VIOMUNDO

Diário da Resistência


Haddad e a emissora que recebeu R$ 900 mi do governo federal em 12 anos
Política

Haddad e a emissora que recebeu R$ 900 mi do governo federal em 12 anos


17/12/2013 - 21h08

ENTREVISTA

Com IPTU, Haddad descobre lado obscuro dos ‘donos da cidade’

Prefeito relata declaração de guerra feita por dono de um grupo de comunicação por causa da cobrança progressiva do imposto

por Redação RBA publicado 17/12/2013 12:55, última modificação 17/12/2013 15:14

sugerido pelo Silvio Dutra, via Facebook

‘Recebi um telefonema de um dono de muitos meios de comunicação dizendo que não daria trégua à prefeitura’

São Paulo – Fernando Haddad não precisou chegar ao fim de seu primeiro ano de mandato à frente da maior cidade do país para concluir que nem só de boas intenções e competência técnica se faz uma gestão. Queira ou não, o prefeito petista de São Paulo tem de conviver com estratégias jogadas em cenas obscuras protagonizadas por aqueles que se consideram donos de São Paulo.

“Recebi um telefonema de um dono de muitos meios de comunicação dizendo que não daria trégua à prefeitura e que colocaria todos seus veículos contra o IPTU progressivo. Isso não me foi contado. Isso foi dito”, relata, durante uma conversa com jornalistas, realizada ontem (16) à noite na sede da administração municipal. O prefeito não revelou o nome do barão midiático que declarou guerra abertamente. Segundo o site Conversa Afiada, o empresário seria Johnny Saad, dono do Grupo Bandeirantes e “proprietário de muitos imóveis urbanos em São Paulo”.

Questionado se já não sabia que seria assim, dado o histórico de governos do PT no Palácio do Planalto e na própria prefeitura, Haddad parece indicar que conhecia o problema, mas desconhecia seu tamanho, e admite a necessidade de repensar sua política de comunicação para evitar distorções.

O caso do IPTU resume bem o problema. Após quatro anos sem reajuste, o prefeito conseguiu aprovar na Câmara Municipal um projeto de lei para aplicar um aumento maior nos bairros mais valorizados, e baixar o valor do tributo em regiões que gozam de menor infraestrutura urbana. Mas a medida se tornou impopular devido à dificuldade da gestão de explicar justamente isso à população e à resistência de parte da mídia tradicional, que, em parceria com a Fiesp e o PSDB, conseguiu que o Tribunal de Justiça concedesse liminar congelando a aplicação dos novos níveis de cobrança.

A gestão promete apresentar recurso à decisão. “Quando discute IPTU progressivo, cobrando mais de quem pode mais, cobrando menos de quem pode menos, você está discutindo a fonte de financiamento de um Estado de bem-estar social que ainda está muito no começo no Brasil. Tem muito para avançar”, defende o prefeito, que parece manter uma característica que ajudou a levá-lo ao cargo: a clareza de ideias, a intenção de enxergar os macroproblemas a partir das microsituações, a transferência das ideias do acadêmico ao mundo da execução política e a consciência de que, na macropolítica, a filosofia de gestão é um espaço demarcado de disputa de projetos.

“Está em discussão no Brasil o modelo de Estado que nós queremos. Queremos o Estado mínimo, acreditando que o mercado vai resolver os problemas da população mais pobre, ou queremos um Estado com protagonismo, que tenha condições de dar resposta às questões sociais?”

Questionado se não gosta de fazer política, como se tem ouvido em bastidores até no meio petista, ele afirma que apenas vê sentido em que as pessoas se dediquem a algo voltado ao interesse comum, visão que tem de ser resgatada no país. Na conversa, Haddad volta a cravar que não tem problemas em sacrificar sua reeleição e reitera que entende a política como uma prática voltada à construção de soluções para o cidadão. Considera que o fundamental é pensar projetos de longo prazo e garantir a máxima execução possível nos quatro anos a que tem direito, sem que se deva preocupar se as futuras administrações darão sequência a isso ou não.

Ao traçar um balanço da gestão, Haddad parece satisfeito com aquilo que prometeu pouco mais de um ano atrás: Bilhete Único Mensal e eficiência no transporte público, Arco do Futuro, revisão do Plano Diretor Estratégico, melhoria dos serviços de saúde. Se terá tempo para fazer tudo, não sabe, mas entende que uma região da cidade estará transformada rapidamente. “A zona leste vai mudar. Vou dar alguns exemplos. Ficando pronto o Rodoanel Leste, os caminhões saem da Jacu-Pêssego. A Jacu-Pêssego, juntando com o polo de Itaquera, é a zona incentivada da prefeitura. O que queremos é geração de emprego. Você vai ver uma grande transformação física. Conglomerados econômicos, dois ou três, vão investir ali para geração de emprego. Talvez tenhamos uns 100 mil empregos.”

A principal fonte de preocupação do petista continua a ser a mesma, e nada indica que será outra quando encerrar o mandato: a baixa capacidade de investimento da prefeitura de São Paulo. R$ 18 bilhões de pagamento de precatórios, R$ 55 bilhões de dívida, R$ 2 bilhões a menos graças ao congelamento da tarifa de transporte público e R$ 1 bilhão da decisão judicial do IPTU somam um montante muito superior ao orçamento anual de R$ 40 bilhões. A esperança reside agora no sinal verde do Ministério da Fazenda para que o Senado vote a renegociação da dívida de estados e municípios com a União, o que, espera, virá até fevereiro.

Na conversa, o prefeito afirmou ainda que a mudança de modelo de gestão das subprefeituras entra agora numa segunda etapa. Neste primeiro ano de mandato, Haddad apostou na desmilitarização das estruturas, legado de Gilberto Kassab (PSD). Agora, com a eleição dos integrantes dos conselhos participativos municipais, o petista imagina ser possível aproximar representantes populares eleitos da administração da cidade.

Confira aqui trechos da entrevista conduzida por Eduardo Maretti, da RBA, Renato Rovai, da revista Fórum, Maria Inês Nassif, da Carta Maior, Paulo Henrique Amorim, do Conversa Afiada, e Eduardo Guimarães, doBlog da Cidadania.

PS do Viomundo: Vamos pedir à Prefeitura — e também ao governo estadual paulista — a lista completa dos gastos com publicidade oficial em 2012. Os que pagam a conta certamente merecem saber.

Leia também:

Helena Chagas diz que governo desconcentra as verbas publicitárias

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



58 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

20 de dezembro de 2013 às 22h36

.
.
Bem, Conceição, expus abaixo algumas ‘curiosidades’

sobre o Grupo Abril e a Construtora Cyrela BraZil Realty.

Mas como a lista de ‘coincidências’ está ficando longa,

e para concluir, momentaneamente, o presente ‘estudo’,

vou postar aqui em cima um complemento ‘Superinteressante’.

‘Veja’ os membros do Conselho de Administração da ABRIL EDUCAÇÃO,

que também são administradores de uma das controladas da Cyrela,

a CYRELA TOLTECA EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA:


(http://ri.abrileducacao.com.br/pt-br/InformacoesFinanceiras/Documents/FR%20V21_22102013.pdf)
(http://www.brazilrealty.com.br/port/download/Cyrela_ITR_1T13.pdf)
(http://ri.brazilrealty.com.br/port/securitizadora/Formulario_Referencia_2012.pdf)
(http://www.econoinfo.com.br/comunicados/CYRELA-REALT/Organograma-do-Grupo-Economico/1599304375041?p=1)
(http://www.econoinfo.com.br/comunicados/ABRIL-EDUCA/Outras-Informacoes-Relevantes/1127520253438?p=1)
(http://www.econoinfo.com.br/comunicados/CYRELA-REALT/Descricao-do-Grupo-economico/1599289505461?p=6)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    21 de dezembro de 2013 às 03h46

    .
    .
    Ah, já ia esquecendo:

    O acordo da CYRELA BRAZIL REALTY EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES

    com a ATIVIC S.A., controladora do Grupo Abril, como visto antes,

    foi realizado nas condições descritas conforme Parecer que segue:

    ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO
    PROCURADORIA-GERAL FEDERAL
    PROCURADORIA FEDERAL – CADE

    PARECER PROCADE Nº 060 12011
    ATO DE CONCENTRAÇÃO N° 08012.00004312011-29

    Requerentes: ATIVIC S.A. e
    CYRELA BRAZIL REALTY EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES

    RELATOR: Conselheiro Ricardo Machado Ruiz

    Senhor Procurador-Geral,

    I – DA OPERAÇÃO SUBMETIDA À APRECIAÇÃO DO CADE

    1. Cuidam os autos de requerimento protocolizado na Secretaria de Direito Econômico _ SDE/MJ, em 5/1/2011 (fls. 03), pelas requerentes nos termos do art. 54,§ 3° da Lei n° 8.884/94, pleiteando a aprovação da operação pelo rito sumário.

    2. A operação se traduz no Acordo Operacional celebrado entre as requerentes, em 15 de dezembro de 2010.
    O acordo consiste em associação entre a Ativic e Cyrela para o desenvolvimento de empreendimentos imobiliários no Brasil.

    3. Pelo acordo, caberá à Cyrela a execução e gestão dos empreendimentos imobiliários;
    e à Ativic, o oferecimento de terrenos para o desenvolvimento de empreendimentos imobiliários.
    Para cada empreendimento imobiliário as partes constituirão uma Sociedade de Propósito Específico – SPE, cujo capital social será detido 60% pela Cyrela e 40% pela Ativic.

    Para cada SPE será firmado um acordo de cotistas, que disporá sobre as condições específicas dos empreendimentos imobiliários.

    (…)

    Brasília, 14 de fevereiro de 2011

    Maria Rosa G. Loula
    Procuradora Federal

    (http://migre.me/h6kdb)
    .
    .
    Pois bem.

    A Cyrela Brazil Reality

    detém 60% da CYRELA TOLTECA.

    E os outros 40% são de quem?

    Veremos em breve…
    .
    .

    FrancoAtirador

    23 de dezembro de 2013 às 18h33

    .
    .
    RELATÓRIO DO CADE

    ATO DE CONCENTRAÇÃO nº 08012000043/2011-29

    (http://www.cade.gov.br/temp/t2312201318096277.pdf)

    FrancoAtirador

    23 de dezembro de 2013 às 18h59

    .
    .
    Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP)

    SP JUCESP

    18/01/2011
    CYRELA TOLTECA EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA
    CNPJ 10.394.192/0001-11
    NIRE – 35222694041
    N. DA ALTERACAO: 10418/11-8

    (http://migre.me/h8oll)
    .
    .

Regina Braga

20 de dezembro de 2013 às 17h49

Gosto, como a turma do Língua presa, alimenta a cobra com ratos…O bicho ficou tão grande que está engolindo os seus tratadores.Tome PT!!!! Ou repensem nos erros cometidos!

Responder

Urbano

20 de dezembro de 2013 às 15h48

O motor que agrega em seu nome Saab ajuda a impulsionar o Brasil para frente, já a geringonça de nome bem parecido, nos impulsiona para trás…

Responder

mineiro

20 de dezembro de 2013 às 10h50

nao adiante governo progressita que quer governar de verdade para o povo , tem que declarar guerra ao judiciario dos quintos dos infernos elitizado e o pig golpista porta voz da burguesia. nao adianta todo governante que quer mexer no bolso desses calhordas malditos da burguesia vai acontecer isso. eles vao descer o nivel e vao recorrer ao seu santo de presepio,o judiciaro maldito. vai ser sempre assim, se o haddad quiser governar vai ter que fazer isso, nao adianta eles vao brigar ate o fim para travar tudo e o povo tem que estar do lado do prefeito haddad. porque se nao vai acontecer igual aconteceu com a fhc de saias a elite tomou conta.

Responder

FrancoAtirador

18 de dezembro de 2013 às 16h34

.
.
MÍDIA EMPRESARIAL E ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA: TUDO A VER

Se o bem intencionado, mas desinformado, Prefeito Fernando Haddad

foi surpreendido com a posição de enfrentamento adotada pelos Saad,

proprietários da Rede Bandeirantes, que, ‘desde os tempos do Ademar’,

são proprietários de inúmeros imóveis urbanos em São Paulo e alhures,

imagina como ficará surpreso ao saber que a ATIVIC [anagrama de CIVITA],

controladora do GRUPO ABRIL, se ASSOCIOU com a CYRELA BRAZIL REALITY,

“empresa com atuação no setor de incorporação imobiliária residencial”,

para realizar, em conjunto, “EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS” em todo o País,

principalmente no Estado de São Paulo e, sobretudo, na Capital paulista.

Bem, ilustre Prefeito Haddad, talvez agora o senhor possa compreender

que o que menos interessa à Mídia Empresarial é a Informação da Verdade.

CYRELA BRAZIL REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES
CNPJ/MF N.º 73.178.600/0001-18
COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO

COMUNICADO AO MERCADO

Nos termos da Instrução nº 358, de 3 de janeiro de 2002, da Comissão de Valores Mobiliários – CVM, a Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações (“Cyrela”), empresa com atuação no setor de incorporação imobiliária residencial, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que celebrou com a Ativic S.A., controladora do Grupo Abril (“Ativic”), acordo operacional com vistas ao estabelecimento de bases, premissas e critérios para a realização de empreendimentos imobiliários em conjunto pelas partes no território nacional (“Acordo Operacional”).
Enquanto o Acordo Operacional se mantiver em vigor, a Ativic deverá conduzir sua atuação no mercado imobiliário brasileiro através da parceria com a Cyrela ou suas afiliadas.

São Paulo, 5 de janeiro de 2011

CYRELA BRAZIL REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES

LUIS LARGMAN
DIRETOR FINANCEIRO E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES

(http://www.brazilrealty.com.br/port/download/Comunicado_ao_Mercado_CBR_Ativic__2011_01_05.pdf)
(http://www.cade.gov.br/ASPintranet/andamento_frame.asp?pro_codigo=11668&tippro_codigo=4)

(http://www.proprietariosdobrasil.org.br/index.php/en/ranking?f=mostra_rede&id_empresa=45&incorporado=1&aba=grafico)
(http://siteempresas.bovespa.com.br/DWL/FormDetalheDownload.asp?site=C&prot=402457)

(http://www.proprietariosdobrasil.org.br/index.php/en/ranking?f=mostra_rede&id_empresa=2022&incorporado=1&aba=grafico)
(http://www.econoinfo.com.br/contentSearch?Sub_Busca_Conteudo=+&q=ATIVIC&opt=t)
(http://econoinfo.com.br/comunicados/ABRIL-EDUCA/Descricao-do-Grupo-economico/971874445860?p=1)

Responder

    Conceição Lemes

    18 de dezembro de 2013 às 16h51

    FrancoAtirador, este levantamento é seu? abs

    FrancoAtirador

    18 de dezembro de 2013 às 17h09

    .
    .
    Sim, caríssima jornalista Conceição Lemes.
    E há muito mais…

    Por exemplo:

    Quem opera as ações da CYRELA na BOVESPA:

    Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações

    Informações e documentos da distribuição pública primária de ações

    O Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. (Coordenador Líder),
    o Banco Bradesco BBI S.A.,
    o Goldman Sachs do Brasil Banco Múltiplo S.A.,
    o Banco Itaú BBA S.A.
    e o Banco Santander (Brasil) S.A. (Coordenadores)
    coordenarão a distribuição pública primária de ações ordinária,
    de emissão da Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Parcipações (Companhia).

    (http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/mercados/acoes/ofertas-publicas/cyrela-brazil-realty-sa-empreendimentos-e-participacoes-25112009.aspx?idioma=pt-br)
    .
    .

    FrancoAtirador

    18 de dezembro de 2013 às 20h01

    .
    .
    Quanto aos Bancos ‘Coordenadores’ de Ofertas de Ações das empresas na Bolsa de Valores de São Paulo, nada a estranhar, já que os que operaram para a Cyrela são praticamente os mesmos que operam para a Abril Educação S.A., à exceção do Goldman Sachs que foi substituído pelo J.P. Morgan S.A., fato perfeitamente normal para grandes empreendedores do ramo empresarial imobiliário e da educação:

    Abril Educação S.A. (“Companhia”), BR Educacional Fundo de Investimento em Participações (“BR Educacional FIP”), FIP Brasil de Governança Corporativa (“FBGC”) e os acionistas pessoas físicas indicados neste Prospecto (em conjunto, “Acionistas Vendedores”) estão realizando, respectivamente, uma (i) oferta pública de distribuição primária (“Oferta Primária”) de 18.556.702 certificados de depósito de ações, nominativos, escriturais e sem valor nominal, representando, cada um, uma ação ordinária e duas ações preferenciais, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal de emissão da Companhia (“Units”);
    e (ii) oferta pública de distribuição secundária (“Oferta Secundária”)
    (a) das Units do Lote Suplementar (conforme definido abaixo) de titularidade dos Acionistas Vendedores caso a Opção de Lote Suplementar (conforme definido abaixo) venha a ser exercida pelo J.P. Morgan; e
    (b) das Units Adicionais (conforme definido abaixo) de titularidade dos Acionistas Vendedores caso venham a ser acrescidas à Oferta.

    As Units serão ofertadas no Brasil, sob a coordenação
    do Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A.
    (“Coordenador Líder”),
    do Banco J.P. Morgan S.A. (“J.P. Morgan”),
    do Banco Itaú BBA S.A. (“Itaú BBA”) e
    do Banco Bradesco BBI S.A. (“Bradesco BBI”
    e, em conjunto com o Coordenador Líder,
    o J.P. Morgan e o Itaú BBA, “Coordenadores”),
    em mercado de balcão não organizado, nos termos da Instrução da
    Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) nº 400, de 29 de dezembro de 2003, conforme alterada (“Instrução CVM 400”) e demais disposições legais aplicáveis, com esforços de colocação no exterior, pelo Credit Suisse Securities (USA) LLC, pelo J.P. Morgan Securities LLC, pelo Itau BBA USA Securities Inc., pelo Bradesco Securities Inc. e por determinadas instituições financeiras a serem contratadas, nos Estados Unidos da América, exclusivamente para investidores institucionais qualificados (qualified institutional buyers), conforme definidos na Rule 144A, editada pela Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos da América (“SEC”), em operações isentas de registro em conformidade com o disposto no U.S. Securities Act of 1933, conforme alterado (“Securities Act”), e nos regulamentos editados ao amparo do Securities Act, e, nos demais países, exceto o Brasil e os Estados Unidos da América, para investidores institucionais e outros investidores, em conformidade com os procedimentos previstos no Regulation S, editado pela SEC ao amparo do Securities Act, respeitada a legislação vigente no país de domicílio de cada investidor, em qualquer caso, por meio dos mecanismos de investimento regulamentados pelo Conselho Monetário Nacional, pelo Banco Central do Brasil e pela CVM (“Investidores Estrangeiros”) (“Oferta”).

    (http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/mercados/download/Abril-Educacao-Prospecto-Preliminar.pdf)
    (http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/mercados/download/Cyrela-Aviso-Mercado-25112009.pdf)

    FrancoAtirador

    18 de dezembro de 2013 às 22h23

    .
    .

    Quanto aos Fundos de Investimento

    que participaram da transação,

    tem-se o seguinte:

    “FIP Brasil de Governança Corporativa”
    (‘FBGC’)

    “BR Educacional Fundo de Investimento em Participações”
    (‘BR Educacional FIP’)

    Gráficos extraídos do sítio OS PROPRIETÁRIOS DO BRASIL:

    (http://www.proprietariosdobrasil.org.br/index.php/pt-br/ranking?f=mostra_rede&id_empresa=3114&aba=grafico)
    (http://www.proprietariosdobrasil.org.br/index.php/pt-br/ranking?f=mostra_rede&id_empresa=3114&aba=grafico)
    .
    .

    FrancoAtirador

    19 de dezembro de 2013 às 01h37

    .
    .
    Para não cometer eventual injustiça

    com o Bank of America Merrill Lynch,

    uma transação mais atual na BOVESPA:

    Abril Educação S.A. (“Companhia”), BR Educacional Fundo de Investimento em Participações, FIP Brasil de Governança Corporativa e os acionistas pessoas físicas indicados neste Prospecto, na qualidade de acionistas vendedores (“Acionistas Vendedores”), estão realizando (i) oferta pública de distribuição primária (“Oferta Primária”) de, inicialmente, 2.745.995 certificados de depósito de ações, nominativos, escriturais e sem valor nominal, representando cada um, uma ação ordinária e duas ações preferenciais, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames, de emissão da Companhia (“Units”); e (ii) oferta pública de distribuição secundária (“Oferta Secundária” e, em conjunto com a Oferta Primária, “Oferta”) de, inicialmente, 8.567.504 Units.

    A Oferta será realizada no Brasil, sob a coordenação do Banco Itaú BBA S.A. (“Itaú BBA” ou “Coordenador Líder”), o Banco BTG Pactual s.a. (“BTG Pactual”), o Bank of America Merrill Lynch Banco Múltiplo S.A. (“BofA Merrill Lynch”), o Banco de Investimentos Credit Suisse (BRASIL) S.A (“Credit Suisse”) e o Banco Bradesco BBI S.A. (“Bradesco BBI” e, em conjunto com o Itaú BBA, BTG Pactual, o BofA Merrill Lynch e o Credit Suisse, os “Coordenadores da Oferta”), em mercado de balcão não organizado, em conformidade com a Instrução CVM 400, com a participação de determinadas instituições consorciadas autorizadas a operar no mercado de capitais brasileiro, credenciadas junto à BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores Mobiliários e Futuros (“BM&FBOVESPA”), estas últimas convidadas a participar da Oferta exclusivamente para efetuar esforços de colocação das Units junto aos Investidores Não-Institucionais (conforme definidos abaixo) (“Instituições Consorciadas” e, em conjunto com os Coordenadores da Oferta, “Instituições Participantes da Oferta”).

    Serão realizados, simultaneamente, esforços de colocação das Units no exterior pelo Itaú BBA USA Securities, Inc., pelo BTG Pactual US Capital LLC, pelo Merrill Lynch, Pierce, Fenner & Smith Incorporated, pelo Credit Suisse Securities (USA) LLC, pelo Bradesco Securities, Inc., e por outras instituições financeiras (em conjunto, “Agentes de Colocação Internacional”), exclusivamente junto a (1) investidores institucionais qualificados (qualified institutional buyers), residentes e domiciliados nos Estados Unidos da América, conforme definidos na Rule 144A, editada pela U.S. Securities and Exchange Commission (“SEC”), em operações isentas de registro nos Estados Unidos da América em conformidade com o U.S. Securities Act of 1933, conforme alterado (“Securities Act”), e (2) investidores nos demais países, exceto o Brasil e os Estados Unidos da América, que sejam considerados não residentes ou domiciliados nos Estados Unidos da América (non-U.S. persons), em conformidade com o Regulation S, editado pela SEC no âmbito do Securities Act, e de acordo com a legislação aplicável no país de domicílio de cada investidor, e, em ambos os casos, desde que invistam no Brasil de acordo com os mecanismos de investimento da Lei n° 4.131, de 3 de setembro de 1962, conforme alterada (“Lei 4.131”), ou da Resolução do Conselho Monetário Nacional (“CMN”) n° 2.689, de 26 de janeiro de 2000, conforme alterada (“Resolução CMN 2.689”) e da Instrução da CVM n° 325, de 27 de janeiro de 2000, conforme alterada (“Instrução CVM 325”) (“Investidores Estrangeiros”).

    (http://ri.abrileducacao.com.br/english/FinancialInfo/Documents/Propecto%20Preliminar_11042013%20-%20C%C3%B3pia.pdf)

    FrancoAtirador

    20 de dezembro de 2013 às 01h05

    .
    .
    Agora olha esta aqui, Conceição,

    e vê se não é de desanimar:

    16/9/2013
    Exame.Abril

    Abril Educação vende 30 milhões de livros para PNLD 2014

    Livros serão comprados com dinheiro
    do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

    São Paulo – A Abril Educação anunciou a venda de 30 milhões de livros para a edição de 2014 do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático). A compra será financiada com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

    A encomenda feita às editoras Ática e Scipione prevê a entrega de 12,4 milhões de livros para turmas de Ensino Fundamental II e outros 17,6 milhões para alunos de Ensino Fundamental I e Ensino Médio.
    O preço a ser pago pelas obras será definido até o fim de setembro.

    Para a corretora BTG Pactual, o pedido para o PNLD 2014 ficou abaixo das expectativas.

    “Nós vemos o anúncio como negativo”, afirmaram os analistas JC Santos e Pedro Montenegro em relatório da corretora. O documento destaca que o número de livros encomendados representa uma queda de 33% em relação aos pedidos feitos em 2011.

    De acordo com o relatório, considerando-se que sejam pagos R$6,30 por livro, o negócio renderia cerca de 190 milhões de reais – valor 24% menor do que os 250 milhões estimados pela corretora anteriormente.

    (http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/abril-educacao-vende-30-milhoes-de-livros-para-pndl-2014)
    .
    .
    Inda acham pouco e querem mais…
    .
    .

Aracy

18 de dezembro de 2013 às 16h18

Como pode ser desperdiçado tanto dinheiro público com numa emissora de péssima programação como a Band? Chega de jogar dinheiro fora.

Responder

FrancoAtirador

18 de dezembro de 2013 às 14h18

.
.
Sobre o ‘PS do Viomundo’:

As aquisições de assinaturas das Revistas VEJA/ABRIL e ÉPOCA/GLOBO,

além dos Jornais FOLHA DE S.PAULO e O ESTADO DE SÃO PAULO,

bem como a compra de livros ‘didáticos’ do GRUPO ABRIL EDUCAÇÃO,

pela SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO, nos Governos do PSDB,

contam como ‘gastos com publicidade’ ou como ‘investimentos’ diretos?

Produtos Oferecidos para Escolas e Estudantes do Ensino Público & Privado

Histórico

(http://ri.abrileducacao.com.br/pt-br/companhia/Paginas/historico.aspx)
.
.

Responder

    SILOÉ-RJ

    18 de dezembro de 2013 às 15h32

    A abril depende agora exclusivamente da continuidade do governo do PSDB em SP e em outros estados para implantar o seu “projeto” dedicado as escolas públicas e privadas. Daí a perseguicäo.

    FrancoAtirador

    18 de dezembro de 2013 às 23h35

    .
    .
    É verdade, SILOÉ.

    Porém o projeto empresarial da Mídia Bandida

    transcende aos governos estaduais e municipais.

    Dá só uma olhada nas figurinhas lá em cima.

    Um caloroso abraço camarada e libertário.
    .
    .

Jose C. Filho

18 de dezembro de 2013 às 13h01

O jornal da band news é repetido 24 horas por dia, o CQC, que mostrava em flasches o triângulo maçônico com o ôlho de hórus, é tremendo lixo, humor negro sobre políticos tímidos, no pânico, o conteúdo principal é bunda bombada de mulheres bonitas;…ainda temos no jornalismo o admirador dos garis, Bóris Casoy, o Datena, entre outros. Conclusão: Se a Band deixar de existir, não fará falta nenhuma. Triste, quase um bilhão de reais de verbas públicas desperdiçadas.

Responder

Leo V

18 de dezembro de 2013 às 12h46

Me pergunto por que uma ligação dessas que o prefeito recebeu não é gravada?

O sujeito fala na cara dura que vai usar suas concessões públicas para seus interesses econômicos ou políticos e trata-se isso como se fosse normal.
E não se toma nenhuma atitude para tirar essas concessões, nem como forma de pressão.

As tais concessões públicas s[o são no nome pelo jeito.

Responder

    lulipe

    18 de dezembro de 2013 às 13h17

    Será que essa ligação existiu, caro Leo???

    Doris Gibson

    18 de dezembro de 2013 às 13h36

    Toda e qualquer ligação fica gravada pela operadora por um período determinado por lei. Trata-se apenas de solicitar cópia da gravação dentro do prazo de validade.

    Palmeira

    18 de dezembro de 2013 às 14h05

    Ong Ocips PPP, tudo coisa criada no desgoverno FHC.

    Vamos fortalecer o Estado, criar transparência, acabar com os cargos de DESconfiança e colcoar Conselhos públicos mudados a cada 6 meses. Nem um dia a mais para não viciar.

Fernando Martinez

18 de dezembro de 2013 às 12h11

Sim, deve ser a BAND. E o governo não deu de presente 900 paus para a Band como supõe o título da matéria. Foi para pagar a veiculação de propaganda do governo federal nos dias e horários contratados. Agora, vamos por mais luz na questão. A Globo tem uma sede na Berrini em SP mas é pequena perto das instalações no RJ. SBT fica no pico do jaraguá, e o que poucos sabem, no município de Osasco. A Record tem instalações na rua da várzea, Barra funda mas a central de produções fica no RJ. Rede TV em Barueri, e a Band tem a grande central de produção em São Paulo e no bairro nobre do Morumbi. 35% na cabeça. Se a BAND reajustar o minuto exibido em 35% o governo federal vai aceitar de bom grado? Acho que não, ainda que o $$ seja do contribuinte.

Responder

    Val

    18 de dezembro de 2013 às 15h20

    Estou impressionada com o jornalismo da Band, tem um repórter na Band News que parece que está sendo pago para arrebentar com o PT. É lamentável que o jornalismo chegue ao ponto que chegou, não é mais jornalismo é politiquismo…

Felipe

18 de dezembro de 2013 às 10h49

O que o Saad fez é um absurdo!

Se a prefeitura tem dívidas não foi o povo quem fez!

Acho que temos que fazer um processo de reajuste do valor venal dos imóveis da cidade honesto! E não basear o aumento do imposto pela sede de lucro das incorporadoras…

Responder

Julio Silveira

18 de dezembro de 2013 às 10h18

O problema do Haddad e do PT atual é que incorporaram o modus operandi da politica tradicional brasileira sem qualquer esforço para muda-la como procuravam fazer nos primórdios do partido.
Não buscam mais a cumplicidade da cidadania através de instrumentos participativos, onde pelo menos ficavam explicitas as motivações. Hoje as coisas vem de cima para baixo, como qualquer partido convencional conservador. A intenção do Haddad pode ser maravilhosa mas ele esquece que muitos dos próprios beneficiados podem se voltar contra ele, já que neste país culturalmente fomos sendo alvo do rolo compressor do impostos forjado por uma cultura da derrama, e até que se esclareçam as coisas tudo pode não passar de mais um discurso fraudulento como tantos que estamos acostumados.
O partido ao passar a ser governo parece ter perdido o gosto pelo popular se transformado num partido de suas elites. Agem como se humildade fosse um item desnecessário, como se todas as respostas estivessem apenas nas mentes de seus lideres e que o bando de seguidores militantes zumbis transformarão em verdade. A cidade, o estado e o pais são muito mais que apenas seu grupo de militantes. E apesar de muita gente ser até simpática as intenções, até a algumas pessoas deste partido, ainda assim podem se ressabiam quando o discurso aplicado é o de acréscimo. Por que a gente sabe que neste país de cultura da derrama e dos políticos vaselina a conta sempre acaba mais pesada no bolso dos mais frágil socialmente.

Responder

    Seu Zé

    18 de dezembro de 2013 às 12h48

    Tem certeza que você entendeu o que disse o Haddad? Parece que não.

Palmeira

18 de dezembro de 2013 às 10h07

Enquanto não mudarmos totalmente o preenchimento de “cargos” incluso os do Congresso e não instituirmos realmente transparência total, não mudaremos o Brasil.Acabar com os cargos de desconfiança e desconfiáveis pelo povo.

Como fazer isso?

Responder

João Ferreira Bastos

18 de dezembro de 2013 às 09h44

E o PT continua inoperante em relação a Midia.

Apanha, apanha, apanha e….. apanha em silencio.

Responder

Fabio

18 de dezembro de 2013 às 08h23

E a Dilma e o PT com a maldita teoria do controle remoto.

Responder

Tiao

18 de dezembro de 2013 às 07h43

Jose Paulo de Andrade nunca prestou,desde o tempo em que trabalhava com
futebol. É jurássico e reaça.

Responder

Silas

18 de dezembro de 2013 às 06h34

Azenha gostaria de saber por que o Viomundo não estava nessa coletiva. Não foi convidado? Ou não quiseram ir, vi aqui criticas de que o Prefeito não conversa com a mídia alternativa.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    18 de dezembro de 2013 às 09h29

    Não pudemos ir. A Conceição Lemes se recupera de uma fratura. Eu cumpro horário na repartição televisiva. abs

Eurico

18 de dezembro de 2013 às 03h21

O Prefeito gravou esta conversa? Se gravou esta será a principal peça propagandística para mostrar ao povo brasileiro porque precisamos de uma lei de coloque limites aos donos da imprensa: limites proprietários e limites éticos!

Responder

Liz Almeida

18 de dezembro de 2013 às 02h57

Esse cara é o PT renovado…

Responder

francisco pereira neto

18 de dezembro de 2013 às 02h46

Esse é um safado que teve a petulância de afirmar essa insanidade a um prefeito eleito pela maioria da população paulistana.
Isso é mais do que suficiente para o Ministério das Comunicações cassar a concessão da Rede Bandeirantes desse safado.
Coisa que eu nunca duvidei e apostei na sua candidatura mesmo antes de Lula indicá-lo como candidato. Assinalei: Haddad será o novo prefeito da cidade. E não deu outra.
Esse eu posso dizer que é um político com “P” maiúsculo.

Responder

fausto

18 de dezembro de 2013 às 01h52

IPTU congelado por 4 anos?
Aqui é que não foi.
O IPTU da casa da minha avó decolou nos últimos 4 anos, ao gosto dos especuladores.
Os proprietários de mais de um imóvel é que deveriam pagar mais.

Responder

FrancoAtirador

18 de dezembro de 2013 às 01h27

.
.
publicado 17/12/2013 12:55, última modificação 17/12/2013 16:38
ENTREVISTA
por Redação RBA

‘Não temos estratégia de comunicação’, admite Haddad

São Paulo – Em entrevista da qual participaram a RBA e um grupo de blogueiros, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), admitiu ontem (16) que sua gestão não conseguiu desenvolver uma estratégia concreta de comunicação em seu primeiro ano de mandato, o que impediu, segundo ele, que a sociedade paulistana fizesse um julgamento correto de ações como o IPTU progressivo, a criação de faixas exclusivas para ônibus e o desbaratamento da rede de corrupção que vinha de administrações passadas.

“Recebi um telefonema de um dono de muitos meios de comunicação dizendo que não daria trégua à prefeitura e que colocaria todos seus veículos contra o IPTU progressivo. Isso não me foi contado. Isso foi dito. A bem da verdade, eu liguei para saber o que estava acontecendo. Não posso dizer quem foi porque foi uma conversa privada. Não é pouca coisa. Isso também aconteceu na administração Erundina e na gestão Marta. Na administração Serra-Kassab o aumento foi muito maior que este, 45%, e não houve nenhuma ação de inconstitucionalidade.”

Rovai – Mas, prefeito, isso não é uma novidade. O histórico de governos progressistas sempre foi ter a mídia contra. Como se faz para dialogar sem passar por esses setores?

Não posso prescindir de dialogar com esses setores. Não tenho dificuldade em admitir que não temos concretamente uma estratégia de comunicação. Temos um sistema de comunicação que responde a todas as perguntas que vêm da imprensa. Mas temos uma dificuldade de diálogo. Não tenha dúvida. Quando desbaratamos a quadrilha do ISS, surgiu o áudio de um dos fiscais presos dizendo que o prefeito sabia. A manchete (da Folha de S.Paulo) foi que “o prefeito sabia” e tinha uma foto minha ao lado.

Rovai – E o senhor deu uma entrevista para a Folha no dia seguinte. Por quê?

Por respeito ao leitor da Folha. Preciso esclarecer para o leitor da Folha que aquilo era equivocado. Pelo amor de Deus. Em vez de estar sendo elogiado por ter criado uma controladoria, ter salvo o patrimônio municipal… Foi inacreditável. Aconteceu uma coisa muito curiosa. Na semana do desbaratamento (da quadrilha) muitos prefeitos estavam pedindo cópias da lei (que criou a Controladoria) porque queriam implementar o modelo nas suas cidades. Depois disso, sumiram.

(http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2013/12/nao-temos-estrategia-de-comunicacao-admite-haddad-5014.html)

Responder

    FrancoAtirador

    18 de dezembro de 2013 às 02h08

    .
    .
    Coitado do Haddad, tão ingênuo…

    A quadrilha não vai dar sossego

    até desbancar o PT do poder em SP:

    Folha de S.Paulo

    Justiça manda Haddad cumprir promessa de vagas em creche

    De forma inédita, TJ exige que plano de campanha
    saia do papel e cobra 150 mil novas vagas até 2016

    Pelo menos metade terá de ser aberta em 18 meses;
    secretário da Educação afirma que decisão é ‘louvável’

    O Tribunal de Justiça do Estado determinou ontem, de maneira inédita, que a Prefeitura de São Paulo cumpra promessa de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT) e, até o final de 2016, abra 150 mil vagas em educação infantil na cidade. A decisão prevê abertura de 105 mil vagas em creches (para crianças de 0 a 3 anos) e o restante na pré-escola (crianças de 4 a 5 anos). Pelo menos metade delas terão de ser abertas em 18 meses. A prefeitura terá 60 dias para apresentar um plano de como irá cumprir a ordem.

    A medida foi tomada em ação civil pública movida pelas ONGs Ação Educativa e Nossa São Paulo, com apoio da Defensoria Pública e do Ministério Público estadual. Desde agosto, o grupo tentava negociar uma pauta de reivindicações para a educação infantil com o poder público, mas sem sucesso. A Justiça ordenou também que a atual fila de espera por vagas na educação infantil, com cerca de 156 mil inscritos, dê prioridade a crianças de famílias mais pobres.

    O secretário da Educação, Cesar Callegari, afirmou que a decisão é “louvável” e que as medidas anunciadas já estão sendo tomadas pela administração municipal. Segundo ele, já estão programadas 243 unidades, sendo 172 com parceria federal. Crianças de famílias com renda per capita inferior a R$ 70 terão direito a prioridade. Callegari afirma, porém, que a suspensão da alta do IPTU em 2014 “preocupa” devido às verbas para atingir a meta.

    O julgamento ontem foi realizado pelos desembargadores Samuel Alves de Melo Júnior e Silveira Paulilo e relatado pelo desembargador Walter de Almeida Guilherme. Eles decidiram também que a administração terá de apresentar, semestralmente, relatório de providências para o atendimento da ordem, que vai ser monitorada pela Coordenadoria da Infância e da Juventude do TJ.

    “É uma decisão histórica. Ela não só assegura um direito, criando as vagas, como indica que é necessário compromisso de políticos com aquilo que eles prometem em público”, afirma Alessandra Gotti, uma das advogadas do grupo que moveu a ação. Em caso de descumprimento da decisão, os desembargadores determinaram que um juiz de primeira instância deverá impor ao prefeito e ao secretário da Educação penas de caráter pessoal ou institucional.

    (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/144121-justica-manda-haddad-cumprir-promessa-de-vagas-em-creche.shtml)
    .
    .
    MP dá 45 dias para Prefeitura proibir táxis nos corredores de ônibus em SP
    Estadão

    Táxis em corredor: o novo ‘calcanhar de aquiles’ de Haddad
    veja.com‎

    Promotoria dá 45 dias para prefeitura retirar táxis dos corredores em …
    www1.folha.uol

    MP dá 45 dias para a prefeitura de SP retirar táxis dos corredores …
    g1.globo

    Promotoria estabelece 45 dias para prefeitura tirar táxis de corredor …
    vejasp.abril

Mauro Assis

18 de dezembro de 2013 às 00h54

O dó que eu tenho… inocente, ele…

Responder

marcio ramos

18 de dezembro de 2013 às 00h24

… que papo é esse que não sabia o tamanho da malandragem mané? e que historinha é esta de que fui ameçado mas não falo por quem? quer mudar a maneira de fazer politica deste jeito?

… nos meus tempos de aprendiz – nos quais não aprendi p… nenhuma – ao lado do patrão: (…) mas como o senhor vai acreditar em mim,o senhor nem me conhece direito e se eu não pagar? bem, se vc não pagar a gente briga e a gente so conhece alguem quando briga com a pessoa, ai a gente vai ficar se conhecendo… (sacou?).

… ae mané, vai demorar pra aprender?… vacilão!!!

Responder

Euler

18 de dezembro de 2013 às 00h21

Tudo retorna na mesma história que temos dito aqui insistentemente: o monopólio da mídia nas mãos de poucas – e golpistas – famílias. Enquanto não se atacar de frente este mal maior do país, assistiremos a estes absurdos. É trensalão dos tucanos escondido debaixo do tapete; é dono de emissora de TV ligando para o prefeito de SP e ditando normas – quantas vezes será que o prefeito Haddad recebeu telefonema de um cidadão comum se queixando de alguma coisa? É um judiciário pautado por esta mídia que coleciona dossiês para chantagear ministros do STF – ou massagear o ego de outros. Enfim, tudo se resume a isso: ou acabamos com este monopólio da mídia, ou seremos destruídos, mais dia, menos dia.

Responder

Mário SF Alves

17 de dezembro de 2013 às 23h42

900.000.000,00 de reais em doze anos! Uma única emissora? Putz!
__________________________
Mas, peraí, o que dizer dos R$ 1.000.000,00/dia a serem gastos em propaganda pelo governo Alckmin?

Ou seja, R$ 360 milhões/ano ou o equivalente a R$ 4.320.000.000 [R$ 4,32 bilhões] em doze anos.

Isso é que é governo obreiro, meu.

Responder

Gerson Carneiro

17 de dezembro de 2013 às 22h25

“PS do Viomundo: …Os que pagam a conta certamente merecem saber.”

Nem sempre. Conheço ao menos um que paga para o Governo Estadual Paulista só pra contribuir com a fuleragem. E não faz a mínima questão de esconder. Imagino que não seja apenas ele.

Responder

renato

17 de dezembro de 2013 às 22h24

Acredito na verdade que HADDAD, terá que colocar seu vice para trabalhar.
E atacar de vez estre cancer.
Acho que ele bateu na porta da Casa Grande ( e outras instituições), aquilo que é conhecido de um livro como Potestades, Autoridades e Principados…
Se arma com a couraça, o escudo, a armadura e a espada…e parte para luta.
Os blogueiros colocam isto em pratica já…já…
E que Deus te guie, o PODER é do POVO, ele só tem que saber!!!

Responder

Bernardino

17 de dezembro de 2013 às 22h13

A CHARADA DA Semana :

A ” Décima quinta letra do Alfabeto” se uniu à ” Décima nona” e formaram um “Partido Politico” que,no governo, Paga à MIDIA prá APANHAR!!

DICAS: 1 e 1 QUEM É??????????????????????????????????????????????????????????????????????????
???????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Aqui a Soluçao : PÊ TÊ !!!!

CABE como uma LUVA no titulo acima!!!!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

17 de dezembro de 2013 às 22h06

… Depois do eterno presidente Lula e da Dilma Rousseff, A Magnífica, ‘Haddad Lá [no Planalto]’…

BRASIL
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Fabio Passos

17 de dezembro de 2013 às 21h44

Isto é o PiG.
Sustentáculo do Apartheid Social.
Defensor intransigente dos privilégios indecentes da minoria branca e rica.

É uma estupidez tratar o PiG como se fosse imprensa.
O PiG é inimigo do povo… e assim deve ser tratado.

Responder

jacinto

17 de dezembro de 2013 às 21h39

Saad,

Isto é uma vergonha.

Responder

JC M

17 de dezembro de 2013 às 21h38

A Band ( de band idagem ) é uma Veja eletronica.

Responder

FrancoAtirador

17 de dezembro de 2013 às 21h37

.
.
Se a FamíGlia Saad realmente pagou algum imposto no estado de São Paulo,

certamente recebeu todo o valor de volta em patrocínios governamentais.
.
.

Responder

Luís Carlos

17 de dezembro de 2013 às 21h36

Os barões da especulação imobiliária serão contra IPTU progressivo, claro. Seus paus mandados também. Porém, todos demais concordam com essa medida. Prefeitura derrubará liminar e seguirá com IPTU maior para quem tem mais e melhores imóveis. Querem vantagens do poder público com melhorias em seus bairros e imóveis eivando a conta ara os demais? Parabéns a Haddad pela iniciativa.

Responder

Marat

17 de dezembro de 2013 às 21h20

Basta ver a equipe de jornalismo da Bandeirantes, para perceber que aquilo ali é um valhacouto quea briga as figuras mais reacionárias, retrógradas e estúpidas de que se tem notícia!

Responder

    Adir Tavares

    17 de dezembro de 2013 às 22h05

    Principalmente um tal de José Paulo de Andrade, esse sim, mofo e um grande pau mandado!!!

    Marat

    17 de dezembro de 2013 às 23h04

    Muito bem lembrado, Adir… O Zé Paulo é vetusto… foi um grande bajulador da ditadura, e sempre esteve do lado dos reacionários e da turma da casa grande… Esse foi o seu pulo do gato a vida inteira… Talento? Não! Puxa-saquismo aos poderosos… E um tipo desses é capaz de deitar-se à noite e dormir levemente!
    Abraços.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.