Serra, fica claro alí, o compromisso deste partido com "sua" candidata verde – ou seja, nenhum.

Resumo da ópera: Marina não é dona dos votos que teve, não tem ingerência na máquina do PV, pois o partido tem dono, e quem manda na sigla – é seu dono. Marina irá de posicionar "NEUTRA" – liberando as "bases" – para votar em quem queira.

Responder

    Maria

    06 de outubro de 2010 às 15h15

    Paulo,

    Concordo com você. A cho que seria melhor a Dilma se empenhar mais com aquele que não votou do que com a Marina. Ela serviu aos interesses da globo em levar o Zé para o segundo turno.

Luís Carlos

06 de outubro de 2010 às 14h47

Acho impossível a aliança entre Dilma e Marina para o segundo turno porque apesar de Marina ter militado durante anos no PT sua visão de mundo está fora da concretude necessária para dar prosseguimento à construção de Brasil. Marina fez sua escolha, que considero totalmente válida devo frisar, sendo impossível voltar atrás. O PT não pode e não deve dialogar com Marina mas com os vinte milhões de eleitores que votaram no PV no primeiro turno. A coordenação de campanha deve buscar através da distribuição geográfica dos votos em Marina compreender fazendo cruzamentos com níveis de renda, faixa etária e outras variáveis os anseios desta faixa da população. O dialogo do PT deve ser com o eleitor e não com o candidato porque neste caso dona Marina perdeu a eleição.

Responder

Vasconcelos

06 de outubro de 2010 às 14h41

Marina pode ser um Avatar, mas burra ela não é e não vai jogar seu prestigio nua campanha pro-serra porque vai contra seus principios politicos de esquerda mesmo que o PV alie-se ao psdb Marina não irá porque ela é maior que o PV.

Responder

Maria Dirce

06 de outubro de 2010 às 14h39

http://tvuol.uol.com.br/permalink/?view/id=consul

Record cresce 117% em seis anos; Globo e SBT despencam

Responder

Mário Alberton

06 de outubro de 2010 às 14h32

Marina não vai com Dilma. Ela foi preterida por Lula, que escolheu Dilma para encabeçar a tese do plebiscito. Marina, durante o primeiro turno, só fez combater os fundamentos dessa tese, com seu discurso de 'propostas', da não polarização, do 'novo jeito de fazer política' (arg!), etc. Por ter tirado voto de Dilma e levado a campanha pro segundo turno, acredita-se vitoriosa. – Ah, se Lula a tivese escolhido, em vez de Dilma… É o que ela suspira. Marina não vai se indispor com o PV em defesa daquele que a preteriu, muito menos para que outra pessoa (outra mulher) ocupe o lugar que era pra ser seu. Marina experimenta uma sensação que jamais experimentaria, nem se tivesse sido a escolhida de Lula e viessa a ocupar a cadeira presidencial. Nessas alturas, ela é incapaz de perceber qualquer coisa senão o estímulo quase que lúbrigo que a grande imprensa faz em seu incontido ego. Quero estar totalmente enganado, mas a flor da amazônia finalmente desabrochou: colorida e efêmera, como toda flor.

Responder

    Marcelo de Matos

    06 de outubro de 2010 às 14h42

    É isso aí Mário. A moçoila está vivendo em toda sua intensidade seu momento de glória. Nesse estado de encantamento ela não irá mirar para a esquerda, nem para a direita. Preferirá ficar até o fim como o centro das atenções.

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 15h43

    E terminará como Heloisa Helena, crente e traíra como Marina. Só que Heloisa Helena em 2006 foi bem votada em AL. Marina, no AC teve um desastre eleitoral. Será que ela agora muda seu domicilio para Brasilia ou Rio de Janeiro?

    Emilio Matos

    06 de outubro de 2010 às 14h53

    Tudo bem você estar desapontando, mas acho que também não é para tanto…

Jorge Paulo

06 de outubro de 2010 às 14h31

Na condição de ex-seminarista da Igreja Católica devo salientar que Leonardo Boff continua sendo a voz pastoral que está faltando em grande parte do clero e do episcopado brasileiros. Quando cursei teologia com os jesuítas aprendi que há várias formas de se cometer pecado, uma delas é a omissão. Está em pecado todo bispo e todo padre que -sabendo o que todos nós sabemos: José Serra representa a manutenção da condição de miserabilidade do povo- comentar positivamente, apoiar ou difundir a monstruosa boataria de que Dilma Roussef defende o aborto e de que o seu governo vai implantá-lo como política pública. Bispos e padres cursaram filosofia e teologia -como eu também- e sabemos que somos "eclesíolas" na sociedade. Mentir ou induzir pessoas a darem crédito a mentiras é PECADO.

Responder

Marcelo de Matos

06 de outubro de 2010 às 14h28

Não dá para tergiversar. O segundo turno é uma corrida de 100 metros – vence quem saí na frente. Marina não apoiará ninguém. Seria constrangedor para ela apoiar Serra, já que foi ministra de Lula. Também não apoiará Dilma, já que os dirigentes de seu partido devem apoiar Serra. O que Dilma pode fazer é buscar o apoio de notáveis do PV. Gabeira já fechou com Serra; Gilberto Gil está com Dilma. Está na hora de tentar cooptar o leãozinho Caetano, se ele não estiver muito rebelde. No mais, é tentar se comunicar diretamente com a base do PV.

Responder

    luiz reis

    06 de outubro de 2010 às 14h54

    Caetano? Deus me livre! Ele que fique, como sempre, como Serra!!!

    Marcia

    06 de outubro de 2010 às 15h37

    Acho que o leãozinho Caetano é outro ressentido, por não ter sido nomeado Ministro da Cultura assim como foi o Gil.

    Gerson Carneiro

    06 de outubro de 2010 às 19h56

    Eu sei qual foi o motivo do calundú do mano Caê. Gil, enquanto Ministro da Cultura, chegou lá e colocou ordem na farra da distribuição de verbas do Ministério da Cultura, e nessa, alguém que o leãozinho mantém protegida embaixo de sua juda dançou, teve que se submeter aos critérios (dentre eles o de qualidade). Daí, Caê se zangou e foi, pela primeira vez em sua vida, passar o carnaval em Recife, mesmo sem saber cantar e dançar frevo.

    Se Nagao

    06 de outubro de 2010 às 20h53

    Concordo plenamente.
    Basta lembrar que uma reporter da Folha de São Paulo foi maltratada pelo Caetano quando lhe perguntou porque Caetano disse que cantor não precisava de verba do MinC, mas estava usufruindo das mesmas.

    Gerson Carneiro

    06 de outubro de 2010 às 22h37

    E se perguntar para o Caê, responderá:

    "Não me amarra dinheiro não!
    Beleza Pura!
    Ah! Ah! Ah! Ah!…"

    …mas se perguntar a mim, direi:

    "Não me amarra dinheiro não!
    Mas os mistérios…"

    Gerson Carneiro

    06 de outubro de 2010 às 22h56

    …mas o melhor é que todos, leitores de blogs sujos, o apontarão e dirão:

    "Dentro daquele turbante
    Do filho de Gandhi
    É o que há"

Josnei Di Carlo

06 de outubro de 2010 às 14h22

Como diria Garrincha, só falta combinar com os russos. Em outros termos, com a burocracia do PV. Até onde eu sei, o PV é partido de aluguel do PSDB.

Responder

Fabio

06 de outubro de 2010 às 14h17

Apoio politico se resolve em 3 dias se não quis apoiar ninguem é porque vai deixar para os eleitores escolherem.

Responder

Laura

06 de outubro de 2010 às 14h15

Marina vai deixar a questão em aberto ou cairá nos braços do PSDB. O PV é quase inteiro PSDB. E o Leal, da Natura?, a quais interesses serve a tal da sustentabilidade senão a um novo ciclo de acumulação capitalista? a questão da "sustentabilidade" aparece em todos os jornais e citações de empresas como o novo front da acumulação. Chega de ingenuidade. Não tenho ilusões.

Responder

thiago

06 de outubro de 2010 às 14h15

Ótimo texto do Sr. Leonardo Boff!
Para o Brasil seguir mudando é preciso que a democracia fale mais alto que os interesses elitistas.

Responder

    Jairo_Beraldo

    06 de outubro de 2010 às 15h43

    E Marina mudou de lado.

Dimas S Ferreira

06 de outubro de 2010 às 14h14

Se Marina apoiar Serra estará jogando toda sua história no lixo e tornando-se mais um referencial do projeto neoliberal sustentável.

Responder

Sergio T

06 de outubro de 2010 às 14h11

Concordo em gênero, número e grau com o Leonardo Boff. Isso é o que deveria acontecer se a Marina estivesse realmente preocupada com a população, com o povo brasileiro. Mas não acho que vai acontecer. O que aconteceu é que a Marina foi seduzida pelo lado negro da força. Acho que sua candidatura é na verdade um projeto da direita. Haja vista seu vice, os quadros do PV e os tremendos recursos de sua campanha. Na minha opinião a Marina não vai dar mínima e vai permanecer "neutra" para preservar para o futuro essa imagem (ou miragem) dela que foi criada.
Abraço.

Responder

    Se Nagao

    06 de outubro de 2010 às 20h58

    Concordo, chamou uma convenção para 17/10/2010! Empurrou com a barriga.
    Vai fazer um debate democrático dentro do PV? Quando terminar o debate dentro do PV o 2º Turno já acabou, convenientemente, até porque os eleitores não vão seguir a orientação do PV, vão votar em quem eles quiserem.

Marcia

06 de outubro de 2010 às 14h05

O ser humano é bastante complexo, estou aqui tentando entender Marina. Sei que ela não pode falar por um partido, que devem chegar num acordo (aguardemos), mas sinceramente fico pensando: por que tanto tempo pra tomar uma decisão, só no dia 17??? …estranho…ou Marina está ressentida com o PT ou o assédio (da imprensa, dos outros candidatos, dos eleitores) lhe subiu à cabeça. Só espero que Marina seja coerente com a sua história de vida, que hora se funde com o PT.

Responder

    valdeci elias

    06 de outubro de 2010 às 15h01

    Ela vai esperar até o dia 17, pra ter uma ideia de quem vai ganhar. Ela não vai conduzir seu eleitorado, ela vai ver pra onde ele esta indo, e ir junto.

    Se Nagao

    06 de outubro de 2010 às 21h00

    Caro Valdeci Elias, tens razão.
    Um sábio chinês disse: se quiser liderar, siga os seus liderados.

Mônica Rangel

06 de outubro de 2010 às 13h57

Chegou a hora da verdade para Marina. Se ela levar em conta toda a sua trajetória política, passará por cima de qualquer eventual ressentimento que possa ter havido entre ela e o PT e apoiará DILMA. Caso contrário, ou demonstrará neutralidade, ou apoiará Serra. Aliás, sinceramente não vejo outro motivo para Marina apoiar Serra, a não ser esse possível ressentimento em relação ao PT. Não vejo em Marina (o PV já é outra história) nenhuma afinidade que possa levá-la a esse apoio.

Responder

Pedro

06 de outubro de 2010 às 13h56

Penso que a Marina está pensando mais no seu futuro político, com olhos para 2014, e ficará em cima do muro. De qualquer forma, o PT tem que continuar a mostrar seus programas, as diferenças entre o seu modelo e o anterior (fhc). E não deixar mentiras caluniosas sem resposta.

Responder

    LuizCarlosDias

    06 de outubro de 2010 às 14h40

    Em 2014 quem vai enfrentarr a disputa com LULA, é bom estar bem vivo.
    E viva Dilma.

childerico IV

06 de outubro de 2010 às 13h55

http://arnobiorocha.wordpress.com/2010/10/06/bull

Maldita hipocrisia cristã de classe média alta.

Filhos da p***

Criam essa molecada para serem iguais a eles: Condenam o aborto em público, mas quando a filha de 15 anos ou a namoradinha engravidam, levam numa boa clínica para tirarem o feto lá de dentro, mas ninguém pode saber né… É a moral cristã de classe média alta. Defendem a pena de morte, apesar de alegarem que a vida é sagrada. E estão pouco se cagando para os pobres, apesar de dizerem que Jesus foi o maior exemplo de vida da história.

Responder

    Jose Delgado

    06 de outubro de 2010 às 15h26

    Simples assim!

    Yglesias

    06 de outubro de 2010 às 16h11

    Também concordo. Simples assim¹

Ernesto

06 de outubro de 2010 às 13h55

Questiono a capacidade de Marina transferir votos.
Dos 20 milhões, quantos votos são realmente seus ou da causa ambiental?
Quantos foram de origem religiosa?
Quantos foram iguais ao de Clarissa Garotinho (eleita deputada federal pelo RJ), que disse ter votado na Marina por ser "uma coisa legal, moderna"?
Quantos tiveram origem no incessante twitter com #marina43?
Quantos foram de protesto contra a corrupção e contra a classe política tradicional?

São muitos os seguimentos, e entendo que Marina foi somente um avatar.

Com Marina fora da disputa, a maioria desses eleitores vai decidir seu voto com base numa série de razões, onde a orientação da Marina terá um peso muito pequeno, ou mesmo nulo.

Responder

    ValmontRS

    06 de outubro de 2010 às 16h48

    Concordo com a sua conclusão.
    A tal "onda verde" me pareceu um fenômeno um tanto efêmero, porque foi muito amplificado pela boataria. Cerca de uns oito pontos percentuais veio do pavor religioso e pode ser revertido pela campanha no segundo turno (se esta for bem feita e atingir os engabelados). A base da votação em Marina não guarda coerência ideológica com o PSDB, embora o Serra já esteja jurando de pés juntos que é o próprio Menino do Dedo Verde.

@GriloD

06 de outubro de 2010 às 13h47

Tomara, mas não criemos expectativas. O PV esta alugado pelo PSDB, e Marina está brigada com Dilma. Se Marina mantiver sua integridade histórica, não trocando suas décadas de luta pela conveniência, podemos esperar ao menos a neutralidade.
Só não quero ver a Marina, de quem já fui fã, cair no colo dessas víboras. Seria uma perda enorme para o país.
Abraços,
Grilo D

Responder

    Maria 1

    06 de outubro de 2010 às 15h15

    Receio, GriloD, que o que vc teme há muito tenha sido consumado. Bajulação e generosidade na exposição midiática tem uma razão. E certamente não é ambiental.

Nilva

06 de outubro de 2010 às 13h42

Como ela irá apoiar Dilma depois de ajudar a disseminar os boatos contra ela?
Como ela poderá chegar na igreja e dizer que foi um equívoc, que não havia entendido direito a posição da Dilma?
Esqueça a Marina. O Leonardo Boff está sendo ingênuo. Ela já escolheu o lado e não é o PT.
Olha o discurso do Bassuma na Bahia. Disse que vai de Serra porque é contra o aborto. Foi isso que a Marinou espalhou nas igrejas, em conluio com o Serra. Se existe o "CÂO", ela é a criatura.
Os cientistas sociais e antropólogos ligados ao PT desconhem a "religiosidade" do povo brasileiro e como ele é manipulável pelas cúpulas das igrejas.
Acho que já perdemos esta eleição. No RS, mesmo com a vitória do Tarso Genro, vamos perder porque o PMDB local se unirá à Yeda para derrotar a Dilma. Em Minas, acho que não temos chances. Precisamos contar com o Rio, PE, ES e outros pequenos estados, e ficaremos no limite da contagem de votos. Minas e a região Sul vão decidir as eleições e a gente sabe em quem votarão, infelizmente já perdemos.

Responder

Elias São Paulo SP

06 de outubro de 2010 às 13h28

Manchetinhas de 1ª página no Estadão: Para Serra, rival finge estar otimista

Zé Baixaria: "Tenho experiência e sei quando um político está pessimista e está fingindo que está otimista".

Resposta: Tenho experiência, voto há décadas e sei quando um político é um canalha e está fingindo ser boa gente.

Responder

kecmaster

06 de outubro de 2010 às 13h17

Política é imprevisível em certos pontos. Pensando na Marina, vejo aliança com PT, mas vendo o PV vejo PSDB.
Pelo ditado: "diga-me com quem andas e direi quem tu és", Marina irá colar com o PSDB.
Fim da carreira política de Marina!

Responder

Ellen

06 de outubro de 2010 às 13h15

Acho que Marina está ressentida com o Lula e com o PT. Ela tem atitude bem diferente da Marta Suplicy, sim, pois ela (Marta) também poderia estar ressentida por não ter sido a escolhida para concorrer a 1ª mulher presidente do Brasil.
Recado para Marina: Deixa disso mulher, venha apoiar a candidatura para o Brasil continuar crescendo e aparecendo, lembre-se que até bem pouco tempo voce fazia parte deste governo.

Responder

yuri

06 de outubro de 2010 às 13h15

Foi esse pessoal da Marina quem começou com essa historia do aborto. Nisso não tem o dedo do Serra pq. ele tb é a favor do Aborto. Esses caras são a ultra direita radical. Não tem conversa com essa turma. É melhor esquecer esse pessoal e sair dessa pauta que não é politica, é religiosa. A Dilma não é candidata a Papa. Acho que quanto mais religiosa for a pauta da campnha, pior pra Dilma, que já foi tachada pelos Evangélicos como anti-cristo. Então isso não vai mudar em vinte dias. Além de se cair no maniqueísmo que não ajudará o Brasil. Botar o Frei Boff na linha de frente só alimenta o assunto. E outra, se a Dilma disser que é contra o Aborto trairá a todos nós que acreditamos em um governo progressista. Aí seria realmente um oportunismo niojento. Se isso acontecer Eu, e muitos eleitores históricos do projeto progrssista, votarão nulo!!! Será uma traição aos princípios ideológicos pior que apoiar o Sarney(isso pode até se justificar com o argumento da "governabilidade"). Mas se curvar a pauta reacionária NÃO!!!

Responder

    ValmontRS

    06 de outubro de 2010 às 16h34

    Mais um que deseja resolver tabus centenários da sociedade ocidental em três semanas de contenda eleitoral.

    Vamos ser um pouco mais espertos e compreender que essa pegadinha já foi usada contra Obama. O tema não compõe programa de governo. Isto é pauta para o Legislativo, não para o Executivo, portanto, não faz qualquer sentido ficar estacado na pauta serrista. O Necromancer só tem a ganhar mantendo tal polêmica em pauta. E pode esperar que o PIG cuidará de estampar manchetes sangrentas sobre o assunto. Ontem, 5, o Jornal da Band já puxou o mote de leve. Preparem o estômago.

Baixada Carioca

06 de outubro de 2010 às 13h14

Estou aceitando até essa aliança desde que Dilma mande o tucano para os braços da elite paulista. Será que vão aturá-lo por lá?

Responder

    Mônica Rangel

    06 de outubro de 2010 às 13h45

    Ai Rildo!! Faz isso não!! Mais um aqui?? Por mim, mandava a elite paulista junto com o Serra, o chuchu, o Aloísio Nunes…pera aí que a lista é grande…o Paulo Maluf,o Campos Machado…lá para Miami que eles tanto gostam! Tá vendo como sou boazinha? Vc pensou que eu fosse mandá-los para um lugar ruim,né?! Não,não…só quero que eles fiquem BEM…BEM LONGE DE MIM!!! E que deixem de enganar o povo trabalhador do estado de São Paulo. Aliás, "governador Alkmim", nós aqui da baixada estamos esperando a ponte que vai ligar Santos à Guarujá. E aí,"vai sair"ou foi só mais uma "inauguração de maquete" da campanha? Ah, e sem pedágio governador, sem pedágio…

Nelson Menezes

06 de outubro de 2010 às 13h08

Se a ex Ministra Marina agir com coerência palavras o qual ela citou várias vezes no debate e tambem manter e glorificar a sua biografia que por sinal é muito bonita, a tendencia e tambem um ato de inteligencia é que ela de apoio oficial a candidatura da tambem ex Ministra Dilma,caso contrario onus da incoerência e o caminho do néoliberalismo ela pagara um preço politico muito alto,parece que já vimos este filme

Responder

Visitante

06 de outubro de 2010 às 12h53

Que a Marina o ouça!

Responder

Fabio_Passos

06 de outubro de 2010 às 12h50

Uma grande aliança contra o atraso.

Esta direita mofada não pode voltar ao poder para destruir o Brasil!
Retrocesso jamais!

Responder

DUDU

06 de outubro de 2010 às 12h48

É o mínimo que se espera da Marina Silva.
Apoio à Dilma.
Apoiar serra, seria negar tudo que falou, tudo pelo qual lutou, tudo em que diz acreditar!
São propostas completamente diferentes de Marina e serra.
Ela, veio da terra, com cheiro de mato, com a pureza das águas limpidas.
Serra sempre foi politiqueiro implantador das mais sórdidas baixarias no âmbito político.

Responder

Julio Silveira

06 de outubro de 2010 às 12h46

Tenho certeza que a Marina irá apoiar o Serra, e nem adianta querer o contrario. Ela é ressentida por não ter sido a escolhida do Lula.
Mulher ressentida é fogo.
Quanto as suas argumentações religiosas se provarão falsas por que o principal divisor de aguas da filosofia cristã ela não seguirá, e trairá a todos os que com ela compartilhava o poder, podem escrever.

Responder

Carlos.

06 de outubro de 2010 às 12h38

Se fosse só o neoliberalismo, estaria de bom tamanho, porque o que estamos assistindo é o fascismo ganhando força.

Responder

    thiago

    06 de outubro de 2010 às 13h26

    Cara eu também to vendo que, em caso de vitória do Serra, o buraco irá ser bem mais embaixo do que eu imagiava.

    ValmontRS

    06 de outubro de 2010 às 16h19

    Jamais imaginei Jabobo, o Truão, encarnando o Comando de Caça aos Comunistas em suas peças diárias na Rede Gloebbels. Às vezes chega a ser cômico esse arremedo intelectualóide, mas o discurso escancaradamente fascista nos remete à gravidade da situação: um monopólio de comunicação conspirando contra a democracia!

    NELSON NISENBAUM

    06 de outubro de 2010 às 21h37

    Certamente, Carlos, e confesso que tenho medo.


Deixe uma resposta para Maria Dirce

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding