VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Adilson Filho: Globo usa jovens como massa de manobra


21/06/2013 - 12h34

por Adilson Filho

Hoje é um dia triste para a História do nosso país. Não foram em um ou dois pontos isolados. O que se viu nas ruas de todo o país (principalmente Rio e SP) foram jovens ensandecidos partindo pra violência contra pessoas que carregavam suas bandeiras da luta social.

Não foram só os partidos políticos (importantes numa democracia) os atacados, mas queimaram bandeiras do MST, da Central Única dos Trabalhadores, bandeiras de outros sindicatos, e baixaram a porrada sem perdão em quem se atrevia a levantá-las.

Por favor, é preciso ter equilíbrio também para separar as coisas nesse momento. Há uma massa de jovens desiludidos com a política, pois não encontram nesse modelo arcaico uma representatividade à altura de seus novos sonhos e anseios. Esses  são a maioria, e isso é legítimo. Foi dessa turma bem intencionada que surgiu o MPL. Mas aonde que está o nó disso tudo? Aonde a coisa esquenta e fica incontrolável?

Esses mesmos jovens cresceram bombardeados pela mídia e sua demonização sistemática da atividade da politica. Essa mesma mídia que protege o Daniel Dantas, o Gilmar Mendes, o Gurgel, os empreiteiros, banqueiros, os barões do transporte público, todos os trilhardários corruptos e corruptores que sugam o país há séculos, assim como os seus próprios pares, os donos desse oligopólio nefasto dos meios da comunicação brasileira.

São esses jovens, de coração puro e novas ideias, que têm seus sonhos sequestrados por essa gente reacionária, manjados colunistas de Globo, Veja etc. que ditam há anos a toada da opinião publica, escondendo seus pares, e colocando na linha de frente da população a ira contra a classe política, que é, como sabemos, apenas a ponta disso tudo…

Mal comparando, Renans, Sarneys, Severinos, Felicianos e Jorginhos do Posto da vida, são como o menino negro que vende droga na favela, é gente  que mal sabe se expressar, são gangsters-fantoches nas mãos de peixes muito maiores…

Mas existe uma diferença fundamental: estes são provisórios, descartáveis pelo sistema representativo democrático (com todas as suas falhas!) —  assim como o garoto segurando um fuzil maior que ele na favela –,  enquanto as famílias de Cavendishs, Jacobs, Dantas e outros barões serão barões para sempre, como foram seus pais e avós!

Portanto, atacar essa gente é tudo que o que a direita midiática conservadora quer…

Mirar o foco no Agripino, no Cafeteira, no Severino, no Tiririca, é tudo o que eles querem, pois além de ocultar da população quem são os verdadeiros estupradores da Nação (pergunte a 95% dos que estão nas ruas quem é Daniel Dantas; agora, perguntem quem é a Inês Pandeló lá de Barra Mansa), promovem aquilo que mais faz mal a uma democracia, que é a despolitização do cidadão. Cidadão despolitizado é presa facilmente manipulável. E é aí que eles entram como ninguém.

Col0cando a turma na rua pra gritar contra a PEC 37, contra o fulano e o beltrano, pedindo o impeachment da presidenta, eles zombam do movimento social na TV (teve repórter com sorriso irônico ao ver a bandeira do MST queimada).

Pergunte, novamente, a 95% desses jovens se eles sabem o que significa PEC 37, do perigo enorme pra democracia dar plenos poderes a um Ministério Publico prevaricador e seletivo, que só investiga uma parte da atividade política e esquece, por exemplo, as condições desumanas de nossos presos, amontoados em verdadeiras masmorras medievais. Imaginem inchar de poder essa caixa-preta, que precisa hoje muito mais de uma reforma rigorosa do que de superpoderes.

Mas isso pouco importa: eles querem é usar os jovens como massa de manobra dessa droga de informação manipulada, que empurram dia e noite goela abaixo e fazem rolar essa e outras pautas reacionárias pelos Facebooks da vida.

Assim, a Globo , Veja etc. deram a sua enorme contribuição ao país, ajudando, durante esses anos, a criar (parte de) uma geração pronta para o combate e a partir até pra violência (como vimos) contra instituições democráticas, que muitos não tem nem a mais vaga ideia do que significaram na História do Brasil.

Quem está nas ruas há anos sabe como funciona.

Muitas vezes basta um palito de fósforo para botar fogo em Roma! Como pudemos presenciar ontem aqui no Rio.

Um grupo vem com suas bandeiras, pacificamente exercendo seu direito e alguns “inocentes” começam a gritar “sem partido, sem partido, sem partido”!

Log,o dois ou três mais exaltados correm, pegam uma bandeira, tocam fogo e pronto: começa a gritaria, já se juntam dez, quinze , cinquenta pra bater, tacar pedra e agredir sem nem saber porque, muitos apenas porque ouviram dizer — meu Deus do céu  — que aquelas bandeiras ali são dos “inimigos”!

Eu vou parar de falar, fico um pouco emocionado ao ver isso acontecendo. Jamais imaginei viver no Brasil — depois das Diretas de 92, de tantas e tantas marchas e lutas históricas –, no mesmo chão, ao mesmo tempo o perigo das forças policiais de governadores psicopatas ou do do “colega” que está ao meu lado!

Eles conseguiram, essa mídia doente e assassina! Agora, é tentar seguir na luta do dia a dia, mostrando pra essa galera nova aí o quanto de perigo pode existir quando atacamos nossos movimentos, partidos etc., que deram a vida toda seu quinhão para que hoje pudéssemos pisar e protestar naquele mesmo solo.

Por fim, um pedido de paz:

Um viva a você que acordou; mas, por favor, respeite quem nunca dormiu!

Leia também:

Gilberto Nascimento: Sobre a nova pesquisa Datafolha





70 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

MPL sai das ruas para não ser confundido com extrema direita - Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de junho de 2013 às 11h45

[…] Adilson Filho: Globo usa jovens como massa de manobra […]

Responder

Paul Young

22 de junho de 2013 às 11h19

Se Iludem quem pensa que toda esta manipulação aconteceu por oportunidade.
Nada deste tamanho, acontece da noite pro dia.
São dezenas de pessoas trabalhando a anos nas Redes Sociais, postando criando canais “moralizantes”, Youtube, Blogs, sites de notícias.
Não é só o show de Mensalão da Globo. Cheio de meias verdades.
Mas, isto tudo tem de ser investigado e as pessoas punidas.
Não se pode levar as pessoas a crer que se trata de “independente”, de limpador moral, sendo apenas um grupo de poder querendo enganar as pessoas.

Responder

Eduardo

22 de junho de 2013 às 08h07

Agora é a vez de : “CALE A BOCA ROBERTO FREIRE”

Responder

FrancoAtirador

22 de junho de 2013 às 02h04

.
.
As manifestações de junho e a mídia

Independentemente das razões que justificam a expressão democrática de uma insatisfação generalizada por parte de parcela importante dos brasileiros, não se pode ignorar o papel da grande mídia na construção de uma cultura política que desqualifica sistematicamente a política e os políticos.
E mais importante: não se pode ignorar os riscos potenciais para o regime democrático da prevalência dessa cultura política.

Por Venício A. de Lima*, na Carta Maior

Apesar da proximidade cronológica, parece razoável observar que o estopim para as manifestações populares que estão ocorrendo no país foi o aumento das tarifas do transporte coletivo e a repressão violenta da polícia (vitimando, inclusive, jornalistas no exercício de sua atividade profissional) – não só à primeira passeata realizada em São Paulo, mas também à manifestação realizada antes da abertura da Copa das Confederações, em Brasília. A partir daí, um conjunto de insatisfações que vinha sendo represado explodiu.

A primeira reação da grande mídia, bem como das autoridades públicas, foi de condenação pura e simples das manifestações que, segundo eles, deveriam ser reprimidas com ainda maior rigor. No entanto, à medida que o fenômeno se alastrou, autoridades e mídia alteraram a avaliação inicial.

A grande mídia, então, passa a cobrir os acontecimentos como se fosse apenas uma observadora neutra, que nada tem a ver com os fatos que desencadearam – para o bem ou para o mal – todo o processo.

Centralidade da mídia
Nas sociedades contemporâneas, apesar da velocidade das mudanças tecnológicas, sobretudo no campo das comunicações, a centralidade da mídia é tamanha que nada ocorre sem seu envolvimento direto e/ou indireto. Qual teria sido esse envolvimento no desencadeamento das atuais manifestações?

Um primeiro aspecto chama a atenção. Pelo que se sabe as manifestações têm sido convocadas por meio de redes sociais. Isto é, através de um sistema de comunicação independente do controle da grande mídia.

Na verdade, a se confirmar que a maioria dos participantes é de jovens (em Brasília, um dos “convocadores” da “Marcha do Vinagre” tem apenas 17 anos), trata-se de um segmento da população que se informa prioritariamente pelas redes sociais na internet e não pela grande mídia – jornais, revistas, radio, televisão.

Apesar disso, um aspecto aparentemente contraditório, mas fundamental – revelado inclusive em cartazes dispersos nas manifestações – é que os manifestantes se consideram “sem voz pública”, isto é, sem espaço para expressar e ter a voz ouvida.

Desnecessário lembrar que a grande mídia ainda exerce, na prática, o controle do acesso ao debate público, vale dizer, das vozes que se expressam e são ouvidas. Além disso, a cultura política que vem sendo construída e consolidada no Brasil, pelo menos desde que a televisão se transformou em “mídia de massa” hegemônica, tem sido de desqualificação permanente da política e dos políticos. E é no contexto dessa cultura política que as novas gerações estão sendo formadas – mesmo não se utilizando diretamente da velha mídia.

Emerge, então, uma questão delicada.

A mídia e o system blame
Independentemente das inúmeras e verdadeiras razões que justificam a expressão democrática de uma insatisfação generalizada por parte de parcela importante da população brasileira, não se pode ignorar o papel da grande mídia na construção dessa cultura política que desqualifica sistematicamente a política e os políticos. E mais importante: não se pode ignorar os riscos potenciais para o regime democrático da prevalência dessa cultura política.

Recorri inúmeras vezes, ao longo dos anos, a uma arguta observação da professora Maria do Carmo Campello de Souza (já falecida) ao tempo da transição para a democracia, ainda no final da década de 1980.

Em capítulo com o título “A Nova República brasileira: sob a espada de Dâmocles”, publicado em livro organizado por Alfred Stepan Democratizando o Brasil (Paz e Terra, 1988), ela discute, dentre outras, a questão da credibilidade da democracia. Nas rupturas democráticas, afirma ela, as crises econômicas têm menor peso causal do que a presença ou ausência do system blame (literalmente, “culpar o sistema”), isto é, a avaliação negativa do sistema democrático responsabilizando-o pela situação.

Citando especificamente os exemplos da Alemanha e da Áustria na década de 1930, lembra Campello de Souza que “o processo de avaliação negativa do sistema democrático estava tão disseminado que, quando alguns setores vieram em defesa do regime democrático, eles já se encontravam reduzidos a uma minoria para serem capazes de impedir a ruptura”.

A análise da situação brasileira, há mais de duas décadas, parece mais atual do que nunca. A contribuição insidiosa da mídia para o incremento do system blame é apontada como um dos obstáculos à consolidação democrática. Vale a pena a longa citação:

A intervenção da imprensa, rádio e televisão no processo político brasileiro requer um estudo linguístico sistemático sobre o “discurso adversário” em relação à democracia, expresso pelos meios de comunicação. Parece-nos possível dizer (…) que os meios de comunicação tem tido uma participação extremamente acentuada na extensão do processo de system blame (…). Deve-se assinalar o papel exercido pelos meios de comunicação na formação da imagem pública do regime, sobretudo no que se refere à acentuação de um aspecto sempre presente na cultura política do país – a desconfiança arraigada em relação à política e aos políticos – que pode reforçar a descrença sobre a própria estrutura de representação partidária-parlamentar (pp. 586-7). (…)

O teor exclusivamente denunciatório de grande parte das informações acaba por estabelecer junto à sociedade (…) uma ligação direta e extremamente nefasta entre a desmoralização da atual conjuntura e a substância mesma dos regimes democráticos. (…) A despeito da evidente responsabilidade que cabe à imensa maioria da classe política pelo desenrolar sombrio do processo político brasileiro, os meios de comunicação a apresentam de modo homogeneizado e, em comparação com os dardos de sua crítica, poupam outros setores (…). Tem-se muitas vezes a impressão de que corrupção, cinismo e desmandos são monopólio dos políticos, dos partidos ou do Congresso (…). (pp.588-9, passim).

Avanços e riscos
As manifestações populares devem, por óbvio, ser vistas por aqueles em posição de poder como uma oportunidade de avançar, de reconsiderar prioridades e políticas públicas.

Do ponto de vista da grande mídia, é indispensável que se reflita sobre o tipo de cobertura política que vem sendo oferecida ao país. Encontrar o ponto ideal entre a fiscalização do poder público e, ao mesmo tempo, contribuir para o fortalecimento e a consolidação democrática, não deveria constituir em objetivo da grande mídia? A quem interessa a ruptura democrática?

Apesar de ser um tema delicado e difícil – ou exatamente por essa razão – é fundamental que se considere os limites entre uma cobertura sistematicamente adversária da política e dos políticos e os riscos de ruptura do próprio sistema democrático.

A ver.

*Venício A. de Lima é jornalista e sociólogo, professor titular de Ciência Política e Comunicação da UnB (aposentado), pesquisador do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros (Cerbras) da UFMG e autor de Política de Comunicações: um Balanço dos Governos Lula (2003-2010), Editora Publisher Brasil, 2012, entre outros livros.

Artigo publicado originalmente na revista Teoria & Debate.

(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22223)

Responder

FrancoAtirador

22 de junho de 2013 às 00h05

.
.
Vídeo Didático

GLOBO E O MOVIMENTO APOLÍTICO

(http://www.youtube.com/watch?v=UiVDtWb7K48)
.
.

Responder

Pitagoras

21 de junho de 2013 às 23h32

Perfeita a análise.
Ignorância e má-fé não são qualidades exclusivas de nenhum segmento da sociedade.

Responder

    Rosemary LULA

    22 de junho de 2013 às 09h19

    O que é iço, companhero? Fora Grobo!

Luiz

21 de junho de 2013 às 22h31

A galera do “Anauê” está à solta novamente. Rolou um Neointegralismo ontem na Paulista. Teve expulsão de militantes de partidos no grito e na porrada. Nunca ouvi tantas vezes o hino nacional. Acho que não quero ouvi-lo nunca mais. O MPL não tem nem ideia do que começou com suas táticas questionáveis. Gravei as ovelhas seguindo os seus não-líderes ontem (porque, oficialmente, não tem líder né?). Carnaval venenoso esse. E o veneno se espalha, impulsionado pela mídia (o facebook principalmente, em toda a sua futilidade). Tinha cerveja, música e ódio ontem na Paulista. A criançada brincava de caras-pintadas enquanto velhacos se aproveitavam para alistá-las na escola do Nacional Socialismo. O problema não é o quebra-quebra dos vândalos que vemos na TV. O problema é esse vandalismo ideológico, silencioso, que se ergue na surdina.

Responder

    Rosemary LULA

    22 de junho de 2013 às 10h35

    Vouta LULA, vouta meu querido presidente.

Messias Franca de Macedo

21 de junho de 2013 às 21h54

… Ontem, os âncoras do [famigerado, nefasto e golpista/terrorista/antinacionalista] ‘JN’ promoveram uma cobertura dos lastimáveis acontecimentos Brasil afora, que ficará para a posteridade: nos anais do ‘que não deve ser o jornalismo’! Cobertura sensacionalista, capciosa, irresponsável, cretina, eivada de contradições, medíocre…

… “Quando é hoje”, o cinismo estampando nos cenhos franzidos de supostos condoídos pelas desgraças que aconteceram! De forma infame, apresentou – como se fosse um mártir da emissora – um funcionário vítima de uma bala de borracha…

… Enquanto isso, num mundo real do sofrimento [e não o do Projac!], pelo menos duas famílias choram copiosamente a perda de dois jovens, tenra idade, o direito à vida abortado estúpida, porém “explicavelmente”: mãos “invisíveis”, interesses escusos e abjetos, a incapacidade de perceber o mundo como deveria ser… Fraterno, justo, humano, solidário, ecumênico… Verdadeiro!…

UM DIA DE SILÊNCIO! – em solidariedade à família desses dois irmãos brasileiros, nossos irmãos do mundo – e cúmplices de um tempo perdido!…

Messias Franca de Macedo

Responder

Abel

21 de junho de 2013 às 20h32

Nunca pensei que escreveria isso, mas a LSN da Ditadura nunca foi revogada. Talvez esteja na hora de começar a usá-la em prol da democracia. Criminalização já para os meios de comunicação golpistas que insuflam a baderna!

Responder

    Biru-Biri

    22 de junho de 2013 às 09h21

    Bravo, companhêru. A LSN é um instrumento fascista, da direita golpista. Vamos usá-lo contra eles mesmos! Hahaha

Julio Silveira

21 de junho de 2013 às 20h22

é impressionante como meia dúzia de pessoas, que representam apenas suas famílias e seus interesses, conseguem se sobrepor ao interesses de toda uma sociedade? Como podem ter tanto poder para articular, para moldar para remodelar, até mesmo descaracterizar a nobreza de movimentos sociais, torna-los mesquinhos, num estalar de dedos. Como conseguem, com tanta facilidade, faze-los voltarem-se a atender os interesses dessa gente. Meia dúzia de pessoas, que representam apenas seus próprios interesses, sem correr qualquer risco, de dentro de suas mansões, conseguem fazer com que o sangue derramado pela cidadania perca sua importância e seu significado.
Hoje essa é a democracia que temos, milhões de vozes, mesmo sangue derramado por essa cidadania nacional, valem menos que as manipulações articuladas confortavelmente dentro de mansões e escritórios de estações de TV. E temos que aguentar uma lei nada democrática sobre esse meio essencial de formação da cidadania e da democracia permanecendo da forma que está.

Responder

    Darci

    21 de junho de 2013 às 22h09

    Conseguem porque durante 10 anos o “governo democrático popular” nao deu educação de verdade aos seus jovens. Uma nova geração que não viveu os anos de chumbo, que não sabe o que é ditadura se apresentou educada pela tv e pelo facebook. Ainda há tempo de reagir.

    Elza

    22 de junho de 2013 às 02h53

    Freud deu o nome a esse fenômeno… Psicologia das Massas, este é o fenômeno o qual estamos presenciando, o grupo vai seguindo, perde a identificação do seu próprio “EU”, atualmente o líder são as mídias eletrônicas… mt perigoso, pois agora é em tempo real.. é uma onda mesmo.

    E tem mais existe tanto ódio dominando o Brasil, que por mais q algumas pessoas, q trabalham com seres de luz, estão tendo dificuldades para q essa luz dilua essa onda escura, q envolve o Brasil. Ñ vamos reverter com esse mesmo ódio, quem acredita q existem seres de luz extrafísicos, q estão ajudando o Brasil, ótimo, quem não acredita ñ importa, mas pode evitar de sintonizar c esse ódio q está enorme e agir com inteligência, c a verdade.

    Os blogueiros progressistas estão ajudando muito, vcs são pilares de Luz, ñ foi a toa Azenha, q na hora q vc se desanimou e quis acabar com o blog, muita gente se propôs em financiar o mesmo, cada um estar ajudando, apesar q tlvz a Presidenta tenham ainda algumas turbulências a enfrentar, mas ela fazendo as mudanças na base parlamentar do seu governo ultrapassará. No 2º semestre ela terá um pouco mais de alívio, porém ñ podemos descuidar.

Gerson Carneiro

21 de junho de 2013 às 19h53

Povo em Campinas foi às ruas sem saber que os vereadores havia acabado de votar aumento dos seus próprios salários.

E um rapaz, na manifestação, também em Campinas, deu entrevista para a TV e pediu “menos Copa do Mundo”. Detalhe: estava vestido em uma camisa da seleção brasileira de futebol.

Responder

Preocupado com o golpe

21 de junho de 2013 às 19h22

PIG novamente nas ruas usando todas as suas armas para o retrocesso. Assim que o dito povo pedir a cabeça da presidenta eles vão fazer o efeito cascata e o facebook fará o restante. A militância deve reagir energicamente com a estratégia que foi usada para desmentir os boatos que quase impediram a eleição de Dilma.

Coma a palavra a militância.

Responder

JM

21 de junho de 2013 às 19h00

Acorda Dilma, os manifestantes estão contra a Globo.
Aproveite a chance e transforme a Globo em TV Pública!
#aglobotemqueserdopovo
#tomeagloboparaopovo

Responder

    Abel

    21 de junho de 2013 às 20h34

    Deviam soltar um #ocuperedeglobo ;)

Mário SF Alves

21 de junho de 2013 às 17h56

Vou destacar só dois parágrafos do texto:

1-“São esses jovens, de coração puro e novas ideias, que têm seus sonhos sequestrados por essa gente reacionária, manjados colunistas de Globo, Veja etc_que ditam há anos a toada da opinião publica, escondendo seus pares, e colocando na linha de frente da população a ira contra a classe política, que é, como sabemos, apenas as ponta disso tudo…Mal comparando, Renans, Sarneys, Severinos, Felicianos e Jorginhos do Posto da vida, são como o menino negro que vende droga na favela, é gente que mal sabe se expressar, são gangsters-fantoches nas mãos de PEIXES MUITO maiores…”
___________________________
2-“Por fim um pedido de paz:

Um viva a você que acordou, mas por favor, respeite a quem nunca dormiu!

__________________________________________
Só estes dois já me bastam para reconhecer a generosidade e a pertinência da análise.

Parabéns, Nelson.

___________________________________
E acrescente aí por mim: ante o desafio posto e as consequências que dele advieram e que poderão advir toda e qualquer arrogância será muito mal vinda; toda e qualquer prepotência será um desserviço à causa; assim como toda e qualquer preguiça em face da urgente necessidade de construção de consciência crítica ou referenciamento político certamente poderá significar abrir portas ao infortúnio social.

Responder

bento

21 de junho de 2013 às 17h05

Receita para evitar um golpe de direita 2 ( o resgate ):

– Vá ao programa da miss tomate Ana Maria Braga e faça outro quitute com ela.
– Vá até o “jornal foia podre” e tire uma nova foto para a velha ficha falsa.
– Aumente enormemente as verbas para o pig em detrimento dos outros meios de comunicação.
– Se não resolver…doem a chaves do palácio do planalto ao novo inquilino…

Responder

Carlos Elísio

21 de junho de 2013 às 16h55

Quero deixar claro: SOU PT!! E me orgulho disso.
Quero deixar mais claro ainda: Sou a favor da pluraridade de ideologias, e também de punição exemplar para corruptos, golpistas e outros tipos de bandidos, sejam eles apartidários ou não, pertençam a qualquer classe ou partido.

Por fim, antes de tentarem denegrir a imagem do PT, procurem conhecer a história deste partido, suas lutas, suas vitórias e derrotas.
Burgues que é burgues não aceita um bolsa-família menos ainda um cotista em uma faculdade. Estava também claro que eles viriam para a rua tentar barrar as recentes ´conquistas sociais.

Temos obras superfaturadas? Perfeito, vamos auditar e, identificada uma malversação, vamos prender, tomar tudo do canalha e devolver ao estado aquilo que foi roubado.
Os estádios tem cara de elefante? Vamos, então, otimizá-los. Que tal aproveitar as instalações para escolas, orgãos públicos (que pagam imensos alugueis) ou até mesmo Unidades de Pronto Atendimento, todos funcionando fora do horário de jogos? Implodir é que não dá não é cara pálida?

O golpe está a caminho. Atenção galera: voces nem imaginam o que é um regime ditatorial.
Se vc é burgues, ficará bem. Caso contrário, vais conhecer o pau-de-arara mano.

Responder

    Mário SF Alves

    21 de junho de 2013 às 19h15

    Você está se referindo a um Pau-de-arara, digamos, genérico, não? Parece brincadeira, mas não é não, caro Carlos. Por pau-de-arara genérico entenda-o como sendo uma referência ao retrocesso que um golpe direita iria causar ao País. Imaginemos um retrocesso brabo, sem meios termos, violento. Imaginemos, por exemplo, o retorno ao radicalismo neoliberal do FHC e à privataria tucana. Pois bem. Mas, não. Não é isso. Quem dera fosse, dolorosamente, isso. Não, amigo. Retrocesso, neste caso, num contexto deste, com os EUA espionando cada bit que circula pela rede, além de tudo, nos perpassaria a própria alma; arrancaria nossas vozes; e nossos olhos ainda mais vendados só veriam o lhes fosse externamente permitido ver. Nada muito diferente da reedição das trevas e horrores da ditadura de 64. Só que dissimulada, imposta pela pior elite do mundo não pelas armas, porém através de um golpe institucional à Paraguai.

    elizabeth

    21 de junho de 2013 às 20h32

    querido Carlos.

    Se você é PT, e quer ser legal, peça aos ladrões do seu partido devolverem todo o dinheiro roubado do povo, vide todos os escandalos que aconteceram nos ultimos anos do governo PT. sabe, dizem que você pode passar uma vida inteira fazendo coisas boas, mas só vão lembrar dos seus erros. O SEU PT, pode (para você) ter feito muitas coisas boas, mas as merdas recentes dos ultimos anos (principalmente mensalão e inúmeros casos de corrupção), é que farão parte da estória. Gostaria de saber inclusive ( se puder me responda) porque aqueles ladrões do mensalão ainda nao estão atrás das grades?? (isso ia me fazer muito bem). Eu iria fazer quadros das reportagens para mostrar aos meus netos. Já pensou que legal seria ver o ladrão e vagabundo do José Dirceu preso??
    Quero deixar aqui, bem claro, que não sou contra o PT, mas sim, contra todos os partido e políticos que aí estão, nos roubando todo dia e pior que isso, estávamos vendo e deixando. AGORA chega, acabou, espero que o paraíso de todos vocês políticos do PT ou não, se transformem num INFERNO.

    Abel

    21 de junho de 2013 às 20h37

    O problema, prezada Elizabeth, é que no inferno que se avizinha, é muito provável que você e os seus netos também sejam queimados. Como diria Lupicínio, há quem vá ao inferno “em busca de luz” ;)

    elizabeth

    21 de junho de 2013 às 21h44

    querido Abel fico feliz em ver que voce leu, a última linha de todo o meu cometário. Ao menos vocês não irão ao inferno sozinhos neh. eu farei companhia, com prazer, se for pra assistir em chamas voces de desfazendo.

    Darci

    21 de junho de 2013 às 22h21

    Elizabete , e estranho que vc nao fala dos “mensageiros” do PSDB. Se queremos justiça, que seja para todos e com o direito de defesa assegurado, essa é uma conquista da humanidade . Mas, por falar em corrupção não podemos esquecer que sem empresários não há corrupção. O dinheiro publico é carimbado, se nao. Passar nas mãos dos empresários não chega nas mãos dos políticos. Portanto, temos que acabar com os empresários corruptos.

    elizabeth

    22 de junho de 2013 às 00h57

    é que fiz um comentário em cima de do comentário do Carlos que começa dizendo EU SOU PT, mas escrevi tbm que nao sou contra o PT mas sim contra os partidos que aí estão, segue

    querido Carlos.
    Se você é PT, e quer ser legal, peça aos ladrões do seu partido devolverem todo o dinheiro roubado do povo, vide todos os escandalos que aconteceram nos ultimos anos do governo PT. sabe, dizem que você pode passar uma vida inteira fazendo coisas boas, mas só vão lembrar dos seus erros. O SEU PT, pode (para você) ter feito muitas coisas boas, mas as merdas recentes dos ultimos anos (principalmente mensalão e inúmeros casos de corrupção), é que farão parte da estória. Gostaria de saber inclusive ( se puder me responda) porque aqueles ladrões do mensalão ainda nao estão atrás das grades?? (isso ia me fazer muito bem). Eu iria fazer quadros das reportagens para mostrar aos meus netos. Já pensou que legal seria ver o ladrão e vagabundo do José Dirceu preso??
    Quero deixar aqui, bem claro, que não sou contra o PT, mas sim, contra todos os partido e políticos que aí estão, nos roubando todo dia e pior que isso, estávamos vendo e deixando. AGORA chega, acabou, espero que o paraíso de todos vocês políticos do PT ou não, se transformem num INFERNO.

    como escrevi acima, o Abel só leu a ultima frase, escreveu besteira e se calou depois disso. ele poderia ter respondido a pergunta feita ao Carlos, que disse SER PT.

    A justiça deve sim ser feita e deve começar com TODOS os mensaleiros do PT ou não, corruptos e corruptores condenados na cadeia, mas eu já me realizaria em ver o Dirceuzinho preso.

    Daniela Xavier

    22 de junho de 2013 às 01h00

    Elizabeth, por que este ódio tão grande? O FHC comprou a reeleição dele, por 300 mil a cabeça no Congresso e até hoje nunca vi ninguém xingá-lo, como a sra xingou o Dirceu. Abaixo todos os partidos? Tá legal, então vamos viver em uma ditadura, certo? A sra deve ser uma das saudosas ditatoriais. Sorry, mas eu prefiro a democracia com todos os desacertos que ela possui e prefiro o PT, que implementou mais políticas sociais do que todos os demais governos anteriores para o bem do povão.

    Ulisses

    22 de junho de 2013 às 10h40

    Elizabeth, se quer ser HONESTA por que não questiona seu PSDB? Por que o STF não julga o mensalão do PSDB? Por que não investiga a compra de votos do 2º mandato do FHC? Por que não investiga a ALSTON e o escândalo do metro de SP? Por que não investigam o BANESTADO e as contas CC5 que na década de 90 foi responsável pela subtração de 400 bilhões de dólares do Brasil, o que faz o Brasil ser um dos maiores rentistas em paraíso fiscal do mundo, uma grande parte dela pela PRIVATARIA TUCANA e a filha do SERRA um dos correntistas. Já leu este livro madame?

Movimento Passe Livre diz que não fará mais atos em São Paulo - Viomundo - O que você não vê na mídia

21 de junho de 2013 às 16h53

[…] Adilson Filho: Globo usa jovens como massa de manobra para manipular […]

Responder

lulipe

21 de junho de 2013 às 15h55

“Quem nunca dormiu” e agora se refastela com as benesses que o poder proporciona.O povo acordou, que venha 2014!!!

Responder

    Ronaldo Marques

    21 de junho de 2013 às 16h14

    E se o resultado da eleição for diverso do que vc espera, lulipe? Vcs vão para as ruas novamente, para revogar a vontade soberana da maioria?

    FrancoAtirador

    22 de junho de 2013 às 00h54

    .
    .
    Aí vão tentar aplicar o ‘Esquema Capriles’.
    .
    .

Diego

21 de junho de 2013 às 15h41

# A revolta do cara-pálida.

E a história conclama: Então você se denomina apolítico! Pois bem, eu te nomeio um animal! Pior, você é inferior a um animal, um quase ser em estado bruto, um nada! Política, seu energúmeno, significa trabalhar em prol da polis (a cidade). Do contrário você tem um discurso vazio, um discurso sem projeto de nação. Você é contra a corrupção (mas quem é a favor?), você é a favor da água limpa no mundo (mas que é contra?).

Qual a sua ideologia? Você sabe o significado de uma? Não né…Era o que pensava. Deixe-me adivinhar: pior do que se informar a partir da grande mídia, você nem é capaz de pensar: compartilha vídeos sem recortes e textos sem fontes nas redes sociais. Nem trabalho de pensar você tem. Sente a necessidade urgente de registrar uma foto sua na manifestação só para aparecer aos amigos e inimigos. Para com isso, seu idiota! A construção de uma nação não se faz por fotos, mas sim por fatos!

Vou te dizer o que levou movimentos que pregavam o não partidarismo: o golpe de estado de Salvador Allende, no chile; a marcha da família com Deus pela liberdade, em 1964, no Brasil; o fascismo italiano que se opunha a tudo. Mas não adianta comentar sobre eles aqui porque você nunca leu sobre, correto?

Toda manifestação é válida, mostra coesão do povo e um amadurecimento do estágio de consciência, mas, pelo amor de Deus, tenha uma causa! A reivindicação dos R$ 0,20 centavos foi bastante clara no início e foi uma vitória. Mas daí, sair às ruas para levantar um cartaz dizendo “as causas são tantas que nem é possível colocar aqui” mostra a sua incapacidade de pensar um pouco, até porque você está investindo seu tempo no figurino da marcha. Nem te elogiar como parte de um efeito manada eu sou capaz, porque daí eu estaria elogiando os animais. Pelo menos os bichos são capazes de revoluções ideológicas e não demagógicas, seu cara-pálida!

Ok…o gigante acordou, mas para qual direção ele está olhando?

Responder

    Adilson

    21 de junho de 2013 às 16h14

    Muito bom, Diego!

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 17h06

    qual a ideologia dos milhões q estão incluídos no bolsa-família? Será q eles sabem o q é “ideologia”?

    será q eles são polítizados ou são “uns animais”?

    Pior, segundo vc, eles são inferiores a um animal, um quase ser em estado bruto, um nada!

    No entanto, essa legião de miseráveis sabe exatamente o q quer e, quando chega a eleição, eles são bajulados pelos partidos q querem o seu voto…

    e graças a esses “animais”, opa, menos q animais, o PT está no poder há mais de 10 anos!

    vc confunde atuação partidária com atuação política… e faz isso falando todo bonito, como se alguma coisa do q vc fala, fosse certo!

    esses milhões q estão indo às ruas, estão fazendo POlÍTICA, sem estarem ligados a qualquer partido!

    mas isso deve ser muito complicado pra um ser superior como vc…

    Abel

    21 de junho de 2013 às 20h31

    A política feita pelos “animais” que você citou resume-se em quebrar tudo o que veem pela frente – e quem se interpor no seu caminho. Soltaram a besta, agora quero ver quem segura!

    elizabeth

    21 de junho de 2013 às 21h12

    obrigada por suas sábias palavras. amei cada uma delas. Voce escreveu aquilo que penso, e compelementou o meu comentário anterior.
    NÃO GOSTO de nenhum partido político, ODEIO O PT.
    Ouvi muito essa palavra ultimamente, acho que me intitulam apatidária. Gostaria de saber nesse contexto. O QUE EU SOU. apolítica, apartidaria? a… alguma coisa? a… o que?
    O PT e seus petistas só se beneficiaram, nesse últimos anos, enriqueceram às nossas custas. Acho que estão cuspindo no (grande) prato que comeram.

Ronaldo Braga

21 de junho de 2013 às 15h13

Enviei o seguinte email para o jornalista Ricardo Boechat ([email protected]) que apresenta um programa matinal chamado Band News Rio 1ª Edição na rádio Band News Fluminense FM entre 9:30 e 10:30:

Prezado Boechat,

Sou ouvinte assíduo da Band News Fluminense FM, especialmente do Jornal Band News Rio 1ª Edição.

Discordo em muitas coisas em relação à cobertura que está sendo feita pela mídia em geral das manifestações populares, e especialmente pelas suas intervenções.

O que tenho visto são profissionais do jornalismo atuando como se fossem porta-vozes do movimento, como por exemplo sugerindo pautas e formas de atuação. Isso não é jornalismo.

Dizer que as manifestações são “espontâneas” é de uma ingenuidade (ou seria conveniência?) infantil. Acreditar que todo este aparato e organização foi “espontâneo” não me convence. Mas esse não é o ponto que me fez te escrever.

Há dias você vem dizendo que acha legítima a ocupação dos palácios governamentais como forma de atuação política.

Hoje você disse que a mídia é conivente com o “estado de coisas” em que o país se encontra, pois de certa forma até blinda os governos. O que eu concordo em parte, pois a mídia não poupa os governos do PT e blinda os governos do PSDB e DEM. Mas isso é outra discussão.

Então, já que, segundo sua opinião, a mídia é cúmplice dos governos e, por outo lado, você acha legítima a ocupação dos palácios como forma de atuação política, pergunto: você considera legítima a ocupação das redações de jornais e das emissoras de rádio e televisão como forma de atuação política?

Abraço,
Ronaldo Braga.

Responder

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 15h25

    mas o PT sempre apoiou as ocupações do MST, por exemplo…

    e não só no campo, como nas cidades tb!

    qual o problema, companheiro?

    vc apenas está descobrindo q ser pedra é muito mais fácil q ser vidraça!

    Ronaldo Braga

    21 de junho de 2013 às 17h19

    A pergunta que eu coloquei está bem clara. Você não propôs uma resposta à minha pergunta.

    albuquerque costa

    21 de junho de 2013 às 18h28

    Colocação perfeita,falou tudo.

    Abel

    21 de junho de 2013 às 20h39

    Eu nunca vi ocupação do MST tacar fogo em repartição pública ou apedrejar vidraças. Quer enganar quem, playboy?

    Paulo figuera

    21 de junho de 2013 às 21h24

    O MST invade terras improdutivas e griladas na luta pela reforma agrária, o que é bem diferente de vândalos fascistas e playboys de shopping depredando e invadindo prédios publicos.

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 22h05

    Abel e Paulo…

    Como dizer educadamente q os 2 mentem descaradamente?

    João Oloveira

    21 de junho de 2013 às 15h46

    Boechat é um dos poucos que eu respeito na grande mídia.

Luis Cortinhas

21 de junho de 2013 às 15h09

quando o povo vota no PT, é pq amadureceu..

quando protesta, é pq está sendo manipulado?

ahhhh tááááá

Responder

    abolicionista

    21 de junho de 2013 às 15h41

    Caro Luis,

    protestar contra o PT é mais do que legítimo. Protestar contra todos os partidos políticos, contra a existência de partidos é anti-democrático.

    A força de um movimento político depende muito da firmeza, da importância e da clareza de suas pautas. Um movimento sem pautas é facilmente cooptado. Qual a pauta desse movimento?

    De nada adianta carregar cartazes com dizeres genéricos como “corrupção”, “educação”, “saúde”, mas não saber nada a respeito desses problemas, pelos nada além daquilo que a Globo mostra. Por exemplo, que educação queremos? Quais os problemas concretos da educação no Brasil? Queremos mais professores? Outro tipo de escola? Melhorias salariais? Quais são as revindicações? O maioria dos entrevistados não sabe responder perguntas básicas sobre a situação do país.

    Infelizmente, tudo o que vejo é a espetacularização de um protesto que começou legítimo, seu esvaziamento pela ação orquestrada dos grandes meios de comunicação, pela mídia corporativa que envenena nossa democracia.

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 16h21

    ninguém, q eu saiba, está protestando contra a existência de partidos políticos!

    o q os manifestantes estão querendo é não partidarizar o movimento, o q é totalmente diferente!

    por falar em cooptar, foi exatamente isso q quis o presidente do PT ao pedir bandeiras do partido durante as passeatas!

    sobre a pauta do movimento, tb acho q ela nem existe de tão ampla… mas isso não é crime ou caracteriza um “movimento orquestrado da direita globo-golpista” contra o PT!

    Mais uma vez:

    quem achar q esse movimento é contra o PT, proponho um teste:

    vista uma camisa com a foto do Jair Bolsonaro, pegue uma bandeira do DEM e vá na próxima manifestação de rua…

    depois volta pra dizer como foi!

    ps: o movimento está “esvaziado”? puxa… o q vc considera movimento cheio?

    Adilson

    21 de junho de 2013 às 16h24

    Exatamente..e são nessas mentes vazias e confusas que a mídia entra, ocupa e faz o seu carnaval. Daí o sujeito que era tranquilo, que queria mais que o mundo acabasse em barranco pra morrer encostado, que tava quieto tomando seu suquinho de uva e comendo sua pipoca no sofá, pra demonstrar que é antenado e politizado, nessas horas em que todos tem que dar uma opinião, sai por aí ensandecido a repetir mantras fascistas sem sequer se dar conta..

    Esses, os papagaios de telejornal, é melhor nem responder.

    abraços

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 17h37

    Adilson…

    vc poderia reproduzir quais os mantras fascistas q estavam sendo cantados pela multidão?

    Mário SF Alves

    21 de junho de 2013 às 19h53

    Reducionismo. Prezado Luis Cortinhas, sinto discordar. Mas a questão é política. Pelo menos – e felizmente – sido assim no Brasil. Quer se admita ou não é inegável que os doze últimos anos têm sido vitais no resgate da representação política. A mesma representação que até então estava sequestrada pela imposição do radicalismo neoliberal que assolou e ainda assola o País.
    Não nos iludamos. Não há vazio de representação ideológica. Se o PT não reagir, se ainda não estiver amadurecido o suficiente para suportar o tranco, quem vai ocupar o lugar dele vai o outro polo ideológico. Ou seja, partindo da premissa que o PT é de esquerda, o outro polo, ou seu oposto, é a direita.
    Ação política sem uma pauta de ação política? Ação política sem diretriz política? Ação política que não pressupõe objetivo claro, factível, politicamente defensável? Sei não, heim…
    Prefiro recordar a mensagem do Lula dizendo que o mundo hoje, mais do que nunca, precisa mesmo é de uma globalização da Política.

Mailson

21 de junho de 2013 às 15h06

Jornal Nacional tem baixa audiência nesta quinta, 20.

http://felipemazolli.wordpress.com/2013/06/21/jornal-nacional-registra-baixa-audiencia-nesta-quinta-20/

Responder

Arlindo Alves Aristo

21 de junho de 2013 às 15h04

Essa é uma tática revolucionária. O povo unido jamaiz será vencido. Fora Globo!

Responder

Marco

21 de junho de 2013 às 15h02

“Há uma massa de jovens desiludidos com a política, pois não encontram nesse modelo arcaico uma representatividade à altura de seus novos sonhos e anseios. Esses são a maioria, e isso é legítimo. Foi dessa turma bem intencionada que surgiu o MPL.” De boa intenção o inferno tá cheio. Não há espaço para “ingênuos” ou “inocentes” ou “apartidários” ou o ainda mais imbecil “apolítico”. Ou você se conscientiza do que está acontecendo, ou será massa de manobra. Se não sabe fazer uma coisa, não faça!

Responder

Guanabara

21 de junho de 2013 às 14h47

O PIG venceu. Se derrubarem a Dilma, o que irá vir? Michel Temer?

O foco desse movimento deveria ter sido a vida mansa dos donos de empresas de ônibus no país inteiro, que lucram absurdos às custas de uma concessão pública, oferecendo um serviço péssimo. Ao invés de diminuírem esses ganhos dos donos de concessão, vão aumentar os subsídios, ou seja, o aumento saiu do mesmo jeito e continua sendo pago por nos.

Responder

    Mário SF Alves

    21 de junho de 2013 às 19h59

    Afinal, como é que é a história da consolidação desse negócio no Brasil? Quem tem origem lá nos tropeiros, os empresários ou o meio de transporte?

MARINALVA

21 de junho de 2013 às 14h33

VÍDEO SENSACIONAL!

Conceição Lemes, eu lhe peço, resgate este vídeo para o Vi o Mundo. Eu lhe garanto, vale a pena:

http://www.conversaafiada.com.br/tv-afiada/2013/06/21/sensacional-a-globo-nao-esta-do-nosso-lado/

Responder

Luis Cortinhas

21 de junho de 2013 às 14h21

Além de petista, o q faz Adilson Filho?

o texto é totalmente fantasioso, parcial… falso!

quer dizer q o q está acontecendo foi a Globo q causou?

inclusive as agressões a profissionais da emissora?

Azenha, como jornalista, deveria parar, pensar e não publicar bobagens como essa…

Responder

    Alfredo

    21 de junho de 2013 às 15h40

    Na minha opinião quem sofreu lavagem cerebral foram os escritores deste site. Ficam demonizando a Globo, que não é santa nem nada, mas que se importa mesmo é com Ibope e faturamento, e a Direita, ao invés de tentarem analisar os acontecimentos através de suas manifestações mais óbvias: movimento de cidadania sem uma organização central e uma pauta estabelecida. Ficam estranhando a luta de jovens de classe média, como se a vida deles fosse um paraíso, como se a corrupção não os prejudicasse. Ficam falando em fascismo, quando o que a maioria só quer é se reunir para mostrar que os políticos serão cobrados, que os jovens querem participar das decisões. Falam da Direita diluindo as reivindicações e usando o movimento para brigar por suas pautas, quando o que parece é que a esquerda quer aparecer no movimento, tomar suas glórias e fazer deste algo seu, com suas bandeiras.

    Adamastor Xexéu

    21 de junho de 2013 às 15h50

    Ninguém disse que a Globo é responsável pelo que aconteceu.

    Agora, a única pessoa que não viu a globo inflar o movimento, se dar mal, tentar consertar o inconsertável, tentar politizá-lo e, agora, clamar por sua continuidade foi você.

    Por falar na legião de estúpidos que a mídia criou, quem são os arruaceiros infiltrados no movimento?…Bombados, não trabalham, não estudam, mascarados….Quem são eles???/…Quem os colocou alí????

    Você já viu este modus Operandis antes?

    Luis Cortinhas

    21 de junho de 2013 às 16h13

    em momento algum defendi violência ou arruaceiros!

    espero q a polícia identifique e prenda todos eles e q a justiça os puna!

    em relação à “teoria da conspiração”, o q mais chama a atenção é como o PT e os petistas odeiam qualquer tipo de oposição, crítica ou opinião contrária…

    segundo vcs, fora do PT não há salvação e qualquer voz q discorde, aparece logo os gritos de “é golpe!”, “é a direita!” ou essa agora, “é a Globo!”

    acha q esse movimento é somente contra o PT?

    faça um teste:

    vista uma camisa com a foto do Jair Bolsonaro (mais de direita, acho difícil), pegue uma bandeira do DEM e vá na próxima manifestação de rua…

    depois volta pra dizer como foi!

cristiane

21 de junho de 2013 às 14h19

O Brasil vive um clima parecido com o Chile de 1973 o golpe está nas ruas O Faschobook e seus jovens imbecis que dizem que odeiam a Globo mas não perdem um capítulo da novela deles dão entrevistas para a Globo e ruminam slogans neo udenistas de moralidade politica não tem visão histórica são contra programas sociais porque na cabeça deles isso não existe nas “Oropa” onde eles vão PASSAR AS FÉRIAS. mal sabem que na ALEMANHA por exemplo pagam salário para quem fica desempregado mas aqui querem que os pobres morram “onde já se viu (pensam eles) eu não poder comprar os meus IPOD NUM-POD e o governo pagando bolsa para quem não tem o que comer danem -se eles eu quero comprar tenis de marca” assim pensa classe média fascista do Brasil neo udenista e a globo veja e afins agora amam os manifestantes são os meninos dos olhos deles. os meninos do Faschobook não falam em reformar a democracia por que são homofóbicos racistas elitistas, machistas e falsos moralistas ” sou contra partidos” ” sou apartidário” ” eh…sou contra tudo que esta aí” repetem como papagaios não querem diálogo por que não tem propostas para o Brasil apenas slogans surrados e um enorme desejo de golpe. para esses imbecis, o judiciário deveria governar por decreto. Alguns jovens que apoiaram o golpe de 64 em 1968 estavam na luta armada contra a ditadura tinham se arrependido amargamente mas isso os jovens do Faschobook não sabem pois não podem desligar seus “num-pod” e estão vendo se vão dar entevista para a Globo e gritar :” uhuu! sou contra tudo que esta aí! mae to na globo filma eu” com olhar tristinho e de neo udenista.

Responder

Mardones

21 de junho de 2013 às 13h48

Sempre que falar da Globo é imperioso falar de parte do seu milionário financiamento feito pelo governo federal.

– Alguém que segue acordado.

Responder

Luís Carlos

21 de junho de 2013 às 13h25

A cantilena do niislismo da Globo e demais se infiltrou como veneno difícil de ser retirado. Niilismo fascista inchado de suas características essencias contra a política e direitos políticos, com violência, machismo, homofobia, racismo e outras diversas formas de intolerância. A ideologia da violência se espalha com o niilismo Global, conforme autor do texto, “mídia doente e assassina”.

Responder

Marcos K

21 de junho de 2013 às 13h19

È mais ou menos por aí. A Globo deveria ter sido a primeira a ser criticada e combatida pelo MPL, mas ela foi muito mais esperta e saiu na frente, transformando tudo o que este movimento tinha de genuíno num imenso carnaval a ser televisionado para encantar os incautos. Também ficou claro que como ela assumiu o comando se a coisa continuar não vai demorar muito para o próximo alvo ser o governo trabalhista. Aí já é tarde, mas bem que o PT foi avisado…

Responder

Scriptum Vitae

21 de junho de 2013 às 12h51

Se virarmos a carta, o que você faz nesse texto é essencialmente o que você diz condenar na ‘mídia tradicional’. Você tenta usar o jornalismo, através da midia escrita, para influenciar as pessoas (manipulá-las?) da mesma maneira que aqueles veículos citados o fazem. Você apenas repete o ato deplorável de um ponto de vista esquerdista, tão nefasto quanto o direitista.

Responder

    Eduardo

    21 de junho de 2013 às 13h34

    A verdade é que o debate deve ser feito. O fato dele ter escrito um texto em oposição ao discurso da grande mídia não o desabona e tampouco o coloca em situação de igualdade, levando em consideração que a pretensão do autor foi inserir um pouco de “antítese” ao discurso preponderante.

    Outra questão, e ele falou alguma mentira? Vamos atacar os políticos de modo geral então, que são acusados (em parte, com razão) de serem corruptos. Mas e os corruptores? Quem os conhece? Quem realmente sabe o que significa a figura de um Daniel Dantas?

    jose marcos

    21 de junho de 2013 às 13h34

    Covarde não tem coragem nem de dizer o nome!!! Seu comentário é oco como são a maioria de sua espécie.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding