VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Economista que acertou em 2011 e 2012 estima crescimento de 4%


02/03/2013 - 23h33

Desde 2011, Nilson Teixeira tem acertado 

por Miguel do Rosário, no Cafezinho, sugestão de Roberto Locatelli

Antes de reproduzir a entrevista com Nilson Teixeira, publicada no Globo de hoje, enfatizemos algumas informações: o economista é conhecido por seu pessimismo, tanto que foi criticado pelo ministro Guido Mantega,  quando previu crescimento de apenas 1,5% em 2012. Ele acertou. A mesma coisa vale para 2011, quando também ficou entre os raros economistas que acertaram a previsão de um crescimento inferior a 3% (o PIB cresceu 2,7% em 2011).

Vale observar também que O Globo está escondendo a entrevista de seu portal. Não há qualquer menção a ela, encontrada exclusivamente na edição impressa.

 

Leia também:

João Sicsú: A “gastança” pública nos últimos dez anos

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

ricardo

04 de março de 2013 às 08h56

Ok, já temos a “previsão” do economista adivinho. Agora vamos consultar os búzios.

Responder

Arlindo Alves Aristo

04 de março de 2013 às 07h29

O economista não acertou, o ministro Mantega é que errou. Acho melhor que ele (ministro) consulte o economista do Banco Suisso antes de emitir os seus pronunciamentos. Afinal, temos que reconhecer que um partido dos trabalhadores – seja de qual nação for – não está especializado em capitalismo, ele prega – sempre pregou – o socialismo. Esse é o motivo dos erros. Lula acertou na economia porque seguiu EXATAMENTE a receita neo-liberal iniciada nos governos FHC. Mas, com tanta gastança para consumo interno e da base alugada – dezenas de ministérios – e enorme corrupção, não há país que consiga manter-se em crescimento.

Responder

Mario Silva Lima

03 de março de 2013 às 23h46

E a reporter queria porque queria que o economista admitisse uma alta na taxa de juros! Mas, como ficou claro, almentar a taxa de juros agora não será necessário.

Responder

Eduardo Raio X

03 de março de 2013 às 23h43

E o que pensa sobre essa analise o PIG, PSDB e seus partido satélites, elite e demais categoria antiBrasil desenvolvido, prospero, rico e com justiça social??? Buááááá, Buááááá, Buááááá….! Nós do contra queremos uma crise bem braba para assim quem sabe podermos voltar ao poder e fazer desse país um país dos sonhos para poucos!!! Buááááááá….

Responder

Mateus Silva Ferreira

03 de março de 2013 às 14h17

Crescendo ou não a economia, o que interessa ao povo é emprego e aumento de renda.

Responder

jader

03 de março de 2013 às 13h56

E O PIB DO FHC NO SEU GOVERNO ?? RIDÍCULO E ALTA TAXA DE DESEMPREGO !!!! PORQUE A MÍDIA NÃO COMENTA MAIS SOBRE O RISCO PAÍS ?? MUITO ESTRANHO !!! ESSA MÍDIA É SAFADA !!!

Responder

    Roberto Locatelli

    03 de março de 2013 às 18h24

    Bem lembrado, jader, o risco país foi simplesmente retirado da pauta da carcomídia.

Willian

03 de março de 2013 às 11h06

O Globo pelo menos colocou no portal, escondido, segundo o autor. Quando há um previsão ruim para o governo, nunca é publicado na blogosfera.

Acho engraçado pra caramba vocês cobrarem atitudes dos “inimigos” que vocês mesmo não seguem.

Um esquerdista só acusa seu adversário de praticar atitudes que ele mesmo pratica. Aprendam isto.

Responder

    PEDRO SANCHES

    03 de março de 2013 às 12h11

    Meu caro Willian, está havendo um descompasso no seu entendimento, pois é a mídia Golpista é que não coloca as claras quando a notícia é favorável ao Governo e não só isto, quando é melhor para a população ela é contra também, vide o caso da diminuição dos Juros e da conta de LUZ.

    Arlindo Alves Aristo

    04 de março de 2013 às 09h12

    E o aumento na gasolina e nos preços dos produtos nos supermercados são apenas consequências naturais do aumento da demanda.

    Willian

    04 de março de 2013 às 10h14

    É pra rir?

    Christiano Almeida

    04 de março de 2013 às 22h11

    Willian, você não leu com atenção devida o começo do artigo, que diz: “Vale observar também que O Globo está escondendo a entrevista de seu portal. Não há qualquer menção a ela, encontrada exclusivamente na edição impressa.”

Willian

03 de março de 2013 às 11h04

“…quando previu crescimento de apenas 1,5% em 2012.”

Acertou?!!! Mas foi o crescimento foi de 0,9%!!! Como assim acertou?

Responder

    PEDRO SANCHES

    03 de março de 2013 às 12h19

    Acertar um PIB na mosca é difícil, pois o cálculo é complexo, mas se previa no caso brasileiro mais ou menos 2%, na Alemanha previa-se um PIB de 1,5% e no entanto foi de 0,4%, na Inglaterra a mesma coisa, mas com relação a tal coisa não nos incomoda, pois o bem estar social está se mantendo, com emprego em alta, acesso a informação via Internet, Faculdades, Pesquisas, como nunca vimos antes.

    Sávio Sobreira

    03 de março de 2013 às 20h40

    Meu caro Willian, com todo respeito que um ser humano mereçe, VOCÊ ÑÃO PASSA DE UM TORCEDOR DE UM TIME DE DERROTADOS !!!!!

Marcelo de Matos

03 de março de 2013 às 10h56

Por que se fala tanto em economia? Pode ser porque o que mais preocupa o ser humano é o estômago. Mas, há outras razões. Talvez a principal seja a manipulação política das projeções; a capciosa interpretação de dados; a partidarização de eventuais êxitos ou fracassos. Nós, os leigos, somos o alvo principal dessas projeções. Somos forçados a entender o economês e até a geografia. O Brasil há muito tempo não era o destino predileto dos investidores estrangeiros. Preferiam a Índia, o Japão e outros países. De repente, não mais que de repente, somos o quarto destino predileto dos investidores. Podemos ser o terceiro: tudo é uma questão de geografia, ou geopolítica. Hong Kong é tida como “uma região administrativa especial da República Popular da China”. A meu ver, tem legislação especial, mas, não deixa de pertencer à China, inclusive “fala” o mandarim. Se for a assim a China é o maior destino dos investimentos mundiais; o segundo são os States; o terceiro a Terra Brasilis. Como se operou esse milagre? A própria China é partícipe dessa proeza.

Responder

    Marcelo de Matos

    03 de março de 2013 às 11h14

    ET, uma sugestão aos jovens. Apesar de difícil, é hora de estudar mandarim. A televisão mostrou outro dia, em Jacareí-SP, uma professora contratada pela Chery ensinando mandarim. A JAC também está instalando uma fábrica em Camaçari (BA).


Deixe uma resposta para Willian

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.