VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Folha: Agora, só falta o torturador


12/09/2010 - 21h03

Depois de publicar a ficha falsa de Dilma Rousseff na capa do jornal; depois de contratar um guru americano para ver as imagens de Dilma e Serra e “ler” a personalidade dos candidatos; depois de concluir que a ministra Dilma torrou um bilhão dos brasileiros em contas de luz; depois disso tudo a Folha foi entrevistar um ex-agente da ditadura para traçar um “perfil psicológico” da candidata. Agora só está faltando o Otavinho achar o torturador para “desmoralizar” a Dilma:

Espião de Dilma

Ex-agente da ditadura militar acha que Dilma “nasceu para mandar, não para ser mandada” e acredita que “Lula vai se enganar com ela”

PLÍNIO FRAGA
ENVIADO ESPECIAL A PORTO ALEGRE

na Folha

Nos arredores de Tristeza, um ex-espião da ditadura militar assiste na televisão à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com desconfiança. “Ela não é tão boazinha assim”, afirma.

“Nasceu para mandar. Não para ser mandada. Lula vai se enganar com ela.”

Filha de imigrante, líder de grupos de resistência à ditadura, ministra e candidata a presidente, Dilma Rousseff pode dizer que foi longe.

Não se pode dizer o mesmo de Sílvio Carriço Ribeiro, 69, ex-agente da chamada “comunidade de informações” na ditadura (1964-1985) e ex-coronel da Brigada Militar: continua morando perto da casa em que Dilma viveu, na Vila Assunção, na zona sul de Porto Alegre, região onde mantinha campana para investigar a “subversiva”.

O bairro de Vila Assunção cresceu espremido entre o rio Guaíba e os vizinhos Cristal e Tristeza, na zona sul de Porto Alegre. É de lá que Ribeiro assiste a Dilma na propaganda eleitoral gratuita, sorridente, tranquila, sem óculos, cabelos arrumados e com um discurso suave.

“LOBO”

O ex-coronel relembra a Dilma que vigiou: cabelos armados, óculos de lente grossa, com personalidade forte para intervir em discussões entre esquerdistas e fazer valer sua opinião.

“Pessoas desse tipo são duras, amargas. Ela é uma mulher amarga. Não é aquilo que está aparecendo na televisão. É lobo em pele de cordeiro”, diz ele.

Em 1972, depois que Dilma saiu da prisão em São Paulo, onde foi torturada por agentes da repressão por pertencer a grupos clandestinos de resistência à ditadura, a hoje candidata do PT mudou-se para Porto Alegre, onde seu segundo marido, Carlos Araújo (dirigente da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, que se definia como “organização marxista-leninista de guerra revolucionária”) estava preso.

À época, fazia quatro anos que Ribeiro entrara para a “comunidade de informações”, forma como seus integrantes se referem aos órgãos de espionagem do regime militar. Teve como missão manter Dilma sob vigilância.

“A informação que a gente tinha é que ela era contato, esse é o termo. Mantinha contatos com gente de Minas, São Paulo, Rio. Se a polícia estava em cima de fulano, eles decidiam mandá-lo para o Sul. “Baixar” o fulano era a expressão que usavam. A Dilma acolhia essas pessoas.”

Lotado no Departamento Central de Informações (DCI), o serviço secreto da Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Ribeiro afirma que Dilma começava àquela época a atuar “mais como militante política do que como guerrilheira”, sendo este último o período que vai de 1965 a 1970, quando ela foi presa.

CONTATO

“Na década de 70, ela exercia mais a função de acolher gente. E também de recrutar para militar. Era a função maior dela. Mas, além disso, planejava ações e sabia quem executava”, afirma ele hoje.

Ribeiro é reticente sobre a maior polêmica envolvendo Dilma à época da ditadura: sua participação ou não em ações armadas, assaltos e assassinatos de opositores.

A atual candidata a presidente nega que tenha atuado diretamente nessas ações, mas são correntes afirmações de que ela tinha conhecimento, ordenou ou planejou várias delas. “Você determinar ou saber quem fez uma coisa dessas não diminui sua responsabilidade. A responsabilidade é até maior”, declara Ribeiro.

“O movimento exigia gente forte, que não pensava duas vezes para fazer as coisas”, declara.

Em 1998, no final do governo de Olívio Dutra (PT), Ribeiro enfrentou um Inquérito Policial Militar que o exonerou da Brigada Militar, já quando era reservista.

Foi condenado e afastado do oficialato sob acusação de ter feito compras indevidas numa olaria pertencente à Brigada Militar.

Ribeiro recorreu à Justiça Comum para tentar reaver o posto (e os vencimentos) de oficial da Brigada Militar.

Ele afirma que, no final dos anos 80, sua casa foi arrombada e levaram “documentos, fotos e fitas” que mantinha armazenados do tempo em que atuava nos órgãos de repressão. “Eram gravações de assembleias, fotos de reuniões, atas”, releva, por ter mantido consigo informações que deveriam ter sido arquivadas em repartições públicas.

“Não levaram nada de valor da casa. Levaram os arquivos e deixaram claro que era isso o que interessava.”

Colaborou FERNANDO RODRIGUES, da Sucursal de Brasília

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



87 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marat

13 de setembro de 2010 às 23h59

Aliás, o apelido para esse cara deveria ser "Tavinho Tarja Preta"

Responder

O outro lado da noticia » Folha na lama

13 de setembro de 2010 às 19h21

[…] da ficha falsa da Dilma, entrevista com agente da ditadura que espionou Dilma É como diz o Azenha, Folha: Agora, só falta o torturador. Se bobear, a reporcagem já está até pronta. E eles vão mostrar como está este “pobre […]

Responder

José Manoel

13 de setembro de 2010 às 18h57

Esse safado trocou informações por um prato de comida!!!!!!!

Responder

francisco.latorre

13 de setembro de 2010 às 17h02

serra esbofeteia a nação.

vai pro buraco e leva a corja junto.

chega dos mesmos velhos pilantras.

novos pilantras virão. mas que sejam outros. não os mesmos. sempre mesmos. não.

adeus direita carcomida. vai junto.. vai com o zé.

chorem os bobinhos.

..

epz.. tem a ridícula novadireita 'pos-ideológica' verdista ongueira.

marina e seus eco-boys.. verdismo empresário. tem até câmara de comércio amerikana na jogada.

marina rockefeller.. biografia que vai tão fácil não era biografia. era mitologia. disney. pobre chico mendes.

outra.. perguntem o que pensam da verde laranja os ex-companheiros dos movimentos sociais.

novadireita madeinusa. não vai colar.

ex-império perde todas.

outro século. não tem nome ainda.

mas não é mais o século amerikano.

não mesmo.

..

Responder

francisco.latorre

13 de setembro de 2010 às 17h00

dilma vem sendo torturada desde que desconfiaram que sucederia lula.

cresce. cada vez mais forte. como lula.

fazem de dilma um gigante.

cultivam o anjo vingador.

vertigem. perseguem o próprio fim. que virá. não tarda.

..

Responder

Baixada Carioca

13 de setembro de 2010 às 15h16

Andei revendo meus conceitos sobre este post pessoal. Afinal, não falta nada se considerarmos que torturadores já existem. Não físicos, mas psicológicos. Esse tal "civita", por exemplo, par e passo com esse jornalista escostegui, fazem agora tortura à Erenice e seus familiares. Ela própria admitiu em papo com Paulo H. Amorim que "não pode conviver com isso". É ou não é tortura?

Responder

Marat

13 de setembro de 2010 às 14h06

Eu não entendo de psiquiatria, portanto, sugiro que psiquiatras analisem as atitudes do Tavinho…

Responder

    flavio marcio

    13 de setembro de 2010 às 18h35

    O problema não está reduzido aoTavinho, mas se manifesta sobretudo na pessoa jurídica de sua corporação midiática, o Grupo Folha, que sofre, ou melhor nos faz sofrer de um problema que a psiquiatria exclui do rol das doenças tipicamente psiquiátricas dissociativas.
    A saber, Transtorno de Personalidade Anti-Social, codificada no manual de transtornos mentais como F60.2 – 301.7 – PERSONALIDADE ANTI-SOCIAL – DSM.IV
    Características Diagnósticas:
    A característica essencial do Transtorno da Personalidade Anti-Social é um padrão invasivo de desrespeito e violação dos direitos dos outros. Este padrão também é conhecido como psicopatia, sociopatia ou transtorno da personalidade dissocial.
    A ausência de remorso é um achado típico de tal transtorno.
    Aliás, as Corporações da Grande Mídia todas sofrem deste mal.
    Não adianta internar – até porque ninguém interna pessoa jurídica, é óbvio. Nem manicômio judiciário iria resolver a parada. Só a contenção democrática exercida por uma lei democratizante dos meios de comunicação pode funcionar.

    Marat

    13 de setembro de 2010 às 23h58

    Caro Flávio… Manicômio neles!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

monge scéptico

13 de setembro de 2010 às 13h17

LULA não poderia fazer mais do fez, lutando oito anos com um congresso hostil e corrupto.
Gostem ou não do frei TITO, a história de seu martírio, contada por seus confrades, e altamente
dramática e comovente. Vale a pena conhecer essa história de repulsiva intolerância.
Tenha o que tenha feito, a DILMA do passado, é só lembrança. O que ela tem hoje, é uma
grande responsabilidade;a de conduzir esse país, indo ao povo e buscando solucionar com
um trabalho contínuo, com vários focos, as mazelas deixadas pela pirataria e privataria de
passado recente. Debates BLEARGH!!!!!

Responder

SilvioCrim

13 de setembro de 2010 às 12h15

Tem um erro nesta matéria que não pude deixar de reparar…
Fala que 1998 era o último ano do governo Olívio!!
De que jeito, se o querido Bigode foi eleito em 1.998??
Ele governou entre 1.999/2.002!!
Na boa, é muita falca dessa garotada do Instituto Millenium…
Por onde anda o jornalismo, minha gente??

Responder

CabraL ObseVadoR

13 de setembro de 2010 às 11h18

.

Esta chegando a hora em que eles(PIG), temen, em ver quem vai mandar de verdade.

.

Responder

Paulo P

13 de setembro de 2010 às 11h13

Amigos,

recomendo aos que conhecem a história do Frei Tito e também aos que a desconhecem, que visitem o link – http://www.dominicanos.org.br/textos/tito/frtito….

Onde encontrarão uma Cronica da Morte da Alma de uma pessoa destruida pela tortura institucionalizada.

Também gostaria de sugerir, para quem tiver capacidade, a construção de um 'blog'com o tema Tortura Nunca Mais – TORNUMA.

Abraços.

Responder

Conceição Lemes

13 de setembro de 2010 às 11h00

Paulo P, poste o seu comentário sem o link do blog que odeia o Frei Tito e publicaremos. abs

Responder

Julio Silveira

13 de setembro de 2010 às 10h59

Esses caras são os mesmos que, na campanha para prefeitura paulista, difamaram a Marta adoidado expondo sua vida de maneira falsa, e depois vieram em defesa do Numkassab quando o revide começou, vieram cheio de aulas de ética e moral na campanha. São assim covardes, o ataque baixo deles deve ficar sem respostas.

Responder

flavio marcio

13 de setembro de 2010 às 10h58

O Grupo Folha é como uma daquelas corporações, é como as Organizações Globo, a Editora Abril e assemelhadas.
Seu perfil cabe perfeitamente no DSM-IV (Manual das Perturbações Mentais) para definir critérios diagnósticos para Transtorno da Personalidade Anti-Social, com realce para a ausência de remorso.
Não tem manicômio judiciário que dê conta deste desvio: só a contenção democrática da sociedade pode lidar com ele.
A identidade da Big Media com os ogros do passado (que continuam agindo no presente como o demonstra a caterva da Yeda Cruzes no RS) é sua essência mais íntima.

Responder

María Edith

13 de setembro de 2010 às 10h22

Prezado Azenha,

Deve ser insuportável para a Folha, para o ex-espião da ditadura, Pig e muitos outros não estar vivendo os “bons tempos” da caça as bruxas. Eles saberiam muito bem colocar as mulheres no se devido lugar. Principalmente as que “querem mandar”, quanta pretensão.
Curioso, até pouco tempo a Presidenta Dilma era apenas um poste para este jornaleco.

Cordialmente, María Edith

Responder

arnobiorocha

13 de setembro de 2010 às 10h11

Azenha,

Eles já estão com a entrevista do possível Torturador com as "confissões", breve publicam como último ato desta campanha nefasta. Pequenos detalhes técnicos(recusa do STM) impedem a matéia.

Responder

Flavio Lima

13 de setembro de 2010 às 10h11

Essa foi de doer!
Esse otarinho (que frias) cada vez mais patético.
E não da mais pra aliviar pros empregados dele. Se continuam, ou não tem opção ou não tem vergonha na cara.

Responder

eroni spinato

13 de setembro de 2010 às 10h07

Só uma imprensa ¨marronzona¨ para dar trela a um desclassificado ¨alcagueta¨ desses. Temos que fazer uma campanha para regularizar urgentemente esta midia carterizada por familias sem noção de pátria.

Responder

anadb

13 de setembro de 2010 às 09h35

O PiG acusar Dilma de ter assassinado uma companheira de luta.
É muito desespero…..
E com toda razão o desesper,…
Vejam bem, a direita (PiG e elite) estava contando com a comi$$$$$ão na entrega da PETROBRÁS, PRE-SAL, AMAZONIA, BANDO DO BRASIL, CAIXA ECONOMICA, AQUIFERO GUARANI, RODOVIAS, etc. O prejuizo financeiro vai ser MONUMENTAL.

Responder

    Sandro

    12 de outubro de 2010 às 14h49

    Também já ouvi uma historia dizendo que FHC foi ladrão de bancos e nem por isso esse maldito deixou de DESgovernar este país! Eu vi o governo FHC como os anos que ele amaldiçoou este país por ter sido perseguido político. Fez tudo que pode para afundar o país e seu povo, vendeu tudo o que pode a preço de banana ao capitalismo internacional pois na verdade FHC odeia seu país. Aliás, FHC é mais norte-americano que brasileiro. Melhor não deixarmos Bin Laden descobrir que tivemos um presidente norte-americano senão estaremos ferrados de vez!

sergio

13 de setembro de 2010 às 09h30

Folha perdeu o rumo, está igual a Serra, denorteada de rabo preso com mentiras, ilações fantasiosas, logo ficará igual ao jb, não servirá para embrulhar peixe.

Responder

Roberto Locatelli

13 de setembro de 2010 às 09h17

É mesmo um fim melancólico para Serra e para a Folha.

Responder

Antônio Cunha

13 de setembro de 2010 às 09h06

Uma idéia de como seria a segunda entrevista da séria, agora com o próprio torturador da Dilma:

F– O Senhor tratou da guerrilheira Dilma na prisão?

Torturador – Direitinho. Ninguém tem do que reclamar.

F – Mas ela reclama!

Torturador – Ela reclama sempre, né? Durante as sessões a Dilma era uma das que nunca se comportava bem, reclamava. Até quando apanhava muito, perdia as forças e não conseguia falar, me olhava de um jeito de dar medo. Eu tinha medo. Ela não é esta pessoa que aparece na TV, não! Hoje ela aparece toda sorridente, mas lá, na sala de sessões, ela não dava um sorriso.

F – Isto marcou muito a sua vida?

Torturador – Marcou (Silêncio. Choro). Marcou muito.

F – O senhor procurou ajuda?

Torturador – Sim, mas não é fácil esquecer a fala ríspida e o olhar acusatório daquela mulher, Ela era assim até no pau-de-arara. Vocês não fazem idéia! Eu nunca tinha visto algo assim. Eu sei o aquele casal daquele telejornal passou durante a entrevista. É assustador mesmo!

Foia – O senhor quer dizer mais alguma coisa?

Torturador – Não! Eu tenho medo!

(Obs.: Este diálogo é fictício. Qualquer semelhança com fatos reais terá sido mera coincidência).

Responder

Beto São Pedro

13 de setembro de 2010 às 08h01

Por favor, chamem o Hugo Chaves!

Responder

Marat

13 de setembro de 2010 às 07h14

Para o Tavinho, creio, não houve golpe mas sim revolução… ele que recolha os caquéticos da tal revolução e faça suas isentas matérias. Eu não dou um centavo por aquele lixo de jornal.

Responder

Adilson

13 de setembro de 2010 às 04h54

Azenha,

Observe o discurso do prefeito de Camaçari Luiz Caetano que desconstroi didaticamente o ódio do PIG ao governo Lula e a eleição de Dilma. http://www.youtube.com/watch?v=Y3VRLXWkjdw

Responder

GustavoEgito

13 de setembro de 2010 às 01h44

Eu quero uma Presidente que MANDE neste país!

Se fosse para não mandar eu nem escolheria!

Responder

SérgioFerraz

13 de setembro de 2010 às 01h25

O Jornaleco asqueroso se superou.
A que ponto chegou a nossa " imparcial e democrática" imprensa: agora um serviçal da tortura, que matou centenas e calou , pelas armas, toda uma geração de brasileiros é guindado a condição de ilustre entrevistado para analisar o “perfil psicológico” da candidata Dilma.

Responder

Ivonete

13 de setembro de 2010 às 01h24

Sempre que a gente acha que a Folha desceu ao último degrau do esgoto, ela surpreende e consegue descer um degrau a mais. Estou perplexa.

Responder

edson souza

13 de setembro de 2010 às 00h53

Não nasceu para ser mandada? Ué, até agora a imprensa junto com seu ungido alegavam que ela não mandaria nada, que era um poste etc..etc..etc.. Contraditório não?
Não sou dos que usam salto alto, mas estes sujeitos poderiam valorizar melhor aquilo em que estão enfronhados: POLITICA. Merecem perder..Dá-lhe cumade 2010…

Responder

waldir ferreira

13 de setembro de 2010 às 00h42

ja ja trazem de volta o gal Newton cruz

Responder

Cesar Costa

13 de setembro de 2010 às 00h36

Tem alguma coisa errada… O Governo do Olívio foi de 1999 a 2002… Ele jamais poderia ter exonerado esse cidadão em 1998.

Responder

Jorge andrade

13 de setembro de 2010 às 00h35

Eu nem sei como classificar mais essa ação deste jornal maniqueísta . Isto é mais que ir ao fundo poço . É rastejar nos proprios escrementos.
Sinceramente , ainda não sei se é o a ultima cartada deles.

Responder

Urbano

13 de setembro de 2010 às 00h27

Aí é que não. Embora haja muito no mercado, mas talvez nem seja preciso. Pra quem já ofereceu até carro para prender as vítimas para serem submetidas a degradante serviço…

Responder

Chico

13 de setembro de 2010 às 00h25

Embora o PIG não tenha limites, atingiram o meu: trazer a opinião de um lacaio da ditadura sobre a personalidade da Dilma foi demais. Chega, cancelei minha assinatura da Folha.

Responder

    Leonardo Câmara

    13 de setembro de 2010 às 08h36

    E demorou, hein … Mas parabéns de qualquer forma.

francisco p neto

13 de setembro de 2010 às 00h07

É um acinte deixar esse pulha safado falar à respeito da Dilma.
Esse vagabundo nem lavando a boca dezenas de vezes com creolina poderia pronunciar o nome da futura presidente.
Ele não perde por esperar.

Responder

Polengo

13 de setembro de 2010 às 00h05

Mas ela mandar e não ser mandada não seria um atributo de um bom presidente?

Responder

eroni spinato

12 de setembro de 2010 às 23h55

Hô…Azenha, libera meus comentários!….

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h48

Colaborou nesta matéria, FERNANDO RODRIGUES, da Sucursal de Brasília…

vamos mais uma vez, relembrar aquele episódio do Roda Viva com o Protógenes Queiroz, quando o delegado explica para ele que "agente secreto é secreto" ?

… ser tonto é uma coisa, agora fingir de tonto é inadmissível !!

[youtube TUfL9gK4gtA http://www.youtube.com/watch?v=TUfL9gK4gtA youtube]

Responder

CC.Brega.mim

12 de setembro de 2010 às 23h45

colaborou Fernando Rodrigues

é jornalista porta voz da Folha em política.
tá certo que ele só fala obviedades
daí a colaborar com a legitimação da ditadura
é uma queda de máscara, não?

Responder

Bonifa

12 de setembro de 2010 às 23h45

Esta é a prova: O Otavinho acredita que o povo brasileiro ama, adora e venera sua maravilhosa Ditadura e vive suspirando por sua volta. E que os antigos agentes da Ditadura, mesmo os mais subalternos, são grandes e sábios heróis. O Otavinho pirou, é um homem pirado, não há mais porquê duvidar.

Responder

Evaristo

12 de setembro de 2010 às 23h45

Otávio Frias filho, Mussolini, Hitler, idi Amin Dada, Baby Doc, Papa doc, George W Bust, mesquistas, Marinhos, civitas, Fleury, Médici,

Responder

Pedro Cruz

12 de setembro de 2010 às 23h44

É o panfletinho golpista retomando seus contatos. Será que esse militar, expulso das Forcas Armadas, chegou a dirigir alguns carros que o panfletinho golpista emprestava para os torturadores na época?? Que nojo!!!! Esse crápula é louco. Este panfletinho se vangloria de ter crescido servindo à ditadura. A que papelzinho este jornalistinha se submete por alguns trocados??? E esta "coisa" do demotucanalha dar eco a essa postura fascista??? Esse demotucanalha questionar o "passado escondido" da Dilma??/ Que triste fim desse candidato medíocre!!! Em 3 de outubro temos que arrebentar com essa canalha golpista!!! Pela democratização dos meios de comunicação!!! Viva Dilma e seus aliados!!!

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h42

"Foi condenado e afastado do oficialato sob acusação de ter feito compras indevidas numa olaria pertencente à Brigada Militar".

Este é o héroi da "fôia". Boa fonte. Precisa mais?

Responder

    Sergio F. Castro

    13 de setembro de 2010 às 17h03

    Um ladrão de tijolos! É descer muito baixo!

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h41

… comprovado: a Folha de SP ainda mantém bom trânsito entre os agentes da ditadura militar. E nesse caso, além de espião, é também criminoso condenado.

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h40

Exclusivo: torturadores da ditadura opinam sobre o caráter dos torturados !!

… definitivamnte, a "fôia" perdeu a noção !!

Responder

Alexandre Tambelli

12 de setembro de 2010 às 23h37

"Ex-agente da ditadura militar acha que Dilma “nasceu para mandar, não para ser mandada” e acredita que “Lula vai se enganar com ela”" – depois de 8 anos no Governo LULA e 5 anos lado a lado e a Folha me escreve uma dessas… Será possível que toda essa convivência e o Presidente LULA não saberia da candidata que escolheu para sucedê-lo? Realmente a Folha trata os seus leitores como apedeutas (risos). E duro disso tudo que encontraremos alguns leitores que vão sair dizendo essa frase por ai: " – O Lula vai se enganar com ela."

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h36

ah, antes que eu me esqueça, uma perguntinha simples:

Se o novo consultor da Folha de São Paulo está falando que a Dilma nasceu para mandar e não ser mandanda, o que é que eles fizeram com a história de que ela vai governar na garupa do Lula???

Quando dizem que essa turma está mais perdida que papel na ventania, é porque eles mesmo dão motivo…

vai ter troll que vai negativar meu comentário, só de pirraça !! rs ..

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h34

Otávio = Otário

Sinônimos…

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h34

… comentário do meu irmão: "Está parecendo que a Folha se tornou o vomitório do PSDB! De causar engulhos…

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h30

""Você determinar ou saber quem fez uma coisa dessas não diminui sua responsabilidade. A responsabilidade é até maior", declara o "puríssimo verdugo."

Está mais do que óbvio qual é a super-mega-plus bala de prata da oposição.

Por muito menos do que Dilma será acusada até 3 de outubro, muita gente foi "ver" grama nascer pela raiz ou dividir espaço com a vida marinha.

No entanto, preferiram libertar Dilma. Não fecha, não tem lógica alguma. Esse pessoal é muito burro…

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h28

… observem a relevância desta matéria:

O jornal foi ouvir a "isenta opinião" de um serviçal da ditadura que espionava Dilma.

Ouvir o indivíduo fazer "análise psicológica", afirmando que "ela é uma mulher amarga", é dose.

A declaração mostra na verdade quem á amargo, rancoroso. Este saudosista dos anos de chumbo.

Curiosa ironia é o cidadão morar "nos arredores de Tristeza".

Essa nova pretensão da Folha para desqualificar Dilma não podia ser mais idiota.

Queriam que ele dissesse o que?

Que ele é Dilma desde criancinha?

Continuo me perguntando se a "fôia" e a "inVeja" mensuram a idade mental de seus leitores…

Responder

@doctormario

12 de setembro de 2010 às 23h27

Muita gente está com medo da "dureza" da Dilma. Daí a escalada do ódio na campanha Serra.

Responder

Janes Rodriguez

12 de setembro de 2010 às 23h26

Cadê a Anistia Internacional e os defensores da Democracia que praticam essa infâmia? Um agente da ditadura, um serviçal do arbítrio e da barbárie ser objeto de tanta consideração por parte de um jornal de circulação -em queda – nacional? Será que vão entrevistar os nazistas que vigiavam a resistência e tratá-los como pessoas respeitáveis e que tem algo a dizer sobre suas vítimas? Onde é que vamos parar com uma imprensa dessas? Com jornalistas que se dispõem a fazer esse tristíssimo papel de sabujos? Tão bem lhe pagam pra rastejar a esse ponto? Creio que devemos esperar para breve, como se anuncia, a entrevista com o torturador de Dilma. Que opara a Folha mostra ser gente confiável e digna de nota. A Folha não acaba nunca de chafurdar no fundo do poço e da lama fétida desse jornalismo de esgoto.

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h25

e nesse período eleitoral, o lema da "fôia" é: "Cada dia uma baixaria. Se colar, colou".

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h24

Isso quer dizer que para a "fôia", um bom presidente é quem obedece sem questionar? Faz sentido quando se considera que para a "fôia" o "bom" é obedecer caninamente os EUA, por mais prejudicial que isso possa ser ao país. Na dimensão paralela deles isso realmente seria um "escândalo…

Responder

mucio

12 de setembro de 2010 às 23h23

Quem se propoe a ser Presidente do BRASIL precisa ser duro pra tratar com serviçais de torturadores como este coronel e ao mesmo tempo ter a sensibilidade social que ela tem. Sensível, Mandona e Dura perfeita pra ser Presidente do BRASIL.

Responder

Helcid

12 de setembro de 2010 às 23h22

pera lá confrades… eu entendi bem? chamaram um cara do "regime"? quem? torturador? conhece Dilma desde há 30 anos atrás (cabelos armados e lentes grossas de óculos, portanto amarga… conclusão machista = mal-amada), é o fim da Folha… não é mais possível este tipo de jornalismo marrom, rasteiro… o MP tem que se pronunciar.

Responder

Marcia Costa

12 de setembro de 2010 às 23h13

Até eu na situação dela iria ser assim… Vamos combinar, né. Não dá pra ser docinho diante de torturadores cruéis treinados na Escola das Américas. Só de ver como eles fazem com os presos de Guantanamo dá pra ter uma idéia do que deve ter sido a vida da esquerda em nosso país a partir de 1964. São notícias como essa que fazem ter cada vez mais certeza que ela está preparadísisma pra ser presidente do Brasil.

Responder

Nilson E da Silva

12 de setembro de 2010 às 23h10

Olá,

Eu não consegui ler até o final. Até onde esses canalhas irão para garantir o segundo turno para o candidato do PSDB.
Lamentavel!!!

Responder

Fui3252

12 de setembro de 2010 às 22h52

Isso é o maior absurdo que já se viu nesse país, onde estar a Anistia Internacional que não processa esse Jornaleco e o seu dono ? Mas que coisa nojenta, dar arrepio só de imaginar esses bandidos lacraois, vermes no comando desse país. Agora nós podemos entender como esses caras ficaram ricos durante a ditadura militar, mas graças a Deus vão perder tudo, por que não tem mais o peito do governo para mamarem na fonte. Acabou, é por isso que eles querem o Serra lá, para poder pagar milhões e milhões para eles divulgarem suas falcatruas.

Responder

CC.Brega.mim

12 de setembro de 2010 às 22h50

para que a opinião desse cidadão valesse alguma coisa seria necessário legitimar a ditadura militar e suas violências contra o cidadão
a Folha não pensou duas vezes e pagou o preço
a reportagem legitima abertamente a ditadura militar.

Responder

Alberto

12 de setembro de 2010 às 22h39

A Folha de São Paulo morreu e não foi enterrada. Continua a vagar errante; e fede, como fede…

Responder

Mauro

12 de setembro de 2010 às 22h35

Espero que ela seja durona mesmo, especialmente com a imprensa golpista

Responder

Baixada Carioca

12 de setembro de 2010 às 22h33

É caso para especialistas em psiquiatria para entender o que acontece com esses "barões" das mídias. Eles acreditam que o povo acredita nas baboseiras que eles publicam?

Responder

Gerson Carneiro

12 de setembro de 2010 às 22h24

Depois de todos os "depois" no texto citado, faltou um outro "depois": Depois da Folha de São Paulo debochar das vítimas da ditadura militar afirmando que no Brasil não houve uma Ditadura, mas sim uma "Ditabranda".

Responder

luiz pinheiro

12 de setembro de 2010 às 22h18

Proponho a seguinte campanha: "Eu tenho nojo da imprensa do meu país"

Responder

pedravila

12 de setembro de 2010 às 22h13

Olha eles querem incriminar uma pessoa que se suponha ter participado de assalto e crimes, eles que vigiavam 24 h não acharam nada na época, caso tivesse achado com certeza teriam fuzilada, agora o homem confessou que participou nesta perseguição, destas torturas psicológicas deste bloqueio de liberdade de um cidadão ainda vem depor a público, num jornal que se diz grande e defende a liberdade de impressa, mas com certeza a liberdade que eles defende só a deles para bem inventarem o que quiser, cadeia nestes cidadões.

Responder

Marcelo Ramos

12 de setembro de 2010 às 22h04

Cara, que nojo descarado e aviltante. Como pode um jornal chegar a um nível abaixo do pior excremento? Não tem esperança mesmo, essa gente perdeu todos os limites. Deus queira que a sociedade fique consciente e se livre dessa marca e do staff de pessoas que o produz. Todos, a começar pelo dono.

Responder

Marcio Brant

12 de setembro de 2010 às 21h59

É inacreditável aonde a Folha SP pode chegar. Um tapa na cara de milhares de pessoas que foram presas e torturadas apenas por que discordavam de um regime ao qual a Folha defendia e ajudava emprestando não só os seu carros de reportagem para os orgãos de repressão como também a sua alma. Não me espantaria se esse torturador estiver até hoje na folha de pagamento da empresa.

Responder

    Baixada Carioca

    12 de setembro de 2010 às 22h35

    Já conhecemos o perfil da Folha, do grupo Estado, das Organizações Globo e da Editora Veja, digo, Abril. Agora precisamos mesmo é fazer uma campanha para o governo não anunciar nesses veículos. Eles não se prestam a uma função social.

    Helcid

    12 de setembro de 2010 às 23h13

    Baixada, uma coisa é certa: se fechar o registro no governo federal e nos governos estaduais (em especial, São Paulo), o PIG vai sangrar…

Marcelo Rodrigues

12 de setembro de 2010 às 21h56

Faço minhas as palavras de Ulisses Guimarães: tenho ódio e nojo da ditadura!

Responder

JAMIL

12 de setembro de 2010 às 21h55

vamos lançar uma campanha para o Serra renunciar ao pleito, ou, sua derrota será RETUMBANTE.

Responder

Exilado

12 de setembro de 2010 às 21h37

Patético. O que será que esses doidos da folha querem? São loucos e podem se dar mal, pois qualquer dia desses, alguém cheio de suas razões pode chegar a vias de fato com essas pessoas. Ou será que eles perderam o medo mesmo? Para mim isso é a velha e simples loucura.

Responder

Bernardt

12 de setembro de 2010 às 21h35

É, a Falha consegue se superar a cada dia. Vi esse absurdo na edição de hoje. É nojento!!!

Responder

CC.Brega.mim

12 de setembro de 2010 às 21h35

É um ESCÂNDALO! Pior que a ditabranda!
Veja como as expressões usadas para referir-se à atividade do militar que espionava e fornecia dados e pessoas para serem mortas e torturadas amenizam a violência e legitimam a ação militar! A reportagem se apropria vergonhosamente do jargão próprio dos milicos da época para VALIDAR sua opinião sobre a Dilma:

um ex-espião da ditadura militar
ex-agente da chamada “comunidade de informações” na ditadura
região onde mantinha campana para investigar a “subversiva”
foi torturada por agentes da repressão por pertencer a grupos clandestinos de resistência à ditadura
Teve como missão manter Dilma sob vigilância

E então, vem a opinião do sujeito, tratado como FONTE confiável:

“Pessoas desse tipo são duras, amargas. Ela é uma mulher amarga. Não é aquilo que está aparecendo na televisão. É lobo em pele de cordeiro”, diz ele.
“Você determinar ou saber quem fez uma coisa dessas não diminui sua responsabilidade. A responsabilidade é até maior”, declara Ribeiro.

é absurdo! desaforo!

Responder

    CC.Brega.mim

    12 de setembro de 2010 às 23h37

    por pertencer a grupos clandestinos

    a conjunção causal estabelece uma relação de causa e efeito que naturaliza a tortura, como se pudesse haver algum motivo que a legitimasse

    grupos clandestinos
    o adjetivo legitima a versão dos fatos dada pelos usurpadores do poder e ditadores do Brasil, atribuindo à ditadura uma legalidade que os cidadãos que resistiram à violência praticada pelo Estado estariam infringindo

    é uma infâmia.

Doutor Natas

12 de setembro de 2010 às 21h32

manas e manos,

sempre e possivel cavar mais no fundo do poço.
eh isso o que se liberdade de imprensa?
que coisa pusilanime…
p.s.: e olhe quem colaborou! se não foi o jovem cientista da comunicacao que foi fazer phd ou mba na america do norte! realmente, a ciencia eh neutra e o jornalismo eh imparcial!!

Responder

Well Costa

12 de setembro de 2010 às 21h30

Ei psiu seu torturador qual o numero da mega sena dessa semana?…pago 10% do ganho…

Responder

Reginaldo

12 de setembro de 2010 às 21h12

Olha, arrisco dizer que já nao falta nada. POr que? Torturador nao é apenas aquele que aciona a maquininha de choque ou o porrete. É aquele que manda, contrata e paga.

Responder

    Américo

    12 de setembro de 2010 às 21h54

    Sem esquecer os folhões da vida que emprestam carros para os toruradores levarem suas vitimas.

    Luiz Henrique

    12 de setembro de 2010 às 23h10

    Cadeia pra quem fez parte da ditadura.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!