VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

FHC, o Facebook e a “coalizão de vontades”


20/05/2011 - 19h59

por Luiz Carlos Azenha

Quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso escreveu um artigo sugerindo rumos para a oposição ao governo Dilma, na revista Interesse Nacional, reproduzido aqui, a mídia corporativa, que obedece primariamente ao princípio da espetacularização comercial da notícia, pinçou uma frase do texto, em que FHC supostamente desprezava o povão, para gerar um debate que perdurou alguns dias na blogosfera.

Porém, como já notou o Gilberto Maringoni de Oliveira, aqui, há mais substância no texto que uma leitura rápida sugere.

Recorto alguns parágrafos:

“Sendo assim, dirão os céticos, as oposições estão perdidas, pois não atingem a maioria. Só que a realidade não é bem essa. Existe toda uma gama de classes médias, de novas classes possuidoras (empresários de novo tipo e mais jovens), de profissionais das atividades contemporâneas ligadas à TI (tecnologia da informação) e ao entretenimento, aos novos serviços espalhados pelo Brasil afora, às quais se soma o que vem sendo chamado sem muita precisão de “classe C” ou de nova classe média.

Digo imprecisamente porque a definição de classe social não se limita às categorias de renda (a elas se somam educação, redes sociais de conexão, prestígio social, etc.), mas não para negar a extensão e a importância do fenômeno. Pois bem, a imensa maioria destes grupos – sem excluir as camadas de trabalhadores urbanos já integrados ao mercado capitalista – está ausente do jogo político-partidário, mas não desconectada das redes de internet, Facebook, YouTube, Twitter, etc.

É a estes que as oposições devem dirigir suas mensagens prioritariamente, sobretudo no período entre as eleições, quando os partidos falam para si mesmo, no Congresso e nos governos. Se houver ousadia, os partidos de oposição podem organizar-se pelos meios eletrônicos, dando vida não a diretórios burocráticos, mas a debates verdadeiros sobre os temas de interesse dessas camadas”.

Infelizmente, talvez por conta de sua posição na hierarquia partidária, FHC não avançou na questão-chave, que o obrigaria a admitir o fracasso da direção do PSDB — e sua política de conchavos de bastidores, que exclui a grande maioria dos brasileiros, muitos dos quais votaram em José Serra em 2010: o uso das redes sociais para fazer política cotidiana tem como força motriz básica o descompasso entre os partidos políticos em particular e as instituições em geral e as demandas dos eleitores, filiados ou não.

Esse descompasso só se torna mais agudo por uma particularidade das redes sociais: elas aceleram o chamado “processo político”, enquanto a resposta às demandas se dá nos passos jurássicos da burocracia estatal, em todas as esferas.

Um exemplo particular tivemos no já famoso caso da estação de Metrô de Higienópolis: um único internauta, aparentemente insatisfeito com uma decisão tomada a partir do lobby de uma associação de moradores do bairro, sem considerar os interesses do conjunto da cidade de São Paulo, conseguiu arregimentar mais de 50 mil pessoas em um protesto virtual que, em seguida, se materializou de forma autônoma e apartidária nas ruas. Por ironia, aqueles profissionais de “tecnologias de informação” aos quais se referiu FHC muito provavelmente se juntariam à manifestação do Higienópolis, contra a política pouco transparente do Metrô de São Paulo na definição dos locais em que implanta estações.

Como troca horizontal, de várias mãos de direção, entre iguais, “transparência” é um dado essencial na blogosfera e nas redes sociais.

Como notou o blogueiro Eduardo Guimarães, aqui, os colunistas de jornal que foram ao protesto miraram no particular (a suposta falta do “povão” na manifestação) e perderam o essencial: as redes sociais são muito eficazes para promover o que eu chamaria de “coalizão de vontades”. Não estive no protesto de Higienópolis, mas me arriscaria a dizer, a partir de relatos que vi e ouvi, que ele foi importante por demonstrar que há um número crescente de eleitores que exigem participar da definição de políticas públicas.

Foi uma coalizão de vontades que derrubou o governo do Egito, em manifestações que ganharam força depois que um blogueiro chorou numa entrevista de televisão, conforme noticiamos aqui.

O que me leva ao próximo ponto: diferentemente dos jornais e das revistas, que são meios frios, do intelecto, a blogosfera, tanto quanto a televisão, é um meio “quente”, que combina o emocional com o intelectual.

Daí o sucesso, por exemplo, do discurso da professora do Rio Grande do Norte, que protestou contra as condições da educação em seu estado, que reproduzimos aqui. No vídeo da professora, a apresentação enfática acrescentou força à argumentação.

E a mensagem dela nunca sairia do Rio Grande do Norte não fosse a existência do You Tube: no tempo do Assis Chateaubriand, a professora jamais opinaria, por não ter dinheiro para comprar uma câmera, por não ter acesso a uma rede de televisão, por não ser uma “especialista” eleita por jornalistas.

Já escrevi, anteriormente, que o fenômeno das redes sociais está provocando uma revolução dos chamados “formadores de opinião”.

Isso se dá, em parte, pela dinâmica das redes sociais: os antigos “leitores” agora também são “produtores de conteúdo”; e, como digo sempre, são polinizadores. Distribuem os textos que julgam interessantes para os amigos, via twitter, orkut, facebook — a perder de vista.

Uma pergunta simples: você compraria um carro recomendado por um amigo ou por um estranho, com o qual não tem qualquer relação pessoal?

De outra parte, se dá também pelo caráter muito particular dos meios impressos:

1. Eles não contemplam a interação, são vias de mão única, são frios (na padaria, lendo o jornal, você já conseguiu obter uma resposta do colunista questionado por você?), pressupõe hierarquia entre autor e leitor.

2. A mídia corporativa, com seus múltiplos interesses econômicos, tende ao discurso “unitário”, centralizado, vertical, controlado do topo, distante da cacofonia da blogosfera e das redes sociais.

Mesmo que pontualmente, eu não concordo com 99% dos posts que reproduzo neste site. Nem, necessariamente, com os comentaristas. Mas posso citar dezenas de textos e livros e vídeos e documentários que li e vi a partir dos comentários. Ou seja, aprendi com os comentaristas. Quando muito, sou um mero administrador da “coalizão de vontades” dos frequentadores do site, como são muitos de meus colegas, do Luis Nassif (um pioneiro) ao Eduardo Guimarães, da Maria Frô ao Altamiro Borges, do Rodrigo Vianna ao Marco Aurélio Mello, do Paulo Henrique Amorim ao Idelber Avelar, do Rovai ao Marco Aurélio Weissheimer (com desculpas antecipadas aos não citados).

Essas coalizões não são formadas por néscios: nossos leitores são médicos, operários, engenheiros, sindicalistas, advogados, professores. Tem o Zé Povinho, o Stanley Burburinho, a Carmen Leporace. Não discriminamos por classe social, por conhecimento de gramática, por nickname.

As coalizões de vontades, como temos visto na Espanha, não respondem a uma liderança centralizada: elas são representativas de demandas amplas, sufocadas por instituições que não respondem ou foram corrompidas por colocar interesses privados acima do interesse público.

Alias, é preciso enfatizar que a blogosfera e as redes sociais, em si, não são revolucionárias. São apenas instrumentos. Os protestos no Egito e na Espanha jamais atingiriam as dimensões que atingiram se não existissem demandas sociais não atendidas institucionalmente.

Felizmente, para a oposição, o governo Dilma parece não ter compreendido essa dinâmica.

Pelo contrário. Independentemente do mérito da decisão, a forma abrupta como o Ministério da Cultura retirou de seu site o símbolo do Creative Commons — uma decisão, repito, banal — teve o dom de afastar do governo algumas centenas de militantes virtuais que, com seu conhecimento das redes sociais, eram responsáveis pela reprodução e multiplicação de textos, fotos, vídeos e notícias de apoio às políticas públicas do novo governo.

Faltou, ao governo Dilma, a capacidade de entender que o Creative Commons é — ainda que alguns digam tratar-se de ferramenta do “imperialismo” — resultado e ferramenta de uma “construção coletiva” do que poderíamos chamar de “nova política”: horizontal, multifacetada, compartilhada. Se o objetivo era detoná-lo do site do Ministério da Cultura, que pelo menos isso fosse feito a partir de um debate e de forma transparente, não como decisão hierárquica, unilateral, de “força”, de cima para baixo.

Ah, a soberba…

[Leia aqui uma didática entrevista com o Sergio Amadeu, que é do ramo]

Por outro lado, se FHC teve a capacidade de perceber, em seu artigo, que nos períodos não eleitorais há gente disposta a fazer política nas redes sociais, é possível que um governador do PT, Tarso Genro, no Rio Grande do Sul, se torne o primeiro a “institucionalizar” a dimensão política das redes sociais, com a criação de um gabinete digital a partir da próxima semana. Só vendo no ar para saber se, de fato, haverá interação entre os eleitores e o Poder Público.

Como enfatizei acima, a característica central da blogosfera é ser, sempre, uma via de várias mãos.

Integrar as redes sociais à política requer, com certeza, uma nova forma de fazer política. Assim como requer, dos jornalistas, uma nova postura diante de leitores, ouvintes e telespectadores. Mas isso eu pretendo explorar melhor nas palestras que farei na próxima quarta-feira em Salvador e, em seguida, no Encontro de [email protected] e [email protected] Gaúchos, em Porto Alegre.





76 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Hans Bintje

23 de maio de 2011 às 14h09

A Internet é inútil. Vamos aos fatos: Espanha e Brasil.

*****

O Azenha citou o caso da Espanha. Vejamos o que aconteceu por lá.

Da BBC, duas matérias de 22/05/2011:

Manifestações na "Puerta del Sol" ( http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/05/… )

"No sábado, milhares de cidadãos protestaram contra os altos índices de desemprego e as medidas de austeridade impostas pelo governo.

Muitos manifestantes permanecem acampados nas principais praças do país. (…)

Na capital do país, Madri, cerca de 30 mil pessoas ocuparam a praça Puerta del Sol, no centro da cidade.

Manifestações semelhantes, apelidadas de M-15, aconteceram em Barcelona, Valência, Sevilha e Bilbao."

Consequência: mesmo com as manifestações pedindo "direitos sociais", a Direita venceu ( http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/05/… ):

"No início da noite (horário de Brasília), com cerca de 91% dos votos municipais contados, o Partido Popular (centro-direita), principal agremiação de oposição, liderava com uma margem média de dez pontos percentuais.

O PP também saiu na dianteira na contagem de votos em praticamente todos os 13 governos regionais disputados no pleito deste domingo."

*****

O PHA resume a história no Brasil: "Este ansioso blogueiro já disse aqui que, sem a Ley de Medios, a Classe C vai eleger o Berlusconi."

E explica ( http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/05… ):

"A classe média vai ao Paraíso da casa própria – 'toda classe média do mundo quer isso', diz a Geórgia [Pinheiro, diretora- executiva do Conversa Afiada] – e, como toda classe média, se torna conservadora.

Este ansioso blogueiro já disse aqui que, sem a Ley de Medios, a Classe C vai eleger o Berlusconi.

Hoje, como observaram o Mino e a Carta Capital, o Aécio (o do bafômetro) e o Cerra (do Paulo Preto e do 'perito' Molina) estão mudos – passam a mão na cabeça do Palocci, com medo do telhado de vidro.

Mas, em 2014, se alguma coisa balançar o coreto da estabilidade econômica …

Se alguma coisa der a sensação àquele analista de sistemas de que estão querendo que ele volte à classe 'D'.

Se alguém ou alguma coisa ameaçar sua vertiginosa ascensão …

Se os Brucutus do Cerra – o Cerra sempre fica mudo, quando se trata de denunciar a corrupção – desembrulharem a empresa do Palocci e o faturamento de 10 milhões entre o fim da campanha da Dilma e a posse na Casa Civil …

Dez milhões em dois meses, amigo navegante !

Se, se, se …

A oposição vai se pendurar no pescoço da UDN e do Partido Republicano Paulista e empunhar a velha bandeira de guerra: a Moralidade e os Costumes.

Se não houver uma Ley de Medios para a presidenta mostrar o que é uma fila do 'Feirão da Caixa' (porque se o jn do Ali Kamel falar vai ser para espinafrar a falta de ar condicionado do lado de fora do Centro de Olinda) …

Se, se, se …

O Cerra será eleito em 2014."

Responder

Fátima Soares

23 de maio de 2011 às 10h11

Importante lembrar também o blog da Petrobras, criado por força de uma CPI maliciosa e com o objetivo pífio de denegrir a imagem da empresa. O blog, embora de uma instituição, foi importante para esclarecer e desarticular, na época, as artimanhas da imprensa que deturpava (deturpa) as ações empreendidas. Hoje, menos acessado, serve aos mesmos propósitos, ainda que sem tanta ênfase.

Responder

Lucas

22 de maio de 2011 às 23h43

RENATO RUSSO BOMBANDO NOS CINEMAS EM 2011?!
Três filmes envolvendo a Legião Urbana estão sendo rodados simultaneamente, a conferir no link:
. http://desatualidadescronicas.blogspot.com/2011/0
.
Ao menos uma Brasília que vale a pena: a cidade de onde saíram algumas das melhores bandas de rock do país: Legião Urbana, Plebe Rude, Paralamas do Sucesso e Capital Inicial.

Responder

Lucila

22 de maio de 2011 às 23h39

Não esqueçam de repercutir! http://4.bp.blogspot.com/-0zLm_cft9Cc/Tdm4zLVIRhI

Responder

Lucila

22 de maio de 2011 às 23h15

Não esqueçam de repercutir #dezporcentodopibja para a educação, de adesão nacional, após a fala da profa. Amanda Grugel no Faustão!

Responder

domingos

22 de maio de 2011 às 17h30

Somos nós que fazemos a política moderna, este local é palco de uma revolução. Verifiquem que a "principal" emissora de tv do Brasil está perdendo audiência de forma galopante,ou seja, ninguém consegue mais assistir uma programação que não interessa a ninguém. Enfim, somos ou estamos livres da pouca inteligência.

Responder

Mauro A. Silva

22 de maio de 2011 às 17h26

Digite o texto aqui![youtube tFttsITRMkw http://www.youtube.com/watch?v=tFttsITRMkw youtube]
A mãe Cremilda Teixeira responde à professora-sindicalista Amanda Gurgel.

20/05/2011 08h33
Assembleia Popular

Maior rigor
Cremilda Estella Teixeira, secretária executiva da Comissão de Cidadania da OAB/SP, disse que melhores salários não resolverão os problemas da educação. Para ela, é preciso maior rigor na fiscalização dos professores.

***
O Programa Assembleia Popular é gravado todas as quartas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Um resumo é publicado no Diário Oficial da Assembleia Legislativa de SP. E o programa é transmitido pela TV a cabo NET (canal 13) e pela TVA (canal 66) aos sábados, das 20h às 21h. O programa Assembleia Popular também pode ser assistido neste mesmo horário pela internet no seguinte endereço:
http://wwi.al.sp.gov.br/web/altv/alesp.asx

Responder

    Lucas Parente

    22 de maio de 2011 às 18h52

    "O salário é só um detalhe…" Mãe Cremilda.
    O salário é um detalhe? Só se for o seu e o da tal mãe Cremilda, porque o meu, pra mim, é nada menos que ESSENCIAL. É claro que é necessário fiscalização em todo e qualquer setor público. Na minha modesta opinião, fala deveras vazia essa da tal mãe Cremilda. E tenta desviar o foco do que é ESSENCIAL: o salário.

    Sou advogado e não entendo porque um juiz ou um promotor de justiça ganha tanto a mais do que um professor. Alguém aí consegue me explicar? Juiz e promotor são mais importantes para um país do que um professor?

    Sem remuneração digna, não há como cobrar serviço de qualidade. Não pode haver educação de qualidade com professores tão mal remunerados.

    Jr.

    22 de maio de 2011 às 20h39

    Essa cidadâ é uma legítima representante do PIG/DEM/PSDB. Apoiadora das políticas publicas de sucateamento da educação. Quanto não deve ganhar essa pessoinha aí? Aposto que mais que os professores da rede estadual.

    caioha

    22 de maio de 2011 às 21h17

    “A culpa é dessa estrutura podre"

    Concordo, por conta disso precisamos modificá-la.
    Começando com as melhorias salariais para os professores.

    Augusto

    23 de maio de 2011 às 13h47

    É muito sinismo mesmo, pagar pouco aos professores e ainda cobrar mais ainda dos mestres.
    Vai te catar!

    Mauro A. Silva

    24 de maio de 2011 às 10h58

    Pouco? São R$ 930 por 30 horas semanais…
    Salário de Deputado Estadual = R$ 19 mil
    Salário de professora = R$ 930 reais
    Merenda do aluno = R$ 0,21 centavos
    Ouvir professora sindicalista dizer que
    o professor come a merenda do aluno
    porque não tem recurso para se
    alimentar fora de casa.. = NÃO TEM PREÇO!!!
    [youtube gWphYx6Fr8U http://www.youtube.com/watch?v=gWphYx6Fr8U youtube]

    beattrice

    24 de maio de 2011 às 02h08

    Só podia ser OAB/SP.

Quando a mídia é parte do problema. « OPINIÃO

22 de maio de 2011 às 14h12

[…] Leia aqui uma reflexão sobre a blogosfera e as mídias sociais […]

Responder

Luisc

22 de maio de 2011 às 12h55

Moçada, quanto mais responder a esse ou essa troll tucana, mais ele/ela vai se assanhar.
De resto é proponho entrar no clima e fazer uma grande campanha pelas redes sociais:
CPI Mista do caso Palloci.
Presidente Aécio Neves
Relator dep. Protógenes
Será que os tucanos topam?

Responder

Quando a mídia é parte do problema | Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de maio de 2011 às 12h36

[…] Leia aqui uma reflexão sobre a blogosfera e as mídias sociais   […]

Responder

Azenha fez um texto pra distribuir na praça | Blog do Rovai

22 de maio de 2011 às 11h14

[…] texto que segue do Azenha é daqueles que quando o mundo era analógico a gente imprimia um monte no mimiografo e saia por aí […]

Responder

Mirtez

22 de maio de 2011 às 03h54

Isso é um aplauso ao FHC?
Tô intendenu não…

Responder

SILOÉ -RJ

22 de maio de 2011 às 00h06

Azenha, parabéns pela sacada.
Me fêz lembrar as apresentações de TIM MAIA , quando cobrava dos operadores de som, o tal "RETÔRNO" por vezes parando até o show.
-Que saco!!! Será que não dá pra ele ouvir a música sem essa droga de "RETÔRNO"!!! – dizia eu.
Isso pra ele era pouco: Ele tinha que ouvir o som de todos os instrumentos para se dar por satisfeito.
Agora eu entendo o TIM MAIA.
É isso o que todos nós queremos dessa nova mídia, e é isso que há muito você nos dá,
RETÔRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRNO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

ZePovinho

21 de maio de 2011 às 23h53

O Facebook apagou o perfil de um jogador brasileiro que prestou solidariedade ao povo palestino.Acho devíamos repensar a relação com essa rede social:
http://redecastorphoto.blogspot.com/2011/05/cbf-e

bado, 21 de maio de 2011
CBF e o Nazi-Sionismo? / CBF and the Nazi-Zionism?
English version below

Marcelo Vieira é lateral-esquerdo do Real Madrid (time conhecido por sua torcida fascista e por ter sido time do coração de Francisco Franco) e, até ontem, era dado como certo para disputar a Copa América e para os amistosos contra a Romênia e Holanda no começo do próximo mês.

O corte na seleção seria algo normal se o jogador não tivesse se envolvido em uma polêmica recentemente por apoiar a causa palestina.

No dia 15 de maio, dia da Nakba, ou Grande Catástrofe, a criação oficial do Estado Nazi-Sionista de Israel, Marcelo postou em seu facebook uma foto de um lutador palestino com a frase "My heart with Palestinian now as they fighting with Israel” ["Meu coração está com os palestinos em sua luta contra Israel", em tradução literal]. Foi o suficiente para que o Facebook DELETASSE o perfil de Marcelo Vieira depois de pressão de Sionistas.

Two days later, the unexpected happened. Marcelo Vieira’s Official facebook page was shut down. Official Real Madrid website mentioned that the facebook administration received requests from Israelis to shut down the page as it was inciting violence against Israel by supporting the Palestinian Intifada.

Interessante é a ausência total de repercussão do caso no Brasil, assim como em blogs pelo mundo. O jornal israelense YNET divulgou o caso (em hebraico, e aqui uma tradução) e alguns poucos blogs repercutiram.

O primeiro absurdo do caso é o fato do facebook deletar a conta de um usuário por este manifestar solidariedade ao povo palestino. Que direito tem o Facebook de deletar a conta de alguém, sem aviso, por defender uma causa política legítima? Não é a primeira vez que o Facebook deleta contas de militantes políticos ligados à causa palestina ou mesmo à causa basca, movimentos sociais, de esquerda e etc.

O segundo absurdo vem da CBF e do curioso corte do jogador logo depois de suas declarações. Será mera coincidência? Ou o mais puro Nazi-Sionismo tomando conta?

Uma página foi criada no facebook em homenagem ao jogador e centenas de pessoas estão postando mensagens de apoio e agradecimento pela sua clara defesa da Causa Palestina……………..

Responder

brz

21 de maio de 2011 às 23h31

Fora Paloffi!

Responder

FHC, o Facebook e a “coalizão de vontades” « Dukrai's Blog

21 de maio de 2011 às 21h53

[…] o Facebook e a “coalizão de vontades” Por dukrai sugado do viomundo https://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/fhc-o-facebook-e-a-coalizao-de-vontades.html 20 de maio de 2011 às […]

Responder

federico baudelaire

21 de maio de 2011 às 20h09

Azenha, brilhante análise, na ferida sua colocação sobre a retirada do creative commons no Ministério da Cultura: soberba, é tudo o que tem demonstrado até aqui a Ana de Hollanda, abraços

Responder

carlos saraiva

21 de maio de 2011 às 17h40

Acho realmente muito importante esta nova comunicação. Sabemos que a imprensa não forma opinião e sim tenta manipula-la. Sabemos tambem que a Massa, é um conglomerado de individuos sós, portanto "coalizão de vontades" é um conglomerado de muitas vontades isoladas e em direções diferentes. Assim essas "vontades" precisam ser "ideologizadas" para exercerem um real papel politico. Estamos submetidos à varias escolhas, precisamos saber escolher, pois ao não fazermos seremos escolhidos pelas escolhas dominantes. O dificil não é fazer o certo e sim saber o que é certo. Antes de analizarmos sob o prisma da "moral" e da ´" ética", analizemos politica e ideológicamente. Pois ao não escolhermos o nosso lado, seremos escolhidos pelo lado.

Responder

rhwinter

21 de maio de 2011 às 16h41 Responder

ZePovinho

21 de maio de 2011 às 16h33

Dica da Luiza Scioli

CRIME QUE VÃO COMETER COM A CIDADE DE SÃO PAULO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

[youtube rw14LEtl7G4 http://www.youtube.com/watch?v=rw14LEtl7G4 youtube]

Responder

ZePovinho

21 de maio de 2011 às 15h08

Digite o texto aqui![youtube i3AQG09E0WA http://www.youtube.com/watch?v=i3AQG09E0WA youtube]

Responder

FrancoAtirador

21 de maio de 2011 às 15h04

.
.
O que chama a atenção é que a maioria dos bois lançados pela mídia nos rios de piranha são de governos do PT.

O Zé Dirceu tá pagando até hoje pelo caixa 2 praticado pela quase totalidade dos políticos da maioria dos partidos.

Agora, o Palocci vai pagar por todas as irregularidades praticadas por centenas de parlamentares empresários.
.
.
Parece até que a mídia oligárquica "brazileira" zela pela ética nas instâncias governamentais e na política como um todo.

Os telegramas da embaixada e dos consulados norte-americanos, divulgados pelo WikiLeaks, mostram exatamente o contrário disso.
.
.
Assim como a maioria absoluta dos militantes de esquerda, especialmente a militância "virtual", a quem acima se referiu o Azenha, sempre fui contra a nomeação do Palocci para qualquer ministério do governo Dilma,

mas por motivos político-ideológicos, não pelo falso moralismo midiático do Grupo G.A.F.E.*,

cujo interesse evidentemente é manchar o nome do PT, como sempre foi, e agora denegrir a imagem do Governo Dilma para ressuscitar a falecida oposição.
.
.
Alguém se lembra de nomes como os de Gregorio Marin Preciado, Ricardo Sérgio, Paulo Preto e todos aqueles outros demotucanos citados pelo jornalista Amauri Riberio Junior no prefácio do livro Os Porões da Privataria?
.
.

Responder

ZePovinho

21 de maio de 2011 às 15h03

Eu já estou na casa dos quarenta.Com 17 estava enfiado em partidos políticos.Meu tempo passou,sou apenas um samurai(servidor) desses jovens que vão ser o poder no Brasil(como os jovens da Espanha,agora).
Uma vez,nessas guerras entre gerações,no meio de uma assembléia onde um velho professor nos atacava impiedosamente,outro velho professor levantou e disse lá do fundo:"-Ei,Fulano!!!Você nunca foi jovem?".A pergunta desnorteou,por um breve instante,o nosso detrator e diminuiu a virulência dos ataques.
As velhas burocracias dos partidos e os adultos(a burguesia do tempo,segundo Gilberto Freyre) bem que podiam ouvir mais os jovens e se desapegar dos privilégios.
Quem lembra dessa música??????????

[youtube GxWFP6v3vQs http://www.youtube.com/watch?v=GxWFP6v3vQs youtube]

Responder

FrancoAtirador

21 de maio de 2011 às 14h42

Burburinho: tudo sobre Serra, FHC, Preciado e Ricardo Sergio

Poucos conhecem (ou conheciam) a folha corrida dos tucanos de SP como Rodrigues

Stanley Burburinho, o reparador de iniquidades, localizou na Folha (*), na Folha (!) a resposta ao que este Conversa Afiada tinha sugerido, antes do debate na Rede TV: botar o Preciado e o Ricardo Sérgio no pedaço.
O amigo navegante verá que o Farol de Alexandria diz ao Mendonça de Barros: não te meta nisso !
Digno de um estadista, não ?
De um “primeiro mandatário” da Nação.
(Disse o Ciro Gomes: o FHC não rouba, mas deixa roubar.)
Vamos ao implacável Burburinho e chore de vergonha, amigo navegante (por falar nisso, por onde anda o Fernando Rodrigues ?):

Abaixo, quatro matérias publicadas pela Folha de São Paulo em 2002, no espaço de cinco dias, falando das ligações de Ricardo Sergio com Serra, Preciado e FHC e com explicações sobre os bastidores da privatização da Vale:

1 – No BB, Ricardo Sérgio ajudou empresário ligado a Serra

2 – Entenda o caso da privatização da Vale do Rio Doce

3 – Saiba os bastidores da privatização da Vale do Rio Doce

4 – Saiba mais sobre Ricardo Sérgio, ex-diretor do Banco do Brasil

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/09/1

Responder

Maiara

21 de maio de 2011 às 14h32

As mudanças estão acontecendo sem nenhuma discussão. Não houve nenhum debate nas escolas e na sociedade sobre a flexibilização do ensino médio. Mas, no âmbito do CNE tudo já foi decidido, só falta o tecnocrata do Fernando Haddad sancionar.
Veja o que está acontecendo com o PT. Palocci, através de consultoria, fazia o quê? Tráfico de influência? Como pode representar as pessoas comuns? A militância do partido foi, durante os anos 90, excluída. Passou, então, a utilizar os blogs e as redes sociais para fazer política. O pior é que os movimentos sociais estão pacificados, mas até quando? Quando chegará ao Brasil essas mobilizações por democracia real? Espero que não demore muito.

Responder

Luisa Scioli

21 de maio de 2011 às 13h56

Maria Luisa

Por favor nós do movimento de moradores do entorno da Serra da Cantareira estamos precisando de midia para expor a atrocidade que o governo CERRA cometeu com a população daqui e o seu sucessor Geraldo Alckimin esta para dar continuidade. Falo da obra do trecho norte do roubanel que esta perto de atropelar vilas e bairros e o pior, a destruição do mancial aqiifero da cidade de São Paulo- a Serra da Cantareira- Considerada a maior floresta NATIVA em área urbana- e eles querem destruí-la em nome do progresso insustentavel.
Entendam o caso:
O rodoanel é uma obra que visava resolver o problema dos caminhões que ao entrarem no centro da cidade pelas rodovias que entram complicam totalmente o transito que já é caótico: odoanel é obra que leva os carros de cargas pesadas para fora da cidade, no entanto, o governo paulista pensando em econimizar e a ideia de unir uma rodovia estadual – a Rod. Fernão Dias – a uma avenida urbana- a Raimundo Pereira de Magalhães- passando por dentro da cidade e ainda cortando a Serra da Cantareira- uma loucura, um crime ambiental, sendo que o correto passar essa obra por fora da cidade que seria o óbvio. O óbvio seria construir o Rouboanel ligando a Estrada São Pedro próximo a Atibaia com a parte do Rouboanel já próximo ao município de Caieiras- como sabe todos que conhecem as rodovias do estado.
O movimento contra o trecho norte pede a publicação de assuntos pertinentes, pois a falta de midia esta fazendo com que na calada se decida a vida das pessoas que perderão suas moradias e da floresta que corre sério risco de ser riscada do mapa..
Vejam um dos videos no youtube e entenderão. http://www.youtube.com/watch?v=rw14LEtl7G4

Responder

Aracy_

21 de maio de 2011 às 13h37

Excelente análise, Azenha. Tenho aprendido muito desde que comecei a ler os blogs e lamento que este ano tenha menos tempo para dedicar à sua leitura. A amplitude da formação cultural das pessoas, a riqueza e a diversidade de conteúdo e a agilidade na troca de informações são fantásticas. Se o governo federal souber usar essa ferramenta poderosa para aglutinar quem deseja melhorar o país e disseminar conhecimento e informação através do plano nacional da banda larga, teremos um novo Brasil muito em breve.

Responder

Luiz Fortaleza

21 de maio de 2011 às 13h24

Acho q a Dilma não deveria ter chamado políticos do PT problema… a gente também tem q fazer a autocrítica e o PT virou quase um partido de ideologia capitalista, onde muitas pessoas estão no partido pra se garantir… é preciso fazer uma assepssia geral. A porteira abriu muito sem filtrar os elementos sujos.

Responder

    Alvaro Tadeu Silva

    22 de maio de 2011 às 01h02

    Apoiado, Luiz Fortaleza. É Palocci prá cá, Cardozo pra lá, alguma coisa vai afundar.

Messias Macedo

21 de maio de 2011 às 12h56

[Palocci torna suspeito
financiamento da campanha da Dilma
Em http://www.coversafiad.com.br] – jornlista Paulo Henrique Amorim]

Empresa de Palocci faturou R$ 10 mi em apenas dois meses
Fonte: Folha online
DE SÃO PAULO
Catia Seabra
21/05/2011 – 07h21
#################
Ninguém pode se queixar do deleite da [Eliane] Cantanhêde “da Folha”!
21/05/2011 – 09h11
Eliane Cantanhêde: Situação de Palocci só se complica
DE BRASÍLIA
21/05/2011 – 09h11

Nota: se não formos críticos e imparciais, daqui a pouco estaremos defendendo o vice-prefeito petista de Campinas, em férias, na Espanha, e considerado fugitivo aqui no Brasil, leia-se República de ‘Nois’ Bananas!…

República de 'Nois' Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Carmem Leporace

21 de maio de 2011 às 12h48

Aí trutas… não é por nada não… nada mesmo… mas já está rolando na praça que essa treta errada do Palocci está chegando na Dilma… pelo que já se desconfia ou se sabe… é dinheiro de caixa dois de campanha … a coisa está tomando dimensões bíblicas… isso é lavagem de dinheiro de campanha… crime de reponsa… humpf….

Olha o impitiman aí…quase que Lula roda….

Pensam que é Lula??? FHC salvou Lula do impichamento… Lula cometeu crime de responsabilidade… todo mundo sabe disso… petistas chegaram a pedir sua renúncia… quem o livrou da degola foi Fernando Henrique… mas Lula é Lula… amigo de FHC…. e Dilma… bem… não digo mais nada.

Acho que o melhor a ser feito neste momento é um pacto pela governabilidade.. prefiro Dilma do que Temer..

A coisa é gravíssima mesmo….

Tchau rapaz.

Responder

O_Brasileiro

21 de maio de 2011 às 12h39

Nada como ficar meses sem ouvir falar de folha de são paulo…
Globo, então, só quando o Sanchez chama de "gangster"…
Só se ouve falar de Facebook, de Youtube…
Ah, esses "tempos extraordinários"…

Responder

Remindo Sauim

21 de maio de 2011 às 12h38

O Franklim foi chamado pela Dilma, deve vir aí a lei dos médios.

Responder

Eugênio L.da Costa

21 de maio de 2011 às 11h10

O FH_Saliéri, como o chamou o min. Paulo Bernardo, finge que a coisa não é com ele e os tucanos, como tivesse feito um governo digamos Nota 5, e o LULA Nota 8,5. Finge ele, porque o estrago que ele causou ao patrimonio nacional vendendo a Vale e outra estatails, quando doando, são crime de lesa pátria. A Inglaterra levou 12 anos para privatizar. O FHC comprou a re-eleição, é uma canhalhice da tucanalha, comparar a corrupção do governo do PT com os escandalos do governo FHC. Ele também pregou uma grande mentira, dizia eles que venderia estatais para aplicar o dinheiro em educação e saúde. Ele deixou de investir na infra-estrutura como estrada, industria naval. Por que o tucanos mentem tanto?

Responder

Luiz M. de Barros

21 de maio de 2011 às 10h04

É sim uma corrente de pensamento, inconsciente coletivo, forma pensamento, imaginário popular, consenso cósmico, etc. Julian Assange do Wikileaks “Vivemos tempos extraordinários” “Tudo conspira a favor do Brasil” Ricardo Amorim, economista “O Brasil é um país condenado a dar certo” Efeito dominó que vai derrubando o velho ciclo. Consenso e agora o seu "coalizão de vontades"

A interação é fundamental.
Tudo haver com tudo. Até o falar "os livros" entra. Algo transcendente estamos vivenciando. Um pouco difícil de distinguir devido estarmos participando da partida, não somos o técnico de fora orienta. Talvez você Azenha tem as duas funções a do participante e do técnico. De qualquer forma as profecias de um novo ciclo estão sendo anunciadas. A Anunciação de Alceu se aplica. “sussurrando em nossos ouvidos”
Obrigado pelo texto

Responder

Carmem Leporace

21 de maio de 2011 às 07h38

Ja prenderam o vice prefeito petista em Campinas??? o cara está foragido… saiu no pionte das garras da lei, simplesmente é um dos mentores de um mega esquema de roubalheira dos cofres públicos, dinheiro do povo miserável que paga impostos…… nossa… mas como vocês gostam mesmo do """povão""" não é gentê?????

Responder

    O_Brasileiro

    21 de maio de 2011 às 12h35

    Errou, tem que pagar!
    Não pode é ficar como o Aloysio "Paulo Preto" Nunes Ferreira, que ainda vai eleito senador…

    Remindo Sauim

    21 de maio de 2011 às 12h37

    Em Snaoi paulo, se a polícia federal vai prender todos os corruptos. só os do PSDB já vão encher as cadeias, se sobrar um lugarzinho, a gente coloca esse vice.

    Daniel

    21 de maio de 2011 às 18h56

    Nota-se que o seu comentário tem tudo com o post do Azenha. Facebook me lembra instantâneamente Campinas e o prefeito do PT. *sarcasmo*

    Acorda Troll!

    beattrice

    21 de maio de 2011 às 21h52

    A cúpula tucana de Vinhedo está no mesmo camburão, alguém avisou a trollagem serrista da área?

H Aljubarrota

21 de maio de 2011 às 01h00

"se materializou de forma autônoma e apartidária nas ruas"

Desculpe, amigo… O movimento era apartidário no sentido de que TODOS os protestos eram dirigidos contra o PSDB e seus 20 anos de mesmice em São Paulo. Não havia nenhuma dúvida da origem da insatisfação dos que protestavam; o governo do Estado de SP.

Responder

João

21 de maio de 2011 às 00h51

Azenha, fico me perguntanto por que o Governo Dilma não criou um Gabinete Digital, como o Governo Tarso Genro.
Será que tem o dedo do Palocci nisto também? Será que a Dilma tem tempo para ficar sabendo o que anda acontecendo nas redes sociais e nos blogs? Caso ela soubesse, creio eu, já teria dito ao Palocci: "afaste-se do Governo até provar que não há nada de ilegal e ilegítimo no que fez".

Responder

beattrice

21 de maio de 2011 às 00h30

"…teve o dom de afastar do governo algumas centenas de militantes virtuais que, com seu conhecimento das redes sociais, eram responsáveis pela reprodução e multiplicação de textos, fotos, vídeos e notícias de apoio às políticas públicas do novo governo."

Em tempos de bonança e beija mão com o seu Tavinho as redes sociais pareciam relegadas a segundo plano, agora que a bola volta a rolar, o governo Dilma se dará conta de que Ana ON ICE y otros que tais não podem manter a coalizão de vontades aglutinada e antenada.
Excelente reflexão Azenha, obrigada.

Responder

    José F4k3 S.

    21 de maio de 2011 às 16h14

    Não sei não. (1) Desconfio que Dilma ainda compreendeu os novos tempos. Pelo menos, não deu mostras disso, ao estender as mãos para o PIG no início de seu governo, e praticamente ignorar os militantes virtuais que "suaram" em frente ao computador por sua vitória. (2) O tempo da internet é rápido, é agora, é já. Isso o PIG percebeu durante a campanha eleitoral de 2010, com sua fábrica de "escândalos" e factoides a todo vapor contra a campanha da Dilma, criando uma nova "notícia" bombástica por dia. Infelizmente o PT, partido que deveria dar sustentação a Dilma não entendeu isso. A campanha de Dilma na internet perdeu de lavada das canalhices internéticas. Os tucanos só não ganharam porque seu candidato era muito, mas muito ruim mesmo, não dava pra esconder esse fato. Agora com o Aecim ou o Alckmin na parada o PIG vai tentar de novo, sem dúvida, e se as bases políticas de Dilma (basicamente, o PT) não transpuserem o fosso para o século 21 e não começarem AGORA a ocupar espaços na internet, estaremos condenados a ver o obscurantismo tucano se estender de São Paulo para o Brasil, com consequências nefastas para nós, o povo, como podemos testemunhar hoje em São Paulo.

Raphael Tsavkko

21 de maio de 2011 às 00h18

Os partidos vem e vão, os movimentos ficam. O aparelhamento que querem fazer do encontro de blogueiros progressistas – com presença de Lula e Dirceu como convidados de honra – é uma usurpação do movimento pelo partido. Vai dar em m*.

Responder

    carlos quintela

    21 de maio de 2011 às 11h39

    Porque será que não foram o FHC e o Serra os convidados de honra?
    Esta turma é mesmo muito raivosa, né? Só convidam gente que não presta, Ex- Presidente apedeuta e Ex-Ministro corrupto. Ex-Presidnete doutor e Ex-ministro de mãos limpas (blargh! Quase engasguei) não têm a menor chance…

José de França

20 de maio de 2011 às 23h53

Alem de uma revisão de conceitos por parte de Políticos, Jornalistas, Igreja Católica, devemos incluir nesse rol os Professores e a instituição Escola (nos seus vários níveis).

O professor, já faz tempo, não é a única fonte de ´´saber´´.
No entanto, seu papel como filtro em uma sociedade de hiper-abundância de fontes é fundamental.

Responder

    Elton

    21 de maio de 2011 às 11h13

    Sou professor há 28 anos e afirmo categóricamente que na atualidade os que integram nossa categoria e se denominam "única fonte de saber" estão na Idade Média. Ou em verdade não dominam sequer o que se propõe a ensinar. Felizmente são poucos os que se colocam no pedestal do saber e a maioria têm consciência de que em verdade interagem com o alunos e a sociedade.

Messias Macedo

20 de maio de 2011 às 22h48

[“De quebra”!]
Mino: Palocci, privilégio e predação. E Cerra e Aécio … Mudos
Atirar a primeira pedra ? Quem ? Eu ? Não !
Em ww.conversaafiada.com.br

#########################
…O neto do “dotô” Tancredo deve considerar o [Antônio] ‘Paláccio’ o supra-sumo da meritocracia…
… A quantas anda o blog do neoblogueiro “cheiroso” [José] (S)erra?! [O eclético] Já citou [Michel] Foucault, Sartre, Zygmunt Baumann, Patativa do Assaré…?!
… Antonio ‘Paláccio’ ainda se lembra de algum princípio trotskista?!…
[Tudo estável, a doce leveza do ter(!)]

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Macedo

20 de maio de 2011 às 22h43

… Por muito tempo as nossas elites ensinaram ao povo como rezar a prece do padre, a tomar o remédio que "o dotô passou", a vestir a roupa do domingo, a celebrar a morte dos seus filhos…
O discurso monolítico das elites está com os dias contados, porquanto a coalizão tem vontades!… Bacana!…

República de 'Nois' Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Gustavo Pamplona

20 de maio de 2011 às 22h21

Acho que você podia ter citado o Gerson Carneiro, ele faz de tudo para ser "importante"! hahahahahhaa

E aí Garga! Gostou? ;-)

Responder

    Carmem Leporace

    21 de maio de 2011 às 07h34

    Esse rapaz é aquele que usa uma espécie de capacete de eletricista da CPFL na cabeça???

    Se for… bem… pra mim ele de todos aqui é o que mais ama aos pobres… é um caridoso….

    Saquei a dele faz tempo… você acertou na mosca…

    Tchau rapaz.

    yacov

    22 de maio de 2011 às 17h22

    E o senhor Leporace parece ser o que mais ama os PODRES… Tchau, jaguára!!!

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na gloOB – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

    Elton

    21 de maio de 2011 às 11h14

    Essa foi só para provocar………….e nada feliz………….

    Gustavo Pamplona

    21 de maio de 2011 às 13h23

    Elton, Elton, Elton… você de novo… (tsc… tsc…)

    Não percebeste que isto foi uma brincadeira? Será que tenho que te contar que eu conheço o Gerson e inclusive já twiitei (conversei) com ele?

    Aliás, certa vez eu já recomendei a todos os leitores aqui que antes de partir para agressão contra outro leitor que conheçam ele primeiro.

    Segue aquela minha "assinatura" para quem quiser me conhecer.

    —-
    Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
    Desde Jun/2007 fazendo história no "Vi o Mundo"! ;-)
    Fundador do PORCO – Partido de Oligarcas Representantes de Capitalistas Opressores

Augusto

20 de maio de 2011 às 22h21

Dois cocos de Dilma até agora: Ana de Hollanda e Helena Chagas. Quando elas foram anunciadas ministras do governo, eu disse a mim mesmo: Dilma começa mal, muito mal.

Responder

Luiz Fortaleza

20 de maio de 2011 às 22h17

Eu, por exemplo, prefiro ver notícias nos sites do q assistir a Globo e como computador vicia, está tirando muita gente da velha telinha plim plim. A audiência das tvs já não é a mesma, pq falta interatividade e o espectador fica passivo. Aqui não, a gente interage e alguém pode nos ler, ouvir ou escutar…

Responder

Augusto

20 de maio de 2011 às 22h15

Eu acho que entender, o governo entendeu. Mas falta coragem ao governo e ao PT para fazer isso. Imagina se o governo começar a se interagir diretamente com a população, afastando a mídia??? Note que a trégua durou pouco tempo. Voltamos aos escândalos diários. A mídia não vai aceitar tão fácil uma posição secundária.

Responder

IZA

20 de maio de 2011 às 22h07

"Ainda que alguns digam tratar-se de ferramenta do “imperialismo”

ERA E É!
Os inocentes úteis são "bonzinhos"

Responder

Uélintom

20 de maio de 2011 às 21h40

De tempos em tempos alguém pára, observa os movimentos conjunturais e produz análises que nos permitem começar a refletir sobre as transformações estruturais por que passam grandes conjuntos sociais. Não me refiro aqui a FHC, mas a Azenha e outros de seus colegas que vêm produzindo nos últimos tempos muitas matérias primas para reflexões pertinentes, com a qualidade de serem profundas e claras. Será que é um sinal destes novos tempos que esse tipo de produção intelectual esteja nascendo nas searas do jornalismo, ou deste associado à internet? Acho que os Cientistas Sociais como Sociólogos, Geógrafos, Historiadores e Antropólogos ficaram especialistas demais em suas áreas, e os Jornalistas, com sua formação ampla, têm ocupado esse espaço tradicional dos grandes intelectuais. E se associa a isso a liberdade de pensamento que a internet propcia. Benditos os que bebem nestas fontes.

Responder

    Aracy_

    21 de maio de 2011 às 13h39

    Tem razão, Uélintom. Somos privilegiados por podermos ler essas análises. Que venha logo a banda larga para todos os brasileiros.

Ronaldo

20 de maio de 2011 às 21h28

Quem é o responsável pelo governo Dilma não ter compreendido a web 2.0? Já se vão 5 meses . . .

Será o Hibernardo?

Para que serve a SECOM?

Responder

    beattrice

    20 de maio de 2011 às 23h03

    Sem o Franklin?… Pelo visto pra quase nada.

Neuza

20 de maio de 2011 às 21h17

Muito bom Azenha. E o Governo Dilma tem que se antenar mesmo para a blogosfera. E detonar a Ana que detonou o Creative Commons, aquilo é um estorvo. O Tarso deve inovar em muita coisa, por isso votamos nele! Bem vindo ao Rio Grande.

Responder

Eduardo Guimarães

20 de maio de 2011 às 21h15

Já tô com a passagem. Será um excelente encontro

Responder

    Carmem Leporace

    21 de maio de 2011 às 07h36

    Será uma boa amigo??? de todo modo… vá com Deus….

    Mas você volta não é????

ZePovinho

20 de maio de 2011 às 21h13

Eita,Azenha!Valeu a citação,mas se você incluir nos 1% do que concorda as minhas teorias conspiratórias eu já me dou por satisfeito.KKKKKK!!!

Responder

    Luiz M. de Barros

    21 de maio de 2011 às 10h02

    Outro dia assitia a entrevista de um economista Ricardo Amorim na Tv Camara, quando ele se saiu com essa "O Brasil é um pais "condenado" a dar certo" e explicou por exemplo quanto aos atrasos sobre a Copa ou Olimpiadas que mesmo com eles se acontecerem, esses eventos vão alavancar "na marra" uma transformação do Brasil.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding